You are on page 1of 30

FACULDADE MAURÍCIO DE NASSAU – NATAL- RN

FACULDADE MAURÍCIO
DEPARTAMENTO DE NASSAU –ELÉTRICA
DE ENGENHARIA NATAL- RN
GRADUAÇÃO EMLINHAS
DISCIPLINA DE ENGENHARIA ELÉTRICA
DE TRANSMISSÃO E
DISTRIBUIÇÃO
DISCIPLINA DE ENERGIA
DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS

TÓPICOS:
1. PRINCIPAIS GRANDEZAS ELÉTRICAS:
• CORRENTE ELÉTRICA.
• TENSÃO ELÉTRICA
• RESISTÊNCIA ELÉTRICA
• POTÊNCIA ELÉTRICA

NATAL/RN, FEVEREIRO DE 2017


SENTIDO DA CORRENTE ELÉTRICA
Nos condutores sólidos, o sentido da corrente elétrica
corresponde ao sentido do movimento dos elétrons, pois
são eles que se deslocam. Ou seja, a corrente é do
potencial menor (pólo negativo) para o potencial maior
(pólo positivo). Esse é o sentido real da corrente elétrica.

Real
SENTIDO
No estudo da corrente elétrica, entretanto, adota-se um
sentido convencional, que é o do deslocamento das cargas
positivas, ou seja, do potencial maior para o menor.
Assim sempre que for citado o sentido da corrente
estaremos nos referindo ao sentido convencional, e não ao
sentido real.

Convencional
Natureza
Quanto a natureza, a corrente elétrica pode ser
classificada em: Eletrônica e iônica.
Corrente eletrônica: É aquela constituída pelo
deslocamento dos elétrons livres. Ocorre
principalmente em condutores metálicos.
Corrente iônica: É aquela constituída pelo
deslocamento dos íons positivos e negativos,
movendo-se simultaneamente em sentidos
opostos. Ocorre nas soluções eletrolíticas:
Soluções de ácidos, sais ou bases, e nos gases
ionizados: Lâmpadas fluorescentes.
MOVIMENTO DESORDENADO DOS
ELÉTRONS.

QUANTIDADE DE CARGAS DE UM CORPO

Q  n.e
n é o número de prótons ou elétrons
CORRENTE ELÉTRICA
A corrente elétrica é um movimento ordenado de cargas elementares.
A corrente elétrica pode ser um simples jato de partículas no vácuo,
como acontece num cinescópio de TV, em que um feixe de elétrons é
lançado contra a tela. No entanto, na maioria dos casos, a corrente
elétrica não ocorre no vácuo, mas sim no interior de um condutor. Por
exemplo, aplicando uma diferença de potencial num fio metálico,
surge nele uma corrente elétrica formada pelo movimento ordenado
de elétrons.
Não se pode dizer que todo movimento de cargas elétricas seja uma
corrente elétrica. No fio metálico, por exemplo, mesmo antes de
aplicarmos a diferença de potencial, já existe movimento de cargas
elétricas. Todos os elétrons livres estão em movimento, devido à
agitação térmica. No entanto, o movimento é caótico e não há
corrente elétrica.
Quando aplicamos a diferença de potencial, esse
movimento caótico continua a existir, mas a ele se
sobrepõe um movimento ordenado, de tal forma
que, em média, os elétrons livres do fio passam a se
deslocar ao longo deste. É assim que se forma a
corrente elétrica.
O símbolo convencional para representar a
intensidade de corrente elétrica (ou seja, a
quantidade de carga Q que flui por unidade de
tempo t) Q
i
t
A unidade padrão no SI para medida de intensidade
de corrente é o ampère. A corrente elétrica é
também chamada informalmente de amperagem.
Tipos
Considera-se dois tipos de corrente elétrica:
Corrente elétrica continua(CC);
Corrente elétrica alternada(CA);
TIPOS
Corrente continua

É aquela cuja intensidade e cujo sentido se mantém


constantes ao longo do tempo como exemplos temos as
correntes estabelecidas por uma bateria de automóvel e por
uma pilha.

Corrente alternada

É aquela cuja intensidade e cujo sentido variam


periodicamente. É o caso das correntes existentes nas casas e
fornecidas pela usinas hidrelétricas.
RESISTOR
Resistor é todo dispositivo elétrico que transforma exclusivamente energia
elétrica em energia térmica.

SÍMBOLO

Alguns dispositivos elétricos classificados como resistores: ferro


elétrico, chuveiro, lâmpada incandescente etc.
• A figura mostra o aspecto físico de alguns tipos de
resistores fixos e variáveis
1ª LEI DE OHM
Em condutor que está sendo percorrido por uma corrente
elétrica, os elétrons ao longo do seu percurso pelo
condutor, sofrem uma oposição à sua passagem.
A medida desta oposição é dada por uma grandeza
chamada de resistência elétrica ( R ).

Resistor ôhmico Mantendo-se constante a temperatura do


resistor, sua resistência elétrica
permanecera constante.

U
R
i
Unidade: Volt/Ampere(ohm,Ω)
2ª LEI DE OHM
Resistividade elétrica é uma medida da oposição de um material ao
fluxo de corrente elétrica. Quanto mais baixa for a resistividade

mais facilmente o material permite a passagem de uma carga
elétrica. (rô) A unidade SI da resistividade do material é o
ohm.metro (Ωm).

.L
L

R
A
Dependência da temperatura
A
Uma vez que é dependente da temperatura a resistência específica
geralmente é apresentada para temperatura de 20 ºC. No caso dos
metais aumenta à medida que aumenta a temperatura enquanto
que nos semicondutores diminui à medida que a temperatura
aumenta.Conforme o valor da sua resistividade um material pode
ser considerado condutor ou isolante.
TABELA
TENSÃO ELÉTRICA
Tensão elétrica é a diferença de potencial elétrico entre dois
pontos. Sua unidade de medida é o Volt, em homenagem ao físico
italiano Alessandro Volta. Por outras palavras, a tensão elétrica é a
"força" responsável pela movimentação de elétrons. O potencial
elétrico mede a força que uma carga elétrica experimenta no seio
de um campo elétrico, expressa pela lei de Coulomb, portanto a
tensão é a tendência que uma carga tem de ir de um ponto para o
outro. Normalmente toma-se um ponto que se considera de tensão
zero e mede-se a tensão do resto dos pontos relativos a este. Para
facilitar o entendimento da tensão elétrica pode-se fazer um
paralelo desta com a pressão hidráulica. Quanto maior a diferença
de pressão hidráulica entre dois pontos, maior será o fluxo, caso
haja comunicação entre estes dois pontos.
O fluxo (que em eletrodinâmica seria a corrente elétrica) será assim um
função da pressão hidráulica (tensão elétrica) e da oposição à passagem d
fluido (resistência elétrica). Este é o fundamento da lei de Ohm, para
corrente contínua:
Onde: U = R.I

* R = Resistência (Ohms)
* I = Intensidade da corrente (Ampères)
* U = Diferença de potencial ou tensão (Volts)

Em corrente alternada, substitui-se a resistência pela impedância:

Onde: U = Z.I

* Z = Impedância (Ohms)
POTÊNCIA ELÉTRICA
Muitas vezes, na propaganda de certos produtos de
eletrônicos, destaca-se a sua potência. Podemos citar
como exemplos os aparelhos de som, os chuveiros e as
fontes dos microcomputadores.
Sabemos que esses aparelhos necessitam de energia
elétrica para funcionar. Ao receberem essa energia elétrica,
eles a transformam em outra forma de energia. No caso do
chuveiro, por exemplo, a energia elétrica é transformada em
energia térmica.
Quanto mais energia for transformada em um menor
intervalo de tempo, maior será a potência do aparelho.
Portanto, podemos concluir que potência elétrica é uma
grandeza que mede a rapidez com que a energia elétrica é
transformada em outra forma de energia.
Potência elétrica dissipada
Quando utilizamos algum aparelho que funciona à base de
transformação de energia, podemos observar que ele esquenta
durante o seu funcionamento. Isso não é diferente quando
estamos lidando com aparelhos que funcionam à base de
energia elétrica.
Esse aquecimento é conhecido como efeito Joule, e ele é
fruto das colisões que os elétrons sofrem contra os átomos e
íons que pertencem ao condutor. A energia que é drenada
nesse aquecimento é chamada de energia dissipada
Existem aparelhos que têm como objetivo dissipar toda a
energia elétrica e transformá-la em energia térmica. Temos
muitos exemplos cotidianos de aparelhos que funcionam
assim, o chuveiro, o ferro de passar, o forno elétrico, o secador
de cabelo, etc.
• Define-se potência elétrica Podemos também calcular
como a razão entre a energia a potência elétrica através da
elétrica transformada e o através da tensão e da
intervalo de tempo dessa
corrente.
transformação. Observe o
quadro ao abaixo:
Se tomarmos a lei de Ohm R = U/i, e a As duas unidades de
equação para calcularmos a potência potência mais usadas são o
P = U.i é possível determinar o valor watt (W) e o quilowatt (kW).
da potência elétrica Elas estão representadas no
dissipada.Observe o quadro abaixo: quadro abaixo, assim como a
conversão entre elas:
• Na tabela, Área do fio(mm²) Corrente máxima(A)
mostramos
um exemplo 1 10,5
para um fio
1,5 13
com capa
isolante 2,5 18
termoplástica
4 24
, área do fio
em mm² e a 6 31
corrente
máxima 10 42
sugerida para
16 56
sua utilização
(em A). 25 73
SUPERCONDUTIVIDADE
Em 1911, Kammerlingh Onnes, que foi o primeiro a conseguir a
liquefação do gás hélio que acontece em 4,2 K. Ele estava
pesquisando sobre as propriedades de metais sobre temperaturas
extremamente baixas banhando em hélio líquido. Durante um
desses experimentos, Onnes descobriu que a resistência do
mercúrio caia a zero na temperatura perto de 4 K. Com isso, foi
descoberto os supercondutores, uma nova classe de condutores.
Onnes ganhou o Prêmio Nobel de Física em 1913

Com evolução das pesquisas, a temperatura para que os


supercondutores ocorressem foi aumentando. Até a década
passada ocorria na ordem dos 28 K. Mas com a descoberta de
novos materiais supercondutores, ocorreu um aumento
surpreendente de temperatura para a utilização de
supercondutores, com os óxidos cerâmicos, com os fulerenos, os
borocarbetos e o composto intermetálico MgBr2. Atualmente o
recorde é de 134 K para um óxido de mercúrio, bário, cálcio e
cobre.
Supercondutores são materiais
que têm resistência elétrica
praticamente nula e nos quais a
corrente elétrica não perde energia
para o material. Com isso pode-se
construir equipamentos que
aproveitam ao máximo a energia
elétrica disponível, sem que seja
transformada em calor. Meios de
transportes, principalmente trens
suspensos por campos
magnéticos, podem usar esta
tecnologia.
O trem japonês, MAGLEV, que
usa tecnologia de materiais
supercondutores e atinge mais de
500Km/h com segurança.
EFEITOS DA CORRENTE ELÉTRICA
• efeito joule: liberar calor
• efeito magnético: gerar campo
magnético
• efeito fisiológico: choque
• efeito químico: produzir reações
químicas
• efeito luminoso: gerar luz
CHOQUES ELÉTRICOS

Por que o choque ocorre?


Quando uma corrente elétrica atravessa nosso corpo, interfere com as correntes
internas carregadas pelos nervos e nos dá a sensação de formigamento.
Para que isto ocorra, é necessário existir uma diferença de potencial entre dois
pontos do corpo: quanto maior esta diferença de potencial, maior a corrente
elétrica e maior o choque.
Normalmente, um dos pontos são os pés, que estão em contato com o solo, e o
outro ponto é o que entra em contato com algum aparelho ou fio.
O valor da corrente depende de vários fatores, como a voltagem e a resistência
elétrica do caminho que ela percorre pelo corpo. A resistência do corpo humano
varia de pessoa para pessoa e depende muito das condições da pele. A resistência
do corpo humano molhado é muito menor do que quando seco. Molhado, a
resistência baixa, e a corrente que passa pelo corpo pode ser muito alta, mesmo
para uma pequena tensão.
É interessante notar que os danos causados pelos choques são mais relacionados
com a corrente elétrica do que com as voltagem. Choques fatais podem ocorrer
com voltagens de apenas 20V.
Danos ao corpo humano
Quando uma corrente passa pelo corpo, os
seguintes efeitos podem ocorrer: sensação de
formigamento, dor, contração e espasmos
musculares, alteração nos batimentos cardíacos,
A tabela indica os valores de
parada respiratória, queimaduras e morte. Os aproximados de corrente e
danos decorrem do fato de a movimentação dos os danos que causam.
músculos e a transmissão de sinais nervosos se
darem pela passagem de pequenas correntes
elétricas. Corrente(em mA) Danos que acarretam
Deve ser lembrado que também o trajeto que a
corrente percorre no corpo humano é um fator 1 a 10 Leve formigamento
determinante dos danos causados. Os choques
mais perigosos são os recebidos quando se segura 10 a 20 Dor e forte
‘formigamento’
um fio em cada mão, pois o caminho da corrente
passa próximo ao coração. Por isso os eletricistas
evitam utilizar as duas mãos ao mesmo tempo 20 a 100 Convulsões e parada
respiratória
quando mexem em um circuito elétrico que pode
estar energizado. 100 a 200 Fibrilação

Acima de 200 Queimaduras e parada


cardíaca
Situações de perigosas e como evitar choques
-
Lembre-se sempre de que correntes elétricas podem matar e que o número de
acidentes é grande.
- Ao lidar com fios ou tomadas, certifique-se de que o disjuntor esteja desligado.
Mesmo assim antes de tocar em qualquer fio use uma chave-teste para verificar se
existe ddp entre o fio e sue corpo.
- Tire da tomada qualquer equipamento antes de abri-lo . Não mexa nos circuitos de
equipamento sem conhecer detalhadamente a função de cada componente
(consertos devem ser feitos por especialistas) já que, mesmo desligados, alguns
componentes (como os capacitores) podem causar violentos choques pois
armazenam energia.
- Evite ao máximo usar aparelhos elétricos no banheiro ou nas proximidades de
piscinas. Quando o corpo esta molhado, a condução de eletricidade através dele é
facilitada e as chances de você sofrer lesões graves são maiores.
- Caso tenha crianças pequenas em casa compre tapadores de tomadas para evitar
acidentes.
- Só use fios que estejam em perfeitas condições, inclusive para extensões elétricas.
- Nunca toque fios que estão na rua, mesmo quando a companhia elétrica indicou
que a energia seria cortada.
A “conta de luz”
A conta de luz fornecida num período de tempo, geralmente,
de um mês marca o consumo medido pela diferença de
leituras e é expresso em KWh. Observe o preço do KWh e os
impostos que incidem sobre a conta e é possível analisar o
consumo de energia elétrica nos diversos meses anteriores.
A unidade quilowatt.hora e a unidade usual de Energia

E = P.T
FIM DA AULA
FIM DA AULA