You are on page 1of 10

INTRODUÇÃO

Prof. M.Sc. Ronaldo Bezerra Pontes

INTRODUÇÃO

PRINCIPAIS REFERÊNCIAS

 AZEREDO, H. A. O Edifício até sua Cobertura. 2. ed. São


Paulo: Edgard Blücher, 1997.
 BAUD, G. Manual de Construção. 2. ed. São Paulo: Hemus.
 BORGES, A. C. Prática das Pequenas Construções. 7. ed.
São Paulo: Edgard Blücher, 1985.
 CARDÃO, C. Técnica da Construção. 6. ed. Belo horizonte:
Engenharia e arquitetura, 1983. 2 v.
 SOUZA, U. E. L. Projeto e Implantação do Canteiro. 2. ed.
São Paulo: Nome da Rosa, 2000.

INTRODUÇÃO

TÓPICOS A SEREM ABORDADOS

 Estudos preliminares

 Anteprojeto

 Projeto

1
INTRODUÇÃO

DEFINIÇÕES

 Construção Civil ciência que estuda as disposições e


métodos seguidos na realização de uma obra sólida, útil e
econômica.
 Obra todos os trabalhos de engenharia de que resulte
criação, modificação ou reparação, mediante construção,
ou que tenham como resultado qualquer transformação
do meio ambiente natural.
 Edifício toda construção que se destina ao abrigo e
proteção contra as intempéries, dando condições para
desenvolvimento de uma atividade.

INTRODUÇÃO

ATRIBUIÇÕES

 Arquiteto criatividade, concepção e aproveitamento do


espaço; cabe a ele entre outras atividades a de elaborar os
estudos preliminares, o anteprojeto e o projeto.

 Construtor materializar o projeto, construindo o edifício.

INTRODUÇÃO

ESTUDOS PRELIMINARES
Escolha de um terreno:

 Localização
 Pesquisa de mercado
 Observar se tem risco de desabamento, de erosão ou enchentes
 Identificação do lote medindo a testada e o perímetro
 Verificação da área de localização e a situação do lote dentro da
quadra (medidas do lote às esquinas), medidas de ângulos se
for o caso
 Orientação do lote com relação à linha NS (Norte Sul)
 Anotação dos números das casas vizinhas ou mais próximas do
lote, para eventual identificação
 Zona Urbana – código de obras

2
INTRODUÇÃO

ESTUDOS PRELIMINARES

Escolha de um terreno:

 Infraestrutura
 Rede de água e esgoto
 Rede elétrica
 Rede de gás
 Cabos telefônicos na via pública
 Tipo de pavimentação existente na rua e largura, bem
como o acesso
 Linhas de ônibus e metrô
 Nível econômico das construções vizinhas

INTRODUÇÃO

ESTUDOS PRELIMINARES

Escolha de um terreno:

 Tipo de solo
 Natural
 Aterro
 Depósito de lixo
 Se possui olhos d’água (nascentes)
 Limpeza do terreno para maior facilidade de trabalho no
levantamento planialtimétrico, permitindo obter-se um
retrato fiel de todos os acidentes do terreno, assim como
para os serviços de reconhecimento do subsolo
(sondagens)

INTRODUÇÃO
ESTUDOS PRELIMINARES
Escolha de um terreno:

 Levantamento topográfico (planialtimétrico)


 Teodolitos e níveis  Em certas circunstâncias (terreno irregular,
• A poligonal por exemplo) haverá necessidade de se fazer
• As curvas de nível um levantamento expedito, com as ferramentas
próprias do pedreiro (trena, metro ziguezague,
• As dimensões perimetrais mangueira de nível, fio de prumo e barbante ou
• Os ângulos dos lados arame recozido).
• A área
• A fixação do RN (Nível de referência)
• As construções existentes
• As árvores
• As galerias de águas pluviais ou o esgoto
• Os postes e seus respectivos números (mais próximo do lote)
• As ruas adjacentes
• O croqui de situação, com o aparecimento da via de maior
importância ou qualquer obra de maior vulto (igreja, ponte,
viaduto, etc.) do loteamento ou do bairro
• A fixação da linha NS

3
INTRODUÇÃO

ESTUDOS PRELIMINARES

Escolha de um terreno:

 Reconhecimento do subsolo – sondagens


 Reconhecimento da disposição, natureza e espessura
das suas camadas e a profundidade do nível d’água

INTRODUÇÃO
ESTUDOS PRELIMINARES
Escolha de um terreno:
 Reconhecimento do subsolo – sondagens

Trado Cavadeira / Concha Trado Espiral / Helicoidal

INTRODUÇÃO
ESTUDOS PRELIMINARES
Escolha de um terreno:
 Reconhecimento do subsolo – sondagens
Vantagens: Processo
simples, rápido e
econômico. Utilizado
nas investigações
preliminares.
Utilização: Amostras
amolgadas (estrutura
destruída) em
pesquisas de jazidas,
determinação no nível
d’água, mudanças de
camada, avanço da
perfuração para
ensaios de penetração.
Limitações: Camadas
de pedregulho. Pedras
ou matacões. Solos
abaixo do nível d’água.

4
INTRODUÇÃO
ESTUDOS PRELIMINARES
Escolha de um terreno:
 Reconhecimento do subsolo – sondagens
 Sondagem à percussão (Ensaio SPT)
• Sondagem mais popular, rotineira e econômica no Brasil e no mundo
• Custo relativamente baixo
• Facilidade de execução e possibilidade de trabalho em locais de difícil
acesso
• Permite a coleta de amostras do terreno, a diversas profundidades,
possibilitando o conhecimento da estratigrafia (definição das camadas)
do mesmo
• Fornece indicações sobre a consistência ou compacidade dos solos
investigados
• Possibilita a determinação da profundidade de ocorrência do lençol
freático
• Medida de resistência dinâmica conjugada a uma sondagem de simples
reconhecimento

INTRODUÇÃO

ESTUDOS PRELIMINARES

Escolha de um terreno:

 Reconhecimento do subsolo – sondagens


 Sondagem à percussão (Ensaio SPT)

Objetivos:

• Classificação táctil-visual do solo (perfil geotécnico)


• Obtenção da resistência dinâmica (SPT)
• Profundidade do nível d’água

INTRODUÇÃO
ESTUDOS PRELIMINARES
Escolha de um terreno:
 Reconhecimento do subsolo – sondagens
 Sondagem à percussão (Ensaio SPT)

Equipamento:
(1) Tripé
(2) Roldana
(3) Cabo de aço / Corda
(4) Revestimento
(5) Trépano de lavagem
(6) Conjunto Motor-bomba

5
INTRODUÇÃO
ESTUDOS PRELIMINARES
Escolha de um terreno:
 Reconhecimento do subsolo – sondagens
 Sondagem à percussão (Ensaio SPT)

Procedimento:
Norma Brasileira / NBR 6484
1.o) Abertura do furo
2.o) Cravação de 45 cm do amostrador
padrão (queda do martelo a 0,75 m de
altura)
3.o) Coleta de amostra
4.o) NSPT = n.o golpes / 30 cm finais (ensaio
de penetração dinâmica – SPT)

INTRODUÇÃO
ESTUDOS PRELIMINARES
Escolha de um terreno:
 Reconhecimento do subsolo – sondagens
 Sondagem à percussão (Ensaio SPT)

Detalhe da amostra coletada

INTRODUÇÃO
ESTUDOS PRELIMINARES
Escolha de um terreno:
 Reconhecimento do subsolo – sondagens
 Sondagem à percussão (Ensaio SPT) Martelo (Peso de 65 kgf)

6
INTRODUÇÃO
ESTUDOS PRELIMINARES
Escolha de um terreno:
 Reconhecimento do subsolo – sondagens
 Sondagem à percussão (Ensaio SPT)

Marcação dos 45 cm do amostrador

INTRODUÇÃO
ESTUDOS PRELIMINARES
Escolha de um terreno:
 Reconhecimento do subsolo – sondagens
 Sondagem à percussão (Ensaio SPT)

Índice de Resistência à Penetração (SPT) – “Standard Penetration Test”


Representa a soma do número de golpes necessários à penetração no solo, dos
30 cm finais do amostrador. Indicação preliminar da consistência (solos
argilosos) ou estado de compacidade (solos arenosos) das camadas de solo
investigadas.

 Previsão da tensão
admissível em solos

Apresentação das sondagens:


Perfil de sondagem (Desenho A4)
• Descrição das camadas
• Cota superior do furo
• Profundidades de coleta das
amostras
• Profundidade do NA
• Resistência à penetração
golpes/cm (30 cm final), ou NSPT
 Locação dos furos
 RN

7
Perfil Longitudinal

INTRODUÇÃO
ESTUDOS PRELIMINARES
Escolha de um terreno:
 Reconhecimento do subsolo – sondagens
 Sondagem à percussão (Ensaio SPT)

Número e locação dos furos


TERRENO
• 2 para cada 200 m2
• 3 para a área ocupada entre 200 – 400 m2

ÁREA DE PROJEÇÃO EM PLANTA

• Até 1200 m2 : 1 para cada 200 m2


• 1200 – 2400 m2 : 1 para cada 400 m2 que exceder de 1200 m2
• > 2400 m2 : critério particular

LOCAÇÃO : Distribuir os furos ao longo do terreno para obter, da


melhor forma possível, as variações do subsolo

INTRODUÇÃO

ANTEPROJETO

 Uso permitido do edifício (plano diretor do município)


 Residencial
 Comercial
 Industrial
 Recreativo
 Religioso
 Outros usos
 Densidade populacional do edifício
 Avaliação para cada uso (plano diretor do município)
 Área construída prevista

8
INTRODUÇÃO
ANTEPROJETO

 Gabarito permitido (código de obras do município)


 Altura do edifício
 Recuos (frente, fundo e laterais)
 Coeficiente de ocupação do lote
 Coeficiente de aproveitamento do lote
 Elementos geográficos naturais do local
 Latitude
 Meridiano (orientação magnética)
 Regime de ventos predominantes
 Regime pluvial
 Regime de temperatura

INTRODUÇÃO

ANTEPROJETO

Os desenhos nessa fase podem ser esquemáticos, mas devem


ser completos e definidos claramente, de modo a permitir uma
avaliação de custo e de prazo. As peças apresentadas são
plantas, cortes esquemáticos e elevação.

INTRODUÇÃO

PROJETO

 Partes gráficas
 Projeto arquitetônico (plantas, cortes, fachadas e detalhes)
 Projeto estrutural (alvenaria, madeira, concreto armado e aço)
 Projeto de instalações (elétricas e hidrossanitárias)
 Impermeabilização
 Cronograma físico-finaceiro  Compatibilização de projetos

 Partes escritas
 Especificações (materiais e serviços)
 Memorial (exposição detalhada do projeto)
 Orçamento (estabelece o custo provável da obra)

9
INTRODUÇÃO

PROJETO

 Aprovação dos projetos


 Prefeitura
 CREA
 CPRH
 Bombeiros
 CELPE
 COMPESA

10