You are on page 1of 7

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZONIA

CAMPUS CAPANEMA

BACHARELADO DE AGRONOMIA

Estabilização Relativa da Agricultura Familiar na Vila dos Baixinhos


localizada no município de Cachoeira do Piriá - Pa

Calil Fernandes da Cunha

Hamilton Nunes Santos Filho

Marcilio Rodrigo de Almeida Souza

Sharle da Conceição Fonseca da Silva

CAPANEMA–PA

2018
Calil Fernandes da Cunha

Hamilton Nunes Santos Filho

Marcilio Rodrigo de Almeida Souza

Sharle da Conceição Fonseca da Silva

Estabilização Relativa da Agricultura Familiar na Vila dos Baixinhos


localizada no Município de Cachoeira do Piriá - Pa

Pré-projeto de Trabalho de Pesquisa


científica apresentado no Curso de
Bacharelado de Agronomia da UFRA –
Campus Capanema, para obtenção de notas
referente a disciplina de Sociologia Rural e
Agricultura Familiar.

Orientador: Prof. Dr. Msc. Luiz Claudio Moreira

Melo Junior

CAPANEMA–PA

2018
SUMÁRIO

INTRODUÇÃO 3

JUSTIFICATIVA 3

OBJETIVOS 4

METODOLOGIA DA PESQUISA 4

CRONOGRAMA 4

REFERÊNCIAS 5
3

INTRODUÇÃO

O conceito de camponês, ao longo de sua história, no Brasil, tem sido aplicado


no estudo de categorias sociais designadas como: trabalhadores rurais, lavradores,
agricultores familiares, pequenos produtores e posseiros. Na Amazônia, frente à sua
diversidade social, segundo critérios étnicos, a constituição de sujeitos políticos é um
elemento presente nas práticas de resistência camponesa, tendo em vista as
construções identitárias dos grupos que formam o campesinato amazônico:
garimpeiros, peões, pescadores tradicionais, atingidos por barragens, povos da
floresta, quebradeiras de coco babaçu, varzeiros, entre outros.

A urbanização, o modelo educacional, as promessas e possibilidades de


emprego nas cidades, a falta de estímulo dos próprios pais, que não consideram as
opiniões dos filhos, a busca pela independência financeira pelos jovens, o modelo
produtivo baseado na monocultura e a insegurança dos pais em transferir a terra para
os filhos são fatores que claramente desafiam a continuidade no campo.

A agricultura familiar, responsável por grande parte da produção de alimentos no


Brasil possui 8 milhões de jovens com idade entre 15 e 29 anos inseridos neste
contexto e está ficando sem sucessão, e essa diminuição da população rural não é só
local, mas um fenômeno global.

Este é claramente um dos principais obstáculos da agricultura familiar,


transversal aos demais desafios já expostos. Construir métodos e alternativas que
fomentem e estimulem o jovem é fator determinante para a construção de um modelo
de vida no campo, uma opção pela agricultura que queremos.

JUSTIFICATIVA

A crescente demanda por alimentos e o atual modelo econômico apontam para


a necessidade de produção alimentícia, cada vez mais eficiente e que apresente
índices produtivos satisfatórios, principalmente quando se diz respeito a “Agricultura
Familiar”. A discussão acerca da viabilidade da agricultura familiar na Amazônia
apresenta uma diversidade de posicionamentos conceituais. Hurtienne (1999: 80 –
4

82) identifica a predominância, na reflexão recente, de duas visões opostas: as teses


do ‘ciclo de fronteira’ e da ‘estabilização relativa através da complexificação’.

OBJETIVOS

Identificar as características produtivas e a permanência da população na


Agricultura Familiar na Comunidade dos Baixinhos, município de Cachoeira do Piriá

METODOLOGIA DA PESQUISA

Serão realizadas entrevistas dentro das cooperativas no intuito de identificar as


características da comunidade, métodos de produção, dinâmica social e permanência
da Agricultura Familiar.

CRONOGRAMA

Atividades Dez Jan Fev Mar


Escolha do Tema x

Entrega da 1° parte x
do projeto

Fundamentação x
teórica

Defesa do pré- x
projeto

Fazer as entrevista x

Entrega da 2° final x
do projeto

Apresenta no x
colóquio
5

REFERÊNCIAS

MICHELOTTI, F.; RODRIGUES, F. N. C. V. Desafios para a sustentabilidade


ecológica integrada a trajetórias de estabilização da agricultura familiar na
Região de Marabá. Novos Cadernos NAEA/UFPA, v.5, n.1, p.73-103, 2004.

MOREIRA, E.; HÉBETTE, J. Metamorfoses De Um Campesinato Nos Baixo


Amazonas E Baixo Xingu Paraenses. In: GODOI, E.; MENEZES, M.; MARIN, R.
(Org.). Diversidade do campesinato: expressões e categorias. São Paulo:
Editora Unesp, 2009. cap. 8.