You are on page 1of 7

UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO

CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA


DISCIPLINA: Laboratório de Circuitos Elétricos II
PROFESSOR:

RELATÓRIO DA PRÁTICA

“TEOREMA DE THEVENIN”

Aluno:
Curso: Engenharia Elétrica
Data: 22/04/2015

Juazeiro-Bahia

1
1. OBJETIVOS

A prática teve como objetivo a verificação em laboratório do Teorema De


Thévenin, através da execução e comparação entre o cálculo teórico, medição
experimental e simulação computacional.

2. INTRODUÇÃO TEÓRICA

Teoremas são sempre importantes para calcular tensões e correntes nos


diversos ramos de um circuito, cada teorema possui sua particularidade e
aplicabilidade, o teorema verificado nesta prática, assim como qualquer um, tem
sua importância, ele serve principalmente para reduzir todo o circuito com o
intuito de calcular a corrente e a tensão de todo o circuito em poucos ramos, ao
invés de calcular em todos os ramos do circuito original.
O teorema de Thévenin afirma que: Um circuito
linear de dois terminais pode ser substituído por um circuito
equivalente formado por uma fonte de tensão Vth em série
com um resistor Rth, onde Vth é a tensão de circuito aberto
nos terminais e Rth, a resistência de entrada ou equivalente
nos terminais quando as fontes independentes forem desativas [1].

3. MATERIAL UTILIZADO

• Resistores;
• Potenciômetro de 1kΩ;
• Fonte de alimentação CA externa de 10 V rms ou 14,14 de pico;
• Fonte de alimentação CA externa de 5 V rms ou 7,07 de pico;
• Multímetro digital;
• Placa de montagem de circuitos (proto board);
• Cabos conectores;
• 01 Microcomputador para simulação via software;
• Software de simulação – Proteus (Versão 7.0 Professional);
2
4. RESULTADOS E DISCUSSÕES

A prática foi dividida em duas etapas, tanto no circuito real quanto na


simulação, a montagem e conexões foram feitas conforme a figura 01, neste
circuito a Tensão Vmáx é 14,14 V.

Figura 01: Circuito Completo que foi Implementado.

4.1 Primeiro Experimento: Circuito Completo.

No primeiro momento da prática, mediu-se o valor da resistência e tensão


de Thévenin vista pela carga, que tiveram como valores 638Ω e +5,65V. No
segundo momento ainda para o mesmo circuito mediu-se a corrente que fluía para
carga com o potenciômetro em várias posições. Os valores obtidos foram:

Tabela 01: Valores de Is para o circuito da figura 1.

𝑅𝐿 (Ω) 𝐼𝑠 (𝑚𝐴)
400 5,47
500 5,00
600 4,58
640 4,45
700 4,25
800 3,93
900 3,67

3
1000 3,43

No segundo momento realizou-se o mesmo procedimento para o circuito abaixo:

Figura 02: Circuito equivalente de Thevenin.

Para o circuito da figura 2 o valor da tensão de Thévenin foi VTh =


+5,32V. No segundo momento mediu-se os valores da corrente I que fluía para
carga. Os valores foram:

Tabela 02: Valores de I para o circuito da figura 2.


𝑅𝐿 (Ω) I (𝑚𝐴)
400 5,33
500 4,87
600 4,45
640 4,32
700 4,13
800 3,84
900 3,59
1000 3,37

Utilizando a definição calculou-se o valor teórico para Rth e Vth. Para


calcular Rth tem-se o seguinte circuito:

4
Figura 2: Circuito para cálculo de Rth

Fazendo a associação de resistores tem-se Rth


(((220//1020)+100)//470)+470)))

Rth=645,846 Ω

Figura 3: Circuito para cálculo de Vth

Req1=100+470=570Ω
Req2=570.1020/1590=365,66Ω
Vc=6,24V
Vth=470.6,24/570=5,148V
Os valores teóricos de I_s calculados foram:

Tabela 3: Valores Teóricos


𝑅𝐿 (Ω) 𝐼𝑆 (𝑚𝐴)
400 4,914663
500 4,485753
600 4,125697
640 3,997356

5
700 3,819148
800 3,555002
900 3,325032
1000 3,123006

Já na simulação computacional temos Rth e Vth com os seguintes valores:

Figura 4: Simulação 1.

Figura 5: Simulação 2.

6
Portanto temos os seguintes valores:

Tabela 5: Valores de Rth e Vth.


Rth Vth
Experimentalmente 638 Ω 5,65 V
Valor teórico 645,846 Ω 5,148 V
Simulação computacional 645,846 Ω 5,148V

5. CONCLUSÕES

Através dos resultados obtidos comprovou-se teoricamente, experimentalmente e


computacionalmente o teorema de Thévenin.
O experimento apresentou um resultado satisfatório, pois os valores obtidos
para Rth e Vth divergiram pouco dos valores de referência, onde o erro para Vth
foi de 9,75% e 1,21% para Rth.
Com a prática conclui-se que qualquer circuito linear contendo resistores e
fontes independentes ou dependentes pode ser substituído por uma resistência
equivalente e uma fonte de tensão.

6. REFERËNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

[1] ALEXANDER, Charles.K; SADIKU, Matthew N.O. Fundamentos de


Circuitos Elétricos.5.ed. Porto Alegre: AMGH,2013.