You are on page 1of 16

Journal of Environmental Analysis and Progress V. 03 N.

01 (2018) 008-023

Journal of Environmental
Analysis and Progress
Journal homepage: www.jeap.ufrpe.br/
ISSN: 2525-815X 10.24221/jeap.3.1.2018.1660.008-023

Proposta Metodológica Interdisciplinar como Ferramenta para o


Potencial de Conservação de Nascentes

Interdisciplinary Methodological Proposal as a Tool for Potential


Conservation of Springs
Lívia Câmara Machadoa, Vanice Santiago Fragoso Selvaa, Simone Machado Santosa
a
Universidade Federal de Pernambuco-UFPE, Av. Prof. Moraes Rego, n. 1235, Cidade Universitária, Recife,
Pernambuco. CEP: 50670-901. E-mail: liviamachado.biologa@gmail.com, vanice.selva@gmail.com,
smachados@hotmail.com.

ARTICLE INFO ABSTRACT


Recebido 05 Out 2017 Considering the problems experienced by inappropriate uses and appropriations of
Aceito 27 Dez 2017 spring areas, negative impacts are visible and make it difficult to conserve these
Publicado 10 Jan 2018 sources, which are important forms of access to water in rural areas. The reality
points out some conflicts for the conservation of springs, ranging from the form of
use and occupation of the territory to the practices carried out by the community. In
this sense, studies aiming to overcome methodological gaps in the field of research,
aimed at conservation and recovery actions of springs as a practical tool that allows
the participation and support of the community for the adequate use of the springs
become relevant. The study proposes methodological adjustments with the insertion
of a political approach for the evaluation of the conservation potential of springs
used for human supply. The methodological adequacy was elaborated from
bibliographical researches and consultations in the databases in the area of
environmental sciences, seeking the scientific contribution through directed studies
in the methodologies and existent and related investigations to the subject. The
proposal strengthens its conservation and recovery actions, subsidizing future
actions and recovery projects, respecting the local context and the use of water by
users. Thus, it is hoped to contribute to overcoming existing conflicts between
conservation and use of natural resources, specifically, of the uses and practices
carried out in springs in rural areas.
Keywords: Conservation of springs, methodological adequacy, interdisciplinarity.

RESUMO
Em decorrência dos problemas vivenciados pelos usos e apropriações inadequadas
de áreas de nascentes, impactos negativos são visíveis e dificultam a conservação
destas fontes que são importantes formas de acesso à água no meio rural. A
realidade aponta alguns conflitos para a conservação de nascentes, que vai desde a
forma de uso e ocupação do território até as práticas realizadas pela comunidade.
Neste sentido, tornam-se relevantes estudos que tem por finalidade suprir lacunas
metodológicas no campo de pesquisa, voltadas para as ações de conservação e
recuperação de nascentes como ferramenta prática que permita a participação e
apoio da comunidade para o uso adequado das nascentes. O estudo propõe
adequações metodológicas com a inserção de uma abordagem política para a
avaliação do potencial de conservação de nascentes utilizadas para o abastecimento
humano. A adequação metodológica foi elaborada a partir de pesquisas
bibliográficas e consultas nas bases de dados na área de ciências ambientais,
buscando o aporte científico através de estudos direcionados nas metodologias e
pesquisas existentes e relacionados ao tema. A proposta potencializa as próprias
ações de conservação e recuperação, subsidiando futuras ações e projetos de
recuperação, respeitando o contexto local e o uso da água por parte dos usuários.
Destarte, espera-se contribuir para a superação dos conflitos existentes entre

Machado, L. C.; Selva, V. S. F.; Santos, S. M. 08


Journal of Environmental Analysis and Progress V. 03 N. 01 (2018) 008-023

conservação e utilização dos recursos naturais, em específico, dos usos e práticas


realizadas nas nascentes nos espaços rurais.
Palavras-Chave: Conservação de nascentes, adequação metodológica,
interdisciplinaridade.
Introdução ferramentas incapazes de mensurar o
As nascentes são importantes fontes de envolvimento, a participação, os conflitos e
água para sobrevivência das famílias rurais, tanto características destas áreas prioritárias para
em atividades domésticas quanto agrícolas. Estas conservação.
fontes possuem relevância para o Destarte, a motivação para realização da
desenvolvimento e dinâmica de áreas de produção pesquisa justifica-se devido à ausência de um
agrícola e para o consumo humano. As nascentes protocolo mais abrangente, que priorize a criação
são responsáveis pela formação dos rios, que de uma ferramenta com a inserção do foco
fazem parte das bacias hidrográficas. Considera-se político para avaliar o potencial das nascentes a
nascente, o afloramento na superfície do solo da partir dos usos, das especificidades e das relações
água de um lençol freático (Barreto, Ribeiro & políticas que circundam em torno destas fontes.
Borba, 2010). Portanto, tornou-se relevante o presente
As nascentes, na maioria das vezes, são as estudo, que trouxe como foco a adequação
únicas fontes naturais que atendem as demandas metodológica com a inserção de uma abordagem
nos espaços rurais, e, que por sua vez possuem política para a avaliação do potencial de
grande importância no desenvolvimento das conservação de nascentes, com o propósito de
atividades socioeconômicas (Braga, 2011). As contribuir com meios para a priorização das
nascentes são recursos essenciais para os nascentes mais sensíveis para a realização de
assentamentos humanos e espécies terrestres, além ações de proteção, intervenção e recuperação
de habitats para a biota aquática que contribuem destas áreas.
para os processos ecológicos e biodiversidade
(Davis et al., 2016). Como fontes contribuidoras, Material e Métodos
suprem a necessidade dos espaços rurais, A adequação metodológica foi realizada
principalmente pela ausência de um serviço de por meio de pesquisas bibliográficas e consultas
abastecimento. em bases de dados na área de ciências ambientais,
No entanto, observa-se que na prática, especificamente na Scopus e ScienceDirect,
devido à sua importância e contribuição, as buscando através de um estudo direcionado, as
nascentes e as áreas de seu entorno não são metodologias e protocolos existentes e
utilizadas corretamente conforme prevê a Lei relacionados ao tema, com a inclusão de
Federal n° 12.651/2012 (Código Florestal parâmetros de ordem política.
Brasileiro). Há, portanto, nos espaços rurais Nesta perspectiva, alguns parâmetros das
diferentes formas de usos e conflitos que metodologias nacionais elaboradas e validadas por
dificultam a sua proteção e consequentemente diversos autores (Pinto, 2003; Valente & Gomes,
coloca em risco a existência deste importante 2011; Pereira, 2012; Machado, 2013; Oliveira,
recurso. 2014; Ribeiro, 2014), serviram como principal
Destarte, o estudo de Braga, Silva & aporte científico de análise para a adequação
Cavalcanti (2013) aponta que existem meios de metodológica com a inserção do eixo político.
conciliar a extração ou exploração com a No estudo foram realizadas adequações,
conservação nestas áreas através da adequação da com modificações e inclusões nos relevantes
propriedade rural particular ou pública, visando parâmetros de análise das nascentes que são
considerar os usos, as práticas e a participação utilizadas para fins de abastecimento humano. O
realizada pelos atores que possuem as nascentes estudo propõe um agrupamento interdisciplinar
como principal fonte de água para a sua com três eixos: o ecológico, socioterritorial e
sobrevivência. político, indicando a importância do trabalho para
Nesse sentido, alguns protocolos as ciências ambientais e para a gestão das áreas de
metodológicos, nacionais e internacionais, estão nascentes.
disponíveis para a avaliação da conservação das A construção do protocolo prioriza os
nascentes. Nota-se que as abordagens destas parâmetros do eixo ecológico e do eixo
ferramentas são direcionadas às diversas áreas de socioterritorial as ações, os usos e as práticas
pesquisas e possuem fragilidades, principalmente desenvolvidas no entorno das nascentes.
pela ausência de um protocolo interdisciplinar. Nos parâmetros do eixo político estão
Diante do exposto, observam-se lacunas previstas as análises das nascentes, através da
existentes no campo metodológico, com participação, atuação e envolvimento do poder

Machado, L. C.; Selva, V. S. F.; Santos, S. M. 09


Journal of Environmental Analysis and Progress V. 03 N. 01 (2018) 008-023

público/instituições e dos produtores rurais, aplicável no desenvolvimento de propostas e


construídas a partir de percepções coletadas no projetos, e ainda, para a própria gestão das áreas
levantamento de campo. de nascentes.
Destarte, indica-se neste estudo uma
Resultados estrutura interdisciplinar inédita, a partir do
As metodologias que abordam agrupamento dos parâmetros por eixos, que
conceitualmente as nascentes, tanto do ponto de através de situações serão enquadradas de acordo
vista de sua conservação e caracterização, com as pontuações.
possuem abordagens diversas que são atualmente Repensando a interdisciplinaridade
aplicadas em estudos acadêmicos. técnica como importante fator para a gestão dos
Diante da necessidade de uma abordagem recursos hídricos, a presente proposta considera
com enfoque interdisciplinar no que se refere às 20 importantes parâmetros, agrupados em três
nascentes, a presente pesquisa surge como uma eixos distintos: o ecológico, o socioterritorial e o
ferramenta de contribuição para a avaliação do político (Figura 1).
potencial de conservação destas fontes, sendo

Figura 1. Organização da ferramenta metodológica interdisciplinar para o potencial de conservação de


nascentes. Fonte: Elaborado pelos autores (2017).

No eixo ecológico e socioterritorial No eixo político, o estudo trouxe uma


enquadraram-se parâmetros de Pinto (2003), nova abordagem com parâmetros de ordem
Valente & Gomes (2011), Pereira (2012), política, que influencia diretamente na
Machado (2013), Oliveira (2014), Ribeiro (2014), conservação das nascentes (Quadro 1).
a partir de inclusões e modificações dos autores No eixo ecológico, agruparam-se os
nesta proposta. parâmetros que englobam as relações ecológicas

Machado, L. C.; Selva, V. S. F.; Santos, S. M. 010


Journal of Environmental Analysis and Progress V. 03 N. 01 (2018) 008-023

presentes nas nascentes e que interferem nos usos específico, mensurar o envolvimento político e a
e no abastecimento por parte dos usuários, com atuação pública ou privada para a gestão destas
parâmetros de qualidade da água, de cobertura áreas. A partir desta adequação metodológica é
vegetal e de caracterização da nascente. sugerida uma ferramenta que priorize as nascentes
No eixo socioterritorial incluiu-se os mais vulneráveis, avaliando a participação e
parâmetros que expressam a relação entre os envolvimento político com a inclusão deste eixo.
usuários e as nascentes, do ponto de vista social, Nesta proposta, o eixo “Político”
bem como das práticas e usos realizados no incorpora os parâmetros que são essenciais para a
entorno das nascentes, com parâmetros de uso da conservação das nascentes e que englobam uma
água, de práticas realizadas nestas áreas, sejam série de fatores que contribuem para a
impactantes ou não ao recurso natural. conservação destas fontes. Ressalta-se que
Com a inclusão de uma nova abordagem, nenhuma metodologia direcionada a conservação
o eixo político, agruparam-se os parâmetros que de nascentes, utilizou uma abordagem como esta,
apontam os conflitos, o envolvimento e a que identifica através da participação, possíveis
participação de atores, associações e/ou caminhos para uma gestão consolidada do
instituições na tomada política relacionada à recurso.
conservação de nascentes. Buscou-se neste eixo

Quadro 1. Aporte científico e estrutura metodológica organizada por eixos com inclusão da abordagem
política. Fonte: Elaborado pelos autores (2017).
Parâmetros
Autores
Eixo Ecológico Eixo Socioterritorial Eixo Político

Pinto (2003) Vegetação nativa - -

Valente e Gomes (2011) Fluxo hídrico - -

Presença de resíduos sólidos;


Suspeita de agrotóxico na água;
Uso direto da água; Desproteção
física; Predominância de
Pereira (2012) cobertura vegetal no solo;
Turbidez; Presença de Ocorrência de processos erosivos
Machado (2013) -
Escherichia coli; no solo; Uso de agrotóxico;
Oliveira (2014) Presença de animais de criação;
Evidência de queimadas ou corte
da vegetação; Ocorrência de
edificações domésticas e/ou
rurais.

Uso da água; Meio captação da


Fluxo de água; Cor da água;
água; Área de inserção; Uso e
Odor da água; Salinidade
ocupação do solo no entorno;
(‰); Sólidos Dissolvidos
Práticas de manejo sustentável;
Totais (mg.L-1); Oxigênio
Conhecimento local sobre a flora
Dissolvido (mg.L-1); Riqueza
nativa; Conhecimento local sobre
Ribeiro (2014) da fauna aquática; -
a fauna nativa; Lançamento de
Bioindicadores aquáticos;
efluentes domésticos; Ocorrência
Cobertura vegetal; Cobertura
de queimadas ou desmatamento;
do solo; Riqueza da fauna de
Ocorrência de processos erosivos;
invertebrados do solo;
Presença de animais de criação;
Bioindicadores Terrestres.
Presença de resíduos sólidos.

Uso da água; Presença de


Iniciativas de Programas e
Animais de criação; Presença de
Turbidez da água; projetos; Atuação da
Resíduos Sólidos; Práticas de
Contaminação por E. coli Associação/organização de
queimadas e/ou supressão da
(UFC.100mL-1); Salinidade produtores rurais; Atuação da
vegetação; Impacto do uso e
Proposta dos autores (‰); Oxigênio Dissolvido assistência técnica e/ou
ocupação do território; Uso de
(mg.L-1); Aparência da água; extensão rural;
Agrotóxicos nas culturas;
Fluxo hídrico; Cobertura Compartilhamento da água;
Ocorrências de processos erosivos
Vegetal. Controle e conflitos na
no solo; Benfeitorias realizadas
nascente.
no entorno da nascente.

Machado, L. C.; Selva, V. S. F.; Santos, S. M. 011


Journal of Environmental Analysis and Progress V. 03 N. 01 (2018) 008-023

Convém ressaltar que para a maioria dos Machado (2013) e Oliveira (2014) com inclusões
parâmetros da ferramenta considera-se o raio de realizadas no parâmetro “Uso e ocupação do
50 metros do ponto de afloramento da nascente território”, que incorporam as construções e
em alguns dos parâmetros dispostos, conforme apropriações do espaço no entorno das áreas de
prevê a o Novo Código Florestal Brasileiro (Lei nascentes, bem como a preservação da vegetação
Federal n° 12.65/2012). nativa in loco.
Um aspecto importante é que foram Parâmetros da metodologia de Ribeiro
incluídos nove parâmetros, dos 12 abordados na (2014) foram incluídos neste estudo e
metodologia de Pereira (2012), Machado (2013) e enquadrados no eixo ecológico, a saber:
Oliveira (2014), que são: turbidez, presença de salinidade, oxigênio dissolvido e cor da água,
Escherichia coli, presença de resíduos sólidos, uso devido à importância da água para o
direto da água, presença de cobertura vegetal no abastecimento humano e manutenção da vida
entorno, ocorrência de processos erosivos no solo, aquática. Fatores relevantes são as modificações e
uso de agrotóxicos, presença de animais de inclusões realizadas no parâmetro “Desproteção
criação e evidência de queimadas ou corte da física” de Pereira (2012), Machado (2013) e
vegetação, que foram distribuídos no eixo Oliveira (2014), que foi renomeado na adequação
ecológico e no eixo socioterrtorial. para “Benfeitorias realizadas na nascente”.
Ressalta-se que os parâmetros de No parâmetro “Benfeitorias realizadas na
qualidade da água são de extrema importância, nascente” acrescentam-se as atividades de
visto que a água das nascentes é priorizada para o plantação de mudas e cercamento da área da
abastecimento humano, para a subsistência das nascente como benfeitorias participativas e
famílias e desenvolvimento rural dos assentados. adotadas pelos usuários para a conservação das
Desta forma, faz-se necessário justificar a nascentes, além dos aspectos de proteção física,
exclusão do parâmetro da metodologia validada como: a construção de estruturas de alvenaria,
por Pereira (2012), Machado (2013) e Oliveira anéis e tampas de concreto e instalações
(2014), “Suspeita de Agrotóxico na Água”, que se hidráulicas, que protegem a nascente.
tornou redundante, pois a nova proposta não prevê No eixo ecológico, utilizamos os
duas situações locacionais de análise, no corpo e seguintes parâmetros: (a) Turbidez da água; (b)
no entorno da nascente, conforme a metodologia Contaminação por E. coli (UFC/100mL), (c)
original dos autores. Salinidade (‰), (d) Oxigênio Dissolvido (mg/L),
Adaptações foram realizadas no (e) Aparência da água, (f) Fluxo hídrico e (g)
parâmetro “Ocorrência de edificações domésticas Cobertura Vegetal (Quadro 2).
e/ou rurais”, proposto por Pereira (2012),

Quadro 2. Descrição e pontuação dos parâmetros do eixo ecológico da metodologia interdisciplinar para o
potencial de conservação de nascentes. Fonte: Elaborado pelos autores (2017).
Parâmetros

Pontuação

3 2 1 0

≤5. Quando a água >5 ≤ 40. Quando a água >40 ≤ 100. Quando a água >100. Quando a água
apresentar sua turbidez apresentar sua turbidez maior apresentar sua turbidez maior apresentar sua turbidez
inferior ou igual a 5 uT. que 5, inferior ou igual a 40 que 40 e inferior ou igual a superior a 100 uT. Nesta
Turbidez da água
Eixo Ecológico

Nesta situação a água uT. Nesta situação a água 100 uT. Nesta situação a água situação a água obedecerá
estará enquadrada no obedecerá aos padrões e obedecerá aos padrões e aos padrões e condições
(uT)

padrão de aceitação para condições estabelecidos para condições estabelecidas para estabelecidas para águas
consumo humano, na águas doces de classe I, águas doces de classes II e III, doces de classe IV, conforme
classe especial, de acordo conforme a Resolução conforme a Resolução a Resolução CONAMA
com a Portaria n. CONAMA 357/2005. CONAMA 357/2005. 357/2005.
2914/2011 do Ministério
da Saúde (MS).
> 400 ≤ 800. Quando o
>200 ≤ 400. Quando o
Contaminação por

< 1. Quando o resultado da >1 ≤ 200. Quando o resultado resultado da análise


resultado da análise
Escherichia coli
(UFC/100mL)

análise bacteriológica for < da análise bacteriológica for bacteriológica for superior a
bacteriológica for superior a
1 (UFC). Nesta situação a inferior ou igual a 200 (UFC). 400 e inferior ou igual a 800
200 e inferior ou igual a 400
água estará em condições Nesta situação a água estará (UFC). Nesta situação a água
(UFC). Nesta situação a água
de consumo de acordo com em excelente condição para será considerada
estará apropriada para banho,
a Portaria n. 2914/2011 do banho, conforme a Resolução insatisfatória conforme a
conforme a Resolução
Ministério da Saúde (MS). CONAMA n. 274/2000. Resolução CONAMA n.
CONAMA n. 274/2000.
274/2000.

Machado, L. C.; Selva, V. S. F.; Santos, S. M. 012


Journal of Environmental Analysis and Progress V. 03 N. 01 (2018) 008-023
≤ 0,5‰. Quando a > 0,5 < 30‰. Quando a ≥ 30‰. Quando a Não observado. Quando não
concentração de sais da concentração de sais da água concentração de sais da água houver condições para

Salinidade (‰)
água da nascente for igual da nascente for superior a da nascente for igual ou observação e análise da
ou superior a 0,5‰. Nesta 0,5‰ e inferior a 30‰. Nesta superior a 30‰. Nesta situação devido à ausência de
situação a água estará situação a água estará situação a água estará água na nascente.
enquadrada como água enquadrada como salobra, enquadrada como salina,
doce, conforme a conforme a Resolução conforme a Resolução
Resolução CONAMA CONAMA 357/2005. CONAMA 357/2005.
357/2005.
≥ 6 mg/L O2. Quando a ≥5 < 6 mg/L O2. Quando a ≥4 < 5 mg/L O2. Quando a Não observado. Quando não
água apresentar neste água apresentar neste água apresentar neste houver condições para
Oxigênio Dissolvido

parâmetro o valor superior parâmetro o valor superior ou parâmetro o valor superior ou observação e análise da
ou igual a 6 mg/L O2. igual a 5 mg/L O2 e inferior a igual a 4 mg/L O2 e inferior situação devido à ausência de
(mg/L O2)

Nesta situação a água 6 mg/L O2. Nesta situação a que 5 mg/L O2. Nesta situação água na nascente.
obedecerá aos padrões e água obedecerá aos padrões e a água obedecerá aos padrões
condições estabelecidos condições estabelecidos para e condições estabelecidos para
para águas doces de classe águas doces de classe II, águas doces de classe III,
I, conforme a Resolução conforme a Resolução conforme a Resolução
CONAMA 357/2005. CONAMA 357/2005. CONAMA 357/2005.
Não observado. Quando não
Turva. Quando a água da
Aparência
da água

Incolor. Quando a água da Escura. Quando a água da houver condições para


nascente se apresentar turva e
nascente se apresentar nascente se apresentar na cor observação e análise da
houver a presença de sólidos
transparente. escura. situação devido à ausência de
em suspensão.
água na nascente.
Intermitente. Quando a Efêmero. Quando a nascente
Perene. Quando a nascente Não observado. Quando não
nascente apresentar fluxo de apresentar fluxo de água
apresentar fluxo de água houver condições para
hídrico
Fluxo

água apenas nas estações especialmente durante a


anual, considerando ainda, observação e análise da
chuvosas. O fluxo terá ocorrência de precipitações. O
a variação de sua vazão situação devido à ausência de
duração de poucas semanas e fluxo terá duração de poucos
durante o mesmo período. água na nascente.
até meses. dias e horas.
Vegetação arbórea. Pasto e agricultura de ciclo
Agricultura de ciclo curto.
Quando na situação Vegetação arbustiva. Quando longo. Quando na situação
Cobertura

Quando na situação
Vegetal

locacional houver maior na situação locacional houver locacional houver maior


locacional existir na área
ocorrência de espécies maior ocorrência de espécies ocorrência de pasto ou
delimitada a ocorrência de
arbóreas na área arbustivas na área delimitada. agricultura de ciclo longo na
agricultura de ciclo curto.
delimitada. área delimitada.

Considerando os usos e as práticas Neste eixo, podemos incluir: (h) Uso da


cotidianas realizadas no entorno e na própria água; (i) Presença de animais de criação; (j)
nascente, o eixo “Socioterritorial” inclui os Presença de resíduos sólidos; (k) Práticas de
parâmetros que estão diretamente vinculados a queimadas e/ou supressão da vegetação; (l)
estas práticas e se referem aos usos e as ações que Impacto do uso e ocupação do solo; (m) Uso de
de fato são impactantes ou não para manutenção agrotóxicos nas culturas; (n) Ocorrências de
destas fontes (Quadro 3). processos erosivos no solo; e (o) Benfeitorias
realizadas na nascente.

Quadro 3. Descrição e pontuação dos parâmetros do eixo socioterritorial da metodologia interdisciplinar para
o potencial de conservação de nascentes. Fonte: Elaborado pelos autores (2017).
Parâmetros

Pontuação

3 2 1 0

Elevado. Quando a nascente


Eixo Socioterritorial

Eventual. Quando a for utilizada diariamente pela


Moderado. Quando a
nascente não for utilizada comunidade em diversas
nascente for utilizada
diariamente pela comunidade atividades, tais como:
diariamente pela comunidade
Uso da água

Ausente. Quando a nas atividades como: consumo humano, lavagens de


nas atividades como:
nascente não for utilizada consumo humano, lavagens roupa, pratos, dessedentação
consumo humano, lavagens
pela comunidade e usuários de roupa e pratos, de forma de animais de criação,
de roupa e pratos, de forma
em suas atividades diárias. que a intensidade da irrigação de culturas, entre
que a intensidade da captação
captação da água não outras, de forma que a
da água interfira na
interfira na disponibilidade intensidade da captação da
disponibilidade da mesma.
da mesma. água comprometa a
disponibilidade da mesma.
Moderado. Quando se Elevado. Quando for
Eventual. Quando se
Ausente. Quando não se observar maiores evidências frequente a presença e
Presença de
Animais de

observar poucas evidências


observar evidências e/ou e/ou presença de animais de quantidade de vestígios de
criação

e/ou vestígios de animais de


presença de animais de criação que corresponda a animais de criação que
criação que corresponda a
criação na área delimitada uma área superior a 0,5m2 e corresponda uma área superior
uma área com até 0,5m2 da
da nascente. inferior ou igual a 1 m2 da a 1m2 da área delimitada da
área delimitada da nascente.
área delimitada da nascente. nascente.

Machado, L. C.; Selva, V. S. F.; Santos, S. M. 013


Journal of Environmental Analysis and Progress V. 03 N. 01 (2018) 008-023
Eventual. Quando se Moderado. Quando se
Ausente. Quando se observar a presença de observar a presença Elevado. Quando se observar

Presença de
Resíduos
observar a ausência pequena quantidade de considerável de resíduos elevada quantidade de resíduos

Sólidos
vestígios de resíduos resíduos sólidos que sólidos que corresponda a sólidos que corresponda uma
sólidos na área delimitada corresponda a uma área com uma área superior a 0,5m2 e área superior a 1m2 da área
da nascente. até 0,5m2 da área delimitada inferior ou igual a 1 m2 da delimitada da nascente.
da nascente. área delimitada da nascente.
Eventual. Quando se Moderado. Quando se
Elevado. Quando se observar
queimadas e/ou

Quando se observar poucas evidências observar muitas evidências de


supressão da

Ausente.
Práticas de

a prática de queimadas e/ou


vegetação

observar a ausência indícios de queimadas e/ou supressão queimadas e/ou supressão da


supressão da vegetação que
de queimadas e/ou da vegetação que vegetação que corresponda a
corresponda uma área superior
supressão da vegetação na corresponda a uma área com uma área superior a 0,5m2 e
a 1m2 da área delimitada da
área delimitada da nascente. até 0,5m2 da área delimitada inferior ou igual a 1 m2 da
nascente.
da nascente. área delimitada da nascente.
Ausente. Quando na área
Pequeno. Quando na área
Impacto do uso e

delimitada da nascente
delimitada da nascente Moderado. Quando na área Elevado. Quando na área
ocupação do

houver a predominância de
território

existir vegetação, indicada delimitada da nascente não delimitada da nascente não


mata nativa ou em processo
pela predominância de existir vegetação nativa e existir culturas e/ou vegetação
de regeneração natural e
espécies frutíferas e a existir criadouro próximo a e houver a presença de alguma
não houver presença de
construção de residências nascente. fossa próxima a nascente.
edificações/construções na
próxima a nascente.
área delimitada.
Eventual. Quando ocorrer a
Ausente. Quando não Moderado. Quando ocorrer a Elevado. Quando ocorrer a
nas culturas
Agrotóxicos

utilização de agrotóxicos,
forem utilizados utilização de agrotóxicos com utilização de agrotóxicos com
Uso de

com apenas uma aplicação


agrotóxicos nas culturas duas aplicações ao ano nas mais de duas aplicações ao ano
ao ano nas culturas plantadas
plantadas na área delimitada culturas plantadas na área nas culturas plantadas na área
na área delimitada da
da nascente. delimitada da nascente. delimitada da nascente.
nascente.
Ausente. Quando na área Eventual. Quando na área Moderada. Quando na área Elevada. Quando na área
Ocorrências de

delimitada da nascente o delimitada da nascente o solo delimitada da nascente o solo delimitada da nascente o solo
erosivos no
processos

solo estiver coberto por estiver coberto por vegetação estiver pouco coberto por estiver exposto e sem
solo

vegetação, sem evidências e existir poucas evidências vegetação e existir grandes vegetação, apresentando
de processos erosivos tais de processos erosivos, como evidências de processos grandes processos erosivos,
como: rachaduras ou os mencionados erosivos, como os como os mencionados
voçorocas. anteriormente. mencionados anteriormente. anteriormente.
Elevada. Quando na área
entorno da nascente

delimitada da nascente
existir as seguintes práticas: Moderada. Quando na área
realizadas no
Benfeitorias

Eventual. Quando na área Ausente. Quando na área


o plantio de mudas, a delimitada da nascente
delimitada da nascente existir delimitada da nascente não
construção de alvenarias, existir duas ou três, das
apenas uma, das práticas existir nenhuma benfeitoria
anéis e tampas de concreto, práticas mencionadas
mencionadas anteriormente. adotada pelos usuários.
a existência de instalações anteriormente.
hidráulicas e o cercamento
para a proteção da nascente.

Para ampliar a possibilidade de justificando a sua importância interdisciplinar e o


conservação e recuperação de nascentes, parte-se embasamento científico para a sua inclusão no
da ideia de que a inclusão de um eixo político estudo devido à importância da participação da
aponte um resultado mais eficaz para a indicação sociedade na gestão dos recursos ambientais. Os
do potencial de conservação de nascentes. parâmetros apresentados possuem situações
No eixo político (Quadro 4) ressaltamos distintas com intervalos de notas de 0 a 3 pontos,
os parâmetros: (p) Iniciativas de programas e para cada parâmetro.
projetos, com foco na atuação de intervenções Para a indicação do potencial de
para melhoria e conservação das nascentes; (q) conservação das nascentes faz-se necessário o
Atuação da associação/organização de produtores somatório da pontuação dos 20 parâmetros para
rurais, com a finalidade de mensurar a atuação da posterior enquadramento, como: elevado,
comunidade na conservação das nascentes; (r) adequado, intermediário, reduzido e crítico.
Atuação da assistência técnica e/ou extensão rural, A nascente com melhor status de
com foco na atuação da assistência técnica, para conservação deverá alcançar a pontuação máxima
suporte e preparação do agricultor para as práticas no intervalo de 60 a 49 pontos, mostrando-se em
de conservação das nascentes; (s) nível elevado de conservação; na situação
Compartilhamento da água, com a finalidade de “adequada”, a nascente deverá alcançar a
mensurar o uso compartilhado das nascentes e sua pontuação de 48 a 37 pontos, mostrando-se dentro
capacidade de suprir os usos; e, (t) Controle e de uma faixa de intervalo adequada e, portanto,
conflitos na nascente, com foco nas proibições e ainda considerada conservada.
restrições de acesso a água das nascentes, Na situação intermediária, os intervalos de
enquadrados como conflitos de uso da água. enquadramento da nascente encontram-se entre 36
Em suma, a adequação metodológica a 25 pontos, apontando que a nascente atingiu na
dispõe 20 parâmetros distribuídos por eixos, escala uma posição mediana, ou seja, neutra.
Machado, L. C.; Selva, V. S. F.; Santos, S. M. 014
Journal of Environmental Analysis and Progress V. 03 N. 01 (2018) 008-023

Quadro 4. Descrição e pontuação dos parâmetros do eixo político da metodologia interdisciplinar para o
potencial de conservação de nascentes. Fonte: Elaborado pelos autores (2017).
Parâmetros Pontuação

3 2 1 0

Elevada. Quando existir um Moderada. Quando houver Eventual. Quando houver um Ausente. Quando não existir
conjunto de iniciativas em um conjunto de iniciativas em conjunto de intenções por iniciativa de
Iniciativas de
Programas e

fase de execução realizadas fase de planejamento programas/projetos para a programas/projetos para a


projetos

por programas/projetos para realizadas por recuperação ou melhoria das recuperação ou melhoria das
a recuperação ou melhoria programas/projetos para a condições da nascente. condições da nascente.
das condições da nascente. recuperação ou melhoria das
condições da nascente.
Elevada. Quando existir a Moderada. Quando existir a Eventual. Quando existir Ausente. Quando não existir
Associação/organizaç

realização de reuniões e realização de reuniões apenas a realização de reuniões a atuação através da


ão de produtores

solicitação de apoio externo frequentes da sem a abordagem para a realização de reuniões da


Atuação da

com frequência da Associação/organização de conservação da nascente por Associação/organização de


rurais

Associação/organização de produtores rurais para a parte da produtores rurais para a


produtores rurais para a conservação da nascente. Associação/organização de conservação da nascente.
conservação da nascente. produtores rurais.
Eixo Político

Elevada. Quando existir a Moderada. Quando existir a Eventual. Quando existir a Ausente. Quando não existir
Atuação da assistência

atuação significativa da atuação moderada da atuação esporádica da atuação da assistência técnica


técnica e/ou extensão

assistência técnica ou de assistência técnica ou de assistência técnica ou de ou de extensionistas com o


extensionistas através de extensionistas através de extensionistas através de envolvimento de ações e
visitas mensais ou visitas semestrais, com o visitas anuais com o práticas de conservação na
rural

trimestrais com envolvimento de ações e envolvimento de ações e área da nascente no período


envolvimento de ações e práticas de conservação na práticas de conservação na área superior a 1 ano.
práticas de conservação na área da nascente. da nascente.
área da nascente.

Razoável. Quando houver Moderado. Quando houver Elevado. Quando não houver Não observado. Quando não
Compartilhamento

água em abundância na água em abundância e existir água em abundância e existir existir água em abundância e
nascente e não ocorra o significante compartilhamento significante compartilhamento não for possível o
compartilhamento da água entre usuários e comunidades, da água, de forma que ofereça compartilhamento da água
da água

entre os usuários. de forma que não ofereça riscos à conservação da entre os usuários.
riscos à conservação da nascente e interferência na sua
nascente e interferência na sua disponibilidade de água.
disponibilidade de água.

Ausente. Quando não Eventual. Quando existir na Moderado. Quando existir na Elevado. Quando existir na
Controle e conflitos

houver na área delimitada área delimitada situações área delimitada situações área delimitada situações
indícios de controle e desagradáveis que indique a desagradáveis que indique a desagradáveis que indique a
na nascente

conflitos entre os usuários de presença de controle e presença de controle e presença de controle e


água e o uso da água seja de conflitos entre os usuários de conflitos entre os usuários de conflitos entre os usuários de
forma amigável. água, de forma que nenhum água, de forma que o usuário água, de forma que o usuário
usuário fique impedido de usar fique impedido de usar a água fique impedido de usar a
a água da nascente. no intervalo de tempo inferior água no intervalo de tempo
a 6 meses. superior a 6 meses.

A nascente com o potencial de A presença de material em suspensão,


conservação reduzido estará enquadrada nos como, por exemplo, partículas minerais e algas,
intervalos de 24 a 13 pontos, restando o nível mais afeta diretamente a turbidez, que por sua vez
crítico de conservação da nascente nos intervalos dificulta, e até mesmo impede, a penetração de luz
de pontuação de 12 a 0, considerado estado de na água (Pereira, 2012).
alerta da nascente. Os valores de turbidez da água devem
obedecer aos padrões e condições estabelecidos
Discussão para as classes de água, que são aceitáveis para o
Os parâmetros de Turbidez são consumo humano, como também para outras
justificados pela importância da penetração da luz atividades previstas na Resolução Conama n° 357,
neste meio, pois é através da luz que a fotossíntese de 17 de março de 2005, e, ainda, na Portaria do
pode ser realizada e este fator é essencial por Ministério da Saúde n° 2914, de 12 de dezembro
permitir a sobrevivência do meio biótico (Braga, de 2011. Para a turbidez são considerados os
2005). Com a presença de sólidos suspensos na intervalos ≤5, >5≤40, >40≤100 e >100 uT.
água há interferências na entrada de luz (reflexão) O oxigênio dissolvido é considerado um
que consequentemente compromete a realização dos constituintes mais importantes dos recursos
da fotossíntese. hídricos, pois atua como um importante indicador

Machado, L. C.; Selva, V. S. F.; Santos, S. M. 015


Journal of Environmental Analysis and Progress V. 03 N. 01 (2018) 008-023

de qualidade da água devido a sua relação direta 2914 de 12 de dezembro de 2011, que dispõe
com os tipos de organismos que podem sobreviver sobre os procedimentos de controle e de vigilância
em um corpo d’água. A sua ausência denota a da qualidade da água para consumo humano e seu
presença de poluição de origem orgânica e, em tal padrão de potabilidade, e ainda, a Resolução
ambiente só sobrevivem os organismos Conama, n° 274, de 29 de novembro de 2000, que
anaeróbios. revisa os critérios de balneabilidade. Os valores
A presença de sais dissolvidos na água encontrados nas nascentes são enquadrados nos
também pode conferir à água sabor salino e padrões de potabilidade e balneabilidade, ambos,
características incrustantes, o que justifica a indicando a água como satisfatória para as
presença destes dois parâmetros devido à distintas atividades de abastecimento humano
importância do uso das nascentes para o previstas no uso das nascentes.
atendimento às demandas de consumo humano, Os valores apresentados na medição do
tais como: a ingestão, a higiene e a preparação de parâmetro “Contaminação da água por E. coli”
alimentos (Braga, 2005). nas nascentes permite que a água seja enquadrada
Considerando a Resolução Conama n° em quatro situações: <1; >1≤200; >200≤400; e,
357/2005, os valores para os parâmetros >400 UFC/100mL. O primeiro intervalo será
“Oxigênio dissolvido” e “Salinidade”, devem se enquadrado nos padrões de potabilidade da
enquadrar nos padrões e condições estabelecidos referida Portaria, sendo os três últimos intervalos
na referida norma. Nesse sentido, a resolução enquadrados nos padrões de balneabilidade de
serviu de base para a criação de uma escala de acordo com a Resolução Conama n° 274/2000.
avaliação que permitisse atribuir notas aos dois Nas nascentes rurais além da ingestão da água há
parâmetros mencionados neste eixo. também o contato secundário, realizado atráves do
Os valores apresentados nas medições dos banho.
parâmetros “Salinidade” e “Oxigênio dissolvido” Considerando o parâmetro “Cobertura
das nascentes avaliadas permitem que a água seja vegetal”, busca-se indicar qual o tipo de vegetação
enquadrada em situações. Com relação à o entorno da nascente apresenta, permitindo ainda
salinidade, como doce (≤0,5%), no segundo, como relacioná-lo diretamente com as atividades
salobra (>5%<30%), no terceiro, como salina antrópicas realizadas na área pela comunidade,
(≥30%) e, por último, não observada. Na situação como a exemplo, a prática da agricultura de ciclo
“não observada”, não haverá condições para longo e curto. Ressalta-se que a melhor pontuação
observação e análise da situação devido à deste parâmetro ocorre devido a uma maior
ausência de água na nascente. quantidade de espécies arbóreas na sua área
Com relação ao oxigênio dissolvido, nos delimitada, no raio de 50 metros do ponto de
intervalos: ≥6 mg.L-1 O2; ≥5<6 mg.L-1 O2; ≥4<5 afloramento da nascente.
mg.L-1 O2; e, não observada; na última situação, a O parâmetro cobertura vegetal considera o
ausência de água na nascente, o que impede as previsto na Resolução Conama n° 303, de 20 de
análises in loco e o seu enquadramento. março de 2002, que, em seu Art. 3°, inciso II,
No parâmetro “Aparência da água”, a determina que as APP’s são áreas protegidas,
água analisada é enquadrada nos seguintes cobertas ou não por vegetação nativa e que a ela
aspectos: incolor, turva, escura e não observada. incumbe-se a função ambiental de preservar os
Nesta última situação, a ausência de água na recursos hídricos, a paisagem, a estabilidade
nascente impede as observações in loco, bem geológica e a biodiversidade. Também são áreas
como o seu enquadramento. que facilitam o fluxo gênico de fauna e flora,
O parâmetro “Contaminação da água por protegem o solo e são capazes de assegurar o
E. coli” também é considerado um importante bem-estar das populações (Brasil, 2012).
critério de análise, devido ao principal uso das Estudos realizados por Silva et al. (2017)
nascentes nos espaços rurais, que são destinadas, apontaram o conflito do uso e da ocupação do
prioritariamente, para a ingestão humana e solo nas Áreas de Proteção Permanente-APP’s,
consumo doméstico. A contaminação da água por evidenciando a presença do pasto como principal
micro-organismos patogênicos pode ocasionar atividade antrópica nas áreas legalmente
doenças de veiculação hídrica, que por sua vez protegidas. Resende et al. (2009), no que se refere
podem causar incapacitação temporária ou até à presença de vegetação no entorno das nascentes,
mesmo a morte em seus usuários. apontaram um bom estado de preservação das
Para o enquadramento e avaliação deste
parâmetro, consideramos a Portaria do MS, n°

Machado, L. C.; Selva, V. S. F.; Santos, S. M. 016


Journal of Environmental Analysis and Progress V. 03 N. 01 (2018) 008-023

fontes que possuíam a presença de vegetação na poderá ser enquadrada nos intervalos: ausente,
APP com área igual ou superior a 50 metros de eventual, moderado e elevado.
cobertura vegetal. O uso ausente indica a não utilização da
Para o parâmetro “cobertura vegetal” são nascente pela comunidade/usuários; o uso
consideradas quatro situações. A primeira, quando eventual quando a nascente não for utilizada
houver maior existência de espécies arbóreas no diariamente pelos usuários nas atividades
seu entorno, a segunda, quando a maior relacionadas ao consumo humano, por exemplo,
ocorrência for de espécies arbustivas, a terceira, na lavagem de pratos e/ou roupas de forma que a
quando na situação locacional a predominância captação não interfira na disponibilidade da água.
for pasto ou agricultura de ciclo longo e, na última No uso moderado quando for utilizada
situação, quando existir maior ocorrência da diariamente pelos usuários nas atividades
prática de agricultura de ciclo curto no seu relacionadas ao consumo humano, de forma que a
entorno. captação interfira na disponibilidade de água da
Ainda no eixo ecológico, ressaltamos a nascente; e no elevado, quando a nascente for
importância do último parâmetro “Fluxo Hídrico”, utilizada diariamente nas atividades de consumo
apontado no conceito de Valente & Gomes humano, em lavagens de roupa e/ou pratos, e
(2011). Os autores classificam as nascentes dos ainda, na dessedentação de animais de criação, na
cursos de água de acordo com a sua vazão, na irrigação de culturas, entre outras atividades, de
persistência de seus fluxos, como: perene, forma que a intensidade da captação da água
intermitente, temporária ou efêmera. O fluxo da comprometa diretamente a disponibilidade hídrica
água é levado em consideração, tendo em vista a e vazão da nascente.
sua importante relação com os usos e as práticas Os parâmetros “Presença de animais de
que são desenvolvidas pelas comunidades, que se criação”, “Presença de resíduos sólidos” e “Uso
apropriam das nascentes como principal fonte de de agrotóxicos nas culturas” são de extrema
água nestes espaços. importância visto que refletem as práticas
No parâmetro “Fluxo Hídrico”, os impactantes desenvolvidas no meio rural e que
intervalos utilizados são: perene, intermitente, podem interferir diretamente na conservação das
temporário ou efêmero e não observado. Perene, nascentes, resultando em um processo de poluição
quando a nascente se manifestar o ano todo, e comprometimento dos corpos d’água. Nesse
mesmo com variações de vazão; intermitente, sentido, Pinto et al. (2004) constataram em seu
quando a nascente possuir vazão no período estudo que as principais perturbações encontradas
chuvoso, secando apenas na estação seca; nas nascentes foram: compactação do solo pelo
temporário ou efêmero, quando a nascente gado e pelas práticas de preparo para o plantio de
apresentar vazão somente com resposta direta à culturas agrícolas, presença de lixo, estrume,
precipitação, por poucas horas; e na última erosão, grandes voçorocas e desmatamento.
situação quando não houver condições para Resende et al. (2009) também identificaram
observação direta e análise da situação in loco. que os principais fatores de perturbação em APP’s
Pinto et al. (2004) mencionaram a extrema são: (a) presença de animais, (b) escoamento
importância do uso adequado da terra e de práticas superficial de sedimentos e resíduos oriundos das
de conservação dos solos nestas áreas, para que atividades agropecuárias no entorno das
possa permitir a interceptação da água da chuva, nascentes, (c) presença de resíduos sólidos como
reduzir a quantidade e a velocidade do garrafas plásticas, latas e vasilhames de insumos
escoamento superficial e aumentar a sua agrícolas, (d) desmatamento, (e) presença de
infiltração, possibilitando assim a recarga do plantas invasoras, (f) queimadas e (g) intervenção
lençol freático que é responsável pela alimentação antrópica na nascente, como exemplo, o desvio do
das nascentes e consequentemente por sua vazão. curso de água para irrigação e uso de APP para
De acordo com a disponibilidade de água plantações.
presente nas nascentes, faz-se necessário avaliar o Desta forma, o pisoteio de animais e seus
uso direto da água pela comunidade, considerando dejetos, bem como o descarte inadequado de
a intensidade do uso e sua captação, e ainda, quais resíduos e substâncias nocivas à saúde podem
as atividades que demandam em maior quantidade contaminar a água da nascente e trazer riscos as
o uso da água da nascente. Neste parâmetro, os pessoas que possuem estas fontes como principal
usos da água não devem comprometer a sua meio de abastecimento. Palivoda & Povaluk
disponibilidade. (2015) encontraram, nas nascentes na área rural
Dentre as situações que podemos verificar do município de Itaiópolis no Estado de Santa
in loco no parâmetro “Uso da água”, a nascente Catarina, valores altos de coliformes totais devido
à presença de gado no entorno destas áreas, o que

Machado, L. C.; Selva, V. S. F.; Santos, S. M. 017


Journal of Environmental Analysis and Progress V. 03 N. 01 (2018) 008-023

indica que os dejetos são infiltrados no solo e, superficial, o derrame de pulverização e o fluxo
consequentemente, no lençol subterrâneo de contaminantes subterrâneos.
resultando na contaminação das nascentes. Entende-se que os processos erosivos são
Sobre esse aspecto, no parâmetro “Presença eventos naturais que podem ser intensificados pela
de animais de criação”, os intervalos utilizados ação humana na medida em que são realizados
para a análise da situação in loco são: ausente, usos inadequados do solo e práticas nocivas ao
eventual, moderado e elevado. meio ambiente. Convém ressaltar também sobre a
No intervalo ausente, quando não se importância da vegetação ciliar para as nascentes,
observar evidências e/ou presença de animais de visto que a redução da mesma oferece grandes
criação; no eventual, quando na área delimitada se consequências ao ambiente, dentre elas: o
observar poucas evidências e/ou presença de aumento relevante dos processos de erosão nos
animais de criação com até 0,5 m2 da área solos, redução da biodiversidade e ainda prejuízos
delimitada; no moderado, quando se observar na hidrologia local.
maiores evidências e/ou frequente presença de O parâmetro “ocorrência de processos
animais de criação (>0,5≤1 m2) da área erosivos no solo” possui os seguintes critérios de
delimitada; e no elevado, quando além da observação: ausente, eventual, moderado elevado.
presença frequente de animais houver grande O ausente, quando na área delimitada da nascente
quantidade de vestígios acima de 1m2 da área não existir evidências de processos erosivos e o
delimitada da nascente. solo estiver coberto por vegetação; o eventual,
Para o parâmetro “Presença de resíduos quando o solo existir presença de vegetação e
sólidos” são intervalos de análise: ausente, poucas evidências de processos erosivos tais
eventual, moderado e elevado. No intervalo como: rachaduras ou voçorocas; o moderado,
ausente, quando não existir presença de resíduos quando na área delimitada o solo estiver pouco
na área delimitada da nascente; no eventual, coberto por vegetação e existir grandes evidências
quando se observar a presença de pequena de processos erosivos, corforme mencionado
quantidade de resíduos sólidos com até 0,5 m2 na anteriormente; e elevado, quando o solo estiver
área; o moderado, quando for considerável a totalmente exposto com a existência de grandes
presença de resíduos na área (>0,5≤1m2); e processos erosivos corforme mencionado
elevado, quando se observar grande quantidade de anteriormente na área delimitada da nascente.
resíduos sólidos na área, ultrapassando 1 m2 da Balbinot et al. (2008) trataram da dinâmica
área delimitada da nascente. das nascentes e do lençol freático, que pode ser
No parâmetro “Uso de agrotóxicos nas modificada conforme a utilização de práticas e
culturas”, são critérios de observação as seguintes diferentes formas de manejo da vegetação no
situações: ausente, eventual, moderado e elevado. entorno destas fontes. Sob este aspecto, os autores
No ausente, quando não existir o uso de indicam que a redução da cobertura vegetal
agrotóxicos; no eventual quando se constatar o contribui para a diminuição da infiltração da água
uso de agrotóxicos com uma única aplicação ao no solo e influencia no aumento da vazão de
ano nas culturas plantadas na área delimitada da escoamento (formação de enxurradas), o que
nascente; no moderado, quando se constatar o uso podem reduzir a vazão das nascentes ou, até
de agrotóxicos com duas aplicações ao ano; e no mesmo, comprometer a existência das mesmas. O
elevado, quando o uso ultrapassar três aplicações estudo aponta a importância da presença de
ao ano nas culturas plantadas na área delimitada vegetação no entorno da nascente para facilitar o
da nascente. processo de infiltração da água nos lençóis
Com relação ao uso de substâncias nocivas freáticos e, consequentemente, para que ocorra o
nas práticas utilizadas no entorno de nascentes, aumento da disponibilidade hídrica da nascente.
Laini et al. (2012) realizaram um estudo sobre a Pereira (2012) afirma que o controle da
contaminação e a dispersão de herbicidas em quantidade e qualidade dos recursos hídricos
nascentes de planícies, indicando que a depende do disciplinamento do uso e ocupação do
contaminação por herbicidas é considerada uma solo na bacia hidrográfica. Sobre este aspecto, a
séria ameaça aos ecossistemas que dependem da autora afirma que este disciplinamento deve ser
água subterrânea. No estudo os autores indicam feito de modo a provocar alterações compatíveis
que a gestão a as práticas agrícolas adequadas são com os mananciais, levando em consideração a
benéficas e reduziriam a contaminação das fontes. função dos seus usos, pois, o ciclo hidrológico e a
Nesse sentido, Krutz et al. (2005) e Borin et al. gênese dos corpos d’água podem ser afetados
(2010) indicam o uso de tiras ripícolas como severamente.
medida benéfica para prevenir escoamento Considerando o “Impacto do uso e
ocupação do solo”, Mendonça (2000) afirma

Machado, L. C.; Selva, V. S. F.; Santos, S. M. 018


Journal of Environmental Analysis and Progress V. 03 N. 01 (2018) 008-023

sobre a forte relação entre a degradação paulatina biológica insubstituível, uma séria ameaça à
de APP’s aos eventos como: o parcelamento de existência das nascentes e, consequentemente, dos
determinada área; os consequentes processos de cursos de água que delas dependem (Resende et
retirada da vegetação; a impermeabilização do al., 2009).
solo e as ações antrópicas promovidas por Considerando o parâmetro “Benfeitorias
moradores. Pinto et al. (2004) indicaram que a realizadas na nascente”, indicamos as possíveis
ocupação das áreas de recarga com pastagem, práticas benéficas às nascentes que são realizadas
cultivo agrícola e café é um forte indício para o e adotadas pela comunidade que utiliza o recurso.
aumento de nascentes perturbadas e degradadas. De acordo com este parâmetro, são consideradas
Rossi et al. (2015) realizaram um estudo benfeitorias: (a) construção de alvenarias, anéis e
sobre as interferências geológicas na qualidade da tampas de concreto, (b) existência de instalações
água de nascentes boreais, apontando nos hidráulicas, (c) cercamento para proteção da
resultados indícios da prática de agricultura em nascente, e (d) plantio de mudas em seu entorno.
pequena escala na água das nascentes como fator Sobre o plantio no entorno das nascentes,
de comprometimento da água. Rodrigues & Gandolfi (2000) afirmam que, para a
Considerando o parâmetro “Impacto do uso recuperação de áreas totalmente degradadas,
e ocupação do solo”, as situações observadas in sugere-se a implantação de consórcios de
loco são: ausente, pequeno, moderado e elevado. diferentes espécies arbóreas introduzidas na área
No ausente, na área delimitada deve predominar a através do plantio alternado ou de combinações de
mata nativa ou em processo de regeneração espécies.
natural; no pequeno, na área delimitada quando Sendo assim, as iniciativas como proteger a
existir a predominância de diversas culturas e/ou nascente com estruturas de proteção, e ainda,
espécies frutíferas e a construção de residências plantar mudas de espécies arbóreas no seu entorno
próxima a nascente; no moderado, quando na área são consideradas como medidas que devem ser
delimitada não existir vegetação nativa e existir incluídas como parâmetro no estudo. Ressalta-se
criadouro próximo a nascente; e no elevado, que as nascentes, quando utilizadas pela
quando não existir culturas e/ou vegetação e comunidade, devem-se ter condições adequadas
houver a presença de alguma fossa séptica de uso, como exemplo, a instalação de estruturas
próxima a nascente. físicas protetoras, a fim de evitar a contaminação
Com relação às práticas de queimadas e/ou das águas e proliferação de doenças.
supressão da vegetação, a nascente poderá ser Nesse sentido, o parâmetro “Benfeitorias
enquadrada nos intervalos: ausente, eventual, realizadas na nascente”, prevê as seguintes
moderado e elevado. situações: elevada, moderada, eventual e ausente.
No intervalo ausente, quando se observar a Na situação elevada enquadram-se práticas
ausência de queimadas e/ou supressão da como o plantio de mudas, a construção de
vegetação na área delimitada da nascente; no alvenarias, anéis e tampas de concreto, a
eventual, se observar poucas evidências de existência de instalações hidráulicas e o
queimadas e/ou supressão da vegetação que cercamento para a proteção da nascente; na
corresponda a uma área com até 0,5 m2 da área moderada, quando existir duas ou três das práticas
delimitada da nascente. mencionadas na primeira situação; na eventual,
No intervalo moderado, quando se observar quando apenas existir uma das práticas
muitas evidências de queimadas e/ou supressão da mencionadas; e ausente, quando na área
vegetação que corresponda a uma área maior do delimitada não existir nenhuma benfeitoria
que 0,5 m2 e menor ou igual a 1 m2 da área realizada, indicando descaso e falta de
delimitada da nascente; e no elevado, se observar comprometimento com a conservação da nascente
a prática de queimadas e/ou supressão da por parte dos usuários.
vegetação que corresponda uma área maior do que Considerando o parâmetro “Iniciativas de
1m2 da área delimitada da nascente. programas e projetos”, dispõe das iniciativas por
Destarte, os parâmetros como a presença de parte do poder público, organizações não
animais de criação, de resíduos sólidos, de governamentais ou instituições privadas, através
queimadas e/ou supressão da vegetação, de de projetos ou programas com a finalidade de
processos erosivos no solo, e ainda, de recuperar ou realizar melhorias nas áreas de
agrotóxicos nas nascentes são fatores de grande nascentes que sofrem ou possam sofrer impactos
importância na verificação dos impactos que são decorrentes de ações antrópicas.
ocasionados pelos usos, práticas e apropriações Dentre as situações descritas, a nascente
destas áreas pela comunidade. O desmatamento poderá ser enquadrada nos intervalos: elevado,
destas áreas representa a perda de uma diversidade moderado, eventual e ausente nas ações

Machado, L. C.; Selva, V. S. F.; Santos, S. M. 019


Journal of Environmental Analysis and Progress V. 03 N. 01 (2018) 008-023

realizadas. No elevado, quando houver um estabelecimento como agricultores familiares em


conjunto de iniciativas em fase de execução áreas de assentamentos rurais.
realizadas por algum programa/projeto em Considerando o parâmetro de “Atuação da
funcionamento para a recuperação das nascentes; associação/organização de produtores rurais”,
o moderado, quando o conjunto de iniciativas serão avaliadas a atuação da
estiver em fase de planejamento, sob as mesmas associação/organização de produtores locais com
condições mencionadas anteriormente; o eventual, relação ao envolvimento e iniciativas para
quando houver um conjunto de intenções por atividades de melhorias e conservação das
parte de programas/projetos; e o ausente, quando nascentes. Nesse sentido, as associações e
não existir nenhuma iniciativa que tenha como cooperativas são como instrumentos de mediação,
objetivo recuperar e conservar as nascentes. interlocução e tradução, que refletem uma forma
Ressalte-se que a importância de projetos de organização social, produtiva e de uso dos
nestas áreas potencializa a atuação da recursos naturais (Miranda, 2011). No parâmetro
comunidade/usuários para uso adequado das indicado, os intervalos adotados são: elevado,
nascentes, seja no estímulo de práticas moderado, eventual e ausente.
agroecológicas e na própria conscientização No intervalo elevado, quando existir
ambiental. significativa atuação e envolvimento com relação
Nesse sentido, Pereira (2012) constatou às iniciativas de melhorias e conservação das
através do Projeto Nascentes do Natuba, que a nascentes; no moderado, quando for moderada a
qualidade e quantidade de água disponibilizada atuação e envolvimento em prol de melhorias e
pelas nascentes podem ser melhoradas desde que conservação das nascentes; no eventual, quando a
sejam adotadas medidas de recuperação, atuação e iniciativas forem esporádicas; e no
contribuindo desta forma para a sustentabilidade ausente, quando não existir nenhuma
ambiental do assentamento. Dentre as principais associação/organização de produtores rurais no
atividades realizadas no projeto, pode-se indicar: assentamento.
as ações de conservação da nascente, com o O parâmetro “Atuação da assistência
replantio de espécies nativas em seu entorno; e os técnica e/ou extensão rural”, responderá sobre
planos de intervenção física, com a recuperação e todo o acompanhamento e atuação da assistência
proteção de algumas nascentes utilizando técnica ou extensionistas com relação às
estruturas protetoras. orientações e apoio nas atividades que, de forma
Nesta mesma perspectiva, o projeto Olho direta ou indireta, estão relacionadas às práticas e
D’Água, com início das atividades em 2002, usos da água das nascentes. Na proposta, entende-
desenvolveu ações de preservação e recuperação se que são essenciais o apoio e o estímulo de
de nascentes que abastecem o Rio Tabatinga em extensionistas nas práticas ecologicamente viáveis
Minas Gerais, o qual objetivou a promoção da e que considerem os aspectos de proteção e
sustentabilidade de pequenas propriedades rurais conservação das nascentes.
no cerrado e conscientização da comunidade. Considerando o parâmetro “Atuação da
Dentre as principais ações indicadas no projeto, assistência técnica e/ou extensão rural” considera-
destacam-se a necessidade de intervenções por se o previsto na Lei nº 12.188, de 11 de janeiro de
parte da comunidade e de órgãos públicos, na 2010, que institui a Política Nacional de
adoção de medidas mitigadoras dos impactos Assistência Técnica e Extensão Rural para a
indicados, tais como: a recomposição de matas Agricultura Familiar e Reforma Agrária-
ciliares e da prática do manejo sustentável no PNATER, que preconiza a autação da assistência
local (Duarte et al., 2004). técnica e extensão rural com o suporte às
Considera-se, também, na proposta, a atividades desenvolvidas no campo com a
importância da atuação da associação/organização conservação dos recursos naturais.
e ou cooperativas de produtores, que são, de fato, A Lei nº 12.188/2010 objetiva: a promoção
instituições sociais responsáveis pela consolidação do desenvolvimento rural sustentável, o
de projetos dentro de assentamentos e que buscam desenvolvimento de ações voltadas ao uso,
a solução de interesses e melhoria nas condições manejo, proteção, conservação e recuperação dos
de vida, tanto nos aspectos sociais, econômicos e recursos naturais, dos agroecossistemas e da
políticos, como também ambientais. biodiversidade e construção de sistemas de
Miranda (2011) aponta o potencial das produção sustentáveis a partir do conhecimento
organizações sociais e produtivas, indicando a científico, empírico e tradicional.
valorização da participação dos assentados nas Nesse sentido, Silva & Braga (2010)
decisões coletivas, nos projetos produtivos e de identificaram desafios com relação à adequação
gestão ambiental para o verdadeiro

Machado, L. C.; Selva, V. S. F.; Santos, S. M. 020


Journal of Environmental Analysis and Progress V. 03 N. 01 (2018) 008-023

ambiental e conservação de nascentes em O estudo constatou as inúmeras práticas de


assentamentos rurais, como: (a) os conflitos entre apropriação, as causas imediatas dos conflitos e as
a conservação e a prática da agricultura familiar; consequências destas práticas realizadas pelos
(b) a falta de planejamento na distribuição da terra usuários da barragem, que são: as empresas
e orientação de seu uso; (c) a carência de privadas, o poder público, os pescadores, os
estratégias de sustentabilidade em áreas de agricultores, os proprietários de terra e a
assentamento rurais por parte do Instituto Cooperativa Mista dos Trabalhadores Rurais e
Nacional de Colonização e Reforma Agrária - Agricultura Familiar de Carpina (COMTRAF).
INCRA; e d) a ausência de assistência técnica Sobre este aspecto, Little (2001) indica os
para melhor aproveitamento para fins agropastoris conflitos ambientais como disputas entre diversos
e conservacionistas. grupos sociais derivados de diferentes tipologias
Diante do exposto, torna-se fundamental de relações que são mantidas com o meio natural.
incluir como parâmetro a atuação da assistência Neste último parâmetro são avaliadas as
técnica/extensão rural, pois são através de situações que indiquem a presença de
processos educativos não formais que são permissões/controle no uso da nascente por parte
oferecidos subsídios para as ações de conservação dos usuários/comunidade local. Os intervalos para
e uso das nascentes. análise do parâmetro são: ausente, eventual,
No parâmetro, “Compartilhamento da moderado e elevado.
água”, se objetiva a verificação do uso intenso da No intervalo ausente, na área delimitada
água, quando esta for compartilhada com as não teremos indícios de controle e conflitos entre
famílias/comunidade no local. os usuários de água; no eventual, na área
Estudos realizados por Machado (2013) delimitada teremos indícios de controle e
indicaram que as nascentes que possuíam grande conflitos, de forma que não sejam prejudiciais à
oferta hídrica e qualidade satisfatória de água conservação da nascente; no moderado, quando na
eram compartilhadas entre diversos usuários das área delimitada existirem controles e conflitos de
parcelas do Assentamento Caricé, na zona rural da forma esporádica, que sejam prejudiciais à sua
Mata Sul de Pernambuco. Sobre este ponto de conservação; e no elevado, quando existirem
vista, o foco do parâmetro é relacionar a oferta conflitos e controles graves que interfiram e
hídrica e o compartilhamento da água, de forma prejudiquem diretamente à conservação da
que esta prática não ofereça riscos à conservação e nascente.
não interfira na vazão da nascente.
Na situação, os riscos de conservação serão Conclusão
observados através dos intervalos: razoável, A partir da adequação metodológica com
moderado, elevado e não observado. inclusões e adaptações de metodologias existentes
No primeiro, quando se observar a e com o acréscimo de uma nova abordagem com
disponibilidade de água e o seu não parâmetros de ordem política, o presente estudo
compartilhamento, ou quando existir complementa as metodologias existentes e aponta
compartilhamento razoável entre os uma nova ferramenta interdisciplinar para a
usuários/comunidade e disponibilidade hídrica em avaliação do potencial de conservação das
abundância de forma a não oferecer riscos à nascentes, mostrando-se inovadora,
nascente; no segundo, quando houver água e seu principalmente por sua nova abordagem que
compartilhamento for moderado, de forma que mensura a partir de eixos, todas as relações
não ofereça também riscos à nascente; no terceiro, existentes nestas áreas, de ordem ecológica,
quando não houver água em abundância e existir o socioterritorial e política.
compartilhamento intenso, de forma que ofereça A metodologia proposta permitirá a
riscos à conservação da nascente; e no último, indicação do potencial de conservação das
quando não existir água suficiente na nascente que nascentes, permitindo a potencialização de ações
permita o seu compartilhamento. de conservação e recuperação de nascentes de
No parâmetro “Controle e conflitos na forma interdisciplinar, com enfoque na
nascente”, ressaltamos a averiguação de possíveis participação e envolvimento comunitário, com
conflitos e controles no uso da água das nascentes probabilidade de subsidiar futuras ações e projetos
que refletem diretamente na sua conservação. de recuperação, respeitando o contexto local e o
Estudos realizados por Araújo (2012) uso da água por parte dos usuários.
apontaram os conflitos no uso dos recursos A presente proposta identifica e preenche
hídricos do reservatório público de Carpina em lacunas na temática indicada, a exemplo, na
Pernambuco que refletiam impactos, tanto do abordagem interdisciplinar, que considera a
ponto de vista ambiental, como social e político. utilização de novos parâmetros para a conservação

Machado, L. C.; Selva, V. S. F.; Santos, S. M. 021


Journal of Environmental Analysis and Progress V. 03 N. 01 (2018) 008-023

das nascentes, com vistas para o abastecimento buffer strips in farming areas. Europ. J.
humano. Trata-se de uma importante ferramenta Agronomy, n. 32. p. 103-111.
para a superação dos conflitos existentes entre
conservação e utilização dos recursos naturais, em CONAMA. Conselho Nacional do Meio
específico, dos usos e práticas realizadas nas Ambiente, 2000. Resolução n° 274: critérios de
nascentes nos espaços rurais e o fortalecimento de balneabilidade em águas brasileiras Brasília.
políticas que considerem as especificidades do
meio rural. CONAMA. Conselho Nacional do Meio
Ambiente, 2002. Resolução n° 303: parâmetros,
Agradecimentos definições e limites de Áreas de Preservação
A primeira autora agradece o apoio Permanente. Brasília.
financeiro da Coordenação de Aperfeiçoamento
de Pessoal de Nível Superior (CAPES), através da CONAMA. Conselho Nacional do Meio
concessão de bolsa de estudo, ao Programa de Ambiente, 2005. Resolução n° 357: classificação
Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio dos corpos de água e diretrizes ambientais para o
Ambiente da Universidade Federal de seu enquadramento, bem como estabelece as
Pernambuco (UFPE). condições e padrões de lançamento de efluentes.
Brasília.
Referências
ARAÚJO N. C. F. DE. 2012. Conflitos ambientais DAVIS, J. A.; KEREZSY, A.; NICOL, S. 2016.
tendo como objeto o uso da água de reservatório Springs: Conserving perennial water is critical in
público. Dissertação de Mestrado, Universidade arid landscapes. Biological Conservation, n. 211,
Federal de Pernambuco. Recife, Pernambuco. p. B, p. 30-35.
139p.
DUARTE, F. V. et. al. 2004. Projeto Olho
BALBINOT, R.; OLIVEIRA, N. K. DE; D’água-Preservação e Recuperação de Nascentes.
VANZETTO, S. C.; PEDROSO, K.; VALERIO, Anais do II Congresso Brasileiro de Extensão
A. F. 2008. O papel da floresta no ciclo Universitária, Belo Horizonte, Minas Gerais,
hidrológico em bacias hidrográficas. Ambiência - Brasil, UFMG. pp. 1-8.
Revista do Setor de Ciências Agrárias e
Ambientais, v. 4, n. 1. p. 1-19. FELIPPE, M. F.; MAGALHÃES JUNIOR, A. P.
2013. Conflitos conceituais sobre nascentes de
BARRETO, S. R.; RIBEIRO, S. A.; BORBA, M. cursos d’água e propostas de especialistas.
P. 2010. Nascentes do Brasil: estratégias para a Geografias, v. 9, n. 1, p.70-81.
proteção de cabeceiras em bacias hidrográficas.
WWF-Brasil, São Paulo. KRUTZ, L, 2005. Reducing herbicide runoff from
agricultural fields with vegetative filter strips: a
BRAGA, B. et. al. 2005. Introdução à Engenharia review. Weed Science, v. 53, p. 353-367.
Ambiental. Pearson Prentice, São Paulo. 336p.
LAINI, A.; BARTOLI, M.; LAMASTRA, L.;
BRAGA, R. A. P. 2011. As Nascentes como CAPRI, E.; BALDERACCHI, M.; TREVISAN,
Fonte de Abastecimento de Populações Rurais M. 2012. Herbicide contamination and dispersion
Difusas. Revista Brasileira de Geografia Física, v. pattern in lowland springs. Science of the Total
5, p. 974-985. Environment, n. 438, p. 312-318.

BRAGA, R. A. P.; SILVA, C. E. M.; LEFF, E. 2009. Saber ambiental: sustentabilidade,


CAVALCANTI, C. A. V. 2013. Guia para racionalidade, complexidade, poder. Petrópolis,
adequação ambiental em assentamentos rurais: a Rio de Janeiro.
partir da experiência em assentamentos rurais da
zona da mata de Pernambuco. ANE, Recife. LITTLE, P. E. 2001. Os conflitos
socioambientais: um campo de estudo e de ação
BRASIL, 2010. Lei nº 12.188, de 11 de janeiro. política, In: A difícil sustentabilidade: política
energética e conflitos ambientais. 1 ed.
BRASIL, 2012. Lei nº 12.651, de 25 de maio. Garamond, Rio de Janeiro. pp. 107-122.

BORIN, M.; PASSONI, M.; THIENE, M.; MACHADO, L. C. 2013. O Papel das Nascentes
TEMPESTA, T. 2010. Multiple functions of na Sustentabilidade de Assentamentos Rurais.

Machado, L. C.; Selva, V. S. F.; Santos, S. M. 022


Journal of Environmental Analysis and Progress V. 03 N. 01 (2018) 008-023

Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de da bacia hidrográfica do Ribeirão Santa Cruz,


Pernambuco. Recife, Pernambuco. 125p. Lavras, MG. Scientia Florestalis, n. 65, p. 197-
206.
MENDONÇA, M. G. 2000. Políticas e condições
ambientais de Uberlândia – MG, no contexto RESENDE, H. C.; MENDES, D. R.; MENDES, J.
estadual e federal. Dissertação de Mestrado, E. DAS G.; BERNARDES, W. A. 2009.
Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, Diagnóstico e ações de conservação e recuperação
Minas Gerais. 84p. para as nascentes do Córrego-feio, Patrocínio,
MG. Bioscience Journal, v. 25, n. 5, p. 112-119.
MIRANDA, R. de S. 2011. Os desafios da
Organização em Assentamentos Rurais. Revista RIBEIRO, A. S. 2014. Estado de conservação das
Verde de Agroecologia e Desenvolvimento nascentes do alto trecho do Rio Pajeú,
Sustentável, v. 6, n. 2, p. 41-48. Pernambuco, Brasil. Dissertação de Mestrado,
Universidade Federal de Pernambuco, Recife,
MS. Ministério da Saúde. 2011. Portaria n° 2914: Pernambuco. 202p.
procedimentos de controle e de vigilância da
qualidade da água para consumo humano e seu RODRIGUES, R. R.; GANDOLFI, S. 2000.
padrão de potabilidade. Brasília. Conceitos, tendências e ações para a recuperação
de florestas ciliares. In Matas ciliares:
OLIVEIRA, C. R. de. 2014. Qualidade da água e conservação e recuperação. 1 ed. EDUSP;
conservação de nascentes em assentamento rural FAPESP, São Paulo. pp. 235-247.
na mata pernambucana. Dissertação de Mestrado,
Universidade Federal de Pernambuco. Recife, ROSSI, P. M. et. al. 2015. Environmental
Pernambuco. 141p. conditions of boreal springs explained by capture
zone characteristics. Journal of Hydrology, v.531,
PALIVODA. A. P.; POVALUK, M. 2015. p.3, 992-1002.
Avaliação do estado de conservação de nascentes
localizadas em áreas rurais do município de SILVA, C. E. M.; Braga, R. A. P. 2010.
Itaiópolis, SC. Saúde & Meio Ambiente: Revista Conservação de nascentes na adequação
Interdisciplinar, v. 4, n. 1, p. 17-31. ambiental de assentamentos rurais. X Simpósio de
Recursos Hídricos do Nordeste, Fortaleza, Ceará,
PEREIRA, L. C. 2012. Uso e conservação de Brasil, ABRH. pp. 1-19.
nascentes em assentamentos rurais. Dissertação de
Mestrado, Universidade Federal de Pernambuco. SILVA, M. de S. et al. 2017. Avaliação da
Recife, Pernambuco. 181p. cobertura do solo como indicador de gestão de
recursos hídricos: um caso de estudo na sub‑bacia
PINTO, L. V. A. 2003. Caracterização física da do Córrego dos Bois, Minas Gerais. Engenharia
sub-bacia do Ribeirão Santa Cruz, Lavras, MG, e Sanitária Ambiental, v. 22. n. 3. p. 445-452.
proposta de recuperação de suas nascentes.
Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de VALENTE, O. F.; Gomes, M. A. 2011.
Lavras. Lavras, Minas Gerais. 165p. Conservação de nascentes: produção de água em
pequenas bacias hidrográficas, Aprenda Fácil,
PINTO, L. V. A.; BOTELHO, S. A.; DAVIDE, Minas Gerais.
A. C.; FERREIRA, E. 2004. Estudo das nascentes

Machado, L. C.; Selva, V. S. F.; Santos, S. M. 023