You are on page 1of 6

INTRODUÇÃO

Titulação é o processo no qual uma solução padrão ou solução de referência é


adicionada a uma solução que contém um soluto (que se deseja analisar), até que
complete a reação. Quando se pretende encontrar uma concentração, a titulação é um
procedimento analítico e, geralmente, são feitas medidas de volume, caracterizando as
titulações volumétricas. Que é um método baseado na determinação do volume de uma
solução de concentração conhecida (titulante), necessário para reagir quantitativamente
com um soluto (titulado).

A determinação da concentração de uma solução (solução problema) a partir de


sua reação quantitativa com uma quantidade conhecida de uma substância que é pura
(padrão primário) é chamada de titulação de padronização, ou simplesmente
padronização. O biftalato de potássio (C8H5KO4) é considerado como um padrão
primário por apresentar características como: por não formar produtos secundários; a
fácil obtenção, purificação, conservação e secagem; e o por apresentar grande
solubilidade em água. Que nesta situação, após ter sua concentração determinada, a
solução problema passa a ser uma solução padronizada.

OBJETIVO

Fazer a padronização de uma solução de hidróxido de sódio (NaOH) através de


uma solução de biftalato de potássio (C8H5KO4) juntamente com fenolftaleína.

MATERIAIS E MÉTODOS

Materiais:
 Bureta;
 Proveta;
 Erlenmeyer;
 Balão volumétrico;
 Balança;
 Béquer;
 Bastão de vidro.
Reagentes:
 Água destilada;
 Hidróxido de sódio (NaOH);
 Fenolftaleína;
 Biftalato de potássio (C8H5KO4).

Calculando quantas gramas de NaOH era suficiente para reagir com 250 ml
numa solução que NaOH 0,2 mol/L, colocamos em um béquer pesando com uma
balança analítica, 2,0 g de NaOH, e diluímos com água destilada agitando com um
bastão de vidro. E logo em seguida, mudamos a solução para um balão volumétrico de
250 ml e completamos com água destilada.

Calculamos novamente, mas só que de biftalato as gramas que reagiria com 100
ml em uma solução que biftalato de potássio 0,1 mol/L. Adicionando em um béquer e
pesando numa balança analítica 2,04 g , diluímos com água destilada e transferimos 10
ml para um erlenmeyer de 250 ml, acrescentando 3 gotas da solução de fenolftaleína na
solução do biftalato e titulamos com uma solução de NaOH. Foram elaboradas 4
titulações e calculado a média dos volumes gastos, no qual o seu ponto de viragem
acontecia da mudança incolor da solução para uma cor rosada.

RESULTADO E DISCUSSÃO

Padronização da solução de NaOH

Resultado das repetições:

1ª titulação: 6 ml
2ª titulação: 6 ml
3ª titulação: 5,5 ml
4ª titulação: 6 ml

Média: 5,875 ml
C8H5KO4 + NaOH C8H4O4NaK + H2

NaOH ( Hidróxido de sódio) C8H5KO4 (biftalato)

M= 0,2 M= 0,1
V= 250 ml V= 100 ml

N° mol= 0,2. 0,25 = 0,05 mol N° mol= 0,1. 0,1 = 0,01 mol

1 mol de .............. 40 g 1 mol de C8H5KO4 ...............204 g


0,05 ............... y 0,01 ............... X

Y= 2,0 g de NaOH X= 2,04 g de mol C8H5KO4

M1. V1= M2. V2


0,1. 10= 0,2. V2
V2= 1
0,2
V2 = 5,0 ml

A estimativa de erro experimental

Erro%= valor experimental- valor teórico x 100


Valor teórico

Erro%= 5,875- 5,0 x100


5,0
Erro%= 17,5

Fator de correção

Fc = Volume teórico
Volume experimental

Fc = 5,0 Fc = 0,851
5,875

Desvio padrão (σ)

σ= √∑(𝐗𝐢 − 𝐗)²
n

σ = √∑(𝟔 − 𝟓, 𝟖𝟕𝟓)² = √0,00390625 = 0,0625


4
Através dos cálculos acima, foi possível saber a quantidade em gramas de
hidróxido de sódio e do biftalato, que reagiria com 250 – 100 ml de água destilada, o
valor da concentração em mol de ambas as partes, a estimativa do erro experimental, do
fator de correção como também o desvio padrão.

CONCLUSÃO

Com as observações feitas, foi possível na prática calcular a quantidade de


NaOH e do C8H5KO4 que reagiria com soluções de 0,2 – 0,1 mol/l, que com esses
resultados foram adquiridos valores do fator de correção , do erro experimental e do
desvio padrão. Adquirimos mais conhecimentos com as dúvidas que tínhamos em
relação ao processo de titulação, e que na titulação de ácido-base, a da mudança de uma
cor rosada para o incolor acontece em ácidos e do incolor para a cor rosada para de
básicos. No qual dessa forma, quando ocorre a mudança de cor de incolor para rosa ou
vice e versa , significa que a solução foi completamente padronizada.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Química Analítica Avançada - UFJF. INTRODUÇÃO À VOLUMETRIA. Disponível


em http://www.ufjf.br/baccan/files/2011/07/Aula-4-PG-Volumetria-de-
Neutraliza%C3%A7%C3%A3o-2S-2011-vers%C3%A3o-alunos.pdf. Acesso em:
28/0817.
EBAH. Volumetria de neutralização: preparo e padronização de solução de NaOH.
Disponível em: http://www.ebah.com.br/content/ABAAABN3wAG/volumetria-
neutralizacao-preparo-padronizacao-solucao-naoh. Acesso em: 28/0817.
FACULDADE ARNALDO HORÁCIO FERREIRA

PREPARO E PADRONIZAÇÃO DE SOLUÇÕES

LUIS EDUARDO MAGALHÃES-BA

2017
PREPARO E PADRONIZAÇÃO DE SOLUÇÕES

Relatório de aula prática apresentado a Faculdade


Arnaldo Horácio Ferreira- FAAHF, como requisito parcial
para a obtenção de nota semestral da disciplina de
química analítica.

Orientador: Profª Lidiane Radoll Ribeiro

LUIS EDUARDO MAGALHÃES-BA

2017