You are on page 1of 1

Carnaval, metafísica e gnose

Leituras metafísicas no Carnaval

A obra sobre metafísica de Spinoza me fez refletir no Carnaval sobre a
natureza divina e me levou a pensar no infinito, na perfeição, no imutável e em tantos
outros detalhes. Vemos que esse autor remete por vezes a obra de Descartes, e que
inclusive critica algum detalhe, como em relação ao necessário, ao qual vê um erro,
bem como de outras coisas que entende meras palavras, sem paralelo na realidade.
Na verdade não o imaginei implicando com os atributos divinos, e nem criticando os
intermediários, mas é legal refletir até onde a existência é totalmente dependente do
Divino, e que nossa vontade depende totalmente de Deus. A metafísica tristemente
não é tema de filosofia moderna, e fica mais como disciplina estudada e sem grande
ligação com a realidade. Sorte alguns autores como Cléverson Israel Minikovsky
voltarem para a metafísica, e um Huberto Rohden ainda falar de temas como Uno, ou
de Raimon Panikar tratar de religiosidade dentro de um livro filosófico, ou mesmo
Imanuel Levinás lembrar o aspecto profundo de judaísmo, mesmo sendo filósofo, fora
a neoescolástica com seus pensadores. Fato é que mesmo assim a sabedoria
filosófica satisfaz a carne e o espírito nesse Carnaval.

Gnose e superação

Recentemente a gnose aparece ampliando horizontes, e mostrando a
sabedoria elevada de um conhecimento superior. Filosofia, ciência, alquimia,
psicologia dentre outras tantas coisas. No trabalho de superação do ego, na
revolução da consciência, ela é revolucionária. Na sua defesa da castidade, no amor
legítimo e espiritual. Nela se vê o matrimônio perfeito. E o trabalho é em muito interno.
Somos o templo sagrado que revela grandes segredos. Temos em nós as sete igrejas
do Apocalipse. A gnose aumenta o nível de despertar a consciência, seja por meio do
Divino, seja por parte da pessoa. Faz-se nela um trabalho interno. De qualquer forma
a gnose e o gnosticismo vêm crescendo, e apesar de se tentar esconder esse saber,
ele se revela profundo e essencial. A verdade não pode ser ocultada. Os nossos
átomos não mentem. Os profetas e gurus nos revelam um pouco, e são combatidos.
O mundo não gosta da diferença. A revolução do eu é necessária. Doutro modo será
involução e um caminho sombrio. Assim é necessário transformar, renascer e ajudar.
Transformar o ego que se anula e morre, renascer no íntimo divino e ajudar o próximo
com amor e sem julgamentos, desinteressado.