You are on page 1of 10

INSTITUTO POLITÉCNICO DE LEIRIA

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA INFORMÁTICA

Ficha 1
Introdução ao LabView:
- para que serve o LabVIEW
- o que é um VI (Virtual Instrument)
Objectivos - diagrama de Blocos e Painel Frontal de VI
- caixa de ferramentas
- caixa de funções
Exercícios de Aplicação

1. Introdução ao LabVIEW
 LabVIEW constitui uma ferramenta computacional que permite construir
programas direccionados para a aquisição, geração e tratamento de dados
provenientes de placas de aquisição de dados

 Os programas do LabVIEW chamam-se VI (Virtual Instruments) –


Instrumentos Virtuais

 Os VI’s têm três componentes principais:


- painel frontal
- diagrama de blocos
- ícone/conector

 Painel Frontal
- Interface para o utilizador fixar os parâmetros de entrada e
visualizar os valores de saída do diagrama de blocos
- O painel frontal é análogo ao painel de um instrumento de
medida real
- As entradas de dados denominam-se controlos (Controls) e as
saídas indicadores (Indicators)
- Existe uma grande variedade de controlos e indicadores tais
como botões, gráficos, switches, etc…
- Na figura 1 está representado um painel frontal

DEI-ESTG 2002/2003 Pág. 1


Figura 1 – Painel frontal

 Diagrama de Blocos
- Associado ao painel frontal está o diagrama de blocos, que é o
local onde se faz a programação do VI
- É construído utilizando a programação gráfica (linguagem G)
- Corresponde ao código fonte
- Alguns componentes incluem funções aritméticas, ciclos for,
estruturas case e outras ...
- Os componentes estão ligados entre si por meio de “fios” de modo
a definir o fluxo de dados dentro do diagrama de blocos
- Na figura 2 está representado o diagrama de blocos do painel
frontal que está ilustrado na figura 1

DEI-ESTG 2002/2003 Pág. 2


Figura 2 – Diagrama de blocos

 Ícone/Conector
- Permite tornar um VI num objecto (SubVI), o qual poderá ser
utilizado como uma “subrotina” num diagrama de blocos de outro
VI
- O ícone representa graficamente o VI num diagrama de blocos de
outro VI
- Os terminais do conector permitem identificar o local de
entrada/saída de informação do ícone. É nestes terminais que se
ligam os fios
- Os terminais correspondem aos indicadores e controlos do painel
frontal do VI
- Na figura 3 está representado um ícone

Figura 3 – Ícone

2. Ferramentas

DEI-ESTG 2002/2003 Pág. 3


 O LabVIEW possui um conjunto de caixas de ferramentas que ajudam
bastante o utilizador na tarefa de construir, programar e testar os VI’s

 Barra de Ferramentas do Painel Frontal


- Permite controlar os VI’s

Figura 4 – Barra de ferramentas do painel frontal

- Da esquerda para a direita, o significado de cada um destes


botões é o seguinte:
 Executar
 Executar continuamente
 Parar
 Pausa
 Tipo de fonte
 Alinhamento de objectos
 Distribuição de objectos
 Reordenação

 Barra de Ferramentas do Diagrama de Blocos


- Permite controlar os VI’s (ver figura 5)

Figura 5 – Barra de ferramentas do diagrama de blocos

- Da esquerda para a direita, o significado de cada um destes


botões é o seguinte:
 Executar
 Executar continuamente
 Parar
 Pausa
 Executar em modo debug
 Step Over
 Step Into
 Step Out
 Tipo de Fonte
 Alinhamento de objectos
 Distribuição de objectos
 Reordenação

 Caixa de Ferramentas
- Permite criar, modificar e testar os VI’s (Windows+Show Tools
Palette)

DEI-ESTG 2002/2003 Pág. 4


Figura 6 – Caixa de ferramentas

- Da esquerda para a direita e de cima para baixo, o significado de


cada um destes botões é o seguinte:
 Ferramenta de Operação. Permite manipular os
controlos e os indicadores do painel frontal.
 Ferramenta de Posicionamento. Permite seleccionar,
mover ou mudar o tamanho de objectos.
 Ferramenta de Etiquetagem. Permite a introdução de
texto.
 Ferramenta de Ligação de Objectos.
 Ferramenta de Menu pop-up.
 Ferramenta de Scrolling.
 Ferramenta de Ponto de Quebra. Permite estabelecer
pontos de quebra na execução de VI’s.
 Ferramenta de Ponta da Prova. Permite criar pontas
de prova nos fios do diagrama de blocos
 Ferramenta de Cópia de Cor
 Ferramenta de Aplicação de Cor

 Caixa de Controlos
- Contém indicadores e controlos que podem ser utilizados no
painel frontal (Windows+Show Controls Palette)

Figura 7 – Caixa de controlos

- Significado de alguns destes botões:

DEI-ESTG 2002/2003 Pág. 5


 Sub caixa Numérica. Contém controlos e indicadores
para dados numéricos
 Sub caixa Boolena. Contém controlos e indicadores
para valores booleanos
 Sub caixa String & Table. Contém controlos e
indicadores para strings e tabelas
 Sub caixa Array & Cluster. Contém controlos e
indicadores que permitem o agrupamento de conjuntos
de dados
 Sub caixa List & Ring. Contém controlos e indicadores
que permitem visualização e/ou selecção a partir de
uma lista de opções
 Sub caixa Graph. Contém indicadores que permitem a
visualização de dados numéricos em formato gráfico
(graphs e charts)
 Sub caixa Path & Refnum. Contém controlos e
indicadores que permitem a entrada e visualização de
“caminhos” para operações sobre ficheiros e a passagem
de parâmetros de um VI para outro
 Sub caixa Activex
 Sub caixa Dialog
 Sub caixa Decorations. Contém objectos gráficos que
permitem a personalização dos painéis frontais
 Sub caixa User Controls
 Sub caixa Select a Control. Permite a selecção de
controlos personalizados

 Caixa de Funções
- Contém todos os objectos gráficos que podem ser utilizados no
diagrama de blocos (Windows+Show Functions Palette)

Figura 8 – Caixa de funções

- Significado de alguns destes botões:

DEI-ESTG 2002/2003 Pág. 6


 Sub caixa Estruturas. Contém estruturas de controlo
de programas (ciclos)
 Sub caixa Numerica. Contém funções que permitem
realizar operações aritméticas
 Sub caixa Booleana. Contém funções que permitem
realizar operações lógicas
 Sub caixa String. Contém funções que permitem
manipular conjuntos de caracteres
 Sub caixa Array. Contém funções que permitem
processar arrays
 Sub caixa Cluster. Contém funções que permitem
processar clusters
 Sub caixa Comparação. Contém funções que permitem
comparar números e caracteres
 Sub caixa Tempo e Caixa de Diálogo. Contém funções
que permitem a manipulação do tempo e a visualização
de caixas de diálogo
 Sub caixa Ficheiros E/S. Contém funções que
permitem a manipulação de ficheiros
 Sub caixa Instrument I/O. Contém funções que
permitem a comunicação com instrumentos usando o
GPIB, VISA e a comunicação série
 Sub caixa Biblioteca de Drivers de Instrumentos.
Contém um conjunto de VI’s para instrumentos GPIB,
VISA
 Sub caixa Aquisição de Dados. Contém funções que
permitem a aquisição e a geração em tempo real de
dados analógicos e digitais
 Sub caixa Processamento de Sinal
 Sub caixa Matemática. Contém funções que permitem
a manipulação de fórmulas matemáticas
 Sub caixa Gráficos e Som. Contém funções que
permitem a visualização de imagens complexas
 Sub caixa Comunicação. Contém VI’s para TCP/IP,
UDP, DDE
 Sub caixa Controlo da Aplicação. Contém funções de
ajuda e de menu
 Sub caixa Funções Avançadas
 Sub caixa Geração de Relatórios
 Sub caixa Tutorial
 Sub caixa Bibliotecas do Utilizador
 Sub caixa Seleccionar um VI

DEI-ESTG 2002/2003 Pág. 7


Aquisição de Dados por Computador Aulas Práticas

Exercício 1
Testar o exemplo Bouncing cube.vi. Este VI simula os movimentos de
rotação e translação de um cubo 3D . O VI permite controlar a rotação em
torno dos planos de x, y e z; a altura do salto; a profundidade do salto do cubo;
e a perspectiva.
1. Abra o LabVIEW
2. Seleccione sequencialmente as opções: menu Help > Search Examples… >
Fundamentals > Graphs and Charts > Graph Examples > Bouncing Cube
3. Corra o VI carregando no botão executar.
4. Utilizando a Ferramenta de Operação pode alterar os parâmetros de
funcionamento do Bouncing cube.vi.

Figura 9
D is p la y

About X About Y About Z

P o s it iv e

N e u t ra l

N e g a t iv e

H e ig h t T ra n s la t io n D e p th P e rs p e c tiv e

M ax

M in

STOP

Exercício 2
Criar um programa no LabVIEW que faça a soma e a subtração de dois valores
introduzidos pelo utilizador.
O programa deve apresentar os seguintes painel de controlo e diagrama de
blocos:

DEI-ESTG 2002/2003 Pág. 8


Aquisição de Dados por Computador Aulas Práticas

X X +Y

4 ,0 0 2 0 ,0 0 X +Y

Y X -Y
X -Y
5 ,0 0 -1 ,0 0

Figura 10

Exercício 3

Construir um VI que compare dois números. Neste VI deverá acender-se um LED no


caso de os números serem iguais.
O exercício apresenta o seguinte painel frontal
N ú m e ro 1 N ú m e ro 1

1 ,0 0

I g u a is
Ig u a is

N ú m e ro 2 N ú m e ro 2

1 ,0 0

Figura 11 Figura 12

Exercício 4

1. Abra o LabVIEW
2. Seleccione sequencialmente as opções: menu Help > Search Examples… >
Demonstrations > Instrument I/O > “Frequency Response”
3. Corra o VI carregando no botão executar.
4. Utilizando a Ferramenta de Operação pode manipular os valores das variáveis
controlos.

Exercício 5

1. Abra o LabVIEW
2. Seleccione sequencialmente as opções: menu Help > Search Examples… >
Demonstrations > Instrument I/O > “Two-Channel Oscilloscope”
3. Corra o VI carregando no botão executar.

DEI-ESTG 2002/2003 Pág. 9


Aquisição de Dados por Computador Aulas Práticas
4. Utilizando a Ferramenta de Operação pode manipular os valores das variáveis
controlos.

Exercício 6

1. Abra o LabVIEW
2. Seleccione sequencialmente as opções: menu Help > Search Examples… >
Demonstrations > Process control > “Tank Simulation”
3. Corra o VI carregando no botão executar.
4. Utilizando a Ferramenta de Operação pode manipular os valores das variáveis
controlos.

Exercício 7

1. Abra o LabVIEW
2. Seleccione sequencialmente as opções: menu Help > Search Examples… >
Avanced > Sound Control > “Acquire Sound Data and Calculate Power Spectrum”
3. Utilize um microfone e corra o VI carregando no botão executar.
4. Grave o ficheiro com outro nome.
5. Faça as alterações necessárias para que o VI possa acender um indicador visual
(LED) quando a potência do sinal áudio for superior a um determinado nível
fixado pelo utilizador. Nota: deverá utilizar o componente “Add Array elements”
para avaliar a potência total do sinal áudio adquirido.
Solução:

DEI-ESTG 2002/2003 Pág. 10