You are on page 1of 34

PLANO DE MANUTENÇÃO

Prof.Esp.Nelson Pimenta Neto

.

.

Ou seja.1 – INTRODUÇÃO • Os planos de manutenção representam a operacionalização das estratégias de manutenção. 1. é neles que são definidas quais as melhores atividades a serem realizadas em cada componente ou equipamento. . • As atividades de manutenção são classificadas conforme os métodos de manutenção.

.

2 – OBJETIVOS O objetivo dos planos é operacionalizar as estratégia e políticas de manutenção planejada para cada equipamento/componente com exceção da estratégia definida como a de operar até a falha. para qual se utiliza o método de manutenção corretiva. 1. .

1.3 – ATIVIDADES DE MANUTENÇÃO Para a elaboração do plano de manutenção é importante a definição dos conceitos: .

Devido à sua curta duração exige controle simplificado. É um tipo de manutenção caracterizado pela alta frequência (baixa periodicidade) e curta duração. eliminando e prevenindo o desgaste acelerado dos componentes. inspeções simples. entretanto ser processado.• a) Manutenção Básica • Manutenção Básica são todas as atividades essenciais de manutenção para preservar o estado funcional do equipamento. que deve. pois oferece grande contribuição ao diagnóstico do estado dos equipamentos . Compreende atividades de limpeza. lubrificação básica e reaperto.

As atividades de manutenção sistemática são executadas independentemente da atual situação dos componentes. quantidade produzida. O objetivo da manutenção sistemática é restaurar ou substituir. etc. em intervalos pré-determinados. executadas em intervalos fixos e pré-estabelecidos. km rodados. O termo sistemático se refere ao fato de que os intervalos não são definidos somente em função do tempo. .• b) Manutenção Preventiva Sistemática • A Manutenção Preventiva Sistemática ou simplesmente Manutenção Sistemática consiste de atividades específicas. tais como a reforma ou a troca periódica de componentes ou peças. pois os mesmos atingiram um limite de vida especificado. de golpes. como nº. mas também em função de outros parâmetros periódicos. componentes ou peças que se deterioram com o tempo e que tendem a falhar à medida que as máquinas/equipamentos são utilizados.

As atividades de inspeção acompanham parâmetros que informam o desgaste ou processo de degradação de equipamentos e são realizadas por instrumentos* ou pelos sentidos humanos**. Através desse acompanhamento é possível prever quando o componente ou peça estará próximo do fim da sua vida. permitindo que atividades sejam programadas para evitar a falha. . • A Manutenção Condicional se divide em atividades de inspeção e de execução. Já as atividades de execução são manutenções efetuadas para eliminar potenciais de falhas detectadas nas atividades de inspeção.• c) Manutenção Preventiva Condicional • A Manutenção Preventiva Condicional ou simplesmente Manutenção Condicional é definida como uma manutenção baseada no conhecimento do estado de um componente ou peça através da verificação ou medição (contínua ou em intervalos pré- definidos) de um ou mais parâmetros significativos do seu comportamento.

possa implicar em custos de aquisição mais elevados. o ciclo de vida de um equipamento é o período de tempo no qual todas as atividades relacionadas ao mesmo são realizadas. partida. instalação. • A Prevenção de Manutenção atua sobre as características relacionadas às falhas.3. projeto. Essas atividades são baseadas em dados históricos da manutenção para equipamentos iguais ou similares. O custo do ciclo de vida pode ser subdividido em custo de aquisição (englobando as etapas de especificação. projeto e fabricação) e custo de utilização (englobando as demais etapas. Essas atividades compreendem as etapas de especificação. fabricação e montagem do equipamento.2 – PREVENÇÃO DE MANUTENÇÃO • A Prevenção de Manutenção está associada aos conceitos de Custo do Ciclo de Vida (LCC na sigla em inglês). facilidades de manutenção e de operação de novos equipamentos visando reduzir os seus custos de utilização.• 1. Basicamente. às vezes. manutenção e descarte ou substituição. O método é implantado através de atividades gerenciais conduzidas juntamente com o fabricante durante as fases de projeto. incluindo a manutenção). mesmo que. operação. devidamente registrados e catalogados . O custo total de um equipamento durante esse período é o custo do ciclo de vida do mesmo. fabricação.

. estabelecendo as frequências e abrangência das intervenções bem como os parâmetros de monitoramento.4 – ELABORAÇÃO DE PLANOS O Plano de Manutenção é a operacionalização das políticas de manutenção dos equipamentos. 1.

ou seja. os equipamentos classificados como críticos devem ter seus planos inicialmente revisados/elaborados. – Definir a estratégia de manutenção. 1.4. – Definir prioridades de planejamento. .1 – Pré-Requisitos • Classificação de Criticidade de Equipamentos • Ela é fundamental e permite decidir duas questões: – Em quais equipamentos aplicar as estratégias de manutenção.

. permitindo assim que seja decidida qual política a ser aplicada para se eliminar o modo de falha de cada componente (modo de falha é a maneira pela qual a falha é observada).• Decomposição de Equipamentos: • É o detalhamento do equipamento e classifica a criticidade de cada componente.

1. • • De acordo com o cliente no qual o Centro de Negócios está localizado podem ocorrer variações dos nomes anteriormente citados ou a inclusão de outros tipos de atividades que na maioria dos casos. salvo por raras exceções.4. • Manutenção Preventiva Condicional. • Manutenção Preventiva Sistemática. • Prevenção de Manutenção. . poderão ser encaixadas nos tipos citados.2 – Definição da atividade de manutenção • O Plano de Manutenção será composto basicamente das seguintes atividades ou de agrupamento entre elas: • Manutenção Básica.

devem ser estabelecidas a frequência e abrangência das intervenções. • Dependendo da diversidade de equipamentos instalados.4. devem ser elaborados (ou adequados) os seguintes Planos: • Planos de Manutenção Preventiva Sistemática: • Planos de Manutenção Preventiva Condicional Sensitiva • Planos de Manutenção Preventiva Condicional Preditiva • Planos de Manutenção Preventiva Condicional Detectiva . • A política de manutenção é operacionalizada através do Plano de Manutenção. 1. bem como os parâmetros de monitoramento.3 – Planos de Manutenção • Uma vez definida a estratégia de manutenção mais adequada a cada equipamento. deve ser elaborado/revisado o Plano de Manutenção. Nele.

• Em alguns casos os planos podem ser nomeados ou organizados por especialização: • Plano de Inspeção • Plano de Lubrificação • Plano de Manutenção de Equipamentos Mecânicos • Plano de Manutenção de Equipamentos Elétricos • Plano de Manutenção de Instrumentos .

• Data de início. componente e etc. • Materiais. • Estratégia de Manutenção (Manutenção Preventiva Básica.). • Mão de Obra. mais satisfatório ele será. • Padrões. • Condição (Em operação ou fora de operação). • Descrição. • Parâmetros de medição (caso necessário).• Quanto mais completo o Plano de Manutenção. • Ação. . conjunto. • Ferramentas. • Medidas de segurança. Os itens que devem compor um plano de manutenção adequado são os seguintes: • Localização da atividade (Equipamento ou TAG. • Frequência. • Tempo necessário. Sistemática ou Condicional).

dividido em 52 semanas e é parte integrante do Plano de Manutenção. Assim. O calendário é. de tal forma que a sua execução não fique comprometida por falta de recursos (humanos e materiais). é possível fazer um balanceamento das atividades de manutenção. A figura 2 apresenta um exemplo de calendário para um Plano de Manutenção. normalmente. É através dele que se verifica o excesso ou falta de atividades em determinados períodos (normalmente semanas) do plano de manutenção. . 1.4.4 – Calendário de Manutenção O Calendário de Manutenção é uma ferramenta que permite a distribuição das atividades do plano de manutenção ao longo do tempo.

.

frequências e o acréscimo ou retiradas de atividades.1.5 – Atualização/Revisão de Planos A necessidade de atualização dos Planos de Manutenção esta diretamente ligada às atividades do Planejamento e Controle da Manutenção (PCM). Baseando-se nas informações do controle do PCM e históricos dos equipamentos é possível tomar decisões de mudança de estratégia (Manutenção Condicional ou Sistemática).4. .

.• Além da análise através dos dados fornecidos pelo PCM. • Análise de Falhas. • Estudos de Mantenabilidade. outras formas podem iniciar um processo de atualização/revisão de Planos: • Reclassificação de Equipamentos. • Estudos de Confiabilidade.

ou através de planilhas ou meios físicos. contudo recomenda-se que sejam realizadas em períodos entre 12 e 18 meses. para isso é necessário criar um fluxo de armazenamento das informações normalmente através de um CMMS. • A frequência de atualização/revisão de Planos vai variar de acordo com o tipo de equipamento e ramo de atividade. • Computerized Maintenance Managemente System: Sistema Informatizado de Gerenciamento da Manutenção .• Vale ressaltar que as melhores análises são baseadas em um histórico confiável dos equipamentos.

Figura 3: Fluxo PDCA de elaboração e revisão dos Planos de Manutenção .

.

O agrupamento dos PDs de todas as UCs metodológicas forma o PDCN (Plano de Desenvolvimento do Centro de Negócios) na área de Gestão Técnica: .2 – PLANO DE DESENVOLVIMENTO DA UC (PD) O PD é um guia de ações de referência para implantação e/ou melhoria de cada Unidade de Conhecimento .UC.

.

que é a ferramenta de avaliação técnica de todos os Centros de Negócios: . O agrupamento dos IEs de todas as UCs metodológicas forma o IEGT (Índice de Excelência na Gestão Técnica).3 – ÍNDICE DE EXCELÊNCIA DA UC (IE) O IE é uma avaliação do nível de desenvolvimento de cada Unidade de Conhecimento – UC.

.

. 4 – UCs RELACIONADAS • UC01 – Classificação de Criticidade de Equipamentos. Inspeção. A sistemática de elaboração e revisão dos planos é orientada por procedimentos técnicos. • UC07 – Procedimentos e Instruções de Trabalho. Lubrificação e Reaperto). • UC03 – Manutenção Básica (Limpeza. Os planos de manutenção são elaborados e definidos de acordo com a criticidade dos equipamentos. Os componentes ou subconjuntos definidos pela decomposição de equipamentos são a referência para a elaboração do plano de manutenção e a definição de estratégias de manutenção. As atividades de manutenção básica são parte integrante do plano de manutenção do equipamento. • UC02 – Decomposição de Equipamentos. A preventiva sistemática é um dos métodos de manutenção que compõem um plano de manutenção. • UC04 – Manutenção Preventiva Sistemática. • UC05 – Manutenção Preventiva Condicional. A preventiva condicional é um dos métodos de manutenção que compõem um plano de manutenção. As atividades do plano de manutenção são orientadas por instruções de trabalho e/ou lições de um ponto.

• UC11 – Manutenção Centrada na Confiabilidade (RCM). . As ferramentas. A aplicação da metodologia RCM gera como principal entrega um plano de manutenção estruturado. Os planos de manutenção são cadastrados no CMMS. Os planos de manutenção são entradas para o PCM que tem como objetivo fazer com que eles sejam executados. • UC12 – Engenharia de Confiabilidade. As atividades de lubrificação fazem parte do plano de manutenção. A Engenharia de Confiabilidade pode indicar aplicações ou revisões de métodos de manutenção que impactarão no plano de manutenção. • UC09 – Gestão da Lubrificação. instrumentos e equipamentos de trabalho necessários para execução das atividades de manutenção são definidos no plano de manutenção. • UC26 – Gestão de Ferramentas de Manutenção. • UC24 – Planejamento e Controle da Manutenção (PCM).• UC08 – CMMS (Sistema Informatizado de Gerenciamento de Manutenção).

2004. Gestão e Planejamento da Manutenção. São Paulo: Apostila de Treinamento. Belo Horizonte: Apostila de Treinamento. • . 2010.CAMPOS. Luiz Carlos. Planejamento e Controle de Manutenção. World Class Manufacturing (WCM): Professional Maintenance (PM). 2005.FILHO. Confiabilidade e Qualidade. Julio. • . • . DORIGO. 2008. Planejamento e Controle da Manutenção. 5 – REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS • . Técnicas de Gerenciamento da Manutenção Industrial. José Wagner. Planejamento e Programação da Manutenção. • .BRAIDOTTI JR.COMAU DO BRASIL. Betim: Manual Técnico. Rio de Janeiro: Ciência Moderna.ASTREIN ASSESSORIA E TREINAMENTO INDUSTRIAL.GRUPO FIAT. Gil Branco. • . 2007. José Eduardo G. Gestão de Ativos.NASCIF. Lobato de. 2008. São Paulo: ABRAMAN. 2002. . Betim: MGA . Dicionário de Termos de Manutenção. • . 2007.Manual de Gestão de Ativos. São Paulo: Apostila de Treinamento. Gil Branco.FILHO. • . Belo Horizonte: Apostila de Treinamento.

Related Interests