You are on page 1of 2

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA ANIMAL

Introdução

A anatomia é o ramo da biologia que trabalha a forma e a estrutura dos organismos, e tem
íntima relação com a fisiologia, que estuda as funções do organismo.

Etimologicamente a palavra anatomia significa separação ou desassociação de partes do


corpo. Com a evolução surgiram a Histologia que estuda os tecidos e a Embriologia, ramo
encarregado de estudar as fases iniciais de desenvolvimento do organismo. A Anatomia
Comparada é a descrição e a comparação das estruturas dos animais, e estabelece os
critérios para a sua classificação.

Na Anatomia são utilizados três métodos principais de estudo: o sistemático, o topográfico e


o aplicado.

As divisões da anatomia sistemática são:

1. Osteologia – descrição do esqueleto (ossos e cartilagens), cujas funções são apoiar e


proteger as partes macias do corpo;

2. Sindesmologia – descrição das junturas, cujas funções são dar mobilidade aos
segmentos dos ossos rígidos e mantê-los unidos através dos ligamentos;

3. Miologia – descrição dos músculos e estruturas acessórias que funcionam para colocar os
ossos e articulações em movimento;

4. Esplancnologia – descrição das vísceras (incluindo os sistemas disgestivo, respiratório e


urogenital, o peritôneo e as glândulas endócrinas);

5. Angiologia – descrição dos órgãos de circulação (coração, artérias, veias, vasos linfáticos
e baço);

6. Neurologia – descrição do sistema nervoso, cuja função é controlar e coordenar todos os


outros órgãos e estruturas;

7. Órgãos do sentido – são aqueles que põem o indivíduo em contato com o meio ambiente;

8. Tegumento Comum – funciona principalmente como um revestimento protetor do corpo.

O termo Anatomia Topográfica designa os métodos pelos quais as posições relativas das
várias partes do corpo são rigorosamente determinadas.

Para que a posição e a direção das partes do corpo sejam indicadas precisamente,
empregam-se certos termos descritivos. Portanto, se faz necessário imaginar um animal
quadrúpede na sua posição ereta normal. A superfície orientada em direção ao plano de
apoio (solo) é denominada ventral e a superfície oposta, dorsal; os relacionamentos das
partes nesta direção são denominados de forma correspondente.

O plano mediano longitudinal divide o corpo em metades similares. Uma estrutura ou


superfície que está mais próxima do plano mediano do que uma outra é chamada medial a
ele, e um objeto ou superfície que está mais distante do plano medial do que um outro é
chamado lateral. Os planos paralelos ao medial são denominados planos sagitais. Os
planos transversos ou segmentares cortam o eixo mais longo do corpo perpendicularmente
ao plano mediano, ou um órgão ou membro em ângulos retos ao seu eixo mais longo.

Um plano frontal é perpendicular aos planos mediano e transversal. O termo também é


usado em referência a partes dos membros ou de vários órgãos cortados no mesmo
sentido.

O lado do corpo mais próximo à cabeça é denominado cranial e o mais próximo à cauda, é
denominado caudal. Com respeito às partes da cabeça, os termos correspondentes são
rostral e caudal. Certos termos são usados em sentido especial quando aplicados aos
membros. Proximal e distal expressam distâncias relativas das partes em relação ao eixo
longo do corpo. Abaixo do carpo os termos usados são dorsal e palmar e abaixo do tarso,
dorsal e plantar. Os termos superficial e profundo são úteis para indicar distâncias relativas
a partir da superfície do corpo.

Figura 1: Termos de posição e direção