You are on page 1of 26

INTRODUÇÃO

4° GRAU é um livro digital de drama e ficção
científica,produzido em 2015 por Robson ‘Otto’
Aguiar e Juninho Aguiar para o blog
EXPRESSOTEMDETUDO.
O conto narra a história de uma mulher chamada
Sandra, que comete um tremendo erro em seu
relacionamento causando assim o fim deste.
Muito abalada pelo ocorrido,ela fica muito mal
pelo o que aconteceu,mas este não é o único
problema dela.
Outras coisas acontecem,a deixando cada vez mais
doente.
SUMÁRIO
1-CAPA
2-INTRODUÇÃO
3-SUMÁRIO
4-CRÉDITOS
5-AGRADECIMENTOS
6-AVISO
7-PRÓLOGO
8-CAPÍTULO I:”ANDRÉ E EU”
9-CAPÍTULO II:”DEPRESSÃO”
10-CAPÍTULO III:”O CONTATO”
11-CAPÍTULO IV:”A REGRESSÃO”
12-EPÍLOGO
13-CONTRACAPA
CRÉDITOS
Toda a produção,história,arte da capa e
revisão,foram feitas por:

Robson ‘Otto’ Aguiar

Juninho Aguiar

www.expressotemdetudo.net
AGRADECIMENTOS
Queremos agradecer todas as pessoas que nos
apoiam direta ou indiretamente.
AVISO
Este trabalho não está totalmente protegido por
direitos autorais.
Você poderá copiar,distribuir,colocar para
download,hospedar em sites de compartilhamento
de arquivos,copiar e colar em sites e blogs,
traduzir para novas línguas,etc.
Só pedimos para quando fizer essas ações,
nos dê os devidos créditos.
Também pedimos que não venda este trabalho
para ninguém.
Compartilhe gratuitamente.
Olá,me chamo Sandra.Tenho 26 anos,sou
loira,tenho 1.70CM e irei completar 27 anos na
semana que vem,sou formada em letras.
Me formei com honras,e era uma das alunas mais
aplicadas e inteligentes da classe.
Hoje está uma noite muito chuvosa.A tempestade
está muito forte.Os ventos estão fortes,e os
trovões nem se fala.
Há um mês aconteceu algo comigo que ainda me
tira o sono,e ainda estou muito angustiada com o
que aconteceu,e como a noite esta chuvosa e com
isso a energia acabou,decidi escrever o que
aconteceu comigo em um caderno,sob a luz de
velas,para ver se esse sentimento de angústia
passa,já que só minha irmã que sabe o que
aconteceu comigo,e mais ninguém.
Irei contar o que aconteceu comigo a seguir.
Na faculdade onde me formei,conheci o
André,meu ex-namorado.
Ele é um cara bonito,é branco,tem 1.80CM,tem 24
anos e nos conhecemos na sala de aula de
faculdade.
Quando olhei para ele vi que aquele era o homem
que queria passar o resto da minha vida.
Em menos de três meses começamos a namorar,e
o namoro ia super bem.
Ele era daquele tipo romântico,fazia tudo por
mim,ele se sacrificava por mim mesmo.
Claro que eu fazia as coisas pra ele também,já que
relacionamento é uma parceria,e nós vivíamos nos
ajudando como um belo casal.
Também tínhamos o hábito de acampar,eu não
gostava muito,mas como o André gostava de
acampar,eu ia também para não fazer desfeita.
De tantos irmos acampar,acabei gostando da
prática,e sempre íamos quando possível.
Ele teve que viajar para visitar seus parentes,e
nesses tempos que ele ficou longe,acabei fazendo
uma das piores besteiras que já fiz na vida,eu o
traí.
Fui em uma festa na casa de uma amiga,acabei
exagerando na bebida,e o traí com um
desconhecido.
Claro que não quero aqui justificar o que
fiz,porque o que eu fiz não tem justificativa.
Quando ele chegou contei tudo a ele.
Se eu fui mulher para fazer a merda,eu fui mulher
o suficiente para contar.
Ele ficou muito triste,com o ocorrido e chorou
muito.
Nunca mais falou comigo,e não quer me ver nem
pintada de ouro.
Eu mereci,não o culpo por nada.
Tudo o que aconteceu foi por minha culpa.
Só desejo toda felicidade do mundo para ele.
Minha depressão nesses últimos trinta dias foi
horrível.
Durante uma semana chorei muito pelo André ter
ido embora.
Durante a segunda semana eu só queria saber de
cama,não saia pra nada.
Na terceira semana não queria saber de nada e de
mais ninguém.
Não comia quase nada.
Por causa disso emagreci uns 10KG.
Fiquei doente mesmo!!!
Às vezes eu me pergunto se o André também
esteja passando por isto.
Mas o que aconteceu na semana passada é que me
intriga.
Além de perder o amor da minha vida,uma outra
coisa aconteceu comigo que jamais irei esquecer.
Como eu ainda estava em depressão por ter me
separado do André,eu fiz uma loucura.
Vocês sabem que todas as pessoas quando estão
sofrendo por amor,ou estão apaixonadas fazem
besteira não é mesmo?
E comigo não foi diferente.
Como eu disse,o André gostava muito de acampar.
Eu estava ainda com muita depressão e resolvi me
isolar de tudo.
Resolvi ir acampar sozinha em um local onde eu e
o André sempre íamos.
Falei para a minha irmã que iria acampar sozinha,e
ela ficou preocupada com isso,mas acabou me
deixando ir.
O lugar era bem isolado,bem na beira de um rio de
águas correntes.
A chácara mais próxima,ficava a 1.5KM de
distância.
Eu me sentia segura de ir,porque o André me
acompanhava,eu eu me senti segura ao seu lado.
Mas dessa vez que eu fui,fiquei com receio,mas fui
assim mesmo.
Sim,eu sei que corria riscos,mas não estava nem aí.
Chegando lá,montei a barraca,estendi a toalha no
chão e deitei em um travesseiro que levei.
Foi difícil,já que tinha várias lembranças boas do
local quando eu ia acampar com o André.
Como de praxe,chorei muito.O sentimento de
nostalgia em mim pulsava forte,e por isso não
pude conter as lágrimas.
Terminando de chorar,olho para o relógio do meu
despertador que levei,e já era de madrugada,o
relógio marcava 01:15 da manhã.
Olhando para as estrelas,de repente vejo uma luz
no céu.Eu não fiquei muito preocupada já que ali
era rota de aviões.Minha cidade comporta um
aeroporto,então não estranhei muito,só estranhei
com o fato da luz não vir seguida pelas turbinas de
um avião,mas tirando isso,não estranhei muito.
Aí que aconteceu algo estranho.Porque depois que
vi essa luz se aproximando,tive um lapso de
memória.
Quando olhei pro relógio do meu despertador,já
marcava 05:35 da manhã.
Eu estranhei muito,já que não tinha nem 10
segundos que olhei para o relógio,e ele marcava
01:15.
Na minha cabeça,eu achava que tinha
cochilado,por isso nem liguei muito.
Arrumei tudo e fui embora.
Chegando em casa na manhã seguinte,contei o
ocorrido para a minha irmã,ela também achou
muito estranho,mas também não ligou muito.
Tentei mais uma vez ligar para o André,mas ele me
bloqueou em todas as redes sociais,e ainda não
atende minhas ligações.
Fui para meu quarto deitar um pouco,já que
acampar cansa muito o corpo da gente,fui e dormi.
Tive um pesadelo estranho,mas muito estranho
mesmo.
Sonhei com o acampamento,parecia que eu estava
lá.
Sonhei que estava em uma cama,parecida com
aquelas camas de hospital,enquanto vários seres
estranhos humanóides me examinavam.
Acordei super assustada.
Quando olhei no relógio,já eram 12:15 da tarde.
Fui almoçar e contei o meu pesadelo para a minha
irmã,ela disse que o pesadelo foi causado pelo
cansaço,também concordei.
Almocei muito mal,ainda estava e estou com
depressão.
Fui dormir de novo,já que não tinha nada pra
fazer.Tive outro pesadelo.
Sonhei com três seres humanóides olhando para
mim enquanto eu estava deitada lá no
acampamento.
Acordei assustada de novo.
Fui tomar uma água e voltei a dormir.
De novo tive outro pesadelo.Só que dessa vez,eu
sonhei que estava voando e sendo puxada pra
cima por uma nave gigantesca,mas o que me
puxava era uma luz muito forte,parecia um ímã.
Acordei toda suada e angustiada.
Porque eu estava tendo esses pesadelos?
Falei com minha irmã de novo,ela disse para eu
procurar um psicólogo.
Talvez,ela disse que era resultado da minha
separação,e o sentimento de culpa estava me
matando aos poucos,e isso ela tinha razão.Estava
me sentindo muito culpada pelo que fiz.Fiz o que
ela pediu,e marquei uma consulta com um
psicólogo para o dia seguinte.
A consulta estava marcada para as 13:00 da
tarde.Nesse dia acordei as 10:00 da manhã,não
tive pesadelo nenhum.
Cheguei no horário marcado e fui atendida.
Lá na sala falei da minha separação e do meu
sentimento de culpa,e o psicólogo me passou
alguns calmantes.Claro que não comprei os
remédios e nem vou comprar.Isso vai me fazer
mais mal ainda.
Contei meu caso.
Contei do dia anterior também.Contei sobre o
acampamento que fui sozinha.Contei sobre os
pesadelos.Contei do lapso de memória que tive,e o
psicólogo me fez uma regressão.
Antes dele fazer a regressão,eu perguntei se isso ia
demorar,e teria mais seções,ele me disse que só
dependia de mim,por isso cooperei muito bem,já
que não queria voltar mais ao psicólogo.
Ele mandou eu me deitar no divã,e foi o que fiz.
Quando eu estava deitada no divã,o psicólogo
mandou eu fechar os olhos,e fiz.
Depois de fechar os olhos,ele me pediu para
respirar fundo bem lentamente por várias
vezes,fui fazendo.Aos poucos fui sentindo bem
leve e minha mente parecia que tinha se aberto.
O psicólogo pediu para que eu tentasse lembrar o
que aconteceu na noite anterior,e fui lembrando.
Claro que me lembrei claramente na hora que saí
de casa,na hora que cheguei ao local,na hora de
montar a barraca,na hora de se deitar,tudo estava
muito claro,já que aconteceu na noite anterior.
Só que mesmo assim o lapso continuava,conseguia
me lembrar apenas de ter visto as luzes e olhado
para o despertador.
O psicólogo foi insistindo,e dizendo para eu me
acalmar e respirar fundo,e foi o que fiz.
Depois de estar calma de novo,o psicólogo insistiu
mais ainda para que minha mente se forçasse a
lembrar o que aconteceu naquele lapso de 4 horas.
De tanto o psicólogo forçar,eu comecei a
tremer,meu nariz começou a sangrar,mas consegui
lembrar,e contei para o psicólogo.
Eu decidi parar a consulta na hora,com medo de
ocasionar algo mais sério comigo.
Saí rápido da sala do doutor até no carro.Eu estava
tremendo e chorando,e minha irmã preocupada
comigo sempre perguntava o que houve,mas como
eu estava transtornada,não respondi nada para
ela,só queria voltar para casa e descansar.
No carro,minha irmã não me disse nada.
Chegando em casa,desci do carro e fui direto pro
quarto,e chorei muito.
Depois que gastei todas minhas lágrimas contei
para a minha irmã o que aconteceu.Aqueles
pesadelos não tinham sido em vão.O que eu
lembrei foi:
“Depois de olhar para o despertador,que marcava
01:15 da manhã,como relatei,vi uma luz muito
estranha no céu que eu achava que era um
avião,mas não era.Era uma nave espacial
gigantesca,com formato cilíndrico,parecia um
charuto gigante que emitia uma luz direto para
aonde eu estava deitada.
Além dessa luz,vi três seres humanóides ao meu
lado,eles tinham acabado de chegar,e ficaram os
três olhando para mim enquanto eu estava
hipnotizada pela luz.
Os sere eram grandes,mediam por volta de
1:90CM a 2M de altura e usavam uma roupa
especial,
igual os astronautas usam quando vão viajar para
o espaço,mas o traje deles eram bem diferentes do
nosso.
De repente sinto que estou subindo,e eu estava
mesmo.Eu estava sendo abduzida para dentro da
nave.A luz parecia um imã muito forte,e eu não
conseguia mover nenhum músculo do meu corpo.
Depois que eu entrei,eu me lembro que estava
estirada no chão da nave,e esses três seres que
estavam me observando lá fora me pegaram e me
colocaram em uma maca,típicas de hospitais,mas
ao mesmo tempo diferente de tudo que tinha
visto.
Pelo que me lembrei,eles tiraram meu
sangue,recolheram uma amostra da minha
saliva,e também recolheram alguns fios do meu
cabelo.
Depois disso implantaram algum dispositivo em
meu braço esquerdo,perto da minha mão.
O dispositivo parecia aqueles chips que colocam
em animais para monitorá-los.
Depois disso tudo,me lembro de somente olhar
para o despertador que estava marcando 05:35 da
manhã e voltar para casa”.
Quando contei isso para a minha irmã,ela ficou
perplexa.
Dava para ver o medo estampado em seu rosto.
Mas mesmo assim,ela tentou se manter racional e
disse que isso era coisa da minha cabeça,já que eu
também tinha tido alguns pesadelos sobre isso.
Eu disse pra ela que não era da minha cabeça,eu
tinha certeza que aquilo tinha acontecido de
verdade.
Aí que me tive uma idéia.Já que eles
supostamente inseriram um chip em meu braço,se
for essa memória que tive na sala do psicólogo for
verdadeira,o chip ainda deveria estar inserido em
meu braço.
Falei isso pra minha irmã,e ela concordou,e fomos
verificar.
Minha irmã ficava pressionando meu braço,e por
muito tempo,nada aconteceu,até que de tanto
pressionar,sentimos algum objeto em meu braço.
Meu braço já estava todo vermelho.
Eu toquei meu braço também,e senti uma coisa
estranha em meu braço.
Só para testar,peguei um imã de que tinha e pedi
para minha irmã passar o imã em meu braço,ela
fez isso,e para minha surpresa,o imã grudava em
meu braço como se tivesse algum objeto
metálico,lá dentro,e quando puxava o imã pra
cima,minha pele ia junto.
Nós ficamos meio transtornadas,e eu quase não
acreditei nisso,tinha sido monitorada igual um
animal.
Pedi uma coisa extrema para minha irmã fazer.
Pedi para ela fazer um micro-corte na minha pele
com uma navalha para arrancar o objeto.Ela
relutou no início,mas de tanto eu insistir ela
aceitou.
Eu mesmo nem estava ligando para os perigos.
Ela fez o micro-corte no meu braço depois de ter
esterilizado a navalha com álcool,não doeu muito
quando o corte foi feito.
E para nosso espanto,sim,tinha algo em meu
corpo.
Com muito espanto e nojo,ela arrancou aquele
dispositivo que estava inserido em meu
corpo.Doeu muito já que parecia que o dispositivo
estava grudado em meu corpo.
O dispositivo era cilíndrico,tinha 3cm de diâmetro
e era feito de um metal estranho.
Todos aqueles pesadelos,e tudo que lembrei na
regressão não foi fantasia da minha cabeça.Tinha
acontecido mesmo.
Eu fiquei transtornada.Além de ter perdido o amor
da minha vida,ainda fui usada como cobaia.
Pedi para minha irmã se livrar desse dispositivo,e
jogá-lo fora.Ela assim o fez.
Meu mundo caiu.
Minha vontade de viver acabou.
Aqui estou em,terminando essa carta de
desabafo,em uma noite chuvosa.
Hoje de madrugada,também aconteceu algo aqui
em casa comigo e minha irmã.
Logo depois de jogar aquele dispositivo fora,eu e
minha irmã durante a noite vimos uma luz
estranha pela janela.
A luz estava longe,quando olhamos para
cima,vimos o objeto,era o mesmo objeto que tinha
me abduzido.
Só podiam estar atrás de mim,me monitoraram
igual um animal.
É muita coincidência que depois de jogar aquele
maldito dispositivo fora,vimos a mesma luz que eu
vi quando fui acampar.
Ou será que não estavam atrás de mim?
Será que estavam apenas fazendo outra busca
igual fizeram no dia anterior?
Com certeza eu não fui a única a ser abduzida por
eles.
Eu não quero pensar nas intenções deles.
Nós duas ficamos com muito medo,e nos
escondemos na dispensa.
Passamos a noite em claro.
Foi muita sorte nossa,por eles não terem invadido
nossa casa e levado nós duas.
Eu e minha irmã moramos sozinhas em um lugar
isolado,não temos muitos vizinhos,os poucos que
tem,moram longe.
Aqui é uma região chacareira,por isso depois do
que aconteceu,minha irmã quis mudar
imediatamente daqui.
Eu ainda reluto em acreditar que em um
mês,minha vida virou um inferno,minha vontade
de viver acabou mesmo.
Nem minha irmã sabe,mas a duas semanas atrás
tentei me matar ingerindo veneno para rato,mas
não morri,só vomitei muito.
Fico pensando,como é possível em um mês minha
vida se deteriorar tanto?
Deixo essa carta aqui para quem achar,já que
semana que vem com certeza mudaremos daqui.
Claro que também penso em tirar minha vida,já
que não quero mais viver,pode ser que sim,pode
ser que não,então essa carta pode ser uma
despedida ou não.
Espero que ninguém passe pelo que passei.
Não desejo isso nem para o meu pior inimigo.

ADEUS!!!!!!!!!!!!!