You are on page 1of 3

10

INTRODUÇÃO

Este trabalho teve como finalidade, diante da repercussão que o instituto da guarda
compartilhada tem causado em toda a sociedade, buscar realizar uma análise jurídico-social
acerca do tema da Guarda Compartilhada de acordo com a Lei 11.698/08, especialmente no que
versa sobre sua aplicabilidade em situações de separações litigiosas. É importante ressaltar que
todo e qualquer estudo sobre formas de definição da guarda de crianças em casos de ruptura, ou
da não-existência, do laço conjugal de seus genitores, assume grande significado na sociedade,
onde cada vez mais se diversificam as formas de organização familiar.
Sendo assim, é inquestionável a importância do papel desempenhado pelas instituições
familiares na sociedade, pois elas são o primeiro ente coletivo no qual o indivíduo estabelece uma
convivência de maneira grupal, e onde recebe diretrizes educacionais que irão refletir durante
todo o seu processo de desenvolvimento.
Todavia, com o advento da Lei nº 11.698/08, a guarda compartilhada foi posta em
situação prioritária, podendo essa ser estabelecida perante acordo entre as partes (desde que, seja
judicialmente homologado) ou, havendo litígio, ser imposta por sentença proferida pela
autoridade judicial. Neste último caso, o magistrado deverá analisar a gravidade da situação e
tentar resolvê-la da melhor maneira possível para os filhos, como se mostrará no decorrer da
pesquisa. A lei supramencionada foi elaborada a fim de positivar infraconstitucionalmente o
modelo de guarda compartilhada que já existia na jurisprudência, reforçando assim a relevância
que este instituto representa para as famílias brasileiras contemporâneas.
Cabe ressaltar que o instituto da guarda compartilhada vem sendo cada vez mais objeto de
discussão doutrinária e jurisprudencial no Brasil, principalmente no tocante à sua aplicabilidade
nas situações de separação litigiosa dos casais, em que muitas vezes os filhos acabam sendo os
principais atingidos. Esse modelo de guarda pressupõe um convívio harmônico e uma relação de
cooperação e respeito mútuo entre os pais, em tudo o que diz respeito à prole, e é justamente por
essa razão que questionamos a atribuição desse modelo nas separações litigiosas.
O presente trabalho será dividido em Capítulos, sendo que o Capítulo I abordará o
histórico de Guarda, como espécies, distinções, princípios e direitos e deveres em relação dos
pais aos filhos; o Capítulo II foi fundamentado em toda uma leitura bibliográfica, abordando as
bases conceituais e fundamentais de família que dão subsidio ao estudo; e, no Capítulo III,

onde consta de Revisão e Pesquisas bibliográficas. livros e fichamentos. assim como sua aplicabilidade nas separações litigiosas.698/08. o objetivo geral desta pesquisa é demonstrar como a guarda compartilhada em casos de separação litigiosa pode ser aplicada e de alguma maneira ser benéfica tanto para os pais como para os filhos em processo de formação. principalmente no mundo pós-globalizado. . atendendo incondicionalmente ao Princípio do Melhor Interesse da Criança e do Adolescente. que a família vem sofrendo profundas e constantes modificações no decorrer da história. previsão legal. tendo como enfoque principal a sua aplicabilidade em casos de separações litigiosas. A pesquisa se caracteriza como uma pesquisa qualitativa bibliográfica analítica. Paulo Luiz Netto Lobo e Euclydes de Souza. Os dados coletados são de fontes secundárias. Surge então a problemática referente à atribuição da guarda dos filhos. este trabalho contou com referencias de obras de grandes nomes que defendem Direito da Família. como Sílvio Neves Baptista. ao qual se defenderá em favor da Guarda compartilhada em casos de separação litigiosa. e. É certo. prós e contras. no Código Civil/ 2002 e no Estatuto da Criança e do Adolescente. com foco para a Constituição Federal de 1988. tendo como instrumentos de pesquisa artigos. na jurisprudência e através de pesquisa em artigos. 11 apresenta todo o processo de Guarda Compartilhada. como sua evolução. que fundamentaram o trabalho. Expor algumas decisões relativas à guarda dos filhos menores. no qual os conflitos entre os casais muitas vezes resultam no fim da sociedade conjugal e dão origem ao modelo de família monoparental. Os dados da pesquisa foram analisados. questiona- se: A guarda compartilhada atende ao melhor interesse do filho menor em virtude da disputa que sobrevém do relacionamento litigioso dos genitores? Assim. Para uma execução mais eficiente de pesquisa. colhidos na doutrina. e especificamente. e que auxiliou na construção teórica e no embasamento nos primeiros passos para definir a pesquisa sobre A Aplicabilidade da Guarda Compartilhada nas Separações Litigiosas à Luz da Lei nº 11. Dessa forma. do qual se fez uma junção contendo todas as informações necessárias para a execução deste trabalho. fazer uma análise jurídico- social a respeito da guarda compartilhada. através da coleta de informações e assuntos relacionados ao tema de pesquisa. vantagens e desvantagens. Pesquisar sobre separações litigiosas e suas conseqüências nas relações familiares e no desenvolvimento dos filhos. fichamentos e livros.

mesmo em litígio Surgem então as controvérsias acerca das vantagens e desvantagens que esse instituto pode proporcionar às famílias. É necessário que a sociedade tome consciência de que os conflitos existentes entre os casais não podem. de forma alguma. ser possível haver a guarda compartilhada. o que se respalda informar. do que com seus filhos. posto que. que necessitam de um ambiente familiar harmônico. se faz necessário e imprescindível que todos possam conhecer um pouco a respeito da guarda compartilhada. 12 A inserção desta lei no ordenamento jurídico constituiu um grande avanço para o Direito de Família. Diante disso. baseado em obras de vários especialistas do Direito da família. e deve ser discutido. muitos condenam a guarda compartilhada num processo de separação litigiosa. interferir no relacionamento entre pais e filhos. já que muito se houve falar sobre ela. tendo em vista que o ambiente familiar influencia de maneira decisiva para a formação do indivíduo como cidadão. porém poucos têm conhecimento das vantagens e desvantagens que ela pode acarretar. dando mais ênfase a relação dos ex conjugues. . e especialmente aos filhos.