You are on page 1of 52

A serviço da utopia

A GestaCultura é uma
consultoria empenhada
na busca e difusão de soluções
em Gestão Cultural
para empreendimentos no
âmbito da Economia Criativa.
Estamos a serviço da utopia,
por isso somos focados em revelar ou
elevar o valor percebido de iniciativas
criativas junto a públicos fundamentais
para a sua sustentabilidade.
Nossa missão é ser
um hub entre Quixotes
e Sancho Panças!
Serviços GestaCultura
Facilitação de conversas empolgantes
sobre os desafios do futuro
Serviços GestaCultura
Facilitação de conversas empolgantes
sobre os desafios do futuro
• Identificação de oportunidades
de cooperação e financeiras

• Identificação de tendências relevantes


para o negócio do parceiro

• Modelagem de negócios criativos


Gestão Cultural
• Pesquisas e análises sobre dinâmicas territoriais,
setoriais, de entornos territoriais e território-cultura nas
dimensões sociail, jurídica, industrial, ecônomica, de
recursos humano , infra-estrutura, além de identificar
potenciail de interconexão com outros setores.
• Estudos de contextos políticos e legais referentes a
diferentes agentes
• Análises de dinâmicas internas de empreendimentos
culturais ou criativos
Gestão Cultural
• Pesquisas e análises sobre dinâmicas territoriais,
setoriais, de entornos territoriais e território-cultura nas
dimensões sociail, jurídica, industrial, ecônomica, de
recursos humano , infra-estrutura, além de identificar
potenciail de interconexão com outros setores.
• Estudos de contextos políticos e legais referentes a
diferentes agentes
• Análises de dinâmicas internas de empreendimentos
culturais ou criativos
Planejamento em Marketing
• Construção e posicionamento de marcas
• Identificação de públicos-alvo
• Análise de mercados
• Definição de objetivos e metas
• Formação de preço
• Análise de risco de projetos
Planejamento em Marketing
• Construção e posicionamento de marcas
• Identificação de públicos-alvo
• Análise de mercados
• Definição de objetivos e metas
• Formação de preço
• Análise de risco de projetos
Planejamento de comunicação
para conexões produtivas
• Planejamento de comunicação integrada, institucional
e de projetos, com os públicos de interesse
• Posicionamento e relacionamento em mídias sociais
• Planejamento e compra de mídia
• Planejamento de Relações Públicas
Planejamento de comunicação
para conexões produtivas
• Planejamento de comunicação integrada, institucional
e de projetos, com os públicos de interesse
• Posicionamento e relacionamento em mídias sociais
• Planejamento e compra de mídia
• Planejamento de Relações Públicas
Planejamento financeiro
• Formação de preço
• Fluxo de caixa
• Diversificação de fontes de recursos
• Custo sobre produto
• Retorno sobre investimento
Planejamento financeiro
• Formação de preço
• Fluxo de caixa
• Diversificação de fontes de recursos
• Custo sobre produto
• Retorno sobre investimento
Mobilbização de recursos
• Elevação do valor percebido da iniciativa
junto ao mercado de patrocínio
• Estratégia de vendas junto a potenciais patrocinadores
• Campanhas de financiamento coletivo
Mobilbização de recursos
• Elevação do valor percebido da iniciativa
junto ao mercado de patrocínio
• Estratégia de vendas junto a potenciais patrocinadores
• Campanhas de financiamento coletivo
Formação e aprimoramento
de produtores e gestores culturais
com cursos e dinâmicas sob medida
• Gestão Cultural
• Organização de Eventos e Festivais Culturais
• Gestão de Projetos Cênicos
• Comunicação para as artes do palco
• Captação de recursos junto à iniciativa privada
• IncubaCultura
Formação e aprimoramento
de produtores e gestores culturais
com cursos e dinâmicas sob medida
• Gestão Cultural
• Organização de Eventos e Festivais Culturais
• Gestão de Projetos Cênicos
• Comunicação para as artes do palco
• Captação de recursos junto à iniciativa privada
• IncubaCultura
Representados
GestaCultura
no Micsur 2014
Artes Cênicas
Audiovisual
Editoração
Artes Cênicas
As Meninas do Conto
Compagnie Marie Chouinard
As Meninas do Conto
Fundado em 1995, o grupo As Meninas do Conto realiza sua
pesquisa a partir de contos populares do mundo, e desenvolve uma
forma própria de criação teatral para crianças. Os espetáculos de
seu repertório receberam prêmios importantíssimos da cena teatral
brasileira (APCA, Coca-Cola Femsa, Fomento às Artes Cênicas da
cidade de São Paulo, entre outros). Também desenvolve trabalho
com Narração de Histórias para adultos e crianças.
O grupo possui uma sede em São Paulo: Casa da História, onde
realiza sua pesquisa, encontros e apresentações.

Estima-se que mais de 250 mil pessoas tenham assistido aos


espetáculos do grupo.
Compagnie Marie Chouinard
O reconhecimento mundial a Compagnie Marie Chouinard é resultado de um
trabalho iniciado há trinta anos pela artista Marie Chouinard, em Montréal-CA.
Aclamada nos palcos de todo o mundo e em grandes festivais internacionais, a
história da Cia. tem início em 1978, quando sua diretora, então solista, apresentou a
sua primeira criação. O espetáculo, que a impulsiono seguido por cerca de cinquenta
coreografias, performances de ação, obras vocais , instalações e filmes, que afirma e
refina um interesse inabalável no corpo humano e na investigação formal.
Ela fundou a Compagnie Marie Chouinard em 1990 e a cada novo trabalho nos
oferece uma Odisséia através da história da Humanidade, sem nunca usar o histórico
ou a linearidade de uma narrativa. Um efeito teatral e de ópera formam obras
completas em constante mutação; as características da "arte viva" são exacerbados
por várias técnicas de composição e encenação. Bailarinos nos são apresentados em
sua singularidade, um ser em construção diante de nós, que estão detalhadas no
ritmo de microdivisões que asseguram flutuações de comunicação verbal. Se a
impugnação for percebida, é mais um caminho para a liberdade e compaixão, humor
possível, Eros onipresente. A arquitetura do cosmos, a inteligência interior do corpo e
da complexidade inesgotável de suas articulações e suas mutações respondem
formalmente em construções onde a forma e o conteúdo estão em ressonância.
Audiovisual
Editoração

Clara Avebuck
Negahamburguer
Clara Averbuck
Clara Averbuck sempre odiou a escola. Parou
de estudar no segundo grau, tentou o
supletivo mais tarde, desistindo em seguida.
Retomou o supletivo apenas porque quis
entrar na faculdade. Tentou estudar Letras e
Jornalismo, mas não passou de um semestre
em ambos os cursos.
Começou sua trajetória literária publicando
os seus textos na Internet. Em 2001
esecreveu sua primeira novela, “Máquina de
Pinball”, publicada no ano seguinte no Brasil
e na Inglaterra. Em 2003, publicou “Das
Coisas Esquecidas Atrás da Estante” e em
2004, escreveu “Vida de Gato”.
A obra da escritora pode ser considerada
literatura de consumo com influência da
subcultura pop, em ícones como John Fante,
Charles Bukowski, Paulo Leminski, Pedro
Juan Gutiérrez, Hunter S. Thompson, João
Antônio, Lucía Etxebarria, H.L. Mencken,
Fiona Apple, Nina Simone, Rolling Stones,
Tom Waits e Strokes.
A popularidade de seus escritos chamou a
atenção de diretores importantes do teatro e do
cinema.
Em 2008 o livro-LP “Nossa Senhora da Pequena
Morte”, com tiragem limitada de 200 exemplares,
com páginas escritas à mão ou datilografadas,
dentro de capas clássicas de velhos e bons long-
plays (LPs), com direito a vinis de rock, blues, jazz,
clássicos e até raríssimos vinis mexicanos.
Em 2012, foi a vez da obra “Cidade Grande no
Escuro” com textos que haviam sido publicados
em sites, revistas e jornais ao longo da última
década – e acompanhou o relançamento de
Máquina de Pinball, Das Coisas Esquecidas Atrás
da Estante e Vida de Gato, todos pela Editora 7
Letras.
2013 foi o ano de mais uma experiência de
sucesso: “Eu Quero Ser Eu”, seu primeiro romance
adolescente, direcionado a meninas na fase da
adolescência. Este ano, prepara seu novo livro,
“Toureando o Diabo”, com previsão de
lançamento em agosto, por meio de uma bem
sucedida campanha de financiamento coletivo.
Evelyn Queiróz
Negahamburguer
Evelyn vem realizando um trabalho de
denuncia das situações de opressão e
preconceito sofrido por mulheres,
principalmente, fora do padrão estéticos de
corpo. A personagem Negahamburguer dá
voz a milhares de mulheres por meio de
ilustrações que retratam a violência de
gênero e os preconceitos produzidos por
uma sociedade permeada por padronizações
estéticas. A artista frequentemente utiliza
plataformas como redes sociais e blogs na
internet para divulgar seu trabalho, sejam
esses intervenções como grafite ou retratos
em aquarela.
As garotas, em sua maioria, estão peladas,
mas, ainda assim, não se revelam por inteiro.
Ao se debruçar sobre a obrigatoriedade da
bela forma que bombardeia as mulheres
contemporâneas, a artista Evelyn
Negahamburguer dá vida à personagens –
algumas delas com certa dose biográfica -,
que se assumem como são: gordas, magras,
peludas, disformes, mas sobretudo, reais.
À vontade com o que são, suas curvas
podem acompanhar uma reflexão
existencial que se solta numa frase, ou
até impactar quem as observa quando
transmitem um erotismo antagônico,
onde os rostos angelicais se contrastam
com corpos que gritam orgasmos
silenciosos.
Em sua atual produção, a artista se divide
entre a arte urbana – dialogando
diferentes linguagens como o graffiti e o
lambe-lambe -, e outras ferramentas
como ilustrações digitais e pinturas.