You are on page 1of 6
2.3 Processos Transitórios nos Accionamentos Eléctricos de CC
2.3 Processos Transitórios nos Accionamentos Eléctricos de CC

ω0

ω1

ω2

ω3

Rá Ra3 Ra2 Ra1
Ra3
Ra2
Ra1

Rp3

de CC ω 0 ω 1 ω 2 ω 3 Rá Ra3 Ra2 Ra1 R p

Rp2

de CC ω 0 ω 1 ω 2 ω 3 Rá Ra3 Ra2 Ra1 R p

Rp1

CC ω 0 ω 1 ω 2 ω 3 Rá Ra3 Ra2 Ra1 R p 3

- Rá

M
M

+

1 ω 2 ω 3 Rá Ra3 Ra2 Ra1 R p 3 R p 2 R

Ra3

Ra2

Ra1

Ia

R

a1

R

a2

= R + R + R + R

á

p

3

p

2

= R

á

+ R + R

p

3

p

2

p

1

Mc M2 M1 = R + R Fig. Diagrama de arranque de um motor de
Mc
M2
M1
= R
+ R
Fig. Diagrama de arranque de um
motor de corrente contínua
R a3
á
p
3
O valor da resistência total ou de arranque do motor se pode calcular a partir da
fórmula:
U Também é denominada resistência da característica
R =
reostática 1 e Ra2 a correspondente do número 2 e
a
1
I
assim sucessivamente.
Os passos de resistência se podem achar a partir da equação da característica
mecânica do motor:
a
1
R

ω

=

U

φ

k

M

a

(

φ)

k

2

04-09-2014
04-09-2014
Prof. Eng.º Francisco J. da C. António 1
Prof. Eng.º Francisco J. da C.
António
1
2.3 Processos Transitórios nos Accionamentos Eléctricos de CC Rá ω0 O valor do binário de
2.3 Processos Transitórios nos Accionamentos Eléctricos de CC
ω0
O valor do binário de arranque do motor se pode
calcular a partir da fórmula:
ω1
Ra3
= kφ∗ I
M 1
a1
ω2
Ra2
ω3
Ra1
O valor do binário de arranque ou electromagnético
do motor estará entre 2 e 2.5 do valor do binário
nominal do motor, ou seja:
Mc M2 M1 M 1 = = (2 ÷ 2.5)M M em N Fig. Diagrama
Mc
M2
M1
M 1 =
=
(2
÷ 2.5)M
M em
N
Fig. Diagrama de arranque de um
motor de corrente contínua
Metodologia para o Dimensionamento dos Resistores de Arranque
1. Cálculo do passo de resistência (Rp1) para velocidade ω1:

M 2

R = M R

a1

1

a2

R =

a2

M

2

M 1

R

a 1

R

p

1

=

R

a

1

(1

M 2 ) Ou M 1
M
2
)
Ou
M
1

R p1

= R R

a1

a2

04-09-2014
04-09-2014
Prof. Eng.º Francisco J. da C. António 2
Prof. Eng.º Francisco J. da C.
António
2
2.3 Processos Transitórios nos Accionamentos Eléctricos de CC A primeira velocidade calcula-se a partir da
2.3 Processos Transitórios nos Accionamentos Eléctricos de CC
A primeira velocidade calcula-se a partir da fórmula:
ω0
R
R
a
1
a 2
ω ω
=
M
= − M
ω
ω1
Ra3
1
0
2
2
0
1
2
(
k
φ
)
( k
φ)
ω2
Ra2
ω3
Ra1
2. Cálculo do passo de resistência (Rp2) para
velocidade ω2:
M
M
2
2
2
Mc
M2
M1
M
∗ R
= M
∗ R
=
R
= R
(
)
2
a2
1
a3
R a
3
a 2
a
1
Fig. Diagrama de arranque de um
motor de corrente contínua
M
M
1
1

R

p

2

=

R

a

1

M M 2 2 (1 − ) Ou M 1 M 1
M
M
2
2 (1
)
Ou
M
1 M
1

R

p2

= R

a2

R

a3

A segunda velocidade calcula-se a partir da fórmula:
A segunda velocidade calcula-se a partir da fórmula:
04-09-2014
04-09-2014

ω ω

2

=

0

M

R

a

2

2 (

φ

k

)

2

=

ω

0

M

1

R

a 3

(

φ)

k

2

Prof. Eng.º Francisco J. da C. António 3
Prof. Eng.º Francisco J. da C.
António
3
2.3 Processos Transitórios nos Accionamentos Eléctricos de CC 3. Cálculo do passo de resistência (Rp3):
2.3 Processos Transitórios nos Accionamentos Eléctricos de CC
3. Cálculo do passo de resistência (Rp3):

R p

3

= R

a

1 (

M

2

M

1

2 ) − R ou R á p 3
2
)
− R
ou
R
á
p 3

=

M

2

M

1

R

a 2

á ou também R p
á ou também
R p

R

3

= R

a

3

R

á

Relação Matemática entre os Parámetros M1, M2 e m: Quando conhecemos M1 e m se
Relação Matemática entre os Parámetros M1, M2 e m:
Quando conhecemos M1 e m se pode determinar M2 que tem de ser maior que
o binário da carga (MC):
R
á
M
=
M
m
2
1
R a 1
Quando conhecemos M1 e M2 se pode determinar o valor do número de passos de
Quando conhecemos M1 e M2 se pode determinar o valor do número de passos
de arranque (m):
R
á
log
R a 1
m =
M
log
2
M
1
04-09-2014
Prof. Eng.º Francisco J. da C.
António
4
2.3 Processos Transitórios nos Accionamentos Eléctricos de CC Equações Fundamental para o Desenho dos Resistores
2.3 Processos Transitórios nos Accionamentos Eléctricos de CC
Equações Fundamental para o Desenho dos Resistores de Arranque

R

pi

=

R

ai

R

a

(

i + 1)

= R

a

1

(

M

2

M

)

M

2

i 1

(1

1 M

1

)

R

a

(

m

+

1)

=

R

á

=

R

a

1

(

M

2

M

1

)

R

m

a

(

i +

1)

=

R

a

1

(

M

2

M

1

)

i

Tempo dos Estados Estacionários no Arranque do Motor Conhecendo já os passos de resistência é
Tempo dos Estados Estacionários no Arranque do Motor
Conhecendo já os passos de resistência é necessário calcular os tempos de
aceleração (ta) para diferentes valores da contante de tempo mecânica (TM):
M
2
dM
dM
M
1 M
e
=
T
C
M
M
=
T
dt
t
=
T
ln
C
M
M
dt
M M
− M
M
M
C
M
2
C
1
M
1 M
J
J
∴ t
= ∑
C
T
ln
onde,
T M =
=
a
M
i
2
M
2 M
(
k
φ
)
∑ R
β
C
a
04-09-2014
Prof. Eng.º Francisco J. da C.
António
5
Bibliografia  Accionamento Eléctrico Automatizado I e II – Mario M. Hernández  Accionamentos Electromecânicos
Bibliografia
 Accionamento Eléctrico Automatizado I e II – Mario M. Hernández
 Accionamentos Electromecânicos de Velocidade Variável - João C. P. Palma -
Fundação
 Calouste Gulbenkian – 1999
 Control of Electrical Drives – W. Leonhard - Springer Verlag – 1996
 Automatic Control of Converter-Fed Drives – Kazmierkowski; Tunia – Elsevier – 1994
 Adjustable Speed AC Drive Systems – Bose (ed.) – IEEE Press, 1981
 Power Electronics and AC Drives – Bose – Prentice-Hall – 1986
 Brushless Permanent-Magnet and Reluctance Motor Drives – Miller – Oxford Science
 Publications – 1993
 Sensorless Vector Control and Direct Torque Control – Peter Vas - Oxford Science
Publications
 – 1998
 Electrónica de Potência - Francis Labrique; João Santana - F. Calouste Gulbenkian –
1991
 Power Electronics: Converters, Applications and Design – Ned Mohan; Tore
Undeland;
William Robbins – John Wiley & Sons
Power Electronics; circuits, devices and applications - Muhammad H. Rashid
04-09-2014
Prof. Eng.º Francisco J. da C.
António
6