You are on page 1of 6

1

FPA - Colação de Grau – Filosofia

Capanema, 22 de junho de 2013

Magnífico Reitor _________________________________

Queridos professores ___________________________________

E não podia esquecer de nossa querida Secretária Lea, do grande Cláudio
que nos acolhia a cada sábado e às meninas do café e a todos que
contribuíram para que esse momento fosse realidade

Saúdo também aos Familiares, filhos, esposas, esposos, namorados,
namoradas, amigos, amigas aqui presentes.

Queridos colegas Acadêmicos, companheiros, companheiras de
caminhada dos sábados, das alegrias, das impaciências, das buscas, das
esperanças.

Lembro-me como fosse hoje, ao iniciar Filosofia – no século passado! –
e ao ir ao banheiro, encontrei escrito na porta: Filosofia é a ciência com a
qual ou sem a qual o mundo continua igual!

Era uma provocação dos acadêmicos de pedagogia que estudavam na
mesma Faculdade.

Ou outra que dizia que a filosofia é um caminho de muitas estradas que
levam do nada a lugar nenhum.

Mas, piorou ainda mais quando descobri que Filosofia nem ciência é!

Filosofia pra quê? Pra nada, sim pra nada, pois ela não serve nem para
levantar uma pedra, pois para isso usamos a física. Nem para saber quanto
sal devemos colocar no arroz, pois para isso temos a culinária ou o velho e
bom senso comum.

que levanta vôo apenas ao anoitecer e vê no escuro o que está escondido. talvez possamos usar o ponto de exclamação. marginalizado. Ou. pela lucidez intelectual chegaram à loucura. não é adepta de uma visão . como diria Fernando Pessoa. 2 Se quisermos ficar ricos. sim. a filosofia não tem utilidade nenhuma! Será que tomamos o barco errado? Acho que não estou ajudando muito nessa cerimônia de colação de grau em Filosofia. o exemplo dos filósofos não nos ajuda. olhando para o céu estrelado. apenas perguntas. a morte é a grande musa da filosofia. Uma doméstica dele riu e disse: aquele ali se preocupa tanto com o que se passa no céu. enquanto não tem olhos para ver o que tem diante do nariz e debaixo dos pés. E nosso símbolo é a coruja de Minerva. incompreendido e alguns até enlouqueceram. creio que seria consenso na turma que escolheram a pessoa errada para representá-los. E Platão conclui: à mesma gozação está sujeito todo aquele que se dedica à filosofia! E Bacon acrescentará sem piedade nenhuma: se examinares bem. pois diz-se que o espanto. Chegam a dizer que na história humana não há registro de um filósofo feliz. E agora? Como continuar? Talvez com uma pergunta. E se aqui terminasse minha fala. caiu num buraco. a admiração é a origem da filosofia. Nosso signo principal é o ponto de interrogação e não o ponto final. a maioria morreu pobre. Já Platão faz memória de Tales de Mileto que refletia sobre o significado dos astros para a existência e. porque à filosofia não cabem respostas. E para Schopenhauer.

mas não livre. amor. ele é filosofia. Quem se contenta. e como ave de rapina sempre apanha de surpresa os distraídos Se não podemos fazer nada com a filosofia. se satisfaz e se instala nada mais faz do que conter o fogo de Prometeu. Torna-se seguro. apesar do etnocentrismo europeu continuar a impor a visão de que a filosofia tem data e hora e lugar de nascimento. Ele tem uma sede insaciável de conhecer. e nada é definitivo. ele tem sede. . satisfatório. pois o ser humano carrega em si uma pergunta insaciável sobre o sentido de sua existência. amizade pelo conhecimento. relegar a filosofia à condição marginal. podemos dizer com tranquilidade que o ser humano pode muito bem viver sem a ciência – do jeito que foi concebida em nossa modernidade . sempre vive numa dúvida angustiante de não ter chegado. e um tanto arrogante. Não tem início. que não tem início. 3 unidirecional. será que a filosofia pode fazer algo conosco? Pois tudo o que é inútil carrega em si um força que chega a ser incontrolável! Apesar da ciência. vive num abismo que não tem fundamento para os pés e nem onde se segurar com as mãos. tem por única companhia o monte vizinho.pois esta é uma contingência histórica. Ao descer do monte ela descobre no fundo de cada ciência a si mesma. ou sua essência. completo. Como Nietzsche dizia “a filosofia vive nas geleiras das altas montanhas. hoje em crise. pois apresenta-se como a única forma possível de racionalidade. A filosofia é essa eterna inquietude que por sua razão de ser não é segura de si mesma. ou do fenômeno existencial constitutivo do homem enquanto homem. Mas o mesmo não podemos dizer da filosofia. pois seu pescoço gira em todas as direções. onde mora o poeta”.

E como Kant dirá: não percebem a intenção dos filósofos por desprezarem a chave da interpretação filosófica e assim não conseguem ver o que quiseram dizer. ente existente consciente de seu ser-aí e de suas possibilidades do além-do- aí. terminou a paz na escuridão animal e nasceu o homem. não entenderam. o filósofo com facilidade cai nos buracos visíveis e limitados. E sem essas percepção alia-se filósofos a absolutos sociais. 4 enquanto a ciência vendo tudo não vê a si mesma. o sedentário. idealismo. a essência. ao homem além do homem. pois seu olhar visa o ausente. . humano.. finitos. mas essa não é a filosofia. o infinito. A filosofia está nos ventrículos da existência. catalogada como doutrinas filosóficas.. Pois filosofia não é apenas o que foi dito e escrito. existencialismo. dirá ainda Carneiro Leão. como Tales de Mileto. pois é cega para seus próprios fundamentos. mas processo contínuo. que prefere o deserto ao oásis. um ser de perguntas sem respostas definitivas. Não é um saber por saber. o não dito. é a eterno nômade. Eva e Adão comeram do fruto da árvore do conhecimento e o índio carajá Kboí foi para além das margens do grande rio. Pois filosofia não é posse. mas o que quiserem dizer e que pensaram. e os ismos poderiam continuar. A história da filosofia registra uma gama variada de concepções: estoicismo. segundo Nietzsche. epicurismo. Desde que Prometeu roubou o fogo. Para Carneiro Leão.. mas a ausência de filosofia compõe uma ciência da pior espécie. é verdade que a filosofia não é ciência.. mas um saber que tende à suprema projeção da existência. Por isso não é raro ouvir dos filósofos: eles não souberam ler o que escrevi. Por isso. movimento que recusa o estático. para apossar-se.

mas se dá na solidão. pois o Ser desaparece no seu aparecer. enganá-lo com os limites. Não podemos do Ser desvencilhar-nos. sem suspeitas e. Mas nosso esquecimento do Ser nunca é absoluto. mas não ainda filósofos. á vida despreocupada. Não tenhamos ilusões. perigosa travessia. Somos licenciados em filosofia. “filosofar é comportar-se perante o universo como se nada fosse evidente”. sua crise. temos poucos companheiros de viagem. pois este é o único que tem consciência de sua finitude. a filosofia não movimenta massas. a ter a angústia como companheira de caminhada. que não se dá por completo e nem dele podemos apossar-nos. Essa é a tarefa da filosofia: não substituir a ciência. Mas nossa paz e segurança animal estão sempre presentes e aspiram. sem dúvidas. acomodá-lo. 5 Com diz Jankelevich. ora ou outra. pois o Ser é nosso ser.. Está sempre querendo parir o Ser. mas ser sua catarse. Por isso a filosofia será sempre uma reflexão finita do mais finito dos entes. podemos abafá-lo. É opção. perigoso olhar para trás. apenas aproximar-nos para de novo distanciar-nos.. ele emerge. como se possível fosse. Pois como diz Nietzsche: O homem é uma corda estendida entre o animal e o super-homem: uma corda sobre um abismo. E como dirá Sartre. do meio dos prazeres surge a náusea. silencioso ou surpreendente. O que . e obriga-nos continuamente a prosseguir. pois é nossa missão refletir nosso presente tendo os olhos no ausente e não apenas repetir o que outros disseram (o que nós enquanto professores geralmente fazemos!) Eis o desafio do que a filosofia pode fazer conosco. logo. Mas não podemos impedi-lo que ora ou outra venha à tona. perigoso caminhar. perigoso tremer e parar. sem esperanças! A isso chamamos de irreflexão.

6 é de grande valor no homem é ele ser uma ponte e não um fim.. sempre. Remove pedras e planta roseiras e faz doces. recria tua vida. que apontem para a força do ausente e que consigam ajudar na ampliação do humano.. que consigam estabelecer perguntas onde as respostas abafaram o não dito e o não conhecido. Pois somos mais que o presente. E como o filósofo habita as geleiras e tem por vizinho o poeta. Sejamos felizes! Obrigado! José Antonio Mangoni . sempre. quero concluir com uma pequena poesia de Cora Coralina. Faz de tua vida mesquinha um poema. Recomeça. Desejo que sejamos. Ajuntando novas pedras e construindo novos poemas.. apesar das angústias.. filósofos que contribuam enormemente na reflexão sobre a vida. que tem por título “Aninha e suas pedras” Não te deixes destruir. o que se pode amar no ser humano é ele ser uma passagem e um acabamento.