You are on page 1of 13

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ

INSTITUTO DE TECNOLOGIA
FACULDADE DE ARQUITETURA E URBANISMO

Fernanda de Borborema Machado Ramos


João Alberto Campos de Lima
Rafael de Paiva Cabral
Virgilino Jucá da Costa Neto
William Marques Pereira

Saneamento Básico do Município de Santa Izabel

Belém, PA
Novembro 2014
Fernanda de Borborema Machado Ramos
João Alberto Campos de Lima
Rafael de Paiva Cabral
Virgilino Jucá da Costa Neto
William Marques Pereira

Saneamento Básico do Município de Santa Izabel


Pesquisa Sobre os Serviços de Saneamento da Cidade Santa Izabel

Trabalho de graduação interdisciplinar


apresentada com o objetivo de
aprovação parcial na disciplina de
Saneamento da Faculdade de
Arquitetura e Urbanismo da
Universidade Federal do Pará.
Orientador (a): Prof. André Luiz da S.
S. Coelho

Belém, PA
Novembro 2014
Introdução
Este trabalho tem como objetivo analisar os serviços de saneamento das
cidades da região metropolitana de Belém, mais especificamente a cidade de Santa
Izabel, escolhida pelo grupo para maior detalhamento das atividades relativas aos
serviços de saneamento ou a falta deles.
Levando em consideração a sua caracterização, densidade demográfica, e
tamanho da população e do território, foram pontuados os serviços de saneamento
básico, especialmente os referentes ao abastecimento de água, coleta e tratamento de
esgoto, sistema de drenagem urbana e coleta de resíduos sólidos.
Foi elaborada uma visita de campo na cidade para a realização de
questionários com a população residente na cidade e visita aos órgãos responsáveis
pelos respectivos serviços, tais quais a Secretária Municipal de Obras Públicas, o
Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) e Secretária Municipal de Meio
Ambiente (SEMMA). Os dados recolhidos serão apresentados ao longo do trabalho.
1. Dados Geográficos
O município de Santa Izabel está localizado na microrregião de
Castanhal e pertence à região metropolitana de Belém, distando 36 km da capital,
possuindo uma área territorial de 717,6 km2, o que corresponde a 0,0575% do Estado.
Sua população, hoje, passa dos 61.000 habitantes. Tem como principal acidente
geográfico o rio Caraparu, com uma extensão aproximada de 85 km, desaguando no
rio Guamá, limite sul do município. A cidade é conhecida como a “Cidade dos
Igarapés”, sendo sua bacia completada com os afluentes Maguari, Itá, Mucuiambá e
Jundiaí. A cidade é composta por três distritos, sendo a sede municipal, Americano e
Caraparu.

2. Abastecimento de Água
De acordo com informações fornecidas pelo Diretor do Sistema
Autônomo de Água e Esgoto – SAAE, Pedro Lino Junior, o abastecimento de água no
município de Santa Izabel do Pará é realizado por meio de 21 grandes poços públicos
escavados pela Companhia de Saneamento do Pará – COSANPA. Mesmo sendo um
município famoso pela grande quantidade de igarapés, não há um manancial
superficial capaz de atender a população, portanto, o abastecimento é feito por
mananciais subterrâneos.
A distribuição é feita por uma autarquia municipal, o SAAE, e atende
todo o perímetro urbano, atendendo cerca de 65% da população. Um poço
geralmente atende um ou mais bairros, dependendo da demanda, porém a média de
atendimento é de 1 poço por bairro.
Com relação ao tratamento de água, o mesmo existe, porém é mínimo,
a apenas a adição de cloro à água.
Os poços existentes seguem na tabela abaixo, fornecida pela SAAE:
Figura 1 – Tabela com os poços que realizam o abastecimento do Município de Santa Izabel do
Pará. Fonte: Serviço Autônomo de Água e Esgoto – SAAE

Nas comunidades agrícolas, o abastecimento domiciliar é realizado,


prioritariamente, através de poços artesianos individuais, representando cerca de 25%
da população, como mostra o gráfico que segue.

Abastecimento de Água nos Domicílios de Santa Izabel do Pará


Fonte: Gráfico gerado pelos autores através de dados do Censo 2010 – IBGE

3. Coleta e Tratamento de Esgoto


Segundo pesquisa com a população local e informações coletadas com
o próprio órgão competente, não há serviço de coleta e tratamento de esgoto
no município. A SAAE (Serviço Autônomo de Água e Esgoto) informou que
existe apenas serviço de abastecimento de água, não sendo contemplado
sistema de coleta do esgoto da população, fato inclusive ressaltado pelo diretor
do órgão, o qual relatou que esgoto “só há no nome” da referida instituição.
A destinação final dos esgotos gerados pelos habitantes é, portanto, de
responsabilidade das habitações de forma individual. O sistema individual
consiste no lançamento dos esgotos domésticos gerados pela unidade
habitacional em uma fossa, das quais foi verificado que a grande maioria se
consiste em fossa rudimentar (uma espécie de buraco na terra que recebe todos
os efluentes sem qualquer tratamento), e apenas uma parte possui fossa
séptica, seguida de dispositivo de infiltração no solo (sumidouro). Este é um
fato alarmante, visto que significa que a maioria da população possui um
sistema precário de esgotamento, responsável pela proliferação de muitas
doenças e poluição sanitária e ambiental.
Além disto, conforme gráfico coletado pelo Censo do IBGE 2010, uma
outra parte da população despeja seu esgoto diretamente em valas, outra parte
despeja em corpos d’água, e parte da população não possui banheiro próprio.

Esgotamento Sanitário nos Domicílios de Santa Izabel do Pará


Fonte: Gráfico gerado pelos autores através de dados do Censo 2010 – IBGE
4. Drenagem Urbana
Quando questionamos o diretor do SAAE a respeito dos sistemas de
drenagem, fomos direcionados à Secretaria Municipal de Obras Públicas, porém não
conseguimos informações devido a ausência do Secretário e de qualquer outro
responsável que pudesse nos passar informações concretas acerca dos sistemas de
drenagem de águas pluviais do município.
Pudemos notar com a visita, pelas informações repassadas pela
população e por alguns funcionários, que o sistema de drenagem existe, mas é
precário e atende pouca parte do município. Muitas ruas não são pavimentadas e
alagam com frequência nos períodos chuvosos, além da grande ocorrência de casos de
erosão, segundo relatos de moradores que responderam os questionários aplicados.
Notou-se a presença de canaletas de micro drenagem apenas nas ruas
principais, no Centro Comercial do Município, porém não observamos presença de
muitas bocas de lobo. Um funcionário do SAAE informou que existe sistema de
drenagem, que tem como destino final os igarapés.

Bueiros/Bocas-de-Lobo no Entorno dos Meio-fio/Guia no Entorno dos Domicílios


Domicílios de Santa Izabel do Pará de Santa Izabel do Pará
Fonte: Gráfico gerado pelos autores através de dados do Censo 2010 – IBGE
Setores censitários com maior existência de bueiros e bocas-de-lobo no entorno dos domicílios. (Mais
escuro significa mais bocas-de-lobo).
Fonte: Gráfico gerado pelos autores através de dados do Censo 2010 – IBGE

Erosão de Rua não Asfaltada no Município de Santa Izabel


Fonte: Arquivo fotográfico dos autores

5. Coleta de Resíduos Sólidos


De acordo com a pesquisa com a população acerca da coleta de lixo, a
mesma relatou que esta melhorou muito de alguns anos para cá, considerando a
mesma com eficiência satisfatória.
Em conversa com chefe dos encarregados pela coleta de lixo do
município, Raimundo Sérgio, membro da SEMMA (Secretaria Municipal de Meio
Ambiente), foi informado que a coleta de resíduos sólidos é feita regularmente, com
frequência variável de acordo com a área da cidade. Na área central (bairro Centro) a
coleta é feita diariamente, devido a produção de lixo ser maior. Em outras áreas a
coleta é feita de dois em dois dias, e nas áreas mais periféricas do município é feita
semanalmente. A maioria da população acondiciona seu lixo em sacolas plásticas,
deixadas em frente de suas residências perto do período de coleta. O lixo é
transportado em parte por caminhão basculante (há três no município) e em parte por
caminhão compactador (há dois).
Entretanto, o destino final do lixo é inadequado - um lixão a céu aberto e sem
nenhum tipo de tratamento, próximo ao Caraparu, considerado o balneário mais
importante da cidade. Segundo o chefe de gabinete da SEMMA, Waldo Melo, existe a
pretensão da criação de um consórcio entre os municípios da região metropolitana de
Belém, que abrange a criação de aterros sanitários para destino final de lixo, usina de
reciclagem para os lixos reutilizáveis, e a realização da compostagem para o lixo
orgânico. Esta seria a destinação final do lixo considerada a mais adequada, porém,
ainda não há nenhum projeto concreto acerca disto.
Além do lixo que é coletado, uma parte considerável da população, a qual não
é contemplada pelo serviço de coleta de lixo, queima o mesmo. Outra pequena parcela
o enterra, o joga em terreno baldio ou o joga em algum corpo d’água.

Destino do Lixo nos Domicílios de Santa Izabel do Pará


Fonte: Gráfico gerado pelos autores através de dados do Censo 2010 – IBGE
Existe também o serviço de varrição regular nas ruas do município, contando
com 82 colaboradores que realizam tal função. Há cerca de 400 camburões para
acondicionamento de lixo nas ruas da cidade.
Outra funcionária do SEMMA nos informou que está ocorrendo no município
uma mobilização sobre educação ambiental, com a realização de palestras nas escolas
e trabalhos nas comunidades. Está também sendo visada a implementação da coleta
seletiva do lixo, e, apesar da mesma ainda não está sendo implantada, já está havendo
ações sobre a conscientização e educação visando o entendimento sobre os benefícios
da coleta seletiva para a cidade.

Camburão para acondicionamento de lixo.


Fonte: Arquivo fotográfico dos autores
Conclusão

Os serviços básicos de saneamento do Município de Santa Izabel do Pará são


muito precários. O serviço de drenagem e de esgoto são notadamente bastante
deficientes, sendo os que demonstraram maiores índice de insatisfação pela
população.
O serviço público de abastecimento de água atende toda a população urbana do
município, e é considerada suficiente, não ocorrendo interrupções constantes, mas no
que diz respeito ao tratamento, é deficiente, visto que a adição de cloro é o único
método adotado.
O serviço mais satisfatório é a coleta de resíduos sólidos, que atende a grande
maioria da população de maneira regular e frequente, porém o destino do lixo ainda é
inapropriado já que os resíduos sólidos são despejados em lixão a céu aberto
localizado próximo ao leito do Rio Caraparú, o que podem gerar grandes impactos
ambientais devido à infiltração do chorume no solo.
Referências Bibliográficas

 Dados coletados na Secretaria Municipal de Meio Ambiente.


 Dados coletados na Secretaria Municipal de Obras Públicas.
 Dados coletados no Serviço Autônomo de Água e Esgoto.
 IBGE – Censo 2010 - http://censo2010.ibge.gov.br/
 Site oficial de Santa Izabel - http://www.santaisabeldopara.pa.gov.br/
 Manual de Saneamento e Proteção Ambiental para os Municípios
 Questionários realizados com a população
Anexos
Anexo 1 – Questionários realizados com a população
Anexo 2 – Resumo dos Questionários
Anexo 3 – Solicitação de Dados - SEMMA
Anexo 4 – Relatório de Faturamento do Mês 08/2014 - SAAE