You are on page 1of 20

PROTOCOLO ALEXANDRE DE

AUTO-HIPNOSE
POR FELIPE ALEXANDRE DA MOTA "ARCHÉ"

I N S T I T U T O
L A M B D A
I N S T I T U T O L A M B D A

SUMÁRIO

1   | O Protocolo Alexandre

2   | Etapa 01 - Encerrando processos

3     | Etapa 02 - Fenômeno extra-cotidiano 

4     | Etapa 03 - Transformando A em B

5     | Etapa 04 - Fenômenos complexos

6   | Sobre o criador do Protocolo

7     | Sobre o Instituto Lambda

www.institutolambda.com
CAPÍTULO 01

O PROTOCOLO
ALEXANDRE

INSTITUTO LAMBDA| 03
CAP 01 | O PROTOCOLO ALEXANDRE

O protocolo Alexandre é fruto de uma série de experiências


de autodescoberta que tive no decorrer dos meus sete
anos de estudo e prática do hipnotismo. Nestes anos pude
vivenciar Enoc's ¹ nos mais variados contextos. Destes,
destaco três momentos fundamentais para que as peças
que compõe este protocolo se encaixassem :
As primeiras experiências significativas que tive com Enoc's
foram no contexto artístico, exercendo a arte do ator!
Neste contexto pude compreender o poder de uma eficaz
condução hipnótica e iniciar as minhas investigações sobre
auto-hipnose aplicadas ao teatro.
 O segundo contexto importante vivenciei na viagem que
fiz de bicicleta de Natal, capital do Rio Grande do Norte até
Fortaleza, capital do Ceará. Pedalando estes quase 550,0
km's pude sentir diariamente o estado de flow² que me
permitiu uma visão mais holística da natureza dos meus
processos mentais. E o ultimo contexto e talvez o mais
importante no que diz respeito a compreensão do meu 'eu'
e dos mecanismos psicológicos que estruturam a
experiência do que significo como real, vivenciei (e ainda
vivencio) no xamanismo. Tanto com estados extáticos de
consciência alcançados com o toque do tambor, quanto
com a consagração de medicinas da floresta (enteógenos)
como a jurema e a ayahuasca.
"A principal diferença
Todas essas experiências,
associadas aos estudos sobre entre a hipnose e a auto-
meditação, estado de flow, hipnose é que na ultima, o
mindfulness e do xamanismo, sujeito não pode se alienar
me fizeram criar um protocolo da responsabilidade de
de auto - hipnose que me criar"
proporciona a expêriencia
singular de produzir 01 - Enoc ; Estado não ordinário de consciência,
alucinações visuais! Desejo estado alterado de consciência, transe.

imensamente que o conteúdo 02 - Estado de Flow: Estado de fluxo. Vede a


obra de Mihaly Csikszentmihalyi
aqui apresentado seja util ao
buscador, aho!

INSTITUTO LAMBDA| 04
CAPÍTULO 02

ENCERRANDO
PROCESSOS

INSTITUTO LAMBDA| 05
CAP 02 | ENCERRANDO PROCESSOS

A primeira peça do quebra-cabeças na hipnose é a atenção! 


Porém, por mais que me colocasse numa postura e intenção
adequada para desenvolver fenômenos hipnóticos em mim
mesmo, percebia 'conteúdos invasores' brotando na minha
mente, logo no momento em que deveria me concentrar
completamente na técnica. Conteúdos do tipo: 'musicas se
repetindo', questionamentos, memórias, etc...

Na meditação chamam essa inquietude da mente de


''mente do macaco''. Percebi também que por mais que eu
'tentasse' forçar minha atenção a ignorar esses conteúdos,
eles continuavam brotando.
Comecei a desenvolver formas de 'desligar' a inquietude da
mente para poder focar na auto-hipnose, foi ai que notei
algo importante: alguns processos abertos na mente
subconsciente 'puxam' muita 'memória de processamento'
e consequentemente a atenção consciente fica trabalhando
num nível aquém do seu verdadeiro potencial.

A mente consciente abre processos mentais sempre que


foca em algo, e quando a atenção consciente pula para um
novo processo, o subconsciente mantém o processo anterior
aberto e assim vai, até que o excesso de processos abertos
resulte em estresse e falta de atenção.

Para desenvolver fenômenos hipnóticos é fundamental que


os processos abertos do subconsciente sejam encerrados,
possibilitando a restauração da capacidade da atenção
consciente!

Quanto maior a Potência da Atenção consciente, maior é a


capacidade de alcançar fenômenos complexos com auto-
hipnose. Encerrar processos é a base deste Protocolo, sugiro
que antes de buscar desenvolver os próximos passos,
desenvolva esta capacidade FUNDAMENTAL para obter
êxito na criação dos fenômenos hipnóticos.

INSTITUTO LAMBDA| 06
CAP 02 | ENCERRANDO PROCESSOS

Etapa 01 - Encerrando os processos: A meditação e o


estado de flow me ofereceram as bases para experienciar
vários níveis de consciência que os 'processos abertos' do
subconsciente podem proporcionar porém, neste material
iremos abordar tão somente como encerrar os processos
afim de aumentar a Potência da Atenção.
Uma das melhores formas de encerrar processos mentais
consiste na meditação do observador desassociado. 

Técnica: Feche os olhos. Respire profundamente para te


ajudar a entrar em downtime¹. Observe passivamente os
conteúdos que surgem na sua mente. Neste momento
muitas coisas vão começar a surgir: memórias, sensações,
questionamentos, pensamentos cotidianos, etc...
Sua 'voz mental' possivelmente irá participar do processo. 
Porém, sua unica função é: Observar passivamente todos os
processos mentais que surgem em sua mente.

Sempre que você iniciar está técnica, terá que evitar


conscientemente duas coisas. A primeira delas é cair no
sono (observar os processos em aberto parece ser uma
excelente forma de lidar com a insônia). E a segunda é se
envolver com os conteúdos que surgem. Seu objetivo nessa
técnica é apenas observar de forma passiva e desassociada,
permitindo que todos esses processos se encerrem um por
um. Caso contrário, se houver interação mental com os
conteúdos, eles irão continuar em abertos. É justamente a
postura do 'observador desassociado' que permite que os
processos se encerrem.
Você tem um objetivo muito claro nessa etapa: ser capaz
de ficar no mínimo 10 (dez) minutos observando os
processos mentais, sem se envolver com eles. Obviamente
que no início conseguir ficar 5 minutos já irá significar uma
grande vitória. Mas não se engane, seu objetivo é conseguir
ficar no mínimo dez minutos encerrando os processos e
isso depende exclusivamente de você.

01 - Downtime; atenção na experiencia interna, 


Terminologia utilizada na hipnose conversacional.
INSTITUTO LAMBDA| 07
CAPÍTULO 03

FENÔMENO
EXTRA-
COTIDIANO

INSTITUTO LAMBDA| 08
CAP 03 | FENÔMENO EXTRA-COTIDIANO

Fenômeno extra-cotidiano é tudo aquilo que não pertence


ao comum, ao dia a dia, ao ordinário. Um fenômeno que
está fora do cotidiano. Imagine a seguinte situação: que sua
mão está colada (hipnoticamente) numa mesa.
Este fenômeno dificilmente aconteceria em circunstancias
normais, foi preciso que algo especial acontecesse (a
presença de um hipnotista, contexto hipnótico, sugestão).
Agora imagine uma outra situação: você esta tão
concentrado na sua experiência interna que consegue
sentir algo que nunca havia percebido antes, como a
temperatura da circulação sanguínea no seu dedo
mindinho, ou a umidade da cavidade ocular de um dos
seus olhos. A estes fenômenos podemos classificar como
extra-cotidianos; Tanto o ato de vivenciar algo especial
como uma sugestão hipnótica , quanto tomar consciência
de algo em nós que no dia a dia nunca havíamos notado. 

Aqui apresento um outro fator chave do Protocolo


Alexandre: a criação/percepção de um fenômeno extra-
cotidiano.
Este ponto é fundamental no que diz respeito a configurar
uma auto-hipnose, que sai do âmbito tão somente de
produzir fenômenos e a partir de agora também engloba a
percepção como elemento determinante.

Se eu pudesse sintetizar esta etapa numa máxima, diria:


"todo fenômeno extra-cotidiano pode produzir outro
fenômeno extra-cotidiano"

Depois que eu entendi a mecânica da auto-hipnose


percebi que estive em estados hipnóticos diversas vezes
mas 'tentanto' produzir fenômenos de uma forma não
eficaz. O fato é que podemos fechar os olhos e descobrir
que conseguimos perceber algo especial acontecendo em
nós e isso é mais do que suficiente para produzir outros
fenômenos mais intensos e complexos.

INSTITUTO LAMBDA| 09
CAP 03 | FENÔMENO EXTRA-COTIDIANO

Se você é um estudioso da hipnose provavelmente já deve


ter esbarrado com os conteúdos do James Tripp¹ na
internet. Resolvi destacar as quatro categorias de efeitos
ideodinâmicos do modelo de 'Hipnose Sem Transe' do
Tripp, pois compreender estes conceitos facilitará no
momento de produzir os fenômenos, são eles:

Efeitos ideomotores: Resposta motora à ideias e emoções


(ex. catalepsia, mãos ou olhos colados, levitação de braço,
etc...)
Ideosensores: Resposta do sistema sensorial à ideias e
emoções (ex. anestesia, calor, cócegas, etc...)
Ideoemocional: Resposta emocional à ideias (ex. sentir feliz,
calmo, triste, etc...)
Ideocognitivos: Respostas de processos mentais à ideias e
emoções (ex. Amnésia, confusão, alucinações, etc...)

É fato que algumas pessoas terão uma resposta mais


satisfatória a uma categoria ideodinâmica que outra. Bem
como é popular a noção de que algumas pessoas tem a
porta visual mais desenvolvida que a auditiva, outras a
cinestésica, etc... Um hipnotista hábil consegue perceber
quais as 'portas' preferenciais de entrada de informações
de cada sujeito, adaptando sua linguagem e sugestões.
Porém, na auto-hipnose é missão do sujeito perceber que
tipo de fenômenos extra-cotidianos ele consegue sentir
com mais facilidade e a partir daí desenvolver a
capacidade de transformar um fenômeno no outro. Mas
não se engane: pessoas que não sofreram perdas na visão e
na audição podem desenvolver todas as portas, seja a
visual, a porta auditiva ou a cinestésica. Só depende
exclusivamente de prática e esforço! 
Os fenômenos extra-cotidianos podem ser facilmente
criados/percebidos, mas antes de praticar esta etapa
pressuponho de você já esteja bom o suficiente em
'encerrar processos' e já consiga aumentar a sua Potência
da Atenção.
01 - James Tripp; Hipnotista criador da teoria
da hipnose sem transe e do Loop hipnótico. INSTITUTO LAMBDA| 10
CAP 03 | FENÔMENO EXTRA-COTIDIANO

Etapa 02 - Criando Fenômenos extra-cotidianos: Encerre os


processos com a técnica da meditação do observador
desassociado.  Imagine que alguma parte do seu corpo
está ''pulsando''. Ex: mão direita, pé, face, etc... (lembrando
que você pode imaginar de forma visual, sonora, ou de
forma combinada, o importante é despertar a sensação).
A partir do momento em que você começar a perceber as
sensações, busque compreender a forma como elas se
apresentam: sente esse pulsar como formigamentos, ou
como mudança de temperatura? É mais em uma região
especifica que em outra?

Com base na forma como as sensações se apresentam,


busque manter uma congruência entre a forma como você
as sente e a forma como você imagina, e experimente
aumentar a intensidade: se é nas pontas dos dedos as
sensações, coloque sua imaginação totalmente lá, se é pelo
som que você desperta essa sensação, experimente
imaginar um som mais alto, se é por imagens experimente
cores mais intensas, etc...

Percebendo um fenômeno extra-cotidiano: Encerre os


processos com a técnica da meditação do observador
desassociado por um tempo considerável (dez minutos).
Vai perceber que quanto mais prática você tiver nessa
técnica, mais rapidamente os conteúdos começam a ficar
metafóricos, abstratos e profundos. Isso significa que
estamos alcançando níveis mais profundos de consciência.
Observe a sua capacidade imaginativa: com a prática, vai
perceber que você terá uma imaginação MUITO mais
intensa em todos os aspectos. Use sua atenção para
passear por suas sensações corporais e procure alguma
coisa de ''especial'': Uma sensação nunca antes sentida,
temperaturas diferentes, etc... Encontre algo mínimo que
seja e jogue toda a sua atenção e capacidade imaginativa
para AUMENTAR a sensação. Quanto mais prática mais
rápido é o processo de perceber e intensificar sensações!

INSTITUTO LAMBDA| 11
CAPÍTULO 04

TRANSFORMANDO
'A' EM 'B'

INSTITUTO LAMBDA| 12
CAP 04 | TRANSFORMANDO A EM B

Na hipnose clássica, transformar um fenômeno em outro é


algo simples como subir uma escada. Se um fenômeno 'A'
se estabiliza ( vamos supor que o fenômeno A seja: olhos
colados) o próximo fenômeno 'B' ( vamos supor uma
amnésia temporária) tem uma alta probabilidade de se
estabilizar se:  a experiência 'A' foi significativa para o sujeito
(ele percebeu realmente que não conseguia desgrudar os
olhos) e com isso a expectativa acerca do próximo
fenômeno tenha sido 'alimentada'. E se a sugestão do
fenômeno 'B' seja clara o suficiente para ser entendida
perfeitamente pelo sujeito.

Porém, na auto-hipnose o fator 'expectativa' se configura de


uma forma diferente: você sabe exatamente o que e quando
irá se autossugestionar, então como gerar expectativa?
Outro fator que não conseguimos compreender na
dinâmica da auto-hipnose é o fator 'autoridade'. Como
representar uma autoridade para si mesmo?
Desse modo, é realmente ineficaz 'tentar' sugestionar a si
próprio para produzir fenômenos como na hipnose clássica.
( importante frisar que a autossugestão nos moldes de Émile
Coué ainda se apresenta como alternativa terapêutica
eficaz)

Compreendendo a dinâmica da auto-hipnose, todos esses


fatores são inseridos da forma correta no momento correto.
Os conceitos da Hipnose Clássica oferecem pistas preciosas
para a auto-hipnose porém a ESTRUTURA da Hipnose
Clássica não funciona na auto-hipnose.

Se na Hipnose Clássica transformar um fenômeno em outro


é como subir uma escada, do degrau 'A' para o degrau 'B', na
auto-hipnose é como subir uma rampa: Não existe salto de
fenômenos, e sim uma transformação gradativa. Em outras
palavras, o fenômeno 'A' se metamorfoseia no 'B'.
É preciso TRANSFORMAR GRADATIVAMENTE uma
experiência extra-cotidiana em outra, até alcançar os
fenômenos mais complexos!
INSTITUTO LAMBDA| 13
CAPÍTULO 05

FENÔMENOS
COMPLEXOS

INSTITUTO LAMBDA| 14
CAP 05 | FENÔMENOS COMPLEXOS

Basicamente na auto-hipnose só é necessário duas coisas:


perceber um fenômeno extra-cotidiano, e o transformar
gradativamente em um fenômeno mais complexo.

Eis aqui um método de produzir alucinações visuais com


auto-hipnose ( importante frisar que é imprescindível que
antes de praticar essa técnica você já esteja bom o suficiente
em: 1 - encerrar os processos. 2 - conseguir criar/perceber um
fenômeno extra-cotidiano)

Neste Método utilizo o máximo de 'canais' possíveis (visual,


cinestésico, auditivo, etc...) e foco minha atenção na relação
que funciona melhor: imaginar o som está criando mais
sensações, ou imaginar as imagens?

Método Alexandre:
1- Iniciar encerrando processos.
2- Identificar/criar um fenômeno extra-cotidiano. ex: sentir o
centro da testa pulsar
3- Transformar fenômeno 'A' gradativamente em 'B'. ex:
Conduzir a pulsação da testa até o topo da cabeça.
4- Adicionar 'expectativa' entre o fenômeno 'B' para o 'C'. ex:
Imaginar que quando a pulsação do topo da cabeça
alcançar os olhos, irei sentir um bem estar, felicidade,
arrepio(basicamente qualquer sensação simples). 

Se até aqui, tudo ocorreu muito bem, excelente! Podemos


alcançar agora fenômenos mais complexos!

Desenvolvi um método simples de produzir alucinações


visuais que consiste basicamente em fixar a atenção da
mente consciente em algum processo downtime (na
imaginação, conduzindo os fenômenos extra-cotidianos),
enquanto que os olhos capitam as informações do espaço
pela 'jurisdição' do subconsciente . 

INSTITUTO LAMBDA| 15
CAP 05 | FENÔMENOS COMPLEXOS

Por que funciona? É simples, a mente consciente só


consegue manter o foco em um objeto por vez, então tudo
aquilo que não está na jurisdição do consciente, o
subconsciente assume! Colocar a atenção do consciente em
downtime enquanto que os olhos trabalham a nível
subconsciente é a forma mais eficaz de produzir alucinações
e delírios! Logo: olhos abertos + foco da atenção na
experiencia interna = possibilidade de alucinação e delírios!
O próximo passo agora é adicionar conteúdo ao espaço
visual!

Continuando o passo a passo:

5- Projetar sensação extra-cotidiana para o campo visual. ex:


imaginar que a pulsação dos olhos se projetou como
energia, assumindo uma forma geométrica, ondulações,
fumaças, etc... (importante mencionar que nesse momento
sua atenção não deve voltar para Uptime¹, e sim estar
completamente focado no fenômeno extra-cotidiano, a
unica diferença é que o fenômeno 'saiu' do seu corpo e se
projetou no espaço visual, mas não se engane, ainda estará
em downtime mesmo de olhos abertos: seu foco de atenção
ainda é algo do mundo subjetivo)

6- Imaginar que a cada respiração profunda, as formas


projetadas assumem outras configurações. ex: Um pássaro
batendo asas, um objeto,etc...
7- Criar expectativa de que quanto mais nítida a imagem
ficar, mais forte um sentimento de felicidade toma o seu
corpo. 

Manter os olhos abertos e a atenção em downtime é um


exercício interessante. De início pode parecer complicado,
mas você irá perceber que dentro de pouco tempo estará
'encerrando os processos' já de olhos abertos, e produzindo
alucinações com uma facilidade assombrosa! 
01 - Uptime; Atenção na experiência externa, oposto de Downtime.

INSTITUTO LAMBDA| 16
CAP 05 | FENÔMENOS COMPLEXOS

Resumo do Protocolo:

01- Encerrar processos | Aumentar Potência da Atenção


02- Criar | Perceber fenômeno extra-cotidiano  
03- Transformar fenômeno 'A' em fenômeno 'B'
04- Relacionar expectativa entre a transição de fenômenos

(para produzir alucinações visuais) :

05- Colocar atenção consciente em Downtime e o campo


visual na 'jurisdição' do subconsciente!
06- Externalizar fenômeno extra-cotidiano para o campo
visual

O desenvolvimento da habilidade de gerar fenômenos


hipnóticos em si mesmo depende unica e exclusivamente
de você! É inalienável! Não permita que sua vontade e
esforço sejam menores que a resistência que suas crenças
limitantes te impõe! É responsabilidade sua transformar
todo o potencial que seu corpo e sua mente possuem, em
realidade! Aliás, transformar a realidade tem sido uma das
coisas mais fantásticas que a hipnose me proporcionou! As
vezes me pego pensando que talvez ajudar as pessoas com
hipnoterapia tenha sido a forma mais inteligente de ajudar a
mim mesmo! E tenho certeza absoluta que se um cara
normal como eu conseguiu finalmente produzir fenômenos
complexos com auto-hipnose você também pode!
Espero que os conceitos aqui apresentados tenham somado
de alguma forma na sua caminhada! Qualquer dúvida sobre
a aplicação deste Protocolo, entre em contato pelo site do
Instituto Lambda (Institutolambda.com) ou envie um email
diretamente para mim (felipe.alexandre.teatro@gmail.com).

Somos um,
Aho!

INSTITUTO LAMBDA| 17
 O CRIADOR DO PROTOCOLO

Felipe Alexandre da Mota 'Arché' é ator,


hipnólogo, artista de processos e criador da
plataforma Arqué Onírico de arte em estados
não ordinários de consciência. Desenvolve
trabalhos com Anahuasca e performance art.
Cofundador do Instituto Lambda.

@FELIPE.ARCHE

FELIPE ALEXANDRE (ARCHÉ)

FELIPE.ALEXANDRE.TEATRO@GMAIL.COM

INSTITUTO LAMBDA| 18
O INSTITUTO LAMBDA

O Instituto Lambda elabora e oferece serviços


educacionais, treinamentos, cursos e eventos
de entretenimento. Realiza pesquisas em
desenvolvimento pessoal e estados não
ordinários de consciência. Excelência em
treinamentos, hipnoterapia e
desenvolvimento pessoal.

@LAMBDAINSTITUTO

INSTITUTO LAMBDA

LAMBDAINSTITUTO@GMAIL.COM

INSTITUTO LAMBDA| 19