You are on page 1of 20

primeiros passos

para a implementação
da Base Nacional Comum Curricular
Introdução As redes de ensino terão papel fundamental
na implementação da Base Nacional Comum
Curricular (BNCC). A Base promoverá mudanças
nas políticas educacionais de currículo, formação
continuada de professores, materiais didáticos
e avaliações.
Para que isso aconteça, será preciso engajar
e mobilizar toda a rede, em diferentes frentes e
momentos, ao longo dos próximos anos.

Algumas frentes do processo de implementação curricular se destacam:

Criação/
Comunicação Alinhamento
adaptação Formação de Alinhamento
para de recursos
de currículos professores de avaliações
engajamento didáticos
locais

// primeiros passos para a implementação da Base Nacional Comum Curricular introdução 1 2 3 anexos
SUMÁRIO
Para começar, no entanto, não é preciso esperar

1
a homologação da BNCC. Com a terceira versão
publicada, as redes podem começar o trabalho desde já
COMUNICAR
em pelo menos duas frentes: comunicação e adaptação PARA ENGAJAR
dos currículos e projetos pedagógicos.

2
Essa é a hora de comunicar e garantir o
entendimento da BNCC, sua importância, seu
histórico de construção. Também é recomendável
Preparar a
rede para
preparar a revisão curricular: identificar e mobilizar os a revisão
profissionais estratégicos, investigar os documentos curricular

3
atuais da rede, ouvir os educadores sobre quais
princípios deveriam nortear a política curricular local.
Envolver os
Esse material traz sugestões de ações para professores e
os primeiros passos da implementação a comunidade
e de como executá-las. escolar

// primeiros passos para a implementação da Base Nacional Comum Curricular introdução 1 2 3 anexos
1 comunicar
para engajar

// primeiros passos para a implementação da Base Nacional Comum Curricular introdução 1 2 3 anexos
1 COMUNICAR
PARA ENGAJAR

Logos Modelo 2

Uma boa comunicação é estratégica


para o sucesso de todas as ações
de implementação.
As equipes da secretaria, diretores,
coordenadores e professores devem se
familiarizar com a BNCC, entender o que ela
é, como foi construída e como irá mudar a
prática pedagógica. Além do caráter formativo,
uma comunicação clara e contínua dá
transparência ao processo de revisão
curricular e abre espaço à mobilização.

// primeiros passos para a implementação da Base Nacional Comum Curricular introdução 1 2 3 anexos
1 COMUNICAR
PARA ENGAJAR

Logos Modelo 2

sugestões de ações

Mandar uma carta ou e-mail Distribuir mensagens-chave Organizar/viabilizar


incluindo um link para a íntegra sobre a importância da BNCC e seu reuniões com integrantes da
da terceira versão da BNCC ou processo de construção colaborativo rede e atores-chave externos para
o documento impresso, para por redes sociais e canais como alinhamento de informações.
profissionais da secretaria, das o WhatsApp. >> Baixe aqui uma apresentação,
diretorias regionais e das escolas. >> Temos algumas prontas aqui, pronta para usar, com o
é só baixar. histórico da Base.
>> Veja aqui uma sugestão
de texto para a carta.

Materiais de apoio
Destacar um ou mais Envolver a imprensa local.
profissionais como os É importante envolver toda a • Vídeo “O que é Base para você?”
responsáveis por reunir todas as sociedade nesse debate. Mobilize
informações sobre a BNCC, e que os canais da secretaria com a
serão referência para o processo imprensa local, tanto para informar
de implementação na rede. sobre o que é a Base e quais as
mudanças ela acarretará na escola,
quanto para dar visibilidade às https://youtu.be/z8rB6pEsxiM
atividades realizadas na rede.
• Tira dúvidas sobre a Base (fonte: MEC)
>> Clique aqui para ver o documento.

// primeiros passos para a implementação da Base Nacional Comum Curricular introdução 1 2 3 anexos
2 Preparar a rede
para a revisão
curricular

// primeiros passos para a implementação da Base Nacional Comum Curricular introdução 1 2 3 anexos
2 Preparar a rede
para a revisão
curricular

Logos Modelo 2

Ainda que a versão definitiva


da BNCC não esteja
homologada, já é possível
iniciar o processo de revisão
dos currículos.
É importante que nesse momento
o gestor busque alternativas para que
a rede estude e se aproprie de sua
história curricular e para que a equipe
se organize para discutir sobre como
a BNCC alimenta esse histórico da
rede. O trabalho pode ser conduzido
por uma equipe da secretaria, mas
sempre envolvendo as escolas, para
manter o caráter transparente e
colaborativo do processo.

// primeiros passos para a implementação da Base Nacional Comum Curricular introdução 1 2 3 anexos
2 Preparar a rede
para a revisão
curricular

Logos Modelo 2

sugestões de ações

Organizar um ou mais grupos Resgatar o histórico de Levantar os documentos


de trabalho para estudar o construções curriculares atuais relacionados às diretrizes
currículo atual à luz do que propõe da rede, procurando elencar erros curriculares.
a terceira versão da BNCC. e acertos.
>> Aqui tem sugestões de Comunicar as atividades
procedimentos que podem ajudar correntes e futuras para a rede.
na organização das reuniões

Para Refletir
Questões para debate:
Quando iniciar o debate sobre • para onde deve se direcionar ! É preciso saber que sempre haverá divergências
o currículo na rede, algumas a educação; e o que se busca não é um consenso total, mas um
questões podem ajudar na • o que e como ensinar; acordo necessário dos princípios básicos que vão
reflexão e início dos trabalhos. • que sociedade queremos; reger a educação da rede.
• como imaginamos que as crianças
e adolescentes devem ser no futuro; !A
 mpliar os conhecimentos sobre as diretrizes
Que educação queremos em • que escola precisamos; curriculares compreendendo o seu processo histórico,
nossa rede? Quais são os princípios • o que os gestores precisam considerar os marcos legais e suas necessidades para a garantia
para a revisão curricular? para dirigir a rede ou a escola; dos direitos à Educação.

>> Aqui você encontra materiais de apoio para os grupos de trabalho


e pesquisas de referência para os estudos sobre a Base.

// primeiros passos para a implementação da Base Nacional Comum Curricular introdução 1 2 3 anexos
3 Envolver os
professores
e a comunidade
escolar

// primeiros passos para a implementação da Base Nacional Comum Curricular introdução 1 2 3 anexos
3 Envolver os
professores
e a comunidade
escolar

Logos Modelo 2

Responsáveis por colocar os


currículos em prática na sala
de aula, os professores são
interlocutores indispensáveis.
Por isso, é importante que façam parte
do processo desde já, em todas as
ações e discussões relacionadas aos
desdobramentos da BNCC na rede.

Certifique-se de que o debate esteja


chegando na ponta. Garanta que os
canais de comunicação estimulem a
discussão e também tragam sugestões
e devolutivas dos professores.

// primeiros passos para a implementação da Base Nacional Comum Curricular introdução 1 2 3 anexos
3 Envolver os
professores
e a comunidade
escolar

Logos Modelo 2

sugestões de ações

Apresentar a BNCC e o Realizar reuniões nas Realizar consulta pública


planejamento de revisão escolas, com os professores ao longo do processo, para
curricular para toda a rede prioritariamente, envolvendo diretores coletar contribuições específicas
(representantes de escolas, professores, e coordenadores na organização. dos professores sobre o documento
supervisores, diretorias regionais). Aproveitar momentos de reunião, em construção.
A apresentação pode ser por meio paradas e semanas pedagógicas e
da comunicação (vídeo, carta etc) ou conselhos para debater os rumos da
evento presencial. revisão curricular com os educadores.

Para Refletir

Como acontece a comunicação • Sua rede possui canais eficientes • Como eles podem contribuir para
com os professores? Como de comunicação com os professores? a revisão curricular da rede?

conhecer e registrar suas • Quais são os principais momentos • Como viabilizar sua a participação
de interação e troca com os nesse processo?
percepções sobre os currículos
professores da rede?
e projetos pedagógicos?
• Quais são as principais mensagens para
os professores e gestores de escola?

// primeiros passos para a implementação da Base Nacional Comum Curricular introdução 1 2 3 anexos
documentos
ANEXOS

// primeiros passos para a implementação da Base Nacional Comum Curricular introdução 1 2 3 anexos
Logos Modelo 2

Caro (a),

A terceira versão da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) foi


lançada em abril. Nos próximos meses, o documento será apreciado pelo
Conselho Nacional de Educação (CNE). A expectativa é que o Ministério
da Educação (MEC) aprove a versão final ainda este ano.

A BNCC definirá os conhecimentos e habilidades essenciais que todos


os alunos brasileiros têm o direito de aprender, ano a ano, na Educação
Básica. Com ela, os sistemas educacionais, as escolas e os professores
terão um importante norte para suas aulas. o documento lançado agora
compreende as etapas da Educação infantil e Ensino Fundamental.

A BNCC foi construída em um processo democrático e colaborativo,

ANEXO 1
que recebeu mais de 12 milhões de contribuições de professores, gestores,
especialistas e de toda a sociedade civil em consulta pública. A terceira
versão é resultado das revisões feitas de acordo com recomendações de
Sugestão de texto para CARTA melhorias feitas para as versões anteriores, ao longo dos últimos dois anos.

>> CLIQUE AQUI PARA BAIXAR Prevista no Plano Nacional de Educação (PNE) e na Constituição, a BNCC
é uma política de Estado, e não de governo. o Brasil tomou a decisão de ter
uma base comum porque, para promover a equidade e a qualidade, um
sistema educacional precisa de um documento nacional claro e objetivo,
que respeite as diversidades e autonomia locais e que promova uma
aprendizagem que faça sentido para todos os alunos.

A BNCC não é currículo. Ela é parte de todos os currículos locais que, para
além da BNCC, irão determinar as aprendizagens regionais e metodologias
de ensino que julgar necessárias e adequadas.

o trabalho, no entanto, está apenas começando. Para que a BNCC chegue


de fato às salas de aula e promova mudanças, é preciso pensar na sua
implementação. os currículos das redes serão adaptados. É preciso pensar
na comunicação, na formação continuada dos professores, assim como
nos materiais didáticos e nas avaliações.

As redes de ensino serão protagonistas da implementação, que pode e deve


ser planejada desde já. Contamos com a sua colaboração nessa importante
e desafiadora tarefa de fazer a BNCC ser praticada em sala de aula.

Contamos com a sua colaboração e mobilização.

// primeiros passos para a implementação da Base Nacional Comum Curricular introdução 1 2 3 anexos
Logos Modelo 2

A BASE NACIONAL A BASE FOI A BASE DEFINE AS


COMUM ESTÁ A CONSTRUÍDA COM APRENDIZAGENS
CAMINHO DAS MAIS DE 12 MILHÕES DE ESSENCIAIS. OS
SALAS DE AULA. CONTRIBUIÇÕES. PROFESSORES DECIDEM
COMO ENSINÁ-LAS.

ANEXO 2
MENSAGENS-CHAVE
>> CLIQUE AQUI PARA BAIXAR

A BASE SERÁ PARTE BASE: TODOS OS A BASE MOSTRA


DOS CURRÍCULOS DE ALUNOS DEVEM TER A O ESSENCIAL.
TODAS AS ESCOLAS. MESMA OPORTUNIDADE OS CURRÍCULOS
DE APRENDER. TRAZEM CONTEÚDOS E
PRIORIDADES LOCAIS.

// primeiros passos para a implementação da Base Nacional Comum Curricular introdução 1 2 3 anexos
Logos Modelo 2

ANEXO 3
apresentação com
o histórico da Base.
>> CLIQUE AQUI PARA BAIXAR

// primeiros passos para a implementação da Base Nacional Comum Curricular introdução 1 2 3 anexos
Logos Modelo 2

PERGUNTAS FREQUENTES
Base NacioNal comum curricular (BNcc)
FONTE: MEC

O que é a Base NaciONal currículos de acordo com o estabelecido na Base


cOmum curricular? – assim como as escolas têm a prerrogativa de
É um conjunto de orientações que deverá contextualizá-los e adaptá-los aos seus projetos
nortear os currículos das escolas, redes pedagógicos.
públicas e privadas de ensino de todo
o Brasil. A Base trará os conhecimentos
cOmO se dará
essenciais, as competências e as aprendizagens

ANEXO 4
a implemeNtaçãO da BNcc?
pretendidas para as crianças e jovens em
Inicialmente, a BNCC deverá ainda ser
cada etapa da Educação Básica em todo país.
encaminhada ao Conselho Nacional de
O documento conterá:
PERGUNTAS FREQUENTES. • Competências gerais que os alunos
Educação (CNE) para apreciação. Após a
elaboração do seu parecer, o CNE a encaminhará
devem desenvolver em todas as áreas; para homologação pelo Ministro da Educação.
>> CLIQUE AQUI PARA BAIXAR • Competências especificas de cada área Depois dessas etapas, será definida uma
e respectivos componentes curriculares; estratégia de implantação em conjunto com
• Conteúdos que os alunos devem aprender as redes de ensino a quem caberá transpor
e habilidades a desenvolver a cada etapa os conteúdos e objetivos de aprendizagem
da Educação Básica — da Educação estabelecidos na Base para os seus currículos.
Infantil ao Ensino Médio.
• A progressão e sequenciamento
dos conteúdos e habilidades de cada O cONteúdO da BNcc fOi
componente curricular para todos cONstruídO demOcraticameNte?
os anos da educação básica. HOuve participaçãO das
autOridades educaciONais dO
país, dOs especialistas da área
qual é O OBjetivO da BNcc? uNiversitária, das equipes
Promover a elevação da qualidade do ensino pedagógicas e prOfessOres, em
no país por meio de uma referência comum tOdO O país?
obrigatória para todas escolas de educação Sim. A Base foi elaborada em cumprimento
básica, respeitando a autonomia assegurada pela às leis educacionais vigentes no país e contou
Constituição aos entes federados e às escolas. com a participação de variadas entidades
representativas dos diferentes segmentos
envolvidos com a Educação Básica das esferas
qual a difereNça
federal, estadual e municipal, das universidades,
eNtre BNcc e currículO?
escolas, ONGs, professores e especialistas em
A BNCC é uma referência obrigatória mas não educação. Sua primeira versão, lançada em
é o currículo. A Base estabelece os objetivos que setembro de 2015, foi disponibilizada para
se espera alcançar e o currículo define como consulta pública entre os meses de outubro
alcançar os objetivos. As redes de ensino têm
autonomia para elaborar ou adequar os seus coNTiNua >>

// primeiros passos para a implementação da Base Nacional Comum Curricular introdução 1 2 3 anexos
Logos Modelo 2

ANEXO 5
sugestões de procedimentos
que podem ajudar na organização
das reuniões
>> CLIQUE AQUI PARA BAIXAR

// primeiros passos para a implementação da Base Nacional Comum Curricular introdução 1 2 3 anexos
Logos Modelo 2

MATERIAIS DE APOIO pArA os grupos


de trABAlho soBre CurríCulos

Este material visa oferecer informações que possam ser utilizadas


pelas redes nos grupos de trabalho sobre reformulação curricular.
São documentos, estudos e pesquisas que trazem recomendações
e experiências para enriquecer e aprofundar as discussões.

1
ANEXO 6
ORIentaçõeS aO dIRIgente MUnIcIpal
materiais de apoio para os de edUcaçãO - fUndaMentOS,
grupos de trabalho e pesquisas pOlÍtIcaS e pRÁtIcaS:

de referência para os estudos Caderno dividido em oito capítulos, sendo um deles


sobre Base Nacional Comum Curricular (p. 60 a 75), traz
sobre a Base. orientações para redes e dirigentes municipais sobre
como organizar a implementação da BNCC.

>> CLIQUE AQUI PARA BAIXAR >> clique aqui para Ver o documento

2
cURRÍcUlOS paRa OS anOS
fInaIS dO enSInO fUndaMental

Pesquisa realizada pelo CENPEC a respeito da


construção e implementação dos documentos
curriculares para os anos finais do ensino fundamental
dos estados brasileiros e do dF. A partir das análises
dos documentos curriculares, constatou-se que os
documentos curriculares existentes apresentam
diferentes graus de especificação de metas, de
processos didáticos, de articulação com formação de
professores e avaliação, de detalhamento da progressão
das aprendizagens, de explicitação de fundamentos
e princípios e de abertura à iniciativa de órgãos
>> clique aqui para Ver o documento
intermediários e escolas na construção curricular.

Realização parceira técnica

// primeiros passos para a implementação da Base Nacional Comum Curricular introdução 1 2 3 anexos
Guia Visual Movimento Pela Base Nacional Comum

Fontes Cores
www. movimentopelabase.org.br
Gill Sans Light
Gill Sans Regular
Gill Sans Semibold
>> Clique aqui para receber mais novidades sobre a Base
Gill Sans Bold
Gill Sans Light Italic Usar fontes em itálico
Gill Sans Italic apenas para highlight em
palavras (dentro de um
Gill Sans Semibold Italic
texto” ou como
Gill Sans Bold Italic citação.

Logos
A aplicação do Logo
deve ser feita apenas em
fundo chapado,
preferencialmente nas
cores da paleta.

Realização
As cores do Logo
Parceira Técnica
deverão seguir a paleta
de cores do Movimento.

Desenvolvimento
integral

Logos Modelo 2 Educação


infantil