You are on page 1of 3

Resumo do Capítulo IV – Uma tradição arquitetônica

:
A escola franciscana do Nordeste

Tratando-se da arquitetura religiosa no Brasil a ordem franciscana foi
responsável pelo maior número de obras presentes na região Nordeste,
principalmente sobre conventos situados entre Salvador e João Pessoa.
Apresentando soluções nunca antes vistas com desenvolvimento lógico
tornando possível a pressuposição de uma classe de construtores pertencentes
à Ordem.

O pouco que se sabe a respeito da arquitetura franciscana no Nordeste é
graças ao Frei Jaboatão que colecionou dados acerca dos templos da época e
também forneceu informações sobre o Frei Francisco dos Santos que concedeu
os esboços da igreja de Nossa Senhora das Neves de Olinda, em 1545, e
também do convento, em 1590.

O Frei Francisco era muito respeitado dentro da Ordem ao ponto de ser
convidado a dar conselhos sobre a fundação do convento de São Paulo. Há uma
suspeita de que ele seria o responsável pelo convento de Paraguaçu, na Bahia.
Infelizmente nada do que foi edificado pelo Frei ainda existe, porém, é importante
ressaltar que a sua experiência, desde o início da ordem até os antigos
conventos que ainda nos restam (Ipojuca e Serinhaém), é algo de grande
importância.

Segundo o Frei Jaboatão, Mestre Gonsalves de Olinda foi responsável
pela construção dos conventos de Ipojuca e Recife. No entanto, como as obras
não são contemporâneas é possível admitir que o mestre tenha realizado
observações a respeito do convento de Recife para empregar na construção do
convento de Ipojuca. Isso pode ser percebido através dos arcos do frontispício,
da igreja, capela-mor e de outros elementos presentes no convento de Recife.

É possível perceber uma semelhança existente entre os conventos de
Olinda, Ipojuca e Serinhaém, quando observado o conjunto de características
arquitetônicas destas obras, devido à existência das oficinas ambulantes.

principalmente pelo fato dos habitantes mais ricos de tais localidades fazerem parte desse grupo. apresentando uma nave central muito ampla e cercada por naves laterais. . Todas as igrejas do Nordeste mantêm certas características. não sendo tão fiel ao o que observava. tais ilustrações não devem ser levadas tão a finco. das Neves de Olinda – 1585). desde o Nordeste até o município de Itaboraí. os frontispícios apresentam- se curvilíneos e possuindo adornos em tom barroco numa estrutura clássica. pois foi observado certo caráter imaginativo do artista. Post representava a paisagem de maneira muito livre. executados por Frans Post. Segundo a linguagem Ipojuca. Foram reveladas duas tipologias de frontispícios. S. a preferência dos franciscanos era entre as regiões de Salvador e Paraíba (João Pessoa). essas características são percebidas na construção de novos conventos em várias localidades entres os séculos XVI e meados XVII. Os azulejos que adornam o claustro e as galerias representando cenas e figuras foram criados por uma escola franciscana no Nordeste e são os mais monumentais de todos observados. Embora tenha construções em várias localidades. porém houveram avanços no posicionamento de algumas peças. existe um registro realizados através de linguagem pictórica de caráter topográfico e geográfico. ou seja. no Rio de Janeiro. Porém. Há uma influência na construção das mais importantes cidades por parte da Ordem Terceira. os de característica Ipojuca e o de Cairu. desde a fundação do primeiro convento franciscano (N. A partir da saída dos holandeses de Pernambuco (segunda metade do século XVIII) houve um movimento de reconstrução do que havia sido destruído dos conventos de Pernambuco e Bahia. onde começou a ser utilizado materiais de maior resistência. Os riscos não sofreram grandes variações. Traçando uma linha do tempo. a única que se distingue é a de São Francisco. onde puderam desenvolver traços originais da arquitetura religiosa daquela região. Apesar de nenhum dos templos existentes até hoje ser anterior à metade do século XVII.

Rio de Janeiro: Editora Record. apresentando já certas características em Rococó. Enquanto isso. Por fim. 1956 . O movimento sofreu uma influência oriental que se manifesta na arte portuguesa da época rococó e que pode ser visto na ornamentação dos frontispícios de João Pessoa. vale ressaltar que as soluções inéditas e lógicas encontradas pelos arquitetos franciscanos apresentam características semelhantes às catedrais da Idade Média.mantendo uma organização retangular. Germain. Referência Bibliográfica BAZIN. o tipo Cairu mostra-se em formato piramidal com ampliação da galilé e diminuição do frontispício – com cinco vestíbulos e três janelas no coro de cima . A arquitetura religiosa barroca no Brasil . pois apenas nesta época observava-se um povo vivendo em condições isoladas e distantes.e com uma evolução do estilo. Toda riqueza de detalhes presente no início do movimento da arquitetura religiosa não é mais visto na construção de Santo Antônio de Recife. onde se tem menores detalhes e uma falta de gracejo nos relevos mostrando a decadência de tal organização arquitetônica.volume 1.

Related Interests