You are on page 1of 60
NA TRILHA DO GRUPO DE JOVENS 2
NA TRILHA DO GRUPO DE JOVENS
2

NA TRILHA DO GRUPO DE JOVENS

Organização:

César Augusto Fernandes Silva, Betim – MG,Leste 2

Contribuições

Diego Rodrigues Pechim – Paróquia Divino Pai Eterno – Betim MG

Marilza Bonifacio de Oliveira – Paróquia Divino Pai Eterno – Betim MG

Recomentações:

* Cifras disponíveis na internet nos sites:

www.cifras.com.br

www.cifraclub.com.br

www.todascifras.com.br

pegacifras.uol.com.br/cifras

www.cifrasfx.com.br/

musica.uol.com.br/cifras.jhtm

www.cifras.art.br

www.vagalume.com.br/

* Caso queira colaborar com correções das cifras envie um e-mail para pjmusica@yahoo.com.br

* Atualizações disponíveis em pjmusica.wordpress.com

* Para atender todas as músicas do Na Trilha do Grupo de Jovens, deverá ser utilizado junto ao livro de cifras do Oficío Divino da juventude, Disponível em:

http://www.4shared.com/document/LO0W5c0S/musicas_cifradas_oficio_divino.html

2° Edição – Ampliada / 2011

3

NA TRILHA DO GRUPO DE JOVENS

Apresentação

Vai ser tão bonito se ouvir a canção/Cantada de novo. No olhar da gente a certeza do irmão. Reinado do povo. Utopia- Zé Vicente

Saudação, a toda juventude espalhada por aí, viemos por meio desse material

disponibilizar a você, músicas cantadas e tocadas por nossa juventude, canções que

falam sobre a nossa realidade ou que simplesmente nos transmite alegria e esperança.

Tal livro Traz as músicas cifradas contidas na coleção: Na Trilha do Grupo de Jovens.

Sabemos a importância que a arte musical exerce em nosso meio e que a música

nada mais é que fruto da vida, história ou simplesmente silêncio, deste modo, somos

chamados a viver melhor e através de nossa vivência feita por lutas e alegrias nos

expressarmos por meio da arte.

A música é capaz de despertar todas as nossas emoções, trazendo-nos o equilíbrio

do corpo, do ser e do existir. A história desta arte conta-nos que ela existe há muito tempo

e que o simples balbuciar de uma canção nos remete ao bem estar, (a exemplo citamos a

criança).

A beleza da canção que é vista por quem a estuda forma-se pelo conjunto de

notas, arranjos, melodias e ritmo, a mesma simboliza a celebração, o celebrar a vida.

Como exemplo de expressão de agradecimento, citamos a Bíblia sagrada, nela a páscoa

dos judeus simbolizava uma boa colheita, um ano de fartura. E claro que hoje o sentido

musical se estendeu e se renovou passando a não só expressar alegria, mas como

repúdio, denúncia e indignação ou mesmo diálogo, o interessante de se ressaltar e que

apesar destas mudanças de objetivos terem ocorrido sua eficácia continua a mesma.

O nosso desejo e que este material seja útil a você, em seu grupo de jovens e sua

comunidade e que juntos através de simples atos vivenciados possamos contribuir para

um mundo mais humano, sensível, um mundo melhor.

Fé e Justiça Sempre Marilza Bonifácio - Paróquia Divino Pai Eterno Betim-MG

4

NA TRILHA DO GRUPO DE JOVENS

NA TRILHA DO GRUPO DE JOVENS

COMO DINAMIZAR UM GRUPO DE JOVENS? Essa edição procura responder perguntas relativas a Capacitação Técnica ddos/das jovens, abordando temas como: que são os/as jovens, como planejar, como é realizada uma reunião, entre outros. Trata da Capacitação a partir do lugar bíblico de Emaús e apresenta temas ligados à vida do grupo, favorecendo o processo.

COMO DESENVOLVER A PARTICIPAÇÃO SOCIAL NO GRUPO DE JOVENS? O tema desse caderno é o processo de Conscientização. A dimensão política está refletida a partir da mística de Jerusalém. Esse é um excelente material para os grupos de jovens de todo Brasil se prepararem para o ano de 2010, quando teremos as eleições estaduais e nacionais. Trata da conscientização a partir do lugar bíblico de Jerusalém. São roteiros que ajudam a compreender a sociedade e a política.

COMO CUIDAR DA PESSA NO GRUPO DE JOVENS? Este volume se dedica ao/à jovem, ao seu processo de personalização e trabalho o lugar bíblico de Nazaré. São vários encontros referente a pessoa, às relações e aos projetos de vida. Com foco na pessoa do/a jovem aborda temas referentes à personalização.

COMO VIVENCIAR A FÉ E A MÍSTICA NO GRUPO DE JOVENS? A publicação deseja ser um instrumento para que os grupos de jovens possam refletir sobre as dimensões da pessoa, com destaque especial à dimensão da Evangelização. Para tanto, oferece um caminho que possibilita a vivência do Processo de Educação na Fé, considerando a pessoa do/a jovem e suas relações. Sua proposta, a partir do lugar bíblico da Samaria, é favorecer o amadurecimento da fé, traduzida na participação, no engajamento e no apoio às ações desenvolvidas em vista da transformação da realidade para outro mundo possível, com relações alimentadas pela mística cristã.

COMO DESENVOLVER A INTEGRAÇÃO DO GRUPO DE JOVENS? O tema desse caderno é o processo de Integração, a partir do l ugar bíblico de Betânia. Os roteiros aprofundam as diversas dimensões integrais da pessoa: consigo mesma, com o grupo/comunidade, com a sociedade, com o planeta. O l ivro propõe um caminho de cuidado com os/as outros/as e com o planeta, viajando pelas trilhas da diversidade, da amizade, da história e da cultura.

COMO INICIAR GRUPOS DE JOVENS? Um roteiro atualizado e ampliado como lugar místico, Bélem. Traz pontos norteadores de como iniciar um grupo de jovens, seguindo um caminho que parte da pessoa do\a jovens até o planejamento da vida em grupo. O objetivo do material é construir grupos em todos os espaços onde os\as jovens como sinal de Bélem, uma periferia do mundo que acolheu o salvador. Assim, os grupos também podem ser uma Boa Notícia para a Juventude.

5

NA TRILHA DO GRUPO DE JOVENS

SUMÁRIO

NA TRILHA DOS GRUPOS DE JOVENS

05

CONHECENDO O VIOLÃO

08

ADMIRÁVEL GADO NOVO

11

A FESTA

12

A FORÇA QUE NUNCA SECA

52

A LISTA

12

ALMA MISSIONARIA

13

AINDA É POUCO

13

AMIGO DO SOL, AMIGO DA LUA

52

AMIGOS PARA SEMPRE

50

AMOR E SEXO

14

AMOR I LOVE YOU

15

ANDAR COM FÉ

60

AXÉ - IRÁ CHEGAR

55

ATÉ QUANDO

16

BANHADOS EM CRISTO

53

BOLA DE MEIA BOLA DE GUDE

17

CARNAVÁLIA

58

CARPINTEIRO DO UNIVERSO

17

CHAMA DE LUZ E DE CALOR

18

CANÇÃO DO AMOR TALVEZ

53

CERTAS COISAS PRA DIZER

18

CIDADÃO

51

CONSTRUÇÃO

19

DIA BRANCO

55

EIS-ME AQUI SENHOR

54

EPITÁFIO

20

ESQUADROS

21

EU CREIO NA SEMENTE

56

6

NA TRILHA DO GRUPO DE JOVENS

EU QUERO APENAS

22

EU VOU SEGUIR (REACH)

49

FAMÍLIA

23

FICO ASSIM SEM VOCÊ

48

FOI DEUS QUEM FEZ VOCÊ

24

FORÇA DA PAZ

24

GRACIAS A LA VIDA

57

INFINITO PARTICULAR

25

INVOCAÇÃO

25

LIFE GODS MOMILÊ

26

ME REVELAR

27

MENINOS E MENINAS

28

MINHA ALMA

29

MINHA VIDA

29

MONTE CASTELO

30

NÃO É SERIO

31

NINGUÉM = NINGUÉM

32

NOVA LUZ

32

O SAL DA TERRA

33

PARABOLICAMARÁ

34

PARA TODOS

35

PELA INTERNET

36

PELA PAZ

37

RAÇA HUMANA

38

QUASE SEM QUERER

59

QUANDO TE VI

53

QUEM SABE ISSO QUER DIZER AMOR

39

SEMPRE ASSIM

40

SOLDADO DA PAZ

41

SOMOS QUEM PODEMOS SER

41

7

NA TRILHA DO GRUPO DE JOVENS

SUÍTE DO PESCADOR (MINHA JANGADA VAI SAIR PRO MAR)

54

TE VER

42

TELEVISÃO

43

UM CERTO GALILEU

44

VEM EU MOSTRAREI

58

VIDA DE VIAJANTE

61

VOX POPULI

45

UM NOVO SOL

46

XOTE ECOLÓGICO

47

ZÉ NINGUEM

47

Conhecendo o Violão

Música - É a arte de combinar sons de uma maneira agradável. Melodia - Combinação de sons sucessivos; Harmonia - Combinação de sons simultâneos; Ritmo - Uma combinação de valores das notas dispostas no tempo em que são executadas;

Anatomia do violão

De maneira geral, todos os tipos e violão produzem sons musicais seguindo o mesmo princípio. Ao ser tocada, a corda recebe energia que a faz vibrar. No entanto, essa vibração não é suficiente para, sozinha, produzir no ar ondas sonoras que possam ser claramente ouvidas.no tempo em que são executadas; Anatomia do violão É por essa razão que o violão

É por essa razão que o violão tem corpo oco. O corpo é uma caixa acústica cuidadosamente desenhada. A energia das cordas em vibração é transferida à caixa acústica através do rastilho e do cavalete, sobre os quais as cordas passam. A caixa vibra, em sintonia com as cordas do violão para gerar, no ar, ondas sonoras “amplificadas” - e, portanto, audíveis. Estas ondas sonoras podem ser ouvidas a uma distância razoável do instrumento. Em outras palavras, é a caixa acústica a responsável pela projeção e volume do som.essa vibração não é suficiente para, sozinha, produzir no ar ondas sonoras que possam ser claramente

razoável do instrumento. Em outras palavras, é a caixa acústica a responsável pela projeção e volume

8

NA TRILHA DO GRUPO DE JOVENS

NA TRILHA DO GRUPO DE JOVENS Há violões de seis, sete, dez e doze cordas. Aqui,

Há violões de seis, sete, dez e doze cordas. Aqui, mostraremos o violão de seis cordas.

Nestes instrumentos as 6 cordas produzem 5 notas quando tocadas soltas as cordas elas produzem estas notas Mi = E (6°corda), Lá = A (5ºcorda), Ré = D (4ºcorda), Sol = G (3ºcorda), Si = B (2ºcorda) e Mi = E (1ºcorda).

O violão deve ser tocado, ritmado ou dedilhado, com os dedos da mão direita e pressionando as mesmas contra a escala, usando os dedos da mão esquerda.( 3ºcorda ), Si = B ( 2ºcorda ) e Mi = E ( 1ºcorda ).

as mesmas contra a escala, usando os dedos da mão esquerda. Elementos Som Som é o

Elementos

Som Som é o fenômeno produzido por um corpo que vibra. Os sons musicais tem quatro propriedades:

1. Duração - Tempo de vibração; 2. Intensidade - Quando é fraco ou forte; 3. Altura - Quando é grave ou agudo; 4. Tibre - Quando podemos reconhecer a sua origem.

Sons musicais Na música os sons foram divididos em intervalos que chamamos de semitom, onde cada som tem

um timbre diferente dado pela altura entre uma nota e outra. Nesta divisão surgiram 12 sons. Destes 12 sons, 7 notas receberam nomes distintos e as outras 5 tem os mesmos nomes acrescentados de sinais, que chamamos de acidentes.

Assim temos as 7 notas naturais:

que chamamos de acidentes. Assim temos as 7 notas naturais: DÓ - RÉ - MI -

DÓ - RÉ - MI - FÁ - SOL - LÁ – SI

Tons e Semitons: Expressões usadas no intervalo entre duas notas musicais. - TOM: Expressado através de trastes alternados

SEMITON ou 1/2: Expressado através de trastes consecultivos

SEMITON ou 1/2: Expressado através de trastes consecultivos Acidentes Musicais # São sinais que alteram os

Acidentes Musicais

#
#

São sinais que alteram os sons das notas. São eles:

- Sustenido: Aumenta ½ tom a nota natural (Eleva a altura da nota). Ex.: DO - DO#

b - Bemol: Diminui ½ tom a nota natural (Abaixa a altura da nota). Ex.: SOL - SOLb.

Si e Mi não tem sustenido. Fá e Dó não tem bemol Podemos dizer que:

tem sustenido. Fá e Dó não tem bemol Podemos dizer que: Db é igual a C#

Db é igual a C# Eb é igual a D# Gb é igual a F# Ab é igual a G# Bb é igual a A#

Batida (Ritmo)

A batida de uma música significa a mesma coisa que ritmo. È uma das partes mais importantes sob o ponto de vista musical e possui várias formas dependendo da música. Sabe aquele som que você balbucia com a boca quando quer produzir o som de uma música com a boca? ISTO É O RITMO DA MÚSICA OU SEJA A BATIDA!! Passe isto para a mão esquerda quando estiver batendo nas cordas do seu instrumento.

9

NA TRILHA DO GRUPO DE JOVENS

Apresenta-se sempre uma forma rítmica para cada música, contudo, pode ser mudada se você preferir optar por outra forma rítmica. Para melhor contribuir na compreensão do ritmo (batida). É possível você perceber que, na tablatura já está demonstrado o Ritmo (batida). Basta você escutar a música e olhar para tablatura e depois tocar. Tirar o ritmo de uma música não é difícil, mas tem algumas que você pode se confundir ao escutar pois podem existir muitos efeitos de estúdio.

Dicas Importantes

1- Antes de qualquer coisa escute a música. 2- Depois Observe os acordes nela usados. 3- Tente dominar todos os acordes desta música. (principalmente a passagem de um para outro) 4- Após aprender todos os acordes, escute a música e tente acompanhá-la. 5- Nunca desista de tocar uma música por causa de um acorde, pois isto é uma barreira que você só vai passar com o tempo.

Afinação

A afinação de um instrumento pode ser feita através de um diapasão, afinador de sopro ou afinador eletrónico que pode ser encontrado em lojas especializadas. O diapasão, tem uma afinação de 440MHz que é a nota Lá, o mesmo som produzido pela 5º corda. Apertado ou soltando as tarraxas até o som igualar, ao você pressionar a 5º corda na quinta casa, ela irá produzir a nota Ré é só igualar a 4ºcorda, e assim por diante, com exceção da 3 corda que toca-se na 4 casa para afinar a 2 corda e a 1 corda que será referencial para a 6 corda.

Obs.: A afinação é muito importante, por isso pense bem sobre o afinador, pois pessoas que estão começando sentem dificuldades em afinar de ouvido, já para mais experientes isto é mais fácil.

Dicas importantes, sobre como cuidar e utilizar o seu instrumento:

·
·

Nunca guarde seu instrumento com o braço encostado na parede você poderá empená-lo. Pode

ocorrer com guitarras, violões e principalmente em baixos,onde a tensão nas cordas é muito maior. O ideal

e guardar dentro de suas respectivas caixas ou deitados.

O tom de discar do seu telefone produz uma vibração de 440 MHz, que corresponde à nota Lá . .

Portanto, na falta de um diapasão para afinar seu instrumento, utilize-se do telefone.

Sempre que usar seu instrumento faça uma limpeza usando uma flanela bem lisa, retire a gordura do corpo e das cordas e recomendado usar produtos de limpeza e conservação que são próprios para as cordas principalmente as de aço.

·
·

Limpeza do instrumento Existem à venda produtos específicos para limpeza de instrumentos, corpo, escalas, cordas, etc. Prefira usar o material recomendado pelo fabricante (que pode variar conforme o tipo de acabamento e material do instrumento). A maioria dos fabricantes recomenda cera de carnaúba e a mesma pode ser encontrada em boas lojas de música. Jamais use produtos abrasivos (como cera de carro) ou solventes. Na falta de material adequado use um pano seco ou levemente umedecido.

Importante

Nunca deixe cordas enferrujadas em sua guitarra a ferrugem pode atingir outras partes metálicas do instrumentos como os captadores.

Manutenção do encordoamento Com o passar do tempo, as cordas do violão perdem um pouco da qualidade do som. É necessário

troca-las de acordo com um princípio simples: uma (corda velha) por uma (corda nova). Nunca retire todo o encordoamento do instrumento, isso fará a caixa acústica do violão sofrer com a falta de pressão antes exercidas pelas cordas. Este fato é observado, quando é colocada novas cordas. A afinação ira demorar mais do que o normal para se manter inalterada. O tempo útil de cada encordoamento vária de acordo com

a qualidade da corda, uso, limpeza, clima favorável, alem de outros fatores.

cada encordoamento vária de acordo com a qualidade da corda, uso, limpeza, clima favorável, alem de

10

NA TRILHA DO GRUPO DE JOVENS

1. ADMIRÁVEL GADO NOVO - Zé Ramalho

Intro: D D5+ D6 D5+

D

D5+

D6

D5+

D

D5+

D6

D5+

Vocês que fazem parte dessa massa que passa nos projetos do futuro.

 

D

D5+

D6

D5+

D

D5+

 

D6

D5+

É

duro tanto ter que caminhar e dar muito mais do que receber.

Em

F#7

Bm A

Em

F#7

Bm A

E

ter que demonstrar sua coragem à margem do que possa parecer.

Em

F#7

Bm

A Em

F#7

Bm

A7

E

ver que toda essa engrenagem já sente a ferrugem te comer.

D

G

D

G

D

G

D

G

Ê, ô ô, vida de gado, povo marcado, ê, povo feliz

 
 

D

D5+

D6 D5+

D

D5+

D6

D5+

Lá fora faz um tempo confortável, a vigilância cuida do normal.

 

D

D5+

D6

D5+ D

D5+

D6

D5+

Os automóveis ouvem a notícia, os homens a publicam no jornal.

Em

F#7

Bm

A Em

F#7

Bm A

E correm através da madrugada a única velhice que chegou.

Em

F#7

Bm

A Em

F#7

Bm A7

Demoram-se na beira da estrada e passam a contar o que sobrou.

(D G)

Ê, ô ô, vida de gado, povo marcado, ê, povo feliz

D

D5+

D6

D5+ D

D5+

D6

D5+

O

povo foge da ignorância apesar de viver tão perto dela.

 

D

D5+

D6 D5+

D

D5+

D6

D5+

E

sonham com melhores tempos idos, contemplam essa vida numa cela.

A Em

Esperam nova possibilidade de verem esse mundo se acabar.

Bm A

A arca de Noé, o dirigível, não voam nem se pode flutuar.

Em

Em

F#7

Bm

F#7

F#7

Bm A

F#7

Bm A

Em

(3X)

(D G)

Ê, ô ô, vida de gado, povo marcado, ê, povo feliz

11

NA TRILHA DO GRUPO DE JOVENS

2. A FESTA Ivete Sangalo

A

Festa no gueto,

A

Em7

A7

Batuque de candomblé

G

A

A

Pode vir, pode chegar

 

Vai lá

G

A

D

Misturando o mundo inteiro

G

A

Vamos ver no que é que dá

G

A

Hoje tem festa no gueto,

G

A

Pode vir, pode chegar G

Misturando o mundo inteiro

A

Vamos ver no que é que dá

A7

Tem gente de toda cor

A

G

D

A

Em7

Tem raça de toda fé

A

D

Guitarras de rock'n roll

3. A LISTA - Osvaldo Montenegro

F# Faça uma lista de grandes amigos Bm

Quem você mais via há dez anos atrás F# Quantos você ainda vê todo dia Bm Quantos você já não encontra mais

A

A7

Faça uma lista dos sonhos que tinha

D

Quantos você desistiu de sonhar A

Quantos amores jurados pra sempre D

Quantos você conseguiu preservar F# Onde você ainda se reconhece Bm Na foto passada ou no espelho de agora F# Hoje é do jeito que achou que seria? Bm Quantos amigos você jogou fora

A7

F#

Pra ver

A

Em7

A tribo se balançar A

O chão da terra tremer

D

A

Mãe preta de lá mandou chamar

A

Avisou, Avisou, Avisou , Avisou

G

A

G

A

G

A

G

A

D

G

Que vai rolar a festa

A

Vai rolar

G

O povo no gueto

D

G

A

G

Mandou avisar

A

A7

Quantos mistérios que você sondava

D

Quantos você conseguiu entender?

A7

Quantos segredos que você guardava

A

D

F#

Hoje são bobos ninguém quer saber F# Quantas mentiras você condenava Bm Quantas você teve que cometer F#

Quantos defeitos sanados com o tempo Bm Eram o melhor que havia em você

A

A7

Quantas canções que você não cantava D Hoje assobia pra sobreviver

A

A7

Quantas pessoas que você amava

Bm

F#m

Bm

Hoje acredita que amam você.

12

NA TRILHA DO GRUPO DE JOVENS

4. ALMA MISSIONARIA -

Intro. G D Em C G Am D7

G

DE JOVENS 4. ALMA MISSIONARIA - Intro. G D Em C G Am D7 G D

D

EmDE JOVENS 4. ALMA MISSIONARIA - Intro. G D Em C G Am D7 G D

JOVENS 4. ALMA MISSIONARIA - Intro. G D Em C G Am D7 G D Em

C

4. ALMA MISSIONARIA - Intro. G D Em C G Am D7 G D Em C

G

Am

D7

Senhor, toma essa vida nova, antes que a espera, desgaste anos em mim.

G

D
D

Em

C
C

G

Am D 7
Am
D
7

Estou disposto ao que quiseres, não importa o que seja Tu chamas-me a servir!

G

D
D

Em

não importa o que seja Tu chamas-me a servir! G D Em C Leva-me aonde os

C

Leva-me aonde os homens, necessitem tuas palavras,

G Am D7 Necessitem G meu gosto de viver. D Onde falte a esperança, Em
G
Am
D7
Necessitem
G
meu gosto de viver.
D
Onde falte a esperança,
Em
C
G
Am

D7

Onde tudo seja triste, simplesmente, por não saber de ti.

Te dou meu coração sincero para gritar sem medo: formoso é teu amor.

Senhor, tenho alma missionária conduza-me a terra que anseia só por ti!

E a assim, imaginei cantando, por povos pregando tua grandeza Senhor.

Terei meus braços sem cansaço, tua história entre os lábios e a força da oração!

5. AINDA É POUCO - Zé Vicente / Gero Camilo

G D7 Em Bm7 C G D7 G A gente ainda sente a dor que
G D7
Em
Bm7
C
G D7
G
A gente ainda sente a dor que é vigente. A
gente quer urgente deixar de ser semente.
C
G Dm7
G7
C Am7
D7
A gente é bem gente e ainda é pouco.
A gente é bem gente e ainda é pouco.

Dm7 G7

G A G
G
A
G

B7

Em B7 C
Em
B7
C

Am7

D7
D7

gente é o braço que abraça os da gente. Que chora, que ri, que sente. A gente é bem gente

D7

e ainda é pouco. G B7
e ainda é pouco.
G B7

Em

B7
B7
C Am7 A
C
Am7
A

D7

gente é bem gente e

A

gente é amor que mora na gente. Que beija, que toca que sente.

G ainda é pouco.
G
ainda é pouco.

D7

Refrão

 

G

 

B7

B7 Em

Em

B7

C Am7 D7
C
Am7
D7

A

G

gente é doente de ver tanta gente. Que morre,que sofre, que sente.

D7

A gente é bem gente e

ainda é pouco.

 
 

G

 

B7

Em

Em

 

B7

B7 C Am7 A D7

C

Am7 A
Am7
A

D7

A

G

gente é luz que clareia o nascente. Que brilha no olho da gente.

D7

gente é bem gente e

ainda é pouco

13

NA TRILHA DO GRUPO DE JOVENS

6. AMOR E SEXO - Rita Lee

INTRO: F F# G

G

B7

Em

G7

Amor é um livro - sexo é esporte

 

C

Cm

G

D7/4 D7 D7/9 D7

Sexo é escolha - amor é sorte

G

B7

Em

G7

Amor é pensamento, teorema

 

C

Cm

G

G7

Amor é novela - sexo é cinema

C

Cm

Bm

Em

Sexo é imaginação, fantasia

A7 C

Amor é prosa - sexo é poesia

(D7/4 D7 D7/9 D7) 2X

G

B7

Em

G7

O amor nos torna

Cm

patéticos

 

C

 

G

G7

 

Sexo é uma selva de epiléticos

 

C

D

Em

D

Amor é cristão - sexo é pagão

 

C

Cm

G

G7

Amor é latifúndio - sexo é invasão

C

B7

Em

Em7+ Em7

Amor é divino - sexo é animal

A7

C

D

D5+

Amor é bossa nova - sexo é carnaval oh oh

G B7

Em

G7

Amor é para sempre - sexo também

C Cm

G

D7/4 D7 D7/9 D7

Sexo é do bom - amor é do bem

G

B7

Em

G7

Amor sem sexo é amizade

C Cm

Sexo sem amor

C

Cm

Bm

G

G7

é vontade

Em

Amor é um - sexo é dois

A7

Sexo antes - amor depois

C

(D7/4 D7 D7/9 D7) 2x

G

B7

Em

G7

Sexo vem dos outros e vai embora

C Cm Amor vem de nós

G

G7

e demora

C

D

Amor é cristão

14

NA TRILHA DO GRUPO DE JOVENS

7. AMOR I LOVE YOU - Marisa Monte

D

G

Gm

D

Deixa eu dizer que te amo

Em

Isso me ajuda a viver

F#m

D

Deixa eu pensar em você

Hoje contei pra as paredes F#m

Isso me acalma

 

Coisas do meu coração

A7

Em

me acolhe a alma

 

Passei no tempo

G

Gm

D

A7

Isso me ajuda a viver

D

Hoje contei pra as paredes F#m Coisas do meu coração

Caminhei nas horas

G Gm

Mais do que passo a paixão

D

G

Gm

D

É um espelho sem razão

Em

G Gm

D

Passei no tempo

Quer amor fique aqui

A7

Caminhei nas horas

D7

Em

G

Mais do que passo a paixão

Gm

D

G Gm

D

É um espelho sem razão

G Gm

D

Quer amor fique aqui

D

Deixa eu dizer que te amo F#m Deixa eu gostar de você

Meu peito agora dispara

A7

Vivo em constante alegria

D

G Gm

D

É o amor quem está aqui

D

Amor I love you

A7

Amor I love you

Em

G

Isso me acalma

Amor I love you

A7

Gm

D

me acolhe a alma

Amor I love you

( D A7 G Gm ) " - Tinha suspirado Tinha beijado o papel devotamente

Era a primeira vez que lhe escreviam aquelas sentimentalidades

E o seu orgulho dilatado em seu calor amoroso que saía delas

Como um corpo ressequido que se estira num banho tépido

Sentia um acréscimo do estímulo por si mesma

E parecia-lhe que entrava enfim uma existência superiormente interessante

Onde cada hora tinha o seu intuito diferente Cada passo conduzia um êxtase

E a alma se cobria de um luxo radioso de sensações."

15

NA TRILHA DO GRUPO DE JOVENS

8. ATÉ QUANDO – Gabriel o Pensador

E

G

Não adianta olhar pro céu, com muita fé e pouca luta.

D

Levanta aí que você tem muito protesto pra fazer e

A

muita greve, você pode, você deve, pode crer. E

Não adianta olhar pro chão, virar a cara pra não ver.

G

D

Se liga aí que te botaram numa cruz e só porque

A

Jesus sofreu não quer dizer que você tenha que sofrer

(E G D A) Até quando você vai ficar usando rédea? Rindo da própria tragédia? Até quando você vai ficar usando rédea? (Pobre, rico, ou classe média). Até quando você vai levar cascudo mudo? Muda, muda essa postura. Até quando você vai ficando mudo? Muda que o medo é um modo de fazer censura.

(E G D A)

Até quando você vai levando?_(Porrada!_Porrada!) Até quando vai ficar sem fazer nada?

Até quando você vai levando? (Porrada!_Porrada!) Até quando vai ser saco de pancada? ( 2x )

(E G D A)

Você tenta ser feliz, não vê que é deprimente, seu filho sem escola, seu velho ta sem dente.

Cê tenta ser contente e não vê que é revoltante, você ta sem emprego e a sua filha ta gestante. Você se faz de surdo, não vê que é absurdo, você que é inocente foi preso em flagrante!

É

tudo flagrante! É tudo flagrante!

(E

G D A)

Até quando você vai levando? (Porrada!_Porrada!) Até quando vai fica sem fazer nada?

Até quando você vai levando? (Porrada!_Porrada!)

Até quando vai ser saco de pancada?

(E)

A policía matou o estudante, falou que

era bandido, chamou de traficante.

A justiça prendeu o pé-rapado

(2x)

A programação existe pra manter você na frente,

na frente da TV, que é pra te entreter, que é

pra você não ver que o porgramado é você.

E

Acordo, não tenho trabalho, procuro trabalho, quero trabalhar.

G

O

cara me pede o diploma, não tenho diploma, não

pude estudar.

B

E

querem que eu seja educado, que eu ande

arrumado, que eu saiba falar.

D

Aquilo que o mundo me pede não é o que o mundo me dá.

E

Consigo um emprego, começa o emprego, me mato de tanto ralar.

G

Acordo bem cedo, não tenho sossego nem tempo pra raciocinar.

B

Não peço arrego, mas onde que eu chego se eu fico no mesmo lugar?

D

Brinquedo que o filho me pede, não tenho dinheiro pra dar.

E

Escola, esmola! Favela, cadeia!

D

Sem terra, enterra!

A

Sem renda, se renda! Não! Não!!

(E G D A)

Até quando você vai levando? (Porrada! _Porrada!) Até quando vai fica sem fazer nada? Até quando você vai levando? (Porrada! _Porrada!) Até quando vai ser saco de pancada? (2x)

(E G D A)

Muda, que quando a gente muda o mundo muda com a gente.

G

Soltou o deputado

A

gente muda o mundo na mudança da mente.

e

absolveu os PM's de Vigário

E

quando a mente muda a gente anda pra frente.

(E

G D A)

E

quando a gente manda ninguém manda na gente.

Até quando você vai levando? (Porrada!_Porrada!) Até quando vai fica sem fazer nada? Até quando você vai levando? (Porrada!_Porrada!) Até quando vai ser saco de pancada? (2X)

(E G D A)

A polícia só existe pra manter você na lei,

lei do silêncio, lei do mais fraco:

ou aceita ser um saco de pancada ou vai pro saco.

16

Na mudança de atitude não há mal que não se mude nem doença sem cura. Na mudança de postura a gente fica mais seguro, na mudança do presente a gente molda o futuro!

Até quando você vai ficar levando porrada, até quando vai ficar sem fazer nada? Até quando você vai ficar de saco de pancada? Até quando você vai levando?

NA TRILHA DO GRUPO DE JOVENS

9. BOLA DE MEIA BOLA DE GUDE – Milton N. Fernando Brant/14 Bis

G

C

G

C

Há um menino, há um moleque, morando sempre no meu coração Toda vez que o adulto balança ele vem pra me dar à mão Há um passado no meu presente, o sol bem quente lá no meu quintal Toda vez que a bruxa me assombra o menino me dá a mão

C

F

Dm

G

Ele fala de coisas bonitas que eu acredito que não deixarão de existir

C

Cm

D7

Amizade, palavra, respeito, caráter, bondade, alegria e amor

C

F

Dm

G

Pois não posso, não devo, não quero viver como toda essa gente insiste em viver

C

Cm

D7

E não posso aceitar sossegado qualquer sacanagem ser coisa normal

G

C

G

C

Bola de meia, bola de gude, o solidário não quer solidão Toda vez que a tristeza me alcança o menino me dá a mão

Há um menino, há um moleque, morando sempre no meu coração Toda vez que o adulto balança, ele vem pra me dar à mão

10. CARPINTEIRO DO UNIVERSO - Raul Seixas/ Marcelo Nova

G C

Carpinteiro do universo inteiro eu sou (2X)

Cm

G

C

Não sei por que nasci pra querer ajudar a querer consertar o que não pode ser

G

C

Não sei pois nasci para isso e aquilo e o enguiço de tanto querer

G

C

Cm

G

Carpinteiro do universo inteiro eu sou (2X)

B7

Em Dm7 G7

Estou sempre pensando em aparar o cabelo de alguém

D

E sempre tentando mudar a direção do trem

G

À noite a luz do meu quarto eu não quero apagar

C

C

G

Em

A4/7

A7

C

G

Pra que você não tropece na escada quando chegar

G

C

Cm

G

Carpinteiro do universo inteiro eu sou (2X)

G

D

G

O

meu egoísmo é tão egoísta que o auge do meu egoísmo é querer ajudar

F/A

F#/A#

G/B

G

G/B

C

Mas não sei por que nasci pra querer ajudar a querer consertar o que não pode ser

F/A

F#/A#

G/B

G

G/B

C

Não sei pois nasci para isso e aquilo e o enguiço de tanto querer

G

C

Cm

G

Carpinteiro do universo inteiro eu sou

G

C

Cm

G

Não sei pois nasci Carpinteiro do universo inteiro eu sou assim

C

Cm

G

No final carpinteiro de mim

17

NA TRILHA DO GRUPO DE JOVENS

11. CHAMA DE LUZ E DE CALOR – A.D

Dm

Chama de luz e de calor, espirito santo de amor. Reúne o teu povo a caminho, é a vida viva.

Dm A7 Dm

Am

Dm

Am

Dm

C

Am

Dm

Am

12. CERTAS COISAS PRA DIZER - Pe. Jorge Trevisol

Introduçã: (D G A9)

D G

Vou falar certas coisas que o coração não diz

D

Se não amar a verdade e se alma não for feliz

A9

D

D

G

A9

G

A9

D

D4

D D9 D

Bm

É que a vida tem certas coisas reservadas só pra depois

Em

A9

G

A9

D

Quando a gente se encontrar com outras que também conheceram o amor

G

A9

D

Bm

E não há sentimento escondido que não venha provar seu valor

Em

A9

G

A9

D

D G A9 D

Uns confundem eu outros consolam eles vê pra dizer quem eu sou.

D G

Vou lembrar outra coisa que também aprendi

D

Fechando os olhos da alma e sem querer resistir

A9

D

D4

D

G

A9

G

A9

D

D D9 D

Bm

Não há nada sereno e seguro que não tenha passado por Deus

Em

A9

G

A9

D

Mesmo quando o caminho é escuro há uma luz apontando pra céu

G

A9

D

Bm

Basta olhar como surgem as coisas onde é que elas vão terminar

Em

A9

G

A9

D

D G A9 D

Se é o amor quem conduz seu destino elas são portadoras de paz.

D G

Tenho enfim outra coisa que não posso esquecer

D

Mesmo sem ter certeza mas eu preciso dizer

A9

A9

D

G

D

G

A9

D

D4

D D9 D

Bm

O

que eu penso a respeito da vida é que um dia ela vai perguntar

 

Em

A9

G

A9

D

O

que é que eu fiz com meus sonhos? E qual foi o meu jeito de amar?

G

A9

D

Bm

O

que eu é que eu deixei pras pessoas que no mundo vão continuar?

Em

A9

G

A9

D

Pra que eu não tenha vivido a toa e que não seja tarde demais

18

(2X)

G A9 D

NA TRILHA DO GRUPO DE JOVENS

13. CONSTRUÇÃO - Ney Matogrosso\ Chico Buarque

A9-/E

Dm6

Dm6/A

Amou daquela vez como se fosse a última

Dm6

Beijou sua mulher como se fosse a última

Dm6

Dm6/A

Dm6/A

Dm6

Dm6/A

E

cada filho seu como se fosse o único G#° Gm7 Gm/F Em7(b5/11)

E

atravessou a rua com seu passo tímido

A9-/E

Subiu a construção como se fosse máquina

Dm6 Dm6/A

Ergueu no patamar quatro paredes sólidas Dm6 Dm6/A Tijolo com tijolo num desenho mágico

Dm6

Dm6/A

Dm6

Dm6/A

G#°

Gm7

Gm/F

Em7(b5/11)

Seus olhos embotados de cimento e lágrima

A9-/E

Sentou pra descansar como se fosse sábado

Gm6

Comeu feijão com arroz como se fosse um príncipe

Gm6 Gm6/D

Bebeu e soluçou como se fosse um náufrago

Gm6/D

Gm6

Em6

Gm6/D

Gm6

Gm6/D

Em7(b5/11)

Dançou e gargalhou como se ouvisse música

A9-/E

E tropeçou no céu como se fosse um bêbado

Dm6

E flutuou no ar

Dm6

E se acabou no chão feito um pacote flácido

Dm6

Dm6

Dm6/A

Dm6/A

Dm6/A

como se fosse um pássaro

Dm6/A

G#°

Gm7

Gm/F

Em7(b5/11)

Agonizou no meio do passeio público

A9-/E

Morreu na contramão atrapalhando o tráfego

Dm6

Dm6/A

Dm6 Dm6/A Dm6 Dm6/A

Dm6

Amou daquela vez como se fosse o último

Dm6

Beijou sua mulher como se fosse a única

Dm6

Dm6/A

Dm6/A

Dm6/A

Dm6

Dm6

Dm6/A

Dm6/A

E

cada filho seu como se fosse o pródigo G#° Gm7 Gm/F Em7(b5/11)

E

atravessou a rua com seu passo bêbado

A9-/E

Subiu a construção como se fosse sólido

Dm6

Ergueu no patamar quatro paredes mágicas Dm6 Dm6/A Tijolo com tijolo num desenho lógico

Dm6

Dm6/A

Dm6/A

Dm6

Dm6/A

G#°

Gm7

Gm/F

Em7(b5/11)

Seus olhos embotados de cimento e tráfego

A9-/E

Sentou pra descansar como se fosse um príncipe

Gm6

Comeu feijão com arroz como se fosse o máximo

Gm6 Gm6/D

Bebeu e soluçou como se fosse máquina

Gm6/D Gm6 Gm6/D

Gm6

Gm6/D

Em6

Em7(b5/11)

Dançou e gargalhou como se fosse o próximo

A9-/E

E tropeçou no céu como se ouvisse música

Dm6

E flutuou no ar

Dm6

E se acabou no chão feito um pacote tímido

Gm/F

Agonizou no meio do passeio naufrago

Dm6/A

Dm6

Dm6

Dm6/A

Dm6/A

como se fosse sábado

Dm6/A

Em7(b5/11)

G#°

Gm7

A9-/E

Morreu na contramão atrapalhando o público

Dm6

Dm6/A

Dm6 Dm6/A Dm6 Dm6/A

Dm6 Dm6/A

Amou daquela vez como se fosse máquina

Dm

Dm(7M)

Dm7

Beijou sua mulher como se fosse lógico

Dm6*

Dm(b6)

Ergueu no patamar quatro paredes flácidas

Dm*

Sentou pra descansar como se fosse um pássaro

 

Gm7/D

Dm6/A

E

flutuou no ar

como se fosse um príncipe

G#°

Gm7

Gm/F

Em7(b5/11)

E

se acabou no chão feito um pacote bêbado

A9-/E

Dm6/A Dm6 Morreu na contramão atrapalhando o Sábado

Dm6

Dm6/A Dm6

19

NA TRILHA DO GRUPO DE JOVENS

14. EPITÁFIO – Titãs

G D/F#

Devia ter amado mais

G7

Em

C

Cm

Ter chorado mais

G

Ter visto o sol nascer

G D/F#

Devia ter arriscado mais

C E até errado mais

Em

G7

Cm

G

Ter feito o que eu queria fazer

C

Queria ter aceitado as pessoas como elas são

C Cm

Cada um sabe a alegria e a dor que traz no coração

Cm

G

Em

G

A7

Em

D

Cm

G

G

G/B

Am7

O

acaso vai me proteger Cm

G

Enquanto eu andar distraído

G

G/B

Am7

O

acaso vai me proteger

Cm

G

Enquanto eu andar

G D/F#

Devia ter complicado menos

Em

G7

C

Cm

Trabalhado menos

G

Ter visto o sol se pôr

G D/F#

Devia ter me importado menos com problemas pequenos

Em

G7

C

Cm

G

Ter morrido de amor

C Cm G Em

Queria ter aceitado a vida como ela é

C Cm

A cada um sabe a alegria e a tristeza que vier

A7

D

G

Em

Cm

G

G

G/B

Am7

Cm

G

O

acaso vai me proteger enquanto eu andar distraído

G

G/B

Am7

Cm

G

O

acaso vai me proteger enquanto eu andar

 

G

G/B

Am7

Cm

G

O

acaso vai me proteger enquanto eu andar distraído

G

G/B

Am7

Cm

G

O

acaso vai me proteger enquanto eu andar

 

G

D/F#

Em

G7

Devia ter complicado menos

C

Cm

Trabalhado menos

G

Ter visto o sol se pôr

20

NA TRILHA DO GRUPO DE JOVENS

15. ESQUADROS Adriana Calcanhoto

A

Eu ando pelo mundo

F#m

Prestando atenção em cores que eu não sei o nome

Bm

E7

Am

Quem é ela, quem é ela? Eu vejo tudo enquadrado

F7+

E7

Remoto controle

Cores de Almodovar, cores de Frida Kalo, cores

A

Passeio pelo escuro

F#m

Eu presto muita atenção no que o meu irmão ouve

Bm

E7

E como uma segunda pele, um calo, uma casca

A

Uma cápsula protetora F#m Eu quero chegar antes Bm

Pra sinalizar o estar de cada coisa, filtrar seus graus

E7

A

F#m

A

Eu ando pelo mundo F#m

E meus amigos, cadê?

Bm

E7

Minha alegria, meu cansaço

A F#m

Meu amor cadê você? Bm Eu acordei

E7

Não tem ninguém ao lado

Eu ando pelo mundo divertindo gente, chorando ao

telefone

 

Bm

E7

Am

 

Dm

E

vendo doer a fome nos meninos que tem fome

Pela janela do quarto, pela janela do carro Pela tela, pela janela Am

F7+

E7

Am

 

Dm

Quem é ela, quem é ela?

Pela janela do quarto, pela janela do carro Pela tela, pela janela

Eu vejo tudo enquadrado

 

Am

Remoto controle

 

Quem é ela, quem é ela? Eu vejo tudo enquadrado

 

F7+

E7

A

Remoto controle

 

Eu ando pelo mundo F#m

 
 

E

meus amigos, cadê?

 

A

Bm

 

E7

Eu ando pelo mundo

 

Minha alegria, meu cansaço

 

F#m

 

A

F#m

E

os automóveis correm para quê?

 

Meu amor cadê você?

 

Bm

 

E7

Bm

As crianças correm para onde?

 

Eu acordei

 

A

E7

Transito entre dois lados de um lado F#m Eu gosto de opostos

 

Não tem ninguém ao lado

 
 

Bm

Am

Dm

Exponho o meu modo, me mostro

 

Pela janela do quarto, pela janela do carro

E7

 

Pela tela, pela janela

Eu canto para quem?

 

Am

Am

Dm

Quem é ela, quem é ela? Eu vejo tudo enquadrado

Pela janela do quarto, pela janela do carro

F7+

 

E7

Pela tela, pela janela

Remoto controle

 

21

NA TRILHA DO GRUPO DE JOVENS

16. EU QUERO APENAS Roberto Carlos

Intro: A

Bm E7

A

Bm

E7 A

A

Bm

E7

A

Bm

E7

A

Eu quero apenas olhar os campos, eu quero apenas cantar meu canto.

Bm

E7

A

Bm

E7

A

Eu só não quero cantar sozinho, eu quero um coro de passarinhos.

D A

Bm

E7

A

Quero levar o meu canto amigo a qualquer amigo que precisar.

D

A

Bm

E7

A

Eu quero ter um milhão de amigos e bem mais forte poder cantar. ( 2 X )

Bm

E7

A

Bm

E7

A

Eu quero apenas um vento forte, levar meu barco no rumo norte.

Bm

E7

A

Bm

E7

A

E no caminho o que eu pescar quero dividir quando lá chegar.

D A

Bm

E7

A

Quero levar o meu canto amigo a qualquer amigo que precisar.

D

A

Bm

E7

A

Eu quero ter um milhão de amigos e bem mais forte poder cantar. ( 2 X )

Bm

E7

A

Bm

E7

A

Eu quero crer na paz do futuro, eu quero ter um quintal sem muro.

Bm

E7

A

Bm

E7

A

Quero meu filho pisando firme, cantando alto, sorrindo livre.

D A

Bm

E7

A

Quero levar o meu canto amigo a qualquer amigo que precisar.

D

A

Bm

E7

A

Eu quero ter um milhão de amigos e bem mais forte poder cantar. ( 2 X )

Bm

E7

A

Bm

E7

A

Eu quero amor decidindo a vida, sentir a força da mão amiga.

Bm

E7

A

Bm

E7

A

O meu irmão com sorriso aberto, se ele chorar quero estar por perto.

D A

Bm

E7

A

Quero levar o meu canto amigo a qualquer amigo que precisar.

D

A

Bm

E7

A

Eu quero ter um milhão de amigos e bem mais forte poder cantar. ( 2 X )

Bm

E7

A

Bm

E7

A

Eu quero apenas olhar os campos, eu quero apenas cantar meu canto.

Bm

E7

A

Bm

E7

A

Eu só não quero cantar sozinho, eu quero um coro de passarinhos.

D A

Bm

E7

A

Quero levar o meu canto amigo a qualquer amigo que precisar.

D

A

Bm

E7

A

Eu quero ter um milhão de amigos e bem mais forte poder cantar. ( 2 X )

22

NA TRILHA DO GRUPO DE JOVENS

17. FAMÍLIA - Titãs

Intro. (D

A

G)

A

Família ê

G

Família á

Família, família

D

G

D

G

Família

Papai, mamãe, titia,

A

Família, família

D

G

Almoça junto todo dia,

D

G

Nunca perde essa mania. D

Mas quando a filha quer fugir de casa

G

D

G

Precisa descolar um ganha pão

D

G

Filha de família se não casa D

Papai, mamãe, não dão nenhum tostão,

G

A

Família ê

G

Família á

D

G

Família

D

Família ê

A

Família á

G

Família

D

Família ê

A

Família á

G

Família

A

Família, família

D

G

Cachorro, gato, galinha

A

Família, família

D

G

Vive junto todo dia

D

Nunca perde essa mania D

A mãe morre de medo de barata

G

G

D

G

O

D

pai vive com medo de ladrão, G

Jogaram inseticida pela casa

D

G

Bota um cadeado no portão.

A

Família ê

 

A

G

Família, Família

 

Família á

 

D

G

D

G

Vovô, vovó, sobrinha

Família

 

A

D

Família, Família

 

Família ê

D

G

A

Janta junto todo dia.

 

Família á

D

G

D

Nunca perde essa mania

G

Família ê

D

G

Mas quando o nenê fica doente

Família á

 

D

G

D

G

Procura uma farmácia de plantão

D

G

O choro do nenê é estridente

D

G

Assim não dá pra ver televisão.

Família á

23

NA TRILHA DO GRUPO DE JOVENS

18. FOI DEUS QUEM FEZ VOCÊ - Luiz Ramalho\ Elba Ramalho e Zé Ramalho

A C#m

A7

Foi Deus que fez o céu, o rancho das estrelas

D

C#m A7

Fez também o seresteiro para conversar com elas

D

C#m

B4/7

B7 C#m

Fez a lua que prateia minha estrada de sorrisos

D C#m B7 E E a serpente que expulsou mais de um milhão do paraíso
D
C#m
B7
E
E
a serpente que expulsou mais de um milhão do paraíso
A
Foi Deus quem fez você
C#m
A7
Foi Deus que fez o amor
D
C#m A7
Fez nascer a eternidade num momento de carinho
D
C#m
B4/7
B7 C#m
Fez até o anonimato dos afetos escondidos
D
C#m
B7 E7
E
a saudade dos amores que já foram destruídos
A
D A
Foi Deus
A
Foi Deus que fez o vento
F#m
Que sopra os teus cabelos
C#m
Foi Deus quem fez o orvalho
D
E7
Que molha o teu olhar, teu olhar
A
Foi Deus que fez a noite
F#m
E
o violão plangente
C#m
Foi Deus que fez a gente
D
E7
A F#m
Somente para amar, só para amar
Bm E
A
D A
Só para amar
A
Foi Deus que fez o céu
19.
FORÇA DA PAZ – Dança Circular
Em D
Em
B7
Em
B7
Em
D
C
B7
Em
D
Em

Força da paz, venha sempre, sempre mais. Que venha a paz e acabem as fronteiras. Mir, miru, mir

24

NA TRILHA DO GRUPO DE JOVENS

20. INFINITO PARTICULAR - Marisa Monte

Cm

Eis o melhor e o pior de mim.O meu termômetro o meu quilate

Bbm

Vem, cara, me retrate. Não é impossível

Cm

Eu não sou difícil de ler Faça sua parte Eu sou daqui eu não sou de Marte

Bbm

Vem, cara, me repara

Cm

Não vê, tá na cara, sou portabandeira de mim

G#7

Só não se perca ao entrar

G#7

No meu infinito particular

G7

F7

Cm

G7

Cm

Em alguns instantes Sou pequenina e também gigante

Bbm

Vem, cara, se declara O mundo é portátil

Cm

Pra quem não tem nada a esconder Olha minha cara É só mistério, não tem segredo

Bbm

Vem cá, não tenha medo A água é potável

Cm

Daqui você pode beber

G#7

Só não se perca ao entrar

G#7

No meu infinito particular

G7

F7

Cm

G7

21. INVOCAÇÃO - Maria Bethânia

Em

Deus dos sem deuses Am deus do céu sem Deus

B7

Deus dos ateus

Am

Rogo a ti cem vezes

Em

Responde quem és?

E7

D

Serás Deus ou Deusa?

B7

Em

Que sexo terás? Am

Mostra teu dedo, tua língua, tua face

Em Deus dos sem deuses

B7

(Em Am B7)

25

NA TRILHA DO GRUPO DE JOVENS

22. LIFE GODS MOMILÊ - Marisa Monte e Gilberto Gil

C

N'kukluk'mba

C

Oxalá Odin

Göt

G

Manitoo

Baoh

Allah

Xuedeh Aggayun

Tupan

N'Olorun

Tamnarah Golorud

Ualereh

Zambyn

Zeus

Ruwatah

G

F

C

Iesu

Jah

Shalam-Tzieh

 

C

Amaterasu

Bathalah Mandarah

Unguleveh

 

Khrisnha

Efozu

G

Amma

C

Yambah

Oshun

Asdulai Kalah

Okut

Nyaambeh

 

Aquaan

Akuah

 

G

F

C

Jesus

Rah

Yelen-Dayeh

 

C

Tentei

Dio Asher

Dieu

Dios

Ymanah Kami

So-

Ko Lubnah

Theos

Yallah

F

Maomeh

Juremah Shiva

Shangoh

C

F

Butzimmy

Yumallad

C

 

Yaoh

 
 

F

Dumnezteu

Banarah Gaya

Munetoh

C

F

Aton

Amon

 

Iemanjá

 

C

 

Erê

Yaoh

 

F

Iansã

Adonay Brahma

Gedepoh

C

F

Tzikem-Boo

 

Atzilah

C

Yaoh

F

D'Olodum

Yamanah Oxóssi

Shido

C

F

Buda

Gee

Jeová

 
 

C

Erê

Yaoh

26

NA TRILHA DO GRUPO DE JOVENS

23. ME REVELAR - Zélia Duncan

F7

Tudo aqui quer me revelar

F

F(#5) F6

Bb

G/B

C

Bb

Am

C7

F

Minha letra , minha roupa, meu paladar

F(#5)

F6

O que eu não digo, o que eu afirmo

F7

D/F#

Onde eu gosto de ficar Gm

Quando amanheço, quando me esqueço

Eb

 

Em7(b5)

 

C7

Bb

Quando morro de medo do mar

 

F/A

Gm

Tudo

aqui

Eb

Bb

 

Quer

me revelar

 

F/A Unhas roídas Gm Ausências, visitas Eb

C7

Cores na sala de estar (2X)

 

F

F(#5)

O

que eu procuro

 
 

F6

O

que eu rejeito

 
 

F7

Bb

O

que eu nunca vou recusar

 

Bbm

 

F

Tudo em mim quer me revelar

 
 

F(#5) F6

 

F7

Bb

Tudo em mim quer me revelar G/B Meu grito, meu beijo

C Bb Am Meu jeito de desejar

C

F

F(#5)

F6

O

que me preocupa, o que me ajuda

F7

D/F#

O

que eu escolho pra amar Gm

Eb

Quando amanheço, quando me esqueço

Em7(b5)

C7

Bb

Quando morro de medo do mar

F/A

Gm

Tudo

aqui

Eb

Bb

Quer

me revelar

27

NA TRILHA DO GRUPO DE JOVENS

24. MENINOS E MENINAS - Legião Urbana

D

Quero me encontrar, mas não sei onde estou

G

A

D

G

F

Vem comigo procurar algum lugar mais calmo

C

D

C

D

Em

Longe dessa confusão e dessa gente que não se

A

respeita

D

Tenho quase certeza que eu não sou daqui

G

D

Bm

C

A

Acho que gosto de São Paulo

C

D

Gosto de São João

A

C

D

Gosto de São Francisco e São Sebastião

Em

G

A

E eu gosto de meninos e meninas

D

G

Vai ver que é assim mesmo e vai ser assim pra

A

sempre

D

G

F

Vai ficando complicado e ao mesmo tempo diferente

C

D

C

D

Estou cansado de bater e ninguém abrir

Em

A

G

D

Você me deixou sentindo tanto frio

Bm