You are on page 1of 4

MODELOS DE REDAÇÃO – CAVEIRÃO1

Desemprego e cidadania
Em tempos de globalização, as relações sociais sofrem profundas mudanças como conseqüência de um cenário de alto
desenvolvimento tecnológico, mediando a educação como principal formadora dos valores ético-morais de um indivíduo .
Nesse contexto, a forma como convivemos em sociedade nada mais é do que o reflexo de tal postura.
Os ensinamentos de valores éticos e morais desde a infância produzem um cidadão ciente não só dos seus direitos como
também de seus limites, recorrentemente globalizados. Esses são princípios básicos de cidadania, demonstradores da forma
de pertencimento do indivíduo ao Estado, que vêm sofrendo uma forte inversão de valores.
Crise nas instituições de ensino, má estruturação familiar – provocando por diversas vezes sua dissolução - e falta de
apoio governamental são fatores, dentre outros, que geram o desemprego. Este que é um dos responsáveis pela violência,
miséria e abandono ao qual é submetida considerável parcela da população.
Soluções para estes velhos problemas que dificultam o crescimento do país e conseqüentemente da situação sócio-
econômica do povo brasileiro, são mais debatidas e conhecidas do que imaginamos, mas cabe a nós mesmos, cidadãos,
projetar ações balizadas pela lei, pelo bom senso e, principalmente, pelo respeito mútuo.
Violência entre os jovens
Quando falamos de violência entre os jovens, geralmente, procuramos um responsável que deve tomar para si, com
exclusividade, a solução do problema, livrando-nos de qualquer responsabilidade. Esse caminho mais curto não é o mais
adequado, pois é necessário percebermos também a influência da mídia, da família e dos valores estimados pela sociedade.
“Jogos mortais” são oferecidos em larga escala aos jovens pela mídia eletrônica. Essa paixão virtual, de muitos jovens,
entre outras oferecidas pela mídia, muitas vezes sai das telas e ganha as ruas, tendo como protagonistas da violência os
próprios jovens.
Mães solteiras, pais ausentes, gravidezes precoces, além de muitas outras formas de desestruturação familiar, comuns em
nossos dias, às vezes e não raro tornam-se ambientes recheados de violência que gera violência.
Além disso, um mercado consumidor complexo e com excessivo apelo ao consumismo, associado à exclusão social de
milhares de jovens, ao lado da facilidade das drogas empurra muitos jovens à essa relação conflituosa.
Diante disso, não há como deixar de responsabilizar também a sociedade por parte dos atos de violência dos
jovens. A suspensão dessa tendência só se dará quando agirmos de uma maneira mais responsável em relação à
formação das novas gerações. Uma autocrítica por parte de todos – mídia, família, educadores – é o caminho por
onde devemos começar.
Leonardo Mendes Ferreira/ Redija um texto dissertativo a respeito da redução da
maioridade penal no Brasil. Se favorável à redução, explique qual seria a idade ideal
para o caso brasileiro.
Diariamente, nos jornais e revistas do Brasil, encontram-se notícias de roubos, homicídios e outros crimes, muitos deles cometidos por
menores de idade. Diante disso, surge a proposta da diminuição da idade penal. Essa deve ser analisada com cautela, evitando-se o “senso
comum”, geralmente influenciado pelas emoções de quem já foi vítima desses crimes. Assim o papel da família e do Estado não pode ser
ignorado nessa discussão.
A própria Constituição Federal assegura o direito de respeito à pessoa em condição de desenvolvimento. Por isso, criou-se o Estatuto
da Criança e do Adolescente. Considerada por especialistas como uma lei moderna, essa traz uma série de medidas para correção de jovens
infratores. Porém, se a lei é tão bem elaborada, por que a taxa de recuperação dos internos da FEBEM é baixa e os crimes causados por
menores de dezoito anos vêm aumentando?
Uma das respostas está no papel dos governantes que através de políticas clientelistas loteiam os cargos públicos visando seus
próprios interesses em detrimento do benefício de seus administrados. Pessoas com pouco preparo e desmotivadas gerenciam os
estabelecimentos de recuperação, não fazendo com que as medidas da lei sejam efetivamente cumpridas.
A super lotação e o abandono dos presídios não são novidade. Segundo dados do DEPEN, a maioria da população carcerária é
composta por homens negros, semi analfabetos, com vinte e dois anos de idade. Esses dados não dão subsídio ao argumento em favor da
diminuição da maioridade penal. Se essa redução acontecesse, o quadro dos estabelecimentos prisionais só iria piorar, já que o número de
detentos iria aumentar muito.
O papel da família na formação da pessoa é de suma importância. Valores éticos e morais devem ser passados dos pais para os filhos
e complementados com a educação nas escolas. Mas o que se vê são famílias desestruturadas, onde a presença do pai é cada vez menor e
escolas de ensino público deterioradas. Assim, sem coordenação, jovens com menos oportunidades começam a cometer delitos.
Como visto, a adoção de medidas preventivas como: a correta observância e aplicação da lei; a gestão competente de estabelecimentos
de recuperação de menores e a ação conjunta do Estado e da família na educação de crianças e adolescentes são mais eficazes que a
diminuição da idade penal. Pois essa apenas iria aumentar a lotação dos presídios, não diminuindo as causas da violência.

1
Lembre-se: são modelos de redação que objetivam, somente, auxiliá-lo na desenvoltura do texto. Tem sido
utilizado por alunos como um fim em si mesmo, mas são instrumentos de apoio, NÃO DEVEM SER VISTOS
COMO ÚNICA ALTERNATIVA. Tal modelo foi concebido de forma a auxiliar o aluno-candidato que apresenta
muitas dificuldades em compor um texto e também enquanto alternativa à determinada estratégia de prova.
Veja o caveirão original (1984):
A educação, tanto a familiar quanto a escolar, é a principal formadora dos valores ético-
morais de um indivíduo. A forma como convivemos em sociedade, nada mais é do que o reflexo de tal postura.
Os ensinamentos de valores éticos e morais desde a infância produzem um cidadão ciente não só
dos seus direitos como também de seus limites, talvez globalizado. Esses são princípios básicos de cidadania,
que demonstra a forma de pertencimento do indivíduo ao Estado, da qual todos nós sabemos, mas o que
vemos atualmente é uma forte inversão de valores. Crise nas instituições de ensino, má estruturação
familiar e falta de apoio governamental são fatores, dentre outros, que geram o desemprego. Este que é um
dos responsáveis pela violência, miséria e abandono ao qual é submetida considerável parcela da população.
Soluções para estes velhos problemas que impossibilitam o crescimento do país
e conseqüentemente da situação financeira do povo brasileiro, são mais debatidas e
conhecidas do que imaginamos, mas as respostas para as mesmas não estão em
especulações e sim em ações.
TRT 1ª Região (2008) – Execução de Mandados – Redação corrigida pela banca CESPE. Nota
10,0.
DROGAS ILÍCITAS NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA
Ao redigir seu texto, aborde, necessariamente, os seguintes aspectos:
* motivos para a opção pelo trabalho com drogas ilícitas em detrimento da opção
pelo trabalho lícito;
* possíveis medidas e atitudes para enfrentamento do problema das drogas
ilícitas;
* o narcotráfico na economia global.