You are on page 1of 3

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO NOTA

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS


CURSO: BACHARELADO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA
DISCIPLINA: LABORATÓRIO DE ELETRICIDADE E MAGNETISMO
EXPERIMENTO 2: PROCESSOS DE ELETRIZAÇÃO - GERADOR DE VAN DER GRAAFF
PROFESSOR:
⃝ GEOVANI F. BARBOSA DATA: ____/____/_____
⃝ JÚLIO CÉSAR P. BARBOSA
TURMA-HORÁRIO: ⃝ T1-4T45 ⃝ T2-4M34 ⃝ T3-3M34 ⃝ T4-3N12 ⃝ T5-4N12 ⃝ T6-4T23 ⃝ T7-5N12
OBS: ASSINAR EM ORDEM ALFABÉTICA

1-__________________________________________________________________________________

2-__________________________________________________________________________________

ALUNOS(AS): 3-__________________________________________________________________________________

4-__________________________________________________________________________________

5-__________________________________________________________________________________

1 – OBJETIVOS: Descrever a produção de cargas elétricas num gerador de Van de Graaff, o


funcionamento do eletroscópio de folhas, o torniquete elétrico em função do poder das pontas, a ionização das
moléculas e estudo do pára-raios. Além da discussão sobre a importância da Eletrostática na Engenharia.

2 – INTRODUÇÃO:

Quando duas substâncias diferentes são atritadas, uma


cede elétrons para a outra. Um gerador de Van der Graaff com excitação por atrito
é composto por uma correia de material isolante, dois roletes, uma cúpula de
descarga, um motor, duas escovas ou pentes metálicos e uma coluna de apoio
(fig. 01). Os materiais mais usados para coluna são o acrílico ou o PVC.
Os roletes são de materiais diferentes, ao menos um deles deverá ser condutor
(como Teflon e alumínio), para que se eletrizem de forma diferente devido ao
atrito de rolamento com a correia. O motor gira os roletes, que ficam eletrizados
e atraem cargas opostas para a superfície externa da correia através das escovas.
A correia transporta essas cargas entre a terra e a cúpula. A cúpula faz com que a carga elétrica, que se localiza
no exterior dela, não gere campo elétrico sobre o rolete superior; Assim cargas continuam a ser extraídas da
correia como se estivessem indo para terra, e tensões muito altas são facilmente alcançadas. Uma forma de
estimar a carga total gerada na superfície da cúpula é através da lei de Gauss. Ela estabelece uma relação entre
o fluxo de campo elétrico através de uma superfície fechada e as cargas que estão no interior dessa superfície. O
formalismo matemático que a descreve é:

UFERSA – CCEN – Laboratório de Eletricidade e


1
Magnetismo
3 – MATERIAL • Gerador de Van de Graaff • Torniquete elétrico com pivô
UTILIZADO:
• Esfera auxiliar de descarga • Vela
• Eletrodo gancho para eletroscópio • Tachinha
• Papel Alumínio • Isqueiro

4 – PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL

OBSERVAÇÕES: Evitar contato com a esfera do gerador. Segurar a esfera auxiliar pela haste de
madeira. Quando a esfera auxiliar ficar eletrizada descarregá-la encostando-a sobre uma peça metálica.

1. Ligar o gerador e aumente lentamente a freqüência do motor. Aproxime a esfera auxiliar do gerador de
Van de Graaff até que ocorra a descarga elétrica produzindo uma centelha (fig. 2A). A rigidez dielétrica
do ar tem valor Rd = 3,0 x 106 V/m. Desta forma, Rd = V/d; onde “V” é a tensão produzida pelo gerador e
“d” é a distância necessária para romper a rigidez do ar fazendo-o passar de isolante a condutor.

2. Estime a tensão produzida pelo gerador de Van de Graaff.

3. Com o gerador de Van de Graaff descarregado, coloque uma faixa fina de papel alumínio sobre um gancho
conectado ao mesmo como mostrado na fig. 2B. Ligue o gerador e observe, registre e explique o ocorrido
baseando-se nas leis da eletrostática, enunciando-as.
4. Conecte uma tachinha (poderá ser um objeto condutor pontiagudo) sobre a cúpula do
gerador de Van de Graaff. Aproxime a esfera auxiliar da tachinha sem entrar em contato (fig. 2C).

a. Comentar e explicar o observado.


b. Aproxime a esfera auxiliar sobre várias regiões da cúpula (considere os pontos que estão afastados da
tachinha). Comentar e explicar o observado.

c. Que relação tem esse experimento com um pára-raios?

5. Com o gerador descarregado, instale o torniquete sobre a cúpula (fig. 2D). Ligue o gerador, observe, registre e
explique o ocorrido, baseando-se no poder das pontas.

6. Carregue o gerador de Van de Graaff, como mostrado na fig. 2E, acenda

UFERSA – CCEN – Laboratório de Eletricidade e


2
Magnetismo
uma vela e aproxime do gerador (não encoste a chama na cúpula). Observe, registre e explique o ocorrido.

7. Admitindo que a cúpula do gerador de Van de Graaff é uma esfera metálica perfeita e que o campo
elétrico gerado é uniformemente distribuído, determine a carga elétrica na superfície da cúpula e no seu
interior medindo o raio da cúpula e utilizando a lei de Gauss.

CONCLUSÕES:

Sugestão: A conclusão deve possuir comentários sobre os resultados experimentais, sugestão de melhorias para o experimento e aplicações na Engenharia.

REFERÊNCIAS: HALLIDAY, D. Fundamentos de Física, v3: Eletromagnetismo/ Halliday, Resnick, Jean


Walker; tradução e revisão técnica Ronaldo Sérgio de Biasi - Rio de Janeiro: LTC 2010.

UFERSA – CCEN – Laboratório de Eletricidade e


3
Magnetismo