You are on page 1of 40

ISSN 2183—2196

ano letivo 2017/18

Agrupamento de Escolas de Oliveira do Bairro
Revista nº 15 janeiro 2018

revist@mais
ficha técnica índice
título 3 editori@l

revist@mais
4 … em entrevist@
equipa técnica
Capa: Pauline Niquille (3º A)
7 ensino profissionalizante em revist@
Revisão: Angelina Cristino e Rosa Guerra
Editor: Joaquim de Almeida 12 pré-escolar em revist@

Entrevista: Angelina Cristino e Rosa Guerra

ISSN 14 1º ciclo em revist@

2183—2196
21 acontece no @eob

tiragem
200 exemplares
31 educação especi@l

Reservados todos os direitos de acordo
com a legislação em vigor 33 bibliotec@ndo ...

janeiro 2018
35 PES em revist@
agradecimentos
A toda a comunidade escolar, mas espe- 37 trabalhos de @lunos
cialmente aos alunos sem os quais esta
publicação não faria sentido.
2 39 desporto em revist@
Igualdade de Géneros é o tema deste ano para O Parlamento dos Jo- um de responsabilidade partilhada pelos géneros. A mulher lutou durante
vens, talvez o projeto que promove nas escolas mais espaços de debate e décadas, mas foi acompanhada pela cumplicidade e luta de muitos homens,
reflexão. sendo também verdade a situação inversa, comprovada no dito comum
Pessoalmente, prefiro debater e refletir sobre a desigualdade de opor- “por trás de um homem está sempre uma grande mulher”.
tunidades e a descriminação que lhe vem sempre associada, pois acredito Não me choca ver homens a exercer profissões musculadas, mulheres
que se a todos fosse proporcionada oportunidade, a desigualdade se esba- a desempenhar papeis mais delicados. Choca-me, isso sim, ver crianças a
teria. serem exploradas, seres humanos a morrer à fome, gente que ficou rica a
Que a mulher é diferente do homem, é uma realidade incontestável! roubar, inocentes a serem condenados, pessoas a serem descriminadas
Mais frágil, mas não mais fraca; mais assertiva, mas porque professam outros credos, apedrejados
não menos resiliente; capaz de se multiplicar num porque são diferentes, bandos de refugiados a
sem número de tarefas, sem perder o foco e o sen- mergulharem no inferno para fugirem ao purga-
Júlia Gradeço,
tido da perfeição, ser feminina, não deixando de tório; choca-me a hipocrisia e a injustiça, inde-

rial
Diretora do

edit
ser competente. E melhor, foi-lhe destinada uma pendentemente do género.
AEOB
bênção que nenhum outro género pode alcançar… O reconhecimento e o respeito, deve vir
a maternidade! da demonstração da competência, dos valores,
O homem, enfim, que continue a ser homem, do empenho e da dedicação. Abandonemos o
não catalogado pela massa muscular, pela voz gros- comodismo de ver o mundo girar à nossa volta, a
sa ou pela altura dos ombros. vida acontecer sem nos incluir. Se temos sonhos,
Acho imensa piada à modernice do “caros e tenhamos a coragem de os perseguir, não espe-
caras”, do “meninos e meninas”, do “alunos e alu- remos que o sucesso surja só porque as nossas
nas”, “condutores e condutoras”… Será esta dife- “curvas voluptuosas” nos trouxeram a oportuni-
renciação que fará a diferença??!! Não, meus caros dade, só porque existe a lei da paridade, ou sim-
(e minhas caras… diriam os mais modernos), não me parece!... A diferença, plesmente porque ninguém do “género” oposto quis aproveitar. Mudemos
ou a igualdade, opera-se na nossa cabeça, traduz-se nos nossos julgamen- práticas mudando mentalidades e comecemos por nós, pela nossa casa,
tos, na nossa prática diária. Aprendi na escola que o género masculino pode pela nossa escola, participando, criticando positivamente, mostrando alter-
ser usado também como genérico, referindo ambos os géneros, masculino, nativas exequíveis, reconhecendo o mérito, pedindo desculpa quando ofen-
feminino e, o neutro, acrescento eu. A gramática acompanha a evolução da demos, corrigindo quando erramos, trabalhando para o sucesso e tirando
língua, no entanto este é um princípio gramatical que ajudava não ser alte- conclusões dos insucessos.

3
rado, antes reforçada a sua exercitação no quotidiano! Afinal… até pode ser fácil retirar à “igualdade de género” a pertinên-
Vivemos um mundo de assimetrias, desigualdades, desenten- cia de tema capital e torná-la um princípio de vida fundamental.
dimentos, mas há também momentos de paz, de alegria, qualquer Sejam felizes!
...em entrevista à conversa com ...
Fátima Pataco,
Presidente do Conselho
Geral do Agrupamento
de Escolas de Oliveira
do Bairro
Preferências
Escritor de Língua Portuguesa: José Rodrigues dos Santos
Cantor/Banda: Pablo Alboran
Prato: Cabrito Assado

Destino de férias: Porto Santo
Passatempo: Jogar Sudoku

Maria de Fátima Rodrigues Pataco nasceu a 10 de janeiro de
1956 em Angola. Licenciou-se em matemática, ramo educaci-
onal, em 1980, pelo que iniciou a sua actividade como profes-
sora, inicialmente em Idanha-a-Nova, depois Estarreja, Águe-
da e, por fim, na Escola do 2º ciclo Santa Joana Princesa, ac-
tualmente Escola Básica Dr Acácio de Azevedo, em Oliveira
do Bairro. Durante a sua carreira como professora, desempe-
nhou diversos cargos de coordenação pedagógica, destacan-
do a coordenação do departamento de Matemática e Ciên-
cias Experimentais de 2010–2015, no Agrupamento de Esco-

4 las de Oliveira do Bairro. Actualmente preside o Conselho
Geral do Agrupamento de Escolas de Oliveira do Bairro.
...em entrevista
No seu percurso como docente passou por várias reformas e reestruturações do ensino e do modelo educativo. Considera que essas constantes alte-
rações foram benéficas tanto para os alunos como para os professores?

As sucessivas reformas e modificações legislativas, bem como as profundas alterações, após a revolução do 25 de Abril de 1974, trouxeram novas
formas de ver a escola e a participação dos cidadãos na vida escolar. Ao longo dos anos, houve um grande investimento nas escolas e na qualidade da
educação e melhoria no serviço público de educação.
A escola como parte integrante da sociedade também é envolvida na dinâmica da mudança, ajustando-se e acompanhando a evolução, ao nível
da componente pedagógica e também da própria gestão. Deixou de assumir o papel de transmissor de conhecimentos e passou a preparar as novas
gerações para os desafios do mundo moderno. A revolução tecnológica e as exigências da sociedade fizeram com que os nossos alunos se tornassem mais
empreendedores, mais críticos e mais inovadores. A escola moderna tem que estar à altura dos desafios que se colocam. A mudança é sempre difícil mas
desafiante.

Enfrenta agora um novo desafio. O que é ser presidente do Conselho Geral?

O Decreto lei nº 75/2008, de 22 de abril, considera o Conselho Geral o órgão de direção estratégica responsável pela definição das linhas orientado-
ras da atividade da escola, assegurando a participação e representação da comunidade educativa. Convém sublinhar a importância e o relevo que o referi-
do órgão assume nesse Decreto lei. Consegue-se recolher as perceções e opiniões dos diferentes atores, compreendendo assim, quer o papel, a participa-
ção e a interação dos principais representantes que compõem o Conselho Geral, bem como, o seu funcionamento. As decisões de fundo, o alcance e o
impacto das medidas aprovadas pelo Conselho Geral constituem uma mais-valia para o bom funcionamento do Agrupamento.
Como presidente do Conselho Geral, pretendo ter espírito de missão e procurar o melhor para o Agrupamento. Não quero que a minha atuação
seja apenas simbólica. Pretendo prestar o meu contributo para a resolução de problemas e implementação de melhorias.

O AEOB está a implementar o Projeto de Autonomia e Flexibilidade Curricular. Qual a sua opinião acerca deste projeto e de que forma o Conselho Ge-
ral o está a gerir/operacionalizar?

Os princípios preconizados no perfil dos alunos à saída da Escolaridade Obrigatória remetem para uma reforma profunda do sistema de ensino.
Pretende-se criar jovens adultos com pensamento crítico, equipados com ferramentas que permitam adaptabilidade aos empregos que lhes são impos-
tos, que saibam trabalhar em equipa, que saibam relacionar conhecimentos e que tenham uma aprendizagem de qualidade. Há que inverter o desinte-
resse pois este conduz ao insucesso escolar. Com a autonomia, a escola pode formar e desenvolver o seu currículo e proporcionar conhecimentos inter-
disciplinares, assim como tem liberdade para construir projetos e desenvolver competências previstas no perfil do aluno. Tendo em conta as taxas de
insucesso, a extensão dos programas, a repetição de conteúdos, surge esta oportunidade de responder a este desafio. Se a equipa estiver motivada, as
fraquezas e ameaças poderão dar-nos forças e tornar-se uma oportunidade. Nesta primeira fase, o Conselho Geral teve conhecimento do projeto, foram

5
analisadas as vantagens e os constrangimentos à sua execução, e como em qualquer projeto piloto, fará a sua avaliação ao longo do
ano. E, citando Albert Einstein, “A mente que se abre a uma nova ideia jamais voltará ao seu tamanho original”.
...em entrevista
Deixe-nos o seu apontamento sobre as características que considera realmente importantes para o desempenho da função docente, tendo em
conta as exigências/desafios da escola do século XXI?

A escola moderna como entidade organizada e direcionada para a consolidação e estruturação duma sociedade nos diferentes domínios tem
que estar à altura dos desafios que se colocam, sendo uma condição necessária para que um país possa ser competitivo num mundo em que a eco-
nomia é global e em que as novas tecnologias e o conhecimento conferem vantagens competitivas a quem as domina.
O sistema educativo assume assim um papel de relevo, potenciando as condições indispensáveis à construção e evolução duma sociedade
moderna, onde predomina a competitividade, mas não esquecendo os valores da justiça, equidade, democracia e cidadania.
Neste mundo atual, a educação, a cultura e ciência, o saber e saber fazer têm de estar intrinsecamente ligados. Com o conhecimento científi-
co e tecnológico a desenvolver-se a um ritmo alucinante, a escola assume-se como um lugar privilegiado para os jovens adquirirem as competências
essenciais. A ação dos pro- fessores, o envolvimento e
empenho das famílias e encarregados de educação,
bem como o compromisso da escola, serão determinan-
tes para que os jovens aprendam e valorizem a edu-
cação ao longo da sua vida. Os professores e educadores
têm grandes responsabili- dades na educação. Com a
inclusão e o alargamento da escolaridade obrigatória,
assim como a promoção de princípios, valores e compe-
tências–chave preconizados no perfil dos alunos, isso
implica alterações nas prá- ticas pedagógicas e didáticas
e necessariamente os pro- fessores/educadores têm de
estar preparados e abertos à mudança.
Um professor, tendo em conta as suas responsabi-
lidades pedagógicas e soci- ais, além do conhecimento
científico, precisa de saber trabalhar em equipa, estar à altura dos desafios que se vivem em sala de aula, adaptar-se ao envolvimento e articulação
com as famílias, o meio e outros profissionais, estar preparado para o uso de instrumentos diversificados, nomeadamente o uso do computador e
internet em sala de aula.
Em suma, o professor do sec. XXI terá de atuar como um facilitador de aprendizagem e educação, com qualidade; terá de ser ativo, criativo.

6
ensino profissionalizante em revist@
VISITA DE ESTUDO A VISEU – CENTRO HISTÓRICO
“As Visitas de Estudo são atividades basilares no processo de ensino – aprendizagem, pelo facto de terem por base o envolvimento ativo dos alu-
nos na busca de informação e na utilização de recursos exteriores à escola”. Assim o escrevem autores como Oliveira (2008) ou Nespor (2000) que acre-
ditam que a aprendizagem contextualizada pelas visitas de estudo, organizadas de acordo com estratégias que fomentam a cooperação entre os alunos
e desenvolvem a sua capacidade crítica é uma mais-valia a não desperdiçar.
Partindo deste pressuposto, alguns docentes dos cursos profissionais, incentivados e apoiados por uma directora empenhada em proporcionar
aos alunos experiências diferentes e, para a maioria destes alunos, únicas (“tirem os alunos da sala de aula, abram horizontes”) têm vindo a organizar
para estas turmas diversas visitas de estudo, sobretudo no âmbito das disciplinas de português, das línguas estrangeiras e de AI.
Esta última foi a Viseu, com um programa bastante diversificado: Museu Grão Vasco: visita ao Centro histórico; Sé de Viseu e Igreja dos Terceiros;
ida de funicular do Centro Histórico à Cava de Viriato; Cava de Viriato: percurso pedestre no alto da muralha; paragem, no regresso, no Palácio de Gelo.
Não se realizou a visita ao Museu, por ser dia de greve da função pública, mas o tempo foi canalizado para percorrer, com boa disposição, as ruas
de Viseu e descobrir a doçaria regional: os Viriatos (do nome do herói lusitano), as Castanhas de Ovo, o bolo da merenda, … verificando-se a verdade da
frase “Viseu tem boa mão para a doçaria e um gosto especial por aquilo que não amarga na boca.”
Da avaliação feita pelos alunos, sim porque uma visita de estudo não é um mero passeio – implica muito trabalho de preparação prévia realizado
pelos professores envolvidos e pelos alunos –, foi muito gratificante ler os textos produzidos: “…sendo aulas fora da escola, estamos mais à vontade, os
alunos ficam mais cativados para ouvir, ver e relacionar com a matéria dada” (Gonçalo Viegas); “ comunicamos de forma diferente com alunos e profes-
sores, é nisto que as visitas de estudo são positivas, pelo facto de podermos adquirir conhecimentos sobre pessoas, sobre o nosso país e o nosso passa-
do” (Mariana Lopes); “os professores são sempre diferentes numa visita de estudo, dão-nos mais liberdade, é uma oportunidade de fazer coisas diferen-
tes com os colegas e os professores” (Diogo Duarte).
A bem da aquisição de conhecimentos, integrada no processo ensino-aprendizagem, da estimulação e motivação dos alunos, do convívio diferen-
te entre pares, do desenvolvimento de competências orientadas para o mundo do trabalho, venham mais visitas de estudo: os alunos apreciam e os
professores sabem que eles merecem.
Os alunos dos 2º e 3º A, os docentes Álvaro Reis, Celene Marques e Rosa Abrantes

Foto cedida pelo aluno Fábio Neves, 3º A 7
ensino profissionalizante em revist@ ALUNOS DE COMUNICAÇÃO E MARKETING EM
COLABORAÇÃO NO FESTIVAL DE CIÊNCIA 2017
Os alunos do Curso Profissional de Comunicação, Marketing, Relações Públicas e Publici-
dade aceitaram o desafio lançado pelo Instituto de Cidadania da Mamarrosa e, entre outras
atividades, dinamizaram o espaço Crianças na Lua, uma iniciativa da responsabilidade da em-
presa Ideiabiba presente no 3º Festival de Ciência de Oliveira do Bairro.
Ao longo dos três dias de duração do Festival os 48 alunos dos 1º, 2º e 3º anos do Curso
Profissional de Comunicação e Marketing tiveram a oportunidade de pôr em prática os conheci-
mentos que foram adquirindo, nas aulas, nas diferentes disciplinas que compõem o seu plano
de estudos.
Para além de uma vez mais se assumirem como representantes das relações públicas do
AEOB, nos eventos que têm lugar no Espaço Inovação, estes alunos deram o seu melhor colabo-
rando com IEC no acolhimento ao público e realizando toda uma série de atividades que em
muito irão enriquecer a sua formação profissional e pessoal.
Os formandos desempenharam as seguintes atividades: boas vindas aos visitantes do
certame; entrega de cadernetas aos alunos mais jovens do 1º Ciclo; apoio aos educadores e
professores dos Centros Escolares durante as visitas ao festival; registo fotográfico da participa-
ção de todos os visitantes nos diferentes espaços do certame e dinamização do módulo Crian-
ças na Lua.
A atividade Crianças na Lua, da responsabilidade da empresa Ideiabiba, que se dedica à
criação de eventos, exposições e ativação de marcas, foi sem dúvida o repto mais desafiante
lançado pelo IEC, na pessoa da Doutora Sónia Ferreira. Os alunos dos 1º e 3º anos receberam,
antecipadamente, formação específica para o efeito, ministrada pela Ideiabiba, de modo a po-
derem acolher os visitantes mais jovens no módulo lunar e no módulo terrestre e percorrem
com eles os restantes espaços de exposição referentes ao Sistema Solar.
A forma amável, assertiva e divertida como os alunos do 3º ano deste curso profissional
se dirigiram aos visitantes mais novos foi elogiada pelo IEC e copiada pelo seus colegas de curso

8
do 10º ano, cujo desempenho, para uma primeira participação, foi também
muito bom. Parabéns a todos! O AEOB conta convosco.
ensino profissionalizante em revist@
ALUNOS DO CURSO DE INFORMÁTICA E COMUNICAÇÃO E

MARKETING PARTICIPAM NO “LISBOA GAMES WEEK 2017”
O maior Evento Nacional de Videojogos, “Lisboa Games Week 2017”, realizou mais uma edição na FIL, de 16 a 19 de Novembro 2017.
No dia 17 de novembro de 2017, o AEOB, representado pelo 1º ano, turma B, dos cursos profissionais de Técnico de Informática - Instalação e
Gestão de Redes e Técnico de Comunicação, Marketing, Relações Públicas e Publicidade, teve a oportunidade de participar neste evento nacio-
nal de videojogos, acompanhados pelos docentes Acácio Albuquerque, Cidália Baptista e Fátima Liz.
O “Lisboa Games Week” marca a agenda dos lançamentos e novidades da Indústria dos Videojogos em Portugal, através de uma montra
dinâmica e demonstrativa das opções vocacionais e da especialização, oferecendo aos alunos a oportunidade de jogar e experimentar os títulos
e dispositivos que constituem as novidades do mercado, participar em novas experiências lúdicas, partilhá-las e adquirir conhecimento num am-
biente muito divertido e descontraído.
Os alunos tiveram a oportunidade de ver os grandes lançamen-
tos da indústria de videojogos, títulos de RPG, FPS, RTS, MOBA e vários
outros. Realidade virtual, jogos em antestreia nacional, retrogaming,
robótica, drones, recrutamento de tropas especiais do exército – Co-
mandos e “the best in costume play” …
Tiveram ainda a oportunidade de estar com os Youtubers: Ber-
nardo Almeida, Wuant, Windoh, D4rkFrame, Owhana, Miss Mushro-
oms, entre outros.
Os Videojogos têm uma função determinante na educação e
formação dos jovens, a qual deve ser potenciada enquanto contributo
para a sua inclusão social e como fator de crescimento intelectual.
Grandes competições de eSports, o desporto das novas gera-
ções! E, no “Worten Game Ring”, os alunos Francisco Salgueiro, Bernar-
do Santos, João Dourado e João Silva, destacaram-se! Parabéns!

9
ensino profissionalizante em revist@
CURSO PROFISSIONAL DE
RESTAURAÇÃO

A Diretora do Curso Profissional de Restauração colocou o desafio
aos alunos do terceiro ano: - O que gostariam de escrever para a revista
do Agrupamento, a publicar em Janeiro? Uns… hesitaram. Outros, puse-
ram mãos à obra e escreveram:

“Um dos objetivos da nossa escola é promover a interligação entre a
teoria e a prática, motivando os alunos, concretizando atividades fora do
espaço escolar. As visitas de estudo são muito mais do que um passeio,
são uma forma de aprendizagem e interação professor-aluno e aluno-
aluno. Para além das visitas de estudo, participámos em outras ativida-
des, tais como: Feira da Ciência, onde demonstrámos iguarias confecio-
nadas pelos alunos nas respetivas aulas do curso; Almoços pedagógicos,
desenvolvemos e confecionámos uma ementa , que depois foi apresenta-
da e servida a vários professores do Agrupamento e elementos da Câma-
ra Municipal; Jantar de Natal, onde apreciámos a interação entre as
ALMOÇOS PEDAGÓGICOS turmas do curso Profissional de Restauração, variante Cozinha / Pastela-
ria e Curso de Educação e Formação de Restauração, variante Emprega-
do de Mesa/Bar. Nós preparámos e confecionámos a ementa e os cole-
gas do CEF preparam a sala e serviram o jantar aos professores e funcio-
nários do Agrupamento. Na participação destas atividades adquirimos
prática, promovemos o trabalho em equipa e a interacção aluno-
professor. “

10
ensino profissionalizante em revist@
A NOITE FOI DE CINEMA,

A NOITE FOI DE DIVERSÃO
Estava planeado… desde o ano passado. Não podemos perder mais o Festival do Cinema
Francês. É tão raro poder ver um filme na língua de Molière e, mais raro ainda, de grande quali-
dade.
Organizámo-nos e entre alunos e professores lá fomos em fila indiana, à boleia dos nos-
sos automóveis. Estacionar perto do Teatro Aveirense não foi tarefa fácil, mas não podia ser de
outra forma, pois a nossa Sabrina estava lesionada e precisava de muletas.
Deu tempo para um café, (os mais esfomeados precipitaram-se para algo de maior sus-
tento) e para dois dedos de conversa, no jardim perto do Teatro.
O filme, “Le Fils de Jean”, esse foi excelente; disse um aluno “não gosto de filmes france-
ses, mas este foi diferente”. Foi sim, este e “Drôles d’ Oiseaux” também. A repetir sempre, no
JANTAR DE NATAL âmbito do Festival do Cinema Francês e sempre que houver um filme em francês num qualquer
outro cinema perto de nós.
São esses momentos de convívio onde a aula sai da sala que fazem das saídas de estudo
momentos privilegiados.
Os alunos de francês do 3ºA e professora, Celene Marques

FESTIVAL DE CIÊNCIA 11
pré-escolar em revist@
JI de Vila Verde
DIA DO PIJAMA
Foi com ar incrédulo, expectante e de sorriso rasgado que no dia 20 de Novembro as crianças e suas
educadoras chegaram ao Jardim de infância de pijama vestidas.
Todos de pijama? Tiveram preguiça? Queriam dormir mais?
Não, não foi nada disso!
Desenhava-se um dia diferente, que estava a ser preparado há já algum tempo com muito entusias-
mo por toda a criançada. E…convenhamos, pelos adultos também.
Que divertido foi! Todos de pijama, pantufas, almofadas, mantinhas e com o peluche favorito debai-
xo do braço!
Prontos para um dia que se desvendou de intensa e divertida atividade: jogos de pijama, danças, lei-
tura da história do “Botão invisível a rimar” e... Um acampamento gigante, com tendas de verdade a
pintar o cenário e oferecer magia ao momento.
Surpresas planeadas e de amor feitas: um super delicioso lanche preparado e servido pelas famílias e a visita de duas avós com a sua caixa de costu-
ra! Que delicia… Que bom!
Pulseiras de botões a enfeitar completaram este dia para jamais esquecer!
Que bom seria que todas as crianças do mundo tivessem como nós, uma casa quentinha, uma família, um boneco….um colinho!
O direito a ter uma família uniu pequenos e graúdos numa iniciativa que perdurará na memória de todos os participantes.
As Educadoras de Infância

12
pré-escolar em revist@
VISITA DE ESTUDO AO VISIONARIUM E AO

CASTELO DA FEIRA
Autocarro à porta, todos a postos para mais um dia fascinante.
1,2,3…partida!
Lá fomos todos para mais uma aventura. A diversão era garantida.
Primeiro fizemos um lanchinho. Depois fomos cientistas!
Cientistas, e dos bons! No Visionarium o laboratório foi só para nós! Fizemos bolas saltitonas, pega-
monstros, lava do vulcão… Tudo isto com materiais tão simples…a maioria até temos em casa!
Se ficássemos por aqui já teria sido um dia em cheio, mas… Houve mais!
O tempo a ajudar, um parque mesmo ali à espreita…ou seria uma floresta? Lobos? Não tinha… e
cheirava muito bem! Era o nosso almocinho.
Comemos, brincamos, exploramos a natureza com as suas cores e odores de Outono.
Depois, fomos ao castelo. Sim, ao castelo de Santa Maria da Feira. Como que por magia… de repen-
te eramos todos cavaleiros e princesas!
- O Castelo é grande. Não tem camas? Onde é que comiam e dormiam? Olha, não importa, hoje
somos nós que estamos aqui…Vamos divertir-nos!
Está na hora.
3, 2, 1 chegada.
Grande dia!

13
1º ciclo em revist@
EB Oiã Poente
PRIMEIROS PASSOS PARA A BIBLIOTECA
No presente ano letivo, os encarregados de educação e os profes- Na publicação acima mencionada e mostrada, dedicaram o seguinte
sores desta escola decidiram dar os 1ºs passos para apetrechar o espaço texto aqui traduzido: “O Natal é a época de ajudar as crianças, pessoas
vazio da nossa Biblioteca com livros infantis. Temos feito vários pedidos com necessidades, ser-se bondoso, mas também para ajudar e preocupar-
a editoras, empresas e particulares. Já recebemos algumas respostas e mo-nos com a educação das nossas crianças. A educação como um dos
alguns pais têm dado livros usados que já não necessitam. pilares mais importantes da nossa sociedade tem de ser desafiada desde
No mês de Dezembro a Escola Básica de Oiã Poente recebeu uma pequeninos. Como tal, o nosso Student Chapter – UA OSA Student Chapter
grande oferta de um grupo de estudantes da Universidade de Aveiro / - com a ajuda da Optical Society of America - OSA – decidimos dar uma
OSA Student Chapter, que é um grupo pertencente à Sociedade Ótica pequena ajuda nas necessidades científicas das nossas escolas portugue-
Americana e que nos ofereceram livros novos e inscritos no LER+ Progra- sas. Para nós, os primeiros estudos são um dos mais importantes na for-
ma Nacional de Leitura. mação académica de uma pessoa. Deste modo, escolhemos a Escola Básica
A notícia foi publicada na página de facebook oficial do UA/OSA de Oiã Poente, uma escola que necessita de encher a biblioteca com livros
Student Chapter e posteriormente será publicada no website oficial do infantis.
grupo. Com esta ajuda, pensamos que poderá ser um novo início para no-
A publicação encontra-se disponível em: vas ajudas aparecerem. Poderá ser um começo para que o espaço vazio
https://www.facebook.com/OSAStudentChapterUA/ daquela biblioteca se torne cheio de sabedoria, vontade de aprender e
educar as crianças, com fundamentos sólidos para os seus
próximos passos na escola e universidade... e quem sabe...
talvez na ÓTICA e FOTÓNICA!!!
Obrigada OSA mais uma vez pelos sorrisos que pro-
vocaste!”
Todos os pais, professores e alunos desta escola
agradecem as ofertas já feitas, deixando um pedido: quem
tiver livros infantis que nos queira doar, é só fazê-los che-
gar aos nossos professores ou à Escola de Oiã Poente.

14
A nossa Biblioteca está a crescer!!!
1º ciclo em revist@
DIA DA ALIMENTAÇÃO
O Dia da Alimentação foi comemorado no Cento Escolar de Oiã Poente com as turmas do 1º Ciclo e a Educação Pré- Escolar. Sendo a fruta o
tema principal, os alunos participaram na realização de uma salada de fruta e na degustação de frutas menos conhecidas. Em cada sala de aula, fo-
ram realizadas atividades alusivas ao dia: cartazes, pinturas, modelagens, histórias, textos... e até o grupo do JI "organizou" uma despensa muito
saudável. Obrigada a todos os que colaboraram para que as nossas crianças optem por uma alimentação cada vez mais saudável.

EB Oiã Nascente
FEIRA DE OUTONO
No dia 23 de outubro, a escola de Oiã
Nascente finalizou as atividades da semana da
alimentação com uma feira de produtos hortí-
colas e frutícolas característicos do outono.
Com esta feira pretendeu-se sensibilizar
os alunos e restante comunidade educativa
para o consumo de legumes, fruta e outros
produtos biológicos como promoção da saúde
e bem-estar.
A concretização do evento só foi possí-
vel graças à participação ativa de pais, encarre-

15
gados de educação e restante comunidade
educativa.
1º ciclo em revist@
EB Oliveira do Bairro
O OUTONO S. MARTINHO – MAGUSTO ESCOLAR
Chegou muito de mansinho
Foi com um Sol maravilhoso de um "Verão de S. Martinho" prolongado, que na tar-
Parece que envergonhado
de do dia 10 de novembro a comunidade educativa da EB de Oliveira do Bairro celebrou
Quase nem se fez notar
uma tradição tão peculiar e bem portuguesa - o Magusto.
Como se estivesse atrasado.
Com a participação e colaboração da Junta de Freguesia e da APEJOB, as crianças
Devagar, devagarinho
degustaram as saborosas castanhas assadas do sr. "Xiko" e as deliciosas papas de abóbora.
Vai-se notando a mudança
No final fomos brindados com a atuação da Tuna Académica da Universidade Sénior
As folhas mudam de cor
interpretando bonitos temas tradicionais, que a todos agradaram.
E começam sua dança.
Anteriormente nas aulas de Expressão Plástica foram realizados trabalhos diversos
Compotas, doces e castanhas
alusivos a esta quadra popular e à lenda de S. Martinho.
Despertam novos odores
Com esta atividade celebrámos igualmente os valores da amizade e partilha, associ-
Romãs, uvas, quivis…
ados ao convívio em grande grupo.
Revelam as suas cores.
Embora o sol ainda brilhe
O vento já se faz notar
De manhã e à noitinha
O frio veio para ficar.
Ao olhar para o calendário
Não há como enganar
O Outono já chegou
Não dá mais para disfarçar!

16
1º ciclo em revist@
PRIMEIROS SOCORROS NATAL
Porque os temas são muito importantes e atuais (Suporte Básico de
Natal, tempo especial!
Vida- Primeiros socorros; Prevenção de Incêndios e Sismos), porque os mes-
Época diferente, por isso esteja presente.
mos são temáticas curriculares do 4.º ano de escolaridade na disciplina de
Que o Natal traga ao de cima os seus valores!
Estudo do Meio e, para uma melhor compreensão dos mesmos, nada melhor
para a sua aprendizagem usufruir de uma aula prática.
Deste modo, no dia 20 de outubro os alunos das turmas OB2 e OB3
contaram com a preciosa colaboração de um encarregado de educação de um
dos alunos presente o sr. Bruno Oliveira da corporação dos BV de Oliveira do
Bairro.
Deste modo os alunos tiveram oportunidade de interagir com o nosso
convidado, questionando e ouvindo atentamente as suas respostas, que são
sem dúvida muito úteis para a nossa prática de cidadania, em caso de uma
fratura de um osso, entorse ou distensão muscular, queimadura solar ou de
outro tipo, dicas para a prevenção de incêndios na nossa casa, edifícios públi-
A MAIOR FLOR DO MUNDO
cos ou nas florestas e o que fazer se ocorrer um sismo. Depois de analisarmos a obra infantil
Deste modo se vai construindo e afirmando a consciência dos nossos das Metas Curriculares do 4.º Ano "A
alunos. Um grande bem-haja ao sr. Bruno e aos BV de Oliveira do Bairro. maior flor do mundo" de José Sara-
mago (Prémio Nobel da Literatura),
a turma OB2 chegou à conclusão
que a flor que o menino salvou de
morrer à sede pode ser um de nós,
isto é a humanidade.
Para que o ser humano seja comple-
to deve ajudar o outro e, para tal
tem de reunir dentro do seu coração
um conjunto de requisitos/
qualidades muito simples de adquirir

17
e assimilar. E isso só acontece quan-
do acreditamos que somos capazes!
1º ciclo em revist@
EB Bustos
MAGUSTO
No 10 de novembro, foi com muito entusiasmo e alegria que se comemorou mais um S. Martinho,
na Escola Básica de Bustos.
Preservando a tradição, os alunos elaboraram cartuchos, exploraram a lenda, quadras, provérbios
e adivinhas. Também cantaram canções alusivas ao tema.
São sempre momentos de confraternização e partilha, realçando valores como a generosidade e a
amizade.

DIA DA ALIMENTAÇÃO
No dia 16 de outubro, foi com muito entusiasmo e alegria que se comemorou o Dia Mundial da Alimentação, na Escola Básica de Bustos.
No intuito de sensibilizar/consciencializar as crianças para a importância de adotar uma alimentação saudável, nomeadamente os consumos
de fruta variada, os alunos prepararam espetadas. Esta atividade permitiu, assim, às crianças experimentarem novos sabores e valorizarem o seu
consumo.
Foi um momento de convívio, partilha e degustação muito enriquecedor.

18
1º ciclo em revist@
EB Dr Fernando Peixinho
Dezembro foi palco na nossa escola de algumas atividades que promoveram o espírito de cidadania,
de tolerância e de inclusão no seio dos nossos alunos.
Nesse âmbito, no dia 5 de dezembro, como forma de assinalar o “Dia Internacional das Pessoas com
Deficiência” (celebrado a 3 de dezembro), recebemos a Fanfarra da CERCIAG. Foi um momento em que os
nossos alunos puderam perceber que a Pessoa portadora de deficiência é capaz de desenvolver uma série
de capacidades e talentos e desta forma sentir-se como parte integrante da sociedade.
O último dia de aulas do 1º período foi comemorado na Escola com brincadeiras realizadas pelas
nossas crianças do pré-escolar e do 1º ciclo num insuflável, cedido pelo pai de um aluno que frequenta a
Unidade de Multideficiência.
Ao fim da tarde, realizou-se na sede da Junta de Freguesia de Oiã a Festa de Natal. Toda a Comuni-
dade Educativa participou, enriquecendo a festa com a diversidade de culturas e peças apresentadas. Foi
um momento de verdadeira partilha e incentivo à tolerância.
A Escola de Oiã agradece a todos os que se disponibilizaram a participar: alunos, pais, professores,
incluindo os que leccionam as atividades extracurriculares. Aproveita ainda para desejar que este tempo de
Natal seja passado em ambiente de paz e felicidade por toda a comunidade escolar.

19
1º ciclo em revist@
EB Palhaça
O XADREZ E O HALLOWEEN
As aulas de Xadrez continuam e este ano temos mais inscrições!
“Xadrezura” ou Travessura, foi o mote para a nossa aula de Halloween.
Os alunos jogaram com peças alusivas ao Dia de Halloween, feitas propositadamente para o
efeito.

HALLOWEEN
Sabemos que o Halloween não é uma tradição portuguesa, mas cada vez mais vai ganhando adeptos,
fruto da globalização das últimas décadas.
E não são só as crianças e jovens… há graúdos lá pelo meio também.
Este ano lá vieram as “bruxinhas” e os “bruxinhos” já prontos de casa, também não faltaram os vampi-
ros, esqueletos e zombies.
As famílias participaram numa exposição de chapéus de Bruxa, que de assustadores tinham muito pou-
co, estavam adoráveis e com muita imaginação.
Houve lugar para um desfile no Centro Escolar e também um presente dos alunos da turma PL4, que
cantaram e encantaram os mais pequenos, com uma canção de “Bruxinhas”, nada assustadora!

Aqui ficam algumas fotografias que ilustram o divertimento e imaginação!

20
acontece no @eob
“BULLYING NO AEOB NÃO”
Durante o mês de outubro decorreu no AEOB o mês de prevenção do bullying. Neste âmbito, o
GAA, em parceria com a disciplina de EMR, realizou uma sessão de exploração da temática em todas
as turmas do 2º e 3º ciclos do agrupamento.
Nesta sessão foi abordado o tema, distinguindo-se bullying de episódios ocasionais de agressão
e esclarecendo-se o perfil de cada interveniente – agressor, vítima e testemunha. Os alunos puderam
partilhar experiências e esclarecer dúvidas. Este momento foi bastante importante para clarificar o
assunto e identificar comportamentos a adotar.
No polivalente foi construído um mural antibullying com mensagens elaboradas pelos alunos e
colocadas em luzes que representam cada aluno da escola, construindo a frase “Bullying aqui no AE-
OB não”.
Alguns alunos colaboraram ainda com frases e ilustrações que foram submetidas a concurso no
portal antibullying. O Agrupamento de Escolas de Oliveira foi vencedor na modalidade de frases. As
frases premiadas foram: “Para não existir bullying entre nós devemos respeitar os outros, não os in-
sultar e não bater”; “Não deixes que o bullying te afete, enfrenta!”; “Diz não ao bullying, chega de maus tratos!”; “Não fiques calado!”; “Não devemos
dar-nos mal com as outras pessoas; devemos conviver e ser amigos, ajudar, brincar e falar”; “Diz não ao Bullying!!! Antes de fazeres bullying pensa se
fosse a ti!!!”; “Não fiques calado! Vai e fala com alguém!”; “Para o bullying parar, os socos devem-se evitar”; “Somos fortes, nós somos invencíveis, nós
somos o futuro, nós vencemos o bullying”; “Se os outros diferentes são, o bullying não é solução!”
Espera-se que esta acção de sensibilização tenha efeitos no comportamento dos alunos, havendo diminuição de ocorrências e uma forma de
atuação mais assertiva.

OFICINA DE CIÊNCIAS — DIA MUNDIAL DO NÃO FUMADOR —
Os alunos da Oficina de Ciências da E.B. 2, 3 Dr. Fernando Peixinho, em Oiã, assinalaram, no dia 17 de Novembro, o
Dia Mundial do Não Fumador. Foram expostos trabalhos, maioritariamente feitos por eles, com o uso de materiais trazidos
pelos alunos, principalmente pelo Nuno Costa, do 5ºG e pelo Bruno Monteiro, do 7ºI, que lhes permitiu fazerem um cigarro
gigante, com a mensagem “Fumar Mata” e cartazes com caixas de cigarros, onde era possível ver as imagens e ler as frases,
neles contidas. Os trabalhos foram expostos no átrio da escola, de modo a sensibilizarem os colegas, professores e Assisten-

21
tes Operacionais para os malefícios do tabagismo, que é considerado, pela Organização Mundial de Saúde (OMS), a principal
causa de morte evitável em todo o mundo.
acontece no @eob CONCURSO “CONTAR O HOLOCAUSTO”
No dia 29 de novembro, os alunos do 11º E, Alexandre Mota, Diogo Ribeiro e Mário Lopes, estive-
ram presentes numa cerimónia, que teve lugar nas instalações da Fundação Gulbenkian, em Lisboa, onde
receberam o prémio correspondente à sua participação no concurso, organizado pela Memoshoá, “Contar
o Holocausto”.
O trabalho dos alunos, um poema intitulado “Vi o teu rosto…”, foi distinguido, entre muitos traba-
lhos apreciados pelo júri, com uma menção honrosa e resultou de um processo de pesquisa, seleção e or-
ganização de informação, desenvolvido no âmbito da disciplina de História B, sobre a temática da violência
genocida e sobre a negação dos Direitos Humanos, quer no passado quer no presente.
Na sua deslocação a Lisboa, os alunos foram acompanhados pelo docente responsável pelo projeto,
António Travassos, e pelo Professor Hélder Rosa, em representação da Direção do Agrupamento. Em repre-
sentação da autarquia, estiveram também presentes na cerimónia a Vereadora da Cultura, Dra. Lília Ana

Vi o teu rosto… Águas.
Com este trabalho, os alunos quiseram contar o Holocausto. E escolheram um cami-
Vi o teu rosto, e estremeci…
nho, o da poesia, como se, através dela, as palavras se erguessem e ganhassem vulto para
Vi o teu rosto na Estrela de David,
que te pesava no ombro, denunciarem o imenso naufrágio que foi o Holocausto.
e na curva do teu corpo,
Não contemplaram, propositadamente, no texto os números das vítimas. Estes per-
que suportava todas as humilhações.
tencem às estatísticas e falam por si. Em vez dos números escolheram uma imagem – o
Vi o teu rosto na noite…na Noite de Cristal…
rosto, os rostos do Holocausto, os rostos dos genocídios, estejam eles associados a Aus-
e em todas as noites que se seguiram.
O teu rosto iluminado pela dúvida e pelo medo. chwitz, ao Camboja, ao Ruanda ou ao Kosovo. Rostos, rostos e mais rostos. Vidas, certa-
Nas interrogações de tantos rostos, cansados,
mente, como as nossas, que tiveram projetos, sonhos e esperanças como todos nós temos.
fechados dentro de carruagens,
embalados pelo movimento dos comboios. Rostos que nos interpelam, nos convocam e nos vinculam à necessária reflexão so-
Comboios, comboios e mais comboios…
bre os gestos da negação dos Direitos Humanos, quer no passado, quer no presente.
Rostos, rostos e mais rostos…
E nos tempos conturbados que hoje o mundo atravessa, este texto é também o es-
Vi teu rosto presente no Gueto de Varsóvia,
pelho do nosso rosto, do nosso estremecimento, da nossa inquietação e da nossa consciên-
em Dachau, Treblinka, Belzec, Chelmno, Bergen-Belsen…
Na tua inquietação ao chegares a Auschwitz. cia crítica perante a emergência de fenómenos extremistas que, não raras vezes, põem em
“Arbeit macht frei”
causa os princípios do respeito e da tolerância pela multiculturalidade e pela interculturali-
Na multidão de olhares vazios, perdidos, separados, dade. Princípios e valores que devem constituir, sempre, um importante património da
no inferno das câmaras de gás,

22
Humanidade e exigem o nosso compromisso perante a necessidade da sua defesa e preser-
no abismo das valas comuns,
no fumo a sair das chaminés dos crematórios… vação.
Rostos, rostos e mais rostos…
António Travassos — Professor de História
acontece no @eob
CONVERSAS POR CÁ ...
No último dia de aulas do 1º período, as turmas de 9º ano da escola básica de Oiã tiveram um “presente no
sapatinho”, que se traduziu numa manhã repleta de experiências diferentes!
Começámos com uma conversa com o campeão de kickboxing, o Bruno Susano e com a também campeã da
modalidade, Cátia Batista. O Bruno deixou o seu testemunho pessoal sobre as dificuldades pelas quais passou en-
quanto criança e jovem, designadamente, ter sido vítima de bullying e de violência doméstica. Encontrou no despor-
to, designadamente no kickboxing, o seu escape e a sua oportunidade para singrar na vida. Deixou muito clara aos
nossos alunos a necessidade de trabalho e persistência na prossecução de objectivos pessoais. Possibilitou ainda aos
presentes a oportunidade de experimentarem alguns exercícios práticos da modalidade.
A manhã continuou com o Pedro Santos, aluno da ESOB, a deixar também o seu testemunho sobre a impor-
tância do desporto na sua vida, nomeadamente o breakdance. Os colegas tiveram a oportunidade de experimentar
alguns passos e fazer uma “battle” entre raparigas e rapazes!
Foi sem dúvida uma manhã diferente mas ainda assim repleta de aprendizagens e de mensagens muito im-
portantes! Agradecemos ao Bruno, à Cátia e ao Pedro a disponibilidade e a entrega nestas conversas!

CORREIO DE NATAL DO AEOB
Nos últimos dias de aulas, o Gabinete de Apoio ao Aluno dinamizou a atividade do Correio de Natal. Esta
iniciativa teve como objetivo a troca de postais de Natal entre a comunidade educativa (alunos, professores e funci-
onários), fomentando o espírito Natalício e promovendo relações saudáveis entre todos. Foram colocadas caixas de
Correio na Escola Dr. Fernando Peixinho, na Escola Dr. Acácio Azevedo e na Escola Secun-
dária. A correspondência podia ser enviada para qualquer pessoa do Agrupamento. Os
postais de Natal foram disponibilizados gratuitamente e colocados perto da caixa de cor-
reio. Cada participante podia recolher os postais que pretendesse desde que usados de
forma responsável.
Houve uma grande adesão a esta iniciativa, o que se refletiu em centenas de pos-
tais enviados, mesmo entre outras escolas diferentes. A entrega dos postais aos destina-
tários foi efetuada no último dia de aulas. Foi visível a satisfação de todos aqueles que
receberam correspondência e dos que enviaram.

23
O Gabinete de Apoio ao Aluno agradece a todos os partici-
pantes o sucesso desta iniciativa.
acontece no @eob
DIA MUNDIAL DA FILOSOFIA
A filosofia é a disciplina que encoraja o pensamento crítico e independente e pro-
move o desenvolvimento de pessoas mais reflexivas, capazes de pensar a solução para os
problemas éticos e políticos que preocupam as nações e os indivíduos em todo o mundo.
Em 2002 a UNESCO instituiu o Dia Mundial da Filosofia, como resultado da necessi-
dade de a humanidade refletir sobre os acontecimentos atuais, fomentando o pensamento
crítico, criativo e independente e contribuindo para a promoção da tolerância e da paz.
Este dia é celebrado em todo o mundo na terceira quinta-feira do mês de novembro e todos os anos há um tema que preside à sua celebração. Em
2017, este tema foi “O trabalho como ferramenta de transformação do ser humano e da sociedade”.
Também na nossa escola se comemorou este dia. Todos os alunos de filosofia fizeram marcadores de livros com uma frase filosófica que para eles
fosse particularmente significativa. As fontes foram devidamente citadas e os marcadores adequadamente ilustrados, ao gosto e habilidade de cada um.
Com esses marcadores, com textos, objetos e imagens alusivas à Filosofia organizamos uma exposição no átrio que incluía também uma rubrica "A
Filosofia no Cinema". Os marcadores foram posteriormente oferecidos aos membros da comunidade educativa. Nas aulas de filosofia foi projetada uma
apresentação alusiva à efeméride e um vídeo interpelativo sobre a ação do Homem no planeta. Numa das turmas fizemos também um Café Filosófico
onde, devidamente acompanhados de bolinhos e bebidas quentes, foram analisados e debatidos alguns problemas da atualidade. Os alunos fizeram dois
pontos de interrogação para decorar a mesa e trouxeram questões filosóficas à sua escolha, sobre os assuntos que mais os inquietavam.

DIA NACIONAL DO VOLUNTARIADO
No dia sete de dezembro, os alunos da turma de Economia C do 12º ano assinalaram o Dia Nacional do
Voluntariado com uma visita ao Lar da Santa Casa da Misericórdia de Oliveira do Bairro.
Durante uma enriquecedora manhã, tiveram a oportunidade de oferecer uma simbólica flor e partilhar
histórias, sorrisos e gargalhadas com os idosos desta Instituição. A alegria nos seus rostos ao ver jovens preocu-
pados consigo, é a única recompensa que um voluntário precisa para se sentir realizado e experienciar a sensa-
ção de “missão cumprida”
Beatriz Bastião, 12º C

24
acontece no @eob
PROJETO DE AUTONOMIA E FLEXIBILIZAÇÃO CURRICULAR
No âmbito do Projeto de Autonomia e Flexibilização Curricular, as turmas H e I, do 7º ano, da E.B. 2,
3 Dr. Fernando Peixinho, em Oiã, têm trabalhado desde o dia 31 de outubro, quinzenalmente, dois tempos
letivos com os professores de Matemática, Ciências Naturais e Físico-Química no desenvolvimento de ati-
vidades relacionadas com a Sustentabilidade Ambiental e Social. Uma das atividades em que se tem traba-
lhado é a criação, na escola, de um Eco-Centro artesanal (que já tem o seu cantinho), para a recolha de
resíduos de vários tipos: pilhas (no Pilhão), rolhas de cortiça (no Rolhão), tampas de plástico (no Tampi-
nhas), papel (no Papelão), plásticos e metal (no Embalão), equipamentos elétricos e eletrónicos (no
Eletrão) e embalagens vazias de medicamentos e medicamentos fora de uso (no ValorMed). Pretendemos
com esta iniciativa, que é uma de várias nesta temática, ajudar a criar e potenciar hábitos de sustentabili-
dade, entre os quais a separação de resíduos, pois assim seremos cidadãos mais responsáveis e ativos na
implementação da regra dos 3R’s (Reduzir, Reutilizar e Reciclar) e na diminuição do nosso impacto nocivo
no ambiente.
Todos os que queiram contribuir, com resíduos, para o nosso projeto… já sabem onde os podem
depositar.
Alice Oliveira , Hugo Pereira e Lina Martins

CONCURSO LITERACIA 3D
No âmbito do concurso Literacia 3D, os alunos seguintes vão representar o Agrupamento na fase distrital do referido concurso. PARABÉNS a todos!

Ciência: Matemática: Inglês:
Leitura:

25
Gabriel Alves Pereira (7º C) Beatriz Rodrigues Matos (6º C) Simão de Jesus (5º A) Maria Caetana Águas (8º G)
acontece no @eob
FESTIVAL DE CIÊNCIA
Decorreu, de 4 a 6 de outubro, o 3º festival de ciência de Oliveira do Bairro. O Agrupa-
mento de Escolas de Oliveira do Bairro marcou presença neste grande evento, promovido
pela Câmara Municipal, de diversas formas: através da visita dos cerca de 2500 alunos do
Agrupamento, desde o pré-escolar ao ensino secundário; da dinamização de um stand de
alimentação científica, pelos alunos do curso profissional de restauração e pela dinamização
de um stand de ciência. Este último foi organizado pelo departamento de matemática e ciên-
cias experimentais e dividido em quatro secções: matemática, física, química e ciências da
terra e da vida. Este stand contou com demonstrações científicas muito dinâmicas apresenta-
das pelos alunos do Agrupamento.

26
acontece no @eob
NATAL DOS VALORES

FESTA DE NATAL DO AGRUPAMENTO
A escola tem, cada vez mais, a função de estimular os alunos na procu-
ra das suas aprendizagens, não se podendo resumir ao saber livresco! Quere-
mos e devemos formar pessoas, formar cidadãos ativos e sensíveis com o pró-
ximo.
Nesta lógica, o AEOB promoveu a Festa de Natal no Quartel das Artes,
como vem sendo nos anos anteriores, mas numa premissa diferente, ou seja,
tentou-se mobilizar os nossos alunos e respectivas famílias a colaborar com as
instituições que frequentemente colaboram com o Agrupamento: Centro Soci-
al de Oiã, Santa Casa da Misericórdia do Concelho de Oliveira do Bairro e Mi-
sericórdia de Sangalhos.
Este encontro entre elementos da comunidade teve como temática o
Natal dos Valores, onde os nossos alunos apresentaram aos variados convida-
dos as suas competências através do Coro do Agrupamento, dos Crash e Quar-
teto de Trompetes (em colaboração com o CMB), vários momentos musicais
com as nossas alunas a cantar, um grupo francês de alunos e professores, tea-
tro, o Projeto Dança + e Ginástica Artística.
Como objetivo final, deste Natal dos Valores além do merecido conví-
vio entre todos, também os bens recolhidos foram distribuídos de forma equi-
tativa entre as três instituições. O dinheiro da venda dos bilhetes foi converti-
do em bens, consoante a escolha das instituições: material de desgaste ou
bens alimentares.
Tivemos o privilégio de entregar este pequeno, mas simbólico presente
a cada uma das instituições antes do natal, reforçando também os laços já

27
existentes!
acontece no @eob
ALUNOS DA ESOB EM LAMBALLE
Trinta e três alunos da Escola Secundária de Oliveira do Bairro viajaram até à cidade francesa de Lamballe, entre 4 e 11 de novembro, para mais
uma edição do intercâmbio escolar que tem ligado as duas comunidades desde 1998.
Os jovens portugueses foram acolhidos por alunos, e suas famílias, do Lycée Henri Avril e Lycée Saint Joseph, da cidade de Lamballe. Para além
da apresentação dos seus projetos escolares, os alunos oliveirenses foram brindados com um inten-
so programa de atividades, que passou, por exemplo, por visitas a lugares icónicos como o deslum-
brante Mont Saint-Michel, considerado pela UNESCO como Património Mundial, e a cidade corsária
e muralhada de Saint-Malo, muito apreciada pela comitiva portuguesa, entre outros locais de rara
beleza e interesse histórico e cultural da região da Bretanha.
Em abril de 2018, ano em que se comemora o 20.º aniversário da geminação, será a vez de
alunos de Lamballe retribuírem a visita, para mais um intercâmbio escolar que tem marcado várias
gerações de alunos.

28
acontece no @eob
PROJETO "EASYPARK" GANHA PRÉMIO NO EUCYS — ESTÓNIA
No dia 26 de setembro de 2017, o projeto EasyPark, dos alunos do 12º ano da Escola
Secundária de Oliveira do Bairro, marcou presença na cerimónia de entrega de prémios da 29ª
edição do Concurso da União Europeia para Jovens Cientistas (EUCYS), que decorreu na cidade
de Tallinn, Estónia, de 22 a 27 de setembro de 2017.
Depois de uma semana repleta de experiências incríveis e memoráveis, foram galardoa-
dos com o Prémio Governamental da Cidade de Tallinn, um prémio que pretende distinguir
projetos aplicáveis em meios urbanos no âmbito das Smart Cities.
Beatriz Bastião, Miguel Pinto, Olavo Saraiva, Margarida Cura e Hugo Ferreira foram os
autores do projeto de engenharia que teve como principal foco a redução de desigualdades
sociais. Segundo os alunos “trata-se de uma iniciativa inovadora que irá melhorar a qualidade
de vida das pessoas com deficiência física e aumentar a sua independência. Na prática a ideia é
instalar em cada local de estacionamento prioritário um pilarete automático, a ser ativado a
partir da leitura de matrícula para impedir que as pessoas estacionem ilegalmente. O dispositi-
vo manterá os lugares de estacionamento prioritários livres para aqueles que realmente preci-
sam”

PROJETO "EASYPARK" GANHA MENÇÃO HONROSA EM CONCURSO DE
CIÊNCIA EM ESPANHA

O projeto EasyPark, desenvolvido pelos alunos Miguel Pinto, Olavo Saraiva, Beatriz
Bastião, Margarida Cura e Hugo Ferreira, ganhou uma menção honrosa no concurso "Ciencia
en Acción", que decorreu de 6 a 8 de outubro em Ermua e Eibar, País Basco, Espanha.
PARABÉNS a toda a equipa que continua a somar prémios e a elevar o nome da Escola
Secundária de Oliveira do Bairro e do município de Oliveira do Bairro além fronteiras.

29
acontece no @eob
DIA DO DIPLOMA
Decorreu no dia 20 de outubro de 2017 o Dia do Diploma
do Agrupamento de Escolas de Oliveira do Bairro no Quartel das
Artes Dr Alípio Sol . Foi um momento para premiar a excelência, o
valor e o mérito dos alunos com a entrega de diplomas. A excelên-
cia artística dos aluno também foi evidenciada com apresentações
de música, poesia e dança. PARABÉNS AOS ALUNOS DO AEOB

30
EDUCAÇÃO ESPECIAL NA ESCOLA DR ACÁCIO DE AZEVEDO

educação especi@l
Ao longo deste período e no âmbito da Educação especial, foram desenvolvidas diversas atividades.

FEIRINHA DE OUTONO
Com a chegada do outono, os alunos tiveram a oportunidade de desenvolver algumas atividades relacionadas com
esta nova estação do ano. Além de terem realizados trabalhos em sala de aula que permitiram apreender e aprofundar
conhecimentos sobre o tema, estiveram ainda empenhados a interagir, aplicar conhecimentos e socializar com a comuni-
dade educativa através da “Feirinha de Outono”.

Foi um enorme sucesso! Não houve mãos a medir! Surgiam clientes de todos os lados e foi uma enorme azáfama
conseguir atender todos os pedidos que nos eram efetuados! Os alunos estiveram muito empenhados nas suas tarefas e
era notória a sua alegria em participar e ajudar a resolver os desafios que foram surgindo.

DIA INTERNACIONAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA
O Dia 3 de dezembro é mais uma das datas que marcam a Educação Especial!

Esta efeméride, que foi proclamado pelas Nacões Unidas em 1992 com o objetivo de promover uma maior com-
preensão dos assuntos relacionados com a deficiência e para mobilizar a defesa da dignidade, dos direitos e o bem-
estar das pessoas, é sempre uma altura em que os alunos dão a conhecer não só as suas dificuldades, mas sobretudo
mostram a todos as suas potencialidades e as suas vitórias! De forma a envolver toda a escola nesta atividade, o grupo
de Educação Especial elaborou um filme alusivo ao tema, que foi divulgado junto de todas as turmas e que ainda pode
ser visto no site da AEOB. O resultado também foi especial! Admiração, surpresa e respeito, foram algumas das reações
que os alunos demonstraram. Uma experiência que, sem dúvida, se deve repetir!

VISITA AO CINEMA
Cinema? E porque não? Foi já no mês de dezembro, que alguns dos nossos alunos da Educação Especial foram a
Aveiro ver um filme no cinema. Para alguns foi a primeira vez que tiveram oportunidade de andar de comboio e de as-
sistir a um filme neste tipo de espaços! “É tão grande!”, “O som é muito alto!”, “ Professor, estas pipocas são mesmo
boas!”. Estas foram algumas das exclamações que se ouviram antes, durante e depois de assistirem à “A Estrela de Na-
tal”. O tempo não esteve muito a nosso favor, pois a tempestade “Ana” ainda andava por aí, mas os sorrisos da viagem

31
ajudaram a combater as pingas que teimavam em cair do céu.
educação especi@l COMEMORAÇÃO DO “DIA NACIONAL DO MAR”
No passado dia 16 de novembro comemorou-se, na Escola Básica Dr. Fernando Peixinho, o “Dia Nacional do Mar”. Os
alunos de Educação Especial, de Currículo Específico Individual, realizaram diversos trabalhos alusivos ao tema “Mar”, após
terem sido sensibilizados para a importância deste recurso, causas e consequências da sua poluição. Os trabalhos foram con-
cretizados na Oficina de Reciclagem, nas Unidades Especializadas de Autismo e de Multideficiência e em algumas aulas de Por-
tuguês Funcional, depois de várias pesquisas e recolha de materiais, tendo havido articulação entre as docentes de Educação
Especial.

Desta iniciativa resultaram trabalhos que evidenciaram a aprendizagem e o empenho dos vários alunos envolvidos. Foi
feita uma exposição para dar a conhecer à comunidade escolar os trabalhos realizados, destacando-se a visita de todos os alu-
nos do Ensino Pré-escolar de Oiã, respetivas Educadoras e Assistentes Operacionais, assim como de todas as turmas do Primei-
ro Ciclo de Oiã e respetivos Professores. Aquando da visita à exposição, os alunos tiveram oportunidade de ver esclarecidas
algumas questões sobre a temática.

A acompanhar a exposição foi projetado um filme com uma ida dos alunos da Unidade de Multideficiência à praia da
Barra. No final do dia, a Professora e as Assistentes Operacionais da Unidade de Multideficiência confecionaram “Crepes do
Mar”. Márcia Libório – Educação Especial

COMEMORAÇÃO DO DIA INTERNACIONAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA
No dia cinco de Dezembro de 2017, as Professoras de Educação Especial dinamizaram a comemoração do «Dia Internacional da Pessoa com Defi-
ciência», de acordo com o Plano Anual de Atividades, envolvendo toda a comunidade educativa de Oiã.
Em colaboração com a «CERCIAG», num alegre convívio, a Unidade de Multideficiência e de Autismo, o Jardim de Infância, bem como os diferen-
tes ciclos da citada comunidade tiveram a honra de assistirem ao espetáculo, promovido pela «FANFARRA», ouvindo e dançando ao ritmo dos sons dos
tambores que ecoavam em sintonia com outros instrumentos musicais.
Desta forma, promoveu-se a interação com pessoas especiais, sensibilizando-se todos os presentes para a valorização das capacidades mesmo
daqueles que são diferentes.

32
bibliotec@ndo
FORMAÇÃO DE UTILIZADORES
No âmbito da comemoração do Mês Internacional das Bibliotecas Escolares (MIBE), realizaram-se sessões
de formação para os alunos do 1º e 5º anos da EB da Palhaça, da EBI de Oiã e da EB Dr. Acácio de Azevedo (13 tur-
mas). Pretendeu-se com esta formação dar a conhecer os serviços e recursos existentes na biblioteca, a forma como
está organizada a informação (segundo a CDU - Classificação Decimal Universal) e promover a cidadania e o respeito
pelos outros. Esta formação foi orientada pelas professoras bibliotecárias em articulação com os docentes das tur-
mas envolvidas.

UMA GULOSEIMA PARA A NOITE DE HALLOWEEN
Aproveitando a época do "Halloween", foram dinamizadas 17 sessões de leitura da história "Uma gulosei-
ma para a noite de Halloween" (adaptada de “Uma guloseima para a Noite das Bruxas”, de Evelyn M. Gibb, disponí-
vel em goo.gl/tjzPev goo.gl/tjzPev)
Após a leitura e compreensão da história, os alunos eram convidados a participar numa atividade experi-
mental, que lhes permitia aprender a receita e o modo de confeção de gomas.
No final, todos os participantes se deliciaram com as guloseimas por eles confecionadas.

O ESCRITOR E ILUSTRADOR SOU EU…
Nos dias 21 e 22 de novembro, a escritora e ilustradora Maria Sousa visitou algumas escolas do ensino bási-
co do AEOB para apresentar “As Paixões da Primavera” - a sua mais recente obra - aos alunos do 3º e 4º anos.

Trata-se de uma obra bilingue (português e Inglês) em que são abordados vários temas atuais com o objetivo
de sensibilizar os mais jovens para as alterações climáticas, para a poluição, para questões de cidadania e
para os ciclos das culturas ao longo das estações. Uma obra em tom romanceado, com rigor científico e didác-
tico. (Terra Nova, 26-11-2016, disponível em https://goo.gl/AvSqHK)

Depois de apresentar o livro, Maria Sousa contou a história e entregou aos professores a difícil tarefa de
escolherem os alunos para a representarem. Durante as sessões, os jovens estudantes divertiram-se com a forma
simpática e descontraída com que a escritora e ilustradora interagiu com eles.
Os professores mostraram também o seu interesse e simpatia, dando a conhecer previamente a obra aos

33
alunos e orientando-os na realização dos trabalhos que ofereceram à autora.
bibliotec@ndo FLEXIBILIDADE CURRICULAR. CONTAR COM A BE
No âmbito do Projeto de Autonomia e Flexibilidade Curricular (PAFC), a BE promoveu, em articulação com a respetiva Coordenação dos 2º e 3º
ciclos, uma sessão de (in)formação que contou com a colaboração da Coordenadora Interconcelhia (CIBE), Isabel Nina, tendo como objetivo evidenci-
ar o contributo da BE na promoção das competências inerentes ao “Perfil dos Alunos à saída da escolaridade obrigatória”, nomeadamente no que
concerne ao desenvolvimento das literacias da leitura, dos média e da informação.

A alteração de práticas pedagógicas é basilar a este projeto, justificando-se sobremaneira o trabalho articulado e colaborativo entre a sala de
aula e a BE, dado que este é inerente ao seu papel e missão. A BE é não só um espaço de acesso a recursos, em múltiplos suportes, como também um
espaço que potencia o desenvolvimento de competências de pesquisa, seleção, avaliação da informação, ao mesmo tempo que promove o cumpri-
mento das normas associadas aos direitos de autor e direitos conexos, condenando o seu desrespeito.

Os docentes envolvidos mostraram ainda interesse em que se promovessem sessões de (in)formação para os apoiar na utilização de algumas
ferramentas digitais na sala de aula.

FEIRA DO LIVRO
De 5 a 15 de dezembro, como é habitual, realizou-se a
feira do livro em três escolas do Agrupamento (EBOB, EBO, e ESOB).
Esta actividade, organizada pelas professoras bibliotecárias em arti-
culação com os docentes, tem como principais objetivos desenvol-
ver o gosto pela leitura, reconhecer o papel do livro na formação
escolar dos jovens e das comunidades a que pertencem e angariar
fundos para a compra de novos livros para a biblioteca.
Ao longo de uma semana, a comunidade educativa pôde
visitar a feira, inteirando-se das novidades literárias e adquirindo
livros a preços mais acessíveis.
Dada a sua importância na dinamização da leitura e, ape-
sar de exigir grande esforço e responsabilidade, a feira do livro de-
ve continuar a realizar-se nos próximos anos.

34
PES em revist@
A Promoção e Educação para a Saúde (PES) visa o desenvolvimento de competências das crianças e dos jovens,
permitindo-lhes confrontarem-se positivamente consigo próprios, construir um projeto de vida e serem capazes de fa-
zer escolhas individuais, conscientes e responsáveis.
Neste sentido, a equipa do Projeto de Educação para a Saúde (PES), sob a coordenação da Profª Isabel Quintanei-
ro em parceria com a equipa do Centro de Saúde de Oliveira do Bairro e com a Escola Segura, tem já, à semelhança do
ano anterior, promovido algumas ações no nosso Agrupamento.
Das atividades já realizadas destacam-se:

COMEMORAÇÃO DO “DIA MUNDIAL DA ALIMENTAÇÃO”
Na semana de 17 a 21 de outubro e tendo como principal objetivo promover uma alimentação saudável e refor-
çar a importância do consumo diário de fruta, salientando os seus benefícios, o agrupamento ofereceu maçãs, peras e
bananas aos alunos dos 2.º, 3.º ciclos e ensino secundário no decorrer da semana. Os alunos dos 6.º s anos elaboraram
frases alusivas à alimentação saudável para expor em lugares de destaque. Já os alunos do 9.ºano envolveram-se na
construção de uma roda dos alimentos na vertical para expor nos refeitórios das escolas.
Para encerrar a atividade, no dia 20 de outubro, foi realizada uma ação de sensibilização sobre a educação ali-
mentar para pais e EE., dinamizada pela nutricionista Drª Martinha Rodrigues em parceria com o Centro de Saúde. O
público presente demonstrou um interesse notório pelo tema que desencadeou um debate estimulante e oportuno.

COMEMORAÇÃO DO “DIA MUNDIAL DO NÃO FUMADOR”
No dia 17 de novembro pretendeu-se sensibilizar a população escolar para os fatores de risco associados ao
consumo de tabaco e promover um comportamento responsável antitabágico.

Foi um dia de reflexão mas também de ação, que contou com a presença dos agentes da Escola Segura nas tur-
mas do 9.º ano e CEF, onde foram dinamizadas palestras de sensibilização junto dos alunos.

35
PES em revist@ PALESTRA SOBRE A PREVENÇÃO DO CONSUMO DE SUBSTÂNCIAS
PSICOATIVAS
No dia 2 de dezembro, os alunos dos cursos profissionais, VOC e CEF assistiram a uma palestra dinamizada pela Escola Segura que teve lugar na
Escola Secundária de Oliveira do Bairro sobre esta temática. Foi notório o interesse manifestado pelos cerca de 109 alunos que assistiram a este deba-
te, no qual participaram ativamente com questões pertinentes.

PALESTRA SOBRE OS PERIGOS DA INTERNET
No dia 14 de dezembro, os alunos dos 7.ºs anos tiveram a oportunidade de conhecer um pouco dos perigos associados à utilização das redes
sociais, nomeadamente facebook, instagram, snapchat, entre outros. Esta palestra, dinamizada pela Escola Segura, visou alertar os nossos jovens para
os riscos e consequências da informação partilhada nestas redes sociais. A agente da autoridade além de interagir com os alunos relatou alguns casos
reais que suscitaram na plateia uma atenção cuidada sobre o tema. No final da palestra, foi distribuído um flayer informativo aos alunos para estes
darem a conhecer aos Encarregados de Educação.

OUTRAS ATIVIDADES REALIZADAS AO LONGO DO 1º PERÍODO…
Ao longo do 1.º período e de uma forma contínua, enquanto parceiros do Centro de Saúde, as técnicas do mesmo desenvolveram alguns proje-
tos direcionados para diferentes faixas etárias, nomeadamente, os Percursos de autonomia para o ensino secundário e profissional, o +Contigo para os
7.ºs anos, Conta Peso e Medida para os alunos do 5.º ano da escola Dr Fernando Peixinho, + Coluna para todos os alunos do 5.º ano do agrupamento e
ainda foi possível prestar apoio individualizado a alguns alunos, previamente referenciados para o GIAA pelos diretores de turma.
Foi também dada continuidade ao protocolo estabelecido, no ano transacto, com o Ginásio L-Fitness de Oliveira do Bairro, para que os alunos
com excesso de peso possam desenvolver um programa de atividade física. Neste momento, estão já reunidas as condições para que a partir do segun-
do período se possa dar início às sessões.

36
trabalhos de @lunos
A CARTA POSTAL PARA O PAI NATAL
Hollywood, 27 de outubro de 2017 Oliveira do Bairro, 15 de dezembro de 2017
Querido Pai Natal!
Caro amigo, como estás?
Eu quero que neste Natal os meus presentes sejam diferentes.
Estes meses aqui têm sido muito divertidos e cansativos! O que isto quer dizer é, este ano, não quero presentes, como jogos, con-
Com tanta gente conhecida, sinto-me famoso, claro na mi- solas, relógios, bonecas, etc. Quero outras prendas, como a paz, o cari-
nha imaginação. nho, o convívio e a harmonia, porque presentes já eu tenho da família

Hollywood é uma localidade muito bonita, com pessoas e amigos e o que realmente interessa não são os presentes, mas sim

muito simpáticas, a única coisa que aqui não se pode impe- estar presente.

dir é a obesidade, pois há muitos restaurantes de má ali- Este ano estou a pedir-lhe apenas isto, porque aprendi, na mi-

mentação, como os da cadeia “MacDonald’s”, por exemplo. nha escola, que os seus presentes são só um miminho para nós e acho isso
muito bem.
Tenho um episódio bastante engraçado para te contar. En-
Realmente, o que me deixa mais feliz é estar reunida com a minha
tão não é que entrei, com tanto esforço, no metro, que eu
família, todos juntos a conviver. Mas atenção, sempre sabe bem receber um
pensava ser o certo, mas afinal fui ter exactamente ao lado
presente do senhor Pai Natal, como Jesus recebeu dos Reis Magos.
oposto de onde deveria estar! Apanhei cá um susto!
Com todo o carinho do mundo desejo-lhe também um anto e feliz
Bem, ser ator não é fácil, pois tens que ter tudo na ponta da
Natal!
língua, não te pode faltar nada. É um trabalho muito rígi- Trabalho realizado por: Íris Santos

do, mas foi para isto que eu estudei e vou continuar o meu
sonho.

Paremos de falar sobre mim… Como tem andado a tua vi-
da? Se bem, continua assim, porque, daqui a umas sema-
nas, estarei aí ao teu lado novamente.

Abraços do teu melhor amigo,

João Pedro

P.S.: Não te esqueças de me escrever a falar da tua vida.

Trabalho realizado por: João Pedro Conceição, 6º E
37
trabalhos de @lunos
SER PATRIÓTICO ...
Ser patriótico, ter orgulho na nação a que se pertence... É muito mais que torcer pela seleção nacional, vibrar com a conquista de um troféu
desportivo...
É ser conhecedor da História que nos fez ser o povo que somos, a duração das dificuldades para formar e governar esta nação que todos
amamos à nossa maneira.
O gosto pela História, transmite-se por tornar os nossos antepassados Heróis nas mentes dos pequenos portugueses...
Na Escola Básica Dr. Fernando Pei-
xinho, os alunos da turma O4 deram largas
à expressividade, aliando conhecimento e
criatividade na forma como retrataram o
1º Rei de Portugal, D. Afonso Henriques é
para as crianças um ídolo, um rei de quem
temos orgulho.
Nasceu em 1109, perdeu o pai com
três anos, armou-se cavaleiro aos treze,
defrontou a mãe na Batalha de S. Mame-
de com 19 anos, impedindo que esta en-
tregasse o Condado Portucalense a Leão.
Venceu os Mouros, na Batalha de Ourique
em 1139, e com o Tratado de Zamora em
1143 formou o nosso Portugal (embora só
reconhecido pelo Papa em 1179).
Foi casado com D. Mafalda com
quem teve 7 filhos, falecendo em 1185
vitima de demência.

38
desporto em revist@
CORTA-MATO DO AGRUPAMENTO
No dia 29 de novembro de 2017, o AEOB promoveu o Cortamato do Agrupamento que decorreu nas instalações desportivas em Oliveira do Bairro.

Os alunos deslocaram-se para Parque Desportivo de Oliveira do Bairro e as provas tiveram início às 10 horas da manhã para os escalões mais jo-
vens. Depois de todos terminarem, chegou a hora do banho, mas a água estava tão fria que se decidiu fazê-lo na escola. O 5º I deu por terminada a ativi-
dade com uns momentos de brincadeira no parque junto ao pavilhão desportivo antes do regresso à Escola Básica Dr. Fernando Peixinho.

Maria de Almeida Martinez, nº15, 5ºI

39
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE OLIVEIRA DO BAIRRO
Rua Dr Acácio de Azevedo, 28, 3770-213 Oliveira do Bairro
+351 234 747 747 ● director@aeob.edu.pt ● www.aeob.edu.pt