You are on page 1of 3

7.3.1.

2 Recursos Hídricos Subterrâneos

Os dados fornecidos pela SERLA, acrescidos das informações coletadas durante as etapas de
campo, foram a base para dimensionar as características atuais dos aqüíferos da Baixada de
Jacarepaguá, e mais precisamente, das regiões nas margens dos canais.

A maioria das residências visitada conta atualmente com abastecimento de água fornecida pela
CEDAE, sendo que algumas possuem ligações clandestinas, estas principalmente na margem direita
do Canal de Sernambetiba. No entanto, vários moradores relataram que durante a interrupção do
abastecimento, utilizam a água (nem sempre em boas condições) proveniente dos poços ainda
existentes em suas residências para satisfazer suas necessidades.

Outro fator relevante é a falta de saneamento básico de várias residências, novamente nas situadas
na margem direita do Canal de Sernambetiba, principalmente na comunidade Beira Rio, a montante
do canal, próximo à junção desse com o Rio Morto. Tal comunidade dificilmente será afetada pela
contaminação de água salgada em seus poços, proveniente da maior entrada de água salgada devido
à dragagem do canal, mas já pode estar sendo prejudicada se os dejetos não estiverem sendo
devidamente acondicionados em fossas sépticas.

Em alguns pontos ao longo do Canal de Sernambetiba foram vistas manilhas despejando esgoto
sem tratamento, com coloração às vezes esbranquiçada, e forte odor de esgoto, como visto no Canal
do Piabas, proveniente do condomínio Mar a Mar. Foi relatado por moradores locais que em alguns
pontos ocorre o transbordamento do canal, e essa água contaminada por esgoto pode infiltrar nos
aqüíferos em uma faixa próxima às áreas de transbordamento, causando assim sua contaminação.

As tabelas abaixo sintetizam alguns dados fornecidos pela SERLA, com destaque para a qualidade
da água e condutividade (quanto maior a condutividade, maior a salinidade). Foram selecionados
pontos que pudessem dar uma amostragem de uma forma geral da qualidade dos aqüíferos da
Baixada de Jacarepaguá, as localizações podem ser vistas no mapa a seguir.

604
Mapa de localização dos pontos visitados durante a etapa de campo e dos poços analisados pela
SERLA.

Como descrito anteriormente, as águas da baixada encontram-se fora dos padrões para consumo
humano, devido à contaminação por coliformes, alto índice de turbidez e ferro, este último
proveniente da decomposição de antigas camadas de matéria orgânica.

Outro dado importante sobre os aqüíferos é quanto a sua condutividade / salinidade, onde os poços
situados mais próximos ao maciço da Pedra Branca são mais profundos, captando das rochas
cristalinas, e com baixa condutividade, indicando baixa salinidade (vide Quadros abaixo).

Tais parâmetros são explicados pela proximidade com a área de recarga de água doce desses
aqüíferos, pois estão situados na base do maciço. Porém, algumas residências visitadas nas
proximidades do maciço contam com poços hipersalinos, com altos valores de condutividade,
diferentemente de outras residências, às vezes bem próximas, que contam com água de poços com
água doce. Tais diferenças são devido aos diferentes aqüíferos encontrados na baixada, os
hipersalinos, situados nas argilas da fase transgressiva, e os de água doce, mais superficiais,
recarregados pela infiltração das águas das chuvas drenadas pelos maciços circundantes.

605
Condomínio Bela Floresta – Vargem Pequena 110 (maciço cristalino), ponto C.
Quimismo da Condutivi
Local Poço Prof. m NE ND Vazão (l/s)
Água dade
Cond. Bela
1 85.00 3.90 34.16 11.15 Boa qualidade 110
Floresta
Fonte: SERLA

Condomínio Vilage dos Oitis – Vargem Grande, ponto E.


Quimismo da Condutivi
Local Poço Prof. m NE ND Vazão l/s
Água dade
Cond.
1 51.00 1.00 20.00 1.60 Boa qualidade 398
Vilage
Fonte: SERLA.

Somados a esses, temos os aqüíferos hipersalinos provenientes da ascensão de cunhas de água


salgada, situados próximo ao litoral, como indicam os poços analisados no Recreio Shopping,
situado próximo ao Canal de Sernambetiba, que apresentaram valores de condutividade próximos
ao encontrado perto da desembocadura do canal.

Recreio Shopping – Recreio dos Bandeirantes, ponto B.


Vazão Quimismo da Condutivi
Local Poço Prof.m NE ND
(L/s) Água dade
Recreio Ferro Total
1 14.00 3.80 7.60 1.62 867
Shopping Elevado
Recreio Ferro Total
2 14.00 3.20 8.10 1.46 699
Shopping Elevado
Fonte: SERLA.

A recarga natural dos aqüíferos na área urbanizadas ainda é alta mas, com adensamento urbano,
essa recarga poderá diminuir com o tempo. Em geral esses poços têm uma profundidade média de
20m (limite do aqüífero doce). A vazão de extração dos 9 poços é muito variável. Há poços com
4m³/h e outros com até 15m³/h de produtividade, num ciclo de 12 horas por dia.

A água está sendo extraída abaixo do limite de capacidade máxima de cada poço, o que garante a
sustentabilidade do aqüífero. O geólogo Carlos Eduardo Osório Ferreira, responsável pelo pedido
de outorga dos poços junto à SERLA, nessa área, sugere que os proprietários dos imóveis e
shoppings conduzam as águas pluviais dos pátios e telhados de volta para o terreno arenoso no
entorno dos prédios pelo processo de infiltração natural ou induzido no solo. Assim, os aqüíferos
rasos, típicos da área, receberão uma recarga direta por gravidade, ou seja, infiltração. Ele não
recomenda lançar as águas pluviais na rede pluvial, pois considera um desperdício econômico à
longo prazo, jogar essa água doce nas lagoas poluídas, ao invés de utiliza-la para a sustentação do
aqüífero.

606