You are on page 1of 2

Pré-Natal

 Calculo da Data provável do parto (DPP)


o Regra de NAGELE: Data da última menstruação e acrescentar 7 ao dia e 9 ao mês.
o DPP seria quando a paciente tenha 40 semanas;
 Idade Gestacional na consulta
o Data da ultima menstruação até o momento da consulta, ver quantos dias passaram, dividir
por 7.
 Vacinas recomendadas pelo ministério da saúde.
o dT(difteria)/dTpa tríplice bacteriana celular (coqueluche tétano e difteria)
Toda gestante deve receber uma dTpa e se necessário mais doses usamos dT apartir da 20º
semana, toda vez que engravidar.
Mulher que nunca foi vacina contra tétano, tomar 2 dT, com intervalos de 30 a 60 dias e a
última e de dTpa.
o Hepatite B (se esquema incompleto)
o Influenza: em população de risco
o Também pode-se fazer Hepatite A, meningites, Raiva, porém são situações excepcional
 Exames básicos de rotina no pré-natal
o Tipagem sanguínea e Rh, se o Rh for negativo, fazer COOBS indireto
o glicemia de jejum, (rotina do ministério da saudade para diagnosticar Diabetes gestacional).
o Hemograma,
o Anti-HIV ou teste rápido
o VDRL (é um teste não treponemico) (ou teste rápido sífilis, teste treponemico),
o HBsAg (para saber se a paciente já adquirido Hepatite B,
o EAS (sumario ou parcial de orina o urina tipo 1),
o Urocultura (bacteriuria assintomática para não expor a paciente a parto prematuro ou
pielonefrite oligosistematica
o Toxoplasmose IgM e IgG tem que ser solicitado porque tem medida adicional profilático.
o TOTG 75g (teste de tolerância a glicose) se necessário se a glicemia de jejum estiver alterada
a partir de 85 mm/Hg ou fator de risco.
o Parasitológico de fezes se necessário
o Colpocitologia se necessária e estiver no período de 25 a 65 ano
o USG se necessária. Não é rotina em pacientes de baixo risco.

Toxoplasmose

IgG – IgM – : não tem imunidade, é sucessivo.


IgG + IgM – : Adquiriu imunidade e não vai adquirir na
gravides
IgG – IgM + : Infecção Aguda. Suspeita de falso positivo
pedir IgA.
IgG + IgM+ : Aguda ou Crônica pedir teste de Avidez.

O teste de avidez só faz sentido se a gravidez tiver menos de 4 meses pois só determina se é ou não positivo
durante os 4 primeiros meses. Mas de 16 semanas não faz sentido.
>60% alta – ter mais de 4 mês
<30% baixa – infecção menos de 4 meses
Se a paciente tem menos de 4 meses de gestação e veio alta avidez. Mostrando que a infecção tem mais de 4
meses. Esta tudo bem, mostra que a gravidez foi adquirida fora da gravidez. Não é necessário medidas
adicionais.
Baixa avidez sempre é para tratar porque significa que tem pouca IgG e pegamos a curva ascendente do IgG
e é necessário tratar a mãe.
Mae infectada tratar mediatamente com:
 Espiramicina e rastrear o feto:
o Aminiocentese do Liquido amniótico após 14 a 16 semanas. Com PCR em liquido
amniótico.
Feto Infectado: Intercalar o tratamento mãe e feto.
 Sulfadiazina, Pirimetamina e Ac. Folínico.
No final depois de 37 semanas só usar Espiramicina.

Manobra de leopold : ajuda a definir a estática fetal em quatro tempos:


1. Situação: palpar fundo do útero
a. Longitudinal
b. Transversal
c. oblíqua
2. Posição: lado que esta o dorso fetal pata auscultar
3. Apresentação: cefálico ou pélvico
4. Altura da Apresentação: apertar a pélvis que conseguir avançar com os dedos.
Assistência ao parto
Condutas na Assistência
 Deambulação Livre
 Dieta com líquidos sem resíduos, somente em pacientes graves
 Ausculta de BCF cada 30 minutos antes durante e após um contração na primeira fase no baixo risco
pelo menos 1 minuto.
o Sonar o pinar em paciente baixo risco
 Não usar ocitocina de rotina no Pré parto
 Não romper membranas amnióticas de rotina
 Não fazer episiotomia de rotina
Partograma

 4 alteracao