You are on page 1of 3

Universidade Estadual do Maranhão

Centro de Ciências Agrárias


Curso de Agronomia
Disciplina: Agroecologia
Prof. Maria Rosangela Malheiros Silva

Willianne Ferreira Silva 201120054

Questões sobre o texto:


Metodologia e Prática da Agroecologia

São Luís – MA
2018
1) Explique como os cientistas convencionais compreendem a produção agrícola?
Os cientistas convencionais seguem as premissas dominantes na Ciência
Moderna. Eles acreditam que a produção agrícola pode ser entendida objetivamente,
desconsiderando os agricultores e sua forma de pensar, além do sistema social e o
agroecossistema que os rodeia. Eles realizam experimentos controlados em laboratórios
e em parcelas de estações experimentais. Os cientistas supõem que a agricultura deve ser
entendida em pequenas partes. Sendo assim, dividem em disciplina e subdisciplina,
estudando as propriedades físicas do solo separadamente das propriedades biológicas e
da vida que ele mantém.
2) Quais as consequências da compreensão compartimentalizada da agricultura?
A compartimentalização da pesquisa científica produziu e reforçou a separação
artificial entre as ciências sociais e naturais, dificultados, dessa maneira, a consolidação
de um enfoque mais holístico direcionado ao manejo dos recursos naturais.
3) Explique por que a agroecologia dá mais ênfase aos experimentos em
propriedades.
A agroecologia leva em conta tanto o sistema agroecológico como o social, no
que trabalham os agricultores, dá relativamente pouca ênfase às pesquisas realizadas nos
centros experimentais e nos laboratórios, dando maior ênfase aos experimentos em
propriedades, além de ser mais aberta à participação dos agricultores no processo de
pesquisa.
4) Em que contexto foram criados os serviços de extensão rural. Por que os cientistas
convencionas tiveram resultados moderados na superação dos resultados
tecnológicos?
Os serviços de extensão rural foram criados por conta dos problemas ocasionados
pelas tecnologias convencionais. Foram contratados agentes especializados para divulgar
as tecnologias aos agricultores de forma a superar a grande distância entre cientistas e
agricultores. Os cientistas agrícolas convencionais tiveram resultados moderados, pois
precisam compreender que seus problemas são inerentes as premissas filosóficas de seus
próprios métodos e práticas. Eles não têm sido verdadeiramente capazes de escutar o que
os agricultores têm a dizer, porque as premissas filosóficas da Ciência Convencional não
conferem legitimidade aos conhecimentos e as formas de aprendizagens.
5) O que postula a premissa dominante da Ciência Moderna chamada atomismo?
Dê um exemplo.
O atomismo postula que as partes podem ser entendidas separadamente dos
sistemas em que estão inseridas e que os sistemas são simplesmente a soma das partes.
Ex: Os cientistas assumem que as pragas podem ser consideradas isoladamente do sistema
como todo (atomismo), preconizam a aplicação de pesticidas que por sua vez, co-evoluem
com as pragas, interferindo ainda na forma como o agricultor vê o processo produtivo.
6) Como o objetivismo (premissa dominante da Ciência Moderna) influencia as
instituições agrícolas modernas?
O objetivismo postula que nossos valores, formas de conhecimento e ações podem
manter-se à parte dos sistemas que estamos tentando entender.
7) O que postula o monismo sobre o modelo de conhecimento da Ciência Moderna?
O monismo postula que nosso modelo de conhecimento compartimentalizado em
disciplinas separas funde-se num todo coerente.
8) Em que difere a premissa dominante da Ciência Moderna chamada
Universalismo da premissa alternativa denominada contextualismo.
Universalismo: os fenômenos complexos e diversos são o resultado de princípios
universais subjacentes, que são em número reduzido e não se modificam no tempo e ao
espaço.
Contextualismo: os fenômenos dependem de um grande número de determinados
fatores, especialmente ligados ao tempo e ao espaço.
9) Por que “a atividade científica não pode ser vista independente acima de qualquer
suspeita”
Porque a construção epistemiológica é o resultado de uma situação sócio-cultural
de natureza histórica e o método cientifico não pode garantir “a separação entre razão e
paixão’’, ou seja, a ciência se vê afetada pelo contexto e práxis intelectual e político
daqueles que a produzem.
10) Explique a abordagem co-evolucionária e a principal característica dessa
abordagem.
A abordagem co-evolucionária ajuda a entender que qualquer agroecossistema é
produto das relações de mutua determinação entre os sistemas naturais e sociais. Os
sistemas naturais co-evoluem com os sistemas sociais, sendo estes divididos em um
conjunto de subsistemas de conhecimento, valores, tecnologias e organizações. Os
subsistemas sociais relacionam-se e exercem uma pressão seletiva sobre a evolução dos
outros fazendo com que co-evoluem.
Uma das características mais importantes da abordagem co-evolcionista é a que
confere legitimidade ao conhecimento natural e intuitiva dos agricultores, pois, afinal,
esses co-evoluíram com a natureza de forma mais harmônica e melhoraram, em muitos
casos, seus sistemas produtivos ao longo dos milênios.
11) Comente a base filosófica que fundamenta as pesquisas participativas e a
incorporação dos agricultores no processo de pesquisa.
A base filosófica para as pesquisas é o uso e aproveitamento do conhecimento
intuitivo dos agricultores. Esse conhecimento, apesar de não ser cientifico, ajudou o
agricultor até o momento, conforme suas necessidades e podem ser usados para
compreender seu sistema. Partindo disso, os agroecólogos podem deixar a superioridade
da convencional a qual foram ensinados quando jovem e respeitar a sabedoria dos
agricultores, integrando os dois conhecimentos, trabalhando de forma conjunta.