You are on page 1of 1

Universidade Estadual de Campinas – 14 a 20 de maio de 2007

5
Estudos desenvolvidos no IB e em outras instituições revelam que a mulher também pode ter a glândula

Pesquisadores desvendam a próstata feminina Foto: Antoninho Perri


MANUEL ALVES FILHO
manuel@reitoria.unicamp.br

o contrário do que se acredita-

A va até recentemente, a prós-


tata não é um órgão exclusi-
vamente masculino. Estudos recen-
tes indicam que a mulher também
pode possuir a glândula, cujas ca-
racterísticas se aproximam das do
homem. Pesquisas sugerem que a
próstata feminina pode ser afetada
pelas terapias de reposição hor-
monal ou pelo uso de anabolizantes,
procedimentos que contribuiriam
para o eventual desenvolvimento de
tumores malignos. “Apesar de no-
vos, esses dados são importantes
para orientar as abordagens vol-
tadas para a preservação da saú-
de da mulher”, analisa o professor
Hernandes F. Carvalho, do Institu-
to de Biologia (IB) da Unicamp, um
dos coordenadores das pesquisas
sobre a próstata feminina.
A descoberta da
Descobertas próstata feminina
vão fomentar promete fomentar
debates entre intensos debates
entre a comunida-
cientistas de científica. Pri-
meiro, porque toda novidade leva
algum tempo para ser aceita e,
conseqüentemente, absorvida. Se-
gundo, porque as funções da glân-
dula estariam relacionadas com
dois tabus envolvendo a sexuali-
dade da mulher.
De acordo com o professor
Hernandes F. Carvalho, que tam-
bém é coordenador do curso de
Farmácia da Unicamp, os estudos O professor Hernandes F. Carvalho (à esquerda), do Instituto de Biologia, um dos coordenadores das pesquisas sobre a próstata
preliminares indicam que o órgão feminina: “Se o ambiente hormonal for alterado, a mulher pode, sim, vir a desenvolver o órgão na idade adulta”
estaria associado com a chamada
ejaculação feminina. Além disso, A mesma atenção, prossegue o sível que cânceres de cavidade ab-
também teria ligação com o Ponto Foto: Reprodução pesquisador, precisa ser dada às dominal constatados em mulhe-
G, zona erógena que, graças à con- atletas que porventura façam uso res possam ter relação com proble-
centração de terminações nervo-
sas e vasos sangüíneos, estaria re-
Glândula de anabolizantes e aos transse-
xuais do tipo mulher-homem. Es-
mas prostáticos, mas que essa as-
sociação dificilmente é feita. Por
lacionada à estimulação sexual da
fêmea da espécie humana. “Entre- produz tes últimos, após a cirurgia para a
mudança de sexo, normalmente são
conta disso, em alguns casos a cau-
sa da doença é classificada como
tanto, essas expressões da glându- submetidos a tratamentos hormo- desconhecida. Hernandes F. Car-
la prostática feminina precisam
ser investigadas com maior pro-
líquido nais complementares.
O mesmo é válido em relação às
valho revela que uma diferença
fundamental entre a próstata femi-
fundidade”, adverte o docente.
seminal mulheres que lançam mão de tera-
pias de reposição hormonal, proce-
nina e a masculina está na estrutu-
ra da glândula. No homem, o órgão
Hormônio – As pesquisas sobre dimentos adotados comumente a- conta com uma espécie de cápsu-
a próstata feminina tiveram início pós a menopausa. O professor Her- la que restringe a disseminação
com um estudo em torno de célu- Localizada logo abaixo da alcançam os 75 anos. O nandes F. Carvalho esclarece que, das células. Na mulher, essa prote-
las cancerígenas presentes em ór- bexiga, envolvendo a uretra, exame mais eficiente para a nesse tipo de abordagem, a mulher ção não existe, o que permite a livre
gãos do aparelho reprodutor da a próstata masculina pesa detecção da enfermidade é o recebe dosagens de um precursor disseminação das células tumo-
mulher. Os cientistas perceberam entre 25 e 30 gramas e tem o toque retal. A possibilidade do estrógeno, hormônio feminino. rais na cavidade abdominal.
que algumas delas apresentavam formato de uma castanha. de ocorrência de uma Acontece que este precursor, de- As pesquisas foram conduzidas
características semelhantes às da Sua consistência torna-se glândula prostática pois de ser absorvido pelo organis- pela equipe do IB em conjunto com
próstata do homem. Ao investiga- endurecida quando feminina e sua dependência mo, tanto pode se transformar em Fernanda C. A. Santos, que reali-
rem mais detidamente os materi- apresenta câncer. Tem por hormonal precisam ser hormônio feminino quanto em mas- zou seu doutorado no Instituto, e
ais celulares, por meio de técnicas função produzir cerca de consideradas em mulheres culino. “Na hipótese de receber uma do professor Sebastião R. Taboga,
específicas, os pesquisadores aca- 70% do líquido seminal, com dosagens normalmente dosagem excessiva de testosterona, da Unesp de São José de Rio Preto.
baram por identificar a existência substância fundamental elevadas de andrógenos, a mulher também pode ter manifes- De acordo com Hernandes F. Car-
da glândula. para a vitalidade e transporte que recebem tratamento tações patológicas relacionadas ao valho, os estudos estão tendo con-
O professor Hernandes F. Carva- dos espermatozóides. No baseado nessas drogas ou desenvolvimento da próstata. Em tinuidade, desta vez com a inves-
lho explica que, dependendo do am- homem, o câncer de próstata que apresentam ovário outras palavras, nesses casos os mé- tigação sobre o balanço dos hor-
biente ou situação hormonal du- atinge cerca de 10% dos policístico, elementos dicos devem fazer uma investiga- mônios masculino e feminino no
rante a formação do feto, a mulher indivíduos com mais de 50 relacionados ao quadro de ção mais profunda para identificar desenvolvimento das próstatas
pode ter um maior desenvolvimen- anos e 50% dos que hiperandrogenia. a possível presença da glândula e de feminina e masculina. Parte dos
to do órgão. “No homem, o desen- eventuais doenças a ela relaciona- trabalhos é financiada pela Fun-
volvimento da próstata depende das”, insiste o especialista. dação de Amparo à Pesquisa do
da testosterona, hormônio produ- O docente do IB afirma que é pos- Estão de São Paulo (Fapesp).
zido pelos testículos em dois mo- ambiente hormonal dos animais, Carvalho lembra que algumas po-
mentos distintos: durante a em- por meio da administração de tes- pulações femininas têm o que os es-
briogênese e, depois, na puberda- tosterona, os cientistas fizeram pecialistas classificam de hiperan-
de. Na mulher, a glândula não se três constatações importantes. drogenismo. Mulheres com essa
desenvolve por causa da ausência alteração hormonal apresentam
dessa substância. No entanto, se o Lesões – Primeiro, identifica- naturalmente dosagens mais ele-
ambiente hormonal for alterado ram um aumento da glândula. Se- vadas de testosterona. Uma das
por algum motivo, a pessoa do sexo gundo, confirmaram preliminar- manifestações que acompanham
feminino pode, sim, vir a desenvol- mente a atuação funcional do órgão. o hiperandrogenismo é o hirsu-
ver o órgão na idade adulta”. Por último, detectaram o desenvol- tismo, que consiste no crescimen-
Essa hipótese foi confirmada por vimento de lesões pré-malignas. O to de pêlos em áreas do rosto. Ou-
pesquisas realizadas com o auxílio estudo rendeu artigo que foi publi- tra é o ovário policístico. “Mulhe-
de modelos animais. A equipe do IB cado numa das mais prestigiosas res com esses problemas devem me-
usou nos estudos um roedor deno- revistas internacionais da área da recer um cuidado especial por parte
minado gerbilo, comum no deserto reprodução, a Biology of Reproduction. dos ginecologistas, pois podem vir
da Mongólia, país da Ásia. Cerca de Ao estabelecer uma associação a apresentar patologias ligadas ao
50% das fêmeas dessa espécie apre- desses resultados com a situação das desenvolvimento da próstata”, a-
sentam próstata. Ao alterarem o mulheres, o professor Hernandes F. lerta o docente do IB.