O INÍCIO DA REVOLUÇÃO Em agosto de 1914 a Rússia entrou na Primeira Guerra Mundial contra a Alemanha e a Áustria-Hungria.

Nicolau II acreditava que por meio da guerra pudesse expandir o Império Russo e diminuir a insatisfação popular. No entanto, o fato acentuou o descontentamento e precipitou o processo revolucionário. A guerra agravou a situação econômica e social do país. Os soldados, mal-armados e mal alimentados, foram dizimados em derrotas sucessivas. Em dois anos e meio de guerra, a Rússia perdeu 4 milhões de pessoas. Em 1915, o czar Nicolau II decidiu assumir pessoalmente o comando do Exército, deixando o governo nas mãos de sua esposa, a Imperatriz Alexandra, e de Rasputin, um monge que agia como conselheiro do czar. Em 1917, a escassez de alimentos era muito grande e provocou uma série de greves. Em 27 de fevereiro desse mesmo ano, uma multidão percorreu a capital do Império pedindo pão e o fim da guerra. Os manifestantes também criticavam o sistema monárquico. A polícia e o exército, agora ao lado dos manifestantes, não reprimiram o movimento. Isolado, o czar abdicou, e um governo provisório foi constituído, chefiado pelo príncipe George Lvov. Esse governo, dominado pela burguesia russa, decidiu continuar na guerra, com planos de uma grande ofensiva contra a Áustria-Hungria. A população russa, porém, discordava dessa orientação. O governo, sem controle de seus exércitos, não tinha forças para impedir as deserções dos soldados. Havia ainda a constante elevação dos preços dos gêneros alimentícios, contra a qual o governo nada conseguia fazer. Nesse momento, grupos revolucionários já desenvolviam intensa atividade nas cidades, reativando os sovietes de trabalhadores, com o objetivo explícito de tomar o poder. A ofensiva do novo governou contra a Áustria-Hungria fracassou. Isso agravou ainda mais a situação e provocou uma grande manifestação no dia 17 de julho de 1917, na capital do Império. Era o fim do governo provisório de Lvov, substituído por Alexander Kerenski. Naquele momento, três grupos e três diferentes propostas políticas se defrontavam pelo poder: * O Partido Democrático Constitucional, partido da burguesia e da nobreza liberal, favorável à

que. os bolcheviques passaram a dominar os principais sovietes e a preparar a revolução. O Conselho era presidido por Lenin. abandonado por suas tropas. ra * controle das fábricas pelos trabalhadores. * criação do Exército Vermelho.continuação da guerra e ao adiamento de quaisquer modificações sociais e econômicas. . em russo -. que defendiam o confisco das grandes propriedades. Logo depois. os sovietes da Rússia.maioria. Divididos internamente e indecisos quanto aos rumos que o país deveria tomar. confiando o poder a um Conselho de Comissários do Povo. Sob o comando de Trotski.minoria. As primeiras medidas do governo revolucionário foram: * retirada da Rússia da guerra. * supressão das grandes propriedades rurais. Kerenski. foram perdendo importância política. os bolcheviques ocuparam os pontos estratégicos de Petrogrado e o Palácio do Governo. Graças ao controle cada vez maior que exerciam sobre os sovietes de operários e soldados. o controle das indústrias pelos operários e a saída da Rússia da guerra. em russo -. Na manhã do dia seguinte. embora contrários à guerra. os bolcheviques adotaram o sistema de partido único: Partido Comunista. não admitiam a derrota da Rússia. reunidos em Congresso. confirmavam o triunfo da revolução. com a finalidade de defender o socialismo contra inimigos internos e externos. novo nome de São Petersburgo. confiadas ago à direção de comitês agrários. Seus dois principais líderes eram Vladimir Lenin e Leon Trotski. A TOMADA DO PODER A partir de agosto de 1917. * Os mencheviques . sua força crescia continuamente. no dia 25 de outubro. * Os bolcheviques . No soviete Petrogrado. foi constituído o Comitê Militar para a Realização da Revolução. foi obrigado a fugir.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful