You are on page 1of 9

CONFERÊNCIA

I G UA P E /AQUIRAZ-CE | HOTEL DON’ANA • 19 e 20 | SETEMBRO | 2009

Estudo V Est u d o V I
A Questão Mensagem:
da Tradução Engrandeceste a Tua Palavra

Pr. Walter Campelo Pr. Harold Gilmer


Bacharel em Teologia; Pastor da Congregação Batista, Mestrado em Exposição bíblica, Pensacola Theological
em Brodowski - SP; Professor do Seminário Batista Seminary - EUA; Missionário e Pastor Batista Independente;
do Nordeste Paulista; Estudioso de Manuscritologia, Integrante da Equipe Pastoral da Igreja Batista Nova Vida,
Codicologia e da Crítica Genética e Textual. em Jardim Ingá - SP; Integrante da Diretoria da SBTB;
Integrante da diretoria da Associação Amigos de Sião.

w w w. traducaofiel . co m

“Se forem destruídos os fundamentos,


Igreja Batista
que poderá fazer o justo?” Sociedade Bíblica
Fundamentalista Salmo 11:3 Trinitariana
Cristo é Vida do Brasil
www.cristoevida.com www.biblias.com.br
A IMPORTÂNCIA DA TRADUÇÃO FIEL DAS ESCRITURAS www.traducaofiel.com

ESTUDO V

As Traduções da Bíblia
Dois problemas
Ao pensarmos em tradução enfrentamos dois problemas básicos:
- Qual o texto que será traduzido?
Como vimos é melhor traduzir a partir do Textus Receptus (TR).
- Qual será o método de tradução adotado?

Várias formas de realizar a tarefa


Existem basicamente quatro maneiras de traduzir um mesmo texto:
- Tradução Literal
- Tradução por Equivalência Formal
- Tradução por Equivalência Dinâmica
- Paráfrase

A Tradução na Prática!
Mateus 1:25

- O verso acima está conforme pode ser lido nos manuscritos do TR.
- No caso do TC há diferença, mas vamos ver isto somente depois.
____________________________________________________________________
_______________________________________________________________________
_______________________________________________________________________
Léxicos:
Dicionários de línguas clássicas antigas. Há vários léxicos do grego. Alguns dos mais
conhecidos (e usados) são:
- Strong
- Thayer
- Liddell & Scott

Como usar os números de Strong e a definição gramatical:

Esta é a palavra de número 1097 no léxico de Strong:


» aprender a conhecer, passar a conhecer, ganhar conhecimento, passar a conhecer
uma sensação, sentir.
» tornar-se conhecido
2 » conhecer, entender, perceber, saber de
» Expressão Judaica para relação sexual entre um homem e uma mulher
» Inteirar-se sobre algo, tomar conhecimento
A Questão da Tradução

É um Verbo, está no Imperfeito Ativo do Indicativo (5707).


Está na terceira pessoa do singular (3S).
Logo a tradução pode ser:
» Conhecia
» Sentia
» Tinha relações
O verso todo com os números de Strong e as definições gramaticais:

____________________________________________________________________
_______________________________________________________________________
_______________________________________________________________________
_______________________________________________________________________
_______________________________________________________________________
_______________________________________________________________________
_______________________________________________________________________
_______________________________________________________________________

Tradução Literal
É uma tradução palavra a palavra, precisamente como está no texto original:

E não tinha relações com ela, até que deu à luz o filho dela, o primogênito,
e chamou o nome dele JESUS.

Tradução por Equivalência Formal


É uma tradução que preserva cada palavra do original, mas ajustando o texto para
uma melhor leitura na língua de destino:

E não a conheceu, até que deu à luz o seu filho, o primogênito, 3


e chamou o seu nome JESUS.
A IMPORTÂNCIA DA TRADUÇÃO FIEL DAS ESCRITURAS www.traducaofiel.com

Tradução por Equivalência Dinâmica


É uma tradução na qual usa-se uma frase na língua de destino que reflita o sentido da
frase na língua de origem, mas sem a preocupação de seguir palavra por palavra:

E não teve relações com ela, enquanto não deu à luz o seu primeiro filho,
e lhe pôs o nome de JESUS.

Paráfrase
Não se trata de uma tradução propriamente. É, na verdade, um texto que representa
o entendimento (a maneira de ver) que aquele que fez a paráfrase teve do texto original:

Contudo, não teve relações com Maria, até que nasceu a sua primeira criança,
e José pôs o nome do menino de JESUS.

Comparando o resultado
Literal:
E não tinha relações com ela, até que deu à luz o filho dela, o primogênito,
e chamou o nome dele JESUS.
Equivalência Formal:
E não a conheceu, até que deu à luz o seu filho, o primogênito,
e chamou o seu nome JESUS.
Equivalência Dinâmica:
Contudo, não a conheceu, enquanto não deu à luz o seu primeiro filho,
e lhe pôs o nome de JESUS.
Paráfrase:
Contudo, não teve relações com Maria, até que nasceu a sua primeira criança,
e José pôs o nome do menino de JESUS.

4
A Questão da Tradução

TR x TC
No TC falta o texto “o primogênito”, assim todas as traduções feitas
a partir do TC não trazem este texto que mostra sem sombra de dúvidas que Maria teve
mais outros filhos após Jesus.
- A Tradução Brasileira de (1910) traz:
e não a conheceu enquanto ela não deu à luz um filho, a quem pôs o nome
de JESUS
- A Revista e Atualizada (1969) traz:
Contudo, não a conheceu, enquanto ela não deu à luz um filho, a quem pôs o
nome de Jesus
- A NVI (2000) traz:
Mas não teve relações com ela enquanto ela não deu à luz um filho.
E ele lhe pôs o nome de Jesus
____________________________________________________________________
_______________________________________________________________________
_______________________________________________________________________
_______________________________________________________________________
_______________________________________________________________________

Comparando outro verso: Colossenses 1:14


TR:

TC:

Literal:
Em quem temos a redenção através do sangue dele, a remissão dos pecados
Equivalência Formal (ACF):
Em quem temos a redenção pelo seu sangue, a saber, a remissão dos pecados
Equivalência Dinâmica (NVI):
em quem temos a redenção, a saber, o perdão dos pecados
Paráfrase (BLH):
É ele quem nos liberta, e é por meio dele que os nossos pecados são perdoados
____________________________________________________________________
_______________________________________________________________________
_______________________________________________________________________
_______________________________________________________________________
_______________________________________________________________________ 5
A IMPORTÂNCIA DA TRADUÇÃO FIEL DAS ESCRITURAS www.traducaofiel.com

Comparando mais um: I Timóteo 3:16


TR:

TC:

Literal:
E sem qualquer dúvida grande é da piedade o mistério: Deus foi manifestado em
carne, foi justificado no Espírito, visto dos anjos, proclamado aos gentios, crido
no mundo, recebido acima na glória.
Equivalência Formal (ACF):
E, sem dúvida alguma, grande é o mistério da piedade: Deus se manifestou em
carne, foi justificado no Espírito, visto dos anjos, pregado aos gentios, crido no
mundo, recebido acima na glória.
Equivalência Dinâmica (RA):
Evidentemente, grande é o mistério da piedade: Aquele que foi manifestado
na carne foi justificado em espírito, contemplado por anjos, pregado entre os
gentios, crido no mundo, recebido na glória.
Paráfrase (NTLH):
Sem nenhuma dúvida, é grandiosa a verdade revelada da nossa religião. Essa
verdade é a seguinte: “Ele se tornou um ser humano, foi aprovado pelo Espírito
de Deus, foi visto pelos anjos, foi anunciado entre as nações, foi aceito com fé
por muitos no mundo inteiro e foi levado para a glória”.

A questão dos Colchetes


“Todo o conteúdo entre colchetes é matéria da
Tradução de Almeida, que não se encontra no texto
grego adotado”.
Com esta afirmação temos que:
A SBB usou um texto grego diferente daquele que
Almeida usou.
Mas, incluiu na Bíblia alguns dos textos que não
estavam nos manuscritos que adotou.
Mas, não incluiu todos os textos faltantes, vide por
exemplo, Atos 9:5-6.

6
A Questão da Tradução

Exemplo do uso dos Colchetes: Mateus 9:13


TR:

TC:

Literal:
Ide, porém, e aprendei o que é: Misericórdia quero, e não sacrifício. Porque eu
não vim chamar os justos, mas os pecadores ao arrependimento.
Equivalência Formal (ACF):
Ide, porém, e aprendei o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifício.
Porque eu não vim a chamar os justos, mas os pecadores, ao arrependimento.
Uso dos Colchetes em Equivalência Dinâmica (RA):
Ide, porém, e aprendei o que significa: Misericórdia quero e não holocaustos;
pois não vim chamar justos, e sim pecadores [ao arrependimento].
Equivalência Dinâmica (NVI):
Vão aprender o que significa isto: ‘Desejo misericórdia, não sacrifícios’. Pois eu
não vim chamar justos, mas pecadores”.
Paráfrase (BLH):
Vão e procurem entender o que quer dizer este trecho das Escrituras Sagradas:
“Eu quero que as pessoas sejam bondosas e não que me ofereçam sacrifícios de
animais.” Porque eu vim para chamar os pecadores e não os bons.

Voltando aos Dois problemas Iniciais


Ao pensarmos em tradução enfrentamos dois problemas básicos:
- Qual o texto que será traduzido?
Como vimos é melhor traduzir a partir do Textus Receptus (TR).
- Qual será o método de tradução adotado?
Vimos hoje então que é melhor traduzir usando Equivalência Formal.

Nossa Responsabilidade
1. Avaliar com critério qual tradução usar.
2. Não desprezar as traduções existentes. Elas podem ser excelente fonte de instrução.
3. Ter sempre junto a nós um texto que seja traduzido a partir do TR, através de
Equivalência Formal, no qual possamos confiar 100% (será o nosso fiel da balança).
4. Zelar para que nossos filhos tenham acesso à pura Palavra de Deus.
5. Não recriminar os que não conhecem toda a história (muitos líderes não conhecem).

Dicas Finais: Aos que desejarem continuar a estudar sobre esta questão, existem
materiais que podem ajudar nos seguintes sites: 7
www.luz.eti.br www.solascriptura-tt.org
www.deanburgonsociety.org www.palavraprudente.com.br/porassunto.html
A IMPORTÂNCIA DA TRADUÇÃO FIEL DAS ESCRITURAS www.traducaofiel.com

Estudo VI

Mensagem:
Engrandeceste a Tua Palavra
1. Deus — Eloin (Gênesis 1:1)

2. O SENHOR Deus — Jeová Eloin (Gênesis 2:4)

3. Deus Altíssimo — Jeová Elion (Gênesis 14:18)

4. Deus que me vê — El-Roí (Gênesis 16:13)

5. Deus Todo-Poderoso — El-Shaddai (Gênesis 17:1)

6. O SENHOR Proverá — Jeová Jiré (Gênesis 22:14)

7. EU SOU O QUE SOU — (Êxodo 3:14)

8. O SENHOR que te sara —Jeová Ropeca (Êxodo 15:26)

9. O SENHOR é minha bandeira — Jeová Nissi (Êxodo 17:15)

10. O SENHOR que vos santifica — Jeová Micadiskim (Êxodo 31:13)

11. O SENHOR é Paz — Jeová Shalom (Juízes 6:24)

12. O SENHOR dos Exércitos — Jeová Sabaote (1 Samuel. 1:3)

13. O SENHOR é o meu pastor — Jeová Raa (Salmo 23:1)

14. SENHOR justiça nossa — Jeová Tisidequenu (Jeremias 23:6)

15. O SENHOR está ali — Jeová Samá (Ezequiel 48:35)

MAS: “Engrandeceste a tua palavra acima de todo o teu nome” — Salmo 138:2

8
A IMPORTÂNCIA DA TRADUÇÃO FIEL DAS ESCRITURAS www.traducaofiel.com

Dicas Finais
Aos que desejarem continuar a estudar sobre esta questão, existem materiais que podem ajudar:

Sites na Internet:

 www.luz.eti.br
 www.solascriptura-tt.org
 www.deanburgonsociety.org
 www.palavraprudente.com.br/porassunto.html

Livros:

ANGLADA, Paulo R. B. A Teoria de Westcott e Hort e o Texto Grego do Novo Testamento: Um Ensaio em
Manuscritologia. Fides Reformata 1/2. São Paulo, SP: Universidade Mackenzie, 1996. 17 p.
BENÍCIO, Prof. Dr. Paulo José. A Tradição Manuscrita do Novo Testamento Grego e a Crítica Textual
Contemporânea. Fides Reformata VIII, 2. São Paulo, SP: Universidade Mackenzie, 2003. 26 p.
BOICE, James Montgomery. O Alicerce da Autoridade Bíblica. 2ª Ed. São Paulo, SP: Vida Nova, 1989. 196 p.
BURGON, John William. About The Causes of the Corruption of the Traditional Text of the Holy Gospels. Ed.
Edward Miller. Cambridge: Deighton, Bell and Co., 1896. 290 p.
—. The Revision Revised. Ed. Centenária (1883 - 1983). Fort Worth, TX: A.G. Hobbs, 1883. 549 p.
—. The Traditional Text Of The Holy Gospels Vindicated And Established. Ed. Edward Miller. London: George
Bell and Sons, 1896. 317 p.
COLWELL, Ernest Cadman. “Genealogical Method: Its Achievements and its Limitations.” Journal of Biblical
Literature (LXVI), 1947.
—. “Biblical Criticism: Lower and Higher.” Journal of Biblical Literature, Vol. 67, No.1, Março de 1948: p.1-12.
HAINES, Leland M. The Text Of The Greek New Testament: The Authority Of Scripture. Goshen, IN: Biblical
Viewpoints, 2000. 104 p.
LAKE, Kirsopp. The Text of Mark in Some Dated Lectionaries. Ed. H. G. WOOD. Londres: University of London,
1933. 153 p.
—. The Text Of The New Testament. 2ª Ed. Londres: Rivingtons, 1902. 104 p.
LOPES, Augustus Nicodemus. A Bíblia e Seus Intérpretes: Uma Breve História da Interpretação. São Paulo, SP:
Cultura Cristã, 2004. 287 p.
PICKERING, Dr. Wilbur Norman. Qual o Texto Original do Novo Testamento. Ed. Internet 2004. Ribeirão Preto,
SP: site: http://www.luz.eti.br/resources/wilburnt.pdf, 2001. 224 p.
ROBINSON, Maurice A. The case for Byzantine priority. 2001.
http://rosetta.reltech.org/TC/vol06/Robinson2001.html (acesso em 11 de março de 2008).
SALMON, George. Some Thoughts on the Textual Criticism of the New Testament. London: John Murray, 1897.
161 p.
SCRIVENER, Frederick Henry Ambrose. A Plain Introduction to the Criticism of the New Testament. 4ª Ed. Vol. I.
London: George Bell & Sons, 1894. 418 p.
—. A Plain Introduction to the Criticism of the New Testament. 4ª Ed. Vol. II. London: George Bell & Sons,
1894. 428 p.
WALTZ, Robert B. “The Byzantine Priority Hypothesis.” 1997.
http://www.skypoint.com/members/waltzmn/ByzPrior.html (acesso em 11 de março de 2008).
9