You are on page 1of 182

Programa de Aperfeiçoamento para Carreiras – 2015

Curso: Construção de Cenários Prospectivos
Professora: Elaine Coutinho Marcial
Turma: 01
Período: 17, 18, 24 e 25 de agosto de 2015, das 08h30 às 12h30 e das 14h às 18h
Carga Horária: 32 horas presenciais

Construção de
Cenários Prospectivos

Elaine Marcial
Doutora em Ciência da Informação
Mestre em Ciência da Informação
DEA em Informação Científica e Tecnológica

Brasília, Agosto de 2015.

Objetivo da capacitação

Capacitar servidores públicos na construção e utilização de
cenários prospectivos que contribuam com a formulação
de estratégias e políticas públicas.

Programa
Capacitação em Planejamento com base em cenários
prospectivos
Carga-horária de 40 hs/aula distribuídas em 5 dias
Método – learning by doing

1º dia – 17 ago. 2015 (segunda-feira) – 8 horas/aula
– Apresentação do curso e balanço de expectativas
– Conceitos básicos sobre prospectiva e cenários
– Experiências brasileiras na construção de cenários
– Fatores críticos de sucesso
– Métodos de construção de cenários
– Modelo síntese para construção de cenários
– Construção de minicenários

2015 (segunda-feira) – 8 horas/aula – Ferramentas da Prospectiva – Condicionantes do futuro – Geração dos cenários – Definição da lógica e da filosofia de cada cenário . 2015 (terça-feira) – 8 horas/aula – Plano de trabalho – Conceituação da questão principal e do sistema – A Análise retrospectiva e da situação atual – Conceito de sementes de futuro – Identificação das Sementes de futuro 3º dia – 24 ago.Programa 2º dia – 18 ago.

por meio dos exercícios resolvidos. . 2015 (terça-feira) – 8 horas/aula – Descrição das cenas – Testes de consistência e ajustes – Definição do cenário desejado e do cenário alvo – Análise dos cenários e definição de estratégias – Sistema de monitoramento estratégico – Avaliação da capacitação Avaliação – Em sala de aula. – IMPORTANTE: não se esqueçam de colocar o nome nas folhas de exercício.Programa 4º dia – 25 ago.

Agenda de hoje

1º dia – 17 ago. 2015 (segunda-feira)
– 8 horas/
– Apresentação do curso e balanço de
expectativas
– Conceitos básicos sobre prospectiva
e cenários
– Experiências brasileiras na
construção de cenários
– Fatores críticos de sucesso
– Métodos de construção de cenários
– Modelo síntese para construção de
cenários
– Construção de minicenários

Objetivos

• Conhecer os conceitos básico
da prospectiva
• Conhecer os conceitos básicos
dos cenários prospectivos
• Conhecer as experiências
Brasileiras na área
• Identificar os fatores críticos de
sucesso do processo
• Reconhecer quatro métodos de
construção de cenários

Conceitos básicos da
prospectiva e de
cenários

Introdução • Formação 4 grupos • Leitura. discussão e preparação de apresentação do Texto 1 .Introdução aos cenários prospectivos (dividido entre os 4 grupos conforme orientação) • Tempo de preparação – 20 min • Tempo de apresentação – 10 min • Debate • Consolidação dos conceitos .Exercício 1 .

O futuro e a incerteza .

Para atingir seus objetivos usou ao longo do tempo ...O homem sempre quis saber o que iria acontecer. a Previsão .

. • Projeções – Estudos de Tendências • Construção de cenários Por que os cenários ganham cada vez mais projeção? . existem outras formas de se estudar o futuro .. Além da previsão.

1879) • “A televisão não dará certo.. Presidente da ANBID.” (Erasmus Wilson.Watson.. por tudo que o governo tem dito.” (Especial Exame/The Economist/23 dez..” (The New York Times. Univ. chairman da IBM. O mais provável. na apresentação do protótipo de um aparelho de TV) • “Acredito que há mercado mundial para cerca de cinco computadores. 1943) • “. 18 de abril de 1939. 2007) .. As pessoas terão de ficar olhando sua tela. Porque . • “Quando a exposição de Paris se encerrar.. É possível mas não provável que o Brasil obtenha o investment grade em 2008 (Setubal. é que a estratégia de desvalorizações graduais do câmbio seja mantida.Oxford.1998) • “. e a família americana média não tem tempo para isso. ninguém mais ouvirá falar em luz elétrica..” (Tomas J.

/ 2008 . Capa do Jornal Correio Braziliense em 11 de set.

“Só é possível prever o ordinário mas não o inusitado” A lógica do cisne negro Nassim Taleb .

O inusitado na crise de 2008 Islândia .

O inusitado 2013 .

.As principais forças que atuam no ambiente são . Conectividade Convergência Interatividade Velocidade Sustentabilidade Ubiquidade ..

Hipercompetição Inovação Hiperinformação Incerteza ... e como consequências dessas forças ambientais temos ....

.. “Todos os que pretendem predizer ou prever o futuro são impostores. (Godet. 1971) . está por fazer. em 1971...” O futuro é múltiplo e incerto.Michel Godet. afirmou. pois o futuro não está escrito em parte alguma.

Cenário de Tendência Passado Futuro Presente Cone de Futuro Cenários Cenários Possíveis Realizáveis Cenários 21 Desejáveis . cujas visões são relatadas em cenários.O futuro se configura com infinitas possibilidades.

Provável Realizável . Vanessa Meireles Barreto Chervenski Pensamento Estratégia de Sobrevivência Aposta Estratégica (SAE/PR.Provável Monitoramento do Desconhecido ou Desconsiderado Monitoramento (origem do inusitado) para não ser surpreendido ambiente Futuro Jogo dos Atores . Cone de Alternativas Concebíveis de Cenário alvo Futuro por Ator Autores: Antonio Carlos Wosgrau. Elaine Coutinho Marcial.Risco + Provável Passado Desejável .Investimento Ator n Indesejável + Provável Plano de Contingência Risco X Custo . 2015) Presente Criativo Desconhecido ou Desconsiderado Foco + Risco Forças que atuam no ambiente (origem do inusitado) + Investimento .

Cenários Melhor forma de estudar o futuro Processo criativo Baseiam-se no fato de que o futuro é múltiplo e incerto Pauta-se na atitude prospectiva .

Metodologia A metodologia de construção de cenários fundamenta-se na atitude prospectiva Antecipação Ação Apropriação .

definiu a “Atitude Prospectiva” • olhar longe • preocupar-se com o longo prazo • olhar amplamente. Gastón Berger. grande agente capaz de modificar o futuro . tomando cuidado com as interações • olhar a fundo até encontrar os fatores e tendências que são realmente importantes • arriscar. em 1957. porque as visões de horizonte distantes podem fazer mudar nossos planos • levar em conta o gênero HUMANO.

em 1996.. Michel Godet... de forma coerente. “Conjunto formado pela descrição.. de uma situação futura e do encaminhamento dos acontecimentos que permitam passar da situação de origem à situação futura.” . definiu “Cenário” como o .

O conteúdo dos Cenários é formado por: • Título • Filosofia ou Ideia Força • Atores Sistema • Variáveis  Objeto • Cena  Objetivo  Horizonte • Trajetória Temporal  Lugar .

Tipologia dos cenários Análise Exploratórios Normativos • Cenário desejado • Extrapolativos/Tendenci ais • Múltiplos ou alternativos Alvo .

com/Thomas_Chermac k_-_Scenario_Planning/Welcome.thomaschermack.html .Considerado principal teórico da atualidade na área de prospectiva Aqui há cerca de 50 artigos sobre ou relacionados à prospectiva Thomas Chermarck http://www.

3 e 4 (formar três grupos) .Exercício 2 – Elementos dos cenários • Identifique os principais elementos dos cenários nos estudos Textos 2.20 min de preparação – Sistema – Título – Filosofia – Principais Atores – Principais Variáveis • Apresentar os resultados em plenária – cada grupo 10 min .

20 min de preparação • Apresentar os resultados em plenária – cada grupo 10 min .Definição • Com base no Texto 6 – Definições e no material distribuído. as seguintes perguntas: – O que é? – Por que é? – Como é? – Para que é? • Manter os quatro grupos .Exercício 3 . propor uma definição de planejamento por cenários e justificar sua proposta Procure contemplar em sua proposta de definição.

2008) .Definição . 2005) (KUHN. 2006) Co=f(v3. v10) (POPPER.Modelo Conceito de Disciplina Científica (Co) O que é? Objeto Científico vo Teorias e modelos Finalidade vtm vq Como é? Para que é? Origem e evolução vt Por que é? (CHAUÍ. v9.Exercício 3 . v6.

Experiências Brasileiras .

Planejamento com base em Cenários no Setor Público Brasileiro Nova SAE Antiga SAE 2º Governo Lula Governo FHC 2010/2011 1998 Antigo NAE 1º Governo Lula Texto 7 2004 .

Planejamento com base em Cenários no Setor Público Brasileiro Nos Estados Texto 7 .

Planejamento com base em Cenários no Setor Público Brasileiro Prefeituras Texto 7 .

Planejamento com base em Cenários no Setor Público Brasileiro • Agência Nacional de Águas • Ministério Público do Trabalho • Ripa – Rede de Inovação e (MPT) Prospecção Tecnológica para • Ministério Público de Goiás o Agronegócio • Ministério da Educação • Departamento de Polícia Federal (DPF / MJ) • Estado-Maior do Exército • 27 Corpos de Bombeiros • Ministério da Defesa Militares (CBM) brasileiros • Gabinete de Segurança • Centro de Sinalização Náutica institucional da Presidência da e Reparos Almirante Moraes República Rego (CAMR) • IPEA Texto 7 .

Planejamento com base em Cenários no Setor Público Brasileiro Texto 7 .

Fatores Críticos de Sucesso .

não é a realidade futura mas um meio de representá-la • O escritor deverá se posicionar no final do horizonte temporal e contar o que aconteceu e porque aconteceu daquela maneira • Cada cenário completo deverá manter consistência e coerência entre os diversos acontecimentos descritos . Para construirmos bons cenários devemos lembrar que: • Eles são estórias de futuro .

• Conhecer a atitude prospectiva e os métodos de construção de cenários • Conhecer as “ferramentas” da prospectiva • Coletar e produzir boas informações • Utilizar adequadamente os cenários ...Para construirmos bons cenários e obtermos bons resultados. necessitamos.

Existem diversos métodos para auxiliar na construção de cenários. destaca-se os métodos ... Semelhança entre os métodos • Atitude prospectiva • Múltiplos cenários • Ênfase nos Atores Método .

“Ferramentas” da Prospectiva • Brainstorming • Estratégia dos atores – Método MACTOR • Análise estrutural • Incertezas críticas • Eixos ortogonais Métodos • Análise morfológica • Matriz SWOT • Método Delphi • Método dos impactos cruzados • Outros .. Ferramentas da prospectiva ..

fr/ • Análise estrutural • Incertezas críticas • Eixos ortogonais • Análise morfológica Métodos • Matriz SWOT • Método Delphi • Método dos impactos cruzados • Outros . “Ferramentas” da Prospectiva • Brainstorming • Estratégia dos atores – Método MACTOR http://en.laprospective... Ferramentas da prospectiva .

ele deixa sinais no passado Informação .Coletar e produzir boas informações O futuro não acontece de repente.

Imaginar possibilidades com base nas Sementes de futuro Enxergar o que os outros não estão vendo Distinguir as sementes é crucial para a definição do posicionamento estratégico Informação .

Exemplos de sementes do futuro • Fatos ou Elementos predeterminados • Tendências de peso • Fatos portadores de futuro – Incertezas críticas • Surpresas inevitáveis • Wild Cards (Curingas) • Estratégia dos atores Informação .

a oportunidade só favorece a mente preparada” LOUIS PASTEUR Informação . “No campo da observação.

A construção do futuro Este é sempre o melhor caminho Uso ...Os cenários devem ser utilizados para .

Exemplo de construção do futuro da Siemens e da Bosh Jornal Valor Econômico – A11 Terça-feira. 17 de junho de 2008. Uso .

São diversas as formas de utilizarmos os cenários construídos • Planejamento estratégico • Respostas à questões estratégica • War game Incerteza • Early Warning • Contingência - Curingas Uso .

Métodos de construção de cenários .

As etapas de três métodos de planejamento com base em cenários O modelo síntese MÉTODO .

Opções 2. Testes de Condicionantes cenário do Sistema e Consistência. Delimitação 3. Método Godet 2. do Ambiente do Futuro Ajustes e Disseminação cenário 6. Análise Estratégicas e Retrospectiva Planos / e da Situação Monitoração Atual 4. . 1998. Análise Estrutural do Sistema e do Ambiente cenário 1. Geração de Cenários Estratégica Stollenwerk. Seleção 5.

Análise das 8. Ranking das Fatores Chaves Incertezas Críticas (micro-ambiente) 1. Definição dos Cenários 7. Identificação dos 4. Identificação da 5. Método GBN 2. Definição da Lógica Questão Principal dos Cenários 3. Seleção de Implicações e Indicadores e Opções Sinalizadores Principais . Identificação das Forças Motrizes (macro-ambiente) 6.

Método Grumbach .

Conclusão . Sugestão .Estratégia 57 MÉTODO . Processamento Delphi e Impactos Cruzados Geração de Cenários 4.interpretação dos cenários 5. Definição do Problema 2. Método Grumbach Construção de Cenários 1. Pesquisa Histórico Situação Atual Fato Portador de Futuro Eventos 3.

Exercício 4 .Métodos • Manutenção dos quatro grupos • Leitura e debate dos textos dos 4 Estudos de caso – Identifique o método utilizado e justifique sua resposta • Tempo de preparação – 20 min • Tempo de apresentação – 10 min • Debate • Consolidação dos conceitos .

A previsão e a incerteza .

Definição do Plano de Trabalho Questão Principal e do Sistema Análise Retrospectiva e da Situação Atual Identificação das Sementes de Futuro Definição das Condicionantes de Futuro Geração dos Cenários Testes de Consistência e Ajustes Análise dos Cenários (MARCIAL. 2007) Definição de Estratégias Monitoramento MÉTODO Estratégico . O Modelo síntese de todos os métodos é composto por oito etapas ...

Delimitação do 1. Análise 2. Ranking das 3. Definição dos 4. Definição do plano de trabalho sistema e do questão principal problema ambiente 2. Processamento condicionantes de condicionantes do incertezas críticas • Eventos futuro futuro MÉTODO . Análise 3. Definição do 1.Comparação entre as etapas dos métodos Modelo Godet GBN Grumbach Síntese 1. Análise 2. Seleção dos 4. Pesquisa retrospectiva e da retrospectiva e da dos fatores situação atual situação atual chaves 3. Processamento sementes de estrutural do das forças • Fatos futuro sistema e do motrizes portadores de ambiente futuro 4. Identificação 2. Identificação 3. Definição das 3. Identificação da 1.

Seleção de 4. Teste e Etapa não descrita Etapa não consistência. Geração de 5. Geração de 5. Opções 6.Comparação entre as etapas dos métodos Modelo Godet GBN Grumbach Síntese 5. Opções 7. Conclusão cenários e definição estratégicas e implicações e • Sugestão de de estratégias planos/ opções estratégia Monitoração • Software lince estratégica 8. Testes e 6. Processamento cenários cenários lógica dos cenários • Software Puma e dos cenários 6. Análise dos 7. Análise das 4. Conclusão estratégico estratégicas e indicadores e Software Lince e planos/ sinalizadores Puma – Monitoração principais Inteligência estratégica competitiva e BSC . Monitoramento 7. ajustes consistências e descrita e disseminação ajustes e disseminação 7. Definição da 3.

Prospectiva e Inteligência Minicenários • Baseado no método da GBN • Proposto pela Shell-Brasil • Para responder a questões estratégicas com alta incerteza .

Case Cenários para influenza aviária no Brasil Exemplo de mincenários .O ambiente incerto ligado a chegada da influenza aviária no Brasil e sua possível transmissão homem a homem elevou o GSI a construir cenários para apoiar a elaboração dos planos e contingência.

O Método de minicenários
foi aplicado no GSI ...

• Grupo de controle –
técnicos do GSI
• Sistema
– Local – Brasil
– Horizonte temporal 12
meses
– Objetivo – plano de
continuidade e
contingência
• Realizado em 48 h

As etapas do método de
construção dos minicenários
foram ...

• Identificação e
classificação das
sementes de futuro por
meio de brainstorming
• Análise estrutural
• Jogo dos atores
• Análise morfológica
• Geração dos cenários
• Orientações estratégicas

Matriz Motricidade e Dependência
Influenza aviária
Variáveis v1 v2 v3 v4 v5 v6 v7 Dependência
1. Ave contaminada chegando ao Brasil este
ano x 0 0 0 0 0 0 0
2. Importação de alimentos contaminados 0 x 0 5 0 0 0 5
3. Falta de controle de aves domésticas -2 2 x 0 2 0 2 8
4. Deficiência da fiscalização do Governo -1 -4 0 x -2 -3 -5 15
5. Monitoramento das aves migratórias 5 0 0 0 x 0 1 6
6. Falsificação de Remédios 4 4 1 3 2 x 5 19
7. Transmissão homem a homem 1 1 3 4 0 5 x 14

Motricidade 13 11 4 12 6 8 13
15
14 v1 v7
13 v4
12 v2
11
10
v6
Motricidade

9
8
7 v5
6
5 v3
4
3
2
1
0
0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
Dependência

Interrupção do ciclo nos EUA 0 0 0 3 0 0 3 0 0 0 5 14. Ave contaminada chegando ao Brasil este ano 4 0 0 0 0 1 3 0 0 0 4 2. Identificação do virus em laboratórios 0 0 2 5 3 0 5 0 0 0 5 13. Tratamento dos estrangeiros 0 2 0 5 3 0 0 0 0 0 3 10. M. DPF DEFESA UZ/ANVISA FARMACÊUTICA 10. GOVERNO IBAMA 3. Fiscalização do Governo 5 5 3 5 0 4 5 5 0 0 2 5. GRO/LANAG 15. Falta de controle de aves domésticas 2 0 0 0 0 5 3 0 0 0 0 4. Emprego das Forças Armadas 0 0 5 0 0 0 0 0 0 0 2 9. Matriz Motricidade dos Atores Influenza aviária Atores Variáveis 11. IMPORTADO PRODUTORE 22. 1. Importação de alimentos contaminados 0 1 0 0 0 0 5 2 5 3 2 3. MDA RO INFRAERO RES S DE RAÇÃO AMERICANO 1. SAÚDE/FIOCR 9. IND. Transmissão homem a homem 0 0 0 5 4 3 3 0 0 0 1 8. 4. Ração contaminada 0 0 0 0 0 2 5 0 5 5 1 11. 5. Produção de vacinas/ anti-virais 0 0 2 5 5 0 2 0 2 0 5 12. Falsificação de Remédios 0 3 0 5 5 0 1 0 5 0 1 7. Plano de contingência 3 3 5 5 4 4 5 2 0 0 2 Motriciade do ator 19 14 17 38 24 20 43 9 17 8 36 . 19. Monitoramento das aves migratórias 5 0 0 0 0 1 3 0 0 0 3 6. M MAPA/VIGIA 16.

agrários. hospitalar para mínima no parceria linitações para Pandemia. Possui antivirais. Brasil. Não tem projeto para MDA esclarecimento dos agricultores familiares. convênio com o médico- Contribuição Dar o alarme. Saúde da identificação obedecendo atendimento em GSI população. Contribuição mediante estrutura Produzir vacinas e reduzida. migratórias. Matriz Ator X Ator Influenza aviária Jogo de alianças e conflítuos Estudos: A Influenza Aviária chegará ao Brasil em 2006?________________________________________________ __ Data: 31 de maio de 2006. sanitárias. Integração das Salas de Situação (Comando e Controle). Impedir a processo de georreferenciada lógica comercial. Responsável pelo controle das aves migratórias (CEMAVE)._______________ Objetivo Atores M SAÚDE/ IND. produção de das ações vacinas. Apoio político às Qual a situação real? Possuem mapeamento iniciativas do IBAMA IBAMA voltadas para o controle das rotas migratórias e dos sítios de invernada. Não tem projeto e não Interesses Não há Não há Não há nas aves demonstra interesse. do vírus. animais. Evitar a Dificuldade de Governo. migratórias. Subsistência dos Produção Não possui agricultores familiares. opostos parceria parceria parceria. Elaboração de assentamentos Governo para Coordenação plano de contingência. Realiza testes das aves migratórias. continental para caso de uma o controle da controle de aves evitar a chegada doença em entrada do vírus no dos Parceria com o Pandemia. sem a localização laboratoriais precisa. GOVERNO MAPA/VIGIAGR GSI IBAMA MDA FARMACÊUTICA AMERICANO FIOCRUZ/ANVIS O/LANAGRO A Controlar aves migratórias. .

Análise morfológica .

Superman Doença chega Sem contaminação Homem .Homem Pandemia .Polyana Não dissemina . Lógica dos cenário para a Influenza aviária Doença não chega .Homem Fuja das galinhas Dissemina Com contaminação Homem .

2015 (terça-feira) 8 horas/aula – Plano de trabalho – Conceituação da questão principal e do sistema – A Análise retrospectiva e da situação atual – Conceito de sementes de futuro – Identificação das Sementes de futuro . Agenda de hoje 2º dia – 18 ago.

Objetivos • Construir o plano de trabalho • Compreender o conceito e construir a questão principal e o sistema de cenarização • Compreender o conceito e definir os temas da analise retrospectiva e da situação atual • Compreender a importância da análise retrospectiva e da situação atual e como realiza-la • Compreender o conceito das sementes de futuro e como identificá-las .

Questão Principal. Sistema de Cenarização e Análise retrospectiva e da situação atual .

• Debate sobre o tema e exemplificação nos estudos de caso tempo 20 min.Exercício 5 – Plano de Trabalho e Questão principal • Plenária • Leitura conduzida sobre os textos 8. . 9 e 10 – Plano de trabalho e Questão principal e o sistema de cenarização e a análise retrospectiva e da situação atual e Branstorming – tempo 20 min.

Plano de Trabalho Nome do produto/projeto Tema – Questão Principal Planejamento O quê o destinatário deseja saber? Qual a pergunta sem resposta sobre o futuro? Horizonte Temporal Qual o limite de tempo de abrangência do tema. regional. bem como a distribuição de responsabilidades. pesquisa de opinião. Cronograma de trabalho Especificação do cronograma de trabalho. incluindo lista de especialistas e respectivos contatos? Recursos necessários Quais os recursos necessários? Definir a planilha de custos do trabalho. aquisição de documentos e pesquisas. ou seja. Responsável Nome do responsável e da equipe envolvida. incluindo gastos com: consultoria. viagens. período que será coberto pelo estudo de cenarização? Lugar Qual localização geográfica de abrangência do tema. De acordo do demandante Data .Quais os principais tópicos e atores a serem analisados? Aspectos Fundamentais Conhecidos: O que já existe de informação disponível na área para a execução do trabalho? Aspectos Fundamentais a Encontrar: O que ainda falta para completar o quadro de situação? Quais as principais fontes. contratação de especialistas ou pagamento de pró-labore. se é estadual. ou seja. Para quando o destinatário deseja o estudo de futuro? Aspectos Fundamentais do Assunto sucesso Tópicos principais ligados a Questão Principal para compor o arcabouço do trabalho (ou quadro de situação). etc. de um país ou global? Destinatário A quem é destinado o trabalho? Finalidade Qual a utilidade do estudo? Para que o destinatário necessita do estudo de futuro? Prazo de Produção A chave para o Tempo disponível para completar o trabalho. aquisição de estudos.

Foco do processo de cenarização Questão principal  O que o decisor necessita saber sobre o futuro? Sistema  Qual a pergunta sem resposta sobre o  Objeto futuro?  Objetivo  Horizonte Temporal  Lugar .

Foco do processo de cenarização Questão principal Aspectos fundamentais Conhecidos A conhecer .

Brainstorming • Técnica de ajuda a criatividade • Técnica de trabalho em grupo na qual a intenção é produzir o máximo de soluções possíveis para um determinado problema/questão • Serve para estimular a imaginação e fazer surgir ideias/percepções .

Brainstorming • Falar o que vem à mente. mesmo que pareça uma "idéia louca" • Evitar a auto-censura ou censurar os demais participantes – é proibido “cara feia” • Não contestar ou debater idéias. mesmo que lhe pareçam absurdas .

o Sistema de cenarização e os demais elementos que compõem o processo de planejamento do trabalho • tempo 60 min .Exercício 6 – Plano de trabalho • Plenária • Montagem do Plano de trabalho • Por meio da técnica do Brainstormings serão definidos: a Questão principal.

atores e especialistas • Exercício em grupo – formação de quatro grupos • Com base na Questão principal e no Sistema de cenarização definir os temas e os especialistas a serem consultados para a realização da Análise retrospectiva e da situação atual – foco nos aspectos fundamentais – tempo 30 min • Apresentação dos resultados – tempo 10 min para cada grupo .Exercício 7 – Temas.

Sementes de futuro .

Coletar e produzir boas informações O futuro não acontece de repente. ele deixa sinais no passado .

O futuro deixa sementes no passo e no presente. 2005) ? 85 INFORMAÇÃO . que chamo de “Sementes do Futuro” • As “Sementes do Futuro” são fatos ou sinais existentes no passado e no presente que sinalizam possibilidades de futuro (MARCIAL.

Exemplos de sementes do futuro • Fatos ou Elementos predeterminados • Tendências de peso • Fatos portadores de futuro • Incertezas críticas • Surpresas inevitáveis • Wild Cards (Curingas) • Estratégia dos atores INFORMAÇÃO .

Estratégia dos Atores • Os atores se movimentam no ambiente com o objetivo de atingirem suas estratégias • O cruzamento das estratégias de cada ator forma o quadro “Estratégia dos atores” cuja análise sinaliza os possíveis movimentos futuros – fruto deste confronto 87 INFORMAÇÃO .

“No campo da observação. a oportunidade só favorece a mente preparada” LOUIS PASTEUR INFORMAÇÃO .

Exercício 8 – parte A – Sementes de futuro .Teoria • Trabalho em grupo (tempo = 20 min) – Leitura individual e preparação de apresentação sobre as características de uma semente de futuro – Elaboração de pelo menos dois exemplos para cada semente .

Teoria • Formação de grupos.Sementes de futuro .Exercício 8 – parte B . cada grupo formado por um representante do grupo anterior (verifique o número de sua ficha) • Cada novo participante apresenta a sua semente para os outros elementos do grupo • Em grupo identificam cerca de dois exemplos para cada semente – tempo total 40 min • Apresentação dos resultados (10 min para cada grupo .

cuja solução ou controle pelo sistema ainda não se efetivou • Interferem no comportamento de diversas variáveis INFORMAÇÃO .Elementos ou fatos pré-determinados Definido por Michel Godet • Referem-se àqueles eventos já conhecidos e certos.

Tendências de peso Definido por Michel Godet • Referem-se àqueles eventos cuja perspectiva de direção é suficientemente consolidada e visível para se admitir sua permanência no período considerado • São movimentos bastante prováveis de um ator ou variável dentro do horizonte de estudo 92 INFORMAÇÃO .

modificando: • Relações de poder entre os Estados • Natureza do trabalho • Estrutura da produção • Utilização dos períodos de lazer .Tendências • Movimentos consolidados em andamento • Aceleração do progresso científico e tecnológico.

000 60.000.000.000.000.000 0 1940 1950 1060 1070 1980 1990 2000 2010 Fonte: IBGE .000 100.000 http://geoconceicao. com alteração da pirâmide etária • Crescimento da demanda das classes mais pobres População Brasileira 200.000 80.Tendências • Crescimento da população brasileira.com.blogspot.000 120.000.000.000.000 180.000 20.000 160.000.br 140.000.000 40.000.

Fato Portador de Futuro Definido por Michel Godet • Constituem-se em sinal ínfimo por sua dimensão presente. que existem no ambiente que podem sinalizar – Incertezas Críticas – Surpresas Inevitáveis – Wild Cards (Curingas) 95 INFORMAÇÃO . mas imenso por suas consequências e potencialidades • São esses fatos.

Fatos portadores de futuro Fatos já existentes que. dependendo de sua evolução e das forças ambientais poderão modificar o futuro .

Surpresas inevitáveis Definido por Peter Schwartz  Forças previsíveis. 97 INFORMAÇÃO . pois tem suas raízes em forças que já estão em operação neste momento – Fatos portadores de futuro  Não se consegue afirmar o momento de sua ocorrência. resultados e conseqüências são desconhecidos.

Surpresas Inevitáveis Sócio–demográfico (próximos 50 anos) – Aumento da expectativa de vida – mais de 100 anos • Retardamento do envelhecimento • Fim da aposentadoria – Redução da jornada de trabalho Científico e Tecnológico (próximos 50 anos) – Computador quântico – Inteligência artificial – Medicina regeneradora Informação .

aqueles que determinam a construção dos cenários 99 INFORMAÇÃO . Incerteza crítica Definido por Peter Schwartz • Constituem-se daquelas variáveis incertas que são de grande importância para a questão foco do estudo de futuro • Constituem daqueles fatos portadores de futuro considerados mais importantes para a questão principal. ou seja.

ele se abre em diversas possibilidades Estaremos adaptados para as mudanças do clima? Teremos educação de qualidade no Brasil? Haverá políticas públicas integradas que beneficiem o uso múltiplo dos recursos hídricos e garantam maior racionalidade na sua qualidade e disponibilidade? .Incertezas e incertezas críticas Não é possível definir qual será o evento futuro.

Wild Cards - Curingas Definido por John Petersen • Grandes surpresas • Difíceis de serem antecipadas e entendidas • Principais características: – Baixa probabilidade – Grande impacto – Acontecimento rápido – se materializam rapidamente • Geralmente surpreende a todos • Não existem formas de INFORMAÇÃO antecipá-los com antecedência .

Wild cards Exemplos (Curingas) • Planeta Terra – Mudança no eixo da Terra – Asteróide ou cometa atingindo a terra – Aquecimento da Terra e descolamento da calota polar – aumento do volume dos oceanos – Grandes terremotos – ex. costa oeste americana – Rápidas mudanças climáticas • Biomédicas – Bactérias imunes a antibióticos – Seleção de sexo na fase fetal – Clonagem humana INFORMAÇÃO .

Estratégia dos atores • Os atores se movimentam no ambiente com o objetivo de atingirem suas estratégias • O cruzamento das estratégias de cada ator forma o quadro “Estratégia dos atores” cuja análise sinaliza os possíveis movimentos futuros – fruto deste confronto INFORMAÇÃO .

Atores e suas estratégias • São capazes de mudar o curso dos acontecimentos para atingimento de suas estratégias .

Estratégia dos atores • Identificar projetos e motivações e meios utilizados de ação utilizados • Identificar desafios estratégicos e os objetivos associados • Identificar convergências e divergências entre os atores • Hierarquizar os atores frete às variáveis do sistema e avaliar a relação de forças entre eles .

Estratégia dos Atores Questões orientadoras • Quais os projetos prioritários desenvolvidos pelo ator? • Com que finalidade ele os realiza? O que está por trás? • Que objetivos estratégicos pretende alcançar? • Há constrangimentos que ele terá que enfrentar? Quais são as dificuldades/barreiras enfrentadas? • Quais os meios de ação utilizados para atingir seus objetivos. • Há coerência entre suas ações e seu discurso/objetivos estratégicos declarado? Quais as suas reais motivações? . realizar seus projetos e combater os entraves? • Como foi o comportamento estratégico no passado do ator? Cite exemplos de ações ou eventos ocorridos envolvendo o ator.

a oportunidade só favorece a mente preparada” LOUIS PASTEUR Informação . “No campo da observação.

Exercício – 9 – Brainstorming Sementes de futuro • Realização de 4 seções de brainstorming para identificação das sementes de futuro: tendências. atores. incertezas. fatos predeterminados – plenária (10 min para cada semente) • Recomposição dos quatro grupos para a depuração e consolidação das demais semente – tempo 20 min • Apresentação de cada semente – 5 min para cada grupo .

2015 (segunda- feira) – 8 horas/aula – Ferramentas da Prospectiva – Condicionantes do futuro – Geração dos cenários – Definição da lógica e da filosofia de cada cenário . Agenda de hoje 3º dia – 24 ago.

construir e utilizar os condicionantes do futuro de diferentes métodos • Gerar cenários utilizando mais de um método • Desenvolver capacidade de definir a lógica e a filosofia dos cenário . Objetivos • Conhecer as ferramentas da prospectiva e saber utilizar algumas • Definir.

Ferramentas da prospectiva .

Ferramentas da prospectiva • São os métodos e ferramentas utilizadas para auxiliar o processo de produção de cenários – Brainstorming – Análise estrutural .Matriz de motricidade e dependência – Estratégia dos atores – Método MACTOR – Matriz de incertezas críticas – Eixos ortogonais – Análise morfológica – Método Delphi – Impactos cruzados .

Ferramentas da prospectiva 1. Brainstorming • Técnica de ajuda a criatividade • Técnica de trabalho em grupo na qual a intenção é produzir o máximo de soluções possíveis para um determinado problema/questão • Serve para estimular a imaginação e fazer surgir idéias/percepções .

Ferramentas da prospectiva 2. Análise estrutural • Objetivo: descrever um sistema com o auxílio de matrizes que relacionam todos os elementos que constituem o sistema. – Definição dos atores e variáveis finais que compõem o sistema e sua envoltória – Desenvolvimento de visão sistêmica. entre os atores e entre variáveis e atores. para auxiliar na seleção dos condicionantes do futuro . identificando as relações e impactos entre as variáveis.

Análise estrutural • Métodos da análise estrutural – Matriz de motricidade e dependência – Matriz de cruzamento de atores e variáveis – Matriz de cruzamento de atores .Ferramentas da prospectiva 2.

Estratégia dos atores • Os atores se movimentam no ambiente com o objetivo de atingirem suas estratégias • Principais etapas – Identificação dos principais atores – Identificação do grau de influência desses atores – O cruzamento das estratégias de cada ator forma o quadro “Estratégia dos atores” cuja análise sinaliza os possíveis movimentos futuros – fruto deste confronto .Ferramentas da prospectiva 3.

Ferramentas da prospectiva 4.plotar esses par- ordenados identificando quais os mais incertos e mais importantes • Essas variáveis são os insumos para a construção da lógica dos cenário . Incertezas críticas • Visa definir quais os eventos futuros mais incertos e mais importantes para a questão principal • Separar os eventos dependentes dos independentes • Para cada evento listado atribuir valores de intensidade de importância e incerteza • Criar um gráfico .

Ferramentas da prospectiva 5. Análise morfológica • Visa explorar de forma sistemática os futuros possíveis a partir do estudo de todas as combinações resultantes da decomposição de um sistema • Objetivo – auxiliar na construção de cenários – Deve-se dispor de componentes o mais independentes possíveis – Esses componentes devem dar conta da totalidade do sistema – Decompõem-se esses componentes nos seus diversos comportamentos futuros a tabela formada auxiliará na construção da lógica dos cenários .

Ferramentas da prospectiva 6. assim como as probabilidades de combinações destes últimos • Considera a interação entre acontecimentos e/ou hipóteses • Objetivo – apresentar ao decisor os cenários mais verossímeis • Baseia-se no teorema de Bayes . Impactos cruzados • Determina probabilidades simples e condicionais de hipóteses e/ou de acontecimentos.

Método Delphi • Metodologia de trabalho em grupo que busca a convergência de opiniões • Minimiza os problemas típicos de discussão em grupo – Pressão social – Comentários – Influência exercida por personalidade dominante – Polarização do grupo • Atribui-se probabilidades de ocorrência para eventos.Ferramentas da prospectiva 7. avalia- se pertinências e conhecimento sobre o evento futuro .

Condicionantes do Futuro .

Condicionantes do futuro • Etapa de criação dos eventos futuros que servirão como direcionadores para a construção da lógica dos cenários • Os eventos são construídos com base nas sementes de futuro identificadas • Para tanto. é necessária a análise integrada entre os eventos e atores mais motrizes ou mais importantes é determinante .

Condicionantes do futuro • Essa etapa é formada por dois métodos – Análise estrutural – Estratégia dos atores .

Análise estrutural Matriz de Motricidade e Dependência .

• Passos: – Lista-se as variáveis que caracterizam o sistema e a sua envolvente – Identifica-se a relação existente entre as variáveis • Como resultado a identificação das variáveis chave ao sistema . Análise estrutural Método desenvolvido pelo professo r Godet • Objetivo: descrever um sistema com o auxílio de uma matriz que relaciona todos os elementos que constituem o sistema.

Matriz de análise estrutural
(Motricidade e Dependência)

Atribua valores de -5 a 5
(-) impacto inverso - altera o movimento
0 - não interfere
1 - interfere muito pouco no movimento
5 - interfere totalmente no movimento

Lista de
var.1 var.2 var.3 var.4 ... var.n Dependência
variáveis
var.1
var.2
var.3
var.4
...
var.n
Motricidade

Diagrama de motricidade-dependências
Tabela para montagem da Matriz de Motricidade e Dependência
Estudos:__________________________________________________ Data:________________

Componentes do Grupo: ____________________________________________________________________

Variáveis Motricidade Dependência

1.

2.

3.

4.

5.

6.

7.

8.

9.

10.

11.

12.

13.

14.

15.

16.

17.

18.

19.

20.
obs.: Valores de Motricidade e Dependência variam de -5 a 5

Matriz de Análise Estrutural

Motricidade

5

4 Ligação
3

2

Ponto Médio Resultado
1
Dependência
1 2 3 4 5

Ponto Médio

Exercício 10 – Eventos e Motricidade • Em plenária – escolha e construção de 8 eventos com base na lista de incertezas e atores (20 min) • Formação de 4 grupos – cada grupo preenche a matriz de motricidade e dependência para 2 eventos (20 min) • Entregar para a professora .

Exercício 10 A – Matriz de motricidade e dependência Em plenária – Preenchimento da matriz. var.3 var.n Dependência variáveis var..4 .não interfere 1 .interfere muito pouco no movimento 5 .n Motricidade Atribua valores de -5 a 5 (-) impacto inverso .1 var.interfere totalmente no movimento .3 var.2 var. var.1 var. montagem do gráfico e escolha das variáveis (30 min) Matriz de análise estrutural (Motricidade e Dependência) Lista de var....2 var.4 .altera o movimento 0 .

Ligação 12. Ponto Médio obs. 8. 4. 19. Exercício 10 B – Diagrama motricidade e dependência • Exercício em plenária • Montagem do diagrama de 1. Motricidade 9. 1 18. 2 14. 15. 4 11. • Montagem da matriz da análise 5. 2 3 4 5 Dependência 17. 20. 7. Ponto Médio Resultado 1 16. Variáveis Motricidade Dependência motricidade e dependência 2. estrutural (tempo .20 min) 6. 5 10.: Valores de Motricidade e Dependência variam de -5 a 5 . (tempo – 20 min) 3. 3 13.

Análise estrutural Estratégia dos Atores .

Estratégia dos atores • Os atores se movimentam no ambiente com o objetivo de atingirem suas estratégias • Principais etapas – Identificação dos principais atores – O cruzamento das estratégias de cada ator forma o quadro “Estratégia dos atores” cuja análise sinaliza os possíveis movimentos futuros – fruto deste confronto – Identificação do grau de influencia desses atores .

10. Motricidade do ator . 11. 8. 15.: Motricidade do ator de 0 a 5 3. 6. 12.Identificação dos principais atores – mais motrizes Atores Variáveis 1. 13. 7. 2. 14. 9. 4. obs. 5.

Método de análise do jogo dos atores • Estuda a convergência e divergência relativamente a um certo número de desafios e de objetivos associados. • Lista de questões a serem avaliadas – Finalidades – Objetivos – Projetos em desenvolvimentos e em manutenção – Motivações – Constrangimentos – Meios de ação e coerência – Comportamento estratégico no passado (atitudes) .

Estratégia dos atores Matriz Atores x Atores A1 A3 A4 Ações que visam a Ações que visam a Objetivos realização do seu realização do seu projeto. considerando considerando a atuação a atuação do Ator 3 do Ator 4 Meio Ações que visam a Objetivos Ações que visam a realização do seu realização do seu A3 projeto. considerando Problemas a atuação do Ator 1 a atuação do Ator 3 Meio . considerando projeto. A1 Problemas projeto. considerando Problemas projeto. considerando a a atuação do Ator 1 Meio atuação do Ator 4 A4 Ações que visam a Ações que visam a Objetivos realização do seu realização do seu projeto.

20 min) • Em plenária – selecionar os atores mais motrizes .Exercício 11 – Atores Motrizes • Exercício em grupo – formação de 4 grupos • Identificar os atores mais motrizes – Montar matriz e pontuar Ator x variável (tempo – 20 min) • Apresentação e consolidação dos resultados (tempo .

Exercício 12 – Parte A – Estratégia do Ator • Em função dos atores selecionados. formar grupos 4 grupos • Cada grupo analisará um ator definindo sua estratégia (tempo – 20 min) – Finalidade – Objetivos e Projetos – Motivações e constrangimentos – Meios de ação e coerência – Comportamento estratégico passado • Cada grupo apresenta e discute seus resultados em plenária (10 min para cada grupo) .

Exercício 12 – Parte B – Jogo dos atores • Serão formados novos grupos com representantes de cada grupo para a formação da matriz Ator X Ator – (tempo – 30 min) – Observem seus números • Apresentação e debate de cada resultado .montar a o diagrama da estratégia dos atores .

Ranking das incertezas críticas Método descrito por Peter Schwartz • Objetivo: identificar as variáveis mais incertas e mais importantes para a questão principal. • Passos: – Lista-se as variáveis incertas independentes que caracterizam o sistema e a sua envolvente – Classifica-se essas variáveis quanto ao seu grau de incerteza e de importância perante a questão principal – Liste as incertezas críticas para o sistema .

Matriz incertezas críticas Atribua valores de 1 a 5 1 – pouco importante ou baixa incerteza 5 – muito importante ou muito incerta .

Matriz de Análise Estrutural Importância 5 Incertezas 4 críticas 3 2 Ponto Médio 1 Incerteza 1 2 3 4 5 Ponto Médio .

Exercício 13 – Incertezas críticas • Formação de 4 grupos – em grupo pontuar as incertezas no formulário. identificando a incerteza crítica . advindas dos eventos já criados e preencher o aplicativo com a professora (20 min) • Em plenária – montar o gráfico.

Geração dos Cenários .

Tipologia dos Cenários Cenários Exploratórios Análise Cenário Desejado Cenário Foco .

desejado e foco • É construído com base nos resultados das fases anteriores • É um processo criativo e de escolhas • Momento em que são definidos – a lógica dos cenários – a filosofia de cada cenário – as cenas que irão compor esses cenários – os cenários são redigidos . Geração de Cenários Exploratórios • Visa a construção de cenários prospectivos exploratórios.

Geração de Cenários Exploratórios Análise Morfológica Incertezas Críticas Delphi Eixos ortogonais Impactos Cruzados .

Geração de Cenários Exploratórios Análise morfológica • Visa explorar de forma sistemática os futuros possíveis a partir do estudo de todas as combinações resultantes da decomposição de um sistema • Objetivo – auxiliar na construção de cenários .

Geração de Cenários Exploratórios Análise morfológica • Deve-se dispor de componentes o mais independentes possíveis • Esses componentes devem dar conta da totalidade do sistema • Decompõem-se esses componentes nos seus diversos comportamentos futuros a tabela formada auxiliará na construção da lógica dos cenários .

Geração de Cenários Exploratórios Análise morfológica Cenários para o Agronegócio no Brasil Embrapa .

Geração de Cenários Exploratórios Incertezas Críticas e Eixos Ortogonais • Visa a identificação dos eventos mais incertos e mais importantes para questão principal – Elabora-se lista de variáveis/eventos incertos perante a questão principal – Atribui-se valores quanto ao grau de incerteza e importância perante a questão principal – Monta-se gráfico para identificação das incertezas críticas – Constrói-se os eixos ortogonais .

Meios de Transportes 5 3 3 v5 -Sistemas de telecomunicações 5 5 v6 .Abastecimento de Água 5 4 v4 . Incertezas Críticas Grau Importância Lista de incertezas Incerteza Importância v1 .Risco Brasil 5 3 3 Incerteza v9 .Sistemas de informática 5 5 v8 .Fornecimento de Energia 5 5 v3 .Boatos nas vésperas do evento 5 5 .Comportamento do cliente 5 5 v2 .Acesso à polícia e bombeiros 5 4 v7 .

Geração de Cenários Exploratórios Incertezas Críticas População Cenários para o Informada Bug 2000 BB Cotidiano Shangri-lá Falha nos Sistemas Sistemas Adequados Apocalipse Nostradamus População Desinformada Apocalipse Nostradamus Cotidiano t dezembro/1999 janeiro/2000 Eixos ortogonais .

Geração de Cenários Exploratórios Delphi e Impactos Cruzados Visa definir os eventos com maior probabilidade de ocorrência segundo peritos. considerando o impacto de cada evento nos demais .

mas não está atualizado Interessa-se pelo assunto e seu conhecimento 2 “Pertinente” significa importante. válido – varia de 1 a 9 Tem conhecimento apenas superficial do assunto 1 . Geração de Cenários Exploratórios Delphi Planilha de preenchimento do Delphi Descrição do evento Probabilidade Pertinencia Auto-avaliação Evento A 80% 8 8 Evento B Evento n Auto-avaliação Peso Considera-se conhecedor do assunto 9 Interessa-se pelo assunto e seu conhecimento 8 A ocorrência do evento é Probabilidade (%) decorre da atividade que exerce atualmente Certa 100 Interessa-se pelo assunto. mas não está atualizado relevante. por livre iniciativa. decorre de leituras. seu conhecimento 6/7 Quase certa 99 decorre da atividade que exerceu e se mantém Muito provável 80 atualizado Incerta 60 Interessa-se pelo assunto e seu conhecimento 5 Pouco provável 40 decorre de leituras por livre iniciativa Improvável 20 Interessa-se pelo assunto e seu conhecimento 3/4 Impossível 0 decorre de atividade que exerceu.

Geração de Cenários Exploratórios Delphi Primeiro resultado do Delphi Probabilidade Pertinência Autoavaliação Descrição do evento Individual Média Alteração Individual Média Alteração Individual Alteração Evento A 80% 60% 8 8.5 8 Evento B Evento n .

Geração de Cenários Exploratórios Impactos Cruzados .

Geração de Cenários Exploratórios Delphi e Impactos Cruzados .

Exercício 14 – Geração dos cenários • Plenária (40 min) – Usar o tema e os resultados dos exercícios anteriores – Gerar os cenários por meio da análise morfológica e/ou dos eixos ortogonais – processo criativo • Formar 4 grupos (30 min) – Cada um descreve a filosofia de um cenário e escolher um nome • Apresentação dos resultados em plenária (5 min por grupo) .

2015 (terça-feira) – 8 horas/aula – Descrição das cenas – Testes de consistência e ajustes – Definição do cenário desejado e do cenário alvo – Análise dos cenários e definição de estratégias – Sistema de monitoramento estratégico – Avaliação da capacitação . Agenda de hoje 4º dia – 24 ago.

e – O sistema de monitoramento estratégico . ser capaz de definir: – Estratégias. Objetivos • Saber descrever uma cena e elaborar teste de consistência e ajustes • Desenvolver competência para definir um cenários desejado e o cenário alvo • Com base nos cenários construídos.

• Fatos que já aconteceram • Verbos no presente ou no passado • Focada na filosofia do cenário e no poder que cada ator tem de movimentar as variáveis • Integração entre criatividade e cientificidade . Construção das cenas que compõem os cenários • Escrevendo uma estória.

há sempre um ator por traz dela – As demais sementes atuam como “recheio” quem comanda são as incertezas . partindo do mais motriz e mostra-se como as outras sementes se juntam ao enredo. como se fosse o presente. • Lembre-se: – Nenhuma variável movimenta-se sozinha. mas com o verbo no passado • Foca-se nas incertezas/eventos incertos. Descrição de uma cena • Posiciona-se no final do horizonte temporal • Descreve como está aquele momento. baseado na filosofia do cenário • Conta como se chegou aquele momento. a partir de hoje.

Exercício 15 – Construção das cenas • Formar 4 grupos (20 min) • Cada grupo escolhe um dos cenários exploratórios e constrói uma cena • Apresentação em plenária (10 min cada) .

ajustes e disseminação .Testes de consistência.

Testes de consistência

• Realizado após a descrição de cada cenário
• Objetivo – assegurar a coerência dos encaminhamentos
entre as diferentes imagens a respeito do futuro
• Fase executada por especialistas no objeto de
cenarização
– Verificam se alguma variável ou ator está se comportando de
forma não coerente ou não consistente com a lógica de cada
cenário

Testes de consistência

Considerando a filosofia e o horizonte temporal de cada
cenário, é importante verificar se:
– O enredo é possível/passível de ocorrência?
– As relações de causa e efeito são possíveis? Estão corretas?
– Os atores citados são os responsáveis pelos resultados
descritos?
– Está clara a atuação desses atores e as relações entre eles?
– As rupturas descritas são possíveis de ocorrerem dentro do
enredo escrito?

Ajustes e disseminação
Ajustes e difusão

• Realiza-se os ajustes necessários para a manutenção
da coerência da história descrita
• O material gerado é difundido por toda a organização,
por meio de
– Apresentações

– Material impresso

– Material digital

– Reportagens

os atores e rupturas e sugerir: – O enredo é possível/passível? – Relações de causa e efeito? – Atores são responsáveis? – Rupturas descritas – Quais questões necessitam ser aprofundadas? – Quais são as necessidades informacionais? – Especialistas .Exercício 16 – Testes de consistência. Analisar os resultados obtidos quanto a aderência da filosofia ao enredo. as relações de causa e efeito. ajustes e disseminação • Manter os 4 grupos (20 min) • Trocar as cenas construídas.

Opções Estratégicas e Planos de Monitoramento .

.Os Cenários Prospectivos servem para . • auxiliar na definição de estratégias • permitir que a organização enfrente um ambiente incerto • melhorar o processo decisório • promover a comunicação dentro da empresa • promover o aprendizado organizacional UTILIZAÇÃO ..

1992) .Porter definiu algumas opções estratégicas a serem adotadas após a análise dos cenários prospectivos construídos • apostar no cenário mais provável • apostar no melhor cenário • buscar robustez • buscar flexibilidade • influenciar a ocorrência do melhor cenário • combinar algumas alternativas UTILIZAÇÃO (Porter.

Opções Estratégicas • Identificação de oportunidades e ameaças para a organização dos diversos cenários • Identificação dos pontos fortes e fracos perante esses cenários futuros • Definir objetivos estratégicos .

Opções Estratégicas • Utilização dos cenários para a construção dos objetivos estratégicas e realização do planejamento estratégico – Verificar a postura em reação ao futuro para cada objetivo estratégico – Verificar as parcerias estratégicas necessárias para o atingimento desses objetivos • Construção de planos de contingência .

O “Homem” pode assumir as seguintes atitudes perante o futuro: • Construir o futuro • Influenciar na construção do futuro • Reduzir os riscos do futuro incerto • Não fazer nada e ficar refém do futuro UTILIZAÇÃO .

A construção do futuro é sempre o melhor caminho .

Monitoramento estratégico • Selecionar os principais atores a serem monitorados • Selecionar as principais variáveis a serem monitoradas • Criar indicadores para sinalizar quando é necessário – Acionar o plano de contingência – Rever os planos – Elaborar novos cenários para revisão da estratégia .

lançamento de livros  fazer uso de bancos de dados  conhecer o modelo mental dos dirigentes  utilizar modelos mentais variados . seminários. feiras.Monitoramento estratégico  não usar somente fontes convencionais  usar informação informal  formar rede de especialistas e identificar filtros  participar de redes de discussão  palestras.

Exercício 17 – Opções Estratégicas • Em grupo (40 min) – Formação de 4 grupos. Cada grupo trabalha com um cenário exploratório e identifica por cenário • uma oportunidade e um risco (se existirem) • uma potencialidades e um desafios (se existirem) • Elaborem um objetivo estratégico com base nos resultados • Em Plenária – Apresentação dos grupos (5 min por grupo) .

Com base no objetivo estratégico definido • Propor que variáveis e atores devem ser monitorados (tempo – 30 min) • Cada grupo apresenta e discute seus resultados em plenária (10 min para cada grupo) .Exercício 18 – Monitoramento Formar 4 grupos .

Por fim. temos que pensar o futuro para planejarmos e não sermos governados Quais os cenários possíveis para 2016? ou para 2030? E para 2100? .

gov.Avaliação elaine.marcial@ipea.br/ .br http://elaine-marcial.blogspot.com.