You are on page 1of 2

2.

JUSTIFICATIVAS E OJETIVOS

Frente aos objetivos relacionados à melhoria das condições da dinâmica hidráulica na porção
territorial oeste da Baixada de Jacarepaguá e da condição ambiental do seu complexo lagunar, a
SERLA procedeu, em 2005, ao processo licitatório para a contratação dos Relatórios de Estudo
de Impacto Ambiental e de seu respectivo Relatório de Impacto Ambiental _ EIA / Rima
relacionados à Estabilização da Barra do Canal de Sernambetiba e sua Interligação com as
Lagoas de Jacarepaguá, Tijuca e Marapendi. Embora contratados a partir de licitações distintas
_ (1) processo contratual número 17/2005, referente aos estudos para a Estabilização da Barra do
Canal de Sernambetiba e (2) processo contratual número 80/2005SERLA, referente aos estudos
para a interligação deste canal às lagoas de Jacarepaguá, Tijuca e Marapendi, a SERLA solicitou
à Empresa vencedora dos dois processos _ COHIDRO Consultoria Estudos e Projetos _ que
procedesse à realização de um único estudo, como não poderia deixar de ser, considerando a
dinâmica que permeia o comportamento hídrico das intervenções pretendidas.

Dentro deste contexto, a SERLA _ Fundação Superintendência Estadual de Rios e Lagoas


solicitou Licença de Instalação ao órgão ambiental de competência – FEEMA _ Fundação
Estadual Engenharia do Meio Ambiente, a qual apresentou a seguinte notificação em 15/07/2005
“Na forma do disposto na Lei n 1.356, de 03/10/1988, que dispõe sobre os procedimentos
vinculados a elaboração, análise e aprovação do Estudo Ambiental fica VSa. notificado de que
deverá apresentar, no prazo de 180 (cento e oitenta) dias, a contar da data de recebimento
desta, no horário de 9:00 às 15:00, Estudo de Impacto Ambiental - EIA e respectivo Relatório de
Impacto Ambiental - RIMA referente à Licença Prévia - LPI - Processo E-07/201.581/05, para a
construção de enrocamento para a estabilização da Barra e Dragagem do Canal de
Sernambetiba, no Recreio dos Bandeirantes, no Município do Rio de Janeiro, sob a
responsabilidade da Fundação Superintendência de Rios e Lagoas _ SERLA, de acordo com a
Instrução Técnica n 013/2005, em anexo. O EIA e o RIMA deverão ser apresentados em meio
digital acompanhado de 01 (uma) cópia impressa, conforme procedimento em anexo para que
seja conferida a itemização da ITA a fim de permitir a sua aceitação para fins de análise”. O
não cumprimento dos termos desta Notificação sujeita o infrator às multas e demais sanções
previstas na Lei n 3.647, de 14/09/00.”

6
Sob esse enfoque, este Relatório tem como objetivo apresentar o Estudo de Impacto Ambiental
_ EIA apresentado em 13 (treze) Capítulos, quais sejam _ Capítulo 1: Introdução, Capítulo 2:
Justificativa e Objetivos, Capítulo 3: Abordagens Metodológicas, Capítulo 4:
Caracterização do Empreendimento, Capítulo 5: Legislação Aplicável, Capítulo 6: Planos,
Programas e Projetos Correlatos, Capítulo 7: Diagnóstico Ambiental, Capítulo 8:
Prognóstico Ambiental, Capítulo 9: Identificação, Análise e Avaliação dos Impactos
Ambientais, Capítulo 10: Definição de Medidas, Programas e Planos Ambientais, Capítulo
11: Conclusão, Capítulo 12: Bibliografia e Capítulo 13: Equipe Técnica e Anexos.

Esta mesma estrutura seqüencial foi mantida para o Relatório de Impacto Ambiental _ Rima,
apresentado em linguagem jornalística como determina legislação ambiental em vigor.