N

ormalmente, quando se pensa platina, empregados para tratamento em fármacos, a primeira idéia de tumores, os de antimônio, para o que surge é a de compostos tratamento de leishmania, e o nitroorgânicos, descobertos como princíprussiato, um complexo de ferro usapios ativos, ou sintetizados através de do nas emergências hipertensivas. planejamento racional. No entanto, Como exemplos de compostos orgâvários compostos ditos inorgânicos e nicos que agem através da coordeque contêm metais são usados na clínação serão discutidos os inibidores nica médica. Além disso, o mecanisda enzima conversora da angiotensimo de ação de fármacos orgânicos na (ECA), empregados no combate pode envolver a coordenação a meà hipertensão. tais in vivo. Existem muitas outras contribuiEste Caderno Temático procura ções da Química Inorgânica à Químimostrar as várias possibilidades de ca Medicinal, mas foram apenas menintervenção da Química Inorgânica cionadas no primeiro artigo deste em Medicina. Os temas tratados Caderno por uma questão de espaço: incluem tanto complexos metálicos o uso de complexos de ouro para o usados na clínica, como compostos tratamento de artrite ou o de composorgânicos que agem tos de bismuto no Vários compostos ditos por meio da coordetratamento da úlcera inorgânicos e que contêm nação a metais pregástrica, e o emmetais são usados na sentes no sítio ativo prego de uma vaclínica médica. Além disso, de enzimas. Há ainda riedade de composo mecanismo de ação de um capítulo dedicatos orgânicos para fármacos orgânicos pode do à suplementação desintoxicação, os envolver a coordenação a de elementos-traços, quais atuam coordemetais in vivo um tema de crescennando-se ao metal te importância na Fartóxico, com posterior macologia moderna, e um capítulo eliminação do complexo (quelatotededicado ao uso de metais - em esrapia). Há ainda uma variedade de pecial o tecnécio - para fins de diaginibidores de sítios metálicos de nóstico e tratamento. enzimas, importantes no tratamento Entre os complexos metálicos em do câncer, de infecções virais e microuso clínico serão abordados os de bianas, que aqui não foram tratados,

mas que poderão interessar ao leitor e que são encontrados na bibliografia especializada. Inúmeras possibilidades se abrem ao químico inorgânico para o desenvolvimento de novos fármacos, que envolvem o planejamento de drogas baseado em características tais como lipofilia, facilidade de excreção e farmacocinética, e o uso de características inerentes aos metais, como diferentes estados de oxidação, propriedades nucleares e magnéticas. Esperamos que este Caderno Temático possa mostrar que o universo da Química Medicinal é ainda mais amplo, e que compreende não somente contribuições da Química Orgânica, mas também aquelas da Química Inorgânica. De fato, a Química Medicinal é uma área essencialmente multidisciplinar, que combina, entre outros, aspectos da Química, da Bioquímica e da Farmacologia.
Heloísa Beraldo (hberaldo@ufmg.br), doutora pela Université Paris VI, França, é professora titular do Departamento de Química da Universidade Federal de Minas Gerais e trabalha na área de Química Inorgânica Medicinal. Eduardo F. Mortimer (mortimer@netuno.lcc.ufmg.br), professor adjunto da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais, é doutor em Educação pela Universidade de São Paulo e editor de Química Nova na Escola.

3

CADERNOS TEMÁTICOS DE QUÍMICA NOVA NA ESCOLA

Introdução

N° 6 – JULHO 2005