You are on page 1of 15

 

A Importância da Prática no Ensino: a Opinião dos Alunos de Administração de uma
Instituição de Ensino Superior.
Autoria: Tobias Coutinho Parente, Augusto Cézar de Aquino Cabral, Adriano Gaudio de Andrade,
Gabriel Renê Maia Bonadies, Maria Naíula Monteiro Pessoa

Resumo
A aproximação entre teoria e prática é essencial para o aprendizado. Importante em todas as
áreas, no campo da gestão, esta aproximação torna-se vital, dado o caráter aplicado da
Administração enquanto ciência. Em sintonia com essa visão, é desenvolvido um Projeto
Teórico-Prático em uma das disciplinas introdutórias do curso de Administração da
Universidade Federal do Ceará (UFC). Constituído em forma de estudo de caso, o Projeto
visa analisar a dinâmica organizacional de empresas contemporâneas, à luz da Teoria Geral da
Administração (TGA). Tendo como objeto de estudo o referido Projeto, essa pesquisa busca
investigar a relevância desta atividade para a formação acadêmica dos alunos do curso de
Administração da UFC. A partir de um estudo bibliográfico, focado no impacto do estudo de
caso e na relevância da pesquisa para a aprendizagem, foi realizada uma pesquisa do tipo
survey, de caráter exploratório-descritivo. Os respondentes da pesquisa foram os graduandos
de Administração que já realizaram o Projeto. Na análise dos dados, foram utilizadas técnicas
de estatística descritiva básica. Apurou-se que 91% dos respondentes consideram o Projeto
relevante para sua formação acadêmica, 83% acreditam que o Projeto serviu de suporte para
várias disciplinas e 75% afirmaram que nenhuma ou poucas disciplinas contribuíram tanto
quanto a disciplina do Projeto para a aquisição de conhecimento empresarial Assim, constata-
se que o Projeto em foco tem grande influência na formação dos estudantes, sendo uma das
formas mais eficientes ferramentas de aprendizagem, em termos de conteúdo, de metodologia
científica e da gestão do trabalho em equipe, vital para área da administração.

Introdução
No processo de ensino, diversos métodos são empregados. Predominam enfoques teóricos
que, embora essenciais, devem ser complementados por outras abordagens que permitam ao aluno
aprender e utilizar os conhecimentos adquiridos na prática. Sendo assim, o papel das
universidades e dos docentes é proporcionar aos alunos métodos adequados que facilitem o
aprendizado. No caso da Administração, foco deste estudo, as formas de ensino devem ser
diversas, sempre objetivando contemplar a prática, devido ao caráter aplicado desta ciência.
O ensino superior brasileiro sempre se caracterizou por aulas expositivas como
principal, e às vezes, única forma de aprendizagem, porém, devido à aceleração nos processos
de comunicação e na troca de informações e a necessidade de preparar melhor os profissionais
para o mercado de trabalho, buscam-se novas formas de aprendizagem. Dentre essas formas,
destaca-se a aprendizagem através do conhecimento pela observação da prática. No curso de
Administração, essa aprendizagem é essencial, pois para os alunos é fundamental saber como
os conceitos teóricos aprendidos em sala de aula são trabalhados e aplicados no mundo
organizacional.
No intuito de verificar a importância de métodos alternativos de aprendizagem para a
ciência da Administração, esta pesquisa analisou o ensino da disciplina de Teoria Geral da
Administração (TGA), que faz parte do currículo acadêmico do curso de Administração de
Empresas da Universidade Federal do Ceará (UFC). A disciplina possui enfoque
essencialmente teórico, procurando complementá-la, é realizado um Projeto Teórico-Prático,
que conta como requisito parcial na avaliação. O objetivo do Projeto é fazer um paralelo entre
a teoria e a prática, através da análise da dinâmica organizacional de uma empresa. Parte-se
do princípio de que os alunos são capazes de compreender melhor a teoria quando visualizam
e identificam os conceitos teóricos abordados na prática. Como afirma Demo (2007), a teoria

  1

são entregues aos grupos dois instrumentos de coleta de dados. de metodologia e gestão. para cada uma das equipes. em dois blocos: o primeiro referente a avaliação do Projeto em foco como forma de aprendizagem e o segundo destacando sua relevância e o quanto os alunos aprendem ao realizá-lo. na condução do próprio grupo e na articulação com os gestores nas empresas visitadas. em seu processo de construção. então. tem pelo menos duas versões corrigidas pelo professor. refazendo-se. além desta introdução. Para a realização do Projeto. Esta pesquisa parte da hipótese de que os alunos ao realizarem o Projeto Teórico- Prático absorvem de maneira mais efetiva os conhecimentos da disciplina do que com a mera exposição da teoria através de aulas. como liderança e comunicação. são cobrados dois tipos de produções: um trabalho escrito e um artigo científico. e um questionário fechado. este trabalho é composto de seis outros segmentos. obter conhecimentos metodológicos para a formatação do trabalho e desenvolvimento das pesquisas bibliográfica e de campo. ambos com foco nas diferentes teorias que compõem a TGA. O trabalho escrito tem as características de uma monografia. em geral. Evidencia-se. os ganhos gerados pela realização do Projeto. os alunos conseguem perceber a aplicação das teorias administrativas nas organizações. com o apoio dos monitores da disciplina. gerenciar o próprio grupo. e a prática sempre se volta à teoria. como método de ensino. avaliando as qualidades desse modelo de aprendizagem. são dadas as primeiras instruções quanto à estrutura. possuindo. Ele constitui uma das duas avaliações parciais da disciplina. um roteiro com a estrutura completa do Projeto e uma carta solicitando acesso e apoio. ao longo do processo. ao realizarem o Projeto. o quarto refere-se aos aspectos metodológicos da pesquisa. No final do semestre. Porém. um enfoque totalmente teórico. renovando-se. antes da entrega da versão final. identificando se ele foi relevante para a formação do aluno. o segundo desafio. de qualquer setor econômico. inclusive   2 . o segundo foi mapear os pontos fortes e fracos do Projeto como meio de aprendizagem de conteúdo. a ser entregue pelo grupo a empresa que servirá de objeto de estudo. O desafio inicial é conseguir acesso para a pesquisa junto a uma empresa local de médio ou grande porte. o objetivo desta pesquisa é identificar a relevância do Projeto Teórico- Prático da disciplina de TGA na formação acadêmica dos alunos do curso de Administração. o segundo refere-se à importância da prática como método de ensino. formados grupos com até cinco membros. pois o Projeto analisado nesta pesquisa é realizado através do estudo de caso. o quinto traz a análise dos resultados da pesquisa. Também no início do processo são distribuídos. de acordo com a percepção dos alunos. Dada a abrangência e complexidade do Projeto que. sendo essa uma decisão dos alunos. Todos estes considerados conhecimentos críticos para a formação acadêmica. o conteúdo e o processo de elaboração ao longo da primeira semana de aula. que é realizada no primeiro semestre do curso. Adicionalmente. Por fim. e desenvolver conhecimentos e habilidades de gestão. A realização do Projeto em grupos os ajudariam a aprofundar conhecimentos teóricos. ao longo de todo o restante da graduação. um roteiro de entrevistas. Definiram-se dois objetivos específicos: o primeiro foi identificar. São. O Projeto Teórico-Prático O Projeto Teórico-Prático é um dos pré-requisitos da disciplina de TGA do curso de Administração de Empresas da UFC.   deve ser combinada à prática. 2. Em termos de estrutura. Nesse contexto. são apresentadas as considerações finais. O primeiro refere-se à descrição do Projeto Teórico-Prático. que escolhem as pessoas com quem irão trabalhar ao longo do semestre. pois dessa forma a teoria se confronta com a prática. o terceiro refere-se à explicação do estudo de caso como método de pesquisa.

também. missão e visão. 2006). Por fim. também no padrão ABNT. como bibliográfica. A pesquisa ocorre por meio de um estudo de caso. A partir dele. passando pelas teorias que compõem os pilares da TGA e pelas teorias que fazem parte das concepções modernas da Administração. quanto aos meios. principais gestores. vão a campo para coletar informações sobre a organização e realizar o contraste com as teorias. mediante estudo de caso. além da pesquisa junto a livros de Administração Geral e TGA. partindo dos antecedentes históricos da Administração. agendar visitas. como material de estudo. Esta tende a ser a parte mais extensa do Projeto. evidencia a estrutura geral do Projeto. A análise inclui. subdivididas em dois grandes grupos: o dos pilares da TGA. sendo um de introdução. dentre outros. é requerida uma apresentação. da apresentação da justificativa para a elaboração do Projeto e da definição dos objetivos. ocasião onde cada grupo faz uma síntese de sua pesquisa de campo. como a responsabilidade social empresarial. tal como terceirização formação de aliança. constituído pelas teorias da Administração Científica de Taylor. quanto aos fins. Em termos de estrutura. A introdução trata da delimitação do tema. marketing e mercado. e o das concepções modernas. contudo. iniciando-se com a apresentação do setor econômico em que se insere a empresa visitada. FEITOSA. Apresenta ainda os aspectos metodológicos. tendo por objetivo despertar o interesse pela pesquisa e viabilizar a participação e publicação em eventos e periódicos da área. um de apresentação e análise dos dados e um de conclusão. é na análise da dinâmica organizacional da empresa. Em seguida tem-se a apresentação da própria empresa. incentivando que assumam a posição de sujeitos em seu próprio processo de aprendizagem (FRANCO. caracterizando a pesquisa como qualitativa. Inclui. Comportamental. de forma proativa. um de referencial teórico. e indo até os temas contemporâneos. em seu esforço de adaptar-se ao atual contexto da globalização. com dados sobre porte. à luz dos principais elementos das diferentes teorias da TGA. uma investigação acerca de um programa ou estratégia utilizado pela empresa. e como propõe Yin (2005). os alunos munidos do roteiro de entrevista semi- estruturado e do questionário estruturado. é elaborado um artigo científico. e como exploratória-descritiva. de   3 . os alunos buscam informações de diversos métodos. nacional e local. estrutura. quanto à abordagem do problema e natureza dos dados. Clássica de Fayol. O Sistema avalia a qualidade dos anais e periódicos no Brasil. enquanto pesquisadores. denominado “A Dinâmica Organizacional da Empresa X”. os alunos são responsáveis por estabelecer contato com a empresa. em termos de sua relevância socioeconômica no cenário internacional. Como fontes de pesquisa. a classificação A1 é a mais elevada. de modo a estabelecer a triangulação. negociar acesso. antes mesmo que os temas sejam abordadas nas aulas. das Relações Humanas de Mayo e da Burocracia de Weber. constituído pelas teorias Estruturalista. o levantamento e análise dos Projetos e ações de responsabilidade social.   quanto ao uso das normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Além da produção acadêmica. os alunos são incentivados a fazer levantamento da literatura pertinente junto a anais de evento e periódicos classificados como A1 no Sistema Qualis da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). Para elaboração do capítulo de apresentação e análise de dados. servindo. ainda. Para isto. seguidos das referências. O referencial teórico consiste no levantamento da literatura que compõe a TGA. mediante pesquisa bibliográfica e documental. bem como dados das entrevistas e dos questionários. documental e de campo. O foco maior. Tal circunstância leva os alunos a procurarem o conhecimento e direcioná-lo para um propósito. em forma de seminário. apêndices e anexos. o Projeto Teórico-Prático é constituído por quatro capítulos. por fim. Sistêmica e Contingencial. inclusive para a prova final da disciplina.

  4 . a inserção dos alunos em um universo que. ainda. inclusive no contexto empresarial. A prática como método de ensino Historicamente. o Projeto incentiva e dá suporte para que o aluno tenha acesso à metodologia científica. Os alunos. de suas impressões pessoais e transmitem-nas para o trabalho escrito. e os realizadores do Projeto tendem a desenvolver uma visão analítica e inquisitiva sobre a empresa. Após coletados os dados. fundamental para a elaboração desse extenso Projeto e para prática profissional. Porém. que permita aprender através da reflexão daquilo que foi exposto. situações em que a liderança. vivenciando. já no primeiro semestre. segundo o autor. a tratar com pessoas. o espaço da sala de aula simboliza algo diferente. também. 3. e o aluno. Além do conhecimento conceitual e prático. em muitas vezes. McINTYRE e RUBIN.   modo a conhecer seu processo produtivo e aplicar os instrumentos de coleta de dados. que. Acredita-se. tornando possível a identificação de padrões organizacionais que a empresa em foco utiliza e que são elementos descritos pela TGA. o objetivo de desenvolver uma visão crítica reflexiva em alunos que estão sendo introduzidos ao contexto das organizações. 1978). são expostas as referências utilizadas para realização de todo o Projeto. antecipando. de modo a identificar traços das diferentes teorias e a perceber contradições entre o discurso e a realidade constatada. por fim. associando ensino e pesquisa em uma mesma realidade. o ensino no Brasil caracteriza-se por aulas expositivas como a única forma de transmissão de conhecimento e a realização de provas como a única forma de avaliação e verificação da aprendizagem. Além da aprendizagem conceitual. como uma associação de professor. somente é estudado no quinto semestre. empresariais ou não. teoria e empiria. afastando-se de um questionamento reconstrutivo. Demo (2007) descreve como “copiada” aquela a aula que apenas ensina a reproduzir o que já foi posto. Os estudantes e docentes se acostumaram com esta metodologia e. livro-texto e sala de aula. a própria essência da administração. diferenciar e filtrar tais conhecimentos. chegando ao ponto de muitos profissionais afirmarem que a teoria significa algo que é diferente da prática (KOLB. a teoria é evidenciada pela prática. Na última parte. Esse tipo de questionamento. Nesse estágio do Projeto. o artigo científico e para a apresentação em forma de seminário. não percebem que podem existir outros métodos de ensino que permitam complementar o que é abordado na sala de aula. visto que o aluno não tem experiência para isso. a trabalhar sob pressão e com prazos. isto é percebido desde a educação básica até a educação superior. de tomar decisões em um contexto de restrições. O livro-texto é o objeto que representa a preocupação de apenas adquirir e recordar conceitos. a elaboração desse Projeto contribui para a iniciação no campo da pesquisa e do trabalho científico. aquela em que o professor copia no quadro o resumo dos conteúdos expostos nos livros. torna-se relevante uma compreensão sistêmica. Em diferentes graus. os alunos são encarregados de analisá-los e interpretá-los. que está distante da realidade. a carga teórica adquirida na elaboração do Projeto e esta incipiente inserção no mundo empresarial permitem ao aluno identificar. Aprende. repetindo tudo na prova. vivenciadas no dia-a-dia dos gestores. contudo. Sendo assim. as organizações. no curso de Administração desta Universidade. ou seja. cada vez mais. a partir de uma perspectiva holística capaz de articular. a administrar conflitos e a trabalhar em equipe. possuem elementos e características das teorias da Administração. nem toda esta pluralidade de informações é repassada aos alunos de TGA. junto a diretores e gestores. muitas vezes. o aluno encara o desafio. O professor é o agente capaz de determinar os objetivos da aprendizagem. assim. por sua vez. fazem suas conclusões acerca dos dados e. assim. em que. entre outros. O Projeto Teórico-Prático tem. é também evidenciada nos grupos. Por fim. copia o que foi passado pelo professor. A aprendizagem ficou caracterizada.

o que é insuficiente. Almeida. Assim. por exemplo. O autor acredita que para reverter esse quadro. Franco e Feitosa (2006) alertam que as experiências vividas sozinhas não avalizam o aprendizado. incorporando a prática junto com a teoria.1): Considerando o ensino de Administração como um processo de aprender para criar e fazer. Santos (2004). como proposto pelo enfoque contingencial da TGA. Pode-se perceber que a teoria e a prática devem se complementar na formação do profissional de Administração. se preocupa em harmonizar a articulação da teoria com a prática. Lagemann e Sousa (2006) destacam o aprendizado como decorrência do contato que deve haver entre conceitos e experiências. a fim de capacitá-lo para resolver os problemas oferecidos por cada situação diferente. McIntyre e Rubin (1978) ressaltam que a aprendizagem não deve ser confundida com a capacidade de adquirir e recordar conceitos expostos em sala de aula. como acreditam. estruturando-lhes. onde o aluno as assiste e faz provas para conseguir o diploma. assim. estágios curriculares. Dessa forma. cada vez mais. que o torna capaz de formular e executar projetos inovadores e próprios de vida. Ghobril e Nassif (2005. Franco e Feitosa (2006) ressaltam que podem ser utilizadas diferentes alternativas. em um conhecimento de forma própria. buscando reduzir a distância entre o que é ensinado e o que acontece na prática. pensar a teoria e a prática de maneira fragmentada e independente tem gerado uma formação deficiente. visitas de campo. Levando à formulação de conceitos. Vivenciada na e com a realidade. que proporcionam reflexões que podem fomentar o desenvolvimento do estudante. Porém. a partir da intima articulação entre teoria e prática. como exemplos. No lugar da educação meramente “bancária”. ou seja. Feitosa e Franco (2006) acreditam que o mundo acadêmico. que por si só não prova sua competência. Visto que o ato de administrar abrange a junção da ciência e técnicas aplicadas às organizações. pois através dela o sujeito consegue conhecer e intervir. foco principal deste trabalho. p. estudos de caso. Na busca de contemplar o ensino da teoria com a prática. pois essa garante apenas o contato inicial com os conhecimentos e capacidades. Podem ser citados. Demo (2007) ressalta que o sistema educacional não permite isso. os autores alinhados a abordagem neoclássica da TGA. jogos de empresa. a única saída é a pesquisa. as universidades e seus docentes devem ter a preocupação constante de chamar a atenção dos alunos para o caráter aplicado da Administração como ciência social. Freire (1996) ressalta a relevância de um saber construído. Em relação ao ensino da Administração. visto que muitos ainda acreditam na Universidade apenas como uma instituição ofertadora de aulas. sendo necessário que haja uma análise reflexiva sobre a prática vivenciada. Kolb. técnica. reflexão e intervenção. permitindo ao estudante ser inserido em um ambiente que lhe proporcione o conhecimento da realidade de trabalho e associação do aprendizado da sala de aula com o conhecimento organizacional. Nesta perspectiva. Lagemann e Sousa (2006) afirmam que os administradores não devem ser formados somente em sala de aula. consultorias juniores. conforme frisam Bido. é tratada por diversos autores. é a chamada práxis. Almeida. gestores com dificuldade de aplicar os conhecimentos adquiridos na Universidade no exercício da profissão. Através dessa reflexão. O questionamento reconstrutivo deve ser cultivado nos sujeitos. afirma que não há teoria dissociada da prática ou prática sem teoria associada. tendo em vista que o resultado desta aprendizagem reflete-se no desempenho das próprias organizações. permitindo que visualizem   5 . as pessoas podem avaliar e reavaliar as suposições expostas a elas. Essa incorporação da teoria com a prática. mas sim como um processo gerado a partir de experiências. etc.   refere-se à formação do sujeito competente através do saber pensar e do aprender a aprender. sempre na perspectiva de que uma complementa a outra. regras e princípios que moldarão o comportamento do aprendiz.

em uma organização local. o objetivo do Projeto é a realização. Yin (2005) argumenta que o estudo de caso não é de fácil realização. o controle que o pesquisador possui sobre os eventos comportamentais e o quanto enfoca em acontecimentos contemporâneos em oposição aos históricos. Como destacado anteriormente. na escolha do método de pesquisa. 2005). em que se a discussão serve para solucionar os problemas relatados. quantos aos fins. o que compromete o estudo. fazendo do questionamento o caminho de mudança.. de um estudo de caso. Trazendo a explanação acima para o Projeto que esta pesquisa analisa. o que contribui para que haja uma visão pessimista por parte de alguns pesquisadores sobre o método de estudo de caso (ANTUNES. pode-se classificar esta pesquisa como exploratória e descritiva. não possuindo o controle sobre os eventos comportamentais e focando sempre nos acontecimentos atuais. Bufoni (2002) afirma que o método de estudo de caso. 4.   novas compreensões da realidade. efetivando a triangulação. diferentemente dos métodos quantitativos O autor ainda expõe que nenhum método pode ser responsável por uma generalização. 2008. CONSOLI et. o estudo de caso pode ser conceituado como uma investigação empírica sobre um fenômeno contemporâneo dentro de seu contexto na vida real. devem-se considerar três variáveis: o tipo de questão da pesquisa. e refutar as interpretações vulgares (MENDES. PEDRON e RODRIGUES. a técnica do estudo de caso deve ser escolhida quando se pretende estabelecer como as teorias ocorrem nas práticas organizacionais. o pesquisador deve escolher o estudo de caso quando pretende saber como e por que os fenômenos acontecem. al. ou seja. que há uma confusão de conceitos entre o estudo de caso como método de pesquisa e os casos para o ensino. 5. por isso é pontual aqui destacar a diferença entre ambos. Para o autor. al (2008) afirmam que o primeiro refere-se a uma estratégia utilizada para realizar uma pesquisa científica. muitas vezes. Segundo Bufoni (2002). 2008). que busca formar a consciência crítica e o contestamento próprio. especialmente quando os limites entre o fenômeno e o contexto não estão claramente definidos. as regras do método de investigação social devem proporcionar ao investigador um conhecimento dos fenômenos sociais. submeter hipóteses à validação científica. no seu contexto natural. também. Metodologia Tomando-se por base a taxionomia proposta por Vergara (2000). CESAR e VIDAL. Consoli et. e o segundo. Para viabilizar a prática reflexiva. Ressalta-se. e como pesquisa bibliográfica e   6 . mediante o uso de múltiplas evidências. Muitos pesquisadores afirmam que a preferência do estudo de caso como estratégia de pesquisa se deve por sua fácil realização. a um relato de uma realidade empresarial. Contudo. possibilitando que seja evidenciado o contraste entre as teorias que compõem a TGA e a dinâmica da organização pesquisada. se torna falho por causa da falta de atenção do pesquisador com os rigores metodológicos necessários para o método. A estratégia do estudo de caso como método de ensino O método utilizado para a realização do Projeto Teórico-Prático aqui discutido é o estudo de caso. por parte dos alunos. Essa reflexão vai ao encontro do questionamento reconstrutivo proposto por Demo (2007). apenas um conjunto de pesquisas podem prover uma opinião global sobre determinado fenômeno. Considerando o que foi exposto por Yin. Assim. pois o pesquisador deve buscar informações de diversas formas. De acordo com Yin (2005). percebe-se que há um cuidado para que os alunos sigam os passos metodológicos necessários para validar os resultados da pesquisa. afirmando que o método levanta poucos dados e não é útil para generalizações sobre fenômenos. capacitando-o a definir com rigor os conceitos.

dissertações. em que se busca levantar opiniões acerca do Projeto Teórico-Prático da disciplina de TGA. Sendo assim. Para esta pesquisa. no qual se fazem diversas perguntas sobre seus comportamentos e atitudes. de onde a amostra é retirada. é feita com interrogatórios junto aos participantes. dessa. utilizou-se de questionários autopreenchidos. utilizando os resultados para decisões futuras que serão tomadas em relação ao Projeto. como neste estudo. (2005). a pesquisa caracteriza-se como de avaliação. o primeiro refere-se ao levantamento mais completo de todos os elementos possíveis. pois. o que caracteriza o método de coleta estruturado. pois se baseia no levantamento da literatura pertinente junto a livros. É também necessário caracterizar a população e a amostra da pesquisa. o que proporciona uma estrutura de amostragem de 540 alunos. o que representa cerca de 20% da amostra total. pois busca avaliar o Projeto em seu contexto real. Os respondentes da pesquisa. devido a sua facilidade de coletar e tabular dados. em que. a população é um conjunto de elementos que possuem características que serão objeto de estudo.   de campo. A primeira para coletar dados de identificação do respondente e a segunda formada por questões abertas e   7 . no intuito de levantar suas opiniões sobre algum assunto. utilizou-se o método não probabilístico de amostragem por conveniência. O método é mais adequado e versátil para obter grande quantidade de dados. Foram. pois só esses estavam aptos a responder as questões e contribuir para o estudo. definiu- se como população os alunos do curso de administração da UFC. e o segundo está relacionado ao método que será empregado para definir quais e quantos elementos da estrutura de amostragem serão retirados. de acordo com Babin et al. O questionário foi divido em duas partes. Segundo Vergara (2000). Definidos os elementos que compõem a amostra. conforme Babin et al. pois busca informações na UFC junto aos alunos de Administração. nem todos estão acessíveis: alguns simplesmente não estavam presentes por ocasião da pesquisa. É exploratória. Nesse método. segundo Martins e Theóphilo (2007). como ressalta Mattar (2001). Para coletar os dados de campo. (2005). que de acordo com Vergara (2000). pois visa construir uma compreensão inicial sobre os aspectos do Projeto Teórico-Prático de TGA. utilizou-se o método de comunicação estruturado não disfarçado proposto por Mattar (2001). A pesquisa é bibliográfica. aplicados 115 questionários. que são ótimos para alcançar uma unidade de mensuração e uma amostra grande. Constitui pesquisa de campo. como eles avaliam o Projeto sendo uma forma de ensino e como as diferentes variáveis que o compõem se inter-relacionam no processo de aprendizagem teórico-prático. escolheram-se aqueles que realizaram o Projeto Teórico-Prático para serem os componentes da amostra. periódicos e anais de eventos. etc. outros abandonaram o curso. então. as perguntas e respostas já estão previamente determinadas. é necessário saber a estrutura de amostragem e o método de amostragem. para que possam transpor da melhor maneira possível as informações necessárias à pesquisa. pois busca descrever de que forma o Projeto é aplicado aos alunos. totalizando 12 turmas de 45 alunos. pois. em termos de sua relevância na formação dos alunos de administração da UFC. neste caso. Ainda quanto aos fins. Com relação à aplicação do instrumento de coleta. sendo caracterizada como survey. Já a amostra é uma fração da população escolhida de acordo com algum critério que garanta uma representatividade para o estudo. É descritiva. são as pessoas que fornecem as informações para a pesquisa. quanto aos meios. os alunos do curso diurno de Administração da UFC que já realizaram o Projeto em estudo e que estavam presentes em sala nos dois dias de aplicação dos questionários. a seleção dos elementos é feita de acordo com a disponibilidade dos sujeitos que podem tomar parte da pesquisa e fornecer as informações necessárias. segundo Malhotra (2001). alguns já se formaram. O Projeto Teórico-Prático foi realizado nas turmas de TGA de 2003 a 2008. A pesquisa survey. e os objetivos e propósitos da pesquisa são expostos aos respondentes. por razoes diversas. Pesquisar todos esses alunos tornou-se inviável.

o que eles aprendiam com sua realização e o quanto ele influenciava na sua formação. além disso. os alunos foram questionados sobre o quanto o Projeto foi relevante como um todo no decorrer de sua formação como estudante de Administração. Relevância (%) a) Muito relevante 56 b) Extremamente relevante 35 c) Nem muito nem pouco relevante 4 d) Pouco relevante 4 e) Não foi relevante 1 Fonte: Pesquisa de campo (2008).   fechadas. o segundo tratou da avaliação feita pelos alunos do Projeto Teórico-Prático como forma de aprendizado. os alunos foram questionados sobre as disciplinas para as quais o Projeto serviu de suporte. 6. Através da primeira questão do questionário. As próximas questões abordadas no questionário buscaram coletar informações que identificassem quais seriam os motivos para tal relevância. Por fim. aquelas em que. Para alcançar os outros resultados. foi possível observar qual foi a relevância da realização do Projeto Teórico-Prático para a formação do aluno como estudante de Administração. visando saber a opinião dos alunos sobre o Projeto. os alunos adquiriram conhecimentos que lhes preparou para os novos conteúdos ou lhes facilitou na aprendizagem. do conteúdo da disciplina. realizado no primeiro semestre do curso. os alunos expressam o quanto o Projeto foi importante para a aquisição de conhecimentos metodológicos. como frisado antes. pode-se observar que 91% dos alunos que responderam ao questionário consideraram extremamente ou muito relevante a realização de um projeto de caráter científico para a sua formação como aluno de administração. os resultados foram divididos em dois blocos: o primeiro referente à importância do Projeto para a formação acadêmica. e se esse método de ensino seria ou não um método eficaz de aprendizagem. pois. proporciona aos alunos em relação à aquisição de conhecimentos. e o quanto de conhecimento eles adquiriram ao realizá-lo.   8 . No primeiro bloco de resultados. foram levantados os pontos fortes e fracos do Projeto. utilizaram técnicas de estatística descritiva básica. Dessa forma. Por fim. 6. doravante denominado simplesmente Projeto. Também se buscou saber se todas as disciplinas deveriam ter projetos que contemplassem a articulação da teoria com a prática e o porquê de se fazer ou não projetos com o mesmo caráter em disciplinas diferentes. a análise dos resultados ficou condicionada a saber o que o Projeto Teórico-Prático. Essa informação é relevante. buscando saber o quanto os alunos conseguem aprender com a realização do Projeto. Na análise dos dados. Análise dos resultados O objetivo principal da pesquisa foi identificar a relevância do Projeto Teórico- Prático para a formação dos alunos do curso de administração da UFC. o Projeto. metodológicos e práticos. ou seja. na visão dos alunos. Também se contemplam aqui os conhecimentos adquiridos com a prática. após terem realizado o Projeto. A relevância do Projeto e o quanto os alunos aprendem ao realizá-lo.1. Somando-se os dois primeiros resultados. é estruturado conforme as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e os alunos só fazem a disciplina de Metodologia do Trabalho Científico no quinto semestre. Obtiveram-se os seguintes resultados: Tabela 1 – Relevância do Projeto para a formação dos alunos.

McINTYRE e RUBIN. cursadas posteriormente. visto que grande parte dos alunos afirmou que a maioria das disciplinas que eles cursaram não proporcionou tanto conhecimento prático como a disciplina de TGA.   A tabela abaixo mostra uma questão que buscou identificar se. 1978). A tabela abaixo mostra os resultados: Tabela 3 – O quanto os alunos obtém de conhecimentos metodológicos. Aspectos (%) a) Aprende os aspectos mais relevantes 57 b) Aprende alguns aspectos relevantes 39 c) Não aprende os aspectos mais relevantes 1 d) Não responderam 3 Fonte: Pesquisa de campo (2008). A questão que pediu para que os alunos citassem a quais disciplinas. comparado a outras disciplinas. 96% dos alunos que responderam ao questionário (alternativas “a” e “b”) afirmaram que o Projeto ajuda a aprender os aspectos relevantes ou alguns dos aspectos relevantes em relação aos conhecimentos metodológicos. de acordo com a percepção dos alunos respondentes. havia disciplinas que proporcionaram conhecimento das práticas empresarias tanto quanto o Projeto. acreditam que poucas ou nenhuma disciplina contribuíram tanto para se adquirir conhecimento sobre as práticas empresariais. o aluno é obrigado a compreendê-las para realizá-lo. mediante a realização do Projeto. a resposta obtida nessa questão evidencia que os alunos incorporaram esses conhecimentos para utilizá-los posteriormente. 75 % (alternativas “a” e “b”). Comparação (%) a) Poucas disciplinas contribuíram tanto quanto o Projeto 50 b) Nenhuma disciplina contribuiu tanto quanto o Projeto 25 c) As demais disciplinas contribuíram tanto quando o Projeto 10 d) As demais disciplinas contribuem mais que o Projeto 10 e) Não responderam 3 f) O Projeto não proporcionou conhecimento prático 2 Fonte: Pesquisa de campo (2008).2. na percepção do aluno. Avaliação do Projeto Teórico-Prático como forma de aprendizagem Outras questões no questionário buscaram identificar a relevância do Projeto para as disciplinas cursadas posteriormente. Estes dados indicam que o modelo de aprendizagem genericamente praticado se baseia no distanciamento dos conteúdos ensinados da realidade (KOLB. Tabela 2 – Relevância do Projeto na obtenção de conhecimentos empresariais. 6. Como o Projeto é feito de acordo com o Manual de Monografia da FEAAC. o Projeto ofereceu suporte está com o seu resultado listado na tabela abaixo:   9 . Pode-se observar que. a maioria. baseado na regras da ABNT. Como é possível observar. A próxima questão buscou identificar o quanto de conhecimento metodológico é adquirido após a realização do Projeto.

Demanda muito esforço. que 55 % dos respondentes (alternativa “a”) concordam que este tipo de projeto. aqui. ela reflete o anseio dos alunos que já realizaram o Projeto. a) Sim 55 Agrega conhecimentos 30 do mundo empresarial. O resultado elencado acima mostra apenas as respostas mais citadas. porém as disciplinas Comportamento Organizacional e Processo Administrativo também estão entre as mais citadas nos demais semestres. infere-se que o Projeto cumpre com seu papel de mostrar a realidade organizacional e fazer com que os alunos aprendam o conteúdo da disciplina. 39 c) Não responderam 2 ----------------. visto que para o aluno cursar a disciplina de Processo Administrativo o aluno deve ter sido aprovado em TGA. essa não mostra em seu total 100%. Os resultados acima representam a porcentagem do total de respondentes que citou uma determinada disciplina. Outros. como Organização de Sistemas e Métodos e Metodologia do Trabalho Científico. Outra questão pedia para que o aluno respondesse se outras disciplinas deveriam oferecer um projeto semelhante. Sendo assim. especula-se que. ---- Fonte: Pesquisa de campo (2008). a grande maioria dos alunos acredita no valor e na relevância do Projeto. Tendo em vista a grande carga de trabalho que o mesmo impõe. não tiveram ainda a oportunidade de cursar algumas das disciplinas que foram citadas acima. A expressividade das menções às disciplinas de Comportamento Organizacional e Processo Administrativo advém. em parte. em grande parte. Embora não haja dados concretos sobre esta visão. do fato de que uma fração dos alunos que compõem a amostra estava ainda em início de curso (entre o segundo e quarto semestre). percentual significativo. Disciplinas (%) a) Processo Administrativo 70 b) Comportamento Organizacional 40 c) Produção I 24 d) Outras 23 e) Organização de Sistemas e Métodos 17 f) Metodologia do Trabalho Científico 7 g) Introdução a Psicologia 6 h) Todas 5 Fonte: Pesquisa de campo (2008). conciliando teoria e pratica deveria ser realizado em outras disciplinas. O resultado é apresentado na tabela abaixo: Tabela 5 – Outras disciplinas deveriam possuir projetos de teor prático? Respostas (%) Motivos (%) Reforça o conteúdo 59 exposto em sala de aula. dado que. Contudo. contemplando teoria e prática. Assim. como revelado antes. Verifica-se. 11 Apenas as disciplinas estritamente ligadas a 61 b) Não 43 Administração precisam. pois era possível que um aluno citasse mais de uma disciplina. Diferentemente das outras questões. 43 % (alternativa “b”). indica que este não é o caso.   Tabela 4 – Disciplinas as quais o Projeto ofereceu suporte.   10 .

Entre os principais motivos para rejeitar a idéia de projetos de cunho prático em outras disciplinas. Lagemann e Sousa (2006). coerentemente com a literatura levantada (DEMO. fazendo com que o aluno por sua vez copie e repita na prova. ao modelo de aprendizagem baseado em apenas três agentes: professor. apontado por 30% dos alunos que responderam sim. Dessa forma. em que 1 expressa a maior relevância e 4 indica a menor relevância. 39% dos que responderam não acreditam que a realização de um Projeto científico de cunho prático demanda muito esforço. (%) Fatores 1 2 3 4 NR a) Aprender o conteúdo da disciplina 36 30 26 5 3 b) Aprender a estruturar um trabalho monográfico nos aspectos 41 27 13 14 5 metodológicos. nos moldes da ABNT c) Conhecer a vivência de uma organização 49 20 22 6 3 d) Passar na disciplina 21 23 25 13 17 e) Aprender além do conteúdo da disciplina 45 21 15 11 8 f) Trabalhar em grupo 33 30 17 14 6 g) Adquirir conhecimento em informática para realizar trabalhos acadêmicos 20 27 19 22 12 Fonte: Pesquisa de campo (2008). 2004). afirmaram que apenas as disciplinas estritamente relacionadas à Administração necessitavam de um Projeto deste tipo. Isso em muito se deve ao fato de que os alunos estão acostumados. Em outra questão. dado que uma complementa a outra. ensinando apenas a copiar. ao afirmarem que devem ser utilizadas diversas metodologias de ensino para proporcionar aos alunos conhecimento da realidade empresarial. ainda. o que muito pode ser atribuído ao modelo educacional ao qual os alunos são expostos. SANTOS.Aprender a estruturar um trabalho monográfico nos aspectos metodológicos. todos os fatores são importantes. Outro motivo para serem realizados projetos de teor prático em outras disciplinas. é o fato deste tipo de projeto agrega conhecimentos sobre o mundo empresarial. o que alinha-se ao exposto por Almeida. avaliados como muito importante ou importante. Esta visão dos alunos está em sintonia com a idéia de Franco e Feitosa (2006). Os alunos consideram a opção “b” importante pelo motivo já apresentado. 61% dos que acreditam não serem necessários Projetos práticos em outras disciplinas. A tabela abaixo mostra os resultados: Tabela 6 – A importância de alguns fatores do Projeto para a formação dos alunos. pode-se observar que os fatores “c . o que faz com que os alunos não tenham liberdade para criar e questionar por algo diferente. desde a educação básica. Segundo Demo (2007). os alunos devem aprender os conhecimentos em sala de aula e aplicá-los nas organizações. eles podem rejeitar novas metodologias de ensino. dessa forma. considerando-se nas opções de resposta uma escala de 1 a 4. 59% afirmaram que o principal motivo é que um Projeto Teórico-Prático reforça o conteúdo explicado na sala de aula. livro-texto e sala de aula de aula. Essa percepção dos alunos também remete à idéia de que nem tudo o que é aprendido pode ser aplicado ou é necessário. que fujam a este modelo ao qual eles estão acostumados (KOLB. 1978). McINTYRE e RUBIN. Por fim. a opção NR – nenhuma das repostas. esse modelo se baseia na aula como copiada. Na percepção da maioria dos alunos. 2007. de que   11 .conhecer a vivência de uma organização” e “b .   Tentou-se classificar as diversas respostas em grupos para se fazer uma melhor análise. nos moldes da ABNT” são os mais importantes. Esse argumento exposto pelos alunos remete à idéia de que não há teoria sem prática e vice-versa. em sua maioria. Com base nos que foram. pediu-se para o aluno responder qual a importância que cada fator elencado teve no decorrer de sua formação estudantil após a realização do Projeto. ao expressarem que a Administração é a junção de conhecimentos e técnicas aplicadas às organizações. havendo. Entre os alunos que se mostraram a favor.

mas sim tentar diminuir a fronteira do que é ensinado com aquilo que é praticado (FRANCO. nos moldes defendidos por Freire (1996). por ocasião da disciplina de TGA. Para analisar este dado. dando a chance dos alunos questionarem e sugerirem mudanças no Projeto. já que ele é um estudo de caso. os alunos estão mostrando o quanto é importante para eles conhecerem o mundo em que irão atuar. Pontos fortes (%) a) Aprendizado sobre a prática organizacional 37 b) Aprender o conteúdo através da prática 24 c) Aprender como se faz um Projeto acadêmico 16 d) Trabalhar em grupo 11 e) Acompanhamento do Projeto por parte do professor e monitores 6 f) Adquirir responsabilidade para trabalhar sob pressão 4 g) Outros 1 Fonte: Pesquisa de campo (2008).   a disciplina de Metodologia do Trabalho Científico só é ministrada no quinto semestre e que o Projeto. pediu-se aos alunos que elencassem os pontos fortes e fracos do Projeto. FEITOSA. Pedido semelhante é feito ao final da apresentação do Projeto. Verifica-se um avanço. sempre se devem buscar alternativas que permitam ao estudante ser inserido em um ambiente que permita conhecer a realidade do trabalho. como ressaltado. Porém outro fator que explica isso é a cobrança para que o Projeto não seja executado de maneira inadequada. apontado por Demo (2007). os alunos estão acostumados a serem os agentes   12 . 2006). Novamente. visto que os alunos acham positivo aprender com a prática. Por fim. Pontos fracos (%) a) Acompanhamento do Projeto por parte do professor e monitores 23 b) O Projeto é muito extenso 19 c) Falta de tempo para realizar o Projeto 18 d) Falta de experiência para realizar o Projeto 16 e) Conseguir acesso à empresa para realizar o Projeto 9 f) Dificuldade para trabalhar em grupo 9 g) Outros 5 Fonte: Pesquisa de campo (2008). Os principais pontos fortes citados foram: Tabela 7 – Pontos fortes do Projeto. para a maioria dos alunos. Ao apontarem o conhecimento da vivência organizacional. com 24 %. pode-se observar que a maioria das respostas vai para os aspectos da obtenção de conhecimento organizacional. Na tabela. já não é mais suficiente. e o aprendizado do conteúdo através da prática. Conforme Bufoni (2002). com 37 %. muito do preconceito que há com esse método advém de que não há o devido cuidado em seguir de forma correta os aspectos metodológicos exigidos para realizá-lo. Esses resultados corroboram aquilo que foi discutido ao longo de todo este trabalho: o aprendizado não pode distanciar a teoria da prática. ocorre no primeiro semestre. que apenas contempla as aulas expositivas em sala de aula como momento único de aprendizagem e as provas como sistema exclusivo avaliação. deve-se ponderar que. Segundo Franco e Feitosa (2006). o que pode ser compreendido como uma oportunidade para realizar o questionamento reconstrutivo. Outro fator expresso nestes dados é que o modelo tradicional de ensino. observa-se que o principal fator negativo indicado quanto ao Projeto é a falta de acompanhamento por parte do professor e dos monitores. Com relação aos pontos fracos seguem abaixo os mais citados: Tabela 8 – Pontos fracos do Projeto.

como ensina. conhecendo a vivência de uma organização. pois é o que se observa na realidade. visto que os resultados obtidos nesta pesquisa podem ser alcançados em outras áreas do conhecimento. que obtêm os conhecimentos teóricos. contribuíram tanto quanto a do Projeto Teórico-Prático para a aquisição de conhecimentos empresariais. Esta pesquisa mostrou que deve se buscar formas alternativas de ensino que complementem a abordagem expositiva da sala de aula-de-aula. metodológicos e práticos de maneira mais efetiva do que com a mera exposição da teoria em sala de aula-de-aula. utilizada no Projeto. pôde-se confirmar a hipótese de que o Projeto é muito relevante para a formação dos alunos. Em síntese. como forma de contrapor o modelo tradicional de ensino que se caracteriza por aulas expositivas. trata-se de tomar decisões em um contexto de restrições.   passivos do processo de aprendizagem. além de permitirem uma inserção no mundo organizacional. A realização desta pesquisa mostrou-se bastante oportuna. respeitando-se suas respectivas particularidades. Também foi possível observar que. os alunos criticam a extensão do Projeto e a falta de tempo para realizá-lo. dado o seu caráter aplicado enquanto ciência social. em sua maioria. os alunos ressaltaram a extensão do Projeto e o acompanhamento dado pelo professor e monitores. Analisando a validade da hipótese da qual partiu a pesquisa. percebeu-se que a maioria dos alunos acredita que ao realizarem o Projeto Teórico-Prático. ou nenhuma outra disciplina. Porém. o que. Ademais. Neste sentido. No campo profissional. deve-se ter em mente que parte da idéia da realização de um projeto científico é exatamente esta: levar os alunos a pensarem como administrar o tempo para realizar a pesquisa. revelando toda a complexidade da gestão. Com estes resultados. os alunos acreditam que o Projeto Teórico-Prático foi relevante para a formação acadêmica deles. o enfoque comportamental da Teoria Geral da Administração. em certa medida. permitem um confronto entre teoria e prática. Porém. a pressão por parte de diversas instituições de ensino para que seus alunos produzam conhecimento científico relevante. também constatou-se que a maior parte dos alunos considerou como mais relevantes o aprendizado metodológico da realização de um projeto científico. por exemplo. o aprendizado sobre a prática organizacional foi o mais citado. como base dos projetos. desenvolvendo o questionamento reconstrutivo sugerido por Demo (2007). eles conseguiram aprender além do conteúdo da disciplina. tem-se os seguintes resultados: os alunos afirmaram que poucas. Dentre os resultados obtidos.   13 . Portanto. o Projeto Teórico-Prático busca torná-los agentes ativos no processo de aprendizagem. a complexidade do Projeto e as demandas daí decorrentes tendem a gerar tensões. evidencia a resistência do alunado de assumir postura ativa no seu aprendizado e de priorizar as atividades acadêmicas nesta sua fase da vida. pois enfatizou a importância da práxis na formação discente e profissional. sendo considerado relevante aprender o conteúdo da disciplina através da prática. a abordagem teórica-prática. em vista à dinamicidade do mercado. principalmente no campo da Administração. e que. dentre os pontos positivos do Projeto. Considerações finais Considerando a importância da prática no processo de ensino-aprendizagem. Os estudos de caso realizados pelos alunos. ao mesmo tempo que servem de objeto de aprendizagem teórico-metodológico. Dentre os pontos negativos. mostrou-se bastante relevante no campo da Administração enquanto ciência social aplicada. sugere-se que projetos de cunho prático sejam utilizados nas demais disciplinas da área administrativa. 7. de forma contínua e com qualidade.

M.G.C. 2008. Reflexões sobre o desafio da relevância: um olhar sobre a pesquisa em administração. S.. Metodologia da investigação científica para ciências sociais aplicadas.S. C. FRANCO. FREIRE. MATTAR. McINTYRE. Salvador: ANPAD. Brasília-DF. A utilização do método do estudo de caso em pesquisas das áreas de operações. A. Sylvia Constant.   14 .. BIDO. 2004.D. KOLB. XXXII. M. O rigor na exposição dos estudos de caso simples: um teste empírico em uma universidade brasileira. DEMO.R. A. BUFONI. In: ENCONTRO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DA PÓS- GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO-ENANPAD.. 3. XXX. XXIX.R. A. D. ANTUNES. Anais. São Paulo: Atlas...   Referências ALMEIDA.M. Rio de Janeiro: ANPAD. São Paulo: Atlas. Porto Alegre: Bookman. Curitiba: ANPAD.G. Salvador-BA. Anais. L.R. ed. MALHOTRA. 2006. XXVIII. 2006.. Anais. 2005. A. GHOBRIL. L. ed. 2004. 1 CD ROM. Anais. XXXII. Da sala de aula de aula ao mundo empresarial: compreendendo a aprendizagem dos consultores juniores em suas relações com o sistema- cliente. recursos humanos e contabilidade. James. Fauze Najib. Projetos e relatórios de pesquisa em administração.. 3.M. In: ENCONTRO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DA PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO- ENANPAD.. Salvador-BA. CONSOLI et al. Educar pela pesquisa. In: ENCONTRO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DA PÓS- GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO-ENANPAD..J. Salvador: ANPAD. Rio de Janeiro-RJ.. 3. Anais. RUBIN. Campinas: Autores Associados.. Curitiba-PR. THEÓPHILO. 2000. 2005.G. Brasília-DF. 2005. 1 CD ROM.C. SOUSA. 2007. MENDES. P. In: ENCONTRO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DA PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO-ENANPAD. VERGARA. In: ENCONTRO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DA PÓS- GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO-ENANPAD. 1 CD ROM. 1 CD ROM. FEITOSA. Brasília: ANPAD. MARTINS.D. Brasília: ANPAD. Anais.V. Uma discussão sobre a utilização do estudo de casos como método de pesquisa em ciências gerenciais. Psicologia organizacional: uma abordagem vivencial. Pesquisa de marketing. In: ENCONTRO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DA PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO- ENANPAD. 2001... Anais. CESAR. Naresh. A. 1978.. São Paulo: Paz e Terra. ed. RODRIGUES.A. A. 1 CD ROM. G.. 2008.P. 2002.L. 2005. NASSIF. Fundamentos de métodos de pesquisa em administração.. Salvador: ANPAD.. Irwin.. SANTOS. ed. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. In: ENCONTRO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DA PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO-ENANPAD. 1 CD ROM. A importância do estágio supervisionado para a formação do administrador. David. 1 CD ROM. Salvador-BA. 8. Aspectos epistemológicos do dilema teoria-prática no ensino de administração de empresas. M. Paulo... PEDRON.V. São Paulo: Atlas. 1 CD ROM. Rio de Janeiro-RJ.. 1996. É possível integrar a teoria à prática no contexto de sala de aula de aula? uma resposta através da pesquisa-ação em um curso de administração. BABIN et al.A.N. V. 2006... Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada.P. 2005.M. Rio de Janeiro: ANPAD. D. Pedro. Porto Alegre: Bookman. S.. In: ENCONTRO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DA PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO-ENANPAD. Anais. VIDAL. 2002.. XXX. 2007.T. LAGEMANN. São Paulo Atlas. 2008. XXIX. C. 2006. 2001. 2008... XXVI. A.

Porto Alegre: Bookman. K. Robert. Estudo de caso: planejamento e métodos.   15 . 3.   YIN. 2005. ed.