You are on page 1of 8

REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE SÃO TOMÉ E

PRÍNCIPE
MINISTÉRIO DAS INFRAESTRUTURAS, RECURSOS NATURAIS E
AMBIENTE
(Unidade – Disciplina – Trabalho)

RELATÓRIO TÉCNICO

OUTUBO DE 2017

0
1. INTRODUÇÃO

Incube ao estado o estabelecendo normas para prevenir a degradação


ambiental, conformidade com o artigo nº 2 da Lei nº 10/99 (Lei de Bases do
Ambiente) que diz que no artigo XX.º ”todo cidadão tem direito a um
ambiente humano ecologicamente equilibrado e o dever de o defender e no
artigo 11.º (Princípio da recuperação), “Devem ser tomadas medidas
urgentes para limitar os processos de degradação nas áreas onde
atualmente acorrem e promover a recuperação dessas áreas, tendo em
conta o equilíbrio a estabelecer com as áreas limítrofes.”

Assim sendo e face ao acima exposto, cabe ao Governo, no âmbito das


suas prerrogativas legais, agir conforme o artigo 28.º a Defesa da
qualidade dos componentes ambientais naturais, foi criada uma
equipa multissectorial, por orientação do Ministro das Infraestruturas,
Recursos Naturais e Ambiente.

A equipa foi composta por quadros técnicos da Direção Geral do


Ambiente (DGA), Direção Geral dos Recursos Naturais e Energia (DGRNE),
Laboratório de Engenharia Civil, Empresa de Água e Electricidade (EMAE) e
a Empresa ENCO, cujo o objetivo foi de levar a cabo uma
investigação/estudo sobre a presença no subsolo, solo e água combustível
(gasóleo) e propor uma solução viável a curto prazo para a resolução do
problema. A lista dos membros encontra-se em Anexo.

2. METODOLOGIA
A metodologia de trabalho foi definida e aprovada pelos integrantes da
Comissão e foram realizadas as seguintes atividades:

Act2:. Auscultação do Responsável da Central Térmica de S. Amaro


Act2:. Deslocação ao local para observar "in situ" a verdadeira
situação do problema;
Act4:. Discussão e concertação das ideias para elaboração do
Relatório e proposta de actuação.

I. DESCRIÇÃO DO LOCAL

A equipa visitou dois locais, a Central Térmica de Sto. Amaro (área de


estudo 1) e a uma localidade de impacto situado 100 metros da Central
Térmica de Sto. Amaro (área de estudo 2) que dista a poucos metros do
Rio dois, sendo o foco de poluição/contaminação pelo gasóleo.

Geograficamente ambos estão localizados no distrito de Lobata


próximos da via de acesso principal, rodeados de habitações e uma

1
vegetação típica do local, organizada pelas fileiras de árvores de médio
porte intercaladas com palmeiras, cacaueiros e algumas plantas herbáceas,
bem como possível existência de algumas espécies de fauna e flora no
local.

II. FUNDAMENTAÇÃO TÉCNICA

Para uma melhor apreciação e entendimento da situação deslocou-se


primeiramente a Área de estudo 1 no qual auscultou o proprietário do
terreno e que durante a conversa foi relatado que é a primeira vez que depara com
uma situação desta após 20anos de aquisição do terreno.

Rio
poluído com

gasóleo

Gasóleo poluído com gasóleo Vegetação e solo contaminados com

Gasóleo encontrado no solo resíduo de gasóleo


Figura nº 1: Localidade situada à 100 metros da Central Termo elétrica de Sto. Amaro

Constata-se que o problema identificado no local resulta do derrame


proveniente de uma perda cuja o ponto de fuga ainda é desconhecida.

Durante a visita no local e a auscultação do responsável da Central foi


informada a equipa que no dia 29 de Setembro de 2017 houve a uma avaria
no sistema de retorno de combustível purgado dos geradores e que medidas
foram tomadas de imediato para estancar o derrame colocando cerradura
como absorve.

2
A equipa efectuou uma caminhada a volta da central por forma a
encontrar algum sinal de derrame que poderá que possa justificar a
quantidade de gasóleo encontrado no subsolo.

Para averiguar a qualidade de gasóleo encontrado no subsolo os


técnicos da ENCO procederam um teste rápido no qual detectou-se em
alguns pontos combustível sem presença de água e em outros pontos
mistura do gasóleo com água figura 2.

Figura nº 2: Testagem da qualidade do gasóleo


encontrado

A figura acima mostra a foto do local com a existência de óleo no


subsolo, no solo e na água. Facto a essas evidências a equipa efectuou a
análise da situação e constata o seguinte:

 Existe uma enorme perda da qualidade ambiental, facto que


merece uma reflexão sobre as medidas de mitigação do impacto
de forma a recuperação da área atendendo a localização das
residências circundantes, a existência de uma linha de água, o
tipo de vegetação a volta do local e a prática da agricultura no
local. Apos a analise in loco da situação a equipa;
 Presença da população, particularmente de mulheres e crianças
na área de incidência;
 O terreno é pantanoso, está situado no vale de uma zona de
declive muito acentuado e é rico em vegetação;
 Existência de várias escavações do solo com gasóleo, rio com
presença de gasóleo e forte odor do combustível;
 Lamas contaminadas com resíduo do gasóleo;

3
 Terreno com declive muito acentuado;

Logo a seguir, passou-se a visita a área de estudo nº 2 nas


instalações da Central Térmica da Empresa EMAE. Fez-se acompanhar a
equipa o Gestor da Central o Eng.º Selby Ramos que colaborou com alguns
esclarecimentos que a equipa necessitava para poder prosseguir com a investigação.

Figura nº 3: Fotos da Central Térmica de S. Amaro

De acordo aos factos verificados no terreno a equipa constacta o


seguinte:

 Não foi detectada no momento indícios que indicam o ponto de


partida da fuga, somente valas de drenagem com uma
quantidade significativa de cerradura que foi utilizada como
absorve do gasóleo derramado no mês anterior;

 O tanque de armazenamento de combustível está sobre betão


armado e tem uma capacidade de 20000 litros;

 Sistema de retorno de combustível purgado dos geradores em


estado normal de funcionamento;

 Resíduos contaminados com óleo e Serradura em contacto


directo com o solo;

 Sistema de drenagem das águas pluviais é a mesma para a


drenagem de efluentes oleosos;

 Não existe um relatório com historial de ocorrências de derrame


ocorridas na instalação, o que facilitaria na melhor análise do
caso.

4
3. PROPOSTA DA COMISSÃO

Atendendo aos impactos sociais, económicos e ambientais e com


base na 1ª investigação efectuadas nas duas (2) áreas de estudo pela
equipa, a Central constituí a única suspeita pelo derrame.

Para a intervenção efectiva e com vista a solucionar o problema após


a realizada a equipa em conjunto com os quadros da EMAE reflectiram sobre
o mesmo e definiram dois cenários possíveis:

 Cenário Nº 1 - Causa do gasóleo encontrado no sobsolo poderá


ser ocasionado pelos sucessivos derrames já existente na central,
cujo último serviu para aflorar mais o problema devido a
saturação do solo.

 Cenário Nº 2 - A causa do gasóleo no subsolo poderá ser


ocasionado pela fuga no depósito de combustível Que sejam
efectuadas o monitoramento

Para o cenário 1 a equipa recomenda para nesta primeira etapa, que seja
efetuada o monitoramento da área nº 1, procedendo escavação na área de
2m de comprimento e 1 metro de largura e 3 de profundidade com o
objectivo de verificar se o fluxo do gasóleo diminui ou não.

Para o cenário 2 a equipa recomenda de fazer teste de nível no tanque


principal a mais de 5 horas, de acordo com eficiência dos geradores.

Outras medidas serão tomadas após a conclusão do monitoramento da


área.

5
III. CONCLUSÃO

Após a primeira etapa de investigação a equipa conclui-se que existe a


percolação do gasóleo pelo subsolo originando a contaminação e poluição
da área afectada.

A Central térmica é o único suspeito do ocorrido não obstante que não


foram verificadas provas concretas da origem do derrame, facto que coloca

A equipa continuará a investigação e o acompanhamento por forma a


encontrar a origem do ocorrido.

Com a percolação do produto no subsolo, ocasionou a contaminação do


mesmo comprometendo o sistema hídrico subterrâneo.

São Tomé, 17 de Outubro 2017

A Comissão:

Sulisa Quaresma DGA _______________________________


______
Darnel Baia DGA _______________________________
______
José Bastos DGRNE _______________________________
______
Edulay Águas LECSTP _______________________________
______
Esmael Fernandes LECSTP _______________________________
______
Odair Manuel ENCO _______________________________
______
Gualter dos Anjos ENCO _______________________________
______
Jacinto Rebelo EMAE _______________________________
______

6
Anexo- Lista de presença