You are on page 1of 82

Secretaria de Estado de

Educação e Qualidade de Ensino


do Amazonas - SEDUC-AM

Merendeiro

Língua Portuguesa
Leitura e interpretação de textos. ....................................................................................................................................1
Alfabeto. Vogal, semivogal e consoantes, letras maiúsculas e minúsculas. ..............................................................3
Encontro vocálico. Encontro consonantal. Dígrafos. .....................................................................................................4
Sílaba: número de sílabas, sílaba tônica e sua classificação. ........................................................................................6
Frases afirmativas e negativas. .........................................................................................................................................6
Sinais de pontuação: ponto final, dois pontos, ponto de interrogação e ponto de exclamação. ...........................7
Gênero: masculino e feminino. Antônimos/sinônimos. Diminutivo/aumentativo. ................................................9
Noções básicas de acentuação gráfica. ......................................................................................................................... 10
Classes de palavras: substantivos e adjetivos – flexões de gênero, número e grau. Verbos – regulares e
auxiliares (ser, ter, haver e estar) – conjugação em todos os modos e tempos simples e formas nominais.
Artigos (artigos definidos: o, a, os, as; artigos indefinidos: um, uma, uns, umas). ................................................ 12
Termos essenciais da oração: sujeito e predicado. .................................................................................................... 25
Ortografia. .......................................................................................................................................................................... 31

Matemática
Conjuntos: vazio e unitário. ................................................................................................................................................1
Números naturais: operações de adição, subtração, multiplicação e divisão. .........................................................3
Números pares e números ímpares. ................................................................................................................................4
Unidades de medidas: medida de comprimento, medidas de superfície, medida de volume e medida de massa.
.................................................................................................................................................................................................6
Sistema de numeração decimal. ........................................................................................................................................8
Múltiplos e divisores. ..........................................................................................................................................................8
Problemas e cálculos das operações fundamentais (adição, subtração, multiplicação e divisão). .................... 10
Sucessor e antecessor (até 1000). ................................................................................................................................. 11
Porcentagem. ..................................................................................................................................................................... 12

Conhecimentos Específicos
Conceitos Básicos de Alimentação: Os alimentos: classificação .................................................................................1
Seleção, conservação e condições adequadas ao consumo dos alimentos: proteção, preparação, controle de
estoque, conservação, validade e melhor aproveitamento de alimentos ..................................................................9
Conservação e higiene: relação entre saúde e alimento ............................................................................................ 13
Relacionamento interpessoal ......................................................................................................................................... 15
Cuidados pessoais no trabalho ...................................................................................................................................... 19
Segurança no trabalho ..................................................................................................................................................... 23

Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
A apostila OPÇÃO não está vinculada a empresa organizadora do concurso público a que se destina,
assim como sua aquisição não garante a inscrição do candidato ou mesmo o seu ingresso na carreira
pública.

O conteúdo dessa apostila almeja abordar os tópicos do edital de forma prática e esquematizada,
porém, isso não impede que se utilize o manuseio de livros, sites, jornais, revistas, entre outros meios
que ampliem os conhecimentos do candidato, visando sua melhor preparação.

Atualizações legislativas, que não tenham sido colocadas à disposição até a data da elaboração da
apostila, poderão ser encontradas gratuitamente no site das apostilas opção, ou nos sites
governamentais.

Informamos que não são de nossa responsabilidade as alterações e retificações nos editais dos
concursos, assim como a distribuição gratuita do material retificado, na versão impressa, tendo em vista
que nossas apostilas são elaboradas de acordo com o edital inicial. Porém, quando isso ocorrer, inserimos
em nosso site, www.apostilasopcao.com.br, no link “erratas”, a matéria retificada, e disponibilizamos
gratuitamente o conteúdo na versão digital para nossos clientes.

Caso haja dúvidas quanto ao conteúdo desta apostila, o adquirente deve acessar o site
www.apostilasopcao.com.br, e enviar sua dúvida, que será respondida o mais breve possível, assim como
para consultar alterações legislativas e possíveis erratas.

Também ficam à disposição do adquirente o telefone (11) 2856-6066, dentro do horário comercial,
para eventuais consultas.

Eventuais reclamações deverão ser encaminhadas por escrito, respeitando os prazos instituídos no
Código de Defesa do Consumidor.

É proibida a reprodução total ou parcial desta apostila, de acordo com o Artigo 184 do Código
Penal.

Apostilas Opção, a opção certa para a sua realização.

Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
LÍNGUA PORTUGUESA

Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Não saber interpretar corretamente um texto pode gerar
inúmeros problemas, afetando não só o desenvolvimento
profissional, mas também o desenvolvimento pessoal. O mundo
moderno cobra de nós inúmeras competências, uma delas é a
proficiência na língua, e isso não se refere apenas a uma boa
comunicação verbal, mas também à capacidade de entender
aquilo que está sendo lido. O analfabetismo funcional está
Leitura e interpretação de textos. relacionado com a dificuldade de decifrar as entrelinhas do
código, pois a leitura mecânica é bem diferente da leitura
interpretativa, aquela que fazemos ao estabelecer analogias e
criar inferências. Para que você não sofra mais com a análise de
Interpretação de Texto
textos, elaboramos algumas dicas para você seguir e tirar suas
dúvidas.
A leitura é o meio mais importante para chegarmos ao
Uma interpretação de texto competente depende de
conhecimento, portanto, precisamos aprender a ler e não
inúmeros fatores, mas nem por isso deixaremos de contemplar
apenas “passar os olhos sobre algum texto”. Ler, na verdade,
alguns que se fazem essenciais para esse exercício. Muitas vezes,
é dar sentido à vida e ao mundo, é dominar a riqueza de
apressados, descuidamo-nos das minúcias presentes em um
qualquer texto, seja literário, informativo, persuasivo, narrativo,
texto, achamos que apenas uma leitura já se faz suficiente, o que
possibilidades que se misturam e as tornam infinitas. É preciso,
não é verdade. Interpretar demanda paciência e, por isso, sempre
para uma boa leitura, exercitar-se na arte de pensar, de captar
releia, pois uma segunda leitura pode apresentar aspectos
ideias, de investigar as palavras… Para isso, devemos entender,
surpreendentes que não foram observados anteriormente.
primeiro, algumas definições importantes:
Para auxiliar na busca de sentidos do texto, você pode também
retirar dele os tópicos frasais presentes em cada parágrafo,
Texto
isso certamente auxiliará na apreensão do conteúdo exposto.
O texto (do latim textum: tecido) é uma unidade básica de
Lembre-se de que os parágrafos não estão organizados, pelo
organização e transmissão de ideias, conceitos e informações de
menos em um bom texto, de maneira aleatória, se estão no lugar
modo geral. Em sentido amplo, uma escultura, um quadro, um
que estão, é porque ali se fazem necessários, estabelecendo
símbolo, um sinal de trânsito, uma foto, um filme, uma novela de
uma relação hierárquica do pensamento defendido, retomando
televisão também são formas textuais.
ideias supracitadas ou apresentando novos conceitos.
Para finalizar, concentre-se nas ideias que de fato foram
Interlocutor
explicitadas pelo autor: os textos argumentativos não costumam
É a pessoa a quem o texto se dirige.
conceder espaço para divagações ou hipóteses, supostamente
contidas nas entrelinhas. Devemos nos ater às ideias do autor,
Texto-modelo
isso não quer dizer que você precise ficar preso na superfície
“Não é preciso muito para sentir ciúme. Bastam três – você,
do texto, mas é fundamental que não criemos, à revelia do
uma pessoa amada e uma intrusa. Por isso todo mundo sente.
autor, suposições vagas e inespecíficas. Quem lê com cuidado
Se sua amiga disser que não, está mentindo ou se enganando.
certamente incorre menos no risco de tornar-se um analfabeto
Quem agüenta ver o namorado conversando todo animado com
funcional e ler com atenção é um exercício que deve ser
outra menina sem sentir uma pontinha de não-sei-o-quê? (…)
praticado à exaustão, assim como uma técnica, que fará de nós
É normal você querer o máximo de atenção do seu namorado,
leitores proficientes e sagazes. Agora que você já conhece nossas
das suas amigas, dos seus pais. Eles são a parte mais importante
dicas, desejamos a você uma boa leitura e bons estudos!
da sua vida.”
Fonte: http://portugues.uol.com.br/redacao/dicas-para-uma-boa-
(Revista Capricho)
interpretacao-texto.html
Modelo de Perguntas
1) Considerando o texto-modelo, é possível identificar quem
Questões
é o seu interlocutor preferencial?
Um leitor jovem.
O uso da bicicleta no Brasil
2) Quais são as informações (explícitas ou não) que permitem
A utilização da bicicleta como meio de locomoção no Brasil
a você identificar o interlocutor preferencial do texto?
ainda conta com poucos adeptos, em comparação com países
Do contexto podemos extrair indícios do interlocutor
como Holanda e Inglaterra, por exemplo, nos quais a bicicleta
preferencial do texto: uma jovem adolescente, que pode ser
é um dos principais veículos nas ruas. Apesar disso, cada vez
acometida pelo ciúme. Observa-se ainda , que a revista Capricho
mais pessoas começam a acreditar que a bicicleta é, numa
tem como público-alvo preferencial: meninas adolescentes.
comparação entre todos os meios de transporte, um dos que
A linguagem informal típica dos adolescentes.
oferecem mais vantagens.
A bicicleta já pode ser comparada a carros, motocicletas
09 DICAS PARA MELHORAR A INTERPRETAÇÃO DE TEXTOS
e a outros veículos que, por lei, devem andar na via e jamais
01) Ler todo o texto, procurando ter uma visão geral do
na calçada. Bicicletas, triciclos e outras variações são todos
assunto;
considerados veículos, com direito de circulação pelas ruas e
02) Se encontrar palavras desconhecidas, não interrompa a
prioridade sobre os automotores.
leitura;
Alguns dos motivos pelos quais as pessoas aderem à bicicleta
03) Ler, ler bem, ler profundamente, ou seja, ler o texto pelo
no dia a dia são: a valorização da sustentabilidade, pois as bikes
menos duas vezes;
não emitem gases nocivos ao ambiente, não consomem petróleo
04) Inferir;
e produzem muito menos sucata de metais, plásticos e borracha;
05) Voltar ao texto tantas quantas vezes precisar;
a diminuição dos congestionamentos por excesso de veículos
06) Não permitir que prevaleçam suas ideias sobre as do
motorizados, que atingem principalmente as grandes cidades; o
autor;
favorecimento da saúde, pois pedalar é um exercício físico muito
07) Fragmentar o texto (parágrafos, partes) para melhor
bom; e a economia no combustível, na manutenção, no seguro e,
compreensão;
claro, nos impostos.
08) Verificar, com atenção e cuidado, o enunciado de cada
No Brasil, está sendo implantado o sistema de
questão;
compartilhamento de bicicletas. Em Porto Alegre, por exemplo,
09) O autor defende ideias e você deve percebê-las;
o BikePOA é um projeto de sustentabilidade da Prefeitura, em
Fonte: http://portuguesemfoco.com/09-dicas-para-melhorar-a-
parceria com o sistema de Bicicletas SAMBA, com quase um
interpretacao-de-textos-em-provas/
ano de operação. Depois de Rio de Janeiro, São Paulo, Santos,
Sorocaba e outras cidades espalhadas pelo país aderirem a

Língua Portuguesa 1
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
esse sistema, mais duas capitais já estão com o projeto pronto Considerando a relação entre o título e a imagem, é correto
em 2013: Recife e Goiânia. A ideia do compartilhamento é concluir que um dos temas diretamente explorados no cartum é
semelhante em todas as cidades. Em Porto Alegre, os usuários (A) o aumento da circulação de ciclistas nas vias públicas.
devem fazer um cadastro pelo site. O valor do passe mensal é (B) a má qualidade da pavimentação em algumas ruas.
R$ 10 e o do passe diário, R$ 5, podendo-se utilizar o sistema (C) a arbitrariedade na definição dos valores das multas.
durante todo o dia, das 6h às 22h, nas duas modalidades. Em (D) o número excessivo de automóveis nas ruas.
todas as cidades que já aderiram ao projeto, as bicicletas estão (E) o uso de novas tecnologias no transporte público.
espalhadas em pontos estratégicos.
A cultura do uso da bicicleta como meio de locomoção 04. Considere o cartum de Douglas Vieira.
não está consolidada em nossa sociedade. Muitos ainda não Televisão
sabem que a bicicleta já é considerada um meio de transporte,
ou desconhecem as leis que abrangem a bike. Na confusão de
um trânsito caótico numa cidade grande, carros, motocicletas,
ônibus e, agora, bicicletas, misturam-se, causando, muitas vezes,
discussões e acidentes que poderiam ser evitados.
Ainda são comuns os acidentes que atingem ciclistas. A
verdade é que, quando expostos nas vias públicas, eles estão
totalmente vulneráveis em cima de suas bicicletas. Por isso
é tão importante usar capacete e outros itens de segurança. A
maior parte dos motoristas de carros, ônibus, motocicletas e
caminhões desconhece as leis que abrangem os direitos dos
ciclistas. Mas muitos ciclistas também ignoram seus direitos
e deveres. Alguém que resolve integrar a bike ao seu estilo de
vida e usá-la como meio de locomoção precisa compreender (http://iiiconcursodecartumuniversitario.blogspot.com.br.
que deverá gastar com alguns apetrechos necessários para Adaptado)
poder trafegar. De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro,
as bicicletas devem, obrigatoriamente, ser equipadas com É correto concluir que, de acordo com o cartum,
campainha, sinalização noturna dianteira, traseira, lateral e nos (A) os tipos de entretenimento disponibilizados pelo livro ou
pedais, além de espelho retrovisor do lado esquerdo. pela TV são equivalentes.
(Bárbara Moreira, http://www.eusoufamecos.net. Adaptado) (B) o livro, em comparação com a TV, leva a uma imaginação
mais ativa.
01. De acordo com o texto, o uso da bicicleta como meio de (C) o indivíduo que prefere ler a assistir televisão é alguém
locomoção nas metrópoles brasileiras que não sabe se distrair.
(A) decresce em comparação com Holanda e Inglaterra (D) a leitura de um bom livro é tão instrutiva quanto assistir
devido à falta de regulamentação. a um programa de televisão.
(B) vem se intensificando paulatinamente e tem sido (E) a televisão e o livro estimulam a imaginação de modo
incentivado em várias cidades. idêntico, embora ler seja mais prazeroso.
(C) tornou-se, rapidamente, um hábito cultivado pela
maioria dos moradores. Leia o texto para responder às questões:
(D) é uma alternativa dispendiosa em comparação com os
demais meios de transporte. Propensão à ira de trânsito
(E) tem sido rejeitado por consistir em uma atividade
arriscada e pouco salutar. Dirigir um carro é estressante, além de inerentemente
perigoso. Mesmo que o indivíduo seja o motorista mais seguro
02. A partir da leitura, é correto concluir que um dos do mundo, existem muitas variáveis de risco no trânsito, como
objetivos centrais do texto é clima, acidentes de trânsito e obras nas ruas.
(A) informar o leitor sobre alguns direitos e deveres do E com relação a todas as outras pessoas nas ruas? Algumas
ciclista. não são apenas maus motoristas, sem condições de dirigir, mas
(B) convencer o leitor de que circular em uma bicicleta é também se engajam num comportamento de risco – algumas até
mais seguro do que dirigir um carro. agem especificamente para irritar o outro motorista ou impedir
(C) mostrar que não há legislação acerca do uso da bicicleta que este chegue onde precisa.
no Brasil. Essa é a evolução de pensamento que alguém poderá
(D) explicar de que maneira o uso da bicicleta como meio de ter antes de passar para a ira de trânsito de fato, levando um
locomoção se consolidou no Brasil. motorista a tomar decisões irracionais.
(E) defender que, quando circular na calçada, o ciclista deve Dirigir pode ser uma experiência arriscada e emocionante.
dar prioridade ao pedestre. Para muitos de nós, os carros são a extensão de nossa
personalidade e podem ser o bem mais valioso que possuímos.
03. Considere o cartum de Evandro Alves. Dirigir pode ser a expressão de liberdade para alguns, mas
Afogado no Trânsito também é uma atividade que tende a aumentar os níveis de
estresse, mesmo que não tenhamos consciência disso no
momento.
Dirigir é também uma atividade comunitária. Uma vez que
entra no trânsito, você se junta a uma comunidade de outros
motoristas, todos com seus objetivos, medos e habilidades ao
volante. Os psicólogos Leon James e Diane Nahl dizem que um
dos fatores da ira de trânsito é a tendência de nos concentrarmos
em nós mesmos, descartando o aspecto comunitário do ato de
dirigir.
Como perito do Congresso em Psicologia do Trânsito, o
Dr. James acredita que a causa principal da ira de trânsito não
são os congestionamentos ou mais motoristas nas ruas, e sim
como nossa cultura visualiza a direção agressiva. As crianças
aprendem que as regras normais em relação ao comportamento
(http://iiiconcursodecartumuniversitario.blogspot.com.br) e à civilidade não se aplicam quando dirigimos um carro. Elas
podem ver seus pais envolvidos em comportamentos de disputa

Língua Portuguesa 2
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
ao volante, mudando de faixa continuamente ou dirigindo em As promessas divinas da Esperança…”
alta velocidade, sempre com pressa para chegar ao destino. (Castro Alves)
Para complicar as coisas, por vários anos psicólogos
sugeriam que o melhor meio para aliviar a raiva era descarregar Observações:
a frustração. Estudos mostram, no entanto, que a descarga de - No início dos versos que não abrem período, é facultativo o
frustrações não ajuda a aliviar a raiva. Em uma situação de ira uso da letra maiúscula.
de trânsito, a descarga de frustrações pode transformar um
incidente em uma violenta briga. Por Exemplo:
Com isso em mente, não é surpresa que brigas violentas “Aqui, sim, no meu cantinho,
aconteçam algumas vezes. A maioria das pessoas está vendo rir-me o candeeiro,
predisposta a apresentar um comportamento irracional quando gozo o bem de estar sozinho
dirige. Dr. James vai ainda além e afirma que a maior parte das e esquecer o mundo inteiro.”
pessoas fica emocionalmente incapacitada quando dirige. O que
deve ser feito, dizem os psicólogos, é estar ciente de seu estado - Depois de dois pontos, não se tratando de citação direta, usa-
emocional e fazer as escolhas corretas, mesmo quando estiver se letra minúscula.
tentado a agir só com a emoção. Por Exemplo:
(Jonathan Strickland. Disponível em: http://carros.hsw.uol.com.br/ “Chegam os magos do Oriente, com suas dádivas: ouro,
furia-no-transito1 .htm. Acesso em: 01.08.2013. Adaptado) incenso, mirra.” (Manuel Bandeira)

05. Tomando por base as informações contidas no texto, é b) Nos antropônimos, reais ou fictícios.
correto afirmar que Exemplos:
(A) os comportamentos de disputa ao volante acontecem à Pedro Silva, Cinderela, D. Quixote.
medida que os motoristas se envolvem em decisões conscientes.
(B) segundo psicólogos, as brigas no trânsito são causadas c) Nos topônimos, reais ou fictícios.
pela constante preocupação dos motoristas com o aspecto Exemplos:
comunitário do ato de dirigir. Rio de Janeiro, Rússia, Macondo.
(C) para Dr. James, o grande número de carros nas ruas é
o principal motivo que provoca, nos motoristas, uma direção d) Nos nomes mitológicos.
agressiva. Exemplos:
(D) o ato de dirigir um carro envolve uma série de Dionísio, Netuno.
experiências e atividades não só individuais como também
sociais. e) Nos nomes de festas e festividades.
(E) dirigir mal pode estar associado à falta de controle das Exemplos:
emoções positivas por parte dos motoristas. Natal, Páscoa, Ramadã.

Respostas f) Em siglas, símbolos ou abreviaturas internacionais.


1. (B) / 2. (A) / 3. (D) / 4. (B) / 5. (D) Exemplos:
ONU, Sr., V. Ex.ª.
Alfabeto. Vogal, semivogal e
g) Nos nomes que designam altos conceitos religiosos,
consoantes, letras maiúsculas e políticos ou nacionalistas.
minúsculas. Exemplos:
Igreja (Católica, Apostólica, Romana), Estado, Nação, Pátria,
União, etc.
O Alfabeto
O alfabeto da língua portuguesa é formado por 26 letras. Cada Observação: esses nomes escrevem-se com inicial minúscula
letra apresenta uma forma minúscula e outra maiúscula. Veja: quando são empregados em sentido geral ou indeterminado.
Exemplo:
a A (á) b B (bê) Todos amam sua pátria.
c C (cê) d D (dê)
e E (é) f F (efe) Emprego FACULTATIVO de letra maiúscula:
g G (gê ou guê) h H (agá) a) Nos nomes de logradouros públicos, templos e edifícios.
i I (i) j J (jota) Exemplos:
k K (cá) l L (ele) Rua da Liberdade ou rua da Liberdade
m M (eme) n N (ene) Igreja do Rosário ou igreja do Rosário
o O (ó) p P (pê) Edifício Azevedo ou edifício Azevedo
q Q (quê) r R (erre)
s S (esse) t T (tê) 2) Utiliza-se inicial minúscula:
u U (u) v V (vê) a) Em todos os vocábulos da língua, nos usos correntes.
w W (dáblio) x X (xis) Exemplos:
y Y (ípsilon) z Z (zê) carro, flor, boneca, menino, porta, etc.

Observação: emprega-se também o ç, que representa o b) Nos nomes de meses, estações do ano e dias da semana.
fonema /s/ diante das letras: a, o, e u em determinadas palavras. Exemplos:
janeiro, julho, dezembro, etc.
Emprego das Iniciais Maiúsculas e Minúsculas segunda, sexta, domingo, etc.
1) Utiliza-se inicial maiúscula: primavera, verão, outono, inverno
a) No começo de um período, verso ou citação direta.
Exemplos: c) Nos pontos cardeais.
Disse o Padre Antonio Vieira: “Estar com Cristo em qualquer Exemplos:
lugar, ainda que seja no inferno, é estar no Paraíso.” Percorri o país de norte a sul e de leste a oeste.
Estes são os pontos colaterais: nordeste, noroeste, sudeste,
“Auriverde pendão de minha terra, sudoeste.
Que a brisa do Brasil beija e balança,
Estandarte que à luz do sol encerra

Língua Portuguesa 3
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Observação: quando empregados em sua forma absoluta, os ss - isso, pássaro
pontos cardeais são grafados com letra maiúscula. gu - guincho, joguinho
Exemplos: qu - quiabo, aquilo
Nordeste (região do Brasil) sc - nascer, descer
Ocidente (europeu) sç - cresça, desça
Oriente (asiático) xc - excelente, excêntrico

Lembre-se: Também são dígrafos os grupos que servem para representar


Depois de dois-pontos, não se tratando de citação direta, usa- as vogais nasais. São eles:
se letra minúscula. am - campo
an - anta
em - embora
Exemplo: en - tentar
“Chegam os magos do Oriente, com suas dádivas: ouro, im - importar
incenso, mirra.” (Manuel Bandeira) in - findo
om - bomba
Emprego FACULTATIVO de letra minúscula: on - desponta
a) Nos vocábulos que compõem uma citação bibliográfica. um - atum
Exemplos: un - profundo
Crime e Castigo ou Crime e castigo
Grande Sertão: Veredas ou Grande sertão: veredas Não confunda os fonemas com as letras. Fonema é um
Em Busca do Tempo Perdido ou Em busca do tempo perdido elemento acústico e a letra é um sinal gráfico que representa
o fonema. Nem sempre o número de fonemas de uma palavra
b) Nas formas de tratamento e reverência, bem como em corresponde ao número de letras que usamos para escrevê-la.
nomes sagrados e que designam crenças religiosas. Na palavra chuva, por exemplo, temos quatro fonemas, isto é,
Exemplos: quatro unidades sonoras [xuva] e cinco letras.
Governador Mário Covas ou governador Mário Covas Certos fonemas podem ser representados por diferentes
Papa João Paulo II ou papa João Paulo II letras. É o caso do fonema /s/, que pode ser representado por: s
Excelentíssimo Senhor Reitor ou excelentíssimo senhor reitor (pensar) – ss (passado) – x (trouxe) – ç (caçar) – sc (nascer) – xc
Santa Maria ou santa Maria. (excelente) – c (cinto) – sç (desço)
Às vezes, a letra “x” pode representar mais de um fonema,
c) Nos nomes que designam domínios de saber, cursos e como na palavra táxi. Nesse caso, o “x” representa dois sons,
disciplinas. pois lemos “táksi”. Portanto, a palavra táxi tem quatro letras e
Exemplos: cinco fonemas.
Português ou português Em certas palavras, algumas letras não representam nenhum
Línguas e Literaturas Modernas ou línguas e literaturas fonema, como a letra h, por exemplo, em palavras como hora,
modernas hoje, etc., ou como as letras m e n quando são usadas apenas
História do Brasil ou história do Brasil para indicar a nasalização de uma vogal, como em canto, tinta,
Arquitetura ou arquitetura etc.

Fonte: http://www.soportugues.com.br/secoes/fono/ Classificação dos Fonemas


fono24.php Vogais: são fonemas que saem livremente pelo canal bucal.
(a, e, i, o, u)
Consoantes: são fonemas produzidos com obstáculos à
Encontro vocálico. Encontro passagem da corrente expiratória (b, c, d, f, g, h, j, k, l, m, n, p, q,
consonantal. Dígrafos. r, s, t, v, x, w, y, z).

Semivogais: são as vogais I ou U, quando acompanhadas de


Letra e fonema outra vogal na mesma sílaba, formando, assim, um ditongo ou
tritongo.
Fonema é som da fala. Letra é o sinal gráfico que representa Exemplo: CASEIRO
o som da fala.
O sistema fonético do português falado no Brasil registra um Sílaba: fonema ou grupo de fonemas emitidos de uma só vez.
número aproximado de 33 fonemas. Já o alfabeto português é Exemplo: Acaso (a - ca - so).
constituído de 26 letras.
O número de fonemas nem sempre é igual ao número de ENCONTROS VOCÁLICOS
letra em uma palavra: Ditongo: é o encontro de uma vogal e de uma semivogal ou
Duas letras podem representar um só fonema - carroça; vice-versa na mesma sílaba.
assalto; chave... Os ditongos podem ser: orais ou nasais, crescentes ou
A letra x pode representar dois fonemas ao mesmo tempo - decrescentes.
fixo (/k//s/); táxi (/k//s/) Ditongos orais: quando a vogal e a semivogal são orais.
Há letras que não representam fonemas, mas são apenas Exemplo: pai - fui - partiu
símbolo de nasalidade - canto [cãto], santo [sãto]; falam [falã] Ditongos nasais: quando a vogal e a semivogal são nasais.
Exemplo: mãe - muito - quando
Observação: Ditongos crescentes: quando constituído por uma
A letra H não corresponde a nenhum som. É apenas um semivogal e uma vogal na mesma sílaba, isto é, quando a
símbolo de aspiração, que permanece em nosso alfabeto por semivogal antecede a vogal. Exemplo: lírio - história
força da etimologia e da tradição. Ditongos decrescentes: quando formados por uma vogal e
uma semivogal, isto é, a vogal antecede a semivogal. Exemplo:
DÍGRAFO pai - mau
Dígrafo - é o conjunto de duas letras que representam um só Tritongos: é o encontro de uma vogal entre duas semivogais
fonema. São dígrafos: na mesma sílaba.
ch - chave, achar Tritongos orais: quais - averiguei - enxaguei
lh - lhama, telha Tritongos nasais: enxáguam - saguão - deságuem
nh - ninho, menininho Hiatos: é o encontro de duas vogais em sílabas diferentes:
rr - terra, carro Exemplo: vôo (vô - o) - saúde (sa - ú - de)

Língua Portuguesa 4
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
CLASSIFICAÇÃO DAS VOGAIS DÍGRAFO OU DIGRAMA
1. Quanto a zona de articulação É o grupo de duas letras que representam um só fonema. Os
* anteriores ou palatais: quando à língua se eleva dígrafos podem ser consonantais ou vocálicos.
gradualmente para a frente. (/ É / - / Ê / - / I /) Dígrafos consonantais: CH, LH, NH, RR, SS, SC, SÇ. XC, XS,
*média: quando o fonema vocálico é emitido coma língua QU, GU.
baixa, quase em repouso. (/ A /) Dígrafos vocálicos: AM ou AN, EM ou EN, IM ou IN, OM ou
*posteriores ou velares: quando a língua se eleva para trás. ON, UM ou UN.
(/ Õ / - / Ô / - / U /)
LETRAS (DIACRÍTICA E ETIMOLÓGICA)
2. Quanto à intensidade Diacrítica: é a segunda letra de dígrafo. Exemplo: chave -
* átonas - são aquelas que se pronunciam com menor campo
intensidade ( casa, rosa, Pelé). Etimológica: é o h sem valor fonético . Exemplo: hoje - haver.
* tônicas - são as que se pronunciam com maior intensidade,
isto é, onde cai o acento tônico (casa, rosa , Pelé). CONTAGEM DE FONEMAS
1.dígrafo: vale 1 fonema
3. Quanto ao Timbre 2.x - ks: vale 2 fonemas
*abertas: maior abertura do tubo vocal. (pá, pé, pó) 3.letra etimológica: não valem fonema algum
*fechadas: menor abertura do tubo vocal. (vê, vinda, avô, 4.Exemplos: (chave -> 5 letras e 4 fonemas) (fixo -> 4 letras e
mundo) 5 fonemas) (hoje -> 4 letras e 3 fonemas).

4. Quanto ao papel das cavidades bucal e nasal: as vogais Fonte: http://www.mundovestibular.com.br/articles/2445/1/


podem ser orais e nasais CLASSIFICACAO-DOS-FONEMAS/Paacutegina1.html
* orais: são aquelas cuja ressonância se dá na boca: ( par, fé,
negro, vida, voto, povo, tudo) Questões
* nasais: são aquelas cuja ressonância se dá no nariz (lã,
pente - cinco - conto - mundo) 01. A palavra que apresenta tantos fonemas quantas são as
letras que a compõem é:
CLASSIFICAÇÃO DAS CONSOANTES (A) importância
1.Quanto ao modo de articulação: (B) milhares
* oclusivas: quando a corrente expiratória encontra um (C) sequer
obstáculo total (oclusão), que impede a saída do ar, explodindo (D) técnica
subitamente. / P / - / T / - / K / - / B / - / D / - / G / (E) adolescente
* constritivas: quando há um estreitamento do canal bucal,
saindo a corrente de ar apertada ou constrita, ou melhor, quando 02. Em qual das palavras abaixo a letra x apresenta não um,
o obstáculo é parcial. mas dois fonemas?
* fricativas: quando a corrente expiratória passa por uma (A) exemplo
estreita fenda, o que produz um ruído comparável a um fricção. (B) complexo
/F/-/S/-/X/-/N/-/Z/-/J/ (C) próximos
* laterais: quando a ponta ou dorso da língua se apóia (D) executivo
no palato (céu da boca), saindo a corrente de ar pelas fendas (E) luxo
laterais da boca. / L / - / LH /
* vibrantes: quando a ponta mantém com os alvéolos contato 03. Marque a opção que apresenta uma palavra classificada
intermitente, o que acarreta um movimento vibratório rápido, como trissílaba.
abrindo e fechando a passagem à corrente expiratória. / R / - / (A) Alimentação
RR / (B) Carentes
(C) Instrumento
2. Quanto ao ponto de articulação: (D) Fome
* bilabiais: quando há contato dos lábios. (E) Repetência
* labiodentais: quando há contato da ponta da língua com a
arcada dentária superior. 04. Indique a alternativa cuja sequência de vocábulos
* alveolares: quando há contato da ponta da língua com os apresenta, na mesma ordem, o seguinte: ditongo, hiato, hiato,
alvéolos dos dentes superiores. ditongo.
* palatais: quando há contato do dorso da língua com o (A) jamais / Deus / luar / daí
palato duro, ou céu da boca. (B) joias / fluir / jesuíta / fogaréu
* velares: quando há contato da parte posterior da língua (C) ódio / saguão / leal / poeira
com o palato mole, o véu palatino. (D) quais / fugiu / caiu / história

3.Quanto ao papel das cordas vocais: 05. Os vocabulários passarinho e querida possuem:
* surdas:quando são produzidas sem vibração as cordas (A) 6 e 8 fonemas respectivamente;
vocais. / P / - / T / - / K / - / F / - / S / - / X / (B)10 e 7 fonemas respectivamente;
* sonoras: quando são produzidas por vibração das cordas (C) 9 e 6 fonemas respectivamente;
vocais. (/ B / - / D / - / G / - / V / - / Z / - / J / - / L /- / LH / - / (D) 8 e 6 fonemas respectivamente;
R / - / RR / - / M / - / N / - / NH /) (E) 7 e 6 fonemas respectivamente.

4.Quanto ao papel das cavidades bucal e nasal: Respostas


* nasais: quando a corrente expiratória se desenvolve pela
boca e pelo nariz, em virtude do abaixamento do véu palatino. / 01. (D) (Em d, a palavra possui 7 fonemas e 7 letras. Nas
M / - / N / - / NH / demais alternativas, tem-se: a) 10 fonemas / 11 letras; b) 7
*orais: quando a corrente expiratória sai exclusivamente fonemas / 8 letras; c) 5 fonemas / 6 letras; e) 9 fonemas / 11
pela boca. letras).

ENCONTRO CONSONANTAL 02. (B) (a palavra complexo, o x equivale ao fonema /ks/).


É o encontro de duas ou mais consoantes na mesma sílaba
ou em sílabas diferentes Exemplo: su-bli-me 03. (B)
(A) Alimentação = a-li-men-ta-ção - polissílaba

Língua Portuguesa 5
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
(B) Carentes = ca-ren-tes - trissílaba - Oxítonos: são aqueles cuja sílaba tônica é a última. Exemplos:
(C) Instrumento = ins-tru-men-to - polissílaba avó, urubu, parabéns
(D) Fome = fo-me - dissílaba - Paroxítonos: são aqueles cuja sílaba tônica é a penúltima.
(E) Repetência = re-pe-tên-cia – polissílaba Exemplos: dócil, suavemente, banana
- Proparoxítonos: são aqueles cuja sílaba tônica é a
04. (B) (Observe os encontros: oi, u - i, u - í e eu). antepenúltima. Exemplos: máximo, parábola, íntimo

05. (D) Saiba que:


- São palavras oxítonas, entre outras: cateter, mister, Nobel,
novel, ruim, sutil, transistor, ureter.
Sílaba: número de sílabas, sílaba - São palavras paroxítonas, entre outras: avaro, aziago,
tônica e sua classificação. boêmia, caracteres, cartomancia, celtibero, circuito, decano,
filantropo, fluido, fortuito, gratuito, Hungria, ibero, impudico,
inaudito, intuito, maquinaria, meteorito, misantropo, necropsia
Sílaba (alguns dicionários admitem também necrópsia), Normandia,
pegada, policromo, pudico, quiromancia, rubrica, subido (a).
A palavra amor está dividida em grupos de fonemas - São palavras proparoxítonas, entre outras: aerólito, bávaro,
pronunciados separadamente: a - mor. A cada um desses grupos bímano, crisântemo, ímprobo, ínterim, lêvedo, ômega, pântano,
pronunciados numa só emissão de voz dá-se o nome de sílaba. trânsfuga.
Em nossa língua, o núcleo da sílaba é sempre uma vogal: não - As seguintes palavras, entre outras, admitem dupla
existe sílaba sem vogal e nunca há mais do que uma vogal em  tonicidade: acróbata/acrobata, hieróglifo/hieroglifo, Oceânia/
cada sílaba. Dessa forma, para sabermos o número de sílabas Oceania, ortoépia/ortoepia, projétil/projetil, réptil/reptil,
de uma palavra, devemos perceber quantas vogais tem essa zângão/zangão.
palavra. Atenção: as letras i e u (mais raramente com as letras e
e o) podem representar semivogais. Questões:
 
Classificação das palavras quanto ao número de sílabas 01-Assinale o item em que a divisão silábica é incorreta:
- Monossílabas: possuem apenas uma sílaba. Exemplos: mãe, A) gra-tui-to;
flor, lá, meu; B) ad-vo-ga-do;
- Dissílabas: possuem duas sílabas. Exemplos: ca-fé, i-ra, a-í, C) tran-si-tó-ri-o;
trans-por; D) psi-co-lo-gi-a;
- Trissílabas: possuem três sílabas. Exemplos: ci-ne-ma, pró- E) in-ter-stí-cio.
xi-mo, pers-pi-caz, O-da-ir;
- Polissílabas: possuem quatro ou mais sílabas. Exemplos:
a-ve-ni-da, li-te-ra-tu-ra, a-mi-ga-vel-men-te, o-tor-ri-no-la-rin- 02-Assinale o item em que a separação silábica é incorreta:
go-lo-gis-ta. A) psi-có-ti-co;
B) per-mis-si-vi-da-de;
Divisão Silábica C) as-sem-ble-ia;
Na divisão silábica das palavras, cumpre observar as D) ob-ten-ção;
seguintes normas: E) fa-mí-lia.
- Não se separam os ditongos e tritongos. Exemplos: foi-ce,
a-ve-ri-guou; 03-Assinale o item em que todos os vocábulos têm as sílabas
- Não se separam os dígrafos ch, lh, nh, gu, qu. Exemplos: cha- corretamente separadas:
ve, ba-ra-lho, ba-nha, fre-guês, quei-xa; A) al-dei-a, caa-tin-ga , tran-si-ção;
- Não se separam os encontros consonantais que iniciam B) pro-sse-gui-a, cus-tó-dia, trans-ver-sal;
sílaba. Exemplos: psi-có-lo-go, re-fres-co; C) a-bsur-do, pra-ia, in-cons-ci-ên-cia;
- Separam-se as vogais dos hiatos. Exemplos: ca-a-tin-ga, fi- D) o-ccip-tal, gra-tui-to, ab-di-car;
el, sa-ú-de; E) mis-té-ri-o, ap-ti-dão, sus-ce-tí-vel.
- Separam-se as letras dos dígrafos rr, ss, sc, sç xc. Exemplos:
car-ro, pas-sa-re-la, des-cer, nas-ço, ex-ce-len-te; 04-Assinale o item em que todas as sílabas estão
- Separam-se os encontros consonantais das sílabas internas, corretamente separadas:
excetuando-se aqueles em que a segunda consoante é l ou r. A) a-p-ti-dão;
Exemplos: ap-to, bis-ne-to, con-vic-ção, a-brir, a-pli-car. B) so-li-tá-rio;
C) col-me-i-a;
Acento Tônico D) ar-mis-tí-ci-o;
Na emissão de uma palavra de duas ou mais sílabas, percebe- E) trans-a-tlân-ti-co.
se que há uma sílaba de maior intensidade sonora do que as
demais. 05- Assinale o item em que a divisão silábica está errada:
calor - a sílaba lor é a de maior intensidade. A) tran-sa-tlân-ti-co / de-sin-fe-tar;
faceiro - a sílaba cei é a de maior intensidade. B) subs-ta-be-le-cer / de-su-ma-no;
sólido - a sílaba só é a de maior intensidade. C) cis-an-di-no / sub-es-ti-mar;
Obs.: a presença da sílaba de maior intensidade nas palavras, D) ab-di-ca-ção / a-bla-ti-vo;
em meio à sílabas de menor intensidade, é um dos elementos E) fri-is-si-mo / ma-ci-is-si-mo.
que dão melodia à frase.
  Respostas
Classificação da sílaba quanto à intensidade 01-E / 02-C / 03-E / 04-B / 05-C
-Tônica: é a sílaba pronunciada com maior intensidade.
- Átona:  é a sílaba pronunciada com menor intensidade.
- Subtônica: é a sílaba de intensidade intermediária. Ocorre, Frases afirmativas e negativas.
principalmente, nas palavras derivadas, correspondendo à
tônica da palavra primitiva. 

Classificação das palavras quanto à posição da sílaba Frase: é todo enunciado capaz de transmitir, a quem nos
tônica ouve ou lê, tudo o que pensamos, queremos ou sentimos. Pode
De acordo com a posição da sílaba tônica, os vocábulos revestir as mais variadas formas, desde a simples palavra até
da língua portuguesa que contêm  duas ou mais sílabas são o período mais complexo, elaborado segundo os padrões
classificados em: sintáticos do idioma. São exemplos de frases:

Língua Portuguesa 6
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Socorro! explora a ironia. Pense, por exemplo, na frase “Que educação!”,
Muito obrigado! usada quando se vê alguém invadindo, com seu carro, a faixa de
Que horror! pedestres. Nesse caso, ela expressa exatamente o contrário do
Sentinela, alerta! que aparentemente diz.
Cada um por si e Deus por todos. A entoação é um elemento muito importante da frase falada,
Grande nau, grande tormenta. pois nos dá uma ampla possibilidade de expressão. Dependendo
Por que agridem a natureza? de como é dita, uma frase simples como «É ela.» pode indicar
“Tudo seco em redor.” (Graciliano Ramos) constatação, dúvida, surpresa, indignação, decepção, etc.
“Boa tarde, mãe Margarida!” (Graciliano Ramos) A mesma frase pode assumir sentidos diferentes, conforme o
“Fumaça nas chaminés, o céu tranquilo, limpo o terreiro.” tom com que a proferimos. Observe:
(Adonias Filho) Olavo esteve aqui.
“As luzes da cidade estavam amortecidas.” (Érico Veríssimo) Olavo esteve aqui?
“Tropas do exército regular do Sul, ajustadas pelos Olavo esteve aqui?!
seus aliados brancos de além mar, tinham sido levadas em Olavo esteve aqui!
helicópteros para o lugar onde se presumia estivesse o inimigo,
mas este se havia sumido por completo.” (Érico Veríssimo) Questões

As frases são proferidas com entoação e pausas especiais, 01. Marque apenas as frases nominais:
indicadas na escrita pelos sinais de pontuação. Muitas frases, (A) Que voz estranha!
principalmente as que se desviam do esquema sujeito + (B) A lanterna produzia boa claridade.
predicado, só podem ser entendidas dentro do contexto (= (C) As risadas não eram normais.
o escrito em que figuram) e na situação (= o ambiente, as (D) Luisinho, não!
circunstâncias) em que o falante se encontra. Chamam-se frases
nominais as que se apresentam sem o verbo. 02. Classifique as frases em declarativa, interrogativa,
Exemplo: Tudo parado e morto. exclamativa, optativa ou imperativa.
(A) Você está bem?
Quanto ao sentido, as frases podem ser: (B) Não olhe; não olhe, Luisinho!
(C) Que alívio!
Declarativas: aquela através da qual se enuncia algo, (D) Tomara que Luisinho não fique impressionado!
de forma afirmativa ou negativa. Encerram a declaração ou (E) Você se machucou?
enunciação de um juízo acerca de alguém ou de alguma coisa: (F) A luz jorrou na caverna.
Paulo parece inteligente. (afirmativa) (G) Agora suma, seu monstro!
Nunca te esquecerei. (negativa) (H) O túnel ficava cada vez mais escuro.
Neli não quis montar o cavalo velho, de pelo ruço. (negativa)
03. Transforme a frase declarativa em imperativa. Siga o
Interrogativas: aquela da qual se pergunta algo, direta modelo:
(com ponto de interrogação) ou indiretamente (sem ponto de Luisinho ficou pra trás. (declarativa)
interrogação). São uma pergunta, uma interrogação: Lusinho, fique para trás. (imperativa)
Por que chegaste tão tarde?  
Gostaria de saber que horas são. (A) Eugênio e Marcelo caminhavam juntos.
“Por que faço eu sempre o que não queria” (Fernando Pessoa) (B) Luisinho procurou os fósforos no bolso.
(C) Os meninos olharam à sua volta.
Imperativas: aquela através da qual expressamos uma
ordem, pedido ou súplica, de forma afirmativa ou negativa. Respostas
Contém uma ordem, proibição, exortação ou pedido:
“Cale-se! Respeite este templo.” (afirmativa) 01. “a” e “d”
Não cometa imprudências. (negativa)
“Não me leves para o mar.” (negativa) 02. a) interrogativa; b) imperativa; c) exclamativa; d)
optativa; e) interrogativa; f) declarativa; g) imperativa; h)
Exclamativas: aquela através da qual externamos uma declarativa
admiração. Traduzem admiração, surpresa, arrependimento,
etc.: 03. a) Eugênio e Marcelo, caminhem juntos!; b) Luisinho,
Como eles são audaciosos! procure os fósforos no bolso!; c) Meninos, olhem à sua volta!
Não voltaram mais!

Optativas: É aquela através da qual se exprime um desejo: Sinais de pontuação: ponto


Bons ventos o levem! final, dois pontos, ponto de
Oxalá não sejam vãos tantos sacrifícios! interrogação e ponto de
“E queira Deus que te não enganes, menino!” (Carlos de Laet) exclamação.
Imprecativas: Encerram uma imprecação (praga, maldição):
“Esta luz me falte, se eu minto, senhor!” (Camilo Castelo
Branco) Pontuação
“Não encontres amor nas mulheres!” (Gonçalves Dias)
“Maldito seja quem arme ciladas no seu caminho!” Os sinais de pontuação são marcações gráficas que servem
(Domingos Carvalho da Silva) para compor a coesão e a coerência textual além de ressaltar
especificidades semânticas e pragmáticas. Vejamos as principais
Como se vê dos exemplos citados, os diversos tipos de frase funções dos sinais de pontuação conhecidos pelo uso da língua
podem encerrar uma afirmação ou uma negação. No primeiro portuguesa.
caso, a frase é afirmativa, no segundo, negativa. O que caracteriza
e distingue esses diferentes tipos de frase é a entoação, ora Ponto
ascendente ora descendente. 1- Indica o término do discurso ou de parte dele.
Muitas vezes, as frases assumem sentidos que só podem ser - Façamos o que for preciso para tirá-la da situação em que
integralmente captados se atentarmos para o contexto em que se encontra.
são empregadas. É o caso, por exemplo, das situações em que se - Gostaria de comprar pão, queijo, manteiga e leite.

Língua Portuguesa 7
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
- Acordei. Olhei em volta. Não reconheci onde estava. c) entre nome e complemento nominal; entre nome e adjunto
adnominal.
2- Usa-se nas abreviações - V. Exª. - Sr. A surpreendente reação do governo contra os sonegadores
despertou reações entre os empresários.
Ponto e Vírgula ( ; ) adj. adnominal nome adj. adn. complemento nominal
1- Separa várias partes do discurso, que têm a mesma
importância. Usa-se a vírgula:
-  “Os pobres dão pelo pão o trabalho; os ricos dão pelo pão
a fazenda; os de espíritos generosos dão pelo pão a vida; os de - Para marcar intercalação:
nenhum espírito dão pelo pão a alma...” (VIEIRA)
a) do adjunto adverbial: O café, em razão da sua abundância,
2- Separa partes de frases que já estão separadas por vem caindo de preço.
vírgulas. b) da conjunção: Os cerrados são secos e áridos. Estão
- Alguns quiseram verão, praia e calor; outros montanhas, frio produzindo, todavia, altas quantidades de alimentos.
e cobertor. c) das expressões explicativas ou corretivas: As indústrias
não querem abrir mão de suas vantagens, isto é, não querem abrir
3- Separa itens de uma enumeração, exposição de motivos, mão dos lucros altos.
decreto de lei, etc.
- Ir ao supermercado; - Para marcar inversão:
- Pegar as crianças na escola;
- Caminhada na praia; a) do adjunto adverbial (colocado no início da oração):
- Reunião com amigos. Depois das sete horas, todo o comércio está de portas fechadas.
b) dos objetos pleonásticos antepostos ao verbo: Aos
Dois pontos pesquisadores, não lhes destinaram verba alguma.
1- Antes de uma citação c) do nome de lugar anteposto às datas: Recife, 15 de maio
- Vejamos como Afrânio Coutinho trata este assunto: de 1982.

2- Antes de um aposto - Para separar entre si elementos coordenados (dispostos


- Três coisas não me agradam: chuva pela manhã, frio à tarde em enumeração):
e calor à noite. Era um garoto de 15 anos, alto, magro.
A ventania levou árvores, e telhados, e pontes, e animais.
3- Antes de uma explicação ou esclarecimento
- Lá estava a deplorável família: triste, cabisbaixa, vivendo a - Para marcar elipse (omissão) do verbo:
rotina de sempre. Nós queremos comer pizza; e vocês, churrasco.

4- Em frases de estilo direto - Para isolar:


 Maria perguntou:
- Por que você não toma uma decisão? - o aposto:
São Paulo, considerada a metrópole brasileira, possui um
Ponto de Exclamação trânsito caótico.
1- Usa-se para indicar entonação de surpresa, cólera, susto,
súplica, etc. - o vocativo:
- Sim! Claro que eu quero me casar com você! Ora, Thiago, não diga bobagem.

2- Depois de interjeições ou vocativos Questões


- Ai! Que susto!
- João! Há quanto tempo! 01. Assinale a alternativa em que a pontuação está
corretamente empregada, de acordo com a norma-padrão da
Ponto de Interrogação língua portuguesa.
Usa-se nas interrogações diretas e indiretas livres.
“- Então? Que é isso? Desertaram ambos?” (Artur Azevedo) (A) Diante da testemunha, o homem abriu a bolsa e, embora,
Reticências experimentasse, a sensação de violar uma intimidade, procurou
1- Indica que palavras foram suprimidas. a esmo entre as coisinhas, tentando encontrar algo que pudesse
- Comprei lápis, canetas, cadernos... ajudar a revelar quem era a sua dona.
(B) Diante, da testemunha o homem abriu a bolsa e, embora
2- Indica interrupção violenta da frase. experimentasse a sensação, de violar uma intimidade, procurou
“- Não... quero dizer... é verdad... Ah!” a esmo entre as coisinhas, tentando encontrar algo que pudesse
ajudar a revelar quem era a sua dona.
3- Indica interrupções de hesitação ou dúvida (C) Diante da testemunha, o homem abriu a bolsa e, embora
- Este mal... pega doutor? experimentasse a sensação de violar uma intimidade, procurou
a esmo entre as coisinhas, tentando encontrar algo que pudesse
4- Indica que o sentido vai além do que foi dito ajudar a revelar quem era a sua dona.
- Deixa, depois, o coração falar... (D) Diante da testemunha, o homem, abriu a bolsa e, embora
experimentasse a sensação de violar uma intimidade, procurou
Vírgula a esmo entre as coisinhas, tentando, encontrar algo que pudesse
Não se usa vírgula ajudar a revelar quem era a sua dona.
*separando termos que, do ponto de vista sintático, ligam-se (E) Diante da testemunha, o homem abriu a bolsa e, embora,
diretamente entre si: experimentasse a sensação de violar uma intimidade, procurou
a) entre sujeito e predicado. a esmo entre as coisinhas, tentando, encontrar algo que pudesse
Todos os alunos da sala    foram advertidos.  ajudar a revelar quem era a sua dona.
Sujeito                            predicado
02. Assinale a opção em que está corretamente indicada a
b) entre o verbo e seus objetos. ordem dos sinais de pontuação que devem preencher as lacunas
O trabalho custou            sacrifício             aos realizadores.  da frase abaixo:
             V.T.D.I.              O.D.                      O.I.

Língua Portuguesa 8
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
“Quando se trata de trabalho científico ___ duas coisas devem
ser consideradas ____ uma é a contribuição teórica que o trabalho Gênero: masculino e feminino.
oferece ___ a outra é o valor prático que possa ter. Antônimos/sinônimos.
A) dois pontos, ponto e vírgula, ponto e vírgula Diminutivo/aumentativo.
B) dois pontos, vírgula, ponto e vírgula;
C) vírgula, dois pontos, ponto e vírgula;
D) pontos vírgula, dois pontos, ponto e vírgula; Caro(a) Candidato(a), os assuntos “Gênero: masculino e
E) ponto e vírgula, vírgula, vírgula. feminino e Diminutivo/aumentativo”, serão abordados no
assunto de Substantivo, no tópico de Classes de Palavras.
03. Os sinais de pontuação estão empregados corretamente
em: OBS: neste tópico abordaremos somente o assunto de
“Antônimos/sinônimos”.
A) Duas explicações, do treinamento para consultores
iniciantes receberam destaque, o conceito de PPD e a construção Sinônimos: são palavras de sentido igual ou aproximado.
de tabelas Price; mas por outro lado, faltou falar das metas de Exemplo:
vendas associadas aos dois temas. - Alfabeto, abecedário.
B) Duas explicações do treinamento para consultores - Brado, grito, clamor.
iniciantes receberam destaque: o conceito de PPD e a construção - Extinguir, apagar, abolir, suprimir.
de tabelas Price; mas, por outro lado, faltou falar das metas de - Justo, certo, exato, reto, íntegro, imparcial.
vendas associadas aos dois temas. Na maioria das vezes não é indiferente usar um sinônimo
C) Duas explicações do treinamento para consultores pelo outro. Embora irmanados pelo sentido comum, os
iniciantes receberam destaque; o conceito de PPD e a construção sinônimos diferenciam-se, entretanto, uns dos outros, por
matizes de significação e certas propriedades que o escritor não
de tabelas Price, mas por outro lado, faltou falar das metas de
pode desconhecer. Com efeito, estes têm sentido mais amplo,
vendas associadas aos dois temas.
aqueles, mais restrito (animal e quadrúpede); uns são próprios
D) Duas explicações do treinamento para consultores da fala corrente, desataviada, vulgar, outros, ao invés, pertencem
iniciantes, receberam destaque: o conceito de PPD e a construção à esfera da linguagem culta, literária, científica ou poética
de tabelas Price, mas, por outro lado, faltou falar das metas de (orador e tribuno, oculista e oftalmologista, cinzento e cinéreo).
vendas associadas aos dois temas.
E) Duas explicações, do treinamento para consultores A contribuição Greco-latina é responsável pela existência,
iniciantes, receberam destaque; o conceito de PPD e a construção em nossa língua, de numerosos pares de sinônimos. Exemplos:
de tabelas Price, mas por outro lado, faltou falar das metas, de - Adversário e antagonista.
vendas associadas aos dois temas. - Translúcido e diáfano.
- Semicírculo e hemiciclo.
04. Assinale a alternativa em que o período, adaptado da - Contraveneno e antídoto.
revista Pesquisa Fapesp de junho de 2012, está correto quanto à - Moral e ética.
regência nominal e à pontuação. - Colóquio e diálogo.
(A) Não há dúvida que as mulheres ampliam, rapidamente, - Transformação e metamorfose.
seu espaço na carreira científica ainda que o avanço seja mais - Oposição e antítese.
notável em alguns países, o Brasil é um exemplo, do que em O fato linguístico de existirem sinônimos chama-se sinonímia,
outros. palavra que também designa o emprego de sinônimos.
(B) Não há dúvida de que, as mulheres, ampliam rapidamente
seu espaço na carreira científica; ainda que o avanço seja mais Antônimos: são palavras de significação oposta. Exemplos:
notável, em alguns países, o Brasil é um exemplo!, do que em - Ordem e anarquia.
outros. - Soberba e humildade.
(C) Não há dúvida de que as mulheres, ampliam rapidamente - Louvar e censurar.
seu espaço, na carreira científica, ainda que o avanço seja mais - Mal e bem.
notável, em alguns países: o Brasil é um exemplo, do que em
outros. A antonímia pode originar-se de um prefixo de sentido
(D) Não há dúvida de que as mulheres ampliam rapidamente oposto ou negativo. Exemplos: Bendizer/maldizer, simpático/
seu espaço na carreira científica, ainda que o avanço seja mais antipático, progredir/regredir, concórdia/discórdia, explícito/
notável em alguns países – o Brasil é um exemplo – do que em implícito, ativo/inativo, esperar/desesperar, comunista/
outros. anticomunista, simétrico/assimétrico, pré-nupcial/pós-nupcial.
(E) Não há dúvida que as mulheres ampliam rapidamente,
seu espaço na carreira científica, ainda que, o avanço seja mais Questões
notável em alguns países (o Brasil é um exemplo) do que em
outros. 01. McLuhan já alertava que a aldeia global resultante das
mídias eletrônicas não implica necessariamente harmonia,
05. Assinale a alternativa em que a frase mantém-se correta implica, sim, que cada participante das novas mídias terá um
após o acréscimo das vírgulas. envolvimento gigantesco na vida dos demais membros, que terá
(A) Se a criança se perder, quem encontrá-la, verá na pulseira a chance de meter o bedelho onde bem quiser e fazer o uso que
instruções para que envie, uma mensagem eletrônica ao grupo quiser das informações que conseguir. A aclamada transparência
ou acione o código na internet. da coisa pública carrega consigo o risco de fim da privacidade
(B) Um geolocalizador também, avisará, os pais de onde o e a superexposição de nossas pequenas ou grandes fraquezas
código foi acionado. morais ao julgamento da comunidade de que escolhemos
(C) Assim que o código é digitado, familiares cadastrados, participar.
recebem automaticamente, uma mensagem dizendo que a Não faz sentido falar de dia e noite das redes sociais, apenas
criança foi encontrada. em número de atualizações nas páginas e na capacidade dos
(D) De fabricação chinesa, a nova pulseirinha, chega primeiro usuários de distinguir essas variações como relevantes no
às, areias do Guarujá. conjunto virtualmente infinito das possibilidades das redes. Para
(E) O sistema permite, ainda, cadastrar o nome e o telefone achar o fio de Ariadne no labirinto das redes sociais, os usuários
de quem a encontrou e informar um ponto de referência precisam ter a habilidade de identificar e estimar parâmetros,
aprender a extrair informações relevantes de um conjunto finito
Resposta de observações e reconhecer a organização geral da rede de que
1-C 2-C 3-B 4-D 5-E participam.

Língua Portuguesa 9
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
O fluxo de informação que percorre as artérias das redes consequentemente, colocando-as em prática na linguagem
sociais é um poderoso fármaco viciante. Um dos neologismos escrita.
recentes vinculados à dependência cada vez maior dos jovens
a esses dispositivos é a “nomobofobia” (ou “pavor de ficar sem Regras básicas – Acentuação tônica
conexão no telefone celular”), descrito como a ansiedade e o
sentimento de pânico experimentados por um número crescente A acentuação tônica implica na intensidade com que são
de pessoas quando acaba a bateria do dispositivo móvel ou pronunciadas as sílabas das palavras. Aquela que se dá de
quando ficam sem conexão com a Internet. Essa informação, forma mais acentuada, conceitua-se como sílaba tônica. As
como toda nova droga, ao embotar a razão e abrir os poros da demais, como são pronunciadas com menos intensidade, são
sensibilidade, pode tanto ser um remédio quanto um veneno denominadas de átonas.
para o espírito.
(Vinicius Romanini, Tudo azul no universo das redes. De acordo com a tonicidade, as palavras são classificadas
Revista USP, no 92. Adaptado) como:

As expressões destacadas nos trechos –  meter o bedelho Oxítonas – São aquelas cuja sílaba tônica recai sobre a
/ estimar  parâmetros / embotar a razão – têm sinônimos última sílaba.
adequados respectivamente em: Ex.: café – coração – cajá – atum – caju – papel
a) procurar / gostar de / ilustrar
b) imiscuir-se / avaliar / enfraquecer Paroxítonas – São aquelas em que a sílaba tônica se
c) interferir / propor / embrutecer evidencia na penúltima sílaba.
d) intrometer-se / prezar / esclarecer Ex.: útil – tórax – táxi – leque – retrato – passível
e) contrapor-se / consolidar / iluminar
Proparoxítonas - São aquelas em que a sílaba tônica se
02. A entrada dos prisioneiros foi comovedora (...) Os evidencia na antepenúltima sílaba.
combatentes contemplavam-nos entristecidos. Surpreendiam- Ex.: lâmpada – câmara – tímpano – médico – ônibus
se; comoviam-se. O arraial, in extremis, punhalhes adiante,
naquele armistício transitório, uma legião desarmada, Como podemos observar, mediante todos os exemplos
mutilada faminta e claudicante, num assalto mais duro que o mencionados, os vocábulos possuem mais de uma sílaba, mas
das trincheiras em fogo. Custava-lhes admitir que toda aquela em nossa língua existem aqueles com uma sílaba somente:
gente inútil e frágil saísse tão numerosa ainda dos casebres são os chamados monossílabos, que, quando pronunciados,
bombardeados durante três meses. Contemplando-lhes os apresentam certa diferenciação quanto à intensidade.
rostos baços, os arcabouços esmirrados e sujos, cujos molambos
em tiras não encobriam lanhos, escaras e escalavros – a vitória Tal diferenciação só é percebida quando os pronunciamos
tão longamente apetecida decaía de súbito. Repugnava aquele em uma dada sequência de palavras. Assim como podemos
triunfo. Envergonhava. Era, com efeito, contraproducente observar no exemplo a seguir:
compensação a tão luxuosos gastos de combates, de reveses e de
milhares de vidas, o apresamento daquela caqueirada humana – “Sei que não vai dar em nada, seus segredos sei de cor”.
do mesmo passo angulhenta e sinistra, entre trágica e imunda,
passando-lhes pelos olhos, num longo enxurro de carcaças e Os monossílabos em destaque classificam-se como tônicos;
molambos... os demais, como átonos (que, em, de).
Nem um rosto viril, nem um braço capaz de suspender
uma arma, nem um peito resfolegante de campeador domado: Os Acentos Gráficos
mulheres, sem-número de mulheres, velhas espectrais,
moças envelhecidas, velhas e moças indistintas na mesma acento agudo (´) – Colocado sobre as letras “a”, “i”, “u” e
fealdade, escaveiradas e sujas, filhos escanchados nos quadris sobre o “e” do grupo “em” - indica que estas letras representam
desnalgados, filhos encarapitados às costas, filhos suspensos as vogais tônicas de palavras como Amapá, caí, público, parabéns.
aos peitos murchos, filhos arrastados pelos braços, passando; Sobre as letras “e” e “o” indica, além da tonicidade, timbre aberto. 
crianças, sem-número de crianças; velhos, sem-número de Ex.: herói – médico – céu(ditongos abertos)
velhos; raros homens, enfermos opilados, faces túmidas e
mortas, de cera, bustos dobrados, andar cambaleante. acento circunflexo (^) – colocado sobre as letras “a”, “e” e
“o” indica, além da tonicidade, timbre fechado:
(CUNHA, Euclides da. Os sertões: campanha de Canudos. Ex.: tâmara – Atlântico – pêssego – supôs
Edição Especial. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1980.)
acento grave (`) – indica a fusão da preposição “a” com
Em qual das alternativas abaixo NÃO há um par de sinônimos? artigos e pronomes.
a) Armistício – destruição Ex.: à – às – àquelas – àqueles
b) Claudicante – manco
c) Reveses – infortúnios trema (¨) – De acordo com a nova regra, foi totalmente
d) Fealdade – feiura abolido das palavras. Há uma exceção: é utilizado em palavras
e) Opilados – desnutridos derivadas de nomes próprios estrangeiros.
Ex.: mülleriano (de Müller)
Respostas
01. B\02. A til (~) – indica que as letras “a” e “o” representam vogais
nasais.
Ex.: coração – melão – órgão – ímã
Noções básicas de acentuação
gráfica. Regras fundamentais:

Palavras oxítonas:
Acentuação Acentuam-se todas as oxítonas terminadas em: “a”, “e”, “o”,
“em”, seguidas ou não do plural(s):
A acentuação é um dos requisitos que perfazem as regras Pará – café(s) – cipó(s) – armazém(s)
estabelecidas pela Gramática Normativa. Esta se compõe de
algumas particularidades, às quais devemos estar atentos, Essa regra também é aplicada aos seguintes casos:
procurando estabelecer uma relação de familiaridade e,

Língua Portuguesa 10
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Monossílabos tônicos terminados em “a”, “e”, “o”, seguidos 4-) Rubens vê tudo!
ou não de “s”. Eles veem tudo!
Ex.: pá – pé – dó – há
- Cuidado! Há o verbo vir:
Formas verbais terminadas em “a”, “e”, “o” tônicos, seguidas Ele vem à tarde!
de lo, la, los, las. Eles vêm à tarde!
respeitá-lo – percebê-lo – compô-lo Não se acentuam o “i” e o “u” que formam hiato quando
seguidos, na mesma sílaba, de l, m, n, r ou z:
Paroxítonas:
Acentuam-se as palavras paroxítonas terminadas em: Ra-ul, ru-im, con-tri-bu-in-te, sa-ir, ju-iz
- i, is
táxi – lápis – júri Não se acentuam as letras “i” e “u” dos hiatos se estiverem
- us, um, uns seguidas do dígrafo nh:
vírus – álbuns – fórum ra-i-nha, ven-to-i-nha.
- l, n, r, x, ps
automóvel – elétron - cadáver – tórax – fórceps Não se acentuam as letras “i” e “u” dos hiatos se vierem
- ã, ãs, ão, ãos precedidas de vogal idêntica:
ímã – ímãs – órfão – órgãos xi-i-ta, pa-ra-cu-u-ba

- Dica: Memorize a palavra LINURXÃO. Para quê? Repare que As formas verbais que possuíam o acento tônico na raiz, com
essa palavra apresenta as terminações das paroxítonas que são “u” tônico precedido de “g” ou “q” e seguido de “e” ou “i” não
acentuadas: L, I N, U (aqui inclua UM =fórum), R, X, Ã, ÃO. Assim serão mais acentuadas. Ex.:
ficará mais fácil a memorização!
Antes Depois
- ditongo oral, crescente ou decrescente, seguido ou não de “s”. apazigúe (apaziguar) apazigue
argúi (arguir) argui
água – pônei – mágoa – jóquei
Acentuam-se os verbos pertencentes à terceira pessoa do
Regras especiais: plural de:

Os ditongos de pronúncia aberta “ei”, “oi” ( ditongos abertos), ele tem – eles têm
que antes eram acentuados, perderam o acento de acordo com ele vem – eles vêm (verbo vir)
a nova regra, mas desde que estejam em palavras paroxítonas.
A regra prevalece também para os verbos conter, obter, reter,
Cuidado: Se os ditongos abertos estiverem em uma deter, abster. 
palavra oxítona (herói) ou monossílaba (céu) ainda são ele contém – eles contêm
acentuados. Mas caso não forem ditongos perdem o acento. ele obtém – eles obtêm
Ex.: ele retém – eles retêm
ele convém – eles convêm
Antes Agora
assembléia assembleia
Não se acentuam mais as palavras homógrafas que antes
idéia ideia
eram acentuadas para diferenciá-las de outras semelhantes
jibóia jiboia
(regra do acento diferencial). Apenas em algumas exceções,
apóia (verbo apoiar) apoia
como:
Quando a vogal do hiato for “i” ou “u” tônicos, acompanhados
A forma verbal pôde (terceira pessoa do singular do
ou não de “s”, haverá acento:
pretérito perfeito do modo indicativo) ainda continua
Ex.: saída – faísca – baú – país – Luís
sendo acentuada para diferenciar-se de pode (terceira
pessoa do singular do presente do indicativo). Ex:
Observação importante:
Não serão mais acentuados “i” e “u” tônicos, formando hiato
Ela pode fazer isso agora.
quando vierem depois de ditongo: Ex.:
Elvis não pôde participar porque sua mão não deixou...
Antes Agora
O mesmo ocorreu com o verbo pôr para diferenciar da
bocaiúva bocaiuva
preposição por.
feiúra feiura
- Quando, na frase, der para substituir o “por” por “colocar”,
O acento pertencente aos encontros “oo” e “ee” foi abolido.
então estaremos trabalhando com um verbo, portanto: “pôr”;
Ex.:
nos outros casos, “por” preposição. Ex:
Antes Agora
Faço isso por você.
crêem creem
Posso pôr (colocar) meus livros aqui?
vôo voo
Questões
- Agora memorize a palavra CREDELEVÊ. São os verbos que,
no plural, dobram o “e”, mas que não recebem mais acento
01. “Cadáver” é paroxítona, pois:
como antes: CRER, DAR, LER e VER.
A) Tem a última sílaba como tônica.
B) Tem a penúltima sílaba como tônica.
Repare:
C) Tem a antepenúltima sílaba como tônica.
1-) O menino crê em você
D) Não tem sílaba tônica.
Os meninos creem em você.
2-) Elza lê bem!
02. Assinale a alternativa correta.
Todas leem bem!
A palavra faliu contém um:
3-) Espero que ele dê o recado à sala.
A) hiato
Esperamos que os dados deem efeito!
B) dígrafo

Língua Portuguesa 11
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
C) ditongo decrescente a ao, aos
D) ditongo crescente
de do, dos
03. Em “O resultado da experiência foi, literalmente,
em no, nos
aterrador.” a palavra destacada encontra-se acentuada pelo
mesmo motivo que: por (per) pelo, pelos
A) túnel
a, as um, uns uma, umas
B) voluntário
C) até à, às - -
D) insólito
da, das dum, duns duma, dumas
E) rótulos
na, nas num, nuns numa, numas
04. Assinale a alternativa correta.
pela, pelas - -
A) “Contrário” e “prévias” são acentuadas por serem
paroxítonas terminadas em ditongo.
- As formas à e às indicam a fusão da preposição  a com o
B) Em “interruptor” e “testaria” temos, respectivamente,
artigo definido a. Essa fusão de vogais idênticas é conhecida
encontro consonantal e hiato.
por crase.
C) Em “erros derivam do mesmo recurso mental” as palavras
grifadas são paroxítonas.
Constatemos as circunstâncias em que os artigos se
D) Nas palavras “seguida”, “aquele” e “quando” as partes
manifestam:
destacadas são dígrafos.
E) A divisão silábica está correta em “co-gni-ti-va”, “p-si-có-
- Considera-se obrigatório o uso do artigo depois do numeral
lo-ga” e “a-ci-o-na”.
“ambos”:
Ambos os garotos decidiram participar das olimpíadas.
05. Todas as palavras abaixo são hiatos, EXCETO:
A) saúde
- Nomes próprios indicativos de lugar admitem o uso do
B) cooperar
artigo, outros não:
C) ruim
São Paulo, O Rio de Janeiro, Veneza, A Bahia...
D) creem
E) pouco
- Quando indicado no singular, o artigo definido pode indicar
toda uma espécie:
Respostas
O trabalho dignifica o homem.
1-B / 2-C / 3-B / 4-A / 5-E
- No caso de nomes próprios personativos, denotando a ideia
Classes de palavras: substantivos de familiaridade ou afetividade, é facultativo o uso do artigo:
O Pedro é o xodó da família.
e adjetivos – flexões de gênero,
número e grau. Verbos – - No caso de os nomes próprios personativos estarem no
regulares e auxiliares (ser, ter, plural, são determinados pelo uso do artigo:
haver e estar) – conjugação em Os Maias, os Incas, Os Astecas...
todos os modos e tempos simples
- Usa-se o artigo depois do pronome indefinido todo(a) para
e formas nominais. Artigos conferir uma ideia de totalidade. Sem o uso dele (o artigo), o
(artigos definidos: o, a, os, as; pronome assume a noção de qualquer.
artigos indefinidos: um, uma, uns, Toda a classe parabenizou o professor. (a sala toda)
umas). Toda classe possui alunos interessados e desinteressados.
(qualquer classe)

- Antes de pronomes possessivos, o uso do artigo é facultativo:


Classes de Palavras
Adoro o meu vestido longo. Adoro meu vestido longo.
- A utilização do artigo indefinido pode indicar uma ideia de
Artigo
aproximação numérica:
O máximo que ele deve ter é uns vinte anos.
Artigo é a palavra que, vindo antes de um substantivo, indica
se ele está sendo empregado de maneira definida ou indefinida.
- O artigo também é usado para substantivar palavras
Além disso, o artigo indica, ao mesmo tempo, o gênero e o
oriundas de outras classes gramaticais:
número dos substantivos.
Não sei o porquê de tudo isso.
Classificação dos Artigos
- Nunca deve ser usado artigo depois do pronome relativo
cujo (e flexões).
Artigos Definidos: determinam os substantivos de maneira
Este é o homem cujo amigo desapareceu.
precisa: o, a, os, as. Por exemplo: Eu matei o animal.
Este é o autor cuja obra conheço.
Artigos Indefinidos:  determinam os substantivos
- Não se deve usar artigo antes das palavras casa (no sentido
de maneira vaga:  um, uma, uns, umas. Por exemplo: Eu
de lar, moradia) e terra (no sentido de chão firme), a menos que
matei um animal.
venham especificadas.
Eles estavam em casa.
Combinação dos Artigos
Eles estavam na casa dos amigos.
É muito presente a combinação dos artigos definidos e
Os marinheiros permaneceram em terra.
indefinidos com preposições. Este quadro apresenta a forma
Os marinheiros permanecem na terra dos anões.
assumida por essas combinações:
Preposições Artigos - Não se emprega artigo antes dos pronomes de tratamento,
com exceção de senhor(a), senhorita e dona.
- o, os
Vossa excelência resolverá os problemas de Sua Senhoria.

Língua Portuguesa 12
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
- Não se une com preposição o artigo que faz parte do nome Qualquer “povoação maior que vila, com muitas casas e
de revistas, jornais, obras literárias. edifícios, dispostos em ruas e avenidas” será chamada  cidade.
Li a notícia em O Estado de S. Paulo. Isso significa que a palavra cidade é um substantivo comum.
Substantivo Comum é aquele que designa os seres de uma
Morfossintaxe mesma espécie de forma genérica.
cidade, menino, homem, mulher, país, cachorro.
Para definir o que é artigo é preciso mencionar suas relações
com o substantivo. Assim, nas orações da língua portuguesa, Estamos voando para Barcelona.
o artigo exerce a função de adjunto adnominal do substantivo
a que se refere. Tal função independe da função exercida pelo O substantivo Barcelona designa apenas um ser da espécie
substantivo: cidade. Esse substantivo é  próprio. Substantivo Próprio:  é
aquele que designa os seres de uma mesma espécie de forma
A existência é uma poesia. particular.
Uma existência é a poesia.
Londres, Paulinho, Pedro, Tietê, Brasil.
Questões
2 - Substantivos Concretos e Abstratos
01. Determine o caso em que o artigo tem valor qualificativo:
A) Estes são os candidatos que lhe falei. LÂMPADA MALA
B) Procure-o, ele é o médico! Ninguém o supera.
C) Certeza e exatidão, estas qualidades não as tenho. Os substantivos lâmpada e mala  designam seres com
D) Os problemas que o afligem não me deixam descuidado. existência própria, que são independentes de outros seres. São
E) Muito é a procura; pouca é a oferta. assim, substantivos concretos.
Substantivo Concreto: é aquele que designa o ser que existe,
02. Em qual dos casos o artigo denota familiaridade? independentemente de outros seres.
A) O Amazonas é um rio imenso.
B) D. Manuel, o Venturoso, era bastante esperto.
C) O Antônio comunicou-se com o João. Obs.: os substantivos concretos designam seres do mundo
D) O professor João Ribeiro está doente. real e do mundo imaginário.
E) Os Lusíadas são um poema épico
Seres do mundo real: homem, mulher, cadeira, cobra, Brasília,
03.Assinale a alternativa em que o uso do artigo está etc.
substantivando uma palavra. Seres do mundo imaginário: saci, mãe-d’água, fantasma, etc.
A) A liberdade vai marcar a poesia social de Castro Alves.  
B) Leitor perspicaz é aquele que consegue ler as entrelinhas. Observe agora:
C) A navalha ia e vinha no couro esticado.
D) Haroldo ficou encantado com o andar de bailado de Joana. Beleza exposta
E) Bárbara dirigia os olhos para a lua encantada. Jovens atrizes veteranas destacam-se pelo visual.

Respostas O substantivo beleza designa uma qualidade.


1-B / 2-C / 3-D Substantivo Abstrato:  é aquele que designa seres que
dependem de outros para se manifestar ou existir.
Substantivo Pense bem: a beleza não existe por si só, não pode ser
observada. Só podemos observar a beleza numa pessoa ou coisa
Tudo o que existe é ser e cada ser tem um nome. Substantivo é que seja bela. A beleza depende de outro ser para se manifestar.
a classe gramatical de palavras variáveis, as quais denominam Portanto, a palavra beleza é um substantivo abstrato.
os seres. Além de objetos, pessoas e fenômenos, os substantivos Os substantivos abstratos designam estados, qualidades,
também nomeiam: ações e sentimentos dos seres, dos quais podem ser abstraídos,
-lugares: Alemanha, Porto Alegre... e sem os quais não podem existir.
-sentimentos: raiva, amor... vida (estado), rapidez (qualidade), viagem (ação), saudade
-estados: alegria, tristeza... (sentimento).  
-qualidades: honestidade, sinceridade...
-ações: corrida, pescaria... 3 - Substantivos Coletivos
Ele vinha pela estrada e foi picado por uma abelha, outra
Morfossintaxe do substantivo abelha, mais outra abelha.
Ele vinha pela estrada e foi picado por várias abelhas.
Nas orações de língua portuguesa, o substantivo em geral Ele vinha pela estrada e foi picado por um enxame.
exerce funções diretamente relacionadas com o verbo: atua
como núcleo do sujeito, dos complementos verbais (objeto Note que, no primeiro caso, para indicar plural, foi necessário
direto ou indireto) e do agente da passiva. Pode ainda funcionar repetir o substantivo: uma abelha, outra abelha, mais outra
como núcleo do complemento nominal ou do aposto, como abelha...
núcleo do predicativo do sujeito ou do objeto ou como núcleo No segundo caso, utilizaram-se duas palavras no plural.
do vocativo. Também encontramos substantivos como núcleos No terceiro caso, empregou-se um substantivo no singular
de adjuntos adnominais e de adjuntos adverbiais - quando essas (enxame) para designar um conjunto de seres da mesma espécie
funções são desempenhadas por grupos de palavras.  (abelhas).
O substantivo enxame é um substantivo coletivo.
Classificação dos Substantivos
Substantivo Coletivo:  é o substantivo comum que, mesmo
1-  Substantivos Comuns e Próprios estando no singular, designa um conjunto de seres da mesma
Observe a definição: espécie.
Formação dos Substantivos
s.f. 1: Povoação maior que vila, com muitas casas e edifícios, Substantivos Simples e Compostos
dispostos em ruas e avenidas (no Brasil, toda a sede de município
é cidade). 2. O centro de uma cidade (em oposição aos bairros). Chuva - subst. Fem. 1 - água caindo em gotas sobre a terra.

Língua Portuguesa 13
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
O substantivo chuva é formado por um único elemento ou o rádio (aparelho receptor) e a rádio (estação emissora) o
radical. É um substantivo simples. capital (dinheiro) e a capital (cidade)
Substantivo Simples:  é aquele formado por um único
elemento. Formação do Feminino dos Substantivos Biformes
Outros substantivos simples: tempo, sol, sofá, etc. Veja agora: a) Regra geral: troca-se a terminação -o por -a.
O substantivo guarda-chuva é formado por dois elementos aluno - aluna
(guarda + chuva). Esse substantivo é composto.
Substantivo Composto: é aquele formado por dois ou mais b) Substantivos terminados em -ês: acrescenta-se -a ao
elementos. masculino.
Outros exemplos: beija-flor, passatempo. freguês - freguesa
 
Substantivos Primitivos e Derivados c) Substantivos terminados em -ão: fazem o feminino de três
Meu limão meu limoeiro, formas:
meu pé de jacarandá... - troca-se -ão por -oa. = patrão – patroa
- troca-se -ão por -ã. = campeão - campeã
O substantivo limão é primitivo, pois não se originou de - troca-se -ão por ona. = solteirão - solteirona
nenhum outro dentro de língua portuguesa.
Substantivo Primitivo: é aquele que não deriva de nenhuma Exceções: barão – baronesa ladrão- ladra sultão - sultana
outra palavra da própria língua portuguesa.
O substantivo limoeiro é derivado, pois se originou a partir d) Substantivos terminados em -or:
da palavra limão. - acrescenta-se -a ao masculino = doutor – doutora
Substantivo Derivado:  é aquele que se origina de outra - troca-se -or por -triz: = imperador - imperatriz
palavra.
e) Substantivos com feminino em -esa, -essa, -isa:
Flexão dos substantivos cônsul - consulesa abade - abadessa poeta - poetisa
O substantivo é uma classe variável. A palavra é variável duque - duquesa conde - condessa profeta - profetisa
quando sofre flexão (variação). A palavra menino, por exemplo,
pode sofrer variações para indicar: f) Substantivos que formam o feminino trocando o -e final
Plural: meninos por -a:
Feminino: menina elefante - elefanta
Aumentativo: meninão
Diminutivo: menininho g) Substantivos que têm radicais diferentes no masculino e
no feminino:
Flexão de Gênero bode – cabra boi - vaca
Gênero  é a propriedade que as palavras têm de indicar
sexo real ou fictício dos seres. Na língua portuguesa, h) Substantivos que formam o feminino de maneira especial,
há dois gêneros:  masculino  e  feminino. Pertencem ao isto é, não seguem nenhuma das regras anteriores:
gênero masculino os substantivos que podem vir precedidos dos czar – czarina réu - ré
artigos o, os, um, uns. Veja estes títulos de filmes:
O velho e o mar Formação do Feminino dos Substantivos Uniformes
Um Natal inesquecível
Os reis da praia - Epicenos:
  Novo jacaré escapa de policiais no rio Pinheiros.
Pertencem ao gênero feminino os substantivos que podem Não é possível saber o sexo do jacaré em questão. Isso ocorre
vir precedidos dos artigos a, as, uma, umas: porque o substantivo jacaré tem apenas uma forma para indicar
A história sem fim o masculino e o feminino.
Uma cidade sem passado Alguns nomes de animais apresentam uma só forma para
As tartarugas ninjas designar os dois sexos. Esses substantivos são chamados de
epicenos. No caso dos epicenos, quando houver a necessidade
Substantivos Biformes e Substantivos Uniformes de especificar o sexo, utilizam-se palavras macho e fêmea.
A cobra macho picou o marinheiro.
Substantivos Biformes (= duas formas):  ao indicar nomes A cobra fêmea escondeu-se na bananeira.
de seres vivos, geralmente o gênero da palavra está relacionado
ao sexo do ser, havendo, portanto, duas formas, uma para o Sobrecomuns:
masculino e outra para o feminino. Observe: gato – gata, homem
– mulher, poeta – poetisa, prefeito - prefeita Entregue as crianças à natureza.
A palavra crianças refere-se tanto a seres do sexo masculino,
Substantivos Uniformes: são aqueles que apresentam uma quanto a seres do sexo feminino. Nesse caso, nem o artigo nem
única forma, que serve tanto para o masculino quanto para o um possível adjetivo permitem identificar o sexo dos seres a que
feminino. Classificam-se em: se refere a palavra. Veja:
- Epicenos: têm um só gênero e nomeiam bichos. A criança chorona chamava-se João.
a cobra macho e a cobra fêmea, o jacaré macho e o jacaré A criança chorona chamava-se Maria.
fêmea.
- Sobrecomuns: têm um só gênero e nomeiam pessoas. Outros substantivos sobrecomuns:
a criança, a testemunha, a vítima, o cônjuge, o gênio, o ídolo, a criatura = João é uma boa criatura. Maria é uma boa
o indivíduo. criatura.
o cônjuge = O cônjuge de João faleceu. O
- Comuns de Dois Gêneros: indicam o sexo das pessoas por cônjuge de Marcela faleceu
meio do artigo.
o colega e a colega, o doente e a doente, o artista e a artista. Comuns de Dois Gêneros:
Saiba que:
- Substantivos de origem grega terminados em ema ou oma, Motorista tem acidente idêntico 23 anos depois.
são masculinos. Quem sofreu o acidente: um homem ou uma mulher?
o axioma, o fonema, o poema, o sistema, o sintoma, o teorema. É impossível saber apenas pelo título da notícia, uma vez
- Existem certos substantivos que, variando de gênero, que a palavra motorista é um substantivo uniforme. O restante
variam em seu significado. da notícia informa-nos de que se trata de um homem.

Língua Portuguesa 14
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
A distinção de gênero pode ser feita através da análise do Gênero dos Nomes de Cidades:
artigo ou adjetivo, quando acompanharem o substantivo.
o colega - a colega Com raras exceções, nomes de cidades são femininos.
um jovem - uma jovem A histórica Ouro Preto.
artista famoso - artista famosa A dinâmica São Paulo.
A acolhedora Porto Alegre.
- A palavra personagem é usada indistintamente nos dois Uma Londres imensa e triste.
gêneros.
a) Entre os escritores modernos nota-se acentuada Exceções: o Rio de Janeiro, o Cairo, o Porto, o Havre.
preferência pelo masculino:
O menino descobriu nas nuvens os personagens dos contos de Gênero e Significação:
carochinha.
b) Com referência a mulher, deve-se preferir o feminino: Muitos substantivos têm uma significação no masculino e
O problema está nas mulheres de mais idade, que não aceitam outra no feminino.
a personagem. Observe:
Não cheguei assim, nem era minha intenção, a criar uma
personagem. o baliza (soldado que, que à frente da tropa, indica os
- Diz-se: o (ou a) manequim Marcela, o (ou a) modelo movimentos que se deve realizar em conjunto; o que vai à frente
fotográfico Ana Belmonte. de um bloco carnavalesco, manejando um bastão)
a baliza (marco, estaca; sinal que marca um limite ou
Observe o gênero dos substantivos seguintes: proibição de trânsito)

Masculinos o cabeça (chefe)


o tapa a cabeça (parte do corpo)
o eclipse
o lança-perfume o cisma (separação religiosa, dissidência)
o dó (pena) a cisma (ato de cismar, desconfiança)
o sanduíche
o clarinete o cinza (a cor cinzenta)
o champanha a cinza (resíduos de combustão)
o sósia
o maracajá o capital (dinheiro)
o clã a capital (cidade)
o hosana
o herpes o coma (perda dos sentidos)
o pijama a coma (cabeleira)

Femininos o coral (pólipo, a cor vermelha, canto em coro)


a dinamite a coral (cobra venenosa)
a áspide
a derme o crisma (óleo sagrado, usado na administração da crisma e
a hélice de outros sacramentos)
a alcíone a crisma (sacramento da confirmação)
a filoxera
a clâmide o cura (pároco)
a omoplata a cura (ato de curar)
a cataplasma
a pane o estepe (pneu sobressalente)
a mascote a estepe (vasta planície de vegetação)
a gênese
a entorse o guia (pessoa que guia outras)
a libido a guia (documento, pena grande das asas das aves)

- São geralmente masculinos os substantivos de origem o grama (unidade de peso)


grega terminados em -ma: a grama (relva)
o grama (peso)
o quilograma o caixa (funcionário da caixa)
o plasma a caixa (recipiente, setor de pagamentos)
o apostema
o diagrama o lente (professor)
o epigrama a lente (vidro de aumento)
o telefonema
o estratagema o moral (ânimo)
o dilema a moral (honestidade, bons costumes, ética)
o teorema
o apotegma o nascente (lado onde nasce o Sol)
o trema a nascente (a fonte)
o eczema
o edema Flexão de Número do Substantivo
o magma
Em português, há dois números gramaticais: o singular, que
Exceções: a cataplasma, a celeuma, a fleuma, etc. indica um ser ou um grupo de seres, e
o plural, que indica mais de um ser ou grupo de seres. A
característica do plural é o “s” final.

Língua Portuguesa 15
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Plural dos Substantivos Simples vapor e cavalos-vapor
substantivo + substantivo que funciona como determinante
a) Os substantivos terminados em vogal, ditongo oral e “n” do primeiro, ou seja, especifica a função ou o tipo do termo
fazem o plural pelo acréscimo de “s”. anterior.
pai – pais ímã - ímãs hífen - hifens (sem acento, no palavra-chave - palavras-chave
plural). bomba-relógio - bombas-relógio
Exceção: cânon - cânones. notícia-bomba - notícias-bomba
homem-rã - homens-rã
b) Os substantivos terminados em “m” fazem o plural em
“ns”. d) Permanecem invariáveis, quando formados de:
homem - homens. verbo + advérbio = o bota-fora e os bota-fora
verbo + substantivo no plural = o saca-rolhas e os saca-rolhas
c) Os substantivos terminados em “r” e “z” fazem o plural
pelo acréscimo de “es”. e) Casos Especiais
revólver – revólveres raiz - raízes o louva-a-deus e os louva-a-deus
Atenção: O plural de caráter é caracteres. o bem-te-vi e os bem-te-vis
o bem-me-quer e os bem-me-queres
d) Os substantivos terminados em al, el, ol, ul flexionam-se o joão-ninguém e os joões-ninguém.
no plural, trocando o “l” por “is”.
quintal - quintais caracol – caracóis hotel - hotéis Plural das Palavras Substantivadas
Exceções: mal e males, cônsul e cônsules.
As palavras substantivadas, isto é, palavras de outras classes
e) Os substantivos terminados em “il” fazem o plural de duas gramaticais usadas como substantivo, apresentam, no plural, as
maneiras: flexões próprias dos substantivos.
- Quando oxítonos, em “is”: canil - canis Pese bem os prós e os contras.
- Quando paroxítonos, em “eis”: míssil - mísseis. O aluno errou na prova dos noves.
Obs.: a palavra réptil pode formar seu plural de duas Ouça com a mesma serenidade os sins e os nãos.
maneiras: répteis ou reptis (pouco usada). Obs.: numerais substantivados terminados em “s” ou “z” não
variam no plural.
f) Os substantivos terminados em “s” fazem o plural de duas Nas provas mensais consegui muitos seis e alguns dez.
maneiras:
- Quando monossilábicos ou oxítonos, mediante o acréscimo Plural dos Diminutivos
de “es”: ás – ases / retrós - retroses
- Quando paroxítonos ou proparoxítonos, ficam invariáveis: Flexiona-se o substantivo no plural, retira-se o “s” final e
o lápis - os lápis / o ônibus - os ônibus. acrescenta-se o sufixo diminutivo.
pãe(s) + zinhos = pãezinhos
g) Os substantivos terminados em “ao” fazem o plural de três animai(s) + zinhos = animaizinhos
maneiras. botõe(s) + zinhos = botõezinhos
- substituindo o -ão por -ões: ação - ações chapéu(s) + zinhos = chapeuzinhos
- substituindo o -ão por -ães: cão - cães farói(s) + zinhos = faroizinhos
- substituindo o -ão por -ãos: grão - grãos tren(s) + zinhos = trenzinhos
h) Os substantivos terminados em “x” ficam invariáveis: o colhere(s) + zinhas = colherezinhas
látex - os látex. flore(s) + zinhas = florezinhas
mão(s) + zinhas = mãozinhas
Plural dos Substantivos Compostos papéi(s) + zinhos = papeizinhos
A formação do plural dos substantivos compostos depende nuven(s) + zinhas = nuvenzinhas
da forma como são grafados, do tipo de palavras que formam funi(s) + zinhos = funizinhos
o composto e da relação que estabelecem entre si. Aqueles que pé(s) + zitos = pezitos
são grafados sem hífen comportam-se como os substantivos
simples: Plural dos Nomes Próprios Personativos
aguardente e aguardentes girassol e girassóis
pontapé e pontapés malmequer e malmequeres Devem-se pluralizar os nomes próprios de pessoas sempre
que a terminação preste-se à flexão.
O plural dos substantivos compostos cujos elementos são Os Napoleões também são derrotados.
ligados por hífen costuma provocar muitas dúvidas e discussões. As Raquéis e Esteres.
Algumas orientações são dadas a seguir:
Plural dos Substantivos Estrangeiros
a) Flexionam-se os dois elementos, quando formados de:
substantivo + substantivo = couve-flor e couves-flores Substantivos ainda não aportuguesados devem ser escritos
substantivo + adjetivo = amor-perfeito e amores-perfeitos como na língua original, acrescentando -se “s” (exceto quando
adjetivo + substantivo = gentil-homem e gentis-homens terminam em “s” ou “z”).
numeral + substantivo = quinta-feira e quintas-feiras os shows os shorts os jazz
Substantivos já aportuguesados flexionam-se de acordo com
b) Flexiona-se somente o segundo elemento, quando as regras de nossa língua:
formados de: os clubes os chopes
verbo + substantivo = guarda-roupa e guarda-roupas os jipes os esportes
palavra invariável + palavra variável = alto-falante e alto- as toaletes os bibelôs
falantes os garçons os réquiens
palavras repetidas ou imitativas = reco-reco e reco-recos
Observe o exemplo:
c) Flexiona-se somente o primeiro elemento, quando Este jogador faz gols toda vez que joga.
formados de: O plural correto seria gois (ô), mas não se usa.
substantivo + preposição clara + substantivo = água-de-
colônia e águas-de-colônia
substantivo + preposição oculta + substantivo = cavalo-

Língua Portuguesa 16
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Plural com Mudança de Timbre 02. Assinale a alternativa cujas palavras se apresentam
flexionadas de acordo com a norma-padrão.
Certos substantivos formam o plural com mudança de (A) Os tabeliãos devem preparar o documento.
timbre da vogal tônica (o fechado / o aberto). É um fato fonético (B) Esses cidadões tinham autorização para portar fuzis.
chamado metafonia (plural metafônico). (C) Para autenticar as certidãos, procure o cartório local.
(D) Ao descer e subir escadas, segure-se nos corrimãos.
(E) Cuidado com os degrais, que são perigosos!
Singular Plural Singular Plural
corpo (ô) corpos (ó) osso (ô) ossos (ó) 03. Indique a alternativa em que a flexão do substantivo está
esforço esforços ovo ovos errada:
fogo fogos poço poços A) Catalães.
forno fornos porto portos B) Cidadãos.
fosso fossos posto postos C) Vulcães.
imposto impostos rogo rogos D) Corrimões.
olho olhos tijolo tijolos Respostas
1-D / 2-D / 3-C
Têm a vogal tônica fechada (ô): adornos, almoços, bolsos,
Adjetivo
esposos, estojos, globos, gostos, polvos, rolos, soros, etc.
Obs.: distinga-se molho (ô) = caldo (molho de carne), de
Adjetivo é a palavra que expressa uma qualidade ou
molho (ó) = feixe (molho de lenha).
característica do ser e se relaciona com o substantivo.
Ao analisarmos a palavra bondoso, por exemplo, percebemos
Particularidades sobre o Número dos Substantivos
que, além de expressar uma qualidade, ela pode ser colocada ao
lado de um substantivo: homem bondoso, moça bondosa, pessoa
a) Há substantivos que só se usam no singular:
bondosa.
o sul, o norte, o leste, o oeste, a fé, etc.
Já com a palavra bondade, embora expresse uma qualidade,
não acontece o mesmo; não faz sentido dizer: homem bondade,
b) Outros só no plural:
moça bondade, pessoa bondade. 
as núpcias, os víveres, os pêsames, as espadas/os paus
Bondade, portanto, não é adjetivo, mas substantivo.
(naipes de baralho), as fezes.
Morfossintaxe do Adjetivo:
c) Outros, enfim, têm, no plural, sentido diferente do singular:
O adjetivo exerce sempre funções sintáticas (função dentro
bem (virtude) e bens (riquezas)
de uma oração) relativas aos substantivos, atuando como adjunto
honra (probidade, bom nome) e honras (homenagem,
adnominal ou como predicativo (do sujeito ou do objeto).
títulos)
Adjetivo Pátrio
d) Usamos às vezes, os substantivos no singular, mas com
Indica a nacionalidade ou o lugar de origem do ser. Observe
sentido de plural:
alguns deles:
Aqui morreu muito negro.
Estados e cidades brasileiros:
Celebraram o sacrifício divino muitas vezes em capelas
improvisadas.
Alagoas alagoano
Flexão de Grau do Substantivo
Amapá amapaense
Grau é a propriedade que as palavras têm de exprimir as
variações de tamanho dos seres. Classifica-se em: Aracaju aracajuano ou aracajuense
Amazonas amazonense ou baré
- Grau Normal - Indica um ser de tamanho considerado
normal. Por exemplo: casa Belo Horizonte belo-horizontino
Brasília brasiliense
- Grau Aumentativo - Indica o aumento do tamanho do ser.
Classifica-se em: Cabo Frio cabo-friense
Analítico = o substantivo é acompanhado de um adjetivo que
Campinas campineiro ou campinense
indica grandeza. Por exemplo: casa grande.
Sintético = é acrescido ao substantivo um sufixo indicador de
aumento. Por exemplo: casarão. Adjetivo Pátrio Composto 
Na formação do adjetivo pátrio composto, o primeiro
- Grau Diminutivo - Indica a diminuição do tamanho do ser. elemento aparece na forma reduzida e, normalmente, erudita.
Pode ser: Observe alguns exemplos:
Analítico = substantivo acompanhado de um adjetivo que
indica pequenez. Por exemplo: casa pequena. África afro- / Por exemplo: Cultura afro-americana
Sintético = é acrescido ao substantivo um sufixo indicador de
diminuição. Por exemplo: casinha. Alemanha germano- ou teuto- / Por exemplo:
Competições teuto-inglesas
Fonte: http://www.soportugues.com.br/secoes/morf/morf12.php América américo- / Por exemplo: Companhia
américo-africana
Questões
Bélgica belgo- / Por exemplo: Acampamentos belgo-
01. A flexão de número do termo “preços-sombra” também franceses
ocorre com o plural de China sino- / Por exemplo: Acordos sino-japoneses
(A) reco-reco.
(B) guarda-costa. Espanha hispano- / Por exemplo: Mercado hispano-
(C) guarda-noturno. português
(D) célula-tronco. Europa euro- / Por exemplo: Negociações euro-
(E) sem-vergonha. americanas

Língua Portuguesa 17
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
França franco- ou galo- / Por exemplo: Reuniões como é um substantivo adjetivado, o adjetivo composto inteiro
franco-italianas ficará invariável. Por exemplo:

Grécia greco- / Por exemplo: Filmes greco-romanos Camisas rosa-claro.


Inglaterra anglo- / Por exemplo: Letras anglo- Ternos rosa-claro.
portuguesas Olhos verde-claros.
Calças azul-escuras e camisas verde-mar.
Itália ítalo- / Por exemplo: Sociedade ítalo- Telhados marrom-café e paredes verde-claras.
portuguesa
Japão nipo- / Por exemplo: Associações nipo- Observe
brasileiras - Azul-marinho, azul-celeste, ultravioleta e qualquer adjetivo
composto iniciado por cor-de-... são sempre invariáveis.
Portugal luso- / Por exemplo: Acordos luso-brasileiros - O adjetivo composto pele-vermelha têm os dois elementos
flexionados.
Flexão dos adjetivos
Grau do Adjetivo
O adjetivo varia em gênero, número e grau.
Os adjetivos flexionam-se em grau para indicar a
Gênero dos Adjetivos intensidade da qualidade do ser. São dois os graus do adjetivo:
o comparativo e o superlativo.
Os adjetivos concordam com o substantivo a que se referem
(masculino e feminino). De forma semelhante aos substantivos, Comparativo
classificam-se em: 
Biformes - têm duas formas, sendo uma para o masculino e Nesse grau, comparam-se a mesma característica
outra para o feminino. atribuída a dois ou mais seres ou duas ou mais características
atribuídas ao mesmo ser. O comparativo pode ser de igualdade,
Por exemplo: ativo e ativa, mau e má, judeu e judia. de superioridade ou de inferioridade. Observe os exemplos
abaixo:
Se o adjetivo é composto e biforme, ele flexiona no feminino
somente o último elemento. 1) Sou tão alto como você.  = Comparativo de Igualdade
Por exemplo: o moço norte-americano, a moça norte- No comparativo de igualdade, o segundo termo da
americana.  comparação é introduzido pelas palavras como, quanto ou quão.

Uniformes - têm uma só forma tanto para o masculino como 2) Sou  mais alto  (do) que  você.  = Comparativo de
para o feminino. Por exemplo: homem feliz e mulher feliz. Superioridade Analítico
Se o adjetivo é composto e uniforme, fica invariável no No comparativo de superioridade analítico, entre os dois
feminino. Por exemplo: conflito político-social e desavença substantivos comparados, um tem qualidade superior. A forma é
político-social. analítica porque pedimos auxílio a “mais...do que” ou “mais...que”.

Número dos Adjetivos 3) O Sol é  maior (do) que  a Terra.  = Comparativo de


Superioridade Sintético
Plural dos adjetivos simples
Os adjetivos simples flexionam-se no plural de acordo com Alguns adjetivos possuem, para o comparativo de
as regras estabelecidas para a flexão numérica dos substantivos superioridade, formas sintéticas, herdadas do latim.
simples.
Por exemplo: São eles:
mau e maus bom-melhor
feliz e felizes pequeno-menor
ruim e ruins mau-pior
boa e boas alto-superior
grande-maior
Caso o adjetivo seja uma palavra que também exerça função baixo-inferior
de substantivo, ficará invariável, ou seja, se a palavra que estiver
qualificando um elemento for, originalmente, um substantivo, Observe que: 
ela manterá sua forma primitiva. Exemplo: a palavra  cinza  é a) As formas menor e pior são comparativos de superioridade,
originalmente um substantivo; porém, se estiver qualificando pois equivalem a mais pequeno e mais mau, respectivamente.
um elemento, funcionará como adjetivo. Ficará, então, invariável. b) Bom, mau, grande e pequeno têm formas sintéticas
Logo: camisas cinza, ternos cinza. (melhor, pior, maior e menor), porém, em comparações feitas
Veja outros exemplos: entre duas qualidades de um mesmo elemento, deve-se usar
as formas analíticas mais bom, mais mau, mais grande e mais
Motos vinho (mas: motos verdes) pequeno.
Paredes musgo (mas: paredes brancas). Por exemplo: Pedro é maior do que Paulo - Comparação de
Comícios monstro (mas: comícios grandiosos). dois elementos.
Pedro é  mais grande  que pequeno -  comparação de duas
Adjetivo Composto qualidades de um mesmo elemento.

É aquele formado por dois ou mais elementos. Normalmente, 4) Sou  menos alto  (do) que  você.  = Comparativo de
esses elementos são ligados por hífen. Apenas o último elemento Inferioridade
concorda com o substantivo a que se refere; os demais ficam Sou menos passivo (do) que tolerante.
na forma masculina, singular. Caso um dos elementos que
formam o adjetivo composto seja um substantivo adjetivado, Superlativo
todo o adjetivo composto ficará invariável. Por exemplo:  a
palavra rosa é originalmente um substantivo, porém, se estiver O superlativo expressa qualidades num grau muito
qualificando um elemento, funcionará como adjetivo. Caso se elevado ou em grau máximo. O grau superlativo pode ser
ligue a outra palavra por hífen, formará um adjetivo composto; absoluto ou relativo e apresenta as seguintes modalidades:

Língua Portuguesa 18
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Superlativo Absoluto:  ocorre quando a qualidade de um A revisão de estudos científicos permite identificar três
ser é intensificada, sem relação com outros seres. Apresenta-se fatores principais na formação das personalidades com maior
nas formas: inclinação ao comportamento violento:
Analítica: a intensificação se faz com o auxílio de palavras 1) Crianças que apanharam, foram vítimas de abusos,
que dão ideia de intensidade (advérbios). Por exemplo: O humilhadas ou desprezadas nos primeiros anos de vida.
secretário é muito inteligente. 2) Adolescentes vivendo em famílias que não lhes
Sintética: a intensificação se faz por meio do acréscimo de transmitiram valores sociais altruísticos, formação moral e não
sufixos. lhes impuseram limites de disciplina.
Por exemplo: 3) Associação com grupos de jovens portadores de
O secretário é inteligentíssimo. comportamento antissocial.
Na periferia das cidades brasileiras vivem milhões de crianças
Observe alguns superlativos sintéticos:  que se enquadram nessas três condições de risco. Associados à
falta de acesso aos recursos materiais, à desigualdade social,
esses fatores de risco criam o caldo de cultura que alimenta a
benéfico beneficentíssimo violência crescente nas cidades.
bom boníssimo ou ótimo Na falta de outra alternativa, damos à criminalidade a
resposta do aprisionamento. Porém, seu efeito é passageiro: o
comum comuníssimo criminoso fica impedido de delinquir apenas enquanto estiver
cruel crudelíssimo preso.
Ao sair, estará mais pobre, terá rompido laços familiares
difícil dificílimo e sociais e dificilmente encontrará quem lhe dê emprego. Ao
doce dulcíssimo mesmo tempo, na prisão, terá criado novas amizades e conexões
mais sólidas com o mundo do crime.
fácil facílimo Construir cadeias custa caro; administrá-las, mais ainda.
fiel fidelíssimo Obrigados a optar por uma repressão policial mais ativa,
aumentaremos o número de prisioneiros. As cadeias continuarão
Superlativo Relativo: ocorre quando a qualidade de um ser superlotadas.
é intensificada em relação a um conjunto de seres. Essa relação Seria mais sensato investir em educação, para prevenir a
pode ser: criminalidade e tratar os que ingressaram nela.
De Superioridade: Clara é a mais bela da sala. Na verdade, não existe solução mágica a curto prazo.
De Inferioridade: Clara é a menos bela da sala. Precisamos de uma divisão de renda menos brutal, motivar os
policiais a executar sua função com dignidade, criar leis que
Note bem: acabem com a impunidade dos criminosos bem-sucedidos e
1)  O superlativo absoluto analítico é expresso por meio construir cadeias novas para substituir as velhas.
dos advérbios muito, extremamente, excepcionalmente, etc., Enquanto não aprendermos a educar e oferecer medidas
antepostos ao adjetivo. preventivas para que os pais evitem ter filhos que não serão
2)  O superlativo absoluto sintético apresenta-se sob duas capazes de criar, cabe a nós a responsabilidade de integrá-los
formas : uma erudita, de origem latina, outra popular, de origem na sociedade por meio da educação formal de bom nível, das
vernácula. A forma erudita é constituída pelo radical do adjetivo práticas esportivas e da oportunidade de desenvolvimento
latino +  um dos sufixos -íssimo, -imo ou érrimo. Por exemplo: artístico.
fidelíssimo, facílimo, paupérrimo.
A forma popular é constituída do radical do adjetivo (Drauzio Varella. In Folha de S.Paulo, 9 mar.2002. Adaptado)
português + o sufixo -íssimo: pobríssimo, agilíssimo.
3) Em vez dos superlativos normais seriíssimo, precariíssimo, Em – características epidêmicas –, o adjetivo epidêmicas
necessariíssimo, preferem-se, na linguagem atual, as formas corresponde a – características de epidemias.
seríssimo, precaríssimo, necessaríssimo, sem o desagradável Assinale a alternativa em que, da mesma forma, o adjetivo
hiato i-í. em destaque corresponde, corretamente, à expressão indicada.
A) água fluvial – água da chuva.
Questões B) produção aurífera – produção de ouro.
C) vida rupestre – vida do campo.
01. Leia o texto a seguir. D) notícias brasileiras – notícias de Brasília.
E) costela bovina – costela de porco.
Violência epidêmica
02.Não se pluraliza os adjetivos compostos abaixo, exceto:
A violência urbana é uma enfermidade contagiosa. Embora A) azul-celeste
possa acometer indivíduos vulneráveis em todas as classes B) azul-pavão
sociais, é nos bairros pobres que ela adquire características C) surda-muda
epidêmicas. D) branco-gelo
A prevalência varia de um país para outro e entre as cidades
de um mesmo país, mas, como regra, começa nos grandes 03.Assinale a única alternativa em que os adjetivos não
centros urbanos e se dissemina pelo interior. estão no grau superlativo absoluto sintético:
As estratégias que as sociedades adotam para combater a A) Arquimilionário/ ultraconservador;
violência variam muito e a prevenção das causas evoluiu muito B) Supremo/ ínfimo;
pouco no decorrer do século 20, ao contrário dos avanços C) Superamigo/ paupérrimo;
ocorridos no campo das infecções, câncer, diabetes e outras D) Muito amigo/ Bastante pobre
enfermidades.
A agressividade impulsiva é consequência de perturbações Respostas
nos mecanismos biológicos de controle emocional. Tendências 1-B / 2-C / 3-D
agressivas surgem em indivíduos com dificuldades adaptativas
que os tornam despreparados para lidar com as frustrações de Verbo
seus desejos.
A violência é uma doença. Os mais vulneráveis são os que Verbo  é a classe de palavras que se flexiona em pessoa,
tiveram a personalidade formada num ambiente desfavorável ao número, tempo, modo e voz. Pode indicar, entre outros
desenvolvimento psicológico pleno. processos: ação (correr); estado (ficar); fenômeno (chover);
ocorrência (nascer); desejo (querer).

Língua Portuguesa 19
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
O que caracteriza o verbo são as suas flexões, e não os seus Faz invernos rigorosos no Sul do Brasil.
possíveis significados. Observe que palavras como corrida, Era primavera quando a conheci.
chuva e nascimento têm conteúdo muito próximo ao de alguns Estava frio naquele dia.
verbos mencionados acima; não apresentam, porém, todas as
possibilidades de flexão que esses verbos possuem. c) Todos os verbos que indicam fenômenos da natureza
são impessoais: chover, ventar, nevar, gear, trovejar, amanhecer,
Estrutura das Formas Verbais escurecer, etc. Quando, porém, se constrói, “Amanheci mal-
humorado”, usa-se o verbo  “amanhecer”  em sentido figurado.
Do ponto de vista estrutural, uma forma verbal pode Qualquer verbo impessoal, empregado em sentido figurado,
apresentar os seguintes elementos: deixa de ser impessoal para ser pessoal.
Amanheci mal-humorado. (Sujeito desinencial: eu)
a)  Radical:  é a parte invariável, que expressa o significado Choveram candidatos ao cargo. (Sujeito: candidatos)
essencial do verbo. Por exemplo: Fiz quinze anos ontem. (Sujeito desinencial: eu)
fal-ei; fal-ava; fal-am. (radical fal-)
d) São impessoais, ainda:
b) Tema: é o radical seguido da vogal temática que indica a 1. o verbo passar (seguido de preposição), indicando tempo.
conjugação a que pertence o verbo. Por exemplo: fala-r Ex.: Já passa das seis.
2. os verbos  bastar  e  chegar, seguidos da preposição  de,
São três as conjugações: indicando suficiência. Ex.: 
1ª - Vogal Temática - A - (falar) Basta de tolices. Chega de blasfêmias.
2ª - Vogal Temática - E - (vender) 3. os verbos  estar  e  ficar  em orações tais como  Está bem,
3ª - Vogal Temática - I - (partir) Está muito bem assim, Não fica bem, Fica mal,  sem referência
a sujeito expresso anteriormente. Podemos, ainda, nesse caso,
c) Desinência modo-temporal: é o elemento que designa o classificar o sujeito como  hipotético, tornando-se, tais verbos,
tempo e o modo do verbo. então, pessoais.
Por exemplo: 4. o verbo deu + para da língua popular, equivalente de “ser
falávamos ( indica o pretérito imperfeito do indicativo.) possível”. Por exemplo:
falasse ( indica o pretérito imperfeito do subjuntivo.) Não deu para chegar mais cedo.
Dá para me arrumar uns trocados?
d)  Desinência número-pessoal:  é o elemento que designa
a pessoa do discurso ( 1ª, 2ª ou 3ª) e o número (singular ou - Unipessoais:  são aqueles que, tendo sujeito, conjugam-se
plural). apenas nas terceiras pessoas, do singular e do plural.
falamos (indica a 1ª pessoa do plural.) A fruta amadureceu.
falavam (indica a 3ª pessoa do plural.) As frutas amadureceram.

Observação:  o verbo pôr, assim como seus derivados Obs.: os verbos unipessoais podem ser usados como verbos
(compor, repor, depor, etc.), pertencem à 2ª conjugação, pois a pessoais na linguagem figurada:
forma arcaica do verbo pôr era poer. A vogal “e”, apesar de haver Teu irmão amadureceu bastante.
desaparecido do infinitivo, revela-se em algumas formas do Entre os unipessoais estão os verbos que significam vozes de
verbo: põe, pões, põem, etc. animais; eis alguns:
bramar: tigre
Formas Rizotônicas e Arrizotônicas bramir: crocodilo
cacarejar: galinha
Ao combinarmos os conhecimentos sobre a estrutura dos coaxar: sapo
verbos com o conceito de acentuação tônica, percebemos com cricrilar: grilo
facilidade que nas formas rizotônicas, o acento tônico cai no
radical do verbo: opino, aprendam,  nutro, por exemplo. Nas Os principais verbos unipessoais são:
formas arrizotônicas, o acento tônico não cai no radical, mas sim 1. cumprir, importar, convir, doer, aprazer, parecer,
na terminação verbal: opinei, aprenderão, nutriríamos. ser (preciso, necessário, etc.).
Cumpre  trabalharmos bastante. (Sujeito:  trabalharmos
Classificação dos Verbos bastante.)
Parece que vai chover. (Sujeito: que vai chover.)
Classificam-se em: É preciso que chova. (Sujeito: que chova.)
a) Regulares:  são aqueles que possuem as desinências 2. fazer e ir, em orações que dão ideia de tempo, seguidos da
normais de sua conjugação e cuja flexão não provoca alterações conjunção que.
no radical.
Faz  dez anos que deixei de fumar. (Sujeito:  que deixei de
Por exemplo: canto     cantei      cantarei     cantava      cantasse fumar.)
b) Irregulares:  são aqueles cuja flexão provoca alterações Vai para (ou Vai em ou Vai por) dez anos que não vejo Cláudia.
no radical ou nas desinências. (Sujeito: que não vejo Cláudia)
Por exemplo: faço     fiz      farei     fizesse Obs.: todos os sujeitos apontados são oracionais.
c) Defectivos: são aqueles que não apresentam conjugação - Pessoais:  não apresentam algumas flexões por motivos
completa. Classificam-se em impessoais, unipessoais e pessoais. morfológicos ou eufônicos. Por exemplo:
verbo falir. Este verbo teria como formas do presente do
- Impessoais: são os verbos que não têm sujeito. indicativo falo, fales, fale, idênticas às do verbo falar - o que
Normalmente, são usados na terceira pessoa do singular. Os provavelmente causaria problemas de interpretação em certos
principais verbos impessoais são: contextos.
a)  haver, quando sinônimo de existir, acontecer, realizar-se verbo computar. Este verbo teria como formas do presente do
ou fazer (em orações temporais). indicativo computo, computas, computa - formas de sonoridade
Havia poucos ingressos à venda. (Havia = Existiam) considerada ofensiva por alguns ouvidos gramaticais. Essas
Houve duas guerras mundiais. (Houve = Aconteceram) razões muitas vezes não impedem o uso efetivo de formas
Haverá reuniões aqui. (Haverá = Realizar-se-ão) verbais repudiadas por alguns gramáticos: exemplo disso é
Deixei de fumar há muitos anos. (há = faz) o próprio verbo computar, que, com o desenvolvimento e a
popularização da informática, tem sido conjugado em todos os
b) fazer, ser e estar (quando indicam tempo) tempos, modos e pessoas.

Língua Portuguesa 20
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
d) Abundantes:  são aqueles que possuem mais de uma Pretérito Imperfeito: se eu fosse, se tu fosses, se ele fosse,
forma com o mesmo valor. Geralmente, esse fenômeno costuma se nós fôssemos, se vós fôsseis, se eles fossem.
ocorrer no particípio, em que, além das formas regulares Pretérito Mais-que-Perfeito Composto: tivesse sido.
terminadas em -ado ou -ido, surgem as chamadas formas Futuro Simples: quando eu for, quando tu fores, quando ele
curtas (particípio irregular). Observe: for, quando nós formos, quando vós fordes, quando eles forem.
Futuro Composto: tiver sido.
Infinitivo Particípio regular Particípio irregular SER - Modo Imperativo

Anexar Anexado Anexo Imperativo Afirmativo: sê tu, seja ele, sejamos nós, sede
vós, sejam eles.
Dispersar Dispersado Disperso Imperativo Negativo: não sejas tu, não seja ele, não sejamos
Eleger Elegido Eleito nós, não sejais vós, não sejam eles.
Infinitivo Pessoal: por ser eu, por seres tu, por ser ele, por
Envolver Envolvido Envolto sermos nós, por serdes vós, por serem eles.
Imprimir Imprimido Impresso
SER - Formas Nominais
Matar Matado Morto
Morrer Morrido Morto Formas Nominais
Infinitivo: ser
Pegar Pegado Pego Gerúndio: sendo
Soltar Soltado Solto Particípio: sido

e) Anômalos: são aqueles que incluem mais de um radical Infinitivo Pessoal : ser eu, seres tu, ser ele, sermos
em sua conjugação. nós, serdes vós, serem eles.
Por exemplo: 
ESTAR - Modo Indicativo
Ir Pôr Ser Saber Presente: eu estou, tu estás, ele está, nós estamos, vós estais,
vou ponho sou sei eles estão.
vais pus és sabes Pretérito Imperfeito: eu estava, tu estavas, ele estava, nós
ides pôs fui soube estávamos, vós estáveis, eles estavam.
fui punha foste saiba Pretérito Perfeito Simples: eu estive, tu estiveste, ele
esteve, nós estivemos, vós estivestes, eles estiveram.
foste seja
Pretérito Perfeito Composto: tenho estado.
Pretérito Mais-que-Perfeito Simples: eu estivera, tu
f) Auxiliares estiveras, ele estivera, nós estivéramos, vós estivéreis, eles
São aqueles que entram na formação dos tempos estiveram.
compostos e das locuções verbais. O verbo principal, quando Pretérito Mais-que-perfeito Composto: tinha estado
acompanhado de verbo auxiliar, é expresso numa das formas Futuro do Presente Simples: eu estarei, tu estarás, ele
nominais: infinitivo, gerúndio ou particípio. estará, nós estaremos, vós estareis, eles estarão.
                         Futuro do Presente Composto: terei estado.
  Vou                       espantar           as          moscas. Futuro do Pretérito Simples: eu estaria, tu estarias, ele
(verbo auxiliar)       (verbo principal no infinitivo) estaria, nós estaríamos, vós estaríeis, eles estariam.
Futuro do Pretérito Composto: teria estado.
Está                    chegando            a         hora     do    debate.
(verbo auxiliar)      (verbo principal no gerúndio)                  ESTAR - Modo Subjuntivo e Imperativo
                   
Obs.: os verbos auxiliares mais usados são: ser, estar, ter e Presente: que eu esteja, que tu estejas, que ele esteja, que
haver. nós estejamos, que vós estejais, que eles estejam.
Pretérito Imperfeito: se eu estivesse, se tu estivesses, se
Conjugação dos Verbos Auxiliares ele estivesse, se nós estivéssemos, se vós estivésseis, se eles
estivessem.
SER - Modo Indicativo Pretérito Mais-que-Perfeito Composto: tivesse estado
Futuro Simples: quando eu estiver, quando tu estiveres,
Presente: eu sou, tu és, ele é, nós somos, vós sois, eles são. quando ele estiver, quando nós estivermos, quando vós
Pretérito Imperfeito: eu era, tu eras, ele era, nós éramos, estiverdes, quando eles estiverem.
vós éreis, eles eram. Futuro Composto: Tiver estado.
Pretérito Perfeito Simples: eu fui, tu foste, ele foi, nós
fomos, vós fostes, eles foram. Imperativo Afirmativo: está tu, esteja ele, estejamos nós,
Pretérito Perfeito Composto: tenho sido. estai vós, estejam eles.
Mais-que-perfeito simples: eu fora, tu foras, ele fora, nós Imperativo Negativo: não estejas tu, não esteja ele, não
fôramos, vós fôreis, eles foram. estejamos nós, não estejais vós, não estejam eles.
Pretérito Mais-que-Perfeito Composto: tinha sido. Infinitivo Pessoal: por estar eu, por estares tu, por estar ele,
Futuro do Pretérito simples: eu seria, tu serias, ele seria, por estarmos nós, por estardes vós, por estarem eles.
nós seríamos, vós seríeis, eles seriam.
Futuro do Pretérito Composto: terei sido. Formas Nominais
Futuro do Presente: eu serei, tu serás, ele será, nós seremos, Infinitivo: estar
vós sereis, eles serão. Gerúndio: estando
Futuro do Pretérito Composto: Teria sido. Particípio: estado
SER - Modo Subjuntivo ESTAR - Formas Nominais
Presente: que eu seja, que tu sejas, que ele seja, que nós Infinitivo Impessoal: estar
sejamos, que vós sejais, que eles sejam. Infinitivo Pessoal: estar, estares, estar, estarmos, estardes,

Língua Portuguesa 21
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
estarem. TER - Modo Subjuntivo e Imperativo
Gerúndio: estando
Particípio: estado Modo Subjuntivo
Presente: que eu tenha, que tu tenhas, que ele tenha, que
HAVER - Modo Indicativo nós tenhamos, que vós tenhais, que eles tenham.
Pretérito Imperfeito: se eu tivesse, se tu tivesses, se ele
Presente: eu hei, tu hás, ele há, nós havemos, vós haveis, eles tivesse, se nós tivéssemos, se vós tivésseis, se eles tivessem.
hão. Pretérito Mais-que-Perfeito Composto: tivesse tido.
Pretérito Imperfeito: eu havia, tu havias, ele havia, nós Futuro: quando eu tiver, quando tu tiveres, quando ele tiver,
havíamos, vós havíeis, eles haviam. quando nós tivermos, quando vós tiverdes, quando eles tiverem.
Pretérito Perfeito Simples: eu houve, tu houveste, ele Futuro Composto: tiver tido.
houve, nós houvemos, vós houvestes, eles houveram.
Pretérito Perfeito Composto: tenho havido. Modo Imperativo
Pretérito Mais-que-Perfeito Simples: eu houvera, tu Imperativo Afirmativo: tem tu, tenha ele, tenhamos nós,
houveras, ele houvera, nós houvéramos, vós houvéreis, eles tende vós, tenham eles.
houveram. Imperativo Negativo: não tenhas tu, não tenha ele, não
Pretérito Mais-que-Prefeito Composto: tinha havido. tenhamos nós, não tenhais vós, não tenham eles.
Futuro do Presente Simples: eu haverei, tu haverás, ele Infinitivo Pessoal: por ter eu, por teres tu, por ter ele, por
haverá, nós haveremos, vós havereis, eles haverão. termos nós, por terdes vós, por terem eles.
Futuro do Presente Composto: terei havido.
Futuro do Pretérito Simples: eu haveria, tu haverias, ele g) Pronominais: São aqueles verbos que se conjugam com
haveria, nós haveríamos, vós haveríeis, eles haveriam. os pronomes oblíquos átonos me, te, se, nos, vos, se, na mesma
Futuro do Pretérito Composto: teria havido. pessoa do sujeito, expressando reflexibilidade (pronominais
acidentais) ou apenas reforçando a ideia já implícita no próprio
HAVER - Modo Subjuntivo e Imperativo sentido do verbo (reflexivos essenciais). Veja:
- 1. Essenciais: são aqueles que sempre se conjugam com os
Modo Subjuntivo pronomes oblíquos me, te, se, nos, vos, se. São poucos: abster-se,
Presente: que eu haja, que tu hajas, que ele haja, que nós ater-se, apiedar-se, atrever-se, dignar-se, arrepender-se, etc. Nos
hajamos, que vós hajais, que eles hajam. verbos pronominais essenciais a reflexibilidade já está implícita
Pretérito Imperfeito: se eu houvesse, se tu houvesses, se no radical do verbo. Por exemplo:
ele houvesse, se nós houvéssemos, se vós houvésseis, se eles Arrependi-me de ter estado lá.
houvessem. A ideia é de que a pessoa representada pelo sujeito (eu) tem
Pretérito Mais-que-Perfeito Composto: tivesse havido. um sentimento (arrependimento) que recai sobre ela mesma,
Futuro Simples: quando eu houver, quando tu houveres, pois não recebe ação transitiva nenhuma vinda do verbo; o
quando ele houver, quando nós houvermos, quando vós pronome oblíquo átono é apenas uma partícula integrante do
houverdes, quando eles houverem. verbo, já que, pelo uso, sempre é conjugada com o verbo. Diz-
Futuro Composto: tiver havido. se que o pronome apenas serve de reforço da ideia reflexiva
expressa pelo radical do próprio verbo.  
Modo Imperativo Veja uma conjugação pronominal essencial (verbo e
Imperativo Afirmativo: haja ele, hajamos nós, havei vós, respectivos pronomes): 
hajam eles. Eu me arrependo 
Imperativo Negativo: não hajas tu, não haja ele, não Tu te arrependes 
hajamos nós, não hajais vós, não hajam eles. Ele se arrepende 
Infinitivo Pessoal: por haver eu, por haveres tu, por haver Nós nos arrependemos 
ele, por havermos nós, por haverdes vós, por haverem eles. Vós vos arrependeis 
Eles se arrependem
HAVER - Formas Nominais
 - 2. Acidentais:  são aqueles verbos transitivos diretos em que
Infinitivo Impessoal: haver, haveres, haver, havermos, a ação exercida pelo sujeito recai sobre o objeto representado por
haverdes, haverem. pronome oblíquo da mesma pessoa do sujeito; assim, o sujeito
Infinitivo Pessoal: haver faz uma ação que recai sobre ele mesmo. Em geral, os verbos
Gerúndio: havendo transitivos diretos ou transitivos diretos e indiretos podem ser
Particípio: havido conjugados com os pronomes mencionados, formando o que se
chama voz reflexiva. Por exemplo: Maria se penteava.
TER - Modo Indicativo A reflexibilidade é acidental, pois a ação reflexiva pode
ser exercida também sobre outra pessoa. Por exemplo:  Maria
Presente: eu tenho, tu tens, ele tem, nós temos, vós tendes, penteou-me.
eles têm.  
Pretérito Imperfeito: eu tinha, tu tinhas, ele tinha, nós Observações:
tínhamos, vós tínheis, eles tinham. 1- Por fazerem parte integrante do verbo, os pronomes
Pretérito Perfeito Simples: eu tive, tu tiveste, ele teve, nós oblíquos átonos dos verbos pronominais não possuem função
tivemos, vós tivestes, eles tiveram. sintática.
Pretérito Perfeito Composto: tenho tido. 2- Há verbos que também são acompanhados de pronomes
Pretérito Mais-que-Perfeito Simples: eu tivera, tu tiveras, oblíquos átonos, mas que não são essencialmente pronominais,
ele tivera, nós tivéramos, vós tivéreis, eles tiveram. são os verbos reflexivos. Nos verbos reflexivos, os pronomes,
Pretérito Mais-que-Perfeito Composto: tinha tido. apesar de se encontrarem na pessoa idêntica à do sujeito,
Futuro do Presente Simples: eu terei, tu terás, ele terá, nós exercem funções sintáticas.
teremos, vós tereis, eles terão. Por exemplo:
Futuro do Presente: terei tido. Eu me feri. = Eu(sujeito) - 1ª pessoa do singular me (objeto
Futuro do Pretérito Simples: eu teria, tu terias, ele teria, direto) - 1ª pessoa do singular
nós teríamos, vós teríeis, eles teriam.
Futuro do Pretérito composto: teria tido. Modos Verbais
Dá-se o nome de modo às várias formas assumidas pelo
verbo na expressão de um fato. Em Português, existem três
modos: 

Língua Portuguesa 22
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Indicativo - indica uma certeza, uma realidade. Por exemplo: antes de outro fato já terminado. Por exemplo: Ele já  tinha
Eu sempre estudo. estudado  as lições quando os amigos chegaram. (forma
Subjuntivo - indica uma dúvida, uma possibilidade. Por composta) Ele já estudara as lições quando os amigos chegaram.
exemplo: Talvez eu estude amanhã. (forma simples)
Imperativo  - indica uma ordem, um pedido. Por - Futuro do Presente (simples) - Enuncia um fato que deve
exemplo: Estuda agora, menino. ocorrer num tempo vindouro com relação ao momento atual.
Por exemplo:  Ele estudará as lições amanhã.
Formas Nominais - Futuro do Presente (composto) - Enuncia um fato que deve
ocorrer posteriormente a um momento atual, mas já terminado
Além desses três modos, o verbo apresenta ainda formas antes de outro fato futuro. Por exemplo: Antes de bater o sinal,
que podem exercer funções de nomes (substantivo, adjetivo, os alunos já terão terminado o teste.
advérbio), sendo por isso denominadas  formas nominais. - Futuro do Pretérito (simples) - Enuncia um fato que pode
Observe:  ocorrer posteriormente a um determinado fato passado. Por
- a) Infinitivo Impessoal:  exprime a significação do verbo exemplo: Se eu tivesse dinheiro, viajaria nas férias.
de modo vago e indefinido, podendo ter valor e função de - Futuro do Pretérito (composto)  -  Enuncia um fato que
substantivo. Por exemplo: Viver é lutar. (= vida é luta) poderia ter ocorrido posteriormente a um determinado fato
É indispensável combater a corrupção. (= combate à) passado. Por exemplo:  Se eu tivesse ganho esse dinheiro, teria
O infinitivo impessoal pode apresentar-se no presente viajado nas férias.
(forma simples) ou no passado (forma composta). Por exemplo:
É preciso ler este livro. Era preciso ter lido este livro. 2. Tempos do Subjuntivo

b) Infinitivo Pessoal:  é o infinitivo relacionado às três - Presente - Enuncia um fato que pode ocorrer no momento
pessoas do discurso. Na 1ª e 3ª pessoas do singular, não atual. Por exemplo: É conveniente que estudes para o exame.
apresenta desinências, assumindo a mesma forma do impessoal; - Pretérito Imperfeito  -  Expressa um fato passado, mas
nas demais, flexiona- -se da seguinte maneira: posterior a outro já ocorrido. Por exemplo: Eu esperava que
ele vencesse o jogo.
2ª pessoa do singular: Radical + ES Ex.: teres(tu)
1ª pessoa do plural: Radical + MOS Ex.:termos (nós) Obs.: o pretérito imperfeito é também usado nas construções
2ª pessoa do plural: Radical + DES Ex.:terdes (vós) em que se expressa a ideia de condição ou desejo. Por exemplo:
3ª pessoa do plural: Radical + EM Ex.:terem (eles) Se ele viesse ao clube, participaria do campeonato.
- Pretérito Perfeito (composto) - Expressa um fato totalmente
Por exemplo: terminado num momento passado. Por exemplo: Embora tenha
Foste elogiado por teres alcançado uma boa colocação. estudado bastante, não passou no teste.
- Futuro do Presente (simples) - Enuncia um fato que pode
- c) Gerúndio: o gerúndio pode funcionar como adjetivo ou ocorrer num momento futuro em relação ao atual. Por exemplo:
advérbio. Por exemplo:  Quando ele vier à loja, levará as encomendas.
Saindo  de casa, encontrei alguns amigos. (função de Obs.: o futuro do presente é também usado em frases que
advérbio) indicam possibilidade ou desejo. Por exemplo: Se ele vier à loja,
Nas ruas, havia crianças vendendo doces. (função adjetivo) levará as encomendas.
Na forma simples, o gerúndio expressa uma ação em curso; - Futuro do Presente (composto) - Enuncia um fato posterior
na forma composta, uma ação concluída. Por exemplo: ao momento atual mas já terminado antes de outro fato
Trabalhando, aprenderás o valor do dinheiro. futuro. Por exemplo:  Quando ele  tiver saído do hospital, nós o
Tendo trabalhado, aprendeu o valor do dinheiro. visitaremos.

- d) Particípio:  quando não é empregado na formação dos Presente do Indicativo


tempos compostos, o particípio indica geralmente o resultado
de uma ação terminada, flexionando-se em gênero, número e 1ª conjugação/2ª conjugação/3ª conjugação / Desinência
grau. Por exemplo: pessoal
Terminados os exames, os candidatos saíram. CANTAR VENDER PARTIR
Quando o particípio exprime somente estado, sem nenhuma cantO vendO partO O
relação temporal, assume verdadeiramente a função de adjetivo cantaS vendeS parteS S
(adjetivo verbal). Por exemplo: canta vende parte -
Ela foi a aluna escolhida para representar a escola. cantaMOS vendeMOS partiMOS MOS
cantaIS vendeIS partIS IS
Tempos Verbais cantaM vendeM parteM M

Tomando-se como referência o momento em que se fala, Pretérito Perfeito do Indicativo


a ação expressa pelo verbo pode ocorrer em diversos tempos.
Veja: 1ª conjugação/2ª conjugação/3ª conjugação/Desinência
pessoal
1. Tempos do Indicativo CANTAR VENDER PARTIR
canteI vendI partI I
- Presente  - Expressa um fato atual. Por exemplo: cantaSTE vendeSTE partISTE STE
Eu estudo neste colégio. cantoU vendeU partiU U
- Pretérito Imperfeito  - Expressa um fato ocorrido num cantaMOS vendeMOS partiMOS MOS
momento anterior ao atual, mas que não foi completamente cantaSTES vendeSTES partISTES STES
terminado. Por exemplo: Ele  estudava  as lições quando foi cantaRAM vendeRAM partiRAM AM
interrompido.
- Pretérito Perfeito (simples)  -  Expressa um fato ocorrido Pretérito mais-que-perfeito
num momento anterior ao atual e que foi totalmente terminado.
Por exemplo: Ele estudou as lições ontem à noite. 1ª conj. / 2ª conj. / 3ª conj. /Desin. Temp. /Desin. Pess.
- Pretérito Perfeito (composto) - Expressa um fato que teve 1ª/2ª e 3ª conj.
início no passado e que pode se prolongar até o momento atual. CANTAR VENDER PARTIR - -
Por exemplo: Tenho estudado muito para os exames. cantaRA vendeRA partiRA RA Ø
- Pretérito-Mais-Que-Perfeito - Expressa um fato ocorrido cantaRAS vendeRAS partiRAS RA S

Língua Portuguesa 23
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
cantaRA vendeRA partiRA RA Ø Para formar o futuro do subjuntivo elimina-se a desinência
cantáRAMOS vendêRAMOS partíRAMOS RA MOS -STE da 2ª pessoa do singular do pretérito perfeito, obtendo-
cantáREIS vendêREIS partíREIS RE IS se, assim, o tema desse tempo. Acrescenta-se a esse tema a
cantaRAM vendeRAM partiRAM RA M desinência temporal -R mais a desinência de número e pessoa
correspondente.
Pretérito Imperfeito do Indicativo
1ª conj. / 2ª conj. / 3ª conj. / Des. temp. /Desin. pess.
1ª conjugação / 2ª conjugação / 3ª conjugação 1ª /2ª e 3ª conj.
CANTAR VENDER PARTIR CANTAR VENDER PARTIR
cantAVA vendIA partIA cantaR vendeR partiR Ø
cantAVAS vendIAS partAS cantaRES vendeRES partiRES R ES
CantAVA vendIA partIA cantaR vendeR partiR R Ø
cantÁVAMOS vendÍAMOS partÍAMOS cantaRMOS vendeRMOS partiRMOS R MOS
cantÁVEIS vendÍEIS partÍEIS cantaRDES vendeRDES partiRDES R DES
cantAVAM vendIAM partIAM cantaREM vendeREM PartiREM R EM

Futuro do Presente do Indicativo Imperativo

1ª conjugação 2ª conjugação 3ª conjugação Imperativo Afirmativo


CANTAR VENDER PARTIR
cantar ei vender ei partir ei Para se formar o imperativo afirmativo, toma-se do presente
cantar ás vender ás partir ás do indicativo a 2ª pessoa do singular (tu) e a segunda pessoa do
cantar á vender á partir á plural (vós) eliminando-se o “S” final. As demais pessoas vêm,
cantar emos vender emos partir emos sem alteração, do presente do subjuntivo. Veja: 
cantar eis vender eis partir eis
cantar ão vender ão partir ão Pres. do Indicativo Imperativo Afirm. Pres. do Subjuntivo
Eu canto --- Que eu cante
Futuro do Pretérito do Indicativo Tu cantas CantA tu Que tu cantes
Ele canta Cante você Que ele cante
1ª conjugação 2ª conjugação 3ª conjugação Nós cantamos Cantemos nós Que nós cantemos
CANTAR VENDER PARTIR Vós cantais CantAI vós Que vós canteis
cantarIA venderIA partirIA Eles cantam Cantem vocês Que eles cantem
cantarIAS venderIAS partirIAS
cantarIA venderIA partirIA Imperativo Negativo
cantarÍAMOS venderÍAMOS partirÍAMOS
cantarÍEIS venderÍEIS partirÍEIS Para se formar o imperativo negativo, basta antecipar a
cantarIAM venderIAM partirIAM negação às formas do presente do subjuntivo.

Presente do Subjuntivo Presente do Subjuntivo Imperativo Negativo


Que eu cante ---
Para se formar o presente do subjuntivo, substitui-se a Que tu cantes Não cantes tu
desinência -o da primeira pessoa do singular do presente do Que ele cante Não cante você
indicativo pela desinência -E (nos verbos de 1ª conjugação) ou Que nós cantemos Não cantemos nós
pela desinência -A (nos verbos de 2ª e 3ª conjugação). Que vós canteis Não canteis vós
Que eles cantem Não cantem eles
1ª conj./2ª conj./3ª conju./Des.Temp./Des.temp./Des. pess
1ª conj. 2ª/3ª conj. Observações:
CANTAR VENDER PARTIR
cantE vendA partA E A Ø - No modo imperativo não faz sentido usar na 3ª pessoa
cantES vendAS partAS E A S (singular e plural) as formas ele/eles, pois uma ordem, pedido
cantE vendA partA E A Ø ou conselho só se aplicam diretamente à pessoa com quem se
cantEMOS vendAMOS partAMOS E A MOS fala. Por essa razão, utiliza-se você/vocês.
cantEIS vendAIS partAIS E A IS - O verbo SER, no imperativo, faz excepcionalmente: sê (tu),
cantEM vendAM partAM E A M sede (vós).

Pretérito Imperfeito do Subjuntivo Infinitivo Impessoal

Para formar o imperfeito do subjuntivo, elimina-se a 1ª conjugação 2ª conjugação 3ª conjugação


desinência -STE da 2ª pessoa do singular do pretérito perfeito, CANTAR VENDER PARTIR
obtendo-se, assim, o tema desse tempo. Acrescenta-se a esse
tema a desinência temporal -SSE mais a desinência de número Infinitivo Pessoal
e pessoa correspondente.
1ª conjugação 2ª conjugação 3ª conjugação
1ª conj. 2ª conj. 3ª conj. Des. temporal Desin. pessoal CANTAR VENDER PARTIR
1ª /2ª e 3ª conj. cantar vender partir
CANTAR VENDER PARTIR cantarES venderES partirES
cantaSSE vendeSSE partiSSE SSE Ø cantar vender partir
cantaSSES vendeSSES partiSSES SSE S cantarMOS venderMOS partirMOS
cantaSSE vendeSSE partiSSE SSE Ø cantarDES venderDES partirDES
cantáSSEMOS vendêSSEMOS partíssemos SSE MOS cantarEM venderEM partirEM
cantáSSEIS vendêSSEIS partíSSEIS SSE IS
cantaSSE vendeSSEM partiSSEM SSE M Questões

Futuro do Subjuntivo 01. Considere o trecho a seguir. É comum que objetos


___ esquecidos em locais públicos. Mas muitos transtornos

Língua Portuguesa 24
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
poderiam ser evitados se as pessoas ______ a atenção voltada Observe: O amor é eterno. O tema, o ser de quem se declara
para seus pertences, conservando-os junto ao corpo. Assinale a algo, o sujeito, é “O amor”. A declaração referente a “o amor”, ou
alternativa que preenche, correta e respectivamente, as lacunas seja, o predicado, é «é eterno».
do texto.
(A) sejam … mantesse Já na frase: Os rapazes jogam futebol. O sujeito é “Os rapazes”,
(B) sejam … mantivessem que identificamos por ser o termo que concorda em número e
(C) sejam … mantém pessoa com o verbo “jogam”. O predicado é “jogam futebol”.
(D) seja … mantivessem
(E) seja … mantêm Núcleo de um termo é a palavra principal (geralmente um
substantivo, pronome ou verbo), que encerra a essência de
02. Na frase –… os níveis de pessoas sem emprego estão sua significação. Nos exemplos seguintes, as palavras amigo e
apresentando quedas sucessivas de 2005 para cá. –, a locução revestiu são o núcleo do sujeito e do predicado, respectivamente:
verbal em destaque expressa ação “O amigo retardatário do presidente prepara-se para
(A) concluída. desembarcar.” (Aníbal Machado)
(B) atemporal. A avezinha revestiu o interior do ninho com macias plumas.
(C) contínua.
(D) hipotética. Os termos da oração da língua portuguesa são classificados
(E) futura. em três grandes níveis:
- Termos Essenciais da Oração: Sujeito e Predicado.
03. (Escrevente TJ SP Vunesp) Sem querer estereotipar,
mas já estereotipando: trata--se de um ser cujas interações sociais - Termos Integrantes da Oração: Complemento Nominal e
terminam, 99% das vezes, diante da pergunta “débito ou crédito?”. Complementos Verbais (Objeto Direto, Objeto indireto e Agente
Nesse contexto, o verbo estereotipar tem sentido de da Passiva).
(A) considerar ao acaso, sem premeditação.
(B) aceitar uma ideia mesmo sem estar convencido dela. - Termos Acessórios da Oração: Adjunto Adnominal,
(C) adotar como referência de qualidade. Adjunto Adverbial, Aposto e Vocativo.
(D) julgar de acordo com normas legais.
(E) classificar segundo ideias preconcebidas. Termos Essenciais da Oração: São dois os termos essenciais
(ou fundamentais) da oração: sujeito e predicado. Exemplos:
Respostas
1-B / 2-C / 3-E
Sujeito Predicado
Pobreza não é vileza.
Termos essenciais da oração:
sujeito e predicado. Os sertanistas capturavam os índios.
Um vento áspero sacudia as árvores.

Oração Sujeito: é equivocado dizer que o sujeito é aquele que pratica


uma ação ou é aquele (ou aquilo) do qual se diz alguma coisa. Ao
Oração: é todo enunciado linguístico dotado de sentido, fazer tal afirmação estamos considerando o aspecto semântico
porém há, necessariamente, a presença do verbo. A oração do sujeito (agente de uma ação) ou o seu aspecto estilístico
encerra uma frase (ou segmento de frase), várias frases ou um (o tópico da sentença). Já que o sujeito é depreendido de uma
período, completando um pensamento e concluindo o enunciado análise sintática, vamos restringir a definição apenas ao seu
através de ponto final, interrogação, exclamação e, em alguns papel sintático na sentença: aquele que estabelece concordância
casos, através de reticências. com o núcleo do predicado. Quando se trata de predicado verbal,
Em toda oração há um verbo ou locução verbal (às vezes o núcleo é sempre um verbo; sendo um predicado nominal, o
elípticos). Não têm estrutura sintática, portanto não são orações, núcleo é sempre um nome. Então têm por características básicas:
não podem ser analisadas sintaticamente frases como: - estabelecer concordância com o núcleo do predicado;
- apresentar-se como elemento determinante em relação ao
Socorro! predicado;
Com licença! - constituir-se de um substantivo, ou pronome substantivo
Que rapaz impertinente! ou, ainda, qualquer palavra substantivada.
Muito riso, pouco siso.
Exemplo:
Na oração as palavras estão relacionadas entre si, como
partes de um conjunto harmônico: elas formam os termos A padaria está fechada hoje.
ou as unidades sintáticas da oração. Cada termo da oração está fechada hoje: predicado nominal
desempenha uma função sintática. Geralmente apresentam dois fechada: nome adjetivo = núcleo do predicado
grupos de palavras: um grupo sobre o qual se declara alguma a padaria: sujeito
coisa (o sujeito), e um grupo que apresenta uma declaração (o padaria: núcleo do sujeito - nome feminino singular
predicado), e, excepcionalmente, só o predicado. Exemplo:
No interior de uma sentença, o sujeito é o termo determinante,
A menina banhou-se na cachoeira. ao passo que o predicado é o termo determinado. Essa posição
A menina – sujeito de determinante do sujeito em relação ao predicado adquire
banhou-se na cachoeira – predicado sentido com o fato de ser possível, na língua portuguesa, uma
Choveu durante a noite. (a oração toda predicado) sentença sem sujeito, mas nunca uma sentença sem predicado.
Exemplo:
O sujeito é o termo da frase que concorda com o verbo em
número e pessoa. É normalmente o «ser de quem se declara As formigas invadiram minha casa.
algo», «o tema do que se vai comunicar». as formigas: sujeito = termo determinante
O predicado é a parte da oração que contém “a informação invadiram minha casa: predicado = termo determinado
nova para o ouvinte”. Normalmente, ele se refere ao sujeito, Há formigas na minha casa.
constituindo a declaração do que se atribui ao sujeito. há formigas na minha casa: predicado = termo determinado
sujeito: inexistente

Língua Portuguesa 25
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
O sujeito sempre se manifesta em termos de sintagma indeterminado, mas expresso: Alguém me ensinará o caminho.
nominal, isto é, seu núcleo é sempre um nome. Quando esse Ninguém lhe telefonou.
nome se refere a objetos das primeira e segunda pessoas, o - Assinala-se a indeterminação do sujeito usando-se o
sujeito é representado por um pronome pessoal do caso reto (eu, verbo na 3ª pessoa do plural, sem referência a qualquer agente
tu, ele, etc.). Se o sujeito se refere a um objeto da terceira pessoa, já expresso nas orações anteriores: Na rua olhavam-no com
sua representação pode ser feita através de um substantivo, de admiração; “Bateram palmas no portãozinho da frente.”; “De
um pronome substantivo ou de qualquer conjunto de palavras, qualquer modo, foi uma judiação matarem a moça.”
cujo núcleo funcione, na sentença, como um substantivo. - Assinala-se a indeterminação do sujeito com um verbo
Exemplos: ativo na 3ª pessoa do singular, acompanhado do pronome se. O
Eu acompanho você até o guichê. pronome se, neste caso, é índice de indeterminação do sujeito.
eu: sujeito = pronome pessoal de primeira pessoa Pode ser omitido junto de infinitivos.
Vocês disseram alguma coisa? Aqui vive-se bem.
vocês: sujeito = pronome pessoal de segunda pessoa Devagar se vai ao longe.
Marcos tem um fã-clube no seu bairro. Quando se é jovem, a memória é mais vivaz.
Marcos: sujeito = substantivo próprio Trata-se de fenômenos que nem a ciência sabe explicar.
Ninguém entra na sala agora.
ninguém: sujeito = pronome substantivo - Assinala-se a indeterminação do sujeito deixando-se o
O andar deve ser uma atividade diária. verbo no infinitivo impessoal: Era penoso carregar aqueles
o andar: sujeito = núcleo: verbo substantivado nessa oração fardos enormes; É triste assistir a estas cenas repulsivas.

Além dessas formas, o sujeito também pode se constituir Normalmente, o sujeito antecede o predicado; todavia, a
de uma oração inteira. Nesse caso, a oração recebe o nome de posposição do sujeito ao verbo é fato corriqueiro em nossa
oração substantiva subjetiva: língua.
Exemplos:
É difícil optar por esse ou aquele doce... É fácil este problema!
É difícil: oração principal Vão-se os anéis, fiquem os dedos.
optar por esse ou aquele doce: oração substantiva subjetiva “Breve desapareceram os dois guerreiros entre as árvores.”
(José de Alencar)
O sujeito é constituído por um substantivo ou pronome, ou
por uma palavra ou expressão substantivada. Exemplos: Sem Sujeito: constituem a enunciação pura e absoluta de um
fato, através do predicado; o conteúdo verbal não é atribuído a
O sino era grande. nenhum ser. São construídas com os verbos impessoais, na 3ª
Ela tem uma educação fina. pessoa do singular: Havia ratos no porão; Choveu durante o jogo.
Vossa Excelência agiu com imparcialidade. Observação: São verbos impessoais: Haver (nos sentidos
Isto não me agrada. de existir, acontecer, realizar-se, decorrer), Fazer, passar, ser
e estar, com referência ao tempo e Chover, ventar, nevar, gear,
O núcleo (isto é, a palavra base) do sujeito é, pois, um relampejar, amanhecer, anoitecer e outros que exprimem
substantivo ou pronome. Em torno do núcleo podem aparecer fenômenos meteorológicos.
palavras secundárias (artigos, adjetivos, locuções adjetivas, etc.).
Exemplo: “Todos os ligeiros rumores da mata tinham uma Predicado: assim como o sujeito, o predicado é um
voz para a selvagem filha do sertão.” (José de Alencar) segmento extraído da estrutura interna das orações ou das
frases, sendo, por isso, fruto de uma análise sintática. Nesse
O sujeito pode ser: sentido, o predicado é sintaticamente o segmento linguístico
que estabelece concordância com outro termo essencial
Simples: quando tem um só núcleo: As rosas têm espinhos; da oração, o sujeito, sendo este o termo determinante (ou
“Um bando de galinhas-d’angola atravessa a rua em fila indiana.” subordinado) e o predicado o termo determinado (ou principal).
Composto: quando tem mais de um núcleo: “O burro e o Não se trata, portanto, de definir o predicado como “aquilo
cavalo nadavam ao lado da canoa.” que se diz do sujeito” como fazem certas gramáticas da língua
Expresso: quando está explícito, enunciado: Eu viajarei portuguesa, mas sim estabelecer a importância do fenômeno
amanhã. da concordância entre esses dois termos essenciais da oração.
Oculto (ou elíptico): quando está implícito, isto é, quando Então têm por características básicas: apresentar-se como
não está expresso, mas se deduz do contexto: Viajarei amanhã. elemento determinado em relação ao sujeito; apontar um
(sujeito: eu, que se deduz da desinência do verbo); “Um soldado atributo ou acrescentar nova informação ao sujeito.
saltou para a calçada e aproximou-se.” (o sujeito, soldado, está
expresso na primeira oração e elíptico na segunda: e (ele) Exemplo:
aproximou-se.); Crianças, guardem os brinquedos. (sujeito:
vocês) Carolina conhece os índios da Amazônia.
Agente: se faz a ação expressa pelo verbo da voz ativa: O Nilo sujeito: Carolina = termo determinante
fertiliza o Egito. predicado: conhece os índios da Amazônia = termo
Paciente: quando sofre ou recebe os efeitos da ação expressa determinado
pelo verbo passivo: O criminoso é atormentado pelo remorso;
Muitos sertanistas foram mortos pelos índios; Construíram-se Nesse exemplo podemos observar que a concordância é
açudes. (= Açudes foram construídos.) estabelecida entre algumas poucas palavras dos dois termos
Agente e Paciente: quando o sujeito realiza a ação expressa essenciais. No exemplo, entre “Carolina” e “conhece”. Isso se dá
por um verbo reflexivo e ele mesmo sofre ou recebe os efeitos porque a concordância é centrada nas palavras que são núcleos,
dessa ação: O operário feriu-se durante o trabalho; Regina isto é, que são responsáveis pela principal informação naquele
trancou-se no quarto. segmento. No predicado o núcleo pode ser de dois tipos: um
Indeterminado: quando não se indica o agente da ação nome, quase sempre um atributo que se refere ao sujeito da
verbal: Atropelaram uma senhora na esquina. (Quem atropelou oração, ou um verbo (ou locução verbal). No primeiro caso,
a senhora? Não se diz, não se sabe quem a atropelou.); Come-se temos um predicado nominal (seu núcleo significativo é um
bem naquele restaurante. nome, substantivo, adjetivo, pronome, ligado ao sujeito por
um verbo de ligação) e no segundo um predicado verbal (seu
Observações: núcleo é um verbo, seguido, ou não, de complemento(s) ou
- Não confundir sujeito indeterminado com sujeito oculto. termos acessórios). Quando, num mesmo segmento o nome e o
- Sujeito formado por pronome indefinido não é verbo são de igual importância, ambos constituem o núcleo do

Língua Portuguesa 26
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
predicado e resultam no tipo de predicado verbo-nominal (tem ligação, verbos que entram na formação do predicado nominal,
dois núcleos significativos: um verbo e um nome). Exemplos: relacionando o predicativo com o sujeito.
Quanto à predicação classificam-se, pois os verbos em:
Minha empregada é desastrada. Intransitivos: são os que não precisam de complemento,
predicado: é desastrada pois têm sentido completo.
núcleo do predicado: desastrada = atributo do sujeito “Três contos bastavam, insistiu ele.” (Machado de Assis)
tipo de predicado: nominal “Os guerreiros Tabajaras dormem.” (José de Alencar)
“A pobreza e a preguiça andam sempre em companhia.”
O núcleo do predicado nominal chama-se predicativo (Marquês de Maricá)
do sujeito, porque atribui ao sujeito uma qualidade ou
característica. Os verbos de ligação (ser, estar, parecer, etc.) Observações: Os verbos intransitivos podem vir
funcionam como um elo entre o sujeito e o predicado. acompanhados de um adjunto adverbial e mesmo de um
predicativo (qualidade, características): Fui cedo; Passeamos
A empreiteira demoliu nosso antigo prédio. pela cidade; Cheguei atrasado; Entrei em casa aborrecido.
predicado: demoliu nosso antigo prédio As orações formadas com verbos intransitivos não podem
núcleo do predicado: demoliu = nova informação sobre o “transitar” (= passar) para a voz passiva. Verbos intransitivos
sujeito passam, ocasionalmente, a transitivos quando construídos com
tipo de predicado: verbal o objeto direto ou indireto.
- “Inutilmente a minha alma o chora!” (Cabral do Nascimento)
Os manifestantes desciam a rua desesperados. - “Depois me deitei e dormi um sono pesado.” (Luís Jardim)
predicado: desciam a rua desesperados - “Morrerás morte vil da mão de um forte.” (Gonçalves Dias)
núcleos do predicado: desciam = nova informação sobre o - “Inútil tentativa de viajar o passado, penetrar no mundo
sujeito; desesperados = atributo do sujeito que já morreu...” (Ciro dos Anjos)
tipo de predicado: verbo-nominal
Alguns verbos essencialmente intransitivos: anoitecer,
Nos predicados verbais e verbo-nominais o verbo é crescer, brilhar, ir, agir, sair, nascer, latir, rir, tremer, brincar,
responsável também por definir os tipos de elementos que chegar, vir, mentir, suar, adoecer, etc.
aparecerão no segmento. Em alguns casos o verbo sozinho basta
para compor o predicado (verbo intransitivo). Em outros casos Transitivos Diretos: são os que pedem um objeto direto, isto
é necessário um complemento que, juntamente com o verbo, é, um complemento sem preposição. Pertencem a esse grupo:
constituem a nova informação sobre o sujeito. De qualquer julgar, chamar, nomear, eleger, proclamar, designar, considerar,
forma, esses complementos do verbo não interferem na tipologia declarar, adotar, ter, fazer, etc. Exemplos:
do predicado. Comprei um terreno e construí a casa.
Entretanto, é muito comum a elipse (ou omissão) do verbo, “Trabalho honesto produz riqueza honrada.” (Marquês de
quando este puder ser facilmente subentendido, em geral por Maricá)
estar expresso ou implícito na oração anterior. Exemplos: “Então, solenemente Maria acendia a lâmpada de sábado.”
(Guedes de Amorim)
“A fraqueza de Pilatos é enorme, a ferocidade dos algozes
inexcedível.” (Machado de Assis) (Está subentendido o verbo é Dentre os verbos transitivos diretos merecem destaque os
depois de algozes) que formam o predicado verbo nominal e se constrói com o
“Mas o sal está no Norte, o peixe, no Sul” (Paulo Moreira da complemento acompanhado de predicativo. Exemplos:
Silva) (Subentende-se o verbo está depois de peixe) Consideramos o caso extraordinário.
“A cidade parecia mais alegre; o povo, mais contente.” (Povina Inês trazia as mãos sempre limpas.
Cavalcante) (isto é: o povo parecia mais contente) O povo chamava-os de anarquistas.
Julgo Marcelo incapaz disso.
Chama-se predicação verbal o modo pelo qual o verbo
forma o predicado. Observações: Os verbos transitivos diretos, em geral, podem
Há verbos que, por natureza, tem sentido completo, ser usados também na voz passiva; Outra característica desses
podendo, por si mesmos, constituir o predicado: são os verbos verbos é a de poderem receber como objeto direto, os pronomes
de predicação completa denominados intransitivos. Exemplo: o, a, os, as: convido-o, encontro-os, incomodo-a, conheço-as; Os
verbos transitivos diretos podem ser construídos acidentalmente
As flores murcharam. com preposição, a qual lhes acrescenta novo matiz semântico:
Os animais correm. arrancar da espada; puxar da faca; pegar de uma ferramenta;
As folhas caem. tomar do lápis; cumprir com o dever; Alguns verbos transitivos
diretos: abençoar, achar, colher, avisar, abraçar, comprar,
Outros verbos há, pelo contrário, que para integrarem castigar, contrariar, convidar, desculpar, dizer, estimar, elogiar,
o predicado necessitam de outros termos: são os verbos de entristecer, encontrar, ferir, imitar, levar, perseguir, prejudicar,
predicação incompleta, denominados transitivos. Exemplos: receber, saldar, socorrer, ter, unir, ver, etc.

João puxou a rede. Transitivos Indiretos: são os que reclamam um


“Não invejo os ricos, nem aspiro à riqueza.” (Oto Lara complemento regido de preposição, chamado objeto indireto.
Resende) Exemplos:
“Não simpatizava com as pessoas investidas no poder.” “Ninguém perdoa ao quarentão que se apaixona por uma
(Camilo Castelo Branco) adolescente.” (Ciro dos Anjos)
“Populares assistiam à cena aparentemente apáticos e
Observe que, sem os seus complementos, os verbos puxou, neutros.” (Érico Veríssimo)
invejo, aspiro, etc., não transmitiriam informações completas: “Lúcio não atinava com essa mudança instantânea.” (José
puxou o quê? Não invejo a quem? Não aspiro a quê? Américo)
Os verbos de predicação completa denominam-se “Do que eu mais gostava era do tempo do retiro espiritual.”
intransitivos e os de predicação incompleta, transitivos. Os (José Geraldo Vieira)
verbos transitivos subdividem-se em: transitivos diretos,
transitivos indiretos e transitivos diretos e indiretos Observações: Entre os verbos transitivos indiretos importa
(bitransitivos). distinguir os que se constroem com os pronomes objetivos lhe,
Além dos verbos transitivos e intransitivos, quem encerram lhes. Em geral são verbos que exigem a preposição a: agradar-lhe,
uma noção definida, um conteúdo significativo, existem os de agradeço-lhe, apraz-lhe, bate-lhe, desagrada-lhe, desobedecem-

Língua Portuguesa 27
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
lhe, etc. Entre os verbos transitivos indiretos importa distinguir estava Amélia!; Completamente feliz ninguém é.; Raros são os
os que não admitem para objeto indireto as formas oblíquas verdadeiros líderes.; Quem são esses homens?; Lentos e tristes,
lhe, lhes, construindo-se com os pronomes retos precedidos de os retirantes iam passando.; Novo ainda, eu não entendia certas
preposição: aludir a ele, anuir a ele, assistir a ela, atentar nele, coisas.; Onde está a criança que fui?
depender dele, investir contra ele, não ligar para ele, etc. Predicativo do Objeto: é o termo que se refere ao objeto de
Em princípio, verbos transitivos indiretos não comportam um verbo transitivo. Exemplos:
a forma passiva. Excetuam-se pagar, perdoar, obedecer, e O juiz declarou o réu inocente.
pouco mais, usados também como transitivos diretos: João O povo elegeu-o deputado.
paga (perdoa, obedece) o médico. O médico é pago (perdoado,
obedecido) por João. Há verbos transitivos indiretos, como Observações: O predicativo objetivo, como vemos dos
atirar, investir, contentar-se, etc., que admitem mais de uma exemplos acima, às vezes vem regido de preposição. Esta, em
preposição, sem mudança de sentido. Outros mudam de sentido certos casos, é facultativa; O predicativo objetivo geralmente
com a troca da preposição, como nestes exemplos: Trate de sua se refere ao objeto direto. Excepcionalmente, pode referir-se
vida. (tratar=cuidar). É desagradável tratar com gente grosseira. ao objeto indireto do verbo chamar. Chamavam-lhe poeta;
(tratar=lidar). Verbos como aspirar, assistir, dispor, servir, etc., Podemos antepor o predicativo a seu objeto: O advogado
variam de significação conforme sejam usados como transitivos considerava indiscutíveis os direitos da herdeira.; Julgo
diretos ou indiretos. inoportuna essa viagem.; “E até embriagado o vi muitas
vezes.”; “Tinha estendida a seus pés uma planta rústica da
Transitivos Diretos e Indiretos: são os que se usam com cidade.”; “Sentia ainda muito abertos os ferimentos que aquele
dois objetos: um direto, outro indireto, concomitantemente. choque com o mundo me causara.”
Exemplos:
No inverno, Dona Cléia dava roupas aos pobres. Termos Integrantes da Oração
A empresa fornece comida aos trabalhadores.
Oferecemos flores à noiva. Chamam-se termos integrantes da oração os que completam
Ceda o lugar aos mais velhos. a significação transitiva dos verbos e nomes. Integram (inteiram,
completam) o sentido da oração, sendo por isso indispensável à
De Ligação: Os que ligam ao sujeito uma palavra ou compreensão do enunciado. São os seguintes:
expressão chamada predicativo. Esses verbos, entram na - Complemento Verbais (Objeto Direto e Objeto Indireto);
formação do predicado nominal. Exemplos: - Complemento Nominal;
A Terra é móvel. - Agente da Passiva.
A água está fria.
O moço anda (=está) triste. Objeto Direto: é o complemento dos verbos de predicação
A Lua parecia um disco. incompleta, não regido, normalmente, de preposição. Exemplos:
As plantas purificaram o ar.
Observações: Os verbos de ligação não servem apenas de “Nunca mais ele arpoara um peixe-boi.” (Ferreira Castro)
anexo, mas exprimem ainda os diversos aspectos sob os quais Procurei o livro, mas não o encontrei.
se considera a qualidade atribuída ao sujeito. O verbo ser, por Ninguém me visitou.
exemplo, traduz aspecto permanente e o verbo estar, aspecto
transitório: Ele é doente. (aspecto permanente); Ele está doente. O objeto direto tem as seguintes características:
(aspecto transitório). Muito desses verbos passam à categoria - Completa a significação dos verbos transitivos diretos;
dos intransitivos em frases como: Era =existia) uma vez uma - Normalmente, não vem regido de preposição;
princesa.; Eu não estava em casa.; Fiquei à sombra.; Anda com - Traduz o ser sobre o qual recai a ação expressa por um
dificuldades.; Parece que vai chover. verbo ativo: Caim matou Abel.
- Torna-se sujeito da oração na voz passiva: Abel foi morto
Os verbos, relativamente à predicação, não têm classificação por Caim.
fixa, imutável. Conforme a regência e o sentido que apresentam
na frase, podem pertencer ora a um grupo, ora a outro. Exemplos: O objeto direto pode ser constituído:
O homem anda. (intransitivo) - Por um substantivo ou expressão substantivada: O lavrador
O homem anda triste. (de ligação) cultiva a terra.; Unimos o útil ao agradável.
- Pelos pronomes oblíquos o, a, os, as, me, te, se, nos, vos:
O cego não vê. (intransitivo) Espero-o na estação.; Estimo-os muito.; Sílvia olhou-se ao
O cego não vê o obstáculo. (transitivo direto) espelho.; Não me convidas?; Ela nos chama.; Avisamo-lo a
tempo.; Procuram-na em toda parte.; Meu Deus, eu vos amo.;
Não dei com a chave do enigma. (transitivo indireto) “Marchei resolutamente para a maluca e intimei-a a ficar
Os pais dão conselhos aos filhos. (transitivo direto e indireto) quieta.”; “Vós haveis de crescer, perder-vos-ei de vista.”
- Por qualquer pronome substantivo: Não vi ninguém na
Predicativo: Há o predicativo do sujeito e o predicativo do loja.; A árvore que plantei floresceu. (que: objeto direto de
objeto. plantei); Onde foi que você achou isso? Quando vira as folhas do
livro, ela o faz com cuidado.; “Que teria o homem percebido nos
Predicativo do Sujeito: é o termo que exprime um atributo, meus escritos?”
um estado ou modo de ser do sujeito, ao qual se prende por um
verbo de ligação, no predicado nominal. Exemplos: Frequentemente transitivam-se verbos intransitivos, dando-
A bandeira é o símbolo da Pátria. se-lhes por objeto direto uma palavra cognata ou da mesma
A mesa era de mármore. esfera semântica:
“Viveu José Joaquim Alves vida tranquila e patriarcal.”
Além desse tipo de predicativo, outro existe que entra na (Vivaldo Coaraci)
constituição do predicado verbo-nominal. Exemplos: “Pela primeira vez chorou o choro da tristeza.” (Aníbal
O trem chegou atrasado. (=O trem chegou e estava Machado)
atrasado.) “Nenhum de nós pelejou a batalha de Salamina.” (Machado
O menino abriu a porta ansioso. de Assis)
Todos partiram alegres. Em tais construções é de rigor que o objeto venha
acompanhado de um adjunto.
Observações: O predicativo subjetivo às vezes está
preposicionado; Pode o predicativo preceder o sujeito e até Objeto Direto Preposicionado: Há casos em que o objeto
mesmo ao verbo: São horríveis essas coisas!; Que linda direto, isto é, o complemento de verbos transitivos diretos, vem

Língua Portuguesa 28
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
precedido de preposição, geralmente a preposição a. Isto ocorre vida aos doentes e aos pobres; Disse-lhe a verdade. (Disse a
principalmente: verdade ao moço.)
- Quando o objeto direto é um pronome pessoal tônico:
Deste modo, prejudicas a ti e a ela.; “Mas dona Carolina amava O objeto indireto pode ainda acompanhar verbos de outras
mais a ele do que aos outros filhos.”; “Pareceu-me que Roberto categorias, os quais, no caso, são considerados acidentalmente
hostilizava antes a mim do que à ideia.”; “Ricardina lastimava o transitivos indiretos: A bom entendedor meia palavra basta;
seu amigo como a si própria.”; “Amava-a tanto como a nós”. Sobram-lhe qualidades e recursos. (lhe=a ele); Isto não lhe
- Quando o objeto é o pronome relativo quem: “Pedro convém; A proposta pareceu-lhe aceitável.
Severiano tinha um filho a quem idolatrava.”; “Abraçou a todos;
deu um beijo em Adelaide, a quem felicitou pelo desenvolvimento Observações: Há verbos que podem construir-se com dois
das suas graças.”; “Agora sabia que podia manobrar com ele, com objetos indiretos, regidos de preposições diferentes: Rogue a
aquele homem a quem na realidade também temia, como todos Deus por nós.; Ela queixou-se de mim a seu pai.; Pedirei para
ali”. ti a meu senhor um rico presente; Não confundir o objeto direto
- Quando precisamos assegurar a clareza da frase, evitando com o complemento nominal nem com o adjunto adverbial; Em
que o objeto direto seja tomado como sujeito, impedindo frases como “Para mim tudo eram alegrias”, “Para ele nada é
construções ambíguas: Convence, enfim, ao pai o filho amado.; impossível”, os pronomes em destaque podem ser considerados
“Vence o mal ao remédio.”; “Tratava-me sem cerimônia, como a adjuntos adverbiais.
um irmão.”; A qual delas iria homenagear o cavaleiro?
- Em expressões de reciprocidade, para garantir a clareza e a O objeto indireto é sempre regido de preposição, expressa
eufonia da frase: “Os tigres despedaçam-se uns aos outros.”; “As ou implícita. A preposição está implícita nos pronomes objetivos
companheiras convidavam-se umas às outras.”; “Era o abraço de indiretos (átonos) me, te, se, lhe, nos, vos, lhes. Exemplos:
duas criaturas que só tinham uma à outra”. Obedece-me. (=Obedece a mim.); Isto te pertence. (=Isto
- Com nomes próprios ou comuns, referentes a pessoas, pertence a ti.); Rogo-lhe que fique. (=Rogo a você...); Peço-
principalmente na expressão dos sentimentos ou por amor da vos isto. (=Peço isto a vós.). Nos demais casos a preposição é
eufonia da frase: Judas traiu a Cristo.; Amemos a Deus sobre expressa, como característica do objeto indireto: Recorro a
todas as coisas. “Provavelmente, enganavam é a Pedro.”; “O Deus.; Dê isto a (ou para) ele.; Contenta-se com pouco.; Ele
estrangeiro foi quem ofendeu a Tupã”. só pensa em si.; Esperei por ti.; Falou contra nós.; Conto com
- Em construções enfáticas, nas quais antecipamos o objeto você.; Não preciso disto.; O filme a que assisti agradou ao
direto para dar-lhe realce: A você é que não enganam!; Ao público.; Assisti ao desenrolar da luta.; A coisa de que mais
médico, confessor e letrado nunca enganes.; “A este confrade gosto é pescar.; A pessoa a quem me refiro você a conhece.; Os
conheço desde os seus mais tenros anos”. obstáculos contra os quais luto são muitos.; As pessoas com
- Sendo objeto direto o numeral ambos(as): “O aguaceiro quem conto são poucas.
caiu, molhou a ambos.”; “Se eu previsse que os matava a
ambos...”. Como atestam os exemplos acima, o objeto indireto é
- Com certos pronomes indefinidos, sobretudo referentes a representado pelos substantivos (ou expressões substantivas)
pessoas: Se todos são teus irmãos, por que amas a uns e odeias a ou pelos pronomes. As preposições que o ligam ao verbo são: a,
outros?; Aumente a sua felicidade, tornando felizes também aos com, contra, de, em, para e por.
outros.; A quantos a vida ilude!.
- Em certas construções enfáticas, como puxar (ou arrancar) Objeto Indireto Pleonástico: à semelhança do objeto direto,
da espada, pegar da pena, cumprir com o dever, atirar com os o objeto indireto pode vir repetido ou reforçado, por ênfase.
livros sobre a mesa, etc.: “Arrancam das espadas de aço fino...”; Exemplos: “A mim o que me deu foi pena.”; “Que me importa
“Chegou a costureira, pegou do pano, pegou da agulha, pegou a mim o destino de uma mulher tísica...? “E, aos brigões,
da linha, enfiou a linha na agulha e entrou a coser.”; “Imagina-se incapazes de se moverem, basta-lhes xingarem-se a distância.”
a consternação de Itaguaí, quando soube do caso.”
Complemento Nominal: é o termo complementar reclamado
Observações: Nos quatro primeiros casos estudados a pela significação transitiva, incompleta, de certos substantivos,
preposição é de rigor, nos cinco outros, facultativa; A substituição adjetivos e advérbios. Vem sempre regido de preposição.
do objeto direto preposicionado pelo pronome oblíquo átono, Exemplos: A defesa da pátria; Assistência às aulas; “O ódio ao
quando possível, se faz com as formas o(s), a(s) e não lhe, mal é amor do bem, e a ira contra o mal, entusiasmo divino.”;
lhes: amar a Deus (amá-lo); convencer ao amigo (convencê- “Ah, não fosse ele surdo à minha voz!”
lo); O objeto direto preposicionado, é obvio, só ocorre com
verbo transitivo direto; Podem resumir-se em três as razões Observações: O complemento nominal representa o
ou finalidades do emprego do objeto direto preposicionado: recebedor, o paciente, o alvo da declaração expressa por um
a clareza da frase; a harmonia da frase; a ênfase ou a força da nome: amor a Deus, a condenação da violência, o medo de
expressão. assaltos, a remessa de cartas, útil ao homem, compositor
de músicas, etc. É regido pelas mesmas preposições usadas
Objeto Direto Pleonástico: Quando queremos dar destaque no objeto indireto. Difere deste apenas porque, em vez de
ou ênfase à ideia contida no objeto direto, colocamo-lo no complementar verbos, complementa nomes (substantivos,
início da frase e depois o repetimos ou reforçamos por meio do adjetivos) e alguns advérbios em –mente. Os nomes que
pronome oblíquo. A esse objeto repetido sob forma pronominal requerem complemento nominal correspondem, geralmente, a
chama-se pleonástico, enfático ou redundante. Exemplos: verbos de mesmo radical: amor ao próximo, amar o próximo;
O dinheiro, Jaime o trazia escondido nas mangas da camisa. perdão das injúrias, perdoar as injúrias; obediente aos pais,
O bem, muitos o louvam, mas poucos o seguem. obedecer aos pais; regresso à pátria, regressar à pátria; etc.
“Seus cavalos, ela os montava em pelo.” (Jorge Amado)
Agente da Passiva: é o complemento de um verbo na voz
Objeto Indireto: É o complemento verbal regido de passiva. Representa o ser que pratica a ação expressa pelo verbo
preposição necessária e sem valor circunstancial. Representa, passivo. Vem regido comumente pela preposição por, e menos
ordinariamente, o ser a que se destina ou se refere à ação verbal: frequentemente pela preposição de: Alfredo é estimado pelos
“Nunca desobedeci a meu pai”. O objeto indireto completa a colegas; A cidade estava cercada pelo exército romano; “Era
significação dos verbos: conhecida de todo mundo a fama de suas riquezas.”

- Transitivos Indiretos: Assisti ao jogo; Assistimos à missa e O agente da passiva pode ser expresso pelos substantivos ou
à festa; Aludiu ao fato; Aspiro a uma vida calma. pelos pronomes:
- Transitivos Diretos e Indiretos (na voz ativa ou passiva): As flores são umedecidas pelo orvalho.
Dou graças a Deus; Ceda o lugar aos mais velhos; Dedicou sua A carta foi cuidadosamente corrigida por mim.

Língua Portuguesa 29
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
O agente da passiva corresponde ao sujeito da oração na voz assunto, negação, etc. É importante saber distinguir adjunto
ativa: adverbial de adjunto adnominal, de objeto indireto e de
A rainha era chamada pela multidão. (voz passiva) complemento nominal: sair do mar (ad.adv.); água do mar (adj.
A multidão aclamava a rainha. (voz ativa) adn.); gosta do mar (obj.indir.); ter medo do mar (compl.nom.).
Ele será acompanhado por ti. (voz passiva)
Aposto: É uma palavra ou expressão que explica ou esclarece,
Observações: desenvolve ou resume outro termo da oração. Exemplos:
Frase de forma passiva analítica sem complemento agente D. Pedro II, imperador do Brasil, foi um monarca sábio.
expresso, ao passar para a ativa, terá sujeito indeterminado “Nicanor, ascensorista, expôs-me seu caso de consciência.”
e o verbo na 3ª pessoa do plural: Ele foi expulso da cidade. (Carlos Drummond de Andrade)
(Expulsaram-no da cidade.); As florestas são devastadas.
(Devastam as florestas.); Na passiva pronominal não se declara O núcleo do aposto é um substantivo ou um pronome
o agente: Nas ruas assobiavam-se as canções dele pelos substantivo:
pedestres. (errado); Nas ruas eram assobiadas as canções dele Foram os dois, ele e ela.
pelos pedestres. (certo); Assobiavam-se as canções dele nas Só não tenho um retrato: o de minha irmã.
ruas. (certo)
O aposto não pode ser formado por adjetivos. Nas frases
Termos Acessórios da Oração seguintes, por exemplo, não há aposto, mas predicativo do
sujeito:
Termos acessórios são os que desempenham na oração Audaciosos, os dois surfistas atiraram-se às ondas.
uma função secundária, qual seja a de caracterizar um ser, As borboletas, leves e graciosas, esvoaçavam num balé de
determinar os substantivos, exprimir alguma circunstância. São cores.
três os termos acessórios da oração: adjunto adnominal, adjunto
adverbial e aposto. Os apostos, em geral, destacam-se por pausas, indicadas, na
escrita, por vírgulas, dois pontos ou travessões. Não havendo
Adjunto adnominal: É o termo que caracteriza ou determina pausa, não haverá vírgula, como nestes exemplos:
os substantivos. Exemplo: Meu irmão veste roupas vistosas. Minha irmã Beatriz; o escritor João Ribeiro; o romance Tóia;
(Meu determina o substantivo irmão: é um adjunto adnominal o rio Amazonas; a Rua Osvaldo Cruz; o Colégio Tiradentes, etc.
– vistosas caracteriza o substantivo roupas: é também adjunto “Onde estariam os descendentes de Amaro vaqueiro?”
adnominal). (Graciliano Ramos)
O adjunto adnominal pode ser expresso: Pelos adjetivos:
água fresca, terras férteis, animal feroz; Pelos artigos: o O aposto pode preceder o termo a que se refere, o qual, às
mundo, as ruas, um rapaz; Pelos pronomes adjetivos: nosso tio, vezes, está elíptico. Exemplos:
este lugar, pouco sal, muitas rãs, país cuja história conheço, Rapaz impulsivo, Mário não se conteve.
que rua?; Pelos numerais: dois pés, quinto ano, capítulo sexto; Mensageira da ideia, a palavra é a mais bela expressão da
Pelas locuções ou expressões adjetivas que exprimem qualidade, alma humana.
posse, origem, fim ou outra especificação:
- presente de rei (=régio): qualidade O aposto, às vezes, refere-se a toda uma oração. Exemplos:
- livro do mestre, as mãos dele: posse, pertença Nuvens escuras borravam os espaços silenciosos, sinal de
- água da fonte, filho de fazendeiros: origem tempestade iminente.
- fio de aço, casa de madeira: matéria O espaço é incomensurável, fato que me deixa atônito.
- casa de ensino, aulas de inglês: fim, especialidade
Um aposto pode referir-se a outro aposto:
Observações: Não confundir o adjunto adnominal formado “Serafim Gonçalves casou-se com Lígia Tavares, filha do
por locução adjetiva com complemento nominal. Este representa velho coronel Tavares, senhor de engenho.” (Ledo Ivo)
o alvo da ação expressa por um nome transitivo: a eleição do
presidente, aviso de perigo, declaração de guerra, empréstimo O aposto pode vir precedido das expressões explicativas isto
de dinheiro, plantio de árvores, colheita de trigo, destruidor é, a saber, ou da preposição acidental como:
de matas, descoberta de petróleo, amor ao próximo, etc. O
adjunto adnominal formado por locução adjetiva representa Dois países sul-americanos, isto é, a Bolívia e o Paraguai,
o agente da ação, ou a origem, pertença, qualidade de alguém não são banhados pelo mar.
ou de alguma coisa: o discurso do presidente, aviso de amigo, Este escritor, como romancista, nunca foi superado.
declaração do ministro, empréstimo do banco, a casa do
fazendeiro, folhas de árvores, farinha de trigo, beleza das O aposto que se refere a objeto indireto, complemento
matas, cheiro de petróleo, amor de mãe. nominal ou adjunto adverbial vem precedido de preposição:

Adjunto adverbial: É o termo que exprime uma circunstância O rei perdoou aos dois: ao fidalgo e ao criado.
(de tempo, lugar, modo, etc.) ou, em outras palavras, que modifica “Acho que adoeci disso, de beleza, da intensidade das
o sentido de um verbo, adjetivo ou advérbio. Exemplo: “Meninas coisas.” (Raquel Jardim)
numa tarde brincavam de roda na praça”. O adjunto adverbial De cobras, morcegos, bichos, de tudo ela tinha medo.
é expresso: Pelos advérbios: Cheguei cedo.; Ande devagar.;
Maria é mais alta.; Não durma ao volante.; Moramos aqui.; Vocativo: (do latim vocare = chamar) é o termo (nome, título,
Ele fala bem, fala corretamente.; Volte bem depressa.; Talvez apelido) usado para chamar ou interpelar a pessoa, o animal ou
esteja enganado.; Pelas locuções ou expressões adverbiais: Às a coisa personificada a que nos dirigimos:
vezes viajava de trem.; Compreendo sem esforço.; Saí com meu
pai.; Júlio reside em Niterói.; Errei por distração.; Escureceu “Elesbão? Ó Elesbão! Venha ajudar-nos, por favor!” (Maria
de repente. de Lourdes Teixeira)
“A ordem, meus amigos, é a base do governo.” (Machado de
Observações: Pode ocorrer a elipse da preposição antes Assis)
de adjuntos adverbiais de tempo e modo: Aquela noite, não “Correi, correi, ó lágrimas saudosas!” (Fagundes Varela)
dormi. (=Naquela noite...); Domingo que vem não sairei. (=No
domingo...); Ouvidos atentos, aproximei-me da porta. (=De Observação: Profere-se o vocativo com entoação exclamativa.
ouvidos atentos...); Os adjuntos adverbiais classificam-se de Na escrita é separado por vírgula(s). No exemplo inicial, os
acordo com as circunstâncias que exprimem: adjunto adverbial pontos interrogativo e exclamativo indicam um chamado alto e
de lugar, modo, tempo, intensidade, causa, companhia, meio, prolongado. O vocativo se refere sempre à 2ª pessoa do discurso,

Língua Portuguesa 30
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
que pode ser uma pessoa, um animal, uma coisa real ou entidade forma de grafar as palavras é produto de acordos ortográficos
abstrata personificada. Podemos antepor-lhe uma interjeição de que envolvem os diversos países em que a língua portuguesa é
apelo (ó, olá, eh!): oficial. A melhor maneira de treinar a ortografia é ler, escrever e
consultar o dicionário sempre que houver dúvida.
“Tem compaixão de nós , ó Cristo!” (Alexandre Herculano)
“Ó Dr. Nogueira, mande-me cá o Padilha, amanhã!” Emprego das letras K, W e Y
(Graciliano Ramos) Utilizam-se nos seguintes casos:
“Esconde-te, ó sol de maio, ó alegria do mundo!” (Camilo a) Em antropônimos originários de outras línguas e seus
Castelo Branco) derivados.
O vocativo é um tempo à parte. Não pertence à estrutura da Exemplos: Kant, kantismo; Darwin, darwinismo; Taylor,
oração, por isso não se anexa ao sujeito nem ao predicado. taylorista.

Questões b) Em topônimos originários de outras línguas e seus


derivados.
01. O termo em destaque é adjunto adverbial de intensidade Exemplos: Kuwait, kuwaitiano.
em: c) Em siglas, símbolos, e mesmo em palavras adotadas como
(A) pode aprender e assimilar MUITA coisa unidades de medida de curso internacional.
(B) enfrentamos MUITAS novidades Exemplos: K (Potássio), W (West), kg (quilograma), km
(C) precisa de um parceiro com MUITO caráter (quilômetro), Watt.
(D) não gostam de mulheres MUITO inteligentes
(E) assumimos MUITO conflito e confusão Emprego de X e Ch
Emprega-se o X:
02. Assinale a alternativa correta: “para todos os males, há 1) Após um ditongo.
dois remédios: o tempo e o silêncio”, os termos grifados são Exemplos: caixa, frouxo, peixe
respectivamente: Exceção: recauchutar e seus derivados
(A) sujeito – objeto direto;
(B) sujeito – aposto; 2) Após a sílaba inicial “en”.
(C) objeto direto – aposto; Exemplos: enxame, enxada, enxaqueca
(D) objeto direto – objeto direto; Exceção: palavras iniciadas por “ch” que recebem o prefixo
(E) objeto direto – complemento nominal. “en-”
Exemplos: encharcar (de charco), enchiqueirar (de chiqueiro),
03. Assinale a alternativa em que o termo destacado é objeto encher e seus derivados (enchente, enchimento, preencher...)
indireto.
(A) “Quem faz um poema abre uma janela.” (Mário Quintana) 3) Após a sílaba inicial “me-”.
(B) “Toda gente que eu conheço e que fala comigo / Nunca Exemplos: mexer, mexerica, mexicano, mexilhão
teve um ato ridículo / Nunca sofreu enxovalho (...)” (Fernando Exceção: mecha
Pessoa)
(C) “Quando Ismália enlouqueceu / Pôs-se na torre a sonhar 4) Em vocábulos de origem indígena ou africana e nas palavras
/ Viu uma lua no céu, / Viu uma lua no mar.” (Alphonsus de inglesas aportuguesadas.
Guimarães) Exemplos: abacaxi, xavante, orixá, xará, xerife, xampu
(D) “Mas, quando responderam a Nhô Augusto: ‘– É a
jagunçada de seu Joãozinho Bem-Bem, que está descendo para 5) Nas seguintes palavras:
a Bahia.’ – ele, de alegre, não se pôde conter.” (Guimarães Rosa) bexiga, bruxa, coaxar, faxina, graxa, lagartixa, lixa, lixo, puxar,
rixa, oxalá, praxe, roxo, vexame, xadrez, xarope, xaxim, xícara, xale,
04. “Recebeu o prêmio o jogador que fez o gol”. Nessa frase xingar, etc.
o sujeito de “fez”?
(A) o prêmio; Emprega-se o dígrafo Ch:
(B) o jogador; 1) Nos seguintes vocábulos:
(C) que; bochecha, bucha, cachimbo, chalé, charque, chimarrão,
(D) o gol; chuchu, chute, cochilo, debochar, fachada, fantoche, ficha, flecha,
(E) recebeu. mochila, pechincha, salsicha, tchau, etc.
Para representar o fonema /j/ na forma escrita, a grafia
05. Assinale a alternativa correspondente ao período onde considerada correta é aquela que ocorre de acordo com a origem
há predicativo do sujeito: da palavra. Veja os exemplos:
(A) como o povo anda tristonho! gesso: Origina-se do grego gypsos
(B) agradou ao chefe o novo funcionário; jipe: Origina-se do inglês jeep.
(C) ele nos garantiu que viria;
(D) no Rio não faltam diversões; Emprega-se o G:
(E) o aluno ficou sabendo hoje cedo de sua aprovação. 1) Nos substantivos terminados em -agem, -igem, -ugem
Exemplos: barragem, miragem, viagem, origem, ferrugem
Respostas Exceção: pajem
01. D\02. C\03. D\04. C\05. A
2) Nas palavras terminadas em -ágio, -égio, -ígio, -ógio, -úgio
Exemplos: estágio, privilégio, prestígio, relógio, refúgio
Ortografia.
3) Nas palavras derivadas de outras que se grafam com g
Exemplos: engessar (de gesso), massagista (de massagem),
vertiginoso (de vertigem)
Ortografia
4) Nos seguintes vocábulos:
A ortografia se caracteriza por estabelecer padrões para a algema, auge, bege, estrangeiro, geada, gengiva, gibi, gilete,
forma escrita das palavras. Essa escrita está relacionada tanto hegemonia, herege, megera, monge, rabugento, vagem.
a critérios etimológicos (ligados à origem das palavras) quanto
fonológicos (ligados aos fonemas representados). É importante Emprega-se o J:
compreender que a ortografia é fruto de uma convenção. A 1) Nas formas dos verbos terminados em -jar ou -jear

Língua Portuguesa 31
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Exemplos: 2) Nos sufixos -ez, -eza, ao formarem substantivos abstratos a
arranjar: arranjo, arranje, arranjem partir de adjetivos
despejar: despejo, despeje, despejem Exemplos:
gorjear: gorjeie, gorjeiam, gorjeando inválido- invalidez limpo-limpeza macio- maciez
enferrujar: enferruje, enferrujem rígido- rigidez
viajar: viajo, viaje, viajem frio- frieza nobre- nobreza pobre-pobreza surdo-
surdez
2) Nas palavras de origem tupi, africana, árabe ou exótica
Exemplos: biju, jiboia, canjica, pajé, jerico, manjericão, Moji 3) Nos sufixos -izar, ao formar verbos e -ização, ao formar
substantivos
3) Nas palavras derivadas de outras que já apresentam j Exemplos:
Exemplos: civilizar- civilização hospitalizar- hospitalização
laranja- laranjeira loja- lojista lisonja - colonizar- colonização realizar- realização
lisonjeador nojo- nojeira
cereja- cerejeira varejo- varejista rijo- enrijecer 4) Nos derivados em -zal, -zeiro, -zinho, -zinha, -zito, -zita
jeito- ajeitar Exemplos:
cafezal, cafezeiro, cafezinho, arvorezinha, cãozito, avezita
4) Nos seguintes vocábulos:
berinjela, cafajeste, jeca, jegue, majestade, jeito, jejum, laje, 5) Nos seguintes vocábulos:
traje, pegajento azar, azeite, azedo, amizade, buzina, bazar, catequizar, chafariz,
cicatriz, coalizão, cuscuz, proeza, vizinho, xadrez, verniz, etc.
Emprego das Letras S e Z
Emprega-se o S: 6) Nos vocábulos homófonos, estabelecendo distinção no
1) Nas palavras derivadas de outras que já apresentam s no contraste entre o S e o Z
radical Exemplos:
cozer (cozinhar) e coser (costurar)
Exemplos: prezar( ter em consideração) e presar (prender)
análise- analisar catálise- catalisador traz (forma do verbo trazer) e trás (parte posterior)
casa- casinha, casebre liso- alisar
Observação: em muitas palavras, a letra X soa como Z. Veja os
2) Nos sufixos -ês e -esa, ao indicarem nacionalidade, título exemplos:
ou origem exame exato exausto exemplo existir exótico
Exemplos: inexorável
burguês- burguesa inglês- inglesa
chinês- chinesa milanês- milanesa Emprego de S, Ç, X e dos Dígrafos Sc, Sç, Ss, Xc, Xs
Existem diversas formas para a representação do fonema /S/.
3) Nos sufixos formadores de adjetivos -ense, -oso e -osa Observe:
Exemplos:
catarinense gostoso- gostosa amoroso- amorosa Emprega-se o S:
palmeirense gasoso- gasosa teimoso- teimosa Nos substantivos derivados de verbos terminados em
“andir”,”ender”, “verter” e “pelir”
4) Nos sufixos gregos -ese, -isa, -osa Exemplos:
Exemplos: expandir- expansão pretender- pretensão verter-
catequese, diocese, poetisa, profetisa, sacerdotisa, glicose, versão expelir- expulsão
metamorfose, virose estender- extensão suspender- suspensão
converter - conversão repelir- repulsão
5) Após ditongos
Exemplos: Emprega-se Ç:
coisa, pouso, lousa, náusea Nos substantivos derivados dos verbos “ter” e “torcer”
Exemplos:
6) Nas formas dos verbos pôr e querer, bem como em seus ater- atenção torcer- torção
derivados deter- detenção distorcer-distorção
Exemplos: manter- manutenção contorcer- contorção
pus, pôs, pusemos, puseram, pusera, pusesse, puséssemos
quis, quisemos, quiseram, quiser, quisera, quiséssemos Emprega-se o X:
repus, repusera, repusesse, repuséssemos Em alguns casos, a letra X soa como Ss
Exemplos:
7) Nos seguintes nomes próprios personativos: auxílio, expectativa, experto, extroversão, sexta, sintaxe, texto,
Baltasar, Heloísa, Inês, Isabel, Luís, Luísa, Resende, Sousa, trouxe
Teresa, Teresinha, Tomás
Emprega-se Sc:
8) Nos seguintes vocábulos: Nos termos eruditos
abuso, asilo, através, aviso, besouro, brasa, cortesia, Exemplos:
decisão,despesa, empresa, freguesia, fusível, maisena, mesada, acréscimo, ascensorista, consciência, descender, discente,
paisagem, paraíso, pêsames, presépio, presídio, querosene, fascículo, fascínio, imprescindível, miscigenação, miscível,
raposa, surpresa, tesoura, usura, vaso, vigésimo, visita, etc. plebiscito, rescisão, seiscentos, transcender, etc.

Emprega-se o Z: Emprega-se Sç:


1) Nas palavras derivadas de outras que já apresentam z no Na conjugação de alguns verbos
radical Exemplos:
Exemplos: nascer- nasço, nasça
deslize- deslizar razão- razoável vazio- esvaziar crescer- cresço, cresça
raiz- enraizar cruz-cruzeiro descer- desço, desça

Língua Portuguesa 32
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Emprega-se Ss: Grafam-se com a letra U: camundongo, jabuti, Manuel, tábua
Nos substantivos derivados de verbos terminados em “gredir”, Emprego da letra H
“mitir”, “ceder” e “cutir” Esta letra, em início ou fim de palavras, não tem valor fonético.
Exemplos: Conservou-se apenas como símbolo, por força da etimologia e
agredir- agressão demitir- demissão ceder- cessão da tradição escrita. A palavra hoje, por exemplo, grafa-se desta
discutir- discussão forma devido a sua origem na forma latina hodie.
progredir- progressão t r a n s m i t i r - t r a n s m i s s ã o
exceder- excesso repercutir- repercussão Emprega-se o H:
1) Inicial, quando etimológico
Emprega-se o Xc e o Xs: Exemplos: hábito, hesitar, homologar, Horácio

Em dígrafos que soam como Ss 2) Medial, como integrante dos dígrafos ch, lh, nh
Exemplos: Exemplos: flecha, telha, companhia
exceção, excêntrico, excedente, excepcional, exsudar
3) Final e inicial, em certas interjeições
Observações sobre o uso da letra X Exemplos: ah!, ih!, eh!, oh!, hem?, hum!, etc.
1) O X pode representar os seguintes fonemas:
/ch/ - xarope, vexame 4) Em compostos unidos por hífen, no início do segundo
elemento, se etimológico
/cs/ - axila, nexo Exemplos: anti-higiênico, pré-histórico, super-homem, etc.

/z/ - exame, exílio Observações:


1) No substantivo Bahia, o “h” sobrevive por tradição. Note que
/ss/ - máximo, próximo nos substantivos derivados como baiano, baianada ou baianinha
ele não é utilizado.
/s/ - texto, extenso
2) Os vocábulos erva, Espanha e inverno não possuem a
2) Não soa nos grupos internos -xce- e -xci- letra “h” na sua composição. No entanto, seus derivados eruditos
Exemplos: excelente, excitar sempre são grafados com h. Veja:
herbívoro, hispânico, hibernal.
Emprego das letras E e I
Na língua falada, a distinção entre as vogais átonas /e/ e /i / Emprego do Porquê
pode não ser nítida. Observe:
Orações
Interrogativas Exemplo:
Emprega-se o E:
1) Em sílabas finais dos verbos terminados em -oar, -uar (pode ser Por que devemos nos
Exemplos: substituído por: preocupar com o meio
magoar - magoe, magoes Por por qual motivo, ambiente?
continuar- continue, continues Que por qual razão)
Exemplo:
2) Em palavras formadas com o prefixo ante- (antes, anterior) Equivalendo
Exemplos: antebraço, antecipar a “pelo qual” Os motivos por que não
respondeu são desconhecidos.
3) Nos seguintes vocábulos:
cadeado, confete, disenteria, empecilho, irrequieto, mexerico, Exemplos:
orquídea, etc.
Você ainda tem coragem de
Emprega-se o I : Final de
Por perguntar por quê?
frases e seguidos
1) Em sílabas finais dos verbos terminados em -air, -oer, -uir Quê
de pontuação
Exemplos: Você não vai? Por quê?
cair- cai
doer- dói Não sei por quê!
influir- influi
Exemplos:
2) Em palavras formadas com o prefixo anti- (contra) Conjunção
Exemplos: A situação agravou-se
que indica
Anticristo, antitetânico porque ninguém reclamou.
explicação ou
causa
3) Nos seguintes vocábulos: Ninguém mais o espera,
Porque porque ele sempre se atrasa.
aborígine, artimanha, chefiar, digladiar, penicilina, privilégio,
etc. Conjunção de
Exemplos:
Finalidade –
Emprego das letras O e U equivale a “para
Emprega-se o O/U: Não julgues porque não te
que”, “a fim de
A oposição o/u é responsável pela diferença de significado de julguem.
que”.
algumas palavras. Veja os exemplos:
Função de
comprimento (extensão) e cumprimento (saudação, Exemplos:
realização) substantivo
soar (emitir som) e suar (transpirar) – vem
Não é fácil encontrar o
acompanhado
Porquê porquê de toda confusão.
Grafam-se com a letra O: bolacha, bússola, costume, de artigo ou
pronome
moleque. Dê-me um porquê de sua
saída.

Língua Portuguesa 33
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
1. Por que (pergunta) Além disso, ___certamente ____entre nós ____do fenômeno da
2. Porque (resposta) corrupção e das fraudes.
3. Por quê (fim de frase: motivo) (A) a … concenso … acerca
4. O Porquê (substantivo) (B) há … consenso … acerca
(C) a … concenso … a cerca
Emprego de outras palavras (D) a … consenso … há cerca
(E) há … consenço … a cerca
Senão: equivale a “caso contrário”, “a não ser”: Não fazia coisa
nenhuma senão criticar. 05. Assinale a alternativa cujas palavras se apresentam
Se não: equivale a “se por acaso não”, em orações adverbiais flexionadas de acordo com a norma-padrão.
condicionais: Se não houver homens honestos, o país não sairá (A) Os tabeliãos devem preparar o documento.
desta situação crítica. (B) Esses cidadões tinham autorização para portar fuzis.
(C) Para autenticar as certidãos, procure o cartório local.
Tampouco: advérbio, equivale a “também não”: Não (D) Ao descer e subir escadas, segure-se nos corrimãos.
compareceu, tampouco apresentou qualquer justificativa. (E) Cuidado com os degrais, que são perigosos!
Tão pouco: advérbio de intensidade: Encontramo-nos tão
pouco esta semana. Respostas
01. D/02. B/03. D/4-B/5-D
Trás ou Atrás = indicam lugar, são advérbios.
Traz - do verbo trazer.

Vultoso: volumoso: Fizemos um trabalho vultoso aqui.


Anotações
Vultuoso: atacado de congestão no rosto: Sua face está
vultuosa e deformada.
Questões

01. Que mexer o esqueleto é bom para a saúde já virou


até sabedoria popular. Agora, estudo levanta hipóteses sobre
........................ praticar atividade física..........................benefícios
para a totalidade do corpo. Os resultados podem levar a novas
terapias para reabilitar músculos contundidos ou mesmo para
.......................... e restaurar a perda muscular que ocorre com o
avanço da idade.
(Ciência Hoje, março de 2012)

As lacunas do texto devem ser preenchidas, correta e


respectivamente, com:
(A) porque … trás … previnir
(B) porque … traz … previnir
(C) porquê … tras … previnir
(D) por que … traz … prevenir
(E) por quê … tráz … prevenir

02. Assinale a opção que completa corretamente as lacunas


da frase abaixo: Não sei o _____ ela está com os olhos vermelhos,
talvez seja _____ chorou.
(A) porquê / porque;
(B) por que / porque;
(C) porque / por que;
(D) porquê / por quê;
(E) por que / por quê.

03.

Considerando a ortografia e a acentuação da norma-


padrão da língua portuguesa, as lacunas estão, correta e
respectivamente, preenchidas por:
(A) mal ... por que ... intuíto
(B) mau ... por que ... intuito
(C) mau ... porque ... intuíto
(D) mal ... porque ... intuito
(E) mal ... por quê ... intuito

04. Assinale a alternativa que preenche, correta e


respectivamente, as lacunas do trecho a seguir, de acordo com
a norma-padrão.

Língua Portuguesa 34
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
MATEMÁTICA

Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Quando todos os elementos de um conjunto A são também


elementos de um outro conjunto B, dizemos que A é
subconjunto de B. Exemplo:
- B = {2, 4} ⊂ A = {2, 3, 4, 5, 6}, pois 2 ∈ {2, 3, 4, 5, 6} e 4 ∈
{2, 3, 4, 5 ,6}

Conjuntos: vazio e unitário.

1) Todo conjunto A é subconjunto dele próprio;


Conjunto é uma reunião, agrupamento de pessoas, seres, 2) O conjunto vazio, por convenção, é subconjunto de
objetos, classes…, que possuem a mesma característica, nos dá qualquer conjunto;
ideia de coleção. 3) O conjunto das partes é o conjunto formado por todos
Em geral indicaremos os conjuntos pelas letras maiúsculas os subconjuntos de A.
A, B, C, ..., X, e os elementos pelas letras minúsculas a, b, c, ..., x, Se quiséssemos saber quantos subconjuntos tem o
y, ..., embora não exista essa obrigatoriedade. conjunto A (exemplo acima), basta calcularmos aplicando o
fórmula:
Representação dos Conjuntos Números de elementos(n)= 5 → 2n = 25 = 32 subconjuntos,
1) Pela designação de seus elementos: escrevemos os incluindo o vazio e ele próprio.
elementos entre chaves, separando os por vírgula. Exemplo:
{a, e, i, o, u} indica o conjunto formado pelas vogais Relação de inclusão
Deve ser usada para estabelecer relação entre conjuntos
2) Pela sua característica: escrevemos o conjunto com conjuntos, verificando se um conjunto é subconjunto ou
enunciando uma propriedade ou característica comum de seus não de outro conjunto.
elementos. {x, | (tal que) x tem a propriedade P} Representamos as relações de inclusão pelos seguintes
Exemplo: símbolos:
- {x| x é vogal} é o mesmo que {a, e, i, o, u} ⊂ (está contido); ⊄ (não está contido)
⊃ (contém); ⊅ (não contém)
3) Pelo diagrama de Venn-Euler: os elementos do
conjunto são colocados dentro de uma figura em forma de Operações com Conjuntos
elipse, chamada diagrama de Venn. - União de conjuntos: a união (ou reunião) dos conjuntos
A e B é o conjunto formado por todos os elementos que
pertencem a A ou a B. Representa-se por A  B.
Simbolicamente: A  B = {x | x A ou x  B}

Igualdade de Conjuntos Exemplos:


Dois conjuntos A = B são ditos iguais (ou idênticos) se - {2, 3}  {4, 5, 6} = {2, 3, 4, 5, 6}
todos os seus elementos são iguais, e escrevemos A = B. Caso - {a, b}   = {a, b}
haja algum que não o seja dizemos que estes conjuntos são
distintos e escrevemos A ≠ B. - Intersecção de conjuntos: a intersecção dos conjuntos
Exemplo: A e B é o conjunto formado por todos os elementos que
1) A = {3, 5, 7} e B = {x| x é primo e 3 ≤ x ≤ 7}, então A = B. pertencem, simultaneamente, a A e a B. Representa-se por A
 B. Simbolicamente: A  B = {x | x  A e x  B}
Tipos de Conjuntos
- Conjunto Universo: reunião de todos os conjuntos que
estamos trabalhando.
- Conjunto Vazio: conjunto vazio é aquele que não possui
elementos. Representa-se por 0 ou, simplesmente { }.
- Conjunto Unitário: conjunto caracterizado por possuir Exemplos:
apenas um único elemento. - {2, 3, 4}  {3, 5} = {3}
- Conjuntos Finitos e Infinitos - {2, 4}  {3, 5, 7} = 
Finito = quando podemos enumerar todos os seus
elementos.
Infinito = contrário do finito. Observação: Se A  B =  , dizemos que A e B são
conjuntos disjuntos.
Relação de Pertinência
A relação de pertinência que nos dá um relacionamento
entre um elemento e um conjunto.
Usamos os ∈ (pertence) e ∉ (não pertence)
Se x é um elemento de um conjunto A, escreveremos x ∈ A,
caso ele não faça parte deste conjunto escrevemos x ∉ A
- Número de Elementos da União e da Intersecção de
Subconjuntos
Conjuntos: dados dois conjuntos A e B, como vemos na figura

Matemática 1
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

abaixo, podemos estabelecer uma relação entre os respectivos 02. (Pref. Pinhais/PR – Enfermeiro - FAFIPA) Sendo os
números de elementos. conjuntos A = { x,y,z } e B = {a, x,y,t}. Assinale a alternativa que
apresenta o conjunto A - B
(A) { z }
(B) { x, y }
(C) { a, t }
(D) { x }
𝑛(𝐴 ∪ 𝐵) = 𝑛(𝐴) + 𝑛(𝐵) − 𝑛(𝐴 ∩ 𝐵)
03 . (CBTU – Tec. Segurança do Trabalho –
Note que ao subtrairmos os elementos comuns (𝑛(𝐴 ∩ 𝐵)) CONSUPLAN) Sejam os conjuntos A = {0, {1}, {2}, {3, 4}} e B =
evitamos que eles sejam contados duas vezes. {ø, 2, {3}, {0, 3}}. Diante das informações, analise.
Observações: I. 3 ∈ B
1) Se os conjuntos A e B forem disjuntos ou se mesmo um II. {3, 4} ∈ A
deles estiver contido no outro, ainda assim a relação dada será III. ø A
verdadeira. IV. ø ∈ B
2) Podemos ampliar a relação do número de elementos
Estão corretas apenas as alternativas
para três ou mais conjuntos com a mesma eficiência.
(A) I e III.
𝑛(𝐴 ∪ 𝐵 ∪ 𝐶) = 𝑛(𝐴) + 𝑛(𝐵) + 𝑛(𝐶) − 𝑛(𝐴 ∩ 𝐵) − 𝑛(𝐴 ∩ 𝐶)
(B) II e IV.
− 𝑛(𝐵 ∩ 𝐶) + 𝑛(𝐴 ∩ 𝐵 ∩ 𝐶)
(C) III e IV.
(D) II, III e IV.
- Diferença: a diferença entre os conjuntos A e B é o
conjunto formado por todos os elementos que pertencem a A
04. (Pref. Cascavel/ PR – Telefonista – CONSUPLAN)
e não pertencem a B. Representa-se por A – B. Para determinar Considere os conjuntos P e Q dados por:
a diferença entre conjuntos, basta observamos o que o P = {1, 2, 8, 9, 15, 11} e Q = {1, 3, 6, 8, 7, 14, 33, 9}
conjunto A tem de diferente de B.
Qual das alternativas apresenta o conjunto P ∩ Q?
Simbolicamente: A – B = {x | x ∈ A e x ∉ B}
(A) Ø.
(B) {1, 8}.
(C) {1, 8, 9}.
(D) {11, 8, 9}.
(E) {1, 2, 3, 6, 7, 8, 9, 11, 14, 15, 33}.

05. (Pref. Rio Novo do Sul/ES – Agente Fiscal – IEDCAN)


Exemplo: Sejam os conjuntos: A = {conjunto dos corpos redondos}; B =
- A = {0, 1, 2, 3} e B = {0, 2} → A – B = {1, 3} e {conjunto dos prismas}; C = {conjunto das pirâmides}; D =
B – A = {conjunto dos poliedros}; E = {conjunto dos sólidos
Note que A – B ≠ B - A geométricos}, que se relacionam entre si de acordo com o
diagrama a seguir.
- Complementar: dados dois conjuntos A e B, tais que B ⊂
A (B é subconjunto de A), chama-se complementar de B em
relação a A o conjunto A - B, ou seja, a diferença (os elementos
de A que não pertencem a B). Dizemos complementar de B em
relação a A.

Exemplos: Dentre as relações entre esses conjuntos, assinale a


Seja S = {0, 1, 2, 3, 4, 5, 6}. Então: verdadeira.
- A = {2, 3, 4}  A = {0, 1, 5, 6} (A) E ⊂ A.
(B) C ⊃ D.
-C= C =S
(C) B ⊃E.
(D) D ⊂E.
Referências
GONÇALVES, Antônio R. - Matemática para Cursos de Graduação – Contexto
Respostas
e Aplicações
IEZZI, Gelson - Fundamentos da Matemática Elementar – Vol. 01 – Conjuntos 01. Resposta: B.
e Funções
02. Resposta: A.
Questões
03. Resposta: B.
01. (CRA/MA – Auxiliar de Serviços Gerias – IDECAN) (I) está errada, pois o {3} é que pertenceria a B.
Analise os conjuntos a seguir: (II) correta
A = {0, 1, 2, 3}, B = {– 2, 0, 2, 4} e C = {– 1, 0, 1, 3}. (III) lembre-se que estamos trabalhando elementos com
Assinale a alternativa INCORRETA. conjunto, logo usamos os símbolos de pertence e não pertence
(A) A ∩ B = {0, 2}. – errada
(B) A ∩ C = {– 1, 0, 1}. (IV) correta.
(C) A ∪ C = {– 1, 0, 1, 2, 3}.
(D) A ∪ B = {– 2, 0, 1, 2, 3, 4}. 04. Resposta: C.
(E) C ∪ B = {– 2, – 1, 0, 1, 2, 3, 4}.
05. Resposta: D.

Matemática 2
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Obs.: o minuendo também é conhecido como aditivo e o


Números naturais: subtraendo como subtrativo.
operações de adição,
- Multiplicação de Números Naturais: tem por
subtração, multiplicação e finalidade adicionar o primeiro número denominado
divisão. multiplicando ou parcela, tantas vezes quantas são as
unidades do segundo número denominadas multiplicador.
Exemplo:
O surgimento do Conjunto dos Números Naturais, deveu- 2 x 5 = 10, onde 2 e 5 são os fatores e o 10 produto.
se à necessidade de se contarem objetos. Embora o zero não
seja um número natural no sentido que tenha sido proveniente Fique Atento!!
de objetos de contagens naturais, iremos considerá-lo como 2 vezes 5 é somar o número 2 cinco vezes:
um número natural uma vez que ele tem as mesmas 2 x 5 = 2 + 2 + 2 + 2 + 2 = 10.
propriedades algébricas que estes números. Podemos no lugar do “x” (vezes) utilizar o ponto (.), para
indicar a multiplicação).

- Divisão de Números Naturais: dados dois números


Subconjuntos notáveis em N: naturais, às vezes necessitamos saber quantas vezes o segundo
1 – Números Naturais não nulos está contido no primeiro. O primeiro número que é o maior é
N* ={1,2,3,4,...,n,...}; N* = N-{0} denominado dividendo (D) e o outro número que é menor é o
divisor (d). O resultado da divisão é chamado quociente (Q). Se
2 – Números Naturais pares multiplicarmos o divisor pelo quociente obteremos o
Np = {0,2,4,6,...,2n,...}; com n ∈ N dividendo. Muitas divisões não são exatas, logo temos um resto
(R) maior que zero.
3 - Números Naturais ímpares
Ni = {1,3,5,7,...,2n+1,...} com n ∈ N

4 - Números primos
P = {2,3,5,7,11,13...} Fique Atento!!
- Em uma divisão exata de números naturais, o divisor
A construção dos Números Naturais deve ser menor do que o dividendo.
- Todo número natural dado tem um sucessor (número que 35 : 7 = 5
vem depois do número dado), considerando também o zero. - Em uma divisão exata de números naturais, o
- Todo número natural dado N, exceto o zero, tem um dividendo é o produto do divisor pelo quociente.
antecessor (número que vem antes do número dado). 35 = 5 x 7
Exemplo:
- A divisão de um número natural n por zero não é
possível pois, se admitíssemos que o quociente fosse q,
então poderíamos escrever: n ÷ 0 = q e isto significaria que:
n = 0 x q = 0 o que não é correto! Assim, a divisão de n por
0 não tem sentido ou ainda é dita impossível.

- Se um número natural é sucessor de outro, então os dois Propriedades da Adição e da Multiplicação dos
números juntos são chamados números consecutivos. números Naturais
Exemplos: Para todo a, b e c ∈ 𝑁
a) 1 e 2 são números consecutivos. 1) Associativa da adição: (a + b) + c = a + (b + c)
b) 7 e 8 são números consecutivos. 2) Comutativa da adição: a + b = b + a
3) Elemento neutro da adição: a + 0 = a
O conjunto abaixo é conhecido como o conjunto dos 4) Associativa da multiplicação: (a.b).c = a. (b.c)
números naturais pares. P = {0, 2, 4, 6, 8, 10, 12, ...} 5) Comutativa da multiplicação: a.b = b.a
O conjunto abaixo é conhecido como o conjunto dos 6) Elemento neutro da multiplicação: a.1 = a
números naturais ímpares. I = {1, 3, 5, 7, 9, 11, 13, ...} 7) Distributiva da multiplicação relativamente à adição:
a.(b +c ) = ab + ac
Operações com Números Naturais 8) Distributiva da multiplicação relativamente à
As duas principais operações possíveis no conjunto dos subtração: a .(b –c) = ab –ac
números naturais são: a adição e a multiplicação. 9) Fechamento: tanto a adição como a multiplicação de um
número natural por outro número natural, continua como
- Adição de Números Naturais: tem por finalidade reunir resultado um número natural.
em um só número, todas as unidades de dois ou mais números.
Exemplo: Referências
5 + 4 = 9, onde 5 e 4 são as parcelas e 9 soma ou total IEZZI, Gelson – Matemática - Volume Único
IEZZI, Gelson - Fundamentos da Matemática – Volume 01 – Conjuntos e
Funções
- Subtração de Números Naturais: É usada quando
precisamos tirar uma quantia de outra, é a operação inversa Questões
da adição. A operação de subtração só é válida nos naturais
quando subtraímos o maior número do menor, ou seja quando 01. (UFSBA – Técnico em Tecnologia da Informação –
a - b tal que a≥ 𝑏. Exemplo: UFMT/2017) O esquema abaixo representa a subtração de
254 – 193 = 61, onde 254 é o minuendo, o 193 dois números inteiros, na qual alguns algarismos foram
subtraendo e 061 a diferença. substituídos pelas letras A, B, H e I.

Matemática 3
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Números pares e números


ímpares.
Obtido o resultado correto, a sequência BAHIA representa
o número: Par: número terminado em 0, 2, 4, 6, ou 8.
(A) 69579 Exemplos:
(B) 96756 230; 582; 3.754; 96; 44.898
(C) 75695
(D) 57697 Ímpar: número terminado em 1, 3, 5, 7, ou 9.
Exemplos:
02. (Câmara de Sumaré/SP – Escriturário – 121; 4.453; 21.315; 677; 899
VUNESP/2017) Se, numa divisão, o divisor e o quociente são
iguais, e o resto é 10, sendo esse resto o maior possível, então Um número pode ser caracterizado como par ou ímpar.
o dividendo é Para realizar essa diferenciação, precisamos conhecer
(A) 131. algumas definições:
(B) 121. Número par é todo número divisível por 2. Um número é
(C) 120. considerado ímpar quando, ao dividi-lo por dois, ele resulta
(D) 110. em um resto diferente de zero.
(E) 101. Exemplo:
Verifique o número do conjunto {23, 42} que é par e qual é
03. (Prefeitura de Canavieira/PI- Auxiliar de serviços ímpar.
gerais -IMA) São números pares, EXCETO:
(A)123
(B)106
(C)782
(D)988
Respostas 23 é um número ímpar, pois seu resto é diferente de zero.

01. Resposta: E.
Sabemos que o minuendo é maior que o subtraendo, pois
temos como resultado um número natural positivo.
Fazendo cada número temos:
8–2=H⇾H=6
A -4=3⇾A=3+4⇾A=7 42 é um número par, pois seu resto é zero.
3–1=2
B – A = 8, como já sabemos que A = 7; B – 7 = 8 ⇾ B = 8 – 7 Acabamos de recordar a definição para número par e
= 15, sabemos que só podemos ter número de 0 a 9, logo 15 – ímpar. Antes de falarmos das propriedades propriamente, é
10 = 5, então B = 5. Aqui neste caso o número 5 não tem como preciso lembrar ainda que o agrupamento de números pares e
subtrair de 7, e pede 1 “emprestado” ao do lado. ímpares é dado por uma lei de formação. O agrupamento de
Sabemos que o I deve ser acrescido de 1, já que números pares respeita a lei de formação 2.n, e o agrupamento
“emprestou” um para o lado. I – 4 = 4 ⇾ logo I = 4 + 4 = 8 , de números ímpares possui como lei de formação 2.n + 1.
acrescido de 1 = 9 Entenda como “n” qualquer número do conjunto dos inteiros.
B A H I A Veja a aplicação da lei de formação para números pares e
5 7 6 9 7 ímpares no exemplo a seguir.

Exemplo: Encontre os cinco primeiros números pares e


02. Resposta: A.
ímpares utilizando as suas respectivas leis de formação.
Como o resto é o maior possível e sabemos que R < d, temos
Números pares → Lei de formação: 2.n
que: 10 < d. Logo podemos sugerir que d seja igual a 11.
Seis primeiros termos numéricos: 0, 1, 2, 3, 4, 5
D = 11 . 11 + R ⇾ D = 121 + 10 = 131
2.n = 2 . 0 = 0
Também podemos montar a equação através do
2.n = 2 . 2 = 2
enunciado:
2.n = 2 . 2 = 4
D = d. Q +R
2.n = 2 . 3 = 6
d=Q
2.n = 2 . 4 = 8
R = 10
2.n = 2 . 5 = 10
D = d. d + 10 ⇾ D = d² + 10 ⇾ D – 10 = x². Observando as
respostas, temos que o resultado que torna a equação possível
Os cinco primeiros números pares são: 2, 4, 6, 8, 10
é 131. 131 – 10 = x² ⇾ 121 = x² ⇾ x = 11
Números ímpares → Lei de formação: 2.n + 1
Cinco primeiros termos numéricos: 1, 2, 3, 4, 5
03. Resposta: A.
2.n + 1 = 2 . 0 + 1 = 1
Sabemos que:
2.n + 1 = 2 . 1 + 1 = 3
- Todo número par é terminado em um dos seguintes (0,
2.n + 1 = 2 . 2 + 1 = 5
2, 4,6,8).
2.n + 1 = 2 . 3 + 1 = 7
- Todo número ímpar é terminado em um dos
2.n + 1 = 2 . 4 + 1 = 9
seguintes (1, 3, 5, ,9).
2.n + 1 = 2 . 5 + 1 = 11
Portanto: O número que NÃO é PAR acima é 123
Vejamos a seguir algumas propriedades:
Primeira propriedade: A soma de dois números pares
sempre forma um número par.

Matemática 4
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Exemplos: Verifique se a soma dos números pares 12 e 36 Do produto de 33 por 4, obtivemos como resposta o
forma um número par. número 132, que é par, logo a quarta propriedade é válida.
Quinta propriedade: Ao multiplicarmos dois números
pares, obteremos como resultado um número par.
Exemplo: Multiplique 6 por 4 e verifique se o produto é um
número par.
6 4=24
Para verificar se 48 é um número par, devemos dividi-lo
por dois. 24 2
48 2 -24 12
-48 24 00
00
O número 24, obtido do produto de 6 por 4, é par. Com isso,
Como a resto da divisão de 48 por dois é zero, então 48 é provamos a validade da quinta propriedade.
par. Com isso, verificamos a validade da primeira propriedade. Sendo assim, vale lembrar que qualquer número par pode
ser escrito na forma 2n (2 vezes n). Por exemplo o número 8,
Segunda propriedade: Ao somarmos dois números que é par e pode ser escrito como 2*4.
ímpares, obteremos um número par. Qualquer número ímpar pode ser escrito na forma 2n + 1,
Exemplo: Faça a soma dos números 13 e 17 e verifique se por exemplo o número 7, que é o mesmo que 2*3 + 1.
ela resulta em um número ímpar. Partindo desse princípio, os números pares e ímpares
possuem propriedades usadas para avaliar se algumas
13 operações básicas entre eles resultam em números pares ou
+17 ímpares:
20
i- A soma ou subtração de dois números pares resulta em
Vamos verificar se 20 é par. um novo número par.
20 2 Considere os números pares 2a e 2b, somaremos dois
-20 10 números pares diferentes:
00 2a + 2b =
2(a + b), fazendo (a + b) = m teremos:
O resto da divisão de 20 por 2 é zero; logo, 20 é um número 2(a + b) = 2m
par. Sendo assim, a segunda propriedade é válida. Ora, 2*m, que é o resultado da soma de dois números pares
quaisquer, compartilha a fórmula acima e por isso também é
Terceira propriedade: Quando multiplicamos dois um número par.
números ímpares, obtemos como resultado um número ímpar.
Exemplo: Verifique se o produto de 7 x 5 e 13 x 9 resulta ii- A soma ou subtração de dois números ímpares resulta
em números ímpares. em um número par.
Tome dois números ímpares quaisquer, 2a + 1 e 2b + 1, e
75=35 some-os para observas os resultados:
(2a + 1) + (2b + 1) =
35 2 2a + 1 + 2b + 1 =
-34 17 2a + 2b + 1 + 1 =
01 2(a + b) + 2, fazendo (a + b) = c teremos:
2c+2 =
O número 35 é ímpar. 2(c + 1), fazendo c + 1 = m teremos:
139=117 2(c + 1) = 2m
Portanto, somando dois números ímpares, o resultado será
um número par.
117 2
iii- A multiplicação de dois números pares terá como
-116 58
resultado um número par.
001
Considere dois números pares quaisquer 2a e 2b e
multiplique-os:
O número 177 é ímpar.
2a*2b = 4ab, Fazendo ab = n teremos:
Então, ao multiplicarmos dois números ímpares,
2a*2b = 2n que é um número par.
obteremos um número que também é ímpar. Sendo assim, fica
iv- A soma de um número par com um número ímpar tem
comprovada a validade da terceira propriedade.
como resultado um número ímpar.
Quarta propriedade: Ao multiplicarmos um número
Para demonstrar essa propriedade, considere 2a um
qualquer por um número par, sempre obteremos como
número par qualquer e 2b + 1 um número ímpar qualquer e
resultado um número par.
some-os:
Exemplo: Faça o produto de 33 por 2 e verifique se o
2a + 2b + 1 =
resultado é um número par.
2(a + b) + 1, fazendo (a + b) = n teremos:
33 4=132
2n + 1
Que é a fórmula que representa um número ímpar
132 2
qualquer.
-132 66 v- A multiplicação entre dois números ímpares tem como
000 resultado outro número ímpar.
Considere os números ímpares quaisquer: 2a + 1 e 2b + 1
(2a + 1)*(2b + 1) =

Matemática 5
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

4ab + 2a + 2b + 1 02. Resposta: A.


Observe que, independentemente dos valores de a e de b, Através do enunciado temos que:
no final existe a parcela “+1”, o que configura esse resultado Primeiro dígito - números ímpares de 0 a 9: 1, 3, 5, 7 e 9.
como ímpar. Segundo dígito - vogais do alfabeto: a, e, i, o, u
Terceiro dígito - números pares de 0 a 9: 0, 2, 4, 6 e 8.
Questões Últimos dois dígitos: um número ou uma letra.
Devemos inicialmente determinar as possibilidades para o
01. (VUNESP) Como decoração para o Natal, 39 pontos de último dígito. Para isso, excluiremos os dígitos que
iluminação foram instalados em toda a extensão de uma rua supostamente serão utilizados para a senha.
comercial. Esses pontos foram divididos entre os dois lados da Para criar uma senha, George utiliza no primeiro dígito e
rua, sendo que o lado de numeração par recebeu 3 pontos a no terceiro dígito números. Sendo assim, do total de 10
mais que o lado de numeração ímpar, e posicionados de modo números entre pares e ímpares, sobram 8.
que ambos os lados tivessem um ponto colocado exatamente Já a vogal, ele utiliza apenas uma. Como o alfabeto é
no início e outro ponto colocado exatamente no final da rua. composto por vogais e consoantes, totalizando 26 letras,
Sabendo que no lado par a distância entre dois pontos de sobram, então, 25. Dessa forma, para os últimos dois dígitos,
iluminação consecutivos foi sempre igual a 12,5 m, é correto teremos 25 letras e 8 números.
afirmar que a extensão dessa rua é igual, em metros, a: Para saber a quantidade total de possibilidades para esses
(A) 280. dois últimos dígitos, devemos realizar o Princípio
(B) 272,5. Fundamental da Contagem (PFC). Para isso, basta realizar o
(C) 265. produto de:
(D) 262,5. 8 x 25 = 400
(E) 250. Agora que já sabemos a quantidade total de possibilidades
para os dois últimos dígitos, temos que calcular o universo
02. (VUNESP) George precisa criar uma senha de cinco total de possibilidades para a senha que George precisa criar.
dígitos distintos. Para isso, ele pode utilizar os números de 0 a Aplicando novamente o PFC, temos:
9 e as 26 letras do nosso alfabeto. Se ele quiser utilizar como 5 x 5 x 5 x 400 = 50.000
1.º dígito um número ímpar, como 2.º dígito uma vogal, como 5 = Quantidade de números pares
3.º dígito um número par, e como últimos dois dígitos um 5 = Quantidade de vogais
número e uma letra ou vice-versa, então é verdade que a senha 5 = Quantidade de números ímpares
que George criará será uma de um universo com total de: 400 = Quantidade de possibilidades para os últimos dois
(A) 50000 senhas. dígitos da senha
(B) 81 senhas.
(C) 48 senhas. 03. Resposta: A
(D) 26000 senhas. Para solucionar essa questão, basta saber que na
(E) 32000 senhas. condicional (A ---> B), sendo B (Verdade) ela será sempre
verdadeira.
03. (ISGH-Médico Pediatra - INSTITUTO PRÓ- Pois na condicional somente é falso quando:
MUNICÍPIO) Analise as seguintes proposições: (V ---> F = F) (‘vai-fugir”)
Proposição I: 4 é número par; Sabendo disso,
Proposição II: 2 > 5; Se 2 > 5 e 6 é número ímpar, então 4 é número par;
Proposição III: 6 é número ímpar. Nem precisa fazer ----> V = Verdadeiro
Qual das proposições abaixo apresenta valor lógico
verdadeiro?
(A) Se 2 > 5 e 6 é número ímpar, então 4 é número par;
(B) Se 2 > 5 ou 4 é número par, então 6 é número ímpar; Unidades de medidas:
(C) Se 4 é número par ou 6 é número ímpar, então 2 > 5;
(D) Se 4 é número par, então 2 > 5 ou 6 é número ímpar. medida de comprimento,
medidas de superfície, medida
Respostas de volume e medida de massa.
01. Resposta: E
Números de pontos do lado par: x
Número de pontos do lado ímpar: x – 3 Sistema de Medidas Decimais
Total de pontos em ambos os lados: x + (x – 3) = 39 Um sistema de medidas é um conjunto de unidades de
Distância total da rua: ? medida que mantém algumas relações entre si. O sistema
Devemos solucionar a equação do total de pontos de métrico decimal é hoje o mais conhecido e usado no mundo
ambos os lados para obter o valor de x. todo. Na tabela seguinte, listamos as unidades de medida de
x + (x – 3) = 39 comprimento do sistema métrico. A unidade fundamental é o
x + x – 3 = 39 metro, porque dele derivam as demais.
2x – 3 = 39
2x = + 39 + 3
2x = 42
x = 42/ 2
x = 21
No lado par, temos 21 pontos de iluminação de natal. Em
relação aos intervalos, são somente 20. Para saber a extensão
da rua, devemos fazer o produto da distância entre dois pontos Há, de fato, unidades quase sem uso prático, mas elas têm
(12,5 m) por 20. uma função. Servem para que o sistema tenha um padrão: cada
12,5m x 20 = 250 metros unidade vale sempre 10 vezes a unidade menor seguinte.
Por isso, o sistema é chamado decimal.

Matemática 6
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Dessas unidades, só têm uso prático o quilograma, o grama


E há mais um detalhe: embora o decímetro não seja útil na e o miligrama. No dia-a-dia, usa-se ainda a tonelada (t).
prática, o decímetro cúbico é muito usado com o nome popular Medidas Especiais:
de litro. 1 Tonelada(t) = 1000 Kg
As unidades de área do sistema métrico correspondem às 1 Arroba = 15 Kg
unidades de comprimento da tabela anterior. 1 Quilate = 0,2 g
São elas: quilômetro quadrado (km2), hectômetro
quadrado (hm2), etc. As mais usadas, na prática, são o Relações entre unidades:
quilômetro quadrado, o metro quadrado e o hectômetro
quadrado, este muito importante nas atividades rurais com o
nome de hectare (há): 1 hm2 = 1 há.
No caso das unidades de área, o padrão muda: uma
unidade é 100 vezes a menor seguinte e não 10 vezes, como
nos comprimentos. Entretanto, consideramos que o sistema
continua decimal, porque 100 = 102.
Existem outras unidades de medida mas que não
pertencem ao sistema métrico decimal. Vejamos as relações
entre algumas essas unidades e as do sistema métrico Temos que:
decimal (valores aproximados): 1 kg = 1l = 1 dm3
1 polegada = 25 milímetros 1 hm2 = 1 ha = 10.000m2
1 milha = 1 609 metros 1 m3 = 1000 l
1 légua = 5 555 metros
1 pé = 30 centímetros Questões
3
01. O suco existente em uma jarra preenchia da sua
4
capacidade total. Após o consumo de 495 mL, a quantidade de
1
suco restante na jarra passou a preencher da sua capacidade
5
total. Em seguida, foi adicionada certa quantidade de suco na
jarra, que ficou completamente cheia. Nessas condições, é
correto afirmar que a quantidade de suco adicionada foi igual,
em mililitros, a
A nomenclatura é a mesma das unidades de comprimento
(A) 580.
acrescidas de quadrado.
(B) 720.
Agora, vejamos as unidades de volume. De novo, temos a
(C) 900.
lista: quilômetro cúbico (km3), hectômetro cúbico (hm3), etc.
(D) 660.
Na prática, são muitos usados o metro cúbico(m3) e o
(E) 840.
centímetro cúbico(cm3).
Nas unidades de volume, há um novo padrão: cada unidade
02. Em uma casa há um filtro de barro que contém, no
vale 1000 vezes a unidade menor seguinte. Como 1000 = 103,
início da manhã, 4 litros de água. Desse filtro foram retirados
o sistema continua sendo decimal.
800 mL para o preparo da comida e meio litro para consumo
próprio. No início da tarde, foram colocados 700 mL de água
dentro desse filtro e, até o final do dia, mais 1,2 litros foram
utilizados para consumo próprio. Em relação à quantidade de
água que havia no filtro no início da manhã, pode-se concluir
que a água que restou dentro dele, no final do dia, corresponde
a uma porcentagem de
(A) 60%.
(B) 55%.
A noção de capacidade relaciona-se com a de volume. Se o
(C) 50%.
volume da água que enche um tanque é de 7.000 litros,
(D) 45%.
dizemos que essa é a capacidade do tanque. A unidade
(E) 40%.
fundamental para medir capacidade é o litro (l); 1l equivale a
1 dm3.
03. Admita que cada pessoa use, semanalmente, 4 bolsas
Cada unidade vale 10 vezes a unidade menor seguinte.
plásticas para embrulhar suas compras, e que cada bolsa é
composta de 3 g de plástico. Em um país com 200 milhões de
pessoas, quanto plástico será utilizado pela população em um
ano, para embrulhar suas compras? Dado: admita que o ano é
formado por 52 semanas. Indique o valor mais próximo do
obtido.
(A) 108 toneladas
O sistema métrico decimal inclui ainda unidades de (B) 107 toneladas
medidas de massa. A unidade fundamental é o grama(g). (C) 106 toneladas
(D) 105 toneladas
Unidades de Massa e suas Transformações (E) 104 toneladas

Respostas

01. Resposta: B.
Vamos chamar de x a capacidade total da jarra. Assim:

Matemática 7
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
3 1 - Números com parte inteira:
. 𝑥 − 495 = .𝑥
4 5
3 1
.𝑥 − . 𝑥 = 495
4 5

5.3.𝑥 − 4.𝑥=20.495
20

15x – 4x = 9900
11x = 9900 Podemos ler os seguintes algarismos acima com maior
x = 9900 / 11 facilidade:
x = 900 mL (capacidade total) 2.756 → Dois mil setecentos e cinquenta e seis.
Como havia 1/5 do total (1/5 . 900 = 180 mL), a quantidade 57.721.057 → Cinquenta e sete milhões, setecentos e vinte
adicionada foi de 900 – 180 = 720 mL e um mil e cinquenta e sete.
376.103.035 → Trezentos e setenta e seis milhões, cento e
02. Resposta: B. três mil e trinta e cinco.
4 litros = 4000 ml; 1,2 litros = 1200 ml; meio litro = 500
ml Questões
4000 – 800 – 500 + 700 – 1200 = 2200 ml (final do dia)
Utilizaremos uma regra de três simples: 01. (AUX.JUD./TRT-6ª REG/FCC) Se X é o menor número
ml % natural que tem cinco algarismos e Y é número natural que tem
4000 ------- 100 quatro algarismos distintos, a diferença de X-Y é
2200 ------- x (A) divisível por 4.
4000.x = 2200 . 100 x = 220000 / 4000 = 55% (B) múltiplo de 6.
(C) maior que 150.
03. Resposta: D. (D) quadrado perfeito.
4 . 3 . 200000000 . 52 = 1,248 . 1011 g = 1,248 . 105 t (E) primo.

02. (AUX.JUD./TRT-23ª REG/FCC) O número 0,0202


pode ser lido como:
Sistema de numeração (A) duzentos e dois milésimos.
(B) duzentos e dois décimos de milésimos.
decimal. (C) duzentos e dois centésimos de milésimos.
(D) duzentos e dois centésimos.
(E) duzentos e dois décimos
O sistema de numeração que normalmente utilizamos é o
sistema de numeração decimal.
03. (AUX.JUD./TRT-1ª REG/FCC) Ao preencher
Os símbolos matemáticos utilizados para representar um
corretamente um cheque no valor de R$ 2010,50, deve se
número no sistema decimal são chamados de algarismos: 0, 1,
escrever por extenso:
2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, ou algarismos indo-arábico (utilizados
(A) dois mil e cem reais e cinquenta centavos.
pelos hindus e árabes) que são utilizados para contagem.
(B) dois mil e dez reais e cinquenta centavos.
(C) dois mil e dez reais e cinco centavos.
- Leitura dos números decimais
(D) duzentos reais e dez reais e cinquenta centavos.
(E) duzentos e um reais e cinco centavos.
Números com parte inteira e decimal:
Cada algarismo, da parte inteira ou decimal, ocupa uma
Respostas
posição ou ordem com as seguintes denominações:
01. Resposta: A.
Como X é o menor número natural de 5 algarismos temos
que:
Milionésimos
Centésimos

Centésimos

X=10000
milésimos

milésimos
Milésimos
Unidades
Centenas

Décimos

Décimos
Dezenas

E Y é o maior natural de 4 algarismos distintos:


Y=9876
Logo a diferença X-Y:
10000 - 9876 = 124 , que é divisível por 4
Partes inteiras Partes decimais
02. Resposta: B.
Como temos 4 casas decimais, lemos então com décimos de
milésimos,
Lemos a parte inteira, seguida da parte decimal, Logo: duzentos e dois décimos de milésimos.
acompanhada das palavras:
Décimos ...........................................: quando houver uma casa 03. Resposta: B.
decimal; Dois mil e dez reais e cinquenta centavos.
Centésimos.......................................: quando houver duas casas
decimais;
Milésimos.........................................: quando houver três casas
decimais; Múltiplos e divisores.
Décimos milésimos ........................: quando houver quatro
casas decimais;
Sabemos que 30 : 6 = 5, porque 5 x 6 = 30.
Centésimos milésimos ...................: quando houver cinco
Podemos dizer então que:
casas decimais e, assim sucessivamente.
“30 é divisível por 6 porque existe um número natural (5)
que multiplicado por 6 dá como resultado 30.”

Matemática 8
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Um número natural a é divisível por um número natural b, do número sem o algarismo, resulta em um número múltiplo
não-nulo, se existir um número natural c, tal que c . b = a. de 7. Neste, o processo será repetido a fim de diminuir a
quantidade de algarismos a serem analisados quanto à
Conjunto dos múltiplos de um número natural: É divisibilidade por 7.
obtido multiplicando-se esse número pela sucessão dos Exemplo: 41909 é divisível por 7 conforme podemos
números naturais: 0, 1, 2, 3, 4, 5, 6,... conferir: 9.2 = 18 ; 4190 – 18 = 4172 → 2.2 = 4 ; 417 – 4 = 413
Para acharmos o conjunto dos múltiplos de 7, por exemplo, → 3.2 = 6 ; 41 – 6 = 35 ; 35 é multiplo de 7.
multiplicamos por 7 cada um dos números da sucessão dos
naturais: Divisibilidade por 8: Um número é divisível por 8 quando
7x0=0 seus três últimos algarismos forem 000 ou formarem um
7x1=7 número divisível por 8.
7 x 2 = 14 Exemplos:
7 x 3 = 21 a) 57000 é divisível por 8, pois seus três últimos
⋮ algarismos são 000.
b) 67024 é divisível por 8, pois seus três últimos
O conjunto formado pelos resultados encontrados forma o algarismos formam o número 24, que é divisível por 8.
conjunto dos múltiplos de 7: M(7) = {0, 7, 14, 21, ...}.
Divisibilidade por 9: Um número é divisível por 9 quando
Observações: a soma dos valores absolutos de seus algarismos formam um
- Todo número natural é múltiplo de si mesmo. número divisível por 9.
- Todo número natural é múltiplo de 1. Exemplos:
- Todo número natural, diferente de zero, tem infinitos a) 6253461 é divisível por 9, pois 6 + 2 + 5 + 3 + 4 + 6 + 1 =
múltiplos. 27 é divisível por 9.
- O zero é múltiplo de qualquer número natural. b) 325103 não é divisível por 9, pois 3 + 2 + 5 + 1 + 0 + 3 =
- Os múltiplos do número 2 são chamados de números 14 não é divisível por 9.
pares, e a fórmula geral desses números é 2k (k N). Os demais
são chamados de números ímpares, e a fórmula geral desses Divisibilidade por 10: Um número é divisível por 10
números é 2k + 1 (k N). quando seu algarismo da unidade termina em zero.
O mesmo se aplica para os números inteiros, tendo k  Z. Exemplo:
563040 é divisível por 10, pois termina em zero.
Critérios de divisibilidade
São regras práticas que nos possibilitam dizer se um Divisibilidade por 11: Um número é divisível por 11
número é ou não divisível por outro, sem efetuarmos a divisão. quando a diferença entre a soma dos algarismos de posição
ímpar e a soma dos algarismos de posição par resulta em um
Divisibilidade por 2: Um número é divisível por 2 quando número divisível por 11 ou quando essas somas forem iguais.
termina em 0, 2, 4, 6 ou 8, ou seja, quando ele é par. Exemplo:
Exemplo: - 43813:
9656 é divisível por 2, pois termina em 6, e é par. 1º 3º 5º  Algarismos de posição ímpar.(Soma dos
algarismos de posição impar: 4 + 8 + 3 = 15.)
Divisibilidade por 3: Um número é divisível por 3 quando 4 3 8 1 3
a soma dos valores absolutos de seus algarismos é divisível por 2º 4º  Algarismos de posição par.(Soma dos
3. algarismos de posição par:3 + 1 = 4)
Exemplo:
65385 é divisível por 3, pois 6 + 5 + 3 + 8 + 5 = 27, e 27 é 15 – 4 = 11  diferença divisível por 11. Logo 43813 é
divisível por 3. divisível por 11.

Divisibilidade por 4: Um número é divisível por 4 quando Divisibilidade por 12: Um número é divisível por 12
seus dois algarismos são 00 ou formam um número divisível quando é divisível por 3 e por 4 ao mesmo tempo.
por 4. Exemplo:
Exemplos: ) 78324 é divisível por 12, pois é divisível por 3 ( 7 + 8 + 3
a) 536400 é divisível por 4, pois termina em 00. + 2 + 4 = 24) e por 4 (termina em 24).
b) 653524 é divisível por 4, pois termina em 24, e 24 é
divisível por 4. Divisibilidade por 15: Um número é divisível por 15
quando é divisível por 3 e por 5 ao mesmo tempo.
Divisibilidade por 5: Um número é divisível por 5 quando Exemplo:
termina em 0 ou 5. a) 650430 é divisível por 15, pois é divisível por 3 ( 6 + 5 +
Exemplos: 0 + 4 + 3 + 0 =18) e por 5 (termina em 0).
a) 35040 é divisível por 5, pois termina em 0.
b) 7235 é divisível por 5, pois termina em 5. Fatoração numérica
Essa fatoração se dá através da decomposição em fatores
Divisibilidade por 6: Um número é divisível por 6 quando primos. Para decompormos um número natural em fatores
é divisível por 2 e por 3 ao mesmo tempo. primos, dividimos o mesmo pelo seu menor divisor primo,
Exemplos: após pegamos o quociente e dividimos o pelo seu menor
a) 430254 é divisível por 6, pois é divisível por 2 e por 3 (4 divisor, e assim sucessivamente até obtermos o quociente 1. O
+ 3 + 0 + 2 + 5 + 4 = 18). produto de todos os fatores primos representa o número
b) 80530 não é divisível por 6, pois não é divisível por 3 (8 fatorado.
+ 0 + 5 + 3 + 0 = 16).

Divisibilidade por 7: Um número é divisível por 7 quando


o último algarismo do número, multiplicado por 2, subtraído

Matemática 9
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Exemplo: 40 = 23 . 51 ; pela regra temos que devemos adicionar 1 a


cada expoente:
3 + 1 = 4 e 1 + 1 = 2 ; então pegamos os resultados e
multiplicamos 4.2 = 8, logo temos 8 divisores de 40.

02. Resposta: D.
Sabemos que o produto de MDC pelo MMC é:
Divisores de um número natural MDC (A, B). MMC (A, B) = A.B, temos que MDC (A, B) = 4 e
Vamos pegar como exemplo o número 12 na sua forma o produto entre eles 96, logo:
fatorada: 4 . MMC (A, B) = 96 → MMC (A, B) = 96/4 → MMC (A, B) =
12 = 22 . 31 24, fatorando o número 24 temos:
O número de divisores naturais é igual ao produto dos 24 = 23 .3 , para determinarmos o número de divisores,
expoentes dos fatores primos acrescidos de 1. pela regra, somamos 1 a cada expoente e multiplicamos o
Logo o número de divisores de 12 são: resultado:
22 . 3⏟1 → (2 + 1) .(1 + 1) = 3.2 = 6 divisores naturais
⏟ (3 + 1).(1 + 1) = 4.2 = 8
(2+1) (1+1)
03. Resposta: D.
Para sabermos quais são esses 6 divisores basta pegarmos Para ser divisível por 6 precisa ser divisível por 2 e 3 ao
cada fator da decomposição e seu respectivo expoente natural mesmo tempo, e por isso deverá ser par também, e a soma dos
que varia de zero até o expoente com o qual o fator se seus algarismos deve ser um múltiplo de 3.
apresenta na decomposição do número natural. Logo os finais devem ser 4 e 6:
Exemplo: 354, 456, 534, 546, 564, 576, 654, 756, logo temos 8
12 = 22 . 31 → 22 = 20,21 e 22 ; 31 = 30 e 31, teremos: números.
20 . 30=1
20 . 31=3
21 . 30=2 Problemas e cálculos das
21 . 31=2.3=6 operações fundamentais
22 . 31=4.3=12
22 . 30=4 (adição, subtração,
O conjunto de divisores de 12 são: D(12) = {1, 2, 3, 4, 6, 12} multiplicação e divisão).
A soma dos divisores é dada por: 1 + 2 + 3 + 4 + 6 + 12 = 28
Caro (a) candidato (a), abordaremos aqui: EXPRESSÕES
Observação NUMÉRICAS.
Para sabermos o conjunto dos divisores inteiros de 12, basta
multiplicarmos o resultado por 2 (dois divisores, um negativo e EXPRESSÕES NÚMERICAS
o outro positivo).
Assim teremos que D(12) = 6.2 = 12 divisores inteiros. Expressões numéricas são todas sentenças matemáticas
formadas por números, suas operações (adições, subtrações,
Questões multiplicações, divisões, potenciações e radiciações) e também
por símbolos chamados de sinais de associação, que podem
01. O número de divisores positivos do número 40 é: aparecer em uma única expressão.
(A) 8
(B) 6 Para resolvermos devemos estar atentos a alguns
(C) 4 procedimentos:
(D) 2
(E) 20 1º) Nas expressões que aparecem as operações numéricas,
devemos resolver as potenciações e/ou radiciações
02. O máximo divisor comum entre dois números naturais primeiramente, na ordem que elas aparecem e somente depois
é 4 e o produto dos mesmos 96. O número de divisores as multiplicações e/ou divisões (na ordem que aparecem) e
positivos do mínimo múltiplo comum desses números é: por último as adições e subtrações também na ordem que
(A) 2 aparecem.
(B) 4 Exemplos:
(C) 6 A) 10 + 12 – 6 + 7→ primeiro resolvemos a adição e
(D) 8 subtração em qualquer ordem
(E) 10 22 – 6 + 7
16 + 7
03. Considere um número divisível por 6, composto por 3 23
algarismos distintos e pertencentes ao conjunto
A={3,4,5,6,7}.A quantidade de números que podem ser B) 15 x 2 – 30 ÷ 3 + 7 → primeiro resolveremos a
formados sob tais condições é: multiplicação e a divisão, em qualquer ordem.
(A) 6 30 – 10 + 7 → Agora resolveremos a adição e subtração,
(B) 7 também em qualquer ordem.
(C) 9 27
(D) 8
(E) 10 2º) Quando aparecem os sinais de associações os mesmos
Respostas tem uma ordem a ser seguida. Primeiro, resolvemos os
parênteses ( ), quando acabarem os cálculos dentro dos
01. Resposta: A. parênteses, resolvemos os colchetes [ ]; e quando não houver
Vamos decompor o número 40 em fatores primos. mais o que calcular dentro dos colchetes { }, resolvemos as
chaves.

Matemática 10
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

→ Quando o sinal de adição (+) anteceder um parêntese, Resposta


colchetes ou chaves, deveremos eliminar o parêntese, o 01. Resposta: A.
colchete ou chaves, na ordem de resolução, reescrevendo os Resolvendo as expressões temos:
números internos com o seus sinais originais. (a) 2 + [(5 - 3) + 4] x 2 + 3 ⇾ 2 + [2 + 4] x 2 + 3
→ Quando o sinal de subtração (-) anteceder um parêntese, 2 + [6] x 2 + 3 ⇾ 2 + 12 + 3 = 17
colchetes ou chaves, deveremos eliminar o parêntese, o (b) 13 - [5 x (2 - 1) + 4 x 2] ⇾ 13 - [5 x (1) + 8]
colchete ou chaves, na ordem de resolução, reescrevendo os 13 - [5 + 8] ⇾ 13 -13 = 0
números internos com o seus sinais invertidos. (c) 6 + 4 x 2 x (5 - 1) – 7 ⇾ 6 + 8 x (4) - 7
6 + 32 – 7 ⇾ 31
Exemplos: Colocando em ordem crescente: 0 < 17 < 31, que é b < a < c
A) {100 – 413 x (20 – 5 x 4) + 25} : 5 → Inicialmente
devemos resolver os parênteses, mas como dentro dos
parênteses há subtração e multiplicação, vamos resolver a
multiplicação primeiro, em seguida, resolvemos a subtração. Sucessor e antecessor (até
{100 – 413 x (20 – 5 x 4) + 25} : 5 1000).
{100 – 413 x (20 – 20) + 25} : 5
{100 – 413 x 0 + 25} : 5
Eliminado os parênteses, vamos resolver as chaves, Todo número inteiro possuí um sucessor, que nada mais é
efetuando as operações seguindo a ordem. do que o número que vem depois dele.
{100 – 413 x 0 + 25} : 5
{100 – 0 + 25} : 5 Exemplos:
{100 + 25} : 5 Sucessor de 23 é o 24, Sucessor de 2 é o 3.
125 : 5 Também existem os Antecessores que são os números
25 que vem antes de um número inteiro.

B) – 62 : (– 5 + 3) – [– 2 . (– 1 + 3 – 1)² – 16 : (– 1 + 3)²] → Exemplos:


elimine os parênteses. Antecessor de 34 é o 33. Antecessor de 50 é o 49.
– 62 : (– 2) – [– 2 . (2 – 1)² – 16 : 2²] → continue eliminando
os parênteses. Lembre-se que nos números negativos existe uma
– 62 : (– 2) – [– 2 . 1 – 16 : 2²] → resolva as potências dentro diferença, por exemplo: o antecessor de -5 é o -6; o
do colchetes. sucessor do -52 é o -51.
– 62 : (– 2) – [– 2 . 1 – 16 : 4] → resolva as operações de
multiplicação e divisão nos colchetes. Dois números inteiros são ditos consecutivos quando um
– 62 : (– 2) – [– 2 – 4] = é sucessor do outro. De modo geral, se a é um número
– 62 : (– 2) – [– 6] = elimine o colchete. inteiro, a + 1 é o seu sucessor e a – 1 é o seu antecessor. Os
– 62 : (– 2) + 6 = efetue a potência. números (a – 1) e a são consecutivos, assim como os
31 + 6 = 37 números a e (a + 1).

C) [(5² - 6.2²).3 + (13 – 7)² : 3] : 5 OBS. Quando estiver utilizando o conjunto dos
[(25 – 6.4).3 + 6² : 3] : 5 = números NATURAIS (N), não deverá utilizar números
[(25 – 24).3 + 36 : 3 ] : 5 = negativos, portanto o zero é o menor elemento deste
[1.3 + 12] : 5 = conjunto, assim sendo, ele não possui antecessor.
[3 + 12 ] : 5 =
15 : 5 = 3 Exercite seus conhecimentos escrevendo os antecessores
e sucessores de cada número conforme pedido.
𝟐
D) [(𝟏𝟎 − 𝟑√𝟏𝟐𝟓) + (𝟑 + 𝟐𝟑 : 𝟒)]𝟐 a) Sucessor de 100
[(10 - 5)2 + (3 + 8 : 4)]2 b) Antecessor de 1000
[5² + (3+2)]2 c) Sucessor de 10000
[25 + 5]2 d) Antecessor de 6
302 e) Antecessor de 99
900 f) Sucessor de 990
g) Antecessor de 1 000 000
Referências h) Antecessor de 12
http://quimsigaud.tripod.com/expnumericas
Respostas:
Questão a)101
b) 999
01. (Pref. Tramandaí/RS – Auxiliar Administrativo – c) 9999
OBJETIVA) Dadas as três expressões numéricas abaixo, é d) 5
CORRETO afirmar que: e) 98
(a) 2 + [(5 - 3) + 4] x 2 + 3 f) 991
(b) 13 - [5 x (2 - 1) + 4 x 2] g) 999 999
(c) 6 + 4 x 2 x (5 - 1) - 7 h) 11
(A) b < a < c Questões
(B) a < b < c
(C) c < a < b 01. (CASAN – Instalador Hidráulico/Sanitário –
(D) c < b < a AOCP/2016) A partir da noção sobre sucessores e
antecessores, determine o mês antecessor do mês de
Setembro.
(A) Junho

Matemática 11
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

(B) Novembro A soma do antecessor de b com o sucessor de b é: a+c=


(C) Maio 57+59= 116.
(D) Agosto
(E) Janeiro

02. (Pref. De Jaboticabal/SP – Educador Infantil –


Porcentagem.
ADVISE) O sucessor do antecessor do sucessor de 37
equivale a:
(A) 36 Razões de denominador 100 que são chamadas de
(B) 37 razões centesimais ou taxas percentuais ou simplesmente de
(C) 38 porcentagem. Servem para representar de uma
(D) 39 maneira prática o "quanto" de um "todo" se está
(E) 40 referenciando.
Costumam ser indicadas pelo numerador seguido do
03. (Pref. De Osasco/SP – Cozinheiro – FGV) O símbolo % (Lê-se: “por cento”).
sucessor do antecessor do número 27 é o número:
(A) 25; 𝒙
𝒙% =
(B) 26; 𝟏𝟎𝟎
(C) 27;
(D) 28; Exemplo:
(E) 29. Em uma classe com 30 alunos, 18 são rapazes e 12 são
moças. Qual é a taxa percentual de rapazes na classe?
04. (FUNDASUS – Agente Comunitário de Saúde – Resolução: A razão entre o número de rapazes e o total de
18
AOCP) Considere o número 399, se subtrairmos dele o seu alunos é . Devemos expressar essa razão na forma
30
antecessor, qual seria o resultado obtido? centesimal, isto é, precisamos encontrar x tal que:
(A) 0
(B) 1 18 𝑥
(C) 5 = ⟹ 𝑥 = 60
30 100
(D) 300
(E) 398 E a taxa percentual de rapazes é 60%. Poderíamos ter
divido 18 por 30, obtendo:
05. Pref. De Jacundá/PA – Auxiliar de Serviços gerais
– INAZ/2016) A soma a + b + c = 174, 18
sendo a, b e c números naturais consecutivos, em que a é o = 0,60(. 100%) = 60%
30
antecessor de b e c é o sucessor de b. Logo, a soma do
antecessor de b com o sucessor de b é: - Lucro e Prejuízo
(A) 329 É a diferença entre o preço de venda e o preço de custo.
(B) 243 Caso a diferença seja positiva, temos o lucro(L), caso seja
(C) 175 negativa, temos prejuízo(P).
(D) 112
(E) 116 Lucro (L) = Preço de Venda (V) – Preço de Custo (C).
Respostas
Podemos ainda escrever:
01. Resposta: D. C + L = V ou L = V - C
Antecessor é o que vem antes, logo o mês anterior a P = C – V ou V = C - P
Setembro é Agosto.
A forma percentual é:
02. Resposta: C.
Vamos resolver do final para o começo...
Sucessor de 37 = 38
Antecessor de 38 = 37
E por fim sucessor de 37 = 38.

03. Resposta: C. Exemplo:


antecessor de 27 = 26 Um objeto custa R$ 75,00 e é vendido por R$ 100,00.
e sucessor de 26 = 27 Determinar:
a) a porcentagem de lucro em relação ao preço de custo;
04. Resposta: B. b) a porcentagem de lucro em relação ao preço de venda.
Antecessor de 399 = 398.
399 – 398 = 1. Resolução:
Preço de custo + lucro = preço de venda → 75 + lucro =100
05. Resposta: E. → Lucro = R$ 25,00
a+b+c=174, b=x, a=x-1(antecessor de
b) c=x+1(sucessor de b) 𝑙𝑢𝑐𝑟𝑜
𝑎) . 100% ≅ 33,33%
x-1 + x + x+1 = 174 𝑝𝑟𝑒ç𝑜 𝑑𝑒 𝑐𝑢𝑠𝑡𝑜
3x=174
x= 174/3 𝑙𝑢𝑐𝑟𝑜
x=58 (valor de b) 𝑏) . 100% = 25%
𝑝𝑟𝑒ç𝑜 𝑑𝑒 𝑣𝑒𝑛𝑑𝑎
b=58 a=x-1 a=58-1 a=57 c=x+1 c=58+1 c=59

Matemática 12
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

- Aumento e Desconto Percentuais 02. O departamento de Contabilidade de uma empresa tem


A) Aumentar um valor V em p%, equivale a multiplicá-lo 20 funcionários, sendo que 15% deles são estagiários. O
𝒑
por (𝟏 + ).V . departamento de Recursos Humanos tem 10 funcionários,
𝟏𝟎𝟎
Logo: sendo 20% estagiários. Em relação ao total de funcionários
𝒑 desses dois departamentos, a fração de estagiários é igual a
VA = (𝟏 + ).V
𝟏𝟎𝟎 (A) 1/5.
(B) 1/6.
Exemplo: (C) 2/5.
1 - Aumentar um valor V de 20% , equivale a multiplicá- (D) 2/9.
lo por 1,20, pois: (E) 3/5.
20
(1 + ).V = (1+0,20).V = 1,20.V
100
03. Quando calculamos 15% de 1.130, obtemos, como
B) Diminuir um valor V em p%, equivale a multiplicá-lo resultado
por (𝟏 −
𝒑
).V. (A) 150
𝟏𝟎𝟎 (B) 159,50;
Logo:
𝒑 (C) 165,60;
V D = (𝟏 − ).V (D) 169,50.
𝟏𝟎𝟎
Respostas
Exemplo:
Diminuir um valor V de 40%, equivale a multiplicá-lo por 01. Resposta: A.
0,60, pois: Como o produto já está acrescido de 20% juros sobre o seu
40
(1 − ). V = (1-0,40). V = 0, 60.V preço original, temos que:
100
100% + 20% = 120%
𝒑 𝒑 Precisamos encontrar o preço original (100%) da
A esse valor final de (𝟏 + ) ou (𝟏 − ), é o que
𝟏𝟎𝟎 𝟏𝟎𝟎 mercadoria para podermos aplicarmos o desconto.
chamamos de fator de multiplicação, muito útil para Utilizaremos uma regra de 3 simples para encontrarmos:
resolução de cálculos de porcentagem. O mesmo pode ser um R$ %
acréscimo ou decréscimo no valor do produto. 108 ---- 120
X ----- 100
- Aumentos e Descontos Sucessivos 120x = 108.100 → 120x = 10800 → x = 10800/120 → x =
São valores que aumentam ou diminuem sucessivamente. 90,00
Para efetuar os respectivos descontos ou aumentos, fazemos O produto sem o juros, preço original, vale R$ 90,00 e
uso dos fatores de multiplicação. representa 100%. Logo se receber um desconto de 25%,
significa ele pagará 75% (100 – 25 = 75%) → 90. 0,75 = 67,50
Vejamos alguns exemplos: Então Marcos pagou R$ 67,50.
1) Dois aumentos sucessivos de 10% equivalem a um
único aumento de...? 02. Resposta: B.
𝑝
Utilizando VA = (1 + ).V → V. 1,1 , como são dois de * Dep. Contabilidade:
15
. 20 =
30
= 3 → 3 (estagiários)
100
100 10
10% temos → V. 1,1 . 1,1 → V. 1,21 Analisando o fator de
multiplicação 1,21; concluímos que esses dois aumentos 20 200
significam um único aumento de 21%. * Dep. R.H.: . 10 = = 2 → 2 (estagiários)
100 100
Observe que: esses dois aumentos de 10% equivalem a
21% e não a 20%. 𝑛ú𝑚𝑒𝑟𝑜𝑠 𝑒𝑠𝑡𝑎𝑔𝑖á𝑟𝑖𝑜𝑠 5 1
∗ 𝑇𝑜𝑡𝑎𝑙 = = =
𝑛ú𝑚𝑒𝑟𝑜𝑠 𝑑𝑒 𝑓𝑢𝑛𝑐𝑖𝑜𝑛á𝑟𝑖𝑜𝑠 30 6
2) Dois descontos sucessivos de 20% equivalem a um
único desconto de:
𝑝
Utilizando VD = (1 − ).V → V. 0,8 . 0,8 → V. 0,64 . . 03. Resposta: D.
100
Analisando o fator de multiplicação 0,64, observamos que 15% de 1130 = 1130.0,15 ou 1130.15/100 → 169,50
esse percentual não representa o valor do desconto, mas sim
o valor pago com o desconto. Para sabermos o valor que
representa o desconto é só fazermos o seguinte cálculo:
100% - 64% = 36%
Observe que: esses dois descontos de 20% equivalem a
36% e não a 40%.
Anotações
Referências
IEZZI, Gelson – Fundamentos da Matemática – Vol. 11 – Financeira e
Estatística Descritiva
IEZZI, Gelson – Matemática Volume Único
http://www.porcentagem.org
http://www.infoescola.com

Questões

01. Marcos comprou um produto e pagou R$ 108,00, já


inclusos 20% de juros. Se tivesse comprado o produto, com
25% de desconto, então, Marcos pagaria o valor de:
(A) R$ 67,50
(B) R$ 90,00
(C) R$ 75,00
(D) R$ 72,50

Matemática 13
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Matemática 14
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

As gorduras animais (presentes em todo tipo de carne) e


os óleos vegetais (soja, milho, girassol, canola e outros) são os
nutrientes mais calóricos. Por isso, devemos consumir com
moderação os alimentos que nos fornecem as gorduras.
Entretanto, elas são importantes, pois mesmo em pequena
quantidade, fornecem ácidos graxos indispensáveis à
manutenção da saúde, além de facilitarem a utilização de
vitaminas importantes pelo corpo.
Os micronutrientes exercem outras funções no organismo,
tão importantes quanto as que são realizadas pelos
Conceitos Básicos de macronutrientes, conforme já visto.
Alimentação: Os alimentos: As vitaminas (A, D, E, K, C e todas as vitaminas chamadas
do complexo B) e minerais (cálcio, ferro, potássio, fósforo e
classificação outros) estão presentes nas frutas, verduras e legumes. Tanto
as vitaminas quanto os minerais, são essenciais na digestão, na
circulação sanguínea e no funcionamento intestinal, além de
fortalecerem o sistema imunológico, responsável pela defesa
Alimentação e nutrição. do nosso corpo contra invasores como vírus, bactérias e
Nutrientes e alimentos. parasitas.
Nutrientes e sua atuação no organismo. Hortaliças é o nome técnico dado às verduras e aos
legumes, que são plantas ou parte de plantas que servem para
Alimentação e Nutrição: qual a diferença? consumo humano.
Chama-se “verdura” quando a parte comestível do vegetal
Para entendermos melhor essa diferença, vamos começar são as folhas, flores, botões ou hastes, como acelga, agrião,
com o significado da palavra alimentação: A alimentação é um aipo, alface, almeirão, brócolis, chicória, couve, couve-flor,
ato voluntário e consciente. Ela depende totalmente da escarola, espinafre, mostarda, repolho, rúcula, salsa e salsão.
vontade do indivíduo e é o homem quem escolhe o alimento Chama-se “legume” quando as partes comestíveis do
para o seu consumo. A alimentação está relacionada com as vegetal são os frutos, sementes ou as partes que se
práticas alimentares, que envolvem opções e decisões quanto desenvolvem na terra, como cenoura, beterraba, abobrinha,
à quantidade; o tipo de alimento que comemos; quais os que abóbora, pepino e cebola.
consideramos comestíveis ou aceitáveis para nosso padrão de Como você pode ver, os alimentos fornecem nutrientes
consumo; a forma como adquirimos, conservamos e muito importantes para nossa saúde. Somente uma
preparamos os alimentos; além dos horários, do local e com alimentação adequada em termos quantitativos e qualitativos
quem realizamos nossas refeições. pode fornecer esses nutrientes. Por outro lado, o consumo
Agora que já entendemos o que é alimentação, vamos inadequado de alimentos pode trazer danos para a saúde das
explicar o que é nutrição. A nutrição é um ato involuntário, pessoas. Por exemplo, o excesso de alimentos pode causar a
uma etapa sobre a qual o indivíduo não tem controle. Começa obesidade e a deficiência pode causar a desnutrição, como
quando o alimento é levado à boca. A partir desse momento, o você poderá ver nas próximas unidades.
sistema digestório entra em ação, ou seja, a boca, o estômago, O consumo de alimentos com alta quantidade de gordura,
o intestino e outros órgãos desse sistema começam a trabalhar açúcar e sal (seja por quantidades erradas adicionadas no
em processos que vão desde a trituração dos alimentos até a preparo dos alimentos ou pela frequência de consumo de
absorção dos nutrientes, que são os componentes dos produtos industrializados que tenham alto teor de sal), pode
alimentos que consumimos e são muito importantes para a causar muitos problemas à saúde, como obesidade, diabetes,
nossa saúde. cárie dental, hipertensão (pressão alta), alterações
Os nutrientes são componentes dos alimentos que ortopédicas (relativa aos ossos), aumento dos níveis de
consumimos e estão divididos em macronutrientes colesterol e triglicerídeos e doenças cardíacas.
(carboidratos, proteínas e gorduras) e micronutrientes Com isso, só confirmamos a ideia de que uma alimentação
(vitaminas e minerais). Apenas os macronutrientes são saudável deve ser estimulada em todos os lugares,
responsáveis pelo fornecimento de energia, que às vezes é principalmente na escola. E para que isso aconteça, você
indicada como “caloria” do alimento. poderá colaborar incentivando o consumo de frutas, verduras
Os carboidratos estão presentes nos pães, cereais, e legumes, por exemplo, e diminuindo a oferta de alimentos
biscoitos, frutas, massas, tubérculos e raízes. Além desses ricos em açúcar, gordura e sal.
alimentos, os carboidratos também estão presentes em A Obesidade é o acumulo excessivo de gordura corporal,
produtos como: açúcar refinado, chocolates, doces em geral, sendo normalmente causada pelo consumo exagerado de
mas não são considerados tão saudáveis quanto aqueles que comida e falta de atividade física.
estão presentes em cereais, frutas, massas, etc. A desnutrição é uma doença causada por alimentação
A principal função do carboidrato é fornecer energia para inadequada e insuficiente, com baixa quantidade de energia e
o corpo humano, sendo, na sua maioria, transformado em proteína; também pode ser causada por má-absorção,
glicose. anorexia ou falta de apetite. Pode ter influência de fatores
As proteínas são nutrientes que podem ser de origem sociais, e nesse caso, acomete principalmente indivíduos de
animal e de origem vegetal. As proteínas de origem animal são classe social mais desfavorecida. Também pode estar
encontradas principalmente nas carnes (aves, bovino, suíno, relacionada a problemas psiquiátricos ou a alguma outra
pescado e outros animais); ovos; leite e seus derivados, como doença.
queijo, requeijão, iogurte e outros produtos. As proteínas de
origem vegetal são encontradas nos diversos tipos de feijões, Significados da alimentação
soja, lentilha e grão-de-bico. Todas as proteínas são chamadas
de nutrientes construtores, pois são responsáveis pela Como explicamos anteriormente, a alimentação não se
formação dos músculos e tecidos (como pele, olhos, nervos, resume aos nutrientes. O ato de comer é influenciado por
glândulas e outras estruturas); além de regularem outras diversos fatores como os valores culturais, sociais, afetivos e
funções importantes no nosso corpo. sensoriais. Dessa forma, as pessoas, diferentemente dos

Conhecimentos Específicos 1
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

animais, ao se alimentarem, não buscam exclusivamente Os alimentos fortes são aqueles que sustentam, como o
preencher suas necessidades de energia e nutrientes, mas arroz, feijão e carne, enquanto que os fracos são as frutas,
querem alimentos com cheiro, sabor, cor e textura. Além disso, verduras e legumes, que servem somente para “tapear a fome”.
o conhecimento científico, as religiões e a condição econômica Quando essas pessoas dividem os alimentos em fortes e
do indivíduo também influenciam nos hábitos alimentares. fracos, elas não se baseiam no valor nutritivo dos alimentos,
Algumas religiões, por exemplo, costumam criar mas sim na capacidade que eles têm de matar a fome, como é
proibições para o consumo de alguns alimentos, que são o caso dos alimentos fortes, que dão a sensação de “barriga
considerados culturalmente nocivos. As grandes religiões cheia”, pois são mais gordurosos e mais difíceis para digerir.
sempre se preocuparam, em seus livros sagrados, em Normalmente, eles sabem que as frutas, verduras e legumes
estabelecer proibições, mostrando o que os fiéis podem ou não são ricos em vitaminas e minerais, mas seu consumo deixa a
comer. “sensação” de fome. Porém, isso torna a alimentação repetitiva
Essas proibições são chamadas de tabus alimentares, que e pobre em vitaminas e minerais, o que pode prejudicar a
são crenças e superstições relacionadas ao consumo de alguns saúde dessas pessoas, principalmente das crianças.
alimentos ou à combinação deles, que seriam prejudiciais à Lembre-se que uma alimentação saudável deve ser
saúde. Muitos folcloristas chamam estes tabus de faz mal. Você variada, com preferência para o consumo dos alimentos dos
já deve ter conhecido alguma pessoa que não come carne de vários grupos, como por exemplo, frutas, verduras e legumes,
porco ou que não misture manga e leite, não é? feijão e grãos integrais. Dê preferência também aos alimentos
Várias religiões proíbem o consumo de certos tipos de regionais ou locais.
carnes. Por exemplo, o judeu e o muçulmano não comem carne Sabe-se que as crianças se acostumam aos hábitos
de porco. A proibição do consumo de alguns animais pode ser alimentares da família. Por outro lado, em situações onde a
também pelo fato dele ser criado em casa, como bicho de alimentação não é variada, elas poderão preferir alimentos
estimação. Já em outros locais, alguns tipos de carne são como doces, bolachas, guloseimas e refrigerantes, pois esses
proibidas por não serem consideradas comida, não alimentos são considerados mais saborosos. Para os pais,
necessariamente porque tem o sabor ou o aroma ruins. Por muitas vezes dar esses alimentos para os seus filhos é uma
exemplo, algumas culturas comem certos tipos de gafanhotos, forma de demostrar afeto. Porém, é importante lembrar que o
e em outras, comer gafanhoto é nojento. Outros insetos, como consumo excessivo desses alimentos pode causar danos à
larvas, são associadas à comida estragada. Em alguns países do saúde, como obesidade, diabetes, pressão alta, entre outros.
oriente, porém, é comum comer grilos, gafanhotos, lagartas e E, por último, vamos falar do caráter social da alimentação,
formigas. Em algumas regiões rurais do Brasil, costuma-se presente desde o nascimento. Normalmente, nossas atitudes
comer içá (a parte traseira de algumas formigas). em relação à comida são aprendidas cedo, desde a
O tabu alimentar também pode ser criado e mantido por amamentação. O leite materno é o primeiro alimento oferecido
razão de saúde. Na maioria das culturas, o alimento sempre foi à criança e sua ingestão envolve o contato com a mãe. Com isso,
relacionado à saúde e isso acontece não apenas porque o desde o início da vida, a alimentação está ligada ao afeto e
excesso ou a falta de alimentos coloca em risco a sobrevivência proteção quanto à presença feminina.
dos homens, mas, também, pelas instruções dadas por alguns Por exemplo, o momento de afeto na alimentação pode ser
profissionais de saúde, que influenciam o tipo de dieta, visto visto nos encontros familiares, que são momentos de
que alguns alimentos podem piorar a saúde ou atrapalhar conversação e de troca de informações. A hora de comer é um
algum tratamento. momento de socialização entre as pessoas. Todos se sentam à
Por exemplo, comer carne de porco mal cozida pode levar mesa para comer, beber e celebrar o momento em que estão
à teníase ou comer alimentos ricos em sal pode piorar a saúde juntos. Esse processo é chamado comensalidade.
de quem tem pressão alta. Já no cristianismo, a cerimônia mais Vamos entender o que significa comensalidade.
sagrada ocorre em torno da ingestão do pão e do vinho, Comensalidade é a prática de comer junto, dividindo a comida,
simbolizando o corpo e o sangue de Cristo. Ser hinduísta é ser mesmo que de forma desigual. A mesa, ao redor da qual ocorre
vegetariano. Com esses exemplos, queremos mostrar que é a comensalidade, é um dos símbolos das trocas familiares. É o
importante você descobrir se existe na sua escola alguma local onde se divide o alimento e a alegria dos encontros, as
criança que siga algum tabu alimentar, a fim de criar opiniões sobre os acontecimentos do mundo, sem a
alternativas para os lanches que possuam algum alimento preocupação de agradar, sem precisar disfarçar que se está
proibido para eles. bem.
Os vegetarianos são aquelas pessoas que seguem uma Porém, hoje as refeições costumam ser feitas com os
dieta baseada exclusivamente em alimentos de origem vegetal. colegas de trabalho, amigos ou até desconhecidos que se
Eles excluem da sua dieta carne, ovos e leite, assim como os sentam à mesma mesa. No caso de desconhecidos, não existe
produtos derivados deles. Os ovolactovegetarianos não uma socialização, mas pode surgir uma conversa, mesmo que
consomem carne, mas consomem ovos e leite, e os lacto- seja apenas naquele momento.
vegetarianos, incluem apenas o leite e derivados. Como você pode ver, os alimentos possuem vários
O conhecimento científico que você encontra em alguns significados de acordo com a religião, cultura ou condição
jornais e revistas, por exemplo, também influencia na escolha econômica.
dos alimentos, pois por meio dessas informações as pessoas
passam a conhecer quais alimentos são considerados Ciclos de vida (da alimentação da criança à alimentação
saudáveis e como eles podem ser utilizados da melhor forma. do adulto).
Contudo, não basta ter acesso a esses conhecimentos para
mudar o hábito alimentar, pois normalmente as pessoas levam Na infância, a alimentação adequada é fundamental para
em consideração os prazeres propiciados pela comida, além garantir o crescimento e o desenvolvimento normal da
dos vários fatores que interferem na formação do costume criança, mantendo, assim, a saúde. Isso é muito importante,
alimentar. principalmente entre os pré-escolares, pois eles se constituem
O significado da alimentação também muda de acordo com em um dos grupos populacionais que mais necessitam de
a condição econômica da pessoa. Para a população de baixa atendimento, em função de estarem em intenso processo de
renda, em geral, os alimentos são classificados entre os crescimento e de serem vulneráveis às doenças.
alimentos “fortes” e os “fracos”. É muito importante ter uma criança bem alimentada
durante sua permanência em sala de aula, pois isso contribui
para a melhora do desempenho escolar, além de reduzir a

Conhecimentos Específicos 2
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

evasão e a repetência escolar. E para que isso ocorra, sua família para estimular o consumo de alguns alimentos como
colaboração é de extrema importância, pois o objetivo do frutas, verduras e legumes, podem aumentar a rejeição da
Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) é atender criança pelo alimento. Por isso, não se deve forçar o consumo
às necessidades nutricionais dos alunos durante o horário em de nenhum alimento, ao contrário, deve ser oferecido várias
que se encontram em sala de aula, contribuindo para o vezes, mas sem uma atitude rígida.
crescimento, o desenvolvimento, a aprendizagem e o Você sabia que as crianças normalmente preferem os
rendimento escolar dos estudantes, bem como para a alimentos com maior densidade energética? Isto acontece
formação de hábitos alimentares saudáveis. porque estes alimentos saciam a fome mais rápida, e também
garantem a quantidade de energia e nutrientes suficiente para
Vamos começar entendendo a alimentação da criança atender suas necessidades. Por isso, adequar a alimentação da
desde o primeiro ano de vida! criança à dos pais não significa dar a elas todos os alimentos
que os adultos estão ingerindo em casa. Evitar refrigerantes e
As práticas alimentares no primeiro ano de vida são muito substituí-los por suco natural é recomendado. Não servir
importantes na formação dos hábitos alimentares da criança. doces entre as refeições e introduzir uma grande variedade de
Nos primeiros seis meses, espera-se que a criança receba verduras e legumes em suas refeições são chaves da “boa
exclusivamente o leite materno ou retarde o máximo possível alimentação”, hábito que, uma vez adquirido, segue com o
o consumo de novos alimentos. A partir dos seis meses de vida, indivíduo por toda a sua vida.
outros alimentos devem ser acrescentados paulatinamente na
alimentação da criança, pois só o leite materno não satisfaz Escolar
mais as necessidades de nutrientes da criança. Nessa etapa,
são recomendadas duas papas de fruta e duas papas salgadas A fase escolar inclui crianças com idade de 7 anos até o
ao dia. O leite materno pode ser oferecido nos intervalos das início da puberdade. No entanto, o escolar no âmbito
refeições principais. educacional é a criança de 6 a 14 anos de idade. Esta etapa
A partir de agora, vamos aprender as diversas fases que caracteriza-se por um lento e constante crescimento. Os
existem desde o período pré-escolar até a idade adulta. dentes permanentes começam a aparecer nesta fase.
Desse modo, os bons hábitos de saúde, como a alimentação
Pré-escolar e a higiene, devem ser reforçados para evitar a ocorrência de
problemas dentários, como, por exemplo, a cárie. Nesse
A fase pré-escolar compreende crianças de 1 a 6 anos de período, a criança é mais independente e, portanto, começa a
idade e caracteriza-se por redução na velocidade de ganho de demonstrar preferências, aversões, apresentando senso
peso e altura, o que leva a uma redução do apetite. Isso crítico. Isso reflete diretamente nos hábitos alimentares,
significa que a criança continuará a crescer, só que com uma promovendo uma melhor aceitação de preparações
menor velocidade, quando comparado ao primeiro ano de alimentares diferentes e mais sofisticadas. É nessa época da
vida. Nessa época da vida, as crianças necessitam de menos vida que ocorre um aumento da atividade física por meio do
energia para garantir o crescimento normal. Nesse período, o uso de bicicletas, patins e outras brincadeiras, o que aumenta
apetite é irregular, apresentando variações de uma refeição o gasto de energia. Porém, é nessa fase também que as crianças
para a outra. Por exemplo, a criança pode comer muito no podem se tornar sedentárias com o uso de videogames,
almoço e não ter vontade de se alimentar na hora do jantar. A computador e televisão. Por isso, é importante que a escola
diminuição do apetite pode estar associada a outros aspectos estimule a prática de atividade física.
como a atenção desviada para outras atividades, por exemplo, O apetite do escolar costuma ser muito maior que o do pré-
andar e mexer em objetos espalhados pela casa. Além disso, a escolar, sendo também compatível com o estilo de vida da
criança começa a buscar o seu próprio alimento e a mostrar criança.
recusa ou aceitação deste. Nesta fase é natural que a criança Porém, a falta do café da manhã normalmente começa
recuse um ou vários tipos de alimentos. É a fase do “Eu não nessa fase, provavelmente pela maior independência da
quero”, em que a criança, descobrindo suas próprias criança. Este aspecto deve ser observado pelos familiares e
preferências, diz não a tudo o que ela pensa não ser bom para pelos educadores, pois pode prejudicar o desenvolvimento da
ela. Ou ainda, distraída com essa ou aquela brincadeira, a criança, comprometendo o seu rendimento escolar. Por isso, é
criança simplesmente esquece de comer. importante que todas as crianças estejam bem alimentadas,
Essas novas descobertas costumam gerar ansiedade nas principalmente no período escolar, para evitar que fiquem
pessoas que cuidam da criança, pois elas não têm mais desatentas durante a aula. E para que isso ocorra, o Programa
controle sobre a alimentação dos pequeninos, o que pode Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) deve estar
gerar atitudes erradas. Por exemplo, é muito comum os pais funcionando corretamente. Caso você identifique algum
usarem certa “chantagem” alimentar com a criança, dizendo problema no desenvolvimento do programa, entre em contato
que se não comer espinafre não vai jogar bola, ou ainda que, se com os órgãos responsáveis.
não comer chuchu, não vai comer a sobremesa. É uma tática Outro problema verificado é a diminuição na ingestão de
que muitas vezes dá certo, porém, a criança passa a associar o leite, o que pode prejudicar o fornecimento de cálcio
fato de comer um alimento que não gosta a um prêmio ou o necessário para a formação dos ossos. Essa situação pode
não comer a um castigo, fazendo com que ela apenas coma por piorar durante o estirão da adolescência, período em que se
obrigação e, assim, ela não cria um hábito alimentar sadio. A atinge o máximo da formação dos ossos, principalmente nas
falta de apetite também pode ser uma forma de chamar a meninas, nas quais o estirão ocorre entre os 10 e 11 anos de
atenção dos pais, o que é muito comum entre as crianças, mas idade.
que deve ter uma atenção especial, pois pode influenciar Próximo à adolescência, os meninos e as meninas podem
negativamente os hábitos alimentares delas. começar a ganhar mais peso devido a um período de repleção
É nesta fase que a criança está desenvolvendo os seus energética. Mas o que é repleção energética? É um processo
sentidos e diversificando os sabores, e, com isso, formando que ocorre quando o nosso corpo começa a poupar energia na
suas próprias preferências. Suas escolhas alimentares são um forma de gordura, para depois gastar com o crescimento que
dos principais fatores que influenciam na alimentação da ocorre na época do estirão da adolescência. Normalmente,
criança, e essas preferências surgem por meio de experiências esse fato ocorre entre as meninas nas idades de 8 a 10 anos e,
repetidas no consumo de certos alimentos e da relação com o entre os meninos, de 11 a 13 anos, mas esse ganho de peso não
ambiente social e familiar. Algumas maneiras utilizadas pela pode ser muito grande. Por isso, verifica-se que nesse período

Conhecimentos Específicos 3
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

algumas crianças ficam mais gordinhas e logo depois elas você sabe o que pode acontecer com adolescentes que se
crescem e ficam mais altas e mais magras. Resumindo, eles alimentam dessa forma? Quando essas preparações são
ganham peso inicialmente para crescer depois. Por esses consumidas de vez em quando e fazem parte de uma
motivos, as crianças e os pais devem ser orientados de que alimentação adequada, elas podem ser aceitáveis, mas, caso
esse ganho de peso faz parte do processo de crescimento, caso sejam consumidas com muita frequência, podem ser
contrário podem achar que seus filhos estão “gordinhos” e prejudiciais.
recomendarem então uma dieta, o que pode atrapalhar o Os adolescentes provavelmente estarão consumindo uma
crescimento destas crianças. Sabe-se que, pior ainda do que menor quantidade de proteína, cálcio, vitaminas e minerais e
isso, o excesso de peso e, muitas vezes, a pressão dos pais, uma maior quantidade de gordura e sal. Além desse hábito
podem gerar ansiedade nessas crianças e, assim, elas prejudicar o crescimento e desenvolvimento desses
realmente passam a comer mais e se tornam obesas. Com isso, adolescentes, poderá aumentar o risco de desenvolverem
o mais importante nessa fase é possuir uma alimentação obesidade, dislipidemias e outras doenças crônicas não
saudável e o PNAE é uma das maneiras de promover a saúde e transmissíveis, típicas, até pouco tempo atrás, da população
os hábitos alimentares saudáveis. Como você pode ver, sua adulta.
ação é de extrema importância para a formação dos hábitos Os adolescentes passam a maior parte do tempo fora de
alimentares da criança, pois, por meio da alimentação casa, eles ficam mais na escola e com amigos. Os dois últimos
oferecida na escola, as crianças podem aprender a se alimentar também influenciam na escolha dos alimentos e estabelecem o
de forma adequada e melhorar sua qualidade de vida. que é mais aceito no grupo. Por isso, é importante que uma
alimentação saudável seja estimulada na escola. Além do
Adolescência ambiente escolar, deve-se lembrar que o grupo de amigos e o
próprio modismo divulgado na televisão, internet, jornais e
A adolescência é um período de várias mudanças, que revistas, podem exercer influência sobre o hábito alimentar
acontecem dos 12 aos 20 anos de idade, e quando ocorrem dos adolescentes.
diversas alterações no corpo e no comportamento. Algumas Outro ponto que influencia o comportamento dos
mudanças físicas que podem ser notadas são o crescimento adolescentes é a família. Como a família pode interferir nos
das mamas nas meninas, o surgimento de pelos e o hábitos alimentares dos adolescentes? Normalmente, quando
amadurecimento das genitálias. Além das alterações que o relacionamento do adolescente com a família é desarmônico,
ocorrem no seu corpo, o adolescente começa a assumir mais principalmente quando os pais são muito autoritários, eles
responsabilidades e se torna mais independente, o que utilizam o alimento para mostrar sua rebeldia contra os seus
provoca mudanças no seu comportamento. Todas essas pais. A rebeldia é demonstrada em práticas alimentares
transformações da adolescência influenciam o erradas, como recusar os alimentos saudáveis ou realizar
comportamento alimentar. Para compreendermos melhor o dietas malucas. Isso também pode ocorrer quando os pais não
comportamento alimentar dos adolescentes, nós precisamos estabelecem limites para os filhos. Por isso, é muito
considerar que vários fatores interferem nessa fase da vida. Os importante que os pais coloquem limites, mas sem exagerar.
principais fatores externos são: a família, as atitudes dos Como você pode ver, a adolescência é uma fase da vida
amigos, as regras e valores sociais e culturais, as informações muito complexa e, por isso, vários fatores devem ser levados
trazidas pela mídia, por conhecimentos relativos à nutrição e em consideração ao analisarmos a alimentação do
até mesmo por “manias”. adolescente. Dessa forma, algumas estratégias podem ser
Já os fatores internos são formados pela imagem do seu realizadas para estimular o consumo de alimentos saudáveis,
próprio corpo, por valores e experiências pessoais, como a sensibilização do adolescente a partir de informações
preferências alimentares, pelas características psicológicas, que mostrem os benefícios que uma alimentação saudável
pela autoestima, pelas condições de saúde e pelo pode fornecer. Isto pode ser realizado pelos alunos em feiras,
desenvolvimento psicológico. Esses fatores estão ligados às como as feiras de ciências tradicionais, abordando os temas de
condições sociais e econômicas, à disponibilidade de alimentação e nutrição; inclusão do tema alimentação
alimentos, à produção e à forma de distribuição de alimentos, saudável nas disciplinas e nos eventos do calendário escolar
o que leva a um determinado estilo de vida, resultando em como festa junina, gincanas e outros eventos; a adoção de uma
hábitos alimentares individuais. alimentação saudável nas cantinas escolares; realização de
Como vimos, os adolescentes são influenciados por vários cursos de capacitação dos donos de cantinas e educadores em
fatores na formação dos seus hábitos alimentares e, por isso, parceria com as faculdades de nutrição; adoção do “dia da
eles se dividem em vários grupos, também de acordo com a fruta” como início de um processo que estimule o consumo de
motivação com a qual selecionam os alimentos. Porém, é frutas; entre outros.
importante lembrar que há informação disponível sobre
nutrição e alimentação saudável para os adolescentes, mas Adultos
eles têm dificuldade para aplicar esses conhecimentos, pois
alguns adolescentes também costumam associar os alimentos A idade adulta inicia-se a partir de 18 anos de idade. Para
saudáveis com atividades chatas, como ficar em casa com os a lei, é a fase onde a pessoa possui capacidade de executar
pais. Assim, eles preferem sair para barzinhos com os amigos, algumas atividades como votar, contrair obrigações e ser
e ir ao shopping comer alimentos do tipo fast-food, que são responsabilizado por seus atos, ou seja, é a idade caracterizada
consideradas atividades prazerosas. como de amadurecimento legal. Como os hábitos alimentares
Além disso, os adolescentes tendem a viver o momento e de atividade física adquiridos na infância e na adolescência
atual, não dando importância às consequências de seus tendem a permanecer na vida adulta, é de fundamental
hábitos alimentares, que podem ser prejudiciais a longo prazo. importância que as crianças e os adolescentes sejam
Algumas pesquisas mostram que os adolescentes brasileiros orientados a possuírem uma alimentação saudável, a fim de
possuem hábitos alimentares inadequados, com baixo que esta possa ser mantida na vida adulta. Entende-se que esse
consumo de produtos lácteos, frutas, verduras, legumes, e processo de orientação começa na escola, sendo o Programa
ingestão excessiva de açúcar e gordura. Entre os adolescentes, Nacional de Alimentação Escolar – PNAE, uma forma de
também é comum o consumo de alimentos do tipo junk food, auxiliar na formação de hábitos alimentares saudáveis. Nessa
ou seja, alimentos com alta quantidade de gordura fase, é muito importante que os adultos continuem com uma
(principalmente gordura saturada), açúcar, colesterol ou sal e alimentação saudável para evitar doenças no futuro. Além
com pouca ou nenhuma quantidade de vitaminas e minerais. E disso, o adulto é responsável pela formação dos hábitos

Conhecimentos Específicos 4
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

alimentares das crianças. É responsável pela compra e preparo


dos alimentos em casa, transmitindo seus hábitos alimentares
às crianças. Por isso, é importante que a família seja orientada
sobre o significado da alimentação saudável.
Com todas essas considerações, percebemos que a
alimentação saudável é muito importante em todas as fases da
vida. Nunca é tarde para iniciar e colocar hábitos saudáveis de
alimentação em prática. O ideal é que eles existam desde cedo,
mas as mudanças na saúde de indivíduos adultos que
melhoram seus hábitos alimentares, também são notáveis.
Essa melhora pode ser uma forma de prevenir o surgimento
de doenças que estão relacionadas a uma alimentação
inadequada.

Os Nutrientes

Um nutriente é uma substância usada pelo metabolismo de


um organismo que pode ser adquirido a partir do meio
envolvente. Os organismos não autotróficos adquirem os
nutrientes geralmente através da ingestão de alimentos. Os
métodos para ingestão de nutrientes variam, com os animais a
possuírem um sistema digestivo interno, enquanto que as
plantas digerem os nutrientes externamente. Os efeitos dos
nutrientes dependem em grande parte da quantidade da dose
ingerida.
Os nutrientes orgânicos incluem carboidratos, gorduras,
proteínas (ou outros elementos construtores, como os
aminoácidos), e vitaminas. Os compostos químicos
inorgânicos incluem os minerais ou água. Os nutrientes são
essenciais para o perfeito funcionamento do organismo e
todos os que não podem ser sintetizados pelo próprio
organismo têm de ser obtidos de fontes externas. Os
nutrientes necessários em grandes quantidades são
denominados por “macronutrientes” e os necessários em
pequenas quantidades por “micronutrientes”.

Macronutrientes

“Macro” significa grande, por isso os macronutrientes são


os nutrientes mais necessários, conhecidos por proteínas,
gorduras e carboidratos e exceptuando os alimentos com zero
caloria, todos os outros possuem variações em quantidade
destes mesmos nutrientes. Apesar da popularidade de
algumas dietas, que requerem que se reduza drasticamente a
ingestão destes macronutrientes, todos eles são de extrema
importância para a sua saúde e devem ser incluídos na
alimentação diária.
As proteínas são necessárias para a construção dos tecidos
do corpo incluindo dos músculos, órgãos, pele e também as
partes do sistema imunitário. O corpo pode usar as proteínas
em excesso para converter em energia ou em gordura. Os
carboidratos incluem os açúcares, amido e fibras, com os dois
primeiros a serem fundamentais para o fornecimento de
energia que possibilita o funcionamento do corpo. Os
carboidratos em excesso são convertidos em gordura, gordura
esta que forma as membranas que envolvem todas as células
do corpo, desde o normal funcionamento do cérebro, sistema
nervoso ou hormonal.
Tal como as proteínas, a gordura extra pode ser utilizada
pelo corpo para produzir energia, ou, em casos de
sedentarismo, para armazenamento de gorduras.

Conhecimentos Específicos 5
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Micronutrientes

“Micro” significa pequeno, e é por isso que os micronutrientes são todos aqueles que são necessários em quantidades mais
pequenas. Estes incluem várias vitaminas, divididas em solúveis em água ou solúveis em gordura, dependendo do meio no qual se
dissolvem, e também minerais que devem ser incluídos numa alimentação saudável.
As vitaminas solúveis em água incluem vitamina C e o complexo de vitaminas B, como vitamina B1, vitamina B2, vitamina B6,
vitamina B12 ou folatos, com todas elas a possuírem uma variedade de funções essenciais para a saúde. As vitaminas solúveis em
gordura incluem a vitamina A, vitamina D, vitamina E e vitamina K. As vitaminas A e E são absorvidas unicamente através dos alimentos
ingeridos, enquanto que as vitaminas D e K podem ser sintetizadas pelo próprio organismo.
Apesar de ser extremamente difícil obter quantidades massivas destas vitaminas através dos alimentos, o corpo pode apresentar
níveis de toxicidade e graves problemas de saúde caso se ingira de uma forma descontrolada suplementos vitamínicos em excesso.
Os minerais incluem Cálcio, Fósforo, Ferro, Magnésio, Potássio, Sódio ou Zinco, entre outros. Os minerais são importantes para a
saúde dos dentes, dos ossos, músculos, equilíbrio hídrico do corpo e um conjunto de outras funções para o bom funcionamento do
organismo.
Embora uma alimentação saudável e rica em fruta, legumes, frutos secos, vegetais, leguminosas, carne, peixe e produtos lácteos
seja uma excelente forma de garantir a ingestão de todos os micronutrientes que precisa, existem algumas pessoas que podem
necessitar da ajuda de suplementos dietéticos, como mulheres em risco de osteoporose ou pessoas com doenças de visão relacionadas
com a idade. Aconselha-se sempre o uso de suplementos dietéticos de acordo com as instruções da embalagem e sob aconselhamento
médico.

Nutrientes e organismo1

Todos os nutrientes são muito importantes para a manutenção do bom funcionamento do nosso organismo, por isso devemos
manter uma dieta balanceada.
Quando falamos em nutrição, podemos defini-la como processos que vão desde a ingestão dos alimentos até à sua absorção pelo
nosso organismo. Os seres humanos são seres heterotróficos e onívoros, ou seja, alimentam-se de outros organismos e mantêm uma
alimentação muito variada, composta de produtos de origem vegetal e animal.
É muito importante ter uma dieta balanceada, constituída por proteínas, vitaminas, sais minerais, água, carboidratos e lipídeos, que
são as fontes de energia e matéria-prima para o funcionamento das células.
O nosso organismo consegue produzir grande parte das substâncias de que necessita, a partir da transformação química dos
nutrientes que ingerimos com a alimentação. Mas existem outras substâncias nutritivas que não são produzidas pelo nosso organismo,
sendo necessário obtê-las prontas no alimento. Essas substâncias são chamadas de nutrientes essenciais e, além das vitaminas,

1 Texto adaptado disponível em http://www.brasilescola.com/

Conhecimentos Específicos 6
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

podemos citar alguns aminoácidos que o corpo não EUA, é auditado no Brasil pelo Instituto de Manejo e
consegue produzir, como isoleucina, leucina, valina, Certificação Florestal e Agrícola (Imaflora).
fenilalanina, metionina, treonina, triptofano e lisina, chamados
de aminoácidos essenciais. - Ecocert - O que certifica: alimentos orgânicos e
As proteínas que ingerimos na alimentação fornecem cosméticos naturais ou orgânicos. Como: os alimentos
aminoácidos às células, que os utilizam na fabricação de suas processados devem conter um mínimo de 95% de
próprias proteínas. São substâncias que constituem as ingredientes orgânicos para serem certificados. Para ganhar
estruturas do nosso corpo e são chamadas também um selo de cosmético orgânico, um produto deve ter ao menos
de nutrientes plásticos. Os aminoácidos essenciais devem ser 95% de ingredientes vegetais e 95% destes ingredientes
obtidos a partir da ingestão de alimentos ricos em proteínas, devem ser orgânicos Ecocert certificados – no caso de
como carne, leite, queijos e outros alimentos de origem animal. cosméticos naturais, 50% dos insumos vegetais devem ser
Mas sempre lembrando que o consumo em excesso de orgânicos. O selo Ecocert é um só (este ao lado). Mas, por
produtos de origem animal pode causar alguns prejuízos ao contrato com a certificadora, o fabricante é obrigado a
organismo. identificar no rótulo se o produto é orgânico ou natural.
As vitaminas são substâncias orgânicas consideradas
como nutrientes essenciais. São substâncias necessárias em - IBD (Instituto Biodinâmico) - O que certifica: alimentos,
pequenas quantidades, mas que influenciam muito no bom cosméticos e algodão orgânicos. Como é: além de cumprir os
funcionamento do nosso organismo. A maior parte das requisitos básicos para a produção orgânica (como fazer
vitaminas auxilia as reações químicas catalisadas por enzimas rotação de culturas e não usar agrotóxicos), garante que a
e a sua falta causa sérios prejuízos ao organismo. fabricação daquele produto obedece ao Código Florestal
Os sais minerais são nutrientes inorgânicos muito Brasileiro e às leis trabalhistas. Os produtos industrializados
importantes para o bom funcionamento do organismo de devem ter ao menos 95% de ingredientes orgânicos
todos os seres vivos e a falta de alguns desses minerais pode certificados – a água e o sal são desconsiderados nesse cálculo
prejudicar o metabolismo. tanto para cosméticos quanto para alimentos.
A água não é um nutriente, mas é fundamental para a vida.
Além de sua ingestão na forma líquida, há também a água Alimento hidropônico É produzido em ambiente protegido
ingerida quando nos alimentamos, pois ela faz parte da sem uso de solo e com uso de adubos químicos de fácil
composição da maioria dos alimentos. solubilidade e água. As plantas são cultivadas dentro de tubos
Outros nutrientes orgânicos muito importantes para os plásticos perfurados, ou em recipientes com substrato, e
organismos vivos são os carboidratos (também chamados de nutridas com solução de água e adubos químicos. As raízes
glicídios) e os lipídios. Esses nutrientes têm a função de absorvem os nutrientes diretamente da solução que circula
fornecer energia para as células e por isso podem ser dentro dos tubos ou meio de cultivo. Como o cultivo é feito
chamados denutrientes energéticos. longe do solo, as plantas não têm contaminantes como
bactérias, fungos, lesmas, insetos ou vermes. E, por serem
Composição e classificação dos alimentos, seleção, criadas em um ambiente controlado, elas crescem mais
conservação e armazenamento saudáveis. (ORNELAS, 2007).

Composição e classificação dos alimentos Alimento hidropônico

Segundo Ornelas (2007) os tipos de alimentos encontrados É produzido em ambiente protegido sem uso de solo e com
no mercado são: Alimento convencional, orgânico, uso de adubos químicos de fácil solubilidade e água. As plantas
hidropônico, funcional, transgênicos, diet, light e enriquecido. são cultivadas dentro de tubos plásticos perfurados, ou em
recipientes com substrato, e nutridas com solução de água e
- Alimento convencional adubos químicos. As raízes absorvem os nutrientes
diretamente da solução que circula dentro dos tubos ou meio
Produzido com uso do solo, de adubos químicos altamente de cultivo. Como o cultivo é feito longe do solo, as plantas não
solúveis e com o uso de agrotóxicos. têm contaminantes como bactérias, fungos, lesmas, insetos ou
vermes. E, por serem criadas em um ambiente controlado, elas
- Alimento orgânico crescem mais saudáveis. (ORNELAS, 2007).

É aquele produzido com uso de solo equilibrado (química, Alimento funcional


física e biologicamente), ou seja, um solo vivo, com boas
condições para que a planta se desenvolva bem e produza Alimentos funcionais são aqueles alimentos ou
alimento sadio e sem resíduos tóxicos. Para a produção não é ingredientes que, além das funções nutricionais básicas,
permitido o uso de adubos que deixe resíduo no solo, na água, quando consumidos como parte da dieta usual, produzem
no animal e nem nos alimentos. O alimento traz na sua efeitos metabólicos, fisiológicos e/ou benéficos à saúde. Eles
embalagem o “selo verde”. O mercado de produtos orgânicos devem ser seguros para consumo sem supervisão médica.
processados tem apresentado grande crescimento, mas (ORNELAS, 2007).
geralmente, grande parte da população do mercado de Legislação brasileira No Brasil, a indústria deve seguir a
produtos orgânicos esbarra em obstáculo como alto preço legislação do Ministério da Saúde. As Resoluções nº 18 e 19 da
desses alimentos, que são em média 40% mais elevados que os Agência Nacional de Vigilância Sanitária - Anvisa (30/04/99)
dos produtos convencionais. estabelecem normas e procedimentos para registro de
alimentos e/ou ingredientes funcionais. Para se obter o
Certificações registro, a empresa interessada deve formular um relatório
técnico-científico detalhado, comprovando os benefícios e a
Rainforest Alliance Certified - O que certifica: produtos segurança do uso do alimento. (Veja mais no site da Sociedade
agrícolas, como frutas, café, cacau e chás. Como é: trata-se de Brasileira de Alimentos Funcionais – www.sbaf.org.br).
uma certificação socioambiental. Comprova que os produtores
respeitam a biodiversidade e os trabalhadores rurais Informações dos rótulos - Em princípio, o rótulo dos
envolvidos no processo. Com grande aceitação na Europa e nos funcionais deve conter as mesmas informações exigidas para

Conhecimentos Específicos 7
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

um produto convencional. Além disso, o fabricante poderá Alimento diet


colocar o claim (alegação) de funcional ou de saúde
previamente aprovada pela Anvisa. Por exemplo, em um De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária
alimento contendo proteína de soja, o seguinte claim será (ANVISA), o termo diet pode ser usado em dois tipos de
permitido “O consumo diário de no mínimo 25 g de proteína alimentos: 1. Nos alimentos para dietas com restrição de
de soja pode ajudar a reduzir o colesterol”. nutrientes (carboidratos, gorduras, proteínas, sódio); 2. Nos
alimentos para dietas com ingestão controlada de alimentos
Como se beneficiar Para se beneficiar dos alimentos (para controle de peso ou de açúcares). Mas, o que quer dizer
funcionais é necessário que o seu consumo seja regular. O ideal ingestão controlada ou restrição de nutrientes? Os alimentos
é que as pessoas passem a consumir mais vegetais, frutas e para dietas controladas não podem ter a adição de nutriente.
cereais integrais, já que grande parte dos componentes ativos Assim, alimentos para ingestão controlada de açúcar não pode
estudados estão presentes nesses alimentos. Outra dica é haver inclusão desse nutriente sendo permitida a existência do
substituir em parte o consumo de carne de vaca, embutidos e açúcar natural do alimento como, por exemplo, a geleia diet
de outros produtos à base de carne vermelha por soja e que tem como açúcar natural a frutose. Os alimentos restritos
derivados (especialmente carne e isolados proteicos de soja) em carboidratos (pão, chocolate, bala diet) ou gorduras
ou peixes ricos em ômega 3. No caso de alimentos funcionais (iogurte desnatado 0% de gordura) podem conter, no máximo,
industrializados, é preciso ficar atento e procurar saber se a adição de 0,5 gramas do nutriente por 100 gramas ou 100 mL
aquele alimento teve sua eficácia avaliada por pesquisas do produto. Já, os alimentos restritos em proteínas devem ser
sérias. Para que os resultados sejam eficazes, o consumidor isentos desse nutriente. Como, a quantidade permitida nos
deve seguir as instruções do rótulo, utilizando o produto da alimentos com restrição de carboidratos e gorduras é muito
forma recomendada pelo seu fabricante. Muito importante: pequena, é comum a definição de alimento diet sendo o
esses alimentos funcionam somente quando fazem parte de produto isento de um nutriente específico.
uma dieta equilibrada, ou seja, se a pessoa estiver utilizando
um alimento para o controle do colesterol, ela terá resultados Alimento light
positivos apenas se associá-lo a uma dieta pobre em gordura
saturada e colesterol. A definição de alimento light deve ser empregada nos
produtos que apresentem redução mínima de 25% em
Produtos enriquecidos determinado nutriente ou caloria comparada com o alimento
convencional. Para que ocorra a redução de calorias é
Os produtos enriquecidos com vitaminas e sais minerais necessário que haja a diminuição no teor de algum nutriente
podem ou não ser funcionais. A maioria não é. Se o energético (carboidrato, gordura e proteína). Assim, a redução
enriquecimento não comprovar qualquer efeito adicional de um nutriente não energético, por exemplo, sódio (sal light)
sobre a saúde, o alimento deve ser categorizado como não interfere na quantidade de calorias do alimento.
alimento enriquecido de nutrientes essenciais. Contudo, se (ORNELAS, 2007). Dessa maneira, a primeira diferença entre
estudos comprovarem a ação desse enriquecimento sobre o alimento diet e light está na quantidade permitida de
alguma doença crônica não-transmissível ou, ainda, se esse nutriente. Enquanto que o diet precisa ser isento, o light deve
enriquecimento vier acompanhado da adição de outros apresentar uma diminuição mínima de 25% de nutrientes ou
ingredientes funcionais, aí esse alimento poderá ser calorias em relação ao alimento convencional. A segunda
considerado como funcional. diferença é consequência da primeira: o alimento light não é,
necessariamente, indicado para pessoas que apresentam
Alimentos transgênicos algum tipo de doença.

Um organismo é considerado transgênico quando Alimento enriquecido


misturam a ele genes de outras espécies. Essa técnica foi
apelidada de “recortar e colar” e desenvolve novas Considera-se alimento enriquecido, todo alimento ao qual
características aos organismos. Hoje é praticada com mais for adicionada substância nutriente, com o objetivo de reforçar
intensidade na agricultura com o fim de criar alimentos fortes o seu valor nutritivo, seja repondo quantitativamente os
que resistam aos herbicidas, pragas e ao clima e também para nutrientes destruídos durante o processamento do alimento,
deixá-los mais nutritivos. Existem duas formas de criar seja suplementando-os com nutrientes em nível superior ao
alimentos transgênicos: na primeira, recolhe-se um fragmento seu conteúdo normal. Os alimentos enriquecidos de vitaminas
do DNA de um organismo e mistura com o fragmento de e/ou sais minerais, deverão trazer no rótulo a expressão:
alguma outra espécie. Depois, esse novo fragmento é inserido “Enriquecido de vitaminas” ou “vitaminado” e, “Enriquecido de
na planta, atuando como o “transportador” das características sais minerais” ou “Enriquecido de minerais”. Os alimentos
dos DNAs. A outra técnica parece ser mais simples. Ao invés de enriquecidos de aminoácidos específicos deverão trazer no
juntar DNAs de dois organismos, coloca-se o gene diretamente rótulo a expressão: “Enriquecido de... (nome dos aminoácidos
na planta. Esse gene vai se adaptar ao DNA gerando uma planta adicionados). (ORNELAS, 2007).
com novas características. Mas um fato é omitido: durante esse
processo de mutação, ocorre uma reação química de ORNELAS, L.H. Técnica Dietética. Seleção e preparo dos alimentos. 8 ed. São
Paulo: Atheneu, 2007.
consequências desconhecidas. Isso significa que não há PHILIPPI, S. T. Nutrição e Técnica Dietética. São Paulo: Manole, 2003.
certeza sobre os resultados da transformação de alimento
convencional para transgênico. (ORNELAS, 2007). No dia 24 Questões
de abril de 2004, o Presidente Luís Inácio Lula da Silva assinou
o Decreto número 4.680. Este Decreto diz que todo alimento 01. (IF/RJ - Nutricionista – BIO-RIO/2015). O propósito
com mais de 1% de transgenia deverá ser rotulado para que da Política Nacional de Alimentação e Nutrição (PNAN) é a
consumidores possam decidir se querem ou não comprá-lo. melhoria das condições de alimentação, nutrição e saúde da
Também para alimentos provenientes de animais alimentados população brasileira, mediante:
com ração transgênica. No rótulo deve vir, também, a espécie (A) a promoção de práticas alimentares adequadas e
doadora do gene. saudáveis e a prevenção de doenças, principalmente as
infectoparasitárias.

Conhecimentos Específicos 8
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

(B) o controle através da vigilância alimentar e nutricional microrganismos deteriorantes, através de secagem natural ou
e o cuidado integral dos agravos, como as pneumonias infantis. desidratação.
(C) o estímulo a práticas alimentares adequadas e ao
cuidado integral dessas práticas nas Instituições hospitalares. - Conservação pela adição de solutos: consiste em
(D) a vigilância alimentar e nutricional, a nível primário, adicionar sal ou açúcar ao alimento para reter a água.
secundário, terciário e quaternário da saúde.
(E) a promoção de práticas alimentares adequadas e - Conservação por defumação: é devido à adição de fumaça,
saudáveis, a vigilância alimentar e nutricional, a prevenção e o aplicada principalmente em carnes e derivados.
cuidado integral dos agravos relacionados à alimentação e
nutrição - Conservação por fermentação: utiliza o crescimento
controlado de microrganismos selecionados, capazes de
02. (CEB-DISTRIBUIÇÃO S/A - Nutricionista – modificar textura, sabor, aroma e qualidade nutricional dos
FUNIVERSA). A qualidade nutricional das refeições servidas alimentos. Exemplos: fermentação láctica (fabricação de
em unidades de alimentação e nutrição não depende iogurtes) e a fermentação alcoólica (produção de vinhos).
(A) da matéria-prima utilizada.
(B) dos hábitos alimentares dos consumidores. É possível, ainda, conservar alimentos com o uso de
(C) do método de preparo dos alimentos. aditivos (o que exige certos cuidados), ou com o uso de
(D) da qualificação dos manipuladores. radiações ionizantes, o que é relativamente recente.
(E) do armazenamento.
A forma como os produtos são armazenados, seja na
Resposta indústria, no ponto de venda ou em casa, também são
importantes na conservação dos alimentos.
01. E/02. E. As dependências onde se guardam alimentos, refrigerados
ou não, devem ser limpas constantemente. Na geladeira, todos
os alimentos devem ser conservados tampados, e
periodicamente deve-se retirar dali alimentos velhos.
Seleção, conservação e A despensa deve ser totalmente esvaziada e limpa com
condições adequadas ao pano úmido, detergente e álcool, em seguida com um pano
consumo dos alimentos: seco. Sendo um lugar quente, pode ser propício para o
desenvolvimento de baratas e insetos.
proteção, preparação, controle Controle de estoque; melhor aproveitamento de
de estoque, conservação, alimentos; conservação e validade dos alimentos
validade e melhor
Conservação e higiene de carnes.
aproveitamento de alimentos
Recepção e consumo

Seleção, conservação e armazenamento Quanto às condições de recepção e consumo, é necessário


observar:
A conservação de alimentos vem sendo praticada pelo - Peixes: Com textura firme, carne elástica ao toque dos
homem ao longo da História, associada à necessidade de dedos, escamas brilhantes e aderentes, olhos brilhantes
sobrevivência humana. ocupando toda a órbita, pele íntegra, firme e de cores
O conhecimento científico dos processos químicos e brilhantes e vivas;
biológicos envolvidos neste processo foi elucidado com as - Aves: Com coloração amarelo-rosada, com cheiro
pesquisas de Louis Pasteur, com a descoberta de que seres característico, carne macia ao contato, pele lisa e elástica;
microscópicos transformavam a uva em vinho. Desde então, miúdos com consistência firme, aspecto agradável, com
sabe-se da existência de microrganismos capazes de coloração e odor característicos;
deteriorar alimentos, os quais devem ser controlados. - Carne Bovina: Com coloração avermelhada, carne com
Assim sendo, a conservação pode ser definida como um consistência firme, e odor fresco e agradável;
método de tratamento empregado aos alimentos com o - Carne Suína: Com coloração rosada, consistência firme,
objetivo de aumentar sua durabilidade, mantendo a qualidade. sendo mais macia do que a carne bovina, e odor característico
As técnicas de conservação vêm sendo aperfeiçoadas pelo e suave;
homem até os dias de hoje - Ovos: Limpos e sem rachaduras;
- Leite e derivados: Sem qualquer presença de mofo ou
- Conservação pelo calor: consiste no emprego de grumos, sem líquido pegajoso, com sabor, textura e odor
temperaturas ligeiramente acima das máximas que permitem característicos. Atenção: Apenas o leite industrializado deve
a multiplicação dos microrganismos, eliminando os ser utilizado;
microrganismos patogênicos ou inativando as células - Frutas e Hortaliças: Maduras, com tamanho, coloração e
vegetativas. Como exemplos, pode-se citar a pasteurização e a sabor característicos para cada espécie, com textura resistente
esterilização. a pressão dos dedos e isentas de partes amassadas, manchas e
impurezas. Dar preferência a utilização de frutas da estação;
- Conservação pelo frio: tem como objetivo retardar as - Cereais (ex: arroz, milho, massas, e farinhas) e
reações químicas e enzimáticas, bem como retardar ou inibir o leguminosas (ex: feijão): Com cor específica para cada
crescimento e a atividade dos microrganismos nos alimentos. alimento, sem qualquer indício de parasitas, vestígios de
A refrigeração e o congelamento são exemplos deste tipo de insetos, fungos, matéria terrosa, e umidade; enquanto que as
conservação. farinhas não devem apresentar-se empedradas, rançosas ou
fermentadas;
- Conservação pelo controle do teor de umidade: consiste - Panificados: Livres de qualquer mofo;
em retirar água do alimento, o que dificulta a ação dos - Óleos e gorduras: Com textura, coloração, odor e sabor
característicos.

Conhecimentos Específicos 9
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

- Frutas e Hortaliças: Frutas: Quando em forma de suco


Condições de armazenamento consumir logo após o preparo. Hortaliças: Seja realizado
cozimento sempre que possível em fogo brando, com pouca
Em relação às condições de armazenamento, prioriza-se água, em panelas com tampa, não sendo necessária a retirada
que: da casca dos vegetais;
- Aves/ Carne Bovina e Suína/ Peixes: Sejam mantidas em - Cereais (ex: arroz, milho, massas, e farinhas) e
câmara frigorífica ou freezer, sem embalagens de papelão. De leguminosas (ex: feijão): Sejam seguidas as técnicas
modo que não fiquem em contato uma espécie com a outra; estabelecidas para cada grão.
- Ovos: Sejam retirados da embalagem de papelão e
armazenados dentro de um recipiente de plástico sob Aspectos gerais
refrigeração por até 15 dias;
- Leite e derivados: Sejam mantidos em refrigeração. Após Existem outros aspectos que devem ser observados para a
abertos etiquetá-los com data de validade fornecida pelo elaboração dos cardápios, tais como:
fabricante para o produto depois de aberto; - Evitar cardápios repetitivos;
- Frutas e Hortaliças: Frutas: Dependendo do tipo deve ser - Utilizar alimentos que combinem seus sabores;
armazenada sob refrigeração, ou armazenadas fora da - Variar as cores dos alimentos;
geladeira em recipientes de plástico, não utilizar caixas de - Incluir pelo menos um alimento de cada grupo
papelão. Hortaliças: Armazenadas sob refrigeração desde que (construtor, energético e regulador) em cada refeição;
sejam colocadas em saco plástico transparente, diferente da - Utilizar os produtos considerados básicos, com
embalagem original e com identificação; prioridade aos produtos in natura;
- Cereais (ex: arroz, milho, massas, e farinhas) e - Respeitar os hábitos alimentares de cada localidade e sua
leguminosas (ex: feijão): Sejam mantidos em ambiente seco e vocação agrícola;
ventilado, sobre prateleiras afastadas das paredes e piso; - Dar preferências aos alimentos da época e da região, a fim
- Panificados: Sejam mantidos em local seco e ventilado de se obter melhores preços em função da oferta;
sobre prateleiras; Atenção! O óleo utilizado na preparação (ex: - Observar constantemente o material enviado pela
fritura), não deve ser reutilizado. Gerência da Merenda Escolar, como subsídio. 4.6 Leis da
- Óleos e gorduras: Sejam mantidos em local seco ao abrigo alimentação E por fim, para a elaboração de um cardápio
da luz ou ainda sob refrigeração, de acordo com as instruções balanceado espera-se que as características que englobam as
do fabricante. Leis da alimentação sejam seguidas, estas são divididas em:
- Lei da Quantidade - quanto do alimento deve ser
Pré preparo suficiente para suprir as necessidades calóricas do organismo;
- Lei da Qualidade – Quando a refeição apresenta
Quanto ao preparo dos alimentos, este se divide em dois diferentes tipos de alimentos, priorizando a variedade, e por
processos, o pré preparo e o preparo. No pré preparo, prioriza- consequência uma maior oferta de nutrientes;
se que: - Lei da Harmonia - quando os alimentos encontram-se em
- Aves/ Carne Bovina e Suína/ Peixes: Sejam proporções certas, a fim de que haja equilíbrio na refeição, pois
descongeladas sob refrigeração e que retornem ao os nutrientes não agem isoladamente, mas sim em conjunto;
refrigerador após adição de temperos. As carnes (bovina/ - Lei da Adequação - quando a alimentação encontra-se
suína e aves) devem ser limpas retirando as aparas; as moelas adequada à idade, religião, sexo, clima, cultura, e estado
devem ser lavadas em água corrente; fisiológico (ex: criança/ gestante/ lactante/ idoso).
- Leite e derivados: Quando leite em pó, a água seja fervida
antes de acrescentá- lo; e a diluição seja de acordo com os
percentuais definidos;
- Frutas e Hortaliças: Sejam lavadas em água corrente,
escovando quando necessário, colocando em solução
sanitizante/ água sanitária, (diluição: 1 colher de sopa de
solução para 1 litro de água) por 15 minutos, em seguida,
enxaguar em água corrente. Preconiza-se ainda que seja
evitado o pré preparo com antecedência;
- Cereais (ex: arroz, milho, massas, e farinhas): Sejam
escolhidos, lavados e escorridos. Leguminosas: escolhidas,
lavadas e colocadas em remolho por algumas horas antes do
cozimento, a água do remolho pode ser utilizada junto ao
cozimento. Atenção! Todo alimento depois de retirado da
embalagem original e quando não utilizado por completo, deve
ser armazenado em saco plástico transparente e devidamente
etiquetado com a data de validade fornecida pelo fabricante,
para o produto após abertura.

Preparo

Já em relação ao preparo é necessário que:


- Aves/ Carne Bovina e Suína/ Peixes: Seja seguido o modo
de preparo do cardápio utilizado no dia;
- Ovos: Sejam cozidos (não utilizando gemas cruas, a fim de
se evitar intoxicação alimentar), sob fervura durante 7
minutos, e imediatamente resfriados evitando- se a coloração
esverdeada;
- Leite e derivados: Seja seguido o modo de preparo do
cardápio utilizado no dia;

Conhecimentos Específicos 10
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

ALIMENTOS DEFINIÇÃO EXEMPLOS

São todos os
alimentos que
estragam com
muita facilidade e,
PERECÍVEIS por este motivo,
devem ser
guardados na
geladeira ou no
freezer.
São os alimentos
que não se
estragam com
tanta facilidade
como os perecíveis
SEMIPERECÍVEIS e não precisam ser
guardados na
geladeira por um
determinado
tempo.
São os alimentos
que podem ser
armazenados fora
da geladeira e do
freezer por um
NÃO-PERECÍVEIS determinado
tempo. Precisam
sempre de lugares
secos e ventilados
para serem
guardados

Descongelamento de Carnes

- Manter as carnes na sua embalagem original sobre um utensílio de apoio (bacia, bandeja);
- Levar à prateleira inferior da geladeira para descongelar por no máximo 2 dias antes do preparo. Ex: iniciar descongelamento na
2ªf para preparo e consumo na 4ªf. Ou seguir as instruções descritas no rótulo pelo fabricante;
- Abrir as embalagens, desprezar o líquido formado, não lavar a carne, retirar as peles, o excesso de gordura e moer, ou picar ou
fatiar, conforme o tipo de preparação culinária;
- Temperar e preparar no mesmo dia;
- Não congelar novamente as carnes, inclusive as já temperadas, pois ela fica mais sujeita à contaminação;
- Higienizar muito bem as bancadas e utensílios utilizados no pré-preparo, pois a carne é um alimento que pode se contaminar
facilmente.
- Descongelar os alimentos com, no mínimo, 24 horas de antecedência;
- Nunca descongelar os alimentos diretamente em água ou sob temperatura ambiente para não prejudicar sua qualidade e
aumentar os riscos de contaminação!

Durante a manipulação e conservação do alimento, existe o risco da contaminação por produtos químicos, naturais e físicos.
Nem sempre o alimento contaminado irá apresentar alterações visíveis a olho nu e a presença de contaminação química pode não
ser percebida. Por isto, um alimento, mesmo que esteja dentro do prazo de validade, deve ser observado e em caso de dúvida sobre a
sua origem e condições, não deve ser utilizado. Isto nada mais é do que verificar as características organolépticas, isto é, as
características externas do produto.
O prazo de validade é o tempo decorrido entre a produção do alimento e o período máximo permitido de estocagem, até o seu
consumo. Este prazo varia com o tipo de produto, temperatura, umidade, condições e tempo de estocagem e o tipo de embalagem
utilizada.

ROTULAGEM E APRESENTAÇÃO

Conhecimentos Específicos 11
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Todo alimento adquirido do fornecedor e exposto à venda, deve apresentar rotulagem completa em letras legíveis, possibilitando
identificar:
- a procedência (origem)
- registro do produto se, de origem animal, no SIF; SIE; SIM;
- todo rótulo ou etiqueta lacre deve mencionar os seguintes dados:
- nome e marca do produto nome do fabricante ou do produtor endereço completo do local de produção.
- indicação do emprego de aditivos
- informação dos componentes do produto (ingredientes)
- informação adicional de nutrientes e valores de ingestão diária (IDR)
- número de registro no órgão competente, no caso de produtos de origem animal SIF; SIE; SIM; SIV; SS.
- carimbo do serviço de inspeção de origem para produtos de origem animal e seus derivados (leite, manteiga, nata, creme de leite,
iogurte, bebidas lácteas, queijos, embutidos, ovos e seus derivados, mel e seus derivados, peixes, moluscos, crustáceos, moluscos
bivalvos entre outros. peso líquido e bruto
- indicações precisas com relação à temperatura adequada para armazenamento, transporte e condições de estocagem
- data da fabricação data de validade.

ESTOCAGEM DOS ALIMENTOS

A estocagem adequada de alimentos tem dois objetivos básicos:


- evitar perdas econômicas (apodrecimento, alterações organolépticas)
- prevenir intoxicações e infecções alimentares.

REGAS PARA EVITAR CONTAMINAÇÃO E ALTERAÇÃO DE ALIMENTO

Conhecimentos Específicos 12
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Questões Os alimentos servem para saciar a fome e ser combustível


para todas as atividades do corpo humano, tais como piscar os
01. (CRB 6ª Região - Auxiliar de Serviços Gerais – olhos, levantar um braço, namorar, caminhar, correr ou jogar
Quadrix/2014). São critérios fundamentais para o bola. Precisamos de energia, proveniente dos alimentos que
armazenamento de alimentos, exceto: comemos todos os dias. Também serve para demonstrar
(A) separação por categoria. carinho, afeto e aceitação, por exemplo, quando a mãe
(B) dispostos longe do piso, sobre estrados fixos ou amamenta o bebê, ou um almoço onde todos se reúnem em
móveis. torno de uma mesa, é uma demonstração de carinho, de afeto.
(C) ambiente com temperatura e ventilação adequadas. Ou seja, o alimento está intimamente ligado com o nosso bem
(D) embalagens íntegras, de identificação visível e com estar físico, social e mental, definido segundo a OMS –
dados necessários para garantir a rastreabilidade e a validade, Organização Mundial da Saúde.
de acordo com a legislação vigente. Em nosso país, de desigualdades gritantes, existem
(E) os produtos devem ser utilizados sempre segundo o pessoas que possuem baixa renda e não têm condições de
sistema PEPS - Primeiro que Entra, Primeiro que Sai. alimentar-se adequadamente por problemas financeiros. É
preciso que seja de conhecimento geral o que é ter uma
02. (Prefeitura de Palmas/TO - Agente Administrativo alimentação equilibrada. As pessoas muitas vezes gastam o
Educacional – COPESE-UFT/2013). No armazenamento de pouco dinheiro que dispõem em uma alimentação inadequada,
alimentos, há várias regras que devem ser seguidas para evitar tomando refrigerantes no lugar de sucos, por exemplo. Hoje
os riscos de Doenças Transmitidas por Alimentos. em dia vemos na população economicamente excluída uma
Marque a alternativa que apresenta prática INCORRETA no grande porcentagem de obesos. Isso acontece porque a
armazenamento. população não tem conhecimento sobre uma alimentação
(A) Não sobrecarregar as prateleiras. adequada. Não que se proíba doces e refrigerantes, pois fazem
(B) Não encostar os alimentos na parede ou no chão. parte de nosso cotidiano de nossa alimentação, mas devem ser
(C) Não evitar a luz direta do sol sobre os alimentos. ingeridos no horário e quantidade corretos.
(D) Não utilizar recipientes de produtos químicos. Para falar sobre alimentação, temos que debater sobre
nutrientes. São substâncias que compõem os alimentos e que
03. (Prefeitura de Bela Vista de Minas/MG - Servente o organismo precisa para viver, para manter a saúde e
Escolar – FUNDEP/2014). Em relação aos cuidados durante executar suas atividades, por exemplo, carboidratos,
o armazenamento de alimentos, assinale a alternativa proteínas, lipídios, água e sais minerais. Os nutrientes
INCORRETA. fornecem energia para todas as atividades: trabalhar, praticar
(A) Deixar os alimentos afastados da parede, e espaço esportes, para o funcionamento dos órgãos, são materiais para
entre as pilhas de alimentos. promover crescimento, cicatrização de feridas, substituição
(B) Nunca armazenar no mesmo local alimentos e das células envelhecidas, etc.
produtos de limpeza. Temos, entre os nutrientes, as proteínas. São construtoras,
(C) Armazenar os alimentos em caixas de papelão e mantê- como os “tijolos de uma casa”. As proteínas estão envolvidas
las no chão para facilitar sua retirada do depósito. na formação de músculos, pele e demais tecidos do corpo
(D) Colocar a frente os alimentos com a data de validade humano. Suas fontes naturais são as carnes, leites e derivados
mais próxima, para que sejam usados em primeiro lugar. (como origem animal) e leguminosas, tais como soja, feijão,
grão de bico, lentilha, etc. (como origem vegetal).
Respostas Os carboidratos são energéticos, fornecem energia para o
corpo se movimentar, executar trabalhos e viver. São suas
01. E/02. C/03. C. fontes o açúcar, o amido e as fibras. A função das fibras em
nosso organismo é aumentar o volume do bolo fecal,
facilitando a eliminação dos excretas. Também são
importantes na prevenção de certos tipos de doenças, como o
Conservação e higiene: combate ao colesterol alto, portanto, muito importantes na
relação entre saúde e nossa alimentação.
alimento As gorduras são fontes concentradas de energia, que
podem ser armazenadas. Se o gasto de energia for grande, ela
vai ser consumida. Ao contrário, se comemos uma certa
quantidade de gordura que não é gasta, o organismo a guarda
Relação entre saúde e alimento e a armazena, na forma de gorduras, para quando faltar
energia, ele buscará os excessos acumulados. Todos nós
Alimentação e Saúde2 precisamos ingerir gorduras. Não é certo uma alimentação ter
zero % de gorduras, já que as gorduras entram, por exemplo,
É muito difícil introduzir alimentos saudáveis, ricos em na produção de certos hormônios. Uma grande parcela de
fibras, vitaminas e minerais, em nossa alimentação. Isso ocorre alimentos vai ter certa quantidade de gorduras, ainda que
porque temos muitas atividades e, na maioria das vezes, pequena. Outra função dessas substâncias é dar sabor e
acabamos deixando de lado as refeições ou comendo comidas textura aos alimentos. São fontes a gema de ovo, a pele de
rápidas (fast- foods). No mundo contemporâneo, todos estão frango, os frutos do mar, coco, creme de leite, óleos,
com pressa. É de conhecimento geral que alimentação e saúde margarinas, etc.
estão intimamente ligadas. Quando uma pessoa não se A substância mais importante de todas: a água. Temos no
alimenta bem, pode ter, como consequência, uma doença. Está corpo em torno de 75% de água. Uma criança pequena pode
provado, cientificamente, que as pessoas que se alimentam morrer se ficar sem água. Quando isto acontecer, temos que
equilibradamente terão saúde, ou pelo menos poderão lhe dar soro caseiro e muito líquido, para que a criança se
prevenir certas doenças. recupere logo. Todo ser humano pode viver um tempo sem
alimento, mas não pode viver sem água. Ficar sem beber água

2 Texto adaptado produzido por Flavia Della Lucia, disponível em

http://www.cdcc.sc.usp.br/ciencia/artigos/art_22/alimentacaosaude.html

Conhecimentos Específicos 13
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

mais que 5 dias é impossível. Nem sempre você toma água ovos, de uma a duas porções. Frutas, de três a cinco porções. E
diretamente, porém ingere água no suco, nas verduras e frutas. hortaliças, de quatro a cinco porções. Cereais, pães, tubérculos
Quando nossa alimentação é equilibrada temos aí incluída e raízes (batata e mandioca), de cinco a nove porções. No caso,
parte da água que necessitamos. A água participa do o pão francês corresponde a uma porção (ou duas fatias de pão
transporte e digestão de nutrientes, da eliminação de resíduos, de forma, ou ainda cinco biscoitos do tipo “água e sal”). Se
atua no transporte de substâncias e no trânsito intestinal, quiser uma alimentação menos calórica, deve comer
mantém a temperatura do corpo, participa dos fluídos do quantidades moderadas. Os cereais aparecem em maior
organismo, como lubrificante das juntas e amortecedor dos quantidade porque precisamos de aproximadamente 60 a
órgãos contra choques. As fontes de água são os líquidos e 70% de nossa energia proveniente de carboidratos (no caso
alimentos, como frutas e vegetais. Por exemplo, a carne dos adultos).
contém sangue, portanto, tem água, mas é óbvio que uma Algumas pessoas que se alimentam da mesma forma (com
alface tem, proporcionalmente, muito mais água que a carne. a mesma quantidade de alimentos) e, às vezes, um é obeso e o
As vitaminas estão presentes em todas as reações químicas outro magro. Cada indivíduo tem o metabolismo diferente do
do nosso corpo e participam da formação dos ossos e tecidos, outro. Metabolismo é o gasto e a utilização de energia pelo
previnem certos tipos de câncer e evitam o envelhecimento. corpo. É necessário avaliar nas pessoas o tipo de atividade
Existem vitaminas hidrossolúveis (ou seja, solúveis em água) física, seu metabolismo, idade, sexo, estado fisiológico (se está
e lipossolúveis (solúveis em lipídios, isto é, gorduras). A em fase de crescimento, gestante, amamentando).
diferença entre as vitaminas é a função que cada uma exerce. As pessoas também costumam bater as frutas no
A vitamina A é envolvida nos processos visuais, a vitamina D é liquidificador para consumi-las. Nesse procedimento, se
importante na formação dos ossos; cada uma tem uma função destrói uma pequena parcela dos nutrientes, mas é mínima.
específica. Até os óleos vegetais têm vitamina E. Alguns Sempre existe uma certa perda, por exemplo, o suco de laranja
alimentos são enriquecidos com vitamina C que serve para deve ser consumido rapidamente, pois quando a vitamina C
preservar o alimento (acidulante). A vitamina (frutas batidas entra em contato com o ar, ela praticamente perde sua função.
com leite) é uma forma de você variar a alimentação, Os alimentos processados, às vezes, têm uma perda maior, pois
acrescentando várias frutas (que contêm variadas vitaminas e passam por processos indústrias. Porém, existem muitas
minerais) e aveia, que tem muita fibra (o que é bom para o variações na perda de nutrientes de alimento para alimento, e
intestino e, consequentemente, para a pele e cabelos). também em cada tipo de processamento.
Os minerais participam de todas as reações do organismo. É importante – e relativamente barato – ter em casa uma
Alguns estão envolvidos no processo de crescimento. Assim boa variedade de frutas, legumes e verduras. É muito mais
como algumas vitaminas, eles precisam ser adquiridos. Os econômico adquirir esses produtos do que biscoitos
principais e mais importantes minerais são o cálcio, o fósforo, recheados, refrigerantes e chocolates. Fazer a alimentação
o ferro, o sódio, o potássio, o magnésio, o manganês, o flúor, o equilibrada não é caro, é algo que podemos fazer. Pode-se até
iodo, o cobre e o zinco. ter uma horta, para obter as hortaliças, ou galinhas, para ovos.
O cálcio está principalmente envolvido na formação de Através de uma boa alimentação, vamos ter saúde.
nossos ossos, e está presente principalmente nos laticínios. O Analisando tantas pessoas doentes, obesas, com pressão alta,
ferro é muito importante, principalmente para as mulheres devemos prestar atenção nas formas que elas se alimentam.
que, ao se menstruarem, perdem muito sangue. Está presente, Provavelmente, uma alimentação desequilibrada, e por um
principalmente, em carnes vermelhas. Se o ferro for associado longo tempo. O nosso organismo até resiste à uma má
a uma fonte de vitamina C (sucos cítricos, por exemplo) vai alimentação por certo tempo, mas por tempo prolongado
facilitar a absorção de vitamina C. pode-se vir a ter diversos problemas. É muito importante
A maioria das pessoas ingerem todos os dias carnes e corrigir desde a infância. Com saúde, podemos viver felizes, em
frituras. Não devemos comer todos os dias. O conceito de harmonia entre a nossa mente e o nosso corpo. Como
alimentação deve ser variada. Dando preferência para carnes, sugestões:
molhos gordurosos e doces, na dieta, basicamente - Alimentação variada e pelo menos três refeições (café da
carboidratos e proteínas, ao longo do tempo, vão ficando manhã almoço e jantar). O ideal é lanchar (com frutas, iogurte
doentes e estressadas, sem saber o porquê. Primeiro, porque ou leite) às 10 e às 15 horas. Coma um lanche à noite, se der
vivem apressados, segundo porque não comem direito. fome. Assim pode-se fracionar a alimentação em seis refeições
Começam a ficar obesas porque dão preferência para os por dia, equilibradamente;
alimentos errados. Os conceitos de alimentação equilibrada - Comer sempre verduras e legumes;
foram esquecidos, surgindo o stress e a desnutrição. Se você - Comer sempre sal e açúcar com moderação. Devemos
tiver uma alimentação rica em carboidratos e lipídios, e pobre tentar sentir o sabor natural das coisas. Colocar menos ou até
em vitaminas e minerais, você pode ter, no futuro, um comer sem açúcar;
problema de obesidade, desenvolver diabetes. Seu organismo - Tomar diariamente bastante água;
fica desgastado, e você não sabe o que pode ocorrer - Ter bastante higiene com os alimentos;
futuramente. - Manter o peso, controlando a ingestão de alimentos e
E, afinal, o que é uma alimentação equilibrada? Hoje em fazendo exercícios físicos (é uma forma de equilibrar a
dia, saúde é prevenção. Devemos organizar nossa alimentação alimentação);
para evitar, entre outras coisas, a obesidade. Alimentação - Faça das refeições um encontro agradável. Não é hora de
equilibrada significa ter em nossa alimentação todos os brigas e desentendimentos.
nutrientes nas quantidades corretas. Utilizamos como Só assim é possível ter uma alimentação equilibrada e
orientação para uma alimentação equilibrada a pirâmide de maior qualidade de vida.
alimentação: mostra qual quantidade de alimentos devemos
comer. O primeiro grupo, no topo da pirâmide, são os óleos e A Influência da Alimentação na Qualidade de Vida3
gorduras. Devemos, ao preparar os alimentos, colocar o
mínimo de óleo possível, tentar evitar a gordura. Açúcares e Segundo a Organização Mundial de Saúde, saúde é “o
doces, devemos ingerir uma a duas porções, o que completo bem-estar e pleno desenvolvimento das
corresponderia a um pedaço de chocolate, ou um doce, por potencialidades físicas, psicoemocionais e sociais e não a mera
exemplo. Leite e produtos lácteos em três porções. Carnes e ausência de doenças ou enfermidade”. Dessa forma, o ser

33 Texto adaptado disponível em http://www.rgnutri.com.br/

Conhecimentos Específicos 14
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

humano está saudável quando apresenta uma relação Fontes


produtiva e harmônica com o seu meio ambiente, na sua Compostos Ações no organismo
alimentares
cultura e na época vigente. Antioxidante relacionado à Tomate, goiaba,
O conhecimento da relação da alimentação com o bem- Licopeno diminuição do risco de pimentão
estar físico e o pleno desenvolvimento mental e emocional já câncer de próstata vermelho
existia desde os tempo antigos. Infelizmente, foram episódios Antioxidante que diminui o Cenoura, abóbora,
de doenças e epidemias que revelaram a importância de uma Betacaroteno risco de câncer e de espinafre, couve,
dieta completa, diversificada e harmônica. doenças cardiovasculares manga, mamão
Atualmente, as doenças crônicas representam a principal Antioxidantes que
causa de mortalidade e incapacidade no mundo inteiro, diminuem o risco de câncer Vinho tinto, suco
principalmente doenças cardiovasculares, diabetes, Flavonoides
e de doenças natural de uva
obesidade, câncer e doenças respiratórias. Gradativamente, o cardiovasculares
problema afeta as populações dos países desenvolvidos e em
Redução dos níveis de
desenvolvimento. Isso é reflexo das grandes mudanças que
colesterol sanguíneo e do
vêm ocorrendo no estilo de vida das pessoas no mundo, Isoflavonas Soja
risco de doenças
sobretudo nos hábitos alimentares e nos níveis de atividade
cardiovasculares
física. A nova rotina adotada pelas pessoas é fruto dos
Redução do risco ao câncer Frutas, legumes,
processos de industrialização, urbanização, desenvolvimento
Fibras de intestino e dos níveis de verduras e cereais
econômico e crescente globalização do mercado de alimentos.
colesterol sanguíneo integrais
É cientificamente comprovado que a mudança nos hábitos
alimentares e nos padrões dos níveis de atividade física pode Redução dos níveis de
influenciar fortemente vários fatores de risco na população, Ácido graxo colesterol sanguíneo e do Peixes, óleos de
como obesidade, hipertensão arterial, hipercolesterol e mais, ômega-3 risco de doenças peixes
alteração nos níveis de glicose sanguínea, entre outros. cardiovasculares
O que se percebe é que a dieta consumida está produzindo Ajudam no equilíbrio da
uma série de desequilíbrios nutricionais: consumo excessivo flora intestinal e inibem o Iogurtes, leite
Pró-bióticos
de gorduras saturadas e trans, alta ingestão de sódio e baixo crescimento de micro- fermentado
consumo de potássio, consumo excessivo de calorias, organismos patogênicos
diminuição da ingestão de alimentos ricos em carboidratos
complexos e em fibras, elevado consumo de açúcares Precisamos ter em mente que a alimentação normal deve
refinados e deficiência seletiva de algumas vitaminas e ser quantitativamente suficiente, qualitativamente completa,
minerais, conjuntamente com o excesso de consumo de além de harmoniosa em seus componentes e adequada à sua
bebidas, principalmente bebidas alcoólicas. finalidade e ao organismo a que se destina, para que se possa
A alimentação rica em frutas e verduras é essencial, assim obter saúde e consequentemente qualidade de vida.
como a prática de atividades físicas diárias são fundamentais
para a saúde, pois ambos os fatores podem controlar e reduzir
a pressão arterial, diminuir o percentual de gordura e
melhorar o metabolismo da glicose, entre muitos outros Relacionamento
benefícios. interpessoal
As frutas e verduras são essenciais para uma alimentação
saudável. Estudos afirmam que estes alimentos podem ajudar
a prevenir patologias importantes, como as doenças
cardiovasculares e certos tipos de câncer, principalmente do
trato digestivo. A baixa ingestão de frutas e verduras causa Relacionamento Interpessoal
19% do câncer gastrointestinal, 31% das cardiopatias
isquêmicas e 11% dos acidentes vasculares cerebrais. Cerca de Relacionamento interpessoal4 é um conceito do âmbito
2,7 milhões de óbitos podem ser atribuídos à baixa ingestão da sociologia e psicologia que significa uma relação entre duas
desses alimentos. ou mais pessoas. Este tipo de relacionamento é marcado pelo
Diversos mecanismos podem mediar esses efeitos contexto onde ele está inserido, podendo ser um contexto
protetores, envolvendo antioxidantes e micronutrientes, como familiar, escolar, de trabalho ou de comunidade.
os carotenoides, vitamina C, ácido fólico, fibras e substâncias
fotoquímicas, presentes nos alimentos funcionais. Os O relacionamento interpessoal implica uma relação
principais componentes desses alimentos que contribuem na social, ou seja, um conjunto de normas comportamentais
prevenção das doenças cardiovasculares são as isoflavonas que orientam as interações entre membros de uma
(soja), as lignanas e o ômega-3 (contidos nas sementes de sociedade. O conceito de relação social, da área da
linhaça), as beta-glucanas (aveia), a gordura monoinsaturada sociologia, foi estudado e desenvolvido por Max Weber.
e os agentes fenólicos (do azeite de oliva) e o resveratol
(oleaginosas, uva e vinho tinto). Estas e outras substâncias O conteúdo de um relacionamento interpessoal pode ser
bloqueiam ou suprimem a ação dos agentes cancerígenos, e de vários níveis e envolver diferentes sentimentos como o
como antioxidantes, evitam danos causados pela oxidação do amor, compaixão, amizade, etc. Um relacionamento deste tipo
DNA. também pode ser marcado por características e situações
Na tabela abaixo, estão descritos alguns exemplos de como competência, transações comerciais, inimizade, etc. Um
compostos presentes nos alimentos funcionais e seus relacionamento pode ser determinado e alterado de acordo
respectivos benefícios à saúde. com um conflito interpessoal, que surge de uma divergência
entre dois ou mais indivíduos.
Por outro lado, o conceito de relacionamento
intrapessoal é distinto mas não menos importante. Este

4 Relacionamento Interpessoal. Disponível em: IESDE BRASIL.Relações interpessoais e qualidade de vida no trabalho, 2016.
http://www.significados.com.br/relacionamento-interpessoal/. Acesso em 8 de BRONDANI , J. P. Relacionamento interpessoal e o trabalho em equipe: uma
abril de 2015. análise sobre a influência na qualidade de vida no trabalho. Porto Alegre, 2010.

Conhecimentos Específicos 15
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

conceito remete para a aptidão de uma pessoa de se Quem escolher desenvolver a competência interpessoal
relacionar com os seus próprios sentimentos e emoções e precisará estar disposto e disponível a entrar no processo de
é de elevada importância porque vai determinar como crescimento pessoal com a ajuda de um profissional: auto
cada pessoa age quando é confrontada com situações do percepção; autoconscientização; auto aceitação;
dia a dia. autoconhecimento; flexibilidade perceptiva e
comportamental; criatividade para soluções mais originais;
Para ter um relacionamento intrapessoal saudável, feedback e a dimensão afetiva.
um indivíduo deve exercitar áreas como a autoafirmação,
automotivação, autodomínio e autoconhecimento. Por conseguinte, o profissional que conseguir aliar a
competência interpessoal com a técnica demonstrará estar
Portanto, de acordo com Fela Moscovici (1998), mais preparado e fará a diferença para ingressar em um
competência interpessoal é a habilidade de lidar eficazmente ambiente de trabalho com valores, atitudes e conteúdos
com relações interpessoais, de lidar com outras pessoas de intelectuais e emocionais que contribuirão na relação com a
forma adequada às necessidades de cada um e às exigências da empresa, sua carreira, família e sociedade.
situação.
Relacionamento interpessoal no trabalho
Complementando, ainda temos que, segundo Argyris (1968), O processo de interação humana encontra-se presente nas
competência interpessoal é a habilidade de lidar eficazmente organizações, e a forma como se dão essas interações
com relações de acordo com três critérios: influencia os resultados de toda a empresa. Conviver com o
a) Percepção acurada da situação interpessoal, de suas outro não é uma tarefa fácil, e conviver com o outro no
variáveis relevantes e respectiva inter-relação. trabalho sem entender o comportamento de cada um é
b) Habilidade de resolver realmente os problemas, de tal praticamente impossível.
modo que não haja regressões. No contexto das organizações, o relacionamento
c) Soluções alcançadas de tal forma que as pessoas interpessoal é de extrema importância. Um relacionamento
envolvidas continuem trabalhando juntas tão eficientemente, interpessoal positivo contribui para um bom ambiente dentro
pelo menos, como quando começaram a resolver seus da empresa, o que pode resultar em um aumento da
problemas. produtividade e melhoria dos resultados, em geral.
No trabalho, esse relacionamento saudável entre duas ou
Alguns profissionais preocupados com o desenvolvimento mais pessoas é alcançado quando as pessoas conhecem a si
humano e organizacional começaram a perceber e valorizar a mesmas, quando são capazes de se colocar no lugar dos outros
importância de estudar e desenvolver as relações humanas e (demonstram empatia), quando expressam as suas opiniões
interpessoais para favorecer o aumento da produtividade, de forma clara e direta sem ofender o outro (assertividade),
eficácia e qualidade de vida dentro do ambiente de trabalho são cordiais e têm um sentido de ética. Isto, pode-se entender
em que, muitas das vezes, é o espaço no qual passam mais que um bom relacionamento interpessoal deriva de relações
tempo da sua vida. que respeitam a ética em primeiro lugar.
As relações interpessoais propagadas no ambiente de
O homem é um ser social e interage em diversos grupos, trabalho sofrem influências da estrutura organizacional e são
mas nem todo indivíduo consegue relacionar-se com as reguladas para alcançar eficiência e resultados. O ser humano
diferenças sociais e acaba, conscientemente ou não, procura incessantemente a felicidade, a realização de sonhos e
ocasionando problemas nas relações com ele mesmo ou com a a convivência pacífica e harmoniosa com o outro tanto dentro
empresa, família e sociedade em geral. quanto fora da organização. As relações de amizade e respeito
fortalecem o convívio entre as pessoas.
Segundo Nair Motta, “A natureza humana em si é comum a Se considerarmos essa interação de pessoas num ambiente
todas as pessoas, mas individualizada em cada pessoa, porque organizacional, temos que levar em consideração que as
cada um de nós tem estímulos e sentimentos diferentes, pessoas não funcionam como máquinas e que muitas vezes o
objetivos e experiências de vida que variam com o grau de comportamento é diferente do que se espera. Isso porque,
cultura do contexto histórico-social em que vivemos”. quando estamos em interação com outras pessoas, o
funcionamento de ser de cada um é afetado, alterando o que se
"O processo de interação humana é complexo e ocorre poderia chamar de “previsto ou esperado”.
permanentemente entre pessoas, sob forma de Segundo Moscovici (1994), nas empresas, a interação
comportamentos manifestos e não manifestos, verbais e não humana ocorre em dois níveis concomitantes e
verbais, pensamentos, sentimentos, reações mentais e/ou interdependentes. O nível da tarefa é o que podemos observar,
físico-corporais."(Fela, 2002) que é a execução das atividades individuais e em grupos. Já o
socioemocional refere-se às sensações, aos sentimentos que
Competência interpessoal é resultante de percepção são gerados pela convivência.
acurada realística das situações interpessoais e de habilidades Se esses sentimentos são positivos, o nível da tarefa é
específicas comportamentais que conduzem a consequências facilitado, gerando uma produtividade satisfatória. Se, ao
significativas no relacionamento duradouro e autêntico, contrário, o clima emocional não é satisfatório, a tarefa passa
satisfatório para as pessoas envolvidas. a sofrer os efeitos, que muitas vezes se manifestam com
interações de desagrado, antipatia, aversão etc. A interação
No momento em que o indivíduo faz parte de um socioemocional pode favorecer o resultado do trabalho e as
determinado grupo social, começa aprender, assimilar os seus relações interpessoais. Se os processos são construtivos, a
valores, códigos e regras básicas de relacionamento que colaboração e o afeto predominam, o que possibilita a coesão
poderão entrar em conflito com os seus valores já aprendidos, do grupo. Caso contrário, o grupo passa a ter conflitos
no primeiro grupo em que desenvolveu seu processo de internos.
socialização, dificultando a interação, a comunicação e a O que se observa é que para trabalhar bem, e em grupo, as
expressão de emoção. Contudo, se estiver disposto a trabalhar pessoas precisam possuir não apenas competências técnicas
a competência interpessoal, possivelmente, não terá para realizar suas funções, mas também competências
problemas no relacionamento. emocionais.

Conhecimentos Específicos 16
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Vemos que a realização eu-eu é fundamental na interação


com os outros; a forma como eu me vejo, minhas motivações, A raiva também está presente sob diversas formas, como
ideologia, influem em cada interação interpessoal. A harmonia por exemplo, a inveja do outro, de suas capacidades,
consigo mesmo, a auto aceitação e valorização, o bem-estar competência, disputa por cargos, causando até humilhação e
físico e mental, proporcionam um equilíbrio na relação com o auto piedade. A ironia é uma forma de raiva dissimulada, que
outro. Muitas vezes, as dificuldades que surgem na relação eu- agride, fere e magoa, assim como a hostilidade que começa
outro são causadas pelo não equilíbrio da relação eu-eu. com irritação, falta de cortesia e queixas e que aos poucos vai
Portanto, é fundamental o equilíbrio eu-eu, para que se possa crescendo chegando a transformar-se em ódio.
estar bem com os outros. Gerenciar pessoas é um grande desafio, mesmo nos
Numa organização, a presença de um líder habilidoso é tempos atuais de grandes avanços tecnológicos, conforme
muito importante nesse processo. Ele poderá conduzir sua SUCESSO (2002, p.114).
equipe para o sucesso e, se possui habilidades para lidar com Essas emoções causam sofrimento e precisam ser
as emoções e com a qualidade de vida, fará a diferença de trabalhadas para que as relações interpessoais tornem-se
forma positiva no seu grupo de trabalho. A qualidade de vida saudáveis melhorando a qualidade de vida no trabalho. Requer
no trabalho não decorre apenas de bons salários e planos de parceria, cooperação, polidez e respeito – virtudes derivadas
benefícios, mas do tratamento humano que valorize a do amor, (SUCESSO, 2002, p.153). Os líderes têm um grande
gentileza, a possibilidade de expressar os pontos de vista papel na mudança e manutenção das relações interpessoais,
divergentes, do respeito, do relacionamento sincero. No através de incentivos e medidas que tornem o clima positivo,
trabalho, os indivíduos apresentam sua maneira pessoal de que levem a satisfação do trabalho mantendo um diálogo
lidar com seus sentimentos e emoções, e essa maneira própria aberto e franco prevenindo conflitos.
entra em contato com outros indivíduos, que também O profissional de Recursos Humanos deve investir em
possuem sua maneira própria. Essas emoções entram em ações que fortaleçam o relacionamento interpessoal entre os
contato diariamente, criando uma atmosfera diferente em profissionais, e em parceria com as para enfrentar o mercado
cada setor, cada departamento, visto que cada local tem suas competitivo.
características próprias de conduzir seu trabalho, de discutir É um trabalho de aprendizado que requer determinação e
os problemas, e de como seus líderes lidam com as pessoas. O confiança. Mas dentro desta perspectiva é possível construir
que facilita ou dificulta essas relações são o autoconhecimento relações interpessoais saudáveis a partir do
e o conhecimento do outro, que fazem com que se amplie a autoconhecimento, de como ver o outro, suas qualidades,
compreensão de como as pessoas atuam no trabalho. empatia. Mudar o comportamento e alterar hábitos arraigados
exige disciplina, persistência e determinação e dependem
O indivíduo é dotado de sentimentos e emoções, necessita somente do próprio indivíduo, do valor que atribui à vida, da
amar e ser amado, compreender e ser compreendido, aceitar e autoestima e autoimagem, do engajamento profissional,
ser aceito pelo outro. Aprendendo a lidar com as diferenças e político e social.
sentindo que essa segurança afetiva pode levar a um equilíbrio
emocional e, consequentemente, a um ambiente de trabalho O afeto nas relações de trabalho é a emoção capaz de
saudável e produtivo. As relações interpessoais estão cada vez construir dias melhores nas organizações que requerem
mais sendo valorizadas no cenário tecnológico das coragem, leveza, consistência, rapidez, exatidão e
organizações. O capital humano faz a diferença, as pessoas é multiplicidade.
que são a vantagem competitiva das empresas, e o bem-estar
no ambiente de trabalho resulta em produtividade e Dificuldades do relacionamento interpessoal
resultados. Sucesso (2002) destaca algumas dificuldades mais
Sucesso (2002, p.27) relata que “O autoconhecimento e o observadas na dimensão interpessoal.
conhecimento do outro são componentes essenciais na
compreensão de como a pessoa atua no trabalho, a) Falta de objetivos pessoais: trata-se de pessoas que
dificultando ou facilitando as relações”. possuem dificuldades em traçar rumos para o seu futuro.
A autora aponta que as dificuldades encontradas são a falta Desanimam diante de obstáculos, e não se mostram criativas
de objetivos pessoais e dificuldade em priorizar e ouvir. para buscar soluções, sentem-se frustradas e, por isso, mudam
O envolvimento de todos na empresa desde o gestor que continuamente seu rumo. Nos processos de mudanças, são
saiba ouvir seus funcionários, que forneça feedback para seus levadas pelos outros, aguardando sempre as instruções.
subordinados. O funcionário que deve procurar seu Muitas vezes, trabalham em profissão que não gostam, mas
autoconhecimento, priorizar seus objetivos e também saber não apresentam atitudes para novos redirecionamentos. “Uma
ouvir o outro são ações que contribuem para que o ambiente professora de escola de primeiro grau participou de um
de trabalho seja saudável. programa de integração de equipes e se mostrou indignada
As emoções, inerentes ao indivíduo, inevitavelmente se com os baixos salários da sua categoria. Tendo participado de
fazem presentes nas relações de trabalho tanto positivas outro projeto, 10 anos depois, voltou a queixar-se da mesma
quanto negativas. situação. Estimulada a refletir sobre isso, percebeu as
De acordo com Sucesso (2002, p.95), “três emoções consequências paralisadoras da sua postura acomodada e da
primárias atuam sobre o comportamento: o medo, a ira e falta de estabelecimento de objetivos pessoais. Compreendeu
o afeto, que se apresentam de forma direta ou através de o tempo perdido, esperando que sua profissão fosse
disfarces ou máscaras”. valorizada. Constatou que poderia ter feito “dois cursos
superiores” nesse período, passando a atuar como professora
O medo é um entrave dentro das organizações, porque as (que é sua vocação), mas vinculada a uma universidade ou a
pessoas não demonstram essa emoção, o que fazem é outra instituição”.
disfarçar, em consequência disso tornam-se desmotivadas,
descrente de suas capacidades de inovar e criar. O medo b) Dificuldade em priorizar: muitas pessoas se queixam
aparece sob várias situações, como por exemplo, demissões da “falta de tempo”, para realizar suas tarefas. O que muitas
por atritos com gestores ou por enxugamento de quadro, vezes se percebe é a grande dificuldade em estabelecer
pressão, punição, levam a climas desagradáveis dentro das prioridades. Muitas vezes, acumulam-se tarefas, sem avaliar as
organizações, influenciando o comprometimento, a motivação reais possibilidades de executá-las, ou a dificuldade para dizer
e a confiança. “não”, propõem-se a fazer coisas que não é possível cumprir.

Conhecimentos Específicos 17
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Para realização das tarefas, saber administrar o tempo é olhares de surpresa e admiração, etc., podem constituir uma
fundamental. forma eficiente de assegurar que você está ouvindo.
Para ilustrar esse fato, segue o exemplo: “Convivemos com Frases como “compreendo...”, “e depois...”, “é
uma executiva que representa um modelo desse perfil. Sua interessante...”, são uma maneira de dizer que você está
vida pessoal demandava um esforço excessivo: tinha quatro interessado, querendo que ele prossiga seu discurso.
filhos e os levava pessoalmente à escola. Tinha Outra forma é dar sinais de que está compreendendo e
frequentemente dificuldades em manter uma empregada interpretando as emoções existentes no diálogo. Frases como
doméstica, devido ao trabalho adicional. Além do emprego que “você acha que...”, “o que pensa quanto a ...”, demonstram que
lhe absorvia oito horas diárias, praticava tênis, fazia yoga, se está sendo empático e disposto a considerar o ponto de vista
curso de atualização em língua inglesa. Estava constantemente do outro. O que é importante observar é que ouvir não é uma
atrasada para todos os compromissos. Sempre que lhe atitude passiva, e que pode ser ativo demonstrando respeito
sugeriam repensar suas prioridades e abrir mão de algumas pelo outro.
atividades, afirmava que tudo isso era essencial e não havia
como desistir de qualquer uma delas. Sua qualidade de vida Questões
era baixa, especialmente pela permanente tensão resultante
dos atrasos. Estimulada a refazer seu plano de vida e traçar 01. (UFES - Assistente em Administração – UFES) Com
prioridades, descobriu que sua busca de prazer em atividades relação ao relacionamento interpessoal, marque a alternativa
alternativas tornou-se uma obsessão e, um lugar de lazer, INCORRETA.
acabava gerando tensão e estresse. Decidiu tornar essas (A) Empatia significa a tendência de alguém sentir o que se
atividades eventuais, sem o compromisso de ‘cursos com dia e sentiria caso estivesse na situação e circunstâncias
hora marcados’, concentrando-se na sua atividade profissional experimentadas por outra pessoa.
e estabelecendo novos papéis e responsabilidades para os (B) Simpatia é a faculdade de compartilhar as alegrias ou
filhos, que vinham se tornando acomodados e sem iniciativa”. tristezas de outrem.
Vemos aqui claramente, nesse exemplo, o quanto pessoas (C) Comunicação é o processo de se relacionar com outras
têm dificuldades para priorizar o que realmente é importante, pessoas por meio de ideias, fatos, pensamentos, valores e
acabam com muitas atividades, de que normalmente não mensagens.
conseguem dar conta. (D) A comunicação apresenta um forte componente de
controle no comportamento da organização, dos grupos e das
c) Dificuldade em ouvir: a maioria dos conflitos acontece pessoas.
em virtude da dificuldade que temos em ouvir e compreender (E) A comunicação nas empresas, dentro dos grupos, não
o outro. Temos o hábito de julgar o outro a partir dos nossos pode ser utilizada para as pessoas expressarem seus
valores, esquecendo-se de respeitar as diferenças individuais. sentimentos de satisfação ou insatisfação.
A nossa dificuldade em ouvir o outro aumenta, principalmente
se temos pontos de vista diferentes. Muitos gerentes avaliam 02. (MPE/MA - Analista Ministerial - Administrador –
sua equipe a partir dos seus próprios paradigmas, da sua FCC) A respeito da Comunicação Interpessoal na empresa
maneira de ver o que é certo e errado, não acenando com a pode-se afirmar que
possibilidade de considerar o pensamento do outro, sem (A) é a relação da empresa, exclusivamente, com seu
querer ouvir o que as pessoas pensam. É fundamental que um público interno.
gestor queira saber o ponto de vista de sua equipe, perguntar (B) se realiza através do contato, mediado ou não, entre
antes de julgar, permitir que sejam dadas sugestões, criar duas ou mais pessoas que podem ter seus papéis de receptor e
espaços para que diferentes percepções possam vir à tona, emissor exercidos de modo recíproco
solicitar sempre que possível a participação de todos. (C) é um recurso de grande importância, mas não atinge o
A maioria dos exemplos de grandes corporações aponta status de recurso estratégico de gestão, pois pouco tem a ver
para resolução de inúmeros problemas, o saber ouvir, dar com a coesão do funcionamento da organização.
espaço para que as pessoas que contribuem com seu trabalho (D) se realiza somente quando uma área, divisão ou
possam trazer soluções para o dia a dia. unidade relaciona-se com outra para a transmissão de dados
ou troca de informações.
Saber ouvir (E) se utiliza apenas de canais informais de comunicação.

Saber ouvir é considerado uma das maiores habilidades 03. (CONAB - Assistente Administrativo – IADES/2014)
humanas, isso implica dar àquele que fala sua atenção, somada Para um bom relacionamento interpessoal, é necessário que
à capacidade de compreensão. haja confiança entre as partes. Acerca desse tema, assinale a
Muitas razões estão envolvidas no ato de ouvir, são elas: alternativa que descreve corretamente um dos elementos da
desejo de obter informação; curiosidade em receber uma confiança interpessoal.
resposta; interesse em participar da história de outro ser (A) Contratual: respeito às habilidades e aos
humano; necessidade de estabelecer novos relacionamentos; conhecimentos dos demais.
respeito e desejo de valorização da pessoa do outro. (MACKAY, (B) Coragem: atitude em favor da autonomia dos demais,
2002, p. 10) da delegação de responsabilidades, da expressão de valores e
da assunção de adversidades.
Para ouvir efetivamente, não basta apenas estar atento, (C) Comunicação: compreensão entre os indivíduos a
mas perceber também a voz de quem fala, a escolha das respeito de tudo aquilo que as partes farão e esperarão das
palavras, o tom e ritmo, a linguagem corporal, enfim, é muito demais.
mais do que ficar passivamente deixando o som entrar pelos (D) Convicção: envolvimento no desejo do
ouvidos. compartilhamento de informações.
É uma das melhores formas de mostrar respeito pelo (E) Compaixão: consciência do que é realmente
outro. Existem algumas maneiras de demonstrar à pessoa que significativo na manutenção de acordos e na coerência entre o
fala que se está efetivamente ouvindo. discurso e a prática.
Fazer perguntas pode demonstrar o quanto você está
atento e encorajar aquele que fala. Alguns sinais como sorriso,

Conhecimentos Específicos 18
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

04. (ELETROBRAS - Leiturista – IADES/2015) A respeito Para os antigos filósofos judeus, a circuncisão garantiria
da comunicação e do relacionamento interpessoal, assinale a uma maior higiene ao órgão genital masculino, evitando uma
alternativa correta. série de doenças. Para os judeus, a circuncisão tem
(A) Relacionamento interpessoal não pode ser importância religiosa. Para os mulçumanos, ela significa uma
considerado como fator diferencial no atendimento ao cliente. purificação corporal. Entretanto, seja por imposições
(B) O estilo relacional passivo é observado por meio de religiosas, seja por consequência de mudanças culturais, as
comportamentos de ataque contra as pessoas e diante de práticas de higiene alteram-se com o passar do tempo. Hoje em
certos acontecimentos. dia, povos que não praticam a circuncisão não são julgados
(C) O estilo agressivo não abrange as relações menos higiênicos por isso. Assim, o conceito de higiene vem
interpessoais, pois esquiva-se dos encontros e não se envolve mudando ao longo da história da humanidade.
diretamente com as pessoas nem nos acontecimentos. Na sociedade ocidental, há muitos séculos, as normas de
(D) O estilo assertivo ou auto afirmativo passivo afasta-se limpeza e higiene vêm sendo modificadas. Nas casas dos ricos
ou submete-se; não age. Torna-se geralmente uma pessoa da Roma antiga havia água corrente e banheiros com
ansiosa, que apresenta dores de cabeça com frequência e sofre chuveiros.
de insônias. A partir da queda do Império Romano, a Europa tornou-se
(E) O estudo dos relacionamentos interpessoais está imunda, pois o sistema sanitário que aquela civilização havia
diretamente ligado ao estudo da comunicação eficaz, uma vez construído foi destruído pelos invasores bárbaros. Na Idade
que, para se fazer uso das ferramentas disponibilizadas por Média, até os reis usavam a água de poço e só lavavam as mãos
esse estudo, é necessário conhecer o outro. e o rosto. Havia uma enorme quantidade de pulgas e piolhos.
Em 1347, pulgas contaminadas chegaram ao Sul da Itália,
05. (TRT - 3ª Região/MG - Analista Judiciário - Área mais precisamente na Sicília, agarradas nos pelos dos ratos.
Administrativa – FCC) Competência interpessoal é a Elas se espalharam de tal forma que, em poucas semanas, se
habilidade de estima que 25 por cento da população local contraiu peste
(A) utilizar o poder do conhecimento para fazer as pessoas bubônica.
se comportarem de acordo com os seus objetivos. A partir daí, por causa das péssimas condições de higiene,
(B) separar claramente os aspectos emocionais dos a peste passou rapidamente para o continente e devastou a
aspectos técnicos nos conflitos interpessoais, procurando Europa no século XIV.
neutralizar os primeiros e ressaltar os segundos. Nessa época, o verão europeu era marcante por causa dos
(C) resolver os conflitos de percepção interpessoais cheiros fortes que envolviam cidades e vilarejos sem esgotos.
utilizando técnicas de brainstorming. Os franceses combatiam essa cheiro ruim, não com banhos ou
(D) envolver todos no processo de decisão por meio de lavagens das ruas, mas com perfumes fortes. Até hoje os
processos de gestão participativa. franceses são famosos por seus perfumes, no entanto a origem
(E) desenvolver acurada percepção da situação, de suas dessa fama não é tão bacana assim.
variáveis relevantes e suas respectivas inter-relações. Na Idade Média, um jarro servia para lavar as mãos à mesa.
Ainda não existiam os talheres, mas, mesmo assim, as pessoas
Respostas civilizadas tinham que higienizar as mãos. Os médicos da Idade
Média diziam que era suficiente, para a limpeza corporal, a
01. Resposta: E lavagem das mãos e do corpo. A preocupação das pessoas era
02. Resposta: B manter asseado o que fosse visível. A atenção e a hospitalidade
03. Resposta: B de quem recebia uma pessoa em sua casa era demonstrada
04. Resposta: E quando o dono da casa oferecia água para as mãos do visitante.
05. Resposta: E Havia, no período medieval, muitos mitos e fantasias a
respeito da limpeza, da higiene e da saúde. Nem aristocratas
nem pobres gostavam de tomar banho. Uma rainha da
Espanha, Isabella, orgulhava-se do fato de ter tomado apenas
Cuidados pessoais no dois banhos na vida, um ao nascer e outro no dia de seu
trabalho casamento.
Raramente, a população trocava de roupa. Pessoas
refinadas usavam óleos perfumados de rosa e madressilva.
Para ter um bom hálito, era comum que as pessoas mascassem
Higiene e cuidados pessoais. canela e erva-doce, entre outras.
Nos séculos XVI e XVII, considerava-se que a água era capaz
Higiene é uma palavra que veio da Grécia. Vem de de penetrar no corpo das pessoas e causar doenças.
hygeinos, que significa, em grego, “o que é são”, “o que é sadio”. A água quente, ainda por cima, era apontada como capaz
Antes, em sua origem, era um adjetivo usado para qualificar a de enfraquecer o organismo, abrindo os poros para a entrada
saúde. de ar doentio e impedindo o crescimento das crianças. A
As pessoas deviam ter uma “saúde higiênica”. Depois, a rainha Elizabeth I, da Inglaterra, tomava um banho a cada três
palavra virou um substantivo, um conjunto de hábitos que se meses e era considerada uma mulher de hábitos estranhos.
deve ter para conseguir o bem-estar e a saúde. Luís XIII, da França, tomou seu primeiro banho aos sete anos
A palavra higiene pode ser também entendida como a de idade.
limpeza corporal, o asseio. Pode denominar, ainda, uma parte Nessa época, a população de seu país tomava, em média,
da medicina que busca preservar a saúde, estabelecendo um banho por ano.
normas e recomendações para prevenir as doenças. No século XVII, até mesmo os critérios de limpeza eram
Algumas práticas religiosas muito antigas têm relação com definidos pelos livros sobre boas maneiras. Não era um caso
a higiene e com a saúde. A circuncisão, por exemplo, teria de higiene pessoal, como entendemos hoje. De acordo com as
surgido na África há mais de 5 mil anos. Essa retirada cirúrgica posses das pessoas, as bacias e os jarros de lavar as mãos eram
do prepúcio é, até mesmo, relatada pela Bíblia. A circuncisão já feitos de determinado material. Tanto poderiam ser feitos de
era conhecida e praticada na época de Abraão e, ainda hoje, simples barro cozido, como de porcelana, prata, estanho e até
meninos judeus e muçulmanos do mundo inteiro são de ouro.
circuncidados.

Conhecimentos Específicos 19
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Como já foi dito, nesse período, os franceses já eram Higiene e educação


famosos pelos seus fortes perfumes. Luiz XIV, o Rei-Sol, por
conta disso, disfarçou com perfumes a falta de banho. Ele adiou As doenças causadas pela água de má qualidade matam
o máximo que pode o seu primeiro banho. Os nobres, em vez uma criança a cada 15 segundos. Quem nos dá essa má notícia
de banharem-se, preferiam trocar de roupas, mais de uma vez é o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), uma
por dia. Quem vivesse no século XVIII, além de tomar banho agência das Nações Unidas que busca promover a defesa dos
muito raramente, tinha que colocar pó-de-arroz nos cabelos, direitos das crianças em 158 países e é a única organização
em vez de lavá-los com água e sabão. Além disso, andavam pela mundial que se dedica especificamente às crianças. Por isso
rua aos saltos, para evitar pisar nos excrementos. mesmo, torna-se preocupante quando o Unicef afirma que
Como a Europa, em geral, até o século XIX, tinha esses seus essas doenças que chegam pela água estão associadas a muitas
costumes, eles chegaram ao Brasil com os portugueses. Mas, outras e, também, à má nutrição.
aqui, a história foi diferente. Nossos colonizadores foram, aos Sem água de qualidade para consumo e sem acesso a
poucos, adotando o banho, influenciados pelos índios. Nossos instalações sanitárias mínimas, as diarreias comuns afetam as
antepassados indígenas tomavam banho diariamente e, crianças menores de 5 anos das comunidades carentes em
muitas vezes, mais de uma vez por dia. Eles utilizavam os rios, todo o mundo. Diariamente, mais do que a maioria das
os lagos e as cachoeiras para seus banhos e, mesmo assim, não doenças, essas diarreias matam muitas crianças. Elas são a
ficavam doentes. Ao contrário dos portugueses da época, sujos segunda causa da mortalidade infantil no planeta, causando a
e malcheirosos, os índios eram fortes, saudáveis e asseados. O morte de aproximadamente 4.500 crianças por dia.
banho, até mesmo, está presente em muitos rituais religiosos A qualidade da educação é profundamente ligada à
dos índios brasileiros. disponibilidade de água potável, por conta da importância da
Em muitas cidades brasileiras, no século XIX, já havia o higiene. As doenças consomem energia das crianças e,
banho quente. Nas casas, o pessoal utilizava a bacia com água consequentemente, diminuem fortemente sua capacidade de
quente para o banho, lavando o rosto e a cabeça, primeiro. aprendizagem. A falta de instalações sanitárias adequadas nas
Sentados, em seguida, lavavam o tronco. Em pé, escolas é um obstáculo a mais para crianças que buscam
novamente, lavavam pernas e pés. E, assim, completavam um escapar da pobreza. Por causa de doenças que podem até levar
ritual que já era uma preocupação com a higiene pessoal muito à morte, as comunidades pobres diminuem a perspectiva de
superior à de seus antepassados. construírem um futuro melhor para seus filhos, mesmo
No início do século XX, banheiro dentro de casa era luxo de matriculando- os em escolas. Daí a importância de não
ricos. Somente a partir de 1920 houve uma melhoria, com a somente os prédios escolares serem higiênicos e servidos por
utilização de encanamentos para os esgotos. A partir de então, água potável, como também de a proposta pedagógica incluir
as pessoas preocupadas com a higiene passaram a incluir os a educação ambiental e sanitária dos estudantes, com extensão
banheiros de madeira nos lares. Depois vieram os banheiros às suas famílias e residências.
construídos com ladrilhos de cerâmica e o ferro fundido Caso contrário, o subdesenvolvimento torna-se crônico.
esmaltado. Na década de 1930 surgiram os conjuntos Isso quer dizer que essa pobreza é uma consequência do fato
coloridos de pia, privada e bidê. Na década de 1950 passou-se de que as crianças continuarão morrendo cedo, crescendo
a utilizar o plástico. fracas. As péssimas condições dos países em desenvolvimento
Tanto nas residências, quanto nos prédios públicos, e fazem com que os dias “perdidos” na escola e no trabalho
especialmente nas escolas, as instalações hidráulicas e representem uma perda de produtividade anual de bilhões de
sanitárias deveriam ser capazes de fazer, com qualidade, a dólares. Nos países da América Latina existem imensas
distribuição da água e do esgotamento dos dejetos. E você sabe desigualdades nos serviços de água e saneamento. É possível
que não são poucas as escolas que possuem instalações constatar essas desigualdades tanto entre as regiões de cada
sanitárias depredadas e maltratadas. Aqui entre nós, não é país, quanto entre os vários países da região. Os serviços de
verdade que, quando chega uma visita na escola, evitamos que água e saneamento são muito piores para as crianças nas áreas
ela utilize os banheiros de alunos? rurais do que para as que vivem nas cidades. Em toda a região,
Por isso mesmo, os hábitos de limpeza do povo de nosso a pobreza e a exclusão social significam que os grupos
país não podem ser considerados tão bons. Tomamos uma indígenas e minoritários são privados, em muito maior escala,
grande quantidade de banhos por ano. Consumimos muito do seu direito a estes serviços. A saúde, conforme é entendida
sabonete e xampu. O brasileiro é considerado um dos povos pela Organização Mundial de Saúde (OMS), é um estado de
mais limpos do mundo. Contudo, urinar em locais públicos, completo bem-estar. Isso significa estar bem nos aspectos
como praças, ruas e calçadas, não pode ser considerado um físico, mental e social. Em outras palavras, saúde não é apenas
bom hábito. Muito menos entupir vasos sanitários e cestos de a ausência de doenças e, sim, um bem que pertence ao
lixo com papel higiênico. E o nosso povo ainda tem hábitos indivíduo e à coletividade. É, também, relacionada com a
ruins como esses. qualidade de vida da sua comunidade e de sua família. A
Nossa gente, como se diz, também não é muito chegada a legislação brasileira deixa claro que a saúde é um direito de
escovar bem os dentes. Até a turma da classe média, com todos e um dever do Estado (Constituição Federal, artigo 196),
recursos para comprar os melhores produtos, não sabe usar a ser garantida por meio de políticas sociais e econômicas.
corretamente as escovas de dente. Usa a pasta de dentes por Indiretamente, portanto, a legislação está falando da higiene e
poucos segundos e é só. Todavia, os dentistas consideram ideal da educação. A educação deve ser um fator de promoção e
um tempo mínimo de um minuto e meio de escovação bem proteção à saúde, bem como estimular a criação de estratégias
feita. E isso não é a mesma coisa que fazer movimentos para a conquista dos direitos de cidadania. Sendo assim, a
bagunçados com a escova só para criar espuma, perfumar a escola deve ajudar a capacitar os indivíduos para uma vida
boca e fazer “aaaahhhh!”. mais saudável. A educação não deve se limitar a apenas
Lavar as mãos após ir ao banheiro é um hábito que muita informar, pois somente se tornará efetiva quando promover
gente não tem. No Brasil, com tanta abundância de água, até mudanças de comportamentos. A comunidade escolar não
nos hospitais e nos postos de saúde existe uma deficiência na deve apenas contribuir para que os alunos adquiram
higiene. Algumas pesquisas estimam que apenas de 10 a 15 conhecimentos relacionados com a saúde. Uma coisa séria
por cento dos funcionários desses locais lavam as mãos ensinar higiene e saúde. Outra coisa é agir no sentido de que
adequadamente antes de executar suas tarefas. O brasileiro, todos os que estão no ambiente escolar adquiram, reforcem ou
em geral, ao lavar as mãos com água e sabão, tem pressa, melhorem hábitos, atitudes e conhecimentos relacionados
mesmo depois de ir ao banheiro. com higiene e saúde. A comunidade escolar deve discutir a

Conhecimentos Específicos 20
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

relação entre higiene, saúde e condição de vida. Como é um funcionários e toda a comunidade são influenciados pelo
direito da população viver em condições adequadas de higiene exemplo da escola. Contudo, para que sejam obtidos bons
e saúde, a educação deve ser capaz de alterar os hábitos e os resultados é preciso mudar hábitos, dando prioridades à
comportamentos dos cidadãos. A prática educativa deve combinação de educação, à higiene e ao saneamento. Para isso,
abranger toda a comunidade escolar, uma vez que devemos a disponibilidade e a manutenção dos equipamentos escolares
estar em condições de reivindicar nossos direitos. É preciso são essenciais. Um bom programa de saneamento e higiene
aumentar a competência dos indivíduos para tomar decisões escolar deve incluir o uso e a manutenção adequada das
em todos os setores em que a participação das comunidades é instalações, assim como a melhoria das instalações sanitárias.
fundamental. A comunidade escolar deve ser preparada para Isso implica a incorporação dos funcionários na definição de
discutir as relações entre saúde, higiene e alimentação, metas a serem atingidas, na elaboração de atividades a serem
levando em consideração as condições de vida e os direitos dos executadas, na implementação e na manutenção do programa.
cidadãos. Feita de maneira crítica e contextualizada, a difusão Especial cuidado se deve ter com a correta destinação do lixo
dos conhecimentos sobre esse tema beneficia toda a produzido na escola. O ideal é a coleta seletiva, diária no caso
comunidade. Uma pesquisa realizada pela Escola Superior de dos “orgânicos”. O entorno da escola deve ser conservado
Agricultura “Luiz de Queiroz” (USP/Esalq), em Piracicaba, SP, limpo, como exemplo para a comunidade. “Xô mato, xô
no intuito de levantar dados quanto à aceitação da merenda entulho!”
escolar que é oferecida aos alunos mostrou resultados
interessantes. Aproximadamente 33,6% dos escolares da Higiene no trabalho do funcionário
amostra pertencem a famílias cuja renda familiar per capita
não atinge o salário-mínimo. Mas, mesmo entre os alunos que As ações que praticamos para manter a saúde física e
participam do programa, 66,2% declararam rejeitar alguns mental e prevenir doenças formam, em seu conjunto, aquilo
pratos e, em geral, os estudantes optam pela refeição gratuita que, de modo simplificado, se pode chamar de higiene. Desse
somente quando são atendidos em suas preferências. Os modo, falar sobre os hábitos higiênicos do funcionário em seu
motivos mais citados para a recusa da merenda escolar foram: ambiente de trabalho é, com certeza, falar sobre os hábitos de
“não gosto” (40,1%), “não tenho vontade/fome” (30,4%), higiene pessoal do indivíduo. Qualquer trabalhador é, também,
“trago lanche de casa” (5,5%), “compro lanche na cantina” cidadão. Não porque more em uma cidade, mas porque ele
(6,3%) e “tenho nojo” (5,9%). À primeira vista, parece que possui direitos e deveres que são definidos pelas leis do seu
somente a resposta “tenho nojo” tem a ver com higiene. Mas, país. Conforme já foi dito aqui, a saúde é um estado de
pensando bem, podemos considerar bem provável que muitos completo bem-estar, ou seja, estar bem nos aspectos físico,
alunos que responderam “não gosto”, “trago lanche de casa” ou mental e social. Ao contrário do que muita gente pensa, a saúde
“compro lanche na cantina” talvez façam esse tipo de escolha é um bem que pertence ao indivíduo e à coletividade,
por causa da higiene também. E, certamente, por motivos de fundamentalmente ligada à qualidade de vida das
falta de educação alimentar e de planejamento científico dos comunidades e das famílias. O direito constitucional à saúde
cardápios. Ainda mais que 25% dos alunos reclamaram das deve ser garantido ao cidadão, mas, também, pelo cidadão.
características do refeitório e 20% rejeitam talheres, copos e Portanto, se, por um lado, cada brasileiro tem garantido seu
canecas, feitos de plástico, que são criticados (22%) por conta direito à saúde no texto da nossa Constituição, que deve ser
do cheiro que apresentam com o passar do tempo. Os pratos, materializado por meio de boas políticas sociais e econômicas,
feitos de polipropileno, foram rejeitados por cerca de 60% dos por outro lado, ele, cidadão brasileiro, deve fazer sua par - te.
entrevistados e 13,4% condenaram as condições de higiene do É isso mesmo, pois a higiene pessoal é uma contribuição do
refeitório. A maioria dos alunos declarou que adquire indivíduo para o bem-estar da família, da coletividade e da
alimentos na cantina mesmo quando consomem a merenda. sociedade como um todo.
A higiene alimentar protege os alimentos contra Muitos micro-organismos habitam nosso corpo. Uns são
contaminações que podem ser ocasionadas por organismos úteis para a nossa saúde, outros são nocivos. É possível que
minúsculos, como as bactérias e as substâncias químicas alguns que são úteis passem a ser nocivos, dependendo das
tóxicas ou venenosas. Os cuidados no preparo dos alimentos – condições internas e externas ao nosso organismo. O contrário
lavagem cuidadosa e cozimento adequado, por exemplo – são também é possível. Tudo depende da manutenção de um
capazes de eliminar organismos causadores de doenças sérias. equilíbrio entre a mente e o corpo. Por isso, é necessário dar
Por isso mesmo, quem manipula alimentos deve se especial atenção às boas práticas de higiene e ao bom
preocupar muito com a higiene. E estamos falando, também, comportamento pessoal, pois, desse modo, estaremos
da higiene pessoal. Afinal, as bactérias podem chegar aos cuidando do nosso interior e do nosso exterior. Afinal, sempre
alimentos por meio de mãos, braços, rosto e cabelos mal faremos parte do mundo exterior de outras pessoas.
lavados. Essas pessoas devem conhecer muito bem os Para que possamos fazer a nossa parte, devemos:
procedimentos de higiene alimentar e de higiene pessoal, além - usar sempre roupas limpas: você não imagina quantos
das causas e das consequências de uma intoxicação alimentar. microrganismos nocivos uma vestimenta de qualquer
Devem, acima de tudo, ter consciência da sua responsabilidade natureza pode carregar. Recentemente, em um programa de
com uma permanente busca de um perfeito manuseio dos TV, uma reportagem alertou os espectadores quanto ao perigo
alimentos. representado pelo hábito que muitos profissionais da saúde
A falta de higiene em um estabelecimento de ensino pode têm de sair do hospital usando o mesmo jaleco com o qual
causar a interdição da cantina e, consequentemente, a trabalham. A reportagem mostrou que aquela peça do
demissão de funcionários do estabelecimento. A lei permite uniforme profissional pode carregar microrganismos
que sejam aplicadas multas pesadas para os proprietários e altamente nocivos à saúde. A coisa é tão séria que o governo
prevê o pagamento de indenizações às vítimas. Sempre é bom britânico vai proibir os médicos do Reino Unido de usarem
lembrar que a propagação de epidemias pode ser facilitada jalecos de manga comprida, gravatas, relógios e joias. O
pela falta de higiene e a escola não é uma exceção. Ao contrário, programa mostrou que, na prática, bactérias e outros agentes
pelas aglomerações comuns nos pátios e nas salas de aulas, a microscópicos de doenças pegam “carona” na roupa,
falta de cuidados com a higiene pessoal, alimentar e das principalmente nas mangas e nos bolsos do jaleco. O mau
instalações escolares pode ajudar uma doença a espalhar-se. hábito pode fazer com que doenças cheguem tanto da rua para
Pode causar, até mesmo, mortes na escola e fora dela. A escola os pacientes do hospital quanto do hospital para pessoas fora
que possui condições sanitárias adequadas torna-se um dele. Você pode pensar: “Ah, mas isso é no hospital, onde há
modelo para os alunos. E não só para eles. Professores, muita gente que já está fraquinha e, por isso, vulnerável às

Conhecimentos Específicos 21
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

infecções”. E, na escola, na sua casa, no ônibus, nas calçadas, inflamações, irritações e até enfraquecimento das unhas e
nos elevadores, nos shoppings? Será que você tem condição de deformidades.
saber quando alguém está mais frágil, a ponto de pegar uma - tomar banho diariamente: já falamos sobre o hábito do
doença transmitida por um microrganismo que você carrega banho, em um capítulo anterior. Vimos que os nobres
na sua roupa? Lembre-se que existem bactérias muito europeus preferiam encharcar-se de perfume a tomar banho e
resistentes a antibióticos, capazes de causar otites, faringites que, naquela época, as pessoas acreditavam que a água
ou até pneumonia. E elas podem estar nas suas roupas! amolecia nosso corpo, provocando doenças e atrapalhando o
-usar calçados adequados: isso depende da função que o crescimento das crianças e dos jovens. Para muitos, era um
profissional exerce. Para aqueles que manipulam alimentos, único banho por ano! No Brasil, dizem os historiadores, o rei
por exemplo, é importantíssimo o asseio e os bons hábitos de dom João VI, pai de dom Pedro I, só concordou em tomar banho
higiene. Eles devem sempre estar com uniforme de cor clara, depois que teve uma ferida inflamada na perna, e o médico real
proteção na cabeça, unhas aparadas e sem esmalte, sem o convenceu a se banhar ou não ficaria curado
relógios, sem pulseiras e, entre outras coisas, usando calçados Nossa pele é uma barreira natural à entrada de micro-
fechados. Porém, essa prática pode causar problemas quanto organismos no corpo. A camada mais externa da pele, a
à higiene dos pés. Isso porque, com o uso prolongado de epiderme, funciona como se fosse uma capa. As células que a
calçados fechados, a umidade e o calor podem contribuir para formam são cobertas por uma camada da substância
o surgimento de microrganismos nocivos, principalmente denominada queratina, que não deixa passar água para o lado
fungos, causadores das frieiras e micoses. O pé precisa de dentro. Os poros são pequenos buraquinhos por onde sai o
respirar. O popular chulé, que os médicos chamam de suor. As glândulas sebáceas estão na base dos nossos pelos e
bromidrose plantar, é causado pelo suor excessivo na planta recobrem toda a superfície do corpo, exceto a palma da mão e
dos pés e agravado pela falta de higiene. Os adolescentes a sola dos pés. Nossa pele é trocada, diariamente, sendo que
sofrem mais com o chulé, mas ele é democrático. Para chulé muitas células mortas devem ser eliminadas. Sobre nossa pele
não há diferença de sexo, idade, condição financeira ou grau de existem as bactérias comensais, isto é, bactérias que vivem
instrução. O excesso de suor nos pés pode estar relacionado conosco e, em geral, não causam doenças. Elas, ao contrário,
com doenças, como hipertireoidismo, diabetes e obesidade. não permitem que outros micro-organismos mais perigosos à
Muitas vezes, o chulé vem acompanhado de micoses, alergias saúde se agarrem na pele e, se forem poucas, podemos
e eczemas. Esse mau cheiro é o resultado da ação de bactérias adoecer.
que se alimentam do suor e de materiais que estão em cima da Quando não tomamos banho regularmente, permitimos
pele. Para ficar livre do chulé, é preciso lavar muito bem os pés que os resíduos naturais da pele se acumulem. Eles são
todos os dias e enxugá-los totalmente antes de colocar as provenientes do suor, do sebo e das células mortas. Nesse caso,
meias, que devem ser trocadas diariamente. Devemos secar os as bactérias comensais podem multiplicar-se descontrolada -
pés completamente, inclusive entre os dedos, e usar meias de mente. Quando isso acontece, nossa pele é danificada e passa a
algodão, pois elas não retêm o suor. E atenção: se não quiser ser permitida a entrada de bactérias mais nocivas em nosso
ter chulé, jamais use sapatos sem meias. Outra coisa: se o seu corpo. Dessa forma, abrem-se feridas na nossa pele,
calçado já tem chulé, danou-se! Quando o mau cheiro chega ao permitindo a entrada de micro-organismos indesejados.
calçado, é melhor livrar-se dele. Lave sempre seu calçado e Quando a gente começa a cheirar mal, pode ser que muitas
deixe-o secar totalmente, de preferência ao sol, pelo menos bactérias e restos de pele tenham se acumulado. Assim,
uma vez por mês. devemos tomar banho não apenas para ficar cheirosos, mas,
- manter as mãos sempre limpas e as unhas curtas: mãos principalmente, por questões de saúde.
sujas e unhas mal cuidadas transmitem doenças, como, por - cuidar da higiene bucal: a higiene bucal é a melhor forma
exemplo, verminoses. Verminoses são doenças causadas por de prevenção de cáries, inflamação nas gengivas, mau há - lito
vermes e protozoários. Esses visitantes indesejáveis e outros problemas na boca. Ela é necessária para que as
costumam entrar no nosso organismo e, pior, permanecer pessoas possam manter a saúde de seus dentes e boca. Os
durante todo o tempo, causando muitas doenças. A dentes, quando estão saudáveis, têm menos cáries, são limpos
contaminação ocorre de várias formas. As principais são a e não há quase nenhum depósito de placa bacteriana. As
ingestão de alimentos ou água contaminada e a penetração na gengivas saudáveis são rosas e firmes. Para que se possa
pele através de pequenos ferimentos. Unhas sujas e atingir um estado de saúde bucal adequada, a escovação dos
maltratadas são muito interessantes para esses sujeitos. O dentes deve ser frequente e cuidadosa. O uso de fio dental,
número de casos dessas doenças é sempre bem maior nas também, pois ele ajuda a prevenir o acúmulo das placas e do
áreas de baixas condições socioeconômicas e carência de tártaro, que podem ocasionar cáries. Ainda mais que, se a cárie
saneamento básico. Por isso, devemos exigir das autoridades aparecer, o tratamento pode custar caro. Os dentes devem ser
que essas deficiências sejam eliminadas. Porém, temos de, escovados no mínimo duas vezes por dia, de preferência
mais uma vez, fazer a nossa parte. Devemos lavar bem as mãos sempre depois das refeições e antes de dormir. O uso da escova
sempre que usar o banheiro e antes das refeições. Conservar de dente é o meio mais eficaz e mais simples para a higiene
as mãos sempre limpas, as unhas aparadas e evitar colocar a bucal. A escova deve ser lavada em água corrente, cada vez que
mão na boca. Beber somente água filtrada ou fervida. Lavar for usada, e guardada em local limpo. Em geral, ela deve ser
bem os alimentos antes do preparo, principalmente aqueles trocada a cada dois ou três meses de uso, pois quando as
consumidos crus. Andar calçados, mantendo a casa e o terreno cerdas estão amassadas e tortas não alcançam seu objetivo,
em volta dela limpos, evitando a presença de moscas e outros que é limpar a superfície dos dentes e as gengivas Quando
insetos. Comer apenas carne bem passada. Não deixar as vamos escovar os dentes, não é necessário colocar uma grande
crianças brincarem em terrenos baldios, com lixo ou água quantidade de creme dental ou pasta de dentes. Isso só vai
poluída. Comer somente em lugares limpos e higiênicos. Tudo aumentar sua despesa, pois não é a pasta que limpa os dentes
isso e mais: o aspecto das unhas conta na apresentação de e, sim, a escova. A pasta apenas deixa na boca seu sabor e, na
qualquer pessoa, especialmente no caso das mulheres. Os maior parte dos casos, uma pequena quantidade de flúor. Esse
problemas que afetam as unhas e as cutículas, apesar de, na elemento químico ajuda a prevenir a formação de cáries.
maioria das vezes, não serem graves, provocam desconforto e O essencial não é o número de vezes que se escova os
preocupação, pois são indícios da falta de asseio, além de ser dentes. O importante é remover as placas bacterianas. Por isso,
um indicativo de como “anda” a saúde. Na ânsia de manter as uma higiene bucal bem feita só será conseguida quando
cutículas bem aparadas, muitas mulheres acabam exagerando dedicarmos cerca de 5 minutos para a escovação, com uma
no cuidado ou fazendo-o de maneira inadequada, causando escova em bom estado e fazendo do jeito que o dentista ensina.

Conhecimentos Específicos 22
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Resumindo, a higiene e a segurança no trabalho são duas condenar a gula e os rituais públicos ou solitários de
atividades intimamente relacionadas. Ambas têm como embriaguez. Um exemplo muito recente da construção do
objetivo proporcionar condições de trabalho capazes de conceito de segurança refere-se ao trato com os bebês.
manter os trabalhadores com um bom nível de saúde. Na onda de industrialização que tomou conta dos séculos
A partir de um ponto de vista não necessariamente médico, XIX e XX, inventaram- se os “leites artificiais”, como substitutos
a higiene no trabalho combate as doenças profissionais, mais científicos do leite materno e mais adequados ao preparo
identificando os fatores que podem afetar tanto o ambiente de de mamadeiras, a que as crianças poderiam ter acesso,
trabalho quanto o trabalhador, procurando eliminar ou independentemente da presença das mães. As consequências
reduzir os riscos. Já a segurança no trabalho, também de um dessa luta de forças entre a sede do lucro de empresas e a
ponto de vista não necessariamente médico, combate os conduta biologicamente correta, longamente preparada pela
acidentes de trabalho, eliminando as condições perigosas e evolução da natureza e da sociedade, evidenciaram-se com a
educando preventivamente os trabalhadores. “insegurança” da saúde dos bebês, ou seja, com o
aparecimento de doenças físicas e psicológicas causadas pela
falta do aleitamento materno. Hoje, quando as fábricas não
precisam tanto da força de trabalho das mulheres, e estas já
Segurança no trabalho podem planejar a geração de filhos, voltou-se a valorizar o
“equilíbrio de forças” que representa o aleitamento, fonte de
segurança muito mais eficiente que as fórmulas mais
sofisticadas dos leites em pó. Percebe-se, por esses exemplos,
Segurança no Trabalho que violência e segurança se constituem não somente em
conceitos articulados, como realidades que se vinculam
Segurança: construção histórica do conceito intimamente uma à outra. Ou seja: não há segurança onde há
violência. Não se constrói segurança jogando a violência “pra
O tema da segurança na escola, hoje mais presente que baixo do tapete”. Ilhas de segurança não educam. Impõe-se
nunca no cotidiano e na literatura especializada, tem íntima abrir os olhos para as violências, estruturais e conjunturais, se
relação com outro, que atormenta dia e noite nossa sociedade: se deseja segurança de verdade, a que a humanidade deu um
o da violência. Os noticiários de jornais e TV, as rodas de nome mais forte: paz.
conversas de todas as classes sociais parecem se ocupar cada Essas considerações são essenciais para introduzirmos no
vez mais com os registros e comentários sobre todo tipo de tema da violência e da segurança nas escolas. Segurança rima
violência e insegurança. Não somente fatos que descrevem com vigilância, prevenção e punição. Adiante comentaremos o
conflitos pessoais – homicídios, assaltos, suicídios, roubos, livro de Michel Foucault Vigiar e punir, muito relacionado à
furtos, estupros, brigas –, mas também acontecimentos mais “disciplina” nas escolas. No entanto, “pacificar” combina mais
amplos e que envolvem grupos, comunidades ou toda a com dialogar, exercer a diplomacia, a negociação, a mediação
sociedade. Além das guerras entre nações, guerrilhas por de conflitos. Uma segurança que convive, que se adapta, que se
motivos políticos, disputas sangrentas por posse de bens e conforma com as violências, é uma pseudo-segurança e não
influências e, ultimamente, violências construídas pela própria cabe num projeto educativo, embora possa fazer parte do
modernidade, como as decorrentes de abusos e infrações no processo de socialização. Assim como a construção de
trânsito, que, a cada dia, vitimam milhares de inocentes. A muralhas e fossos ao redor dos palácios só considerava as
escola, por se situar num espaço urbano cada vez mais ameaças militares externas ao mundo feudal e não enfrentava
populoso e conturbado, acaba sendo também uma vítima das a violência interna das desigualdades entre nobres e servos,
violências da sociedade. Mas ela também contém, em si também corremos o risco de erigir muros em volta de nossas
mesma, relações de força nem sempre harmônicas, que geram escolas para construir uma “ilha escolar de segurança”, sem
violências internas, contribuindo para comprometer a dialogar com as verdadeiras violências da comunidade e da
segurança que deveria ser uma de suas características básicas. sociedade para as quais educamos as crianças e os
Nesta unidade do módulo, vamos aprofundar os conceitos de adolescentes.
segurança e de violência, na perspectiva histórica e filosófica, Antes de aprofundarmos o tema das violências na
a fim de termos uma fundamentação suficiente para construir sociedade atual e nas comunidades onde estão nossas escolas,
o tecido do espaço educativo no mundo real e na perspectiva vamos conhecer um pouco as ideias de um grande filósofo
da mudança social que necessariamente implica todo projeto inglês, Thomas Hobbes, que resumiu com rara perspicácia o
de educação. pensamento ocidental sobre a segurança. Sua obra prima é
Na natureza já se observam “desequilíbrios” de forças, com Leviatã, ou matéria, forma e poder de um Estado eclesiástico e
efeitos destrutivos: as águas impetuosas de uma enchente ou civil, escrita em 1651. Parte ele da constatação de que as
das ondas do mar, o ímpeto dos vendavais, o perigo dos raios. pessoas, embora egoístas e egocêntricas, se sentem inseguras
Diante desses obstáculos à sua segurança, o homem defende- diante do poder e da força física e militar superior às suas.
se, domina e disciplina a natureza. Construiu muros e redes de Assim, acuadas pelo medo e cansadas de se defender e sofrer,
captação de águas pluviais, diques, canais; inventou moinhos elas renunciam à liberdade individual e celebram um “contrato
de vento, caravelas, estruturas de aço e de cimento armado, até social”, submetendo-se a uma autoridade supostamente acima
mesmo para-raios. No interior do corpo humano, localizou dos contendores: o Estado. Este Estado, “soberano, surgido das
forças destrutivas, como bactérias, vírus e corpos estranhos, fontes profundas do Medo, para prover a segurança individual
combatidos pelos medicamentos, pelos raios X, pelas cirurgias. e coletiva na Terra” – nas palavras de uma alta patente militar
Contra essas violências biológicas, construiu uma segurança do Brasil, o general Golbery do Couto e Silva [chefe do Serviço
de saúde, no contexto da “seguridade social”. Nacional de Informação (SNI) e ideólogo da doutrina da
Até na relação mais íntima da natureza com o corpo “segurança nacional” ao tempo da Ditadura] − exerce seu
humano – a alimentação − na ingestão de minerais, vegetais e poder de controle e repressão e se justifica como dono da
animais, cercou-se o homem de cuidados cada vez maiores, doutrina e da ciência, inclusive na forma do despotismo e da
traduzi - dos hoje no que se chama de “segurança alimentar”. Monarquia. Somente a unidade e a concentração do poder
Tanto o exagero na comida, quanto a imoderação no consumo garantiriam a paz e a segurança. Esta é a essência da doutrina
de bebidas alcoólicas são consideradas violências, porque nos liberal sobre a segurança.
rendemos a forças destrutivas da integridade de nosso corpo: A fonte do atual pensamento, das teorias avançadas sobre
daí o julgamento imemorial de todas as sociedades em estes temas não é mais a sensação do medo, porém a afirmação

Conhecimentos Específicos 23
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

dos direitos. Direitos individuais, direitos civis e direitos intitulada “Do cão de guarda à garantia da lei”, eles colocam
sociais, que já estudamos em módulos anteriores e aqui uma proposta provocativa. É preciso partir não da disciplina
rapidamente recordamos. da caserna, do quartel, mas da disciplina da “feira-livre”, do
Você está lembrado das três fases da educação escolar mercado público. Não se trata de punir os infratores ou
brasileira, a elitista, a seletiva e a democrática? A primeira “aguentar” sua violência no cotidiano da escola, mas de os
concepção de segurança é anterior a Hobbes, a simples prática educadores se disporem a uma postura de aprendizagem com
da dominação do mais forte, da elite senhorial, à qual se aliara a realidade, de descoberta de novas condutas, de formação. No
a igreja. A segunda concepção é a liberal, do contrato social, livro, escrito para professores, mas perfeitamente adequado
que coincide com a educação também liberal, dita “para todos”, aos funcionários comprometidos com a educação, os autores
mas seletiva e, ao final das contas, excludente da maioria. Já a constroem toda uma nova atitude, como se fosse um estágio de
terceira concepção é a segurança fundada nos direitos, aprendizado, uma experimentação do novo e não como se a
democrática como a educação hoje se propõe ser, na violência fosse um dado externo de que os educadores se
Constituição Federal e na Lei de Diretrizes e Bases (LDB), devem defender ou como se os estudantes violentos fossem
inclusiva a ponto de se adaptar às diferenças humanas, sejam “feras” a serem por eles domadas.
elas quais forem. Evidentemente, essa concepção democrática Passemos a considerar as depredações e o vandalismo.
de segurança, que considera a desigualdade entre as pessoas e “Vândalos” eram povos que invadiram os territórios ocupados
a negação dos direitos como violências fundantes da pelos “civilizados” romanos. Eles e outros que não falavam
insegurança, não está dada: ela precisa ser construída na latim e não tinham bom “comportamento” eram considerados
cabeça de educadores e educandos e na prática escolar. “bárbaros”. Nas nossas escolas, os tratamos de bagunceiros,
Podemos até concordar que, como “produto social”, a baderneiros e até de marginais. A Justiça considera a muitos
segurança é um “equilíbrio de forças”. Daí o velho ditado: se como “infratores”. Novamente recorremos a Áurea Guimarães,
queres a paz, prepara-te para a guerra. Mas, como processo e a pesquisadora que estudou profundamente o que se passava
projeto educativo, a segurança é a “arte da mediação dos em escolas públicas nas décadas de 1980 e 1990. Ainda hoje,
conflitos para a garantia dos direitos e construção da paz”. primeira década do século XXI, convivemos com pichações,
depredações, vandalismos, quebradeiras nas escolas, frutos
Segurança na escola não somente de ações externas, como dos próprios alunos, não
é verdade? Ninguém de nós gosta de uma escola depredada;
Nesta unidade, vamos trabalhar três conceitos: a disciplina nem os “piores” alunos, como descobriu Áurea em sua
escolar, o vandalismo e a segurança na escola. Para o primeiro, pesquisa. Mas é preciso que nossa ação não seja amadora,
nos baseamos em Vigiar e punir e em outras obras de M. primária, imediatista. Para isso, precisamos aprofundar as
Foucault, bem como em pesquisas de autores brasileiros e razões pelas quais acontecem essas violências. Vale a pena ler
franceses; para o segundo, em estudos recentes de essas pesquisas, bem como o resultado de outros estudos,
pesquisadores de escolas públicas; para o terceiro, vamos principalmente os coordenados por Miriam Abramovay, que
transpor para o módulo recentes discussões do autor com parte das “vulnerabilidades sociais”. A pobreza (ou as
profissionais da educação e da segurança que, até mesmo, o diferenças de posse da riqueza), as carências de toda ordem, a
animaram a assumir a redação da parte deste módulo que falta de perspectiva de trabalho, as discriminações, a
trata da segurança. “Não são apenas os prisioneiros que são disseminação das drogas lícitas e ilícitas, tudo isso forma uma
tratados como crianças, mas as crianças como prisioneiros. “caldo de cultura” que leva às violências nas salas de aula, nos
Nesse sentido, é verdade que as escolas se parecem um pouco recreios, nos esportes, no entorno da escola, e que
com as prisões...” (FOUCAULT, Microfísica do poder). Quando transbordam nas depredações. Como fez Bernard Charlot, é
eu era pequeno, aluno do curso primário, havia no boletim preciso contextualizar o vandalismo no conjunto da “violência
“notas” de avaliação de português, matemática e de outras escolar”: a) Agressões físicas: golpes, ferimentos, violência
áreas de conhecimento. Nestas, eu ia bem. Mas em sexual, roubos, crimes. b) Incivilidades: humilhações, palavras
“comportamento”, vocês viram que não aprendi a me grosseiras, falta de respeito.
“disciplinar”! No ginásio, onde não havia mais nota de c) Violência simbólica ou institucional: percurso escolar
comportamento, fui punido, levei uma suspensão. A escola, com reprovações, conteúdos sem sentido prático,
como o hospital, o quartel, a fábrica, vira espaço de controle, desarticulação do currículo com o mundo do trabalho, relações
vigilância, onde todos são enquadrados em funções, têm de ter de poder dos professores sobre os alunos, insatisfação dos
disciplina. Daí a violência instituída do espaço escolar e dos educadores com salários e condições de trabalho; indiferença
educadores e a violência represada e revidada dos estudantes. e “desinteresse” dos alunos. Não podemos simplesmente
Para que vença a ordem, fixam-se não somente regras de abominar o vandalismo e tomar providências de fora para
comportamento, como punições a desvios em relação a: dentro, como intervenções externas e autoritárias.
a) Tempo: atrasos, ausências, interrupções de tarefas. Que fazer então? Vou partir de um exemplo. Por tudo o que
b) Maneira de ser: grosseria, desobediência. expusemos até agora, você deve pensar que não sou a favor de
c) Discursos: tagarelice, insolência. escolas cercadas com muros altos, muitos menos “coroados”
d) Corpo: sujeira, gestos desconformes. com cacos de vidro ou arame farpado. Mas não conclua que, se
e) Sexualidade: imodéstia, indecência. eu fosse eleito diretor, derrubaria logo o muro com todos os
É claro que evoluímos muito da escola elitista para a seus complementos. Até pouco tempo atrás, o que eu faria era
seletiva, e da seletiva para a democrática. Hoje, o direito à levar a questão ao Conselho Escolar, depois de um papo com a
educação escolar e o princípio do acesso e da inclusão “galera de dentro e de fora” da escola e de entrevistas com
sobrepujam o “direito” a certas punições, como a suspensão e autoridades da segurança do local. Feito esse comentário em
a expulsão. Nesse sentido, poderíamos dizer que as conclusões uma capacitação de tutores, recebi uma sugestão que vale a
de Foucault, que expusemos anteriormente, estariam pena comentar. E por que não convidar os alunos
superadas. Mas, na prática, na sua escola, estão mesmo? Nesse supostamente “vândalos” para pintar o muro com motivos de
sentido, ajuda-nos muito a reflexão de três cientistas sua criatividade, começando da parte interna e continuando
franceses: Clara Colombier, Gilberto Mangel e Margarida pela externa? Sacou? Quando fui tirar fotos de escolas numa
Perdriault, que escreveram um ótimo livro a respeito de como região considerada “violenta” do Distrito Federal, não é que
encarar a violência pela construção de uma disciplina encontrei um muro transformado em mural? Uma repressão
democrática no marco da pedagogia institucional. Todo o texto transformada em expressão?
é baseado em fatos e experiências concretas. Na quarta parte –

Conhecimentos Específicos 24
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Em outro passeio que fiz a Planaltina de Goiás, para tirar integrantes da ordem religiosa. Participavam, portanto, dos
fotografias para o Pro-funcionário, percebi a diferença: os cuidados que também cercavam os padres em sua tarefa
banheiros dos professores eram bem mais limpos e educativa, com uma série de medidas de proteção à sua saúde
conservados do que os dos alunos. E perguntei para duas e à integridade física, a começar da residência comum em
professoras: se aqui é uma escola onde os professores educam prédios sólidos, de uma alimentação saudável e de todos os
os alunos, porque eles estão separados na hora de cultivar a cuidados possíveis com sua saúde. Já no período das aulas
higiene pessoal? As duas responderam: “Gente, nunca régias, de 1772 a 1834, os serviços de apoio nas escolas eram
havíamos pensado nisto”. Nesse caso, não tenho dúvidas: se os executados por escravos e escravas, para quem era negada
professores passassem a frequentar os sanitários dos meninos qualquer rede de proteção física e social.
e as professoras as das meninas, os educadores iriam logo Dividiu-se com muita nitidez o trabalho limpo e mental dos
perceber que falta papel higiênico, e os educandos iam levar professores e o serviço sujo e braçal dos “funcionários”. Com a
um agradável “choque de respeito”. Daí nasceriam outras República e a progressiva extensão de direitos a toda a
reflexões e ações. Ou você acha que não? população, estenderam-se lentamente aos funcionários as
“Cumpre-nos agora fazer algumas reflexões sobre a benesses de que gozavam os professores, no contexto de cada
segurança na escola, independente das relações sociais”. No um. As secretarias das escolas foram cada vez mais bem
Módulo 16 são expostas especificações e normas de uso de equipadas, a ponto de contarem hoje com modernos sistemas
extinto - res de incêndio, de materiais de construção e de informática; as bibliotecas e os laboratórios, por sua
acabamento dos prédios escolares. Nem sempre o bonito, e até própria natureza, beneficiaram-se dos avanços tecnológicos. E
mesmo o que consideramos higiênico em nossas residências, seus funcionários foram indiretamente atingidos pelo
como os pisos encerados ou revestidos de cerâmica vitrificada, processo de modernização, que tende a aliviar o esforço do
são adequados para ambientes externos e internos das escolas, trabalho humano. Bem diferente foi a sorte das merendeiras e
frequentados por crianças, deficientes físicos e idosos. Ainda dos encarregados de vigilância e limpeza. Até recentemente,
mais quando os espaços “brigam” com os tempos escassos e podíamos encontrar escolas onde as cozinheiras trabalhavam
com os passos acelerados. em ambientes acanhados, sob a alta temperatura dos fogões,
Um item fundamental da segurança da escola diz respeito obrigadas a manusear enormes panelas, com peso superior à
à presença de para-raios e à conveniente distância de fios sua força.
elétricos de alta tensão. Se na cidade existe um agrupamento Os servidores da conservação e da limpeza eram muitas
de cidadãos encarregados da defesa civil, é importante vezes submetidos a condições irracionais de trabalho, tendo
convida-los para uma visita de inspeção ao prédio e ao terreno de fazer o asseio de salas de aula em poucos minutos, entre os
da es - cola. Outro item, de que já tratamos sob o olhar das turnos de estudo dos alunos, arrastando móveis, levantando
relações com a comunidade, refere-se à acessibilidade de poeira, restabelecendo a “ordem” militar das carteiras
estranhos ao interior da escola. enfileiradas, lavando sanitários às pressas. Os vigias, cada vez
O princípio fundamental é que todos são bem vindos, mais assustados com a ocorrência de assaltos e invasões do
porque a escola é uma educadora da comunidade. Mas a regra espaço escolar, desumanizavam-se em sua conduta, inclusive
fundamental é que, no dia a dia, ninguém deve adentrar o pelo porte ostensivo de armas de fogo, obrigados a assumir
prédio da escola ou o terreno de uso dos estudantes sem ser atitudes autoritárias e arrogantes, longe de uma conduta de
convidado ou sem ter um propósito de colaborar com o educador.
processo educativo. Aí, a tentação é a de se construir um muro Algumas medidas paliativas foram tomadas, tais como o
e se colocar um vigia no portão. Para se tentar fazer valer a uso de vestuário adequado para as merendeiras, de capacetes
regra, pode-se anular o princípio. Não há receita mágica para de proteção para os que executavam serviços de manutenção
garantir a segurança do ambiente escolar. Ela deve ser matéria nos prédios, e precaução quanto a doenças profissionais, como
de contínua discussão, principalmente nas reuniões de seu as Lesões por Esforço Repetitivo (LER) e as depressões
conselho deliberativo, em que o diálogo entre profissionais da psicológicas que atingem tanto professores quanto
educação, educandos e pais vai construir o caminho da solução funcionários submetidos ao estresse das violências internas e
dos mais complicados problemas. Mas não nos esqueçamos: a externas à escola.
segurança nas escolas depende de superarmos continuamente O resultado de tudo isso foi o comprometimento da saúde
as violências na comunidade e na sociedade. Daí a necessidade e da segurança no trabalho, que foi objeto de uma pesquisa do
de praticarmos também nossa cidadania, seja pelo Instituto de Psicologia da Universidade de Brasília,
engajamento nos movimentos sociais do bairro e da cidade encomendada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores
onde moramos, seja pela participação em instâncias políticas em Educação (CNTE). O organismo mais acreditado para lidar
mais amplas, que definem as regras da sociedade. Alguém me com as questões da segurança e da saúde no trabalho é a
disse há dias que a tendência atual no mundo globalizado é a Organização Internacional do Trabalho (OIT).
de que aumentem ainda mais as diferenças salariais, até O principal trabalho da OIT é lutar para que os países
mesmo entre os servidores públicos. Você já pensou? Para os elaborem e pratiquem uma política nacional de segurança no
que ganham mais, talvez seja uma boa notícia. Embora, hoje, trabalho.
como sempre, quem está bem de vida seja alvo mais comum da As empresas privadas têm sido pioneiras na descoberta e
criminalidade. E para os funcionários de escolas, lá embaixo na no uso de equipamentos, materiais e práticas que colaboram
tabela, um pouco acima do salário-mínimo, como fica? Ficará na segurança do trabalho. Dos restaurantes industriais das
melhor ou pior na exata medida da participação dos grandes fábricas, por exemplo, tem derivado uma série de
funcionários nas mobilizações do sindicato, nas reuniões e nos itens de segurança para os trabalhadores envolvidos. Das
projetos dos vereadores e dos deputados. Numa democracia, a plantas da construção civil têm-se originado equipamentos de
solução passará sempre pela mobilização e pela participação! proteção física ou de facilitação do esforço de trabalho de
pedreiros, serventes, eletricistas, encanadores. Dos escritórios
Segurança no trabalho das grandes firmas, têm surgido soluções ergonômicas e
anatômicas para o trabalho sedentário. Ora, os funcionários de
Estamos chegando ao final deste módulo. Até aqui o tema escolas também participam, uns de uma forma, outros de
da segurança foi abordado em sua concepção geral e em suas outra, dessas situações de trabalho material que é
relações com a educação. Resta enfocá-lo no que se refere à intensivamente exigido nas empresas. Entretanto, essas
segurança do próprio exercício de trabalho dos funcionários. iniciativas esparsas precisam ser enfeixadas por uma política
Nas escolas jesuíticas, os irmãos coadjutores eram membros

Conhecimentos Específicos 25
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

nacional de segurança que, no caso das escolas, o Brasil ainda


não tem.
Quanto à segurança no trabalho, podemos levantar
demandas e formular perguntas concretas. Demandas.
Quantos funcionários estão em atividades nas escolas federais,
estaduais e municipais? Em que funções? Quais são as
necessidades específicas para executarem seu trabalho com
segurança? Quais os itens de vestuário previstos? Quais são as
tendências de novos equipamentos e materiais de segurança
para uso nos espaços escolares e nas atividades dos
funcionários? O que dizer sobre extintores de incêndios e
hidrantes? Que especificações prediais se requerem para obter
padrões de insolação, ventilação, temperatura e outras
condições de convivência e trabalho nas escolas?
Nesta unidade do módulo, não nos compete propor um
receituário de atitudes, materiais e equipamentos de proteção
e segurança, dada a especificidade de cada função e as
diferenças regionais que se encontram nas escolas brasileiras.
Mas é importante induzir todos a uma reflexão sobre o que
deve ser feito e sobre o que falta ser feito e reunido em uma
política municipal de segurança, uma política estadual de
saúde e segurança e uma política nacional de ação contra a
violência e a favor da segurança na sociedade e na escola.
Cursar o Pro-funcionário faz essa diferença: sempre pensar
antes de fazer. E pensar juntos, para construirmos juntos
nossa identidade e alcançar os objetivos da educação pública.

Anotações

Conhecimentos Específicos 26
Apostila Digital Licenciada para Michael Camurça - jf-menezes10@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br