You are on page 1of 210

Novo

Jogo de Partículas
Mn
25

CADERNO DE APOIO
AO PROFESSOR
Manganês

43 44 45 46

Tc Ru Rh Pd
Tecnécio Ruténio Ródio Paládio

75 76 77 78

Re Os Ir Pt
)¯VLFDH4X¯PLFD$y4X¯PLFDy11..º ANO
Rénio Ósmio Irídio Platina

107 108 109 110 111 112 113

Bh Hs Mt Ds Rg Cn Uut 0DULDGD&RQFHL©¥R'DQWDVŠ0DUWD'XDUWH5DPDOKR
Bóhrio Hássio Meitnério Darmstácio Roentgénio Copernício Ununtrio

8 3ODQLȃFD©¥R
3ODQRVGHDXOD 33
*XLDGHH[SORUD©¥RGHUHFXUVRVPXOWLP«GLD 56
)LFKDVIRUPDWLYDV 81
7HVWHVFRPFRWD©·HV 122
$SRLR¢VDWLYLGDGHVODERUDWRULDLV 167
6ROX©·HV 177
Índice

1. Apresentação do projeto ................................................................................................2


1.1 Introdução ..........................................................................................................................2
1.2 Estrutura do projeto .........................................................................................................3
1.2.1 Manual e Caderno de Atividades Laboratoriais ..........................................................3
1.2.2 Caderno de Exercícios e Problemas .............................................................................5
1.2.3 Preparar o Exame .......................................................................................................5
1.2.4 Caderno de Apoio ao Professor ..................................................................................5
1.2.5 20 Aula Digital .............................................................................................................6
1.2.6 Simulador de Exames...................................................................................................6
1.3 Avaliação em Química ......................................................................................................7

2. Planificação ...........................................................................................................................8
Planificação a médio prazo .....................................................................................................8
Planificação aula a aula ...........................................................................................................9
Planos de aula ........................................................................................................................ 33

3. Guia de exploração de recursos multimédia ..................................................... 56

4. Fichas formativas ............................................................................................................ 81


o
Ficha de revisão – 10. ano .................................................................................................. 81
Ficha formativa 1 .................................................................................................................. 86
Ficha formativa 2 .................................................................................................................. 90
Ficha formativa 3 .................................................................................................................. 93
Ficha formativa 4 .................................................................................................................. 98
Ficha formativa 5 ................................................................................................................ 104
Ficha formativa 6 ................................................................................................................ 108
Ficha formativa 7 ................................................................................................................ 113
Ficha formativa 8 ................................................................................................................ 117

5. Testes .................................................................................................................................. 122


Teste de diagnóstico ........................................................................................................... 122
Teste 1 .................................................................................................................................. 128
Teste 2 ....................................................................................................................... 133
Teste 3 .................................................................................................................................. 136
Teste global 1 (11.o ano) .................................................................................................... 143
Teste global 2 (11.o ano) .................................................................................................... 148
Teste global 3 (10.o e 11.o anos) ....................................................................................... 154

6. Apoio às atividades laboratoriais ......................................................................... 167

7. Soluções ............................................................................................................................. 177


Fichas ..................................................................................................................................... 177
Testes .................................................................................................................................... 197

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 1


1 Apresentação do projeto

1.1 Introdução

Caros Colegas,

Na elaboração do projeto Novo Jogo de Partículas do 11.o ano atendeu-se às finalidades e


objetivos definidos no Programa de Física e Química A, que são os seguintes:
x Proporcionar aos alunos uma base sólida de capacidades e de conhecimentos da física e da
química, e dos valores da ciência, que lhes permitam distinguir alegações científicas de não
científicas, especular e envolver-se em comunicações de e sobre ciência, questionar e investigar,
extraindo conclusões e tomando decisões, em bases científicas, procurando sempre um maior
bem-estar social.
x Promover o reconhecimento da importância da física e da química na compreensão do mundo
natural e na descrição, explicação e previsão dos seus múltiplos fenómenos, assim como no
desenvolvimento tecnológico e na qualidade de vida dos cidadãos em sociedade.
x Contribuir para o aumento do conhecimento científico necessário ao prosseguimento de
estudos e para uma escolha fundamentada da área desses estudos.

De modo a atingir estas finalidades, definem-se como objetivos gerais da disciplina:


x Consolidar, aprofundar e ampliar conhecimentos através da compreensão de conceitos, leis e
teorias que descrevem, explicam e preveem fenómenos assim como fundamentam aplicações.
x Desenvolver hábitos e capacidades inerentes ao trabalho científico: observação, pesquisa de
informação, experimentação, abstração, generalização, previsão, espírito crítico, resolução de
problemas e comunicação de ideias e resultados nas formas escrita e oral.
x Desenvolver as capacidades de reconhecer, interpretar e produzir representações variadas da
informação científica e do resultado das aprendizagens: relatórios, esquemas e diagramas,
gráficos, tabelas, equações, modelos e simulações computacionais.
x Destacar o modo como o conhecimento científico é construído, validado e transmitido pela
comunidade científica.

Neste Caderno de Apoio ao Professor apresenta-se um conjunto de materiais didáticos que os


professores poderão selecionar e adaptar consoante as características das turmas que lecionam.

Bom trabalho.

As autoras

2 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


1.2 Estrutura do projeto

O projeto Novo Jogo de Partículas, 11.º ano, inclui, para o aluno:


x Manual (com desdobrável) + Caderno de Atividades Laboratoriais;
x Caderno de Exercícios e Problemas + Preparar o Exame;
x Simulador de Testes;
x Aula Digital Aluno.

Exclusivamente para o Professor, apresenta:


x Manual do Professor (com capa especial para acoplar o Caderno de Atividades Laboratoriais);
x Caderno de Apoio ao Professor;
x Aula Digital Professor.

1.2.1 Manual e Caderno de Atividades Laboratoriais


Na elaboração do Manual houve a preocupação de cumprir escrupulosamente o que é definido
nas Metas Curriculares de Física e Química A, componente de Química, para o 11.o ano.
O Manual está organizado em dois volumes: o Manual propriamente dito e o Caderno de
Atividades Laboratoriais. Foram ambos avaliados e certificados pela Faculdade de Ciências da
Universidade de Lisboa, estando de acordo com o novo Programa de Física e Química A (componente
de Química), homologado em janeiro de 2014.

O Manual do Professor possui uma capa especial que permite acoplar o segundo volume, o
Caderno de Atividades Laboratoriais, para que o professor tenha sempre os seus materiais à mão.

No início do Manual encontram-se as Metas Curriculares e a identificação das páginas em que são
tratadas. Entendemos que era útil disponibilizar esta informação não apenas ao Professor mas
também ao aluno, para que melhor possa saber o que é esperado de si e fazer a sua autoavaliação.

No Manual os conteúdos estão organizados em unidades e subunidades, que correspondem aos


domínios e subdomínios do Programa/Metas Curriculares.
Cada subdomínio, por sua vez, está dividido em várias secções/tópicos, podendo cada um deles,
em geral, ser tratado numa aula (dois tempos letivos).

Ao longo da exploração de cada subdomínio estão destacados os conteúdos essenciais,


acompanhados de diagramas, fotografias e esquemas que apoiam a apresentação do professor na
aula e o aluno no seu estudo autónomo. A explicação é objetiva e apresentam-se numerosas
questões resolvidas, essenciais para que o aluno compreenda como se resolvem os exercícios e
desenvolva a sua autoconfiança.
Na rubrica Atividades encontram-se propostas de exercícios e problemas destinados à
consolidação e verificação das aprendizagens. Muitas das atividades propostas são retiradas,
adaptadas ou simplesmente inspiradas em provas de avaliação externa.
Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 3
As soluções das Atividades são apresentadas:
x para o professor, na margem da página respetiva;
x para o aluno, no final do Manual.

Pontualmente encontra-se no manual a rubrica Saber Mais, que constitui um complemento aos
conteúdos programáticos.

No final de cada subdomínio é feita uma síntese/globalização final, através de:


x Conceitos fundamentais (síntese);
x Mapa de conceitos (fluxograma, numa perspetiva de inter-relação entre os conceitos tratados).

No final de cada domínio encontra-se um Teste global dos conteúdos desse domínio e, no final do
manual, um Teste final que abrange todos os conteúdos estudados no 11.o ano.

No Manual do Professor encontram-se ainda remissões para os recursos disponíveis em


e a identificação das Metas Curriculares trabalhadas em cada secção/tópico.

O Caderno de Atividades Laboratoriais contempla, para cada atividade laboratorial definida no


Programa:
x planificação do procedimento experimental;
x execução da atividade experimental;
x análise crítica sobre a metodologia seguida e os resultados obtidos.

O Caderno de Atividades Laboratoriais inicia-se com:


x regras de segurança no laboratório;
x símbolos de identificação de perigo presentes em rótulos;
x material de uso corrente em laboratório;
x secção Medição em Química.

A secção Medição em Química reveste-se de particular importância, na medida em que os alunos


devem:
x identificar, na realização das atividades, possíveis erros aleatórios e sistemáticos;
x ter em atenção o alcance e a sensibilidade dos instrumentos de medida;
x apresentar as medidas com um número correto de algarismos significativos.

Dada a natureza experimental da química, as atividades de caráter prático e laboratorial devem


ser desenvolvidas em tempos de maior duração e com a turma desdobrada em turnos.
Por isso se propõe que cada aula de índole laboratorial tenha a duração de três tempos letivos, e
seja enquadrada com os respetivos conteúdos e referenciais teóricos. No Caderno de Atividades
Laboratoriais cada atividade contém, em geral:
x uma pequena introdução teórica;
x o protocolo da atividade experimental a desenvolver;

4 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


x registo de resultados;
x tratamento de resultados;
x questões teórico-práticas.

As respostas às questões teórico-práticas são disponibilizadas em exclusivo ao Professor, neste


Caderno de Apoio ao Professor (pág. 167).

1.2.2 Caderno de Exercícios e Problemas


O Caderno de Exercícios e Problemas inclui resumos, questões resolvidas e um conjunto adicional
de exercícios para os alunos aplicarem os conhecimentos aprendidos nas aulas teóricas. Também
aqui se incluem algumas questões de exame nacional e testes intermédios.
Todos os exercícios têm respostas detalhadas no final do Caderno.

1.2.3 Preparar o Exame


A obra Preparar o Exame inclui cinco provas que permitirão aos alunos testar os seus
conhecimentos acerca dos conteúdos de Química de 10.o e 11.o anos de escolaridade. Tal como o
Exame Nacional, estas provas apresentam itens de diferentes tipologias e foram pensadas para uma
duração específica (60 ou 120 min), identificada em cada prova.
No final apresentam-se critérios específicos de classificação de cada prova. A análise atenta
destes critérios permitirá aos alunos compreender o tipo de resolução pretendida e os aspetos
relevantes nas respostas, o que se poderá revelar bastante útil na sua preparação para o Exame
Nacional.

Na edição do aluno, para evitar o seu extravio, a obra Preparar o Exame será integrada no
Caderno de Exercícios e Problemas.

1.2.4 Caderno de Apoio ao Professor


O Caderno de Apoio ao Professor inclui:

x Planificação a médio prazo e aula a aula


Apresentam-se planificações para as 47 aulas previstas na lecionação da Química. Em cada
planificação propõem-se exercícios do Manual, que poderão ser resolvidos na aula e que têm o
objetivo de consolidar e avaliar os conteúdos que acabaram de ser estudados. Propõem-se,
como trabalho que deverá ser feito em casa, outros exercícios do Manual e ainda propostas do
Caderno de Exercícios e Problemas.
Incluem-se ainda planos de aula detalhados para a maioria das aulas.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 5


x Fichas
– uma ficha de revisão – 10.o ano;
– oito fichas formativas, com questões referentes aos conteúdos lecionados ao longo do ano.
Propõe-se que se vão entregando as fichas aos alunos à medida que os conteúdos forem
lecionados. Estas fichas formativas são propostas de atividades complementares às incluídas
no manual.
x Testes, acompanhados da respetiva cotação e matriz
– um teste de diagnóstico;
– três testes parcelares;
– dois testes globais com conteúdos de 11.o ano;
– um teste global com conteúdos de 10.o e 11.o anos, com critérios de classificação.
x Respostas a todas as questões presentes
– nas fichas;
– nos testes;
– nas questões teórico-práticas do Caderno de Atividades Laboratoriais.
x Guia com sugestões de exploração dos recursos multimédia que integram o projeto (versão de
demonstração). A versão completa deste guia será disponibilizada em .

1.2.5 20 Aula Digital


Na pág. 56 deste Caderno de Apoio ao Professor encontrará:
x a lista completa dos recursos disponíveis em ;
x sugestões de exploração dos recursos multimédia que integram a versão de demonstração da
componente digital do projeto Novo Jogo de Partículas 11.o ano (sugestões semelhantes para a
totalidade dos recursos serão disponibilizadas em );
x fichas de exploração para animações e simuladores (em serão disponibilizadas
fichas destas para todas as animações e simuladores que integram o projeto).

1.2.6 Simulador de Exames


O simulador de exames é oferta ao aluno e está disponível em www.novojogodeparticulas11.te.pt.
Esta ferramenta permite ao aluno gerar um exame modelo e personalizar o seu estudo, filtrando
os conteúdos que pretende exercitar. Todas as questões apresentam soluções ou sugestões de
resposta.
O Simulador de Exames apresenta questões que saíram em exames nacionais entre 2010 e 2015 e
também questões modelo.

6 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


1.3 Avaliação em Química
Segundo o Programa de Física e Química A:
As metas curriculares permitem:
x identificar os desempenhos que traduzem os conhecimentos a adquirir e as capacidades que se
querem ver desenvolvidas no final de um dado módulo de ensino;
x fornecer o referencial para a avaliação interna e externa, em particular para as provas dos
exames nacionais;
x orientar a ação do professor na planificação do seu ensino e na produção de materiais didáticos;
x facilitar o processo de autoavaliação pelo aluno.

Sempre com as Metas como referencial, poderão constar como elementos de avaliação
formativa: fichas, trabalhos de casa, participação na aula, construção de pequenos fluxogramas de
conceitos, etc.

A ponderação de cada um destes itens na avaliação será definida em reunião de grupo disciplinar.

Quanto à avaliação das Atividades Laboratoriais, ela pode subdividir-se em duas partes:
x realização, propriamente dita, da referida Atividade Laboratorial;
x nível de concretização das metas estabelecidas para a Atividade Laboratorial.

Quanto ao primeiro aspeto acima referido, serão avaliados, entre outros, os seguintes itens:
x cumprimento das regras de segurança;
x utilização correta do material e/ou dos aparelhos de medida;
x cumprimento do protocolo experimental;
x discussão/debate com os colegas de grupo acerca da evolução da atividade experimental;
x execução das tarefas a seu cargo;
x registo das medições/dos resultados obtidos e das observações efetuadas.

A avaliação do nível de concretização das metas da aula laboratorial será efetuada com base em
relatórios ou tendo em consideração as respostas às questões teórico-práticas propostas no Caderno
de Atividades Laboratoriais.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 7


2 Planificação

Planificação a médio prazo

Planificação global

Conteúdos Número de aulas


Unidade 1 – Equilíbrio químico 14
Unidade 2 – Reações em sistemas aquosos 24
Fichas 7
Outros 2
Total 47

Unidade 1 – Equilíbrio químico

Conteúdos Número de aulas


1. Aspetos quantitativos das reações químicas 5
2. Equilíbrio químico e extensão das reações químicas 7
Atividades Laboratoriais 2
Total 14

Unidade 2 – Reações em sistemas aquosos

Conteúdos Número de aulas


1. Reações ácido-base 8
2. Reações de oxidação-redução 5
3. Soluções e equilíbrio de solubilidade 7
Atividades Laboratoriais 4
Total 24

Aulas para Fichas

Fichas Número de aulas


Ficha de diagnóstico 1
Fichas de avaliação (inclui a respetiva correção) 6
Total 7

8 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Aula n.o 1 135 min.

Escola __________________________________________________________________________________________________

Ano __________________ Turma ________________ Aula N.o _______________ Data _______ / _______ / _______

UNIDADE 1: Equilíbrio químico


SUBUNIDADE 1: Aspetos quantitativos das reações químicas

ͻ Apresentação.
ͻ Conversa com os alunos acerca dos conteúdos a abordar durante o ano letivo e
regras de funcionamento da sala de aula.
Sumário
ͻ Preenchimento das fichas da caderneta.
ͻ Marcação da data dos testes de avaliação.
ͻ Teste de diagnóstico.

Atividades ͻ Realização do teste de diagnóstico.

TPC ͻ Ficha de diagnóstico.

Aula n.o 2 90 min.

Escola __________________________________________________________________________________________________

Ano __________________ Turma ________________ Aula N.o _______________ Data _______ / _______ / _______

UNIDADE 1: Equilíbrio químico


SUBUNIDADE 1: Aspetos quantitativos das reações químicas

ͻ Correção da ficha de diagnóstico.


ͻ Reações químicas – Lei de Lavoisier.
Sumário ͻ Equações químicas: escrita e acerto.
ͻ Entrega da ficha formativa 1.
ͻ Resolução de exercícios.

ͻ Manual: exercício 1 (página 21).


Atividades
ͻ Resolução de exercícios da ficha formativa 1.

ͻ Manual: exercício 2 (página 21).


TPC
ͻ Caderno de exercícios e problemas: exercícios 1, 2 e 3 (página 8).
Esta aula encontra-se detalhada na secção Planos de aula.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 9


Aula n.o 3 90 min.

Escola __________________________________________________________________________________________________

Ano __________________ Turma ________________ Aula N.o _______________ Data _______ / _______ / _______

UNIDADE 1: Equilíbrio químico


SUBUNIDADE 1: Aspetos quantitativos das reações químicas

ͻ Correção do trabalho para casa e esclarecimento de dúvidas.


Sumário ͻ Significado das fórmulas químicas.
ͻ Cálculos estequiométricos.

ͻ Manual: exercícios 3, 7 e 15 (páginas 21, 22 e 23).


Atividades
ͻ Resolução de exercícios da ficha formativa 1.

ͻ Manual: exercícios 5, 12 e 16 (páginas 21 e 23).


TPC
ͻ Caderno de exercícios e problemas: exercícios 4, 7 e 10 (páginas 8 e 9).
Esta aula encontra-se detalhada na secção Planos de aula.

Aula n.o 4 135 min.

Escola __________________________________________________________________________________________________

Ano __________________ Turma ________________ Aula N.o _______________ Data _______ / _______ / _______

UNIDADE 1: Equilíbrio químico


SUBUNIDADE 1: Aspetos quantitativos das reações químicas

ͻ Correção do trabalho para casa e esclarecimento de dúvidas.


ͻ Reagente limitante e reagente em excesso.
Sumário ͻ Grau de pureza de uma amostra.
ͻ Entrega da ficha formativa 2.
ͻ Resolução de exercícios.

ͻ Manual: exercícios 1, 3 e 5 (página 36).


Atividades
ͻ Resolução de exercícios das fichas formativas 1 e 2.

ͻ Manual: exercícios 2 e 4 (página 36).


TPC
ͻ Caderno de exercícios e problemas: exercícios 2, 5 e 6 (página 15).
Esta aula encontra-se detalhada na secção Planos de aula.

10 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Aula n.o 5 90 min.

Escola __________________________________________________________________________________________________

Ano __________________ Turma ________________ Aula N.o _______________ Data _______ / _______ / _______

UNIDADE 1: Equilíbrio químico


SUBUNIDADE 1: Aspetos quantitativos das reações químicas

ͻ Correção do trabalho para casa e esclarecimento de dúvidas.


Sumário ͻ Rendimento de uma reação química.
ͻ Economia atómica percentual e química verde.

ͻ Manual: exercícios 8 e 11 (página 37).


Atividades
ͻ Resolução de exercícios da ficha formativa 2.

ͻ Manual: exercícios 9, 10 e 13 (página 37).


TPC
ͻ Caderno de exercícios e problemas: exercícios 9, 17 e 18 (páginas 16 e 17).
Esta aula encontra-se detalhada na secção Planos de aula.

Aula n.o 6 90 min.

Escola __________________________________________________________________________________________________

Ano __________________ Turma ________________ Aula N.o _______________ Data _______ / _______ / _______

UNIDADE 1: Equilíbrio químico


SUBUNIDADE 1: Aspetos quantitativos das reações químicas

ͻ Correção do trabalho para casa e esclarecimento de dúvidas.


Sumário
ͻ Resolução de exercícios.

ͻ Manual: exercícios 4, 6 e 8 (páginas 21 e 22) e exercício 12 (página 37).


Atividades
ͻ Resolução de exercícios das fichas formativas 1 e 2.

ͻ Manual: exercícios 9, 10 e 11 (página 22).


TPC ͻ Caderno de exercícios e problemas: exercícios 8 (página 9) e 9, 11 e 16 (páginas
16 e 17).

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 11


Aula n.o 7 135 min.

Escola __________________________________________________________________________________________________

Ano __________________ Turma ________________ Aula N.o _______________ Data _______ / _______ / _______

UNIDADE 1: Equilíbrio químico


SUBUNIDADE 1: Aspetos quantitativos das reações químicas

ͻ Visita ao laboratório de química.


Sumário ͻ Informação sobre regras e símbolos de segurança.
ͻ AL 1.1 – Síntese do ácido acetilsalicílico.

ͻ Realização da AL 1.1.
Atividades
ͻ Resolução de questões teórico-práticas.

TPC

Aula n.o 8 90 min.

Escola __________________________________________________________________________________________________

Ano __________________ Turma ________________ Aula N.o _______________ Data _______ / _______ / _______

UNIDADE 1: Equilíbrio químico


SUBUNIDADE 2: Equilíbrio químico e extensão das reações químicas

ͻ Reações completas e reações incompletas.


ͻ Reações reversíveis e reações irreversíveis.
ͻ Reações reversíveis e estado de equilíbrio.
ͻ Equilíbrios homogéneos e equilíbrios heterogéneos.
Sumário
ͻ Curvas de variação das concentrações dos reagentes e dos produtos da reação
em função do tempo.
ͻ Entrega da ficha formativa 3.
ͻ Resolução de exercícios.

ͻ Manual: exercícios 1, 6 e7 (páginas 50 e 51).


Atividades
ͻ Resolução de exercícios da ficha formativa 3.

ͻ Manual: exercícios 2, 3, 10 e 11 (páginas 50 e 51).


TPC
ͻ Caderno de exercícios e problemas: exercícios 3, 4, 6 e 8 (páginas 20 e 21).
Esta aula encontra-se detalhada na secção Planos de aula.

12 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Aula n.o 9 90 min.

Escola __________________________________________________________________________________________________

Ano __________________ Turma ________________ Aula N.o _______________ Data _______ / _______ / _______

UNIDADE 1: Equilíbrio químico


SUBUNIDADE 2: Equilíbrio químico e extensão das reações químicas

ͻ Correção do trabalho para casa e esclarecimento de dúvidas.


ͻ Constante de equilíbrio.
Sumário ͻ Constante de equilíbrio em sistemas homogéneos.
ͻ Cálculos com a constante de equilíbrio.
ͻ Resolução de exercícios.

ͻ Manual: exercícios 1, 2, 8 e 11 (páginas 58 e 59).


Atividades
ͻ Resolução de exercícios da ficha formativa 3.

ͻ Manual: exercícios 3, 4, 5 e 9 (páginas 58 e 59).


TPC
ͻ Caderno de exercícios e problemas: exercícios 1, 6 e 7 (páginas 25 e 26).
Esta aula encontra-se detalhada na secção Planos de aula.

Aula n.o 10 135 min.

Escola __________________________________________________________________________________________________

Ano __________________ Turma ________________ Aula N.o _______________ Data _______ / _______ / _______

UNIDADE 1: Equilíbrio químico


SUBUNIDADE 2: Equilíbrio químico e extensão das reações químicas

ͻ Correção do trabalho para casa e esclarecimento de dúvidas.


ͻ Quociente da reação.
Sumário
ͻ Resolução de exercícios.
ͻ Conclusão da realização de ficha formativa 3.

ͻ Manual: exercícios 1, 2, 4 e 5 (página 63).


Atividades
ͻ Resolução de exercícios da ficha formativa 3.

ͻ Manual: exercício 3 (página 63).


TPC
ͻ Caderno de exercícios e problemas: exercícios 11 e 12 (páginas 26 e 27).
Esta aula encontra-se detalhada na secção Planos de aula.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 13


Aula n.o 11 90 min.

Escola __________________________________________________________________________________________________

Ano __________________ Turma ________________ Aula N.o _______________ Data _______ / _______ / _______

UNIDADE 1: Equilíbrio químico


SUBUNIDADE 2: Equilíbrio químico e extensão das reações químicas

Sumário ͻ Revisões para a ficha de avaliação sumativa.

Atividades

TPC

Aula n.o 12 90 min.

Escola __________________________________________________________________________________________________

Ano __________________ Turma ________________ Aula N.o _______________ Data _______ / _______ / _______

UNIDADE 1: Equilíbrio químico


SUBUNIDADE 2: Equilíbrio químico e extensão das reações químicas

Sumário ͻ Ficha de avaliação sumativa.

Atividades

TPC

14 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Aula n.o 13 135 min.

Escola __________________________________________________________________________________________________

Ano __________________ Turma ________________ Aula N.o _______________ Data _______ / _______ / _______

UNIDADE 1: Equilíbrio químico


SUBUNIDADE 2: Equilíbrio químico e extensão das reações químicas

ͻ Princípio de Le Châtelier:
- efeito da variação da concentração;
- efeito da variação da pressão;
Sumário - efeito da variação da temperatura.
ͻ Equilíbrio químico em processos industriais.
ͻ Resolução de exercícios.
ͻ Entrega da ficha formativa 4.

ͻ Manual: exercícios 1, 5, 6 e 9 (páginas 75 e 77).


Atividades
ͻ Resolução de exercícios da ficha formativa 4.

ͻ Manual: exercícios 7, 8 e 11 (páginas 76 e 77).


TPC
ͻ Caderno de exercícios e problemas: exercícios 4, 6, 9 e 10 (páginas 32, 33 e 34).
Esta aula encontra-se detalhada na secção Planos de aula.

Aula n.o 14 90 min.

Escola __________________________________________________________________________________________________

Ano __________________ Turma ________________ Aula N.o _______________ Data _______ / _______ / _______

UNIDADE 1: Equilíbrio químico


SUBUNIDADE 2: Equilíbrio químico e extensão das reações químicas

Sumário ͻ Correção e entrega da ficha de avaliação sumativa.

Atividades ͻ Correção da ficha de avaliação sumativa.

TPC

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 15


Aula n.o 15 90 min.

Escola __________________________________________________________________________________________________

Ano __________________ Turma ________________ Aula N.o _______________ Data _______ / _______ / _______

UNIDADE 1: Equilíbrio químico


SUBUNIDADE 2: Equilíbrio químico e extensão das reações químicas

ͻ Correção do trabalho para casa.


Sumário
ͻ Revisões e esclarecimento de dúvidas.

ͻ Manual: exercício 4, 5, 8 e 9 (páginas 50 e 51), exercícios 6, 7 e 10 (páginas 58 e


Atividades 59) e exercício 11 (página 77).
ͻ Resolução de exercícios da ficha formativa 4.

ͻ Caderno de exercícios e problemas: exercício 8 (página 26) e exercícios 5 e 11


TPC
(páginas 32 e 34).

Aula n.o 16 135 min.

Escola __________________________________________________________________________________________________

Ano __________________ Turma ________________ Aula N.o _______________ Data _______ / _______ / _______

UNIDADE 1: Equilíbrio químico


SUBUNIDADE 2: Equilíbrio químico e extensão das reações químicas

Sumário ͻ AL 1.2 – Efeito da variação da concentração no equilíbrio químico.

ͻ Realização da AL 1.2.
Atividades
ͻ Resolução de questões teórico-práticas.

TPC

16 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Aula n.o 17 90 min.

Escola __________________________________________________________________________________________________

Ano __________________ Turma ________________ Aula N.o _______________ Data _______ / _______ / _______

UNIDADE 1: Equilíbrio químico


SUBUNIDADE 2: Equilíbrio químico e extensão das reações químicas

ͻ Correção do trabalho para casa e esclarecimento de dúvidas.


Sumário
ͻ Resolução do teste global da unidade 1.

Atividades ͻ Manual: resolução do teste global (páginas 80 e 81).

TPC

Aula n.o 18 90 min.

Escola __________________________________________________________________________________________________

Ano __________________ Turma ________________ Aula N.o _______________ Data _______ / _______ / _______

UNIDADE 2: Reações em sistemas aquosos


SUBUNIDADE 1: Reações ácido-base

ͻ Ácidos e bases.
+ +
ͻ O ião H3O e o ião H .
ͻ Espécies anfotéricas.
Sumário
ͻ Par conjugado ácido-base.
ͻ Entrega da ficha formativa 5.
ͻ Resolução de exercícios.

ͻ Manual: exercícios 1, 3, 5 e 8 (página 91).


Atividades
ͻ Resolução de exercícios da ficha formativa 5.

ͻ Manual: exercícios 2, 4, 6 e 7 (página 91).


TPC
ͻ Caderno de exercícios e problemas: exercícios 2, 4 e 7 (página 40).
Esta aula encontra-se detalhada na secção Planos de aula.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 17


Aula n.o 19 135 min.

Escola __________________________________________________________________________________________________

Ano __________________ Turma ________________ Aula N.o _______________ Data _______ / _______ / _______

UNIDADE 2: Reações em sistemas aquosos


SUBUNIDADE 1: Reações ácido-base

ͻ Correção do trabalho para casa e esclarecimento de dúvidas.


ͻ Autoionização da água.
Sumário ͻ Dissociação e ionização.
ͻ Ionização de ácidos e de bases.
ͻ Resolução de exercícios.

ͻ Manual: exercícios 1, 4, 6 e 7 (página 99).


Atividades
ͻ Resolução de exercícios da ficha formativa 5.

ͻ Manual: exercícios 2 e 5 (página 99).


TPC
ͻ Caderno de exercícios e problemas: exercícios 13, 14 e 15 (página 41).
Esta aula encontra-se detalhada na secção Planos de aula.

Aula n.o 20 90 min.

Escola __________________________________________________________________________________________________

Ano __________________ Turma ________________ Aula N.o _______________ Data _______ / _______ / _______

UNIDADE 2: Reações em sistemas aquosos


SUBUNIDADE 1: Reações ácido-base

ͻ Correção do trabalho para casa e esclarecimento de dúvidas.


Sumário ͻ Constante de acidez e constante de basicidade.
ͻ Conceito de pH.

ͻ Manual: exercícios 1 e 3 (página 111).


Atividades
ͻ Resolução de exercícios da ficha formativa 5.

ͻ Manual: exercícios 4 e 9 (páginas 111 e 112).


TPC
ͻ Caderno de exercícios e problemas: exercício 1 (página 48).
Esta aula encontra-se detalhada na secção Planos de aula.

18 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Aula n.o 21 90 min.

Escola __________________________________________________________________________________________________

Ano __________________ Turma ________________ Aula N.o _______________ Data _______ / _______ / _______

UNIDADE 2: Reações em sistemas aquosos


SUBUNIDADE 1: Reações ácido-base

ͻ Correção do trabalho para casa e esclarecimento de dúvidas.


Sumário ͻ Relação entre pH e pOH.
ͻ pH de soluções aquosas.

ͻ Manual: exercícios 12 e 15 (página 113).


Atividades
ͻ Resolução de exercícios da ficha formativa 5.

ͻ Manual: exercícios 10 e 11 (página 112).


TPC
ͻ Caderno de exercícios e problemas: exercícios 9, 13 e 14 (página 49).
Esta aula encontra-se detalhada na secção Planos de aula.

Aula n.o 22 135 min.

Escola __________________________________________________________________________________________________

Ano __________________ Turma ________________ Aula N.o _______________ Data _______ / _______ / _______

UNIDADE 2: Reações em sistemas aquosos


SUBUNIDADE 1: Reações ácido-base

Sumário ͻ AL 2.1 – Constante de acidez.

ͻ Realização da AL 2.1.
Atividades
ͻ Resolução de questões teórico-práticas.

TPC

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 19


Aula n.o 23 90 min.

Escola __________________________________________________________________________________________________

Ano __________________ Turma ________________ Aula N.o _______________ Data _______ / _______ / _______

UNIDADE 2: Reações em sistemas aquosos


SUBUNIDADE 1: Reações ácido-base

ͻ Correção do trabalho para casa e esclarecimento de dúvidas.


Sumário ͻ Soluções aquosas de sais.
ͻ Entrega da ficha formativa 6.

ͻ Manual: exercícios 1, 3 e 4 (página 122).


Atividades
ͻ Resolução de exercícios da ficha formativa 6.

ͻ Manual: exercício 2 (página 122).


TPC
ͻ Caderno de exercícios e problemas: exercícios 1, 2 e 3 (página 56).
Esta aula encontra-se detalhada na secção Planos de aula.

Aula n.o 24 90 min.

Escola __________________________________________________________________________________________________

Ano __________________ Turma ________________ Aula N.o _______________ Data _______ / _______ / _______

UNIDADE 2: Reações em sistemas aquosos


SUBUNIDADE 1: Reações ácido-base

ͻ Correção do trabalho para casa e esclarecimento de dúvidas.


Sumário ͻ Titulação ácido-base.
ͻ Curvas de titulação ácido-base.

ͻ Manual: exercícios 5 e 8 (páginas 122 e 123).


Atividades
ͻ Resolução de exercícios da ficha formativa 6.

ͻ Manual: exercícios 6 e 7 (página 123).


TPC
ͻ Caderno de exercícios e problemas: exercícios 5, 8 e 12 (páginas 56, 57 e 58).
Esta aula encontra-se detalhada na secção Planos de aula.

20 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Aula n.o 25 135 min.

Escola __________________________________________________________________________________________________

Ano __________________ Turma ________________ Aula N.o _______________ Data _______ / _______ / _______

UNIDADE 2: Reações em sistemas aquosos


SUBUNIDADE 1: Reações ácido-base

Sumário ͻ AL 2.2 – Titulação ácido-base.

ͻ Realização da AL 2.2.
Atividades
ͻ Resolução de questões teórico-práticas.

TPC

Aula n.o 26 90 min.

Escola __________________________________________________________________________________________________

Ano __________________ Turma ________________ Aula N.o _______________ Data _______ / _______ / _______

UNIDADE 2: Reações em sistemas aquosos


SUBUNIDADE 1: Reações ácido-base

ͻ Correção do trabalho para casa e esclarecimento de dúvidas.


ͻ Formação das chuvas ácidas.
Sumário
ͻ Consequências das chuvas ácidas.
ͻ Redução da emissão de poluentes atmosféricos.

ͻ Manual: exercícios 1, 2 e 3 (página 129).


Atividades
ͻ Resolução de exercícios da ficha formativa 6.

ͻ Manual: exercícios 4 e 5 (página 129).


TPC
ͻ Caderno de exercícios e problemas: exercícios 15 e 16 (página 59).
Esta aula encontra-se detalhada na secção Planos de aula.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 21


Aula n.o 27 90 min.

Escola __________________________________________________________________________________________________

Ano __________________ Turma ________________ Aula N.o _______________ Data _______ / _______ / _______

UNIDADE 2: Reações em sistemas aquosos


SUBUNIDADE 2: Reações de oxidação-redução

ͻ Reações de oxidação-redução.
ͻ Oxidantes e redutores.
Sumário
ͻ Número de oxidação.
ͻ Entrega da ficha formativa 7.

ͻ Manual: exercícios 1 e 3 (página 142).


Atividades
ͻ Resolução de exercícios da ficha formativa 7.

ͻ Manual: exercícios 4 e 5 (página 142).


TPC
ͻ Caderno de exercícios e problemas: exercícios 3 e 6 (página 63).
Esta aula encontra-se detalhada na secção Planos de aula.

Aula n.o 28 135 min.

Escola __________________________________________________________________________________________________

Ano __________________ Turma ________________ Aula N.o _______________ Data _______ / _______ / _______

UNIDADE 2: Reações em sistemas aquosos


SUBUNIDADE 1: Reações ácido-base

Sumário ͻ Revisões de preparação para a ficha de avaliação sumativa.

Atividades

TPC

22 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Aula n.o 29 90 min.

Escola __________________________________________________________________________________________________

Ano __________________ Turma ________________ Aula N.o _______________ Data _______ / _______ / _______

UNIDADE 2: Reações em sistemas aquosos


SUBUNIDADE 1: Reações ácido-base

Sumário ͻ Ficha de avaliação sumativa.

Atividades

TPC

Aula n.o 30 90 min.

Escola __________________________________________________________________________________________________

Ano __________________ Turma ________________ Aula N.o _______________ Data _______ / _______ / _______

UNIDADE 2: Reações em sistemas aquosos


SUBUNIDADE 2: Reações de oxidação-redução

ͻ Correção do trabalho para casa e esclarecimento de dúvidas.


ͻ Identificação de reações de oxidação-redução.
Sumário
ͻ Acerto de equações de oxidação-redução.
ͻ Entrega da ficha formativa 7.

ͻ Manual: exercícios 6 e 10 (páginas 142 e 143).


Atividades
ͻ Resolução de exercícios da ficha formativa 7.

ͻ Manual: exercícios 9 e 12 (página 143).


TPC
ͻ Caderno de exercícios e problemas: exercícios 10 e 14 (página 64).
Esta aula encontra-se detalhada na secção Planos de aula.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 23


Aula n.o 31 135 min.

Escola __________________________________________________________________________________________________

Ano __________________ Turma ________________ Aula N.o _______________ Data _______ / _______ / _______

UNIDADE 2: Reações em sistemas aquosos


SUBUNIDADE 2: Reações de oxidação-redução

Sumário ͻ Correção e entrega da ficha de avaliação sumativa.

Atividades ͻ Correção da ficha de avaliação sumativa.

TPC

Aula n.o 32 90 min.

Escola __________________________________________________________________________________________________

Ano __________________ Turma ________________ Aula N.o _______________ Data _______ / _______ / _______

UNIDADE 2: Reações em sistemas aquosos


SUBUNIDADE 2: Reações de oxidação-redução

ͻ Correção do trabalho para casa e esclarecimento de dúvidas.


ͻ Força relativa de oxidantes e redutores.
Sumário
ͻ Classificação qualitativa dos pares ião metálico/metal.
ͻ Resolução de exercícios.

ͻ Manual: exercícios 1 e 3 (página 151).


Atividades
ͻ Resolução de exercícios da ficha formativa 7.

ͻ Manual: exercício 4 (página 152)


TPC
ͻ Caderno de exercícios e problemas: exercício 2 (página 67).
Esta aula encontra-se detalhada na secção Planos de aula.

24 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Aula n.o 33 90 min.

Escola __________________________________________________________________________________________________

Ano __________________ Turma ________________ Aula N.o _______________ Data _______ / _______ / _______

UNIDADE 2: Reações em sistemas aquosos


SUBUNIDADE 2: Reações de oxidação-redução

ͻ Correção do trabalho para casa e esclarecimento de dúvidas.


ͻ Previsão da ocorrência de reações de oxidação-redução.
Sumário
ͻ Corrosão de metais.
ͻ Resolução de exercícios.

ͻ Manual: exercício 7 (página 152).


Atividades
ͻ Resolução de exercícios da ficha formativa 7.

ͻ Manual: exercícios 8 e 11 (página 153).


TPC
ͻ Caderno de exercícios e problemas: exercícios 5, 6 e 8 (páginas 67 e 68).
Esta aula encontra-se detalhada na secção Planos de aula.

Aula n.o 34 135 min.

Escola __________________________________________________________________________________________________

Ano __________________ Turma ________________ Aula N.o _______________ Data _______ / _______ / _______

UNIDADE 2: Reações em sistemas aquosos


SUBUNIDADE 2: Reações de oxidação-redução

Sumário ͻ AL 2.3 – Série eletroquímica.

ͻ Realização da AL 2.3.
Atividades
ͻ Resolução de questões teórico-práticas.

TPC

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 25


Aula n.o 35 90 min.

Escola __________________________________________________________________________________________________

Ano __________________ Turma ________________ Aula N.o _______________ Data _______ / _______ / _______

UNIDADE 2: Reações em sistemas aquosos


SUBUNIDADE 2: Reações de oxidação-redução

ͻ Correção do trabalho para casa e esclarecimento de dúvidas.


Sumário
ͻ Resolução de exercícios.

Atividades ͻ Resolução de exercícios da ficha formativa 7.

ͻ Manual: exercícios 9, 10 e 12 (página 153).


TPC
ͻ Caderno de exercícios e problemas: exercícios 1, 3, 4 e 7 (páginas 67 e 68).

Aula n.o 36 90 min.

Escola __________________________________________________________________________________________________

Ano __________________ Turma ________________ Aula N.o _______________ Data _______ / _______ / _______

UNIDADE 2: Reações em sistemas aquosos


SUBUNIDADE 3: Soluções e equilíbrio de solubilidade

ͻ Correção do trabalho para casa e esclarecimento de dúvidas.


ͻ Dissolução e solubilidade.
ͻ Soluções saturadas, não saturadas e sobressaturadas.
Sumário
ͻ Solubilidade de sais.
ͻ Entrega da ficha formativa 8.
ͻ Resolução de exercícios.

ͻ Manual: exercício 1 (página 166).


Atividades
ͻ Resolução de exercícios da ficha formativa 8.

ͻ Manual: exercício 2 (página 166).


TPC
ͻ Caderno de exercícios e problemas: exercícios 3 e 5 (página 72).
Esta aula encontra-se detalhada na secção Planos de aula.

26 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Aula n.o 37 135 min.

Escola __________________________________________________________________________________________________

Ano __________________ Turma ________________ Aula N.o _______________ Data _______ / _______ / _______

UNIDADE 2: Reações em sistemas aquosos


SUBUNIDADE 3: Soluções e equilíbrio de solubilidade

ͻ Correção do trabalho para casa e esclarecimento de dúvidas.


ͻ Equilíbrio de solubilidade em soluções saturadas de sais pouco solúveis.
Sumário
ͻ Produto de solubilidade.
ͻ Resolução de exercícios.

ͻ Manual: exercício 4 (página 166).


Atividades
ͻ Resolução de exercícios da ficha formativa 8.

ͻ Manual: exercício 3 (página 166).


TPC
ͻ Caderno de exercícios e problemas: exercícios 2 e 4 (página 72).
Esta aula encontra-se detalhada na secção Planos de aula.

Aula n.o 38 90 min.

Escola __________________________________________________________________________________________________

Ano __________________ Turma ________________ Aula N.o _______________ Data _______ / _______ / _______

UNIDADE 2: Reações em sistemas aquosos


SUBUNIDADE 3: Soluções e equilíbrio de solubilidade

ͻ Correção do trabalho para casa e esclarecimento de dúvidas.


Sumário ͻ Relação entre produto de solubilidade e solubilidade.
ͻ Resolução de exercícios.

ͻ Manual: exercícios 7 e 9 (página 167).


Atividades
ͻ Resolução de exercícios da ficha formativa 8.

ͻ Manual: exercícios 6 e 8 (página 167).


TPC
ͻ Caderno de exercícios e problemas: exercícios 7 e 11 (página 73).
Esta aula encontra-se detalhada na secção Planos de aula.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 27


Aula n.o 39 90 min.

Escola __________________________________________________________________________________________________

Ano __________________ Turma ________________ Aula N.o _______________ Data _______ / _______ / _______

UNIDADE 2: Reações em sistemas aquosos


SUBUNIDADE 3: Soluções e equilíbrio de solubilidade

ͻ Correção do trabalho para casa e esclarecimento de dúvidas.


Sumário ͻ Formação de precipitados.
ͻ Resolução de exercícios.

ͻ Manual: exercícios 1 e 5 (página 171).


Atividades
ͻ Resolução de exercícios da ficha formativa 8.

ͻ Manual: exercícios 2 e 4 (página 171).


TPC
ͻ Caderno de exercícios e problemas: exercícios 1 e 4 (página 77).
Esta aula encontra-se detalhada na secção Planos de aula.

Aula n.o 40 135 min.

Escola __________________________________________________________________________________________________

Ano __________________ Turma ________________ Aula N.o _______________ Data _______ / _______ / _______

UNIDADE 2: Reações em sistemas aquosos


SUBUNIDADE 3: Soluções e equilíbrio de solubilidade

Sumário ͻ AL 2.4 – Temperatura e solubilidade de um soluto sólido em água.

ͻ Realização da AL 2.4.
Atividades
ͻ Resolução de questões teórico-práticas.

TPC

28 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Aula n.o 41 90 min.

Escola __________________________________________________________________________________________________

Ano __________________ Turma ________________ Aula N.o _______________ Data _______ / _______ / _______

UNIDADE 2: Reações em sistemas aquosos


SUBUNIDADE 3: Soluções e equilíbrio de solubilidade

ͻ Correção do trabalho para casa e esclarecimento de dúvidas.


ͻ Alteração da solubilidade de sais.
ͻ Dureza de uma água.
Sumário
ͻ Minimização da dureza das águas.
ͻ Remoção de poluentes de águas.
ͻ Resolução de exercícios.

ͻ Manual: exercícios 1, 3, 6 e 7 (página 179).


Atividades
ͻ Resolução de exercícios da ficha formativa 8.

ͻ Manual: exercícios 2, 4 e 5 (página 179).


TPC
ͻ Caderno de exercícios e problemas: exercícios 2 e 3 (página 77).
Esta aula encontra-se detalhada na secção Planos de aula.

Aula n.o 42 90 min.

Escola __________________________________________________________________________________________________

Ano __________________ Turma ________________ Aula N.o _______________ Data _______ / _______ / _______

UNIDADE 2: Reações em sistemas aquosos


SUBUNIDADE 3: Soluções e equilíbrio de solubilidade

ͻ Correção do trabalho para casa e esclarecimento de dúvidas.


Sumário
ͻ Resolução do teste global da unidade 2.

Atividades ͻ Manual: resolução do teste global (páginas 182 e 183).

TPC

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 29


Aula n.o 43 135 min.

Escola __________________________________________________________________________________________________

Ano __________________ Turma ________________ Aula N.o _______________ Data _______ / _______ / _______

UNIDADE 2: Reações em sistemas aquosos


SUBUNIDADE 3: Soluções e equilíbrio de solubilidade

Sumário ͻ Revisões de preparação para a ficha de avaliação sumativa.

Atividades

TPC

Aula n.o 44 90 min.

Escola __________________________________________________________________________________________________

Ano __________________ Turma ________________ Aula N.o _______________ Data _______ / _______ / _______

UNIDADE 2: Reações em sistemas aquosos


SUBUNIDADE 3: Soluções e equilíbrio de solubilidade

Sumário ͻ Ficha de avaliação sumativa.

Atividades

TPC

30 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Aula n.o 45 90 min.

Escola __________________________________________________________________________________________________

Ano __________________ Turma ________________ Aula N.o _______________ Data _______ / _______ / _______

UNIDADE 2: Reações em sistemas aquosos


SUBUNIDADE 3: Soluções e equilíbrio de solubilidade

Sumário ͻ Resolução do Teste final, como preparação para o Exame Nacional.

ͻ Manual: resolução do Teste final (páginas 184 a 187).


Atividades
ͻ Esclarecimento de dúvidas.

TPC

Aula n.o 46 135 min.

Escola __________________________________________________________________________________________________

Ano __________________ Turma ________________ Aula N.o _______________ Data _______ / _______ / _______

UNIDADE 2: Reações em sistemas aquosos


SUBUNIDADE 3: Soluções e equilíbrio de solubilidade

Sumário ͻ Correção e entrega da ficha de avaliação sumativa.

Atividades ͻ Correção da ficha de avaliação sumativa.

TPC

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 31


Aula n.o 47 90 min.

Escola __________________________________________________________________________________________________

Ano __________________ Turma ________________ Aula N.o _______________ Data _______ / _______ / _______

UNIDADE 2: Reações em sistemas aquosos


SUBUNIDADE 3: Soluções e equilíbrio de solubilidade

Sumário ͻ Autoavaliação.

Atividades

TPC

32 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Planos de aula

Plano de aula n.o 2


Unidade 1: Equilíbrio químico
Subunidade 1: Aspetos quantitativos das reações químicas
Conteúdos de aprendizagem
x Reações químicas – Lei de Lavoisier
x Equações químicas: escrita e acerto
Objetivos de aprendizagem
x Interpretar o significado das equações químicas em termos de quantidade de matéria e relacionar o respetivo
acerto com a conservação da massa (Lei de Lavoisier).
Recursos
x Manual – págs. 12 a 15 e 21
x Ficha formativa 1
Desenvolvimento
x Iniciar a aula informando os alunos que a construção do conhecimento se faz, em parte, relacionando os
conhecimentos anteriores.
o
x Recordar conteúdos que aprenderam no 9. ano:
– o nome de algumas substâncias a partir das respetivas fórmulas químicas;
– a escrita de fórmulas químicas a partir do nome das substâncias;
– escrita e acerto de equações químicas simples, identificando os reagentes e produtos de reação.
o
x Através da equação química que traduz a combustão do metano, Fig. 1 da pág. 12, recordar do 10. ano que a
ocorrência de qualquer reação química implica a quebra das ligações químicas nos reagentes e a consequente
formação de novas ligações entre átomos, nos produtos de reação.
x Através dos esquemas apresentados nas Figs. 2 e 3 da pág. 13, recordar a Lei de Lavoisier, verificando que o
número total de átomos de cada elemento se conserva durante a reação química e, consequentemente, a
massa total do sistema.
x Para acertar um equação química correspondente a uma dada reação química, ter em conta que o número
total de átomos de cada elemento deve ser igual nos reagentes e nos produtos de reação.
x Escrever e acertar uma equação química de uma dada reação com base nos pontos referidos na pág. 14,
seguido do exemplo da pág. 15.
x Trabalho na aula: exercício 1 (pág. 21); exercícios da ficha formativa 1.
x TPC: manual – exercício 2 (pág. 21); CEP – exercícios 1, 2 e 3 (pág. 8).
Avaliação
x Formativa – desempenho dos alunos nas tarefas propostas.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 33


Plano de aula n.o 3
Unidade 1: Equilíbrio químico
Subunidade 1: Aspetos quantitativos das reações químicas
Conteúdos de aprendizagem
x Significado das fórmulas químicas
x Cálculos estequiométricos
Objetivos de aprendizagem
x Efetuar cálculos estequiométricos com base em equações químicas.
Recursos
x Manual – págs. 16 a 19 e 21 a 23
x Ficha formativa 1
Desenvolvimento
x Esclarecer dúvidas que possam ter surgido no trabalho para casa ou nos conteúdos lecionados na aula
anterior.
x A partir de uma fórmula química, questionar os alunos sobre o tipo de informação que se pode inferir dessa
fórmula química.
x Informar que uma fórmula química pode ser lida em termos de moléculas, quantidade de matéria (moles) e
em termos de massa, exemplificando com o esquema da pág. 17.
x Ler e interpretar, com os alunos o enunciado das questões resolvidas 1 e 2 das págs. 17 e 18, bem como a
respetiva resolução.
x Escrever uma equação química e levar os alunos a fazer a sua leitura em termos de moles, massa e volume.
x Concretizar a interpretação da equação de maneira semelhante ao apresentado na pág. 19.
x Sistematizar os passos a seguir na resolução de um cálculo estequiométrico.
x Analisar e discutir a questão resolvida da pág. 19.
x Trabalho na aula: exercícios 3, 7 e 15 (págs. 21, 22 e 23); exercícios da ficha formativa 1.
x TPC: manual – exercícios 5, 12 e 16 (págs. 21 e 23); CEP – exercícios 4, 7 e 10 (págs. 8 e 9).
Avaliação
x Formativa – desempenho dos alunos nas tarefas propostas.

34 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Plano de aula n.o 4
Unidade 1: Equilíbrio químico
Subunidade 1: Aspetos quantitativos das reações químicas
Conteúdos de aprendizagem
x Reagente limitante e reagente em excesso
x Grau de pureza de uma amostra
Objetivos de aprendizagem
x Identificar reagente limitante e reagente em excesso numa reação química.
x Interpretar o grau de pureza de uma amostra.
x Indicar os reagentes que podem apresentar diferentes graus de pureza e que devem ser escolhidos consoante
as finalidades de uso e custo.
Recursos
x Manual – págs. 24 a 29 e 36 a 37
x Fichas formativas 1 e 2
Desenvolvimento
x Esclarecer dúvidas que possam ter surgido no trabalho para casa ou nos conteúdos lecionados na aula
anterior.
x Chamar a atenção que nos cálculos estequiométricos se considerou apenas a quantidade química de um dos
reagentes, pressupondo que os outros existiam em proporções adequadas, para que a reação química
ocorresse. Referir que muitas vezes os reagentes não estão presentes nas quantidades e proporções molares
previstas pela equação química.
x Levar os alunos a concluir que nem todos os reagentes se consomem totalmente.
x Definir reagente limitante e reagente em excesso.
x Concretizar este conceito utilizando o exemplo da pág. 25.
x Explorar o exemplo da reação entre o carbono (C) e o cloro (CƐ2) através do cálculo e através da Fig. 4 da pág.
25.
x Ler e interpretar, com os alunos o enunciado das questões resolvidas 1 e 2 das págs. 26 a 28, bem como a
respetiva resolução.
x Definir grau de pureza de uma amostra.
x Informar que nem todos os reagentes são puros.
x Concretizar este conceito resolvendo a questão resolvida 1 da pág. 29.
x Levar os alunos a concluir que a escolha de um reagente com um dado grau de pureza, para um determinado
fim, tem de estar relacionado com o tipo de impurezas que a amostra contém.
x Referir que nem sempre é necessário utilizar reagentes com elevado grau de pureza, podendo ser substituídos
por outos de custo inferior mas em que estejam presentes impurezas inertes.
x Trabalho na aula: exercícios 1, 3 e 5 (pág. 36); exercícios das fichas formativas 1 e 2.
x TPC: manual – exercícios 2 e 4 (pág. 36); CEP – exercícios 2, 5 e 6 (pág. 15).
Avaliação
x Formativa – desempenho dos alunos nas tarefas propostas.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 35


Plano de aula n.o 5
Unidade 1: Equilíbrio químico
Subunidade 1: Aspetos quantitativos das reações químicas
Conteúdos de aprendizagem
x Rendimento de uma reação química
x Economia atómica percentual e química verde
Objetivos de aprendizagem
x Distinguir reações completas de reações incompletas.
x Efetuar cálculos estequiométricos envolvendo reagente limitante/em excesso, rendimento da reação e grau
de pureza dos reagentes.
x Associar «economia atómica percentual» à razão entre a massa de átomos de reagentes que são incorporados
no produto desejado e a massa total de átomos de reagentes, expressa em percentagem.
x Comparar reações químicas do ponto de vista da química verde tendo em conta vários fatores como:
economia atómica, redução de resíduos, produtos indesejados, escolha de reagentes e processos menos
poluentes.
Recursos
x Manual – págs. 30 a 37
x Ficha formativa 2
Desenvolvimento
x Esclarecer dúvidas que possam ter surgido no trabalho para casa ou nos conteúdos lecionados na aula
anterior.
x Definir reação como a que leva ao esgotamento de todos ou, pelo menos, um dos reagentes.
x Exemplificar e escrever equações químicas que traduzam reações completas.
x Definir rendimento.
x Indicar fatores que podem contribuir para que o rendimento de uma reação química seja inferior a 100%.
x Ler e interpretar, com os alunos o enunciado das questões resolvidas 1 e 2 das págs. 31 a 33, bem como a
respetiva resolução.
x Começar por interrogar os alunos sobre o que entendem por química verde e fazer a síntese das respostas.
x Para completar essas respostas sugerir aos alunos que façam uma pesquisa sobre o assunto.
x Definir economia atómica percentual.
x Analisar com os alunos os exemplos da pág. 34.
x Ler e interpretar, com os alunos o enunciado da questão resolvida 1 da pág. 35, bem como a respetiva
resolução.
x Trabalho na aula: exercícios 8 e 11 (pág. 37); de exercícios da ficha formativa 2.
x TPC: manual – exercícios 9, 10 e 13 (pág. 37); CEP – exercícios 9, 17 e 18 (págs. 16 e 17).
Avaliação
x Formativa – desempenho dos alunos nas tarefas propostas.

36 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Plano de aula n.o 8
Unidade 1: Equilíbrio químico
Subunidade 2: Equilíbrio químico e extensão das reações químicas
Conteúdos de aprendizagem
x Reações completas e reações incompletas
x Reações reversíveis e reações irreversíveis
x Reações reversíveis e estado de equilíbrio
x Equilíbrios homogéneos e equilíbrios heterogéneos
x Curvas de variação das concentrações dos reagentes e dos produtos da reação em função do tempo
Objetivos de aprendizagem
x Interpretar a ocorrência de reações químicas incompletas numa base molecular: ocorrência simultânea das
reações direta e inversa.
x Associar estado de equilíbrio químico a qualquer estado de um sistema fechado em que, macroscopicamente,
não se registam variações de propriedades físicas e químicas.
x Interpretar gráficos que traduzem a variação da concentração (ou quantidade de matéria) em função do
tempo, para cada um dos componentes da mistura reacional, e da evolução temporal da velocidade das
reações direta e inversa.
x Associar equilíbrio químico homogéneo ao estado de equilíbrio que se verifica numa mistura reacional numa
só fase.
x Identificar equilíbrios homogéneos em diferentes contextos, por exemplo, a reação de síntese do amoníaco.
Recursos
x Manual – págs. 40 a 51
x Ficha formativa 3
Desenvolvimento
x Esclarecer dúvidas que possam ter surgido no trabalho para casa ou nos conteúdos lecionados na aula
anterior.
x Distinguir reações completas de reações incompletas.
x Através da equação química da pág. 42, identificar a reação direta e a reação inversa.
x Chamar a atenção para a síntese da pág. 42.
x Exemplificar uma situação de equilíbrio químico através da reação entre I2 (g) e H2 (g), para se obter HI (g),
explorando a Fig. 6 da pág. 42.
x Indicar que numa situação de equilíbrio químico, a reação não termina, podendo-se verificar
experimentalmente que a reação direta e a reação inversa continuam a ocorrer, à mesma velocidade,
analisando o gráfico da Fig. 7 da pág. 43.
x Indicar, com base na Fig. 10 da pág. 44, que uma situação de equilíbrio químico se pode atingir a partir: dos
reagentes, dos produtos de reação e de uma mistura de reagentes com produtos de reação.
x Identificar, com base na análise de diversas equações químicas, equilíbrios homogéneos e equilíbrios
heterogéneos.
x Identificar através da análise das curvas das Figs. 13 e 14 da pág. 46, qual a que representa uma reação
reversível e qual a que representa uma reação irreversível
x Concluir através das Figs. 14, 15 e 16 das págs. 46 e 47, que uma vez atingido o equilíbrio químico, a
concentração se mantém constante.
x Ler e interpretar, com os alunos o enunciado das questões resolvidas 1, 2 e 3 das págs. 47 a 49, bem como a
respetiva resolução.
x Trabalho na aula: exercícios 1, 6 e 7 (págs. 50 e 51); exercícios da ficha formativa 3.
x TPC: manual – exercícios 2, 3, 10 e 11 (págs. 50 e 51); CEP – exercícios 3, 4, 6 e 8 (págs. 20 e 21).
Avaliação
x Formativa – desempenho dos alunos nas tarefas propostas.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 37


Plano de aula n.o 9
Unidade 1: Equilíbrio químico
Subunidade 2: Equilíbrio químico e extensão das reações químicas
Conteúdos de aprendizagem
x Constante de equilíbrio
x Constante de equilíbrio em sistemas homogéneos
x Cálculos com a constante de equilíbrio
Objetivos de aprendizagem
x Escrever expressões matemáticas que traduzam a constante de equilíbrio, usando concentrações.
x Concluir, a partir de valores de concentrações, que o valor da constante de equilíbrio é o mesmo para todos os
estados de equilíbrio de um sistema químico, à mesma temperatura.
x Relacionar a extensão de uma reação, a uma certa temperatura, com o valor da constante de equilíbrio dessa
reação, a essa temperatura.
x Concluir, a partir de valores de concentrações em equilíbrio, que o valor da constante de equilíbrio depende
da temperatura.
x Relacionar o valor da constante de equilíbrio da reação direta com o da constante de equilíbrio da reação
inversa.
Recursos
x Manual – págs. 52 a 59
x Ficha formativa 3
Desenvolvimento
x Esclarecer dúvidas que possam ter surgido no trabalho para casa ou nos conteúdos lecionados na aula
anterior.
x Considerar a reação entre I2 (g) e H2 (g) e escrever a equação química que traduz a reação de equilíbrio deste
sistema reacional.
x Informar os alunos que esta reação foi estudada por métodos experimentais rigorosos, obtendo-se os
resultados constantes da tabela da pág. 53.
x Com os dados da tabela levar os alunos a concluir que:
– as quantidades de substâncias presentes no equilíbrio dependem das quantidades iniciais das substâncias;
>HI@2e
– à mesma temperatura existe uma relação constante que é igual a .
>I2 @e u >H2 @e
x Indicar que a relação para o equilíbrio em causa se chama constante de equilíbrio, Kc.
x Generalizar para outros sistemas em equilíbrio.
x Referir que, para uma dada reação, a constante de equilíbrio, Kc, só depende da temperatura.
x Escrever equações químicas que traduzam equilíbrios químicos homogéneos e escrever, para cada um destes
equilíbrios a respetiva constante de equilíbrio, Kc.
x Relacionar o valor da constante de equilíbrio, Kc, com a extensão da reação correspondente.
x Ler e interpretar, com os alunos o enunciado das questões resolvidas 1, 2, 3 e 4 das págs. 56 e 57, bem como a
respetiva resolução.
x Trabalho na aula: exercícios 1, 2, 8 e 11 (págs. 58 e 59); exercícios da ficha formativa 3.
x TPC: manual – exercícios 3, 4, 5 e 9 (págs. 58 e 59); CEP – exercícios 1, 6 e 7 (págs. 25 e 26).
Avaliação
x Formativa – desempenho dos alunos nas tarefas propostas.

38 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Plano de aula n.o 10
Unidade 1: Equilíbrio químico
Subunidade 2: Equilíbrio químico e extensão das reações químicas
Conteúdos de aprendizagem
x Quociente da reação
Objetivos de aprendizagem
x Distinguir entre constante de equilíbrio e quociente da reação em situações de não equilíbrio.
x Prever o sentido dominante da reação com base na comparação do valor do quociente da reação, num
determinado instante, com o valor da constante de equilíbrio da reação química considerada à temperatura a
que decorre a reação.
x Aplicar expressões da constante de equilíbrio e do quociente da reação na resolução de questões envolvendo
cálculos.
Recursos
x Manual – págs. 60 a 63
x Ficha formativa 3
Desenvolvimento
x Esclarecer dúvidas que possam ter surgido no trabalho para casa ou nos conteúdos lecionados na aula
anterior.
x Indicar que para verificar se um sistema reacional se encontra em equilíbrio, utiliza-se o conceito de quociente
da reação.
x Definir quociente da reação, Qc.
x Verificar se um sistema reacional está em equilíbrio, por comparação do valor do quociente da reação, Qc,
com o valor da constante de equilíbrio, Kc.
x Concretizar, com a análise da Fig. 17 da pág. 61, a evolução de um sistema reacional de acordo com a relação
entre os valores do quociente da reação, Qc, o valor da constante de equilíbrio, Kc.
x Ler e interpretar, com os alunos o enunciado das questões resolvidas 1 e 2 das págs. 61 e 62, bem como a
respetiva resolução.
x Trabalho na aula: exercícios 1, 2, 4 e 5 (pág. 63); exercícios da ficha formativa 3.
x TPC: manual – exercício 3 (pág. 63); CEP – exercícios 11 e 12 (págs. 26 e 27).
Avaliação
x Formativa – desempenho dos alunos nas tarefas propostas.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 39


Plano de aula n.o 13
Unidade 1: Equilíbrio químico
Subunidade 2: Equilíbrio químico e extensão das reações químicas
Conteúdos de aprendizagem
x Princípio de Le Châtelier
x Equilíbrio químico em processos industriais
Objetivos de aprendizagem
x Indicar fatores que podem alterar o estado de equilíbrio de uma mistura reacional (pressão, em sistemas
gasosos, temperatura e concentração).
x Interpretar o efeito da variação da concentração de um reagente ou produto num sistema inicialmente em
equilíbrio, por comparação do quociente da reação com a constante de equilíbrio, a temperatura constante.
x Identificar o Princípio de Le Châtelier como uma regra que permite prever a evolução de um sistema químico
quando ocorre variação de um dos fatores que pode afetar o estado de equilíbrio – concentração, pressão,
volume ou temperatura.
x Aplicar o Princípio de Le Châtelier à síntese do amoníaco e a outros processos industriais e justificar aspetos
de compromisso relacionados com a temperatura, pressão e uso de catalisadores.
Recursos
x Manual – págs. 64 a 77
x Ficha formativa 4
Desenvolvimento
x Esclarecer dúvidas que possam ter surgido no trabalho para casa ou nos conteúdos lecionados na aula
anterior.
x Indicar que um sistema reacional em equilíbrio pode ser alterado por fatores nomeadamente, concentração,
pressão em sistemas de componentes gasosos e temperatura.
x Exemplificar a influência da concentração num estado de equilíbrio, através das Figs. 18 e 19 da pág. 65.
x Explorar a variação de cor com as concentrações respetivas, em diferentes instantes.
x Referir que a situação C da Fig. 19 da pág. 65, não é uma situação de equilíbrio (Qc тKc), evoluindo até atingir
o equilíbrio, situação D, em que Qc = Kc.
x Mostrar que uma maneira qualitativa de prever a evolução de um sistema em equilíbrio que sofreu uma
perturbação é através do Princípio de Le Châtelier.
x Estudar o efeito da variação da concentração através dos gráficos das Figs. 20 e 21 da pág. 66.
x Explorar a síntese da pág. 66.
x Estudar o efeito da variação da pressão em sistemas com componentes gasosos, utilizando a reação
N2O4 (g) ֖ 2 NO2 (g) .
x Analisar a Fig. 23 da pág. 67.
x Explorar a síntese da pág. 68.
x Estudar o efeito da variação de temperatura num sistema reacional em equilíbrio, analisando a Fig. 24 da pág.
69.
x Explorar a síntese da pág. 69.
x Explicar qual o papel de um catalisador num sistema reacional em equilíbrio.
x Ler e interpretar, com os alunos o enunciado da questão resolvida 1 das págs. 70 e 71, bem como a respetiva
resolução.
x Exemplificar com a síntese do amoníaco e a preparação do ácido sulfúrico, algumas aplicações do Princípio de
Le Châtelier em processos industriais, referindo que na Indústria há de atender a situações concretas que têm
em conta o controlo de custos, rapidez das reações e a segurança.
x Trabalho na aula: exercícios 1, 5, 6 e 9 (págs. 75 e 77); exercícios da ficha formativa 4.
x TPC: manual – exercícios 7, 8 e 11 (págs. 76 e 77); CEP – exercícios 4, 6, 9 e 10 (págs. 32, 33 e 34).
Avaliação
x Formativa – desempenho dos alunos nas tarefas propostas.

40 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Plano de aula n.o 18
Unidade 2: Reações em sistemas aquosos
Subunidade 1: Reações ácido-base
Conteúdos de aprendizagem
x Ácidos e bases
+ +
x O ião H3O e o ião H
x Espécies anfotéricas
x Par conjugado ácido-base
Objetivos de aprendizagem
x Identificar marcos históricos importantes na interpretação de fenómenos ácido-base, culminando na definição
de ácido e base de acordo com Brönsted e Lowry.
x Interpretar reações ácido-base como reações de transferência de protões.
x Explicar o que é um par conjugado ácido-base, dando exemplos de pares conjugados ácido-base.
x Interpretar o significado de espécie química anfotérica.
Recursos
x Manual – págs. 84 a 91
x Ficha formativa 5
Desenvolvimento
x Em diálogo com os alunos, discutir o que já aprenderam sobre esta matéria nos anos anteriores.
x Referir que os primeiros conceitos de ácido e de base se basearam em propriedades observadas em várias
substâncias, sem explicação teórica.
x Informar que vários químicos antes de Arrhenius propuseram a interpretação do comportamento ácido-base
de diversas substâncias.
x Indicar os conceitos de ácido e de base proposto por Arrhenius, exemplificando tal como se encontra na pág.
85.
x Explicar a razão por que o conceito de ácido e de base segundo Arrhenius estava incompleto.
x Explicar os conceitos de ácido e de base segundo a teoria protónica ou de Brönsted-Lowry.
x Esclarecer os conceitos de ácido e de base segundo Brönsted e Lowry, utilizando os esquemas das págs. 86 e
87.
x Analisar a síntese da pág. 87.
x Explicar o que são espécies anfotéricas.
x Definir par conjugado ácido-base, utilizando como exemplo a equação e esquema respetivo da pág. 89.
x Fornecer aos alunos outras equações químicas que representem equilíbrios ácido-base, de modo a identificar
os pares conjugados ácido-base.
x Ler e interpretar, com os alunos o enunciado das questões resolvidas 1 e 2 da pág. 90, bem como a respetiva
resolução.
x Trabalho na aula: exercícios 1, 3, 5 e 8 (pág. 91); exercícios da ficha formativa 5.
x TPC: manual – exercícios 2, 4, 6 e 7 (pág. 91); CEP – exercícios 2, 4 e 7 (pág. 40).
Avaliação
x Formativa – desempenho dos alunos nas tarefas propostas.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 41


Plano de aula n.o 19
Unidade 2: Reações em sistemas aquosos
Subunidade 1: Reações ácido-base
Conteúdos de aprendizagem
x Autoionização da água
x Dissociação e ionização
x Ionização de ácidos e de bases
Objetivos de aprendizagem
x Caracterizar a autoionização da água fazendo referência às espécies químicas envolvidas nesta reação e à sua
extensão.
x Relacionar a extensão da reação da autoionização da água com o produto iónico da água, identificando-o com
a constante de equilíbrio para essa reação.
+ о
x Relacionar as concentrações do ião H3O e do ião OH resultantes da autoionização da água.
x Prever, com base no Princípio de Le Châtelier, o efeito da variação da temperatura na autoionização da água.
x Explicitar os significados de ionização (de ácidos e algumas bases) e de dissociação de sais (incluindo
hidróxidos), diferenciando ionização de dissociação.
Recursos
x Manual – págs. 92 a 99
x Ficha Formativa 5
Desenvolvimento
x Esclarecer dúvidas que possam ter surgido no trabalho para casa ou nos conteúdos lecionados na aula
anterior.
x Informar que a água formada por moléculas tem uma condutividade elétrica muito pequena.
x Deduzir que a razão dessa condutividade é a formação de iões devido à autoionização da água, concretizando
com a Fig. 1 da pág. 92.
x Definir produto iónico da água, Kw.
x A partir da análise dos valores presentes na tabela da pág. 93 deduzir que a autoionização da água é um
processo endotérmico.
о +
x Informar que na água pura, a qualquer temperatura, [OH ] = [H3O ] = K w .
x Ler e interpretar, com os alunos o enunciado das questões resolvidas 1 e 2 das págs. 93 e 94, bem como a
respetiva resolução.
x Distinguir dissociação de ionização atendendo a que a dissociação se dá nas substâncias iónicas, Fig. 2 da pág.
94, e que a ionização se verifica nas substâncias moleculares polares, Fig. 4 da pág. 95.
x Relacionar a intensidade da corrente elétrica que atravessa uma solução condutora através do brilho da
lâmpada, com o número de iões presentes na solução.
x Concluir, através da Fig. 5 da pág. 95, que duas soluções de ácidos diferentes e de igual concentração, têm
diferentes condutividades elétricas.
x Partir do exemplo anterior para definir ácido forte e ácido fraco.
x Definir fração de ionização e percentagem de ionização.
x Através da Fig. 6 da pág. 96 e de outras figuras semelhantes, levar os alunos a calcular a fração de ionização e
a percentagem de ionização.
x Ler e interpretar, com os alunos o enunciado das questões resolvidas 1 e 2 das págs. 97 e 98, bem como a
respetiva resolução.
x Trabalho na aula: exercícios 1, 4, 6 e 7 (pág. 99); exercícios da ficha formativa 5.
x TPC: manual – exercícios 2 e 5 (pág. 99); CEP – exercícios 13, 14 e 15 (pág. 41).
Avaliação
x Formativa – desempenho dos alunos nas tarefas propostas.

42 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Plano de aula n.o 20
Unidade 2: Reações em sistemas aquosos
Subunidade 1: Reações ácido-base
Conteúdos de aprendizagem
x Constante de acidez e constante de basicidade
x Conceito de pH
Objetivos de aprendizagem
x Relacionar quantitativamente a concentração hidrogeniónica de uma solução e o seu valor de pH.
x Escrever equações químicas que representam reações de ionização de um ácido, ou de uma base, e as
respetivas expressões das constantes de acidez ou de basicidade.
x Relacionar os valores das constantes de acidez de diferentes ácidos (ou as constantes de basicidade de
diferentes bases) com a extensão das respetivas ionizações.
x Relacionar as constantes de acidez e de basicidade para um par conjugado ácido-base.
Recursos
x Manual – págs. 100 a 104 e 111 e 112
x Ficha formativa 5
Desenvolvimento
x Esclarecer dúvidas que possam ter surgido no trabalho para casa ou nos conteúdos lecionados na aula
anterior.
x Informar que no caso de ácidos e de bases fracas em que as reações com a água são incompletas, aplica-se o
princípio do equilíbrio químico.
x Definir constante de acidez, Ka, e constante de basicidade, Kb, utilizando como exemplos reações de equilíbrio
ácido-base.
x Levar os alunos a concluir que quanto maior for o valor da constante de acidez, Ka, mais extensa é a ionização
do ácido e mais forte é o ácido.
x Levar os alunos a concluir que quanto maior for o valor da constante de basicidade, Kb, mais extensa é a
ionização da base e mais forte é a base.
x Deduzir que o produto de Ka de um ácido com Kb da respetiva base conjugada é igual a Kw.
x Analisar a Fig. 7 da pág. 102 e complementar com a análise da síntese da pág. 102.
x Definir pH.
x Concluir, com exemplos, que quanto mais ácida for uma solução, menor é o valor de pH e maior é a sua
+
concentração em iões H3O , e que quanto mais básica for uma solução, maior é o valor de pH e maior é a sua
о
concentração em iões OH .
+
x Determinar o valor de pH a partir da concentração em iões H3O .
+
x Determinar a concentração em iões H3O de uma solução, a partir do valor de pH dessa solução.
x Analisar conjuntamente com os alunos a Fig. 8 da pág. 103.
x Ler e interpretar, com os alunos o enunciado da questão resolvida 1 da pág. 104, bem como a respetiva
resolução.
x Trabalho na aula: exercícios 1 e 3 (pág. 111); exercícios da ficha formativa 5.
x TPC: manual – exercícios 4 e 9 (págs. 111 e 112); CEP – exercício 1 (pág. 48).
Avaliação
x Formativa – desempenho dos alunos nas tarefas propostas.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 43


Plano de aula n.o 21
Unidade 2: Reações em sistemas aquosos
Subunidade 1: Reações ácido-base
Conteúdos de aprendizagem
x Relação entre pH e pOH
x pH de soluções aquosas
Objetivos de aprendizagem
+ о
x Relacionar as concentrações do ião H3O e do ião OH , bem como os valores de pH e pOH, para soluções
ácidas, básicas e neutras.
x Determinar o pH de soluções de ácidos (ou bases) fortes a partir da respetiva concentração e vice-versa.
Recursos
x Manual – págs. 104 a 113
x Ficha formativa 5
Desenvolvimento
x Esclarecer dúvidas que possam ter surgido no trabalho para casa ou nos conteúdos lecionados na aula
anterior.
x Referir a importância do pH em situações diversas.
x Indicar como se pode medir o pH de uma solução.
x Relacionar pH com pOH.
x Determinar o pH de soluções aquosas, lendo e interpretando as questões resolvidas das págs. 105 a 109.
x Trabalho na aula: exercícios 12 e 15 (pág. 113); exercícios da ficha formativa 5.
x TPC: manual – exercícios 10 e 11 (pág. 112); CEP – exercícios 9, 13 e 14 (pág. 49).
Avaliação
x Formativa – desempenho dos alunos nas tarefas propostas.

44 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Plano de aula n.o 23
Unidade 2: Reações em sistemas aquosos
Subunidade 1: Reações ácido-base
Conteúdos de aprendizagem
x Soluções aquosas de sais
– sal derivado de ácido forte e base fraca
– sal derivado de ácido fraco e base forte
– sal derivado de ácido forte e base forte
– sal derivado de ácido fraco e base fraca
Objetivos de aprendizagem
x Interpretar o carácter ácido, básico ou neutro de soluções aquosas de sais com base nos valores das
constantes de acidez ou de basicidade dos iões do sal em solução.
Recursos
x Manual – págs. 114 a 117 e pág. 122
x Ficha formativa 6
Desenvolvimento
x Esclarecer dúvidas que possam ter surgido no trabalho para casa ou nos conteúdos lecionados na aula
anterior.
x Indicar, concretizando com a a Fig.12 da pág. 114, que soluções aquosas de diferentes sais de igual
concentração, têm diferentes valores de pH.
x Explicar essa diferenciação nos valores de pH através do comportamento dos iões resultantes da dissociação
dos sais.
x Analisar a síntese da pág. 116.
x Ler e interpretar, com os alunos os enunciados das questões resolvidas 1 e 2 da pág. 117, bem como a
respetiva resolução.
x Trabalho na aula: exercícios 1, 3 e 4 (pág. 122); exercícios da ficha formativa 6.
x TPC: manual – exercício 2 (pág. 122); CEP – exercícios 1, 2 e 3 (pág. 56).
Avaliação
x Formativa – desempenho dos alunos nas tarefas propostas.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 45


Plano de aula n.o 24
Unidade 2: Reações em sistemas aquosos
Subunidade 1: Reações ácido-base
Conteúdos de aprendizagem
x Titulação ácido-base
x Curvas de titulação ácido-base
Objetivos de aprendizagem
+ о
x Interpretar o significado de neutralização associando-o à reação entre os iões H3O e OH durante uma reação
ácido-base.
x Associar o ponto de equivalência de uma titulação à situação em que nenhum dos reagentes se encontra em
excesso.
x Associar o indicador ácido-base a um par conjugado ácido-base em que a forma ácida e a básica são
responsáveis por cores diferentes.
Recursos
x Manual – págs. 118 a 123
x Ficha formativa 6
Desenvolvimento
x Esclarecer dúvidas que possam ter surgido no trabalho para casa ou nos conteúdos lecionados na aula
anterior.
x Definir neutralização, escrevendo as equações moleculares e as respetivas equações iónicas, segundo a Teoria
Protónica.
x Calcular a concentração de uma solução ácida ou básica (titulado) a partir de uma outra solução básica ou
ácida (titulante) de concentração conhecida.
x Definir ponto de equivalência.
x Definir indicador ácido-base.
x Explicar em que consiste a zona de viragem de um indicador.
x Deduzir, de entre alguns indicadores ácido-base de zona de viragem conhecida, qual o que melhor se adequa à
titulação em causa.
x Explicar o que é uma curva de titulação ácido-base.
x Identificar o tipo de ácido e de base presentes numa titulação, através da respetiva curva de titulação.
x Justificar a causa dos diferentes valores de pH nos pontos de equivalência.
x Analisar a síntese da pág. 121.
x Ler e interpretar, com os alunos o enunciado da questão resolvida 1 da pág. 121, bem como a respetiva
resolução.
x Trabalho na aula: exercícios 5 e 8 (págs. 122 e 123); exercícios da ficha formativa 6.
x TPC: manual – exercícios 6 e 7 (pág. 123); CEP – exercícios 5, 8 e 12 (págs. 56, 57 e 58).
Avaliação
x Formativa – desempenho dos alunos nas tarefas propostas.

46 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Plano de aula n.o 26
Unidade 2: Reações em sistemas aquosos
Subunidade 1: Reações ácido-base
Conteúdos de aprendizagem
x Formação das chuvas ácidas
x Consequências das chuvas ácidas
x Redução da emissão de poluentes atmosféricos
Objetivos de aprendizagem
x Interpretar a acidez da chuva normal com base na dissolução do dióxido de carbono presente na atmosfera.
x Interpretar a formação de chuvas ácidas devido à presença de poluentes na atmosfera (SOx, NOx), assim como
processos de eliminação destes poluentes, com base nas correspondentes reações químicas.
x Explicar as consequências das chuvas ácidas sobre construções de calcário e mármore, interpretando as
equações químicas correspondentes.
Recursos
x Manual – págs. 124 a 129
x Ficha formativa 6
Desenvolvimento
x Esclarecer dúvidas que possam ter surgido no trabalho para casa ou nos conteúdos lecionados na aula
anterior.
x Explicar a origem das chuvas ácidas, realçando que a principal origem dessas chuvas são os óxidos de enxofre
e de nitrogénio.
x Referir as principais fontes de óxidos de enxofre e de nitrogénio.
x Escrever as equações químicas que traduzem a formação dos principais ácidos presentes nas chuvas ácidas.
x Especificar as consequências das chuvas ácidas.
x Analisar o ataque das chuvas ácidas ao calcário através das equações químicas correspondentes.
x Identificar a formação e as consequências das chuvas ácidas através da análise da Fig. 18 da pág. 126.
x Através do diálogo com os alunos levá-los a identificar processos que permitam a diminuição dos efeitos das
chuvas ácidas.
x Propor a realização de um trabalho de pesquisa sobre estes conteúdos.
x Trabalho na aula: exercícios 1, 2 e 3 (pág. 129); exercícios da ficha formativa 6.
x TPC: manual – exercícios 4 e 5 (pág. 129); CEP – exercícios 15 e 16 (pág. 59).
Avaliação
x Formativa – desempenho dos alunos nas tarefas propostas.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 47


Plano de aula n.o 27
Unidade 2: Reações em sistemas aquosos
Subunidade 2: Reações de oxidação-redução
Conteúdos de aprendizagem
x Reações de oxidação-redução
x Oxidantes e redutores
x Número de oxidação
Objetivos de aprendizagem
x Associar oxidação à cedência de eletrões e redução ao ganho de eletrões.
x Interpretar reações de oxidação-redução como reações de transferência de eletrões.
x Identificar, numa reação de oxidação-redução, as espécies químicas oxidada (redutor) e reduzida (oxidante).
x Identificar estados de oxidação de um elemento em substâncias elementares, compostas e em espécies
iónicas a partir do cálculo do seu número de oxidação.
Recursos
x Manual – págs. 132 a 138 e 142
x Ficha formativa 7.
Desenvolvimento
x Interrogar os alunos sobre o que consideram ser uma oxidação.
x Com base nos conhecimentos anteriores os alunos vão considerar que uma reação de oxidação é aquela que
ocorre uma combinação entre o oxigénio e uma substância elementar.
x Acentuar que o conhecimento evidenciado pelos alunos é apenas o conceito mais antigo de
oxidação/redução.
x Informar que o processo inverso da oxidação se chama redução e que as reações que envolvem estes
processos, de oxidação-redução, têm muita importância.
x Exemplificar, através das equações da pág. 133, os conceitos de oxidação e de redução como transferência de
eletrões, analisando a Fig. 24 da pág. 133.
x Referir que existem reações de oxidação-redução sem que o oxigénio seja um dos reagentes.
x Exemplificar com a reação entre o magnésio metálico e o cloro gasoso, traduzido na equação química da pág.
133 e nas semirreações de oxidação e de redução, na pág. 134.
x Identificar outros exemplos de reações de oxidação-redução, como a oxidação do zinco metálico por uma
2+
solução aquosa de iões Cu , tal como está explicitado na pág. 134.
x Concretizar o exemplo anterior com a Fig. 24 da pág. 133.
x Definir oxidante, redutor, espécie oxidante e espécie redutora e concretizar com a Fig. 27 da pág. 135.
x Identificar, numa equação química que traduza uma reação de oxidação-redução, a espécie oxidante, a
espécie redutora, a semirreação de oxidação e a semirreação de redução, tal como se encontra na pág. 136.
x Definir o número de oxidação de um átomo e as regras que permitem determinar esse número de oxidação.
x Ler e interpretar com os alunos o enunciado das questões resolvidas 1 e 2 da pág. 138, bem como a respetiva
resolução.
x Trabalho na aula: exercícios 1 e 3 (pág. 142); exercícios da ficha formativa 7.
x TPC: manual – exercícios 4 e 5 (pág. 142); CEP – exercícios 3 e 6 (pág. 63).
Avaliação
x Formativa – desempenho dos alunos nas tarefas propostas.

48 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Plano de aula n.o 30
Unidade 2: Reações em sistemas aquosos
Subunidade 2: Reações de oxidação-redução
Conteúdos de aprendizagem
x Identificação de reações de oxidação-redução
x Acerto de equações de oxidação redução
Objetivos de aprendizagem
x Usar o conceito de número de oxidação na identificação de reações de oxidação-redução.
x Acertar equações químicas de oxidação-redução em casos simples.
x Interpretar uma reação de oxidação-redução como um processo em que ocorrem simultaneamente uma
oxidação e uma redução, escrevendo as semiequações correspondentes.
Recursos
x Manual – págs. 139 a 143
x Ficha formativa 7.
Desenvolvimento
x Esclarecer dúvidas que possam ter surgido no trabalho para casa ou nos conteúdos lecionados na aula
anterior.
x Identificar as reações de oxidação-redução por variação do número de oxidação de alguns átomos que nela
intervêm.
x Ler e interpretar com os alunos o enunciado das questões resolvidas 1 e 2 das págs. 139 e 140, bem como a
respetiva resolução.
x Acertar equações de oxidação-redução simples.
x Trabalho na aula: exercícios 6 e 10 (págs. 142 e 143); exercícios da ficha formativa 7.
x TPC: manual – exercícios 9 e 12 (pág. 143); CEP – exercícios 10 e 14 (pág. 64).
Avaliação
x Formativa – desempenho dos alunos nas tarefas propostas.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 49


Plano de aula n.o 32
Unidade 2: Reações em sistemas aquosos
Subunidade 2: Reações de oxidação-redução
Conteúdos de aprendizagem
x Força relativa de oxidantes e redutores
x Classificação qualitativa dos pares ião metálico/metal
Objetivos de aprendizagem
x Associar a ocorrência de uma reação ácido-metal à oxidação do metal com redução simultânea do ião
hidrogénio.
x Comparar o poder redutor de alguns metais.
Recursos
x Manual – págs. 144 a 147 e 151
x Ficha formativa 7
Desenvolvimento
x Esclarecer dúvidas que possam ter surgido no trabalho para casa ou nos conteúdos lecionados na aula
anterior.
x Analisar algumas semelhanças entre reações de ácido-base e reações de oxidação-redução.
x Referir os exemplos de reações de oxidação-redução incluídos na pág. 145 ou outros semelhantes,
identificando os oxidantes e os redutores, exemplificando com a Fig. 28 da pág. 145.
x Explicar que quanto mais forte for um oxidante mais fraco é o seu redutor conjugado.
x Comparar os poderes redutores de dois metais e os poderes oxidantes dos catiões metálicos correspondentes,
utilizando como exemplos as Figs. 31 e 32 da pág. 146.
x Comparar o poder redutor e o poder oxidante dos catiões metálicos correspondentes ao metal prata, Ag, e ao
metal cobre, Cu, utilizando as Figs. 33, 35 e 36 das págs. 146 e 147.
x Trabalho na aula: exercícios 1 e 3 (pág. 151); exercícios da ficha formativa 7.
x TPC: manual – exercício 4 (pág. 152); CEP – exercício 2 (pág. 67).
Avaliação
x Formativa – desempenho dos alunos nas tarefas propostas.

50 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Plano de aula n.o 33
Unidade 2: Reações em sistemas aquosos
Subunidade 2: Reações de oxidação-redução
Conteúdos de aprendizagem
x Previsão da ocorrência de reações de oxidação-redução
x Corrosão de metais
Objetivos de aprendizagem
x Prever se uma reação de oxidação-redução ocorre uma série eletroquímica adequada.
x Interpretar a corrosão dos metais como um processo de oxidação-redução.
Recursos
x Manual – págs. 148 a 153
x Ficha formativa 7
Desenvolvimento
x Esclarecer dúvidas que possam ter surgido no trabalho para casa ou nos conteúdos lecionados na aula
anterior.
x Concluir que quando uma reação de oxidação ou de redução ocorre espontaneamente, a inversa não ocorre.
x Analisar reações de metais com ácidos e tirar conclusões.
x Analisar a síntese da pág. 148.
x Ler e interpretar, com os alunos os enunciados das questões resolvidas 1 e 2 da pág. 149, bem como a
respetiva resolução.
x Trabalho na aula: exercício 7 (pág. 152); exercícios da ficha formativa 7.
x TPC: manual – exercícios 8 e 11 (pág. 153); CEP – exercícios 5, 6 e 8 (págs. 67 e 68).
Avaliação
x Formativa – desempenho dos alunos nas tarefas propostas.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 51


Plano de aula n.o 36
Unidade 2: Reações em sistemas aquosos
Subunidade 3: Soluções e equilíbrio de solubilidade
Conteúdos de aprendizagem
x Dissolução e solubilidade
x Soluções saturadas, não saturadas e sobressaturadas
x Solubilidade de sais
Objetivos de aprendizagem
x Relacionar a composição química da água do mar com a dissolução de sais e do dióxido de carbono da
atmosfera.
x Caracterizar o fenómeno de dissolução como uma mistura espontânea de substâncias que pode ser
relacionado com as interações entre as espécies químicas do soluto e do solvente.
x Indicar formas de controlar o tempo de dissolução de um soluto (estado de divisão e agitação) mantendo a
temperatura e a pressão constantes.
x Definir solubilidade em termos de concentração de solução saturada e de massa de soluto dissolvido em 100 g
de solvente.
x Classificar as soluções de um dado soluto em saturadas, não saturadas e sobressaturadas, com base na
respetiva solubilidade, a uma determinada temperatura.
x Interpretar gráficos de solubilidade em função da temperatura.
Recursos
x Manual – págs. 156 a 159 e pág. 166
x Ficha formativa 8
Desenvolvimento
x Definir dissolução e solubilidade.
x Distinguir soluções saturadas, de soluções não saturadas ou insaturadas.
x Caracterizar uma solução sobressaturada.
x Analisar o gráfico da Fig. 44 da pág. 158 para identificar a solução de um sal (brometo de potássio, KBr) a
diferentes temperaturas como saturada, não saturada e sobressaturada.
x Referir a água como um bom exemplo de um bom solvente polar de substâncias iónicas e de substâncias
moleculares polares.
x Analisar o gráfico da Fig. 45 da pág. 159 para mostrar a variação da solubilidade de alguns sais em água em
função da temperatura.
x Trabalho na aula: exercício 1 (pág. 166); exercícios da ficha formativa 8.
x TPC: manual – exercício 2 (pág. 166); CEP – exercícios 3 e 5 (pág. 72).
Avaliação
x Formativa – desempenho dos alunos nas tarefas propostas.

52 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Plano de aula n.o 37
Unidade 2: Reações em sistemas aquosos
Subunidade 3: Soluções e equilíbrio de solubilidade
Conteúdos de aprendizagem
x Equilíbrio de solubilidade em soluções saturadas de sais pouco solúveis
x Produto de solubilidade
Objetivos de aprendizagem
x Identificar o equilíbrio químico que se estabelece entre um sal e uma sua solução saturada como o equilíbrio
químico heterogéneo, designando-o por equilíbrio de solubilidade.
x Escrever equações químicas que traduzem equilíbrios de solubilidade e escrever as correspondentes
expressões do produto de solubilidade.
Recursos
x Manual – págs. 160 a 162 e pág. 166
x Ficha formativa 8
Desenvolvimento
x Esclarecer dúvidas que possam ter surgido no trabalho para casa ou nos conteúdos lecionados na aula
anterior.
x Através do exemplo de uma solução saturada de sulfato de bário, Fig. 47 da pág. 161, mostrar que nela existe
um equilíbrio de solubilidade entre o sal sólido e os respetivos iões na solução aquosa.
x A partir de uma equação química que traduza um equilíbrio de solubilidade, escrever o respetivo produto de
solubilidade, Ks.
x Trabalho na aula: exercício 4 (pág. 166); exercícios da ficha formativa 8.
x TPC: manual – exercício 3 (pág. 166); CEP – exercícios 2 e 4 (página 72).
Avaliação
x Formativa – desempenho dos alunos nas tarefas propostas.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 53


Plano de aula n.o 38
Unidade 2: Reações em sistemas aquosos
Subunidade 3: Soluções e equilíbrio de solubilidade
Conteúdos de aprendizagem
x Relação entre produto de solubilidade e solubilidade
Objetivos de aprendizagem
x Relacionar a constante de produto de solubilidade de um sal com a respetiva solubilidade, na ausência de
outros equilíbrios que afetem essa solubilidade.
Recursos
x Manual – págs. 162 a 167
x Ficha formativa 8
Desenvolvimento
x Esclarecer dúvidas que possam ter surgido no trabalho para casa ou nos conteúdos lecionados na aula anterior.
x Estabelecer a relação entre o produto de solubilidade e a solubilidade de um sal.
x Referir que entre dois sais o que tiver maior valor de produto de solubilidade não tem obrigatoriamente maior
valor de solubilidade e que essa relação depende da estequiometria dos dois sais.
x Ler e interpretar, com os alunos os enunciados das questões resolvidas 1, 2, 3 e 4 das págs. 164 e 165, bem
como a respetiva resolução.
x Trabalho na aula: exercícios 7 e 9 (pág. 167); exercícios da ficha formativa 8.
x TPC: manual – exercícios 6 e 8 (pág. 167); CEP – exercícios 7 e 11 (página 73).
Avaliação
x Formativa – desempenho dos alunos nas tarefas propostas.

Plano de aula n.o 39


Unidade 2: Reações em sistemas aquosos
Subunidade 3: Soluções e equilíbrio de solubilidade
Conteúdos de aprendizagem
x Formação de precipitados
Objetivos de aprendizagem
x Interpretar a possibilidade de formação de um precipitado, com base nas concentrações de iões presentes em
solução e nos valores de produtos de solubilidade.
Recursos
x Manual – págs. 168 a 171
x Ficha formativa 8
Desenvolvimento
x Esclarecer dúvidas que possam ter surgido no trabalho para casa ou nos conteúdos lecionados na aula anterior.
x Explicar que a formação de precipitados depende da concentração de iões presentes na solução.
x Verificar se ocorre ou não formação de precipitado de um dado sal por comparação entre os valores de Qs e o
correspondente valor de Ks.
x Ler e interpretar com os alunos os enunciados das questões resolvidas 1, 2 e 3 das págs. 169 e 170, bem como
a respetiva resolução.
x Trabalho na aula: exercícios 1 e 5 (pág. 171); exercícios da ficha formativa 8.
x TPC: manual – exercícios 2 e 4 (pág. 171); CEP – exercícios 1 e 4 (página 77).
Avaliação
x Formativa – desempenho dos alunos nas tarefas propostas.

54 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Plano de aula n.o 41
Unidade 2: Reações em sistemas aquosos
Subunidade 3: Soluções e equilíbrio de solubilidade
Conteúdos de aprendizagem
x Alteração da solubilidade de sais
x Dureza de uma água
x Minimização da dureza das águas
x Remoção de poluentes de águas
Objetivos de aprendizagem
x Interpretar com base no Princípio de Le Châtelier, o efeito do ião-comum na solubilidade de sais em água.
x Interpretar com base no Princípio de Le Châtelier, a solubilização de alguns sais por soluções ácidas.
x Interpretar com base no Princípio de Le Châtelier, a solubilização de alguns sais através da formação de iões
complexos.
x Associar a dureza total de uma água à concentração de catiões cálcio e magnésio.
x Interpretar, com base em informação selecionada, processos para minimizar a dureza das águas.
x Interpretar, com base em informação selecionada, a utilização de reações de precipitação na remoção de
poluentes de águas.
Recursos
x Manual – págs. 172 a 179
x Ficha formativa 8
Desenvolvimento
x Esclarecer dúvidas que possam ter surgido no trabalho para casa ou nos conteúdos lecionados na aula
anterior.
x Informar que o Princípio de Le Châtelier ajuda a prever a variação de solubilidade de um sal sob o efeito de
vários fatores.
x Analisar o efeito da temperatura na solubilização de um sal e complementar essa análise com o esquema da
pág. 173.
x Analisar o efeito da variação da concentração na solubilização de um sal.
x Explicar qualitativamente o efeito do ião comum.
x Concretizar quantitativamente o efeito do ião comum com os exemplos da pág. 174 ou outros.
x Explicar o aumento da solubilidade de alguns sais por efeito da formação de iões complexos.
x Generalizar através da síntese da pág. 175.
x Definir dureza de uma água.
x Classificar as águas quanto à dureza.
x Referir os inconvenientes de águas duras.
x Propor aos alunos a realização de um trabalho sobre dureza das águas e a remoção de poluentes das águas.
x Trabalho na aula: exercícios 1, 3, 6 e 7 (pág. 179); exercícios da ficha formativa 8.
x TPC: manual – exercícios 2, 4 e 5 (pág. 179); CEP – exercícios 2 e 3 (página 77).
Avaliação
x Formativa – desempenho dos alunos nas tarefas propostas.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 55


3 Guia de exploração de recursos multimédia

භ Poupe tempo na preparação e dinamização das suas aulas.


භ Diversifique abordagens, de acordo com as necessidades das suas turmas.
භ Avalie de forma fácil e completa.
භ Acompanhe e oriente o estudo dos seus alunos.
භ Comunique com eficácia e rapidez.

O 20 Aula Digital online está dividido em quatro áreas principais:

Biblioteca - Aceda facilmente aos recursos digitais do seu projeto

Área onde estão disponíveis todos os projetos do grupo LeYa para a sua área
disciplinar e onde pode aceder aos diferentes componentes do projeto, aos recursos
digitais e a todos os documentos de apoio à prática letiva.

Acesso a todos os livros e recursos digitais.

Exercícios de avaliação interativos e em Word®, com ou sem correção.

Sequências de recursos prontas a usar.

Materiais editáveis de apoio à prática letiva, organizados numa única


área.

Acesso direto à versão offline do seu projeto.

Os meus testes - Crie ou personalize testes

Ferramenta que permite introduzir questões e criar testes para posterior exportação
para Word® ou envio aos alunos, em formato interativo e com correção automática.

As minhas aulas - Construa ou adapte sequências de recursos

Área onde podem ser criadas sequências de aprendizagem compostas pelos


recursos digitais disponibilizados nos projetos da editora e pelos recursos próprios
do Professor.

As minhas salas - Acompanhe o estudo dos seus alunos

Ferramenta de comunicação que permite criar grupos de alunos, enviar-lhes testes


ou trabalhos e acompanhar a sua realização.

Todos os projetos estão disponíveis em offline através de download, CD, Pen ou App.

56 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Como aceder?

Se ainda não é um utilizador das soluções LeYa Educação, registe-se acedendo a http://20.leya.com
e selecionando a opção “Ainda não é utilizador?”

Se já é utilizador das soluções LeYa Educação, aceda ao 20 Aula Digital com os seus dados de registo
(e-mail e palavra-passe).

Para mais informações, consulte o nosso site de suporte: http://suporte20.leyaeducacao.com/

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 57


«Novo Jogo de Partículas 11»

O é uma ferramenta inovadora que possibilita, em sala de aula, a fácil exploração do


projeto Novo Jogo de Partículas 11 através das novas tecnologias. Permite o acesso a um vasto
conjunto de conteúdos multimédia associados ao manual:

x Apresentações PowerPoint®
x Animações
x Simuladores

x Vídeos laboratoriais
x Apresentações PowerPoint® das Atividades Laboratoriais
x Resoluções animadas de exercícios
x Atividades interativas

x Coleção de vídeos tutoriais «Essencial para o Exame»


x Vídeos temáticos
x Soluções projetáveis de todos os exercícios do manual

x Testes interativos para o aluno, num total de 100 questões


x Testes interativos exclusivos do professor, num total de 180 questões
x Imagens projetáveis
x Simulador de Exames
x Grelhas de avaliação em formato editável

58 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Os professores adotantes do Novo Jogo de Partículas 11 terão ao seu dispor em , a partir de setembro de 2016, os seguintes recursos
multimédia:

Listagem geral dos recursos multimédia do Novo Jogo de Partículas 11

Tipologia de recurso Títulos dos recursos


Unidade 1 – Equilíbrio químico
ͻ 1.1 Reações químicas
ͻ 1.2 Informações quantitativas de fórmulas químicas e de equações químicas
ͻ 1.3 Reagente limitante e reagente em excesso
ͻ 1.4 Rendimento de uma reação química
ͻ 2.1 Equilíbrio químico
ͻ 2.2 Diferentes estados de equilíbrio de um sistema reacional
ͻ 2.3 Quociente da reação
ͻ 2.4 Alteração do estado de equilíbrio de um sistema reacional
Apresentações PowerPoint®
Apresentações PowerPoint® dos conteúdos de cada secção do manual. Unidade 2 – Reações em sistemas aquosos
ͻ 1.1 Soluções aquosas ácidas, básicas e neutras
As apresentações são exclusivas do professor e podem ser utilizadas como suporte à
explicação dos conteúdos ou, em alternativa, no final de cada subcapítulo, como ͻ 1.2 Autoionização da água. Ionização de ácidos e de bases
síntese dos conteúdos abordados. ͻ 1.3 Aplicação das constantes de equilíbrio à ionização de ácidos e de bases
– Disponível na versão de demonstração
ͻ 1.4 Soluções aquosas de sais – Disponível na versão de demonstração
Total de apresentações PowerPoint® disponíveis no projeto: 20
ͻ 1.5 Neutralização de ácidos e de bases – Disponível na versão de demonstração
ͻ 1.6 Aspetos ambientais das reações ácido-base – Disponível na versão
de demonstração

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


ͻ 2.1 Conceitos de oxidação-redução
ͻ 2.2 Força relativa de oxidantes e redutores
ͻ 3.1 Mineralização das águas e processo de dissolução
ͻ 3.2 Equilíbrio químico e solubilidade de sais
ͻ 3.3 Formação de precipitados
ͻ 3.4 Alteração da solubilidade dos sais. Desmineralização de águas e remoção
de poluentes

59
60
Listagem geral dos recursos multimédia do Novo Jogo de Partículas 11

Tipologia de recurso Títulos dos recursos


Caderno de Atividades Laboratoriais
Apresentações PowerPoint® das Atividades Laboratoriais
ͻ Atividade Laboratorial 1.1 Síntese do ácido acetilsalicílico
Para cada Atividade Laboratorial existe uma apresentação PowerPoint® constituída
ͻ Atividade Laboratorial 1.2 Efeito da concentração no equilíbrio químico
por uma introdução teórica, pelo protocolo experimental e pela exploração pós-
laboratorial com as questões teórico-práticas disponíveis no Caderno de Atividades ͻ Atividade Laboratorial 2.1 Constante de acidez
Laboratoriais e as respetivas soluções. ͻ Atividade Laboratorial 2.2 Titulação ácido-base – Disponível na versão
de demonstração
Total de apresentações PowerPoint® das Atividades Laboratoriais ͻ Atividade Laboratorial 2.3 Série eletroquímica
disponíveis no projeto: 6 ͻ Atividade Laboratorial 2.4 Temperatura e solubilidade de um soluto sólido
em água
Unidade 1 – Equilíbrio químico
ͻ Química verde
Animações ͻ Equilíbrio químico
As animações mostram os principais conteúdos da disciplina de modo dinâmico ͻ Princípio de Le Châtelier
e interativo.
No final de cada animação são apresentadas atividades de consolidação com Unidade 2 – Reações em sistemas aquosos
tipologia de Exame. ͻ Ácido e Base - Evolução histórica
O guia de exploração de recursos multimédia disponibilizará fichas com propostas de ͻ Ácidos e bases – Disponível na versão de demonstração
exercícios de aplicação para todas as animações. ͻ Autoionização da água
ͻ Reações ácido-base e o ambiente – Disponível na versão de demonstração
Total de animações disponíveis no projeto: 10 ͻ Reações de oxidação-redução
ͻ Dissolução

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


ͻ Solubilidade e produto de solubilidade
Unidade 1 – Equilíbrio químico
Resoluções animadas de exercícios
ͻ Cálculo da estequiometria da reação
Estas animações mostram, de modo interativo, a resolução de um exercício de ͻ Cálculo do reagente limitante e do reagente em excesso
exame ou com tipologia de exame. Cada animação inicia-se com o enunciado do ͻ Cálculo do rendimento de uma reação química
exercício, destaca os dados e as grandezas a determinar e, por fim, apresenta a ͻ Cálculo da economia atómica
resolução do exercício passo a passo. ͻ Como prever o sentido da reação
ͻ Cálculo da constante de equilíbrio
ͻ Como aplicar o Princípio de Le Châtelier
Total de resoluções animadas de exercícios disponíveis no projeto: 15
Listagem geral dos recursos multimédia do Novo Jogo de Partículas 11

Tipologia de recurso Títulos dos recursos


Unidade 2– Reações em sistemas aquosos
ͻ Como escrever reações que traduzem a ionização de ácidos ou bases
– Disponível na versão de demonstração
ͻ Cálculo de constantes de acidez e de basicidade
ͻ Cálculo de pH – Disponível na versão de demonstração
ͻ Cálculo de pH e de pOH – Disponível na versão de demonstração
ͻ Como identificar o poder oxidante e o redutor?
ͻ Como acertar uma equação de oxidação-redução
ͻ Cálculo do equilíbrio de solubilidade e produtos de solubilidade
ͻ Como interpretar a informação sobre a dureza de uma água?
Simuladores Unidade 2 – Reações em sistemas aquosos
Os simuladores permitem relacionar grandezas e analisar as suas variações num ͻ Titulação – Disponível na versão de demonstração
determinado sistema, facilitando a aprendizagem de conteúdos mais abstratos e ͻ Série eletroquímica
complexos. ͻ Formação de precipitados
O guia de exploração de recursos multimédia disponibilizará fichas com propostas de
exercícios de aplicação para todos os simuladores.

Total de simuladores disponíveis no projeto: 3


Unidade 1 – Equilíbrio químico
ͻ Engenharia num minuto - Pegada ecológica
ͻ Engenharia num minuto - Ciclo de vida de um produto
ͻ Engenharia num minuto - Produção da baunilha a partir da madeira
Vídeos temáticos ͻ A química do descafeinado

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Os vídeos disponibilizados pretendem apoiar o professor na exposição de conteúdos
de uma forma mais simples e motivadora. Estes vídeos relacionam a química com o Unidade 2 – Reações em sistemas aquosos
quotidiano ou apresentam uma perspetiva histórica de determinado tema. ͻ A química das piscinas – Disponível na versão de demonstração
ͻ Engenharia num minuto – Ferrugem
ͻ A química do fogo
Total de vídeos temáticos disponíveis no projeto: 12 ͻ A química do sal
ͻ Engenharia num minuto - Solubilidade na indústria farmacêutica
ͻ Dureza das águas
ͻ Engenharia num minuto - Diferentes águas
ͻ A química dos detergentes

61
62
Listagem geral dos recursos multimédia do Novo Jogo de Partículas 11

Tipologia de recurso Títulos dos recursos


Unidade 1 – Equilíbrio químico
ͻ Essencial para o Exame - Aspetos quantitativos das reações químicas I
ͻ Essencial para o Exame - Aspetos quantitativos das reações químicas II
ͻ Essencial para o Exame - Equilíbrio químico e extensão das reações químicas I
ͻ Essencial para o Exame - Equilíbrio químico e extensão das reações químicas II
Vídeos tutoriais «Essencial para o Exame»
Os vídeos disponibilizados pretendem apoiar o aluno na preparação para o Exame Unidade 2 – Reações em sistemas aquosos
Nacional, através de uma síntese dos conhecimentos adquiridos no subtema e da
ͻ Essencial para o Exame - Reações ácido-base I – Disponível na versão
resolução de uma atividade integradora.
de demonstração
ͻ Essencial para o Exame - Reações ácido-base II – Disponível na versão
Total de vídeos tutoriais «Essencial para o Exame» no projeto: 10 de demonstração
ͻ Essencial para o Exame - Reações ácido-base III – Disponível na versão
de demonstração
ͻ Essencial para o Exame - Reações de oxidação-redução
ͻ Essencial para o Exame - Soluções e equilíbrio de solubilidade I
ͻ Essencial para o Exame - Soluções e equilíbrio de solubilidade II
Caderno de Atividades Laboratoriais
ͻ Atividade Laboratorial 1.1 Síntese do ácido acetilsalicílico
Vídeos laboratoriais
ͻ Atividade Laboratorial 1.2 Efeito da concentração no equilíbrio químico
Apresentam-se vídeos para todas as atividades laboratoriais presentes no Caderno
de Atividades Laboratoriais. ͻ Atividade Laboratorial 2.1 Constante de acidez
Estes podem ser utilizados para complementar/enriquecer as aulas práticas. ͻ Atividade Laboratorial 2.2 Titulação ácido-base – Disponível na versão

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


de demonstração
ͻ Atividade Laboratorial 2.3 Série eletroquímica
Total de vídeos laboratoriais disponíveis no projeto: 6
ͻ Atividade Laboratorial 2.4 Temperatura e solubilidade de um soluto sólido
em água
Listagem geral dos recursos multimédia do Novo Jogo de Partículas 11

Tipologia de recurso Títulos dos recursos


Unidade 1 – Equilíbrio químico
ͻ Acerto de equações e cálculos estequiométricos
Atividades
ͻ Sentido da reação
Cada atividade contém 6 propostas de exercícios adaptados de exame ou com
tipologia de exame que permitem consolidar, de uma forma interativa, os principais
conceitos estudados. Unidade 2 – Reações em sistemas aquosos
ͻ Ionização de ácidos e de bases – Disponível na versão de demonstração
Total de atividades disponíveis no projeto: 6 ͻ Acerto de equações de oxidação-redução
ͻ Previsão da reação utilizando a série eletroquímica
ͻ Equilíbrio de solubilidade e produto de solubilidade
Unidade 1 – Equilíbrio químico
ͻ 1.1 Reações químicas
ͻ 1.2 Informações quantitativas de fórmulas químicas e de equações químicas
ͻ 1.3 Reagente limitante e reagente em excesso
ͻ 1.4 Rendimento de uma reação química
ͻ 2.1 Equilíbrio químico
ͻ 2.2 Diferentes estados de equilíbrio de um sistema reacional
ͻ 2.3 Quociente da reação
Testes interativos (aluno)
ͻ 2.4 Alteração do estado de equilíbrio de um sistema reacional
Testes interativos disponíveis para o aluno, com cinco questões cada, um por cada
secção do manual.
Unidade 2 – Reações em sistemas aquosos

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Total de testes interativos para o aluno no projeto: 20 ͻ 1.1 Soluções aquosas ácidas, básicas e neutras
ͻ 1.2 Autoionização da água. Ionização de ácidos e de bases
ͻ 1.3 Aplicação das constantes de equilíbrio à ionização de ácidos e de bases
– Disponível na versão de demonstração
ͻ 1.4 Soluções aquosas de sais – Disponível na versão de demonstração
ͻ 1.5 Neutralização de ácidos e de bases – Disponível na versão de demonstração
ͻ 1.6 Aspetos ambientais das reações ácido-base – Disponível na versão
de demonstração
ͻ 2.1 Conceitos de oxidação-redução

63
64
Listagem geral dos recursos multimédia do Novo Jogo de Partículas 11

Tipologia de recurso Títulos dos recursos


ͻ 2.2 Força relativa de oxidantes e redutores
ͻ 3.1 Mineralização das águas e processo de dissolução
ͻ 3.2 Equilíbrio químico e solubilidade de sais
ͻ 3.3 Formação de precipitados
ͻ 3.4 Alteração da solubilidade dos sais. Desmineralização de águas e remoção
de poluentes

Unidade 1 – Equilíbrio químico


Testes interativos (Professor) ͻ Aspetos quantitativos das reações químicas
ͻ Equilíbrio químico e extensão das reações químicas
Testes interativos exclusivos do professor, com 15 questões cada, um por cada
subunidade do manual.
Unidade 2 – Reações em sistemas aquosos
ͻ Reações ácido-base
Total de testes interativos para o professor no projeto: 5 ͻ Reações de oxidação-redução
ͻ Soluções e equilíbrio de solubilidade

Simulador de Exames
Disponível em http://www.novojogoparticulas11.te.pt/

Esta ferramenta permite ao aluno gerar um exame modelo e personalizar o seu estudo, filtrando os conteúdos que pretende exercitar. Todas as questões apresentam
soluções ou sugestões de resposta.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


O Simulador de Exames apresenta questões que saíram em Exames Nacionais entre 2010 e 2015 e também questões modelo.
O professor poderá utilizá-lo na sala de aula para consolidar as aprendizagens.
Sugestões de exploração dos recursos multimédia do Novo Jogo de Partículas 11
Página Recurso Metas Sugestões de exploração
a
85 Ácidos e bases Reações em sistemas aquosos 1. parte
Reações ácido-base ͻ Explicar o fenómeno de ionização de ácidos e bases
1.8 Relacionar as concentrações dos iões através da ionização do cloreto de hidrogénio e identificar
H3O+ e OHо, bem como os valores de pH a formação de pares conjugados ácido-base.
e pOH, para soluções ácidas, básicas ͻ Elucidar e exemplificar a dissociação de substâncias
e neutras. moleculares, utilizando o exemplo do hidróxido de sódio.
1.9 Explicitar os significados de ionização 2.a parte
(de ácidos e algumas bases) e de dissociação
ͻ Consolidar os conhecimentos adquiridos.
Animação dividida em duas partes: de sais (incluindo hidróxidos), diferenciando
ionização de dissociação.
1.a parte
1.10 Explicar o que é um par conjugado
Explicação do conceito de ionização de ácidos ácido-base, dando exemplos de pares
e bases e dissociação de bases. conjugados ácido-base.
2.a parte 1.11 Interpretar o significado de espécie
3 exercícios sobre o tema. química anfotérica.

Sugestões de exploração dos recursos multimédia do Novo Jogo de Partículas 11


Página Recurso Metas Sugestões de exploração
95 Ionização de ácidos e de bases Reações em sistemas aquosos ͻ Explorar os exercícios em sala de aula em conjunto
Reações ácido-base com os alunos ou como trabalho de casa,
1.12 Escrever equações químicas visando consolidar os conhecimentos adquiridos na secção

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


que representam reações de ionização «1.2 Autoionização da água. Ionização de ácidos e de bases».
de um ácido, ou de uma base,
e as respetivas expressões das constantes
de acidez ou de basicidade.

Atividade
Conjunto de 6 exercícios sobre a ionização de
ácidos e bases.

65
66
Sugestões de exploração dos recursos multimédia do Novo Jogo de Partículas 11
Página Recurso Metas Sugestões de exploração
95 Como escrever reações que traduzem a ionização Reações em sistemas aquosos Enunciado
de ácidos ou bases Reações ácido-base ͻ Explorar o enunciado com a turma e discutir qual o método
1.12 Escrever equações químicas de resolução a efetuar.
que representam reações de ionização Preparação da resolução
de um ácido, ou de uma base, ͻ Destacar no enunciado os dados facultados e a escrita de
e as respetivas expressões das constantes reações a efetuar, neste caso as equações de ionização do
de acidez ou de basicidade. ácido acético e da piridina em água, e as respetivas expressões
de constante de acidez e basicidade.
Resolução passo a passo
Resolução animada de exercício
ͻ Analisar a resolução detalhada de todas as alíneas do
Resolução passo a passo de um exercício sobre a exercício, clicando nas etapas numeradas. Para cada etapa
escrita de equações que traduzem a ionização de existe um áudio de suporte.
ácidos e bases.

Sugestões de exploração dos recursos multimédia do Novo Jogo de Partículas 11


Página Recurso Metas Sugestões de exploração
98 Essencial para o Exame – Reações ácido-base I Reações em sistemas aquosos ͻ Utilizar o vídeo como síntese dos conteúdos lecionados
Reações ácido-base nas secções «1.1 Soluções aquosas ácidas, básicas e neutras»
1. Aplicar a teoria protónica (de Brönsted e «1.2 Autoionização da água. Ionização de ácidos e de
e Lowry) para reconhecer substâncias que bases».
podem atuar como ácidos ou bases, e ͻ Analisar a atividade proposta com os alunos.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


determinar o pH das suas soluções ͻ Propor a resolução da atividade proposta aos alunos
aquosas. em contexto de sala de aula.

Vídeo tutorial «Essencial para o Exame»


Vídeo tutorial que permite ao aluno relacionar e
aplicar os conteúdos apreendidos, permitindo uma
melhor preparação para o Exame Nacional.
Sugestões de exploração dos recursos multimédia do Novo Jogo de Partículas 11
Página Recurso Metas Sugestões de exploração
100 1.3 Aplicação das constantes de equilíbrio à Reações em sistemas aquosos ͻ Utilizar a apresentação PowerPoint®, durante a exposição
ionização de ácidos e de bases Reações ácido-base da secção «1.3 Aplicação das constantes de equilíbrio
1.8 Relacionar as concentrações dos iões à ionização de ácidos e de bases».
H3O+ e OHо, bem como os valores de pH
e pOH, para soluções ácidas, básicas ͻ Utilizar as seguintes questões de exploração
e neutras. como suporte à apresentação:
1.10 Explicar o que é um par conjugado വ Como avaliar se um ácido ou base é forte ou fraco
ácido-base, dando exemplos de pares através da sua constante de acidez ou basicidade?
conjugados ácido-base. വ Qual a relação entre Ka, Kb e Kw?
Apresentação PowerPoint® sobre os seguintes 1.12 Escrever equações químicas വ Como calcular o pH de uma solução?
conteúdos: que representam reações de ionização വ Qual a relação entre pH e pOH de uma solução?
ͻ Determinação das constantes de acidez e de um ácido, ou de uma base,
basicidade através das equações químicas e as respetivas expressões das constantes
ͻ Definição de ácido ou base forte ou fraco tendo de acidez ou de basicidade.
como informação os valores da constante de acidez 1.13 Relacionar os valores das constantes
ou basicidade de acidez de diferentes ácidos
ͻ Relação entre Ka, Kb e Kw (ou as constantes de basicidade
de diferentes bases) com a extensão
ͻ Cálculo de pH e pOH
das respetivas ionizações.
1.14 Explicar por que razão as soluções
de ácidos fracos têm valores de pH mais
elevados do que os das soluções de ácidos
fortes de igual concentração.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


1.15 Determinar o pH de soluções
de ácidos (ou bases) fortes a partir da
respetiva concentração e vice-versa.

67
68
Sugestões de exploração dos recursos multimédia do Novo Jogo de Partículas 11
Página Recurso Metas Sugestões de exploração
100 A química das piscinas Reações em sistemas aquosos ͻ Explorar, através do vídeo, os principais desinfetantes
Reações ácido-base utilizados em piscinas.
1. Aplicar a teoria protónica (de Brönsted ͻ Entender que a utilização de cloro como desinfetante
e Lowry) para reconhecer substâncias é essencial para destruir fungos, vírus e bactérias que
que podem atuar como ácidos ou bases originam algumas doenças como, por exemplo, pé de atleta.
e determinar o pH das suas soluções
aquosas.

Vídeo temático
A utilização da química no dia a dia, neste caso na
desinfeção de piscinas por utilização de cloro.

Sugestões de exploração dos recursos multimédia do Novo Jogo de Partículas 11


Página Recurso Metas Sugestões de exploração
102 Cálculo de pH Reações em sistemas aquosos Enunciado
Reações ácido-base ͻ Explorar o enunciado com a turma e discutir qual o método
1.3 Relacionar quantitativamente de resolução a efetuar.
a concentração hidrogeniónica Preparação da resolução
de uma solução e o seu valor de pH.
ͻ Destacar no enunciado os dados facultados e as grandezas a
determinar, neste caso a concentração de H3O+ e o valor de
pH.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Resolução animada de exercício Resolução passo a passo
Resolução passo a passo de um exercício sobre a ͻ Analisar a resolução detalhada de todas as alíneas do
relação entre a concentração hidrogeniónica de uma exercício, clicando nas etapas numeradas. Para cada etapa
solução e o seu valor de pH. existe um áudio de suporte.
Sugestões de exploração dos recursos multimédia do Novo Jogo de Partículas 11
Página Recurso Metas Sugestões de exploração
105 Cálculo de pH e de pOH Reações em sistemas aquosos Enunciado
Reações ácido-base ͻ Explorar o enunciado com a turma e discutir qual o método
1.8 Relacionar as concentrações dos iões de resolução a efetuar.
H3O+ e OHо, bem como os valores de pH Preparação da resolução
e pOH, para soluções ácidas, básicas ͻ Destacar no enunciado os dados facultados
e neutras. e as grandezas a determinar, a partir da reação
1.9 Explicitar os significados de ionização de autoionização da água, determinar o valor de pH
(de ácidos e algumas bases) e de a uma temperatura de 55 °C, o valor de pOH e ainda indicar
Resolução animada de exercício dissociação de sais (incluindo hidróxidos), os pares conjugados ácido-base desta reação.
Resolução passo a passo de um exercício sobre o diferenciando ionização de dissociação.
Resolução passo a passo
cálculo de pH e de pOH. 1.10 Explicar o que é um par conjugado
ͻ Analisar a resolução detalhada de todas as alíneas
ácido-base, dando exemplos de pares
do exercício, clicando nas etapas numeradas.
conjugados ácido-base.
Para cada etapa existe um áudio de suporte.

Sugestões de exploração dos recursos multimédia do Novo Jogo de Partículas 11


Página Recurso Metas Sugestões de exploração
114 1.4 Soluções aquosas de sais Reações em sistemas aquosos ͻ Utilizar a apresentação PowerPoint®, durante a exposição
Reações ácido-base da secção «1.4 Soluções aquosas de sais».
1.21 Interpretar o caráter ácido, básico ͻ Utilizar a seguinte questão de exploração como suporte
ou neutro de soluções aquosas à apresentação:
de sais com base nos valores വ Sabendo o Ka e o Kb de uma solução é possível concluir

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


das constantes de acidez se a solução é ácida, básica ou neutra? Justifique.
ou de basicidade dos iões do sal
em solução.

Apresentação PowerPoint® sobre os seguintes


conteúdos:
ͻ Sal derivado de ácido forte e base fraca
ͻ Sal derivado de ácido fraco e base forte
ͻ Sal derivado de ácido forte e base forte
ͻ Sal derivado de ácido fraco e base fraca

69
70
Sugestões de exploração dos recursos multimédia do Novo Jogo de Partículas 11
Página Recurso Metas Sugestões de exploração
117 Essencial para o Exame – Reações ácido-base II Reações em sistemas aquosos ͻ Utilizar o vídeo como síntese dos conteúdos lecionados
Reações ácido-base nas secções «1.3 Aplicação das constantes de equilíbrio
1. Aplicar a teoria protónica (de Brönsted e à ionização de ácidos e de bases»
Lowry) para reconhecer substâncias e «1.4 Soluções aquosas de sais».
que podem atuar como ácidos ou bases ͻ Analisar a atividade proposta com os alunos.
e determinar o pH das suas soluções ͻ Propor a resolução da atividade proposta aos alunos
aquosas. em contexto de sala de aula.

Vídeo tutorial «Essencial para o Exame»


Vídeo tutorial que permite ao aluno relacionar e
aplicar os conteúdos apreendidos, permitindo uma
melhor preparação para o Exame Nacional.

Sugestões de exploração dos recursos multimédia do Novo Jogo de Partículas 11


Página Recurso Metas Sugestões de exploração
118 1.5 Neutralização de ácidos e de bases Reações em sistemas aquosos ͻ Utilizar a apresentação PowerPoint®, durante a exposição
Reações de ácido-base da secção «1.5 Neutralização de ácidos e de bases».
1.18 Interpretar o significado ͻ Utilizar as seguintes questões de exploração como suporte
de neutralização associando-o à reação à apresentação:
entre os iões H3O+ e OHо durante വ Em que consiste uma titulação?
uma reação ácido-base. വ Como distinguir titulante de titulado?

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


1.19 Associar o ponto de equivalência വ Qualquer indicador ácido-base é apropriado para uma
de uma titulação à situação em que determinada titulação? Qual é o critério de seleção
Apresentação PowerPoint® sobre os seguintes nenhum dos reagentes se encontra de um indicador ácido-base?
conteúdos: em excesso. വ Como calcular o ponto de equivalência
ͻ Conceito de titulação 1.20 Associar indicador ácido-base de uma titulação ácido-base?
ͻ Distinguir titulado de titulante a um par conjugado ácido-base വ É possível determinar graficamente o ponto
em que as formas ácidas e básicas de equivalência?
ͻ Determinar o ponto de equivalência
são responsáveis por cores diferentes.
ͻ Construção de curvas de titulação
Sugestões de exploração dos recursos multimédia do Novo Jogo de Partículas 11
Página Recurso Metas Sugestões de exploração
a
119 Titulação Reações em sistemas aquosos 1. parte
Reações ácido-base ͻ Definir os termos titulação, titulante, titulado, indicador
1.17 Relacionar as constantes de acidez ácido-base, ponto de equivalência e reação de neutralização.
e de basicidade para um par conjugado 2.a parte
ácido-base.
ͻ Simular uma titulação ácido-base de ácido clorídrico com
1.18 Interpretar o significado hidróxido de sódio.
de neutralização associando-o à reação
ͻ Selecionar a concentração de titulante (hidróxido de sódio)
entre os iões H3O+ e OHо durante
e o volume de titulante (ácido clorídrico).
Simulador dividido em três partes: uma reação ácido-base.
ͻ Clicar na torneira da bureta para ir adicionando pequenas
1.19 Associar o ponto de equivalência
1.a parte – Introdução teórica quantidades de base ao ácido, até atingir o ponto de
de uma titulação à situação em que
Animação interativa que permite explorar os equivalência.
nenhum dos reagentes se encontra
conceitos mais relevantes numa titulação. ͻ Analisar o gráfico de titulação ácido-base traçado ao longo
em excesso.
da simulação.
2.a parte – Simulador 1.20 Associar indicador ácido-base a um
Simular a realização de uma titulação, através da par conjugado em que as formas ácidas 3.a parte
seleção da concentração de titulante e do volume e básicas são responsáveis por cores ͻ Calcular a quantidade química de titulante, de titulado
de titulado, e do controlo de volume de titulante. diferentes. e concentração do titulado correspondente ao volume inicial
1.21 Interpretar o caráter ácido, básico selecionado.
3.a parte – Atividades
ou neutro de soluções aquosas de sais
3 exercícios sobre o tema.
com base nos valores das constantes
de acidez ou de basicidade dos iões do sal
em solução.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


71
72
Sugestões de exploração dos recursos multimédia do Novo Jogo de Partículas 11
Página Recurso Metas Sugestões de exploração
124 1.6 Aspetos ambientais das reações ácido-base Reações em sistemas aquosos ͻ Utilizar a apresentação PowerPoint®, durante a exposição
Reações ácido-base da secção «1.6 Aspetos ambientais das reações ácido-base».
1.22 Interpretar a acidez da chuva normal ͻ Utilizar as seguintes questões de exploração como suporte
com base na dissolução do dióxido à apresentação:
de carbono presente na atmosfera. വ Indique qual ou quais os agentes responsáveis pela
1.23 Interpretar a formação de chuvas formação de chuvas ácidas.
ácidas devido a presença de poluentes വ Uma das consequências das chuvas ácidas é o desgaste
na atmosfera (SOx, NOx), assim como de monumentos. Indique qual a reação que ocorre.
Apresentação PowerPoint® sobre os seguintes processos de eliminação destes poluentes, വ Indique medidas que podem ser tomadas para minimizar
conteúdos: com base nas correspondentes reações os efeitos dos poluentes atmosféricos.
ͻ Formação das chuvas ácidas químicas.
ͻ Consequências das chuvas ácidas 1.24 Explicar as consequências das chuvas
ácidas sobre construções de calcário
ͻ Redução da emissão de poluentes atmosféricos
e mármore, interpretando as equações
químicas correspondentes.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Sugestões de exploração dos recursos multimédia do Novo Jogo de Partículas 11
Página Recurso Metas Sugestões de exploração
a
124 Reações ácido-base e o ambiente Reações em sistemas aquosos 1. parte
Reações ácido-base ͻ Demonstração do pH ácido da água das chuvas provocado
1.17 Interpretar a acidez da chuva normal pelo dióxido de carbono. Identificação de chuvas ácidas
com base na dissolução do dióxido e suas causas e consequências no meio ambiente.
de carbono presente na atmosfera. ͻ Formas de minimizar a libertação de poluentes
1.18 Interpretar a formação de chuvas que contribuem para as chuvas ácidas.
ácidas devido à presença de poluentes 2.a parte
na atmosfera (SOx, NOx), assim como
ͻ Selecionar os poluentes causadores das chuvas ácidas: CO2,
processos de eliminação destes poluentes,
NO e NO2, e SO2 e SO3.
Animação dividida em três partes: com base nas correspondentes reações
1.a parte químicas. ͻ Conhecer as causas e as consequências destes poluentes.
Definição do conceito de chuvas ácidas. 1.19 Explicar as consequências das chuvas 3.a parte
2.a parte ácidas sobre construções de calcário ͻ Consolidar os conhecimentos adquiridos.
e mármore, interpretando as equações
Secção interativa onde se pode observar as causas químicas correspondentes.
das chuvas ácidas.
3.a parte
3 exercícios sobre o tema.

Sugestões de exploração dos recursos multimédia do Novo Jogo de Partículas 11


Página Recurso Metas Sugestões de exploração
128 Essencial para o Exame – Reações ácido-base III Reações em sistemas aquosos ͻ Utilizar o vídeo como síntese dos conteúdos lecionados
Reações ácido-base nas secções «1.5 Neutralização de ácidos e de bases»

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


1. Aplicar a teoria protónica e «1.6 Aspetos ambientais das reações ácido-base».
(de Brönsted e Lowry) para reconhecer ͻ Analisar a atividade proposta com os alunos.
substâncias que podem atuar
ͻ Propor a resolução da atividade proposta aos alunos
como ácidos ou bases e determinar
em contexto de sala de aula.
o pH das suas soluções aquosas.

Vídeo tutorial «Essencial para o Exame»


Vídeo tutorial que permite ao aluno relacionar e
aplicar os conteúdos apreendidos, permitindo uma
melhor preparação para o Exame Nacional.

73
74
Sugestões de exploração dos recursos multimédia do Novo Jogo de Partículas 11
Página Recurso Metas Sugestões de exploração
22 Titulação ácido-base AL 2.2 Titulação ácido-base Enquadramento teórico (1.a parte)
Objetivo geral: Realizar uma titulação ͻ Contextualizar a atividade laboratorial analisando
Caderno ácido-base para determinar a concentração os principais conteúdos a explorar na atividade.
de de uma solução de um ácido (ou de uma base).
Materiais (2.a parte)
Atividades 1. Descrever a titulação ácido-base como uma
ͻ Identificar o material a utilizar através da realização de uma
Laborato- técnica analítica na qual se fazem reagir entre si
atividade de ligação de pares onde se analisa o material
-riais soluções aquosas de ácidos e de bases e que
necessário para a realização da atividade laboratorial.
permite determinar a composição quantitativa
Vídeo laboratorial de uma dessas soluções. Vídeo (3.a parte)
O recurso inicia com um enquadramento 2. Distinguir titulante de titulado. ͻ Demonstrar a execução do procedimento através de um
teórico e depois exploram-se os materiais 3. Traçar a curva de titulação a partir de valores vídeo. Permite esclarecer possíveis dúvidas surgidas aquando
a utilizar. O procedimento experimental é de pH medidos. da realização da atividade laboratorial. A visualização do vídeo
demonstrado através de um vídeo 4. Determinar graficamente o valor do pH também pode ser feita após a realização da atividade
experimental e, no final, apresentam-se no ponto de equivalência e o volume de titulante laboratorial em sala de aula, auxiliando no processo
atividades de consolidação. gasto até ser atingido esse ponto. de interpretação dos resultados obtidos.
5. Determinar a concentração da solução titulada. Atividades (4.a parte)
ͻ Realizar as atividades finais sobre os resultados obtidos
na experiência.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Sugestões de exploração dos recursos multimédia do Novo Jogo de Partículas 11
Página Recurso Metas Sugestões de exploração
22 Titulação ácido-base AL 2.2 Titulação ácido-base ͻ Utilizar a apresentação durante a introdução da Atividade
Objetivo geral: Realizar uma titulação ácido-base Laboratorial 2.2 «Titulação ácido-base».
Caderno para determinar a concentração de uma solução ͻ Utilizar as seguintes questões de exploração como suporte
de de um ácido (ou de uma base). à apresentação:
Atividades 1. Descrever a titulação ácido-base como uma വ Qual o procedimento a adotar ao realizar uma titulação?
Laborato- técnica analítica na qual se fazem reagir entre si വ Como identificar o titulante e o titulado?
-riais soluções aquosas de ácidos e de bases e que വ Qual o indicador ácido-base mais indicado para esta
permite determinar a composição quantitativa titulação?
Apresentação PowerPoint® constituída de uma dessas soluções.
വ O que é o ponto de equivalência?
por uma introdução teórica, pelo 2. Distinguir titulante de titulado.
വ Como determinar o ponto de equivalência?
protocolo experimental e, por fim, pela 3. Traçar a curva de titulação a partir de valores
exploração pós-laboratorial com as de pH medidos.
questões teórico-práticas disponíveis no 4. Determinar graficamente o valor do pH no ponto
Caderno de Atividades Laboratoriais e as de equivalência e o volume de titulante gasto até
respetivas respostas. ser atingido esse ponto.
5. Determinar a concentração da solução titulada.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


75
Ficha de exploração do simulador
Titulação

Nome _____________________________________________ N.o _____ Turma ______ Data /____ /____ /____

Entrar na plataforma e aceder ao simulador «Titulação».


Ler com atenção as seguintes instruções e explorar o recurso.

76 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Com a ajuda do simulador, responda às seguintes questões.
1. Simule a titulação de 25,0 mL de ácido clorídrico com hidróxido de sódio de concentração
–3
0,10 mol dm .
1.1 Identifique o titulante e o titulado.
1.2 Indique o valor de pH no ponto de equivalência.
1.3 Determine o volume de NaOH que se gastou até ao ponto de equivalência.

2. Num laboratório de uma escola, três grupos (A, B e C) realizaram titulações ácido-base das soluções
ácidas: HNO3 (aq) e HCर (aq), com Ka muito elevado. Os grupos utilizaram o mesmo titulante, uma
solução aquosa de NaOH de concentração c, tendo registado os seguintes resultados:

Volume de titulante
pH do titulado no início
Grupos gasto no ponto de
da titulação 3
equivalência / ±0,05cm
A 3 4,00
B 3 8,00
C 2 8,00

De acordo com a informação apresentada, selecione a alternativa CORRETA.


(A) Os grupos A e C podem ter titulado soluções de concentrações iguais.
(B) Os grupos A e B podem ter titulado soluções de concentrações diferentes.
(C) Os grupos B e C titularam volumes iguais de soluções ácidas.
(D) O grupo B titulou o dobro do volume de solução ácida titulado pelo grupo A.
3
3. A 50,0 cm de uma solução aquosa de hidróxido de potássio, KOH, de concentração desconhecida,
3
adicionaram-se 20,0 cm de uma solução aquosa de ácido clorídrico, HCर, de concentração
о3
0,15 mol dm , até ao ponto de equivalência. Determine a concentração da solução de KOH.

4. Considere que o pH no ponto de equivalência da titulação da solução diluída de vinagre é igual a 8,8,
a 25 °C. Indique, com base na informação contida na tabela seguinte, qual dos indicadores é adequado
para assinalar o ponto de equivalência daquela titulação.

Indicador ácido-base Zona de viragem (pH, a 25 °C)


Vermelho de metilo 4,2 a 6,3
Azul de bromotimol 6,0 a 7,6
Fenolftaleína 8,0 a 9,6
Amarelo de alizarina 10,1 a 12,0

(A) Vermelho de metilo


(B) Azul de bromotimol
(C) Fenolftaleína
(D) Amarelo de alizarina

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 77


Ficha de exploração da animação
Ácidos e bases

Nome _____________________________________________ N.o _____ Turma ______ Data /____ /____ /____

Entrar na plataforma e aceder à animação «Ácidos e bases».


Explorar o recurso e responder às seguintes questões.

Utilizando a animação, responda às seguintes questões.


1. Considere os seguintes compostos: H2SO3, CaSO3, HNO3, NaOH, Mg(OH)2 e NH3.
Indique o que sofrem:
1.1 ionização;
1.2 dissociação.

2. O caráter básico de uma solução de amoníaco deve-se à reação de NH3 (aq) com a água.
Essa reação corresponde a um processo de…
(A) dissociação completa.
(B) dissociação parcial.
(C) ionização completa.
(D) ionização parcial.

3. Escreva os pares conjugados ácido-base das seguintes reações:


3.1 H2SO4 (aq) + 2 H2O (Ɛ) ĺ SO2െ
+
4 (aq) + 2 H3O (aq)
3.2 HCƐ (g) + H2O (Ɛ) ĺ CƐ (aq) + H3O (aq)
– +

3.3 CH3COOH (aq) + H2O (Ɛ) ֖ CH3COO (aq) + H3O (aq)


– +

4. A água é uma espécie química anfotérica, porque em reações de ácido-base…


(A) se comporta sempre como um ácido.
(B) se comporta sempre como uma base.
(C) se pode comportar como um ácido ou como uma base.
(D) nunca se comporta como um ácido ou como uma base.

5. O ácido acético, CH3COOH (aq), é um ácido monoprótico fraco, cuja ionização em água pode ser
traduzida por:
о +
CH3COOH (aq) + H2O (Ɛ) ֖ CH3COO (aq) + H3O (aq)

Nesta reação podem ser identificados dois pares conjugados ácido-base, segundo a teoria de
Brönsted-Lowry. Quais são?
O que entende por uma base conjugada de um ácido de Brönsted-Lowry?

78 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Ficha de exploração da animação
Reações ácido-base e o ambiente

Nome _____________________________________________ N.o _____ Turma ______ Data /____ /____ /____

Entrar na plataforma e aceder à animação «Reações ácido-base e


o ambiente». Explorar o recurso e responder às seguintes questões.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 79


Utilizando a animação, responda às seguintes questões.
1. Classifique as seguintes afirmações em verdadeiras ou falsas.
(A) Consideram-se chuvas ácidas as chuvas cuja água tem valores de pH superior a 5.
(B) As chuvas ácidas têm repercussões negativas, tais como conduzirem à acidificação dos solos e das
águas superficiais e subterrâneas.
(C) As chuvas ácidas têm repercussões negativas, tais como diminuírem a corrosão dos metais e a
decomposição de monumentos.
(D) Conduzir mais rapidamente também reduz a formação dos óxidos.
(E) Existem tipos de atuação que podem servir para diminuir os efeitos das chuvas ácidas, como a
neutralização dos ácidos que caem sobre a superfície terrestre.

2. O pH da chuva normal é, usualmente, cerca de 5,6. Indique o gás que ao dissolver-se é responsável
por este valor.

3. As chuvas ácidas têm impactos negativos no nosso meio ambiente. Dê alguns exemplos de
consequências das chuvas ácidas.

4. Os óxidos de enxofre e de nitrogénio provocam a acidificação da água das chuvas. Indique as


principais fontes destes óxidos e algumas formas para diminuir as suas consequências.

5. Escreva duas reações que contenham:


5.1 NOx
5.2 SOx

80 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Ficha de revisão – 10.o ano
Nome _______________________________________________________________ Turma __________ N.o ______

1. Considere as partículas a seguir representadas, em que as letras não correspondem a símbolos


químicos.
14 22 19 ି 24 20 23 23 40 ା
7A 11B 9C 12D 10E ଵଵF 12G 20H

Indique:
1.1 o número de nuclídeos representados;
1.2 o número de elementos presentes;
1.3 átomos que sejam isótopos;
1.4 a composição do catião;
1.5 duas partículas que tenham igual número de eletrões e que não sejam isótopos.

2. Certo elemento X (em que X não corresponde a símbolo químico) é constituído por três isótopos
de massas isotópicas respetivamente iguais a 12, 14 e 16. A abundância relativa destes isótopos é
70%, 20% e 10%, respetivamente.
Selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte.
A massa atómica relativa do elemento X é…
(A) 12,4. (B) 12,6. (C) 12,8. (D) 13,0.

3. Em 100 g de uma farinha láctea existem 200 mg de cálcio, Ca.


Selecione a opção que corresponde à quantidade aproximada de cálcio que existe numa
embalagem de 800 g dessa farinha.
Dado: M(Ca) = 40,08 g molо1
(A) 2,0 × 10о2 mol de átomos de Ca (B) 4,0 × 10о2 mol de átomos de Ca
(C) 7,5 × 10о2 mol de átomos de Ca (D) 1,0 × 10о1 mol de átomos de Ca

4. Em três recipientes, 1, 2 e 3, colocaram-se, respetivamente, sódio metálico, Na (s), água, H2O (Ɛ) e
enxofre, S8 (s).
Dados: M(Na) = 22,99 g molо1; M(H2O) = 18,02 g molо1; M(S8) = 256,56 g molо1

Na (s) H2O (Ɛ) S8 (s)


24 23
3,0 × 10 1,6 × 10
4,6 g
moléculas átomos

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 81


Selecione a opção correta.
(A) A substância que tem maior massa é a que se encontra no recipiente 1.
(B) O recipiente 1 é o que contém menor número de moles de substância.
(C) O recipiente 3 é o que contém a substância de menor massa.
(D) O recipiente 1 contém menos átomos que o recipiente 2.

5. Uma solução aquosa de permanganato de potássio, KMnO4, com o volume de 400 mL, contém
39,5 g deste sal.
Dados: M(KMnO4) = 158,04 g molо1; M(H2O) = 18,02 g molо1; Usolução = 1,03 g cmо3
5.1 Calcule:
5.1.1 a quantidade de soluto presente na solução;
5.1.2 a massa de solvente;
5.1.3 a fração molar do soluto.
5.2 Selecione a opção que corresponde ao valor da fração mássica do solvente.
(A) 3,7 × 10о1
(B) 7,4 × 10о1
(C) 8,5 × 10о1
(D) 9,0 × 10о1

6. Considere o diagrama de energia seguinte, para um átomo de hidrogénio.

A luz visível situa-se no espetro eletromagnético na região de energias compreendidas entre


2,55 × 10о19 J e 5,23 × 10о19 J.
6.1 Mostre que o eletrão situado no estado de energia mínima no átomo de hidrogénio não
pode ser extraído por radiação visível.
6.2 Considere um eletrão situado no primeiro estado excitado no átomo de hidrogénio.
Determine, no SI, a energia mínima de um fotão incidente, capaz de remover esse eletrão
com energia cinética igual a 3,50 × 10о19 J.
6.3 Considere as transições eletrónicas de n = 4 para n = 1 e de n = 4 para n = 3. Qual destas
transições eletrónicas pertence à série de Lyman?

82 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


7. Selecione a opção correta.
(A) O número máximo de eletrões no nível 1 é um.
(B) Cada subnível p é constituído por três orbitais.
(C) O número de eletrões numa orbital depende da sua orientação no espaço.
(D) Cada subnível s é formado por duas orbitais.

8. Um determinado elemento apresenta 5 energias de remoção eletrónica e origina iões


mononegativos, ficando com tantos eletrões quantos os do gás nobre que o sucede na Tabela
Periódica.
8.1 Escreva a configuração eletrónica do elemento em causa.
8.2 Indique o grupo, período e bloco da Tabela Periódica a que este elemento pertence.

9. Considere os elementos cujas configurações eletrónicas se seguem. As letras X, Y, Z e T não


correspondem a símbolos químicos.
X. 1s2 2s2 2p3 Y. 1s2 2s1 2p4 Z. 1s2 2s2 2p4 T. 1s2 2s2 2p5
Selecione a opção correta.
(A) O átomo Y pertence a um elemento do grupo 14 da Tabela Periódica.
(B) O átomo Y está no estado fundamental.
(C) O raio atómico de T é superior ao raio atómico de X.
(D) O átomo Z pertence a um elemento não metálico e tem tendência em formar iões binegativos.

10. Dois átomos de oxigénio, 8O, ligam-se para formar a molécula de oxigénio, O2.
10.1 Escreva a fórmula de estrutura de Lewis da molécula de oxigénio.
10.2 Quantos eletrões participam efetivamente na ligação?
10.3 Selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte.
A ligação que se estabelece entre os átomos de oxigénio é uma…
(A) ligação covalente dupla polar.
(B) ligação covalente dupla apolar.
(C) ligação covalente simples apolar.
(D) ligação covalente tripla apolar.

11. Considere as moléculas HCƐ, N2, CH4 e NH3.


Dado: M(N2) = 28,02 g molо1
11.1 Identifique de entre as moléculas referidas as que são polares.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 83


11.2 A energia de ligação na molécula de N2 é maior ou menor que a energia de ligação na
molécula de NH3?
11.3 A energia de ligação na molécula de N2 é 945 kJ molо1. Selecione a opção que
corresponde ao valor da energia necessária para dissociar 7,00 g de N2.
(A) 2,36 × 103 kJ
(B) 2,36 × 103 J
(C) 2,36 × 102 kJ
(D) 2,36 × 102 J
11.4 Selecione a opção correta.
(A) No metano, CH4, as forças que unem as moléculas são do tipo dipolo permanente-
-dipolo permanente.
(B) No cloreto de hidrogénio, HCƐ, as forças que unem as moléculas são do tipo dipolo
permanente-dipolo induzido.
(C) No nitrogénio, N2, as forças que unem as moléculas são do tipo dipolo permanente-
-dipolo induzido.
(D) No amoníaco, NH3, as forças que unem as moléculas são ligações de hidrogénio.

12. No quadro seguinte estão representadas na coluna I algumas fórmulas de compostos orgânicos
e na coluna II o nome de famílias de compostos orgânicos.

I II
(A) CH3COOH 1. Aldeído
(B) CH3CHO 2. Ácido carboxílico
(C) CH3OH 3. Cetona
(D) CH3COCH3 4. Álcool
(E) CH3CH2NH2 5. Amina

Estabeleça a correspondência correta entre os elementos da coluna I e os elementos da coluna II.

13. Considere a massa de 6,20 g de dióxido de nitrogénio, NO2 (g), existente num recipiente
fechado, nas condições PTN.
Dados: M(NO2) = 46,01 g molо1; Vm = 22,4 dm3 molо1 (PTN)
13.1 Calcule a quantidade química de NO2 que se encontra no recipiente.

84 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


13.2 Selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte.
A expressão matemática que traduz de forma correta a densidade deste gás, expressa em
g dmо3, é…

6,2 u 10 3
(A) U =
22,4 u 0,135

6,2
(B) U =
22,4 u 0,135 u 10 3

22,4 u 0,135 u 10 3
(C) U =
6,2

22,4 u 0,135
(D) U =
6,2 u 10 3

14. Pretende-se preparar 250 mL de uma solução aquosa de dicromato de potássio, K2CrO4, com
concentração igual a 2,50 × 10о1 mol dmо3.
Dado: M(K2CrO4) = 194,20 g molо1
14.1 Selecione a opção que corresponde à massa de dicromato de potássio que existe nos
250 mL de solução.
(A) 9,2 g (B) 13,8 g (C) 18,4 g (D) 27,6 g
14.2 Determine a concentração dos iões K na solução, expressa em mol dmо3.
+

14.3 Pretende-se preparar uma solução de dicromato de potássio com a concentração


0,100 mol dmо3, a partir da solução inicial. Que volume de água se deve adicionar à
solução inicial?

15. A hidrazina, N2H4, tem sido utilizada como combustível em foguetões.


A reação de combustão que ocorre pode ser representada através da equação química seguinte.
N2H4 (g) + O2 (g) ĺ N2 (g) + 2 H2O (g)
Dados: M(N2H4) = 32,05 g mol ; E;E൙EͿсϵϰϱŬ:ŵŽůо1; E(N=N) = 409 kJ molо1; E(N–H) = 388 kJ molо1;
о1

E(O=O) = 498 kJ molо1; E(H–O) = 463 kJ molо1


15.1 Determine a variação de entalpia, 'H, para a reação de combustão de 1,0 mol de N2H4 (g).
15.2 A combustão da hidrazina é uma reação exotérmica ou endotérmica? Justifique.
15.3 Que quantidade de energia se liberta quando 320 g de hidrazina sofre combustão?

16. A energia de dissociação do nitrogénio, N2, é 1,56 × 10о18 J, enquanto a primeira energia de
ionização da molécula de nitrogénio é 2,5 × 10о18 J.
16.1 Escreva as equações que traduzem, respetivamente, a dissociação e a ionização do
nitrogénio.
16.2 Explique o que sucede quando se faz incidir sobre uma molécula de nitrogénio, N2, uma
radiação com energia igual a 1200 kJ molо1.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 85


Ficha formativa 1
Unidade 1 – Equilíbrio químico
Nome _____________________________________________ N.o _____ Turma ______ Data ____ /____ /____

Cálculos estequiométricos. Reagente limitante

1. Considere os seguintes esquemas químicos:


(A) N2O5 (g) + H2O (Ɛ) ĺ HNO3 (aq)
(B) NH4OH (aq) + H2SO4 (aq) ĺ (NH4)2SO4 (aq) + H2O (Ɛ)
(C) Ag2SO4 (aq) + NaCƐ (aq) ĺ AgCƐ (s) + Na2SO4 (aq)
(D) KNO3 (s) ĺ KNO2 (s) + O2 (g)
(E) Na2CO3 (aq) + HCƐ (aq) ĺ CO2 (g) + NaCƐ (aq) + H2O (Ɛ)
(F) C2H5OH (Ɛ) + O2 (g) ĺ CO2 (g) + H2O (g)
(G) Fe (s) + H2O (Ɛ) ĺ Fe3O4 (s) + H2 (g)
(H) Pb(NO3)2 (aq) + NaI (aq) ĺ PbI2 (s) + NaNO3 (aq)
Acerte os esquemas químicos de modo a transformá-los em equações químicas.

2. Considere duas amostras: uma de sulfato de cálcio, CaSO4 (s), com a massa de 34,0 g e outra de
sulfito de sódio, Na2SO3 (s), com a massa de 50,4 g.
Dados: M(CaSO4) =136,15 g molо1; M(Na2SO3) = 126,05 g molо1
2.1 Determine qual das amostras contém maior percentagem de enxofre, S.
2.2 Selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte.
Na amostra de sulfito de sódio, estão presentes…
(A) 1,00 × 10о1 mol de átomos de S. (B) 2,00 × 10о1 mol de átomos de S.
(C) 3,00 × 10о1 mol de átomos de S. (D) 4,00 × 10о1 mol de átomos de S.
2.3 Qual a relação entre o número de átomos de oxigénio em 50,4 g de Na2SO3 e em 34,0 g de
CaSO4?

3. Determine a composição centesimal dos seguintes compostos:


Dados: M(CHCƐ3) = 119,37 g molо1; M(AƐ(OH)3) = 78,00 g molо1
3.1 clorofórmio (triclorometano), CHCƐ3;
3.2 hidróxido de alumínio, AƐ(OH)3.

4. Considere o composto cloreto de bário di-hidratado, BaCƐ2.2H2O.


Dados: M(BaCƐ2.2H2O) = 244,23 g molо1; M(H2O) = 18,02 g molо1
Para 4,00 mol deste sal, determine:
4.1 a massa de água presente;
4.2 o número de iões cloreto, CƐо;
4.3 a %(m/m) de cloreto de bário existente na amostra;
4.4 a quantidade de iões bário, Ba2+, presentes na amostra.

86 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


5. Na preparação comercial do hidróxido de sódio, NaOH, faz-se reagir o carbonato de sódio,
Na2CO3, com uma solução aquosa de hidróxido de cálcio, Ca(OH)2. A equação química que traduz
esta reação é a seguinte:
Na2CO3 (aq) + Ca(OH)2 (aq) ĺ 2 NaOH (aq) + CaCO3 (s)
Dado: M(NaOH) = 40,00 g molо1
5.1 Indique o nome do produto da reação obtido, para além do hidróxido de sódio.
5.2 Determine a massa de hidróxido de sódio que se obtém quando se tratam 6,00 mol de
Na2CO3 (aq) com Ca(OH)2 (aq).
5.3 Considere que o volume da solução aquosa de hidróxido de sódio é 750,0 mL. Calcule a
concentração desta solução.

6. Considere a seguinte equação química:


2 SO2 (g) + O2 (g) ĺ 2 SO3 (g)
Dados: M(SO2) = 64,07 g molо1; Vm = 22,4 dm3 molо1 (PTN)
6.1 Indique que informações qualitativas se podem obter a partir desta equação química.
6.2 Tendo em conta as informações quantitativas indicadas pela equação, selecione a opção
correta.
(A) São necessárias 4,0 mol de O2 para que 2,0 mol de SO2 se consumam.
(B) A quantidade química de SO2 que foi consumida durante a reação é o dobro da
quantidade química de SO3 que se forma.
(C) Por cada 22,4 dm3 de SO2 que reage nas condições PTN, consomem-se em simultâneo
11,2 dm3 de O2.
(D) Quando se consomem 19,2 g de SO2 nas condições PTN, libertam-se 5,0 dm3 de SO3.

7. O sulfato de amónio, (NH4)2SO4, usado como fertilizante, é preparado industrialmente pela


reação do amoníaco, NH3 (g), com o ácido sulfúrico, H2SO4 (aq).
Dados: M((NH4)2SO4) = 132,15 g molо1; M(NH3) = 17,03 g molо1
7.1 Escreva a equação química que traduz a preparação do sulfato de amónio.
7.2 Calcule a massa de amoníaco que é necessária para preparar 10,0 toneladas de fertilizante.

8. O gás butano, C4H10 (g), é utilizado como combustível. A sua combustão, no seio do oxigénio,
origina dióxido de carbono e vapor de água.
A equação química que traduz esta combustão é a seguinte:
2 C4H10 (g) + 13 O2 (g) ĺ 8 CO2 (g) + 10 H2O (g)
Dados: M(C4H10) = 58,12 g molо1; M(O2) = 32,00 g molо1
8.1 Que quantidade de CO2 (g) se obtém quando se consome totalmente 1,0 mol de C4H10 (g)?
8.2 Nas condições PTN libertaram-se 56,0 dm3 de H2O (g). Determine a massa de O2 (g) que foi
consumido.
8.3 Calcule a quantidade de O2 (g) necessária para que 58,1 g de C4H10 (g) sofram combustão
completa.
Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 87
9. Atestou-se o depósito de automóvel com 40,0 L de combustível, sabendo que nesse volume de
combustível existem aproximadamente, 265 mol de octano, C8H18 (Ɛ).
A equação química que traduz a combustão do octano é:
2 C8H18 (Ɛ) + 25 O2 (g) ĺ 16 CO2 (g) + 18 H2O (g)
Para percorrer um determinado percurso foram consumidos 10,0 L de combustível.
Dado: Vm = 22,4 dm3 molо1 (PTN)
9.1 Selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte.
A quantidade de oxigénio, O2 (g), necessária para queimar completamente os 10,0 L de
combustível é…
(A) 4,2 × 102 mol. (B) 8,3 × 102 mol. (C) 4,2 × 103 mol. (D) 8,3 × 103 mol.
9.2 Determine o volume de dióxido de carbono que se liberta, nas condições PTN.

10. Adicionaram-se 20,0 cm3 de ácido sulfúrico a 30,0 cm3 de uma solução aquosa de hidróxido de
sódio, cuja concentração mássica é 4,0 g dmо3. A equação química correspondente a esta
reação é a seguinte:
H2SO4 (aq) + 2 NaOH (aq) ĺ Na2SO4 (aq) + 2 H2O (Ɛ)
Dados: M(H2SO4) = 98,09 g molо1; M(NaOH) = 40,00 g molо1
10.1 Determine a concentração molar da solução aquosa de hidróxido de sódio.
10.2 Calcule a quantidade de hidróxido de sódio presente nos 30,0 cm3 da solução.
10.3 Calcule a massa de ácido sulfúrico que reagiu.
10.4 Determine a concentração molar do ácido sulfúrico, sabendo que a reação foi completa e
que os reagentes se encontravam nas proporções estequiométricas indicadas pela
equação química.

11. 23,65 mL de ácido clorídrico, HCƐ (aq), reagem com 25,00 mL de uma solução de hidróxido de
sódio, NaOH (aq), com a concentração 1,05 × 10о1 mol dmо3, de acordo com a equação química
seguinte:
HCƐ (aq) + NaOH (aq) ĺ NaCƐ (aq) + H2O (Ɛ)
Calcule a concentração do ácido clorídrico.

12. Numa reação química utilizaram-se 4,90 g de uma solução de ácido sulfúrico, H2SO4 (aq), e
150 cm3 de uma solução de hidróxido de sódio, NaOH (aq), com a concentração 5,0 × 10о1 mol dmо3.
A equação química que traduz esta reação é:
H2SO4 (aq) + 2 NaOH (aq) ĺ Na2SO4 (aq) + 2 H2O (Ɛ)
Dados: M(H2SO4) = 98,09 g molо1; M(NaOH) = 40,00 g molо1
12.1 Identifique o reagente limitante.
12.2 Determine a quantidade de sal que se formou nesta reação.

88 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


13. Uma solução aquosa de nitrato de prata, AgNO3 (aq), reage com uma solução aquosa de cloreto
de bário, BaCƐ2 (aq), de acordo com a equação química seguinte:
2 AgNO3 (aq) + BaCƐ2 (aq) ĺ Ba(NO3)2 (aq) + 2 AgCƐ (s)
Considere que se adicionam 12,6 g de AgNO3 a 8,4 g de BaCƐ2.
Dados: M(AgNO3) = 169,91 g molо1; M(BaCƐ2) = 208,20 g molо1
13.1 Identifique o reagente em excesso.
13.2 Selecione a opção que corresponde à quantidade de cloreto de prata que precipita.
(A) 7,4 × 10о2 mol (B) 3,7 × 10о2 mol (C) 7,4 × 10о1 mol (D) 3,7 × 10о1 mol

14. A redução do óxido de cromo (III) pelo alumínio metálico processa-se de acordo com a equação
química seguinte:
2 AƐ (s) + Cr2O3 (s) ĺ AƐ2O3 (s) + 2 Cr (s)
Misturaram-se 6,0 g de AƐ (s) com 8,0 g de óxido de cromo (III).
Dados: M(AƐ) = 26,98 g molо1; M(Cr2O3) = 152,00 g molо1; M(Cr) = 52,00 g molо1
14.1 Identifique o reagente limitante.
14.2 Determine a massa de cromo que se obteve.
14.3 Calcule a quantidade de reagente que ficou por reagir.

15. A reação da seguinte equação química processa-se até que o reagente limitante se consuma
completamente.
2 AƐ (s) + 3 MnO (s) ĺ AƐ2O3 (s) + 3 Mn (s)
Uma mistura, constituída por 100,0 g de alumínio metálico e 200,0 g de óxido de manganês, foi
sujeita a aquecimento para que ocorresse a reação.
Dados: M(AƐ) = 26,98 g molо1; M(MnO) = 70,94 g molо1; M(Mn) = 54,94 g molо1
Selecione a opção correta.
(A) O reagente limitante é o alumínio.
(B) A quantidade de reagente que não se consumiu foi 1,83 mol.
(C) A massa de manganês que se obteve foi de 175 g.
(D) Obtiveram-se 4 mol de manganês metálico.

16. 350,0 g de óxido de silício, SiO2 (s), ao serem aquecidos com 50,0 g de carvão em pó, C (s),
originaram carbite de silício, SiC (s) e monóxido de carbono, CO (g), de acordo com a seguinte
equação química:
SiO2 (s) + 3 C (s) ĺ SiC (s) + 2 CO (g)
Dados: M(SiO2) = 60,09 g mol ; M(C) = 12,01 g molо1; M(SiC) = 40,10 g molо1;
о1

Vm = 22,4 dm3 molо1 (PTN)


16.1 Identifique o reagente em excesso.
16.2 Determine a massa de reagente que não se consumiu.
16.3 Selecione a opção que corresponde ao volume de CO (g), libertado nas condições PTN.
(A) 31,0 dm3 (B) 62,0 dm3 (C) 46,5 dm3 (D) 93,0 dm3
Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 89
Ficha formativa 2
Unidade 1 – Equilíbrio químico
Nome _____________________________________________ N.o _____ Turma ______ Data ____ /____ /____

Grau de pureza. Rendimento de uma reação química

1. Na combustão de 44,8 dm3 de propano, C3H8 (g), com excesso de oxigénio, obtiveram-se 150 g de
dióxido de carbono, CO2 (g), nas condições PTN. A equação química que traduz esta reação é:
C3H8 (g) + 5 O2 (g) ĺ 3 CO2 (g) + 4 H2O (g)
Dados: M(CO2) = 44,01 g molо1; Vm = 22,4 dm3 molо1 (PTN)
1.1 Determine o rendimento da reação.
1.2 Que volume de oxigénio se consome, nas condições PTN?

2. A combustão de 60,0 kg de carvão produz 145,0 kg de dióxido de carbono, CO2 (g). A equação
química que traduz a combustão do carvão é:
C (s) + O2 (g) ĺ CO2 (g)
Determine a percentagem de carbono existente na amostra de carvão que sofreu a combustão.
Dados: M(CO2) = 44,01 g molо1; M(C) = 12,01 g molо1

3. Uma amostra de carbonato de sódio, Na2CO3, reage com uma solução 0,1026 mol dmо3 em ácido
clorídrico, HCƐ (aq), de acordo com a equação química seguinte:
Na2CO3 (aq) + 2 HCƐ (aq) ĺ 2 NaCƐ (aq) + CO2 (g) + H2O (Ɛ)
Sabe-se que 0,1247 g de carbonato de sódio reage completamente com 14,78 mL de solução de
ácido clorídrico.
Determine o grau de pureza da amostra de carbonato de sódio.
Dado: M(Na2CO3) = 105,99 g molо1

4. O acetato de etilo, CH3COOCH2CH3, solvente comum para certas colas e cimentos, pode preparar-
se através da reação entre o ácido acético, CH3COOH, e o etanol, CH3CH2OH, na presença de
pequena quantidade de ácido sulfúrico que não funciona como reagente. Esta reação é traduzida
pela seguinte equação química:
CH3COOH (aq) + CH3CH2OH (aq) ĺ CH3COOCH2CH3 (aq) + H2O (Ɛ)
Numa determinada experiência fizeram-se reagir 25,0 g de ácido acético com 25,0 g de etanol,
tendo-se obtido 34,0 g de acetato de etilo.
Dados: M(CH3COOH) = 60,05 g molо1; M(CH3CH2OH) = 46,07 g molо1;
M(CH3COOCH2CH3) = 88,10 g molо1
4.1 Identifique o reagente limitante.
4.2 Selecione a opção que corresponde ao valor do rendimento desta reação.
(A) 43% (B) 63% (C) 73% (D) 93%
90 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11
5. Numa etapa na produção de formaldeído (metanal), CH2O (g), obtêm-se 200 kmol / dia deste
composto. Introduz-se oxigénio num reator a 200 °C, em condições estequiométricas. Nestas
condições, o rendimento desta reação é de 25,0%.
Que quantidade de oxigénio se consome por dia, sabendo que esta reação ocorre de acordo com
a equação química seguinte:
O2 (g) + CH4 (g) ĺ CH2O (g) + H2O (Ɛ)

6. Soluções aquosas de amoníaco, NH3, são utilizadas frequentemente em produtos de limpeza


doméstica. O amoníaco pode preparar-se por intermédio de vários processos. De entre esses
processos, considere-se o que se encontra traduzido pela equação química seguinte:
CaO (s) + 2 NH4CƐ (s) ĺ 2 NH3 (g) + H2O (g) + CaCƐ2 (s)
Dados: M(CaO) = 56,08 g molо1; M(NH3) = 17,03 g molо1
6.1 Selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte.
Ao consumirem-se 224 g de CaO, obtiveram-se 102 g de NH3, sendo o rendimento da reação
de…
(A) 100%. (B) 90%. (C) 80%. (D) 75%.
6.2 Que quantidade de CaCƐ2 se obtém, quando se libertam de 102 g de NH3?

7. Por oxidação de 75,0 kg de tolueno, C6H5CH3 (Ɛ), obtiveram-se 73,4 kg de ácido benzoico,
C6H5OOH (Ɛ). A equação química que traduz esta reação é:
C6H5CH3 (Ɛ) + O2 (g) ĺ C6H5COOH (Ɛ) + H2 (g)
Dados: M(C6H5CH3) = 92,13 g molо1; M(C6H5COOH) = 122,12 g molо1; Vm = 22,4 dm3 molо1 (PTN)
7.1 Determine o rendimento da reação.
7.2 Calcule o volume de hidrogénio que se liberta, nas condições PTN.

8. A combustão de uma determinada amostra de metano, CH4 (g), numa reação química com 90%
de rendimento, originou 13,44 dm3 de dióxido de carbono, CO2 (g). Além deste produto da
reação, obteve-se ainda vapor de água nas condições PTN.
Dados: M(CH4) = 16,04 g molо1; Vm = 22,4 dm3 molо1 (PTN)
8.1 Escreva a equação química que traduz a combustão do metano.
8.2 Determine a massa de metano que reagiu.
8.3 Calcule o número de moléculas de vapor de água que se libertaram.

9. O metal magnésio reage com o ácido clorídrico de acordo com a equação química seguinte:
Mg (s) + 2 HCƐ (aq) ĺ MgCƐ2 (aq) + H2 (g)
Qual a quantidade máxima de magnésio metálico que pode reagir com 300 mL de uma solução
30,0% em massa de ácido clorídrico, sabendo que a densidade desta solução ácida é 1,15 g cmо3?
Dados: M(Mg) = 24,31 g molо1; M(HCƐ) = 36,46 g molо1
Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 91
10. Pretende-se obter 25,4 g de cloreto de zinco fazendo reagir ácido clorídrico com zinco metálico
com um grau de pureza de 70%. A reação ocorre com um rendimento de 80%.
Que massa de zinco metálico se deve utilizar?
Dados: M(ZnCƐ2) = 136,28 g molо1; M(Zn) = 65,38 g molо1

11. Industrialmente pode obter-se ácido acético, CH3COOH (aq), por reação de metanol líquido,
CH3OH (Ɛ), com monóxido de carbono, CO (g), na presença de um catalisador apropriado. A
equação que traduz a síntese do ácido acético é:
CH3OH (Ɛ) + CO (g) ĺ CH3COOH (Ɛ)
Numa experiência de ensaio, colocaram-se num vaso reator 15,0 g de CH3OH e 10,0 g de CO.
Dados: M(CH3OH) = 32,04 g molо1; M(CO) = 28,01 g molо1; M(CH3COOH) = 60,05 g molо1
11.1 Determine a massa de ácido acético que se obtém.
11.2 Se a produção de ácido acético fosse de 19,1 g, qual seria o rendimento da reação?

12. O titânio, Ti, utilizado em motores e estruturas de aviões, pode obter-se a partir do tetracloreto
de titânio, que, por sua vez, se obtém a partir do dióxido de titânio, pela equação química
seguinte:
3 TiO2 (s) + 4 C (s) + 6 CƐ2 (g) ĺ 3 TiCƐ4 (g) + 2 CO2 (g) + 2 CO (g)
Um vaso reator contém 4,15 g de TiO2, 5,67 g de C e 6,78 g de CƐ2.
Dados: M(TiO2) = 78,87 g molо1; M(C) = 12,01 g molо1; M(CƐ2) = 70,90 g molо1;
M(TiCƐ4) = 189,67 g molо1
12.1 De entre as proposições que se seguem, selecione a correta.
(A) TiO2 (s) é o reagente limitante.
(B) C (s) é o reagente limitante.
(C) CƐ2 (g) é o reagente limitante.
(D) Os reagentes encontram-se nas proporções estequiométricas corretas.
12.2 Determine o rendimento da reação, sabendo que se obtiveram 6,50 g de TiCƐ4 (g).

13. O estanho metálico pode obter-se a partir da redução do óxido de estanho (IV), de acordo com
a equação química seguinte:
SnO2 (s) + C (s) ĺ Sn (s) + CO2 (g)
Considere que:
x a reação processa-se com rendimento de 70,0%;
x se obtém 50,0 kg de estanho metálico, Sn (s);
x a amostra de minério contém 40% de impurezas.
Determine a massa de minério de óxido de estanho (IV) que foi usada na reação.
Dado: M(SnO2) = 150,71 g molо1

92 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Ficha formativa 3
Unidade 1 – Equilíbrio químico
Nome _____________________________________________ N.o _____ Turma ______ Data ____ /____ /____

Diferentes estados de equilíbrio. Quociente da reação

1. Selecione a opção correta.


(A) Numa reação química reversível, a reação direta não coexiste com a reação inversa.
(B) Embora um sistema reacional atinja o estado de equilíbrio, as concentrações dos seus
constituintes não são constantes.
(C) A velocidade com que os reagentes se consomem mantém-se constante até se atingir o
equilíbrio químico.
(D) Quando, no equilíbrio químico, as concentrações dos produtos da reação prevalecem sobre
as concentrações dos reagentes, a reação direta é mais extensa do que a reação inversa.

2. Selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte.


Quando um sistema reacional atinge o equilíbrio químico…
(A) as concentrações dos reagentes são sempre iguais às dos produtos da reação.
(B) diminuem as concentrações dos reagentes e aumentam as concentrações dos produtos da
reação.
(C) as concentrações de todas as substâncias presentes no equilíbrio não variam.
(D) as concentrações de todas as substâncias presentes no equilíbrio são iguais.

3. Selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte.


Uma reação irreversível é aquela em que…
(A) se alcança o equilíbrio químico instantaneamente.
(B) termina quando se esgotam todos os reagentes.
(C) termina quando se esgota, pelo menos, um dos reagentes.
(D) não se esgota nenhum dos reagentes.

4. Escreva as expressões da constante de equilíbrio, Kc, para as seguintes reações.


4.1 2 NO (g) + O2 (g) ֖ 2 NO2 (g)
4.2 4 HCƐ (g) + O2 (g) ֖ 2 H2O (g) + 2 CƐ2 (g)
4.3 CS2 (g) + 4 H2 (g) ֖ CH4 (g) + 2 H2S (g)
4.4 4 NH3 (g) + 5 O2 (g) ֖ 4 NO (g) + 6 H2O (g)

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 93


5. A expressão da constante de equilíbrio de um dado sistema reacional é dada por:
[NO]2× [Cκ2 ]e
Kc = e
[NOCκ]2e

Escreva a equação química que traduz a reação de equilíbrio deste sistema reacional.

6. Considere a reação de equilíbrio traduzida pela seguinte equação química:


4 NH3 (g) + 3 O2 (g) ֖ 2 N2 (g) + 6 H2O (g)
Selecione a opção que corresponde à expressão da constante de equilíbrio, Kc, para este sistema
reacional.

[NH3 ]4 3
e × [O2 ]e
[NH3 ]4e + [O2 ]3e
(A) Kc = (B) Kc =
[N2 ]e × [H2 O]6
2
e [N2 ]2e + [H2 O]6e

[N2 ]2e + [H2 O]6e [N2 ]2e × [H2 O]6e


(C) Kc = (D) Kc =
[NH3 ]4e + [O2 ]3e [NH3 ]4e × [O2 ]3e

7. Selecione a opção correta.


(A) A constante de equilíbrio, Kc, de um sistema reacional em equilíbrio é igual à razão entre o
produto das concentrações dos produtos da reação e o produto das concentrações dos
reagentes, elevados aos respetivos coeficientes estequiométricos.
(B) O valor da constante de equilíbrio, Kc, é independente da temperatura.
(C) Para uma dada temperatura o valor da constante de equilíbrio, Kc, é sempre o mesmo,
independentemente da natureza da reação.
(D) Se o valor da constante de equilíbrio, Kc, for muito elevado, então no equilíbrio existe maior
quantidade de reagentes que de produtos da reação.

8. Considere o equilíbrio traduzido pela seguinte equação química:


CƐ2 (g) + Br2 (g) ֖ 2 BrCƐ (g)
O gráfico seguinte mostra o modo como variam as concentrações de reagentes e produtos, ao longo
do tempo e a temperatura constante, num sistema reacional, até se atingir o estado de equilíbrio.

94 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


8.1 Selecione a opção que corresponde à expressão da constante de equilíbrio, Kc, para este
sistema reacional.
[Cκ2 ]e × [Br2 ]e [Cκ2 ]e + [Br2 ]e
(A) Kc = (B) Kc =
[BrCκ]2e [BrCκ]2e

[BrCκ]2e 2 × [BrCκ]e
(C) Kc= (D) Kc =
[Cκ2 ]e × [Br2 ]e [Cκ2 ]e × [Br2 ]e

8.2 Determine o valor da constante de equilíbrio, com base nos valores presentes no gráfico.

9. A reação química decorre de acordo com o equilíbrio químico seguinte:


2 A (aq) + B (aq) ֖ C (aq)
As quantidades iniciais de reagentes presentes em 1,0 dm3 de solução são: 1,00 mol de A e
0,75 mol de B.
Uma vez atingido o equilíbrio, a quantidade de A, presente no mesmo volume de solução é de
0,70 mol.
9.1 Selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte.
A quantidade de C presente no equilíbrio e o valor da constante de equilíbrio, Kc, são,
respetivamente…
(A) 0,30 mol e 1,0.
(B) 0,15 mol e 1,0.
(C) 0,15 mol e 5,1 × 10о1.
(D) 0,30 mol e 5,1 × 10о1.
9.2 Com base no valor da constante de equilíbrio, Kc, escolhido na alínea anterior, indique qual
das reações, a direta ou a inversa, é a menos extensa. Justifique.

10. Juntaram-se num vaso reator de 1,0 L de capacidade, 1,0 mol de H2 e 1,2 mol de I2, a uma dada
temperatura e pressão. A equação que traduz este equilíbrio é:
H2 (g) + I2 (g) ֖ 2 HI (g)
Mediu-se a concentração de HI no equilíbrio, à mesma temperatura e pressão, e obteve-se o
valor 1,7 mol dmо3.
Considerando esta situação, selecione a opção correta.
(A) Kc = 55
(B) Kc' = 55
(C) Kc = 1,8 × 10о2
(D) [H2]e = 0,35 mol dmо3 e [I2]e = 0,15 mol dmо3

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 95


11. O quadro abaixo contém dados referentes a cinco experiências realizadas para o equilíbrio
químico seguinte:
A (g) + B (g) ֖ C (g) + 2 D (g)
о3
Concentração / mol dm
Experiência
A B C D
I 0,50 4,00 1,00 1,00
II 4,00 2,00 1,00 2,00
III 4,00 3,00 2,00 2,00
IV 9,00 2,00 1,00 3,00
V 16,00 8,00 4,00 4,00

Das cinco experiências realizadas, quatro já atingiram o equilíbrio.


11.1 Identifique a experiência em que o equilíbrio químico não foi atingido.
11.2 Para a experiência identificada na alínea anterior, indique em que sentido irá evoluir o
sistema reacional.

12. Realizaram-se duas experiências à temperatura de 500 °C. Em cada uma delas foram
misturados H2 (g) e I2 (g) e, ao fim de um dado intervalo de tempo, foram determinadas as
concentrações das espécies presentes. A esta temperatura, o Kc para esta reação é 50. Os
valores obtidos encontram-se registados no quadro seguinte.
о3 о3 о3
Experiência [H2] / mol dm [I2] / mol dm [HI] / mol dm
I 0,10 0,40 0,20
II 0,20 0,40 2,0

A equação química que representa a reação é a seguinte:


H2 (g) + I2 (g) ֖ 2 HI (g)
12.1 Em qual das experiências foi atingido o equilíbrio químico? Justifique.
12.2 Na outra experiência, em que sentido, o da reação direta ou o da inversa, terá de evoluir
o sistema reacional de modo a atingir o equilíbrio químico? Justifique.

13. O dióxido de enxofre, SO2 (g), é um gás incolor, tóxico e de odor irritante. Provém de fontes
naturais como vulcões através da queima de combustíveis derivados do petróleo. A sua
oxidação produz o trióxido de enxofre, SO3 (g). Estes dois gases apresentam caráter ácido e ao
reagirem com a água, provocam as chuvas ácidas, que causam um grande impacto ambiental.
A equação química seguinte traduz uma reação no estado de equilíbrio, cuja constante de
equilíbrio, Kc, a uma dada temperatura é 4,8 × 10о3.
2 SO3 (g) ֖ 2 SO2 (g) + O2 (g)

96 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Considere que num dado instante, mantendo-se a temperatura constante, o valor das
concentrações é:
[SO3] = 0,50 mol dmо3; [SO2] = 0,15 mol dmо3; [O2] = 0,025 mol dmо3.
Com base nestas informações, selecione a opção correta.
(A) A reação evolui no sentido da reação direta de modo a aumentar as concentrações de
SO2 (g) e de O2 (g) e diminuir a concentração de SO3 (g), até se atingir o equilíbrio.
(B) Não ocorre variação nas concentrações porque o equilíbrio já foi atingido.
(C) A reação evolui no sentido da reação inversa de modo a aumentar a concentração de
SO2 (g), diminuir a concentração de O2 (g) e aumentar a concentração de SO3 (g), até se
atingir o equilíbrio.
(D) A reação evolui no sentido da reação direta de modo a diminuir as concentrações de SO2 (g)
e de O2 (g) e aumentar a concentração de SO3 (g), até se atingir o equilíbrio.

14. Num vaso reator com 1,0 dm3 de capacidade, são introduzidos 5,0 mol N2O4 (g). Este composto,
em determinadas condições de temperatura e pressão, decompõe-se de acordo com a equação
química seguinte:
N2O4 (g) ֖ 2 NO2 (g)
Quando se atinge o equilíbrio, o sistema reacional ainda contém 119,5 g de N2O4 (g).
Determine:
14.1 o valor da constante de equilíbrio;
14.2 a percentagem de reagente que se consumiu.

15. Um vaso reator, com a capacidade de 50,0 dm3, contém 1,00 mol de N2 (g), 3,00 mol de H2 (g) e
0,500 mol de NH3 (g). A equação química que traduz o equilíbrio que se estabelece é a seguinte:
N2 (g) + 3 H2 (g) ֖ 2 NH3 (g)
A constante de equilíbrio, Kc, à temperatura de 400 °C é 0,500.
Uma vez atingido o equilíbrio químico, àquela temperatura, a quantidade de NH3 (g) no vaso
reator será maior, menor ou igual? Justifique.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 97


Ficha formativa 4
Unidade 1 – Equilíbrio químico
Nome _____________________________________________ N.o _____ Turma ______ Data ____ /____ /____

Princípio de Le Châtelier

1. Considere os seguintes sistemas em equilíbrio e indique, para cada um, o sentido em que irá
evoluir quando se aumenta a pressão.
1.1 F2 (g) ֖ 2 F (g)
1.2 2 BrF5 (g) ֖ Br2 (g) + 5 F2 (g)
1.3 2 CO (g) + O2 (g) ֖ 2 CO2 (g)
1.4 CH4 (g) + CƐ2 (g) ֖ CH3CƐ (g) + HCƐ (g)

2. Preveja em que sentido se desloca cada um dos seguintes sistemas em equilíbrio, quando se
diminui a temperatura.
2.1 H2 (g) + I2 (g) ֖ 2 HI (g) ; 'H = +9,45 kJ

2.2 PCƐ5 (g) ֖ PCƐ3 (g) + CƐ2 (g) ; 'H соϵϮ͕ϱŬ:

3. Dos sistemas reacionais em equilíbrio I, II e III, em qual deles o equilíbrio se desloca no mesmo
sentido quando se diminui o volume e quando se aumenta a temperatura? Justifique.

I. N2 (g) + 3 H2 (g) ֖ 2 NH3 (g) ; 'H < 0


II. N2 (g) + O2 (g) ֖ 2 NO (g) ; 'H > 0

III. 3 O2 (g) ֖ 2 O3 (g) ; 'H > 0

4. Considere o seguinte equilíbrio químico:


2 NOCƐ (g) ֖ 2 NO (g) + CƐ2 (g)
O valor da constante de equilíbrio, Kc, é 4,7 × 10о4. Num determinado instante, é adicionado
NOCƐ (g) à mistura reacional. Considerando este sistema e as informações indicadas, classifique
como verdadeira ou falsa, cada uma das frases seguintes.
(A) O valor de Kc aumenta.
(B) O valor de Kc diminui.
(C) O sistema evolui no sentido da reação direta.
(D) O equilíbrio não se desloca.
(E) O valor de Kc não se altera.
(F) O sistema evolui no sentido de formar mais reagentes.

5. A equação química seguinte traduz o equilíbrio que ocorre durante a reação de fotossíntese:

6 CO2 (g) + 6 H2O (g) ֖ C6H12O6 (s) + 6 O2 (g) ; 'H = +2801,69 kJ


98 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11
Estabeleça a correspondência correta entre as colunas I e II.

I II
(A) Aumenta a concentração de CO2 (g).
1. O sistema desloca-se no sentido da reação direta.
(B) Remove-se 0,50 mol de C6H12O6.
(C) A pressão total do sistema diminui. 2. O sistema desloca-se no sentido da reação inversa.

(D) A temperatura do sistema diminui. 3. O sistema em equilíbrio não sofre qualquer


(E) Adiciona-se um catalisador apropriado. alteração.

6. O valor da constante de equilíbrio, Kc, é igual a 2,0 × 10о2, à temperatura de 2870 °C, para a
reação química seguinte:
N2 (g) + O2 (g) ֖ 2 NO (g)
Num recipiente fechado, com a capacidade de 1,00 L, existem 0,800 mol de N2 (g), 0,500 mol O2 (g)
e 0,400 mol de NO (g), à temperatura considerada.
6.1 O sistema reacional encontra-se em equilíbrio? Justifique.
6.2 Nestas condições há produção ou decomposição de NO (g)?
6.3 Uma vez atingido o equilíbrio, o que acontece à concentração de N2 (g) se se aumentar a
pressão e se mantiver a temperatura?

7. Misturam-se, num recipiente fechado, hidrogénio e iodo, que reagiram de acordo com a seguinte
equação química:
H2 (g) + I2 (g) ֖ 2 HI (g)
Uma vez atingido o equilíbrio à temperatura T, as concentrações de H2 (g), de I2 (g) e de HI (g)
são:
[H2]e = 0,50 mol dmо3 ; [I2]e = 0,50 mol dmо3; [HI]e = 2,0 mol dmо3.
Selecione a opção correta.
(A) A constante de equilíbrio, Kc, à temperatura T é igual a 8.
(B) As concentrações iniciais de hidrogénio e de iodo são iguais a 1,5 mol dmо3.
(C) Se aumentar a pressão do sistema reacional, o sistema evolui no sentido da reação direta.
(D) Se ao sistema em equilíbrio for adicionado hidrogénio, a quantidade de iodeto de hidrogénio
formado diminui.

8. Num vaso reator introduziu-se amoníaco, NH3 (g), que se decompôs parcialmente, segundo a
equação química:
2 NH3 (g) ֖ N2 (g) + 3 H2 (g) ; 'H > 0

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 99


8.1 Selecione, justificando, qual dos gráficos seguintes é compatível com a situação de
equilíbrio.

8.2 Selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte.


O que faz aumentar o rendimento da reação é…
(A) O aumento da pressão total do sistema reacional.
(B) O aumento da quantidade de nitrogénio.
(C) A adição de um catalisador.
(D) O aumento da temperatura do sistema reacional.

9. Um sistema químico, a determinada temperatura, contém os seguintes componentes gasosos em


equilíbrio.
2 F2 (g) + O2 (g) ֖ 2 OF2 (g) ; 'H = +46 kJ
Responda às seguintes questões, justificando a sua resposta.
9.1 O que acontecerá à concentração de OF2 (g) se aumentar a temperatura do sistema
reacional?
9.2 O que acontecerá à concentração de F2 (g) se aumentar a pressão do sistema reacional?
9.3 Se retirar O2 (g) ao sistema reacional, em que sentido se desloca o sistema?
9.4 O valor da constante de equilíbrio, Kc, aumenta, diminui ou mantém-se constante quando se
adiciona F2 (g) ao sistema reacional?
9.5 Quando a temperatura do sistema reacional aumenta, o que acontece ao valor da constante de
equilíbrio, Kc?
9.6 Refira o que ocorre à concentração de OF2 quando se adiciona um catalisador apropriado ao
sistema reacional.

100 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


10. O gráfico seguinte refere-se ao sistema químico:
H2 (g) + I2 (g) ֖ 2 HI (g)

Com base no gráfico, Selecione a opção correta.


(A) A adição de I2 (g) em t1 aumentou a concentração de HI (g).
(B) A adição de H2 (g) em t2 aumentou a concentração de I2 (g).
(C) A adição de H2 (g) em t2 faz diminuir o quociente da reação.
(D) A adição de H2 (g) em t1 aumentou a concentração de HI (g).

11. Equação química seguinte traduz o comportamento do amoníaco, NH3, em solução aquosa:

NH3 (aq) + H2O (Ɛ) ֖ NH 4 (aq) + OH– (aq) ; 'H < 0

Para este equilíbrio, considere as seguintes afirmações:


I. O equilíbrio desloca-se no sentido da reação inversa, quando a temperatura aumenta.
II. O equilíbrio desloca-se no sentido da reação direta quando se introduz, no sistema
reacional, cloreto de amónio, NH4CƐ.
III. O equilíbrio desloca-se no sentido da reação direta quando se diminui a pressão.
Selecione a opção correta.
(A) São verdadeiras as afirmações I e II.
(B) São verdadeiras as afirmações II e III.
(C) É verdadeira apenas a afirmação I.
(D) São verdadeiras as afirmações III e IV.

12. A reação entre o clorofórmio, CHCƐ3 (g), e o cloro, CƐ2 (g), ocorre em sistema fechado, de acordo
com a seguinte equação química:
CHCƐ3 (g) + CƐ2 (g) ֖ CCƐ4 (g) + HCƐ (g)

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 101


Selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte.
Para minimizar a formação de HCƐ (g), deve se aumentar…
(A) o volume total do sistema reacional.
(B) a pressão do sistema reacional.
(C) a concentração de CCƐ4 (g).
(D) a concentração de CHCƐ3 (g).

13. As concentrações no equilíbrio de reagentes e produtos da reação, referentes ao sistema reacional


A (g) ֖ 2 B (g), para duas temperaturas diferentes, estão indicados no quadro seguinte:
о3 о3
Temperatura / °C [A] / mol dm [B] / mol dm
200 0,0875 0,843
400 0,138 0,724

13.1 Em que sentido evolui sistema, quando se diminui a temperatura?


13.2 Classifique, sob o ponto de vista energético, o equilíbrio químico.

14. Considere o sistema em equilíbrio, representado pela equação química seguinte:


H2 (g) + CƐ2 (g) ֖ 2 HCƐ (g) ; 'H < 0
Selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte.
O rendimento da reação aumenta…
(A) baixando a temperatura a que se encontra o sistema.
(B) adicionando um catalisador apropriado.
(C) aumentando o volume do vaso reator onde ocorre o equilíbrio químico.
(D) retirando H2 (g) à mistura reacional.

15. Num balão de 1,0 dm3 de capacidade, à temperatura de 25 °C, introduz-se tetróxido de
nitrogénio, N2O4 (g), tendo-se estabelecido o equilíbrio traduzido pela seguinte equação
química:
N2O4 (g) ֖ 2 NO2 (g) ; 'H = +57 kJ
Atenda às seguintes informações:
ͻ No equilíbrio existem 0,20 mol de dióxido de nitrogénio, NO2 (g).
ͻ O valor da constante de equilíbrio, Kc, à temperatura de 25 °C, é 0,11.
15.1 Determine a quantidade de N2O4 (g), inicialmente introduzida no balão.
15.2 O valor da constante de equilíbrio desta reação à temperatura de 50 °C será superior,
inferior ou igual a 0,11? Justifique a resposta.

102 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


16. Considere o seguinte equilíbrio químico, à temperatura T:

N2 (g) + O2 (g) ֖ 2 NO (g) ; 'H < 0


Selecione a opção correta.
(A) A adição de um catalisador conduz à formação de uma maior quantidade de NO (g).
(B) Um aumento na pressão total do sistema reacional, favorece a produção de NO (g).
(C) No equilíbrio, a concentração de cada uma das espécies não permanece constante.
(D) Se a temperatura do sistema reacional aumentar, o valor da constante de equilíbrio diminui.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 103


Ficha formativa 5
Unidade 2 – Reações em sistemas aquosos
Nome _____________________________________________ N.o _____ Turma ______ Data ____ /____ /____

Reações ácido-base

1. As fórmulas seguintes representam espécies químicas.

(A) HCƐO (B) NH3 (C) Ca(OH)2 (D) H2SO4 (E) NH 4 (F) NH 2 (G) CO 23

1.1 Identifique as que são ácidos e as que são bases, segundo Arrhenius.
1.2 Identifique as que são ácidos e as que são bases, segundo a Teoria Protónica.
1.3 Quais destas espécies químicas podem ser, teoricamente, ácidos na Teoria Protónica?
1.4 Indique as bases conjugadas dos ácidos indicados na alínea anterior.

2. O amoníaco, NH3, tal como a água, também se autoioniza.


Complete a equação química seguinte e indique os pares conjugados ácido-base.
NH3 (aq) + NH3 (aq) ֖ _____ + _____

3. Considere as equações químicas que se seguem.


I. HCOOH (aq) + H2O (Ɛ) ֖ HCOOо (aq) + H3O+ (aq)

II. HCƐ (aq) + NH3 (aq) ֖ CƐо (aq) + NH 4 (aq)

III. CH3NH2 (aq) + H2O (Ɛ) ֖ CH3NH 3 (aq) + OHо (aq)

IV. HSо (aq) + H2O (Ɛ) ֖ SϮо (aq) + H3O+ (aq)


V. H2S (aq) + H2O (Ɛ) ֖ HSо (aq) + H3O+ (aq)

VI. HCO 3 (aq) + H3O+ (aq) ֖ H2CO3 (aq) + H2O (Ɛ)

VII. HCO 3 (aq) + OHо (aq) ֖ CO 23 (aq) + H2O (Ɛ)

VIII. HF (aq) + HCƐO4 (aq) ֖ H2F+ (aq) + CƐO 4 (aq)

3.1 Escreva, para cada um dos equilíbrios ácido-base, os pares conjugados ácido-base.
3.2 Quais as espécies químicas que se comportam como anfotéricas?

4. Complete as equações ácido-base que se seguem e, em cada uma delas, escreva os pares conjugados
ácido-base.
4.1 H2C2O4 (aq) + H2O (Ɛ) ֖ _____ + H3O+ (aq)

4.2 HSO 3 (aq) + H2O (Ɛ) ֖ SO 23 (aq) + _____

4.3 _____ + H2O (Ɛ) ֖ CNо (aq) + _____

4.4 HCO 3 (aq) + OHо (aq) ֖ _____ + OϮо (aq)

4.5 HCƐO (aq) + _____ ֖ CƐOо (aq) + CH3NH 3 (aq)


104 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11
5. Selecione a opção correta.
(A) A um ácido forte corresponde uma base conjugada muito fraca.
(B) Em solução aquosa, uma base é tanto mais forte quanto maior a concentração em iões H3O+.
(C) Quanto mais forte for o ácido, mais forte é a sua base conjugada.
(D) A um ácido fraco corresponde uma base conjugada forte.

6. Considere as soluções aquosas de ácido nítrico e amoníaco.


6.1 «A solução aquosa de ácido nítrico pode ser considerada como ácida, quer na teoria de
Arrhenius, quer na Teoria Protónica.»
Justifique esta afirmação e escreva as equações químicas que traduzem este
comportamento nestas duas teorias.
6.2 Escreva a equação química que traduz a reação entre as soluções de ácido nítrico e de
amoníaco e indique os pares ácido-base conjugados.
6.3 Por que razão o amoníaco só é considerado como base na Teoria Protónica?

7. Tenha em atenção os elementos (substâncias/espécies) presentes no conjunto X.

X = {H2S; H3O+; HCNH+; H2O; OHо; H2CO3; NH 4 ; HPO 24 }

Forme os pares conjugados ácido-base das espécies químicas presentes.

8. A 25 °C, Kw é igual a 1,0 × 10о14.


Preencha corretamente o quadro seguinte.

Ácido Base conjugada Ka Kb


о о10
CN 6,2 × 10
о11
HNO2 1,8 × 10
о о11
F 1,6 × 10
о5
C6H5COOH 6,3 × 10
о8
HCƐO 4,0 × 10

9. Na Teoria Protónica, CH3COOо é uma base mais forte do que Fо relativamente à água.
Selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte.
Face a esta afirmação, pode afirmar-se que…
(A) O ácido CH3COOH (aq) é mais forte do que HF (aq).
(B) A base Fо aceita protões da água com mais facilidade do que o ácido CH3COOH (aq).
(C) O ácido HF (aq) cede protões com mais facilidade do que o ácido CH3COOH (aq).
(D) Nas reações destes iões com a água, estes funcionam como ácidos.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 105


10. Considere os seguintes equilíbrios ácido-base e as respetivas constantes de acidez, Ka.
I. HOCƐ (aq) + H2O (Ɛ) ֖ H3O+ (aq) + CƐOо (aq) ; Ka = 3,2 × 10о8

II. NH 4 (aq) + H2O (Ɛ) ֖ H3O+ (aq) + NH3 (aq) ; Ka = 5,6 × 10о10

III. HC2H3O2 (aq) + H2O (Ɛ) ֖ H3O+ (aq) + C2H3O 2 (aq) ; Ka = 1,8 × 10о5

IV. H2CO3 (aq) + H2O (Ɛ) ֖ H3O+ (aq) + HCO 3 (aq) ; Ka = 4,2 × 10о7

V. HSO 4 (aq) + H2O (Ɛ) ֖ H3O+ (aq) + SO 24 (aq) ; Ka = 1,3 × 10о2

10.1 Coloque os ácidos por ordem crescente da sua força.


10.2 Coloque as bases conjugadas desses ácidos por ordem crescente da sua força.

11. Os ácidos HCƐO4 (aq), HSO 4 (aq), HCN (aq) e CH3COOH (aq) podem reagir entre si do seguinte
modo:

I. HCƐO4 (aq) + HSO 4 (aq) ֖ CƐO 4 (aq) + H2SO4 (aq)

II. HCN (aq) + CH3COOH (aq) ֖ HCNH+ (aq) + CH3COOо (aq)

III. CH3COOH (aq) + HSO 4 (aq) ֖ CH3COOH 2 (aq) + SO 24 (aq)

Com base nas equações químicas, e sem consultar qualquer tabela, coloque os quatro ácidos
por ordem crescente de acidez.

12. Considere a autoionização da água:


H2O (Ɛ) + H2O (Ɛ) ֖ H3O+ (aq) + OHо (aq)
Dados: Kw = 0,67 × 10о14 (20 °C); Kw = 9,55 × 10о14 (60 °C)
12.1 Qual a variação da concentração em iões H3O+ quando a temperatura da água passa de
20 °C para 60 °C?
12.2 À temperatura de 20 °C, uma solução com a concentração de 1,00 × 10о7 mol dmо3 em
iões H3O+ será ácida, básica ou neutra?

13. Determine as concentrações em H3O+ e OHо, bem como o pH das seguintes soluções de ácidos e
de bases, à temperatura de 25 °C:
Dado: Kw = 1,0 × 10о14 (a 25 °C)
13.1 0,0010 mol dmо3 em HCƐ;
13.2 0,0031 mol dmо3 em KOH;
13.3 0,012 mol dmо3 em Ba(OH)2;
13.4 2,1 × 10о4 mol dmо3 em HCƐO4;
13.5 0,015 mol dmо3 em HCƐO; Ka(HCƐO) = 4,8 × 10о8;
13.6 0,75 mol dmо3 em CH3NH2; Kb(CH3NH2) = 3,7 × 10о3.
106 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11
14. Selecione a opção correta.
(A) Quanto maior for a constante de acidez de um ácido, maior é a constante de basicidade da sua
base conjugada.
(B) Numa solução básica não existem iões H3O+.
(C) O ácido nítrico, HNO3 (aq), é mais forte que o ácido acético, CH3COOH (aq). Assim sendo, Kb
de NO 3 é maior que Kb de CH3COOо.

(D) Todas as soluções aquosas contêm iões H3O+ e iões OHо.

15. Complete o quadro seguinte, considerando a temperatura de 25 °C.


+ о3 о о3
[H3O ] / mol dm [OH ] / mol dm pH Caráter químico
10,5
о2
6,5 × 10
о3
7,5 × 10
7

16. Um balão volumétrico de 500 mL de capacidade está cheio de água até ao traço de referência, à
temperatura de 25 °C. Adicionaram-se 3,15 g de ácido nítrico e o volume da solução não sofreu
alteração.
Dado: Kw = 1,0 × 10о14 (a 25 °C)
Determine:
16.1 a concentração hidroniónica antes de se adicionar o ácido nítrico à água;
16.2 a concentração da solução em ácido nítrico;
16.3 a variação de pH.

17. Preparou-se uma solução A misturando 20,0 mL de uma solução aquosa de ácido clorídrico com
pH igual a 2,3, com 30,0 mL de uma outra solução aquosa de ácido clorídrico com pH igual a 2,7.
Determine a concentração em iões H3O+ da solução resultante.

18. Determine o número de iões OHо e o número de iões H3O+ existentes em 50,0 cm3 de uma
solução aquosa de metilamina, CH3NH2 (aq), de concentração igual a 0,10 mol dmо3, a 25 °C.
Dado: Kb(CH3NH2) = 3,7 × 10о3

19. O ácido acético, em solução aquosa, ioniza-se conforme indicado na seguinte equação química:
CH3COOH (aq) + H2O (Ɛ) ֖ H3O+ (aq) + CH3COOо (aq) ; Ka = 1,8 × 10о5
19.1 O ácido acético é um ácido forte ou fraco?
19.2 Uma solução aquosa deste ácido tem, a 25 °C, pH igual a 4,0.
19.2.1 Determine a concentração em iões acetato, CH3COOо (aq).
19.2.2 Que percentagem do ácido se ionizou?
Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 107
Ficha formativa 6
Unidade 2 – Reações em sistemas aquosos
Nome _____________________________________________ N.o _____ Turma ______ Data ____ /____ /____

Soluções aquosas de sais. Titulação ácido-base

1. Classifique as soluções aquosas de sais que se seguem como ácidas, básicas ou neutras.
1.1 Ca(CN)2
1.2 Na2CO3
1.3 (NH4)2SO4
1.4 NH4CƐ
1.5 Ca(NO3)2

2. A experiência mostra que uma solução aquosa de nitrato de amónio, NH4NO3 (aq), de
concentração 1,0 × 10о2 mol dmо3, é ácida.
2.1 Escreva as fórmulas químicas dos iões presentes nesta solução.
2.2 Escreva os pares conjugados ácido-base nos quais participam estes iões.
2.3 Que ião é responsável pelo caráter ácido da solução? O que pode dizer do outro ião?

3. Uma amostra de solo, após ter sido analisada, foi classificada como sendo de tipo ácido.
Selecione a opção que corresponde ao sal que pode ser usado na correção da acidez do solo.
(A) NH4CƐ (B) NaNO3 (C) CaCƐ2 (D) CaCO3

4. Uma solução de cianeto de amónio será ácida, básica ou neutra? Justifique.


Dados: Ka(HCN) = 6,17 × 10о10; Kb(NH3) = 1,8 × 10о5

5. O solo no litoral da Holanda é formado por rochas calcárias e tem sofrido ao longo dos anos a
ameaça de enchentes provocadas por chuvas torrenciais. Alguns estudiosos propuseram elevar o
nível do solo através da injeção de ácido sulfúrico, H2SO4 (aq), a 1500 m abaixo da superfície. A
reação entre o carbonato de cálcio (rochas calcárias) e o ácido sulfúrico produziria sulfato de
cálcio, CaSO4 (s), que, por ocupar o dobro do espaço ocupado pelo calcário, faria subir a
superfície do litoral. A reação que ocorreria seria:
CaCO3 (s) + H2SO4 (aq) ĺ CaSO4 (s) + CO2 (g) + H2O (Ɛ)

Da dissociação de CaCO3 e de CaSO4, obtêm-se os iões CO 23 e SO 24 .

Os iões sulfato, SO 24 , não reagem com água mas os iões carbonato, CO 23 , sim, de acordo com a
equação química:

CO 23 (aq) + H2O (Ɛ) ֖ HCO 3 (aq) + OHо (aq)

108 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Considere a temperatura de 25 °C e selecione a opção correta.
(A) Uma solução aquosa de sulfato de cálcio apresenta um valor de pH igual a 7,0, pois é uma
solução aquosa de um sal neutro.
(B) Uma solução aquosa de sulfato de cálcio apresenta um valor de pH inferior a 7,0.

(C) Uma solução de ácido sulfúrico apresenta iguais concentrações de iões SO 24 e H+.

(D) A adição de carbonato de cálcio, sob a forma de calcário, reduz a acidez do solo porque
provoca a diminuição do valor do pH.

6. A água de uma piscina em boas condições de tratamento tem um valor de pH igual a 7,5. Se a
água da piscina apresentar um valor de pH igual a 6,5, qual das seguintes substâncias, HCƐ (aq),
Na2CO3 (aq) ou NaCƐ (aq), será indicada para ser adicionada à água (na dose certa) a fim de
acertar o valor de pH? Justifique.

7. Dependendo das circunstâncias, os iões cobre (II) e ferro (III) podem estar presentes na água de
piscinas. Estes iões reagem com a água, de acordo com as seguintes equações químicas:
Cu2+ (aq) + 2 H2O (Ɛ) ֖ Cu(OH)2 (s) + 2 H+ (aq)
Fe3+ (aq) + 3 H2O (Ɛ) ֖ Fe(OH)3 (s) + 3 H+ (aq)
O hidróxido de cobre (II) é azul esverdeado e o hidróxido de ferro (III) é castanho. A formação
destes sólidos produz incrustações coloridas indesejáveis nos azulejos das piscinas, cuja água não
apresenta o valor adequado de pH.
A formação dessas incrustações ocorre quando o valor de pH da água está acima ou abaixo do
valor adequado? Justifique.

8. Selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte.


Numa titulação, atinge-se o ponto de equivalência…
(A) sempre que o valor de pH é igual a 7.
(B) quando se adiciona volumes iguais de ácido e de base.
(C) quando a concentração da base é igual à concentração do ácido.
(D) quando há igualdade entre o número de moles da base e do ácido.

9. Na titulação de 20,00 mL de uma solução de ácido nítrico, HNO3 (aq), gastaram-se 10,00 mL de
uma solução aquosa de hidróxido de sódio, NaOH (aq), com a concentração 1,0 × 10о1 mol dmо3.
9.1 Determine:
9.1.1 a concentração da solução ácida;
9.1.2 o pH no ponto de equivalência;
9.1.3 o pH da solução após a adição de 4,00 mL de solução de hidróxido de sódio.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 109


9.2 Utilizando como titulado o mesmo volume de ácido acético, CH3COOH (aq), com a mesma
concentração do ácido nítrico, o volume de solução de NaOH (aq) gasto será maior, menor
ou igual?

10. A titulação de 50,0 mL de uma base forte com um ácido forte com concentração igual a
1,0 × 10о1 mol dmо3, que reagem com estequiometria de 1 para 1 (1:1), pode ser representada
através do gráfico seguinte, em que P.E. representa o ponto de equivalência, a 25 °C.

Selecione a opção correta.


(A) O pH no ponto de equivalência é igual a 12.
(B) A concentração da base é igual a 1,0 × 10о2 mol dmо3.
(C) A concentração da base é igual a 1,0 mol dmо3.
(D) A concentração da base é igual a 5,0 × 10о2 mol dmо3.

11. 20,0 mL de ácido acético, CH3COOH (aq), são titulados com uma solução aquosa de hidróxido
de sódio, NaOH (aq), com concentração igual a 1,0 × 10о1 mol dmо3, tendo-se gasto 15,0 mL de
solução titulante.
Dado: Ka(CH3COOH) = 1,8 × 10о5 (a 25 °C)
11.1 Escreva a equação química referente a esta titulação.
11.2 Determine a concentração da solução ácida.
11.3 Selecione a opção que corresponde ao valor aproximado de pOH da solução de ácido
acético, a 25 °C.
(A) 9 (B) 10 (C) 11 (D) 12

12. Para preparar uma solução de ácido clorídrico, HCƐ (aq), retiraram-se 10,0 mL deste composto
de um frasco que continha as seguintes informações:
ͻ %(m/m) = 37%

ͻ U = 1,15 g cmо3
Este volume de ácido foi colocado num balão volumétrico de 1000 mL de capacidade, que já
continha cerca de 100 mL de água desionizada. Posteriormente adicionou-se mais água até

110 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


perfazer o traço de referência. Rolhou-se e agitou-se o balão volumétrico, de modo a
homogeneizar a solução.
12.1 Determine a concentração da solução ácida diluída.
12.2 Suponha que se procedeu à titulação de 50,0 mL de uma solução aquosa de hidróxido de
potássio, KOH (aq), com 25,0 mL da solução ácida previamente preparada. Calcule a
concentração do titulado.

13. Misturaram-se 75,0 cm3 de uma solução de ácido nítrico, HNO3 (aq), de concentração 0,2 mol dmо3,
com 75,0 cm3 de uma solução de hidróxido de amónio, NH4OH (aq), de concentração 0,2 mol dmо3.
13.1 Escreva a equação química que traduz esta reação.
13.2 Selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte.
Com base nos dados do enunciado, é correto afirmar que…
(A) se atingiu o ponto de equivalência.
(B) não se atingiu o ponto de equivalência.
(C) a solução resultante é neutra.
(D) a solução resultante é básica.

14. O composto HCƐO (aq) ioniza-se em água segundo a equação química:


HCƐO (aq) + H2O (Ɛ) ֖ CƐOо (aq) + H3O+ (aq)
A constante de acidez de HCƐO a 25 °C é 4,0 × 10о8.
As percentagens relativas, em moles, das espécies CƐOо (aq) e HCƐO (aq) dependem do valor de
pH da solução aquosa.
Selecione a opção que corresponde ao gráfico que representa de forma correta a alteração
dessas percentagens com a variação de pH da solução.

15. De um balão volumétrico de 500 mL, retiraram-se 10,0 mL de uma solução de ácido acético,
CH3COOH (aq), que foram titulados com uma solução aquosa de hidróxido de sódio, NaOH (aq),
de concentração igual a 1,0 × 10о1 mol dmо3, tendo-se gasto 25,0 mL desta solução.
Selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte.
A massa de ácido que ficou no balão após a retirada de 10,0 mL da solução ácida, é de cerca de…
(A) 5 g (B) 7 g (C) 11 g (D) 14 g

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 111


16. O valor do pH da água da chuva é normalmente igual a 5,6, o que indica que a água da chuva é
ligeiramente ácida. Essa acidez é devida, principalmente, à presença do ácido carbónico,
H2CO3 (aq), resultante da reação entre o dióxido de carbono existente na atmosfera e a água.
Nos grandes centros urbanos, contudo, a presença de maior número de poluentes promove o
aparecimento de ácidos fortes na chuva, como o ácido sulfúrico e o ácido nítrico, originando o
fenómeno das chuvas ácidas.
Foram analisadas duas amostras, X e Y, de chuva ácida. A amostra X apresentou um valor de pH
igual a 3,6 e a amostra Y apresentou um valor de pH igual a 2,6.
16.1 Qual das amostras é mais ácida? Justifique.
16.2 Que relação existe entre as concentrações de H3O+ nas duas amostras?

17. Em determinada data e à mesma hora foram feitas determinações simultâneas de pH e do


volume de água da chuva caída em três cidades da Europa, sendo os valores encontrados (nas
estações de recolha) os seguintes:
x Vila Franca de Xira (Portugal): pH = 5,5; V = 100,0 cm3.

x Manchester (Reino Unido): pH = 5,0; V = 89,0 cm3.


x Västervik (Suécia): pH = 3,5; V = 18,0 cm3.
17.1 Determine a relação entre as concentrações de H3O+ nas águas da chuva caídas em Vila
Franca de Xira e Västervik.
17.2 Calcule a quantidade de iões H3O+, em milimoles (mmol), que existe em 80,0 cm3 de água
da chuva recolhida em Manchester.
17.3 Suponha que a referida acidez é proveniente do dióxido de enxofre emitido para a
atmosfera (por queima de combustíveis com enxofre), através da transformação química
global:

SO2 (g) + 1 O2 (g) + H2O (Ɛ) ĺ H2SO4 (aq)


2

Determine a massa de enxofre responsável pela quantidade de ácido sulfúrico existente


na totalidade de água da chuva captada no local de recolha de Vila Franca de Xira.

112 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Ficha formativa 7
Unidade 2 – Reações em sistemas aquosos
Nome _____________________________________________ N.o _____ Turma ______ Data ____ /____ /____

Reações de oxidação-redução

1. Selecione a opção correta.


(A) A espécie que se oxida, numa reação de oxidação-redução, é o oxidante.
(B) Sempre que há uma oxidação, há simultaneamente uma redução.
(C) A soma algébrica dos números de oxidação (n.o.) de todos os átomos de uma dada espécie é
sempre zero.
(D) A espécie que capta eletrões é o redutor.

2. Complete com o número correto de eletrões as equações que se seguem e indique, justificando,
quais as que representam oxidações e quais as que representam reduções.
2.1 Na ĺ Na+ 2.2 H2 ĺ 2 H+ 2.3 O ĺ OϮо 2.4 AƐ ĺ AƐ3+

3. Determine o n.o. dos elementos químicos assinalados nas espécies que se seguem.
3.1 NH 4 3.2 H2SO4 3.3 K2O2 3.4 LiH 3.5 P4 3.6 PH3

3.7 Cr2(SO4)3 3.8 KMnO4 3.9 CƐO 4 3.10 PO 34 3.11 CO 23

4. Considere as equações químicas que se seguem:


I. PbO (s) + CO (g) ĺ Pb (s) + CO2 (g)
II. 3 CuO (s) + 2 NH3 (aq) ĺ 3 Cu (s) + 3 H2O (Ɛ) + N2 (g)
III. Mg (s) + H2SO4 (aq) ĺ MgSO4 (aq) + H2 (g)
IV. MnO2 (s) + 4 HCƐ (aq) ĺ MnCƐ2 (aq) + 2 H2O (Ɛ) + CƐ2 (g)
Indique para cada uma das reações químicas:
4.1 o elemento que se reduz e o elemento que se oxida;
4.2 a espécie oxidante e espécie redutora.

5. A equação química seguinte traduz a combustão do metano no ar:


CH4 (g) + 2 O2 (g) ĺ CO2 (g) + 2 H2O (g)
5.1 Com base na equação química, determine:
5.1.1 a quantidade de dióxido de carbono produzido a partir de 3,0 mol de CH4 (g);
5.1.2 o volume de oxigénio, nas condições PTN, necessário para a combustão completa de
0,80 g de CH4 (g);
5.1.3 o número de oxidação do carbono na molécula de dióxido de carbono.
5.2 Prove que a equação química traduz uma reação de oxidação-redução.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 113


6. Considere a seguinte equação:
CƐ2 (aq) + 2 Iо (aq) ֖ I2 (aq) + 2 CƐо (aq)
Selecione a opção correta.
(A) O ião Iо é o agente oxidante.
(B) O ião Iо é reduzido.
(C) O número de ŽdžŝĚĂĕĆŽĚŽĐůŽƌŽǀĂƌŝĂĚĞϬƉĂƌĂоϭ͘
(D) O cloro é o agente redutor.

7. O fósforo obtém-se aquecendo o mineral fosfato de cálcio, Ca3(PO4)2 (s), com areia, SiO2, e carvão
(carbono), C, de acordo com a equação química seguinte:
Ca3(PO4)2 + 3 SiO2 (s) + 5 C (s) ĺ 3 CaSiO3 (s) + 5 CO (g) + 2 P (s)
Indique:
7.1 o número de eletrões captados pelo átomo que é reduzido;
7.2 o número de eletrões cedidos pelo átomo que se oxida.

8. A equação química seguinte traduz uma reação de oxidação-redução:


AƐ2O3 (s) + 3 H2 (g) ĺ 2 AƐ (s) + 3 H2O (g)
Dados: M(H2) = 2,02 g molо1; M(AƐ) = 26,98 g molо1
8.1 Indique:
8.1.1 a variação do número de oxidação do alumínio;
8.1.2 a espécie química oxidante.
8.2 Sob determinadas condições, a reação de 120,0 g de hidrogénio produz 810,0 g de alumínio
metálico.
Calcule, nestas condições, o rendimento da reação.

9. A reação química entre o ferro metálico e uma solução ácida pode ser traduzida pela seguinte
equação:
Fe (s) + 2 H+ (aq) ĺ Fe2+ (aq) + H2 (g)
9.1 «A reação entre o ferro metálico e uma solução ácida é uma reação de oxidação-redução.»
Justifique esta afirmação.
9.2 Selecione a opção correta.
(A) O ferro metálico é reduzido.
(B) O ferro metálico é oxidado.
(C) H+ é o agente redutor.
(D) A variação do número de oxidação ĚŽĨĞƌƌŽĠоϮ͘
9.3 Considerando que reagiram 3,0 mol de iões H+, determine o número de moléculas de
hidrogénio que se formam.

114 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


10. A reação de oxidação dos iões Fe2+ (aq) com uma solução aquosa de permanganato, em meio
ácido pode ser representada de acordo com a equação química seguinte:

MnO 4 (aq) + 8 H+ (aq) + 5 Fe2+ (aq) ĺ Mn2+ (aq) + 5 Fe3+ (aq) + 4 H2O (Ɛ)

Para esta reação, selecione a opção correta.

(A) 0,10 mol de iões MnO 4 oxida 0,10 mol de iões Fe2+.

(B) 0,10 mol de iões MnO 4 oxida 0,80 mol de iões Fe2+.

(C) A redução de 0,10 mol de iões MnO 4 provoca a formação de 0,40 mol de H2O.

(D) A oxidação completa de 0,50 mol de de iões Fe2+ será acompanhada da formação de
0,10 mol de H2O.

11. O esquema que se segue traduz o poder redutor crescente.


Poder redutor crescente

Hg Ag Cu H2 Sn Fe Zn Mg Na

Classifique como verdadeira ou falsa, cada uma das frases seguintes.


(A) O cobre é um redutor mais forte que o zinco.
(B) O zinco é um redutor mais forte que o hidrogénio.
(C) O hidrogénio é um redutor mais forte que o magnésio.
(D) Os sais de sódio são pouco oxidantes.
(E) Os iões Zn2+ são mais oxidantes do que os iões Ag+.

12. Selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte.


Relativamente aos halogéneos pode afirmar-se que…
(A) o cloro é mais oxidante que o bromo.
(B) o bromo é menos oxidante que o iodo.
(C) o ião cloreto é mais redutor que o ião iodeto.
(D) o oxigénio é mais oxidante que o cloro.

13. A reação de oxidação-redução que se segue é uma reação de equilíbrio cuja constante de
equilíbrio, a uma dada temperatura, é igual a 2,0 × 106.
I2 (s) + Sn2+ (aq) ֖ 2 Iо (aq) + Sn4+ (aq)
13.1 Identifique, justificando, o redutor mais forte.
13.2 Determine o valor da constante de equilíbrio da reação inversa. O que traduz o valor
dessa constante?

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 115


14. Com base na série eletroquímica, classifique como verdadeira ou falsa cada uma das afirmações
que se seguem.
(A) De entre os metais magnésio, zinco, cobalto, prata, chumbo e cobre, a prata é o melhor
agente redutor.
(B) O chumbo cede eletrões mais facilmente que o zinco.
(C) A reação Mg2+ (aq) + Zn (s) ĺ Zn2+ (aq) + Mg (s) não é espontânea.
(D) O ião Mg2+ capta eletrões com mais facilidade que o ião Cu2+.
(E) Pode guardar-se uma solução de nitrato de cobre (II) num recipiente feito de chumbo.

15. Considere a seguinte equação de oxidação-redução em meio ácido.

NO 3 (aq) + 3 Ag (s) + 4 H+ (aq) ĺ 3 Ag+ (aq) + NO (g) + 2 H2O (Ɛ)

15.1 Determine os números de oxidação do nitrogénio nas duas espécies químicas indicadas.

15.2 Sabendo que a reação é extensa, indique qual dos iões, Ag+ ou NO 3 , tem maior poder
oxidante. Justifique.

16. Considere as experiências esquematizadas nas figuras seguintes.

16.1 Escreva as equações de oxidação-redução relativas às reações I e IV.


16.2 Selecione a opção que corresponde, de acordo com os resultados obtidos, à sequência
correta para os poderes redutor dos metais.
(A) Ag > Pb > Ni
(B) Pb > Ni > Ag
(C) Ni > Pb > Ag
(D) Ag > Ni > Pb
16.3 Coloque por ordem decrescente dos poderes oxidantes os iões Ni2+, Pb2+ e Ag+.

116 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Ficha formativa 8
Unidade 2 – Reações em sistemas aquosos
Nome _____________________________________________ N.o _____ Turma ______ Data ____ /____ /____

Equilíbrio de solubilidade

1. O gráfico seguinte mostra as curvas de solubilidade dos sais nitrato de potássio, KNO3, e sulfato
de manganês, MnSO4.

1.1 Sob o ponto de vista energético, como se classificam os processos de dissolução destes dois
sais?
1.2 Considere duas soluções aquosas com o volume de 100 mL e à temperatura de 80 °C:
ͻ solução X: solução de nitrato de potássio que contém aproximadamente 17,5 g deste sal;
ͻ solução Y: solução de permanganato de potássio que contém 5 g deste sal.
Com base nestes dados, selecione a opção correta.
(A) As soluções X e Y estão saturadas.
(B) A solução X está insaturada e a solução Y está sobressaturada.
(C) A solução X está insaturada e a solução Y está saturada.
(D) A solução X está saturada e a solução Y está sobressaturada.

2. Quando o hidróxido de lítio, LiOH, se dissolve em água, forma-se uma solução aquosa que contém
iões Li+ e OHо. Numa aula laboratorial e à temperatura ambiente, foi entregue a um grupo de
alunos um copo de precipitação com a massa de 30,0 g e um dado volume de solução aquosa de
hidróxido de lítio. Após terem introduzido a solução no copo de precipitação, mediram de novo a
massa de conjunto, tendo obtido o valor 50,0 g.
Evaporando a solução até à secura, tornaram a medir a massa do copo com o resíduo e
obtiveram o valor de 31,0 g. À temperatura referida, a solubilidade de LiOH em água é,
aproximadamente, 11 g de soluto por 100 g de solução.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 117


Selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte.
Pode afirmar-se que na solução descrita na experiência, a percentagem em massa de LiOH era…
(A) 5,0%, sendo a solução saturada.
(B) 11%, sendo a solução insaturada.
(C) 11%, sendo a solução saturada.
(D) 5,0%, sendo a solução insaturada.

3. A solubilidade de algumas substâncias pode ser


alterada pelo pH do meio. O gráfico ao lado
representa a variação da solubilidade dos compostos
sólidos hidróxido de ferro (III), Fe(OH)3 (s), e hidróxido
de alumínio, AƐ(OH)3 (s), em função do pH.
Assim, quando o valor de pH é 2,5 existe precipitado
de Fe(OH)3 (s), mas para pH igual a 1,0 este hidróxido
solubiliza-se.
3.1 Considere uma solução aquosa com uma
concentração 0,20 mol dmо3 em AƐ3+. A partir de
que valor de pH começará a haver precipitação de AƐ(OH)3?
3.2 Sugira um valor, ou um intervalo, de pH que seja adequado para que ocorra a precipitação
de apenas um dos compostos. Identifique esse composto.
3.3 Se adicionar 0,20 mol de cada um destes dois hidróxidos a 1,0 dm3 de água desionizada,
ocorrerá a solubilização dos mesmos? Justifique.

4. Escreva as expressões dos produtos de solubilidade dos seguintes sais:


4.1 sulfato de cálcio, CaSO4 (s);
4.2 cloreto de chumbo, PbCƐ2 (s);
4.3 hidróxido de alumínio, AƐ(OH)3 (s);
4.4 fosfato de cálcio, Ca3(PO4)2 (s).

5. Considere a seguinte reação química:


Mg(OH)2 (s) ֖ Mg2+ (aq) + 2 OHо (aq)
Selecione a opção que corresponde à expressão do produto de solubilidade, Ks, para esta reação
química.
ൣMg(OH)2 ൧e
(A) Ks = 2
ൣMg2+ ൧e × ቂOH- ቃ
e

(B) Ks = [Mg ]e × 2 [OHо]e


2+

(C) Ks = [Mg2+]e × [OHо] 2e

(D) Ks = [Mg2+]e + [OHо] 2e

118 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


6. Considere os valores do produto de solubilidade a 25 °C, dos seguintes sais:
Ks(Mg(OH)2) = 5,61 × 10о12; Ks(Ag2CrO4) = 1,12 × 10о12; Ks(Ca(OH)2) = 5,02 × 10о6; Ks(FeF2) = 2,3 × 10о6 ;
Ks(La(IO3)3) = 7,5 × 10о12
6.1 Escreva a expressão do produto de solubilidade, Ks, para os sais fluoreto de ferro (II), FeF2, e
iodato de lantânio, La(IO3)3.
6.2 De entre os sais Ca(OH)2 e FeF2 diga qual o que apresenta maior solubilidade. Analise o
resultado.
6.3 Coloque por ordem crescente de solubilidade os sais Ag2CrO4, La(IO3)3 e Mg(OH)2.

7. A uma dada temperatura, a solubilidade do sulfato de prata, Ag2SO4, em água é 2,0 × 10о2 mol dmо3.
Determine o valor do produto de solubilidade deste sal, à mesma temperatura.

8. Uma solução básica saturada representada por X(OH)2, apresenta, à temperatura de 25 °C, um
valor de pH igual a 10. A equação para esta reação é a seguinte:
X(OH)2 (s) ֖ X2+ (aq) + 2 OHо (aq)
Selecione a opção que corresponde ao valor do produto de solubilidade, Ks, para este equilíbrio.
(A) 5,0 × 10о13
(B) 2,0 × 10о13
(C) 6,0 × 10о12
(D) 3,0 × 10о12

9. O produto de solubilidade, Ks, do hidróxido de prata, AgOH, é 2,25 × 10о5, a 25 °C. Determine o
valor de pH de uma solução saturada de hidróxido de prata.

10. O produto de solubilidade, Ks, do cloreto de prata, AgCƐ, é 1,77 × 10о10, a 25 °C.
Selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte.
A solubilidade deste sal em água é…
(A) 1,3 × 10о5 mg dmо3.
(B) 2,6 × 10о5 mg dmо3.
(C) 5,6 mg dmо3.
(D) 1,9 mg dmо3.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 119


11. A concentração dos iões Ag+ numa solução aquosa é igual a 4,0 × 10о3 mol dmо3. Determine a
concentração mínima em iões CƐо, expressa em mol dmо3, para que se verifique o início da
precipitação do sal cloreto de prata.
Dado: Ks(AgCƐ) = 1,77 × 10о10

12. A concentração do ião cálcio, Ca2+, no sangue é 2,5 × 10о3 mol dmо3. Se a concentração do ião
oxalato, C2O 24 , for igual a 1,0 × 10о7 mol dmо3, verifica-se a precipitação do oxalato de cálcio?

Dado: Ks(CaC2O4) = 2,32 × 10о9

13. O carbonato de cálcio, CaCO3, e o sulfato de cálcio, CaSO4, são sais pouco solúveis. De entre
estes dois sais, identifique o que apresenta o valor da solubilidade mais afetado quando se lhe
adiciona um ácido forte.

14. Adicionam-se 50,0 mL de uma solução aquosa de cloreto de bário, BaCƐ2, com a concentração
1,0 × 10о2 mol dmо3 a 50,0 mL de uma solução aquosa de sulfato de sódio, Na2SO4, com a
concentração 1,0 × 10о3 mol dmо3.
Considere que o volume total da mistura é igual à soma dos volumes das soluções e que
Ks(BaSO4) é 1,08 × 10о10.
14.1 Prove, através de cálculos adequados, que ocorre precipitação de sulfato de bário.
14.2 Determine a massa de precipitado formado.

15. À temperatura de 25 °C, um copo de precipitação contém 50,0 mL de uma solução aquosa com
iões chumbo (II), Pb2+, com a concentração de 2,0 × 10о2 mol dmо3 e com iões prata, Ag+, com a
concentração de 6,0 × 10о3 mol dmо3.
A esta solução adiciona-se lentamente cloreto de potássio sólido, de forma a precipitar os
cloretos de chumbo (II) e de prata. Considere que não há alteração de volume nem de
temperatura.
Dados: Ks(PbCƐ2) = 1,70 × 10о5; Ks(AgCƐ) = 1,77 × 10о10
15.1 Escreva as equações químicas que traduzem os equilíbrios de solubilidade do cloreto de
prata e do cloreto de chumbo (II).
15.2 Qual dos sais, PbCƐ2 ou AgCƐ, começa a precipitar primeiro?

16. Os cálculos renais são agregados cristalinos constituídos por alguns sais, entre eles o fosfato de
cálcio, Ca3(PO4)2, que se forma através da reação entre os iões cálcio e os iões fosfato existentes
no sangue.
A equação química que traduz este equilíbrio de solubilidade é a seguinte:

Ca3(PO4)2 (s) ֖ 3 Ca2+ (aq) + 2 PO 34 (aq)

120 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


16.1 Escreva a expressão que relaciona a produto de solubilidade com a respetiva solubilidade.
16.2 A formação dos cálculos renais é favorecida…
(A) pela diminuição da pressão.
(B) pelo aumento da pressão.
(C) pela alta concentração de iões cálcio no sangue.
(D) pela baixa concentração de iões fosfato no sangue.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 121


Teste de diagnóstico
Nome _____________________________________________ N.o _____ Turma ______ Avaliação ____________

Data ____ /____ /____ Professor ________________________ Enc. de Educação ______________________

Grupo I

Os métodos espetroscópicos constituem um suporte experimental importante para o estudo da


estrutura eletrónica de átomos e moléculas.
A espetroscopia atómica possibilitou a descoberta de muitos elementos até então desconhecidos.
Permitiu também obter informação acerca dos elementos que existem em estrelas e planetas.
1. Selecione a opção correta.
(A) Os espetros atómicos contínuos permitem identificar elementos químicos.
(B) As radiações eletromagnéticas propagam-se à mesma velocidade em qualquer meio.
(C) Quanto maior a frequência de uma radiação mais elevada é a respetiva energia.
(D) As radiações infravermelhas, IV, são mais energéticas que as radiações ultravioletas, UV.

2. O esquema ao lado representa um diagrama de energia do


átomo de hidrogénio e algumas transições eletrónicas
possíveis, identificadas pelas letras A, B, C e D.
2.1 Indique o valor da energia de ionização do átomo de
hidrogénio.
2.2 Indique o valor da energia mínima necessária para
extrair um eletrão que se encontra no segundo estado
excitado.
2.3 Determine o valor da energia correspondente à emissão
de radiação visível.
2.4 Indique qual das transições eletrónicas representadas corresponde a uma risca da série de
Lyman.
2.5 Em relação aos dados presentes na figura, selecione a opção correta.
(A) A energia da radiação associada à transição eletrónica A é igual à soma dos módulos das
energias associadas às transições eletrónicas C e D.
(B) A radiação associada à transição eletrónica C é da gama ultravioleta.
(C) A transição eletrónica D ocorre com absorção de energia.
(D) A frequência da radiação associada à transição eletrónica D é menor que a frequência
associada à transição eletrónica C.

122 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Grupo II

Considere as configurações eletrónicas dos átomos A, B, C e D, em que as letras não correspondem


aos verdadeiros símbolos químicos.
A. [Ne] 3s1 B. [Ne] 3s2 3p4 C. [Ne] 3s2 3p5 D. [Ne] 3s2 3p6

1. Considere que um elemento designado simbolicamente por E pertence ao mesmo grupo da


Tabela Periódica que o elemento designado por C, mas cujos eletrões estão distribuídos por
menos um nível de energia.
1.1 Escreva a configuração eletrónica do elemento E.
1.2 Indique o período da Tabela Periódica a que este elemento pertence.

2. Selecione a opção correta.


(A) No estado de energia mínima, todos os eletrões de valência do átomo C possuem a mesma
energia.
(B) [Ne] 3s1 3p7 representa um estado excitado do átomo D.
(C) O átomo B pertence ao grupo 14 e ao terceiro período da Tabela Periódica.
(D) A primeira energia de ionização do átomo B é superior à primeira energia de ionização do
átomo A.

3. Compare os raios dos elementos B e C. Justifique a sua resposta.

Grupo III

A figura seguinte representa quatro balões de vidro, A, B, C e D, com igual capacidade, que contêm
os gases dióxido de carbono, CO2, oxigénio, O2, amoníaco, NH3, e metano, CH4, respetivamente.
Estes gases são componentes da atmosfera terrestre e encontram-se nas condições PTN dentro
destes balões.
Dados: M(CO2) = 44,01 g molо1; M(O2) = 32,00 g molо1; M(NH3) = 17,03 g molо1;
M(CH4) = 16,04 g molо1; Vm = 22,4 dm3 molо1 (PTN)

1. A massa de dióxido de carbono, CO2, encerrada no balão A é 110,0 g. Determine a massa de


amoníaco que está encerrada no balão C.

2. Calcule a massa volúmica do oxigénio que se encontra no balão B.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 123


3. Em relação aos gases encerrados nos balões B e D, selecione a opção correta.
(A) Por terem volumes iguais, têm massas iguais.
(B) Por terem volumes iguais, têm a mesma densidade.
(C) Por estarem nas mesmas condições de pressão e temperatura, têm igual número de
moléculas.
(D) Por terem a mesma quantidade química, têm o mesmo número de átomos.

4. Considere as moléculas de NH3 e selecione a opção correta.


(A) A geometria da molécula é triangular e o átomo central possui um par de eletrões não
partilhado.
(B) A geometria da molécula é trigonal piramidal e o átomo central possui um par de eletrões não
partilhado.
(C) A geometria da molécula é trigonal piramidal e o átomo central possui três pares de eletrões.
(D) A geometria da molécula é tetraédrica pois possui quatro pares de eletrões ligados ao átomo
central e o átomo central possui três pares de eletrões.

5. Associe, de forma correta, as fórmulas químicas da coluna I com a descrição das substâncias da
coluna II.

I II
(A) NH3 1. Substância covalente que estabelece ligações
de hidrogénio com a água
(B) CH4 2. Substância metálica
3. Substância covalente cujas moléculas estão
(C) HCƐ ligadas entre si por forças de London
4. Substância iónica
(D) Fe
5. Substância covalente cujas moléculas estão
(E) NaCƐ ligadas entre si por forças do tipo dipolo
permanente-dipolo permanente

6. Considere a reação de síntese do amoníaco representada


pela equação química:
N2 (g) + 3 H2 (g) ĺ 2 NH3 (g)
O diagrama de energia ao lado é relativo à síntese do
amoníaco.
Dados: E(H–H) = 436 kJ molо1; E(N–H) = 391 kJ molо1;
E(N { N) = 945 kJ molо1
6.1 A que correspondem as letras X, Y e Z?
6.2 Determine os valores referentes a 1, 2 e 3.
6.3 A síntese do amoníaco é uma reação endotérmica ou exotérmica? Justifique.
124 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11
Grupo IV

A preparação de soluções aquosas a partir de um soluto sólido, assim como a preparação de


soluções aquosas por diluição de soluções previamente preparadas, são duas das Atividades
Laboratoriais do Programa de Física e Química A.
No laboratório, cada grupo de alunos preparou 500 mL de uma solução aquosa de cromato de
potássio, K2CrO4, com a concentração 2,5 × 10о2 mol dmо3.
Dado: M(K2CrO4) = 194,20 g molо1

1. Que massa de cromato de potássio foi necessário medir para preparar a solução?

2. Indique todo o material de laboratório necessário para a preparação desta solução.

3. Selecione a opção correta.

(A) A concentração em iões K+ é igual à concentração em iões CrO 24 .

(B) A concentração em iões K+ é igual a 5,0 × 10о2 mol dmо3.


(C) Considerando a massa volúmica desta solução igual a 1,0 g cmо3, a sua concentração expressa
em %(m/m) é igual a 0,60%.
(D) A concentração dos iões K+ expressa em ppm é 4,25 × 103.

4. A partir a solução anterior, o grupo de alunos teve de preparar 250 mL de uma outra solução de
cromato de potássio com a concentração de 1,0 × 10о3 mol dmо3.
4.1 Calcule o fator de diluição.
4.2 Que volume de solução inicial se deve retirar para preparar a nova solução?
4.3 Descreva como procederia para preparar a nova solução.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 125


Cotações
Grupo I
1. 5 pontos
2.
2.1 5 pontos
2.2 10 pontos
2.3 10 pontos
2.4 5 pontos
2.5 5 pontos
40 pontos
Grupo II
1.
1.1 5 pontos
1.2 5 pontos
2. 5 pontos
3. 15 pontos
30 pontos
Grupo III
1. 15 pontos
2. 10 pontos
3. 5 pontos
4. 5 pontos
5. 10 pontos
6.
6.1 5 pontos
6.2 15 pontos
6.3 10 pontos
75 pontos
Grupo IV
1. 10 pontos
2. 10 pontos
3. 5 pontos
4.
4.1 10 pontos
4.2 10 pontos
4.3 10 pontos
55 pontos
Total 200 pontos

126 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Matriz do Teste de diagnóstico

Itens Seleção Resposta curta Resposta restrita Cálculo Total

Espetro I
5
atómico 1. (5)

I
Modelo I I I
2.1 (5) 35
de Bohr 2.5 (5) 2.2 (10) 2.3 (10)
2.4 (5)

II
Tabela II II
1.1 (5) 30
Periódica 2. (5) 3. (15)
1.2 (5)

III
Volume III
1. (15) 30
molar 3. (5)
2. (10)

Ligação
química e III III
15
geometria 4. (5) 5. (10)
molecular
Energia
III III III
e reações 30
6.1 (5) 6.3 (10) 6.2 (15)
químicas

IV
Atividade IV IV IV 1. (10)
55
laboratorial 3. (5) 2. (10) 4.3 (10) 4.1 (10)
4.2 (10)

Total 30 35 55 80 200

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 127


Teste 1
Nome _____________________________________________ N.o _____ Turma ______ Avaliação ____________

Data ____ /____ /____ Professor ________________________ Enc. de Educação ______________________

Grupo I

1. O cianeto de hidrogénio, HCN (g), é um dos reagentes empregues na preparação do cianeto de


sódio que, por sua vez, se utiliza na extração de ouro de minérios auríferos.
O cianeto de hidrogénio pode obter-se a partir da reação entre o amoníaco, NH3 (g), e o gás
natural, CH4 (g), numa atmosfera de oxigénio e na presença de um catalisador, a platina, Pt.
Pt
2 NH3 (g) + 2 CH4 (g) + 3 O2 (g) ՜ 2 HCN (g) + 6 H2O (g)
Num vaso reator encerraram-se 13,6 g de NH3 (g) com 12,8 g de CH4 (g) e 16,0 g de O2 (g), sob
condições PTN.
Dados: M(NH3) = 17,03 g molо1; M(O2) = 32,00 g molо1; M(CH4) = 16,04 g molо1;
M(HCN) = 27,03 g molо1; Vm = 22,4 dm3 molо1 (PTN)
1.1 O que se entende por reagente limitante?
1.2 Indique o reagente limitante.
1.3 Determine a massa de HCN (g) que se obtém.
1.4 Selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte.
O volume de H2O (g) que se liberta, nas condições PTN, é…
(A) 11,2 dm3. (B) 22,4 dm3. (C) 28,0 dm3. (D) 44,8 dm3.
1.5 Determine a quantidade química de reagentes em excesso que permanecem no vaso reator.

2. Uma amostra de calcário com a massa de 5,00 g contém carbonato de cálcio. Esta amostra é
tratada com ácido oxálico, H2C2O4 (aq), de acordo com a equação química seguinte:
CaCO3 (s) + H2C2O4 (aq) ĺ CaC2O4 (s) + H2O (Ɛ) + CO2 (g)
Consumiram-se 500 mL de ácido oxálico, tendo-se obtido 4,48 g de oxalato de cálcio.
Dados: M(H2C2O4) = 90,04 g molо1; M(CaCO3) = 100,09 g molо1; M(CaC2O4) = 128,10 g molо1;
M(H2O) = 18,02 g molо1
2.1 Determine o grau de pureza do carbonato de cálcio.
2.2 Sabendo que o ácido oxálico foi totalmente consumido, selecione a opção que corresponde
à concentração da solução ácida.
(A) 3,50 × 10о2 mol dmо3
(B) 7,00 × 10о2 mol dmо3
(C) 1,00 × 10о1 mol dmо3
(D) 1,40 × 10о1 mol dmо3
128 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11
2.3 Considerando que a solução tem massa volúmica igual a 1,0 g cmо3, calcule a fração molar
do ácido oxálico.

3. A preparação laboratorial do oxigénio é feita através do aquecimento do clorato de potássio, de


acordo com a equação química seguinte:
2 KCƐO3 (s) ĺ 2 KCƐ (s) + 3 O2 (g)
A partir de 24,5 g de KCƐO3 (s) obtiveram-se 5,00 dm3 de oxigénio, nas condições PTN. Calcule o
rendimento da reação.
Dado: M(KCƐO3) = 122,55 g molо1

Grupo II

1. Considere a reação química representada e a respetiva constante de equilíbrio a uma dada


temperatura T.
SO3 (g) + NO (g) ֖ NO2 (g) + SO2 (g) ; Kc = 0,50 (à temperatura T)
Selecione a opção que permite completar corretamente a frase seguinte.
Misturando 1,0 mol de SO3 (g), 2,0 mol de NO (g), 0,50 mol de NO2 (g) e 0,10 mol de SO2 (g), à
temperatura T, pode prever-se que, até ser atingido o estado de equilíbrio, diminuam as
quantidades químicas de SO3 (g) e de NO (g), e aumentem as quantidades químicas de NO2 (g) e
de SO2 (g), porque…
(A) a concentração de NO (g) é superior à concentração de SO3 (g).
(B) a concentração de SO2 (g) é inferior à concentração de NO2 (g).
(C) o quociente da reação é inferior à constante Kc.
(D) o quociente da reação é superior à constante Kc.

2. O óxido nítrico, NO, é formado nos gases que provém dos tubos de escape de automóveis, em
movimento, pela reação entre N2 (g) e O2 (g) da atmosfera. A equação de equilíbrio é:
N2 (g) + O2 (g) ֖ 2 NO (g)
A constante de equilíbrio, Kc, a 2127 °C, é 2,50 × 10о3.
Considere que a mistura reacional, à temperatura referida, se encontra em equilíbrio e contém
2,3 × 10о3 mol de N2 e 3,1 × 10о2 mol de O2, por dm3.
2.1 Com base nos dados apresentados, determine:
2.1.1 a concentração de NO, no equilíbrio;
2.1.2 a concentração inicial de N2.
2.2 Selecione a opção que corresponde ao valor da fração molar de NO.
(A) 1,2 × 10о3 (B) 1,2 × 10о2 (C) 2,4 × 10о2 (D) 2,4 × 10о2

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 129


3. Num vaso reator de 5,0 dm3 de capacidade encerrou-se 1,00 mol de iodeto de hidrogénio, HI (g).
À temperatura de 458 °C, o sistema reacional atinge o equilíbrio de acordo com a equação
química seguinte:
2 HI (g) ֖ H2 (g) + I2 (g)
A quantidade química de HI (g) presente no equilíbrio, à temperatura referida, é 0,079 mol.
3.1 Determine as quantidades químicas de H2 (g) e de I2 (g), no equilíbrio.
3.2 Calcule a percentagem de HI (g) ionizado.
3.3 Selecione a opção que corresponde ao valor da constante de equilíbrio, Kc, à temperatura
referida.
(A)17 (B) 34 (C) 1,7 (D) 3,4

4. Considere o seguinte equilíbrio químico, à temperatura de 700 °C.


NO2 (g) + SO2 (g) ֖ SO3 (g) + NO (g)
Introduziram-se 10,0 mol de SO2 (g) e 10,0 mol de NO2 (g) num recipiente fechado, com a
capacidade de 5,0 dm3. Uma vez atingido o equilíbrio, verificou-se que as concentrações de
SO3 (g) e de NO (g) eram de 1,5 mol dmо3.
4.1 Determine o valor das concentrações de NO2 (g) e de SO2 (g) no equilíbrio.
4.2 Calcule a constante de equilíbrio para esta reação, à temperatura de 700 °C.
4.3 Num outro estado de equilíbrio, para a mesma reação, as concentrações dos vários
componentes são:
ͻ [SO2]e = [NO2]e = 0,3 mol dmо3
ͻ [SO3]e = [NO]e = 0,9 mol dmо3
O que conclui acerca da temperatura destes dois estados de equilíbrio?

Grupo III

1. A aspirina (ácido acetilsalicílico, C9H8O4) é preparada a partir do aquecimento do ácido salicílico,


C7H6O3, com o anidrido acético, C4H6O3. O outro produto da reação é o ácido acético, C2H4O2.
A equação química que traduz a síntese da aspirina é:
C7H6O3 (s) + C4H6O3 (s) ĺ C9H8O4 (s) + C2H4O2 (Ɛ)
No laboratório, entregou-se a um grupo de alunos 2,00 g de ácido salicílico e 4,00 g de anidrido
acético.
Dados: M(C7H6O3) = 138,12 g molо1; M(C4H6O3) = 102,09 g molо1; M(C9H8O4) =180,15 g molо1
1.1 Que massa de aspirina deverão os alunos obter?
1.2 Depois de convenientemente lavada e filtrada, os alunos determinaram a massa de produto
sólido obtido, tendo o resultado sido de 2,10 g.
Calcule o rendimento da reação.

130 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Cotações
Grupo I
1.
1.1 5 pontos
1.2 10 pontos
1.3 15 pontos
1.4 5 pontos
1.5 15 pontos
2.
2.1 10 pontos
2.2 5 pontos
2.3 15 pontos
3. 15 pontos
95 pontos
Grupo II
1. 5 pontos
2.
2.1
2.1.1 10 pontos
2.1.2 5 pontos
2.2 5 pontos
3.
3.1 15 pontos
3.2 10 pontos
3.3 5 pontos
4.
4.1 10 pontos
4.2 10 pontos
4.3 10 pontos
85 pontos
Grupo III
1.
1.1 10 pontos
1.2 10 pontos
20 pontos
Total 200 pontos

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 131


Matriz do Teste 1

Itens Seleção Resposta curta Resposta restrita Cálculo Total

I
Cálculos
I I 1.2 (10)
estequiométricos 50
1.4 (5) 1.1 (5) 1.3 (15)
Reagente limitante
1.5 (15)

I
I
Grau de pureza 2.1 (10) 30
2.2 (5)
2.3 (15)

Rendimento I
15
de uma reação 3 (15)

II
2.1.1 (10)
II 2.1.2 (5)
Diferentes estados II
2.2 (5) 3.1 (15) 80
de equilíbrio 4.3 (10)
3.3 (5) 3.2 (10)
4.1 (10)
4.2 (10)

Quociente II
5
da reação 1. (5)

III
Atividade
1.1 (10) 20
laboratorial
1.2 (10)

Total 25 0 15 160 200

132 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Teste 2
Nome _____________________________________________ N.o _____ Turma ______ Avaliação ____________

Data ____ /____ /____ Professor ________________________ Enc. de Educação ______________________

Grupo I

1. Encerraram-se 8,0 mol de amoníaco, NH3 (g), num recipiente


fechado com 5,0 dm3 de capacidade. Acima de 450 °C, após
algum tempo, estabelece-se o equilíbrio de acordo com a
equação seguinte:
2 NH3 (g) ֖ N2 (g) + 3 H2 (g)
Tendo em atenção os dados presentes na figura ao lado,
determine:
1.1 a concentração das espécies no equilíbrio;
1.2 o valor da constante de equilíbrio, Kc.

2. Considere o equilíbrio químico traduzido pela seguinte equação:


N2O4 (g) ֖ 2 NO2 (g) ; 'H > 0
A mistura gasosa de N2O4 (g) – gás incolor – e NO2 (g) – gás castanho – em equilíbrio, é
castanho-clara. A 25 °C, a constante de equilíbrio, Kc, é 5,7 × 10о3.
Selecione a opção correta.
(A) Em qualquer estado de equilíbrio, a 25 °C, a quantidade de NO2 (g) é o dobro da quantidade
de N2O4 (g).
(B) O valor de Kc diminui se a temperatura aumentar.
(C) A cor da mistura torna-se mais escura se a temperatura aumentar sem variar o volume do
sistema.
(D) A quantidade de N2O4 (g) aumenta se o volume do sistema aumentar, sem variar a
temperatura.

3. A 250 °C, o POCƐ3 (g) decompõe-se de acordo com a equação química seguinte:
POCƐ3 (g) ֖ POCƐ (g) + CƐ2 (g)
Num recipiente fechado com 1,0 dm3 de capacidade, introduziram-se 1,50 mol de POCƐ3 (g).
Quando se atinge o equilíbrio a quantidade de POCƐ (g) é 0,750 mol.
Dados: M(POCƐ3) = 153,32 g molо1; M(POCƐ) = 82,42 g molо1; M(CƐ2) = 70,90 g molо1
Determine:
3.1 a concentração de cada um dos componentes no equilíbrio;
3.2 a percentagem de dissociação de POCƐ3 (g);
3.3 a massa volúmica do sistema, após atingido o equilíbrio.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 133


Grupo II

1. A 25 °C, o pH de uma solução aquosa de piridina, C5H5N (aq), de concentração 0,10 mol dmо3 é
cerca de 9,0. A equação química que traduz o equilíbrio ácido-base é a seguinte:
C5H5N (aq) + H2O (Ɛ) ֖ C5H5NH+ (aq) + OHо (aq)
1.1 Selecione a opção que corresponde, para este equilíbrio, aos pares conjugados ácido-base.
(A) C5H5N/OHо e H2O/C5H5NH+
(B) C5H5N/C5H5NH+ e H2O/OHо
(C) C5H5NH+/C5H5N e H2O/OHо
(D) C5H5NH+/C5H5N e H2O/H3O+
1.2 Selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte.
No equilíbrio, a concentração de iões OHо é…
(A) 1,0 × 10о9 mol dmо3.
(B) 1,0 × 10о5 mol dmо3.
(C) 1,0 × 10о8 mol dmо3.
(D) 1,0 × 10о6 mol dmо3.
1.3 Calcule a constante de basicidade, Kb, da piridina.
1.4 Determine a fração de ionização da piridina.
1.5 Como se classifica a piridina, sob o ponto de vista ácido-base?

2. Considere as soluções aquosas A e B contidas nos recipientes 1 e 2, à temperatura de 25 °C.


Solução A Solução B
pH = 2,7

Copo 1 Copo 2
о1 о3 о1 о3
cCH3COOH = 2,0 × 10 mol dm cNaCH3COO = 2,0 × 10 mol dm

2.1 Considere a solução aquosa A.


2.1.1 Escreva a equação de ionização do ácido acético.
2.1.2 Com base nos dados da figura, determine a constante de acidez, Ka, do ácido acético.

134 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


2.1.3 Considere uma solução de ácido cianídrico, HCN (aq), com a mesma concentração do
ácido acético. Sabendo que o pH desta solução é superior a 2,7, compare a força
relativa do ácido acético e do ácido cianídrico, com base na extensão de ionização de
cada um deles.
2.2 Considere a solução aquosa B.
2.2.1 Escreva a equação de dissociação do sal acetato de sódio.
2.2.2 Selecione a opção correta.
(A) Os iões Na+ e CH3COOо reagem com a água.
(B) Os iões Na+ e CH3COOо não reagem com a água.
(C) O ião Na+ reage com a água mas o ião CH3COOо não.
(D) O ião Na+ não reage com a água mas o ião CH3COOо reage.
2.2.3 Justifique o caráter básico da solução aquosa B.

Grupo III

1. No laboratório, foi entregue a cada grupo de alunos os seguintes materiais e reagentes:


ͻ uma pipeta graduada e a respetiva pompete; um tubo de ensaio; dois conta-gotas; suporte
para o tubo de ensaio.
ͻ uma solução de cromato de potássio, K2CrO4 (aq); uma solução aquosa de hidróxido de sódio,
NaOH (aq), de concentração 0,10 mol dmо3; uma solução aquosa de ácido clorídrico, HCƐ (aq),
de concentração 0,10 mol dmо3.
No tubo de ensaio colocaram-se cerca de 10,0 mL de solução de cromato de potássio, com o
auxílio da pipeta e respetiva pompete e registou-se a cor da solução.
Foram adicionadas à solução algumas gotas de ácido clorídrico, sendo a equação que traduz esta
reação a seguinte:
2 CrO 24 (aq) + 2 H+ (aq) ֖ Cr2O 27 (aq) + H2O (Ɛ)
Amarelo Laranja

Em seguida, adicionaram-se à solução resultante algumas gotas de hidróxido de sódio.


O que acontece à cor da solução? Justifique.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 135


Cotações
Grupo I
1.
1.1 15 pontos
1.2 10 pontos
2. 5 pontos
3.
3.1 15 pontos
3.2 10 pontos
3.3 15 pontos
70 pontos
Grupo II
1.
1.1 5 pontos
1.2 5 pontos
1.3 15 pontos
1.4 15 pontos
1.5 10 pontos
2.
2.1
2.1.1 5 pontos
2.1.2 15 pontos
2.1.3 15 pontos
2.2
2.2.1 10 pontos
2.2.2 5 pontos
2.2.3 15 pontos
115 pontos
Grupo III
1. 15 pontos
15 pontos
Total 200 pontos

136 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Matriz do Teste 2

Itens Seleção Resposta curta Resposta restrita Cálculo Total

I
1.1 (15)
Diferentes estados 1.2 (10)
65
de equilíbrio 3.1 (15)
3.2 (10)
3.3 (15)

Princípio I
5
de Le Châtelier 2. (5)

II II II
II
Equilíbrio 1.1 (5) 1.5 (10) 1.3 (15)
2.1.1 (5) 115
ácido-base 1.2 (5) 2.1.3 (15) 1.4 (15)
2.2.1 (10)
2.2.2 (5) 2.2.3 (15) 2.1.2 (15)

Atividade III
15
laboratorial 1. (15)

Total 20 15 55 110 200

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 137


Teste 3
Nome _____________________________________________ N.o _____ Turma ______ Avaliação ____________

Data ____ /____ /____ Professor ________________________ Enc. de Educação ______________________

Grupo I

1. Considere a reação traduzida pela equação química seguinte:


N2 (g) + O2 (g) ֖ 2 NO (g) ; 'H > 0
1.1 Considerando que foi atingido o estado de equilíbrio, selecione a opção correta.
(A) A concentração molar de cada componente permanece constante neste estado de equilíbrio.
(B) O número de moles de produto da reação deverá ser igual à soma do número de moles dos
reagentes não consumidos.
(C) [N2]e × [O2]e = [NO]e
(D) Se a temperatura aumentar, o valor numérico da constante de equilíbrio, Kc, diminui.
1.2 O que acontece ao rendimento da reação quando se aumenta a temperatura? Justifique.
1.3 Indique como varia o valor da constante de equilíbrio, Kc, quando se aumenta o volume do
sistema reacional.

2. A equação química seguinte traduz uma reação de equilíbrio, à temperatura de 500 °C.
H2 (g) + I2 (g) ֖ 2 HI (g)
Uma vez atingido o equilíbrio químico verificou-se que a concentração de H2 (g) era 0,20 mol dmо3,
a de I2 (g) 0,20 mol dmо3 e a de HI (g) 2,0 mol dmо3.
2.1 À mesma temperatura, introduziram-se num recipiente fechado e indeformável de igual
capacidade as seguintes quantidades: 0,50 mol de I2 (g), 0,25 mol de H2 (g) e 0,40 mol de
HI (g). Verifique, justificando, se este sistema reacional está em equilíbrio.
2.2 Considere que ao sistema em equilíbrio se adiciona uma determinada quantidade de HI (g).
2.2.1 O que acontece ao rendimento da reação?
2.2.2 O valor da constante de equilíbrio, Kc, aumenta, diminui ou mantém-se constante?
Justifique.

Grupo II

1. Considere uma amostra de água com o volume de 95 cm3, a 60 °C.


1.1 Considerando que o Kw da água a 60 °C é 9,55 × 10о14, determine o pH desta amostra de
água.

138 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


1.2 À mesma temperatura, se adicionarmos a esta amostra de água 5,0 cm3 de ácido nítrico,
HNO3 (aq), de concentração 0,20 mol dmо3, determine:
1.2.1 a quantidade de iões H3O+ que se adiciona à amostra de água;
1.2.2 o pH da nova solução;
1.2.3 o pOH dessa solução.

Grupo III

1. Um dos processos de obtenção de cobre metálico, Cu (s), é através da reação do óxido de cobre (II),
CuO (s), com o carvão, C (s). A equação química que traduz esta reação é a seguinte:
C (s) + 2 CuO (s) ĺ 2 Cu (s) + CO2 (g)
Dados: M(C) = 12,01 g molо1; M(CuO) = 79,55 g molо1
1.1 Prove que se trata de uma reação de oxidação-redução.
1.2 Considerando esta equação química, selecione a opção correta.
(A) C (s) é o agente oxidante.
(B) A variação do número de oxidação do cobre é igual a +2.
(C) C (s) é o agente redutor.
(D) O número de oxidação do carbono em CO2 é igual a +2.
1.3 Misturaram-se 40,0 g de carbono com 397,8 g de óxido de cobre (II). O volume de gás
libertado, nas condições PTN, é 33,6 dm3, considerando que a reação é completa.
1.3.1 Verifique que há excesso de carbono.
1.3.2 Calcule o rendimento da reação.

Grupo IV

1. A 25 °C misturam-se 10,0 cm3 de uma solução aquosa de carbonato de sódio, Na2CO3 (aq), de
concentração 1,0 × 10о2 mol dmо3, com 10,0 cm3 de uma solução aquosa de nitrato de prata,
AgNO3 (aq), de concentração 1,0 × 10о2 mol dmо3. Verifica-se a formação de um precipitado.
Dado: Ks(Ag2CO3) = 8,46 × 10о12 (a 25 °C)
1.1 Escreva a equação de dissociação dos sais carbonato de sódio e nitrato de prata.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 139


1.2 Considerando o carbonato de prata, selecione a opção que corresponde à relação que existe
entre o produto de solubilidade, Ks, e a solubilidade, s.
(A) Ks = 4s2
(B) Ks = 4s3
(C) Ks = 2s2
(D) Ks = 2s3
1.3 Determine a solubilidade do carbonato de prata, expressa em g dmо3.
1.4 Justifique, através de cálculos, a formação do precipitado.

Grupo V

1. Numa titulação ácido-base, realizada a 25 °C, adicionou-se


uma solução alcalina, com a concentração de 0,20 mol dmо3,
a 25 mL de uma solução ácida, com a concentração de
0,10 mol dmо3. A variação do pH nessa titulação é
representada pelo gráfico ao lado.
1.1 A solução titulante é ácida ou básica?
1.2 Determine o volume de titulante adicionado.
1.3 Selecione a opção que contém o titulado e o titulante,
respetivamente, correspondentes à curva de titulação
representada.
(A) Ácido clorídrico – hidróxido de potássio.
(B) Ácido acético – hidróxido de sódio.
(C) Ácido nítrico – hidróxido de amónio.
(D) Hidróxido de sódio – ácido acético.
1.4 O quadro seguinte contém três indicadores ácido-base e as respetivas zonas de viragem.

Indicador ácido-base Zona de viragem


Alaranjado de metilo 3,2 – 4,2
Vermelho de metilo 4,2 – 6,3
Fenolftaleína 8,2 – 10

De entre os indicadores ácido-base apresentados, indique, justificando, qual o mais


adequado a esta titulação.

140 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Cotações
Grupo I
1.
1.1 5 pontos
1.2 10 pontos
1.3 10 pontos
2.
2.1 10 pontos
2.2
2.2.1 10 pontos
2.2.2 5 pontos
50 pontos
Grupo II
1.
1.1 10 pontos
1.2
1.2.1 10 pontos
1.2.2 15 pontos
1.2.3 10 pontos
45 pontos
Grupo III
1.
1.1 10 pontos
1.2 5 pontos
1.3
1.3.1 10 pontos
1.3.2 10 pontos
35 pontos
Grupo IV
1.
1.1 10 pontos
1.2 5 pontos
1.3 10 pontos
1.4 10 pontos
35 pontos
Grupo V
1.
1.1 10 pontos
1.2 10 pontos
1.3 5 pontos
1.4 10 pontos
35 pontos
Total 200 pontos

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 141


Matriz do Teste 3

Itens Seleção Resposta curta Resposta restrita Cálculo Total

I
Diferentes estados I I 1.2 (10) I
50
de equilíbrio 1.1 (5) 2.2.2 (5) 1.3 (10) 2.1 (10)
2.2.1 (10)

II
1.1 (10)
Equilíbrio
1.2.1 (10) 45
ácido-base
1.2.2 (15)
1.2.3 (10)

Reações III
III III
de oxidação- 1.3.1 (10) 35
1.2 (5) 1.1 (10)
-redução 1.3.2 (10)

Equilíbrio IV IV IV IV
35
de solubilidade 1.2 (5) 1.1 (10) 1.4 (10) 1.3 (10)

Atividade V V V V
35
laboratorial 1.3 (5) 1.1 (10) 1.4 (10) 1.2 (10)

Total 20 25 60 95 200

142 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Teste global 1 (11.o ano)
Nome _____________________________________________ N.o _____ Turma ______ Avaliação ____________

Data ____ /____ /____ Professor ________________________ Enc. de Educação ______________________

Grupo I

1. Pretende-se obter um precipitado de hidróxido de alumínio, AƐ(OH)3 (s), no tratamento de uma


amostra de água, através da reação completa entre 50,0 mL de uma solução aquosa de sulfato de
alumínio, AƐ2(SO4)3 (aq), de concentração 0,500 mol dmо3 e uma solução aquosa de hidróxido de
potássio, KOH (aq).
A equação química que traduz a reação é a seguinte:
AƐ3+ (aq) + 3 OHо (aq) ĺ AƐ(OH)3 (s)
Dados: M(KOH) = 56,11 g molо1; M(AƐ(OH)3) = 78,00 g molо1
1.1 Determine a quantidade química de AƐ(OH)3 que precipita.
1.2 Selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte.
A quantidade química de KOH necessária é…
(A) 1,5 × 10о2 mol.
(B) 1,5 × 10о1 mol.
(C) 3,0 × 10о2 mol.
(D) 3,0 × 10о1 mol.
1.3 Considerando uma amostra de 15,0 g de KOH com 10% de impurezas, determine a massa de
AƐ(OH)3 (s) que se obtém.

Grupo II

1. O gráfico da figura ao lado representa a variação da


concentração dos reagentes A (g) e B (g), para originar o
produto da reação A2B (g).
1.1 Indique as concentrações dos reagentes e produto
da reação, no início da reação e no estado de
equilíbrio.
1.2 A equação química que traduz a reação de equilíbrio é…
(A) A (g) + B (g) ֖ A2B (g)
(B) A (g) + 2 B (g) ֖ 2 A2B (g)
(C) 2 A (g) + B (g) ֖ A2B (g)
(D) A (g) + 2 B (g) ֖ 2 A2B (g)
1.3 Determine o valor da constante de equilíbrio, Kc.
Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 143
2. Considere o sistema reacional traduzido pela seguinte equação química:
2 C3H6 (g) ֖ C2H4 (g) + C4H8 (g)
No intervalo de 300 K a 600 K, a constante de equilíbrio, Kc, varia de acordo o gráfico seguinte.

2.1 Justifique se a reação é exotérmica ou endotérmica.


2.2 À temperatura de 500 K misturaram-se 2,5 × 10о2 mol de cada um dos componentes do
sistema reacional, num vaso com 1,0 dm3 de capacidade. Preveja o sentido em que o
sistema evolui até atingir um estado de equilíbrio. Justifique, através de cálculos, a sua
escolha.

3. A uma dada temperatura T introduziu-se, num recipiente fechado de capacidade fixa, certa
quantidade de X (g) e de Y (g), tendo-se estabelecido o equilíbrio traduzido pela equação química
seguinte:
X (g) ֖ Y (g)
À mesma temperatura, foram adicionados 4,0 × 10о2 mol de X (g) e, passado um certo intervalo
de tempo, estabeleceu-se um novo estado de equilíbrio.
3.1 As quantidades de X (g) e de Y (g) aumentaram, diminuíram ou mantiveram-se? Justifique.
3.2 O que acontece ao valor da constante de equilíbrio?

Grupo III

1. Os esquemas químicos seguintes traduzem equilíbrios ácido-base.


(A) HBr (aq) + NH3 (aq) ֖ _____ + _____

(B) NH 4 (aq) + _____ ֖ H3O+ (aq) + _____

1.1 Complete os esquemas de modo a transformá-los em equações químicas.


1.2 Escreva os pares conjugados ácido-base.

144 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Grupo IV

1. O produto de solubilidade do iodeto de prata, AgI (s), a 25 °C, é 8,52 × 10о17.


1.1 Escreva a equação química que traduz o equilíbrio de solubilidade deste sal.
1.2 Sabendo que o produto de solubilidade do iodeto de prata aumenta com a temperatura,
justifique se a dissolução do sal em água é endotérmica ou exotérmica.
1.3 A 25 °C, adicionaram-se 50,0 mL de uma solução aquosa de AgNO3 (aq) com a concentração
0,10 mol dmо3 a 50,0 mL de uma solução aquosa de KI (aq) com a concentração 0,10 mol dmо3.
Verifique se ocorre formação de precipitado.
Apresente todas as etapas de resolução.
1.4 Considere uma solução saturada de iodeto de prata, AgI. A temperatura constante, quando
se adiciona uma pequena quantidade de iodeto de sódio, NaI (sal muito solúvel), o número
de moles dissolvidos por unidade de volume aumenta, diminui ou mantém-se?

Grupo V

1. Considere as seguintes experiências.

O esquema que se segue traduz o poder redutor crescente de alguns metais.

Poder redutor crescente

Hg Ag Cu Sn Fe Zn

1.1 Escreva a equação de oxidação-redução da reação que ocorre no copo I.


1.2 Escreva as semirreações de oxidação e de redução correspondentes.
1.3 Coloque por ordem crescente de poder oxidante os iões Cu2+, Ag+ e Zn2+.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 145


Cotações
Grupo I
1.
1.1 15 pontos
1.2 5 pontos
1.3 15 pontos
35 pontos
Grupo II
1.
1.1 10 pontos
1.2 5 pontos
1.3 10 pontos
2.
2.1 15 pontos
2.2 15 pontos
3.
3.1 15 pontos
3.2 10 pontos
80 pontos
Grupo III
1.
1.1 10 pontos
1.2 10 pontos
20 pontos
Grupo IV
1.
1.1 5 pontos
1.2 10 pontos
1.3 15 pontos
1.4 10 pontos
40 pontos
Grupo V
1.
1.1 5 pontos
1.2 10 pontos
1.3 10 pontos
25 pontos
Total 200 pontos

146 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Matriz do Teste global 1 (11.o ano)

Itens Seleção Resposta curta Resposta restrita Cálculo Total

Cálculos
I I
estequiométricos 20
1.2 (5) 1.1 (15)
Reagente limitante

I
Grau de pureza 15
1.3 (15)

II
Diferentes estados II II II
1.3 (10) 55
de equilíbrio 1.2 (5) 1.1 (10) 2.1 (15)
2.2 (15)

Princípio de II II
25
Le Châtelier 3.2 (10) 3.1 (15)

Equilíbrio III III


20
ácido-base 1.1 (10) 1.2 (10)

IV
Equilíbrio IV IV
1.2 (10) 40
de solubilidade 1.1 (5) 1.3 (15)
1.4 (10)

V
Atividade V
1.2 (10) 25
laboratorial 1.1 (5)
1.3 (10)

Total 10 40 80 70 200

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 147


Teste global 2 (11.o ano)
Nome _____________________________________________ N.o _____ Turma ______ Avaliação ____________

Data ____ /____ /____ Professor ________________________ Enc. de Educação ______________________

Grupo I

1. O cloro, CƐ2 (g), é preparado industrialmente pela eletrólise de uma solução concentrada de
cloreto de sódio, NaCƐ (aq). A equação química que traduz esta reação é a seguinte:
2 NaCƐ (aq) + 2 H2O (Ɛ) ĺ 2 NaOH (aq) + H2 (g) + CƐ2 (g)
Dados: M(NaCƐ) = 58,44 g molо1; M(H2O) = 18,02 g molо1; Vm = 22,4 dm3 molо1 (PTN)
1.1 Pretende-se produzir cloro, CƐ2 (g), por eletrólise de uma solução de 585 g de NaCƐ em
1,00 kg de água.
1.1.1 Identifique o reagente em excesso.
1.1.2 Determine a quantidade química de NaOH obtida, admitindo que a reação se
processa com um rendimento de 80%.
1.1.3 Que volume total de gases se liberta, nas condições PTN?
1.1.4 Selecione a opção correta.
(A) Na solução de NaOH existem mais iões H3O+ do que iões OHо.
(B) Na solução de NaOH existem menos iões H3O+ do que iões OHо.
(C) Na solução de NaOH existe igual número de iões H3O+ e de iões OHо.
(D) O pH desta solução de NaOH é igual a 5.
1.2 Num recipiente indeformável e fechado, com 100 dm3 de capacidade, introduziram-se iguais
quantidades de H2 (g) e CƐ2 (g), obtidos da reação anterior, à temperatura de 2800 °C.
Os dois gases reagem entre si de acordo com a seguinte equação de equilíbrio:
H2 (g) + CƐ2 (g) ֖ 2 HCƐ (g)
No estado de equilíbrio existem 0,435 mol de H2 (g) e 0,435 mol de CƐ2 (g).
1.2.1 Sabendo que a constante de equilíbrio, Kc, desta reação é 1,9 × 102, determine a
concentração de HCƐ no equilíbrio.
1.2.2 Selecione a opção correta.
(A) A quantidade química de HCƐ formado é igual à quantidade química total de
H2 (g) e de CƐ2 (g) consumidos.
(B) Aumentando a pressão, o rendimento da reação aumenta.
(C) Se ao sistema em equilíbrio se adicionar o dobro de H2 (g) obtém-se o dobro de
HCƐ (g).
(D) Diminuindo a pressão do sistema reacional em equilíbrio, este desloca-se no sentido
da reação direta.

148 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Grupo II

1. Prepara-se um determinado volume de solução aquosa de ácido propanoico, CH3CH2COOH (aq), a


25 °C. A equação química seguinte traduz o equilíbrio que se estabelece.
CH3CH2COOH (aq) + H2O (Ɛ) ֖ CH3CH2COOо (aq) + H3O+ (aq)
Dado: Ka(CH3CH2COOH) = 1,38 × 10о5 (a 25 °C)
1.1 Justifique que se trata de um equilíbrio ácido-base e indique os respetivos pares conjugados
ácido-base.
1.2 O pH da solução ácida, à temperatura referida, é igual a 2,9. Calcule a concentração de todas
espécies em equilíbrio.
1.3 Que percentagem de ácido propanoico se ionizou?
1.4 A concentração da solução de ácido propanoico foi confirmada titulando, a 25 °C, 20,0 cm3
desta solução com uma solução aquosa de hidróxido de sódio de concentração
5,0 × 10о2 mol dmо3.
1.4.1 Escreva a equação química que traduz a reação entre a solução de ácido propanoico
e a solução de hidróxido de sódio.
1.4.2 Determine o volume de solução de hidróxido de sódio que se terá gasto nesta
titulação, até se atingir o ponto de equivalência.
1.4.3 Escolha, dos indicadores referidos no quadro seguinte, o mais apropriado para esta
titulação. Justifique a sua escolha de acordo com o pH da solução no ponto de
equivalência.

Indicador Zona de viragem


Alaranjado de metilo 3,2 – 4,2
Vermelho de metilo 4,2 – 6,3
Fenolftaleína 8,2 – 10,0

Grupo III

1. A dissolução do cloreto de prata, AgCƐ (s), em água


pode ser representada pela equação química seguinte:
AgCƐ (s) ֖ Ag+ (aq) + CƐо (aq)
O gráfico ao lado é um gráfico das concentrações de iões
prata, Ag+ (aq), e iões cloreto, CƐо (aq), que satisfaz a
expressão do produto de solubilidade, Ks.
1.1 Escreva a expressão de Ks para este equilíbrio.
1.2 Com base nos valores do gráfico, determine o
valor de Ks.
1.3 «A curva foi traçada sem que ocorresse variação
de temperatura.» Justifique esta afirmação.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 149


1.4 Selecione a opção correta.
(A) Nas situações X e T, a solução é saturada.
(B) Nas situações Y e Z, a solução é sobressaturada.
(C) Nas situações Y e Z, a solução é saturada.
(D) Na situação X, o valor de Qs é superior ao valor de Ks.

Grupo IV

1. Com o objetivo de comparar o poder redutor de metais, um grupo de alunos realizou alguns
ensaios com amostras de cobre, magnésio e zinco. Usaram soluções aquosas contendo iões dos
mesmos metais, além de uma solução aquosa de ácido clorídrico.
Todos os ensaios foram realizados à temperatura de 25 °C e todas as soluções aquosas que
contêm iões metálicos apresentam a concentração de 1,0 mol dmо3.
Nas figuras seguintes estão esquematizados os ensaios que se realizaram, devidamente
numerados.

1.1 Descreva o que ocorreu nos ensaios 1 e 5.


1.2 Escreva as semirreações de oxidação e de redução que ocorrem nos ensaios 4 e 6.
1.3 Compare o poder redutor dos metais cobre, zinco e magnésio.
1.4 Compare o poder oxidante dos iões Cu2+, Zn2+ e Mg2+.

150 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


1.5 Selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte.
Com base nos resultados representativos dos diferentes ensaios, pode afirmar-se que…
(A) todos os metais são atacados pelo ácido clorídrico.
(B) no ensaio 7 o zinco é o agente redutor.
(C) no ensaio 1 o ião Mg2+ é o agente redutor e Cu (s) é o agente oxidante.
(D) o gás libertado pela reação entre Zn (s) e HCƐ (aq) é o cloro, CƐ2 (g).

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 151


Cotações
Grupo I
1.
1.1
1.1.1 15 pontos
1.1.2 10 pontos
1.1.3 15 pontos
1.1.4 5 pontos
1.2
1.2.1 10 pontos
1.2.2 5 pontos
60 pontos
Grupo II
1.
1.1 10 pontos
1.2 10 pontos
1.3 10 pontos
1.4
1.4.1 5 pontos
1.4.2 10 pontos
1.4.3 15 pontos
60 pontos
Grupo III
1.
1.1 5 pontos
1.2 10 pontos
1.3 10 pontos
1.4 5 pontos
30 pontos
Grupo IV
1.
1.1 10 pontos
1.2 15 pontos
1.3 10 pontos
1.4 10 pontos
1.5 5 pontos
50 pontos
Total 200 pontos

152 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Matriz do Teste global 2 (11.o ano)

Itens De seleção Resposta curta Resposta restrita Cálculo Total

I
Cálculos
1.1.1 (15) 40
estequiométricos
1.1.2 (10)
1.1.3 (15)

Diferentes estados I I
15
de equilíbrio 1.2.2 (5) 1.2.1 (10)

II
II
Equilíbrio I II 1.2 (10)
1.1 (10) 65
ácido-base 1.1.4 (5) 1.4.1 (5) 1.3 (10)
1.4.3 (15)
1.4.2 (10)

Equilíbrio III III III III


30
de solubilidade 1.4 (5) 1.1 (5) 1.3 (10) 1.2 (10)

IV
Atividade IV IV 1.1 (10)
50
laboratorial 1.5 (5) 1.2 (15) 1.3 (10)
1.4 (10)

Total 20 25 65 90 200

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 153


Teste global 3 (10.o e 11.o anos)
Nome _____________________________________________ N.o _____ Turma ______ Avaliação ____________

Data ____ /____ /____ Professor ________________________ Enc. de Educação ______________________

Grupo I

1. Na figura seguinte, X, Y, Z e T representam transições eletrónicas num átomo de hidrogénio, às


quais está associada a emissão de determinadas radiações eletromagnéticas.

1.1 Qual das radiações, Z ou T, tem maior frequência? Justifique.


1.2 A série de Lyman inclui radiações associadas às radiações X e Y. Qual destas radiações tem
um maior valor de frequência?
1.3 É possível excitar o eletrão de um átomo de hidrogénio no estado de energia mínima, por
absorção de uma radiação visível? Justifique.

Grupo II

1. O amoníaco é o composto de nitrogénio mais importante a nível industrial. É um gás incolor com
cheiro característico e sufocante, preparado a partir de N2 (g) e de H2 (g) pelo processo de Haber.
O amoníaco reage com a água de acordo com a equação química seguinte:

NH3 (aq) + H2O (Ɛ) ֖ NH 4 (aq) + OHо (aq)

1.1 Prove que esta reação é um equilíbrio ácido-base.


1.2 Escreva os pares conjugados ácido-base.

154 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


1.3 Complete as frases da coluna I, fazendo a correspondência correta com as opções da coluna II.
Justifique.

I II

(A) Adicionando cloreto de amónio, 1. … a concentração de NH 4 aumenta.


NH4CƐ, à solução, … 2. … a concentração de NH3 mantém-se.
(B) Adicionando uma solução aquosa о
3. … a concentração de OH aumenta.
de NaOH … о
4. … a concentração de OH diminui.
(C) Fazendo borbulhar HCƐ (g) na solução, … 5. … nada se pode concluir.

1.4 Da reação do ácido nítrico com uma solução de amoníaco obtém-se nitrato de amónio. Esta
reação pode ser traduzida pela seguinte equação química:
HNO3 (aq) + NH3 (aq) ĺ NH4NO3 (aq)
O nitrato de amónio pode ser utilizado para corrigir o pH dos solos. Com a sua utilização
pretende-se compensar o excesso ou deficiência de acidez? Justifique a resposta escrevendo
as equações das reações referidas.

2. Considere as moléculas de amoníaco, NH3, e de água, H2O.


Selecione a opção correta.
(A) A geometria da molécula de amoníaco é triangular plana.
(B) Tanto as moléculas de amoníaco como as moléculas de água estabelecem entre si ligações de
hidrogénio.
(C) A molécula de amoníaco possui três pares de eletrões não partilhados e a molécula de água
possui dois pares de eletrões não partilhados.
(D) O ângulo de ligação na molécula da água é menor que o ângulo de ligação na molécula de
amoníaco.

3. A figura seguinte representa um pequeno excerto da Tabela Periódica, onde estão colocados os
elementos 7N, 9F e 15P.

3.1 Com base na figura, selecione a opção correta.


(A) Os elementos N e F pertencem ao mesmo grupo da Tabela Periódica.
(B) O elemento P é menos reativo que o elemento N.
(C) O raio atómico de N é superior ao raio atómico de F.
(D) A energia de primeira ionização de P é superior energia de primeira ionização de N.
3.2 O elemento cuja configuração eletrónica no estado fundamental é 1s2 2s2 2p4 apresenta
maior, menor ou igual primeira energia de ionização que o flúor? Justifique.
Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 155
Grupo III

1. A reação química entre uma solução aquosa de dicromato de potássio, K2Cr2O7 (aq), e uma
solução aquosa de cloreto de sódio, NaCƐ (aq), em meio ácido, pode traduzir-se através da
equação seguinte:

Cr2O 27 (aq) + 6 CƐо (aq) + 14 H+ (aq) ĺ 2 Cr3+ (aq) + 3 CƐ2 (g) + 7 H2O (Ɛ)

Os iões K+ e Na+ são iões espectadores, pelo que não estão incluídos na equação iónica.
Dado: Vm = 22,4 dm3 molо1 (PTN)
1.1 Selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte.
Sendo esta reação uma reação de oxidação-redução, pode afirmar-se que…
(A) CƐо é a espécie oxidante.
(B) ĂǀĂƌŝĂĕĆŽĚŽŶƷŵĞƌŽĚĞŽdžŝĚĂĕĆŽĚŽĐƌŽŵŽĠŝŐƵĂůĂоϯ͘

(C) Cr2O 27 é a espécie oxidante porque contém o elemento que se oxida.

(D) a espécie Cr2O 27 sofre oxidação.

1.2 Considere que se libertam 500 cm3 de CƐ2 (g), nas condições PTN.
1.2.1 Determine a quantidade química de ião dicromato que reagiu, se o rendimento for
de 100%.
1.2.2 Selecione a opção que corresponde à quantidade química de iões K+ presentes na
solução de dicromato de potássio.
(A) 7,50 × 10о2 mol
(B) 15,0 × 10о2 mol
(C) 22,5 × 10о2 mol
(D) 30,0 × 10о2 mol
1.2.3 Qual seria o número de iões CƐо consumidos se o rendimento da reação fosse de
80%, para obter 0,500 dm3 de CƐ2?

Grupo IV

1. O ácido nítrico, HNO3 (aq), é um ácido forte que é frequentemente utilizado como agente
oxidante nas misturas combustíveis para a produção de energia mecânica, por exemplo, nos
foguetes.
Considere uma solução aquosa de ácido nítrico que se obteve a partir da dissolução de 31,5 g de
HNO3 em água, até se obter o volume de 500 mL de solução ácida. Esta solução, a 25 °C,
apresenta massa volúmica igual a 1,03 g cmо3.
Dado: M(HNO3) = 63,02 g molо1

156 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


1.1 Selecione a opção que corresponde à concentração da solução ácida de ácido nítrico.
(A) 1,0 mol dmо3 (B) 2,0 mol dmо3
(C) 2,5 mol dmо3 (D) 3,0 mol dmо3
1.2 Determine a percentagem em massa, %(m/m), do ácido nítrico nesta solução.
1.3 Calcule o volume de solução de hidróxido de sódio, NaOH (aq), com a concentração de
0,25 mol dmо3, capaz de neutralizar 5,0 mL da solução ácida preparada.

Grupo V

1. Num laboratório descolaram-se acidentalmente os rótulos de dois frascos. Um dos frascos continha
uma solução aquosa de carbonato de sódio, Na2CO3 (aq), e o outro frasco continha uma solução
aquosa de sulfato de sódio, Na2SO4 (aq), ambas com a concentração de 2,0 × 10о3 mol dmо3.
Para identificar as soluções que cada um dos frascos continha, realizaram reações de
precipitação, utilizando para o efeito uma solução aquosa de nitrato de prata, AgNO3 (aq),
procedendo do seguinte modo:
1.o Colocaram uma amostra de cada uma das soluções a identificar, em dois tubos de ensaio que
numeraram com 1 e 2.
2.o Adicionaram igual número de gotas de solução aquosa de nitrato de prata, até observar o
início da precipitação num dos tubos.
O registo de observações encontra-se na tabela que se segue:

Tubos de ensaio Antes de adicionar AgNO3 (aq) Depois de adicionar AgNO3 (aq)
Tubo 1 Solução incolor Solução incolor
Tubo 2 Solução incolor Solução incolor + precipitado

De acordo com as observações registadas, os alunos concluíram que o tubo de ensaio 1 continha
solução aquosa de sulfato de sódio e que tubo de ensaio 2 continha solução aquosa de carbonato
de sódio.
Dados: Ks(Ag2CO3) = 8,46 × 10о12 (a 25 °C); Ks(Ag2SO4) = 1,20 × 10о5 (a 25 °C)
1.1 Explique como os alunos chegaram àquela conclusão, com base nas expressões e nos valores
dos produtos de solubilidade do sulfato de sódio e do carbonato de sódio.
1.2 Escreva a equação química que traduz o equilíbrio de solubilidade no tubo de ensaio 2, após
a experiência.
1.3 Calcule a concentração mínima em iões prata, Ag+ (aq), para provocar a precipitação no tubo 1.
1.4 Adicionando NH3 (aq) ao tubo de ensaio 2 após a precipitação de Ag2CO3 (s), pode obter-se a
solubilização deste precipitado. Justifique esta afirmação com base no Princípio de
Le Châtelier, sabendo que o ião complexo [Ag(NH3)2]+ (aq) é estável.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 157


Cotações
Grupo I
1.
1.1 10 pontos
1.2 5 pontos
1.3 10 pontos
25 pontos
Grupo II
1.
1.1 10 pontos
1.2 5 pontos
1.3 15 pontos
1.4 10 pontos
2. 5 pontos
3.
3.1 5 pontos
3.2 10 pontos
60 pontos
Grupo III
1.
1.1 5 pontos
1.2
1.2.1 15 pontos
1.2.2 5 pontos
1.2.3 15 pontos
40 pontos
Grupo IV
1.
1.1 5 pontos
1.2 15 pontos
1.3 10 pontos
30 pontos
Grupo V
1.
1.1 10 pontos
1.2 10 pontos
1.3 15 pontos
1.4 10 pontos
45 pontos
Total 200 pontos

158 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Matriz do Teste global (10.o ano e 11.o ano)

Itens De seleção Resposta curta Resposta restrita Cálculo Total

I
Átomo I
1.1 (10) 25
de hidrogénio 1.2 (5)
1.3 (10)

II II
Tabela Periódica 15
3.1 (5) 3.2 (10)

Ligação química
II
e geometria 5
2. (5)
molecular

III
1.2.1 (15)
Cálculos
1.2.3 (15) 45
estequiométricos
IV
1.2 (15)

Princípio II
15
de Le Châtelier 1.3 (15)

II
Equilíbrio IV II IV
1.1 (10) 40
ácido-base 1.1 (5) 1.2 (5) 1.3 (10)
1.4 (10)

III
Reações
1.1 (5) 10
de oxidação-redução
1.2.2 (5)

V
Atividade V V
1.1 (10) 45
laboratorial 1.2 (10) 1.3 (15)
1.4 (10)

Total 25 20 85 70 200

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 159


Critérios específicos de classificação

Na classificação das respostas aos itens que envolvam a realização de cálculos, consideram-se
dois tipos de erros:
ͻ Erros tipo 1 – erros de cálculo numérico, transcrição incorreta de valores numéricos na
resolução, conversão de unidades, desde que coerentes com a grandeza calculada, ou
apresentação de unidades incorretas no resultado final, também desde que coerentes com a
grandeza calculada.
ͻ Erros tipo 2 – erros de cálculo analítico, ausência de conversão de unidades (qualquer que seja o
número de conversões não efetuadas, contabiliza-se apenas um erro tipo 2), ausência de unidades
no resultado final, apresentação de unidades incorretas no resultado final não coerentes com a
grandeza calculada e outros erros que não possam ser considerados de tipo 1.

À soma das pontuações atribuídas às etapas apresentadas deve(m) ser subtraído(s):


ͻ 1 ponto, se forem cometidos apenas erros de tipo 1, qualquer que seja o seu número.
ͻ 2 pontos, se for cometido apenas um erro de tipo 2, qualquer que seja o número de erros de
tipo 1 cometidos.
ͻ 4 pontos, se forem cometidos mais do que um erro de tipo 2, qualquer que seja o número de
erros de tipo 1 cometidos.

Grupo I
1.
1.1 ...................................................................................................................................... 10 pontos
A resolução deve apresentar as seguintes etapas:
A. Identifica a radiação Z como a radiação de maior energia.
B. Conclui que a radiação Z é a que tem maior frequência, devido à proporcionalidade direta
entre as grandezas frequência e energia.

Níveis Descritores do nível de desempenho Pontuação


A resposta integra os dois tópicos de referência com organização
1 10
coerente dos conteúdos e linguagem científica adequada.
A resposta integra os dois tópicos de referência com falhas na
2 8
organização dos conteúdos ou na utilização da linguagem científica.
A resposta integra apenas um dos tópicos de referência com
3 5
linguagem científica adequada.
A resposta integra apenas um dos tópicos de referência com falhas
4 3
na utilização da linguagem científica.

160 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


1.2 ......................................................................................................................................... 5 pontos
Identifica a radiação X por ter maior valor de energia.
1.3 ...................................................................................................................................... 10 pontos
A resolução deve apresentar as seguintes etapas:
A. Refere que só é possível excitar o eletrão do átomo de hidrogénio no estado fundamental
(n = 1) com radiação UV.
B. Como E(radiação visível) < E(radiação UV), conclui que a radiação visível não possui
energia suficiente para excitar o eletrão do átomo de hidrogénio no estado fundamental.

Níveis Descritores do nível de desempenho Pontuação


A resposta integra os dois tópicos de referência com organização
1 10
coerente dos conteúdos e linguagem científica adequada.
A resposta integra os dois tópicos de referência com falhas na
2 8
organização dos conteúdos ou na utilização da linguagem científica.
A resposta integra apenas um dos tópicos de referência com
3 5
linguagem científica adequada.
A resposta integra apenas um dos tópicos de referência com falhas
4 3
na utilização da linguagem científica.

Grupo II
1.
1.1 ...................................................................................................................................... 10 pontos
A resolução deve apresentar as seguintes etapas:
A. Assinala a transferência de H+.

NH3 (aq) + H2O (Ɛ) ֖ NH  (aq) + OHо (aq)

B. Conclui, com base na Teoria Protónica, que se trata de um equilíbrio ácido-base e identifica o
ácido e a base.
Níveis Descritores do nível de desempenho Pontuação
A resposta integra os dois tópicos de referência com organização
1 10
coerente dos conteúdos e linguagem científica adequada.
A resposta integra os dois tópicos de referência com falhas na
2 8
organização dos conteúdos ou na utilização da linguagem científica.
A resposta integra apenas um dos tópicos de referência com
3 5
linguagem científica adequada.
A resposta integra apenas um dos tópicos de referência com falhas
4 3
na utilização da linguagem científica.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 161


1.2 ......................................................................................................................................... 5 pontos

Pares conjugados ácido-base: NH  /NH3 e H2O/OHо.

1.3 ...................................................................................................................................... 15 pontos


(A) – 1 e 4 ...................................................................................................................... 5 pontos
(B) – 3 ........................................................................................................................... 5 pontos
(C) – 1 e 4 ...................................................................................................................... 5 pontos
1.4 ...................................................................................................................................... 10 pontos
A resolução deve apresentar as seguintes etapas:

A. Escreve a equação de dissociação do nitrato de amónio [NH4NO3 (aq) ֖ NH 4 (aq) + NO 3 (aq)]


e conclui que o ião NO 3 não reage com a água (base conjugada muito fraca de um ácido
forte) mas que o ião NH 4 reage (ácido fraco conjugado de uma base fraca – NH3).

B. Escreve a equação da reação do ião NH 4 com a água e que a solução resultante é ácida.

NH 4 (aq) + H2O (Ɛ) ֖ NH3 (aq) + H3O+ (aq)

C. Conclui que compensa a deficiência de acidez no solo, na medida em que desta reação
resulta um aumento na concentração em iões H3O+.

Níveis Descritores do nível de desempenho Pontuação


A resposta integra os três tópicos de referência com organização
4 10
coerente dos conteúdos e linguagem científica adequada.
A resposta integra os três tópicos de referência com falhas na
3 8
organização dos conteúdos ou na utilização da linguagem científica.
A resposta integra apenas dois dos tópicos de referência com
2 organização coerente dos conteúdos e linguagem científica 5
adequada.
A resposta integra apenas dois dos tópicos de referência com falhas
na organização dos conteúdos ou na utilização da linguagem
científica.
1 3
OU
A resposta integra apenas um dos tópicos de referência com
linguagem científica adequada.

A ausência de estados físicos nas equações químicas implica a penalização de 2 pontos.


2. ................................................................................................................................................ 5 pontos
Opção (B).

162 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


3.
3.1 ........................................................................................................................................ 5 pontos
Opção (C).
3.2 ...................................................................................................................................... 10 pontos
A resolução deve apresentar as seguintes etapas:
A. Refere que o elemento tem número atómico igual a 8 e que pertence ao mesmo período
do flúor.

B. Conclui que a primeira energia de ionização do elemento é menor do que a primeira


energia de ionização do flúor, visto que a primeira energia de ionização aumenta ao
longo do período, pois aumenta a carga nuclear.

Níveis Descritores do nível de desempenho Pontuação


A resposta integra os dois tópicos de referência com organização
1 10
coerente dos conteúdos e linguagem científica adequada.
A resposta integra os dois tópicos de referência com falhas na
2 8
organização dos conteúdos ou na utilização da linguagem científica.
A resposta integra apenas um dos tópicos de referência com
3 5
linguagem científica adequada.
A resposta integra apenas um dos tópicos de referência com falhas
4 3
na utilização da linguagem científica.

Grupo III
1.
1.1 ......................................................................................................................................... 5 pontos
Opção (B).
1.2
1.2.1 ........................................................................................................................... 15 pontos
A resolução deve apresentar as seguintes etapas:
A. Calcula a quantidade de CƐ2 que se liberta,
nas condições PTN, (n = 2,23 × 10о2 mol). .................................................. 10 pontos

B. Calcula a quantidade de ião dicromato (Cr2O 27 )


que reagiu (n = 7,4 × 10о3 mol). ..................................................................... 5 pontos
1.2.2 .............................................................................................................................. 5 pontos
Opção (B).

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 163


1.2.3 ........................................................................................................................... 15 pontos
A resolução deve apresentar as seguintes etapas:
A. Calcula a quantidade de iões cloreto, CƐо, consumidos,
considerando o rendimento da reação 100% (n = 4,46 × 10о2 mol). ............. 5 pontos
B. Calcula a quantidade de iões cloreto, CƐо, consumidos
quando o rendimento é 80% (n = 5,58 × 10о2 mol). ...................................... 5 pontos
C. Calcula o número de iões cloreto, CƐо, consumidos (N = 3,3 × 1022). ............ 5 pontos

Grupo IV
1.
1.1 ......................................................................................................................................... 5 pontos
Opção (A).
1.2 ...................................................................................................................................... 15 pontos
A resolução deve apresentar as seguintes etapas:
A. Calcula a massa de solução
de ácido nítrico (msolução = 515 g). ............................................................................ 5 pontos
B. Calcula a percentagem em massa do ácido nítrico
na solução ácida (%(m/m) = 6,1%). ...................................................................... 10 pontos
1.3 ...................................................................................................................................... 10 pontos
A resolução deve apresentar as seguintes etapas:
A. Considera que no ponto de equivalência o número de moles de ácido é igual ao
número de moles da base (pelo que o número de iões H3O+ é igual ao número
de iões OHо, dado que a estequiometria da reação é de 1:1). ............................... 5 pontos
B. Calcula o volume de NaOH adicionado até ao ponto de equivalência
(V = 2,0 × 10о2 dm3). ................................................................................................ 5 pontos

Grupo V
1.
1.1 ...................................................................................................................................... 10 pontos
A resolução deve apresentar as seguintes etapas:
A. Refere que as soluções aquosas dos sais carbonato de sódio, Na2CO3, e sulfato de sódio,
Na2SO4, têm igual concentração de iões CO 23 e de iões SO 24 , porque estes são sais
muito solúveis em água. As suas soluções têm igual concentração e são constituídas por
iões em proporções estequiométricas iguais.

164 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


B. Escreve as equações químicas que representam os equilíbrios de solubilidade e
as respetivas expressões dos produtos de solubilidade.

Ag2CO3 (aq) ֖ 2 Ag+ (aq) + CO 23 (aq); Ks = [Ag+]2 × [CO 23 ]

Ag2SO4 (aq) ֖ 2 Ag+ (aq) + SO 24 (aq); Ks = [Ag+]2 × [SO 24 ]

C. Conclui que o carbonato de prata é o sal que precipita em primeiro lugar


porque é o que atinge primeiro o respetivo valor de Ks.

Níveis Descritores do nível de desempenho Pontuação


A resposta integra os três tópicos de referência com organização
4 10
coerente dos conteúdos e linguagem científica adequada.
A resposta integra os três tópicos de referência com falhas na
3 8
organização dos conteúdos ou na utilização da linguagem científica.
A resposta integra apenas dois dos tópicos de referência com
2 organização coerente dos conteúdos e linguagem científica 5
adequada.
A resposta integra apenas dois dos tópicos de referência com falhas
na organização dos conteúdos ou na utilização da linguagem
científica.
1 3
OU
A resposta integra apenas um dos tópicos de referência com
linguagem científica adequada.

1.2 ...................................................................................................................................... 10 pontos

Equação química: Ag2CO3 (s) ֖ 2 Ag+ (aq) + CO 23 (aq)

A ausência de estados físicos implica a penalização de 2 pontos.


1.3 ...................................................................................................................................... 15 pontos
A resolução deve apresentar as seguintes etapas:
A. Escreve a equação química que traduz o equilíbrio de solubilidade de
Ag2SO4 (s).

Ag2SO4 (s) ֖ 2 Ag+ (aq) + SO 24 (aq) ........................................................................ 3 pontos

B. Calcula a concentração mínima necessária em iões Ag+ para provocar a


precipitação do sulfato de prata ([Ag+] = 8,7 × 10о2 mol dmо3). .............................. 6 pontos
C. Conclui que para provocar a precipitação do sal no tubo 1 é necessário
que [Ag+] seja superior a 8,7 × 10о2 mol dmо3. ........................................................ 6 pontos

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 165


1.4 ...................................................................................................................................... 10 pontos
A resolução deve apresentar as seguintes etapas:
A. Refere que quando se adiciona NH3 (aq) ao tubo 2, que contém
Ag2CO3, ocorre uma reação entre os iões Ag+ e NH3 (aq), formando-se
o ião complexo [Ag(NH3)2]+.
B. Conclui que a ocorrência desta reação leva à diminuição da
concentração em Ag+, perturbando o equilíbrio.
C. Conclui que de acordo com o Princípio de Le Châtelier, a reação vai
então progredir no sentido da reação direta, até se atingir um novo
estado de equilíbrio, aumentando a solubilidade de Ag2CO3.

Níveis Descritores do nível de desempenho Pontuação


A resposta integra os três tópicos de referência com
4 organização coerente dos conteúdos e linguagem científica 10
adequada.
A resposta integra os três tópicos de referência com falhas
3 na organização dos conteúdos ou na utilização da 8
linguagem científica.
A resposta integra apenas dois dos tópicos de referência
2 com organização coerente dos conteúdos e linguagem 5
científica adequada.
A resposta integra apenas dois dos tópicos de referência
com falhas na organização dos conteúdos ou na utilização
da linguagem científica.
1 3
OU
A resposta integra apenas um dos tópicos de referência
com linguagem científica adequada.

166 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


6 Apoio às Atividades Laboratoriais
Na Unidade 1 estão previstas duas aulas de índole laboratorial (de três tempos cada). Nestas
aulas realizar-se-ão duas atividades experimentais.
Na Unidade 2 estão previstas quatro aulas de índole laboratorial (de três tempos cada). Nestas
aulas realizar-se-ão quatro atividades experimentais.

Metas transversais a todas as atividades

Aprendizagem do tipo processual:


1. Identificar material e equipamento de laboratório e manuseá-lo corretamente, respeitando regras
de segurança e instruções recebidas.

2. Identificar simbologia em laboratórios.

3. Identificar equipamento de proteção individual.

4. Adotar as medidas de proteção adequadas a operações laboratoriais, com base em informação de


segurança e instruções recebidas.

5. Atuar corretamente em caso de acidente no laboratório tendo em conta procedimentos de alerta


e utilização de equipamento de salvamento.

6. Selecionar material de laboratório adequado a um trabalho laboratorial.

7. Construir uma montagem laboratorial a partir de um esquema ou de uma descrição.

8. Executar corretamente técnicas laboratoriais.

9. Operacionalizar o controlo de uma variável.

10. Identificar aparelhos de medida, analógicos e digitais, o seu intervalo de funcionamento e a


respetiva incerteza de leitura.

11. Efetuar medições utilizando material de laboratório analógico, digital ou de aquisição


automática de dados.

12. Representar um conjunto de medidas experimentais em tabela, associando-lhes as respetivas


incertezas de leitura dos aparelhos de medida utilizados.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 167


Aprendizagem do tipo conceptual:
1. Identificar o objetivo de um trabalho prático.
2. Identificar o referencial teórico no qual se baseia o procedimento utilizado num trabalho prático,
incluindo regras de segurança específicas.
3. Interpretar e seguir um protocolo.
4. Descrever o procedimento que permite dar resposta ao objetivo de um trabalho prático.
5. Conceber um procedimento capaz de validar uma dada hipótese, ou estabelecer relações entre
variáveis, e decidir sobre as variáveis a controlar.
6. Identificar a influência de uma dada grandeza num fenómeno físico através de controlo de
variáveis.
7. Conceber uma tabela de registo de dados adequada ao procedimento.
8. Representar esquemas de montagens.
9. Utilizar regras de contagem de algarismos significativos.
10. Identificar e comparar ordens de grandeza.
11. Distinguir erros aleatórios de erros sistemáticos.
12. Indicar a medida de uma grandeza numa única medição direta, atendendo à incerteza
experimental associada à leitura no aparelho de medida.
13. Indicar a medida de uma grandeza quando há um conjunto de medições diretas, efetuadas nas
mesmas condições, tomando como valor mais provável o valor medio.
14. Calcular a incerteza absoluta do valor mais provável de um conjunto de medições diretas
(o maior dos desvios absolutos), assim como a incerteza relativa em percentagem (desvio
percentual), e indicar a medida da grandeza.
15. Associar a precisão das medidas à sua maior ou menor dispersão, quando há um conjunto
de medições diretas, e aos erros aleatórios.
16. Determinar o erro percentual associado a um resultado experimental quando há um valor
de referência.
17. Associar a exatidão de um resultado à maior ou menor proximidade a um valor de referência
e aos erros sistemáticos, relacionando-a com o erro percentual.
18. Construir gráficos a partir de listas de dados, utilizando papel ou suportes digitais.
19. Interpretar representações gráficas, estabelecendo relações entre as grandezas.
20. Aplicar conhecimentos de estatística no tratamento de dados experimentais em modelos
lineares, identificando as grandezas físicas na equação da reta de regressão.
21. Determinar valores de grandezas, não obtidos experimentalmente, a partir da equação de uma
reta de regressão.
22. Identificar erros que permitam justificar a baixa precisão das medidas ou a baixa exatidão
do resultado.
168 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11
23. Avaliar a credibilidade de um resultado experimental, confrontando-o com previsões do modelo
teórico, e discutir os seus limites de validade.
24. Generalizar interpretações baseadas em resultados experimentais para explicar outros
fenómenos que tenham o mesmo fundamento teórico.
25. Elaborar um relatório, ou síntese, sobre uma atividade prática, em formatos diversos.

Aprendizagens
AL 1.1 AL 1.2 AL 2.1 AL 2.2 AL 2.3 AL 2.4
do tipo:
1 x x x x x
2 x
3 x x x
4 x x x x
5 x x x
Processual

6 x x x x x
7 x
8 x x x
9 x x x
10 x x x x
11 x x x x
12 x x x
1 x x x x x x
2 x x
3 x x x x x
4 x x
5 x x
6 x x
7 x x x x x
8 x
9 x x x x
10
11
Conceptual

x x
12 x x
13 x
14
15 x
16
17
18 x x
19 x x
20
21
22
23 x x x
24 x x

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 169


AL 1.1 Síntese do ácido acetilsalicílico (CAL pp. 12-15)

Deve iniciar-se esta atividade referindo alguns conceitos associados, tais como o de reação
de síntese e o de grupo funcional, e, ainda, apresentando a técnica de filtração por vácuo.
Verificar com os alunos que nos compostos envolvidos na síntese do ácido acetilsalicílico se
encontram grupos funcionais já estudados no ano anterior. Levar os alunos a identificar esses grupos
funcionais. Indicar aos alunos a existência de uma função orgânica sua desconhecida – a função éster
– que se pode considerar derivada de um ácido carboxílico por substituição do átomo de hidrogénio
do grupo funcional carboxilo desse ácido por um grupo alquilo.
Como alternativa à realização da atividade proposta, pode ser realizada uma outra reação
de síntese, desde que envolva o mesmo tipo de operações: mistura de um reagente sólido com um
reagente líquido ou em solução, aquecimento, filtração por vácuo, lavagem e secagem do produto da
reação. Sugere-se como alternativa a síntese do paracetamol.

Resolução das questões teórico-práticas da AL 1.1


1.
1.1 O ácido sulfúrico tem o papel de catalisador, pois vai aumentar a velocidade da reação
de obtenção do ácido acetilsalicílico.
1.2 Filtração por vácuo (sucção). Deste modo, uma vez que os cristais de ácido acetilsalicílico são
muito finos, o processo de filtração será mais rápido e eficiente do que se fosse usada
a filtração por gravidade.
1.3
1.3.1 M(C7H6O3) = 138,12 g molо1; M(C9H8O4) = 180,15 g molо1

m 1,00 u 10 6
n on œ n 7,24 u 10 3 mol C 7H6 O3
M 138,12
aaaaaaaaaa
1 mol C7 H6 O3 1 mol C9 H8 O4
3
3 aaaaaaaaaa ฻ n = 7,24 × 10 molC9 H8 O4
7,24 × 10 mol C7 H6 O3 n
m = n × M ĺ m = 7,24 × 103 × 180,15 œ m = 1,30 × 106 g = 1,30 × 103 kg C9H8O4
Resposta: Obtêm-se 1,30 × 103 kg de ácido acetilsalicílico.
1.3.2 Consomem-se 7,24 × 103 mol C4H6O3.
M(C4H6O3) = 102,09 g molо1
m = n × M ĺ m = 7,24 × 103 × 102,09 œ m = 7,39 × 105 g C4H6O3

m m 7,39 u 10 5
U oV oV œ V 6,84 u 10 5 cm3 6,84 u 102 dm3 C 4H6 O3
V U 1,08
Resposta: Consomem-se 6,84 × 102 dm3 de anidrido etanoico.

170 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


nprevisto nprevisto
1.3.3 K u 100 o 80 u 100 œ nprevisto 5,8 u 10 3 mol C 9H8 O 4
nobtido 7,24 u 10 3

Resposta: Com o rendimento de 80% obter-se-iam 5,8 × 103 moles de ácido


acetilsalicílico.

2.
2.1 mácido puro = 0,85 × 1,8 × 106 œ mácido puro = 1,53 × 106 g

m 1,53 u 10 6
n on œ n 1,11 u 10 4 mol C 7H6 O3
M 138,12

Resposta: Como o ácido salicílico e o anidrido acético reagem na mesma proporção, são
necessárias 1,11 × 104 moles de anidrido etanoico sem impurezas.

m 1,75 u 10 6
2.2 n on œ n 9,71 u 10 3 mol C 9H8 O 4
M 180,15

nprevisto 9,71 u 10 3
K u 100 o K u 100 œ K 87,5%
nobtido 1,11 u 10 4

Resposta: O rendimento da reação é de 87,5%.

AL 1.2 Efeito da concentração no equilíbrio químico (CAL pp. 16-18)

O professor pode iniciar a aula sugerindo aos alunos que façam previsões sobre o efeito
da variação da concentração de reagentes e produtos da reação no sistema em equilíbrio em estudo.
Dado que esta atividade envolve preparação de soluções, deve recordar-se com os alunos
a técnica de preparação de soluções a partir de solutos sólidos.
Pode realizar outra atividade em alternativa a esta, como, por exemplo, o efeito
da variação da concentração no equilíbrio seguinte:
2 CrO 24 (aq) + 2 H+ (aq) ֖ Cr2O 27 (aq) + H2O (Ɛ)

As soluções de cromato e dicromato de potássio podem ser previamente preparadas pelo


professor ou, em alternativa, por um grupo de alunos, e utilizadas pelos restantes elementos
da turma.

Resolução das questões teórico-práticas da AL 1.2


1. Solução de nitrato de ferro (III):

m 6,05
n on œ n 2,50 u 10 2 mol Fe(NO3 )3
M 241,88

n 2,50 u 10 2
c oc œ c 2,50 u 10 1 mol dm 3 Fe(NO3 )3
V 0,100

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 171


Solução de tiocianato de sódio:

m 2,03
n on œ n 2,50 u 10 2 mol NaSCN
M 81,08

n 2,50 u 10 2
c oc œ c 2,50 u 10 1 mol dm3 NaSCN
V 0,100

Resposta: A concentração da solução de nitrato de ferro (III) e a da solução de tiocianato de sódio


é a mesma e é 2,50 × 10о1 mol dmо3.

2. n(Fe3+) = n(Fe(NO3)3) ĺ n(Fe3+) = 2,50 × 10о1 mol


Resposta: A quantidade de iões Fe3+ presentes na solução de nitrato de ferro (III) é 2,50 × 10о1 mol.

3. n(SCNо) = n(NaSCN)
N = n × NA ĺ N = 2,5 × 10о2 × 6,02 × 1023 œ N = 1,5 × 1022 iões SCNо
Resposta: Na solução de tiocianato de sódio estão presentes 1,5 × 1022 iões SCNо.

4.
4.1 Ao adicionar algumas gotas de solução de Fe(NO3)3, a concentração de Fe3+ aumenta.
O quociente da reação diminui em relação à constante de equilíbrio e o sistema desloca-se
no sentido da reação direta, acentuando-se a cor da solução.
4.2 Ao adicionar algumas gotas de solução de NaSCN, a concentração de SCNо aumenta.
O quociente da reação diminui em relação à constante de equilíbrio e o sistema desloca-se
no sentido da reação direta, acentuando-se a cor da solução.
4.3 Ao adicionar algumas gotas de solução de C2O4H2, os iões oxalato, C2O 24 , resultantes
da ionização do ácido, reagem com os iões Fe3+, diminuindo a sua concentração. O valor
do quociente da reação aumenta em relação à constante de equilíbrio e o sistema desloca-se
no sentido da reação inversa, atenuando a intensidade da cor da solução.

AL 2.1 Constante de acidez (CAL pp. 19-21)

Antes de iniciar a atividade, o professor pode dialogar com os alunos acerca do conceito de
constante de acidez e pH de uma solução.
A partir do valor da percentagem de ácido acético presente no vinagre, que consta no rótulo
da embalagem, levar os alunos a determinar a concentração de ácido acético na solução de vinagre.
Recordar aos alunos a técnica de diluição de soluções.
O professor deve exemplificar a medição de pH de soluções com o medidor de pH.
Como complemento, pode utilizar-se uma solução de uma monobase fraca como, por exemplo,
hidróxido de amónio, NH4OH (aq), para determinar a constante de basicidade, Kb, da base.

172 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Resolução das questões teórico-práticas da AL 2.1
1.
1.1 Volume a retirar para preparar 100 mL de solução 0,10 mol dmо3 em CH3COOH:
ni = nf ĺ ci × Vi = cf × Vf ĺ 0,25 × Vi = 0,10 × 0,100 œ Vi = 0,040 L ou Vi = 40 mL
Volume a retirar para preparar 100 mL de solução 0,050 mol dmо3 em CH3COOH:
ni = nf ĺ ci × Vi = cf × Vf ĺ 0,25 × Vi = 0,050 × 0,100 œ Vi = 0,020 L ou Vi = 20 mL
Resposta: Devem ser retirados da solução inicial 40 mL para preparar a solução de ácido
acético de concentração 0,10 mol dmо3 e 20 mL para preparar a solução de ácido acético de
concentração 0,050 mol dmо3.
1.2 Dois balões volumétricos de 100 mL; esguicho de água desionizada; pipeta graduada de
50 mL e respetiva pompete.

Vf 100 Vf 100
1.3 f1 o f1 œ f1 2,5 ; f2 o f2 œ f2 5
Vi 40 Vi 20

Resposta: A solução de ácido acético de concentração 0,10 mol dmо3 tem um fator de
diluição 2,5 e a de concentração 0,050 mol dmо3 tem um fator de diluição 5.
1.4

CH3COOH (aq) + H2O (Ɛ) ֖ CH3COOо (aq) + H3O+ (aq)


ci / mol dmо3 0,25 – 0 у0
ceq / mol dmо3 0,25 – x у 0,25 – x x

[CH3 COO- ]e [H3 O+ ]e x2


Ka = ՜ 1,8 × 10-5 = ֞x = 2,1 × 10-3 mol dm-3
[CH3 COOH]e 0,25
[H3O+] = 2,1 × 10о3 mol dmо3
Ɖ,соůŽŐ΀,3O+] œ pH = 2,7
Resposta: O pH da solução inicial de ácido acético é 2,7.
1.5 Determinação do valor de referência:
[CH3 COO- ]e [H3 O+ ]e x2
Ka = ՜ 1,8 × 10-5 = ֞ x = 9,5 × 10-4 mol dm-3
[CH3 COOH]e 0,050
[H3O+] = 9,5 × 10о4 mol dmо3
pH соůŽŐ΀,3O+] œ pH = 3,0
Determinação do valor mais provável:

2,7  3,1  3,0


x œ x 2,9
3

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 173


Determinação da incerteza absoluta:

Ϯ͕ϳоϯ͕ϬсоϬ͕ϯ
ϯ͕ϭоϯ͕ϬсϬ͕ϭ Incerteza absoluta = 0,3
ϯ͕Ϭоϯ͕ϬсϬ

Determinação da incerteza relativa:

Incerteza absoluta
Incerteza relativa u 100
x
0,3
Incerteza relativa u 100 œ Incerteza relativa 10%
2,9

Resposta: A incerteza relativa da medição é 10%.

AL 2.2 Titulação ácido-base (CAL pp. 22-25)

O professor deve efetuar uma demonstração do procedimento técnico antes da realização


da atividade pelos alunos, alertando-os para o procedimento a seguir na montagem e na utilização
da bureta.
Os alunos devem ser questionados no sentido da identificação do titulante e do titulado. O
professor pode ainda falar com os alunos acerca do indicador ácido-base mais adequado para a
realização da atividade laboratorial proposta.
Uma vez terminada a titulação os alunos devem utilizar os valores de pH registados para traçar
a curva de titulação.

Resolução das questões teórico-práticas da AL 2.2


1. Opção (D).

2.
2.1
2.1.1 Hidróxido de potássio, KOH.
2.1.2 Ácido nítrico, HNO3.
2.2 O valor de pH vai diminuindo porque vai diminuindo a concentração de OHо.
2.3 Pela estequiometria da reação temos:
nácido = nbase ĺ cácido × Vácido = cbase × Vbase ĺ 0,30 × 0,040 = cbase × 0,020 œ cbase = 0,60 mol dmо3
Resposta: A concentração da solução de hidróxido de potássio é 0,60 mol dmо3.
2.4 A zona de viragem de cor do indicador ácido-base escolhido deverá estar contida
no intervalo de pH que corresponde à variação brusca de pH da titulação, ou deverá conter
o pH do ponto de equivalência.
2.5 Opção (C).
174 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11
AL 2.3 Série eletroquímica (CAL pp. 26-28)

Antes de iniciar o procedimento experimental, o professor pode fazer um breve enquadramento


teórico, tendo como base o que se encontra na página 26 do Caderno de Atividades Laboratoriais.
Nesta atividade propõe-se a utilização dos metais zinco, Zn, magnésio, Mg, cobre, Cu, e alumínio,
AƐ, e de soluções aquosas de nitrato de zinco, nitrato de magnésio, nitrato de cobre e nitrato de
alumínio.
Os alunos devem planificar os ensaios a realizar conjugando os pares metal-solução. Cada grupo
de alunos deve realizar um total de 12 ensaios. Os ensaios que se vão efetuar têm por finalidade
verificar os casos em que há reação.
As reações químicas que possam ocorrer durante esta atividade dar-se-ão à temperatura
ambiente. A modificação nos sistemas reacionais é mais visível nuns casos do que noutros. Assim, é
conveniente deixar os metais em contacto com as soluções durante toda a aula.
Uma vez preenchido o quadro de registo de resultados, os alunos deverão elaborar uma série
eletroquímica com os metais estudados e os respetivos catiões metálicos.
O professor poderá utilizar outros metais e soluções aquosas com catiões metálicos desses
metais, caso existam na sua escola.

Resolução das questões teórico-práticas da AL 2.3


1.
1.1 Opção (B).
1.2 Zn2+ (aq) + 2 eо ĺ Zn (s)

1.3 'n.o.(AƐͿснϯоϬ œ 'n.o.(AƐ) = +3


1.4 É o ião zinco, Zn2+. A reação é mais extensa no sentido direto, ou seja, no sentido da redução
dos iões zinco (e da oxidação do alumínio metálico).

2. O cobre, porque é o metal que tem menor tendência para se oxidar.

3. Oxida-se quando os catiões metálicos das soluções tiverem menor poder redutor que o Zn2+.

4. Porque o zinco reage com iões H+ (aq) provenientes do ácido sulfúrico, formando iões Zn2+, em
solução aquosa, e libertando hidrogénio gasoso, de acordo com a equação seguinte:
Zn (s) + 2 H+ (aq) ĺ Zn2+ (aq) + H2 (g)

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 175


AL 2.4 Temperatura e solubilidade de um soluto sólido em água (CAL pp. 29-31)

Deve iniciar-se esta atividade sugerindo aos alunos que formulem hipóteses sobre o efeito
da temperatura na solubilidade de um soluto sólido em água.
O procedimento deve contemplar o aquecimento da mistura até que haja dissolução total
da amostra e posterior arrefecimento até que se formem os primeiros cristais.
Deve traçar-se a curva de solubilidade e concluir como varia a solubilidade do sal com a
temperatura.
Uma vez terminada esta atividade, propõe-se a recuperação do sal através da filtração e posterior
evaporação do solvente.
Devem ser referidos os aspetos de segurança em relação a fontes de aquecimento e à manipulação
de reagentes.

Resolução das questões teórico-práticas da AL 2.4


1. Opção (D).

2.
2.1 Opção (D). De acordo com o gráfico, a 40 °C dissolvem-se cerca de 73 g de KNO3 e 104 g
de NaNO3, por cada 100 g de água.
2.2 Ce2(SO4)3
2.3 A dissolução de Ce2(SO4)3 em água é exotérmica. Com o aumento da temperatura
a solubilidade do sal diminui, ou seja, o equilíbrio de solubilidade evolui no sentido
da formação de Ce2(SO4)3. De acordo com o Princípio de Le Châtelier, o aumento
de temperatura num sistema em equilíbrio faz com que esse sistema evolua no sentido da
reação endotérmica, atingindo um novo estado de equilíbrio. Deste modo, a formação
Ce2(SO4)3 é endotérmica, sendo a dissolução dos iões Ce3+ e SO 24 um processo exotérmico.

3. A dissolução de nitrato de potássio, KNO3, é um processo endotérmico. Assim, a dissolução deste


sal em água provoca a diminuição da temperatura da solução. Dissolvendo KNO3 em quantidade
suficiente, a temperatura da água que se encontra na placa de madeira, em contacto com
o balão de Erlenmeyer que contém a solução, irá baixar até que a água solidifique. O balão
de Erlenmeyer fica então «colado» à placa de madeira.

176 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


7 Soluções
Fichas

o
Ficha de revisão – 10. ano
1.
1.1 Oito nuclídeos.
1.2 Seis elementos químicos.
1.3 B e F; D e G. Possuem igual número atómico (Z).
40 2
1.4 Catião 20 H : 20 protões, 18 eletrões e 20 neutrões.
1.5 C e E. Partícula C: 9 protões, 10 eletrões e 10 neutrões. Partícula E: 10 protões, 10 eletrões e 10 neutrões.
2. Opção (C).
12 u 70  14 u 20  16 u 10
Ar(X) = œ Ar(X) = 12,8
100
3. Opção (B).
aaaaaaaaaa
100 g de farinha láctea 200 mg de Ca
aaaaaaaaaa ฻ m = 1600 mg de Ca
800 g de farinha láctea m
m 1,600
n= ĺn= œ n = 3,992 × 10о2 уϰ͕Ϭ× 10о2 mol átomos de Ca
M 40,08
о1 23
4. Opção (D). Recipiente 1 contém: 4,6 g de Na (s), 2,0 × 10 mol Na, 1,2 × 10 átomos; recipiente 2 contém: 90,1 g de
24 о2 22
H2O (Ɛ), 5,0 mol H2O (Ɛ), 9,0 × 10 átomos; recipiente 3 contém: 8,47 g de S8 (s), 3,3 × 10 mol S8 (s), 2,0 × 10
23
moléculas S8 (s), 1,6 × 10 átomos.
As outras são incorretas porque: (A) a substância que tem maior massa encontra-se no recipiente 2 (90,1 g); (B) o
о2
recipiente que contém menor número de moles é o 3 (3,3 ×10 mol); (C) o recipiente 1 é o que contém a substância de
menor massa (4,6 g).
5.
5.1
m 39,5
5.1.1 n = ĺn= œ n = 0,250 mol KMnO4
M 158,04
5.1.2 msolução = Usolução × Vsolução ĺ msolução = 1,03 × 400 œ m solução = 412 g; msolvente сϰϭϮоϯϵ͕ϱсϯϳϮ g
m 372
5.1.3 n = ĺn= œ n = 20,6 mol H2O
M 18,02
nsoluto 0,250
xsoluto = ĺ xsoluto = œ xsoluto = 1,20 × 10о2
ntotal 0,250  20,6
5.2 Opção (D).
m 372
wsolvente = solvente ĺ wsolvente = œ wsolvente = 9,03 × 10о1 у9,0 × 10о1
m total 412
6.
6.1 Para extrair o eletrão do átomo de hidrogénio, no estado fundamental, é necessário fornecer uma energia mínima
о18 о18 о19
ƐŝŵĠƚƌŝĐĂ ĚĞ оϮ͕ϭϴ × 10 J (energia de ionização) – como 2,18 × 10 J é maior do que 5,23 × 10 J, a radiação
envolvida é da gama ultravioleta.
о19 о19 о19
6.2 Eradiação incidente = Emínima de remoção + Ecinética ĺ Eradiação incidente = 5,45 × 10 + 3,50 × 10 œ Eradiação incidente = 8,95 × 10 J
6.3 De n =4 para n = 1.
7. Opção (B). As outras são incorretas porque: (A) o número máximo de eletrões que o nível 1 comporta são 2; (C) o
número máximo de eletrões que cada orbital comporta é 2; (D) cada subnível s é constituído por 1 orbital.
8.
2 2 6 2 5
8.1 1s 2s 2p 3s 3p
8.2 Grupo 17; terceiro período; bloco p.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 177


9. Opção (D). As outras são incorretas porque: (A) Y pertence ao grupo 15 da Tabela Periódica porque possui 5 eletrões de
2 2 3
valência; (B) a configuração eletrónica dos átomos do elemento Y, no estado fundamental, é 1s 2s 2p ; (C) o raio
atómico de X é superior ao raio atómico de T porque X e T pertencem ao mesmo período e o número atómico de T é
maior que o número atómico de X. O raio atómico diminui ao longo do período.
10.
10.1

10.2 Quatro eletrões.


10.3 Opção (B).
11.
11.1 Moléculas polares: HCƐ e NH3. As nuvens eletrónicas são assimétricas.
11.2 A energia de ligação na molécula de N2 é maior que a energia de ligação na molécula de NH3 porque a molécula de N2
possui uma ligação covalente tripla.
11.3 Opção (C).
m 7,00
n= ĺn= œ n = 2,50 × 10о1 mol N2
M 28,02
aaaaaaaaaa
1 mol N2 945 kJ
-1 aaaaaaaaaa ฻ E = 2,36 × 102 kJ = 2,36 × 105 J
2,50 × 10 mol N2 E
11.4 Opção (D). As outras são incorretas porque: (A) no metano, as forças que unem as moléculas são forças de London;
(B) ŶŽĐůŽƌĞƚŽĚĞŚŝĚƌŽŐĠŶŝŽ͕ĂƐĨŽƌĕĂƐƋƵĞƵŶĞŵĂƐŵŽůĠĐƵůĂƐƐĆŽĚŽƚŝƉŽĚŝƉŽůŽƉĞƌŵĂŶĞŶƚĞоĚŝƉŽůŽƉĞƌŵĂŶĞŶƚĞ͖
(C) no nitrogénio, as forças que unem as moléculas são forças de London.
12. (A) – 2; (B) – 1; (C) – 4; (D) – 3; (E) – 5.
13.
m 6,20
13.1 n = ĺn= œ n = 0,135 mol NO2
M 46,01
13.2 Opção (A).
14.
14.1 Opção (C).
о1 о2
n = c × V ĺ n = 2,50 × 10 × 0,250 œ n = 6,25 × 10 mol K2Cr2O7
о2
m = n × M ĺ n = 6,25 × 10 × 294,20 œ m = 18,4 g K2Cr2O7
+ + о1 о3
14.2 [K ] = 2 × cK2Cr2O7 œ [K ] = 5,00 × 10 mol dm
0,250u 0,250
14.3 ci × Vi = cf × Vf ĺ Vf = œ Vf = 625 mL; Vágua a adicionar сϲϮϱоϮϱϬсϯϳϱŵ>
0,100
15.
15.1 Energia necessária para quebrar as ligações dos reagentes: 409 + 4 × 388 + 498 = 2459 kJ
Energia que se liberta quando se formam as ligações nos produtos da reação: 945 + 4× 463 = 2797 kJ
'H сϮϰϱϵо 2797 œ 'H соϯϯϴŬ:
15.2 A reação é exotérmica porque 'H < 0.
m 320
15.3 n = ĺn= œ n = 9,98 mol N2H4
M 32,05
aaaaaaaaaa
1 mol N2 H4 338 kJ
aaaaaaaaaa ฻ E = 3,37 × 103 kJ
9,98 mol N2 H4 E
16.
16.1 Reação de dissociação: N2 (g) ĺ N (g) + N (g)
о
Reação de ionização: N2 (g) ĺ N 2 (g) + e
о1 1200 u 1000
16.2 E = 1200 kJ mol ĺ E = œ E = 1,99 × 10о18 J. A molécula de N2 dissocia-se mas não se ioniza.
6,02 u 10 23

178 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Ficha formativa 1 – Cálculos estequiométricos. Reagente limitante
1.
(A) N2O5 (g) + H2O (Ɛ) ĺ 2 HNO3 (aq)
(B) 2 NH4OH (aq) + H2SO4 (aq) ĺ (NH4)2SO4 (aq) + 2 H2O (Ɛ)
(C) Ag2SO4 (aq) + 2 NaCƐ (aq) ĺ 2 AgCƐ (s) + Na2SO4 (aq)
(D) 2 KNO3 (s) ĺ 2 KNO2 (s) + O2 (g)
(E) Na2CO3 (aq) + 2 HCƐ (aq) ĺ CO2 (g) + 2 NaCƐ (aq) + H2O (Ɛ)
(F) C2H5OH (Ɛ) + 3 O2 (g) ĺ 2 CO2 (g) + 3 H2O (g)
(G) 3 Fe (s) + 4 H2O (Ɛ) ĺ Fe3O4 (s) + 4 H2 (g)
(H) Pb(NO3)2 (aq) + 2 NaI (aq) ĺ PbI2 (s) + 2 NaNO3 (aq)
2.
mS 32,07
2.1 CaSO4: %(S) = × 100 ĺ %(S) = × 100 œ %(S) = 23,55%
MCaSO 4 136,15

mS 32,07
Na2SO3: %(S) = × 100 ĺ %(S) = × 100 œ %(S) = 25,44%
MNa2 SO 3 126,05
m 50,4
2.2 Opção (D). n = ĺn= œ n = 4,00 × 10о1 mol Na2SO3
M 126,05
m 34,0
2.3 Para CaSO4: n = ĺn= œ n = 2,50 × 10о1 mol CaSO4
M 136,15
aaaaaaaaaa
1 mol CaSO4 4 mol O
-1 aaaaaaaaaa ฻ n = 1,00 mol átomos O
2,5 × 10 mol CaSO4 n
m 50,4
Para Na2SO3: n = ĺn= œ n = 4,00 × 10о1 mol Na2SO3
M 126,05
aaaaaaaaaa
1 mol Na2 SO3 3 mol O
-1 aaaaaaaaaa ฻ n =1,20 mol O
4,00 × 10 mol Na2 SO3 n

1,20 u 6,02 u 1023


A relação entre o número de átomos de oxigénio nas amostras de Na2SO3 e CaSO4 é: = 1,20
1,00 u 6,02 u 1023
3.
12,01 1,008 3u 35,45
3.1 %(C) = × 100 œ %(C) = 10,06%; %(H) = × 100 œ %(H) = 0,8444%; %(CƐ) = × 100 œ
119,37 119,37 119,37
œ %(CƐ) = 89,09%
26,98 3u 16,00 3u 1,008
3.2 %(AƐ) = × 100 œ %(AƐ) = 34,59%; %(O) = × 100 œ %(O) = 61,54%; %(H) = × 100 œ
78,00 78,00 78,00
œ %(H) = 3,877%
4.
aaaaaaaaaa
1 mol BaCκ2 .2H2 O 2 mol H2 O
4.1 aaaaaaaaaa ֞ n = 8,00 mol H2 O
4,00 mol BaCκ2 .2H2 O n
m = n × M ĺ m = 8,00 × 18,02 œ m = 144 g H2O
о
4.2 A 4,00 moles de BaCƐ2 correspondem 8,00 moles de iões CƐ .
23 24 о
N = n × NA ĺ N = 8,00 × 6,02 × 10 œ N = 4,82 × 10 iões CƐ
mBaC" 2 208,19
4.3 %(m/m) = × 100 ĺ %(m/m) = × 100 œ %(m/m) = 85,243%
mBaC" 2 .2H2 O 244,23
2+
4.4 A 4,00 moles de BaCƐ2.2H2O correspondem 4,00 moles de iões Ba .
5.
5.1 Carbonato de cálcio, CaCO3 (s).
aaaaaaaaaa
1 mol Na2 CO3 2 mol NaOH
5.2 aaaaaaaaaa ֞ n = 12,0 mol H2 O
6,00 mol Na2 CO3 n
m = n × M ĺ m = 12,0 × 40,00 œ m = 480 g NaOH

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 179


n 12,0
5.3 c = ĺc= œ c = 16,0 mol dmо3
V 750,0 u 10 3

6.
6.1 O tipo e o estado físico, nas condições PTN, das substâncias que constituem o sistema reacional. Assim, sabe-se que o
dióxido de enxofre, no estado gasoso, reage com o oxigénio, no estado gasoso, para formar trióxido de enxofre,
também no estado gasoso.
3 3
6.2 Opção (C). Se, nas condições PTN, 22,4 dm de SO2 correspondem a 1 mol SO2, então 11,2 dm de O2 correspondem a
0,5 mol O2.
aaaaaaaaaa
2 mol SO2 1 mol O2
aaaaaaaaaa ֞ n = 0,5 mol O2
1 mol SO2 n
As outras são incorretas porque:
aaaaaaaaaa
1 mol O2 2 mol SO2
(A) aaaaaaaaaa ֞ n = 8,0 mol SO2 ; são necessários 4,0 mol O2 para se consumir 8,0 mol SO2.
4,0 mol O2 n
(B) A quantidade de SO2 consumida é igual à quantidade de SO3 formada.
m 19,2
(C) n = ĺn= œ n = 0,300 mol SO2
M 64,07
aaaaaaaaaa
2 mol SO2 2 mol SO3 3
aaaaaaaaaa ֞ n = 0,300 mol SO3 ; V = n × Vm ĺ V = 0,300 × 22,4 œ V = 6,72 dm SO3
0,300 mol SO2 n
3
>ŝďĞƌƚĂŵоƐĞ͕ŶĂƐĐŽŶĚŝĕƁĞƐWdE͕ϲ͕ϳϮdm de SO3.
7.
7.1 2 NH3 (g) + H2SO4 (aq) ĺ (NH4)2SO4 (aq)
m 10,0 u 106
7.2 (NH4)2SO4: n = ĺn= œ n = 7,57 × 104 mol (NH4)2SO4
M 132,15
aaaaaaaaaa
2 mol NH3 1 mol (NH4 )SO4
aaaaaaaaaa ֞ n = 1,51 × 105 mol NH3
n 7,57 × 104 mol (NH4 )SO4
5 6
m = n × M ĺ m = 1,51 × 10 × 17,03 œ m = 2,57 × 10 g NH3 ou m = 2,57 toneladas de NH3
8.
aaaaaaaaaa
2 mol C4 H10 8 mol CO2
8.1 aaaaaaaaaa ֞ n = 4,0 mol CO2
1,0 mol C4 H10 n
V 56,0
8.2 H2O (g): n = ĺn= œ n = 2,50 mol H2O
Vm 22,4
aaaaaaaaaa
13 mol O2 10 mol H2 O
aaaaaaaaaa ֞ n = 3,25 mol O2 ; m = n × M ĺ m = 3,25 × 32,00 œ m = 104 g O2
n 2,50 mol H2 O
aaaaaaaaaa
m 58,1 2 mol C4 H10 13 mol O2
8.3 n = ĺn= œ n = 1,00 mol C4H10; aaaaaaaaaa ֞ n = 6,50 mol O2
M 58,1 1,00 mol C4 H10 n
9.
9.1 Opção (B).
aaaaaaaaaa
40,0 L combustível 265 mol C8 H18
aaaaaaaaaa ֞ n = 66,2 mol C8 H18
10,0 L combustível n
aaaaaaaaaa
2 mol C8 H18 25 mol O2
aaaaaaaaaa ֞ n = 8,3 × 102 mol O2
66,2 mol C8 H18 n
aaaaaaaaaaaaa
2 mol C8 H18 16 mol CO2 4 3
9.2 aaaaaaaaaaaaa ֞ n = 530 mol CO2 ; V = n × Vm ĺ V = 530 × 22,4 œ V = 1,19 × 10 dm CO2
66,2 mol C8 H18 n
10.
cm 4,0
10.1 c = ĺc= œ c = 1,0 × 10о1 mol dmо3 NaOH
M 40,00
о1 о3
10.2 n = c × V ĺ m = 1,0 × 10 × 30,0 × 10 œ n = 3,0 × 10о3 mol NaOH
180 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11
aaaaaaaaaa
1 mol H2 SO4 2 mol NaOH
10.3 aaaaaaaaaa ֞ n = 1,5 × 10-3 mol H2 SO4
n 3,0 × 10-3 mol NaOH
о3
m = n × M ĺ m = 1,5 × 10 × 98,09 œ m = 0,15 g H2SO4
n 1,5 u 10 3
10.4 c = ĺc= œ c = 7,5 × 10о2 mol dmо3 H2SO4
V 20,0 u 10 3
о1 о3 о3
11. n = c × V ĺ n = 1,05 × 10 × 25,0 × 10 œ n = 2,625 × 10 mol NaOH; n(HCƐ) = n(NaOH)
n 2,62 u 10 3
c= ĺc= œ c = 1,11 × 10о1 mol dmо3 HCƐ
V 23,65 u 10  3
12.
о1 о3 m 4,90
12.1 n = c × V ĺ n = 5,0 × 10 × 150,0 × 10 œ n = 7,5 × 10о2 mol NaOH; n = ĺn= œ
M 98,09
œ n = 5,00 × 10о2 mol H2SO4
7,5 u 10 2 5,00 u 10 2
NaOH: = 0,0375; H2SO4: = 0,0500; o reagente limitante é NaOH.
2 1
aaaaaaaaaa
2 mol NaOH 1 mol Na2 SO4
12.2 aaaaaaaaaa ֞ n = 3,8 ×10-2 mol Na2 SO4
-2
7,5 × 10 mol NaOH n
13.
m 12,6 m 8,4
13.1 n = ĺn= œ n = 7,42 × 10о2 mol AgNO3; n = ĺn= œ n = 4,0 × 10о2 mol BaCƐ2
M 169,91 M 208,20

7,42 u 10 2 о2 4,0 u 10 2 о2
Para: AgNO3: = 3,71 × 10 ; BaCƐ2: = 4,0 × 10 ; o reagente em excesso é BaCƐ2.
2 1
aaaaaaaaaa
2 mol AgNO3 2 mol AgCκ
13.2 Opção (A). aaaaaaaaaa ֞ n = 7,42 × 10-2 mol AgCκ
-2
7,42 × 10 mol AgNO3 n
14.
6,0 8,0
14.1 n = œ n = 2,2 × 10о1 mol AƐ; n = œ n = 5,3 × 10о2 mol Cr2O3
26,98 152,00
2,2 u 10 1 о1 5,3 u 10 2 о2
Para: AƐ: = 1,1 × 10 ; Cr2O3: = 5,3 × 10 ; o reagente limitante é Cr2O3.
2 1
aaaaaaaaaa
1 mol Cr2 O3 2 mol Cr
о1
14.2 -2 aaaaaaaaaa ֞ n = 1,1 × 10-1 mol Cr ; m = n × M ĺ m = 1,1 × 10 × 52,00 œ m = 5,7 g Cr
5,3 × 10 mol Cr2 O3 n
aaaaaaaaaa
2 mol Aκ 1 mol Cr2 O3
14.3 aaaaaaaaaa ֞ n = 1,1 × 10-1 mol Aκ
n 5,3 × 10-2 mol Cr2 O3
о1 о1
n(AƐ que não reage) = 2,2 × 10 оϭ͕1 × 10 œ n(AƐ que não reage) = 0,11 mol átomos AƐ
15. Opção (B). Reagente em excesso: AƐ
aaaaaaaaaa
2 mol Aκ 3 mol MnO
aaaaaaaaaa ֞ n = 1,88 mol Aκ
n 2,82 mol MnO
n(AƐ consumido) = 1,88 mol; n(AƐ ƋƵĞŶĆŽĨŽŝĐŽŶƐƵŵŝĚŽͿсϯ͕ϳϭоϭ͕ϴϴ œ n(AƐ que não foi consumido) = 1,83 mol
m 100,0 200,0
(A) n = ĺn= œ n = 3,706 mol AƐ; n = œ n = 2,819 mol MnO
M 26,98 70,94
3,706 2,819
Para: AƐ: = 1,853 ; MnO: = 0,940; o reagente limitante é o MnO.
2 3
(C) A 2,82 moles de MnO correspondem 2,82 moles de Mn. m = n × M ĺ m = 2,82 × 54,94 œ m =155 g Mn
(D) KďƚŝǀĞƌĂŵоƐĞϮ͕ϴϮŵŽůĚĞDŶ;ƐͿ͘
16.
m 350,0 m 50,0
16.1 (SiO2): n = ĺn= œ n = 5,825 mol SiO2; (C): n = ĺn= œ n = 4,16 mol C
M 60,09 M 12,01

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 181


5,825 4,16
Para: SiO2: = 5,825; C: = 1,39; o reagente em excesso é o SiO2.
1 3
aaaaaaaaaa
1 mol SiO2 3 mol C
16.2 aaaaaaaaaa ֞ n = 1,39 mol SiO2
n 4,16 mol C
n(SiO2 ƋƵĞŶĆŽƐĞĐŽŶƐƵŵŝƵͿсϱ͕ϴоϭ͕ϯϵ œ n(SiO2 que não se consumiu) = 4,4 mol
2
m = n × M ĺ m = 4,4 × 60,09 œ m = 2,6 Ý 10 g SiO2
16.3 Opção (B).
aaaaaaaaaa
3 mol C 2 mol CO 3
aaaaaaaaaa ֞ n = 2,77 mol CO ; V = n × Vm ĺ V = 2,77 × 22,4 œ V = 62,0 dm CO
4,16 mol C n

Ficha formativa 2 – Grau de pureza


1.
V 44,8 m 150
1.1 n = ĺn= œ n = 2,00 mol C3H8; n = ĺn= œ n = 3,41 mol CO2
Vm 22,4 M 44,01
aaaaaaaaaa
1 mol C3 H8 3 mol CO2 nproduto obtido 3,41
aaaaaaaaaa ֞ n = 6,00 mol CO2 ; K = × 100 ĺ K = × 100 œ K = 56,8%
2,00 mol C3 H8 n nproduto previsto 6,00
1.2 Como K = 56,8%, a quantidade de C3H8 que se consome é: 2,0 × 0,568 = 1,1 mol C3H8.
aaaaaaaaaa
1 mol C3 H8 5 mol O2 2 3
aaaaaaaaaa ֞ n = 5,5 mol O2 ; V = n × Vm ĺ V = 5,5 × 22,4 œ V = 1,2 Ý 10 dm O2
1,1 mol C3 H8 n

m 145,0 u 10 3
2. n = ĺn= œ n = 3,295 × 103 mol CO2
M 44,01
3
De acordo com a equação química que traduz a reação de combustão do carvão, n(CO2) = n(C) ĺ n(C) = 3,295 × 10 mol
3
m = n × M ĺ n = 3,295 × 10 × 12,01 œ m = 39,57 kg C
mC 39,57
%(C na amostra) = × 100 ĺ %(C na amostra) = × 100 œ %(C na amostra) = 66,0%
mcarvão 60,0
о3
3. n = c × V ĺ n = 0,1206 × 14,78 × 10 œ n = 1,782 × 10о3 mol HCƐ
aaaaaaaaaa
1 mol Na2 CO3 2 mol HCκ
aaaaaaaaaa ֞ n = 8,910 × 10-4 mol Na2 CO3
n 1,782 × 10-3 mol HCκ

о4 msubstância 0,09444
m = n × M ĺ n = 8,910 × 10 × 105,99 œ m = 0,09444 g Na2CO3; GP = × 100 ĺ GP = × 100 œ
mamostra 0,1247
œ GP = 75,73%
4.
m 25,0 m 25,0
4.1 (CH3COOH): n = ĺn= œ n = 0,416 mol CH3COOH; (CH3CH2OH): n = ĺn= œ
M 60,05 M 46,07
œ n = 0,543 mol CH3CH2OH
Como qualquer dos coeficientes estequiométricos dos reagentes é 1, o reagente limitante é o ácido acético
(CH3COOH).
4.2 Opção (D)͘sĂŝŽďƚĞƌоƐĞϬ͕ϰϭϲŵŽů,3COOCH2CH3.
m 34,0
n= ĺn= œ n = 0,386 mol CH3COOCH2CH3
M 88,10
nproduto obtido 0,386
K= × 100 ĺ K = × 100 œ K = 92,8% ˷ 93%
nproduto previsto 0,416
5. De acordo com a estequiometria da reação, a 1 mol de O2 consumido corresponde 1 mol de HCHO formado. Se o
ƌĞŶĚŝŵĞŶƚŽĨŽƌϭϬϬй͕ĐŽŶƐŽŵĞŵоƐĞϮϬϬŬŵŽůͬĚŝĂĚĞK2. Como a reação tem um rendimento de 25,0%:
nproduto obtido 200
K= × 100 ĺ 25,0 = × 100 œ n = 800 kmol / dia
nproduto previsto n

182 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


6.
m 224 m 102
6.1 Opção (D). (CaO): n = ĺn= œ n = 3,99 mol CaO; (NH3): n = ĺn= œ n = 6,00 mol NH3
M 56,08 M 17,03
aaaaaaaaaa
1 mol CaO 2 mol NH3 6,00
aaaaaaaaaa ֞ n = 7,98 mol NH3 ; K = × 100 œ K = 75,1% ˷ 75%
3,99 mol CaO n 7,98
aaaaaaaaaa
2 mol NH3 1 mol CaCκ2
6.2 aaaaaaaaaa ֞ n = 3,00 mol CaCκ2
6,00 mol NH3 n
7.
m 75,0 u 10 3
7.1 (C6H5CH3): n = ĺn= œ n = 814 mol C6H5CH3
M 92,13
m 73,4 u 10 3
(C6H5COOH): n = ĺn= œ n = 601 mol C6H5COOH
M 122,12
De acordo com a estequiometria da reação, 1 mole de C6H5CH3 origina 1 mole de C6H5COOH. Assim, deveria obter-se
814 mol de C6H5CH3. Como se obtêm 601 moles, o rendimento será:
601
K= × 100 œ K = 73,8%
814
7.2 Como o rendimento é igual a 73,8%, a quantidade de tolueno que se consome é:
n = 814 × 0,738 œ n = 601 mol C6H5CH3.
WĞůĂĞƐƚĞƋƵŝŽŵĞƚƌŝĂĚĂƌĞĂĕĆŽ͕ůŝďĞƌƚĂŵоƐĞϲϬϭŵŽůes de H2.
3 4 3
V = n × Vm ĺ V = 601 × 22,4 œ V = 13 462 dm ou V = 1,35 × 10 dm de H2
8.
8.1 CH4 (g) + 2 O2 (g) ĺ CO2 (g) + 2 H2O (g)
V 13,44
8.2 n = ĺ n = œ n = 0,600 mol CO2 (g)
Vm 22,4
0,600
Como o rendimento é 90%, n = œ n = 0,67 mol CO2 (g); m = n × M ĺ n = 0,67 × 16,04 œ m = 10,7 g CH4
0,90
aaaaaaaaaa
1 mol CO2 2 mol H2 O
8.3 aaaaaaaaaa ֞ n = 1,42 mol Mg
0,600 mol CO2 n
23
N = n × NA ĺ N = 1,20 × 6,02 × 10œ N = 7,22 × 1023 moléculas H2O
3
9. Para 1000 cm de solução: msolução = Usolução × Vsolução ĺ msolução = 1,15 × 1000 œ msolução = 1150 g
m 345 9,46
mHCƐ = 1150 × 0,300 œ mHCƐ = 345 g; n = ĺn= œ n = 9,46 mol HCƐ; c = œ c = 9,46 mol dmо3 HCƐ
M 36,46 1,000
n = c × V ĺ n = 9,46 × 0,300 œ n = 2,84 mol HCƐ
aaaaaaaaaa
1 mol Mg 2 mol HCκ
aaaaaaaaaa ֞ n = 1,42 mol Mg
n 2,84 mol HCκ
10. Zn (s) + 2 HCƐ (aq) ĺ ZnCƐ2 (aq) + H2 (g)
m 25,4
Quantidade de ZnCƐ2 que se obtém: n = ĺn= œ n = 0,186 mol ZnCƐ2
M 136,28
Se o rendimento fosse 100%, obter-se-ia 0,186 mol ZnCƐ2, de acordo com a estequiometria da reação.
0,186
Como o rendimento é igual a 80%, n = œ n = 0,23 mol Zn; m = n × M œ m = 15 g Zn
0,80
Se a amostra fosse pura ter-se-ia consumido 15 g de Zn. Como o grau de pureza (GP) da amostra é igual a 70%, tem-se:
15
m= œ m = 21 g Zn
0,70
11.
m
œ n = 0,468 mol CH3OH; (CO): n = m ĺ n =
15,0 10,0
11.1 (CH3OH): n = ĺn= œ n = 0,357 mol CH3OH.
M 32,04 M 28,01
De acordo com a estequiometria da reação, 1 mol de CH3OH reage com 1 mol de CO. O reagente limitante é o CO.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 183


KďƚĠŵоƐĞϬ͕ϯϱϳŵŽů,3COOH. m = n × M ĺ n = 0,357 × 60,05 œ m = 21,4 g CH3COOH
m 19,1 0,318
11.2 n = ĺn= œ n = 0,318 mol CH3COOH; K = × 100 œ K = 89,1%
M 60,05 0,357
12.
m 4,15 5,67
12.1 Opção (C). n = ĺn= œ n = 5,20 × 10о2 mol TiO2; n = œ n = 4,72 × 10о1 mol C;
M 79,87 12,01
6,78
n= œ n = 9,56 × 10о2 mol CƐ2
70,90
5,20 u 10 2 4,72 u 10 1 9,56 u 10 2
Para TiO2: = 0,0173; Para C: = 0,118; Para CƐ2: = 0,0159; o reagente limitante
3 4 6
é o CƐ2.
6,50
12.2 n = œ n = 3,43 × 10о2 mol TiCƐ4. Com base no reagente limitante:
189,67
aaaaaaaaaa
6 mol Cκ2 3mol TiCκ4 3,43 u 10 2
aaaaaaaaaa ֞ n = 4,78 × 10-2 mol TiCκ4 ; K = × 100 œ K = 71,8%
9,56 × 10-2 mol Cκ2 n 4,78 u 10  2
m 50,0 u 10 3 421
13. n = ĺn= œ n = 421 mol Sn; nprevisto = u 100 œ nprevisto = 601 mol Sn
M 118,7 70,0
aaaaaaaaaa
1 mol SnO2 1 mol Sn 3
aaaaaaaaaa ֞ n = 601 mol SnO2 ; m = 601 × 150,71 œ m = 90,6 × 10 g SnO2
n 601 mol Sn

90,6 u 103 5
'WсϭϬϬоϰϬ͕ϬсϲϬ͕Ϭй͖mamostra = u 100 = 1,51 × 10 g = 151 kg de minério
60,0

Ficha formativa 3 – Diferentes estados de equilíbrio. Quociente da reação


1. Opção (D). As outras são incorretas porque: (A) em reações reversíveis, a reação direta e a inversa coexistem; (B) uma
vez atingido o equilíbrio químico, as concentrações dos componentes no equilíbrio passam a ser constantes; (C) a
velocidade com que os reagentes se consomem até atingir o equilíbrio químico começa por ser máxima e vai
diminuindo até se atingir o equilíbrio.
2. Opção (C).
3. Opção (C).
4.
>NO2 @2e
4.1 Kc =
>NO@2e u >O2 @e
>H2O@2e u >C" 2 @2e
4.2 Kc =
>HC"@e4 u >O2 @e
>CH4 @e u >H2S@2e
4.3 Kc =
>CS2 @e u >H2 @e4
>NO@e4 u >H2O@6e
4.4 Kc =
>NH3 @e4 u >O2 @e5
5. 2 NOCƐ (g) ֖ 2 NO (g) + CƐ2 (g)
6. Opção (D).
7. Opção (A). As outras são incorretas porque: (B) e (C) o valor de Kc depende da temperatura e do sistema reacional; (D)
se o valor de Kc é muito elevado, a concentração dos produtos da reação é maior que a concentração dos reagentes.
8.
8.1 Opção (C).

8.2 Kc =
>BrC"@2e ĺ Kc =
0,402
œ Kc = 4,9 × 10о2
>C" 2 @e u >Br2 @e 1,8 2

9.
3 о3 о3
9.1 Opção (C). Como V = 1,0 dm , cA = 1,00 mol dm e cB = 0,75 mol dm .

184 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


2 A (aq) + B (aq) ֖ C (aq)
о3
ci / mol dm 1,00 0,75 0
о3
'c / mol dm о2x оx +x
о3
ceq / mol dm 1,00 оϮx = 0,70 0,60 0,15
о3 о3 о3 о3
1,00 оϮx = 0,70 œ x = 0,15 mol dm ; [A]e = 0,70 mol dm ; [B]e = 0,60 mol dm ; [C] = 0,15 mol dm
>@
Ce 0,15
Kc = ĺ Kc = œ Kc = 0,51
>A @ > @
2
eu Be 0,702 u 0,60
1
9.2 Kc’ = œ Kc’ = 2,0; A reação inversa é mais extensa porque Kc’ > Kc.
Kc
3 о3 о3
10. Opção (A). Como V = 1,0 dm , cH2 = 1,0 mol dm e cI2 = 1,2 mol dm

H2 (g) + I2 (g) ֖ 2 HI (g)


о3
ci / mol dm 1,0 1,2 0
о3
'c / mol dm оx оx +2x
о3
ceq / mol dm ϭ͕Ϭоx ϭ͕Ϯоx 2x = 1,7
о3 о3 о3 о3
2x = 1,7 œ x = 0,85 mol dm ; [H2]e = 0,15 mol dm ; [I2]e = 0,35 mol dm ; [HI]e = 1,7 mol dm

Kc =
>HI@2e ĺ Kc =
1,72
œ Kc = 55
>I2 @e u >H2 @e 0,15 u 0,35
11.

11.1 Kc =
>C@e u >D@2e ; Experiência I: Qc =
1,00
œ Qc = 0,50; Experiência II: Qc =
4,00
œ Qc = 0,500;
>A @e u >B@e 0,50 u 4,00 4,00 u 2,00
8,00 9,00
Experiência III: Qc = œ Qc = 0,67; Experiência IV: Qc = œ Qc = 0,500;
4,00 u 3,00 9,00 u 2,00
64,00
Experiência V: Qc = œ Qc = 0,500
16,00 u 8,00
O equilíbrio químico não foi atingido na experiência III, porque Qc apresenta um valor diferente dos restantes.
11.2 Qc > Kc. O sistema reacional evolui no sentido da reação inversa.
12.
>HI@2e 0,202 2,02
12.1 Kc = ; Experiência I: Qc = œ Qc = 1,0; Experiência II: Qc = œ Qc = 50
>I2 @e u >H2 @e 0,40 u 0,10 0,20 u 0,40
O equilíbrio químico foi atingido na experiência II, porque Qc = Kc.
12.2 Como Qc < Kc, o sistema reacional vai evoluir no sentido da reação direta até atingir o estado de equilíbrio, ou seja,
no sentido 1.
>SO2 @2 u >O2 @ 0,152 u 0,025
13. Opção (A). Qc = ĺ Qc = œ Qc = 2,2 × 10о3
>SO3 @2 0,502
Qc < Kc. O sistema reacional vai evoluir no sentido da reação direta até atingir o estado de equilíbrio. Aumentam as
concentrações de SO2 e O2 e diminui a concentração de SO3 até se atingir de novo o equilíbrio.
14.
14.1
N2O4 (g) ֖ 2 NO2 (g)
о3
ci / mol dm 5,0 0
о3
ceq / mol dm ϱ͕Ϭоx = 1,300 +2x
m 119,5
n= ĺn= œ n = 1,300 mol N2O4
M 92,02
о3 о3 о3
ϱ͕Ϭоx = 1,300 œ x = 3,7 mol dm ; [NO2]e = 7,4 mol dm ; [N2O4]e = 1,300 mol dm

Kc =
>NO2 @2e ĺ Kc =
7,42
œ Kc = 42
>N2O4 @e 1,300
14.2 Inicialmente existiam 5,0 mol N2O4. No equilíbrio existem 1,300 mol N2O4. n(reagente que se consumiu) = 3,7 mol

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 185


3,7
%(reagente que se consumiu) = × 100 œ %(reagente que se consumiu) = 74%
5,0
n 0,500 3,00
15. [NH3] = ĺ [NH3] = œ [NH3] = 1,00 × 10о2 mol dmо3; [H2] = œ [H2] = 6,00 × 10о2 mol dmо3;
V 50,0 50,0

[N2] =
1,00
œ [N2] = 2,00 × 10о2 mol dmо3; Qc =
>NH3 @2 ĺ Q = (1,00 u 10 2 )2
œ Qc = 23,1
c
50,0 >N2 @u >H2 @3
(6,00 u 10 2 )3 u 2,00 u 10 2
Qc > Kc. O sistema reacional vai evoluir no sentido da reação inversa até atingir o estado de equilíbrio, ou seja,
aumentam as concentrações de N2 e H2 e diminui a concentração de NH3. Haverá menor quantidade de NH3 no vaso
reator.

Ficha formativa 4 – Princípio de Le Châtelier


1.
1.1 Sentido da reação inversa, porque o número de moléculas de componentes gasosos é maior para os produtos da
reação.
1.2 Sentido da reação inversa, porque o número de moléculas de componentes gasosos é maior para os produtos da
reação.
1.3 Sentido da reação direta, porque o número de moléculas de componentes gasosos é maior para os reagentes.
1.4 O equilíbrio não se altera, porque o número de moléculas de componentes gasosos é igual nos dois membros da
equação química.
2.
2.1 Sentido da reação inversa porque a reação direta é endotérmica.
2.2 Sentido da reação direta porque a reação direta é exotérmica.
3. Sistema III. Quando se diminui o volume a pressão aumenta e o sistema evolui no sentido da reação que origina menor
número de moléculas de componentes gasosos. Quando a temperatura aumenta o sistema evolui no sentido da reação
endotérmica.
Sistema I – reação exotérmica
ͻ Aumenta a pressão; evolui no sentido direto
ͻ Aumenta a temperatura; evolui no sentido inverso
Sistema II – reação endotérmica
ͻ Aumenta a pressão; o equilíbrio não se altera
ͻ Aumenta a temperatura; evolui no sentido direto
Sistema III – reação exotérmica
ͻ Aumenta a pressão; evolui no sentido direto
ͻ Aumenta a temperatura; evolui no sentido direto
4. Verdadeiras: (C) e (E). Falsas: (A), (B), (D) e (F). Correção das falsas: (A) e (B) o valor de Kc só depende da temperatura;
(D) ao aumentar a concentração de NOCƐ͕ Ž ƐŝƐƚĞŵĂ ĚĞƐůŽĐĂоƐĞ ŶŽ ƐĞŶƚŝĚŽ ĚĂ ƌĞĂĕĆŽ ĚŝƌĞƚĂ͖(F) o sistema evolui no
sentido de formar mais produtos da reação, ou seja, no sentido da reação direta.
5. (A) – 1. Aumenta a concentração de CO2 e o sistema desloca-se no sentido da reação direta.
(B) – 1. A remoção de C6H12O6 resulta no deslocamento do sistema no sentido da reação direta.
(C) – 2. Diminui a pressão total do sistema e este evolui no sentido de formar maior número de moléculas de
componentes gasosos, ou seja, no sentido da reação inversa.
(D) – 2. A temperatura diminui e o sistema evolui no sentido da reação exotérmica. Como a reação direta é endotérmica, o
sistema evolui no sentido da reação inversa.
(E) – 3. A adição de um catalisador à reação só faz com que o equilíbrio se atinja mais rapidamente.
6.
о3 о3 о3
6.1 Como V = 1,00 L, [N2] = 0,800 mol dm , [O2] = 0,500 mol dm e [NO] = 0,400 mol dm .
>NO@2 0,4002
Qc = ĺ Qc = œ Qc = 0,400
>N2 @u >O2 @ 0,800 u 0,500
O sistema reacional não se encontra em equilíbrio porque o valor de Qc é diferente do valor de Kc.
6.2 Qc > Kc. O sistema reacional vai evoluir no sentido da reação inversa até atingir o estado de equilíbrio, ou seja, no
sentido da formação de reagentes. O produto da reação NO decompõe-se.

186 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


6.3 Nada ocorre, porque a temperatura mantém-se constante e o número de moléculas de componentes gasosos é igual
nos dois membros da equação.
7. Opção (B).
H2 (g) + I2 (g) ֖ 2 HI (g)
о3
ci / mol dm ci ci 0
о3
ceq / mol dm ci оx = 0,50 ci оx = 0,50 2x = 2,0
о3 о3
2x = 2,0 œ x = 1,0 mol dm ; ci = x + 0,50 œ ci = 1,5 mol dm
>HI@2e 2,02
(A) Kc = ĺ Kc = œ Kc = 16
>I2 @e u >H2 @e 0,50 u 0,50
(C) O equilíbrio não se desloca.
(D) Ao adicionar H2 ao sistema, aumenta a sua concentração e o sistema evolui no sentido de aumentar a quantidade
de HI formado.
8.
8.1 Gráfico (A). Os gráficos B e C não estão corretos porque: Gráfico (B) – a reação não é completa e, de acordo com o
gráfico, o amoníaco, NH3, consome-se totalmente; Gráfico (C) оE,3 é reagente e não produto; H2 e N2 são produtos da
reação e não reagentes.
8.2 Opção (D). Para aumentar o rendimento da reação, o equilíbrio deve deslocar-se no sentido da reação direta. É o que
acontece quando se aumenta a temperatura. O sistema evolui no sentido da reação endotérmica, que é a reação direta. As
outras são incorretas porque: (A) ao aumentar a pressão, este evolui no sentido de formar menor número de moléculas de
componentes gasosos, ou seja, no sentido da reação inversa e o rendimento diminui; (B) o aumento de N2 faz aumentar a
concentração deste componente do sistema, mantendo o volume e temperatura; o sistema evolui no sentido da reação
inversa e o rendimento diminui; (C) a adição de um catalisador não altera o equilíbrio químico.
9.
9.1 O aumento da temperatura faz o sistema evoluir no sentido da reação endotérmica, ou seja, no sentido da reação
direta. A concentração de OF2 aumenta.
9.2 O aumento da pressão faz o sistema evoluir no sentido da reação direta. A concentração de F2 diminui.
9.3 Retirando O2 ao sistema reacional, a sua concentração diminui e o sistema evolui no sentido da reação inversa.
9.4 O valor de Kc mantém-se constante porque a temperatura não varia.
9.6 O aumento da temperatura faz o sistema evoluir no sentido da reação direta. A concentração dos produtos de reação
aumenta e o valor de Kc também aumenta.
9.7 A concentração de OF2 não varia.
10. Opção (D). De acordo com o gráfico: em t1 a concentração de I2 diminui; H2 não é adicionado no instante t2 mas sim no
instante t1.
11. Opção (C). Opção correta: I. I – o aumento da temperatura faz evoluir o equilíbrio no sentido da reação endotérmica –
reação inversa.
As outras afirmações são incorretas porque: II – ao introduzir NH4CƐ no sistema, está a introduzir-se iões NH 4 .
Aumenta a concentração do produto da reação e o equilíbrio vai evoluir no sentido da reação direta; III – ao variar a
pressão, mantendo a temperatura, o equilíbrio não sofre alteração.
12. Opção (C). Para minimizar a formação de HCƐ ;ŐͿ͕ Ž ĞƋƵŝůşďƌŝŽ ĚĞǀĞ ĚĞƐůŽĐĂƌоƐĞ ŶŽ ƐĞŶƚŝĚŽ ĚĂ ƌĞĂĕĆŽ ŝŶǀĞƌƐĂ͘
Aumentar o volume e a pressão não altera o equilíbrio porque o número de moléculas de componentes gasosos é
igual nos dois membros da equação. Aumentando a concentração em CHCƐ3 o equilíbrio evolui no sentido da reação
direta e forma-se mais HCƐ (g).
13.
>B@2e 0,8432 0,7242
13.1 A 200 °C: Kc = ĺ Kc = œ Kc = 8,12; a 400 °C: Kc = œ Kc = 3,80
>A @e 0,0875 0,138
Kc aumenta quando a temperatura diminui. Quando a temperatura diminui, o sistema evolui no sentido da reação
direta.
13.2 O sistema evolui no sentido da reação direta quando a temperatura diminui, pelo que a reação direta é exotérmica.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 187


14. Opção (A). Como a reação é exotérmica, para o equilíbrio evoluir no sentido da reação direta tem de se diminuir a
temperatura. As outras são incorretas porque: (B) a adição de um catalisador não altera o equilíbrio químico; (C) a
variação de volume não altera o equilíbrio, pois a variação da pressão não altera o valor de Kc; (D) retirando H2 o
sistema evolui no sentido da reação inversa e o rendimento diminui.
15.

15.1 Kc =
>NO2 @2e ĺ 0,11 =
0,202
œ [N2O4]e = 0,36 mol dmо3
>N2O4 @e >N2O4 @e
N2O4 (g) ֖ 2 NO2 (g)
о3
ci / mol dm ci 0
о3
ceq / mol dm 0,36 2x = 0,20
о3
2x = 0,20 œ x = 0,10 mol dm
о3
cN2O4 = 0,36 + 0,10 œ cN2O4 = 0,46 mol dm
15.2 A 50 °C, a temperatura aumenta. A reação é endotérmica e o sistema evolui no sentido da reação direta. Há maior
quantidade de produtos da reação e o valor de Kc aumenta. O valor de Kc a 50 °C é superior ao valor de Kc a 25 °C.
16. Opção (D). O aumento da temperatura faz o equilíbrio evoluir no sentido da reação endotérmica (reação inversa). O
valor de Kc diminui. As outras são incorretas porque: (A) a adição de um catalisador não altera o equilíbrio, logo não
há alteração na quantidade de NO (g); (B) a variação de pressão não provoca qualquer alteração no equilíbrio
químico; (C) no equilíbrio químico as concentrações dos produtos da reação e dos reagentes mantém-se constantes.

Ficha formativa 5 – Reações ácido-base


1.
+
1.1 São ácidos segundo Arrhenius as substâncias que originam iões H em solução aquosa: HCƐO; H2SO4. São bases segundo
о
Arrhenius as substâncias que se dissociam originando iões OH em solução aquosa: Ca(OH)2.
+
1.2 As espécies que se comportam como ácidos em solução aquosa, segundo Brönsted-Lowry, são as que cedem protões, H ,
à água, ou seja, são ácidos mais fortes que a água: HCƐO, H2SO4 e NH 4 . As espécies que se comportam como bases em
solução aquosa, segundo Brönsted-Lowry, são as que têm capacidade de aceitar protões da água. São bases mais fortes
que a água: NH3, Ca(OH)2, NH 2 e CO 23  .
+ +
1.3 São espécies que podem ceder iões H , desde que reajam com uma espécie capaz de aceitar esses iões H , ou seja,
uma base mais forte: HCƐO, NH3, H2SO4 e NH 2 .
о о
1.4 CƐO é a base conjugada de HCƐO; HSO4 é a base conjugada de H2SO4; NH 2 é a base conjugada de NH3; NH3 é a base

conjugada de NH 4 .

2. NH3 (aq) + NH3 (aq) ֖ NH 4 (aq) + NH 2 (aq); Pares conjugados ácido-base: NH3/ NH 2 ; NH 4 /NH3
Ácido 1 Base 2 Ácido 2 Base 1
3.
о о о о Ϯо
3.1 I. HCOOH/HCOO e H3O /H2O; II. HCƐ/CƐ e NH 4 /NH3; III. CH3NH 3 /CH3NH2 e H2O/OH ; IV. HS /S
+ +
e H3O /H2O;
о о
V. H2S/HS e H3O /H2O; VI. H2CO3/HCO 3 e H3O /H2O; VII. HCO 3 /CO 23  e H2O/OH ; VIII. HCƐO4/CƐO 4 e H2F /HF.
+ + +

о
3.2 H2O, HS e HCO 3 .
4.
4.1 H2C2O4 (aq) + H2O (Ɛ) ֖ H3O (aq) + HC2O 4 (aq); Pares conjugados ácido-base: H2C2O4/HC2O 4 e H3O /H2O.
+ +

4.2 HSO 3 (aq) + H2O (Ɛ) ֖ SO 23  (aq) + H3O (aq); Pares conjugados ácido-base: HSO 3 /SO 23  e H3O /H2O.
+ +

о + о +
4.3 HCN (aq) + H2O (Ɛ) ֖ CN (aq) + H3O (aq); Pares conjugados ácido-base: HCN/CN e H3O /H2O.
о Ϯо о Ϯо
4.4 HCO 3 (aq) + OH (aq) ֖ H2CO3 (aq) + O (aq); Pares conjugados ácido-base: OH /O e H2CO3/HCO 3 .
о о
4.5 HCƐO (aq) + CH3NH2 (aq) ֖ CH3NH 3 (aq) + CƐO (aq); Pares conjugados ácido-base: HCƐO/CƐO e CH3NH 3 /CH3NH2.
5. Opção (A). As outras são incorretas porque: (B) uma base é tanto mais forte quanto maior for a concentração em iões
о
OH ; (C) quanto mais forte for o ácido mais fraca é a base conjugada; (D) a um ácido fraco corresponde uma base fraca.
6.
+ +
6.1 HNO3 (aq) ĺ NO 3 (aq) + H (aq) – ácido segundo Arrhenius, pois dá origem a iões H em solução aquosa.

188 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


HNO3 (aq) + H2 O (Ɛ) ֖ NO 3 (aq) + H3O (aq) – ácido segundo a Teoria Protónica, pois cede iões H em solução aquosa.
+ +

6.2 HNO3 (aq) + NH3 (aq) ֖ NO 3 (aq) + NH 4 (aq); Pares conjugados ácido-base: HNO3/NO 3 e NH 4 /NH3.
о
6.3 Porque não possui o grupo OH , considerado característico das bases na teoria de Arrhenius
о о
7. H2S/HS ; H3O /H2O; HCNH /HCN; H2O/OH ; H2CO3/HCO 3 ; NH 4 /NH3; HPO 24 /PO 34
+ +

8.
Ácido Base conjugada Ka Kb
о о10 о5
HCN CN 6,2 × 10 1,6 × 10
о4 о11
HNO2 NO 2 5,6 × 10 1,8 × 10
о о4 о11
HF F 6,3 × 10 1,6 × 10
о о5 о10
C6H5COOH C6H5COO 6,3 × 10 1,6 × 10
о о8 о7
HCƐO CƐ O 4,0 × 10 2,5 × 10
о о
9. Opção (C). Segundo a Teoria Protónica, CH3COO é uma base mais forte que F . As outras são incorretas porque: (A) HF
о о
é um ácido mais forte que CH3COOH; (B) CH3COO por ser uma base mais forte que F aceita protões da água mais
о о
facilmente; (D) CH3COO e F , nas reações com a água, captam protões e funcionam como bases.
10.
10.1 II < I < IV < III < V
10.2 V < III < IV < I < II
11. HCN < CH3COOH < HSO 4 < HCƐO
12.
+ о + о
12.1 Kw = [H3O ] × [OH ]; sendo a solução neutra, [H3O ] = [OH ] = x
о14 о14 2 о8 о3 + о8 о3
A 20 °C, Kw = 0,67 × 10 ; 0,67 × 10 = x œ x = 8,2 × 10 mol dm ; [H3O ] = 8,2 × 10 mol dm .
о14 о14 2 о7 о3 + о7 о3
A 60 °C, Kw = 9,55 × 10 ; 9,55 × 10 = x œ x = 3,09 × 10 mol dm ; [H3O ] = 3,09 × 10 mol dm .
о7 о8
+
'[H3O ] = 3,09 × 10 оϴ͕2 × 10 œ '[H3O+] = 2,27 × 10о7 mol dmо3
о14 + о
12.2 0,67 × 10 = [H3O ] × [OH ].
+ о7 о3 о14 о7 о о 0,67 u 10 14
Como [H3O ] = 1,00 × 10 mol dm ĺ 0,67 × 10 = 1,00 × 10 × [OH ] ĺ [OH ] = œ
1,00 u 10 7
œ [OHо] = 6,7 × 10о8 mol dmо3. Como [OHо] < [H3O+], a solução é ácida.
13.
13.1 HCƐ (aq) é ácido forte, pelo que se considera que a sua ionização é total.
+ + о3 о3 + о о14 о3 о3 о о14
cHCƐ = [H3O ] œ [H3O ] = 1,0 × 10 mol dm ; [H3O ] × [OH ] = 1,0 × 10 mol dm ĺ 1,0 × 10 × [OH ] = 1,0 × 10 œ
œ [OHо] = 1,0 × 10о11 mol dmо3; Ɖ,соůŽŐ΀,3O+] ĺ Ɖ,соůŽŐ;ϭ͕ϬпϭϬо3) œ pH = 3,0
13.2 KOH (aq) é uma base forte, pelo que se considera que a sua dissociação é total.
о о о3 о3 1,0 u 10 14
cKOH = [OH ] œ [OH ] = 3,1 × 10 mol dm ; [H3O ] =
+
3
œ [H3O+] = 3,2 × 10о12 mol dmо3;
3,1 u 10
о12
Ɖ,соůŽŐ;ϯ͕Ϯ × 10 ) œ pH = 11,5
2+ о
13.3 Ba(OH)2 (aq) é uma base forte. Ba(OH)2 (aq) ĺ Ba (aq) + 2 OH (aq)
о о о2 о2 о3 + 1,0 u 10 14
[OH ] = 2 × cBa(OH)2 œ [OH ] = 2 × 1,2 × 10 = 2,4 × 10 mol dm ; [H3O ] = œ
2,4 u 10 2
œ [H3O+] = 4,2 × 10о13 mol dmо3; Ɖ,соůŽŐ;ϰ͕ϮпϭϬо13) œ pH = 12,4
13.4 HCƐO4 (aq) é um ácido forte.
о4 о3 о 1,0 u 10 14
+
[H3O ] = 2,1 × 10 mol dm ; [OH ] =
4
œ [OHо] = 4,8 × 10о11 mol dmо3͖Ɖ,соůŽŐ;Ϯ͕ϭпϭϬо4) œ pH = 3,7
2,1 u 10
13.5 HCƐO (aq) é ácido fraco.
+ о
HCƐO (aq) + H2O (Ɛ) ֖ H3O (aq) + CƐO (aq)
о3
ci / mol dm 0,0150 – у0 0
о3
ceq / mol dm Ϭ͕Ϭϭϱоx у0,015 – x x

Ka =
>H O @ u >C"O @
3

e

e
ĺ 4,8 × 10 =
о8 x2
œ x = 2,7 × 10о5 mol dmо3
>HC"O@e 0,015

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 189


+ о5 о3 о о10 о3
[H3O ] = 2,7 × 10 mol dm ; [OH ] = 3,7 × 10 mol dm ; pH = 4,6
13.6 CH3NH2 (aq) é uma base fraca.
о
CH3NH2 (aq) + H2O (Ɛ) ֖ CH3NH 3 (aq) + OH (aq)
о3
ci / mol dm 0,75 – 0 у0
о3
ceq / mol dm Ϭ͕ϳϱоx у 0,75 – x x

Kb =
>CH NH @ u >OH @
3

3 e

e
ĺ 3,7 × 10 =
о3 x2
œ x = 5,3 × 10о2 mol dmо3
>CH3NH2 @e 0,75
+ о13 о3 о о2 о3
[H3O ] = 1,9 × 10 mol dm ; [OH ] = 5,3 × 10 mol dm ; pH = 12,7
14. Opção (D). As outras são incorretas porque: (A) quanto maior for o valor da constante de acidez de uma ácido, Ka,
menor é o valor da constante de basicidade, Kb, da respetiva base conjugada, pois Ka × Kb = Kw; (B) numa solução
о о
básica existem iões H3O , mas [OH ] > [H3O ]; (C) Kb(CH3COO ) > Kb(NO 2 ).
+ +

15.
+ о3 о о3
[H3O ] / mol dm [OH ] / mol dm pH Caráter químico
о11 о4
3,2 × 10 3,1 × 10 10,5 Básica
о13 о2
1,5 × 10 6,5 × 10 12,8 Básica
о3 о12
7,5 × 10 1,3 × 10 2,1 Ácida
о7 о7
1,0 × 10 1,0 × 10 7 Neutra
16.
+ о + о + 2 о14 + о7 о3
16.1 Kw = [H3O ] × [OH ], sendo [H3O ] = [OH ] ĺ [H3O ] = 1,0 × 10 œ [H3O ] = 1,0 × 10 mol dm
m 3,15 n 5,00 u 10 2
16.2 n = ĺn= œ n = 5,00 × 10о2 mol HNO3; c = ĺ c = œ c = 1,00 × 10о1 mol dmо3 HNO3
M 63,02 V 500 u 10  3
16.3 'pH сϭоϳ œ 'Ɖ,соϲ
17. Vmistura = 50,0 mL
оpH о2,3
+ +
20,0 mL de HCƐ (aq) com pH = 2,3: [H3O ] = 10 ĺ [H3O ] = 10 œ [H3O+] = 5,0 × 10о3 mol dmо3
о3 о3 о4 +
n = c × V ĺ n = 5,0 × 10 × 20,0 × 10 œ n = 1,0 × 10 mol H3O
оpH о2,7
+ +
30,0 mL de HCƐ (aq) com pH = 2,7: [H3O ] = 10 ĺ [H3O ] = 10 œ [H3O+] = 2,0 × 10о3 mol dmо3
о3 о3 о5 +
n = c × V ĺ n = 2,0 × 10 × 30,0 × 10 œ n = 6,0 × 10 mol H3O
1,0 u 10 4  6,0 u 10 5
+
[H3O ]solução A = œ [H3O+]solução A = 3,2 × 10о3 mol dmо3
50,0 u 10  3
18. A metilamina, CH3NH2 (aq), é uma base fraca.
о
CH3NH2 (aq) + H2O (Ɛ) ֖ CH3NH 3 (aq) + OH (aq)
о3
ci / mol dm 0,10 – 0 у0
о3
ceq / mol dm 0,10 о x у 0,10 – x x

Kb =
>CH NH @ u >OH @
3

3 e

e
ĺ 3,7 × 10 =
о3 x2
œ x = 1,9 × 10о2 mol dmо3; n = c × V ĺ n = 1,9 × 10о2 × 50,0 × 10о3 œ
>CH3NH2 @e 0,10
œ n = 9,6 × 10о4 mol OHо; N = n × NA ĺ N = 9,6 × 10о4 × 6,02 × 1023 œ N = 5,8 × 1020 iões OHо
1,0 u 10 14
+
[H3O ] = œ [H3O+] = 5,3 × 10о13 mol dmо3
2
1,9 u 10
о13 о3 о14 +
n = c × V ĺ n = 5,3 × 10 × 50,0 × 10 œ n = 2,6 × 10 mol H3O
о14 23 10 +
N = n × NA ĺ N = 2,6 × 10 × 6,02 × 10 œ N = 1,6 × 10 iões H3O
19.
о5
19.1 O ácido acético, CH3COOH (aq), é um ácido fraco porque a sua constante de acidez tem um valor baixo (Ka = 1,8 × 10 ).
19.2
о +
19.2.1 CH3COOH (aq) + H2O (Ɛ) ֖ CH3COO (aq) + H3O (aq); pH = 4,0 œ
œ [H3O ] = 1,0 × 10 mol dm ; [CH3COO ]e = 1,0 × 10о4 mol dmо3
+ о4 о3 о

190 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


19.2.2 Ka =
>CH COO @ u >H O @
3

e 3

e
ĺ [CH3COOH]e =
(1,0 u 10 4 )2
œ [CH3COOH]e = 5,6 × 10о4 mol dmо3
>CH3COOH@e 1,8 u 10 5
о4 о4
cCH3COOH = [CH3COOH]e + x ĺ cCH3COOH = 5,6 × 10 + 1,0 × 10 œ cCH3COOH = 6,6 × 10о4 mol dmо3
1,0 u 10 4
% de ácido que se ioniza = × 100 œ % de ácido que se ioniza = 15%
6,6 u 10  4

Ficha formativa 6 – ^ŽůƵĕƁĞƐĂƋƵŽƐĂƐĚĞƐĂŝƐ͘dŝƚƵůĂĕĆŽĄĐŝĚŽоďĂƐĞ


1.
1.1 Solução básica. Resulta da reação entre uma base forte, Ca(OH)2 (aq), e um ácido fraco, HCN (aq).
1.2 Solução básica. Resulta da reação entre uma base forte, NaOH (aq), e um ácido fraco, H2CO3 (aq).
1.3 Solução básica. Resulta da reação entre uma base fraca, NH3 (aq), e um ácido forte, H2SO4 (aq).
1.4 Solução ácida. Resulta da reação entre uma base fraca, NH3 (aq), e um ácido forte, HCƐ (aq).
1.5 Solução neutra. Resulta da reação entre uma base forte, Ca(OH)2 (aq), e um ácido forte, HNO3 (aq).
2.
+ о
2.1 NH 4 ; NO 3 ; H3O ; OH .
+ о
2.2 NH 4 / NH3; HNO3/NO 3 ; H3O /H2O; H2O/OH

2.3 O ião NH 4 (aq). NH4NO3 (aq) ĺ NH 4 (aq) + NO 3 (aq); O ião NO 3 é a base conjugada de um ácido forte (HNO3) e

portanto não sofre reação com a água. O ião NH 4 (aq), por ser um ácido fraco conjugado de uma base fraca (NH3),
+ +
reage com a água, aumentando a concentração em H3O : NH 4 (aq) + H2O (Ɛ) ֖ NH3 (aq) + H3O (aq)
2+ 2+
3. Opção (D). CaCO3 (aq) ĺ Ca (aq) + CO 23  (aq); Ca não reage com a água (ácido muito fraco de base forte), mas CO 23  sim,
о о
aumentando a concentração em OH , corrigindo a acidez do solo: CO 23  (aq) + H2O (Ɛ) ֖ HCO 3 (aq) + OH (aq).
о
4. NH3 (aq) + HCN (aq) ֖ NH 4 (aq) + CN (aq)
Kw 1,0 u 10 14
NH 4 (aq) + H2O (Ɛ) ֖ NH3 (aq) + H3O (aq); Ka(NH 4 ) =
+
ĺ Ka(NH 4 ) = œ Ka(NH 4 ) = 5,6 × 10о10
K b (NH3 ) 1,8 u 10 5

о о о Kw о 1,0 u 10 14
CN (aq) + H2O (Ɛ) ֖ HCN (aq) + OH (aq); Kb(CN ) = ĺ Kb(CN ) = œ Kb(CNо) = 1,6 × 10о5
K a (HCN) 6,17 u 10 10
о о
Como Ka(NH 4 ) < Kb(CN ), a reação é mais extensa é a do ião cianeto. Assim, [OH ] > [H3O ] e a solução é básica.
+

5. Opção (A). Uma solução aquosa de CaSO4 é neutra porque resulta da reação entre um ácido forte, H2SO4 (aq), e uma
base forte, Ca(OH)2 (aq). As outras são incorretas porque: (B) o pH da solução de CaSO4 é igual a 7; (C) H2SO4 (aq) é um
ácido forte, logo [H ] = 2 × [SO 24 ]; (D) uma solução aquosa de CaCO3 é básica porque resulta da reação entre uma base
+

forte e um ácido fraco. Por isso, a adição de carbonato de cálcio provoca um aumento no valor de pH (menos acidez).
6. Na2CO3 (aq) ĺ 2 Na (aq) + CO 23  (aq); Na não reage com água (ácido muito fraco de base forte). CO 23  sofre reação
+ +

о о
segundo a equação : CO 23  (aq) + H2O (Ɛ) ֖ HCO 3 (aq) + OH (aq); Há um aumento na concentração em iões OH . A
adição de Na2CO3 à água da piscina faz aumentar o valor de pH dessa água.
о
7. Quando o pH está acima do valor adequado. O aumento do valor de pH (maior [OH ] e maior alcalinidade do meio) reduz a
+
concentração em iões H3O e desloca os equilíbrios no sentido da reação direta, formando Cu(OH)2 (s) e Fe(OH)3 (s).
8. Opção (D). As outras são incorretas porque: (A) o valor de pH no ponto de equivalência só é 7 se a titulação for entre
um ácido forte e uma base forte, a 25 °C; (B) e (C) atinge-se o ponto de equivalência quando na = nb.
9.
9.1
9.1.1 NaOH (aq) + HNO3 (aq) ĺ NaNO3 (aq) + H2O (Ɛ)
cb u Vb 1,0 u 10 1 u 10,00 u 10 3
na = nb ĺ ca × Va = cb × Vb ĺ ca = ĺ ca = œ ca = 5,0 × 10о2 mol dmо3 HNO3
Va 20,00 u 10 3
9.1.2 O valor de pH no ponto de equivalência é igual a 7. No ponto de equivalência existe a solução de um sal derivado de
um ácido forte e de uma base forte. Como os iões deste sal não reagem com água, a solução é neutra.
о1 о3 о4
9.1.3 Após a adição de 4,00 mL de NaOH: nb = cb × Vb ĺ nb = 1,0 × 10 × 4,00 × 10 œ nb = 4,00 × 10 mol NaOH

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 191


о2 о3 о3
na = ca × Va ĺna = 5,0 × 10 × 20,00 × 10 œ na = 1,0 × 10 mol HNO3
о3 о4 о4
Nesta altura existe um excesso de ácido forte: 1,0 × 10 о ϰ͕ϬϬ п ϭϬ = 6,0 × 10 mol, num volume de 24,0 mL
(20,0 + 4,00).
na 6,0 u 10 4
c= ĺc= œ c = 2,5 × 10о2 mol dmо3 HNO3
Vtotal 24,0 u 10  3
+ + о2 о3
Como HNO3 é um ácido forte: cHNO3 = [H3O ] œ [H3O ] = 2,5 × 10 mol dm
+ о2
Ɖ,соůŽŐ΀,3O ] ĺ Ɖ,соůŽŐ;Ϯ͕ϱпϭϬ ) œ pH = 1,6
9.2 Como a reação entre um ácido fraco e uma base forte é completa, o volume de base gasto na titulação é igual.
о1 о3 о4 о4
10. Opção (B). na = ca × Va ĺ na = 1,0 × 10 × 5,0 × 10 œ na = 5,0 × 10 mol ácido forte; na = nb ĺ 5,0 × 10 = nb ĺ
о4 о3 о2 о3
ĺ 5,0 × 10 = cb × 50,0 × 10 œ cb = 1,0 × 10 mol dm . As outras são incorretas porque: (A) o pH no ponto de
о2 о3
equivalência é igual a 7 pois trata-se de uma titulação ácido forte-base forte; (C) e (D) [Base] = 1,0 × 10 mol dm .
11.
11.1 CH3COOH (aq) + NaOH (aq) ĺ NaCH3COO (aq) + H2O (Ɛ)
о3 о1 о3 о2 о3
11.2 na = nb ĺ ca × Va = cb × Vb ĺ cCH3COOH × 20,0 × 10 = 1,0 × 10 × 15,0 × 10 œ cCH3COOH = 7,5 × 10 mol dm
о +
11.3 Opção (C). CH3COOH (aq) + H2O (Ɛ) ֖ CH3COO (aq) + H3O (aq)

Ka =
>CH COO @ u >H O @
3

e 3

e о5
ĺ 1,8 × 10 =
x2
œ x = 1,2 × 10о3 mol dmо3; [H3O+] = 1,2 × 10о3 mol dmо3
>CH3COOH@e 7,5 u 10 2
+ о3
Ɖ,соůŽŐ΀,3O ] ĺ Ɖ,соůŽŐ;ϭ͕ϮпϭϬ ) œ pH = 2,9; pOH + pH = 14 œ pOH = 11,1
12.
12.1 Em 10,0 mL de solução ácida:
msolução = Usolução × Vsolução ĺ msolução = 1,15 × 10,0 œ msolução = 11,5 g
m HC" m HCl m 4,3
%(m/m) = × 100 ĺ 37 = × 100 œ mHCƐ = 4,3 g; n = ĺn= œ n = 0,12 mol HCƐ
msolução ácida 11,5 M 36,46
Na solução diluída (V = 1,000 L):
n 0,12
c= ĺc= œ c = 0,12 mol dmо3
V 1,000
о3 о3 о3
12.2 na = nb ĺ ca × Va =cb × Vb ĺ 0,12 × 25,0 ×10 = cKOH × 50,0 × 10 œ cKOH = 0,060 mol dm
13.
13.1 HNO3 (aq) + NH4OH (aq) ĺ NH4NO3 (aq) + H2O (Ɛ)
о3 о2 о3 о2
13.2 Opção (A). na = 0,20 × 75,0 × 10 œ na = 1,5 × 10 mol HNO3; nb = 0,20 × 75,0 × 10 œ na = 1,5 × 10 mol NH4OH;
ƚŝŶŐŝƵоƐĞŽƉŽŶƚŽĚĞĞƋƵŝǀĂůġŶĐŝĂ͘ƐŽƵƚƌĂƐƐĆŽŝŶĐŽƌƌĞƚĂƐƉŽƌƋƵĞ͗(B) foi atingido o ponto de equivalência; (C) e
(D) a solução resultante é ácida pois o sal (soluto) resulta da reação entre um ácido forte (HNO3) e uma base fraca
(NH4OH).
14. Opção (A). As outras são incorretas porque: (B) a variação de pH não é diretamente proporcional à variação da
о
percentagem de HCƐO e de CƐO , logo esta reação não é completa; (C) no início da reação pH é igual a 4, e à medida
+ о
que a reação progride a percentagem de HCƐO vai diminuindo e vai se formando H3O e CƐO ; para pH igual a 7 a
percentagem de HCƐO é nula, passando depois a aumentar, e de acordo com a equação que traduz a reação tal não se
verifica; (D) para pH = 4, a percentagem de HCƐO não é nula.
о3 о1 о3 о1 о3
15. Opção (B). na = nb ĺ ca × Va =cb × Vb ĺ cCH3COOH × 10,0 ×10 = 1,0 × 10 × 25,0 × 10 œ cCH3COOH = 2,5 × 10 mol dm
о1 о3 о3
Quantidade de CH3COOH que se retira do balão: n = c × V ĺ n = 2,5 × 10 × 10,0 × 10 œ n = 2,5 × 10 mol
CH3COOH
о1
Quantidade de CH3COOH que existia no balão: n = c × V ĺ n = 1,25 × 10 mol CH3COOH
о1 о3 о1
Quantidade de CH3COOH que fica no balão: n = 1,25 × 10 оϮ͕ϱпϭϬ œ n = 1,22 × 10 mol CH3COOH
о1
m = n × M ĺ m = 1,22 × 10 × 60,05 œ m = 7,33 g CH3COOH
16.
+
16.1 A amostra mais ácida é a que apresenta menor valor de pH, ou seja, maior concentração em iões H3O – amostra Y.
о3,6
+
16.2 Amostra X: pH(X) = 3,6 ĺ [H3O ] = 10 œ [H3O+] = 2,5 × 10о4 mol dmо3
о2,6
+
Amostra Y: pH(Y) = 2,6 ĺ [H3O ] = 10 œ [H3O+] = 2,5 × 10о3 mol dmо3

>H O @
3

Y =
2,5 u 10 3 +
= 10; [H3O ] na amostra Y = 10 × [H3O ] na amostra X
+

>H O @
3

X
2,5 u 10 4

192 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


17.
о5,5
+
17.1 Vila Franca de Xira: [H3O ] = 10 œ [H3O+] = 3,16 × 10о6 mol dmо3; Västervik: [H3O+] = 10о3,5 œ
+ о4 о3
œ [H3O ] = 3,16 × 10 mol dm
>H O @
3

Västervik =
3,16 u 10 4
= 100
>H O @
3

Vila Franca de Xira
3,16 u 10 6
о5 о3 о7 о4 +
17.2 Manchester: n = c × V ĺ n = 1,0 × 10 × 89,0 × 10 œ n = 8,9 × 10 mol = 8,9 × 10 mmol H3O
+ о6 о3 о6 о3 о7 +
17.3 pH = 5,5 œ [H3O ] = 3,16 × 10 mol dm ; n = c × V ĺ n = 3,16 × 10 × 100,0 × 10 œ n = 3,16 × 10 mol H3O
+
Ionização de H2SO4: H2SO4 (aq) + 2 H2O (Ɛ) ֖ SO 24 (aq) + 2 H3O (aq)
n(H 3 O  )
n= œ n = 1,58 × 10о7 mol H2SO4
2
о7 о5
m = n × M ĺ m = 1,58 × 10 × 98,09 œ m = 1,55 × 10 g H2SO4
De acordo com a equação química: SO2 (g) + ½ O2 (g) + H2O (Ɛ) ĺ H2SO4 (aq)
1 mole de SO2 (g) origina 1 mole de H2SO4 (aq) e 1 mole de SO2 (g) contém 1 mole de átomos de S; 32,07 g
de S – proveniente de SO2 (g) – dá origem a 1 mole de H2SO4, cuja massa é igual a 98,09 g.
aaaaaaaaaa
32,07 g S 98,09 g H2 SO4
aaaaaaaaaa ֞ m = 5,07 × 10-6 g S
m 1,55 × 10-5 g H2 SO4

Ficha formativa 7 – Reações de oxidação-redução


1. Opção (B). As outras são incorretas porque: (A) a espécie que se oxida é espécie redutora; (C) se a espécie química for
um ião poliatómico, a soma algébrica do número de oxidação (n.o.) de todos os átomos não é nula; (D) a espécie
química que capta eletrões é o oxidante.
2.
+ о
2.1 Na ĺ Na + 1e ; oxidação, pois 'n.o.(Na) = +1.
+ о
2.2 H2 ĺ 2 H + 2e ; oxidação, pois 'n.o.(H) = +1.
о Ϯо
2.3 O + 2e ĺ O ; redução, pois 'n.o.;KͿсоϮ.
3+ о
2.4 AƐ ĺ AƐ + 3e ; oxidação, pois 'n.o.(AƐ) = +3.
3.
3.1 NH 4 ; x + 4 = +1 œ x соϯ͖Ŷ͘Ž͘;EͿсоϯ
3.2 H2SO4; 2 + x оϴсϬ œ x = +6; n.o.(S) = +6
3.3 K2O2; 2 + 2x = 0 œ x соϭ͖Ŷ͘Ž͘;KͿсоϭ
3.4 LiH; x + 1 = 0 œ x соϭ͖Ŷ͘Ž͘;,Ϳсоϭ
3.5 P4; n.o.(P) = 0.
3.6 PH3; x + 3 = 0 œ x соϯ͖Ŷ͘Ž͘;WͿсоϯ
3.7 Cr2(SO4)3; 2 Cr ; 3 SO 24 : 2x нϯп;оϮͿс 0 œ x = +3; n.o.(Cr) = +3
3+

3.8 KMnO4; 1 + x оϴсϬ œ x = +7; n.o.(Mn) = +7


3.9 CƐO 4 ; x оϴсоϭ œ x = +7; n.o.(CƐ) = +7

3.10 PO 34 ; x – ϴсоϯ œ x = +5; n.o.(P) = +5

3.11 CO 32 ; x оϲсоϮ œ x = +4; n.o.(C) = +4


4.
4.1 I. – O Pb reduz-se ('Ŷ͘Ž͘соϮͿĞŽŽdžŝĚĂ-se ('n.o. = +2); II. – O Cu reduz-se ('Ŷ͘Ž͘соϮͿĞŽEŽdžŝĚĂ-se ('n.o. = +3); III. – o H
reduz-se ('Ŷ͘Ž͘соϭͿĞŽDŐŽdžŝĚĂ-se ('n.o. = +2); IV. – O Mn reduz-se ('Ŷ͘Ž͘соϮͿĞŽƐ oxida-se ('n.o. = +1).
4.2 I. – O PbO é o oxidante e o CO é o redutor; II. – O CuO é o oxidante e o NH3 é o redutor; III. – O H2SO4 é o oxidante e o
Mg é o redutor; IV. – o MnO2 é o oxidante e o HCƐ é o redutor.
5.
5.1
aaaaaaaaaa
1 mol CH4 1 mol CO2
5.1.1 aaaaaaaaaa ֞ n = 3,0 mol CO2
3,0 mol CH4 n

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 193


m 0,80
5.1.2 n = ĺn= œ n = 5,0 × 10о2 mol CH4
M 16,04
aaaaaaaaaa
1 mol CH4 2 mol O2
о1
֞ n = 1,0 × 10-1 mol O2 ; V = n × Vm ĺ V = 1,0 × 10 × 22,4 œ V = 2,2 dm O2
3
-2 aaaaaaaaaa
5,0 × 10 mol CH4 n
5.1.3 CO2: x оϰсϬ œ x = +4; n.o.(C) = +4
5.2 ,ĄǀĂƌŝĂĕĆŽŶŽƐŶƷŵĞƌŽƐĚĞŽdžŝĚĂĕĆŽĚŽƐĞůĞŵĞŶƚŽƐĞK͗Ŷ͘Ž͘;ͿсоϰĞŵ,4 e n.o.(C) = +4 em CO2; 'n.o.(C) = +8;
n.o.(O) = 0 em O2 ĞŶ͘Ž͘;KͿсоϮĞŵK2; 'n͘Ž͘;KͿсоϮ͘
6. Opção (C).
о о
CƐ2 (aq) + 2 I (aq) ֖ I2 (aq) + 2 CƐ (aq)
0 о1 0 о1
о
'n.o.(CƐͿсоϭоϬ œ 'n.o.(CƐͿсо 1; CƐ2 é o agente oxidante e I é o agente redutor.
7.
7.1 O elemento P ao ser reduzido capta 5 eletrões, porque 'Ŷ͘Ž͘;WͿсо ϱ;ŽŶ͘Ž͘;WͿǀĂƌŝĂĚĞоϱƉĂƌĂϬͿ͘
7.2 O elemento C ao ser oxidado cede 2 eletrões, porque 'n.o.(C) = +2 (o n.o.(C) varia de 0 para +2).
8.
8.1
8.1.1 n.o.(AƐ) em AƐ2O3͗ϮdžоϲсϬ œ x = +3; n.o.(AƐ) em AƐ = +3; 'n.o.(AƐͿсϬо;нϯͿ œ 'n.o.(AƐͿсоϯ
8.1.2 Espécie oxidante: AƐ2O3. O elemento AƐ sofre redução.
m 120,0 m 810,0
8.2 Para H2: n = ĺn= œ n = 59,4 mol H2; Para AƐ: n = ĺn= œ n = 30,02 mol AƐ
M 2,02 M 26,98
aaaaaaaaaa
3 mol H2 2 mol Aκ 30,02
aaaaaaaaaa ֞ n = 39,6 mol Aκ; K = × 100 œ K = 75,8%
59,4 mol H2 n 39,6
9.
9.1 É uma reação de oxidação-redução porque há variação nos números de oxidação de: 'Ŷ͘Ž͘;&ĞͿсϮоϬ œ 'n.o (Fe) = +2;
'Ŷ͘Ž͘;,ͿсϬо;нϭͿ œ 'Ŷ͘Ž͘;,Ϳсоϭ
+
9.2 Opção (B). O elemento Fe aumenta o número de oxidação e a espécie H é o agente oxidante porque diminui o seu
número de oxidação.
aaaaaaaaaa
2 mol H+ 1 mol H2 23
9.3 aaaaaaaaaa ֞ n = 1,5 mol H2 ; N = n × NA ĺ N = 1,5 × 6,02 × 10 œ N = 9,0 × 1023 moléculas H2
3,0 mol H+ n

10. Opção (C). 1 mole de MnO 4 provoca a formação de 4 moles de H2O. 0,10 mol de MnO 4 provocarão a formação de
0,40 mol de H2O. As outras são incorretas porque: (A) e (B) 0,10 mol de MnO 4 oxidam 0,50 mol de iões Fe ; (D) a
2+

2+
oxidação completa de 0,50 mol de iões Fe será acompanhada da formação de 0,40 mol de H2O.
11. Verdadeiras: (B) e (D). Falsas: (A), (C) e (E). Correção das falsas: (A) o cobre (Cu) tem um poder oxidante menor que o
2+
do zinco (Zn); (C) H2 tem maior poder oxidante que Mg; (E) se o zinco (Zn) é mais redutor que a prata (Ag), então Zn é
+
menos oxidante de Ag .
12. Opção (A). De acordo com a posição dos halogéneos na Tabela Periódica, verifica-se que o elemento com maior
primeira energia de ionização é o flúor (F) pois tem maior capacidade para captar eletrões (mais oxidante) e o que
possui menor primeira energia de ionização é o iodo (I), sendo, por isto, o iodo o que é menos oxidante. As outras são
о
incorretas porque: (B) o bromo é mais oxidante que o iodo; (C) se o cloro é mais oxidante que o iodo, I tem maior
о
poder redutor que CƐ ; (D) a primeira energia de ionização do oxigénio é menor que a primeira energia de ionização do
cloro. Por isso, o cloro capta eletrões com mais facilidade que o oxigénio, sendo mais oxidante.
13.
2+
13.1 O redutor mais forte é Sn , pois a reação é mais extensa no sentido direto.
1 1
13.2 Kc' = ĺ Kc' = œ Kc' = 5,0 × 10о7
Kc 2,0 u 10 6

14. Opção (C). As outras são incorretas porque: (A) de entre os metais citados, a prata é o que tem maior poder oxidante;
2+
(B) o magnésio tem poder redutor superior ao do chumbo, por isso cede eletrões com mais facilidade; (D) Mg cede
2+
eletrões com mais facilidade que Cu , porque Mg tem maior poder redutor que Cu.
15.
15.1 Em NO 3 : n.o.(N) = +5; em NO: n.o.(N) = +2.

194 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


15.2 A reação é extensa na medida em que ocorre a oxidação da prata (Ag a Ag ), sendo NO 3 o agente oxidante.
+

16.
2+ 2+ + 2+
16.1 I. Pb (aq) + Ni (s) ĺ Pb (s) + Ni (aq); IV. 2 Ag (aq) + Pb (s) ĺ 2 Ag (s) + Pb (aq)
16.2 Opção (C).
+ 2+ 2+
16.3 Ag > Pb > Ni

Ficha formativa 8 – Equilíbrio de solubilidade


1.
1.1 A dissolução de KNO3 é endotérmica pois a dissolução aumenta à medida que a temperatura aumenta. A dissolução de
MnSO4 é exotérmica porque o aquecimento desta solução aquosa não a favorece. O que faz aumentar a dissolução de
MnSO4 é o arrefecimento.
1.2 Opção (D). De acordo com o gráfico: solução X – 100 mL de solução que contém 17,5 g KNO3 à temperatura de 80 °C,
está saturada; solução Y – 100 mL de solução que contém 5 g MnSO4 à temperatura de 80 °C, está sobressaturada.
2. Opção (D). msolução = mcopo + solução оmcopo vazio ĺ msolução сϱϬоϯϬ œ msolução = 20 g; mresíduo сϯϭ͕ϬоϯϬ œ mresíduo = 1 g
aaaaaaaaaa
20 g solução 1 g resíduo 5 g resíduo
aaaaaaaaaa ֞ mresíduo = 5 g; %(m/m) = × 100 œ %(m/m) = 5%
100 g solução m 100 g solução
A solubilidade de LiOH é de 11 g de soluto em 100 g de solução. Como em 100 g de solução existem 5 g de soluto, a
solução está insaturada.
3.
3.1 De acordo com o gráfico começa a haver precipitação de AƐ(OH)3 a partir de pH superior a 3,5.
3.2 Para pH = 1, nenhum dos hidróxidos precipita. Para pH =2,5, precipita Fe(OH)3 mas não precipita AƐ(OH)3. Para pH = 3,5,
precipita Fe(OH)3 e a solução de AƐ(OH)3 está saturada. Para pH > 3,5, precipitam os dois hidróxidos. Só precipita
Fe(OH)3 no intervalo de pH: 2,0 < pH < 3,4.
3.3 Não, porque o valor do pH da água a esta temperatura é igual a 7. Precipitam os dois hidróxidos.
4.
4.1 CaSO4 (s) ֖ Ca (aq) + SO 24 (aq); Ks = [Ca ]e × [SO 24 ]e
2+ 2+

2+ о 2+ о
4.2 PbCƐ2 (s) ֖ Pb (aq) + 2 CƐ (aq); Ks = [Pb ]e × [CƐ ] 2e
3+ о 3+ о
4.3 AƐ(OH)3 (s) ֖ AƐ (aq) + 3 OH (aq); Ks = [AƐ ]e × [OH ] 3e

4.4 Ca3(PO4)2 (s) ֖ 3 Ca (aq) + 2 PO 34 (aq); Ks = [Ca ] 3e × [PO 34 ] 2e


2+ 2+

5. Opção (C).
6.
2+ о 2+ о
6.1 FeF2 (s) ֖ Fe (aq) + 2 F (aq); Ks = [Fe ]e × [F ] 2e

La(IO3)3 (s) ֖ La (aq) + 3 IO 3 (aq); Ks = [La ]e × [IO 3 ] 3e


3+ 3+

2+ о 2+ о 2 3 Ks 5,02 u 10 6
6.2 Ca(OH)2 (s) ֖ Ca (aq) + 2 OH (aq); Ks = [Ca ]e × [OH ] 2e ĺ Ks = s × (2s) ĺ Ks = 4s ĺ s = 3 ĺs= 3 œ
4 4
œ s = 1,08 × 10о2 mol dmо3

о о 2,3 u 10 6
2+ 2+
FeF2 (s) ֖ Fe (aq) + 2 F (aq); Ks = [Fe ]e × [F ] 2e ĺ Ks = 4s ĺs =
3 3 œ s = 8,3 × 10о3 mol dmо3
4
A solubilidade de FeF2 é menor que a solubilidade de Ca(OH)2.
+ + 2 3 Ks
6.3 Ag2CrO4 (s) ֖ 2 Ag (aq) + CrO 24 (aq); Ks = [Ag ] 2e × [CrO 24 ]e ĺ Ks = (2s) × s ĺ Ks = 4s ĺs = 3 ĺ
4

1,12 u 10 12
ĺs= 3 œ s = 6,54 × 10о5 mol dmо3
4

2+ о 2+ о 3 Ks 5,61 u 10 12
Mg(OH)2 (s) ֖ Mg (aq) + 2 OH (aq); Ks = [Mg ]e × [OH ] 2e ĺ Ks = 4s ; s = 3 ĺs= 3 œ
4 4
œ s = 1,12 × 10о4 mol dmо3

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 195


Ks 7,5 u 10 12
La(IO3)3 (s) ֖ La (aq) + 3 IO 3 (aq); Ks = [La ]e × [IO 3 ] 3e ĺ s =
3+ 3+
4 ĺs= 4 œ s = 7,3 × 10о4 mol dmо3
27 27
Ag2CrO4 < Mg(OH)2 < La(IO3)3
7. Considera-se total a dissociação do sulfato de prata, Ag2SO4, em água: Ag2SO4 (aq) ĺ 2 Ag (aq) + SO 24 (aq)
+

о2 о3 о2 о3
[Ag2SO4] = [SO 24 ] e [Ag ] = 2 × [Ag2SO4]; sendo [Ag2SO4] = 2,0 × 10 mol dm , [Ag ] = 4,0 × 10 mol dm .
+ +

о2 2 о2
+
Ks = [Ag ] 2e × [SO 24 ]e ĺ Ks = (4,0 × 10 ) × 2,0 × 10 œ Ks = 3,2 × 10о5
о оpOH о о4
8. Opção (A). A 25 °C, pH + pOH = 14 ĺ 10 + pOH = 14 œ pOH = 4; [OH ] = 10 ĺ [OH ] = 10 œ
œ [OHо] = 1,0 × 10о4 mol dmо3
2+ о
X(OH)2 (s) ֖ X (aq) + 2 OH (aq)

2+
[X ] =
>OH @ 
2+ о5 о3 2+
œ [X ] = 5,0 × 10 mol dm ; Ks = [X ]e × [OH ] 2e ĺ Ks = 5,0 × 10 × (1,0 × 10 ) œ Ks = 5,0 × 10 о о5 о4 2 о13
2
+ о
9. AgOH (s) ֖ Ag (aq) + OH (aq)
+ о + о
[Ag ]e = [OH ]e; Ks = [Ag ]e × [OH ]e ĺ Ks = [OH ] ĺ [OH ] =
о 2 о
2,25 u 10 5 œ [OHо] = 4,74 × 10о3 mol dmо3
о
ƉK,соůŽŐ΀K, ] œ pOH = 2,3; pH = 14 – 2,3 = 11,7

10. Opção (D). AgCƐ (s) ֖ Ag (aq) + CƐ (aq); s =


+ о
K s ĺ s = 1,77 u 10 10 œ s = 1,33 × 10о5 mol dmо3
о3 о5 3 о3 о3
Em mg dm , s = 1,33 × 10 × 143,32 × 10 œ s = 1,91 mg dm ˷G1,9 mg dm
+ о + о
11. Para o equilíbrio: AgCƐ (s) ֖ Ag (aq) + CƐ (aq); Ks = [Ag ]e × [CƐ ]e
+ о о10
/ŶŝĐŝĂоƐĞĂƉƌĞĐŝƉŝƚĂĕĆŽƋƵĂŶĚŽŽƉƌŽĚƵƚŽĚĞ΀Ő ]e por [CƐ ]e atinge o valor de Ks(1,77 × 10 ):
о10 о3 о о о8 о3
1,77 × 10 = 4,0 × 10 × [CƐ ] œ [CƐ ] = 4,4 × 10 mol dm
2+
12. A equação correspondente à formação de precipitado de CaCO3 (s) é: Ca (aq) + CO 23 (aq) ĺ CaCO3 (s)
о3 о7
2+
Qs = [Ca ] × [CO 23 ] ĺ Qs = 2,5 × 10 × 1,0 × 10 œ Qs = 2,5 × 10о10. Como Qs < Ks, não há formação de precipitado.
2+
13. CaCO3 (s) ֖ Ca (aq) + CO 23 (aq)
+
Adicionando um ácido forte, este vai ceder protões (H ) à solução. CO 23 , por ser uma base fraca conjugada de um ácido
+
fraco, vai aceitar protões do ácido de acordo com a seguinte equação química: CO 23 (aq) + 2 H (aq) ֖ CO2 (g) + H2O (Ɛ)

Como a concentração em iões CO 23 diminui, o sistema reacional vai evoluir no sentido da reação direta, de acordo
com o Princípio de Le Châtelier, aumentando a solubilidade do sal.
2+
No caso de CaSO4͕ƚĞŵоƐĞ͗Ă^K4 (s) ֖ Ca (aq) + SO 24 (aq)

SO 24 é uma base muito fraca (conjugada de um ácido forte – H2SO4) e não tem capacidade de aceitar protões do
ácido. O sal mais afetado pela adição de um ácido forte é CaCO3.
14.
2+ 2+
14.1 BaSO4 (s) ֖ Ba (aq) + SO 24 (aq); Qs = [Ba ] × [SO 24 ]
2+ о 2+ о2 о3
Na solução de BaCƐ2: BaCƐ2 (aq) ĺ Ba (aq) + 2 CƐ (aq); cBaCƐ2 = [Ba ] = 1,0 × 10 mol dm
о2 о3 о4 2+
n = c × V ĺ n = 1,0 × 10 × 50,0 × 10 œ n = 5,0 × 10 mol Ba
Vtotal = 50,0 + 50,0 œ Vtotal = 100,0 mL
5,0 u 10 4
Na solução final: [Ba ] =
2+
œ [Ba2+] = 5,0 × 10о3 mol dmо3
3
100,0 u 10
о3 о3
Na solução de Na2SO4: Na2SO4 (aq) ĺ 2 Na (aq) + SO 24 (aq); cNa2SO4 = [SO 24 ] = 1,0 × 10 mol dm
+

о3 о3
n = c × V ĺ n = 1,0 × 10 × 50,0 × 10 œ n = 5,0 × 10о5 mol SO 24

5,0 u 10 5
Na solução final: [SO 24 ] = œ [SO 24 ] = 5,0 × 10о4 mol dmо3
100,0 u 10  3
о3 о4
Qs = [Ba ] × [SO 24 ] ĺ Qs = 5,0 × 10 × 5,0 × 10
2+
œ Qs = 2,5 × 10о6
Como Qs > Ks, há formação de precipitado.
14.2 BaCƐ2 (aq) + Na2SO4 (aq) ĺ BaSO4 (aq) + 2 NaCƐ (aq)

196 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Equação iónica: Ba (aq) + SO 24 (aq) ֖ BaSO4 (s)
2+

о4 о5
n(Ba ) = 5,0 × 10 mol e n(SO 24 ) = 5,0 × 10 mol, logo o reagente limitante é o ião SO 24 .
2+

aaaaaaaaaa
1 mol SO2-
4 1 mol BaSO4
aaaaaaaaaa ֞ n = 5,0 × 10-5 mol BaSO4
5,0 × 10-5 mol SO2-
4 n
о5 о2
m = n × M ĺ m = 5,0 × 10 × 233,37 œ m = 1,2 × 10 g BaSO4
15.
15.1 As equações químicas que traduzem os equilíbrios de solubilidade do cloreto de chumbo (II) e do cloreto de prata
são, respetivamente:
2+ о
PbCƐ2 (s) ֖ Pb (aq) + 2 CƐ (aq)
+ о
AgCƐ (s) ֖ Ag (aq) + CƐ (aq)
о
15.2 O sal que precipita em primeiro lugar é o que precisa de menor quantidade de iões CƐ por unidade de volume de
solução.
+ о о10 о3 о о о8 о3
Para AgCƐ: Ks = [Ag ]e × [CƐ ]e ĺ 1,77 × 10 = 6,0 × 10 × [CƐ ] œ [CƐ ] = 3,0 × 10 mol dm
о о8 о3
AgCƐ começa a precipitar quando [CƐ ] > 3,0 × 10 mol dm .
2+ о о5 о2 о 2 о о2 о3
Para PbCƐ2: Ks = [Pb ]e × [CƐ ] 2e ĺ 1,70 × 10 = 2,0 × 10 × [CƐ ] œ [CƐ ] = 2,9 × 10 mol dm
о о2 о3
PbCƐ2 começa a precipitar quando [CƐ ] > 2,9 × 10 mol dm .
о
O sal que começa a precipitar primeiro é o AgCƐ, porque a concentração de iões CƐ necessária para iniciar a
precipitação é menor.
16.
Ks
16.1 Ks = [Ca ] 3e × [PO 34 ] 2e ; Ks = (3s) × (2s) ĺ Ks = 108 s œ s =
2+ 3 2 5
5
108
2+
16.2 Opção (C). A elevada concentração em iões Ca faz deslocar o equilíbrio no sentido da reação inversa. Aumenta a
quantidade de precipitado e promove a formação de cálculos renais.

Testes

Teste de diagnóstico
Grupo I
1. Opção (C). As outras são incorretas porque: (A) os espetros atómicos que permitem identificar elementos químicos são
os espetros descontínuos ou de riscas; (B) a velocidade de propagação das radiações eletromagnéticas depende do
meio em que se propagam; (D) as radiações UV são mais energéticas do que as radiações IV.
2.
о18
2.1 Ei = 2,18 × 10 J
о19
2.2 E = 2,42 × 10 J
о19 о19
2.3 A transição D corresponde à emissão de radiação visível: E = E3 – E2 ĺ E = о2,42 × 10 о;о5,45 × 10 ) œ
о19
œ E = 3,03 × 10 J
2.4 A transição B corresponde à transição eletrónica do nível 2 para o nível 1.
2.5 Opção (A). As outras são incorretas porque: (B) a radiação associada à transição eletrónica C é IV; (C) a transição D ocorre
com emissão de energia; (D) quanto maior é o valor da energia, maior é o valor da frequência, porque são grandezas
diretamente proporcionais. Como a transição D corresponde a uma emissão de energia superior à da transição C, o valor da
frequência da radiação emitida em D é maior que o valor da frequência da radiação emitida em C.

Grupo II
1.
2 5 2 2 5
1.1 [He] 2s 2p ou 1s 2s 2p
1.2 O elemento E pertence ao segundo período da Tabela Periódica porque tem os eletrões distribuídos por dois níveis de
energia.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 197


2. Opção (D). As outras são incorretas porque: (A) os eletrões do átomo C, no estado de energia mínima, têm diferentes
1 7
energias, como por exemplo: E3s тE3p; (B) [Ne] 3s 3p é uma configuração eletrónica impossível e a orbital p comporta
no máximo 6 eletrões; (C) o elemento a que pertence o átomo B faz parte do grupo 16 da Tabela Periódica pois tem 6
eletrões de valência.
3. O raio de B é inferior ao de C. São elementos do mesmo período da Tabela Periódica e C tem maior número atómico e,
como tal, maior carga nuclear, que é o efeito fundamental que provoca a contração da respetiva nuvem eletrónica.
Grupo III
m 110,0
1. n = ĺn= œ n = 2,499 mol CO2; nas condições PTN, n(CO2) = n(NH3) ĺ n(NH3) = 2,499 mol NH3
M 44,01
m = n × M ĺ m = 2,499 × 17,03 œ m = 42,56 g NH3
M 32,00
2. Nas condições PTN: U = ĺU= œ U = 1,43 g dmо3 O2
Vm 22,4
3. Opção (C). As outras são incorretas porque: (A) por terem massas molares diferentes, têm massas diferentes; (B) as
densidades são diferentes porque têm massas diferentes; (D) n(B) = n(D) porque se encontram nas condições PTN e
V(B) = V(D); n(B) contém 2n átomos porque a molécula de O2 contém 2 átomos de oxigénio; n(D) contém 5n átomos
porque a molécula de CH4 contém 5 átomos (1 de carbono e 4 de hidrogénio).
4. Opção (B).
A molécula de NH3 possui um par de eletrões não partilhado e três pares de eletrões partilhados.
Geometria piramidal trigonal.

5. (A) – 1; (B) – 3; (C) – 5; (D) – 2; (E) – 4.


6.
6.1 X – produtos da reação; Y – reagentes; Z – produtos intermédios.
6.2 1 – corresponde à energia absorvida para quebrar as ligações nos reagentes:
3 × E(H–H) ĺ 3 × 436 œ E = 1308 kJ
E(N { N) œ E = 945 kJ
Total = 1308 + 945 = 2253 kJ
3 оĐŽƌƌĞƐƉŽŶĚĞăĞŶĞƌŐŝĂůŝďĞƌƚĂĚĂƋƵĂŶĚŽƐĞĨŽƌŵĂŵĂƐligações dos produtos de reação:
6 × E(N–H) ĺ 6 × 391 œ E = 2346 kJ
2 – corresponde ao balanço energético:
'H сϮϮϱϯоϮϯϰϲ œ 'H соϵϯŬ:
6.3 Reação exotérmica, porque 'H < 0.

Grupo IV
о2 о3 о2
1. n = c × V ĺ n = 2,5 × 10 × 500 × 10 œ n = 1,2 × 10 mol K2CrO4
о2
m = n × M ĺ m = 1,2 × 10 × 194,20 v m = 2,3 g K2CrO4
2. Balança, copo de precipitação, vareta de vidro, espátula, balão volumétrico de 500 mL, funil, esguicho de água
desionizada, conta-gotas.
о2 о3
3. Opção (B). K2CrO4 (aq) ĺ 2 K (aq) + CrO 24 (aq); cK2CrO4 = [CrO 24 ] e [K ] = 2 × [CrO 24 ] œ [K ] = 5,0 × 10 mol dm
+ + +

As outras são incorretas porque:


(A) [K ] = 2 × [CrO 24 ]
+

msoluto 2,43
(C) %(m/m) = × 100 ĺ %(m/m) = × 100 œ %(m/m) = 0,486%, em que m = U × V ĺ m = 1,00 × 500 œ
msolução 500
œ m = 500 g solução
aaaaaaaaaa
194,20 g K2 CrO4 2 × 39,10 g K+
(D) aaaaaaaaaa ֞ m = 0,978 g K+
2,43 g K2 CrO4 m
m 0,978
K 6 6 3
ppm = × 10 ĺ ppm = × 10 œ ppm = 1,96 × 10
msolução 500

198 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


4.
ci V c 2,5 u 10 2
4.1 ni = nf ĺ ci × Vi = cf × Vf ĺ = f ĺ f = i ĺf = œ f = 25
cf Vi cf 1,0 u 10  3
Vf 250 u 10 3
4.2 f = ĺ 25 = œ Va retirar = 1,0 × 10о2 dm3 ou Va retirar = 10 cm3
Vi Va retirar
4.3 Retirar, com a pipeta volumétrica e respetiva pompete, 10 mL da solução mãe, transferindo esta solução para um
balão volumétrico de 250 mL de capacidade. Adicionar de seguida água desionizada até ao traço de referência. Rolhar
e agitar de modo a homogeneizar a solução. Rotular devidamente o balão.

Teste 1
Grupo I
1.
1.1 Reagente limitante é o reagente que existe em menor quantidade relativa, isto é, que está em defeito em relação aos
outros reagentes.
m 13,6 m 12,8 16,0
1.2 n = ĺn= œ n =0,799 mol NH3; n = ĺn= œ n =0,798 mol CH4; n ĺ n = œ
M 17,03 M 16,04 32,00
œ n =0,500 mol O2
0,799 0,798 0,500
Para NH3: = 0,400; para CH4: = 0,399; para O2: = 0,167; o reagente limitante é o oxigénio, O2.
2 2 3
aaaaaaaaaa
3 mol O2 2 mol HCN
1.3 aaaaaaaaaa ֞ n = 0,333 mol HCN; m = n × M ĺ m = 0,333 × 27,03 œ m = 9,00 g HCN
0,500 mol O2 n
aaaaaaaaa
3 mol O2 6 mol H2 O 3
1.4 Opção (B). aaaaaaaaa ֞ n = 1,00 mol H2 O; V = n × Vm ĺ V = 1,00 × 22,4 œ V = 22,4 dm de H2O
0,500 mol O2 n
1.5 n(NH3)em excesso сϬ͕ϳϵϵоϬ͕ϯϯϯ œ n(NH3)em excesso = 0,466 mol NH3; n(CH4)em excesso сϬ͕ϳϵϴоϬ͕ϯϯϯ œ
œ n(CH4)em excesso = 0,465 mol CH4
ntotal = 0,466 + 0,465 œ ntotal = 0,931 mol reagentes em excesso
2.
aaaaaaaaaa
100,09 g CaCO3 128,10 g CaC2 O4 3, 50
2.1 aaaaaaaaaa ֞ m = 3,50 g CaCO3 ; GP = × 100 = 70,0%
m 4,48 g CaC2 O4 5, 00
3,50
2.2 Opção (B). n(H2C2O4) = n(CaCO3) ĺ n(H2C2O4) = œ n(H2C2O4) = 0,0350 mol
100,09
n 0,0350
c= ĺc= œ c = 7,00 × 10о2 mol dmо3
V 0,500
2.3 O soluto é H2C2O4; nsoluto = 0,0350 mol H2C2O4
msolução = Usolução × Vsolução œ msolução = 500 g; msolvente = msolução о msoluto ĺ msolvente сϱϬϬоϯ͕ϭϱ œ msolvente = 497 g
m 497
nsolvente = ĺ nsolvente = œ nsolvente = 27,6 mol H2O
M 18,02
nsoluto 0,0350
x= ĺx= œ x = 1,27 × 10о3
nsoluto  nsolvente 27,6  0,0350
V 5,00 m 24,5
3. Para O2: n = ĺn= œ n = 0,223 mol (real); para KCƐO3: n = ĺn= œ n = 0,200 mol KCƐO3
Vm 22,4 M 122,55
aaaaaaaaaa
2 mol KCκO3 3 mol O2
aaaaaaaaaa ֞ n = 0,300 g mol O2 (teórico)
0,200 mol KCκO3 n
nreal 0,223
K= × 100 ĺ K = × 100 œ K = 74,3%
nteórico 0,300

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 199


Grupo II
1. Opção (C).
0,50 0,10
u
Qc =
>NO2 @u >SO2 @ ĺ Q =V V œ Q =2,5 × 10о2; Q < K
c c c c
>SO3 @u >NO@ 1,0 2,0
u
V V
As outras são incorretas porque a evolução da reação não depende apenas das concentrações dos reagentes nem
apenas das concentrações dos produtos da reação. O valor de Qc envolve as concentrações de todas as espécies
presentes no sistema reacional.
2.
>NO@2e о3 >NO@2e
2.1.1 Kc = ĺ 2,5 × 10 = œ [NO] = 4,2 × 10о4 mol dmо3
>N2 @e u >O2 @e 2,3 u 10 3
u 3,1 u 10 2
2.1.2
N2 (g) + O2 (g) ֖ NO (g)
о3
ci / mol dm cN2 cO2 0
о3
'c / mol dm оx оx +2x
о3 о3 о2
ceq / mol dm 2,3 × 10 3,1 × 10 2x
о4
2x = 4,2 × 10 œ x = 2,1 × 10о4; cN2 = 2,3 × 10о3 + 2,1 × 10о4 œ cN2 = 2,5 × 10о3 mol dmо3
nNO 4,2 u 10 4
2.2 Opção (B). x = ĺx= œ x = 1,2 × 10о2
nNO  nN2  nO2 4 3
4,2 u 10  2,3 u 10  3,1 u 10 2

3.
3.1
2 HI (g) ֖ H2 (g) + I2 (g)
ni / mol 1,00 0 0
'n / mol о2x +x +x
neq / mol ϭ͕ϬϬоϮx = 0,079 x x
ϭ͕ϬоϮx = 0,079 œ x = 0,46 mol; neq(I2) = neq(H2) = 0,46 mol
ni 0,921
3.2 %(HI ionizado) = × 100 ĺ %(HI ionizado) = × 100 œ %(HI ionizado) = 92,1%
nd 1,00
3.3 Opção (B).
0,46 0,46
>H2 @e u >I2 @e u
Kc = ĺ Kc = V V œ Kc = 34
>HI@2e § 0,079 ·
2
¨ ¸
© V ¹
4.
n 10,0 10,0
4.1 cNO2 = ĺcNO2 = œ cNO2 = 2,0 mol dmо3; cSO2 = œ cSO2 = 2,0 mol dmо3
V 5,0 5,0
о3 о3 о3
[SO3]e = [NO]e = 1,5 mol dm ; [NO2]e = Ϯ͕Ϭоϭ͕ϱ œ [NO2]e = 0,5 mol dm ; [SO2]e = 0,5 mol dm
>SO3 @e u >NO@e 1,52
4.2 Kc = ĺ Kc = œ Kc = 9
>NO2 @e u >SO2 @e 0,52
>SO3 @e u >NO@e 0,92
4.3 Kc1 = ĺ Kc1 = œ Kc1 = 9; Os dois estados de equilíbrio estão à mesma temperatura porque Kc = Kc1.
>NO2 @e u >SO2 @e 0,32

Grupo III
1.
m 2,00 m 4,00
1.1 n = ĺn= œ n = 1,45 × 10о2 mol C7H6O3; n = ĺn= œ n = 3,92 × 10о2 mol C4H6O3
M 138,12 M 102,09

200 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


1,45 u 10 2 о2 3,92 u 10 2 о2
Para C7H6O3: = 1,45 × 10 ; para C4H6O3: = 3,92 × 10 ; o reagente limitante é o ácido
1 1
salicílico, C7H6O3.
aaaaaaaaaa
1 mol C7 H6 O3 1 mol C9 H8 O4
-2 aaaaaaaaaa ֞ n = 1,45 × 10-2 mol C9 H8 O4
1,45 × 10 mol C7 H6 O3 n
о2
m = n × M ĺ m = 1,45 × 10 × 180,15 œ m = 2,61 g C9H8O4
mreal 2,10
1.2 K = × 100 ĺ K = × 100 œ K = 80,5%
mteórico 2,61

Teste 2
Grupo I
1.
n 4 2
1.1 [NH3]e = ˧ [NH3]e = œ [NH3]e = 8,0 × 10о1 mol dmо3; [N2]e = œ [N2]e = 4,0 × 10о1 mol dmо3;
V 5,0 5,0
6
[H2]e = œ [H2]e = 1,2 mol dmо3
5,0

1.2 Kc =
>N2 @e u >H2 @3e ĺ Kc =
4,0 u 10 1 u 1,23
œ Kc = 1,1
>NH3 @2e (8,0 u 10 1 )2
2. Opção (C). As outras são incorretas porque: (A) como a reação não é completa, a quantidade de NO2 não pode ser dupla
de N2O4; (B) como a reação é endotérmica, o valor de Kc aumenta quando a temperatura também aumenta; (D) se o
volume do sistema reacional aumentar, a pressão diminui e o sistema evolui no sentido do aumento da pressão, ou
seja, no sentido da formação de maior número de moles de componentes gasosos. Desloca-se no sentido da reação
direta, havendo diminuição da quantidade de N2O4.
3.
1,5  0,750 0,750
3.1 [POCƐ3]e = œ [POCƐ3]e = 0,750 mol dmо3; [POCƐ]e = œ [POCƐ]e = 0,750 mol dmо3;
1 1
о3
[CƐ2]e = 0,750 mol dm
n 0,750
3.2 %(dissociação) = d × 100 ĺ%(dissociação) = × 100 œ %(dissociação) = 50%
ni 1,5
3.3 m = n × M ĺ m = 0,750 × 153,32 œ m = 115 g POCƐ3; m = n × M ĺ m = 0,750 × 82,42 œ m = 61,8 g POCƐ;
m = n × M ĺ m = 0,750 × 70,90 œ m = 53,2 g CƐ2
m 230
mtotal =115 + 61,8 + 53,2 œ mtotal = 230 g; U = ĺU= œ U = 230 g dmо3
V 1

Grupo II
1.
1.1 Opção (C).
оpH
+
1.2 Opção (B). pH = 9,0 ĺ [H3O ]= 10 œ [H3O+] = 1,0 × 10о9 mol dmо3

о14 о 1,0 u 10 14


A 25 °C, Kw = 1,0 × 10 ĺ [OH ] = 9
œ [OHо] = 1,0 × 10о5 mol dmо3
1,0 u 10
1.3
+ о
C5H5N (aq) + H2O (Ɛ) ֖ C5H5NH (aq) + OH (aq)
о3
ci / mol dm 0,10 – 0 0
о5
о3 Ϭ͕ϭϬо1,0 × 10 о5 о5
ceq / mol dm – 1,0 × 10 1,0 × 10
у0,10

Kb =
>C H NH @ u >OH @
5 5

e

e
ĺ Kb =
(1,0 u 10 5 )2
œ Kb = 1,0 × 10о9
>C 5H5 N@e 0,10

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 201


1,0 u 10 5
1.4 Fração de ionização = œ Fração de ionização = 1,0 × 10о4
0,10
1.5 Em meio aquoso a piridina é uma base fraca, pois aceita protões da água de acordo com a equação química. Além
о9
disso, o valor de Kb é muito baixo (Kb = 1,0 × 10 ).
2.
2.1
о +
2.1.1 CH3COOH (aq) + H2O (Ɛ) ֖ CH3COO (aq) + H3O (aq)
оpH
+
2.1.2 pH = 2,7 ĺ [H3O ] = 10 œ [H3O ] = 2,00 × 10о3 mol dmо3; [H3O+]e = [CH3COOо]e
+

о1 о3 о1 о3
[CH3COOH]e = 2,00 × 10 о2,00 × 10 œ [CH3COOH]e = 1,98 × 10 mol dm

Ka =
>CH COO @ u >H O @
3

e 3

e
ĺ Ka =
(2,00 u 10 3 )2
œ Ka = 2,02 × 10о5
>CH3COOH@e 1,98 u 10 1
2.1.3 Se a concentração do ácido cianídrico, HCN (aq), é igual à concentração do ácido acético e tem pH > 2,7, isto significa
+
que a concentração de iões H3O na solução aquosa de HCN (aq) é menor do que na solução de CH3COOH (aq), visto
+ +
que pH = оlog [H3O ]. Quanto maior for a concentração de iões H3O , mais ácida é a solução e menor será o valor de
pH. A extensão da ionização é superior para o ácido acético, sendo, por isto, este ácido mais forte do que o ácido
cianídrico.
2.2
+ о
2.2.1 NaCH3COO (aq) ĺ Na (aq) + CH3COO (aq)
2.2.2 Opção (D).
+
2.2.3 O catião sódio hidratado, Na (aq), pode considerar-se praticamente neutro sob o ponto de vista ácido-base, pois não
о
aceita nem cede protões à água. O ião acetato, CH3COO ;ĂƋͿ͕ Ġ ƵŵĂ ďĂƐĞ ĨƌĂĐĂ ĐŽŶũƵŐĂĚĂ ĚĞ Ƶŵ ĄĐŝĚŽ ĨƌĂĐŽ о
CH3COOH (aq). Tem capacidade de aceitar protões da água, de acordo com a equação:
о о
CH3COO (aq) + H2O (Ɛ) ֖ CH3COOH (aq) + OH (aq)
о
O aumento da concentração em iões OH torna a solução aquosa de acetato de sódio básica.

Grupo III
+
1. Com a adição de solução de ácido clorídrico, HCƐ (aq), a concentração dos iões H aumenta. Pelo Princípio de Le
Châtelier, o sistema evolui no sentido da reação direta e a cor laranja acentua-se. Com a adição de uma solução aquosa
о +
de hidróxido de sódio, NaOH (aq), os iões OH resultantes da dissociação de NaOH vão reagir com os iões H formando
+ о +
água (H + OH ĺ H2O) e a concentração de iões H diminui. Pelo Princípio de Le Châtelier, o sistema evolui no sentido
+
da reação inversa para aumentar a concentração em iões H . A cor laranja diminui e aparece a cor amarela.

Teste 3
Grupo I
1.
1.1 Opção (A). A concentração molar de cada componente permanece constante neste estado de equilíbrio. As outras são
incorretas porque: (B) o número de moles de produto da reação deverá ser igual à soma do número de moles de

reagentes consumidos, de acordo com a estequiometria da reação; (C) Kc =


>NO@2e , sendo o valor de Kc
>N2 @e u >O2 @e
constante; (D) se a temperatura aumentar, o sistema vai evoluir no sentido da reação endotérmica, ou seja, no sentido
da reação direta, conduzindo ao aumento do valor numérico de Kc.
1.2 Aumentando a temperatura do sistema reacional, o sistema evolui no sentido da reação endotérmica, ou seja, no
sentido da reação direta. Deste modo, o rendimento aumenta.
1.3 Ao aumentar o volume do sistema reacional a pressão diminui, mas como o número de moles de componentes
gasosos nos reagentes é igual ao número de moles de componentes gasosos nos produtos da reação, não há alteração
no equilíbrio químico.
2.
>HI@2e 2,02 >HI@ 2
0,402
2.1 Kc = ĺ Kc = œ Kc = 1,0 Ý 102; Qc = ĺ Qc = œ Qc = 1,3
>H2 @e u >I2 @e 0,20 u 0,20 >H2 @u >I2 @ 0,50 u 0,25
Qc < Kc, logo o sistema não se encontra num estado de equilíbrio.

202 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


2.2
2.2.1 Como a temperatura se mantém, o valor de Kc não varia e, consequentemente, o rendimento também não varia.
2.2.2 O valor de Kc não varia porque a temperatura se mantém constante.

Grupo II
1.
+ о о14 + 2 + о + о7 о3
1.1 Kw = [H3O ]e × [OH ]e ĺ 9,55 × 10 = [H3O ] , pois [H3O ]e = [OH ]e; [H3O ]= 3,09 × 10 mol dm
+ о7
pH = оůŽŐ[H3O ] ĺ Ɖ,соůŽŐϯ͕ϬϵпϭϬ œ pH = 6,5
1.2
1.2.1 HNO3 (aq) + H2O (Ɛ) ĺ NO 3 (aq) + H3O (aq); cHNO3 = [H3O ], por ser um ácido forte.
+ +

n о3 о3 о3 +
cHNO3 = ĺ n = 5,0 × 10 × 0,20 œ n = 1,0 × 10 mol HNO3; n = 1,0 × 10 mol H3O
V
3 о7 о8 +
1.2.2 Nos 95 cm da amostra de água: n = 3,09 × 10 × 0,095 = 2,9 × 10 mol H3O
о3 о8 о3 +
nH3O+ total = 1,0 × 10 + 2,9 × 10 у1,0 × 10 mol H3O
3
Vfinal da solução = 95 + 5,0 = 100 cm
n 1,0 u 10 3
[H3O ] =
+ +
ĺ [H3O ] = œ [H3O+] = 1,0 × 10о2 mol dmо3͖Ɖ,соůŽŐ[H3O+] ĺ Ɖ,соůŽŐϭ͕ϬпϭϬо2 œ
V 100 u 10  3
œ pH = 2,0
о6 о3
1.2.3 Como a concentração de HNO3 (aq) é relativamente elevada (superior a 1,0 × 10 mol dm ), pode desprezar-se a
о14
contribuição da autoionização da água. A 60 °C, Kw = 9,55 × 10 .
о14 о2 о о о12 о3 о
9,55 × 10 = 1,0 × 10 × [OH ] ĺ [OH ] = 9,55 × 10 mol dm ; ƉK,соůŽŐ[OH ] œ pOH = 11

Grupo III
1.
1.1 C (s) + 2 CuO (s) ĺ 2 Cu (s) + CO2 (g)
(0) ;нϮͿ;оϮͿ (0) ;нϰͿ;оϮͿ
'Ŷ͘Ž͘;ͿсϰоϬ œ 'n.o.(C) = +4; n.o.(C) aumentou de 0 para +4; 'Ŷ͘Ž͘;ƵͿсϬо;нϮͿ œ 'n.o.(CuͿсоϮ͖Ŷ͘Ž͘;ƵͿĚŝŵŝŶƵŝƵ
de +2 para 0.
1.2 Opção (C). As restantes são incorretas porque: (A) C (s) é o agente redutor, pois sofre oxidação; (B) 'Ŷ͘Ž͘;ƵͿс оϮ͖
(D) n.o.(C) em CO2 é +4.
1.3
m 40,00 397,8
1.3.1 Para o carbono: n = ĺn= œ n = 3,331 mol C; para o óxido de cobre (II): n = œ n = 5,001 mol CuO
M 12,01 79,55
3,331 5,001
Para C: = 3,331; para CuO: = 2,500; o reagente limitante é o CuO e o reagente em excesso é o carbono.
1 2
aaaaaaaaaa
2 mol CuO 1 mol CO2 V 33,6
1.3.2 aaaaaaaaaa ֞ n = 2,500 mol CO2 (teórico); n = ĺn= œ n = 1,50 mol CO2 (real)
5,001 mol CuO n Vm 22,4
nreal 1,50
K= × 100 ĺ K = × 100 œ K = 60,0%
nteórico 2,500

Grupo IV
1.
1.1 Na2CO3 (aq) ĺ 2 Na (aq) + CO 23 (aq); AgNO3 (aq) ĺ Ag (aq) + NO 3 (aq)
+ +

1.2 Opção (B). Ag2CO3 (s) ֖ 2 Ag (aq) + CO 23 (aq); Ks = [Ag ] 2e × [CO 23 ]e ĺ Ks = (2s) × s œ Ks = 4s
+ + 2 3

Ks 8,46 u 10 12
1.3 s = 3 ĺs= 3 œ s = 1,28 × 10о4 mol dmо3
4 4
о2 о3
1.4 Para CO 23  na solução inicial: n = 1,0 × 10 × 10,0 × 10 œ n = 1,0 × 10о4 mol CO 23 
о2 о3
+
Para Ag na solução inicial: n = 1,0 × 10 × 10,0 × 10 œ n = 1,0 × 10о4 mol Ag+

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 203


n 1,0 u 10 4
Para CO 23  na mistura: [CO 23 ]mistura = ĺ [CO 23 ]mistura = œ [CO 23 ]mistura = 5,0 × 10о3 mol dmо3
Vtotal 20,0 u 10  3
1,0 u 10 4
+ +
Para Ag na mistura: [Ag ]mistura = 3
œ [Ag+]mistura = 5,0 × 10о3 mol dmо3
20,0 u 10
о3 2 о3
Para Ag2CO3: Qs = [Ag ] ×
+ 2
[CO 23 ] ĺ Qs =(5,0 × 10 ) × 5,0 × 10 œ Qs = 1,2 × 10о7
Qs > Ks, logo há formação de precipitado.

Grupo V
1.
1.1 A solução titulante é básica.
о3 о2 3
1.2 Com base no gráfico: na = nb ĺ ca × Va = cb × Vb ĺ 25 × 10 × 0,10 = 0,20 × Vb œ Vb = 1,2 × 10 dm
1.3 Opção (B). O gráfico mostra que o pH no ponto de equivalência é superior a 7. A solução final é básica, o que
corresponde a uma titulação ácido fraco-base forte.
1.4 Fenolftaleína, porque a zona de viragem (8,2 – 10) contém o valor de pH no ponto de equivalência.

o
Teste global 1 (11. ano)
Grupo I
1.
о3 о2
1.1 n = c × V ĺ n = 50,0 × 10 × 0,500 œ n = 2,50 × 10 mol AƐ2(SO4)3
aaaaaaaa
1 mol Aκ2 (SO4 )3 2 mol Aκ3+
о2
֞ n = 5,0 × 10-2 mol Aκ3+ ; n(AƐ(OH)3) = n(AƐ ) œ n(AƐ(OH)3) = 5,0 × 10 mol
3+
aaaaaaaa
2,50 × 10-2 mol Aκ2 (SO4 )3 n
aaaaaaaa
1 mol Aκ3+ 2 mol OH-
о о1
1.2 Opção (B). aaaaaaaa ֞ n = 1,5 × 10-1 mol OH-; n(KOH) = n(OH ) œ n(KOH) = 1,5 × 10 mol
5,0 × 10-2 mol Aκ3+ n
m 13,5
1.3 m сϭϱ͕Ϭоϭϱ͕ϬпϬ͕ϭϬ œ m = 13,5 g KOH; n = ĺn= œ n = 0,241 mol KOH; 1 mol KOH contém 1 mol OHо.
M 56,11
aaaaaaaaaa
3 mol OH- 1 mol Aκ(OH)3
- aaaaaaaaaa ֞ n = 8,03 × 10-2 mol AƐ(OH) 3
0,241 mol OH n
о2
m = n × M ĺ m = 8,03 × 10 × 78,00 œ m = 6,26 g AƐ(OH)3

Grupo II
1.
о3 о3 о3 о3 о3 о3
1.1 cA = 2,0 mol dm ; cB = 1,0 mol dm ; cA2B = 0 mol dm ; [A]e = 1,0 mol dm ; [B]e = 0,5 mol dm ; [A2B]e = 0,5 mol dm
1.2 Opção (C).
>A 2B@e 0,5
1.3 Kc = ĺ Kc = œ Kc = 1,0
>A @2e u >B@e 1,02 u 0,5
2.
2.1 Como o valor de Kc aumenta quando a temperatura aumenta, a reação é endotérmica.
2,5 2,5
u
2.2 Qc =
>C2H4 @u >C 4H8 @ ĺ Qc = 1 1 œ Q = 1,0; a 500 K Q > K , logo o sistema evolui no sentido da reação
c c c
>C 3H6 @2 § 2,5 ·
2
¨ ¸
© 1 ¹
inversa.
3.
3.1 Aumentaram. Como a concentração de X aumenta, o sistema evolui no sentido da reação direta, aumentando a
concentração de Y. A concentração de X diminui em relação à perturbação mas fica mais elevada do que a
concentração inicial.
3.2 Como a temperatura não varia, o valor da constante de equilíbrio mantém-se.

204 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


Grupo III
1.
о
1.1 (A) HBr (aq) + NH3 (aq) ֖ Br (aq) + NH 4 (aq); (B) NH 4 (aq) + H2O (Ɛ) ֖ H3O (aq) + NH3 (aq)
+

о
1.2 (A) HBr/Br e NH 4 /NH3; (B) NH 4 /NH3 e H3O /H2O
+

Grupo IV
1.
+ о
1.1 AgI (s) ֖ Ag (aq) + I (aq)
1.2 É endotérmica, porque o aumento de temperatura favorece a reação endotérmica.
1.3 Como o volume duplicou, o valor da concentração passa para metade.
+ о о2 о3 + о о2 2 о3
[Ag ] = [I ] = 5,0 × 10 mol dm ; Qs = [Ag ] × [I ] ĺ Qs =(5,0 × 10 ) œ Qs = 2,5 × 10
Qs > Ks, logo há formação de precipitado.
о
1.4 Ao adicionar iões I (aq) à solução (efeito do ião comum), de acordo com o Princípio de Le Châtelier, o sistema evolui
no sentido da formação de precipitado, ou seja, no sentido da reação inversa. Logo, o número de moles dissolvidos por
unidade de volume diminui.

Grupo V
1.
+ 2+
1.1 2 Ag (aq) + Cu (s) ĺ 2 Ag (s) + Cu (aq)
2+ о + о
1.2 Semirreação de oxidação: Cu (s) ĺ Cu (aq) + 2 e ; semirreação de redução: 2 Ag (aq) + 2 e ĺ 2 Ag (s)
2+ 2+ +
1.3 Zn < Cu < Ag

o
Teste global 2 (11. ano)
Grupo I
1.
1.1
m 585 m 1,00 u 103
1.1.1 Para NaCƐ: n = ĺn= œ n = 10,0 mol NaCƐ; para H2O: n = ĺn= œ n = 55,5 mol H2O
M 58,44 M 18,02
De acordo com estequiometria da reação (2 mol de NaCƐ para 2 mol H2O) conclui-se que o reagente em excesso é H2O.
nreal n
1.1.2 K = × 100 ĺ 0,80 = real ĺ nreal = 0,80 × 10,0 œ nreal = 8,0 mol NaOH
nteórico 10,0
1.1.3 ntotal = n(H2) + n(CƐ2) ĺntotal = 5,0 + 5,0 œ ntotal = 10,0 mol; nas condições PTN, V = n × V ĺ V = 10,0 × 22,4 œ
œ V = 224 dm3
о +
1.1.4 Opção (B). A solução aquosa de NaOH é alcalina. Tem pH > 7 e [OH ] > [H3O ].
1.2
>HC"@2e >HC"@2e
1.2.1 Kc = ĺ 1,9 × 10 =
2
œ [HCƐ]e = 6,0 × 10о2 mol dmо3
>H2 @e u >C" 2 @e 0,4352
1.2.2 Opção (A).
H2 (g) + CƐ2 (g) ֖ 2 HCƐ (g)
ni / mol n(H2) n(CƐ2) 0
neq / mol Ŷоx = 0,435 Ŷоx = 0,435 2x = 6,0
2x = 6,0 œ x = 3,0 mol; ni(H2) = ni(CƐ2) = 3,0 + 0,435; n(H2)consumido = n(CƐ2)consumido = 3,0 mol; n(HCƐ)formado = 6,0 mol
As outras são incorretas porque: (B) e (D) dado que o número de moles de componentes gasosos é igual nos dois
membros da equação, a variação de pressão não altera o equilíbrio; (C) a reação é incompleta.

Grupo II
1.
1.1 dƌĂƚĂоƐĞĚĞƵŵĂƌĞĂĕĆŽĚĞequilíbrio ácido-base, segundo a Teoria Protónica, porque há transferência de protões de
о +
CH3CH2COOH (aq) para H2O (Ɛ). Pares conjugados ácido-base: CH3CH2COOH/CH3CH2COO e H3O /H2O.
+ о + о2,9 + о3 о3
1.2 [H3O ]e = [CH3CH2COO ]e; pH = 2,9 ĺ [H3O ]e = 10 œ [H3O ]e =1,3 × 10 mol dm
о о3 о3
[CH3CH2COO ]e = 1,3 × 10 mol dm
Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 205
Ka =
>CH CH COO @ u >H O @
3 2

e 3

e
ĺ 1,38 × 10 =
о5 (1,3 u 10 3 )2
œ [CH3CH2COOH]e = 1,2 × 10о1 mol dmо3
>CH3CH2COOH@e >CH3CH2COOH@e
1,3 u 10 3
1.3 %(ácido que se ioniza) = × 100 œ %(ácido que se ioniza) = 1,1%
1,2 u 10 1  1,3 u 10  3
1.4
1.4.1 CH3CH2COOH (aq) + NaOH (aq) ֖ NaCH3CH2COO (aq) + H2O (Ɛ)
о3 о2 о2 3 3
1.4.2 na = nb ĺ ca × Va = cb × Vb ĺ 20 × 10 × 0,1213 = 5,0 × 10 × Vb œ Vb = 4,9 × 10 dm = 49 cm
1.4.3 Fenolftaleína, porque é o único indicador cuja zona de viragem contém o ponto de equivalência. O valor de pH, no
ponto de equivalência é superior a 7 porque se trata de uma titulação entre um ácido fraco e uma base forte.

Grupo III
1.
+ о
1.1 Ks = [Ag ]e × [CƐ ]e
о5 о5 о10 о5 о5 о10
1.2 Para o ponto Y: Ks = 2,0 × 10 × 1,0 × 10 œ Ks = 2,0 × 10 ; para o ponto Z: Ks = 1,0 × 10 × 2,0 × 10 œ Ks = 2,0 × 10
1.3 Para os pontos Y e Z da curva o valor de Ks é igual, o que significa que a temperatura se manteve constante. Para um
dado sal, Ks só depende da temperatura.
1.4 Opção (C). T corresponde a uma solução sobressaturada e X corresponde a uma solução insaturada.

Grupo IV
1.
2+ 2+
1.1 Ensaio 1: não há reação porque o cobre metálico não conseguiu reduzir o Mg . Mg tem poder oxidante superior a
2+
Cu . Ensaio 5: ocorre reação com formação de zinco metálico, porque o poder redutor do magnésio é superior ao do
2+ 2+ 2+ 2+
zinco, ou seja, Zn tem poder oxidante superior a Mg ; Zn (aq) + Mg (s) ĺ Mg (aq) + Zn (s)
2+ о 2+ о
1.2 Ensaio 4: semirreação de redução: Cu (aq) + 2 e ĺ Cu (s); semirreação de oxidação: Mg (s) ĺ Mg (aq) + 2 e
+ о 2+ о
Ensaio 6: semirreação de redução: 2 H (aq) + 2 e ĺ H2 (g); semirreação de oxidação: Mg (s) ĺ Mg (aq) + 2 e
1.3 O metal com maior poder redutor é o magnésio e o metal com menor poder redutor é o cobre.
2+ 2+ 2+
1.4 Poder oxidante: Cu < Zn < Mg
1.5 Opção (B). As outras são incorretas porque: (A) nem todos os metais são atacados pelos ácidos, como, por exemplo,
no ensaio 3; (C) no ensaio 1 não ocorre reação; (D) o gás libertado no ensaio 9 é o hidrogénio.

o o
Teste global 3 (10. e 11. anos)
Grupo I
1.
1.1 Z, porque tem maior valor de energia e, quanto maior é o valor da energia, maior é o valor da frequência, visto que são
grandezas diretamente proporcionais (E = h ʆ).
1.2 X, porque tem maior valor de energia.
1.3 Não. Apenas pode ser excitado por absorção de radiação UV.

Grupo II
1.
о
1.1 NH3 (aq) + H2O (Ɛ) ֖ NH 4 (aq) + OH (aq); há transferência de um protão, H , de H2O para NH3.
+

о
1.2 NH 4 /NH3 e H2O/OH .
1.3 (A) – 1 e 4 ; (B) – 3 ; (C) – 1 e 4
Adicionando cloreto de amónio, estão a adicionar-se à solução iões NH 4 . A concentração de iões NH 4 aumenta.
о о
ĚŝĐŝŽŶĂŶĚŽEĂK,͕ĞƐƚĆŽĂĂĚŝĐŝŽŶĂƌоƐĞăƐŽůƵĕĆŽŝƁĞƐK, . A concentração de iões OH aumenta.
+ о +
Fazendo borbulhar HCƐ (g) na solução, este ácido ioniza-se em H (aq) e CƐ (aq). Os iões H (aq) reagem com os iões
о о
OH , originando H2O. A concentração de OH diminui, e o equilíbrio, de acordo com o Princípio de Le Châtelier,
desloca-se no sentido da reação inversa, aumentando a concentração de iões NH 4 .
1.4 NH4NO3 (aq) ĺ NH 4 (aq) + NO 3 (aq)

206 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


NO 3 (aq) por ser uma base muito fraca conjugada de um ácido forte, não sofre reação com a água.

NH 4 (aq) por ser um ácido fraco conjugado de uma base fraca (NH3) reage com a água, de acordo com a equação
química seguinte:
NH 4 (aq) + H2O (Ɛ) ֖ NH3 (aq) + H3O (aq)
+

+
Compensa a deficiência de acidez dos solos, pois desta reação resulta um aumento da concentração dos iões H3O .
2. Opção (B). As outras são incorretas porque: (A) a geometria da molécula de NH3 é piramidal trigonal; (C) a molécula de
NH3 possui um par de eletrões não partilhados; (D) o ângulo de ligação na molécula de H2O (104,5°) é menor que o
ângulo de ligação na molécula de NH3 (107°).
3.
3.1 Opção (C). As outras são incorretas porque: (A) N e F são elementos do mesmo período da Tabela Periódica; (B) P e N
são elementos do grupo 15 da Tabela Periódica e a reatividade diminui ao longo do grupo; (D) a primeira energia de
ionização diminui ao longo de um grupo da Tabela Periódica.
2 2 4
3.2 O elemento cuja configuração eletrónica é 1s 2s 2p tem número atómico 8, pertence ao mesmo período do flúor e é
o oxigénio. A primeira energia de ionização do oxigénio é menor do que a primeira energia de ionização do flúor, pois
esta aumenta ao longo do período visto a carga nuclear ser o efeito fundamental.

Grupo III
1.
о
1.1 Opção (B). As outras são incorretas porque: (A) CƐ é a espécie redutora porque o respetivo número de oxidação
ĂƵŵĞŶƚĂ ;оϭ ĺ 0); sofre oxidação; (C) Cr2O 27  é a espécie oxidante porque contém o elemento que se reduz (Cr);
(D) Cr2O 27  sofre redução porque é a espécie oxidante.
1.2
V 0,500
1.2.1 n = ĺn= œ n = 2,23 × 10о2 mol CƐ2
Vm 22,4
aaaaaaaaaa
1 mol Cr2 O2-
7 3 mol Cκ2
aaaaaaaaaa ֞ n = 7,43 × 10-2 mol Cr2 O2-
7
n 2,23 × 10-2 mol Cκ2

1.2.2 Opção (B). A 1 mol de Cr2O 27  correspondem 2 mol de K ; n(K ) = 2 × n(Cr2O 27  ) œ n = 1,49 × 10 mol Cr2O 72
+ + о1

1.2.3 Se K = 100%:
aaaaaaaaaa
6 mol Cκ- 3 mol Cκ2
aaaaaaaaaa ֞ n = 4,46 × 10-2 mol Cκ-
n 2,23 × 10-2 mol Cκ2

о 4,46 u 10 2
Como K = 80%: n(CƐ ) = œ n = 5,6 × 10о2 mol CƐо
0,80
о2
N = n × NA ĺ N = 5,6 × 10 × 6,02 × 10
23
œ N = 3,4 × 1022 iões CƐо

Grupo IV
1.
m 31,5 n 0,500
1.1 Opção (A). n = ĺn= œ n = 0,500 mol HNO3; cHNO3 = ĺ cHNO3 = œ cHNO3 = 1,00 mol dmо3
M 63,02 V 0,500
1.2 msolução = ʌsolução × Vsolução ĺ msolução = 1,03 × 500 œ msolução = 515 g
msoluto 31,5
%(m/m) = × 100 ĺ %(m/m) = × 100 œ %(m/m) = 6,12%
msolução 515
о2 3
1.3 na = nb ĺ ca × Va = cb × Vb ĺ 1,0 × 0,0050 = 0,25 × Vb œ Vb = 2,0 × 10 dm

Grupo V
1.
1.1 As soluções aquosas dos sais carbonato de sódio, Na2CO3, e sulfato de sódio, Na2SO4, têm igual concentração de iões
carbonato e iões sulfato, porque estes sais são muito solúveis em água e as suas soluções têm igual concentração. Ao

Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11 207


adicionar igual número de gotas de solução de nitrato de prata, AgNO3 (aq) a cada um dos tubos, são possíveis os
seguintes equilíbrios:
Ag2CO3 (s) ֖ 2 Ag (aq) + CO 23  (aq)
+

Ag2SO4 (s) ֖ 2 Ag (aq) + SO 24 (aq)


+

As expressões dos respetivos produtos de solubilidade são: Ks(Ag2CO3) = [Ag ] 2e × [CO 23  ]e e Ks(Ag2SO4) = [Ag ] 2e × [SO 24 ]e
+ +

Como os dois sais são constituídos por iões em proporções estequiométricas iguais, o sal que precipita primeiro é o
+
que apresenta menor valor de Ks, porque precisa de menor valor de concentração de iões Ag para que comece a
precipitar.
Como a 25 °C Ks(Ag2CO3) < Ks(Ag2SO4), o sal que precipita em primeiro lugar é o carbonato de prata.
+
1.2 Ag2SO4 (s) ֖ 2 Ag (aq) + SO 24 (aq)
+
1.3 A equação química que traduz a reação de equilíbrio de Ag2SO4 é: Ag2CO3 (s) ֖ 2 Ag (aq) + CO 23 (aq)
+
A concentração mínima em iões Ag (aq) para provocar a precipitação do sulfato de prata é calculada a partir da
expressão de Ks:
о5 о3
Ks(Ag2SO4) = [Ag ] 2e × [SO 24 ]e ĺ 1,20 × 10 = [Ag ] 2e × 2,0 × 10
+ +
œ [Ag+]e = 7,7 × 10о2 mol dmо3
+ о2 о3
Para provocar a precipitação no tubo 1 é necessário que [Ag ] seja superior a 7,7 × 10 mol dm .
+
1.4 Quando se adiciona NH3 (aq) ao tubo 2, que contém Ag2CO3 (aq), ocorre uma reação entre os iões Ag e NH3 (aq),
+ + +
formando-se o ião complexo [Ag(NH3)2] , de acordo com a equação: NH3 (aq) + Ag (aq) ֖ [Ag(NH3)2] (aq)
+
A ocorrência desta reação leva à diminuição da concentração de Ag (aq), o que perturba o equilíbrio. De acordo com o
Princípio de Le Châtelier, a reação vai progredir no sentido da reação direta até que se atinja um novo estado de
equilíbrio, aumentando a solubilidade de Ag2CO3.

208 Editável e fotocopiável © Texto | Novo Jogo de Partículas 11


AMOSTRA NÃO COMERCIALIZÁVEL

978-111-11-4024-3

9 781111 140243

www.leya.com www.texto.pt