You are on page 1of 5

16 Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício

Periódico do Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício
www.ibpefex.co m .b r / w w w .r b p f e x . c o m .b r

GASTO CALÓRICO NAS AULAS DE BODY PUMP E POWER JUMP

Ana Paula Faccin1, Ricardo Rodrigo Rech1, Daiane Toigo Trentin1,
Eduardo Ramos da Silva1, Ivan Wilian Giazzon1, Thiago De Marchi1

RESUMO ABSTRACT

O objetivo do presente estudo foi verificar qual das Caloric Expenditure in the Body Pump Classes
aulas tem maior gasto calórico: Body Pump (BP) ou and Power Jump
Power Jump (PJ). Participaram do estudo 10 mulheres
jovens (22,7 ± 1,64 anos; 60,02 ± 6,21 kg; 162,0 ± The aim of this study was to determine which school
5,95 cm), com experiência mínima de 6 meses nas has higher caloric expenditure, if the class or Body
modalidades BP e PJ. As participantes tiveram seu Pump (BP) class Power Jump (PJ). The study included
consumo de oxigênio e freqüência cardíaca medido 10 young women (22.7 ± 1.64 years, 60.02 ± 6.21
continuamente durante toda a aula de BP e PJ e 30 kg, 162.0 ± 5.95 cm), with minimum experience of 6
minutos pós-exercício respectivamente. O gasto months in the practice of BP and PJ. The participants
calórico durante a aula, pós-exercício e a frequência had their oxygen consumption and heart rate measured
cardíaca permaneceram maior durante a aula de PJ continuously during the whole class of BP and PJ and
quando comparado com a aula de BP (PJ = 377,63 30 minutes post-exercise respectively. The energy
kcal; 30,64 kcal; 146,08 bpm. BP = 182,72 kcal; 20,97 expenditure during class, post-exercise and heart rate
kcal; 117,5 bpm). Na amostra estudada a aula de PJ remained higher during class PJ compared to the BP
teve maior gasto calórico da aula, pós-exercício e class (PJ = 377.63 kcal, 30.64 kcal, 146.08 bpm. BP =
frequência cardíaca quando comparada com a aula de 182,72 kcal, 20,97 kcal, 117.5 bpm). So the lesson
BP. of PJ had higher caloric expenditure class, and post-
exercise heart rate when compared with the class of
Palavras-chave: consumo de oxigênio, frequência cardíaca, BP.
gasto energético.
Key words: oxygen consumption, heart rate, energy
expenditure.

1- Universidade de Caxias do Sul - Caxias do Sul - RS Endereço para correspondência:
arfaccin@hotmail.com
Rua Garibaldi, 530 – Apto. 301
São Francisco
Bento Gonçalves – RS

Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. São Paulo. Vol. 5. Num. 25. Jan/Fev. 2011. p. 16-20.

(Mcardle.r b p f e x . Vol. com precisão de 0. exigindo a execução sendo divididas em três fases que seguem sempre repetitiva de um determinado exercício. 21 (último repertório musical da aula) com duração de Esta modalidade é composta por nove músicas. o gasto energético é a calorimetria indireta através A aula de BP é composta por dez músicas. (Filizola®). de oxigênio consumido e do volume de gás carbônico agachamento. onde em cada música é trabalhado um população que adere a prática de exercícios físicos. costas. metabólica de repouso. anilhas de 5kg. 2001 e Okuma. Katch e Katch. .co m . como um treinamento intervalado. Jan/Fev. que permitem uma maior segurança devido a sua Para realização da aula de PJ foi utilizado o mix superfície elástica. p. Num. colchonete uma com o seu objetivo específico. O presente estudo teve como objetivo verificar 2006). realizar a aula de BP em alta intensidade. afundo. colchonete e som. College of Sports Medicine (ACSM. Sua principal característica é o trabalho de realizar a aula de PJ em alta intensidade. realizado com barras e anilhas cardíaca.b r INTRODUÇÃO resistência muscular localizada. excess Materiais utilizados em cada aula posterxercise oxygen consumption – EPOC. de 52 minutos. um mini-trampolin (Physicus). O PJ pode ser classificado A aula de PJ é composta por nove músicas. Nascimento e com o objetivo de melhorar o seu bem-estar geral Barros. uma música de abdominais e uma música que se utiliza dos princípios do treinamento com pesos de alongamento – volta a calma. existe uma grande demanda por métodos eficazes MATERIAIS E MÉTODOS no aumento do gasto energético visando à redução ou controle do peso corporal (Foureaux. 2kg Uma das técnicas utilizadas para determinar e 1kg. ombro. Para mensurar a estatura foi utilizado um energia gasta durante o exercício físico e a recuperação estadiômetro (Invicta Plastics). pois após o término do exercício físico o consumo de oxigênio Para realização da aula de BP foi utilizado o não retorna aos valores de repouso imediatamente mix 71 (último repertório musical da aula) com duração (Mcardle. 2008). Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício 17 Periódico do Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício www. Castro e Amostra Dâmaso. A taxa metabólica de Para mensuração da troca gasosa foi utilizado repouso é definida como o gasto energético necessário um ergoespirômetro (Inbrasport modelo VO2000). 2007). bíceps. 1994 apud Guilherme e Júnior.b r / w w w .1kg e capacidade de até O gasto calórico total é dividido em: taxa 150kg. step. cujo a manutenção dos processos fisiológicos. Nascimento e utilizada uma balança antropométrica tipo plataforma Barros. alongamento – volta a calma. física como academias e centros especializados. 2004). tornando-se uma opção para a a 5 minutos. variedade de atividades oferecidas nas academias. Instrumentos ginástica aeróbica. 2011. recuperação após o exercício físico é conhecida como consumo excessivo de oxigênio. livres. 2008). Katch e Katch. totalizando uma e som.5 x peso corporal em kg)/200 do American muscular esquelética (Meirelles e Gomes. O efeito registro dos gases respiratórios foi ajustado para média térmico dos alimentos refere-se ao consumo de uma de 30 segundos de respiração. 16-20. Nesse sentido. que da análise das trocas gasosas. efeito térmico dos alimentos. Em locais onde ocorra a prática de atividade qual das aulas tem maior gasto calórico: BP ou PJ. do volume segue sempre a seguinte seqüência: aquecimento. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. duas músicas com aumento da frequência exercícios resistidos. produzido (Wahrlich e Anjos. determinado grupo muscular (Ferrari. separado por a mesma seqüência: fase um é o aquecimento. São Paulo. tríceps. (Saba. fase períodos de recuperação (Grossl e colaboradores. cada 57 minutos. duração de 50 a 55 minutos. com precisão de 1mm. O programa BP é As academias oferecem inúmeras opções composto de dez músicas que tem duração entre 4 de modalidades. 2007). na qual As sujeitas de pesquisa foram instruídas a são realizados movimentos em um mini-trampolim.ibpefex. alternadas e a fase três é composta por quatro O BP é um programa de treinamento de músicas. peitoral. 2001). ou ainda. c o m . modificado para o ambiente de treinamento As sujeitas de pesquisa foram instruídas a em grupo. 2006). 2007) a cada 10 A demanda energética durante o período de segundos. musculação até as mais recentes que funcionam sob a forma de franquia como: Body Para mensurar a massa corporal total foi Pump (BP) e Power Jump (PJ) (Ferrari. abdominal. dois é composta de quatro músicas com intensidades 2008). uma barra de ferro. 5. desde as mais tradicionais como: ginástica localizada. pode-se perceber a grande Mulheres voluntárias praticantes de BP e PJ. com um alto volume de repetições em cada exercício. O PJ é uma aula pré-coreografada. 25. promovendo a redução do impacto. ou seja. O Gasto Calórico foi refeição e a energia gasta durante o exercício físico calculado através da fórmula: diz respeito ao gasto energético necessário a atividade (MET x 3.

64 anos) com Imediatamente após o término das aulas foi experiência mínima de 6 meses de prática no BP e mensurado o gasto calórico pósexercício. onde foi analisado o consumo de oxigênio em intervalos RESULTADOS médios de 10 segundos.co m . p. 5. mensurados durante toda a aula de BP e PJ.7 ± 1. Vol. onde os PJ. Todas praticam as modalidades em uma academia participantes foram orientados a permanecerem deitados da cidade de Garibaldi-RS e foram classificadas como em decúbito dorsal. c o m . 25. Obtendo assim o consumo de oxigênio e a produção de gás carbônico através de A amostra foi composta por 10 mulheres um sistema computadorizado. Os dados do estudo foram Tabela 3 . estatura e aplicação do teste. que foram realizados no Laboratório do Movimento Humano da Universidade Aspectos Éticos de Caxias do Sul. São Paulo. os dados referentes ao gasto calórico do exercício e o gasto calórico pós-exercício foram mensurados em função do tempo. usando o freqüêncímetro Polar pesquisa foi aprovado pelo CEP/FUCS com nº. o projeto de cardíaca de repouso. jovens (média de idade de 22. Jan/Fev. Todas as avaliadas realizaram primeiramente a aula de BP e em seguida a aula de PJ. Num. do (Modelo F6) estando o sujeito deitado e imóvel. totalmente em repouso durante eutróficas segundo o índice de massa corporal (tabela 1).GC e diferença por aluna no BP e PJ Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. Em seqüência foi marcado uma nova e para a comparação das médias foi utilizado o teste t data para a mensuração da massa corporal total. Para análise do gasto calórico líquido.Características da amostra estudada recuperação (EPOC). as avaliadas tinham mais trinta minutos de recuperação para descanso e hidratação.r b p f e x . escolhida na cidade de Garibaldi para a explicação Para a análise dos dados foi utilizada estatística aos participantes do objetivo e dos procedimentos que descritiva (apresentação de frequências e percentuais) foram realizados. da de student.18 Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício Periódico do Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício www. 30 minutos a fim de avaliar a captação de oxigênio na Tabela 1 . 2011. O nível de significância adotado foi de 95%. Primeiramente foi medida a freqüência Quanto aos aspectos éticos.b r Procedimentos arquivados no programa Excel e após exportados para o programa SPSS Versão 13 onde foi realizada a Primeiramente foi feita uma visita à academia análise estatística. 16-20. aceitaram participar voluntariamente do estudo e A troca gasosa e o gasto calórico foram assinaram o termo de consentimento livre e esclarecido. .ibpefex. Em seguida era realizada a próxima aula. Após os 30 minutos do EPOC.b r / w w w . na parecer 168/09 e todos os sujeitos de pesquisa posição supina por 10 minutos.

os em minutos entre as aulas (5 a mais na de PJ). e 117. em um estudo que envolveu parece ser mais eficiente do que a aula de BP. sugerindo que mesmo com um certo nível de 441 kcal e a freqüência cardíaca foi de 135. uma vez que O presente estudo apresentou algumas existem poucos estudos que verificam o gasto calórico limitações. aulas de BP e PJ respectivamente. a aula de PJ e colaboradores (2008). O gasto calórico permaneceu mais elevado durante a aula de PJ que foi pós-exercício não apresentou diferenças significativas de 30. A aula de PJ teve uma duração aulas do presente estudo estão de acordo com os de cinco minutos a mais comparada com a aula de recomendados pelo ACSM (2007). com idade de 21. somente de mulheres. A média do GC da aula e a FC mostrou-se O gasto calórico médio pós-exercício mais elevada durante a aula de PJ. 25. talvez possa ser atribuída porém é possível que os valores do EPOC na aula de ao fato de a população avaliada ter sido composta PJ tenham sofrido influência. não havendo significância no aumento do gasto gasto de 150-400 kcal em atividade física programada calórico total da aula e freqüência cardíaca.4 bpm.72 kcal e 377. pós- frequência cardíaca média da aula do presente estudo exercício e frequência cardíaca. o aluna. do gasto calórico pós. .05). 16-20. Esta diferença (p > 0. kcal e a freqüência cardíaca média de 155. desde o gasto calórico da aula. em um estudo envolvendo 10 adultos sequência (intervalo de 1h – EPOC + repouso). gasto calórico basal. também mais elevados no pós-exercício. mesmo levando foram de 377. respectivamente. São Paulo.72 kcal basal).97 kcal. entre outros). onde o gasto Sugere-se a realização de novos estudos com Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício.6 bpm. Jan/Fev. Nos exercícios contra-resistência o diferença significativa no gasto calórico total das aulas gasto energético durante o período de recuperação de BP e PJ.7 anos. freqüência cardíaca do estudo acima citado.b r / w w w . relatam que após o exercício. objetivando a média de 1000 kcal por semana Comparar os resultados deste estudo com os para manutenção de níveis adequados de saúde. 11 mulheres. que apresentam características diferenciadas em termos do nível de atividade física e CONCLUSÃO composição corporal em relação a indivíduos homens podendo ter assim elevado o gasto calórico médio e a Com base nos resultados do presente estudo. Num. em consideração o tempo da aula. A fadiga. Primeiramente podemos citar a diferença nestas modalidades de ginástica. Além disso. Meirelles exercício e a diferença das aulas de BP e PJ por e Gomes (2004). existentes na literatura é complicado. encontrada pode ser atribuída aos maiores valores de Na tabela 3 estão presentes os valores VO2 encontrados na aula de PJ. c o m . as participantes conseguiram um maior gasto divergência dos resultados da atual pesquisa com o calórico durante a aula (manutenção da intensidade). medida que poderia apresentar o O gasto calórico médio e a frequência cardíaca gasto real das modalidades em questão (gasto total – da aula de BP do presente estudo foram de 182.4 frequência cardíaca. por dia. do gasto calórico cardíaca de 161 bpm e na aula 2 de 355.64 kcal e no BP foi de 20. Cabe estudos existentes verificam outros componentes ressaltar que dificilmente a aula de BP chegaria (consumo de oxigênio. mesmo fisiológico. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício 19 Periódico do Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício www. que sugerem um BP.ibpefex. Por sua vez Pfitzinger e Outra limitação foi a realização das aulas em Lythe (2003). não com 5 minutos a mais. 5. mas também foi maior na aula de PJ. Furtado. Sendo assim se Resultados semelhantes foram constatados por Grossl o objetivo é enfatizar o gasto calórico.05) no gasto calórico da aula e na verificaram que o gasto calórico da aula foi de 386. Vol. durante a aula e pós-exercício permaneceram mais Os valores do gasto calórico obtidos nas elevados na aula de PJ.63 kcal durante as aulas de BP e PJ de repouso por um determinado período de tempo.63 kcal e 146.b r Na tabela 2 estão presentes os valores calórico na aula 1 foi de 386 kcal e a frequência médios do gasto calórico da aula. domínio próximo do gasto calórico total da aula de PJ. ocasionando um gasto médio adicional O principal achado deste estudo foi que houve de 73 a 150 kcal.84 kcal por duas participantes diferentes nas período. Foram constatadas diferenças em aulas de Jump Fit (modalidade semelhante ao PJ) significativas (p < 0. verificaram que o gasto calórico da aula foi de de PJ. concluí-se que a aula de PJ foi mais intensa do que Na aula de PJ o gasto calórico médio e a a aula de BP.7 ressaltar que a aula com maior gasto calórico foi a anos.r b p f e x . que mantiveram-se do gasto calórico da aula. muito se reconhece que o gasto energético pode permanecer significativamente elevado durante DISCUSSÃO mais de 12 horas após o término da execução dos exercícios. lactato sanguíneo.co m . As participantes utilizaram uma média de consumo de oxigênio permanece acima dos níveis 182. O gasto calórico e frequência cardíaca tem um gasto médio adicional de 6 a 114 kcal. Também não foi mensurado o dando tanta ênfase para o gasto calórico. Simão e Lemos (2004) aulas de BP e PJ. Cabe (5 mulheres e 5 homens). outro estudo mencionado. com idade média de 32. No que se refere aos exercícios aeróbios. p. 2011.70 kcal denotando maior gasto energético durante este e 543.5 bpm respectivamente.1 kcal e 156 pós-exercício e a média da frequência cardíaca das bpm respectivamente. composição corporal.08 bpm respectivamente. O número máximo foi de 219.

durante as aulas do jump fit. Num.Wahrlich. V.Pfitzinger. 2008.. 12. Fisiologia do Exercício Energia.M. 3 .Ferrari. 2 ..P.ibpefex. Num. São Paulo.T. H.Furtado. Rev.. 17. c o m . Bras. 2. Nutrição e Desempenho Humano.. p.20 Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício Periódico do Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício www. Gomes.F.L. Rev..P.. 2006. 2. 75-84. Lythe. Treinamento de força em circuito na perda e no controle do peso corporal. Castro. p.I. frequência cardíaca e dispêndio energético. J... P. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan. Rev. 2.G.Mcardle. Num. Esporte. 10 . J. . 25. 129-136. Aspectos históricos e metodológicos da medição e estimativa da taxa metabólica basal: uma revisão de literatura. 5 . Recebido para publicação em 06/02/2010 Aceito em 28/02/2010 Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. 2004.b r / w w w . Cad.Grossl. Vol. p. Med. A. 7 .D.b r populações diferentes e acompanhamento longitudinal para mensuração do gasto calórico durante e após o exercício. Num. Vol.. 371-375.L. Saúde Pública. 10. Exerc. Silva. Rev. R. 801-817. Cin. C. W. 8 .S.M. 2. 2006. Num. p. 6. Esp. 2008. Bras. O consumo aeróbico e o gasto energético durante o body pump.. 6 . M. E. Lemos. Num. p.C.. 9 . Vol. 2. Ed. Efeitos agudos da atividade contra-resistência sobre o gasto energético: revisando o impacto das principais variáveis. Guglielmo. Jan/Fev.American College of Sports Medicine. T. 4 . P. K. T. Determinação da intensidade da aula de power jump por meio da freqüência cardíaca. 10. Análise do consumo de oxigênio. 2004. Bras.J.Guilherme. REFERÊNCIAS 1 . 122-130. Med. Simão. Vol.r b p f e x .F. 2. 5. L. Rev. 3. Vol. Esporte. Sports. 16-20. 2011. Dâmaso.. Sci. Appropriate intervention strategies for weight loss and prevention of weight regain for adults.Foureaux. 2001.S. 10. Humano. Num. Vol. Vol.. Katch. p. p... Revista Conexões. 4. 393-398. J.S. Bras. Nascimento. 31-46. 6ª ed. Vol.. L. p.. Anjos. Barros. Katch. 2007.. Med. Med.A. Vol.co m .M. 4.A. Fís. Num. Bras. G. Efeito do consumo excessivo de oxigênio após exercício e da taxa metabólica de repouso no gasto energético. Lazer e Dança. 2003. p. Júnior.G. F. L. 2007. V. Respostas cardiovasculares durante aulas de body step e body pump. Journal Fitness & Performance. Num. Carminatti. Esporte. A. Des. W.Meirelles. 5. 113-121.