You are on page 1of 2

Plano da aula (27/02/2018)

O PROBLEMA DO ESTADO IDEAL

Introdução:
O contexto teórico geral do problema do Estado ideal: indicação das três principais linhas de
pesquisa da filosofia política.
Objetivo: examinar um a disputa sobre a melhor forma de governo nos momentos salientes do
pensamento grego antigo e da filosofia política moderna, focando nas argumentações a favor ou
contra a democracia.

Ia etapa: O contexto antigo


Origem da disputa sobre a melhor forma de governo: Histórias de Heródoto.
Revezamento de elogio e condenação da democracia no pensamento grego: o elogio é
exemplificado pelo discurso de Péricles; a condenação, pela República de Platão.
A classificação aristotélica e seu critério.
A modificação da classificação aristotélica nas Histórias de Políbio.
Tipologias das formas de governo conforme o juízo absoluto ou relativo sobre a as mesmas.
Apontamento da semelhança e da diferença entre a tipologia de Platão e aquela de Giambattista
Vico.

IIa etapa: O contexto jusnaturalista moderno


i.
Recorte: De cive (1642) de Hobbes. Análise de dois grupos de argumentos contra a democracia.
a. Argumentos sobre o sujeito governante (De cive, 10, X-XIV)
b. Argumentos sobre o modo de governar (De cive, 10, VI-IX)
Por que Hobbes considera a monarquia como a expressão mais perfeita da soberania? Análise do
pano de fundo teórico dos argumentos de Hobbes contra a democracia.
ii.
Recorte: Tractatus theologico-politicus (1670) de Espinosa. Análise dos argumentos a favor da
democracia como melhor forma de governo.
Reconstrução da transição do estado de natureza para o estado político em Espinosa.
Esclarecimento das semelhanças e das diferenças entre a abordagem do problema político de
Hobbes e aquela de Espinosa.
Fundamentação da democracia e da liberdade de expressão.
Exame dos argumentos de Espinosa voltados a mostrar as vantagens da democracia.
Conclusão:
Menção das considerações de Norberto Bobbio sobre a razão profunda da distinção entre o
pensamento político de Hobbes e aquele de Espinosa.

Bibliografia:
VEGETTI, M., FONNESU, L. (Orgs.). Le ragioni della filosofia. Volume 2. Milano: Mondadori,
2008.
BIRAL, A. “Hobbes: La società senza sovrano”. Il contratto sociale nella filosofia politica
moderna. Duso, G. (Org.). Bologna: Il Mulino, 1987, p. 51-108.
BOBBIO, N. Stato, governo, società. Torino: Einaudi, 1985.
BOBBIO, N. Thomas Hobbes. Torino: Einaudi, 1989.
CHAUÍ, M. Política em Espinosa. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.
GIANCOTTI, E. Studi su Hobbes e Spinoza. Bostrenghi, D.; Santinelli, C. (Orgs.). Napoli:
Bibliopolis, 1995.
VICO, G. La Scienza nuova giusta l’edizione del 1744. Bari: Laterza, 1967.