You are on page 1of 37

UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA DA REGIÃO DE CHAPECÓ

ÁREA DE CIÊNCIAS EXATAS E AMBIENTAIS
CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

PISOS DE CONCRETO ARMADO, ADITIVOS E
REVESTIMENTOS

Alex Balestrini
Ana Lidia DallAgnol
Jeniffer L. Sartori

Chapecó - SC
2013

MATERIAIS BÁSICOS

 CIMENTO: Existem 5 tipos de cimento e 3 tipos de classes
dependendo da resistência à compressão. Cimento com adições
possuem como ponto negativo os elevados pontos de pega, e como
ponto positivo são resistentes aos ataques químicos.

 AGREGADOS: Compõem 70% da composição do concreto, eles
podem ser graúdos ou miúdos. O agregado miúdo afeta a
trabalhabilidade do concreto e o graúdo afeta as propriedades do
concreto endurecido. Proporcionam aumento da capacidade
estrutural e do módulo de elasticidade do concreto, redução de
custos.

ARMADURAS: São telas soldadas pré-fabricadas em formato
quadrado ou retangular fornecidas em painéis ou em rolos.

vidro e carbono. gerando um material de alta ductibilidade e boa capacidade de distribuir os esforços. elas já estão sendo muito utilizadas e podem ser de diversos materiais como: poliéster. aço. FIBRAS: Servem para melhorar as características técnicas dos materiais. polipropileno. devido seu alto módulo de deformação. . A adição de fibras ao concreto substituem a armadura. nylon. sintética. reduzindo os índices de fissuração dos pavimentos. resiste aos esforços de tração.

Alguns tipos de fibras: .

entre outros.Simplificação do processo de concretagem. argamassas. . áreas de piscinas. pisos industriais.Quando utilização de alguns tipos de fibras.Eliminação da etapa de colocação de armadura.Espaço de canteiro de obra e otimização dos espaços de estocagem dos materiais. Elas são utilizadas em pavimentos rígidos.25% do volume do concreto. Porém deve-se observar a distribuição homogênea das fibras nas placas de concreto. Vantagens: . projetados. ocorre menos riscos de patologias causadas por corrosão. tanques e reservatórios.As fibras representam 0. elas são de materiais de alta resistência e são misturadas ao concreto minutos antes da execução do piso. . . . pré-moldados.

.

Pré-moldados: possuem forma definida e são fixados as juntas por meio de adesivos. Eles podem ser pré-moldados ou moldados no local ( vazados a quente ou moldados a frio).Materiais de preenchimento de juntas: são resistentes ao atrito. . São feitas de resina epóxi ou poli- uréias.Selantes: são pouco resistentes ao atrito e possuem objetivo fazer a vedação das juntas dos pavimentos. mas devem ser usadas em áreas limpas. Os moldados a frio são a base epóxi. poliuretano. silicone. . Moldado no local: os a quente possuem baixo custo e são a base de asfalto e alcatrão ou misturas de borracha moída. Os mais usados são de borracha sintética como neopreme. SELANTES E MATERIAIS DE PREENCHIMENTO DE JUNTAS: . polímero apropriado.

A execução do piso começa pelo desenvolvimento de um projeto especifico. pisos industriais são definidos como sendo elementos que estão continuamente apoiados e que são dimensionados para suportar cargas diferenciais quanto à intensidade e forma de atuação. onde vai ser considerado vários fatores . Tipos de Pisos Segundo Rodrigo Resende de Sá (2009).

Desta forma os pisos podem ser classificados das seguintes formas: De acordo com o reforço estrutural: Piso com armadura distribuída. Piso estruturalmente armado. Piso protendido . Piso com fibras. Tipos de Pisos Para cada situação de carregamento é imposto um tipo de piso estrutural.

base – Drenante  Isolamento entre a sub-base e a camada de concreto FORMAS · Possuir linearidade superior a 3 mm em 5 m. Ser estruturada para suportar os equipamentos de adensamento. EXECUÇÃO DO PISO EM CONCRETO ARMADO  Regularização do locar  Nivelar  Compactação  Sub. Ser rígida o suficiente para suportar as pressões laterais produzidas pelo concreto. ·. como réguas vibratórias. .

distanciadores soldados. Os furos feitos para a colocação das barras de transferência devem ter diâmetro que permita a remoção da fôrma com facilidade. treliças. cuja tolerância de colocação é de ±25mm no plano horizontal e ±12. 4 ou 5 por m² .Deve ser leve para permitir o manuseio sem o emprego de equipamentos pesados e prática para que a montagem seja rápida e simples. Armadura inferior: distanciadores de plástico.5mm no vertical Posicionamento das Armaduras Armadura superior: Utilização de caranguejos.

Vídeo: Sistema Metálico para Concreto .

Barra de Transferência  Utilização na execução das juntas  Feitas de aço CA 25  Possuem bitolas de 10 a 32 mm  Comprimento padrão de 50 cm Amaradas em treliças. espaçadores Posicionada no meio da separação entre as placas de concretagem Distanciadas a cada 30 cm Metade da barra deve ser engraxada .

.

que espalha. . adensa. As juntas são serradas posteriormente.CONCRETAGEM DO PISO: Em xadrez: o piso é concretado em forma de tabuleiro de xadrez como mostra as etapas: Em placas: é realizada a concretagem com o equipamento Laser Screed. controla o nivelamento e realiza parte do acabamento superficial.

.Em faixas: é o processo de concretagem mais utilizado e recomendado nos dias atuais. fazendo com que haja continuidade nas juntas longitudinais e que os mecanismos de transferência de carga nas juntas possam ocorer por intertravamento dos agregados. O piso é concretado em faixas alternadas que depois serão cortadas.

com .  Devem ser acabados antes do início da pega.  A altura de lançamento não deve ser maior a 2m.  Pode ser lançado diretamente do caminhão betoneira dando agilidade ao serviço.  O uso de bombas do tipo lança proporciona maior versatilidade e capacidade de lançamento.blogspot. Fonte: pavrio. Lançamento do Concreto  O lançamento deve ocorrer de forma contínua.

 Nas laterais próximos as formas são recomendáveis o uso de vibradores de imersão associados às réguas vibratórias. . Adensamento  O adensamento deve ser feito com régua vibratória.

Vídeo: Laser Screed . O equipamento executa concretagens com espessura a partir de 4 cm.Equipamento Laser Screed A Laser Screed é uma régua vibratória para execução de pisos e pavimentos rígidos de concreto com capacidade de produção de cerca de 2 mil m²/dia.

quer pelo aspecto técnico. ou pela visibilidade. A maioria dos equipamentos são simples e de baixo custo. Acabamento Superficial O acabamento é feito com equipamentos mecânico ou manual. os mais conhecidos são o rodo de corte e desempenadeira metálica ou de madeira. . O acabamento do piso requer mão-de-obra qualificada e uso de materiais de qualidade para proporcionar maior qualidade do piso.

Vídeo : Régua Vibratória . A ferramenta utilizada é o “rodo de corte”. este constituído por uma régua de alumínio ou magnésio fixada a um cabo que possibilita a mudança de ângulo.Primeira etapa: regularizar o concreto A regularização do piso é feita para ter um bom desempenho de planicidade.

Desempenho mecânico do concreto Tem a função de compactar a superfície. . assim puxando a argamassa para cima e os agregados grosso submersos na argamassa. Para execução desse mecanismo é utilizado equipamentos chamados de desempenadeira mecânicas com discos acoplados.

sendo alternada nas operações seguintes. Alisamento Superficial O alisamento final é feito com a desempenadeira mecânica só que com lâminas mais finas. proporcionando o desempenho fino do concreto. a primeira passada deve ser no mesmo sentido que o desempenho e a segunda transversal a esta. Vídeo : Acabamento de Piso .

vento e umidade do ar. Cura do Concreto A cura é de grande importância. pois se não tiver sido feito de maneira adequada pode ocorrer imperfeições na superfície. Cura complementar ou cura úmida: a cura úmida está relacionada aos fatores climáticos como calor. de maneira indireta aplicando liquido retardador de evaporação. Cura inicial: deve ser feita logo após as operações do adensamento. .

As juntas podem ser classificadas em três tipos. Juntas de dilatação As juntas permitem o movimento de retração e compressão entre as placas sem a ocorrência de fissuras. Nos pisos industriais os detalhes construtivos das juntas ainda apresentam elementos capazes de redistribuir os esforços entre as placas. .

Juntas de Construção .

Junta Serradas .

Vídeo: Cortadora de Piso. . realização de junta.

Juntas de encontro .

redução da retração. ADITIVOS: São adições do concreto durante o preparo do mesmo com função de melhorar as propriedades do material. As propriedades são: aumento da trabalhabilidade ou plasticidade do concreto. acelerar ou retardar o tempo de pega. . reduzir o consumo de cimento. Para sua utilização no concreto e obtenção de um melhor resultado deve haver uma compatibilidade entre os aditivos e os componentes do concreto. aumento da durabilidade entre outras.

• Superplastificantes. • Impermeabilizantes. . • Aceleradores. Os aditivos podem ser: • Retardadores. • Expansores. • Plastificantes. • Incorporadores de ar.

.

tem o objetivo de aumentar a vida útil e diminuir o custo com manutenção. Embora existam vários tipos de composição as principais bases químicas que constituem o revestimento são poliméricas e cimentícias. Revestimentos para pisos de concreto Revestimentos são camadas finas usados em casos específicos nos pisos como elemento de reforço e proteção.1mm á 6mm dependendo das características finais a ser obtidas. . As poliméricas podem variar sua espessura de 0. Já as cimentícias têm espessura variável de 2mm á 150mm.

Os sistemas de aplicação. Pintura: constituído como pintura de alta ou baixa espessura. Argamassado/ Espatulado: constitui por uma argamassa polimérica com grande quantidade de carga mineral . Autonivelantes: constituído por uma polimérica com uma pequena quantidade de carga mineral e de consistência fluida. são classificados como pintura. autonivelantes. multicamadas ou argamassados / espatulados. Multicamadas: constituído por uma matriz polimérica com posterior incorporação de carga mineral cuja a aplicação é feita em camadas subsequentes.

e revestimentos usados de maneira correta dão mais resistência durabilidade e características ao piso. CONCLUSÃO A construção de pisos de concreto é uma opção cada vez mais utilizada. Os aditivos. o piso tem uma longa vida útil. Independente da utilização final cada piso vai ter cuidados especiais e manutenções atendendo as orientações do fabricante e da norma NBR 6118. Se a execução do piso de concreto armado for feita de maneira correta e usado o revestimento adequado para a utilização do mesmo. .

Revista Pisos Industriais 4° Ed. F.abesc. A. Cairo Frascino. REVESTIMENTOS de Pisos. São Paulo. Disponível em: <http://www. SP 2003. 1998.com. Disponível em: < http://www.org. Pisos Industriais De Concreto Armado. Públio Pena Firme.br/assets/files/ pricipios-basicos. 2007 FREITAS JR.br> Acessado dia 08 de março de 2013. RODRIGUES. CASSARO.pdf > Acessado dia 15 de março de 2013 ABESC.pdf > Acessado dia 15 de março de 2013 CHODOUNSKY. Reggenza.abesc. Manual do concreto Dosado em Central. A. REFERENCIAS ABESC. Paulo S.polipiso. . 2006.org. Pisos Industriais de Concreto: Aspectos Teóricos e Executivos. OLIVEIRA. F. Principais tipos de RAD para pisos. br/pdf/manual. M. Públio Pena Firme et al. São Paulo: Pini.. Disponivel em : <http://www. Manual Gerdau De Pisos Industrais. RODRIGUES. 2012. Aditivos para concreto. Aditivos para Concreto. UFPR. VIECILI. José de Almendra.