You are on page 1of 9

LICENCIATURA EM

PRÁTICA DE ENSINO: INTRODUÇÃO À DOCÊNCIA (PE:ID)

POSTAGEM 1: ATIVIDADE 1

REFLEXÕES REFERENTES AOS 13 TEXTOS

Nome: Thais Isabel de Oliveira Magalhães/ R.A: 1827934

Pólo Caieiras

2018
Sumário
REFLEXÕES REFERENTES AOS 13 TEXTOS ........................................................................ 3
1.1 Educação? Educações Aprender com o índio. ........................................................................ 3
1.2 O fax do Nirso ......................................................................................................................... 3
1.3 A História de Chapeuzinho Vermelho (na versão do lobo) .................................................... 4
1.4 Uma pescaria inesquecível ...................................................................................................... 4
1.5 A folha amassada .................................................................................................................... 5
1.6 A Lição dos Gansos................................................................................................................. 5
1.7 Assembleia na Carpintaria ...................................................................................................... 6
1.8 Colheres de Cabo Comprido. .................................................................................................. 6
1.9 Faça parte dos 5% ................................................................................................................... 7
1.10 O Homem e o mundo ............................................................................................................ 7
1.11 Professores reflexivos ........................................................................................................... 7
1.12 Um Sonho Impossível? ......................................................................................................... 8
1.13 Pipocas da Vida ..................................................................................................................... 8
Referências .................................................................................................................................... 9
REFLEXÕES REFERENTES AOS 13 TEXTOS

1.1 Educação? Educações Aprender com o índio.

 A educação é fornecida e tratada de forma diferente nas diversas


sociedades/comunidades existentes, essa variação existe, pois ela deve tratar das
necessidades destas comunidades, que podem ou não ser as mesmas.

 Aquilo que é ensinado em determinada comunidade (no caso do texto a dos


americanos brancos) pode ser totalmente inútil para outra (no caso a dos índios)

 Como diz o texto, a educação também é uma parte de diferentes modos de vida,
de grupos sociais distintos, esse tipo de educação transmite valores, códigos de
conduta, religião, artesanato, tecnologias, entre outros segredos vitais para
aquela comunidade.

 Esta também pode tomar dois caminhos: o da libertação, em busca do bem


comum para determinada sociedade, ou pode levar ao caminho da dominação,
que atende a interesses políticos escusos ou distantes da realidade de daquele
povo.

1.2 O fax do Nirso

 A educação formal muitas vezes não lida com os diversos tipos de inteligência,
como a interpessoal, ou mesmo outras características dos indivíduos como
vocação, carisma, agilidade e capacidade de convencimento. No caso do texto, a
pessoa vendeu muitas unidades/peças porque, aparentemente, tem as
características mais comuns de um bom vendedor, e não porque sabe escrever
corretamente.

 Atualmente as empresas não estão interessadas apenas no currículo/ na formação


do indivíduo, procuram também vivência, personalidade, capacidade de
adaptação e os resultados e experiências que o profissional pode trazer.

1.3 A História de Chapeuzinho Vermelho (na versão do lobo)

 Sempre haverão diferentes pontos de vista para a mesma história, e deveríamos


ouvir ou procurar ouvir todos antes de tirarmos nossas próprias conclusões.

 O mesmo ocorre com a educação, nem sempre os educadores são detentores da


verdade absoluta. Na verdade, os que se comportam como se fossem, nada mais
estão fazendo do que impedir os alunos de pensar por eles mesmos,
comprometendo o futuro destes.

1.4 Uma pescaria inesquecível

 Ética é um fundamento básico de qualquer conduta, de qualquer sociedade e de


todos os indivíduo. Especialmente as crianças, estas devem ser ensinadas sobre
moral e ética desde muito cedo, para que o mundo se torne um lugar melhor.

 Como diz o texto, temos que fazer o certo simplesmente porque é o certo, não
porque alguém está observando, também não devemos fazer o errado somente
porque todos estão fazendo, ou porque é mais fácil ou mais agradável.
1.5 A folha amassada

 Devemos tomar cuidado com o que dizemos às pessoas, isso incluí a relação
professor/ aluno, pois o que os professores dizem influencia na maneira com que
os alunos encaram o próprio futuro e a si mesmos.

 Aqui cabe um comentário pessoal sobre uma situação vivida (professora de


matemática – cabides)

 Muitas vezes pessoas consideradas “problema” ou “esquentadas” agem de tal


forma porque foram rotuladas assim ou porque tem dificuldade em compreender
os outros.

 Contando aqui um caso pessoal, eu tinha uma professora de matemática que


simplesmente apelidou todas as meninas da sala de “cabides” porque no dia da
formatura nós estaríamos usando lindos vestidos, mas por dentro seríamos
vazias. Essas palavras minaram a vontade de aprender exatas de várias alunas,
inclusive a minha, e eu sinto enorme dificuldade nessa área até hoje, tudo porque
as palavras daquela professora me afetaram profunda e negativamente.

 Não se resolve nada apenas criticando uma pessoa, é preciso mostrar aonde está
o erro e caminhos para corrigi-lo.

1.6 A Lição dos Gansos

 O texto exemplifica o antigo ditado “a união faz a força”, quando as pessoas se


juntam com um objetivo comum, elas conseguem ir muito mais longe do que se
estivessem sozinhas.

 A outra lição deste texto é não deixar ninguém para trás, fazendo o máximo
possível para que todos os envolvidos cheguem ao objetivo final do grupo.
1.7 Assembleia na Carpintaria

 O texto mostra que todos possuem qualidades e defeitos, mas que quando
buscamos os pontos fortes dos outros podemos alcançar objetivos maiores.

 Este texto (ao que me parece) complementa o anterior, pois aquele falava da
força do grupo e este fala em valorizar as qualidades individuais que tornam os
grupos mais fortes.

 No entanto, devemos destacar que nem sempre apontar os defeitos de alguém é


ruim, desde que esse destacamento seja feito no intuito de melhorar a pessoa
criticada, de fazer com que ela cresça.

 A crítica que serve apenas para humilhar só gera desentendimentos e raiva entre
as pessoas.

1.8 Colheres de Cabo Comprido.

 Novamente o texto traz a ideia de esforço comum para atingir um objetivo (no
caso, alimentar-se).

 Se não dividirmos o que temos a oferecer todos nós sofreremos.

 No texto, as pessoas da primeira sala estavam agindo de forma egoísta,


autocentrada e por isso não dividiam e sofriam. Da mesma forma, pessoas que
relutam e dividir, em ajudar os outros, também penam.
1.9 Faça parte dos 5%

 Para alcançar a excelência/ ser especial você deve dar o seu melhor naquilo que
faz. Para fazer a diferença, as pessoas devem se esforçar ao máximo naquilo que
se propõem a fazer.

 Mas para fazer o nosso melhor precisamos de motivação, alguém desmotivado,


cansado, estressado, que não vê sentido naquilo que está fazendo pode
facilmente cair numa armadilha e se tornar parte dos 95% referidos no texto.

 Também pode acontecer o contrário, e a pessoa pertencente aos 95% comece a


se esforçar e se destaque, se lhe for dado o estímulo certo.

1.10 O Homem e o mundo

 Todos nós temos a capacidade de aprender e de ensinar, inclusive as crianças.


Elas podem nos ensinar um olhar diferente sobre os problemas do mundo,
oferecerem soluções simples sobre as quais nunca pensamos.

 A espécie humana criou e ainda cria muitos problemas, mas ela também é capaz
de criar soluções e avanços.

1.11 Professores reflexivos

 As pessoas gostam de se sentir acolhidas quando entram em um ambiente


desconhecido, qualquer que seja ele. Todos nós temos necessidade de nos
sentirmos aceitos quando chegamos a um local novo, com pessoas que ainda não
conhecemos.

 Na escola não é diferente, as crianças e adolescentes precisam ainda mais dessa


aceitação, pois por estarem em formação sentem ainda mais a necessidade de
serem acolhidos, de serem bem recepcionados pelos outros colegas e pelos
professores.

 Caso não haja essa boa receptividade, o risco de que seja criada uma repulsa,
hostilidade ou mesmo ódio ao local, e sabemos que ter ódio da escola e do que
ela representa (saber, conhecimento, estudo) certamente prejudicará o futuro das
pessoas afetadas.

1.12 Um Sonho Impossível?

 É visível que a desigualdade social afeta diretamente a educação e que a


instrução formal recebida pelos alunos de famílias de baixa renda tem se
mostrado precária e deficiente.

 Deve-se adequar a escola ao local onde ela está inserida, uma escola num bairro
de baixa renda tem que lidar com pessoas com necessidades diferentes daquelas
aonde a renda é alta.

 Acredito que numa sala com alunos de baixa renda os cuidados com a
apresentação e reforço dos conteúdos devem ser redobrados, pois estes alunos
dificilmente terão como recorrer aos pais para auxiliá-los durante os estudos.
Bem como plantões de dúvidas ou de reforço para os alunos com dificuldades e
plantões voltados aos pais para que os mesmos aprendam as matérias para
auxiliarem os filhos e se inteirarem do conteúdo oferecido na escola.

1.13 Pipocas da Vida

 Temos que nos preparar para as grandes transformações da vida, não


devemos permanecer duros e imutáveis para o resto da vida. Ao passarmos
pelo “fogo” na vida, podemos nos transformar, mudar, crescer e melhorar.
 No entanto existem pessoas que demoram mais para aceitarem as mudanças
da vida, mas mesmo levando um tempo maior para se transformarem, não
quer dizer que elas nunca chegarão lá.

 Além disso, é preciso tomar cuidado com a intensidade do fogo/ da dor, da


mesma maneira que um fogo muito intenso ou muito duradouro pode
queimar a pipoca, deixando-a impossível de ser consumida, excesso de dor
traz danos às pessoas.

Referências
Audiovisuais

ANTUNES, C. 10 Histórias Exemplares. In: Coleção Grandes Autores. São Paulo: Atta
Mídia e Educação,

2004. 1 vídeo‑disco.

Textuais

ALARCÃO, I. Professores reflexivos em uma escola reflexiva. São Paulo: Cortez,


2003. p. 7‑10.

ALVES, R. A pipoca. In: O amor que acende a lua. Campinas: Papirus, 1999. p. 54‑57.

BRANDÃO, C. R. O que é educação. In: Coleção Primeiros Passos. 28ª ed. São Paulo:
Brasiliense, 1993.

CRUZ, C. H. C. Competências e Habilidades: da proposta à prática. Coleção Fazer e


Transformar. 2ª ed.

São Paulo: Loyola, 2002.

HAIDT, R. C. C. Curso de Didática Geral. 7ª ed. São Paulo: Ática, 2002.

LENFESTEI, J. Histórias para aquecer o coração dos pais. Rio de Janeiro: Sextante,
2003.

RAMOS, M. N. Da Qualificação à Competência: deslocamento conceitual na relação


trabalho‑educação.

Niterói: UFF, 2001.

ROSA, G. Grande Sertão: Veredas. 33ª ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986.