You are on page 1of 4

1

PRÁTICA 04: CLOROPLASTOS: CICLOSE EM CÉLULAS DE Elodea sp.

INTRODUÇÃO

A Ciclose é uma corrente resultante do movimento do citoplasma, que arrasta organela e


substâncias em suspensão, de forma passiva e ordenada. Embora não se possa afirmar que seja sua
principal função, a ciclose facilita o intercâmbio de materiais dentro da célula e desta com meio
externo. Esse fenômeno pode ser facilmente percebido ao microscópio em células de Elodea, pelo
deslocamento dos cloroplastos.
Em células vegetais vivas, observadas ao microscópio óptico os movimentos do citoplasma são
constantes. Organelas e partículas participam de uma corrente citoplasmática1, nesse caso
denominada ciclose, porque o movimento é circular em torno do vacúolo central. O movimento se
baseia na interação de filamentos de actina com miosina (microfilamento do citoesqueleto). A miosina
é uma molécula de proteína com uma "cabeça" contendo ATPase que é ativada pela actina. A ATPase é
uma enzima que quebra (hidrolisa) ATP, liberando energia. Aparentemente, as organelas na corrente
citoplasmática estão indiretamente unidas aos filamentos de actina por moléculas de miosina, que usam
a energia liberada pela hidrólise do ATP para "caminhar" ao longo dos filamentos de actina puxando com
elas as organelas. A corrente sempre ocorre das terminações negativas para as positivas dos filamentos
de actina os quais estão todos igualmente orientados dentro de um feixe.
Segundo Lehninger (2000), os filamentos de actina ligam-se a uma família de proteína
chamadas de miosina, enzimas que usam a energia da quebra do ATP para se moverem ao longo do
filamento de actina numa direção. Os membros mais simples desta família como a miosina I possui uma
cabeça globular e cauda curta. A cabeça liga-se e move-se ao longo de um filamento de actina,
impulsionada pela quebra do ATP. A região caudal liga-se a proteína na membrana de uma organela
citoplasmática, arrastando a organela à medida que a cabeça da miosina se move ao longo do filamento
de actina. Parece que miosina desse tipo liga-se a várias organelas no citoplasma.
Tem sido observado que a região mais externa do citoplasma é relativamente imóvel,
enquanto a região mais interna é fluída. Os filamentos de actina se enfileiram entre essas duas
regiões, e, ao deslizarem entre si, promovem a corrente citoplasmática.
Em células animais também se verifica a corrente citoplasmática (em animais unicelulares, em
células musculares, etc.).

FUNÇÕES DA CICLOSE
A ciclose aumenta a troca de material entre organelas, entre membranas e organelas e
entre células. Além disso, verifica-se que, graças à ciclose, as células vegetais são capazes de
aproveitar melhor a quantidade de luz, que recebem, espalhando seus cloroplastos uniformemente
no citoplasma, quando há pouca luz, agrupando-os, quando há excesso de luz.

OBJETIVO: Identificar Ciclose nas células da Elodea sp.

MATERIAL
Microscópio óptico; Lâminas e lamínulas limpas;
Plantas de aquário Elodea sp. Água de torneira;
Becker; Placa de Petri;
Conta-gotas;

PROCEDIMENTO
1. Retire uma folha do ramo de Elodea e monte lâmina, com 1 a 2 gotas de água destilada. Leve ao
microscópio e observe.
2. Quais as estruturas visíveis ao microscópio que você está utilizando?
3. Aguarde cerca de 2 minutos e procure identificar o movimento de CICLOSE.
2

RESPONDA O QUESTIONÁRO ABAIXO

 O que é CICLOSE?
 Explicar o movimento de Ciclose.
 Explique de que maneira os microfilamentos participam da Ciclose.
 Descreva sobre as funções da Ciclose.
 Você acha que a luz exerce alguma influência neste movimento? Comente sobre este fato.

(a) Uma trilha seguida pela corrente citoplasmática numa célula gigante de alga. (b) Seção longitudinal de
parte da célula, mostrando o arranjo das camadas imóvel e em movimento do citoplasma. As proporções
foram distorcidas em ambos os diagramas para facilitar a compreensão.

Represente no campo abaixo o que você observou na objetiva 40X

Leia o artigo sobre “Motores moleculares” que se encontra na reprografia e procure


responder:

a) Que grupo de moléculas está diretamente ligado ao movimento do conteúdo


celular?
b) Relacione os principais motores moleculares e suas funções.
c) Após a leitura do artigo faça um pequeno resumo do conteúdo do artigo
procurando enfatizar a importância ou as funções desses motores no
metabolismo celular.
3

Leia o texto abaixo e reforce com a leitura do capítulo 5 ( O CITOESQUELETO.


Forma e motibilidade) do livro Biologia Celular e Molecular do De Roberts.

CITOPLASMA: Os primeiros citologistas acreditavam que o interior da célula viva era preenchido por
um fluido homogêneo e viscoso, no qual estava mergulhado o núcleo. Esse fluido recebeu o nome de
citoplasma.
O maior volume de uma célula eucariótica é representado pela região compreendida entre a
membrana plasmática e a membrana nuclear. Nessa região, encontramos uma solução coloidal formada
principalmente por água e proteínas. Trata-se matriz citoplasmática, onde estão mergulhados uma série
de organelas, ribossomos e outras estruturas responsáveis por algumas funções importantes, tais como:
digestão, respiração, secreção, síntese de proteínas. As organelas membranosas dividem o citoplasma,
mas também formam uma complexa rede de comunicação e transporte, que compreende o envoltório
nuclear, o retículo endoplasmático, o complexo de Golgi e os vacúolos. Pode-se encontrar também uma
série de microtúbulos (tubulina), além de microfilamentos protéicos (actina e miosina), que contribuem
para formar um citoesqueleto, auxiliando na manutenção da forma celular e apoiando o movimento das
organelas citoplasmáticas.
É principalmente no citoplasma que ocorrem as principais reações necessárias à manutenção da
vida. Por ser a célula uma estrutura dinâmica, o seu citoplasma não é estático, pois apresenta alguns
movimentos como aquele observado nas amebas para a emissão de pseudópodes

Ciclose: O citosol contém principalmente proteínas dissolvidas, eletrólitos, glicose, quantidades


diminutas de compostos lipídicos e encontra-se em contínuo movimento, impulsionado pela contração
rítmica de certos fios de proteínas presentes no citoplasma. Os fluxos de citosol constituem o que os
biólogos denominam ciclose. Sua velocidade aumenta com a elevação da temperatura e diminui
em temperaturas baixas, assim como na presença de anestésicos e na falta de oxigênio.

Movimento Amebóide: O movimento amebóide é a capacidade que alguns tipos de células têm de
alterar rapidamente a consistência de seu citosol, gerando fluxos internos que permitem à célula mudar
de forma e se movimentar. Podemos observar esse tipo de movimento em muitos protozoários e em
alguns tipos de células de animais multicelulares.

Além da parte fluida, o citoplasma contém bolsas e canais membranosos e organelas ou orgânulos
citoplasmáticos, que desempenham funções específicas no metabolismo da célula eucarionte.

Ectoplasma e Endoplasma: Na periferia do citoplasma, o citosol (líquido citoplasmático) é mais


viscoso, tendo consistência de gelatina mole e é chamado de ectoplasma. Na parte mais central da célula
situa-se o endoplasma de consistência mais fluida.

Citoplasma e arquitetura celular: ATENÇÃO!... O conceito de que o citoplasma é apenas uma


substância gelatinosa perdura por muito tempo. Está, porém, ultrapassado e hoje já é bem aceito entre
os pesquisadores essa nova visão sobre a constituição do citoplasma.

Já por volta de 1929 foi proposto que o citoplasma consistia de uma grande malha extremamente
organizada que preenchia praticamente todos os espaços livres existentes no meio interno da célula,
deixando pequenos compartimentos intracelulares. Essa malha organizada recebeu a denominação de
Citoesqueleto, termo adotado pela comunidade científica internacional.
4

Com a utilização de Microscopia eletrônica e técnicas de Imunologia constatou-se que esse


citoesqueleto é composto por três estruturas básicas: Microtúbulos, Microfilamentos e Filamentos
intermediários, todos basicamente constituídos de proteínas. Essas estruturas geralmente encontram-
se unidas, podendo agir de forma conjunta ou independente, dependendo das necessidades fisiológicas
da célula.

Microtúbulos: São estruturas que apresentam um diâmetro de 25 nm, e como o próprio nome sugere
são tubulares. Esses microtúbulos são formados por uma proteína chamada tubulina, que apresenta dois
monômeros diferentes, a e b. Como funções dos microtúbulos podemos citar:
Função mecânica: estão envolvidos na rigidez celular e na estruturação de algumas
protuberâncias ou prolongamentos celulares. Um exemplo mais claro de tais tipos de estruturas
são os axônios e os dendritos dos neurônios. Morfogênese: observa-se também a presença de
microtúbulos na aquisição da forma da célula durante o processo de diferenciação celular.

Circulação e transporte: podem intervir também no transporte de macromoléculas no interior


da célula. Para isso acredita-se que haja a formação de “canais” no citoplasma. Por exemplo,
pode-se observar o movimento de melanina entre os canais criados na matriz citoplasmática pelos
microtúbulos.

Microfilamentos: São filamentos mias finos, estando seu diâmetro entre 6 e 8 nm. São principalmente
formados por actina ou miosina e estão basicamente envolvidos com sistemas contráteis da célula.
Motilidade celular: a motilidade proporcionada pelos microfilamentos ocorre tanto em células
musculares como em células de diferentes características. Movimento amebóide: esse movimento
é observado em certos protozoários (as amebas, das quais recebeu o nome) e em algumas células
animais, como os macrófagos. Caracteriza-se pelo fato de a célula emitir prolongamento
citoplasmáticos. Esses prolongamentos ainda conferem adesão da célula em um suporte sólido.

Filamentos Intermediários: Recebem esse nome por possuírem diâmetro intermediário (10 nm) entre
os microtúbulos e os microtúbulos. São compostos por diferentes tipos de proteínas e também possuem
funções heterogêneas. Alguns exemplos:
Filamentos de queratina: são proteínas fibrosas sintetizadas nas células das camadas vivas da
epiderme e formam a maior parte do produto do descamamento da epiderme.
Neurofilamentos: também estão envolvidos na estrutura dos neurônios e axônios.

Citoesqueleto: Estudos mais recentes mostraram que as três estruturas do citoesqueleto funcionam
conjuntamente, e organizam-se de forma similar a estruturas arquitetônicas como por exemplo as
cúpulas geodésicas e esculturas de Snelson.
Exemplos de estruturas do tipo cúpulas geodésicas podem ser observados em grãos de pólen e
estruturas como as esculturas de Snelson podem ser observadas no conjunto: ossos e músculos.
A integração entre essas estruturas é de enorme complexidade, atuando como uma rede global de
informações, que tanto recebe estímulos como também envia estímulos ou informações à periferia. Essas
informações são as mais diversas possíveis, como diferenciação, morfogênese, divisão e outras.
Constata-se que essa integração está ainda envolvida no processo de apoptose celular (também
conhecida como morte celular programada). Há também hipóteses sobre outras funções do
citoesqueleto, principalmente relacionadas à fisiologia celular, como o desenvolvimento de embriões
vegetais durante o processo de germinação das sementes.