You are on page 1of 11

Sumário

Introdução................................................................................................................................................. 2
Processo de Socialização ........................................................................................................................... 3
Tipos de socialização ................................................................................................................................. 4
Classificação .............................................................................................................................................. 4
A Comunicação ......................................................................................................................................... 6
Interação social ......................................................................................................................................... 6
Relação social ............................................................................................................................................ 6
Processos sociais ....................................................................................................................................... 7
Agentes de socialização ............................................................................................................................ 8
Conclusão ................................................................................................................................................ 10
Bibliografia………………………………………………………………………………………………………………………………………11

1
Introdução

O mundo social é composto das características culturais e de estruturas sociais, institucionais ou


não, que fundamentam e guiam o comportamento daqueles que fazem parte deste mundo. Para que
o indivíduo que nasce nesse meio o compreenda, ele deverá aprender os aspectos culturais vigentes
dessa sociedade. Esse processo de aprendizagem é chamado de socialização.

Como já sabemos, não nascemos com traços culturais embebidos em nossas mentes. A
socialização, enquanto aprendizagem de uma cultura, acontece no convívio diário da criança, que
nasce já inserida em uma comunidade que possui formas definidas de compreender sua realidade
e de interagir com os demais membros de sua sociedade.

Esse processo é responsável por garantir que o novo sujeito social aprenda como se guiar em meio
ao mundo de significados que a sua realidade possui, e exercerá grande influência sobre seu
comportamento.

2
Processo de Socialização

Processos sociais são as formas pelas quais os indivíduos se relacionam uns com os outros, ou
seja, as formas de estabelecer as relações sociais. Os processos sociais estão presentes em toda a
sociedade, por exemplo: quando um grupo de pessoas se organiza para limpar uma casa; quando
uma pessoa assimila, mesmo que inconscientemente, a forma de falar de outra; quando um país
entra em guerra com outro; etc.

Na sociologia, o processo de socialização é fundamental para a construção das sociedades em


diversos espaços sociais. É pelo processo de socialização que os indivíduos interagem e se
integram por meio da comunicação, ao mesmo tempo que constroem a sociedade.
Para o sociólogo Gilberto Freire, a socialização pode ser definida da seguinte maneira:

"1É a condição do indivíduo (biológico) desenvolvido, dentro da organização social e da cultura,


em pessoa ou homem social, pela aquisição de status ou situação, desenvolvidos como membro
de um grupo ou de vários grupos.”

A socialização (efeito de ser tornar social) está relacionada com a assimilação de hábitos culturais,
bem como ao aprendizado social dos sujeitos. Isso porque é por meio dela que os indivíduos
aprendem e interiorizam as regras e valores de determinada sociedade.
Quanto a isso, vale lembrar as palavras do sociólogo francês Durkheim, quando afirma que: “A
educação é uma socialização da jovem geração pela geração adulta”.
De tal modo, o processo de socialização é desencadeado por meio da complexa rede de relações
sociais estabelecidas entre os indivíduos durante a vida.
Assim, desde criança os seres humanos vão se socializando mediante as normas, valores e hábitos
dos grupos sociais que o envolvem. Observe que nesse processo, todos os sujeitos sociais sofrem
influência comportamentais.

1
Alves-Pinto, C. Sociologia da Escola. Lisboa: Edições MacGrawHill, (1995).
Branquinho, E. Percepções dos orientadores de escola sobre a supervisão e a prática supervisiva.porto editora,
(2004).

3
Tipos de socialização

Importante notar que existem diferentes processos de socialização de acordo com a sociedade em
que estamos inseridos.
Qualquer que seja a classe social e a realidade, os processos de socialização são muito diversos.
Tanto podem ocorrer entre pessoas que vivem num nu bairo como entre os burgueses que habitam
no centro da cidade.
Seja qual for a cor, a etnia, a classe social, todos os seres humanos desde cedo estão em constante
processo de socialização, seja na escola, na igreja, na faculdade ou no trabalho. Alguns fatores
podem afetar esse processo, tal como um local marcado por guerras.
As consequências dos processos de socialização geralmente são positivas e resultam na evolução
da sociedade e dos indivíduos. Por outro lado, as pessoas que não se socializam podem apresentar
muitos problemas psicológicos, determinados, por exemplo, pelo isolamento social.
O processo de socialização vem se alterando ao longo do tempo, através das mudanças da
sociedade. Os processos de socialização da antiguidade e da atualidade são bem distintos, o que
decorre da evolução dos meios de comunicação e do avanço tecnológico.

2Classificação

Os processos de socialização estão classificados em dois tipos:


 Socialização Primária: como o próprio nome já indica, esse tipo de socialização ocorre
na infância e se desenvolve no meio familiar. Aqui, a criança tem contato com a linguagem
e vai compreendendo as relações sociais primárias e os seres sociais que a compõem. Além
disso, é nesse estágio em que são interiorizados normas e valores. A família torna-se a
instituição social mais fundamental desse momento.
 Socialização Secundária: nesse caso, o indivíduo já socializado primariamente vai
interagindo e adquirindo papéis sociais determinada pelas relações sociais desenvolvidas,
bem como a sociedade que está inserido. Se por acaso o sujeito social teve uma socialização

Cadwell, D., Chatman, J., & O’Reilly, C. Building organizational commitment: A multi-firm study. Journal of
Occupational Psychology, 63, 245-261, (1990).

4
primária afetada, isso poderá gerar diversos problemas na sua vida social, uma vez que o
primeiro momento de socialização é essencial na construção do caráter do indivíduo

O isolamento pode ser compreendido como a falta de contato ou de comunicação entre grupos ou
indivíduos. Nos dias de hoje, praticamente não existe isolamento absoluto. Mas existem
comunidades isoladas, que mantêm pouco contato com outras comunidades.

As forças por trás desse isolamento são chamadas de atitudes de ordem social e atitudes de
ordem individual. As atividades de ordem social se manifestam através de preconceito, seja
racial, religioso, étnico, sexual etc. Uma atitude de ordem individual que causa e reforça o
isolamento é a timidez. As pessoas que têm muita dificuldade em estabelecer laços de
convivência e de afeto com outros estão mais propensas a viverem sozinhas, isoladas, à margem
da sociedade.
Os sociólogos indicam cinco tipos de isolamento: espacial, estrutural, funcional, psíquico e
habitudinal.
 O isolamento espacial ou físico é a ausência de contatos devido a fatores geofísicos:
montanhas, vales, florestas, desertos, rios, oceanos etc. Esses fatores e a distância entre
comunidades agem como isolantes.
 O isolamento estrutural é constituído por diferenças biológicas, como idade, sexo e
raça. A sociedade atribui funções e atividades diversas a homens e mulheres, a adultos e
crianças e, consequentemente, cria diferenças de interesses. O isolamento de grupos
étnicos, religiosos e raciais ocorre em vários países. A idade também resulta em
isolamento nas sociedades. O isolamento de idosos, por exemplo, é um problema da
sociedade atual.
 O isolamento funcional tem origem nas deficiências físicas – cegueira, mudez, surdez e
outras limitações físicas. Os portadores de deficiências físicas têm participação limitada
em muitas das atividades da sociedade.
 O isolamento psíquico ocorre devido a diferenças de interesses, gostos e preferências
entre indivíduos pertencentes a uma mesma cultura. O isolamento psíquico é o que
distancia o grande intelectual do analfabeto, o empresário do agricultor. A existência de
clubes, partidos políticos e sociedades secretas reforça o isolamento psíquico.
 Finalmente, o isolamento habitudinal ocorre devido a diferenças de hábitos, costumes,
linguagem, religião etc. Há isolamento habitudinal entre pessoas que não falam a mesma

5
língua. O fanatismo religioso também leva a uma falta de comunicação entre membros de
religiões diferentes.

3A Comunicação

A comunicação é essencial para a sobrevivência e desenvolvimento da humanidade. É


fundamental também para a cultura.

A comunicação pode dar-se através de meios não vocais, como expressões e traços fisionômicos,
sons inarticulados, baseados em emoções, e por palavras e símbolos, ou seja, pela linguagem. O
principal meio de comunicação do ser humano é a linguagem. É por meio dela que conseguimos
estabelecer e solidificar relações com outros seres humanos: expressar ideias, pensamentos,
ensinamentos e sentimentos. Se não há comunicação efetiva, não há desenvolvimento ou
progresso.
Além da linguagem falada, o ser humano desenvolveu várias formas de comunicação. Um dos
mais importantes é a escrita. Outro passo fundamental para o desenvolvimento da comunicação
foi a invenção da impressão, por Gutenberg, no século XV. Nos séculos XIX e XX, foram
inventados o telégrafo, o telefone, o rádio, o cinema, a televisão, a comunicação por satélite e,
mais recentemente, a Internet.

Interação social

Os contatos sociais e a interação são indispensáveis ao ser humano e à sociedade humana. A


interação social afeta as pessoas envolvidas, devido ao contato e à comunicação estabelecidos entre
elas. O progresso nos meios de comunicação, principalmente a partir do uso generalizado da
Internet, resultou na criação de novas formas de contato social. Hoje em dia, há interatividade – a
troca de informações de forma simultânea entre pessoas que vivem em diferentes partes do mundo.

Relação social

3
Alves-Pinto, C. Sociologia da Escola. Lisboa: Edições MacGrawHill, (1995).
Branquinho, E. Percepções dos orientadores de escola sobre a supervisão e a prática supervisiva.porto editora, (2004).

6
Relação social é a forma assumida pela interação social em cada situação. Por exemplo, um
vendedor e um comprador estabelecem uma relação comercial; professor e aluno estabelecem uma
relação pedagógica. As relações sociais também podem ser familiares, religiosas, culturais,
políticas etc.

4Processos sociais

A cooperação é um tipo de processo social. Processos sociais são as formas pelas quais as pessoas
se relacionam e estabelecem relações sociais.

Os processos sociais podem ser associativos e dissociativos.


Os processos associativos estabelecem formas de cooperação e convivência num grupo. Os
principais processos sociais associativos são cooperação, acomodação e assimilação.
Os processos dissociativos se manifestam por meio de divergências e até conflitos. Os principais
processos sociais dissociativos são competição e conflito.
A cooperação é o processo social
A cooperação é o processo em que dois ou mais indivíduos ou grupos atuam em conjunto para
alcançar um mesmo objetivo ou propósito.
A cooperação pode ser temporária: as pessoas se reúnem para executar uma tarefa durante um
período temporário. Exemplos: estudo em grupo.
A cooperação contínua ocorre entre indivíduos ou grupos que, estabelecidos em determinado
local, precisam sempre da colaboração uns dos outros. Exemplo: os habitantes de uma cidade
colaboram, tomam medidas, para diminuir a poluição.
A cooperação também pode ser direta: indivíduos desempenham atividades em conjunto.
Esse tipo de cooperação divide-se em trabalho associado. Por exemplo, a produção de um filme,
que exige o trabalho de diferentes profissionais e especialistas.
A cooperação indireta é a realização de trabalhos diferentes. A cooperação ocorre porque os
indivíduos não são autossuficientes. Um exemplo de cooperação indireta é a que existe entre um

4
Cadwell, D., Chatman, J., & O’Reilly, C. Building organizational commitment: A multi-firm study. Journal of
Occupational Psychology, 63, (1990).
Caires, S., & Almeida, L. S. O estágio como um espaço de desenvolvimento de competências pessoais e profissionais:
O papel da supervisão. Actas do Seminário Da universidade para o mundo do trabalho: Desafios para um diálogo,
.(2001).

7
agricultor e um médico: o médico precisa dos alimentos plantados e colhidos pelo agricultor e
este necessita de cuidados médicos.
São muitos os interesses que levam os indivíduos e os grupos à cooperação. Resumindo, a
cooperação é a solidariedade social em ação.
A competição é basicamente o oposto da cooperação. É a forma de interação que implica o
esforço, a luta, por recursos escassos ou por objetivos que não podem ser alcançados por todos.
Para a satisfação de suas necessidades e desejos, indivíduos e grupos competem entre si.
A competição ocorre quando há mais pretendentes do que postos: os que pretendem alcançar
uma situação melhor entram em competição com os demais concorrentes. Um exemplo de
competição é uma eleição presidencial: várias pessoas almejam o cargo de maior importância
política, mas num país pode haver apenas um presidente. Há vários candidatos para apenas um
posto, que é muito almejado; portanto, há competição que frequentemente se manifesta de forma
agressiva e hostil.
O litígio é a demanda judicial entre partes contrárias. A contenda é a briga entre indivíduos ou
grupos (entre torcidas organizadas, por exemplo). Finalmente, guerras são lutas entre países ou
grupos nacionais, étnicos, religiosos etc.
Na realidade, há conflitos a toda hora, em todos os países e em todas as sociedades. Há conflitos
entre policiais e criminosos, entre países que estão em guerra, entre governos ditatoriais e a
população civil que luta por seus direitos civis etc.
É importante ressaltar que nem todo conflito é prejudicial e indesejável. O conflito social, por
exemplo, é um processo social que pode provocar mudanças positivas na sociedade. Um
exemplo disto: nos anos 1960, nos Estados Unidos, direitos civis foram obtidos pela população
negra através do conflito social.

5Agentes de socialização

No decorrer da socialização de um indivíduo, ele entrará em contato com um enorme número de


contextos e grupos sociais que lhe apresentarão a um grande número de visões significativas
(interpretações de contextos) do mundo social.

5
Alves-Pinto, C. Sociologia da Escola. Lisboa: Edições MacGrawHill, (1995).
Branquinho, E. Percepções dos orientadores de escola sobre a supervisão e a prática supervisiva.porto editora,
(2004).

8
Anthony Giddens especifica duas etapas do processo de socialização em que diferentes agentes de
socialização tomam parte como maior significância:

A primeira fase de socialização se dá na infância e é o período de maior aprendizagem cultural da


vida do ser humano, que aprende sua primeira língua e começa a ter seu comportamento moldado
pelo convívio social com sua família.

O segundo período acontece na fase mais madura do ser humano, no fim de sua infância e no início
de sua vida adulta. Nesse momento, outros agentes passam a ter maior impacto na socialização do
sujeito. A escola, os grupos de amigos que vêm de diferentes realidades, a mídia e posteriormente
o âmbito do trabalho, trazem consigo uma bagagem de valores, normas e crenças que estão
agregadas à realidade social e cultural na qual o indivíduo se insere.

9
Conclusão

Processos sócias é um processo de aprendizagem em que, através da interiorização dessas normas


e valores. A socialização, mesmo acontecendo durante toda a vida, dá-se com intensidades e em
contextos diferentes. Existem, então, dois tipos de socialização primária e secundária e secundaria.

Assim sendo, durante a infância, ocorre a socialização primária, onde a criança aprende e
interioriza a linguagem, as regras básicas da sociedade, a moral e os modelos comportamentais do
grupo a que se pertence. A socialização primária tem um valor primordial para o indivíduo e deixa
marcas muito profundas em toda a sua vida, já que é aí que se constrói o primeiro mundo do
indivíduo e Por sua vez, a socialização secundária é todo e qualquer processo subsequente que
introduz um indivíduo já socializado em novos sectores do mundo objectivo da sua sociedade (na
escola, nos grupos de amigos, no trabalho, nas actividades dos países que visitamos ou para onde
emigramos, etc.), existindo uma aprendizagem das expectativas que a sociedade ou o grupo
depositam em nós relativamente ao nosso desempenho, assim como dos novos papéis que vamos
assumindo nos vários gruois a que vamos pertencendo e nas várias situações em que somos
colocados.

10
Bibliografia
Alves-Pinto, C. Sociologia da Escola. Lisboa: Edições MacGrawHill, (1995).
Branquinho, E. Percepções dos orientadores de escola sobre a supervisão e a prática
supervisiva.porto editora, (2004).
Cadwell, D., Chatman, J., & O’Reilly, C. Building organizational commitment: A multi-firm
study. Journal of Occupational Psychology, 63, 245-261, (1990).
Caires, S., & Almeida, L. S. O estágio como um espaço de desenvolvimento de competências
pessoais e profissionais: O papel da supervisão. Actas do Seminário Da universidade para o
mundo do trabalho: Desafios para um diálogo (pp.227-246), . (2001)

11