You are on page 1of 16

QUESTÃO 61 No século XIX existiu na Europa um dinamismo que excedia tudo o

que se conhecia até então. O poder da Europa vibrava como nunca: poder técnico,
poder econômico, poder cultural, poder intercontinental. De fato, os europeus
foram levados a se sentir não só poderosos, mas também superiores.
Impressionaram-se infinitamente com as invulgares ‘forças’ que os circundavam.
Viam novas forças físicas, desde a corrente elétrica à dinamite; novas forças
demográficas que acompanhavam um aumento populacional sem precedentes;
novas forças sociais que trouxeram ‘as massas’ para o centro do interesse público;
novas forças comerciais e industriais que resultaram de uma expansão sem
paralelo dos mercados e da tecnologia. Norman Davies. Europe – a history.
London: Pimlico, 1997, p. 759 (traduzido e adaptado). Tendo o fragmento de texto
acima como referência inicial, julgue (C ou E) os itens a seguir.
Item 1
O cenário econômico da maioria dos países da Europa ocidental do século XIX foi
marcado por grande proliferação de associações mutualistas de crédito, caixas
econômicas, companhias de seguros e empresas de capital aberto, assim como
por um forte incremento da economia monetária.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO

Questão 2
2015 QUESTÃO 51 Iniciada nas últimas décadas do século XVIII, na Inglaterra, a
Revolução Industrial é um processo que se prolonga no tempo. A partir de meados
do século XIX, ela conheceu novo e extraordinário impulso, etapa normalmente
definida como Segunda Revolução Industrial. Esse período é assinalado pela
difusão do uso do aço, da eletricidade e do petróleo, entre outras inovações. Com
referência a esse período da moderna industrialização, julgue (C ou E) os
próximos itens.
Item 1
O ritmo da industrialização europeia, principalmente na Alemanha, Inglaterra e
Itália, foi prejudicado pelo encarecimento das novas formas de energia e pela falta
de mão de obra, decorrente da emigração em massa de europeus para os EUA e
para a América do Sul.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO
Item 2
A utilização de novos materiais e fontes de energia ampliou a capacidade de
produção e consolidou o capitalismo como sistema dominante.
CERTO

ERRADO
DEIXAR EM BRANCO
Item 3
O processo industrial expandiu-se para os diferentes continentes e,
simultaneamente, o sistema financeiro internacionalizou-se.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO
Item 4
Incrementou-se o comércio internacional, tendo havido, ainda, expansão
econômica da América Latina, particularmente da economia primária e de
exportação.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO

Questão 3
2013 QUESTÃO 47 (adaptada) A partir de meados do século XIX, acompanhando
o processo de desenvolvimento da industrialização, o proletariado buscou
desenvolver formas de solidariedade. Nessa perspectiva, surgiram cooperativas,
associações de ajuda mútua e, por fim, sindicatos. Muitos governos chegaram a
desenvolver políticas sociais, provavelmente para enquadrar o movimento
operário, como evidencia a avançada política habitacional na Alemanha de
Bismarck. Relativamente a esse cenário, julgue C ou E.
Item 1
Surgida em 1864, a Associação Internacional dos Trabalhadores, ou I
Internacional, pretendia articular a luta do movimento operário em escala mundial.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO
Item 2
Ao longo do século XIX, o movimento operário europeu foi marcadamente
ideológico e, na maioria absoluta dos casos, plenamente identificado com o
socialismo.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO
Item 3
Presa às circunstâncias históricas do passado, a Igreja Católica mostrou-se
insensível à questão social, vindo a se manifestar sobre esse tema apenas no
século XX.
CERTO
ERRADO

DEIXAR EM BRANCO
Item 4
Com o apoio das tropas prussianas, a Comuna de Paris logrou assumir o controle
da capital francesa e nela implantou o modelo anarquista de administração pública.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO
Item 5
Apesar da acirrada oposição de Marx e Engels, o avanço do movimento operário
sustentou-se em aguda radicalização política e ideológica.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO

Questão 4
QUESTÃO 50 Por volta de 1860, uma nova palavra entrou no vocabulário
econômico e político do mundo: “capitalismo”. O triunfo global do capitalismo é o
tema mais importante da história nas décadas que sucederam 1848. Foi o triunfo
de uma sociedade que acreditou que o crescimento repousava na competição da
livre iniciativa privada, no sucesso de comprar tudo no mercado mais barato
(inclusive trabalho) e vender no mais caro. Eric J. Hobsbawm. A Era do Capital
(1848-1875). Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1982, p. 21 (com adaptações). Tendo o
texto acima como referência inicial e considerando o significado histórico da
Revolução Industrial, julgue (C ou E) os itens a seguir.
Item 1
Entre os diversos elementos que se conjugam para a conceituação mais
abrangente da Revolução Industrial, destacam-se a substituição das ferramentas
pelas máquinas, da energia humana pela motriz e da forma doméstica de
produção pelo sistema fabril.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO
Item 2
A competição citada no texto, razão de ser de crescimento econômico que não
teria fim, como se acreditava à época, circunscreveu-se à iniciativa privada. A
triunfante sociedade burguesa, defensora intransigente dos princípios liberais,
impediu que a ação dos Estados nacionais interferisse na economia, o que
resultou em clima de paz e de rivalidades amortecidas, que perdurou até meados
do século XX.
CERTO
ERRADO

DEIXAR EM BRANCO
Item 3
No período de tempo mencionado no texto, a partir de meados do século XIX, a
Revolução Industrial deixa de ser um acontecimento essencialmente inglês e tende
a se disseminar. Nesse processo de universalização da moderna indústria,
assinalada pela expansão imperialista, verifica-se a consolidação do capitalismo
como sistema econômico dominante.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO
Item 4
Assentada na notável evolução tecnológica que a caracterizou, a Revolução
Industrial alterou radicalmente o sistema produtivo, ampliando, de maneira inédita,
o volume da produção e os mercados consumidores. Essa transformação,
contudo, foi insuficiente para determinar novos padrões de pensamento e de
comportamento da sociedade, que ainda permanecia presa a ideias e valores do
passado rural.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO

Questão 5
QUESTÃO 65 A propósito da famosa Encíclica Rerum Novarum, de 1891, julgue C
ou E.
Item 1
O papa Leão XIII, responsável pelo documento, condenou explicitamente o regime
capitalista.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO
Item 2
A Encíclica apelava aos empregadores para que respeitassem a dignidade dos
operários.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO
Item 3
A Encíclica admitia a luta de classes, pois considerava iníqua a propriedade
privada.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO
Item 4
Dada a própria natureza do sistema industrial, a Encíclica considerava inútil a ação
dos sindicatos.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO

Questão 6
2010 QUESTÃO 59 (adaptada) A Revolução Industrial começou na Inglaterra na
segunda metade do século XVIII. A respeito desse assunto, julgue C ou E os itens
subsequentes.
Item 1
O carvão, o ferro — as duas grandes riquezas da Inglaterra — já eram fartamente
exploradas no início da Revolução.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO
Item 2
À época, a população inglesa era equivalente, em número, à da França, embora a
Inglaterra tivesse dimensões bem menores.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO
Item 3
A Inglaterra não dispunha de recursos agrícolas e florestais suficientes para as
suas necessidades.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO
Item 4
Como a Inglaterra foi pouco beneficiada pela Revolução Comercial, a Revolução
Industrial veio a oferecer-lhe oportunidade para recuperar seu relativo atraso
econômico.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO
Item 5
O fato de ter um sistema financeiro ainda precário não impediu que a Inglaterra
levasse adiante seu processo de industrialização.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO

Questão 7
2009 QUESTÃO 72 No final do século XVIII e no início do XIX, após a introdução
do bastidor hidráulico de Arkwright, uma onda de avanços técnicos impulsionou a
segunda Revolução Industrial, movida a eletricidade, produtos químicos e óleos.
Juntas, essas descobertas tornariam as indústrias mais limpas e eficientes do que
as fábricas da etapa anterior, movidas a vapor e a carvão. E as novas técnicas
alavancariam o comércio de maneira inimaginável. No final do século XIX, barcos
a vapor, telégrafos e motores elétricos multiplicavamse: Arkwright não podia ter
previsto nada disso quando patenteou sua máquina fiandeira em 1769. Em um
século e meio, o mundo mudou de forma irreversível nas esferas comercial, social
e política. Patrícia S. Daniels e Stephen G. Hyslop. Atlas da História do Mundo.
National Geographic, São Paulo: Abril, 2004, p. 242-3 (com adaptações). Tendo o
texto acima como referência e considerando o significado histórico da Revolução
Industrial, julgue (C ou E) os itens subsequentes.
Item 1
O processo de industrialização iniciado na Grã-Bretanha, na segunda metade do
século XVIII, acelerou a substituição de antigas formas de produção pelo
capitalismo, que se consolidava como sistema econômico dominante, com a
atividade fabril suplantando o trabalho doméstico e a crescente prevalência do
trabalho assalariado.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO
Item 2
Infere-se do texto que as incessantes inovações tecnológicas estão presentes no
transcurso da Revolução Industrial, o que altera o tipo de força motriz que
impulsiona a moderna industrialização e, certamente, contribui para a ampliação
da capacidade produtiva e para a expansão do comércio mundial.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO
Item 3
Entre as transformações irreversíveis mencionadas no texto, produzidas pelo
avanço da industrialização, o cenário existente em fins do século XIX assinalava a
proibição do trabalho infantil e feminino, a regulamentação da jornada de trabalho
e o surgimento dos serviços previdenciários, em meio a uma sociedade que
lentamente se urbanizava.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO
Item 4
As novas condições sociais geradas pela Revolução Industrial constituíram
fermento de ondas revolucionárias que convulsionaram a Europa, notadamente em
1848.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO

Questão 8
2012 QUESTÃO 46 A respeito da Revolução Industrial na Europa e de fatos a ela
relacionados, julgue (C ou E) os itens subsequentes.
Item 1
A disseminação da economia industrial na Europa Continental foi facilitada pelos
grandes fluxos de investimentos internacionais que surgiram dos excedentes de
capitais, com o objetivo de boas oportunidades de negócios, o que permitiu a
injeção de capitais no sistema financeiro europeu e de tecnologias no processo de
industrialização.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO
Item 2
A economia industrial no continente europeu foi dinamizada, entre outros
importantes fatores, pela inexistência, até a década de 60 do século XIX, de
políticas protecionistas de comércio exterior.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO
Item 3
O retardo do desenvolvimento da economia industrial nos países da Europa
Continental, comparativamente ao da Grã-Bretanha, deveu-se à precária cultura
liberal empreendedora e às dificuldades econômicas advindas de conflitos
armados.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO
Item 4
A expansão da Revolução Industrial na Europa favoreceu o surgimento de
movimentos políticos e sociais, alguns deles relacionados ao rápido processo de
urbanização que se verificou no continente a partir do século XIX.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO

Questão 9
Texto para as questões 53 e 54. O século XX coincidiu com a máxima expansão
das categorias fundamentais do mundo moderno — sujeito e trabalho —, eixos
que presidiram a atualização e exasperaram os limites do liberalismo e do
socialismo, as duas grandes utopias da modernidade. Tais utopias não nasceram
no século XX, mas este foi o laboratório mais distendido de todas elas, o campo
concreto de experimento de suas virtualidades, das suas figuras e de sua
imaginação. Talvez por isso o século XX exiba uma característica única e
contraditória: parece ter sido o mais preparado e explicado pelos séculos
anteriores e, simultaneamente, o que mais distanciou a humanidade de seu
passado, mesmo o mais próximo, decretando o caráter obsoleto de formas de vida
e sociabilidade consolidadas durante milênios. O século XX foi o salto definitivo da
humanidade para o futuro, para a história entendida como transformação
permanente e fluxo contínuo do tempo em direção a um tempo de abundância e
liberdade, perspectiva avalizada pela sistemática ampliação das promessas da
ciência, da tecnologia, das novas modalidades de organização social e da
produção material. Um século, portanto, de mandamentos utópicos que
sacrificaram o passado e seus mitos, mudaram o ritmo da vida e ocidentalizaram a
Terra, tornando-a mais homogênea e seduzida por semelhantes imagens de
futuro. Nesse sentido, nada mais próximo e nada mais distante do século XIX do
que o século XX. Rubem Barboza Filho. Século XX: uma introdução (em forma de
prefácio). In: Alberto Aggio e Milton Lahuerta (orgs.). Pensar o século XX:
problemas políticos e história nacional na América Latina. São Paulo: Editora
UNESP, 2003, p. 16 (com adaptações). QUESTÃO 53 No quadro mais amplo da
contemporaneidade, o texto aproxima e distingue tendências do século XIX e do
século XX. Nesse contexto, julgue (C ou E) os itens seguintes.
Item 1
A Revolução Industrial consolida novas relações de produção e, ao promover a
expansão imperialista, contemplando novas formas de dominação colonial,
estende a atuação do moderno capitalismo às mais distantes regiões do planeta.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO
Item 2
Liberalismo e socialismo são duas das grandes representações do século XIX que
estendem sua presença no século seguinte. Ao passo que o socialismo foi
empunhado por setores da burguesia comprometidos com a justiça social e com
uma face mais humanizada do capitalismo, o liberalismo mostrou, desde o primeiro
momento, ser o abrigo natural dos grupos democrático-radicais.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO

Questão 10
2006 Texto para as questões de 37 a 41 Poucas vezes a incapacidade dos
governos em conter o curso da história foi demonstrada de forma mais decisiva do
que na geração pós-1815. Evitar uma segunda Revolução Francesa, ou, ainda, a
catástrofe pior de uma revolução européia generalizada tendo como modelo a
francesa, foi o objetivo supremo de todas as potências que tinham gasto mais de
20 anos para derrotar a primeira, até mesmo dos britânicos, que não simpatizavam
com os absolutismos reacionários que se restabeleceram em toda a Europa e
sabiam muito bem que as reformas não podiam nem deviam ser evitadas, mas que
temiam uma nova expansão franco-jacobina mais do que qualquer outra
contingência internacional. E, ainda assim, nunca na história da Europa e poucas
vezes em qualquer outro lugar, o revolucionarismo foi tão endêmico, tão geral, tão
capaz de se espalhar por propaganda deliberada como por contágio espontâneo.
Eric J. Hobsbawm. A Era das Revoluções: Europa 1789-1848. Rio de Janeiro: Paz
e Terra, 1981, p. 127. QUESTÃO 40 Compreender o processo histórico
protagonizado pelo século XIX e seus desdobramentos no século seguinte requer,
em meio a tantos outros aspectos essenciais, o exame da trajetória seguida pelo
capitalismo. A propósito desse cenário histórico, julgue (C ou E) os itens seguintes.
Item 1
A tendência à concentração de empresas e à centralização de capitais altera, na
prática, as antigas formas de concorrência e elimina o antigo discurso liberal
assentado no livre-cambismo, na liberdade dos mares e na condenação às
práticas protecionistas.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO
Item 2
Instituição poderosa, com larga ascendência sobre governos e sociedades, a
Igreja Católica adota, com o Papa Leão XIII, a corajosa atitude de expor sua
doutrina social em um contexto de grave crise social — a depressão econômica
dos anos 1870. O conteúdo da encíclica Rerum Novarum representava um convite
aos católicos a combater o “capitalismo materialista” e, em decorrência, a apoiar
pontos centrais do marxismo, em remota preparação ao advento da Teologia da
Libertação, cem anos mais tarde.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO
Item 3
A partir de meados do século XIX, o sistema capitalista adquire feições novas.
Sem perder suas características fundamentais e definidoras, como a propriedade
privada dos meios de produção e o objetivo da acumulação, ele se torna
crescentemente monopolista e financeiro.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO

Questão 11
2008 QUESTÃO 23 Com relação ao peso da industrialização no desenvolvimento
do capitalismo, do século XVIII aos nossos dias, julgue (C ou E) os seguintes itens.
Item 1
Embora emitindo sinais que apontavam para a universalização futura do
capitalismo, a industrialização ascendente ao longo do século XIX foi
monopolizada pela Inglaterra e manteve-se adstrita à Europa Ocidental.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO
Item 2
As formas de indústrias desenvolvidas nas últimas décadas do século XX e início
do século XXI modificaram o paradigma da linha clássica de produção em favor da
produção informatizada e com alto grau de automação e tecnologia.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO
Item 3
A fase inicial da industrialização, predominantemente inglesa, a partir do século
XVIII, foi marcada pela produção de bens de consumo, especialmente os têxteis, e
pela utilização do ferro e do carvão como base do processo produtivo.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO
Item 4
Novas formas de produção de energia, como a hidrelétrica, e novos combustíveis,
como o petróleo, tiveram discreta participação no ciclo industrial que, já no final do
século XIX, colocava o motor a explosão no centro do processo industrial.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO

Questão 12
2004 TEXTO: Há algo que não se pode dizer do século XX: que foi um tempo de
brumas, silêncios e mistérios. Tudo nele foi a céu aberto, agressivamente
iluminado, escancarado e estridente. E, no entanto, ele é ainda um enigma — um
claro enigma, parafraseando Drummond —, e dele não podemos fazer o
necrológio completo. E porque findou como uma curva inesperada da história, em
um astucioso desencontro do que achávamos ser o futuro, turvou nossa memória
e nosso olhar. E tornou-se pedra e esfinge, com um brilho que ainda cega e
desafia. O século XX foi, sem dúvida, um século das utopias. O seu andamento
coincidiu com a máxima expansão das categorias fundamentais do mundo
moderno — sujeito e trabalho —, eixos que presidiram a atualização e
exasperaram os limites do liberalismo e do socialismo, as duas grandes utopias da
modernidade. E talvez por isso exiba uma característica única e contraditória:
parece ter sido o mais preparado e explicado pelos séculos anteriores e,
simultaneamente, o que mais distanciou a humanidade de seu passado, mesmo o
mais próximo, decretando o caráter obsoleto de formas de vida e sociabilidade
consolidadas durante milênios. O século XX sancionou o Estado-nação como a
forma, por excelência, de organização das sociedades em peregrinação para o
futuro e em busca de transparência. Os Estados nacionais ergueram-se como
personagens privilegiadas de uma história humana cada vez mais cosmopolita,
para lembrar Kant, modificando de forma radical a paisagem do mundo. Com eles,
o direito assumiu progressivamente a condição de um idioma universal, reagindo
sobre o passado e destruindo velhas estruturas hierárquicas fundadas em
privilégios e na tradição. Mas o século XX não é apenas um tempo de esperanças.
É também o século do medo e das tragédias injustificáveis. A dura realidade dos
interesses provoca dois grandes conflitos mundiais, um tenso período de guerra
fria e uma interminável série de guerras localizadas. Um século de violência dos
que oprimem e dos que se revoltam. Rubem Barboza Filho. Século XX: uma
introdução (em forma de prefácio). Apud: Alberto Aggio e Milton Lahuerta (Org.).
Pensar o século XX. São Paulo: Unesp, 2003, p. 15–9 (com adaptações).
Considerando o texto acima, julgue os itens seguintes, relativos ao cenário
histórico do mundo contemporâneo.
Item 1
Liberalismo e socialismo, “ as duas grandes utopias da modernidade”, como afirma
o texto, encontraram seus limites à mesma época, ainda que por motivos e
caminhos distintos. Com efeito, a crise social, política e econômica verificada nas
décadas de 20 e 30 do século XX destruiu as bases do Estado liberal —
substituído pelos modelos totalitários fascistas — e eliminou todo e qualquer apoio
ideológico ao stalinismo soviético.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO
Item 2
A moderna industrialização, a partir da Revolução Industrial inglesa, desvelou uma
nova realidade histórica que o texto indica como visceralmente oposta ao que
existia antes, tornando obsoletas as “ formas de vida e sociabilidade consolidadas
durante milênios”. Essa diferença manifesta-se, por exemplo, de modo “
escancarado e estridente”, na mudança do locus tradicional da vida social —
homens e mulheres fogem ou são expulsos do mundo agrário e rural para as
cidades.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO

Questão 13
2005 Texto III – questões de 7 a 11 1 Quando as 5 mil pequenas lâmpadas
iluminaram a fachada do Palácio da Eletricidade, por ocasião da inauguração da
Exposição Universal de 4 Paris (1900), causando assombro à multidão que
assistia ao espetáculo, comprovou-se o triunfo da ciência e a soberania da
máquina. A luz vencera o 7 limite da noite e instaurava as 24 horas como o novo
tempo da cidade. A arte afastava-se do mundo burguês à procura 10 de nova
clientela, capaz de um ato de fruição total. Era preciso tornar-se autêntica e, para
isso, ela precisava eliminar dos seus efeitos específicos 13 quaisquer outros que
pudessem ter sido tomados por empréstimo. Era necessário tornar-se “autárquica”,
“pura”. 16 A busca incessante dessa pureza motivou os artistas do início do século
XX, o que resultou na produção de obras que deram corpo a uma notável 19
revolução cultural. P. E. Grinberg e A. A. Luz. Revoluções artístico-culturais no
século XX. In: F. C. Teixeira da Silva (coord.). Século sombrio: guerras e
revoluções do século XX. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004 (com adaptações).
QUESTÃO 8 Tomando o texto III como referência inicial e considerando o cenário
econômico mundial na passagem do século XIX ao século XX, julgue (C ou E) os
próximos itens.
Item 1
A inexistência de crises mais pronunciadas no sistema capitalista, ao longo da
segunda metade do século XIX, reforçava o ponto de vista de governos e de
grandes empresários no tocante à perenidade do desenvolvimento material que
estava em marcha.
CERTO
ERRADO

DEIXAR EM BRANCO
Item 2
As últimas décadas do século XIX assistiram à disseminação da crença burguesa
em um progresso ilimitado, do qual as exposições universais — tal como a citada
no texto — eram símbolos poderosos.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO
Item 3
As transformações verificadas no sistema produtivo capitalista, a partir de meados
do século XIX, tiveram na substituição do ferro e do carvão pelo aço e pela
eletricidade o ponto de partida para a configuração da moderna industrialização.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO
Item 4
Assinada pelo Papa Leão XIII em 1891, a encíclica Rerum Novarum, primeira
grande manifestação oficial da Igreja Católica para a elaboração de uma doutrina
social-cristã, ao mesmo tempo em que atacava firmemente os excessos da
exploração capitalista, expressava sutil apoio às teses socialistas.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO

Questão 14
2016 QUESTÃO 58 Acerca das correntes ideológicas radicais que marcaram o
cenário político do século XIX, julgue (C ou E) os itens a seguir.
Item 1
O anarquismo do século XIX, que se desenvolveu a partir do pensamento e da
ação de figuras como Pierre-Joseph Proudhon e Mikhail Aleksandrovitch Bakunin,
foi marcado pelo ideal de supressão do Estado, pela aceitação da violência como
tática política e pela rejeição do antissemitismo.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO
Item 2
Diferentemente do liberalismo, que forma uma tradição política centrada no
individualismo, o socialismo abrange um conjunto de teorias políticas, filosofias
sociais, práticas e formas de engajamento estruturadas em torno de princípios
coletivistas que priorizam a solidariedade e a distribuição equitativa da riqueza.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO
Item 3
O socialismo no século XIX fundou-se não apenas nas formulações teóricas dos
intelectuais que o idealizaram, como Charles Fourrier, Louis Blanc e Karl Marx,
mas também na prática de movimentos como o socialismo cristão, o sindicalismo e
o cooperativismo.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO
Item 4
Como intelectual engajado e agitador político, Karl Marx procurou cultivar laços
com diferentes grupos socialistas da Europa, ainda que, paralelamente, tenha,
com frequência, sublinhado o caráter “científico” da sua versão da teoria socialista
e criticado o “socialismo utópico” de alguns dos seus contemporâneos.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO

Questão 15
QUESTÃO 48 A história mundial contemporânea, iniciada no último terço do
século XVIII, apresenta-se como uma sucessão de sistemas mundiais intercalados
por fases de transição e configuração de novas lideranças. Assim, de 1776 (ano da
independência dos EUA e da publicação de A Riqueza das Nações, de Adam
Smith) a 1890, a Pax Britânica, embasada na Revolução Industrial e regulada pelo
liberalismo, deu início ao mundo dominado pelas potências anglo-saxônicas. Paulo
G. Fagundes Visentini e Analúcia Danilevicz Pereira. História do mundo
contemporâneo. Petrópolis: Vozes, 2008, p. 10 (com adaptações). Tendo o texto
acima como referência inicial e considerando aspectos da história econômica
mundial, julgue (C ou E) os itens seguintes.
Item 1
Em A Riqueza das Nações, Adam Smith critica o mercantilismo, alinhando-se,
nesse aspecto, com os fisiocratas franceses, mas deles se afastando ao sustentar
que ao Estado compete conduzir e proteger a economia nacional na disputa por
mercados com outros países.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO
Item 2
Ao longo do século XIX, nas regiões economicamente mais dinâmicas, capitalismo
e sociedade industrial consolidaram-se em meio a um cenário de crescente
urbanização, de formação e expansão do mercado de trabalho assalariado, de
uma economia cada vez mais permeada por bens industrializados, de
concentração e centralização da riqueza e dos capitais em grandes empresas, e
de um mercado em franco processo de mundialização.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO

Questão 16
2007 Texto para as questões de 44 a 46 Poucas vezes, a incapacidade dos
governos em conter o curso da história foi demonstrada de forma mais decisiva
que na geração pós-1815. Evitar uma segunda Revolução Francesa, ou ainda a
catástrofe pior de uma revolução européia generalizada tendo como modelo a
francesa, foi o objetivo supremo de todas as potências que tinham gasto mais de
vinte anos para derrotar a primeira. Houve três ondas revolucionárias principais no
mundo ocidental entre 1815 e 1848. A primeira ocorreu em 1820-4. Na Europa, ela
ficou limitada principalmente ao Mediterrâneo, com a Espanha, Nápoles e a Grécia
como seus epicentros. A Revolução Espanhola reavivou o movimento de
libertação na América Latina. A segunda onda revolucionária ocorreu em 1829-34
e afetou toda a Europa a oeste da Rússia e o continente norte-americano, pois a
grande época de reformas do presidente Jackson deve ser entendida como parte
dela. Ela marca a derrota definitiva dos aristocratas pelo poder burguês na Europa
Ocidental. A classe governante dos próximos cinqüenta anos seria a grande
burguesia de banqueiros, grandes industriais e, às vezes, altos funcionários civis.
Ela determina, também, uma inovação ainda mais radical na política: o
aparecimento da classe operária como uma força política autoconsciente e
independente na Grã-Bretanha e na França e dos movimentos nacionalistas em
grande número de países na Europa. A terceira e maior das ondas revolucionárias
foi a de 1848. Nunca houve nada tão próximo da revolução mundial com que
sonhavam os insurretos que essa conflagração espontânea e geral. O que, em
1789, fora o levante de uma só nação era, agora, assim parecia, a primavera dos
povos de todo um continente. Eric J. Hobsbawm. A era das revoluções. Rio de
Janeiro: Paz e Terra, 1981, p. 127-30 (com adaptações). QUESTÃO 46 Tendo o
texto como referência inicial e considerando o quadro histórico do século XIX no
Ocidente, julgue (C ou E) os itens seguintes.
Item 1
O processo de expansão do capitalismo, a partir de meados do século XIX, fez-se
à margem dos Estados nacionais, conduzido que foi pela iniciativa privada. Isso
explica a reduzida intensidade das crises que envolveram os países europeus ao
longo da corrida imperialista, quadro que tendeu a modificar-se apenas a partir dos
anos 1930, devido ao impacto da grande depressão econômica.
CERTO

ERRADO

DEIXAR EM BRANCO