You are on page 1of 46

Exercícios resolvidos Força elástica

01 – (UFG) Para proteção e conforto, os tênis modernos são


equipados com amortecedores constituídos de molas. Um
determinado modelo, que possui três molas idênticas, sofre uma
deformação de 4 mm ao ser calçado por uma pessoa de 84 kg.
Considerando-se que essa pessoa permaneça parada, a
constante elástica de uma das molas será, em kN/m, de
a) 35,0
b) 70,0
c) 105,0
d) 157,5
e) 210,0
Quando a pessoa calça o tênis transforma energia gravitacional
em energia elástica. No exercício é citado que o tênis possui 6
molas no total, 3 em cada pé. A força peso total exercida sobre
as molas é:

A força peso total é de 840N. Dividindo a força peso


total pela quantidade de molas temos a força peso aplicada
sobre cada mola, o que faz ela sofrer a deformação. Portanto, a
força peso aplicada sobre a mola é igual força elástica
necessária para deformar a mola.

02 – (UPE) Um corpo de massa m está suspenso por duas molas


ideais, paralelas, com constantes elásticas k e deformadas de
d. Sabendo que o sistema se encontra em equilíbrio, assinale a
alternativa que expressa k. Dado: Considere a aceleração da
gravidade g.
a) 2mg/d
b) mg/d
c) mg/2d
d) 2d/mg
e) mg
Analisando o exercício temos a força peso P puxando as molas
para baixo e duas molas exercendo força elástica para cima.
Como é mantido o equilíbrio, então a força peso é igual à soma
da força elástico das molas.

03 – Uma mola tem constante elástica K=4,0kN/m. Quando ela


for comprimida em 50cm, qual será a força elástica?
Esse exercício é bem simples, mas é preciso prestar atenção
para a unidade de medida. A constante elástica esta em ‘m’ e a
compressão da mola está em ‘cm’. Nesse caso vamos passar
‘cm’ para ‘m’ e depois basta aplicar a fórmula da força elástica:

04 – Calcule a força elástica necessária para comprimir 30cm


de uma mola cuja constante elástica é K=1,2kN/m.
Novamente um exercício de fixação da fórmula da força
elástica. Assim como no exercício anterior vamos igualar as
unidade de medida, passando os 30cm para metros. Feito isso
aplicamos a fórmula da força elástica:

5 – Uma pessoa com massa de 80Kg está sobre uma plataforma


cuja base é formada por 4 molas idênticas. Calcule a constante
elástica das molas, sabendo que as molas sofreram deformação
de 2cm.
O primeiro passo para resolver esse exercício é calcular a força
peso sobre a plataforma. Feito isso, vamos dividir essa força por
quatro, que é a quantidade de molas, ou seja, são quatro molas
que exercem força elástica em direção oposta a força peso. A
soma das quatro forças elásticas é igual a força peso.

Agora vamos calcular a força elástica de cada mola:

Por último, aplicamos a fórmula da força elástico isolando a


constante elástica. Lembre-se de passar a deformação da mola
de centímetros para metros. Para isso, basta dividir por 100.

Lista de 8 exercícios Força Elástica -


Física

Questão 1
(UNICAP) Assinale as afirmativas verdadeiras e as afirmativas falsas.

0) As molas são distendidas uniformemente por forças que variam com a distância.

1) A expressão da força que distende a mola de constante K é F = Kx, onde x é o


alongamento da mola.

2) A mola do item anterior reage sempre com força F' = -Kx, onde x é o alongamento da
mola.
3) Os dinamômetros são equipamentos destinados a medir forças.

4) Nos sistemas conservativos, a energia mecânica é conservada.

Questão 2 (UNICAP) Um bloco de massa M se desloca num plano horizontal. No instante


t = 0 s, sua velocidade é 10 m/s e, 2 s após, com a velocidade de 8 m/s, ele toca a
extremidade livre de uma mola, disposta horizontalmente e ao longo de sua trajetória,
comprimindo-a até parar. Assinale as afirmativas verdadeiras e as afirmativas falsas.

0) Antes de tocar a mola, a energia cinética está diminuindo.

2
1) A aceleração, devido ao atrito, foi de - 1,0m/s .

2) Suponha que a mola comprimida se distenda novamente. A massa de desligará da mola


quando sua velocidade tiver novamente módulo igual a 8 m/s.

3) O sistema mola-massa acumulou energia potencial máxima em quantidade igual à


energia cinética de M, no instante t = 2 s.

4) O coeficiente de atrito entre M e o plano é 0,1.

Questão 3 (UNICAP) Um corpo de Massa "m" cai sobre uma mola de constante
elástica K (fig. Abaixo), comprimindo-a até que ele chegue ao repouso. A velocidade máxima
alcançada por "m" ocorre quando. Assinale as afirmativas verdadeiras e as afirmativas
falsas.

0) "m" toca a mola,

1) a deformação da mola vale 2mg/k,

2) a deformação da mola vale mg/k,


3) a deformação da mola vale metade da deformação máxima,

4) a deformação da mola vale .

Questão 4 (UNICAP) Um bloco, preso a uma mola, oscila sem atrito, entre os pontos P e P',
conforme a figura. (Utilize esta informação para responder às três primeiras proposições
dessa questão.) Assinale as afirmativas verdadeiras e as afirmativas falsas.

0) O período é o tempo necessário para o bloco deslocar-se de P até P'.

1) A amplitude do movimento é a distância entre os pontos P e P'.

2) A freqüência, que é o número de vibrações completas que o corpo efetua por unidade de
tempo, não se altera com o aumento da distância entre os pontos P e P'.

3) Para facilitar a formação das correntes de convecção, as prateleiras de uma geladeira não
devem ser feitas de chapas inteiriças.

4) A formação de sombras é uma comprovação do princípio da propagação retilínea da luz.

Questão 5 (UFPE) Um objeto de massa M = 0,5 kg, apoiado sobre uma superfície horizontal
sem atrito, está preso a uma mola cuja constante de força elástica é K = 50 N / m. O objeto
é puxado por 10cm e então solto, passando a oscilar em relação à posição de equilíbrio. Qual
a velocidade máxima do objeto, em m / s?
a) 0,5

b) 1,0

c) 2,0

d) 5,0

e) 7,0

Questão 6 (UNICAP) A massa de 1 Kg, presa à extremidade de uma mola, descreve, num
plano horizontal, sem atrito, um MCU de raio 0,5 m, com velocidade de módulo 10 m/s.
Assinale as afirmativas verdadeiras e as afirmativas falsas.

0) A mola aplica à massa a força de módulo constante igual a 200 N.

1) Se, ao atingir o repouso, a distância da massa ao eixo de rotação é 0,4 m, a constante de


força da mola é 2000 N/m.

2) Se a energia térmica, cedida a um corpo, somente aumentou sua temperatura, então o


corpo não mudou de estado físico.

3) Se uma substância recebe energia térmica e não apresenta variação de temperatura,


concluímos que ela está sofrendo mudança de estado físico.

4) Calor latente provoca o mesmo efeito que calor sensível.

Questão 7 (UFPE) Considere o sistema massa-mola da figura, onde m = 0,2Kg e k =


8,0N/m. O bloco é largado de uma distância igual a 0,3m da sua posição de equilíbrio
retornando a ela com velocidade exatamente zero, portanto sem ultrapassar sequer uma vez
a posição de equilíbrio. Nestas condições, o coeficiente de atrito cinético entre o bloco e a
superfície horizontal é:
a) 1,0

b) 0,6

c) 0,5

d)0,707

e) 0,2

Questão 8 (UFCE) Uma partícula, de massa m, movendo-se num plano horizontal, sem
atrito, é presa a um sistema de molas de quatro maneiras distintas, mostradas abaixo.

Com relação às freqüências de oscilação da partícula, assinale a alternativa correta.

a) As freqüências nos casos II e IV são iguais.

b) As freqüências nos casos III e IV são iguais.

c) A maior freqüência acontece no caso II.

d) A maior freqüência acontece no caso I.

e) A menor freqüência acontece no caso IV.


Gabarito:
1-vvvvv 2-vvffv 3-ffvff 4-ffvvv 5-b 6-vvvvf 7-b 8-b

 Questão 1
(UEG) Em um experimento que valida a conservação da
energia mecânica, um objeto de 4,0 kg colide
horizontalmente com uma mola relaxada, de constante
elástica de 100 N/m. Esse choque a comprime 1,6 cm. Qual
é a velocidade, em m/s, desse objeto antes de se chocar
com a mola?
a) 0,02
b) 0,40
c) 0,08
d) 0,13
ver resposta

 Questão 2
(Acafe – SC) Após uma cirurgia no ombro comumente o
médico indica exercícios fisioterápicos para o
fortalecimento dos músculos. Esses, por sua vez, podem
ser realizados com auxílio de alguns equipamentos, como
bolas, pesos e elásticos. Considere um exercício realizado
com a ajuda do elástico em que o paciente deve puxá-lo
até seu corpo e depois soltá-lo lentamente. A figura abaixo
ilustra a posição do paciente.
Considerando o exposto, assinale a alternativa correta que
completa as lacunas das frases a seguir.
Quando o paciente puxa o elástico, fornece energia para
ele, que a armazena na forma de ___________. A força
aplicada pelo elástico na mão do paciente é uma força
__________ e __________.
a) energia potencial elástica - constante - conservativa.
b) energia potencial gravitacional - constante - não
conservativa.
c) energia potencial elástica - variável - conservativa.
d) energia potencial gravitacional - variável - não
conservativa.
ver resposta

 Questão 3

Um objeto de massa m está posicionado a uma altura de


200 m. Ao ser abandonado, o objeto atinge e deforma uma
mola colocada no solo. Sabendo que o peso do objeto
corresponde ao quadrado da deformação x sofrida pela
mola, determine a constante elástica da mola em Newtons
por metro (N/m).
a) 400
b) 500
c) 250
d) 150
e) 100
ver resposta

 Questão 4

As afirmações a seguir tratam das características de


materiais elásticos.
I – A constante elástica indica a dificuldade imposta pela
mola à deformação.
II – A energia potencial elástica é inversamente
proporcional à constante elástica da mola.
III – A energia potencial elástica é diretamente
proporcional ao produto da constante elástica pelo
quadrado da deformação sofrida pelo material.
IV – Uma mola de constante elástica igual a 150 N/m pode
ser deformada com mais facilidade que outra mola com
constante igual a 250 N/m.
A respeito das afirmações acima, podemos dizer que:
a) I, II e III são verdadeiras
b) II, III e IV são verdadeiras
c) I, III e IV são verdadeiras
d) II, III e IV são falsas.
e) Todas as afirmações são verdadeiras.
ver resposta

Respostas

 Resposta Questão 1
Letra C
A energia cinética do objeto em movimento foi
transformada em energia potencial elástica. Portanto, ao
igualar as equações que determinam essas energias, a
velocidade do objeto pode ser determinada.
Dado: 1,6 cm = 1,6 . 10 – 2 m
voltar a questão

 Resposta Questão 2
Letra C
A energia armazenada em um elástico é a energia
potencial elástica. A força elástica aplicada sobre a mão
do paciente é variável, pois depende da deformação feita
no elástico pelo paciente. A força elástica é uma força do
tipo conservativa, pois sempre tenta levar o elástico para
sua posição original.
voltar a questão

 Resposta Questão 3
Letra A
Toda a energia potencial gravitacional, associada à altura
da objeto, foi convertida em energia potencial elástica. Ao
igualar as equações que determinam esses dois tipos de
energia, a constante elástica da mola pode ser
determinada.
O enunciado informa que o peso do objeto corresponde ao
quadrado da deformação sofrida pela mola, portanto,
podemos dizer que o produto m.g, que corresponde ao
peso, é igual a x2. A razão desses termos na equação acima
resultará em 1, logo, podemos escrever:

voltar a questão

 Resposta Questão 4
Letra C
Somente a afirmativa II é falsa. A energia potencial
elástica é diretamente proporcional à constante elástica.

Exercícios de Vestibular com Gabarito


1. (UFC) Uma partícula, de massa m, movendo-se num plano horizontal, sem atrito, é
presa a um sistema de molas de quatro maneiras distintas, mostradas abaixo.

Com relação às frequências de oscilação da partícula, assinale a alternativa correta.


a) As frequências nos casos II e IV são iguais.
b) As frequências nos casos III e IV são iguais.
c) A maior frequência acontece no caso II.
d) A maior frequência acontece no caso I.
e) A menor frequência acontece no caso IV.
Alternativa b
2. (UFPE) Considere o sistema massa-mola da figura, onde m = 0,2 Kg e k = 8,0 N/m.
O bloco é largado de uma distância igual a 0,3 m da sua posição de equilíbrio
retornando a ela com velocidade exatamente zero, portanto sem ultrapassar sequer uma
vez a posição de equilíbrio. Nestas condições, o coeficiente de atrito cinético entre o
bloco e a superfície horizontal é:
a) 1,0
b) 0,6
c) 0,5
d) 0,707
e) 0,2
VER RESPOSTA
Alternativa b
3. (UFPE) Um objeto de massa M = 0,5 kg, apoiado sobre uma superfície horizontal
sem atrito, está preso a uma mola cuja constante de força elástica é K = 50 N/m. O
objeto é puxado por 10 cm e então solto, passando a oscilar em relação à posição de
equilíbrio. Qual a velocidade máxima do objeto, em m / s?

a) 0,5
b) 1,0
c) 2,0
d) 5,0
e) 7,0
VER RESPOSTA
Alternativa b

Força Elástica Exercícios


Resolvidos-1
EX-01 (UFRJ - 2007)
Um bloco de massa 5 kg está parado sobre um plano inclinado de um ângulo de 30° com a
horizontal, preso a uma mola, de constante elástica k = 100 N/m, como mostra a figura. O atrito
entre o bloco e o plano pode ser desprezado.
a) Represente as forças que atuam na caixa e escreva quem exerce cada uma das forças.
b) Calcule a deformação da mola nessa situação.

Solução:

Calculando a deformação x da mola:


Dados: m = 5 kg; k = 100 N/m
Adotar: g = 10 m/s²

Se FM = Psen30º → k.x = m.g.1/2 → 100.x = 5.10.1/2 → x = 0,25 m →

x = 25 cm

EX-02 (UFB)
Entre dois blocos 1 e 2 de massas m1=12 kg e m2=8 kg existe uma mola ideal A. Os dois blocos
estão apoiados sobre

um plano horizontal sem atrito. O bloco 1 é puxado por uma força F constante, horizontal e
paralela ao plano por meio de outra mola ideal B, idêntica à mola A. Calcule a
relação xA/xB entre as deformações das molas A e B, depois que o sistema entrou em
movimento com aceleração constante a.
Solução:

EX-03 (UFPE 2005)


Duas molas A e B de comprimentos iguais a L, mas de constantes elásticas
diferentes ( KA = 0,2 KB ), são unidas no ponto C e alongadas até o
comprimento total 4L. Os terminais das molas são então fixados em suportes
rígidos, como mostra a figura. Determine a razão, LA/LB entre os comprimentos
das molas nessa situação

Solução:

Dados:
KA = 0,2 KB
LA + LB = 4L

Temos que:
LA = L + xA (sendo xA é a deformação da mola A)
LB = L + xB (sendo xB é a deformação da mola B)

E como o ponto C está em equilíbrio, tem-se:

KA.xA = KB.xB → 0,2KB.xA=KB.xB → xA = 5.xB (1)

LA + LB = 4L → (L + xA) + (L + xB) = 4L → 2L + xA + xB = 4L →
xA + xB = 2L (2)

(1) em (2) → 5.xB + xB = 2L → 6.xB = 2L → xB = 1.L/3

Logo, xA = 5.xB → xA = 5L/3

Portanto,

EX-04 (UFSM)
Durante os exercícios de força realizados por um corredor, é usada uma tira de
borracha presa ao seu abdome. Nos arranques, o atleta obtém os seguintes
resultados:

O máximo de força atingido pelo atleta, sabendo-se que a constante elástica da tira é de 300
N/m e que obedece à lei de Hooke, é, em N,

a) 23520 b) 17600 c) 1760 d) 840 e) 84

Solução:

Lei de Hooke: Felástico = K.∆x, portanto, a força é máxima para ∆x máximo.

Logo,

Fmax = K.∆x → Fmax = 300.0,28 = 84 → Fmax = 84 N

Resposta: alternativa e
EX-05 (Mackenzie-SP)
A mola da figura varia seu comprimento de 10cm para 22cm quando penduramos em sua
extremidade um corpo de 4N.

Determine o comprimento total dessa mola quando penduramos nela um corpo de 6N.

Solução:

A deformação da mola para carga de 4 N foi de ∆x = 22 – 10 = 12 cm.

Logo, podemos calcular a constante de mola K:

F=K.∆x → 4 = K.0,12 → K = 100/3 N/m

Portanto, a deformação para uma carga de 6 N será:

F’=K.∆x’ → 6 = 100/3. ∆x’ → ∆x’ = 0,18 m → ∆x’ = 18 cm

Logo, o comprimento total da mola é:

L = 10 + 18 = 28 cm → L = 28 cm

EX-06 (ITA-2007)
Um sistema massa-molas é constituído por molas de constantes k 1 e k2,
respectivamente, barras de massas desprezíveis e um corpo de massa m,
como mostrado na figura.
Solução:

Vamos aplicar o conceito de associação de molas:

a) 3 molas de K2 em paralelo → 3K2


b) 2 molas de K1 em paralelo → 2K1

Agora temos 3K2 em série com 2K1

Logo,

EX-07 (UFB)
Uma massa M=20/9kg, encontra-se suspensa ao conjunto de molas ilustrado na figura abaixo.
Suas constantes elásticas são k1 = k2=30N/m.

Calcule a constante elástica total equivalente do conjunto.

Solução:

Duas molas com K2 estão em paralelo → K’2 = 2.K2 = 2.30 = 60 N/m

K’2 está em série com K1, então tem-se:


EX-08 (UNICAMP)
Nas cenas dos filmes e nas ilustrações gráficas do Homem-aranha, a espessura do cabo de
teia de aranha que seria necessário para sustentá- lo é normalmente exagerada.
De fato, os fios de seda da teia de aranha são materiais extremamente resistentes e elásticos.
Para deformações ΔL relativamente pequenas, um cabo feito de teia de aranha pode ser
aproximado por uma mola de constante elástica k dada pela fórmula (K=1010 A/L), onde L é
o comprimento inicial e A é a área da seção transversal do cabo. Para os
cálculos abaixo, considere a massa do Homem-aranha M = 70 kg. Calcule a área A da seção
transversal do cabo de teia de aranha que suportaria o peso do Homem-aranha com uma
deformação de 1,0 % do comprimento inicial do cabo. (g=10m/s2).

Solução:

Dados: (Sistema Internacional – SI)


M = 70 kg
g = 10 m/s²
∆L = 1,0%L = 0,01L
K = 1010 A/L

Lei de Hooke: P = Felástico → mg = K*∆L → 70*10 = 1010*A/L*0,01L →

700 = 1010*A*0,01 → A = 7x10-6 → A = 7 μm²

EX-09
A intensidade da força elástica (F), em função das deformações (x) das molas A e B, são dadas
pelo gráfico a seguir. Quando um corpo de peso 8 N é mantido em repouso, suspenso por
essas molas, como ilustra a figura anexa; calcular a soma das deformações das molas A e B.
Solução:

Primeiramente, vamos calcular as constantes elásticas KA e KB das molas:

Do gráfico:

KA = tgθ = FA/xA = 6/3 = 2 N/cm

KB = tgθ’ = FB/xB = 4/5 = 0,8 N/cm

A constante elástica do sistema é:

Keq = KA*KB/(KA + KB) = 2*0,8/(2+0,8) = 0,57 N/cm

O corpo está em equilíbrio, portanto,

P = Fmola → m.g = Keq.∆y, onde Keq = constante elástica do sistema, ∆y = soma das
deformações.

Logo,

8 = 0,57. ∆y → ∆y ≈ 14,0351 cm → ∆y = 14 cm

EX-10
A mola da figura tem constante elástica 20 N/m e encontra-se alongada de 20
cm sob a ação do corpo A cujo peso é 5,0 N. Nessa situação de equilíbrio,
determinar a indicação da balança, graduada em Newtons.
Solução:

Desenhando todas as forças que atuam no corpo A que está em equilíbrio, tem-
se:

Onde
FB = força de reação da balança (=indicação da balança);
FM = força elástica da mola;
P = peso do corpo A

Dados:
K = 20 N/m
∆x = 20 cm = 0,20 m
P=5N

Portanto,

FB + FM = P → FB = P – FM → FB = 5 – K.0,2 → FB = 1 N

Exercícios de vestibulares com resolução


comentada sobre
Lei de Hooke e Associação de molas
01-(MACKENZIE-SP) A mola da figura varia seu
comprimento de 10cm para 22cm quando penduramos
em sua extremidade um corpo de 4N.
Determine o comprimento total dessa mola quando
penduramos nela um corpo de 6N.

02- (UNIRIO) O dinamômetro, ou balança de mola, é um


instrumento para medir força. Se graduado em
newtons, ele indica o par de forças que é exercido
sobre ele, distendendo a mola. Com a graduação em
quilogramas é que ele se tornou conhecido no tempo
do império como “balança de peixeiro”, pois o peixe
era carregado em cestas sobre burros e comercializado
pelas ruas. A figura a seguir mostra um dinamômetro
de peso desprezível, em cujas extremidades estão
aplicadas as forças indicadas.

Assinale a alternativa correta.


a) A indicação do dinamômetro no primeiro caso é
zero.
b) A leitura do dinamômetro no segundo caso é 300 N.
c) A resultante sobre o dinamômetro no primeiro caso
é 100 N.
d) A indicação do dinamômetro no primeiro caso é 100
N.
e) A leitura do dinamômetro no segundo caso é 50 N.

03-(UFSM) Durante os exercícios de força realizados


por um corredor, é usada uma tira de borracha presa
ao seu abdome. Nos arranques, o atleta obtém os
seguintes resultados:

O máximo de força atingido pelo atleta, sabendo-se


que a constante elástica da tira é de 300 N/m e que
obedece à lei de Hooke, é, em N,

04-(Ufrrj-RJ) Um bloco de massa 5 kg está parado sobre


um plano inclinado de um ângulo de 30° com a
horizontal, preso a uma mola, de constante elástica k
= 100 N/m, como mostra a figura. O atrito entre o
bloco e o plano pode ser desprezado.

a) Represente as forças que atuam na caixa e escreva


quem exerce cada uma das forças.
b) Calcule a deformação da mola nessa situação.

05-(UFB) A mola da figura está:


- em (1) no seu tamanho natural
- em (2) tracionada por uma força de 10N
- em (3) tracionada por uma força de 25N
Verifique, justificando, se ela obedece à lei de Hooke

06-(UFB) Entre dois blocos 1 e 2 de massas m1=12kg e


m2=8kg existe uma mola ideal A. Os dois blocos estão
apoiados sobre

um plano horizontal sem atrito. O bloco 1 é puxado por


uma força , constante, horizontal e paralela ao plano
por meio de outra mola ideal B, idêntica à mola A.
Calcule a relação xA/xB entre as deformações das
molas A e B, depois que o sistema entrou em
movimento com aceleração constante .

07-(UFRJ-RJ) Uma mola de constante elástica k e


comprimento natural L está presa, por uma de suas
extremidades, ao teto de um elevador e, pela outra
extremidade, a um balde vazio de massa M que pende
na vertical. Suponha que a mola seja ideal, isto é, que
tenha massa desprezível e satisfaça à lei de Hooke.

a) Calcule a elongação xo da mola supondo que tanto o


elevador quanto o balde estejam em repouso, situação
ilustrada na figura 1, em função de M, k e do módulo g
da aceleração da gravidade.
b) Considere, agora, uma situação na qual o elevador
se mova com aceleração constante para cima e o balde
esteja em repouso relativamente ao elevador. Verifica-
se que a elongação da mola é maior do que a anterior
por um valor d, como ilustra a figura 2. Calcule o
módulo da aceleração do balde em termos de k, M e d.

08-(UFG) No sistema representado na figura abaixo, as


duas molas são iguais, têm 1 m de comprimento e
estão relaxadas. Quando o fio é cortado, a esfera de
massa 5,1 kg desce 1 m até parar momentaneamente.

Dados:
√2 = 1,41
g = 10 m/s2
Calcule o valor da constante elástica k das molas.

09-(UNICAMP-SP) Sensores de dimensões muito


pequenas têm sido acoplados a circuitos
microeletrônicos. Um exemplo é um medidor de
aceleração que consiste de uma massa m presa a uma
micromola de constante elástica k. Quando o conjunto
é submetido a uma aceleração a, a micromola se
deforma, aplicando uma força F na massa (ver
diagrama a seguir). O gráfico a seguir do diagrama
mostra o módulo da força aplicada versus a
deformação de uma micromola utilizada num medidor
de aceleração.

a) Qual é a constante elástica k da micromola?


b) O medidor de aceleração foi dimensionado de forma
que essa micromola sofra uma deformação de 0,50 mm
quando a massa tem uma aceleração de módulo igual a
25 vezes o da aceleração da gravidade. Qual é o valor
da massa m ligada à micromola?

10-(UNICAMP-SP) Nas cenas dos filmes e nas


ilustrações gráficas do Homem-aranha, a espessura do
cabo de teia de aranha que seria necessário para
sustentá- lo é normalmente exagerada.

De fato, os fios de seda da teia de aranha são


materiais extremamente resistentes e elásticos. Para
deformações ΔL relativamente pequenas, um cabo
feito de teia de aranha pode ser aproximado por uma
mola de constante elástica k dada pela fórmula
(K=1010 A/L), onde L é o comprimento inicial e A a
área da seção transversal do cabo. Para os cálculos
abaixo, considere a massa do Homem-aranha M = 70
kg.
Calcule a área A da seção transversal do cabo de teia
de aranha que suportaria o peso do Homem-aranha
com uma deformação de 1,0 % do comprimento inicial
do cabo. (g=10m/s2)

11-(UFRJ-RJ) O sistema representado na figura


(carrinhos de mesma massa ligados a molas idênticas)
está inicialmente em repouso, podendo mover-se com
atrito desprezível sobre trilhos horizontais:
Aplica-se à extremidade livre da mola 3, uma força
constante, paralela aos trilhos e orientada para a
direita. Depois de as oscilações iniciais terem sido
amortecidas, o conjunto desloca-se em bloco para a
direita. Nessa situação, sendo l1, l2 e l3 os
comprimentos respectivos das molas 1, 2 e 3, assinale
a alternativa correta:

Associação de molas
12-(MACKENZIE-SP) Uma mola helicoidal de massa
desprezível está presa pela extremidade A, a uma
parede rígida e, na extremidade B, encontra-se preso
um corpo de massa m, conforme mostra a figura 1.
Quando o conjunto oscila livremente na direção da reta
horizontal AB, perpendicular à parede, constitui-se um
oscilador harmônico de período T. Se dispusermos de
duas molas idênticas à anterior e as fixarmos conforme
a figura 2, ao constituirmos um oscilador harmônico,
com a oscilação do mesmo corpo de massa m, segundo
a mesma direção AB, seu respectivo período será:

Figura
1 figura 2

13-(UFB) Uma massa M=(20/9)kg, encontra-se


suspensa ao conjunto de molas ilustrado na figura
abaixo,
Suas constantes elásticas são k1 = k2=30N/m.

Calcule a constante elástica total equivalente do


conjunto.

14-(ITA-SP) Um sistema massa-molas é constituído por


molas de constantes k1 e k2, respectivamente, barras
de massas desprezíveis e um corpo de massa m, como
mostrado na figura.

Determine a freqüência desse sistema.

15-(UFB) A mola helicoidal (figura 1), de constante


elástica k=12N/m, foi partida em 3 partes iguais. Em
seguida, essas 3 partes foram associadas em paralelo
(figura 2) e em série (figura 3).
As massas das figuras 2 e 3 são iguais e valem 100g.
Adote g=10m/s2 e determine:
a) a constante elástica de cada parte.
b) o período de oscilação do conjunto quando as três
molas estão associadas em paralelo.
c) o período de oscilação do conjunto quando as três
molas estão associadas em série.

16-(PUC-SP) Na figura abaixo, as três molas ideais 1, 2


e 3 são idênticas e possuem a mesma constante
elástica de valor 0,1N/cm e as massas também são
idênticas e de mesmo valor (10g).
Inicialmente, o conjunto está em equilíbrio e as molas
estão em seu comprimento natural (20cm cada uma).
Em seguida, retira-se o suporte S e cada mola se
distende até que o conjunto adquira novamente o
equilíbrio.

Após o novo equilíbrio, determine: (g=10m/s2)


a) deformação de cada mola.
b) o comprimento de cada mola
c) a deformação total do conjunto
17- (UFMS) Considere um sistema constituído de duas
molas de constantes elásticas K1 e K2. É correto
afirmar que
(01) a constante elástica do sistema é maior quando as
molas são associadas em série.
(02) a constante elástica do sistema é menor quando
as molas são associadas em paralelo.
(04) a elongação das molas é a mesma quando elas são
associadas em paralelo.
(08) a constante elástica do sistema é K1 + K2 quando
elas são associadas em paralelo.
(16) a força de elongação das molas é a mesma quando
elas são associadas em paralelo.

18-(UFMS-MS) A figura a seguir mostra duas massas


iguais a m, presas nas extremidades de uma mola de
constante elástica K e que obedece à lei de Hooke. Um
fio mantém esse sistema suspenso em um teto. Todo o
sistema está em equilíbrio, até que uma tesoura corta
o fio que mantém o sistema suspenso. Considere a
massa da mola desprezível, a aceleração da gravidade
uniforme e igual a g no local e assinale a(s)
proposição(ões) CORRETA(S).

01) Imediatamente após cortar o fio, a força resultante


na massa superior será de 2 mg.
02) Imediatamente após cortar o fio, as duas massas
cairão com aceleração da gravidade.
04) Enquanto o sistema estiver em equilíbrio e
suspenso pelo fio ao teto, a força aplicada pela mola
será igual a 2 mg.
08) Imediatamente após cortar o fio, a aceleração
resultante na massa superior será maior que a
aceleração resultante da massa inferior.
16) Depois de cortar o fio e enquanto o sistema cai, o
centro de massa do sistema oscilará enquanto cai em
queda livre.

19-(PUC-SP) O corpo A da figura, de peso 10N e volume


400cm3, é erguido 10cm, com velocidade

constante, por meio de um fio ideal no qual é aplicada


uma força de tração.Considerando que o corpo
permanece o tempo todo completamente imerso na
água (d=103kg/m3), o trabalho, em joules, realizado
pela força de tração indicada no dinamômetro D é de
(considere g=10m/s2).

20-(PUC-SP) A violência urbana, tanto contra a pessoa


quanto aquela realizada contra o patrimônio, tem feito
com que a população procure as mais variadas formas
de proteção. Carros blindados, contratação de
empresas privadas de segurança e eletrificação de
muros e cercas estão entre as mais comuns.
O Arame Espetante é um produto que oferece uma boa
proteção para o seu patrimônio, contra vandalismo e
roubo. Ele pode ser utilizado em empresas,
residências, edifícios e condomínios.
O que é o Arame Espetante? É um arame de aço, com
dois tratamentos contra ferrugem, encapado por uma
lâmina de aço, com pontas perfurantes e inflexíveis.
Ele pode ser facilmente instalado sobre: muro de
alvenaria, alambrado, grade, marquise ou direto no
solo.
Em formato de hélice cilíndrica (ou helicoidal), travado
em dois cabos de aço, forma uma barreira contra
invasão por vândalos e ladrões.
A idéia de um construtor é instalar, nos 20 m de
comprimento de um muro frontal de uma residência,
arame espetante de bitola (diâmetro do fio) 8 mm.
Para isso, ele utilizará arame com formato helicoidal,
cuja secção transversal apresenta diâmetro de 40 cm,
e com anéis separados por 10 cm de distância.
Instruções:
Nas respostas, lembre-se de deixar os processos de
resolução claramente expostos. Não basta escrever
apenas o resultado final. É necessário registrar os
cálculos e/ou o raciocínio utilizado.
a) Admitindo que esse produto seja vendido em caixas
cúbicas de 40 cm de arestas, desprezando as eventuais
folgas entre os anéis e supondo que eles fiquem justos
na caixa, calcule o número mínimo de caixas que
deverão ser compradas para montar uma cerca nesse
muro. Considere em sua resolução que as
extremidades do arame estão fixadas no topo do muro,
em seu início e final, não ocorrendo sobreposição nas
emendas.
b) Antes de sua fixação no topo do muro, que força
deve ser feita sobre o arame espetante de cada caixa
para esticá-lo, separando os anéis conforme o
planejado? Considere que ele se comporta como uma
mola helicoidal, de constante elástica 5 N/m, que
obedece à lei de Hooke.
21-(UFG-GO) A saltadora brasileira Fabiana Murer
terminou as olimpíadas de Pequim em décimo lugar,
após descobrir, no meio da competição, que o Comitê
Organizador dos Jogos havia perdido uma de suas
varas, a de flexibilidade 21.

Considerando que este tipo de vara se comporta com


uma mola ideal, qual é a constante em N/m da mola
ideal equivalente a uma vara de flexibilidade 21?
Dado: g = 10 m/s2
a) 9,25.10-6
b) 9,25.10-4
c) 1,081.101
d) 1,081.102
e) 1,081.103

22-(UFU-MG) O tiro com arco é um esporte olímpico


desde a realização da segunda olimpíada em Paris, no
ano de 1900. O arco é um dispositivo que converte
energia potencial elástica, armazenada quando a corda
do arco é tensionada, em energia cinética, que é
transferida para a flecha.
Num experimento, medimos a força F necessária para
tensionar o arco até uma certa distância x, obtendo os
seguintes valores:

O valor e unidades da constante elástica, k, do arco


são:

23-(ITA-SP) Sobre uma mesa sem atrito, uma bola de


massa M é presa por duas molas alinhadas, de
constante de mola k e comprimento natural ℓo, fixadas
nas extremidades da mesa. Então, a bola é deslocada a
uma distância x na direção perpendicular à linha inicial
das molas, como mostra a figura, sendo solta a seguir.

Obtenha a aceleração da bola, usando a aproximação


(1 + a)α_= 1 + a.α
a) a = – kx/M
b) a = – kx2/2M ℓo
c) a = – kx3/M ℓo
d) a = – kx3/2M ℓo
e) a = – kx3/M ℓo2

24-(UPE-PE)
Um corpo de massa m está suspenso por duas molas
ideais, paralelas, com constantes elásticas k e
deformadas de d.

Sabendo que o sistema se encontra em equilíbrio,


assinale a alternativa que expressa k.
Dado: Considere a aceleração da gravidade g.
A) 2mg/d
B) mg/d
C) mg/2d
D) 2d/mg
E) mg

25-(UFES-ES)

Um bloco de massa 0,10 kg é abandonado, a partir do


repouso, de uma altura h de 1,2 m em relação a uma
mola ideal de constante elástica 0,10 N/cm. Como é
mostrado na figura rotulada como “Depois”,
ao lado, o bloco adere à mola após o choque. No
desenho, A é o ponto de abandono do bloco, B é o
ponto de equilíbrio da mola, e C é o ponto onde há
maior compressão da mola. Despreze perdas de
energia por atrito.
A) Identifique, em um diagrama, as forças que atuam
no corpo, quando a deformação da mola é máxima.
B) Determine a velocidade do bloco imediatamente
antes de se chocar com a mola.
C) Determine o trabalho realizado sobre o bloco pela
força gravitacional entre os pontos A e B.
D) Determine a deformação máxima sofrida pela mola.

26-(UPE-PE)
27-(UFG-GO)

Para proteção e conforto, os tênis modernos são


equipados com amortecedores constituídos de molas.
Um determinado modelo,

molas. Um determinado modelo, que possui três molas


idênticas, sofre uma deformação de 4 mm ao ser
calçado por uma pessoa de 84 kg. Considerando-se que
essa pessoa permaneça parada, a constante elástica
de uma das molas será, em kN/m, de
Resolução comentada dos exercícios de
vestibulares sobre
Lei de Hooke e Associação de molas
01- A mola fica deformada de x=(22 – 10)=12cm —
x=12cm

Numa deformação de 12cm — Fe = P = 4N — Fe =


K.x — 4 =K.12 — K=1/3 N/cm
K é constante para qualquer deformação (lei de
Hooke) — para Fe=P=6N — Fe=K.x — 6=1/3.x —
x=18cm — fica deformada de 18cm e seu
comprimento será L=18 + 10 = 28cm
02- R- D – vide teoria
03- K=300N/m e é constante (obedece à lei de Hooke).
A máxima deformação da tira de borracha é de 28cm
(Dx=28cm=0,28m) —
F=K.Dx — F=300.0,28 — F=84N R-E
04- a) As forças que atuam sobre a caixa são o peso,
vertical e para baixo, a força normal, exercida pelo
plano e perpendicular a ele, e a força elástica, exercida
pela mola.
b) Como a caixa está em repouso, temos: FR=0 —
PP = Fe

m.g.sen30o = K.x — 5.10.1/2 = 100.x — x=25/100


— x=0,25m
05- Em 2 — F=Kx — 10=K.5 — K=2N/cm — em 3 —
F=Kx — 25=K.12,5 — K=2N/cm — Sim, obedece,
pois K é constante
06- Após o sistema entrar em movimento com
aceleração , as molas já se encontram deformadas de
xA e xB e a mola A sujeita à força de tração —

bloco 2 — FR=m2.a — T=8a I — bloco 1 —


FR=m1a — F – T =12a II — resolvendo I com II —
F=20a e T=8a — sendo as molas idênticas, elas
possuem a mesma constante elástica K — F=KxB —
xB=20a/K — T=KxA — 8a = KxA —
xA=8a/K — xA/xB=8a/K/K/20a — xA/xB=2/5
07- a) balde e elevador em repouso — FR=0 — P=Fe
— mg=Kxo — xo=mg/K
b) balde e elevador subindo com aceleração a —
FR=ma — Fe – P=ma — K.(xo + d) – mg=ma — a=(K.
(xo + d) – mg)/m
08- Quando o fio é cortado, a esfera desce 1m e pára
momentaneamente e, nesse instante temos o esquema
abaixo:
T – força de tração em cada uma das molas e o peso da
esfera – P=mg=5,1.10 — P=51N — aplicando
Pitágoras num dos triângulos retângulos — y2=12+
12 — y=√2=1,41m — observe que y é o comprimento
da mola na posição normal (1m) e que Δx é sua
deformação e que y=1 + Δx — 1,41=1 + Δx —
Δx=0,41m — observe também que senӨ=1/y=1/√2 —
senӨ=√2/2=1,41/2 — senӨ=0,7 — Ty=TsenӨ=0,7T —
como a esfera está em equilíbrio, P=2Ty — 51=2.0,7T
— T≈36N — T=Fe=K.Δx — 36=K.0,41 — K=87,8N/m
09- a) Fe=Kx — 0,40.10-6=K.0,40.10-6 — K=1,0N/m
b) Fe=ma — a=25.10=250m/s2 — Kx=m.250 —
1.0,5.10-6=m.250 — m=5.10-7/250=0,02.10-7
— m=9,0.10-9-kg
10- Deformação da teia quando em equilíbrio
Δx=0,01L — Δx=10-2L — no equilíbrio P=Fe —
mg=KΔx — 70.10=1010.A/L.10-2L — A=10-6m2
11- Depois das oscilações iniciais terem sido
amortecidas, as molas não se deformam mais e o
conjunto se desloca coma aceleração constante a;

Bloco 3 — l3 – l2=ma I — bloco 2 — l2 – l1=ma II


— bloco 1 — l1=ma III — III em II — l2 – ma = ma
— l2=2ma
Somando I, com II com III — I3=3ma R- C
Associação de molas
12- Período T da mola da figura 1 — T = 2p√m/k
Como as molas estão associadas em paralelo, a
constante elástica da mola equivalente, que,
substituindo as duas produz o mesmo efeito será ke =
k + k — ke =2k e seu período será T’ = 2pm/2k — T’
= 2p√m/k.1/√2.
T/T’ = √2 — T’ = T/√2 — racionalizando — T’= T√2/2
Resposta C
13- Como as duas molas de constantes k2 estão em
para, a mola equivalente terá constante ke1 =30 + 30
= 60N/m. Então teremos:

As duas molas acima estão em série, então a mola


equivalente terá constante ke, dada por: 1/ke = 1/60 +
1/30 — ke = 20N/m,
que é a constante elástica total equivalente do
conjunto.
14- As 3 molas de constantes k2 estão em paralelo e
serão substituídas por uma única mola de constante
ke1=3k2.
As duas molas de constantes k1 também estão em
paralelo e serão substituídas por um única mola de
constante ke2=2k1
Então, teremos:

A mola resultante das duas acima, que estão em série,


terá ke, tal que: 1/ke = 1/3k2 + 1/2k1 — 1/ke = 2k1 +
3k2 / 6k1.
Ke = 6k1.k2 / 2k1 + 3k2
O período desse sistema vale — T = 2p√m/6k1.k2 /
2k1 + 3k2 — T = 2p√m(2k1 + 3k2)/6k1.k2
F = 1/T = 1/2p√6k1.k2 / m(2k1 + 3k2)
15- a) A mola inteira (mola equivalente) tem constante
elástica k’=10N/m sendo que 1/k’= 1/k + 1/k +1/k, onde
k é a constante elástica de cada parte.

1/k’=3/k — 1/12 = 3/k — k =36N/m


b) Paralelo — ke=36 + 36 +36 — ke=108N/m —
T=2p√m/ke — T=2p√0,1/108 — T @ 6..10-2.p s
c) Série — ke=12N/m — T=2p√m/ke — T=2p√0,1/12
— T@ 18.10-2.p s
16- a) Peso de cada massa — P=mg — P=0,01.10 —
P=0,1N. Como as molas são ideais, suas massas são
desprezíveis.
Observe que a mola 1 está sujeita à força F=0,3N (são
as 3 massas que estão deformando-a)
F1=k1.x1 — 0,3=0,1.x1 — x1 = 3cm
A mola 2 está sujeita à F=0,2N (apenas duas massas
estão deformando-a)
F2=k2.x2 — 0,2=0,1.x2 — x2= 2cm
Mola 3 — F3=k3.x3 — 0,1=0,1.x3 — x3= 1cm
b) mola 1 – L1= 23cm
mola 2 – L2= 22cm
mola 3 – L3= 21cm
c) 6 cm
17- Soma (04 + 08) =12 Vide teoria
18- No momento em que o fio é cortado a massa mais
próxima do teto ficará, neste instante, sujeita a uma
força resultante de intensidade igual a 2P= 2mg e,
portanto, a uma aceleração descendente de 2g — o
outro corpo neste instante estará sujeito ao seu
próprio peso P=mg e logo a uma aceleração igual a g.
R- (01 + 08) = 09
19- A força de tração, o empuxo da água e o peso do
corpo estão relacionados: E + T = P — d.g.V + T = P
— T = P – d.g.V — T = 10 – 1000.10.0,0004 = 10 – 4 =
6 N — o trabalho é o produto da força pelo
deslocamento — W=6.0,1 = 0,6 J —
R- C
20- a) Para instalar os 20 m de comprimento (L), o
número n de passos de mola necessário é dado por —
L = n × a + (n + 1) e — a = separação entre os anéis
— e = diâmetro do fio (bitola) — L = comprimento do
muro — 20 = n 0,1 + (n + 1) 0,008 — 20 = 0,1n +
0,008n + 0,008 — 20 = 0,108n + 0,008 — n ≈ 20 /
0,108 — n ≈ 185 — número de voltas N — N = n + 1
= 186 — com as voltas compactadas e superpostas, a
altura total é dada por — H = N e = 186 × 0,008 m ≈
1,5 m — quantidade C de caixas necessárias — C ≥
1,5/0,4 = 3,75 — como o número de caixas deve ser
inteiro — Cmínimo = 4
b) O comprimento inicial da mola vale Lo = 1,5 m e o
comprimento final deverá ser L = 20 m — Lei de
Hooke — F = k (L – Lo) — F = 5 (20 – 1,5) N = 92,5N
— F = 92,5N
21- Dados — x = 21 cm = 0,21 m — F = P = m g =
22,7(10) = 227 N — da lei de Hooke: F = k x —
K=F/x=227/0,21 —
K=1.080,95 — K=1,081.103N/m — R- E N/m
R- E
22- Pela tabela —
K=Fe/X=160/10=320/20=480/30=16N/cm —
K=1.600N/m=1,6kN/m — R- B
23- As forças que agem sobre a bola e sua soma
vetorial estão indicadas na figura — FR=2Fecosθ —
cosθ=x/ℓ — Fe=-K(ℓ -

ℓo) — FR=-2.K. (ℓ – ℓo).x/ℓ — FR=-2K.(x – (ℓo.x)/ℓ) —


FR=-2Kx(1 – ℓo/ℓ) — FR=-2Kx(ℓo/√ (ℓo2 + x2)) — para
chegar na aproximação do enunciado — ℓo/√ (ℓo2 +
x2) = ℓo/√ (ℓo2 + x2)= ℓo/ℓo x ℓo/√ (ℓo2 + x2)=1/√(1 +
x2/ ℓo2) — FR=1/√(1 + x2/ ℓo2) ℓo/√ (ℓo2 + x2)= (1 +
x2)=(1 + x2/ ℓo2)-1/2=1 + (-1/2.x2/ ℓo2) — FR=1 + (-
1/2.x2/ ℓo2)=Ma — Ma= -2Kx{1 – (-1/2.x2/ℓo2) 1 + (-
1/2.x2/ ℓo2)} — a= -Kx3)/Mℓo2 — R- E
24-
Como o sistema está em equilíbrio as intensidades da
força P=mg e das forças elásticas Fe=k.d devem se
igualar —

P=2Fe — m.g=2.k.d — k=mg/2d — R- C.


25-

26-
I- Falsa — quando a esfera atinge a mola, sua
velocidade vai aumentando, enquanto houver
resultante para baixo (P>Fe) — a partir do instante em
que as forças peso e elástica se anulam, a força
elástica continua aumentando ficando maior que a
força peso, a resultante agora é para cima, diminuindo
a velocidade da esfera.
II. Falsa — a mola atinge sua máxima deformação
quando a velocidade da esfera é nula (ela inverte o
sentido de seu movimento e fica em repouso, para
começar a voltar) — chamando esse ponto de C e
colocando nele o nível zero de
altura, a energia mecânica nele será — EmC=mV2/2 +
m.g.h + kx2/2=m.02/2 m.g.0 + kx2/2 — EmC=kx2/2
— EmC=50x2 (I) — no ponto mais alto (A) de onde a
esfera e´abandonada (V=0), sua energia mecânica
vale — EmA=mV2/2 + m.g.h’=m.02/2 + m.g.h=1.10.(6
+ x) — EmA=60 + 10x (II) — igualando (I) com (II) —
50x2 = 60 + 10x — 5x2 – x – 6=0 — resolvendo essa
equação — x=1,2m.
III. Correta — a velocidade é máxima quando Fe=P
(veja I) — kx=mg — 100.x=1.10 — x=0,1m=10cm.
IV. Correta — a velocidade é máxima quando x=0,1m
(veja III) — chamando esse ponto de D e colocando
nele o

nível zero de altura — EmD=m(Vmáx)2/2 + k.x2/2 +


m.g.0=1.(Vmáx)2/2 + 100.(0,1)2/2 + 0 — EmD=0,5 +
0,5(Vmáx)2 (I) — em A — EmA=m.g.(h + x) +
mV2/2=1.10.(6 + 0,1) + 0 — EmA=61J (II) —
igualando (I) com (II) — 61=0,5 + 0,5(Vmáx)2 —
Vmáx=√121 — Vmáx=11m/s.
V- Correta — como o sistema é conservativo, os
atritos são desprezados e as forças são conservativas,
a velocidade com que a esfera atinge a mola é a
mesma com que ela deve retornar para atingir a
mesma altura de h=6m — conservação da energia
mecânica — A — EmA=m.g.h=1.10.6=60J — quando
atinge a mola (ponto B) sua energia mecânica será —
EmB=mV2/2=1.V2/2 — EmA = bem — 60 = V2/2 —
V=√(120)=2.(30)0,5m/s.
R- D.
27- Como cada um dos tênis tem 3 molas, a pessoa em
pé está apoiada sobre dois tênis, então você terá 6
molas associadas em paralelo — assim, cada mola
suportará uma força de — P=m.g=84.10=840N/6 —
F=140N (força suportada por cada mola, que é a força
elástica Fe) — Fe=k.x — 140=k.4.10-3 —
k=140/4.10-3 — k=35.103N/m — k=35kN/m — R- A