You are on page 1of 9

Plano de Aula: Introdução ao Estudo do Direito

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO


Título
Introdução ao Estudo do Direito

Número de Aulas por Semana

Número de Semana de Aula


14

Tema
Revisão I

Objetivos
 Reintroduzir os marcos conceituais caracterizadores do Direito, na perspectiva de uma visão sistêmica acerca da
área jurídica do saber, através da utilização de exercícios de revisão;
 Reforçar a compreensão da linguagem e do método próprios da ciência jurídica;
 Proporcionar condições para a análise reflexiva sobre as questões fundamentais da Ciência do Direito;
 Reapresentar os pontos mais relevantes a serem fixados no tocante às relações entre o Direito e a Sociedade;
 Promover a revisão dos conteúdos relativos aos ramos do Direito.

Estrutura do Conteúdo
 Introdução ao estudo do Direito;
 Direito e Sociedade;
 Conceitos jurídicos fundamentais;
 Fundamentos do Direito;
 Fontes do Direito;
 A Norma Jurídica.

Aplicação Prática Teórica


Os conhecimentos apreendidos serão de fundamental importância para a reflexão teórica envolvendo a compreensão
necessária de que o Direito, para ser entendido e estudado enquanto fenômeno cultural e humano, precisa ser tomado
enquanto sistema disciplinador de relações de poder, a partir da metodologia utilizada em sala com a aplicação dos
casos concretos, a saber:

1. Leitura Dirigida - É o acompanhamento, pelo grupo, da leitura de um texto. O professor fornece, previamente, ao
grupo uma ideia do assunto a ser lido. A leitura é feita individualmente pelos participantes, e comentada a cada passo,
com supervisão do professor. Finalmente, o professor dá um resumo, ressaltando os pontos chaves a serem observados.

2. Solução de Problemas - Os casos e questões de múltipla escolha deverão ser abordados ao longo da aula, de acordo
com a pertinência temática;

A resolução dos casos faz parte da aula. A abordagem dos casos permeia a exposição teórica.

1 - Tema: Os diversos significados da palavra "Direito".

Estabeleça a relação entre as diversas acepções do direito e as afirmativas abaixo. A seguir, aponte a opção correta:

I - O Direito como norma


II - O Direito como justo.

III - O Direito como ciência.

IV - O Direito como fato social.

a) Cabe ao direito estudar a criminalidade.

b) O direito não permite o duelo.

c) O direito é considerado como um fenômeno da vida coletiva assim como os fatos econômicos, culturais, esportivos.

d) A educação é direito de toda criança. Significa aquilo que é devido por princípio de justiça.

(A) I-b; II-d; III-a; IV-c.

(B) I-b; II-c; III-c; IV-d.

(C) I-d; II-d; III-b; IV-a.

(D) I-a; II-c; III-b; IV-d.

Agora responda as questões abaixo:

a) Quando nos referimos ao direito de uma pessoa ou de muitas pessoas, estamos nos referindo a que tipo de direito?
Conceitue este direito.

b) Qual a distinção entre direito e justiça?

Caso 2 Tema: A finalidade do Direito: controle social, prevenção e composição de conflitos, promoção da
ordem, segurança e justiça.

Eleita a Assembleia Nacional Constituinte, senadores e deputados ficaram encarregados de redigir uma nova
Constituição para a República Federativa do Brasil. Concluídos os trabalhos, foi elaborado o seguinte preâmbulo, com
intuito de demonstrar os propósitos das normas contidas no documento:

"Nós, representantes do povo brasileiro, reunidos em Assembleia Nacional Constituinte para instituir um Estado
Democrático, destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar,
o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem
preconceitos, fundada na harmonia social e comprometida, na ordem interna e internacional, com a solução pacífica das
controvérsias, promulgamos, sob a proteção de Deus, a seguinte CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO
BRASIL."

a) A partir do Preâmbulo da CF/88, identifique as finalidades do ordenamento jurídico brasileiro (direito positivo
brasileiro).

b) Podemos dizer que o direito que regia o Estado Nazista de Hitler (direito positivo alemão de 1940) tinha a
mesma finalidade que o nosso ordenamento jurídico? Justifique. O que há de comum entre ambos?
c) O direito como conjunto sistemático de regras (direito objetivo) se presta a cumprir algumas finalidades. Quais
são elas?

Questões objetivas

(Repostas Justificadas)

1. As normas éticas se estruturam linguisticamente por meio de:


a) Juízos de valor;
b) Juízos de realidade;
c) Dever-ser;
d) Questionamentos;
e) Ser.

2. É considerada instituição fundamental da sociedade:


a) a igreja;
b) o contrato;
c) a escola;
d) a família;
e) as associações de bairro.

3. Pode-se afirmar corretamente sobre Justiça e Eqüidade:

a) A justiça não é inata ao homem, se torna concreta no Direito quando deixa de ser idéia, se incorpora às leis e passa a
ser efetivamente exercitada pela sociedade.

b) O papel da Eqüidade é aplicar a uma hipótese não prevista pelo legislador, a solução por ele apresentada para uma
outra hipótese fundamentalmente semelhante à não prevista.

c) Quando a lei for omissa, o juiz decidirá o caso de acordo com a eqüidade, os costumes e os princípios gerais do direito.

d) A Eqüidade é fonte criadora do Direito.

Tema: Mecanismos de controle social: Moral e Direito.

Julgue as afirmativas abaixo a respeito do Direito como fenômeno sociológico e assinale a opção CORRETA (
JUSTIFIQUE o que está errado):

I? As normas jurídicas são as células do Direito e compõem o processo de adaptação externa da sociedade, fixando
limites ao comportamento e liberdade do homem.

II? O Direito se constitui como o único instrumento responsável pela organização e bom convívio social e tem por objetivo
regulamentar todos os atos sociais.

III?Somente os fatos sociais mais importantes para o convívio social devem ser disciplinados pelo Direito.
A) As sentenças I e III estão corretas.

B) Apenas a sentença I está correta.

C) As sentenças I e II estão corretas.

D) Apenas a sentença III está correta.

Agora responda as questões abaixo:

Caso 1 - Direito e Moral podem ser facilmente associados se pensarmos o direito como sendo o conjunto de normas que
tentam regular e organizar a vida em sociedade, solucionando os conflitos entre os indivíduos, visto que a moral é um
ramo das Ciências Sociais que também se preocupa com o estudo de normas reguladoras da vida social.

Nem sempre é fácil diferenciar as normas do direito das normas da moral, em face de semelhança entre elas em muitos
aspectos. Por exemplo, ambos os sistemas de normas, direito e moral, valorizam princípios como o respeito à vida, à
liberdade, à integridade física, psicológica e espiritual dos homens, à propriedade legitimamente obtida, à igualdade de
direitos, entre outros.

Diferencie Direito de Moral.

Caso 2 Tema: Mecanismos de controle social - Religião e Direito.

Mário foi acometido de grave doença. Internado num hospital público e praticamente inconsciente, necessita,
urgentemente, de uma transfusão de sangue. Seus familiares, alertados do fato, proíbem terminantemente o médico de
proceder à transfusão, sob a alegação de que Mário, assim como todos da família, é de uma religião que condena tal
procedimento. O médico, por seu turno, ligado às regras do Código de Ética da profissão, acha inaceitável permitir a
morte de seu paciente, pois seu dever é o de preservar a vida das pessoas. Receando ser acusado do crime de omissão
de socorro por não proceder à transfusão, o médico ingressa em juízo pedindo autorização judicial para tanto.

a) No caso em exame, a norma religiosa que impede a transfusão de sangue e a norma jurídica que impõe pena à
omissão de socorro são normas de conduta? Justifique. Em que consiste a distinção entre ambas?

b) Caso Mário estivesse consciente e desejasse descumprir a norma religiosa para salvar-se, haveria alguma sanção a
que necessariamente se devesse submeter? Justifique.

c) Caso Mário viesse a falecer, por não ter havido a transfusão de sangue, e o médico, acusado de omissão de socorro,
fosse condenado, haveria alguma sanção a que este último necessariamente se devesse submeter? Justifique.

d) A norma jurídica depende da concordância do indivíduo para se fazer valer? E a norma religiosa? Por quê?
Caso 3 Teoria Tridimensional do Direito.

Maria, ao preencher o formulário de adesão ao plano de saúde da empresa Y, omite o fato de ser portadora de
hipertensão arterial, com o intuito de ver reduzidas as prestações a ele relativas. Internada às pressas em razão da
doença, Maria foi obrigada a passar três dias na Unidade de Terapia Intensiva, o que lhe acarretou elevada despesa.
Descoberta a omissão na oportunidade, a empresa Y se negou a ressarcir Maria dos gastos decorrentes da internação,
alegando ter ela faltado com a lealdade contratual, exigida por lei. Maria ingressou em juízo pedindo o ressarcimento,
mas não logrou êxito com a ação, uma vez que o magistrado acatou os argumentos da empresa.

a) Que fato retirou de Maria a possibilidade de se ver ressarcida das despesas médicas?

b) O que visam preservar os artigos 765 e 766 do Código Civil ao determinar a perda do direito à garantia do segurado,
no caso de declarações inexatas que possam influir no preço ou na aceitação da proposta?

c)Podemos dizer que esta norma descreve um fato para preservar um valor? Justifique.

QUESTÕES OBJETIVAS

1.
Revela ao legislador os princípios fundamentais de proteção ao homem, que forçosamente deverão ser consagrados pela
legislação, a fim de que se tenha um ordenamento jurídico substancialmente justo. Não é escrito, não é criado pela
sociedade, nem formulado pelo Estado. Origina-se da própria natureza social do homem e que se revela pela conjugação
da experiência e razão. É constituído por um conjunto de princípios, e não de regras de caráter universal e eterno. Como
exemplos maiores: o direito à vida e à liberdade.

a) Direito Subjetivo;

b) Direito Objetivo;

c) Direito Positivo;

d) Direito Natural;

e) Direito Público.

Marque falso(F) ou verdadeiro (V) para as seguintes afirmativas, justificando as falsas:


a) ( v ) Possui direito subjetivo todo aquele que pode utilizar a garantia do direito objetivo para a realização de um
interesse próprio.
b) ( v ) O direito natural é espontâneo, não escrito e informal.
c) ( F) Direito positivo é o direito que independe da vontade humana, pois sempre é escrito.
d) ( F ) O Direito consuetudinário faz parte do Direito Positivo.
e) ( F ) Direito subjetivo é o conjunto de normas jurídicas impostas ao homem com o fim de satisfazer aos seus
interesses.
Divisões do Direito. O Direito Natural. O Direito Positivo, o Direito Objetivo e o Direito Subjetivo. Diferenças entre
Direito Público Interno e Externo e o Direito Privado Interno e Externo. Principais ramos do Direito Público
Interno: Constitucional, Administrativo, Tributário, Penal, Processual Civil e Penal. A questão do Direito do
Trabalho. Ramos do Direito Privado Interno: Civil e Comercial. A Unificação do Direito Privado. A Questão da
Superação da Dicotomia do Direito Público e do Direito Privado.

Caso 1 Tema: Direito Natural.

Conforme noticiado em jornais de grande circulação, a dona de casa Maria das Graças sofreu um derrame em agosto de
2004. Ela teve todo o lado direito do corpo paralisado, não falava e tinha grande dificuldade de compreensão. O médico
comunicou à família de Maria das Graças que as sequelas eram permanentes, no entanto, disse-lhes que havia um
estudo com a aplicação de células-tronco sendo realizado no Hospital Pró-Cardiáco e na UFRJ. A família concordou que
a paciente fosse submetida a este estudo experimental. Com efeito, cinco dias após ter sofrido o derrame, Maria das
Graças recebeu o implante de células-troco adultas retiradas da sua própria medula óssea. Em pouco mais de duas
semanas, já caminhava, conseguia falar algumas palavras e apresentava bem menos dificuldade de compreensão.

No Direito Brasileiro, não existe norma regulamentadora da hipótese acima, nem tampouco da utilização de células-
tronco embrionárias, estando a lei de Biossegurança, que regulamenta tais pesquisas, tramitando lentamente no
Congresso Nacional. A demora se deve principalmente à oposição da bancada formada por parlamentares católicos e
evangélicos. O projeto prevê que poderão ser usadas em pesquisas células de embriões descartados por clínicas de
fertilização in vitro, desde que tenham autorização do casal que gerou os embriões. Para a pesquisa com células-tronco
ser liberada, o projeto precisa passar pelo plenário da Câmara. Depois, irá à sanção do Presidente da República. Não há
previsão de votação.

Conforme podemos verificar, o Direito Positivo não regulamenta a questão. Seria possível legitimar as experiências com
células-tronco embrionárias com base no direito natural?

Caso 2 Tema: Diferenças entre Direito Público e Direito Privado.

O estado do Rio de Janeiro locou um imóvel para instalar um órgão administrativo do Governo. No entanto, não vem
pagando os alugueres em dia. O dono do imóvel pretende ajuizar ação de despejo por falta de pagamento em face do
Estado do RJ. O ente da federação se nega a pagar o aluguel e pretende continuar no imóvel, sob o fundamento do
interesse público de que ali está instalada "uma farmácia popular" que vende remédios a um real.

O estado do Rio de Janeiro, nesta relação locatícia, está atuando na qualidade de Estado (quando seus poderes são
utilizados tendo em vista o interesse público) ou na qualidade de um particular? Por quê?

Esta relação jurídica está no campo do direito público ou privado? Por quê?

O que objetivam as regras de direito público? E as de direito privado?

Caso 3 - Tema: Diferenças entre Direito Público e Direito Privado.

O Município de Macaé, tendo em vista a realização de obras para a construção de uma estrada para viabilização do
escoamento da produção de petróleo, editou um Decreto Expropriatório visando à desapropriação do imóvel onde se
localiza a fazenda São Pedro, de propriedade de Antônio Ferreira. Descontente com o ocorrido, Antônio ingressa com
ação na justiça estadual na tentativa de preservar seu direito de propriedade. Na petição inicial, Antônio alega que a
Fazenda São Pedro está em poder de sua família há quase cem anos e, além disso, possui considerável número de
cabeças de gado leiteiro e de corte, não se tratando, portanto, de terra improdutiva. Não obstante a ação intentada,
Antônio teve suas terras desapropriadas.

O estado do Rio de Janeiro, nesta relação desapropriatória, está atuando na qualidade de Estado (quando seus poderes
são utilizados tendo em vista o interesse público) ou na qualidade equivalente a de um particular? Por quê?

Esta relação jurídica está no campo do direito público ou privado? Justifique.

Caso 4 Tema: Dicotomia entre Direito Público e Direito Privado.

Recentemente, integrantes do movimento dos ?sem-teto? invadiram um prédio na Barra da Tijuca ? Rio de Janeiro.
Alegaram não possuir moradia e, tendo em vista estar o imóvel abandonado há muitos anos, levando-se em conta a
função social da propriedade, direito reconhecido constitucionalmente, acreditaram ser possível tomar a posse das
unidades habitacionais para nelas residirem. O proprietário, por seu turno, ajuizou ação de reintegração de posse em
face dos ocupantes, alegando que a propriedade privada também tem proteção constitucional, devendo este direito
prevalecer, em razão da garantia da segurança das relações sociais.

O direito de propriedade representa um interesse pessoal ou social? Justifique.

Ele encontra proteção no direito público ou no direito privado? Por quê?

QUESTÕES OBJETIVAS

Júlio, Defensor Público aposentado, requer em juízo o pagamento de uma determinada verba que está sendo paga aos
Defensores Públicos que estão na ativa, mas não aos que já se aposentaram. Fundamenta o seu pedido na regra da
paridade entre servidores em atividade e aposentados, disposta no artigo 40, § 8º, da Constituição da República
Federativa do Brasil, de acordo com o qual: ?(...) os proventos de aposentadoria e as pensões serão revistos na mesma
proporção e na mesma data, sempre que se modificar a remuneração dos servidores em atividade, sendo também
estendidos aos aposentados e aos pensionistas quaisquer benefícios ou vantagens posteriormente concedidos aos
servidores em atividade(...)?

O pedido formulado por Júlio está fundamentado com apoio no:


a) Direito positivo;
b) Direito natural;
c) Direito processual;
d) Direito autoral;
e) Costume.

Assinale a afirmativa correta.


Em relação à divisão do direito, podemos dizer que:
a) São considerados sub-ramos do Direito Público interno, o Direito Constitucional, o Direito Penal, o Direito
Administrativo e o Direito Comercial;
b) O direito público é o ramo do direito em que o Estado, pelo interesse social, coordena a vontade das pessoas da
sociedade.
c) O grande Mestre Miguel Reale entende que o Direito do Trabalho é sub-ramo do direito privado, uma vez que
regula as relações trabalhistas, cujo interesse é individual e particular das pessoas que a compõem, que são o
empregado e o empregador;
d) O Direito Penal, como sub-ramo do direito público, é o conjunto de regras e princípios pelos quais se tipificam
formas de conduta consideradas criminosas, e para os quais são cominadas penas;
e) O sistema jurídico commow law tem como fonte principal os usos e costumes.

Fontes do Direito Positivo. Conceito de Fontes do Direito e Classificação. Distinção entre Fontes Materiais
(substanciais) e Formais (de conhecimento ou de cognição) do Direito. A Lei. Os Costumes. O Papel da Doutrina
e da Jurisprudência no Sistema Jurídico Brasileiro.

Caso 1 Tema: Fontes Materiais e Fontes Formais do Direito.

Em razão da massificação da produção e do consumo, as grandes empresas perderam, com o passar dos anos, a
capacidade de negociar com seus clientes de forma personalizada. A partir deste momento, surgiu o que hoje
denominamos de ?contrato de adesão?, instrumento cujas cláusulas são pré-definidas e o cliente, simplesmente, adere
ao negócio que lhe é proposto. São os contratos realizados para o uso de cartão de crédito, de planos de saúde e tantos
outros, cada dia mais comuns. A sociedade brasileira vinha notando o abuso das empresas ao incluírem cláusulas em
seus contatos que prejudicavam os consumidores. Foi a partir de então que a Assembleia Nacional Constituinte incluiu,
na Constituição de 1988, um dispositivo que determinava ao Estado promover a proteção do consumidor, do que
resultou, posteriormente, o Código de Proteção e Defesa do Consumidor.

Com base no acima descrito, indique, justificadamente, a fonte formal e a fonte material do direito do consumidor vigente
hoje no Brasil.

Caso 2 Tema: Costume como Fonte do Direito.

João foi multado por estar dirigindo seu veículo sem fazer uso do cinto de segurança. Para evitar ganhar pontos na
carteira, interpõe recurso administrativo, alegando que é costume da população a não utilização do cinto de segurança.
Acredita, assim, que tal costume teria revogado a lei, uma vez que esta não conta com a aceitação da sociedade.

Decida a questão, levando-se em conta os costumes como fonte do direto.

QUESTÕES OBJETIVAS

(respostas justificadas)
1) Assinale a afirmativa correta:
I.A norma jurídica é abstrata porque procura atingir o maior número de pessoas possíveis, que se encontram na
mesma situação jurídica, daí decorrendo o princípio da isonomia;
SUGESTÃO DE GABARITO: Verdadeira. Visando atingir o maior número possível de situações, a norma jurídica é
abstrata, regulando os casos dentro do seu denominador comum, ou seja, como ocorrem via de regra. Se o método
legislativo pretendesse abandonar a abstratividade em favor da casuística, para alcançar os fatos como ocorrem
singularmente com todas as suas variações e matizes, além de se produzir leis e códigos muito mais extensos, o
legislador não lograria o seu objetivo, pois a vida social é mais rica do que a imaginação do homem e cria sempre
acontecimentos novos e de formas imprevisíveis. (NADER, p. 85).
II. O direito e a moral, além de se relacionarem em alguns fatos da sociedade, conforme explica a Teoria do
Círculos Secantes, de Du Pasquier, tem como característica a heteronomia.

III. Quanto às fontes do direito, na visão do ilustre Mestre Paulo Dourado de Gusmão, o Tratado Internacional é
fonte infra-estatal.

IV. Fontes estatais são aquelas constituídas por normas escritas, vigentes no território do estado, por ele
promulgadas.

a) As afirmativas I e II estão corretas;


b) Somente a afirmativa II está correta;
c) As afirmativas III e IV estão corretas;
d) Somente a afirmativa IV está correta;
e) Somente as alternativas I e II estão incorretas.

2) Marque falso (F) ou verdadeiro (V) para as seguintes afirmativas, justificando as falsas:
a) ( ) Direito objetivo é a faculdade ou poder reconhecido ao titular do direito. É o poder ou faculdade de exigir de
uma pessoa uma prestação capaz de satisfazer ao interesse legítimo.
b) ( ) Direito Natural é o conjunto de princípios que atribuídos a Deus, à razão, ou havidos como decorrentes da
natureza das coisas, independem de convenção ou legislação, e que seriam determinantes, informativos ou
condicionantes das leis positivas.
c) ( ) Direito positivo é institucionalizado pelo Estado. É a ordem jurídica em determinado lugar e tempo.
d) ( ) A doutrina pode ser compreendida como um conjunto de ideias enunciadas nas obras dos jurisconsultos
sobre determinadas matérias jurídicas. Isto significa dizer que, sendo o direito científico, a doutrina cria direitos e
deveres para todos os cidadãos.