You are on page 1of 6

Int J Sports Physiol Perform. 2015 Dec 17.

[Epub ahead of print]

Uma dose moderada de cafeína melhora a ações de
alta intensidade e no desempenho físico durante
uma competição de Jiu- Jitsu Simulado brasileira.
Diaz-Lara FJ1, Del Coso J, Portillo J, Areces F, García JM, Abián-Vicén J.

Author information

Abstrato
OBJETIVO:
Embora a cafeína é uma das substâncias mais comumente usados em
esportes de combate, as informações sobre os seus efeitos ergogênicos
sobre estas disciplinas é muito limitado. O objetivo deste estudo foi
determinar a eficácia da ingestão de uma dose moderada de cafeína para
melhorar o desempenho geral durante uma competição simulada Jiu-Jitsu
(BJJ).
MÉTODOS:
Quatorze atletas de Jiu-Jitsu de elite participaram, um projeto
experimental controlado por placebo, duplo-cego. Em uma ordem
aleatória, os atletas ingeriram quer 3 mg • kg-1 de massa corporal de
cafeína ou um placebo (celulose; 0 mg • kg-1) e executou dois combates
de Jiu-Jitsu simulados (com 20 min de descanso entre elas), seguindo
BJJ oficial regras. testes físicos específicos, como dinamometria
máxima de preensão manual, altura máxima durante um salto
contramovimento, permanência durante um teste de elevação estática
máxima, potência de pico de concentração de supino exercício e lactato
no sangue foram medidos em três momentos específicos: antes do
primeiro combate e imediatamente após o primeiro e segundo combate. Os
combates foram vídeo-gravados para analisar acções de luta.
RESULTADOS:
Após a ingestão de cafeína, os participantes passaram mais tempo em
ações ofensivas em ambos os combates e revelou valores de lactato
maior de sangue (P <0,05). Desempenho em todos os testes físicos
realizados antes do primeiro combate foi reforçada com cafeína (P
<0,05), e algumas melhorias permaneceu pós-primeiro combate (por
exemplo máxima de exercício de teste de elevação e supino estático; P
<0,05). Após o segundo combate, os valores em todos os testes físicos
foram semelhantes entre a cafeína e de placebo.
CONCLUSÃO:
A cafeína pode ser um auxílio ergogênico eficaz para melhorar a
intensidade e desempenho físico durante sucessivos combates de Jiu-
Jitsu de elite.

PMID: 26693858 [PubMed - as supplied by publisher]

7 vs 93.3 W. atletas de Jiu-Jitsu ingerido 3 mg kg-1 de cafeína ou um placebo.Eur J Sport Sci.5 kg. Diaz-Lara FJ1.04).as supplied by publisher] PLoS One.5 ± 7. contramovimento altura do salto (40. 71. a ingestão de cafeína aumentou: força de preensão manual em ambas as mãos (50. .3 anos.0033807. potência máxima obtida durante o teste de potência de carga (750. 2016 Feb 10:1-8. Areces F2. [Epub ahead of print] A cafeína melhora o desempenho muscular em atletas de Jiu-Jitsu de elite brasileiros.7 vs 826.2 ± 52.02). Del Coso J2. um máximas teste testes elevador e supino estáticos que consistem em uma repetição máxima.3 ± 7. respectivamente p <0.6 vs 41. um salto contramovimento.3 ± 9. poder-carga e repetições até a falha.7(4):e33807.2 ± 3.9 s. a cafeína pode ser um auxílio ergogênico eficaz para melhorar o desempenho físico no BJJ. a ingestão pré-exercício de 3 mg kg-1 de cafeína aumento da força dinâmica e isométrica muscular.4 ± 13. Author information Abstrato informação científica sobre os efeitos da ingestão de cafeína sobre o desempenho esporte de combate é escassa e controversa.5 ± 154.02). p <0. Abián-Vicén J3. Em conclusão.1 kg. Em comparação com o placebo.6 ± 2.pone. 2012.4 vs 59. Assim. p <0.A cafeína também aumentou a uma repetição máxima (90. potência e resistência de força em atletas de Jiu-Jitsu de elite.7 W. p = 0.3 ± 3. O objetivo deste estudo foi investigar a eficácia de cafeína para melhorar Jiu- Jitsu (BJJ) performance muscular especcifico. e o tempo registado no ensaio elevação estática máxima (54.1 cm .01) e potência média durante o teste de supino exercício ao fracasso (280. randomizado experimento controlado por placebo e cruzado.1 kg) participaram de um estudo duplo-cego.9 ± 2. eles realizaram um teste de força máxima de preensão manual. Epub 2012 Apr 4. doi: 10. Portillo LJ1.9 ± 163. p = 0.05).9 vs 53.2 ± 78.2 ± 11.7 ± 3. Em duas sessões diferentes. PMID: 26863885 [PubMed . p = 0.1371/journal.01) . Quatorze atletas do sexo masculino e BJJ Elite (29.5 vs. 312. Após 60 minutos. García JM1.

força muscular e potência de saída aumentada acima AM (CAPL). com todos os assuntos servindo como seus próprios controles.6% -5. CONCLUSÕES: Estes resultados indicam que a ingestão de cafeína inverte a manhã declínios neuromusculares em homens altamente treinados-resistência. foi utilizado delineamento experimental controlado por placebo.5%. p≤0. MÉTODOS: Doze homens altamente treinados de resistência foram submetidos a uma bateria de testes neuromusculares sob três condições diferentes. p ≤ 0. e iii) à tarde (18:00 da tarde) com placebo ingestão (PM (CAPL) trial).Ingestão de cafeína reverte os efeitos do ritmo circadiano sobre o desempenho neuromuscular em homens altamente treinados de resistência.05).6% e 96.1) carga). ii) de manhã (10:00) com a ingestão de placebo (AM (CAPL) julgamento). Abstrato OBJETIVO: Para investigar se a ingestão de cafeína neutraliza a redução manhã no desempenho neuromuscular associada ao padrão de ritmo circadiano.indexed for MEDLINE] .05).05). 3 mg kg (-1). a noradrenalina no plasma (NE) e epinefrina foram medidos antes e no fim de cada ensaio após uma intensa (85% 1RM) padronizado 6 repetições ataque de SQ (POST).06). Durante AM (CAFF). RESULTADOS: No julgamento PM (CAPL). os níveis (4.0% -7. Mora-Rodríguez R1. força muscular dinâmica e potência foram significativamente melhorada em comparação com o tratamento AM (CAPL) (3. A bateria de testes neuromuscular consistiu na medição da barra de velocidade de deslocamento durante o livre-peso full-agachamento (SQ) e supino (BP) exerce contra as cargas que provocam a força máxima (75% da carga de 1RM) e adaptações de potência musculares (1 ms (. sugerem que a cafeína aumenta o desempenho neuromuscular ter um efeito direto no músculo. Ortega JF. respectivamente. Além disso. Nossos dados de estimulação elétrica. EVOK (LEG) e NE (um substituto do músculo máxima ativação do nervo simpático) foram aumentados acima AM (CAPL) julgamento (14. cortisol e hormônio do crescimento) foram avaliados no início de cada ensaio (PRE). juntamente com os valores NE. AM (CAFF) julgamento). Isométrico contração voluntária máxima (CVM (LEG)) e isométrica força evocado eletricamente do joelho direito (EVOK (LEG)) foram medidos para identificar mecanismos de ação da cafeína.8%. níveis de hormônios esteróides (séricos de testosterona. cruzado. Durante AM (CAFF) julgamento.7%. Fernández-Elías VE. PMID: 22496767 [PubMed . aumentando o desempenho para os níveis de ensaio da tarde. García Pallarés J. i) de manhã (10:00) com a ingestão de cafeína (isto é. duplo-cego randomizado. López-Samanes Á. A. p ≤ 0. exceto para a velocidade BP com 1 m s (-1) load (p = 0.

). ii) de manhã ( 10:00 ) com a ingestão de placebo (trial AMPLAC .m . foram submetidos a uma bateria de neuromuscular e avaliações bioquímicas sob três condições diferentes .cego e controlado por placebo . . duplo. i) de manhã ( 10:00 ) com a ingestão de cafeína (isto é. e iii ) à tarde (18:00 p. 3 mg kg-1 . ) com o placebo ingestão (trial PMPLAC ) . Doze homens altamente treinados de resistência . AMCAFF julgamento ). . em um delineamento experimental randomizado.Protocolo Experimental .

* Diferenças significativas em relação aos valores AMPLAC . Os ensaios foram realizados no período da manhã ( 10:00 ) sem ( AMPLAC ) ou com a ingestão de cafeína (isto é. F) Máxima força de preensão isométrica. . E) Maximal isométrica força de contração voluntária ( MVCLEG ) e eletricamente força evocada ( EVOKLEG ) no joelho direito . C) e D) Velocity para cargas de força máxima para exercícios de agachamento e supino .05 . p≤0. PMPLAC ) . A) e B) Velocity para o poder máximo e .Efeitos do padrão de ritmo circadiano e ingestão de cafeína sobre os valores de energia dinâmicos e isométricos de força máxima e musculares para ações superiores e inferiores do corpo. 3 mg kg-1 . Os dados são médias ± DP . AMCAFF ) e à tarde (18:00 pm .

As concentrações de norepinefrina no plasma refletem todo o corpo de ativação do nervo simpático . AMCAFF ) e à tarde (18:00 pm . Noradrenalina e adrenalina mudanças após um ataque de 6 de livre - peso squats repetições com uma carga de 85 % de 1 RM no período da manhã ( 10:00 ) sem ( AMPLAC ) ou com ingestão de cafeína (ou seja . 3 mg kg-1 . . Os dados são médias ± SD de 12 homens treinados de resistência .A resposta de catecolaminas para um ataque estimulação simpática máxima de exercício . PMPLAC ) .05 . † diferenças significativas em relação aos valores POST AMPLAC . ‡ diferenças significativas em comparação aos valores pré AMPLAC . * Diferenças significativas em comparação aos valores pré do mesmo tratamento. p≤0.