You are on page 1of 1

O debate

NOSSA Bússola continua no blog

Ricardo Neves de Ricardo Neves


www.epoca.com.br

Ricardo Neves
é consultor
Reunião de diretoria num
de inovação e
estratégia e escreve
quinzenalmente
em ÉPOCA. É
mundo de cabeça para baixo
R
autor do livro Novo eunião anual do conselho de uma Em primeiro lugar, boa parte dos
Mundo Digital, multinacional com negócios em mais de 150 empregos ligados à produção indus-
volume I da trilogia trial nos EUA e na Europa deverá ser
países. O vice-presidente (VP) de finanças acabou
Renascença Digital. redistribuída para os países emergentes.
www.ricardoneves.
de fazer uma apresentação mostrando o faturamento Terão preferência países com melhor
com.br. Acesse anual da empresa. Ele demonstrou que o crescimento médio infra-estrutura e com mão-de-obra
www.epoca.com.br/ nos 31 países desenvolvidos, ou plenamente industrializados, mais qualificada. Centros de pesquisa
ricardoneves como prefere chamar o Fundo Monetário Internacional, e desenvolvimento deverão ser levados
e mande seu e-mail cresceu pouco mais de 2% em relação ao ano passado. para grandes cidades – sejam essas de
países desenvolvidos ou emergentes
No entanto, nos demais países, que costumamos – que oferecem, sobretudo, qualidade de vida e onde
chamar de subdesenvolvidos, o crescimento anual gravitam os profissionais dessas áreas. Os serviços de
foi de quase 9%. escritórios deverão funcionar 24 horas, sete dias por se-
Foi seguido pelo VP de marketing, que mostrou os mana. Para a contratação das equipes de vendas não há
planos para os anos à frente. Até então, o mercado mais necessidade de exigir residência em determinado
prioritário para a empresa mirava em especial Esta- local. Basta disponibilidade para viagens e familiarida-
dos Unidos, Japão, Alemanha, Reino Unido, França, de com ferramentas digitais de telecomunicações.
Itália, Espanha, Canadá, Austrália e Holanda. O VP de O VP de recursos humanos é o seguinte na fila de
marketing diz que o mundo mudou tremendamente apresentações. Ele mostra que o grande desafio será
nesta primeira década e que é hora de mudar a estra- transformar a empresa num organismo de trabalho
tégia. A empresa deverá concentrar seus maiores es- colaborativo global. Essa mudança de cultura corpo-
forços em negócios nos dez mais promissores merca- rativa, além de estimular as pessoas a ser mais criativas,
dos emergentes: China, Índia, tem a vantagem de permitir
Brasil, Rússia, México, Coréia acabar com vários níveis mé-
do Sul, Indonésia, Turquia, dios de gerência. Essa nova cul-
África do Sul e Tailândia. Dez países representam tura de colaboração envolverá
Esses países, continua o VP 70% da população e cada vez mais os empregados
de marketing, abrigam mais e fornecedores mundo afora,
da metade da humanidade, 80% da economia do mundo independentemente do local
que representa quase 70% da em desenvolvimento geográfico de residência.
população e 80% da economia O presidente finalizou: “É
dos países em desenvolvimento. Têm uma condição paradoxal adotarmos uma configuração e uma estra-
estratégica e continuarão a crescer aceleradamen- tégia multipolar, no mesmo ano em que Hollywood
te. Vão exigir mais conhecimento e criatividade das traz de volta Rambo, Indiana Jones, Homem de Ferro,
equipes de desenvolvimento. Produtos e soluções que o incrível Hulk e outros super-heróis. O cinema é en-
têm sido campeões nos países desenvolvidos não são tretenimento e fantasia. A vida real é outra coisa. Se
necessariamente os candidatos a vencer a batalha dos dependermos de super-heróis, vamos nos tornar uma
mercados emergentes. A humanidade globalizada das corporação decadente ou irrelevante. Não há mais dú-
décadas à frente vai funcionar dentro de uma lógica vida de que a economia americana vai deixando de ser
geopolítica e de mercado multipolar. a locomotiva que puxava todo o restante do planeta.
O VP de operações segue expondo as providências Como dizia Henri Laborit (1914-1995), pesquisador
que serão tomadas para viabilizar a nova configuração francês em psicologia evolutiva: ‘O progresso não virá
multipolar que a empresa deverá adotar. Anuncia que do Oeste, nem do Leste, nem do Terceiro Mundo, mas
ela deixará de ter uma sede global em Nova York, que da planetarização da humanidade’. O mundo será mul-
comanda e gere de forma centralizada as operações no tipolar e colaborativo, e também assim deverão ser as
resto do mundo. Vai se transformar numa rede de nós organizações que pretendem atrair, nutrir e reter os
espalhados por todo o planeta. melhores talentos. Muito obrigado.” u

112 > revista época , 16 de junho de 2008

EP526p112.indd 112 13/6/2008 14:33:30