You are on page 1of 60

GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA

SECRETARIA DA EDUCAÇÃO
Núú cleo Territorial de Edúcaçaã o NTE- 18 /Alagoinhas
Coleú gio Estadúal Saã o Francisco – Coú d.: nº 1169809
Portaria de Aútorizaçaã o da Escola - Nº 2033/1994
EQUIPE GESTORA

Diretor: Rita de Caú ssia Bastos Carvalho


Vice-Diretora: Alexsandra de Brito
Vice-Diretor: Yúre Machado
MANUAL DO ALUNO
CESF

2018
A ESCOLA É...

Escola eú ...
...O lúgar onde se faz amigos.
Naã o se trata soú de preú dios, qúadros, programas, horaú rios,
conceitos...
Escola eú , sobretúdo, gente, gente qúe trabalha, gente qúe
estúda, se alegra, se conhece-se estima.
O diretor eú gente, o coordenador eú gente, o professor eú gente, o
alúno eú gente, cada fúncionaú rio eú gente.
E a escola seraú cada vez melhor, na medida em qúe cada ser se
comporta como colega, como amigo, como irmaã o.
Nada de “ilha” cercada de gente por todos os lados.
Nada de conviver com pessoas e depois descobrir qúe naã o tem
amizade a ningúeú m.
Nada de ser como tijolo qúe forma a parede, indiferente, frio,
soú .
Importante na escola naã o eú soú estúdar, eú tambeú m criar laços de
amizade, eú conviver, eú se amarrar nela.
Ora, eú loú gico...
Núma escola assim vai ser faú cil estúdar, crescer, fazer amigos,
edúcar-se, SER FELIZ.

(Paúlo Freire)
COLÉGIO ESTADUAL SÃO FRANCISCO

Objetivos e Finalidades da Educação Escolar


A edúcaçaã o escolar, inspirada nos princíúpios de liberdade e nos
ideais de solidariedade húmana, vincúlada ao múndo do
trabalho e praú tica social, tem por finalidade o pleno
desenvolvimento do edúcando para o exercíúcio da cidadania e
súa qúalificaçaã o para o trabalho.

Nossa Visão:
Ser agente promotora do processo de ensino aprendizagem
significativo de forma contextúalizada e interdisciplinar.

Nossa Missão:

Promover o Ensino de qúalidade acessíúvel a todos os alúnos,


contribúindo para a súa formaçaã o como cidadaã os críúticos e
participativos na sociedade e propiciando condiçoã es baú sicas
para qúe sejam inclúíúdos no múndo do trabalho.

Nossos Valores

Respeito aos direitos húmanos e ao meio ambiente;

Resgate da aútoestima;
Integraçaã o, compromisso e responsabilidade da comúnidade
escolar com a edúcaçaã o;

EÉ tica e profissionalismo.

Direitos do Aluno:
1- Ser respeitado por todos os membros da comúnidade
escolar;
2- Ser considerado e valorizado em súa individúalidade, sem
comparaçaã o oú prefereê ncia;
3- Ser orientado em súas dificúldades;
4- Receber seús trabalhos e tarefas devidamente corrigidas e
avaliadas dúrante oú ao final de cada únidade;
5- O cúmprimento do calendaú rio escolar confeccionado pela
institúiçaã o escolar;
6- Solicitar do professor úm trabalho eficaz e contextúalizado
com súa realidade.
7- Participar do processo de Recúperaçaã o Paralela dúrante as
únidades didaú ticas no ano letivo;

Deveres do Aluno:
1- Respeitar as normas disciplinares do Regimento Escolar;
2- Apresentar a Carteirinha de Identificaçaã o na entrada e
saíúda da escola, bem como para útilizaçaã o da Qúadra de
Esportes;
3- Comparecer aà s aúlas regúlares, aà s aúlas de recúperaçaã o,
aos grúpos de estúdo e nas atividades propostas pela escola
devidamente úniformizado, calçado com teê nis preto, branco
oú azúl marinho, camisa padraã o e calça jeans (azúl oú
preta), bermúda oú saia, abaixo do joelho;
4- Comparecer pontúalmente aà s aúlas, provas oú atividades
programadas pelo professor oú pela direçaã o da escola com
vistas a atender, no míúnimo, 75% de freqúeê ncia dúrante o
ano em todas as disciplinas;
5- Observar horário: Os portoã es seraã o abertos 05 minútos
antes do iníúcio das aúlas e seraã o fechados no túrno Matútino
aà s 7h com toleraê ncia eventualmente de 10 minútos; no túrno
Vespertino aà s 13h com toleraê ncia eventualmente de 10
minútos;
6- no túrno Notúrno aà s 19h com toleraê ncia eventualmente de
15 minútos.
7- Acúsar recebimento e entregar aos responsaú veis as
correspondeê ncias enviadas pela escola, devolvendo-as
assinadas, no prazo estabelecido;
8- Respeitar a eqúipe gestora, os professores e eqúipe de apoio
da Unidade Escolar;
9- Conservar e zelar pelo patrimoê nio púú blico da escola;
10- Agúardar o professor dentro da sala de aúla e núnca nos
corredores e paú tios;
11- Apresentar tarefas e trabalhos solicitados pelos
professores dentro do prazo estabelecido;
12- Indenizar a Escola oú pessoas por qúalqúer dano material
qúe lhes for caúsado;

É vedado ao aluno:

1- Praticar atos ofensivos aà moral e aos bons costúmes;


2- Distribúir oú afixar, sem aútorizaçaã o da Direçaã o, cartazes,
folhetos, etc.;
3- Entrar e sair da sala de aúla, dúrante as aúlas, sem a devida
aútorizaçaã o dos professores;
4- Formar grúpos oú promover algazarras e distúú rbios nos
corredores e paú tios, bem como, nas imediaçoã es da Escola;
5- O úso de aparelhos sonoros oú telefone celúlar dúrante o
períúodo de aúla;
6- Comer em sala de aúla;
7- Promover qúalqúer praú tica ofensiva, oú qúe possa ser
considerado úm crime contra a honra de qúalqúer pessoa,
útilizando-se de qúalqúer meio oú veíúcúlo de comúnicaçaã o;
8- Organizar excúrsoã es, vendas, coletas, listas de pedidos,
abaixo-assinados oú campanhas de qúalqúer natúreza, sem
a preú via aútorizaçaã o da Direçaã o;
Artigo 51 – Subseção I do Regimento de Progressão

Ter-se-aú como promovido e classificado para a seú rie segúinte, o


estúdante com aproveitamento pleno nas disciplinas da seú rie
cúrsada, considerando-se os segúintes criteú rios, concomitantes
e obrigatoriamente os I, II, III E IV:
I - Freqúeê ncia igúal oú súperior a 75% (setenta e cinco por
cento) do total de horas obrigatoú rias do períúodo letivo regúlar

II - Rendimento com percentúal igúal oú súperior a 50%


(cinqúenta por cento) alcançado, dos indicadores de
desempenho previstos e trabalhados, convertidos em nota
eqúivalente para os casos especíúficos de registro númeú ricos.

III- Rendimento adeqúado nos termos da escala de conceitos


para os casos especíúficos de registro conceitúal;

IV – Promoçaã o, classificaçaã o e reclassificaçaã o pelo Conselho de


Classe devendo ser considerado o desenvolvimento de cada
estúdante nas avaliaçoã es de processos sem priorizar-se as
avaliaçoã es finais.

Artigo 54 – Subseção II – Da Avaliação de Segunda


Chamada

Ao estúdante qúe naã o comparecer aà s avaliaçoã es das


únidades, seraú assegúrado o direito aà segúnda chamada, desde
qúe solicitada ateú , no maú ximo, 48 (qúarenta e oito) horas, apoú s
a realizaçaã o da avaliaçaã o regúlar, úma vez jústificada a
aúseê ncia.

Paraú grafo UÉ nico. A jústificativa para realizaçaã o da


segúnda chamada observaraú a ocorreê ncia de:
 Necessidade de tratamento de saúú de comprovado,
mediante apresentaçaã o de atestado meú dico;
 Lúto por motivo de falecimento de parente de
primeiro graú; e
 Oútros motivos relevantes súbmetidos a parecer da
direçaã o.
Combinados da Escola

01 – Jústificar a aúseê ncia na Unidade Escolar ateú 72 horas;

02 – Naã o eú permitido o úso de celúlar oú qúalqúer aparelho


sonoro mesmo com fone dúrante as aúlas;
03 – Naã o eú permitido o úso de boneú , toúca oú similar em
qúalqúer dependeê ncia da Unidade Escolar;

04 – Colaborar com a direçaã o da Unidade Escolar na


conservaçaã o do preú dio, do mobiliaú rio escolar e de todo o
material de úso coletivo, concorrendo tambeú m para qúe se
mantenha rigoroso asseio no espaço fíúsico (interno e
externo) da escola;
05 – Indenizar os danos, obrigatoriamente, caúsados tanto
para a Unidade Escolar qúanto para os servidores e
colegas;

06 – Ter adeqúado comportamento social concorrendo


sempre, onde qúer qúe se encontre para elevaçaã o do seú
proú prio conceito bem como da Unidade Escolar;
07 – Naã o eú permitida a útilizaçaã o da imagem e nome dos
membros da comúnidade escolar sem a preú via aútorizaçaã o.

08 – Participar de todas as atividades solicitadas pelo


coleú gio;

09 – Trazer todo o material necessaú rio referente a aúla;


10 – Conservar e zelar pelo livro didaú tico;

Penalidades ao não cumprimento das normas:

1- Adverteê ncia verbal;


2- Adverteê ncia escrita;
3- Representaçaã o escrita com comúnicado aos pais no
caso de menor de idade;
4- Súspensaã o de ateú 15 dias conforme a gravidade do ato;
5- Transfereê ncia da únidade Escolar
OBS.: A penalidade de transfereê ncia somente seraú
aplicada pelo diretor apoú s a aúdieê ncia regúlar; No processo de
sindicaê ncia o alúno teraú ampla oportúnidade de defender-se
por si, oú por seús responsaú veis, se menor.
HORÁRIO ESCOLAR
Calendário Escolar - 2018

ATIVIDADE PERÍODO

Planejamento Pedagoú gico 05, 06 e 07 de Fevereiro de 2018 e


23 de Júlho de 2018

Iníúcio do Ano Letivo 19 de Fevereiro de 2018

Recesso do Carnaval 09 a 14 de Fevereiro de 2018


Recesso da Semana Santa 29 a 30 de Março de 2018

Recesso Júnino 22 de Júnho de 2018 a 02 de Júlho


de 2018

Feriado Múnicipal 13 de júnho de 2018

Transformaê 21 de setembro de 2018


Conscieê ncia Negra 20 de novembro

Total de Dias Letivos 200


Teú rmino do Ano Letivo 19 de Dezembro de 2018

Encerramento das Atividades 21 a 28 de Dezembro de 2018


Finais

(Avaliaçaã o Final e Entrega de


Atas)
MES PERIODO Nº DE DIAS SÁBADOS LETIVOS
LETIVOS

Fevereiro 19 a 28 08

Março 01 a 31 20 17/03
Abril 01 a 30 20

Maio 01 a 31 20 05/05

Júnho 01 a 30 14
Júlho 01 a 31 21 14/07

Agosto 01 a 31 23

Setembro 01 a 30 18 22/09
Oútúbro 01 a 31 21

Novembro 01 a 30 18

Dezembro 01 a 19 13

TOTAL 200
Registre sua Frequência e seu Rendimento
COLÉGIO ESTADUAL SÃO FRANCISCO - ANO LETIVO: ______
NOME: ____________________________________ TURMA: ___________

Disciplinas I II III MF I II III Total


Faltas

Arte
Artes Laborais

Biologia

Ciencias

Ed.Física
Filosofia

Física

Geografia

História
Inglês

Ling Cod
Tecnol

Ling.
Portuguesa
Química
Redação

Sociologia

Matemática

Observaçaã o:
__________________________________________________________________________________________
_______________________________
DIREÇAÃ O DA ESCOLA

Related Interests