You are on page 1of 4

Cântico de Ação de Graças

Senhor, graças Vos dou por toda a luz.


Graças vos dou por todo o amor.
Pelo céu, pela terra mil graças vos dou, Senhor.

Senhor, graças pelo calor do sol,


Graças pelo fragor do mar;
Pela neve do monte onde o vento passa a cantar.

Senhor, graças pelo trigo a crescer,


Graças pela vida a nascer,
Graças pelo que a minha alma sente e vos quer dizer.

Senhor, graças por esta refeição,


Por este vinho e este pão
E por todos os homens de quem nós somos irmãos.

Senhor, graças por este belo dia!


Vamos viver como cristãos:
Ajudai-nos a amar-Vos e a todos como irmãos.

Final
Maria, tu fixaste meus olhos,
Meigamente, meu nome chamaste…
Nessa hora eu abri um sorriso
E em ti encontrei outra mãe.

Quando floriu na minha alma


tenra vida…
E quis ter amparo,
Ergui a fronte para as alturas.

Quando cresci em idade


E sonhei…
Olhei as estrelas
E e entre elas eu vi Teu rosto.

Quando surgiu a serpente,


Tentadora…
Saiu de meus lábios
a prece ardente: “socorro, Mãe!”
Celebração da
Eucaristia

Festas Anuais
Freiria
15 de agosto
Entrada
Maria, quem entrará no santuário pra te
Louvar?
Quem tem as mãos limpas e o coração
Puro,
Quem não é vaidoso e sabe amar.
Maria, eu quero entrar no santuário pra te
louvar.
Ó dá-me mãos limpas, e um coração puro,
Arranca a vaidade, ensina-me amar.
Maria, já posso entrar no santuário pra te
Louvar.
Teu sangue me lava, Teu corpo me queima,
O Espírito Santo inunda meu ser.

Aleluia

Cântico de Ofertório
Ao teu altar nós levamos, Senhor,
As nossas ofertas de pão.
o pão do nosso trabalho sem fim,
E o vinho do nosso cantar.
Será, senhor, nossa justa inquietude,
Amar a justiça e a paz…

Saber que virás,


Saber que estarás -(bis)
Partindo aos pobres Teu pão.

A sede de tantos homens sem luz,


a dor e o triste chorar.
O ódio de tantos mortos sem fé,
Cansados de tanto lutar…
Nesta patena de nossa oblação,
Aceita a vida, Senhor!
Santo

Cântico da Comunhão

É o Meu Corpo, tomai e comei


É o meu Sangue: tomai e bebei,
Porque Eu sou a vida, porque eu sou amor,
Ó Senhor faz-nos viver no Teu amor.

Como o Senhor nos amou, jamais alguém pode amar,


P’lo caminho da justiça nos ensina a caminhar.
Quando estamos reunidos e partilhamos Seu pão,
Ele nos dá o Seu amor e a Sua paz.

Como o Senhor nos amou, jamais alguém pode amar,


Em tudo o que nos legou, manifestou Seu amor,
Quem comer a Minha carne e beber o Meu sangue,
Permanecerá em mim e Eu nele.

Sempre qu´ este pão tomais e deste cálice bebeis,


Até que o senhor volte, sua morte anunciais.
Quem tomar indignadamente este santo alimento,
Será réu do Corpo e Sangue do Senhor.