Professor: Fabrício Maia

140 questões resolvidas
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

“A força não provém da capacidade física e sim de uma vontade indomável”
(Mahatma Gandhi)

01 Os valores de b para os quais a parábola y = x2 + bx tem um único ponto em comum com a reta y = x – 1 são: A) – 1 e 3 D) 0 e – 1 B) – 1 e 2 E) 0 e 2 C) – 3 e – 1 Solução:

⎧y = x 2 + bx Temos: ⎨y = x − 1 ⎩
Comparando:

x 2 + bx = x − 1 x 2 + (b − 1) x + 1 = 0

Como as equações têm um único ponto comum, então:
∆=0 (b − 1)2 − 4 ⋅ 1⋅ 1 = 0 (b − 1)2 = 4

Daí: b − 1 = 2 → b = 3 ou b − 1 = −2 → b = −1 Resposta: A 02 Se f(x) = 4x + 1 e g(x) = 4x, a solução da inequação f(x) > g (2 – x) é: A) x > 0 D) x > 1,5 B) x > 0,5 E) x > 2 C) x > 1 Solução: Temos: f(x) > g(2 –x) 4x + 1 > 4 2 – x (base > 1) Daí: x + 1 > 2 –x
2x > 1 → x > 1 2

Resposta: B 03 log 50 + log 40 + log 20 + log 2,5 é igual a: A) 1 D) 10 B) 3 E) 1.000 C) 5 Solução: Lembre: logb + logc = logb⋅c a a a Temos: log 50 + log 40 + log 20 + log 2,5 = log 100000 = log 105 = 5 Soma = 5 Resposta: C

Matemática
5

Professor: Fabrício Maia

Matemática

04 Utilizando a tabela abaixo, conclui-se que 5 371.293 é igual a: A) 11 log N N B) 13 9 0,95 C) 14 11 1,04 D) 15 13 1,11 15 1,18 E) 17
17 ... 371.293 1,23 ... 5,55

Solução: Tomando: n =
5

371.293
1
5

Daí: log n = log log n =

371.293 → log n = log (371. 293) 5

1 1 ⋅ log371.293 (veja tabela) → log n = ⋅ 5,55 → log n = 1,11 (veja tabela) 5 5 logo: n = 13

Resposta: B 05 O número de pontos de interseção dos gráficos de y = 3 logx e de y = log 9x, sendo x > 0, é: A) 0 B) 1 C) 2 D) 3 E) 4 Solução:

Sabemos : y = 3 ⋅ logx x Temos: y = log 9x f(x) = loga (x > 0 e 0 < a ≠ 1)
Comparando:

{

3 ⋅ logx = log9x logx 3 = log9x
Daí: x 3 = 9x x 3 − 9x = 0 x(x 2 − 9) = 0 x = 0(n.s) ou x 2 − 9 = 0 → x = 3 ou x = −3(n.s) Resposta: B

06 A equação

⎛ k + 1⎞ ⎜ 2 ⎟+ ⎝ ⎠

⎛ k + 1⎞ ⎜ 3 ⎟ ⎝ ⎠

⎛ k + 2⎞ ⎜ 5 ⎟ ⎝ ⎠

=1

A) não admite soluções. B) admite uma solução entre 1 e 5. C) admite uma solução entre 5 e 12. D) admite uma solução entre 12 e 20. E) admite uma solução maior que 20. Solução:

⎛ n ⎞ ⎛ n ⎞ ⎛ n + 1⎞ Lembre: ⎜ p ⎟ + ⎜ p + 1⎟ = ⎜ p + 1⎟ ⎝ ⎠ ⎝ ⎠ ⎝ ⎠
⎛ k + 1⎞ ⎛ k + 1⎞ ⎛ k + 2 ⎞ Daí: ⎜ 2 ⎟ + ⎜ 3 ⎟ = ⎜ 3 ⎟ ⎝ ⎠ ⎝ ⎠ ⎝ ⎠

6

Professor: Fabrício Maia
⎛ k + 2⎞ Substituindo: ⎜ 3 ⎟ ⎝ ⎠ ⎛ k + 2⎞ ⎜ 5 ⎟ ⎝ ⎠

=1

⎛ k + 2⎞ ⎛ k + 2⎞ ⎜ ⎟=⎜ ⎟ ⎝ 3 ⎠ ⎝ 5 ⎠

logo: 3 + 5 = k + 2 → k = 6 Resposta: C 07 A soma dos coeficientes do desenvolvimento de (1 + x2 – x3)9 é: A) – 1 B) 2 C) 1 D) 3 E) 4

Solução: Sabemos: Se p(x) = anxn + an – 1xn – 1 + ... + a1x + a0, com an ≠ 0, a soma dos coeficientes do polinômio é dada por p(1). Assim: A soma dos coeficientes de (1 + x2 – x3)9 é dada por: Scoef. =(1 + 12 – 13)9 = (1 + 1 – 1)9 = 1 Resposta: C 08 Encontre o coeficiente de x2 no desenvolvimento de (x2 + 2x + 1)4. Solução: Lembre:

⎛n ⎞ Termo geral: Tp +1 = ⎜ ⎟ ⋅ an−p ⋅ bp ⎝p ⎠ 2 Temos: (x + 2x + 1)4 = [(x + 1)2]4 = (x +1)8

⎛ 8 ⎞ 8−p p Termo geral: Tp+1 = ⎜ p ⎟ ⋅ x ⋅ 1 ⎝ ⎠
Queremos: 8 – p = 2 → p = 6

⎛ 8⎞ 2 6 2 Daí: T7 = ⎜ 6 ⎟ ⋅ x ⋅ 1 = 28x ⎝ ⎠ Resposta: 28
⎛n⎞ ⎛n ⎞ ⎛n⎞ ⎛ n⎞ 09 Calcule n sabendo que ⎜ 1 ⎟ + ⎜ 2 ⎟ + ⎜ 3 ⎟ + ... + ⎜ n ⎟ = 8.191 ⎝ ⎠ ⎝ ⎠ ⎝ ⎠ ⎝ ⎠ Solução:

⎛n ⎞ ⎛n⎞ ⎛n⎞ ⎛n⎞ n Lembre: ⎜ 0 ⎟ + ⎜1 ⎟ + ⎜ 2 ⎟ + ... + ⎜ n ⎟ = 2 ⎝ ⎠ ⎝ ⎠ ⎝ ⎠ ⎝ ⎠
⎛n⎞ ⎛n ⎞ ⎛n⎞ Daí: ⎜ 1 ⎟ + ⎜ 2 ⎟ + ... + ⎜ n ⎟ = 8.191 ⎝ ⎠ ⎝ ⎠ ⎝ ⎠ 144443 44244 ⎛n ⎞ 2n − ⎜ ⎟ ⎝0⎠
n Agora: 2n – ⎛ ⎞ = 8 ⋅ 191 ⎜0⎟ ⎝ ⎠ 2n − 1 = 8.191 2n = 8.192 2n = 213 → n = 13

Resposta: 13

Matemática
7

Professor: Fabrício Maia

Matemática

10 O número total de pares (x, y) que satisfazem a equação (x2 + y2 – 1)2 + (xy)2 = 0 é: A) infinito B) 0 C) 1 D) 2 E) 4 Solução:
Se a,b ∈ 1 e n é par, então : an + bn = 0 ⇔ a = b = 0

Temos: (x2 + y2 – 1)2 + (xy)2 = 0
⎧x 2 + y 2 − 1 = 0 Daí: ⎨ ⎩xy = 0 → x = 0 ou y = 0 se x = 0 → y 2 = 1 → y = ±1 se y = 0 → x 2 = 1 → x = ±1 pares : (0,1),(0, −1),(1,0),( −1,0)

Resposta: E 11 A parábola de equação y = x2 – 6 tem vértice M e corta o eixo x nos pontos A e B. Qual a área do triângulo ABM? A) 1 Solução: Lembre: f(x) = ax 2 + bx + c, com a ≠ 0 Coordenadas do vértice: x v = −
b 2a ∆ yv = − ou y v = f(x v ) 4a

B) 6

C)

6

D) 6 6

E) 12 6

Temos: – Coordenadas do vértice: y = x2 – 6
−0 → xv = 0 2 ⋅1 y v = 02 − 6 → y v = −6 xv =

Então: M(0; –6) – Pontos de interseção com o eixo x:

x 2 − 6 =→ x = 6 ou x = − 6 A( − 6; 0) e B( 6, 0)
Logo, a área do ∆ABM é dada por: Área =

−6 1 0 | DABM |= 6 0 1 = 12 6 − 6 0 1
Área:
1 ⋅ 12 6 = 6 6 u.a 2

1 | DABM | 2

Resposta: D 12 A distância do vértice da parábola y = (x – 2)(x – 6) à reta y =
A) 72 25 B) 29 25 4 x +5 é: 3 D) 43 25 E) 43 5

C) 43

8

y o) Temos: y = (x − 2) ⋅ (x − 6) → parábola raízes : 2 e 6 2+6 xv = =4 2 y v = f(4) = (4 − 2) ⋅ (4 − 6) = 2 ⋅ ( −2) = − 4 Distância do vértice à reta: 4x – 3y + 15 = 0 d= d = ??? | 4 ⋅ 4 − 3 ⋅ ( −4) + 15 | 42 + ( −3)2 43 5 d= (4.E) → x > − ⎨ 2 ⎪ ⎪−3x + 4 > 0 (C. obtemos: A) − 1 4 <x< 2 3 B) 0 < x < 4 3 C) x < 3 5 D) − 1 3 <x< 2 5 3 4 E) < x < 5 3 Solução: x y Lembre: loga > loga → x < y (0 < base < 1) Temos: log 1 (2x + 1) > log 1 ( −3x + 4) 2 2 3 ⎧ Então: ⎪2x + 1 < −3x + 4 → 5x < 3 → x < 5 ⎪ 1 ⎪ 2x + 1 > 0(C.r = | ax 0 + by 0 + c | a2 + b2 r P(xo.E) → x < 4 ⎪ 3 ⎩ Matemática 9 . com a ≠ 0 Coordenadas do vértice: ⎧x = x1 + x 2 ⎪ v ⎨ 2 ⎪y v = f(x v ) ⎩ II) Distância de um ponto a uma reta. ax + by + c = 0 dp.Professor: Fabrício Maia Solução: I) f(x) = ax 2 + bx + c. – 4) Resposta: E 13 Resolvendo a inequação log1/2(2x + 1) > log1/2(– 3x + 4).

Professor: Fabrício Maia Matemática Interseção 3 5 −1 2 (I) 4 3 (III) (II) −1 2 (I) ∆ (II) ∆ (III) 3 5 Resposta: D 14 Se o número complexo z = 1 – i é uma das raízes da equação x10 – a = 0. Solução: Devemos ter: + + + + + + { ∆<0 a>0 1ª condição: a > 0 → m > 0 2 2ª condição: ∆ < 0 → (m + 1) − 4 ⋅ m ⋅ 1 < 0 → 2 → m + 2m + 1 − 4m < 0 → m2 − 2m + 1 < 0 → → (m − 1)2 < 0(absurdo. é que: A) m > 0 B) (m + 1)2 + 4m < 0 C) (m − 1)2 ≤ 0 D) m ≠ 1.(m − 1)2 ≥ 0. então z10 = a. pois. Calcule 8a2. Solução: ⎧y = ax + 1 Temos: ⎨ 2 2 ⎩x + 4y = 1 Substituindo (I) em (II): x 2 + 4(ax + 1)2 = 1 x 2 + 4a2x 2 + 8ax + 4 − 1 = 0 x 2 (1+ 4a2 ) + 8ax + 3 = 0 (Equação do 2o grau) Condição: ∆ = 0 (única solução) Daí: (8a)2 − 4 ⋅ (1 + 4a2 ) ⋅ 3 = 0 64a2 − 12 − 48a2 = 0 16a2 = 12 8a2 = 6 Resposta: 6 16 A condição para que o trinômio mx2 + (m + 1)x + 1 seja sempre positivo. o valor de a é: A) 16 B) 32 C) 64 D) – 16i E) – 32i Solução: Temos: x10 = a. qualquer que seja x. se torne sempre positivo.m > 0 E) não há valores de m tais que o trinômio proposto. ∀m ∈ 1 ) Resposta: E 10 . se z é raiz. Daí: a = (1 − i)10 a = [(1 − i)2 ]5 a = ( −2i)5 a = −32i5 → a = −32i Resposta: E 15 A reta y = ax + 1 intercepta a curva x2 + 4y2 = 1 somente num ponto. qualquer que seja x.

s) S = {2} 18 Seja S a soma. em radianos. 2. f(2) = 1 e f(3) = 2.. x ∈[0. ou 3 2 cos x = 0 → x = se k = 1. ∀x ∈ Df Resposta: 11 11 Matemática 17 Sejam A = {1. . 2. é: A) {1} B) {2} C) {3} D) {1.s) se x = 2 → f(f(2)) = f(1) = 3 → f(f(2)) = 3(OK) se x = 3 → f(f(3)) = f(2) = 1 → f(f(3)) = 1(n.. → raízes já encontradas ou fora do intervalo dado. 3} E) vazio . 3. 3} e f: A → A definida por f(1) = 3. 2 3 Soma das raízes = S = π + S= Logo : 11π 6 π π 6π + 3π + 2π + = 2 3 6 6S = 11 π Impor tante : cos( − x) = cos(x). Calcule Solução: 6S . π]. . O conjunto-solução de f[f(x)] = 3.Professor: Fabrício Maia Solução: Temos: A A 1 2 3 1 2 3 Resposta: B se x = 1 → f(f(1)) = f(3) = 2 → f(f(1)) = 2(n. π π Raízes: π. π ⎛ p +q⎞ ⎛ p −q ⎞ Fórmula de Werner: cosp + cosq = 2cos ⎜ cos ⎜ ⎟ 2 ⎟ ⎝ ⎠ ⎝ 2 ⎠ ⎧ ⎛x⎞ ⎛x⎞ Temos: ⎪ 1+ cos x = cos0 + cos x = 2cos ⎜ ⎟ ⋅ cos ⎜ ⎟ ⎪ 2⎠ ⎝ ⎝ 2⎠ ⎨ 5x ⎞ x⎞ ⎛ ⎪ cos2x + cos3x = 2cos ⎛ ⎜ 2 ⎟ cos ⎜ 2 ⎟ ⎪ ⎝ ⎠ ⎝ ⎠ ⎩ x x 5x x Então: 2cos ⎛ ⎞ cos ⎛ ⎞ + 2cos ⎛ ⎞ cos ⎛ ⎞ = 0 ⎜ 2⎟ ⎜ 2⎟ ⎜ 2⎟ ⎜ 2⎟ ⎝ ⎠ ⎝ ⎠ ⎝ ⎠ ⎝ ⎠ ⎛x⎞ ⎡ ⎛x⎞ ⎛ 5x ⎞ ⎤ 2cos ⎜ ⎟ ⋅ ⎢cos ⎜ ⎟ + cos ⎜ ⎟ ⎥ = 0 ⎝ 2⎠ ⎣ ⎝ 2⎠ ⎝ 2 ⎠⎦ ⎛x⎞ ⎛ 3x ⎞ 2cos ⎜ ⎟ ⋅ 2 ⋅ cos ⎜ ⎟ cos ( − x) = 0 2⎠ ⎝ ⎝ 2⎠ ⎛x⎞ ⎛ 3x ⎞ 4 cos ⎜ ⎟ cos ⎜ ⎟ cos(x) = 0 ⎝ 2⎠ ⎝ 2⎠ Daí: cos x x π = 0 → = + kπ → x = π + 2kπ 2 2 2 3x 3x π π 2kπ =0→ = + kπ → x = + 2 2 2 3 3 ou cos ou π = kπ 2 π π se k = 0 → x = π. das raízes da equação 1 + cos x + cos 2x + cos 3x = 0. 2.

⎟ 4⎠ ⎣ E) 1 3 x – x2 x− 2 4 6x − x + x 2 f(x) = 4 x 2 + 5x f(x) = 4 1 2 5 f(x) = x + x 4 4 Parábola crescente 5 5 xv = 4 = − 1 2 2⋅ 4 − f é crescente ∀ x ≥ − 5 2 Resposta: C 20 Se p e q são raízes não-nulas de x2 + 5px – 8q = 0. +∞ ⎟ ⎠ ⎣ 16 Solução: Temos: f(x) = ⎞ ⎡ 25 B) ⎢− . Solução: Girard { { x1 + x 2 = −5p x1 ⋅ x 2 = −8q Daí: p + q = −5q p ⋅ q = −8q 2ª equação p ⋅ q = −8q (como q é diferente de zero) Temos: p = −8 Logo : p + q = −5p p + q = −5 ⋅ ( −8) p + q = 40 Resposta: 40 21 Quantos valores inteiros satisfazem a inequação (2x – 7) (x – 1) ≤ 0. para todo x pertencente a: 2 4 ⎞ ⎡ 25 A) ⎢− .Professor: Fabrício Maia Matemática 19 A função f(x) = 3 x(1 − x) x− é crescente. calcule p + q. +∞ ⎟ ⎠ ⎣ 4 ⎞ ⎡ 5 C) ⎢− . +∞ ⎟ ⎠ ⎣ 2 5⎞ ⎡ D) ⎢ −∞. A) zero B) 1 C) 2 D) 3 E) 4 12 .

é o intervalo ]–3.983x2 – 1. C) tem duas raízes reais distintas.1983 ⋅ ( −1985) ∆ = 1984 2 + 4. Solução: Temos: ∆ = B2 − 4ac ∆ = ( −1984)2 − 4.1983 ⋅ 1985 Então : ∆ > 0 → raízes reais e distintas Resposta: C 23 Seja f uma função real tal que f (x + 1) = (f (x))2 e f (0) = 10. 3] Solução: Temos: y = 1 − 2x → x = Veja: x ∈] − 3. E) tem duas raízes negativas. 3 Resposta: D – – + + produto 7 2 22 Sobre a equação 1. então Imf é: A) ]–7. 2.2] Então: −3 < x ≤ 2 Agora : 1− y −3 < ≤2 2 −6 < 1 − y ≤ 4 −7 < − y ≤ 3 7 > y ≥ −3 ou −3 ≤ y < 7 → y ∈ [−3. 5[ E) ]–3. 7[ C) ]–3. B) tem duas raízes simétricas. 3] B) [–3. 2]. D) tem duas raízes positivas.7[ 1− y 2 Resposta: B Matemática 13 . a afirmativa correta é: A) não tem raízes. Então f (4) é igual a: A) 1016 B) 100 C) 10258 D) 101 Solução: Temos que: f(x + 1) = [f(x)]2 se x = 0 → f(1) = [f(0)]2 → f(1) = 102 se x = 1 → f(2) = [f(1)]2 → f(2) = 104 se x = 2 → f(3) = [f(2)]2 → f(3) = 108 se x = 3 → f(4) = [f(3)]2 → f(4) = 1016 E) 121 Resposta: A 24 Se o domínio da função f.985 = 0. 7] D) [–3.984x – 1.Professor: Fabrício Maia Solução: Estudo do sinal – – – + + + 7 2 – – – 1 + + + + + 1 Inteiros: 1. definida por f(x) = 1 – 2x.

O raio dessa circunferência é: 3 B) 2 C) 3 D) 1 E) 0.4) distância = | 1⋅ 3 − 1⋅ 4 + 0 | 1 + ( −1) 2 2 = 1 2 = 2 2 Resposta: E 27 A reta y = A) 3 3 x é tangente a uma circunferência do centro (2. 0). então f(1 – x) vale: A) 2 – x2 B) 2 + x2 C) x2 + 2x – 4 Solução: Tomando: 2x + 3 = k → x = Então: ⎛k − 3⎞ ⎛k −3⎞ f(k) = 4 ⎜ ⎟ + 6⎜ 2 ⎟ + 1 ⎝ 2 ⎠ ⎝ ⎠ f(k) = (k − 3)2 + 3(k − 3) + 1 f(k) = k 2 − 3k + 1 2 D) 3x2 – 2x + 4 E) x2 + x – 1 k−3 2 Agora: f(1 − k) = (1 − k)2 − 3(1 − k) + 1 f(1 − k) = k2 + k − 1 Por tanto : f(1 − x) = x 2 + x − 1 Resposta: E 26 A distância do centro da circunferência x2 + y2 – 6x – 8y + 21 = 0 à bissetriz do Iº e IIIº quadrantes. vale: A) 5 B) 2 C) 3 D) 3 2 E) 2 2 Solução: Circunferência x2 + y2 – 2ax – 2by + a2 + b2 – R2 = 0 Centro (a.5 14 .Professor: Fabrício Maia Matemática 25 Se f(2x + 3) = 4x2 + 6x + 1.b) Daí: – 2a = – 6 → a = 3 – 2b = – 8 → b = 4 Bissetriz dos quadrantes ímpares y=x x−y =0 C(3. ∀x ∈ 1 .

+ 89!... então o dígito das unidades de S é: A) 1 B) 3 C) 5 D) 7 Solução: Veja: 1! = 1. os resultados serão múltiplos de 10.. Nessas condições o valor de x é: A) ab − a − b B) a + b − 2ab C) a2 + b2 ab + a + b D) a + b + 2ab E) Matemática 15 . são dados pontos P em OA e Q em OB de tal maneira que AP = PQ = QB = x. com OA = a e OB = b. 3! = 6. Resposta: B kx +2y = −1 29 O sistema linear de equações nas incógnitas x e y 2x − y = m é impossível se.Professor: Fabrício Maia Solução: (2. retângulo em O. 2! = 2. 4! = 24 A partir de 5!. e somente se: A) k = – 4 e m ≠ Solução: { 1 2 B) k ≠ − 4 e m = 1 2 C) k ≠ − 4 e m ≠ 1 2 D) k = − 4 E) k = − 4 e m = 1 2 kx + 2y = −1 Sistema 4x − 2y = 2m Somando: (k + 4)x = 2m − 1 Impossível ⎧k + 4 = 0 → k = −4 ⎪ ⎨2m − 1 ≠ 0 → m ≠ 1 ⎪ ⎩ 2 { Resposta: A 30 Em um triângulo retângulo OAB.. Então: S = 1+4 + 6 424 + 5!4 . 489! 1 4 2 2 +4 4 4 3 1 + 2+4 4 3 33 S = 3 + 14243 30 + 10α’ múltiplo de 10 E) 9 múltiplo de 10 S = 3 + 10α → dígito das unidades é 3.0) 3x − 3y = 0 distância de um ponto a uma reta. R= R= | 3 ⋅2 − 3⋅0 + 0 | ( 3) + ( −3) 2 3 2 2 = 2 3 12 2 3 R =1 Resposta: D 28 Se S = 1! + 2! + 3! + .

s−v Assim.Professor: Fabrício Maia Matemática Solução: Pitágoras x = (a − x) + (b − x) x 2 = a2 − 2ax + x 2 + b2 − 2bx + x 2 2 2 2 o a–x P x b–x Q x x − 2(a + b)x + a + b = 0 ∆ = [−2(a + b)]2 − 4 ⋅ 1(a2 + b2 ) ∆ = 4(a + b)2 − 4(a2 + b2 ) ∆ = 8ab 2 2 2 A B Daí: x2 = 2(a + b) ± 8ab 2(a + b) ± 2 2ab = 2 2 x = a + b + 2ab (absurdo. com s ≠ v. f(10−8 ) − f(103 ) = 100 (coeficiente angular) 10−8 − 103 Resposta: B 33 Se um polígono convexo de n lados tem 54 diagonais. com a ≠ 0. então: f(s) − f(v) = a. a altura relativa à hipotenusa mede. veja figura) ou x = a + b − 2ab Resposta: B 31 Num triângulo retângulo de catetos 1 e A) 2 Solução: Temos: B A 1 h 3cm .s) Resposta: E E) 12 n(n − 3) . o valor de A) 104 B) 102 f(10−8 ) − f(103 ) é: 10−8 − 103 C) 10 3 2 D) 10–5 E) 10–11 Solução: Saiba: Se f(x) = ax + b. em cm: B) 3 3 a C) 3 D) 3 2 E) 2 2 C Relações métricas I) a2 = 12 + ( 3)2 → a2 = 4 → a = 2 II) 1⋅ 3 = a ⋅ h → 3 = 2h → h = Resposta: D 32 Sendo f(x) = 100x + 3. então n é: A) 8 B) 9 C) 10 D) 11 Solução: Lembre: Fórmula do número de diagonais d = Então: 54 = n(n – 3) 2 n2 – 3n – 108 = 0 n = 12 ou n = –9 (n. 2 16 .

em graus. EG = 6cm e EP = PQ = QG. A medida do ângulo AEB. Então α + β + θ é igual a: A) π 3 B) 7π 18 C) 4π 9 D) π 2 F α β P Q E θ G Matemática 17 . é: A) 30 D) 75 B) 49 E) 90 C) 60 A E D B C Solução: Figura: A x D E θ α B C ∆BCE é eqüilátero → α = 60º ABCD é um quadrado → θ = 30º Veja: BC ≡ BE (lado do quadrado = lado do ∆BCE) Daí: ∆ABE é isósceles A x x E θ B θ + 2x = 180º 30º + 2x = 180º x = 75º Resposta: D 36 Na figura abaixo.Professor: Fabrício Maia 34 O polígono convexo cuja soma dos ângulos internos mede 1440º tem. EF = 2cm . exatamente: A) 15 diagonais B) 20 diagonais C) 25 diagonais D) 30 diagonais E) 35 diagonais Solução: Lembre: Soma dos ângulos internos Si = (n – 2) ⋅ 180º Então: 1440º = (n − 2) ⋅ 180º 1400º =n−2 180º 8 =n−2 n = 10 Portanto: d = n(n − 3) 10 ⋅ 7 = 2 2 d = 35 Resposta: E 35 Na figura. EFG é um triângulo retângulo. ABCD é um quadrado e BCE é um triângulo eqüilátero.

a Solução: Temos: E) 6.0) 2 1 2 DABC = 0 −4 2 0 0 − Logo: Área = 1 1 = −1+ 8 = 7 1 1 7 ⋅ 7 = u.0 u.B (0.a D) 4. − 4) e C(2. y = 2x – 4 e x = 0 é igual a: A) 3.Professor: Fabrício Maia Matemática Solução: F 2 α E 2 P β 2 Q θ 2 G 2 → tgα = 1→ α = 45º 2 2 1 ∆EQF → tgβ = → tgβ = 4 2 2 1 ∆EGF → tgθ = → tgθ = 6 3 ∆EPF → tgα = Sabemos: tg(β + θ) = tgβ + tgθ 1− tgβ ⋅ tgθ 1 1 5 + 2 3 = 6 =1 Então: tg(β + θ) = 1 1 5 1− ⋅ 2 3 6 tg(β + θ) = 1 → β + θ = 45º Portanto: α +β+ θ = 90º Resposta: D 37 A área compreendida entre as retas 4y = x – 2.a x −2 ⎧ ⎪ y= 4 ⎪ retas ⎨ y = 2x − 4 ⎪ x = 0 (eixo y) ⎪ ⎩ Gráfico: y y = 2x − 4 y= x−2 4 A B C x A(0.a B) 3.5 u.a 2 2 Resposta: B 18 .0 u.0 u.5 u.a C) 4. −1 ).

a2 – b2 = 4 e log2(a + b) – log3(a – b) = 2.x.Professor: Fabrício Maia 38 A razão de uma progressão geométrica. então a2 + b2 é igual a: A) 13/2 B) 15/2 C) 17/2 D) 19/2 Solução: Fazendo: log2 (a + b) = x → a + b = 2x log3 (a − b) = y → a − b = 3y Sistema: ⎧2x ⋅ 3y = 4 ⎨ ⎩x − y = 2 → x = 2 + y Substituindo: 2x ⋅ 3y = 4 22+y ⋅ 3y = 4 22 ⋅ 2y ⋅ 3y = 4 4 ⋅ 6y = 4 6y = 1 → y = 0 → x = 2 Assim: a + b = 4 a−b =1 Resolvendo: a = Logo: a2 + b2 = Resposta: C 5 3 eb= 2 2 { 34 17 = 4 2 Matemática 19 . cujos termos são os três lados de um triângulo retângulo é: A) 1+ 5 2 B) 1+ 2 5 C x q C) 1+ 3 2 D) 1+ 2 3 Solução: ⎛x ⎞ P. Resposta: A 39 Sejam a e b números reais.G. ⎜ . Se a > b > 0.xq ⎟ q ⎝ ⎠ xq A ⎛x⎞ (xq)2 = x 2 + ⎜ ⎟ ⎝q⎠ Pitágoras x2 x 2q2 = x 2 + 2 q 2 x B Dividindo ambos os membros por x2 1 q2 q4 − q2 − 1 = 0 1± 5 1+ 5 q2 = → q2 = 2 2 q2 = 1 + Portanto: q = 1+ 5 2 Atenção!!! q é positivo.

k 2 k = 3 ⋅ 3k 3 = 3k +1 Comparando: k + 1 = 2 k k2 + k − 2 = 0 k = −2 → x = 3−2 → x = 1 9 ou k = 1 → x = 31 →= 3 Logo : ⎛1 ⎞ 9(x1 + x 2 ) = 9 ⎜ + 3 ⎟ = 1 + 27 = 28 ⎝9 ⎠ Resposta: D 41 O número de raízes de equação A) 0 Solução: Sabemos: −1 ≤ cos x ≤ 1.Professor: Fabrício Maia Matemática 40 Se x1 e x2 são as raízes da equação 32logx 3 = xlogx (3x ) . pois o mínimo de cos x é – 1) B) 1 3 + cos x = 0 é: 2 C) 2 D) 3 E) maior que 3 Resposta: A 42 O número de raízes da equação tg2x – sen2x = 0. ∀x.5 (absurdo. 0 ≤ x < 2π. Temos: 3 + cos x = 0 2 3 cos x = − 2 cos x = −1. é: A) 0 B) 1 C) 2 D) 3 Solução: Temos: sen2x − sen2x = 0 cos2 x sen2x − sen2x cos2 x = 0 sen2x(1 − cos2 x) = 0 sen2x ⋅ sen2x = 0 sen4 x = 0 E) maior que 3 Daí: senx = 0 x = 0 ou x = π Resposta: C 20 . então 9(x1 + x2) é igual a: A) 22 B) 24 C) 26 D) 28 Solução: Lembre: I) aloga b = b II)Se loga b = x → ax = b Temos: 32logx 3 = xlogx 3x Então: 3 2logx 3 = 3x 1 e x = 3k k Tomando: log3 x = k → logx 3 = Substituindo: 3 1 2.

é: π 5π ou ≤ x < 2π 6 6 s C) 0 ≤ x < π D) π 2π ≤x≤ 3 3 Solução: Condição: 2sen x − 1 ≥ 0 1 sen x ≥ 2 150º 30º 1 2 c Daí: π 5π ≤x≤ 6 6 Resposta: A 45 Seja M um conjunto de 20 elementos. 2 + 2. A ordem dos elementos não altera um conjunto. a3 .. O número de subconjuntos de M que contêm exatamente 18 elementos é: A) 360 B) 190 C) 180 D) 120 E) 18 Solução: Temos: M = {a1. Daí: nº de subconjuntos com 18 elementos = C20. a2..An.2 = (2n − 2)! n(n − 1) + 2 ⋅ n(n − 1) + 100 = (2n)(2n − 1) 2 2 n − n + 4n2 − 4n + 200 = 8n2 − 4n 3n2 + n − 200 = 0 25 n = 8 ou n = − (n.s) 3 Resposta: B Então: Matemática 21 .Professor: Fabrício Maia 43 Determine n.2 = (n − 2) (2n)! = (2n) ⋅ (2n − 1) A2n. 2.2 + 100 = A2n.. a20}.2 = B) 8 C) 6 D) 10 E) − 25 3 n! n ⋅ (n − 1) = (n − 2)!2! 2 n! = n ⋅ (n − 1) An. então n é igual a: A) 24 Solução: Temos: Cn. sabendo que p =0 ∑ ⎜ p ⎟ ⋅ 2p = 729 ⎝ ⎠ n ⎛n ⎞ n ⎛n ⎞ Solução: (a + b)n = ∑ ⎜ ⎟ ⋅ an−p ⋅ bp (binômio de Newton) p =0 ⎝ p ⎠ Veja: p= 0 ∑ ⎜ p ⎟ ⋅ 1n−p ⋅ 2p = (1+ 2)n = 3n ⎝ ⎠ n ⎛n⎞ Então: 3n = 729 → n = 6 Resposta: 6 44 O domínio real da função f(x) = A) π 5π ≤x≤ 6 6 B) 0 ≤ x ≤ 2senx − 1 para 0 ≤ x < 2π. 18 Resposta: B 46 Se Cn.

1 1 2 x+ 3 2 Então o valor da soma 1⋅ f(1) + 2 ⋅ f(2) + 3 ⋅ f(3) + .260 22 . r → quantidade de bolas azuis em cada caixa. Solução: x → número de caixas.(3.1) ou xy = 3 → (1.y) ∈ N2.3). de modo que cada caixa contenha bolinhas de todas as cores. Temos: 1590 =p x 1060 =q x 583 =r x Veja: x = m. (1590. Determine o número de elementos de E.1). 1060 amarelas e 583 azuis. 583) = 53 1 530 0 10 53 Resposta: 53 48 Sejam N o conjunto dos números inteiros positivos e E = {(x.3) ou (3. q → quantidade de bolas amarelas em cada caixa. p → quantidade de bolas brancas em cada caixa.. Calcule o número máximo de caixas de modo que qualquer dessas caixas contenha. tem-se: xy = 1 → (1. para cada cor. Solução: Temos: x 4 y 4 − 10x 2y 2 + 9 = 0 (x 2y 2 )2 − 10x 2y 2 + 9 = 0 Fazendo: x 2 y 2 = k Equação: k 2 − 10k + 9 = 0 k = 1 → x 2y 2 = 1 → (xy)2 = 1 ou k = 9 → x 2 y 2 = 9 → (xy)2 = 9 Como x e y são inteiros positivos.583) x = 53 * MDC (1590. quantidades iguais de bolinhas.(1. + 20 ⋅ f(20) é: A) 120 B) 600 C) 210 D) 620 E) 1.1) E = {(1. 1060) = 530 1 1590 530 1060 0 2 530 583 * MDC (530.1060.. x4y4 – 10x2y2 + 9 = 0}.1)} Resposta: 3 49 Considere a função real definida por f(x) = 2x + 3 3 .d.Professor: Fabrício Maia Matemática 47 Deseja-se acondicionar em um certo número de caixas.c. 1590 bolinhas brancas.x ≠ − .

s) ou x = −4 (n. 0} são em número de: A) 720 B) 360 C) 15 D) 24 E) 30 Solução: Lembre: Se f é injetora.4. respectivamente.s) ou x=3 → y=3 Resposta: 9 51 Os conjuntos A e B possuem 3 e 4 elementos. 3. Determine o valor do produto xy. 7. então existe um elemento em A com duas imagens. Quantas funções de A em B têm o conjunto imagem igual a B? C) 43 D) 3! E) 4! A) Nenhuma B) 34 Solução: Veja: I) Numa função de A em B devemos ter todos os elementos de A associados a um único valor em B.. Portanto. 8.. 2. + 20 ⋅ 6 Soma: (1+ 2 + 3 + . 9.Professor: Fabrício Maia Solução: Temos: f(x) = 2x + 3 6 = 2x + 3 ⋅ 2x + 3 2x + 3 6 Então: f(x) = 6 Agora: Soma: 1⋅ 6 +2 ⋅ 6 + 3 ⋅ 6 + . Solução: Tomando: logy x = m → logx y = Daí: m + 1 m 1 =2 m m2 − 2m + 1 = 0 m =1 → x = y Substituindo na 2ª equação x 2 y + y 2 = 12x x 2 ⋅ x + x 2 = 12x x 3 + x 2 − 12x = 0 x(x 2 + x − 12) = 0 x = 0 (n. não existem funções de A em B sobrejetoras. tem-se 6. + 20) ⋅ 6 Soma: (1+ 20) ⋅ 20 ⋅ 6 = 21⋅ 10 ⋅ 6 → Soma = 1. 6.. Resposta: A 52 As funções injetoras de A = {1.. pois todos os elementos de A estão associados.5.3 = 360 funções injetoras Resposta: B Matemática 23 . 4} em B = {5. II) Se o conjunto imagem é o próprio B. então: x1 ≠ x 2 → f(x1) ≠ f(x 2 ) Daí: A 1 2 3 4 f(1): 6 possibilidades em B f(2): 5 possibilidades em B f(3): 4 possibilidades em B f(4): 3 possibilidades em B Pelo princípio fundamental da contagem.260 2 Resposta: E 50 Sejam x e y números reais satisfazendo as equações logy x + logx y = 2 e x2y + y2 = 12x.

com peso 1 (um) cada. 60.041 = 9. é: A) 37. com peso 2 (dois).415 99. 50 e 70. Um certo aluno obteve em matemática.900 24 ..000 B) 3.900 9.000 E) 370. e uma prova-exame. onde q' = 3q + 1 Veja: n 3 4 q’ Resposta: D 55 Qual dos cinco números relacionados abaixo não é um divisor de 1015? A) 25 B) 50 C) 64 D) 75 Solução: Temos: 1015 = (2 ⋅ 5)15 = 215 ⋅ 515 Veja: (A) 25 = 52 divide 1015 (OK) (B) 50 = 2 ⋅ 52 divide 1015 (OK) (C) 64 = 26 divide 1015 (OK) (D) 75 = 3 ⋅ 52 não divide 1015 (problema fator 3) (B) 250 = 2 ⋅ 53 divide 1015 (OK) Resposta: D 56 A fração geratriz de 3. nota mínima igual a: A) 20 B) 35 C) 40 D) 45 E) 50 Solução: Média ponderada = 1⋅ 30 + 1⋅ 60 + 1⋅ 50 + 1⋅ 70 + 2 ⋅ x 210 + 2x = 6 6 Temos: 210 + 2x ≥ 50 6 210 + 2x ≥ 300 2x ≥ 90 x ≥ 45 → xmin = 45 Resposta: D 54 O resto da divisão do inteiro n por 12 é igual a 7. para ser aprovado nessa disciplina.. nas quatro provas parciais. um aluno precisa ter média maior ou igual a 50. obtida num conjunto de 5 provas.415 10.900 D) 37.515 10.415 − 374 37. Esse aluno.000 E) 250 Solução: Temos: 3. sendo quatro parciais.041 9.Professor: Fabrício Maia Matemática 53 Para ser aprovado numa disciplina.74151515. na prova-exame.7415 = Resposta: C 37.041 9.000 C) 37. notas iguais a 30. O resto da divisão n por 4 é: A) 0 B) 1 C) 2 D) 3 Solução: Temos: E) 4 n 7 12 q Daí: n = 12q + 7 n = 12q + 4 + 3 n = 4(3q + 1) + 3 n = 4q'+ 3. deverá obter.741.

Então d é: A) 75 B) 65 C) 25 D) 15 E) 10 Solução: Sabemos que: Se os coeficientes de um polinômio P(x) são reais. de coeficientes reais. os outros quadrados terão seus lados com as medidas indicadas na figura. 34444244441 5x 3x 2x 2x 3x 2x x x x Assim: a = 5x e b = 3x Portanto. A – (A – B) é igual a: A) A B) B C) A – B Solução: A B D) A ∪ B E) A ∩ B Lembre: A − B = {x / x ∈ A e x ∉ B} É fácil ver: A – (A – B) = A ∩ B A–B Resposta: E a ? b 58 O retângulo abaixo de dimensões a e b está decomposto em quadrados. Qual o valor da razão a b A) 5 3 B) 2 3 C) 2 D) 3 2 E) 1 2 Solução: Sendo x a medida do lado do menor quadrado. a 5 = b 3 Resposta: A 59 A equação x4 + ax3 + bx2 + cx + d = 0. 3 + 2i raiz → 3 – 2i também é. então: a + bi raiz de P(x) → a – bi também é: Temos: 2 – i raiz → 2 + i também é.x 3.Professor: Fabrício Maia 57 Se A e B são conjuntos.x 4 = d (2 − i) ⋅ (2 + i) ⋅ (3 + 2i) ⋅ (3 − 2i) = d (4 − i2 ) ⋅ (9 − 4i2 ) = d 5 ⋅ 13 = d d = 65 Resposta: B Matemática 25 1442443 1 2 31 4 4 4 43 2 . Daí.x2. admite as raízes 2 – i e 3 + 2i. aplicando Girard na equação: x1.

serve) → denominador nulo B) 1 2x 2 − 8x = x é: x 2 − 4x C) 2 D) 3 E) 4 ou x 2 − 6x + 8 = 0 ou x=2 ou x = 4 (n. Resposta: A 62 Se n é o maior número inteiro pertencente ao domínio da função f(x) = 1−log2 x . a equação não admite soluções. determine o valor de n3 + 3n2 + 2.Professor: Fabrício Maia Matemática 60 O número de soluções reais da equação A) 0 Solução: Temos: 2x 2 − 8x =x x 2 − 4x 2 2x − 8x = x 3 − 4x 2 x 3 − 6x 2 + 8x = 0 x(x 2 − 6x + 8) = 0 x = 0 (n. a expressão é igual a 23 + 3 ⋅ 22 + 2 = 22 . A) Nenhuma Solução: Graficamente: y B) Uma C) Duas D) Três E) Infinitas y = 2x y = log2 x x 0 Como não existe interseção. Logo. A) 2 B) 20 C) 21 D) 22 E) 32 Solução: Domínio → campo de existência → condição de existência da função → 1− log2 x ≥ 0 → log2 x ≤ 1 → 0 < x ≤ 21 → 0 < x ≤ 2 → maior inteiro x = 2. Resposta: D 26 . serve) → denominador nulo S = {2} Resposta: B 61 Determine o número de soluções reais da equação 2x = log2 x .

p 65 Determine o produto das soluções reais da equação 9 ⋅ xlog3 x = x 3 . e A) 0 B) 1 C) 2 D) 3 E) 4 Solução: Sabemos que: I) aloga b = b II) loga b = 1 logb a III)Lx = Lnx = loge x 1 Lnx x Então. calcule o valor de x . Resposta: D Matemática 27 . A) 4 B) 8 C) 25 D) 27 Solução: Tomemos: log3 x = k → 3k = x Assim: 9 ⋅ (3k )k = (3k )3 2 3k + 2 = 33k → k 2 + 2 = 3k → k 2 − 3k + 2 = 0 k = 1→ x = 3 ou k =2→ x =9 E) 90 Portanto. log10 a = x → 10x = a log10 b = y → 10y = b log10 c = z → 10z = c ⎛ 10x ⎞ Então: 1º membro = ⎜ y ⎟ ⎝ 10 ⎠ z ⎛ 10y ⎞ ⋅⎜ z ⎟ ⎝ 10 ⎠ x ⎛ 10z ⎞ ⋅⎜ x ⎟ ⎝ 10 ⎠ y 1º membro = 10xz 10xy 10yz ⋅ ⋅ 10yz 10xz 10xy 1º membro = 1 c. o produto das soluções é 27. a expressão dada x é igual a: Exp.Professor: Fabrício Maia 1 Lnx 63 Dado x ≠ 1 e positivo. = e e Resposta: B log x e = e = 1.q. e ⎛a⎞ 64 Prove que ⎜ ⎟ ⎝b⎠ Prova: Tomemos: log10 c ⎛b⎞ ⋅⎜ ⎟ ⎝c⎠ log10 a ⎛c⎞ ⋅⎜ ⎟ ⎝ a⎠ log10 b = 1.

em progressão aritmética.log10 (2x − 1) e log10 (2x + 3) estão.log10 (2x + 3) P. A) 1 B) 4 C) 8 D) 16 E) 25 Solução: Temos que: (log10 2. Calcule 22x. A) 3 2cm3 Solução: B) 9 2cm3 C) 27 2cm3 D) 54 2cm3 E) 81 2cm3 Volume do prisma: (Área da base) x (altura) Então: V = ⎛ ⎜ ⎝ 3 ⋅ 4 ⋅ sen45º ⎞ ⎟⋅9 2 ⎠ 2 ⋅ 9 = 27 2cm3 2 3 45º V = 6⋅ 9 Resposta: C 4 28 . Sabendo que dois dos lados desse triângulo medem 3cm e 4cm e que o ângulo formado por esses lados mede 45º.Professor: Fabrício Maia Matemática 66 Seja x tal que log10 2.A → → 2 ⋅ log10 (2x − 1) = log10 2 + log10 (2x + 3) → → log10 (2x − 1)2 = log10 2(2x + 3) → → (2x − 1)2 = 2 ⋅ (2x + 3) Tome: 2x = a Então: a2 – 2a + 1 = 2a + 6 → a2– 4a – 5 = 0 a = 5 → 2x = 5 ou a = – 1 (não serve) Portanto. determine o volume do prisma. A) 105cm3 B) 1575cm3 C) 4725cm3 D) 6720cm3 E) 8575cm3 Solução: 7k D 5k 3k Diagonal (D) → D = (3k)2 + (5k)2 + (7k)2 4 83 = 83k2 4 83 = k 83 k=4 Volume (V) → V = 12 ⋅ 20 ⋅ 28 V = 6720cm3 Resposta: D 68 Um prisma reto de altura igual a 9cm tem como base um triângulo. Sabendo que a diagonal mede 4 83cm . nessa ordem.5 e 7.log10 (2x − 1). 22x = 25 Resposta: E 67 As dimensões de um paralelepípedo retângulo são proporcionais a 3. calcule o volume do paralelepípedo.

G. o volume do cilindro π 71 O raio da base de um cone circular reto mede 4cm e sua altura circular reto de maior área lateral.a.Professor: Fabrício Maia 69 A aresta. a3) → ( a 3 )2 = a ⋅ a3 → 3a2 = a4 → a2 = 3 Portanto. a 3 . A) 3 B) 6 C) 9 D) 18 E) 27 Solução: a D a a aresta = a diagonal = a 3 volume = a3 P. ortocentro. a diagonal e o volume de um cubo estão. inscrito no cone. (a. em progressão geométrica. Resposta: D 70 Uma esfera de raio r é inscrita num cone equilátero com geratriz de comprimento g. Veja: I) g = 2R (geratriz) II) g 3 g 3 = 3r → = 6 2 r Resposta: B 25 cm . circuncentro. Determine o valor de A) 3 Solução: 2R g 3 . em cm3. a área total será 18u. r B) 6 C) 8 D) 9 E) 12 2R 2r 0 r 2R 0 = incentro. A) 4 B) 10 C) 25 D) 40 E) 50 Solução: 25 π h α r 4 Matemática 29 123 4 4 . nessa ordem. Determine a área total desse cubo. Determine. baricentro.

π D) 54 E) 54 3 B C A B 30º A R [setor] = πR2 6 ∆ABC é retângulo cos 30º = 8 R 6 π = 3 2 Então: 2R = 3 ⋅ 8 ⋅ 6 6 → 4R2 = 3 ⋅ 64 ⋅ → π π πR2 6 2 → R = 3 ⋅ 16 ⋅ → = 3 ⋅ 16 → [setor] = 48m2 .Professor: Fabrício Maia Matemática Área (lateral do cilindro) = 2πrh = AL 25 h 25 = π →h= (4 − r) Veja: tgα = 4 −r 4 4π Subst. sabendo que o ângulo ABC mede rad 6 25 25 → V = π ⋅ 22 ⋅ = 50cm3 2π 2π e o diâmetro AB mede 8 A) 24 B) 48 C) 48 3 Solução: C R 6 m. h na área lateral. sabe-se que a média harmônica entre o raio r e a altura h é 4 e que sua área total é 2πm2. Solução: h r 30 . Mostre que o raio r satisfaz a sentença r3 – r + 2 = 0. basta que r seja igual a abscissa do vértice da parábola. π 6 Resposta: B 73 Dado um cilindro de revolução de raio r e altura h. Então: r = 2 → h = Resposta: E π ˆ 72 Determine a área (em m2) do setor circular hachurado na figura abaixo. vem: 25 ⎡ 25 ⎤ AL = 2πr ⎢ (4 − r) ⎥ → AL = (4r − r 2 ) 2 123 ⎣ 4π ⎦ parábola Para que AL seja máxima.

Calcule o valor de A. 4 C) 60 D) 75 E) 80 Assim.Professor: Fabrício Maia Área total 2πrh +2πr2 = 2π rh + r2 = 1 (I) Média harmônica 2rh =4 r +h 2r h= (II) r−2 Subst. vem: 2r2 ⎛ 2r ⎞ 2 2 r⎜ ⎟ + r = 1→ r − 2 + r = 1→ ⎝r −2⎠ → 2r 2 + r 2 (r − 2) = r − 2 → 2r2 + r3 − 2r 2 = r − 2 → → r 3 = r − 2 → r3 − r + 2 = 0 74 Seja o determinante D(x) = 1 2 Solução: A) 1− 2senx −senx ⎛π⎞ . Se R = sen11º cos11º . R = senAº cos11º − sen11º cos Aº R = sen(Aº −11º ) 1 = sen(Aº −11º ) 2 Então: Aº – 11º = 30º Aº = 41º → Resposta: B A = 41 Matemática 31 . cos x 1+ 2senx ⎝ 12 ⎠ B) 2 2 C) 3 2 D) 3+ 1 2 E) 3 1 + 2 4 D(x) = 1 − 2sen2x + senx cos x sen(2x) D(x) = cos(2x) + 2 ⎛π⎞ sen ⎜ ⎟ π⎞ π⎞ ⎛ ⎛ ⎝6⎠ D ⎜ ⎟ = cos ⎜ ⎟ + 2 ⎝ 12 ⎠ ⎝6⎠ 3 1 ⎛π⎞ D⎜ ⎟ = + 2 4 ⎝ 12 ⎠ Resposta: E 75 Seja R a raiz positiva da equação x2 + x – A) 30 Solução: Temos: x 2 + x − 3 =0 4 1 1 x= → R= ou 2 2 −3 x= (não serve) 2 B) 41 senAº cos Aº 3 = 0. (II) em (I). onde 0 < A < 90. Calcule o valor de D ⎜ ⎟ .

Determine o valor de m4 – 8m2 + 23. temos: 1 m 3 = = → m=2 m 4 6 * retas coincidentes → infinitas soluções. m4 – 8m2 + 23 = 7 Resposta: B 78 Se (xo. Resposta: E 77 Se o sistema x + my = 3 tem infinitas soluções. – 1 ou 5 Portanto.Professor: Fabrício Maia Matemática 76 Determine a soma das raízes da equação. vem: 1 1 1 1 1 1 1 x 1 1 =0 1 x+2 1 1 1 x−4 x −1 0 0 0 x +1 0 = 0 0 0 x −5 Daí: (x − 1) ⋅ (x + 1)(x − 5) = 0 x = 1. então: a1 b1 c1 = = a2 b2 c2 { B) 7 C) 8 D) 9 E) 12 Assim. o o o ⎨ 2 ⎩xy + z = 1 A) 0 Solução: 2 2 ⎧x o + y o = 2 → x o + y o + 2x o y o = 4 ⎨ 2 2 ⎩x o y o + zo = 1 → − 2x o y o − 2zo = −2 2 Somando: x 2 + y 2 − 2z o = 2 o o B) 1 C) 2 D) 3 E) 4 Resposta: C 32 . zo) é uma solução do sistema ⎧x + y = 2 encontre o valor de x 2 + y 2 − 2z 2 . A) 0 D) 4 1 1 1 1 B) 1 E) 5 1 x 1 1 =0 C) 2 1 1 x+2 1 1 1 1 x–4 Solução: Aplicando chió. Portanto. a soma das raízes é 5. yo. mx + 4y = 6 A) 6 Solução: Sejam: r: a1x + b1y + c1 = 0 s: a2x + b2y + c2 = 0 Se r e s são coincidentes.

A) 0 B) 1 C) 2 D) 3 E) 4 Solução: Interseção → x2 – ( x + b)2 = 1 → x2 – x2 – 2bx – b2 = 1 → – 2bx =1+ b2 1 + b2 →x= (x da interseção) −2b Veja: para que não exista interseção. Resposta: A ⎛ ⎞ 82 Determine o menor inteiro n > o. A) 0 B) 1 C) 2 D) 3 E) 4 Solução: Substituindo a reta na equação da elipse. então a interseção é um único ponto.Professor: Fabrício Maia 79 Considere a função real definida no conjunto dos números reais não-negativos por f(x) = x + o número real k. tal que f(2k) = 0. determine o valor de 8(b2 – a2). basta tomarmos b = 0. ⎜ 2 2 ⎟ ⎝ ⎠ n A) 6 B) 10 C) 12 D) 16 E) 24 Matemática 33 . vem: x2 + 4y2 = 1 x2 + 4(a2x2 + 2abx + b2) = 1 (1 + 4a2) x2 + 8abx + 4b2 – 1 = 0 Como a reta é tangente. de modo que ⎜ 3 + 1 i ⎟ seja real positivo. A) 0 B) 1 C) 2 D) 3 E) 4 Solução: Temos que: x – 2. ∆=0 (único ponto) Daí: (8ab)2 – 4(1 + 4a2) ⋅ (4b2 – 1) = 0 64a2b2 – 16b2 + 4 – 64a2b2 + 16a2 = 0 8a2 – 8b2 + 2 = 0 8(b2– a2) = 2 Resposta: C 81 Determine o valor de b para o qual a reta y = x + b não intercepta os ramos da hipérbole x2 – y2 = 1. Determine 2k + 2k − 2 = 0 2k − 2 = − 2k 22k − 4 ⋅ 2k + 4 = 2k 22k − 5 ⋅ 2k + 4 = 0 2k = 1 → k = 0 ou 2k = 4 → k = 2 (não serve) Veja: se k = 2 → f(2k) = f(4) = 4 ≠ 0 Resposta: A 80 Sendo a reta y = ax + b tangente à elipse x2 + 4y2 = 1.

P(x) = x2 + 2. Solução: 1 A Bx + C = + . tais que A + B + C. A) 1 B) 2 C) 3 Solução: Temos: 12 = i →| 12 | = | i | → D) 2 E) 3 →| 1 ⋅ 1 | = | 0 + 1 | → | 1 | ⋅ | 1 | = 02 + 12 → i →| 1 | ⋅ | 1 | = 1 → | 1 | = 1 Resposta: A 84 Se A . para todo x. temos: P(x + 1) = a(x + 1)2 + b(x + 1) + c = ax2 + (2a + b)x + (a + b + c). x ∈ 1 * . tal que 12 = i.Professor: Fabrício Maia Matemática Solução: ⎛ 3 1⎞ n cos(n ⋅ 30º Temos que: ⎜ ⎜ 2 + 2 i ⎟ = (cos 30º + isen30º ) = 14243) + isen(n ⋅ 30º ) ⎟ 14243 ⎝ ⎠ zero um Então: n n ⋅ 30º = k ⋅ 360º n = 12k Portanto: n = 12 (menor inteiro positivo) Resposta: C 83 Encontre o módulo do complexo 1 . 34 . calcule o valor de x(x 2 + 2x + 2) x x 2 + 2x + 2 A Bx + C 1 . Solução: Supondo P(x) = ax2 = bx + c. Então: ⎧a = 1 ⎧a = 1 ⎪ ⎪ P(x + 1) ≡ x2 + 2x + 3 ⇔ ⎨2a + b = 2 ⇔ ⎨b = 0 ⎪a + b + c = 3 ⎪c = 2 ⎩ ⎩ Logo. B e C são números reais. ∀x ∈ 1 * = x(x 2 + 2x + 2) x(x 2 + 2x + 2) 1 ⎧ ⎪A = 2 ⎧ A +B= 0 ⎪ 1 ⎪ ⎪ (A + B)x 2 + (2A + C)x + 2A ≡ 1 → ⎨ 2A + C = 0 → ⎨B = − 2 ⎪ ⎪ 2A = 1 ⎩ ⎪C = − 1 ⎪ ⎩ Portanto: A + B + C = – 1 85 Determine um polinômio P(x) de grau 2 que verifique a identidade P(x + 1) ≡ x2 + 2x + 3. ∀x ∈ 1 * + = x x 2 + 2x + 2 x(x 2 + 2x + 2) A(x 2 + 2x +2) + (Bx + C)x 1 .

6 – C8. entre as 10. b2 = (2mn)2 = 4m2n2 = 4ac Resposta: A condição é b2 = 4ac e a ≠ 0 (pois m ≠ 0) 87 Na figura abaixo indicamos 9 pontos. porém. devemos subtrair as combinações formadas por 3 pontos escolhidos entre os 4 alinhados. entre os quais não há 3 colineares. 4. Concluímos que o número de misturas não explosivas que podem ser produzidas é C10. As combinações em que entram essas duas substâncias são formadas por elas duas e mais quatro substâncias escolhidas entre as outras oito substâncias (excluímos aquelas duas). Desse número. exceto os 4 que marcamos numa mesma reta.3 – C4. 3 – C4. Assim. o total de misturas seria C10. 3. b e c para que o polinômio ax2 + bx + c seja o quadrado de um polinômio do 1º grau? . portanto: ⎧a = m2 ⎪ ⎨b = 2mn ⎪c = n2 ⎩ Podemos eliminar m e n e obter a relação entre a. De quantos modos possíveis poderá associar 6 dessas substâncias se. Quantos triângulos existem com vértices nestes pontos? G H F E B C D I A Solução: Se não houvessem 3 pontos colineares. 6 – C8. o número de triângulos seria C9. provocam explosão. 4 = 210 – 70 = 140. 3. Assim.3 = C4.6 = C8. 3. 88 Um químico possui 10 tipos de substâncias. Temos: C9.Professor: Fabrício Maia Solução: Devemos ter ax2 + bx + c ≡ (mx + n)2.3 9! 9 x 8 x 7x 6! = = 84 3!6! 3x 2x1x 6! 4! 4 x 3! =4 = = 3!1! 3 !x 1 Logo: C9. o número de triângulos que podemos formar é C9.4 10! 10 x 9 x 8 x 7x 6! = = 210 6!4! 6!x 4 x 3x 2x1 8! 8 x 7 x 6 x 5x 4! = 70 = = 4!4! 4x 3x 2x1x 4! Logo: C10. Matemática 35 86 Que condições devem satisfazer os números a. subtrair desse número as combinações em que entrariam as duas substâncias que. b e c e calculando b2. pois essas combinações não correspondem a triângulos. se misturadas. 3 = 84 – 4 = 80. com m ≠ 0. isto é. Solução: Temos: C10. Devemos. O número de modos de escolher 4 substâncias em 8 é C8. 6 se não houvesse problema com nenhuma mistura. C4. duas somente não podem ser juntadas porque produzem mistura explosiva? Solução: Cada mistura de 6 das 10 substâncias corresponde a uma combinação das 10 substâncias tomadas 6 a 6. uma vez que não importa a ordem das substâncias na mistura. 4.

Determine a e b. 2 e α. 90 Calcule a e b de modo que a fração algébrica Solução: Devemos ter: x 2 + ax + b = k. concluímos que: ⎜k ⎟ ⎝ ⎠ ⎛12 ⎞ k 12 12 ⎟ 9 = (1+ 9) = 10 ( o que dá 1 trilhão). 2 3 +1 4 91 Calcule o valor numérico de x4 + 4x3y + 6x2y2 + 4xy3 + y4. 3 raízes. com α ≠ 2. ⎠ k =0 ∑ ⎜k ⎝ 12 36 . o grau da equação ax3 + bx + 16 = 0 é maior que 1. ⎛ 3 +1 ⎛2 3⎞ 3 − 1⎞ 24 ⋅ 32 + 4 = 48. Como k dever ser inteiro. logo ⎨4α + 4 = . Solução: n ⎛ ⎞ O termo geral do desenvolvimento de ⎜ x 2 − 1 ⎟ é T = ⎛ n ⎞ (x 2 )n−k ⎛ − 1 ⎞ = ⎛ n ⎞ x 2n−2k ( −1)k x −k = ⎛ n ⎞ ( −1)k x 2n−3k ⎜k ⎟ ⎜ ⎟ ⎜k ⎟ ⎜k ⎟ x⎠ ⎝ ⎠ ⎝ x⎠ ⎝ ⎠ ⎝ ⎝ ⎠ Para o termo independente de x devemos ter 2n – 3k = 0. portanto não altera o valor do termo. ∀x ∈ 1 . ∑ ⎜k ⎝ 12 12 Notando que ⎛ 12 ⎞ ⋅ 1 −k ⋅ 9k é o termo geral do binômio (1 + 9)12. Então.Professor: Fabrício Maia Matemática ⎛ 2 1⎞ 89 Dê a condição sobre o inteiro positivo n para que o desenvolvimento de ⎜ x − ⎟ apresente um termo x⎠ ⎝ independente de x e não-nulo. temos pelas relações de Girard: ⎧ ⎧ ⎪2 + 2 + α = 0 ⎪α = − 4 ⎧α = − 4 ⎪ ⎪ b a ⎪ ⎪ ⎪ ⎨2 ⋅ 2 + 2α + 2α = . portanto. logo k = que n deve ser um múltiplo de 3. logo ⎨a = 1 a b ⎪ ⎪ ⎪b = −12 ⎩ ⎪2⋅ 2 ⋅ α = −16 ⎪α = −4 ⎪ ⎪ a a ⎩ ⎩ Portanto: a = 1 e b = – 12 93 Qual é o valor de Solução: k =0 ∑ ⎛k ⎜ ⎝ 12 12 ⎞ k ⎟9 ? ⎠ ⎛12 ⎞ k 12 ⎛12 ⎞ 12−k k ⎟ 9 = ∑ ⎜ k ⎟ ⋅1 ⋅ 9 ⎠ ⎠ k =0 k =0 ⎝ Este fator é igual a 1. concluímos 3 ⎧1 = 2k ⎪ ⎨a = 0 ⎪b = k ⎩ A resposta é a = 0 e b = 1 . para x = Solução: 3 e y= 3 −1 4 3 . Supondo que as raízes são 2. Há. logo: x2+ ax + b ≡ 2kx2 + k 2x 2 + 1 x 2 + ax + b tenha o mesmo valor numérico para todo x ∈ 1 . a ≠ 0 e concluímos que o grau é 3. Solução: Como admite raiz dupla. 2x 2 + 1 n k 2n . ⎟ =⎜ 4 ⎟ = x + 4x y + 6x y + 4xy + y = (x + y) = ⎜ 4 ⎜ 3 ⎜ 3 ⎟ 3 3 ⎟ ⎝ ⎠ ⎝ ⎠ 4 3 2 2 3 4 4 4 4 92 O número 2 é raiz dupla de ax3 + bx + 16.

95 Encontre o coeficiente de x5 no desenvolvimento de (1 – x) (1 + x)8. ou III) Escolhendo 2 etiquetas com números positivos e 2 com números negativos..2 . Matemática 37 . o número de modos de escolher 4 deles é C6. dispondo de 6 números positivos. o termo em x5 resulta da adição de dois produtos: (1 – x) (1 + . no produto (1 – x) (1 + x) 8 temos: Termo em x5 = [1 x 56x5] + [(– x) ⋅ 70x4] = 56x5 – 70x5 = – 14x5 O coeficiente pedido é igual a – 14. III) Dos 6 positivos devemos escolher 2( C6. C6.Professor: Fabrício Maia 94 Numa urna há 12 etiquetas numeradas. Como C6. Números disponíveis: 6 positivos 6 negativos ↓ Possibilidades: 4 positivos ou 0 positivos ↓ 0 negativos C6. temos 2!4! ⎛ 8 ⎞ 8−k k ⎛ 8 ⎞ k O termo geral de (1 + x)8 é T = ⎜ k ⎟ ⋅ 1 ⋅ x = ⎜ k ⎟ x . + termo em x4 + termo em x5 + . é C6. ou II) Escolhendo 4 etiquetas com números negativos. De quantos modos podemos escolher 4 etiquetas diferentes tal que o produto dos números nelas marcados seja positivo? Solução: Teremos o produto positivo em cada caso seguinte: I) Escolhendo 4 etiquetas com números positivos. 2). o total de possibilidades para o produto positivo é 15 + 15 + 225 = 255.2 ) e. Então.2 Vamos calcular o número de possibilidades de cada caso (lembrando que não importa a ordem das etiquetas). + x8) Termo em x5 = 1 ⋅ [termo em x5 de (1 + x)8] + [(– x) ⋅ termo em x4 de (1 + x)8] 6! = 15.4 = 15... O número de possibilidades deste caso é C6. Para k = 5 temos T = ⎜ 5 ⎟ x = 5! 3! 3x 2x1 ⎝ ⎠ 8! 4 8 x 7 x 6 x 5 4 ⎛8 ⎞ 4 x = x = 70x 4 . Para k = 4 temos T = ⎜ 4 ⎟ x = 4! 4! 4x3x2x 1 ⎝ ⎠ Então. Solução: Quando multiplicamos (1 – x) pelo polinômio obtido desenvolvendo (1 + x)8. ⎝ ⎠ ⎝ ⎠ 8! 5 8 x 7 x 6 5 ⎛8⎞ 5 x = x = 56x5.2 ⋅ C6. I) O número de modos a escolher 4 números positivos.4 2 positivos 2 negativos C6..4 4 negativos ou C6. 6 com números positivos e 6 com números negativos.2 ⋅ C6.4 . para cada escolha destes. dos 6 negativos devemos escolher também 2 (C6.4 = 6! 6 x 5 x 4! = = 15 4!2! 4! x 2 x 1 II) Como temos também 6 números negativos.2 = 15 ⋅ 15 = 225 possibilidades.

D) é igual a A – 2I. Para voltar aos preços iniciais.Professor: Fabrício Maia Matemática 96 Se A é uma matriz quadrada de ordem três com detA = 5. os preços promocionais devem sofrer um acréscimo de A%. realizando uma promoção. temos: 80 A 80 ⋅ P+ P=P 100 100 100 A 80 20 ⋅ P= P 100 100 100 A 1 = 100 4 A = 25 Resposta: C 38 . A) 10 B) 20 C) 25 D) 30 E) 40 Solução: 80 P Preço inicial = P → com desconto = 100 14444244443 novo preço Para voltar ao preço inicial. B) é igual a I. onde: n → é a ordem da matriz A Então: det(2A) = 23 ⋅ det(A) = 8 ⋅ 5 = 40.A) = kn ⋅ det(A). então o valor de det(2A) é: A) 6 B) 11 C) 15 D) 30 E) 40 Solução: Sabemos que: det(k. então A– 1: A) não existe. C) é igual a A. oferece um desconto de 20% nos preços dos seus produtos. Resposta: E 97 Se a matriz A satisfaz A2 – 2A + I = 0. Solução: Sabemos que: A ⋅ A– 1 = A –1 ⋅ A = I Então: A2 – 2A + I = 0 → I = 2A – A2→ → I = 2AI – A2 → I = 2IA – AA → → I = (2I – A) ⋅ A → A–1 = 2I – A Resposta: E 98 Uma loja. Determine o valor de A. E) é igual a 2I – A.

encontramos como interseção o ponto (5. Se tg α = 2.40. m. 11 Solução: Se tgα =2. Se A) 9 Solução: B) 11 C) 13 1 1 11 .π[ e: 2 A) crescente B) decrescente C) constante Solução: Esboço do gráfico de sen x no de [0. 120. isto é. 0) é igual a d= (5-0) +(12 − 0) = 169 = 13. 12) ao ponto (0.4 → tgα = 24 → tgα = 12 cateto oposto = 12k e cateto adjacente = 5k → hipotenusa = 13k. q) = 1. Assim. a 2 2 distância do ponto (5. então p + q é igual a: + = p q 30 D) 15 E) 17 1 1 11 q + p 11 + = ⇒ = p q 30 pq 30 Como p e q são inteiros positivos consecutivos.50 B) 80. acenam com um desconto. 60.c. Assim. 12).33% (aproximadamente) 100 3 Matemática 39 . II) Se 1 é p% de 3 → 1 = Resposta: E P 100 ⋅3 →P = ou P = 33.2π] y decrescente D) nula E) negativa 0 x Resposta: B 101 Um dos ângulos de um triângulo retângulo é α. comuns no comércio.d. de: A) 50 % 3 B) 20% C) 25% D) 30% E) 100 % 3 Solução: Observe: I) Quem leva 3 e paga 2 está comprando 3 e tendo um desconto de 1. os lados desse triângulo são proporcionais a: A) 30. 370 D) 50. p + q = 11 Resposta: B 100 O gráfico da função f(x) = sen x no intervalo [ π . sobre cada unidade vendida. 130 E) 61. 10 5 Tomando k =10 → lados: 50. p = 5 e q = 6 ou p = 6 e q = 5.Professor: Fabrício Maia 99 Sejam p e q números inteiros positivos e consecutivos. então p e q são primos entre si. Resposta: A 103 As promoções do tipo “leve 3 pague 2”.120 e 130 Resposta: D 102 A distância do ponto de interseção das retas 2x – 3y + 26 = 0 e 5x + 2y – 49 = 0 à origem é: A) 13 B) 23 C) 15 D) 18 E) 17 Solução: Resolvendo o sistema formado pelas equações acima.170 C) 120. Portanto. (p. 350.4 .150.

II) Se p não é múltiplo de 3 → p – 1 ou p + 1 será um múltiplo de 3. o triângulo de área máxima tem área igual a Veja figura: D E F B) πr2 C) R2 D) R2 2 E) 2πr2 2R ⋅ R = R2 . 2 C A GH O I B ˆ ˆ ˆ ˆ Os ângulos ACB. onde R é o raio. concluímos: O produto (p – 1) ⋅ (p + 1) = p2 – 1 é um múltiplo de 24. então cos 72º vale: 2 A) 1+ 5 2 B) 5 −1 4 C) 5 −1 2 D) 1− 5 2 E) 1− 5 4 Solução: Sabemos que: cos2x = 2cos2 x – 1 (arco duplo) Tomando x = 36º. então y é igual a: A) – cos12º B) – cos60º C) – cos30º D) cos12º E) cos60º Solução: Sabemos que: se a + b = 180º.Professor: Fabrício Maia Matemática 104 Sabendo que cos 36º = 1+ 5 . logo (p – 1) ⋅ (p + 1) é múltiplo de 3. De (I) e (II). Logo. pois O é o centro. encontramos: 2280º = 120º + 6. III) De todas as alturas relativas à hipotenusa AB. a maior é EO = R. encontramos: ⎛ 1+ 5 ⎞ 5 −1 cos72º = 2cos236º – 1 → cos72º = 2 ⋅ ⎜ ⎜ 4 ⎟ − 1 → cos72º = 4 ⎟ ⎝ ⎠ 2 Resposta: B 105 Se y = cos2280º.AEB e AFB são retos. 2 II) Tome AB como base → base = 2R (diâmetro). logo (p – 1) ⋅ (p + 1) é múltiplo de 8.360º Assim: cos 2280º = cos 120º = – cos 60º Resposta: B 106 A área máxima da região limitada por um triângulo retângulo inscrito em um círculo de raio R é: A) 2R2 Solução: I) A área de um triângulo é igual a base x altura .ADB. então p2 – 1 é divisível por: A) 18 B) 24 C) 36 D) 9 E) 27 Solução: É fácil ver que: I) Se p não é múltiplo de 2 → p – 1 e p + 1 são pares consecutivos. não divisível por 2 e nem por 3. Resposta: B 40 . então sen a = sen b e cos a = – cos b Dividindo 2280º por 360º. Resposta: C 107 Se p é natural maior que 1.

n a1 ⋅ a2 ⋅ a3 ⋅ ... A fração do percurso que ele correu em 2M minutos. então senx é igual a: A) 1 1 ou 2 8 B) ± 1 2 C) 1 1 ou 4 12 D) 0 E) − 1 1 ou 2 4 Solução: Temos: 10tgx + 16cosx – 17secx = 0 → 10 ⋅ senx 1 + 16cos x – 17 ⋅ = 0 → 10senx + 16cos2x – 17 = 0 cos x cos x → 10senx + 16 ⋅ (1 – sen2x) – 17 = 0 → 16sen2x – 10senx + 1 = 0 1 1 ou senx = 2 8 → senx = Resposta: A 111 Um atleta. + an e Média geométrica = n Relação importante entre as duas médias: M ⋅ A ≥ M ⋅ G Daí. o maior valor para ab é 75. foi: 1 2 1 6 1 15 1 30 1 20 A) B) C) D) E) Solução: Temos que: M horas = M ⋅ 60 minutos Veja: Se M ⋅ 60 minutos = P (percurso completo) → 2 ⋅ M minutos = Resposta: D 41 P (fração do percurso) 30 Matemática . que ao ser dividido por 9 deixa resto 5. então: Média aritmética = a1 + a2 + a3 + . vem: x −5 x −2 + = 9 → x = 23 9 3 Resposta: E 110 Se 10tgx + 16cosx – 17secx = 0. onde b é o quociente da divisao de x por 3. x = 3b + 2. Como a soma dos quocientes é 9. Solução: Sabemos que: Se a1.. podemos afirmar que x e igual a: A) 28 B) 35 C) 27 D) 33 E) 23 Solução: Temos que: x = 9a + 5. correndo com velocidade constante....an a + 3b 30 ≥ a ⋅ 3b → ≥ 3ab → 15 ≥ 3ab → 225 ≥ 3ab → ab ≤ 75 2 2 Portanto. onde a é o quociente da divisão de x por 9. Determine qual é o maior valor possível para ab. Sabendo que a soma dos quocientes é 9. Resposta: 75 109 Seja x um número natural. e ao ser dividido por 3 deixa resto 2.Professor: Fabrício Maia 108 Sejam a e b números reais positivos tais que a + 3b = 30. a2. a3. . completou a maratona em M horas. an são números reais positivos..

a + 13. 42 . . cujas medidas na planta são 12cm e 14cm. . 202 E) 26 (a1 +an ) ⋅ n (soma dos termos de uma P.. com o número N só tem fatores ímpares.. calcule o valor de A) 22 Solução: Sabemos que: (I) a2 – b2 = (a – b) ⋅ (a + b) e (II) Sn = B) 23 C) 24 D) 25 R . é: A) 24 B) 26 C) 28 D) 42 E) 54 Solução: Sabemos que escala é a razão entre o comprimento no desenho e o comprimento real. ≤ n ≤ 3. em m2. + 982 – 992 + 1002. Então a área real.) 2 Veja: R = (22 – 12) + (42 – 32) + (62 – 52)+ . (a. determine o valor de a. .25 → = 25. + (100 – 99) ⋅ (100 + 99) R = 3 + 7 + 11 + .5. . então: x – y vale com x e y positivos: 7 3 A) 12 B) 4 C) 9 D) 30 Solução: E) 21 x y = = k → x = 7k e y = 3k 7 3 Daí: 7k ⋅ 3k = 189 → 21k2 = 189 → k2 = 9 → k = 3 Para: k = 3 → x = 21 e y = 9 Temos: Portanto: x – y = 12 Resposta: A 116 A planta de um apartamento está confeccionada na escala 1:50. → n = 3 → a = 48 – 13 ⋅ 3 → a = 9. . A) 5 B) 6 C) 7 D) 8 E) 9 Solução: Temos: P.Professor: Fabrício Maia Matemática 112 Sendo R = 02 – 12 + 22 – 32 + 42 – 52 + .. Resposta: E 114 O algarismo das unidades do número N = 1. . ..) Usando a fórmula do termo geral. Se um dos termos da progressão é 35.. encontramos: an = a1 + (n – 1) ⋅ r → 35 = a + (n – 1) ⋅ 13 → 35 = a + 13n – 13 → a = 48 – 13n → 0 ≤ 48 –13n ≤ 10 → – 48 ≤ –13n ≤ –38 → 48 ≥13n ≥ 38 → 2..... + (1002 – 992) R = (2 – 1) ⋅ (2 + 1) + (4 – 3) ⋅ (4 + 3) + (6 – 5) ⋅ (6 + 5) + . 35. Resposta: C 115 Se x y = e x ⋅ y = 189. de uma sala retangular. seu algarismo das unidades é 5. + 199 R= (3 + 199) ⋅ 50 R = 202.7.A..3........ a + 39. 2 202 Resposta: D 113 O primeiro termo a de uma progressão aritmética de razão 13 satisfaz 0 ≤ a ≤ 10. logo. 1993 é: A) 1 B) 3 C) 5 D) 7 E) 9 Solução: Note que o produto de qualquer número ímpar por 5 sempre termina em 5. medidos na mesma unidade.. a + 26.A.

Solução: C b A m H a n B c m ˆ ˆ cos A = → m = bcos A b ˆ n ˆ cosB = → n = acosB a ˆ ˆ ˆ ˆ logo. + 172 B) 17 D) 1 + 2 + 3 + . 118 Considerem-se todas as divisões de números inteiros positivos por 17.. A soma dos quocientes dessas divisões é: A) 10 C) 172 E) 12 + 22 + 32 + .. 1.. 4 1 4 Resposta: Matemática 43 . Veja: (I) Possíveis restos de uma divisão por 17 são: 0. Resposta: D ˆ ˆ 117 Prove que todo triângulo ABC vale a relação: c = a ⋅ cosB + b ⋅ cos A. devemos ter: r = 0 → q = 0 (não sastisfaz) r=1→q=1 r=4→q=2 r=9→q=3 r = 16 → q = 4 Logo. Resposta: A 119 Determine o valor do produto P = cos36º ⋅ cos72º.. (OK) ˆ ˆ Obs: Sendo A ou B obtuso. chegamos com raciocínio análogo ao mesmo resultado. cujo resto é igual ao quadrado do quociente. 2. a área da sala será de 6m x 7m = 42m2.. pois sen36º = sen144º (suplementares) →P= 1 . a soma dos quocientes é 10. m + n = bcos A + acosB → c = acosB + bcos A. 3 ..Professor: Fabrício Maia Daí: 1 12 = → x = 600cm → x = 6m 50 x 1 14 = → y = 700cm → y = 7m 50 x Logo.. 16 (II) Como r tem que ser um quadrado perfeito. . Solução: Sabemos que sen2x = 2senxcosx → 2sen36º ⋅ P = 2sen36º ⋅ cos36ºcos72º → 2sen36º ⋅ P = sen72ºcos72º→ → 4sen36º ⋅ P = 2sen72ºcos72º → 4sen36º ⋅ P = sen144º → 4 ⋅ P = 1. + 17 Solução: Temos que: n dividido por 17 tem quociente q ≠ 0 e resto r com r = q2.

Portanto. o valor de e e +e 1 4 B) 0 C) D) 1 E) e 3 122 Seja f(x) = A) – 1 Solução: Como g é a inversa de f. Se g for a função inversa de f. temos: g( 7 7 7 ex − e − x ) = f −1( ) → = → 7 ⋅ ex + 7 ⋅ e–x = 25 ⋅ ex – 25 ⋅ e–x → – 18 ⋅ ex = – 32 ⋅ e– x → 25 25 25 ex + e− x g( ) 16 4 4 → ex = → e 25 = . Se cosA = A) 3 .Professor: Fabrício Maia Matemática 120 Sejam f(x) = Solução: ⎛ 1 ⎞ 1 . x > 1 e g uma função tal que (gof)(x) = x. Determine o valor de g ⎜ ⎟ . 9 3 3 7 → e2x = Resposta: E 123 A média aritmética dos ângulos internos de um eneágono convexo vale: A) 40º B) 70º C) 120º D) 135º Solução: Sabemos que a soma dos ângulos internos de um polígono convexo é dada pela fórmula S = (n – 2) ⋅ 180º. Daí. o comprimento do lado BC é igual a: 5 E) 2R 5 B) 3R 5 C) 4R 5 D) 6R 5 8R 5 Solução: Temos que: 4 ˆ ˆ 3 ˆ cos A = ( A é agudo) → sen A = 5 5 Lei dos senos a b c BC 4 8R ˆ = = = 2R → = 2R → BC = 2R ⋅ senA → BC = 2R ⋅ → BC = ˆ senB senC ˆ ˆ ˆ senA senA 5 5 Resposta: E ⎛ 7 ⎞ g⎜ ⎟ e x − e− x ⎝ 25 ⎠ será: x − x definida em R. a soma dos ângulos internos de um eneágono convexo é igual a S = (9 – 2) ⋅ 180º = 7. 9 44 . ⎝ 64 ⎠ x −1 ⎛ 1 ⎞ g(f(x)) = x → g ⎜ ⎟ =x ⎝ x −1⎠ Veja: se ⎛ 1 ⎞ 1 1 = → x – 1 = 64 → x = 65 → g ⎜ ⎟ = 65 ⎝ 64 ⎠ x − 1 64 Resposta: 65 121 O triângulo ABC está inscrito em um círculo de raio R. a média aritmética será igual a Resposta: E E) 140º 7.180º = 7 ⋅ 20º = 140º.180º.

Se f–1 é a função inversa de f. Se 15 adultos já estão no elevador. 100 Adicionando x gramas de ácido puro a solução. Resposta: B 127 Uma torneira enche um tanque em 4 horas. então o valor de f– 1(2) é igual a: A) 1 B) 2 3 C) 3 D) 0 E) 3 2 Solução: Temos: f(x) = ax + b. E) esvazia-se em 12 horas. B) esvazia-se em 1 hora. quantas crianças podem ainda entrar? A) 5 B) 6 C) 7 D) 8 E) 9 Solução: Se 20 adultos equivalem a 24 crianças → 5 adultos equivalem a 6 crianças Veja: (I) O elevador pode levar 20 adultos (II) Tem 15 adultos no elevador → faltam 5 adultos (equivalem a 6 crianças) . Então o tanque: A) nunca se esvazia. teremos: Nova solução = (48 + x) gramas Quantidade de ácido puro = (36 + x) gramas 36 + x 76 = → x = 2 gramas Assim: 48 + x 100 Resposta: 2 gramas 125 O gráfico de uma função f é o segmento de reta que une os pontos (– 3. a torneira e o ralo. encontramos: b = 2 e a = − 2 3 2 Daí. 48 = 36 gramas de ácido puro. com a ≠ 0. Estando o tanque cheio. a função f é dada por: f(x) = − x + 2 3 Veja: cálculo de f – 1(2) 2 Para y = 2 → 2 = − x + 2 → x = 0 → f – 1(2) = 0. 4) e (3.Professor: Fabrício Maia 124 Uma solução tem 75% de ácido puro. C) esvazia-se em 4 horas. D) esvazia-se em 7 horas. abrimos. Pontos: (– 3. 0). O ralo do tanque pode esvaziá-lo em 3 horas. Quantos gramas de ácido puro devemos adicionar a 48 gramas da solução para que a nova solução contenha 76% de ácido puro? Solução: Veja: Em 48 gramas de solução temos 75 . simultaneamente. Solução: Capacidade do tanque: T (I) Torneira enche T em 4 horas → em 1 hora enche T do tanque 4 (II) Ralo esvazia o tanque T em 3 horas → em 1 hora esvazia T do tanque 3 Matemática 45 . 0) Para x = – 3 → a ⋅ (– 3) + b = 4 Para x = 3 → a ⋅ 3 + b = 0 Resolvendo. 4) e (3. 3 Resposta: D 126 Um elevador pode levar 20 adultos ou 24 crianças.

x x ⎠ x x x x ⎝ 2 Resposta: 7 131 O menor número natural n. = – 63 ⋅ log8 ⎜ ⎟ = −63 ⋅ log23 2 = 63 ⋅ ( − ) ⋅ log2 2 = 42 ⋅ 1 = 42 3 ⎝4⎠ Resposta: 42 129 Considere um quadrilátero convexo ABCD de área igual a 66cm2. obtemos 3888 = 24 ⋅ 35 Para formar um cubo perfeito devemos multiplicar os dois membros no mínimo por 22 ⋅ 31. 4 (II) Seja ABCD um quadrilátero qualquer e seja MNQP o quadrilátero que tem vértices nos pontos médios dos triângulo ABC. Determine. 12 T T 3T − 4T T − = =− . determine o valor de x4 + 4 . concluímos: Resposta: 33cm2 130 Se x é um número real tal que x2 + Solução: 2 1 1 = 3 . que torna o produto de 3888 por n um cubo perfeito é: A) 6 B) 12 C) 15 D) 18 E) 24 Solução: Fatorando o número 3888. para que as potências dos números 2 e 3 sejam múltiplos de 3. Resposta: B 46 . diferente de zero. o menor número que devemos multiplicar por 3888 para obter um cubo perfeito é 12. 2 x x 1 1 1 1 1 ⎛ 2 1⎞ 2 4 2 4 4 Se x + 2 = 3 → ⎜ x + 2 ⎟ = 3 → x + 2 ⋅ x ⋅ 2 + 4 = 9 → x + 2 + 4 = 9 → x + 4 = 7 . temos que: Área(MNP) = lados de ABCD. o tanque esvazia-se em 12 horas. Assim. 4 3 12 12 Portanto. a área do quadrilátero cujos vértices são os pontos médios dos lados do quadrilátero ABCD. Solução: Fatos que ajudam: ÁREAS (I) Seja ABC um triângulo qualquer e seja MNP o triângulo que tem vértices nos pontos médios dos lados do Área(ABC) . o tanque em uma hora esvazia Veja: 1 de sua capacidade. então sen a = cos b e sen b = cos a (II) Sen 2a = 2sen a cos a m ⋅ loga b (III) logan bm = n 2 ⋅ sen15º ⋅ cos15º sen30º 1 = = Temos que sen15º ⋅ sen75º = sen15º ⋅ cos15º = 2 2 4 Então. a expressão vale: 2 ⎛ 1⎞ −2 Exp. em cm2. 2 Usando o resultado (II) no enunciado da questão. temos que: Área(MNQP) = Área(ABCD) .Professor: Fabrício Maia Matemática Assim. Solução: Fatos que ajudam: (I) Se a + b = 90º. Resposta: E 128 Determine o valor de – 63 ⋅ log8(sen15º ⋅ sen75º).

3720 Quantidade de inteiros que não são quadrados é igual a 3720 – 3601 + 1 = 120.. π. obtemos um novo número igual a 4 do original. Inteiros que não são quadrados perfeitos: 3601. O menor valor positivo de p... .. 2 π π π ) = sen4(x + ) + cos4(x + ) = (cosx)4 + (–senx)4 = sen4x + cos4x = f (x) (OK) 2 2 2 Obs: No ciclo trigonométrico. Tomando x = 0. para todo x no domínio da função. 2π. Resposta: C 133 O período da função f (x) = sen4x + cos4x vale: A) 2π Solução: Sabemos: Se f é periódica → f(x + p) = f(x). Invertendo a ordem dos algarismos. 2 2 B) π C) 3π 2 D) π 2 E) π 4 Agora. 3602. chamamos de período de f. Qual é o número? 7 Solução: * Número original: ab = a ⋅ 10 + b (forma polinomial) * Invertendo os algarismos obtemos um novo número: ba = b ⋅ 10 + a (forma polinomial) Matemática 47 132 Quantos números inteiros há entre 602 e 612que não são quadrados perfeitos? A) 118 B) 119 C) 120 D) 121 . * Se cosp = 0 → p = π 3π ... encontramos: f (p) = f (0) → sen4p + cos4p = sen40 + cos40 → sen4p + cos4p = 1 → (sen2p + cos2p)2 – 2sen2p ⋅ cos2p = 1 → 1 – 2sen2pcos2p =1 → 2sen2p cos2p = 0 → senp = 0 ou cosp = 0.Professor: Fabrício Maia E) 122 Solução: Veja: 602 e 612 são quadrados perfeitos consecutivos. * Se senp = 0 → p = 0. qualquer inteiro entre eles não é quadrado perfeito. encontramos facilmente: sen(x + π π ) = cosx e cos(x + ) = – senx (verifique!) 2 2 3 134 O conjunto solução da equação x ⋅ (log53x + log521) + log5( )x = 0 é igual a: 7 A) { } B) {0} C) {1} D) {0. . 2} E) {0. 3603. cuja soma é 9.. Resposta: E 135 Um número é composto de 2 algarismos. para todo x no domínio da função. .. devemos verificar se p = Veja: f(x + p) = f(x + Resposta: D π satisfaz a condição f(x + p) = f(x). então. – 2} Solução: Temos que: 3 3 3 x ⋅ (log53x + log521) + log5( )x = 0 → x ⋅ log5(3x ⋅ 21) + log5( )x = 0 → log5(3x ⋅ 21)x + log5( )x = 0 7 7 7 3 3 3 → log5[(3x ⋅ 21)x ⋅ ( )x] = 0 → (3x ⋅ 21)x ⋅ ( )x = 1 → (3x ⋅ 21 ⋅ )x = 1 → (3x ⋅ 3 ⋅ 3)x = 1 → 7 7 7 → (3x + 2)x = 1 → 3x 2 +2x = 1 → x2 + 2x = 0 → x = – 2 ou x = 0.

a equação não possui solução. (II) 3sen x assume no máximo o valor 3. Resposta: D 138 Quantas soluções reais e distintas possui a equação x2+ 9 = 3senx? A) 0 B) 1 C) 2 D) 3 Solução: Observe: (I) x2 + 9 é sempre maior ou igual a 9. teremos: a + b = 9 → 2b + b = 9 → 3b = 9 → b = 3 → a = 6 Resposta: 63 136 A distância entre dois lados paralelos de um hexágono regular é igual a 2 3 cm.Professor: Fabrício Maia Matemática Equações do problema: a + b = 9 e b ⋅ 10 + a = 4 ⋅ (a ⋅ 10 + b) 7 Segunda equação: 70b + 7a = 40a + 4b → 66b = 33a → a = 2b Substituindo na primeira equação.5 D) 3 E) 4 Solução: Veja: (I) BF = 2 3 . (III) A igualdade não ocorre para nenhum valor real de x. em centímetros. teremos: (2 3)2 = x 2 + x 2 − 2 ⋅ x ⋅ x ⋅ cos120º → 12 = 2x 2 + x 2 → x = 2 C D E Resposta: B 137 Qualquer que seja x. Então. Logo. o valor de sen6x + cos6x + 3sen2xcos2 é: A) 0 B) sen2x C) cos2x D) 1 Solução: Lembre: produto notável → (a + b)3 = a3 + b3 + 3ab(a + b) Temos que: sen2x + cos2x = 1→ (sen2x + cos2x)3 = 13 → sen6x + cos6x + 3sen2xcos2x(sen2x + cos2x) = 1 → sen6x + cos6x + 3sen2xcos2x ⋅ 1= 1 → sen6x + cos6x + 3sen2xcos2x = 1. Resposta: A 139 O resto da divisão de P(x) = x5 + 4x4 + 2x3 + x2 + x –1 por q(x) = x + 2 é: A) 17 B) 15 C) 0 D) – 15 Solução: Veja: (I) – 2 é raiz de q(x) (II) P(–2) é o resto da divisão de P(x) por q(x). para todo x real. A medida do lado desse hexágono. pelo Teorema do resto. encontramos: resto = P(– 2) = – 32 + 64 – 16 + 4 – 2 – 1 = 17 Resposta: A E) senx ⋅ cosx E) infinitas E) – 17 48 . pois BC//FE 360º = 60º → ai = 120º (II) ae = 6 Aplicando a lei dos cossenos no triângulo ABF. é: A) 3 B) 2 C) 2.

um número positivo adicionado ao seu inverso é sempre maior ou igual a 2. tem-se: n2 + 1 1 ≥ 2 ⇔ n+ ≥ 2 n n Portanto. para 0 < x < A) 0 B) 1 C) π é igual a: 2 2 D) 2 E) 3 Solução: Sabemos que (n – 1)2 ≥ 0. Resposta: D Anotações Matemática 49 .Professor: Fabrício Maia 140 O valor mínimo de cosx + secx. ∀n ∈ 1 Então: n2 – 2n + 1 ≥ 0 → n2 + 1 ≥ 2n Considerando n positivo.

Professor: Fabrício Maia Matemática 04698/06-TP© 02/06/06 50 .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful